Você está na página 1de 11

Profissional de Técnico de Viticultura e Enologia

Nome: ______________________________________ Nº___ Tª____12º ano

Ficha de Trabalho: Fertilização-Corretivos Orgânicos e Minerais.

As plantas, para se desenvolverem adequadamente, necessitam de ter à sua disposição


quantidades adequadas de elementos nutritivos ou nutrientes.

Um solo fértil deve ter capacidade para fornecer às plantas os nutrientes que elas
necessitam, de uma forma equilibrada.

Sempre que os solos não tenham essa capacidade, é necessário recorrer à utilização
dos fertilizantes. 10º ano

Podemos definir "Fertilizantes" como sendo substâncias que se aplicam ao solo e/ou à
parte aérea da planta com o objetivo de melhorar a sua nutrição e obter maiores e/ou
melhores produções.

Estas substâncias tanto podem ter uma ação direta sobre as plantas, fornecendo-lhes
os nutrientes que elas necessitam, como uma ação indireta, através da melhoria das
condições do meio onde as plantas se desenvolvem, destinando-se essencialmente a
corrigir os solos.

Desta forma, o fornecimento de nutrientes às plantas e a melhoria da fertilidade dos


solos devem ser os objetivos principais da utilização de fertilizantes, que se
subdividem em adubos e corretivos.

Os fertilizantes não se podem pois identificar exclusivamente com os adubos. Em


certas condições, a adubação pode até não ser a prática mais importante da
fertilização. No caso de solos com acidez elevada, para muitas culturas, o efeito da
aplicação dos adubos pode estar bastante comprometido, se não se efetuar
previamente uma adequada correção da acidez desses solos com um corretivo calcário.

A utilização dos fertilizantes, como um dos meios mais eficazes para aumentar as
produções, deve ter em conta, não só esse aumento da produção, mas também a
qualidade dos produtos agrícolas e do meio ambiente, a fertilidade dos solos e a
rentabilidade económica das culturas.

Viticultura – 2015/2016 Página 1 de 11


Os corretivossão produtos que atuam na melhoria da nutrição das plantas de modo
essencialmente indireto, através da melhoria das propriedades físicas, químicas e
biológicas dos solos, modificando a reação do solo (pH), o teor de matéria orgânica, as
suas características físicas, etc.Embora as substâncias utilizadas como corretivos
tenham quase sempre elementos nutritivos, que podem ter algum efeito direto
sobre a nutrição das plantas, a sua principal ação é exercida na melhoria da
fertilidade dos solos.

A classificação dos corretivos é feita de acordo com a sua origem e com os principais
objetivos visados na sua aplicação, sendo de considerar os seguintes tipos de
corretivos agrícolas:

 Corretivos minerais - destinam-se a corrigir a reação (pH) dos solos.

Os corretivos minerais dividem-se em:

 Corretivos minerais alcalinizantes - quando tem como objetivo fazer


subir o pH dos solos ácidos (exemplos: calcário moído com ou sem
magnésio, cal viva, cal apagada);
 Corretivos minerais acidificantes - quando visam fazer descer o pH dos
solos alcalinos - solos calcários, solos salinos, solos alcalinizados ou solos
alcalinizados-salinos (exemplos: enxôfre e gesso).

. Corretivos orgânicos–A fertilização azotada das culturas é habitualmente feita


através da aplicação de adubos adequados. No entanto, há uma grande diversidade de
materiais de natureza orgânica, alguns dos quais subprodutos das explorações agrícolas
e agropecuárias, como estrumes, compostos, resíduos das culturas, etc, que são
habitualmente usados como corretivos orgânicos do solo. Estes corretivos, de origem
orgânica, animal e/ou vegetal, são utilizados com o objetivo de aumentar, ou pelo menos
manter, o teor de matéria orgânica dos solos, a qual desempenha uma função muito
importante em todos os aspetos (físicos, químicos e biológicos) da fertilidade dos
solos.

Até há relativamente pouco tempo, os corretivos orgânicos eram identificados com os


estrumes naturais (dejetos sólidos e camas dos gados) ou artificiais (obtidos por
compostagem de detritos vegetais). Estes corretivos têm tendência a desaparecer,
devido à modernização das instalações pecuárias e à falta de mão-de-obra.

Atualmente, vários outros produtos, embora ainda com aplicações mais restritas,
podem e devem ser utilizados como corretivos orgânicos dos solos, não só pelo seu
baixo custo e elevado interesse fertilizante, mas também pela contribuição para a

Viticultura – 2015/2016 Página 2 de 11


melhoria do meio ambiente, através da eliminação de efluentes e resíduos orgânicos
potencialmente poluentes. Entre estes são de realçar: os lixos tratados (R.S.U.-
Resíduos Sólidos Urbanos, após compostagem), os esgotos tratados (lamas das ETARs),
os produtos resultantes da intensificação de indústrias agro-pecuárias ("estrumes" de
aviário, chorumes, etc.), de indústrias agrícolas (bagaços de uva e de azeitona. etc.) ou
de indústrias florestais (aparas de madeira e casca de pinheiro trituradas, e as lamas
celulósicas).

Existem ainda outros produtos que podem ser considerados corretivos orgânicos, mas
em que os elevados custos restringem a sua utilização a culturas de alto rendimento –
vermicompostos (tratamento e valorização de resíduos orgânicos recorrendo a
minhocas), turfas, algas, etc.

O enterramento das palhas e de resíduos das culturas constituem, por outro lado,
importantes fontes de matéria orgânica e continuarão a ser os principais responsáveis
pela manutenção do teor de matéria orgânica dos solos, embora a níveis muito baixos
que é importante aumentar, com a utilização dos corretivos, para melhorar a
fertilidade desses solos.

Corretivos condicionadores - destinam-se a melhorar a estrutura do solo. São produtos


muito caros e o seu uso é muito restrito, apenas se verificando em estufas, jardins e
relvados. (exemplos: "Krilium", silicatos coloidais-Agrosil LR, "Stiromull", "Higromull",
etc.)

CONCEITO DE ACIDEZ

O conceito químico mais simples de ácido é suficiente para ilustrar as ideias


relacionadas à acidez dos solos.
Ácidos são substâncias que em solução aquosa liberam iões hidrogênio (H+)
de acordo com a seguinte reação: HA H+ + A -. O ácido HA, em solução
aquosa, dissocia-se no catião H+e no anião A-. Ácidos fortes dissociam-se
completamente e os ácidos fracos (que se assemelham mais aos problemas
de acidez em solos) dissociam-se muito pouco.
Pela pouca dissociação de ácidos fracos, ocorrem nas soluções aquosas
concentrações muito baixas de H+, que são de difícil representação em
frações decimais.
O conceito de pH foi introduzido para representar a concentração de H+,
sendo expresso por: PH = -log (H+) = log 1 (H+)
Assim, para uma concentração 0,000001 molar ou 10-6M em H+, o pH será 6.
A escala de pH varia de 0 a 14. Em solos podem ser encontrados valores de 3
a 10, com variações mais comuns em solos brasileiros entre 4,0 a 7,5. Solos

Viticultura – 2015/2016 Página 3 de 11


com pH abaixo de 7 são considerados ácidos; os com pH acima de 7 são
alcalinos.

Os solos podem ser naturalmente ácidos devido à própria pobreza em bases


do material de origem, ou a processos de formação que favorecem a remoção
de elementos básicos como K, Ca, Mg, Na, etc. Além disso, os solos podem
ter asua acidez aumentada devido ao seu cultivo e a adubações que levam a
tal processo,( sobretudo os amoniacais e a ureia) que durante a sua
transformação no solo (pelos microrganismos) leva à libertação de H+.

CALAGEM

A Calagemé uma prática agrícola na qual se aplica calcário ao solo com a


finalidade de corrigir a acidez do solo, elevando o pH e neutralizando os
efeitos tóxicos do alumínio (Al) e Mn, concorrendo assim, para que haja um
melhor aproveitamento dos nutrientes pelas culturas. Além da correção da
acidez, a calagem eleva os teores de Ca e Mg do solo, porque o calcário, que é
o corretivo normalmente usado, contém altos teores desses nutrientes.

Para a videira o pH do solo deve estar próximo de 6,0.

Equipamento agrícola para distribuição


de calcário por um disco rotativo ligado
Distribuição manual de cal. na tomada de força do trator.

Há vários métodos para se estimar a quantidade de calcário a ser adicionada ao solo, a


qual deve ser determinada com base nos resultados da análise de solo, de modo que
eleve a saturação de bases (V) a 80% e/ou o teor Ca2+ para 2 cmolc.dm-3 e o de Mg2+
para 0,8 cmolc.dm-3.

Viticultura – 2015/2016 Página 4 de 11


Na altura da implantação da vinha, o calcário deve ser aplicado a lanço e incorporado ao
solo por meio de gradagem antes da abertura das covas para o plantio das mudas de
videira. Quando as covas estiverem abertas, deve-se aplicar mais uma pequena
quantidade de calcário (100 g/cova a 200 g/cova), dependendo da análise química do
solo e do volume de terra da cova, no momento em que se vai fazer a Nutrição e
Adubação de plantação. Em vinhas já estabelecidos, o calcário deve ser aplicado a lanço
sobre faixas entre as fileiras de plantas, seguido de sua incorporação ao solo. Neste
caso, deve-se levar em consideração a área das faixas e não a área total do terreno
para se calcular a quantidade deste corretivo.

O gesso agrícola, também, é utilizado para aumentar o teor de Ca no solo em algumas


situações: 1) em solos com excesso de sódio. Neste caso, a aplicação de gesso deve ser
seguida de irrigação abundante e drenagem eficiente; 2) em solos que apresentem Al
na camada subsuperficial; 3) em solos com baixa relação Ca/Mg.

Praticamente, só os solos com pH abaixo de 5,5 e superior a 7,0 apresentam problemas


relacionados com a disponibilidade de alguns nutrientes, com a toxicidade de outros,
com a estrutura do solo, com a vida microbiana e simplificação da matéria orgânica,
fixação de nitrogénio e enxôfre, etc.

Os efeitos da calagem poderiam ser resumidos da seguinte maneira:

Efeitos Físicos

 Melhoria da estrutura pela granulação das partículas (estrutura, porosidade,


permeabilidade, aeração).

Efeitos Químicos

 Controle de pH (Controle da acidez)


 Eliminação do alumínio trivalente
 Aumento da disponibilidade e assimilação do Cálcio, Magnésio, Fósforo e
Molibdênio;
 Diminuição da solubilidade do Alumínio, Ferro e Manganês (esses elementos, além
de dificultarem o aproveitamento de alguns nutrientes pela planta, ainda podem
se tornar tóxicos).

Efeitos Biológicos

 Estímulo ao desenvolvimento da vida microbiana.

Viticultura – 2015/2016 Página 5 de 11


Calcular a Necessidade de Calagem

Vamos abordar como calcular a necessidade decalagem baseado-nos em resultados de uma


análise de solo hipotética.. Foram calculados os os diversos conceitos básicos: soma de bases,
CTC's efetiva (t) e potencial (T), saturação por bases (V%), saturação por alumínio (m%),
percentagem de saturações de Ca, de Mg e de K, e relação Ca/Mg.
O resultado obtido no cálculo dos conceitos básicos da análise do solo está representado no
quadro a seguir:

Cálculo da Calagem pelo Método de Saturação por Bases (V%)


O cálculo da necessidade de calagem para este solo será através da saturação por bases, V%.
Na análise em estudo, encontramos um V = 33,78%, que é muito baixo, o que caracteriza solo
de baixa fertilidade, associado a uma saturação por alumínio alta, ou seja, m = 30,13%. Um
valor m% maior que 20 é indicativo de necessidade de calcário para neutralizar a acidez e criar
condições favoráveis para o desenvolvimento das plantas e para aumento da produtividade.
Outros autores apontam um valor acima de 10% para caracterizar a necessidade de calagem.
Solos com m% maior que 50 são considerados solos álicos.
Vamos elevar o V% para 60 e 70%. A fórmula para cálculo da necessidade de calagem (NC) é a
seguinte:
NC (t/ha) = (V2-V1) x T x f / 100
Onde,
V2 - é o valor que queremos elevar;
V1 - é valor encontrado na análise;
T = capacidade de troca de catiões a pH 7,0;
f - fator de correção do PRNT do calcário a ser utilizado.
Toda recomendação de calagem é baseada em calcário com PRNT = 100%. Se o calcário a ser
aplicado possui um PRNT diferente deste, deve ser feita a correção.
f = 100 / PRNT do calcário usado.
Seja um calcário com PRNT de 80% que vai ser usado para a calagem. Logo,
f = 100/80 = 1,25.
Aplicando na fórmula, para elevar o V2 = 60%, teremos:
NC t/ha = (60 - 33,78) x 7,55 x 1,25 / 100
NC = 2,5 t/ha.

Viticultura – 2015/2016 Página 6 de 11


1- Indica que capacidade deve ter um Solo fértil.
___________________________________________________________
___________________________________________________________
___________________________________________________________
1.1. Indica o que fazer quando um solo perde essa capacidade.
________________________________________________________
________________________________________________________
2. Define “Fertilizantes”.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

2.1. Distingue entre adubos e corretivos.


________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
2.2. Os fertilizantes não se podem pois identificar exclusivamente com os
adubos; Em certas condições, a adubação pode até não ser a prática mais
importante da fertilização.Explica esta afirmação recorrendo a um exemplo.
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

3. Define corretivos.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

Viticultura – 2015/2016 Página 7 de 11


3.1. Embora as substâncias utilizadas como corretivos tenham quase sempre
elementos nutritivos, que podem ter algum efeito direto sobre a nutrição
das plantas, esta não é a sua principal ação .Indica qual é a sua principal ação
sobre o solo.
________________________________________________________
________________________________________________________
_______________________________________________________
3.2. A classificação dos corretivos é feita de acordo com a sua origem e com os
principais objetivos visados na sua aplicação .Indica os diversos tipos de
corretivos.
________________________________________________________
________________________________________________________
3.3. Indica o que visam:
a) Os corretivos minerais alcalinizantes.
_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

b) Os corretivos minerais acidificantes.


_______________________________________________________
_______________________________________________________
_______________________________________________________

4. Indica os objetivos dos corretivos orgânicos.


_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

4.1. Dá exemplos dos produtos mais usados como corretivos orgânicos.


________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

Viticultura – 2015/2016 Página 8 de 11


4.2. Atualmente, vários outros produtos, embora ainda com aplicações mais
restritas, podem e devem ser utilizados como corretivos orgânicos dos
solos. Indica-os.
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

4.3. Existem ainda outros produtos que podem ser considerados corretivos
orgânicos, mas em que os elevados custos restringem a sua utilização a
culturas de alto rendimento. Indica-os.
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
4.3.1. Explica em que consistem.
___________________________________________________
___________________________________________________
___________________________________________________

5. O enterramento das palhas e de resíduos das culturas constituem, por outro lado,
importantes fontes de matéria orgânica. São ainda a principal fonte de matéria
orgânica no solo embora a níveis muito baixos. Indica o que é importante
então,fazer.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

6. Define corretivos condicionadores.


_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
7. Refere o que entendes por acidez do solo.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
7.1. Indica as principais causas de acidez do solo.
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

Viticultura – 2015/2016 Página 9 de 11


7.2. Refere qual é a prática agrícola que permite corrigir a acidez do solo?
________________________________________________________
________________________________________________________
8. Indica em que consiste a Calagem.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

8.1. Refere qual é a finalidade da Calagem.


________________________________________________________
________________________________________________________

8.2. Além da correção da acidez, a calagem eleva os teores de Ca e Mg do solo.


Porquê?
________________________________________________________
________________________________________________________

8.3. Indica qual é o PH que o solo deve ter para a videira.

_____________________________________________________________

9. Como deve ser aplicado o calcário na altura da implantação da vinha.


_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
10. Indica como deve ser aplicado o calcário em vinhas já estabelecidas.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

11. Há vários métodos para se estimar a quantidade de calcário a ser adicionada ao


solo, a qual deve ser determinada com base nos resultados da análise de solo.
11.1. Indica qual o método apresentado.
________________________________________________________
________________________________________________________

Viticultura – 2015/2016 Página 10 de 11


11.2. Indica para o exemplo apresentado, qual o valor da NC ( Necessidade de
calagem) calculado.
________________________________________________________

12. Indica a fórmula para cálculo da necessidade de calagem (NC), indicando o


significado de cada uma das variáveis.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

13. São vários os efeitos da calagem. Indica:


13.1. quais são os físicos.
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________
_____________________________________________________________

13.2. quais são os efeitos químicos.


________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________
________________________________________________________

13.3. Quais são os efeitos biológicos.


________________________________________________________

Viticultura – 2015/2016 Página 11 de 11