Você está na página 1de 89

Projeto P085 Veleiro 16´

MANUAL DE
CONSTRUÇÃO

Veleiro 16´
Método: madeira/epóxi
Projeto:
Ronaldo Fazanelli Migueis.M.Sc.
Eng.naval
www.arqnav.com.br
fazanelli@globo.com

Copyright © 1996-2009 Ronaldo Fazanelli Migueis. Este projeto é protegido por direitos autorais. Nos
reservamos o direito de alterar em parte ou no todo as informações contidas neste texto, em função
das constantes atualizações que fazemos no mesmo.

1 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

ÍNDICE
NOTAS IMPORTANTES...................................................................................................................... 3
DOCUMENTOS DO PROJETO ........................................................................................................... 3
CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS ...................................................................................................... 5
INTRODUÇÃO .................................................................................................................................... 6
LEITURA COMPLEMENTAR............................................................................................................... 6
PARÂMETROS PARA PLOTAGEM DE ARQUIVO DWG.................................................................... 7
RELAÇÃO DE MATERIAIS.................................................................................................................. 8
RELAÇÃO DE FERRAMENTAS .......................................................................................................... 8
VOCABULÁRIO & SIMBOLOS ............................................................................................................ 8
RISCO E CORTE DE COMPENSADOS.............................................................................................. 8
CHANFRO DOS PAINÉIS PARA AS EMENDAS................................................................................. 8
COLAS E ADESIVOS .......................................................................................................................... 8
IMPREGNAÇÃO.................................................................................................................................. 8
CONSTRUÇÃO DA BANCADA ........................................................................................................... 9
RELAÇÃO DE MATERIAIS PARA A BANCADA................................................................................ 10
MONTAGEM DA BANCADA.............................................................................................................. 10
CORTE DE PAINÉIS ......................................................................................................................... 21
MONTAGEM DAS ANTEPARAS NA BANCADA ............................................................................... 26
RODA DE PROA ............................................................................................................................... 32
COSTADO......................................................................................................................................... 36
QUILHA EXTERNA DE MADEIRA..................................................................................................... 37
ESQUEMA DE LAMINAÇÃO ............................................................................................................. 38
LAMINAÇÃO EXTERNA .................................................................................................................... 38
PINTURA EXTERNA ......................................................................................................................... 39
BERÇO DE MONTAGEM .................................................................................................................. 40
ESTRUTURA INTERNA .................................................................................................................... 44
PAIOL DA PROA............................................................................................................................... 45
LAMINAÇÃO INTERNA ..................................................................................................................... 45
BELICHES......................................................................................................................................... 45
COCKPIT .......................................................................................................................................... 48
REFORÇOS DO ESPELHO DE POPA.............................................................................................. 55
DRENO DO COCKPIT....................................................................................................................... 57
REFORÇOS DO CONVÉS ................................................................................................................ 59
SUPORTE DO MASTRO................................................................................................................... 61
CHAPEAMENTO DO CONVÉS ......................................................................................................... 63
CABINE ............................................................................................................................................. 66
GAIÚTA............................................................................................................................................. 71
QUILHA ............................................................................................................................................. 76
ACABAMENTO DO COCKPIT........................................................................................................... 78
FUZIS, POSTES E PÚLPITOS.......................................................................................................... 82
LEME ................................................................................................................................................ 85
ACABAMENTO FINAL E PINTURA DO BARCO ............................................................................... 87
MONTAGEM DAS FERRAGENS E ACESSÓRIOS........................................................................... 87
ANEXOS ........................................................................................................................................... 89

2 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

NOTAS IMPORTANTES

• Este projeto é fornecido como é.


• O comprador está adquirindo o direito de construir apenas uma (1) embarcação.
• Caso deseje construir mais de uma unidade, solicitamos que entre em contato conosco por
telefone ou e-mail para futuras autorizações por escrito.
• O autor se reserva o direito de alterar este projeto em parte ou no todo, sempre que julgar
necessário, sem que com isso seja responsável por eventuais prejuízos alegados pelo
construtor.
• Todas as alterações a serem feitas pelo construtor são de sua inteira responsabilidade.
• Solicitamos ao construtor que antes de efetuar uma alteração, nos consulte, para darmos um
parecer antecipado e desta forma garantir um resultado final tecnicamente correto.
• Este projeto é de propriedade do autor, engenheiro naval Ronaldo Fazanelli Migueis. Ele não
poderá ser vendido, doado, emprestado ou copiado sem a prévia autorização por escrito do
autor.
• Este projeto está protegido por direitos autorais.

DOCUMENTOS DO PROJETO
Verifique se você recebeu os documentos abaixo:

• Lista de material: LM 085.pdf


• Manual de construção: Manual 085.pdf. (Este manual que você está lendo)
• Relação de fornecedores: Fornecedores.xls
• Relação de desenhos:

desenho desenho versão tamanho

Plano de linhas P085_100 B A3


Plano de linhas - escala 1:1 P085_101 A A0
Plano de linhas - escala 1:1 P085_101 a A A0
Plano de linhas - escala 1:1 P085_101 b A A0
Plano de linhas - escala 1:1 P085_101 c A A0
Peças em escala 1:1 P085_102 0
Cotas do convés & cabine P085_103 0 A3
Arranjo geral P085_200 A A1
Estrutura P085_300 A A1
Estrutura P085_301 B A1
Estrutura - seções P085_331 0 A3
Estrutura - seções P085_332 0 A3
Estrutura - seções P085_333 0 A3
Estrutura - seções P085_334 0 A3
Estrutura - seções P085_335 0 A3
Estrutura - seções P085_336 0 A3
Estrutura - seções P085_337 0 A3
Estrutura - seções P085_338 0 A3
Estrutura - seções P085_339 0 A3
Espelho de popa P085_340 0 A3
Elétrica & hidráulica P085_400 A A1
Mastreação / plano vélico P085_600 A A1
Leme P085_700 A A3
Leme P085_701 0 A3

3 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Esquema de pintura P085_900 0 A3


Gaiúta P085_945 0 A3
Bancada P085_950 0 A1
Quilha de chumbo P085_960 0 A3
Quilha de chumbo P085_961 0 A3
Berço de construção P085_966 0 A3

Para plotar o arquivo P085_101.dwg o plotter deverá ser configurado conforme descrito no capítulo
PARÂMETROS PARA PLOTAGEM DE ARQUIVO DWG.

Este arquivo contém os desenhos das nove anteparas e do espelho de popa em tamanho real.

4 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS

Comprimento total 5,500 m LOA


Comprimento da linha d’água 4,558 m LWL
Boca do barco 2,174 m B
Boca na linha d'água 1,814 m BWL
Pontal 0,846 m
Calado do casco 0,208 m d
Calado máximo 1,000 m
Borda livre – proa 0,737 m
Borda livre – meia nau 0,638 m
Borda livre – popa 0,544 m
I 4,896 m
J 2,275 m
P 5,260 m
E 2,428 m
Área vélica
2
Grande 5,50 m
2
Genoa 5,92 m
2
Balão m
Gennaker m2
Altura do mastro desde a LAP 7,000 m
Peso leve Kg
Deslocamento máximo em água salgada 755 Kg ∇
Quilha Kg
3
Volume m
2
Área molhada do casco 6,5 m
Área total do casco 13,9 m2
Tripulantes (máximo) 4

Passageiros em pernoite
Motorização recomendada 3,3 hp @ 5600 RPM popa
Velocidade a motor 5,2 nó
Combustível gasolina
Coeficiente prismático 0,556
Coeficiente de bloco 0,429
Coeficiente de linha d’água 0,690
Coeficiente seção mestra
Momento para trimar 1 cm 6,273 Kg . cm
Kg/cm de imersão 58,57 Kg / cm
Centro de flutuação em relação a proa m
Centro de flutuação em relação à proa %
HP / deslocamento 4,4 hp/Kg

5 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

INTRODUÇÃO

Leia cuidadosamente as instruções antes de comprar o material que será utilizado na construção do
barco, para ter certeza de que não irá adquirir material desnecessário ou errado.

Chamamos a atenção para o fato de que não devemos comprar os materiais mais baratos disponíveis
no mercado sob pena de comprometer a qualidade do seu barco. O compensado naval tem que
necessariamente ter estampado a palavra “NAVAL” no mesmo. Muitas vezes os vendedores não
atentam para este fato e vendem outros tipos. A diferença entre o compensado naval e os comuns,
está na cola que foi usada. O compensado naval, não descola quando em contato com a água. Um
teste que pode ser feito é colocar-se um pedaço pequeno para ser fervido por 30 minutos em água.
Se descolar, descarte-o e compre de outra marca.

As ripas ou sarrafos devem ser de madeira leve. Sugerimos o freijó ou cedro por serem resistentes
aos cupins e leves. São duas das melhores madeiras para construção naval. Compre somente ripas
sem nó.

Caso você tenha uma serra circular e um desengrosso, poderá comprar madeira bruta e produzir as
próprias ripas, porem, para a maioria dos construtores de fim de semana, é mais fácil encomendá-las
em uma serraria perto do local da construção. O custo é muito baixo e a quantidade pequena.

O seu barco será todo construído com resina Epóxi. Tanto a colagem como a impregnação e
laminação. Fique atento para o período de validade, que é no máximo de seis meses. Verifique com o
seu fornecedor qual é a recomendada para colar madeira e suportar o contato com a água.

Os vernizes e tintas devem ser de boa marca e usados dentro do período de validade.

Quando comprar colas, tintas e vernizes, não se esqueça de ler as instruções atentamente para usar o
produto de forma adequada.

O verniz de acabamento deverá ser do tipo brilhoso (preferencialmente) e obrigatoriamente possuir


filtro solar. Sem este filtro o verniz terá uma vida muito curta. Só aceite um verniz que tenha escrito
na embalagem que possui filtro solar (UV). Não aceite do vendedor um verniz dito para exterior.

Incluímos neste projeto um desenho de instalações elétrica e hidráulica. Em princípio, achamos que
não seja necessário instalar pia e vaso sanitário a bordo, pois iremos perder um espaço precioso do
interior. Devido as dimensões do mesmo, provavelmente somente será utilizado em navegação
diurna, porem para aqueles que desejarem, incluímos um esquema elétrico simplificado, compatível
com as dimensões do barco.

LEITURA COMPLEMENTAR
Este manual deve ser lido juntamente com os anexos para que a construção do seu barco se dê de
forma fácil e rápida. Alguns tópicos como são usados em outros projetos foram agrupados em anexos.

Antes de iniciar a construção sugerimos que seja lido o anexo MÉTODO STRIP PLANK. O casco será
construído com este método. Leia também o anexo: MÉTODO COSTURE & COLE onde
descrevemos o método de construção e suas vantagens e desvantagens. Usaremos este método na
construção do convés e cockpit.

Tão importante quanto construir um barco é construí-lo dentro de margens de segurança. Por isso
sugerimos a leitura do anexo SEGURANÇA NO TRABALHO.

Lei também o texto que descreve as madeiras utilizadas na construção naval no anexo MADEIRA
COMO ELEMENTO ESTRUTURAL.

6 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

PARÂMETROS PARA PLOTAGEM DE ARQUIVO DWG

As instruções a seguir valem apenas para os desenhos que possuem a extensão DWG e devem ser
repassadas para quem for executar a impressão, geralmente um bureau de plotagem.

Os que possuírem a extensão PDF serão impressos normalmente sem nenhuma configuração
especial da impressora.

• A grande maioria dos desenhos está no formato A3 (isso), podendo ser plotado em qualquer
impressora que suporte este tamanho de papel.
• Os desenhos que estão em escala 1:1 possuem a largura máxima do plotter A0 (padrão
internacional ISO) e um comprimento de até 50 m. Eles foram feitos para serem usados com
plotter de rolo. Se o seu equipamento for de folha solta, será preciso editar o desenho e dividi-lo
em segmentos obedecendo ao tamanho máximo do plotter.
• Antes de plotar é preciso que o comando LTSCALE esteja com o valor 5. Se não estiver, após
defini-lo como 5 usar o comando REGENALL. Com isso todas as janelas serão regeneradas.
• Um arquivo no formato DWG, geralmente possui diversos desenhos. Para tanto, usamos o
PAPER SPACE. Cada desenho possui a sua própria moldura e as suas Windows em PAPER
SPACE.
• Usamos na medida do possível, o padrão de cores e espessuras da Staedtler (fabricante alemão
de canetas nanquim). O seu plotter deverá estar configurado da seguinte maneira:

Cor Espessura (mm)


1 branca 0.2
2 vermelha 0.3
3 amarela 0.4
4 verde 0.5
5 cyan 0.6
6 0.7
7 0.01

• Ainda na configuração do plotter, use as opções DITTER = ON e GREYSCALE = OFF.


• Todas as cores do plotter devem estar ajustadas para a cor PRETA. As cores são usadas apenas
para diferenciar as espessuras das linhas no desenho. Se o seu plotter for monocromático, não é
preciso ajustar nada, porem se ele for a cores, ajuste-o antes de plotar.
• A layer 0 (zero) deverá estar desligada

7 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

RELAÇÃO DE MATERIAIS
Veja as peças detalhadamente na planilha de materiais LM 085.pdf, em anexo.

RELAÇÃO DE FERRAMENTAS
No anexo FERRAMENTAS PARA MADEIRA, está uma lista de ferramentas básicas, tanto manuais
como elétricas. É importante ressaltar que este barco só utiliza ferramentas manuais leves,
diminuindo assim o risco de acidentes pelo construtor.

VOCABULÁRIO & SIMBOLOS

No anexo VOCABULÁRIO & SIMBOLOS estão relacionados todos s termos técnicos mencionados
neste manual e outros específicos da construção náutica.

RISCO E CORTE DE COMPENSADOS


No anexo RISCO E CORTE DAS PEÇAS DE COMPENSADOS são mostrados como são transferidas
para o compensado naval as medidas das peças e como proceder ao corte.

CHANFRO DOS PAINÉIS PARA AS EMENDAS


Mostramos no anexo CHANFRO como fazer os chanfros e colar as peças de madeira e compensado
naval.

COLAS E ADESIVOS
Neste anexo, é feito um resumo das características das colas e adesivos que devem ser usados neste
barco.

IMPREGNAÇÃO
No anexo IMPREGNAÇÃO explicamos como fazer a impregnação da madeira com resina epóxi.

8 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

CONSTRUÇÃO DA BANCADA

Esta bancada será usada para a construção do casco, de forma invertida, ou seja, com a quilha para
cima. Fig 13

Após a conclusão do fundo e do costado, o barco será desvirado e apoiado em outra bancada para
que fique na posição normal como mostrado na figura Fig 45 e possamos montar o interior e convés.

A sua construção pode ser vista como um exercício de carpintaria antes de iniciar a construção do
barco propriamente dito.

Note que neste caso ela está apoiada sobre um piso nivelado. Se o seu barco tiver que ser construído
sobre um terreno com grama ou terra, será preciso que as pernas (peças de madeiras baratas
utilizadas em obra civil, tendo uma seção de aproximadamente 75 x 75 mm) sejam um pouco maior
para estarem fincadas no terreno. Um comprimento adicional de cerca de 400 mm é o suficiente.

A altura da bancada foi definida para uma pessoa com altura entre 1,7 e 1,8 m, para que o trabalho de
construção seja confortável para a sua coluna vertebral.

Construir um barco muito baixo sacrifica os músculos das costas e coluna vertebral.

Se você estiver fora desta faixa, talvez seja melhor ajustar a altura da mesma para mais ou para
menos.

Boa obra!

9 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

RELAÇÃO DE MATERIAIS PARA A BANCADA


• 2 peças - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 4,500 m
• 1 peça - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 1,828 m
• 1 peça - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 0,903 m
• 1 peça - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 0,828 m
• 1 peça - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 1,456 m
• 2 peça - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 1,706 m
• 2 peça - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 1,152 m
• 14 peças - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 1,500 m
• 16 peças - Sarrafos de pinho de seção 75 x 75 mm x 1,100 m
• 4 peças - Cortadas de compensado. Ver Fig 11
• 1 Kg de prego 17 x 27
• 1 Kg de cola branca de PVC de carpinteiro
• Barra roscada de ¼”
• Porca de ¼”
• Arruela lisa de ¼”
• Arruela de pressão ¼”
• Parafuso de madeira

MONTAGEM DA BANCADA
Precisaremos apenas de sarrafos medindo 75 x 75 mm e alguns pedados de compensado. Eles
podem ser de pinho ou qualquer outra madeira barata. O importante é que as mesmas não estejam
empenadas, pois deste alinhamento irá depender a qualidade do alinhamento do seu barco.

A dimensão é apenas uma referência. Outras medidas poderão ser utilizadas.

Corte 2 pedaços medindo 4500 x 75 x 75 mm. Caso seja necessário emendar dois ou mais até atingir
este comprimento proceda como sugerido em seguir.

Faça os cortes nas duas peças, do mesmo tamanho. Fig 1

10 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 1

Verifique se as peças se encaixam sem folga. Fig 2

Fig 2

Com um lápis, risque duas diagonais. Fig 3

Fig 3

11 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Faça um furo com uma broca, atravessando as duas peças. Fig 4

Fig 4

Verifique se o parafuso passa pelo furo. Fig 5

Fig 5

12 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Aperte a porca. Fig 6

Fig 6

Pronto, as duas peças estão emendadas! Fig 7

Fig 7

13 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Corte 20 pedaços de diferentes tamanhos com seção de 75 x 75 mm. Esses sarrafos serão usados
como as pernas (montantes) da bancada.

Corte 16 pedaços medindo 1100 x 75 x 75 mm. Esses sarrafos serão usados para fixar os montantes
e anteparas do barco na bancada. Outras peças, de dimensões variadas estão ilustradas a seguir.

As Fig 8 (vista frontal), Fig 9 (vista de tope) e Fig 12 (vista lateral) ilustram a montagem da bancada
utilizando as peças cortadas até aqui.

Todas essas peças devem ser coladas com cola branca (PVA) e fixadas definitivamente com barra
roscada com porca, arruela lisa e de pressão.

Fig 8

14 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 9

15 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 10

16 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Instale as quatro borboletas de compensado naval, que irão dar estabilidade as colunas das
extremidades. Fig 11

Fig 11

Ao final da montagem, a bancada terá a aparência da Fig 12

Fig 12

17 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Pronto, você já tem a bancada para construção do seu barco!

Com ela, você irá construir o barco invertido, ou seja, com o fundo para cima, Fig 13 o que é bem
mais fácil e em uma altura confortável, sem sacrificar as costas. Em breve ele estará assim!

Fig 13

18 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

CORTE E AJUSTE DAS ANTEPARAS


Este projeto possui nove anteparas construídas com compensado naval de 10 e 6 mm, com alguns
reforços (sarrafos também chamados de pau-de-canto) na região do convés e cockpit. Na região de
contado com o costado será sem reforços no seu contorno uma vez que iremos usar filetes ao invés
de sarrafos.

Procedimentos para cortar e montar as cavernas:

Usar o desenho P085_101.pdf e riscar no compensado o contorno da antepara como mostrado na Fig
14. Após o corte das anteparas devemos ajustá-las com plaina manual e lixa para que fiquem o mais
próximo possível das medidas do desenho.

Risque a linha de centro (Lc) e a linha d'água (LWL). Elas serão utilizadas na hora do alinhamento de
todas as anteparas, mais adiante.

Fig 14

Na Fig 15 mostramos como ficará a antepara após o corte interno.

19 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 15

Na Fig 16 a antepara está com os cortes que serão feitos após as mesmas estarem alinhadas na
bancada. Esses cortes serão feitos apenas na hora da instalação da quilha e dos longitudinais do
costado. Mostramos aqui apenas para ilustrar como ficarão no final da construção.

Fig 16

Repita essa seqüência para todas as outras anteparas do barco.

20 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

CORTE DE PAINÉIS
A próxima etapa será o corte dos painéis de compensado naval. Leia o anexo RISCO E CORTE DAS
PEÇAS DE COMPENSADO NAVAL.

Mostramos as peças que serão cortadas em folhas, chapas ou painéis de compensado naval de 6 mm
(3 folhas), 10 mm (11 folhas) e 15 mm (1 folha). Case deseje cortar em tupia com controle numérico
ou plotar em escala 1:1, todas essas peças estão desenhadas em escala 1:1 no desenho
P085_102.dwg

Peças e serem cortadas de compensado naval de 6 mm. Fig 17

Fig 17

21 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Peças e serem cortadas de compensado naval de 10 mm. Fig 18, Fig 19 e Fig 20

Fig 18

22 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 19

23 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 20

24 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Peças e serem cortadas de compensado naval de 15 mm. Fig 21

Fig 21

25 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

MONTAGEM DAS ANTEPARAS NA BANCADA


Com a bancada montada, e as anteparas prontas iremos fazer a montagem da estrutura básica do
casco.

Siga as seguintes etapas para cada antepara:


1. Corte a antepara
2. Marque a linha de centro e linha d’água
3. Com uma trena, verifique o ponto mais alto de cada antepara, a quilha, que está para cima.
4. Com o auxilio de sargentos ou grampos, fixe provisoriamente a antepara nas pernas Fig 24

O perfeito alinhamento das anteparas e balisas é um dos segredos de um barco bem construído.

Por antepara, entende-se o elemento estrutural transversal responsável por receber os esforços do
fundo, costado e convés. Existem anteparas transversais (tratadas neste texto) e anteparas
longitudinais. Se elas forem sem furos e delimitarem completamente um compartimento, são ditas
estanques. Quando possuem furos são anteparas convencionais. As anteparas são construídas com
painéis de boa qualidade como compensado naval de primeira qualidade ou painéis de compósitos
como fibra de vidro e espuma de PVC ou SAN, ou madeira balsa.

Por sua vez as balisas possuem a função de apenas auxiliar a dar forma ao casco. São usadas
durante a construção do fundo e costado sendo retiradas quando o mesmo já possuir rigidez suficiente
para auto-suportar-se. Por esse motivo elas são feitas com painéis baratos como compensado
comum, MDF e OSB.

Após a instalação provisória de todas as balisas e anteparas, olhando-se da proa, veremos uma
imagem desalinhada como a da Fig 22.

Como em todas as peças, estão riscadas a linha d´água e a linha de centro, ficará fácil corrigirmos o
posicionamento de todas para que tenhamos um resultado como o da Fig 23.

26 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 22

Fig 23

Iniciaremos o alinhamento pela primeira antepara. Por questões de simplificação não iremos mostrar
as peças do cavalete. Com o auxílio de um prumo e de uma mangueira transparente, normalmente
comprada em lojas de material de construção faremos o alinhamento. Essa mangueira será usada
para alinhar todo o barco, logo compre com um comprimento que seja aproximadamente 20% maior
que o comprimento total do barco. Na Fig 24 vemos a primeira antepara com a linha de centro e a

27 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

linha d´água riscadas. A mangueira deverá estar com água, mostrada aqui na cor branca. Repare que
a antepara está fixada provisoriamente com sargentos ou grampos. Os parafusos serão instalados
somente após termos certeza de que todas as anteparas estão 100% alinhadas.

Fig 24

O seu projeto tem alguns desenhos que designamos por MOLDE. Veja que nestes desenhos existe
uma linha chamada de LINHA DE REFERÊNCIA. Essa linha deve ser riscada no cavalete, pois será
usada como referência. Como a linha d´água está riscada em todas as antepares, basta posicionar
cada antepara na distancia vertical. Com o auxílio de uma trena meça e coloque a antepara nesta
altura correta.

Na Fig 24 vemos a linha de centro riscada em branco na madeira azul e a linha de referência riscada
em vermelho na madeira amarela

28 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

O alinhamento da vertical deve ser feito com um prumo, como mostrado na Fig 25.

Fig 25

Uma vez posicionada na altura correta, iremos usar a mangueira de nível, para termos a certeza de
que ela não está inclinada, comovemos na Fig 24.

A água que está dentro da mangueira nos mostrará se a antepara está inclinada ou não.

Recapitulando: faremos três ajustes.


• O primeiro posicionando a antepara na altura vertical correta em relação à linha de referência.
• O segundo posicionando a antepara transversalmente em relação à linha de centro.
• O terceiro ajustando a antepara para que não esteja inclinada.

29 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Agora procederemos ao alinhamento da segunda antepara. Repita os mesmos passos anteriores. Na


Fig 26 vemos alem da segunda, a terceira antepara.

Após efetuarmos o alinhamento de cada uma das anteparas individualmente, iremos verificar se todas
estão com as marcas de linha d´água perfeitamente niveladas. Veja na Fig 26 que a mangueira está
verificando o nível da linha d´água riscada na segunda antepara com o risco na terceira.

Faça essa verificação para todas as anteparas e nos dois lados. Sugerimos manter um lado da
mangueira em uma posição fixa e mover apenas o outro lado da mangueira. Assim iremos verificar o
nível de todos os pontos em relação a um único. O erro é menor. Se os dois lados da mangueira
estirem mudando, iremos propagar um erro que poderá chegar a alguns milímetros, mesmo se
efetuado com cuidado.

Fig 26

Na Fig 27 vemos todas as anteparas posicionadas e alinhadas e na Fig 28 todas estão com os
parafusos de fixação.

Cada antepara será fixada a bancada por meio de parafusos. Use parafusos de ¼” galvanizado com
arruela lisa e porca ou barra roscada. A barra roscada é mais barata, devendo, no entanto usar 2
porcas e duas arruelas. Dependo da antepara, use de 2 a 4 parafusos apenas.

30 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 27

Fig 28

31 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

RODA DE PROA

Fig 29

A roda de proa [77] deverá ser posicionada com o auxílio do painel da caixa do ferro [3] e das duas
pernas da bancada como mostrado na Fig 29. Verifique nos desenhos as dimensões exatas da caixa
do ferro e corte o painel [3], fazendo o encaixe para roda de proa [77]. Todo este conjunto pode ser
fixado provisoriamente com pregos.

Instale a borboleta de proa [41] fazendo com atenção os encaixes na roda de proa e na quilha, peças
[109] e [110]. Instale também o sarrafo [164], não mostrado nas ilustrações, que é um reforço da peça
[77].

32 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 30

Instale a borboleta da proa [108]. Ver Fig 31

Fig 31

33 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

LONGITUDINAIS

Para que a região de popa fique com mais apoios, instale a antepara [111] que faz parte também do
cockpit. Ver Fig 32

Fig 32

Assim como a quilha [110] define a linha de centro do barco, precisamos ter agora a quina do convés
bem definida. Instale a longitudinal do convés [43] nos dois bordos das anteparas.

Fig 33

34 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 33

Uma boa dica para fazer os encaixes do tamanho correto é fazer um gabarito com a seção desta
longitudinal com cerca de 100 mm de comprimento e usá-la para riscar cada antepara. Coloque o
gabarito na posição e risque. Desta maneira os cortes sairão precisos.

Na fase de ajustes, use parafusos para prender as longitudinais [43] nas anteparas e na roda de proa
[77]. Verifique varias vezes se todo o conjunto está simétrico, ou seja, que não existe torção nas
anteparas. Corrija quantas vezes forem necessárias, para que tenhamos um bom alinhamento.

O espelho de popa [9] ainda não deverá ser cortado nem instalado por enquanto. Na Fig 33 ele é
mostrado apenas que o construtor perceba que tem que deixar cerca de 1 metro a ré da antepara [82]

Todas essas longitudinais chegam na roda de proa [77] e se encaixam de forma harmônica. Neste
momento já temos condição de com uma plaina, desbastar para que a mesma fique com a proa
definida.

Para facilitar ainda mais, use um pedaço pequeno de compensado de 4 ou 6 mm e coloque apoiado
nas anteparas [94], [36] e na roda de proa [77]. Desta maneira, ficará fácil ver como deverá ficar a
forma final dos lados da roda de proa.

Verifique novamente se todo o conjunto está alinhado. Caso contrario ainda existe tempo para corrigir.

Neste instante, devemos desmontar todas as peças que estavam aparafusadas para que sejam
coladas definitivamente. Retire uma peça de cada vez e cole. Não desmonte tudo de uma vez, pois
perderá o alinhamento.

Uma vez colada toda a estrutura interna, passaremos a uma próxima etapa.

35 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

COSTADO
Agora já podemos começar a revestir a estrutura que acabamos de montar.

Leia o anexo: MÉTODO STRIP PLANK para saber como construir, em detalhes o casco.

Vemos na Fig 34 como será a construção do casco.

Fig 34

36 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

QUILHA EXTERNA DE MADEIRA


A quilha externa do barco é composta de duas peças. Uma parte de madeira [4] e outra de chumbo
[10]. A quilha de madeira [4] deverá ser feita com muita paciência, pois deverá ter o mesmo formato
que a base da quilha de chumbo. [10]. O lado que está em contato com o casco, deverá ser lixado
para que se encaixe perfeitamente no fundo do barco Fig 35 e Fig 36

Fig 35

Fig 36

37 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

ESQUEMA DE LAMINAÇÃO
O projeto deverá seguir o seguinte plano de laminação, a menos que indicado em locais específicos.

Será usada unicamente resina epóxi para madeira e fibra de vidro comum do tipo E-glass:

Laminação externa do casco 2 camadas de tecido 200 g/m2


2
Laminação interna do casco 2 camadas de tecido 200 g/m
2
Laminação do convés (exterior) 1 camadas de tecido 200 g/m
2
Laminação da caixa do ferro (laterais) 2 camadas de tecido 200 g/m
2
Laminação da caixa do ferro (fundo) 3 camadas de tecido 200 g/m

LAMINAÇÃO EXTERNA
Leia no anexo LAMINAÇÃO como proceder. Na Fig 37 mostramos o casco com a laminação indo até
o convés.

Lixe as quinas do espelho de popa [9], para que tenham um raio de aproximadamente 3 mm. Isso
facilitará a performance do barco alem de permitir que o tecido de fibra de vidro faça a curvatura mais
facilmente.

Fig 37

Deverá ser laminado todo o casco com a quilha [4] instalada.

Iremos aplicar uma camada em todo o casco. 24h após esta camada ser aplicada, lixar levemente
com lixa de ferro 100 e laminar uma segunda camada.

38 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

PINTURA EXTERNA
Uma boa sugestão é aproveitar que o casco está virado e proceder à pintura do fundo e costado. Leia
no anexo ESQUEMA DE PINTURA – MADEIRA COM EPÓXI como proceder.

Na Fig 38 ilustramos o barco pintado na cor vermelha. Cada proprietário irá pintar o barco da cor que
mais lhe agradar, lembrando que como vivemos em um país tropical, é aconselhável que se escolha
uma cor clara para não esquentar muito o interior em dias ensolarados.

Fig 38

39 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

BERÇO DE MONTAGEM

Agora será preciso retirar o barco da bancada de montagem, desvirá-lo e colocá-lo em um berço para
que possamos fazer a montagem do interior.

Este berço poderá possuir rodas para permitir o deslocamento do barco dentro do galpão de
construção. Deixamos essa opção para o construtor e mostramos a seguir, Fig 39 uma versão
bastante simples construído com tábuas de 300 mm x 25 mm de espessura, compensado de 15 mm e
sarrafos de 75 x 75 mm.

Consulte o desenho P085_966.pdf para ter as dimensões finais do berço.

Fig 39

Comece a construção pelas peças de compensado. Uma ficará a 1654 mm da proa e a outra a 3965
mm. Ver Fig 40

Fig 40

Serre as 8 peças de 75 x 75 mm. Elas devem ser fixadas aos compensados com o uso de barra
roscada de ¼” de aço galvanizado, porca e arruela lisa. Fig 42

Serre também as bases, fabricadas com sarrafo de 75 x 75 mm e tábuas de 300 x 25 mm.

40 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 41

Fig 42
Na Fig 43 vemos o conjunto já aparafusado e na Fig 44 as 4 borboletas, feitas com tábuas de 300 x
25 mm já fixadas nas extremidades pára dar maior rigidez ao conjunto.

41 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 43

Fig 44

Com este berço pronto, já podemos preparar para desvirar o barco.

Após ser desvirado o barco terá o aspecto mostrado na Fig 45 e Fig 46

Para desvirá-lo será preciso retirar todos os parafusos que fixam as anteparas à bancada. Após
removê-los, o barco poderá ser desvirado com o auxílio de uma talha instalada em um pórtico ou um
grupo de algumas pessoas.

42 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 45

Fig 46

43 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

ESTRUTURA INTERNA

Instale o reforço do espelho de popa [112] (amarelo) e as duas longarinas do fundo [156] (amarelo).
Essas peças estão mostrada na cor amarela na Fig 47. O interior do barco está pintado na cor branca
apenas para ilustração, na realidade ele somente poderá ser pintado apo o término de 100% das
peças do interior e ter recebido pelo ao menos uma camada de tecido de fibra de vidro.

Fig 47

Instale as duas longitudinais do costado [99] (azul), os dois reforços da quilha [166] (azul) e os
reforços das longarinas [44] (vermelho) que devem ser fixados nas longarinas do fundo [156].

Fig 48

44 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Instale as transversais que irão reforçar as anteparas, peça [158], [160], [162], e [163].

Fig 49

PAIOL DA PROA

Na região da roda de proa, sob o fundo da caixa do ferro, peça [3], está definido um espaço que não
teremos acesso no futuro. Como é possível que entre água por alguma infiltração, futuramente, a
melhor coisa a fazer é enchermos parte deste compartimento com breu [153]. Esse produto é
encontrado em lojas que vendem material para pesca profissional e custa barato. Use os dois furos
existentes na peça [3] para jogar o breu derretido. Ele deve ser derretido em uma lata. Use
aproximadamente 1 Kg. E seguida esses furos devem ser preenchidos com massa e laminadas 2
camadas de fibra de vidro em todo o paiol tanto no costado como na peça [3] e antepara.

LAMINAÇÃO INTERNA

Agora que praticamente já instalamos todos os elementos estruturais do casco, é hora de aplicar uma
camada de fibra de vidro do lado interno.

O interior deve estar completamente lixado, sem poeira e com filetes em todas as peças de
compensado naval. Lei o anexo sobre filetes. Use um filete com raio de 10 mm.

Corte os pedaços de fibra de tal forma que se estendam por 50 mm sobre as anteparas e outras peças
de com pensado naval. Procedendo assim estaremos “amarrando” toda a estrutura.

Leia no anexo LAMINAÇÃO como proceder.

BELICHES

Instale os dois beliches da proa [26] e os dois intermediários [150]. Essas quatro peças poderão ser
fixadas ao barco por meio de quatro parafusos de madeira 3,2 x 25 mm diretamente dos reforços das
anteparas, que recém instalamos. Os beliches NUNCA SERÃO COLADOS.

45 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 50
Instale as duas laterais do cockpit [6] (branco). Elas serão instaladas agora para permitir a montagem
dos sarrafos das anteparas, que apoiarão os beliches da popa [29].

Fig 51
Instale os sarrafos [214], [215], [216] e [217] mostrados na cor amarela. Instale agora os sarrafos [218]
mostrados em vermelho.

46 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 52

Instale os beliches de popa [29].

Fig 53

Instale os três sarrafos transversais do piso do cockpit [219] e mais dois sarrafos longitudinais [218]
mostrados em verde. Fig 54

47 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

COCKPIT

Fig 54
Instale o piso do cockpit [18].

48 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 55
Agora iremos construir os bancos do cockpit. A idéia aqui é instalar provisoriamente os dois painéis de
cada bordo. Para que não saiam do lugar, use de 2 a 3 pedaços de arame de cobre para fixá-los nas
anteparas e impedir que deformem-se nesta fase da construção.

Corte, faça a impregnação com epóxi e costure provisoriamente os painéis do assento do cockpit [5] e
o encosto [7] nas anteparas [22], [113], [82] e [111]. Ver Fig 56 e Fig 57

Fig 56

49 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 57
Em seguida faremos um filete com raio de 20 mm entre os dois painéis Fig 58 e 24 horas depois,
laminaremos uma camada de tecido de fibra de vidro. Assim eles ficarão unidos no ângulo certo. Ver
Fig 59

Fig 58

50 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 59

Agora retire os dois conjuntos (bombordo e boreste) , conforme mostrado nas Fig 60 e Fig 61 e
arredonde o lado de baixo com uma lixadeira elétrica, como mostrado na Fig 62

Fig 60

51 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 61

Fig 62

Após arredondar, lamine uma camada de tecido de fibra de vidro, (ver Fig 63), espere 24 horas, lixe
e instale definitivamente no barco.

52 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 63
Essa instalação será feita costurando-se o conjunto nas anteparas, porem agora, apertando bem os
arames, instalando outros se for preciso. Use massa epóxi de colagem nas quinas das anteparas e
faça filetes do lado interno. Uma vez curado, corte os arames de cobre com um alicate de corte e lixe
com uma lixadeira elétrica, para retirar as pontas dos arames. Ver Fig 64 e Fig 65

Fig 64

53 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 65

Arredonde a união do banco com o painel []. Faça o mesmo o raio de 20 mm

Fig 66

54 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

REFORÇOS DO ESPELHO DE POPA


Esses reforços são necessários para suportar os esforços causados pelo leme no espelho de popa.

Aproveite que o convés ainda não foi instalado para instalar essas peças. Faça um furo, no centro do
vão livre, para a instalação de uma tampa de inspeção de plástico [182] na antepara [111]. Ver Fig
67
Quando o barco estiver pronto, é por essa abertura que você poderá acessar o local onde estão as
porcas da ferragem do leme.

Fig 67
Na Fig 68 mostramos como ficará quando a tampa de inspeção for instalada no final da construção.
Por hora queremos apenas o furo para ter acesso aos reforços da popa.

55 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 68

Corte e instale o reforço da popa [165] (amarelo). Instale a borboleta [117] (vermelha). Ver Fig 69

Fig 69

56 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

DRENO DO COCKPIT
No cockpit existem duas saídas para água que porventura entre. Os drenos podem ser comprados
prontos, porem são importados e caros. Eles podem, no entanto ser construído com dois pedaços de
tubo de PVC de 400 de diâmetro, usados na construção civil. Meça o local onde serão instalados do
lado de dentro do cockpit e do lado de fora, no espelho de popa. Fig 70

Fig 70
Com o auxílio de uma grossa redonda, ajuste o furo para que o tubo passe justo nos dois lados
(cockpit e espelho de popa). Fig 71 e Fig 72

Fig 71

57 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 72

Com uma serra pequena, corte o excesso do tubo. A Fig 73 mostra como ficará o cockpit após a
finalização. Para uma boa fixação do tubo de PVC, use um pouco de massa epóxi do lado interno e
sobre ela lamine três camadas de fibra de vidro.

Fig 73

58 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

REFORÇOS DO CONVÉS
Vamos instalar os reforços do convés, fixados nas anteparas. Todos esses reforços são colados as
anteparas com parafusos de madeira e grampos. Caso deseje, os parafusos poderão ser retirados
após a cura do epóxi. Corte e cole as peças [180], [191], [201], [202], [203], [204], [205], [206] e [207].
Todas estão mostradas na cor azul. Ver Fig 74

Fig 74

Instale as peças [181], [186] e [192] (amarelo) que irão definir a cabine, sobre o convés. Fig 75.

Fig 75

59 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Instale as longitudinais do convés [183] e [184] e os reforços da gaiúta [187] e [188], mostrados na cor
branca. Fig 76

Fig 76

60 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

SUPORTE DO MASTRO

Fig 77

Fig 78

61 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 79

Fig 80

62 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

CHAPEAMENTO DO CONVÉS
Use parafusos de latão ou inox com arruela de latão, conforme mostrado no anexo COMO COLAR.

A idéia aqui é usar os parafusos para darem pressão entre o painel convés e os sarrafos fixados nas
anteparas e no costado. Coloque um parafuso a cada 100 mm do outro. Use uma aparafusadeira a
bateria ou elétrica. Espere secar por 24 antes de retirar todos os parafusos. Após a retirada, use a
plaina elétrica ou manual, para retirar os excessos. Se este excesso for muito grande, use a serra tico-
tico com cuidado para não danificar o casco, para serrar o material a mais e em seguida use a plaina
elétrica. É muito importante deixar sempre a quina do casco bem viva, pois é com ela que sabemos
se a emenda está com a curvatura correta. No final da construção, estas e outras quinas serão
arredondadas porem será a última coisa a ser feita em termo de carpintaria naval.

Agora instalaremos o convés. Comece instalando a parte da proa. Na Fig 81 mostramos uma folha de
compensado naval, que mede 2200 x 1600 mm, posicionada na proa e encostando no bordo de
boreste (BE).

Fig 81
Na Fig 82 vemos o painel do convés na proa, cortado nos bordos, com o auxílio de uma serra tico-
tico.

Fig 82

63 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Corte um pedaço e complete o bordo de BB. Fig 83

Fig 83
Corte o painel da proa assim como também poderá cortar agora o furo da gaiúta de porá se houver.
Sugerimos que este corte seja feito somente se a gaiúta já tiver sido comprada. Use-a para certificar-
se do tamanho exato do corte a ser feito. Fig 84

Fig 84
Corte e instale os dois painéis laterais do convés. Fig 85

Fig 85

64 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Corte e instale o último painel do convés, na região de popa. Fig 86

Fig 86

65 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

CABINE
Por questões de facilidade de visualização, pintaremos o convés de bege. Vamos começar colando os
reforços da cabine, de maneira semelhante ao que fizemos no convés.

Fig 87

Corte a cole os sarrafos [209]. [211], [208] e [210] mostrado aqui nas cores branca e vermelha. Fig 88

Fig 88

66 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Com esses reforços já instalados poderemos proceder a fixação dos painéis da cabine. Comece pelas
laterais [12]. Esses dois painéis serão aparafusados e colados nos reforços das anteparas. Na união
com a antepara da entrada [22] não existem sarrafos, pois iremos fazer um filete interno após a
secagem do epóxi. Nesta quina, use parafusos mais finos para fixar no compensado devido a falta do
sarrafo. Fig 89.

Fixe os painéis [12] apenas com parafusos. Não cole ainda. Corte o painel frontal [13] e faça os
ajustes da quina entre os painéis [12] e [13]. Para manter essas peças unidas, use fios de cobre, como
foi feito no cockpit.

Fig 89

Quando tudo estiver ajustado retire o painel frontal [13], e cole a lateral da cabine [12] nos sarrafos
[208] e [211] e na antepara [22]. Fig 90.

67 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 90
Fixe o painel frontal [13] com arames Não cole ainda. Vamos esperar pelo painel do teto. Precisamos
do o painel frontal posicionado corretamente. Fig 91

Fig 91

68 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Corte com folgas o painel do teto da cabine [11]. Note o sentido de curvatura (leia novamente o
anexo: MADEIRA COMO ELEMENTO ESTRUTURAL, na parte de compensados) e posicione sobre a
cabine. Com um lápis, risque por baixo e efetue o corte com a serra tico-tico.
Ajuste-o nos painéis das laterais [12] e da frente [13]. Use fios de cobre para manter unidos todos os
quatro painéis. O teto será aparafusado e colado nos três sarrafos fixados nas anteparas. Na união
com os outros painéis, usaremos o método costure-e-cole. Cole o painel do teto [11] nos sarrafos
[208] e [210] e na antepara [22].Fig 92.

Nas quinas entre os painéis laterais, frontal e do teto, aperte bem os arames e faça filetes internos
com massa epóxi.

Fig 92

69 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 93

Para facilitar a explicação, iremos retirar o painel do teto (apenas aqui no texto deste manual). Corte e
ajuste os sarrafos [21] e [213] que delimitam a entrada da gaiúta.

Fig 94
Cole esses sarrafos e após secar retire todos os parafusos usados durante a colagem e acerte os
cortes da entrada da gaiúta.

70 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

GAIÚTA
Para a construção da gaiúta siga as instruções a seguir.

Após os cortes da porta e da tampa da gaiúta terem sido efetuados na cabine, segundo os desenhos
P085_945.pdf e P085_946.pdf (Fig 95) prepare todos os sarrafos a serem utilizados tanto na moldura
da porta como da tampa da gaiúta, peças [168], [169], [170], [171], [172], [173], [174], [175], [176],
[177], [178], e [180].

Usaremos cores fortes nas imagens para ressaltar o descrito no texto.

Fig 95

Corte, ajuste e fixe provisoriamente as peças [170] mostrado em vermelho e [177] em azul, como
mostrado na Fig 96

Fig 96

71 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Corte, ajuste e fixe provisoriamente as peças [169] mostrado em verde e [176], em amarelo, como
mostrado na Fig 97

Fig 97
Corte, ajuste e fixe provisoriamente as peças [168], em amarelo, e [175] mostrado em cinza, como
mostrado na Fig 98

Fig 98

72 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Corte, ajuste e fixe provisoriamente as peças [174] mostrado em azul, e [178] mostrado em vermelho,
como mostrado na Fig 99

Fig 99
Corte, ajuste e fixe provisoriamente o acabamento interno [172], mostrado em verde como mostrado
na Fig 100

Fig 100

Agora instale a peça interna [180] mostrado em vermelho. Ver Fig 101

73 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 101
Instale as peças internas [171] e [173] mostradas ambas em amarelo como mostrado na Fig 102

Fig 102
Após a montagem de todos os sarrafos, a entrada da cabine deve estar como mostrado na Fig 103

A tampa da gaiúta [16] pode ser fabricada tanto de compensado naval como de policarbonato. Na Fig
103 mostramos a opção de policarbonato pois deixa o interior mais iluminado. Repare no puxador de
madeira [179]. Este puxador deve estar colado e parafusado, para manter curva a tampa. Verifique
com o seu fornecedor do policarbonato qual a melhor cola a ser usada. Na falta de uma indicação,
use adesivo epóxi. Isole com fita crepe o local a ser colado, para não sujar o policarbonato, pois uma
vez que a cola toque na sua superfície, a mesma ficará manchada mesmo que a cola seja removida.

A porta [15] deve ser cortada de um pedaço de compensado naval.

74 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 103
A gaiúta completa ficará como mostrado na Fig 104

Fig 104

75 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

QUILHA
A quilha [10] deverá ter 150 Kg de peso, podendo ser fundida em ferro ou liga de chumbo-antimônio
(entre 2 e 3%). A de chumbo é melhor, pois possui um centro de gravidade mais baixo e menos área
molhada.

Sugerimos que a mesma seja encomendada em uma fundição que possua boas referências. Os
parafusos devem ser de inox [130] a presos a quilha através de uma estrutura de aço chamada de
cangalha [161] (geralmente fabricada pela fundição).

Para melhor ilustrar, iremos mostrar apenas o bordo de bombordo e sem a estrutura interna. Fig 105

Fig 105

Uma visão mais detalhada está ilustrada na Fig 106

Fig 106

76 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Na Fig 107 a quilha de madeira [4] e quilha de chumbo [10] são ilustradas como se fossem
transparentes para que seja mostrado como a cangalha [161] e os parafusos da quilha [130] estão
dispostos dentro da quilha de chumbo [10]

Fig 107

77 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

ACABAMENTO DO COCKPIT
Este tipo de acabamento é opcional. Geralmente em barcos usados para regatas, ele não existe, pois
facilita a manobra de cabos no cockpit pela tripulação, no entanto, em barcos de cruzeiro ele existe,
pois ajuda a manter o cockpit mais seco, desviando os borrifos do mar, dificultando assim o
alagamento desta área. A Fig 108 mostra o estado em que deve estar o barco.

Fig 108

Instale os dois sarrafos peças [38] e o sarrafo [48] como mostrado na Fig 109

78 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 109

A lateral do cockpit [5] está ilustrada na cor azul bem como o sarrafo [68]. Fig 110

Fig 110

79 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Instale agora o painel externo [8] que irá ajustar-se e compor com a lateral da cabine [12]. Fig 111

Fig 111

Corte, ajuste e instale o painel de ré [32]. Fig 112

80 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 112

Por último instale o tampo [31] mostrado aqui na cor verde. Fig 113

Fig 113

81 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

FUZIS, POSTES E PÚLPITOS


Essas ferragens devem ser instaladas apos o barco estar completamente pintado. Na Fig 114
mostramos a proa, sem o fuzil, porem com os 3 parafusos instalados no local correto. O objetivo
desta imagem é mostrar que deve ser feito um rebaixo para que o fuzil da proa fique fixado em uma
superfície plana. Deste ponto para baixo a proa do barco é arredondada, por motivos estéticos e de
hidrodinâmica.

Fig 114

Na Fig 12 o fuzil já está instalado no local.

Fig 115

82 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Na Fig 116 mostramos o fuzil lateral, onde se fixam os brandais. Essa ferragem deve ser fabricada
por uma boa oficina especializada em ferragens náuticas e deve conter uma contra chapa por baixo,
para que seja possível apertar os parafusos de fixação sem machucar a madeira do convés.

Fig 116

Na Fig 117 mostramos como ficará a proa. O cunho deve ficar um pouco atrás dos pés dos púlpitos
de proa para que o cabo de amarração fique fora da região do púlpito.

83 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 117

84 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

LEME

Antes de construir o leme [17] encomende as duas ferragens [67] e [84] com 28 mm de abertura. Nos
desenhos mostramos a espessura do leme como sendo de 25 mm porem devemos acrescentar 1,5
mm de cada bordo do leme correspondente à espessura da fibra de vidro, massa de acabamento e
pintura. No total deveremos ter um leme com a espessura de 28 mm.

É importante ter essas ferragens em mão, pois nem sempre elas são fabricadas com a precisão
desejada e elas ficarão aparafusadas ao leme com a menor folga possível.

O leme [17] poderá ser construído de madeira maciça ou de compensado naval. Corte a partir do
desenho P085_700. A cana de leme [19] será construída com dois sarrafos colados e aparafusados
permanentemente entre si. Cole e aparafuse conforme mostrado. A lâmina do leme [17] será
posteriormente encaixada e aparafusada. Independente do tipo de construção ele será revestido por
fibra de vidro.

Os desenhos P085_700.pdf, e P085_701.pdf mostram as dimensões da lâmina do leme [17] e como


se dá a sua fabricação.

As ferragens [21], fabricadas ou compradas no comércio são mostrada na Fig 118

Fig 118

Na Fig 119 mostramos o leme montado no espelho de popa e com a cana de leme já instalada.

85 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 119

86 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

ACABAMENTO FINAL E PINTURA DO BARCO


Existem diversos acabamentos para o seu barco. Ele poderá ser pintado todo de uma só cor ou ter o
fundo de uma cor, o costado de outra e o convés de uma terceira cor.

Outra opção é pintar o fundo e costado deixando o convés para ser envernizado. Tudo irá depender
do seu gosto pessoal. No anexo ESQUEMA DE PINTURA – MADEIRA COM EPÓXI, descrevemos
todos os passos que deverão ser seguido para obter-se um bom resultado.

Outra opção é envernizar todo o barco e deixá-lo com um ar mais original, mostrando a beleza dos
veios da madeira. Se o seu barco foi bem construído esta talvez seja uma opção a ser considerada.
Leia no anexo VERNIZ como envernizá-lo.

MONTAGEM DAS FERRAGENS E ACESSÓRIOS


No desenho P085_200.pdf estão mostradas as ferragens e acessórios. Na lista de material, estão
listados as principais ferragens porem num barco deste tipo a escolha e posição das mesmas é de
gosto pessoal.

Na Fig 120 mostramos o suporte do motor que recomendamos. Ele pode ser encontrado nas lojas de
náutica.

Fig 120

Mande-nos as suas fotos e vídeos durante a construção e depois de pronto.

Bons ventos.

87 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

Fig 121

88 /89 13/11/2009
Projeto P085 Veleiro 16´

ANEXOS

• CHANFRO
• COLAS E ADESIVOS
• COMO COLAR
• ESQUEMA DE PINTURA – MADEIRA COM EPÓXI
• FERRAMENTAS PARA MADEIRAS
• FILETE
• IMPREGNAÇÃO
• LAMINAÇÃO
• MADEIRA COMO ELEMENTO ESTRUTURAL
• MÉTODO COSTURE & COLE
• MÉTODO STRIP PLANK
• PISO ANTIDERRAPANTE
• RISCO E CORTE DAS PEÇAS DE COMPENSADO NAVAL
• SEGURANÇA NO TRABALHO
• VERNIZ – MADEIRA COM EPÓXI
• VOCABULÁRIO & SIMBOLOS

89 /89 13/11/2009