Você está na página 1de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DE ALAGOAS

CAMPUS DO SERTÃO
CURSO DE HISTÓRIA

Disciplina: Técnicas de pesquisa histórica Turma: N


Docente: Sheyla Farias.
Aluno: Lucas Brito Santana Da Silva.

FICHAMENTO

REFERÊNCIA DO TEXTO: BELLOTTO, Heloísa L. Documento, informação e meios


institucionais de custódia e disseminação. In: Arquivos permanentes: tratamento
documental. Rio de Janeiro: FGV, 2004, p 35-43.

OBJETO: Instituições guardiãs da memória.

OBJETIVOS: Apresentar as instituições guardiãs da memória, suas diferenças e quais


os documentos pertinentes a cada uma.

METODOLOGIA: Exposição descritiva.

PRINCIPAIS ARGUMENTOS:

AUTORES E TEORIAS CITADAS:

PRINCIPAIS CONCLUSÕES: As principais instituições guardiãs da memória são o


Arquivo, a Biblioteca, o Museu e o Centro de documentação. Distintos entre si, alocando
diferentes documentos e os submetendo-os a diferentes metodologias. O objetivo e o
suporte do documento são o que define a qual instituição um documento será
direcionado. O arquivo, órgão receptor, lida com documentos (manuscritos, impressos,
audiovisuais) produzidos por instituições administrativas (com fins jurídicos, legais e
funcionais), e deles não pode ser desanexado, dada a necessidade do seu contexto.
Mantém exemplares únicos dos documentos, são classificados como correntes,
intermediários e permanentes; seus documentos servem como provas e testemunhos,
está aberto a um público restrito, administradores e pesquisadores. A biblioteca, órgão
colecionador, seus documentos (impressos, manuscritos, audiovisuais) são adquiridos
em compras, doações e trocas, segundo as especificações da instituição. Mantém
exemplares múltiplos e está aberta a um público ilimitado, tem fins instrucionais e
informacionais. O museu, órgão colecionador, aloca documentos e outros objetos não
produzidos pelo homem, exemplares únicos, objetiva o entretenimento e a informação.
Os seus objetos e documentos são adquiridos por compras, doações e permutas; está
aberto ao grande público e pesquisadores. Por fim, temos o centro de
documentação/banco de dados. Alocando documentos (reproduções audiovisuais,
virtuais), está a serviço da produção científica, podendo ser acessado somente por
pesquisadores.

COMENTÁRIO PESSOAL: O texto de Bellotto serve perfeitamente como manual


introdutório às instituições abordadas, naquilo que contém e na metodologia utilizada.
Sua linguagem clara permite que qualquer leitor, por mais leigo que seja, vislumbre o
que vem a ser um Arquivo, uma biblioteca, um museu e um centro de documentação.
Nada que venha a substituir a experiência de sua visitação, mas certamente uma leitura
enriquecedora, e, de fato, obrigatória a qualquer historiador.

PALAVRAS- CHAVE: Documentos; Instituições guardiãs; Arquivística.