Você está na página 1de 3

Os Lusíadas - Despedidas em Belém

Produção escrita

Atenta na estrofe 84 do Canto IV de Os Lusíadas e responde, de forma


completa e estruturada, ao item 1.
E já no porto da ínclita Ulisseia
Cum alvoroço nobre e cum desejo,
(Onde o licor mestura e branca areia
Co salgado Neptuno o doce Tejo)
As naus prestes estão; e não refreia
Temor nenhum o juvenil despejo,
Porque a gente marítima e a de Marte
Estão pera seguir-me a toda parte.
1) Escreve um texto expositivo, com um mínimo de 70 e um máximo
de 120 palavras, no qual explicites o conteúdo da estrofe acima.
O teu texto deverá conter, de modo inequívoco, uma introdução, um
desenvolvimento e uma conclusão.
Organiza a informação da forma que considerares mais pertinente,
tratando os tópicos apresentados a seguir:
 Indicação do episódio a que pertence a estrofe.
 Identificação do narrador e dos grupos de personagens
referidos como a gente marítima e a de Marte.
 Referência ao momento da ação e apresentação de um
elemento relativo ao espaço.
 Descrição do estado de espírito das personagens.
 Referência ao recurso expressivo presente no primeiro verso.

2) Completa a síntese deste episódio com as palavras em falta.

①, contando ao rei de Melinde o momento da ② das naus, refere


que quando o recorda, cheio de dúvida e receio, tem ③ em conter as
④. Naquele dia, o ⑤ da cidade de ⑥ aglomerou-se na ⑦ de Belém
para assistir à partida das ⑧ e para se ⑨ dos amigos e dos parentes
que iriam embarcar. Acreditava-se que a ⑩ seria longa e ⑪.
A dor ganha dramatismo nos suspiros dos ⑫ e no choro das ⑬:
mães, esposas, irmãs, assaltadas pelo desespero e pelo ⑭ de não
voltarem a ver aqueles que amam.
Por fim embarcam, mas Vasco da Gama ordena que não se
façam as ⑮ habituais, pois acredita que, desta forma, ⑯ o sofrimento
dos que ⑰ e dos que ficam.

Despedidas em Belém – produção escrita – documento de apoio ao estudo


1) Resposta possível:
Esta estrofe insere-se no episódio das “Despedidas em Belém”.
Narrado por Vasco da Gama, este episódio refere-se aos dois grandes
grupos que constituem a expedição: marinheiros e soldados.
A ação tem lugar em Lisboa, concretamente na foz do Tejo, na
praia de Belém, de onde vão partir as naus para a Índia. Aí se junta a
tripulação com a firmeza da sua decisão que nenhum temor refreia,
num entusiasmo («alvoroço») nobre.
A perífrase presente em ínclita Ulisseia permite destacar a
importância da cidade de Lisboa, celebrada desde os tempos de
Ulisses, o seu lendário e mítico fundador.
As naus estão prontas. Falta apenas o embarque da tripulação.
107 palavras
(com alterações)

2. Resposta possível:
(1) Vasco da Gama; (7) praia; (13) mulheres;
(2) partida; (8) naus; (14) medo;
(3) dificuldade; (9) despedir; (15) despedidas;
(4) lágrimas; (10) viagem; (16) diminui;
(5) povo; (11) perigosa; (17) partem.
(6) Lisboa; (12) homens;

Despedidas em Belém – produção escrita – documento de apoio ao estudo


Chegar a bom porto… Preparar a prova final – Diálogos 9, p.20