Você está na página 1de 11

28 de Março de 2017

TADEL.

Desfrutando a vida Zoe de Deus.


João.10.10
Para pensar.
Boa noite a todos, graça e paz aos irmãos e irmãs. Eu não sei se você já parou para pensar na
profundidade do que significar ser um crente em Cristo Jesus. Não significa apenas dizer que você mudou de
uma religião para outra. Não! Não! Não! É algo muito mais profundo do que isso.
Quando dizemos que somos crentes em Jesus, o que está por traz disso é a realidade que a vida de Deus
agora faz parte da minha e da sua vida. Que nós morrermos para aquela velha vida que viviamos antes, e agora
desfrutamos de uma nova vida em Deus. Como nos diz 2Coríntios.5.17: “Portanto, se alguém está em
Cristo, é nova criação. As coisas antigas já passaram; eis que surgiram coisas novas!” 2Co.5.17 NVI
Aleluia!
Agora veja bem, essa vida não é qualquer tipo de vida. É a vida “Zoê de Deus”. Jesus diz no texto que
lemos: “O ladrão não vem senão para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a
tenham em abundância” ARA
Nesta passagem, Jesus faz um contraponto: Ele declara que, embora haja um adversário feroz e sagaz
que sempre planeja nos prejudicar, Ele veio para dar vida àqueles que creem no seu nome. No mundo em que
vivemos, é nítida a influência de Satanás sobre as pessoas: “Sabemos que somos de Deus e que o mundo
todo está sob o poder do Maligno.” 1Jo.5.19 NVI. Sem saber, elas são totalmente dirigidas por ele e se
tornam suas vítimas. É claro que não é comum vermos nas ruas pessoas manifestando demônios em seu corpo,
mas aquelas que não nasceram de novo são como marionetes nas mãos do inferno. Com isso, acabam não
escapando da sua fúria e são destruídas das mais variadas formas.
Mas, isso não é o fim. Embora essa seja uma realidade, Jesus veio trazer uma nova e poderosa realidade.
Jesus veio nos trazer algo infinitamente maravilhoso. Jesus veio nos trazer, ou melhor, nos transmitir a vida
“Zoê de Deus”. Jesus veio para que tenhamos “ZOÊ”, que significa “a vida do próprio Deus!”
A Bíblia foi escrita em três línguas: Hebraico, Grego e Aramaico. O Novo Testamento foi escrito em
Grego; a língua grega usa pelo menos três palavras diferentes ao se referir a vida: “Bios, Psyche e Zoê”, que
são traduzidas para a nossa língua em uma só palavra: “vida”. Embora quando traduzidas, a palavra seja a
mesma, elas não são sinônimas, mas distintas:
A palavra “Bios” se refere à vida física, e está relacionada com a vida do corpo que adoece, envelhece e
morre, ou seja, seu curso natural, modo de existência, sustento, duração. Esta é a palavra que dá origem ao
termo “Biologia”.
A sua equivalente na língua hebraica é “Chayah” que vem da raiz primitiva “Chavah” que tem a
ideia de “respirar”. “Chayah” significa “viver, ter vida, permanecer vivo, sustentar a vida.”. A palavra
“Bios” parece ser a que mais se aproxima do que queremos dizer quando falamos vida em português.
A palavra “Psyche” significa “ser vivo ou alma vivente”. Esta palavra tem sido traduzida como “alma”
e como “vida” e talvez devesse aparecer em alguns lugares traduzida por “Vida da Alma” para dar um
significado mais preciso. “Psyche” tem a ver com a vida da alma, ou vida psicológica que é um conjunto de
mente, vontade, emoções, coração (1Co.15.45a). É esta vida que compreende nosso pensamento, nosso
sentimento e nosso processo de tomada de decisões. E é nesta vida que os homens que não nasceram de novo
vivem neste presente mundo. Em Hebreus 4.12, lemos que uma das funções da Palavra de Deus é fazer uma
clara e definida divisão entre nossa alma Psychê e nosso espírito.
A palavra “Zoê” é traduzida como vida espiritual ou eterna. A expressão que Jesus usa aqui é
“Aionion Zoê”, que significa “vida como Deus a tem.” No Novo Testamento esta palavra “Zoê” é usada
predominantemente para se referir à própria vida de Deus.
Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
Esta única e especial palavra foi usada pelos escritores do Novo Testamento inspirados por Deus, para
se referir à sua própria vida incorruptível, sem princípio e sem fim. Portanto, quando a Bíblia fala sobre a nova
vida que Deus nos dá através de Jesus, é esta palavra “Zoê” que é usada e não “Bios” ou “Psyche.”
A palavra “Zoê” significa “a vida completa e absoluta, que pertence a Deus”. Os escritores do Novo
Testamento escolheram esta palavra grega para expressar algo supremamente exaltado e sobrenatural. É esta
vida sobrenatural (Zoê) que estava em Jesus Cristo (Jo.1.4). É esta Vida, sem princípio e sem final, que fluiu do
Senhor Jesus na cruz do Calvário. É esta vida todo-poderosa e triunfante que ele dá gratuitamente àqueles que
creem em seu nome, aleluia!
Não fomos criados já com esta vida, assim como Adão também não foi. Adão foi feito “alma vivente”
(Psyche), embora tenha sido desenhado para participar da vida “Zoê”, assim como nós. Essa classe de vida
estava disponível para Adão, na figura da Árvore da Vida (árvore “Zoê”), assim como Jesus (Nossa “Zoê”)
está disponível para nós hoje.
A árvore do conhecimento do bem e do mal era uma proposta de vida individual, baseada apenas na
consciência e não na dependência de Deus. Comer deste fruto era dizer: eu sou a autoridade sobre meus
pensamentos e atitudes, minha consciência é o único padrão de minhas escolhas, eu não dependo de ninguém,
sou guiado apenas pela minha alma, pelo meu coração, pelos meus desejos e por aquilo que me é agradável.
Comer deste fruto era desejar viver a vida da alma, desconectada da vida do Espírito.
A Árvore da vida (Zoê) era uma proposta de vida coletiva, dependente, interligada e abundante. Comer
do seu fruto significava viver a vida do Espírito, viver para sempre, estar para sempre ligado a Deus;
dependente dele, ser um com ele; tendo ele como padrão para as escolhas e decisões. Você lembra-se do que
Jesus disse em João. 15.1? “Eu sou a Videira Verdadeira, e meu Pai é o Agricultor” No versículo 4
diz: “permanecei em mim, e eu permanecerei em vós”. No versículo 6 Jesus disse: “Se alguém
não permanecer em mim será lançado fora”. E foi isso o que aconteceu com Adão.
Quando Adão pecou, ele foi expulso do jardim e afastado da árvore da vida. Por quê? Foi lançado fora
do jardim, porque escolheu viver a vida da alma, a vida individual e independente de Deus. Ao invés de viver e
compartilhar da vida do Espírito, Adão preferiu viver a vida natural, almática e carnal.
Até que, na plenitude dos tempos, a Vida de Deus se manifestou! O verbo se fez carne e habitou entre
nós! (Jo.1.4,14). E aos que crê na Vida de Deus (Jesus), essa mesma vida é implantada no seu espírito. Jesus
veio colocar dele mesmo no homem, pois a vida está nele e nele é a Vida. O apóstolo João nos ensina isso em
sua primeira carta: “E este é o testemunho: Deus nos deu a vida eterna, e essa vida está em seu
Filho. Quem tem o Filho, tem a vida; quem não tem o Filho de Deus, não tem a vida. Escrevi-lhes
estas coisas, a vocês que crêem no nome do Filho de Deus, para que vocês saibam que têm a vida
eterna.”. 1Jo.5.11-13 NVI
Jesus é a nossa vida: “Respondeu Jesus: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida. Ninguém vem
ao Pai, a não ser por mim..” Jo.14.6. NVI João ainda diz: “Foi assim que Deus manifestou o seu amor
entre nós: enviou o seu Filho Unigênito ao mundo, para que pudéssemos viver por meio dele.”
1Jo.4.9 NVI
E essa é a verdade que diferencia o Cristianismo de qualquer religião. Religião é um conjunto de
dogmas, regras e cerimoniais. Já o Cristianismo é o desfrutar da vida de Deus em nós, é relacionamento intimo
com Deus.
Para um grande número de pessoas há o grave perigo de Cristo tornar-se apenas o principal ensinamento
do Cristianismo, entretanto ele é a própria vida dos seus discípulos. Jesus não é o mero fundador do
Cristianismo, nem apenas o seu grande profeta, como nas diversas religiões. Ele é a porta para uma forma de
vida (Jo.10.9), vida abundante, que, infelizmente, a maioria das pessoas ainda não conhece.
As religiões dão a seus seguidores apenas um conjunto de doutrinas e leis morais. Os fundadores das
religiões (Buda, Maomé, Confúcio, etc.), foram apenas profetas e precursores de suas crenças. Escreveram
alguns livros e hoje estão mortos. Seus seguidores não podem contar com eles para nada. Mas não é assim a
nossa relação com Cristo.

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
Não seguimos um fundador de uma religião. Jesus Cristo é o Deus criador de toda a Terra (Jo.1.1-4),
que se fez homem, viveu como modelo para nós, morreu por nós, ressuscitou, foi exaltado, tem toda autoridade
no Universo (Fp.2.8-11; Cl.1.15-20), se relaciona conosco e vive dentro de nós. Que animadora e maravilhosa
verdade! Jesus é o rei do universo e vive em nós! Aleluia.
Aqui em João. 10.10, Jesus explica o propósito da vinda dele em contraste com o propósito da vinda de
satanás: “O ladrão vem para roubar, matar e destruir. Eu, porém, venho para dar vida e vida em
abundancia.” VFL. Usando a figura do ladrão, Jesus diz: roubo, morte e destruição fazem parte do propósito
das trevas para o homem; mas o meu propósito, a minha missão é transmitir vida; mas não uma vida qualquer;
não apenas uma vida biológica, transitória; tampouco uma vida almática; mas vida “Zoê”; ou seja, a vida de
Deus.
Jesus não veio a este mundo para apenas fundar uma igreja. Jesus não veio para aperfeiçoar a
humanidade ou para dar-nos um código de conduta. Não! Não! Não! Ele veio para um único propósito: “Eu
vim para que tenham vida, e a tenham em abundância” Jo.10.10.
Sabe o que isso significa? Em outras palavras Jesus estava dizendo: Eu vim para infundir, gerar, causar
da própria vida de Deus, a Vida que eu e o Pai desfrutamos, em você. A vida que lhe capacita vencer a carne, o
mundo e o diabo. A vida que opera em seu interior, e a qual lhe torna um agente de milagres no mundo, aleluia!
A vida completa e absoluta que pertence a Deus, a vida real e genuína, a vida ativa e vigorosa, não só
neste mundo, naqueles que colocam a sua confiança em Cristo, mas que depois da ressurreição será consumada
num corpo perfeito e por toda a eternidade. A própria vida de Deus. A vida como Deus a tem; aquela que o pai
e o verbo têm em si mesmos.
Quando Jesus diz que veio nos dá vida e vida em abundância, ele quer deixar claro que está se referindo
a vida de Deus. Eu vim lhes dar a vida “Zoê”, a vida que lhe impulsiona a viver o melhor de Deus. A vida
extraordinária, a vida acima do comum, a própria vida de Deus. E está vida dada por Jesus, não apenas restaura
aquilo que se havia perdido, mas nos leva a uma nova realidade espiritual que estava além do Éden.
Em Gênesis o Senhor cria o homem a sua imagem conforme a semelhança. Dando-lhe poder e domínio,
mas por causa do pecado o homem perde está vida, a natureza de Deus já não está nele, dando lugar à natureza
do pecado, por isso que o homem (natural) perdeu a comunhão com Deus. Mas, em Cristo, quando somos feitos
nova criação (2Co.5.17), Deus não apenas restaura a sua natureza em nós, mas também infunde da sua vida em
nós. Em Cristo somos mergulhados na vida de Deus. E hoje aqueles que se rendem a Cristo como Senhor e
Salvador de suas vidas, podem desfrutar desta vida.
Vir a Cristo não significa que você trocou de religião. Significa que sua vida foi trocada de governo, de
reino. Com a vida “Zoe de Deus” houve uma mudança de natureza, nós fomos tirados das trevas e agora
estamos no reino do seu Filho Jesus: “O qual nos tirou da potestade das trevas, e nos transportou
para o reino do Filho do seu amor” Cl.1.13.
Agora está vida de Deus está em mim e opera em mim, já não há mais trevas, está vida nos traz clareza,
sabedoria da parte de Deus, está vida nós faz reinar em vida como está escrito em Romanos. 5.17, está vida fez
operar em mim uma lei, descrita em Romanos 8, a lei do Espírito de vida que me libertou da Lei do pecado e da
morte, está vida comunica ao meu espírito que sou santo recriado em Cristo, que tenho o seu amor derramado
em meu coração, que o pecado não tem domínio mais sobre mim. A vida que o pecado tirou, Jesus Cristo
trouxe de volta, aos nossos corações.
Você consegue parar por alguns minutos e refletir sobre isso? Você é nova criatura e tem a vida do
próprio Deus em você! Você tem a natureza dele, a força, a autoridade, a sabedoria e todas as características
que são dele! Meu amado, minha amada nós recebemos um dom indescritível. Deus nos deu muito mais do que
poderíamos pedir ou mesmo imaginar. Nós, frágeis seres humanos, existindo em corpos decadentes, vivendo
em um mundo que está sucumbindo e desmoronando em muitos modos diferentes, chegamos á mais
maravilhosa constatação.
O Deus do Universo nos tomou em seu coração e decidiu nos conceder uma nova vida, uma vida
incorruptível, imutável, que é impossível destruir. Jesus Cristo levantou-se dos mortos porque não era possível
que a vida que ele possuía pudesse ser retida pela morte (At.2.24).

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
Assim nós também, tendo nos tornado filhos de Deus através do novo nascimento, nos tornamos
participantes de uma vida sobre a qual a morte não tem poder. Jesus disse que “todo aquele que nele crê não
perece”, mas “passou da morte para a vida, ou seja, para a- Zoê” (Jo.5.24).
A vida abundante que Jesus veio trazer não significa ter muito dinheiro ou preencher sua vida com
prazeres e materiais físicos, a vida “Bios”. Não significa estar feliz ou satisfeito em nossa existência terrena, a
vida “Psyche”. A vida que Jesus veio trazer não é simplesmente uma extensão ou um prolongamento da vida
com a qual nós nascemos.
Todo aquele que crê em Jesus recebe a própria vida de Deus. E é esta vida que é o meio que Deus vai
usar para mudar daquilo que somos para aquilo que ele planejou que fôssemos. É esta vida que tornará a nossa
natureza semelhante a ele.
Assim, como no princípio, quando nosso Pai celestial colocou diante do homem a oferta de sua própria
vida na forma de uma árvore, assim também hoje ele a faz disponível a todos através de seu próprio Filho. As
Escrituras ensinam claramente que “aquele que tem o Filho tem a vida (Zoê)” (1Jo.5.12).
Aqueles que são sábios tomarão posse desta vida, se encherão dela e assim obterão todos os benefícios
dela. Aqueles que são tolos a negligenciarão, e sofrerão as consequências. A vida de Deus que ele nos
concedeu, é absolutamente crucial para o nosso caminhar espiritual. É esta vida que é a fonte de tudo o que
Deus está operando dentro de nós.
Espero que esteja absolutamente claro para você meu amado, minha amada que Jesus morreu, não
apenas para dar a nós um novo lugar para viver o resto de nossas vidas: o Céu. Ele também não nos trouxe uma
extensão da vida com a qual nascemos. Ele veio para nos dar uma vida que é inteiramente diferente de qualquer
outra que tenhamos conhecido previamente.
Jesus Cristo veio para conceder aos homens a vida não criada, eterna, do próprio Deus. Ele veio com a
intenção de nos dar a verdadeira vida, essência e natureza de tudo aquilo que Deus, o Pai, é. O que Jesus trouxe
à terra para os homens é a mais preciosa substância! Não há mais nada no Universo semelhante a ela. A Vida
que ele veio para nos dar nunca começou e, por definição, não pode nunca acabar. Nós nos tornamos
participantes da vida de Deus.
Agora porque eu estou compartilhando com você sobre isso hoje? Por uma simples e triste razão.
Embora Jesus tenha vindo trazer essa vida abundante e plena no Espírito; não são todos que gozam dela.
Embora essa vida divina esteja dentro de nós, ela não está operando em toda a sua plenitude na vida de muitos
crentes e Cristo Jesus.
Muitos não estão desfrutando desta vida “Zoê de Deus”, vida esta que nos leva a fazer toda a
diferença onde estamos ou por onde formos. E por que muitos não estão desfrutando desta vida de Deus?
Porque embora ela esteja dentro de nós, esta vida não flui em nós e por meio de nós automaticamente na
sua plenitude. São necessárias algumas atitudes de nossa parte para vivermos essa vida de Deus em toda a sua
plenitude. Por isso, que estou ministrando essa palavra ao seu coração. Talvez você pergunte que atitudes são
essas?
Primeira atitude:
Alimentar-se de Cristo diariamente.
Meu querido, minha querida o propósito de Deus é morar dentro de você! Mas, não é só isso. Deus quer
que a sua “Vida Zoê” flua em e através de você plenamente. Quando você recebeu Jesus, você não apenas teve
seus pecados perdoados, mas a “Zoê”, o DNA de Deus entrou em você pela fé. Você é nascido de Deus
(1Jo.5.1). Nascido de semente incorruptível e coparticipantes da natureza divina. (1Pd.1.23) E o desejo de Deus
é que a cada dia essa vida flua em você e através de você. Mas, para que você tenha mais desta vida de Deus
dentro de você e fluindo através de você. Você precisa fazer algo diariamente. Você precisa se alimentar de
Jesus.
Veja o que Jesus nos diz em João 6..47-58:

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
“Em verdade, em verdade vos digo: Aquele que crê tem a vida eterna. Eu sou o pão da vida. Vossos
pais comeram o maná no deserto e morreram. Este é o pão que desce do céu, para que o que dele
comer não morra. Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém comer deste pão, viverá para
sempre; e o pão que eu darei pela vida do mundo é a minha carne. Disputavam, pois, os judeus entre
si, dizendo: Como pode este dar-nos a sua carne a comer? Disse-lhes Jesus: Em verdade, em verdade
vos digo: Se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis
vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna; e eu o
ressuscitarei no último dia. Porque a minha carne verdadeiramente é comida, e o meu sangue
verdadeiramente é bebida. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e
eu nele. Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim, quem de mim se
alimenta, também viverá por mim. Este é o pão que desceu do céu; não é como o caso de vossos
pais, que comeram o maná e morreram; quem comer este pão viverá para sempre.” NVI
Jesus por três vezes neste texto afirma ser o “Pão vivo que desceu do céu”. E o por que disso?
Para nos mostrar a necessidade que temos de nos alimentar dele diariamente, para que a sua vida flua em nós e
através de nós.
O pão era o elemento principal da dieta dos tempos de Jesus, era a principal fonte de sustento. A lição
que Jesus queria transmitir aos seus ouvintes e a nós é: Assim como vocês precisam se alimentar do pão
diariamente para sustentar a sua vida física, assim vocês precisa se alimentar de mim diariamente para que a
minha vida flua em vocês e através de vocês.
É interessante que nesta passagem Jesus usa como exemplo a experiência da nação de Israel com o
Maná no deserto para enfatizar a necessidade de nos alimentar de sua presença diariamente. O maná foi um fato
marcante a vida do povo de Israel. E por 40 anos foi o alimento principal, para não dizer o único durante a
caminhada dos israelitas no deserto (Êx.16.14-15, 31)
Agora, algo que nos chama a atenção é que o Maná tinha que ser colhido diariamente e ser consumido
no mesmo dia (Êx.16.4,19-21). O povo o comia e lhes dava o sustento de um dia. Mas era necessário obter mais
pão a cada dia. Isso apontava para a fé na provisão de Deus a principio, mas, mais tarde apontaria para uma
realidade espiritual muito importante para nós. A realidade da necessidade diária de nos alimentar da presença
de Cristo para termos a “Vida Zoê” de Deus fluindo de nós.
Assim como o maná, no Velho Testamento vinha do alto, assim também Jesus desceu dos céus, da parte
de Deus (Jo.6.32-33). E assim como o povo de Israel precisa colher e se alimentar dele diariamente para terem
vida no deserto, assim nós também precisamos nos alimentar de Cristo diariamente para termos a “Vida Zoê”de
Deus em nós.
Sem o maná, certamente os israelitas teriam desfalecido, morrido no deserto! Sem nos alimentarmos de
Jesus diariamente, não há como experimentarmos da plenitude da vida “Vida Zoê” em nós. Se o maná era o
único meio de sustento material, Jesus Cristo é também o único meio de suprimento espiritual para o homem! É
por esta razão que Jesus afirmou: "Assim como o Pai, que vive, me enviou, e eu vivo pelo Pai, assim,
quem de mim se alimenta, também viverá por mim.", v. 57.
O maná, um símbolo de Cristo, produzia vida apenas temporária naqueles que dele se alimentavam
(v.49). Porém, Cristo, o maná verdadeiro nos dá a vida Zoê de Deus. Com a metáfora do pão, Jesus nos ensina
duas coisas: primeira assim como nos precisamos dos alimentos, de comer a cada dia para ficarmos saciados,
para termos forças e não desanimarmos nem perecermos! Pois, a fome é uma coisa terrível e mortal. A fome
mata, desanima, aniquila as pessoas. Nós, também precisamos ir a Jesus diariamente, para sermos alimentados e
termos mais da vida “Zoê de Deus”.
Mas, há outra lição também: Você é aquilo que você come. Com o tempo nós nos tornamos aquilo que
nós comemos. Os alimentos não apenas renovam as nossas forças, mas também interagem com o nosso corpo e
o transforma. Os nutrientes, vitaminas e sais minerais são vitais para equilibrar o nosso organismo, mas é fato
por outro lado, que alguns alimentos ingeridos em excesso prejudicam o nosso corpo com o tempo. E com isso,
acabamos nos tornando aquilo que comemos.
Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
No mundo espiritual também não é diferente, você se torna aquilo do que se alimenta. Quando não nos
alimentamos espiritualmente do alimento correto, nós nos alimentamos de porcarias espirituais, ao invés da
vida Zoê de Deus fluindo de nós, vamos ver a vida da carne com as suas obras fluindo. É por isso, que Jesus vai
dizer: “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.” v.56
É obvio que Jesus não se referia ao sangue em forma literal. O que dizia era que sua vida devia
converter-se na deles. Como o pão Jesus deve ser ingerido diariamente para nos comunicar a sua vida, para nos
transformar nele.
E o que é comer e beber de Jesus? É desfrutar de intimidade com ele. É por isso, que vamos ver Jesus
sempre enfatizando a necessidade de cultivarmos intimidade com ele. Em João 15 Jesus se intitula a videira
verdadeira, e o por que disso? O ramo conectado à videira extrai os seus nutrientes da videira e reproduz a vida,
a natureza da árvore, naturalmente.
Nós precisamos nos alimentar diariamente de Jesus, para desfrutarmos da vida Zoê de Deus e para que
ele flua através de nós. Paulo nos ensina isso em Colossenses. 2.6-7:
“E agora, assim como vocês confiaram em Cristo como Salvador, confiem nele também para os
problemas de cada dia; vivam em união vital com Ele. Deixem que as raízes de vocês se
aprofundem nele e extraiam dele a nutrição. Cuidem de continuar a crescer no Senhor, e tornem-
se fortes e vigorosos na verdade. E que a vida de vocês transborde de alegria e gratidão por tudo
quanto Ele tem feito.” Bv
A Palavra de Deus é clara em nos afirmar que assim como a arvore se alimenta do solo através de suas
raízes e extrai o sustento para gerar a vida do fruto. Assim nós também devemos nos alimentar de Jesus para
que a vida de Jesus flua em nós e através de nós. Assim como Jesus veio nos transmitir vida, ele espera que
façamos o mesmo com aqueles que estão a nossa volta. E para isso, precisamos estar com as nossas raízes
firmadas em Jesus.
A Bíblia é clara em nos ensinar que Jesus se alimentava da presença do Pai todo o dia. Lucas. 5.15-16
diz: “Porém a sua fama cada vez mais se divulgava, e grandes multidões afluíam para ouvir e ser
curadas de suas enfermidades; mas ele costumava retirar-se para os lugares desertos e orar. ”
Lc.5.15-16 TB
Embora Jesus tivesse uma agenda muito ocupada com as multidões ele sempre separava tempo para
estar com o pai celestial em oração. A Palavra “costumava” no texto acima tem a ideia de uma ação realiza
com frequência e constância. Algo que é feito sempre e não de maneira esporádica. Tirar tempo para estar com
Deus não é algo que aconteceu apenas uma vez na vida de Jesus Cristo, mas era algo diário e constante.
Estar diariamente com Deus era um hábito na vida de Jesus, algo a que ele deu prioridade, mesmo tendo
uma agenda muito ocupada. Tirar tempo para estar a sós com Deus é algo muito importante para crescermos em
nosso relacionamento com Deus. Pois é através do Tempo a Sós com Deus (T.S.D) que nós cresceremos em
intimidade com Deus.
Como Jesus, devemos tirar tempo para estar a sós com o pai celestial. Talvez como Jesus você tenha que
levantar bem cedo antes do dia clarear, ou quem sabe separar um tempo no final do dia ou à noite antes de
dormir. Não permita que as muitas ocupações da vida lhe levem a um frenesi de atividades que lhe impeçam de
ter um Tempo Sós com Deus. Não importa o quanto você tenha para fazer, priorize sempre um Tempo para
estar a Sós com Deus.
Se você deseja ter um relacionamento intimo com Deus você terá que separar um tempo para estar a sós
com Deus, em um lugar onde você possa ter privacidade e não ser interrompido pelas pessoas. É interessante
que Jesus nos ensina isso quando fala sobre a oração no sermão do monte: “Mas tu, quando orares, entra no
teu quarto e, fechando a porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te
recompensará”. Mc.6.6 Olhando para Jesus aprendemos que para crescer em nosso relacionamento com
Deus precisamos de um tempo definido para estar a sós com ele, de um lugar determinado e privacidade para
abrirmos o nosso coração.

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.

Morrer todos os dias para nós mesmos.


Todos os homens desfrutam da vida natural (Bios), mas nem todos possuem a vida de Deus (Zoê).
Sabemos que a vida natural é um Dom de Deus a todos. Tal verdade é reconhecida pelo apóstolo Paulo em
Atos.17.25: "...nem tampouco é servido por mãos humanas, como se necessitasse de alguma coisa;
pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração a todas as coisas". E que a vida “Zoê” é um
dom de Deus aqueles que creem em Cristo e se entregaram a ele como Senhor e Salvador de suas vidas.
Contudo para desfrutar da vida de Deus, a vida interior, a vida no espírito, em toda a sua plenitude nós
precisamos passar pela cruz diariamente. No momento em que nós nascemos de novo, Jesus colocou a vida de
Deus em nós.
É importante ficar claro que a vida de Deus jamais poderá ser produzida através de meios ou artifícios
naturais. Se houver o encontro do espermatozoide com o óvulo, nasce um bebê; se uma semente for lançada à
terra e germinar, nasce uma planta. Isto é possível porque os elementos envolvidos: – espermatozoide, óvulo,
semente, tem dentro deles a vida natural. Assim é o processo de reprodução neste mundo. Porém a vida de Deus
em nós só é possível, através de Jesus! A verdadeira vida tem origem: Cristo (Jo.1.4).
Mas, para que essa vida se manifeste em nós em sua plenitude temos que morrer todos os dias para nós
mesmos. Paulo diz algo poderoso em 2Coríntios. 4.10-11:
“Trazemos sempre no corpo o morrer de Jesus, para que a vida de Jesus, da mesma forma, seja
revelada em nosso corpo. Pois nós, que estamos vivos, somos cotidianamente entregues à morte
por amor a Jesus, para que a sua vida também se manifeste em nosso corpo mortal...” BKJ
A vida Zoê de Deus se manifesta em nós quando morremos para nós mesmos. A vida de Jesus só pode
se manifestar em você se você morrer. Para que haja mais de Jesus em você é necessário que tenha menos de
você em ti. Sabe por que as pessoas não estão vendo mais de Jesus em você? Por que há muito de si mesmo em
você. Você precisa ser despedaçado em seu ego. Ser despedaçado em seu orgulho. Chegar ao fim de si mesmo
para que Deus possa fazer algo em você e através de você.
Muitas vezes a razão de Jesus não está aparecendo em sua vida, no seu comportamento, nas suas
atitudes é porque há muito de você aparecendo. Seu ego, suas vontades, seus desejos, suas opiniões. É
impossível manifestar a vida de Cristo em nós, quando há muito de nós aparecendo.
Para que a vida de Jesus flua de nós temos que morrer. E morrer fala de cruz! Você quer que a vida de
Jesus se manifeste em você? Só têm uma forma, se entregar a morte todos os dias. A morte do seu ego! A morte
da sua vontade! A morte da sua justiça própria!
Só tem um jeito de ter mais da vida Zoê de Deus em você, se a morte estiver operando em você! Se a
cruz tiver o seu efeito mais profundo em seu ego. Não há como exalarmos a vida de Cristo se primeiro não
passarmos pela cruz, e não sei se você já percebeu, o passar pela cruz é uma experiência diária segundo o
Evangelho: “E Jesus proclamava às multidões: "Se alguém deseja seguir-me, negue-se a si mesmo,
tome a sua cruz dia após dia, e caminhe após mim.” Lc.9.23 BKJ
Eu gosto da tradução deste verso na NTLH: “...Se alguém quer ser meu seguidor, que esqueça os
seus próprios interesses, esteja pronto cada dia para morrer como eu vou morrer e me
acompanhe.
Alguém certa vez disse que: Quando nos esquecemos de nós mesmos é que fazemos as coisas que são
lembradas. Como afirmou Henrieta Mears: "Quanto menores formos, mais espaço Deus terá". A morte diária
do nosso “eu” é o segundo segredo para desfrutarmos da vida Zoe de Deus em sua plenitude em nossa vida.
Para que a vida espiritual, “Zoê”, seja liberada em nós, a vida natural, almática, “Psyche” precisa ser
tratada, julgada. E esse tratamento começa com a morte do nosso eu. Se buscássemos menos algumas coisas e
buscássemos mais morrer, mais rápido chegaríamos aos nossos alvos. Precisamos deixar de viver a “vida
almática” (Psyquê). Esta vida é uma vida independente, é a vida direcionada pelo que eu acho, pelas minhas
emoções, coração (enganoso) e pensamentos. Há muitas pessoas talentosas que estão vivendo e desenvolvendo
um ministério baseado na vida da alma. Capacidade humana não gera a vida de Deus.

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.

O que gera a vida de Deus (Zoê) é o Espírito de Deus. Nosso esforço humano só atrapalha. Bíblia diz:
“O que é nascido da carne é carne, mas o que é nascido do Espírito é Espírito e vida” Jo.3.6.
Precisamos desejar aquilo que é nascido do Espírito. Eu quero aquilo que é nascido do Espírito, que é gerado
pelo Espírito! Aleluia!
E para isso, temos que aceitar o processo da cruz. Somente a cruz libera a ressurreição. Somente a
sujeição à morte, liberará a “Vida Zoê de Deus” em nós. A morte é o que libera a vida! Enquanto não
entendermos isso, e não nos sujeitarmos a isso, nossa alma vai continuar no controle, impedindo o fluir da vida
de Deus para nós e para a Igreja. A vida da alma ou a vida do ego precisa ser extinta a cada dia para que a vida
Zoe de Deus se manifeste.
Quando Cristo foi para a cruz, ele atraiu o nosso velho homem com ele. Todos os filhos de Deus têm o
seu velho homem crucificado com Cristo, embora continuem com uma natureza terrena caída e sujeita à
tentação, podendo ainda cair em pecados. Todavia, estas e somente estas novas criaturas podem, pelo Espírito
de Deus, fazer morrer a natureza terrena, pois a vida ressurreta que está nelas, a habilita, pela graça, a mortificar
os feitos do corpo.
Assim, mortos para o pecado juntamente com Cristo, tendo o nosso velho homem crucificado, podemos
fazer morrer a nossa natureza terrena, levando sempre o morrer de Jesus em nossos corpos mortais, para que a
vida de Jesus se manifeste em nosso modo de viver diário. Repetindo: só a nova criatura pode mortificar a
natureza terrena.
Não há como gozar da vida de Deus, sem perder a vida da alma. Jesus disse: “Pois, quem quiser
salvar a sua vida por amor de mim perdê-la-á; mas quem perder a sua vida por amor de mim, achá-
la-á” Mt.16.25.
E como é que você crucifica o seu eu? Paulo nos diz: “Quem semeia para a sua carne, da carne
colherá destruição; mas quem semeia para o Espírito, do Espírito colherá a vida eterna (Zoê) Gl.6.8
NVI”. E: “Porque a inclinação da carne é morte; mas a inclinação do Espírito é vida e paz” Rm.8.6
ARA
Opte por viver pelo Espírito Santo. Deixe que o Espírito Santo governe sua vida a cada dia. Deixe que o
Espírito Santo produza o fruto do amor, gozo, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fé, mansidão e
temperança em sua vida (Gl.5.22-23).
As pessoas perseguem os dons do Espírito, mas os frutos do Espírito também são muito importantes
porque são a expressão do caráter de Jesus. Quando vemos os frutos, temos a prova evidente de que Deus está
trabalhando em nossa vida, para nos tornar mais e mais como Jesus. Os frutos de uma vida transformada
também são um bom testemunho.
O Espírito Santo planta as sementes dos frutos em nossos corações, mas temos que permitir que as
sementes se desenvolvam em uma vida como a de Cristo para que todos vejam.
Só porque um homem pode ter aprendido como usar os dons poderosos do Espírito, não significa que ele tenha
um bom caráter moral ou uma vida santa. Sempre procure pelos frutos.

Andar na luz.
O apostolo João em sua primeira carta diz: “Esta é a mensagem que dele ouvimos e transmitimos
a vocês: Deus é luz; nele não há treva alguma. Se afirmarmos que temos comunhão com ele, mas
andamos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andamos na luz, como ele
está na luz, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo
pecado.” NVI
Nesse texto João nos dá uma receita tremendamente simples para desfrutarmos mais da vida Zoe de
Deus: andar na luz. A manutenção da vida de Deus em nós exige que continuemos a andar na luz, como ele está
na luz (1J.1.7). A expressão andar é uma metáfora para o nosso comportamento diário. Andar na luz significa
praticar coisas que agradam a Deus, coisas que podem ser vistas por todos, coisas que não buscaremos esconde.

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
Uma palavra sinônima para andar na luz é santidade. A luz representa o que é bom, puro, verdadeiro,
santo e confiável. A declaração “Deus é luz” significa que Ele é perfeitamente Santo e verdadeiro, e que só ele
pode nos tirar da escuridão. E quando falo de escuridão, de trevas, estou falando de tudo o que é perverso e
pecaminoso.
A luz está também relacionada à verdade, pois deixa tudo visível, seja bom ou ruim. Nas trevas, o bem e
o mal parecem semelhantes; na luz, podem ser claramente distinguidos. Da mesma maneira que não pode
existir escuridão na presença da luz, o pecado não pode existir na presença do Deus Santo. Se quisermos ter um
relacionamento com Deus, devemos deixar as trevas e andar na Luz. Declarar que pertencemos ao Senhor e
vivermos conforme a nossa própria vontade é hipocrisia.
Andar na luz é também é viver segundo a revelação da Palavra de Deus. Luz é o entendimento que
recebemos do nosso Pai quando, ao lermos ou escutarmos a pregação da Palavra, o nosso espírito percebe o
significado real da passagem bíblica. É a revelação da Escritura que o Espírito Santo nos concede, e a
iluminação que faz com que a fé surja em nosso coração.
A luz é as coisas que você já aprendeu sobre Deus. Você precisa ser fiel com a luz que Deus já te deu.
Seja fiel com aquilo que Deus já te ensinou. Pratique! Há pessoas buscando grandes revelações de Deus, mas
infelizmente ainda não colocaram em pratica aquelas que Deus já lhes deu. Seja fiel com o pouco que Deus já
lhe deu, que ele colocará mais em suas mãos.
Você não pode esperar mais de Deus, se você não tem andado na luz que ele já lhe deu. Como você
pode querer mais de Deus se você não tem andado naquilo que ele já te deu. Se você quer atrair mais da vida
Zoe de Deus, você vai ter que andar na luz que Deus está te dando e ser obediente e fiel com essa luz.
• A ilustração do Rapaz e a Bíblia Thompson.

Viver uma vida além de nós


Veja o que nos diz Filipenses. 2.1-4: “Por estarem unidos com Cristo, vocês são fortes, o amor
dele os anima, e vocês participam do Espírito de Deus. E também são bondosos e misericordiosos
uns com os outros. Então peço que me dêem a grande satisfação de viverem em harmonia, tendo
um mesmo amor e sendo unidos de alma e mente. "Não façam nada por interesse pessoal ou por
desejos tolos de receber elogios; mas sejam humildes e considerem os outros superiores a vocês
mesmos." Que ninguém procure somente os seus próprios interesses, mas também os dos
outros.” NTLH
Paulo apresenta neste texto alguns efeitos que a “Vida Zoê de Deus” produz em nossa vida: “força ou
animo; comunhão com o Espírito Santo; bondade e misericórdia uns para com os outros”.
Mas, não é só isso! Paulo também fala o que precisamos fazer para que nós venhamos a desfrutar dessa
vida e ela continue fluindo de nós: “não fazer nada por interesse pessoal (levar vantagem)” ou “por
desejos tolos de receber elogio (desejo de se sobrepor aos outros/ ânsia de afirmação)”; “ser
humildes (reconhecer o valor do outro e nossa fragilidade)” e “não procurar os nossos próprios
interesses (buscar o bem dos outros)”.
E, é aqui que está o quarto segredo para desfrutarmos mais da “vida Zoê de Deus” e também transmiti-
la aos outros. Não buscar os nossos próprios interesses, ou melhor, buscar não apenas o nosso bem.
No mundo obviamente cada um cuida primeiro de si, pensa somente em si e tem o olhar atento apenas
para os próprios interesses. Os interesses dos outros estão fora de seu verdadeiro campo de visão.
Mas, entre os que nasceram de novo é diferente. Entre aqueles que experimentaram a “vida Zoê de
Deus”, cada um apenas não cuida de si, mas também cuida do interesse dos outros. Nós experimentamos mais
“vida Zoê de Deus” quando nos dispomos a cuidar dos outros. Quando decidimos viver uma vida além de nós
mesmo.

Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.

Se você vive uma vida apenas para você, você não pode atrair mais da vida “vida Zoê de Deus” sobre a
sua vida. Isso porque você está sendo egoísta. E Deus não pode trazer a vida dele para quem é egoísta. Você
tem que tirar os seus olhos de si e se preocupar com os outros.
Paulo não está dizendo que você deve negligenciar as suas coisas e somente se engaje em favor dos
outros. Mas, que seu olhar de amor e preocupação “também” caia sobre as necessidades, dificuldades e aflições
do irmão. Não há nada melhor do que se dispor as pessoas. Jesus fazia isso o tempo todo e nos ensina a imitá-
lo. É preciso enxergar o outro com olhos de Deus, ouvir, ajudar e se colocar no outro lugar. É se interessar, se
preocupar e se fazer disponível para o bem.
A Bíblia a mensagem nos traz uma compreensão mais clara a ideia do texto:
“Se vocês receberam algo bom por seguir a Cristo; se o amor dele fez alguma diferença na
vida de vocês; se estar numa comunidade do Espírito significa algo para vocês; se vocês têm um
coração; se vocês se importam uns com os outros — façam-me um favor: concordem um com o
outro, amem um ao outro, sejam amigos de verdade. Não joguem sujo; não bajulem ninguém só
para conseguir o que desejam. Ponham o interesse próprio de lado e ajudem os outros em sua
jornada. Não fiquem obcecados em tirar vantagem. Esqueçam-se de vocês o suficiente para
estender a mão e ajudar.”
Agir pensando nos outros nem sempre é fácil, abrir mão do que gostaríamos de fazer pelo bem estar
alheio também não. Mas, deixar a nossas vontades e interesses de lado para satisfazer a vontade e os interesses
das pessoas que nos cercam é o segredo de experimentarmos mais da vida zoe de Deus.
Podemos sim cuidar de nossa vida e dos nossos interesses, mas também precisamos nos preocupar e
pensar no interesse ou no bem estar de quem está próximo de nós. O Senhor nos chama a sair do padrão egoísta
e alcançar um nível superior de atuação. Pois, quando fazemos isso desfrutamos mais da vida Zoe de Deus.

E como nós saímos desse padrão egoísta? A primeira é: Servindo aqueles que estão a nossa volta.
Jesus viveu para ensinar os discípulos a serem servos uns dos outros. Servir é ajudar os que necessitam de
auxílio.
O serviço cristão brota do amor genuíno por Jesus e do amor e da preocupação por aqueles que Ele nos
dá a oportunidade de ajudar assim como a orientação para fazê-lo. O amor é mais do que um sentimento;
quando amamos alguém, queremos ajudá-lo. Todos nós devemos estar dispostos a servir, não importando qual
seja a nossa renda, idade, condição de saúde ou posição social.
Serviço significa sair de si mesmo, estar livre de ansiedade acerca de si mesmo, estar livre para os
outros; ou seja, servir não pode ser considerado uma escravidão, mas sim, um convite que Deus nos faz com o
propósito de dar continuidade à sua obra. Quando servimos àqueles que estão ao nosso redor estamos servindo
a Deus. Martinho Lutero falando da importância de servirmos ao próximo disse: “Nenhuma árvore produz
para o seu consumo próprio. Tudo quanto há na vontade de Deus se dá em favor dos outros. Somente
Satanás e os homens sob a influência do maligno é que buscam o proveito próprio”.
O ativismo e a correria do dia a dia tem tornado as pessoas insensíveis e egoístas, pensando sempre em
sim mesmas. Deus não quer que sejamos mesquinhos e egoístas com os nossos irmãos, ao ponto de pensarmos
que só nós temos problemas, e acharmos que os nossos interesses é mais importante que o do próximo. Muito
pelo contrário.
Vivemos em um mundo de egoísmo e egocentrismo. Egoísmo porque as pessoas só pensam em si
mesmas e egocentrismo porque querem que tudo as agrade e que todos a elas se submetam. Egoísmo e
egocentrismo não é nada mais nada menos do que a diminuição do domínio do Espírito Santo em nossas vidas
através de um viver que despreza os valores bíblicos e exalta a vontade própria. O egoísmo aos poucos dá lugar
ao egocentrismo. Por se julgarem melhores e estarem sempre corretos, logo esperam que todos ao seu redor
concordem com suas ideias. Esperam que suas palavras sejam consideradas sempre com maior atenção e
apreço.
E a segunda maneira é Cooperando com Deus para ajudar os outros a conhecer Jesus. Quando
você coopera com Deus para ajudar os outros a conhecer a Jesus, Deus confia mais vida Zoe dele para você.
Pib Comodoro/MT
28 de Março de 2017
TADEL.
O mundo está dormindo o sono da morte, e é nosso dever acordá-lo:
“Não participem das obras infrutíferas das trevas; antes, exponham-nas à luz. Porque aquilo
que eles fazem em oculto, até mencionar é vergonhoso. Mas, tudo o que é exposto pela luz torna-se
visível, pois a luz torna visíveis todas as coisas. Por isso é que foi dito: "Desperta, ó tu que dormes,
levanta-te dentre os mortos e Cristo resplandecerá sobre ti" Ef.5.11-14 NVI.
As pessoas estão caminhando para o abismo e nós precisamos alertá-las. Se você ama as pessoas você
precisa ter esse compromisso de acordá-las do sono da morte. E como nós acordamos as pessoas que estão
dormindo o sono da morte? Com amor e com carinho.
Mas, não são apenas as pessoas do mundo que estão dormindo, há pessoas dentro da igreja dormindo
também. Veja o que nos diz Romanos. 13.11-14:
“Façam isso, compreendendo o tempo em que vivemos. Chegou a hora de vocês
despertarem do sono, porque agora a nossa salvação está mais próxima do que quando cremos. A
noite está quase acabando; o dia logo vem. Portanto, deixemos de lado as obras das trevas e
vistamo-nos a armadura da luz. Comportemo-nos com decência, como quem age à luz do dia, não
em orgias e bebedeiras, não em imoralidade sexual e depravação, não em desavença e inveja. Pelo
contrário, revistam-se do Senhor Jesus Cristo, e não fiquem premeditando como satisfazer os
desejos da carne.” NVI
Muitos crentes estão dormindo e pouco a pouco estão sendo seduzidos a voltar a pratica das coisas do
mundo. Os prazeres carnais, os prazeres efêmeros e transitórios. Nós temos que assumir a nossa missão de
despertar os que estão dormindo o sono da morte.
Hora da decisão..
O propósito de Deus é morar dentro do seu povo! Desde a criação do homem, a preocupação do Senhor
Deus foi dar vida ao homem, o que fez soprando em seus narizes o fôlego de vida (Gênesis 2.7). Deus não
queria uma coisa inerte, uma máquina, ou algo assim; Ele queria, e fez o homem com vida, sentimentos,
vontades, etc.
Mas, mediante o rompimento da relação com o Deus, com o pecado agindo no mundo, os homens
passaram á viver em condenação. Mas a grande esperança e alegria está na pessoa Bendita de Jesus, pois ele
veio nos transmitir a vida Zoe de Deus.
O que torna essa vida especial não é a sua duração, mas sua relação com Deus. A Vida Eterna não é um
estado futuro, mas UMA PESSOA!

Pib Comodoro/MT

Interesses relacionados