Você está na página 1de 15

ANÁLISE DE DEMONSTRAÇÕES

CONTÁBEIS
Lojas Americanas S/A
Setembro/2018
Elaborado por: Fabio Carreiro de Santana
Disciplina: Contabilidade Financeira
Turma: MBA Executivo: Gestão Empresarial

3
Introdução

Diante de um ambiente econômico tão competitive e desenvolvido e em plena era do

conhecimento, a necessidade de informação para tomada de decisões não é somente um

diferencial entre as organizações, mas uma questão de sobrevivência. Sendo assim, a

Contabilidade tem o papel fundamental de oferecer aos seus usuários internos e externos

informações que possam satisfazer suas necessidades. Nesse contexto, as análises de

demonstrações contábeis são importantes ferramentas que permtirão que as organizações

tomem conduzam suas estratégias com assertividade.

A Lojas Americanas S.A. é uma das mais tradicionais redes de varejo do país. Com mais

de 89 anos de atividades, a empresa conta com mais de 1.320 estabelecimentos nas principais

cidades do país e com 4 centros de distribuição: em São Paulo, Rio de Janeiro, Recife e Minas

Gerais, atuando também no comércio eletrônico, representado pela B2W – Companhia Digital. A

rede comercializa mais de 60 mil itens de 4 mil empresas diferentes, o que faz com que a Lojas

Americanas detenha uma grande participação do comércio brasileiro de brinquedos,

bombonière, lingerie, CD´s e DVD´s, entre outros, e é a quarta maior empresa de varejo do

Brasil.

O objetivo desta atividade é analisar os relatórios de Demonstrações de Resultado do

Exercício e Balanço Patrimonial da Lojas Americanas S/A, referente aos anos de 2016 e 2017 e, a

partir de então, realizar as análises horizontal e vertical, bem como calcular índices de liquidez,

cálculo da estrutura de capital, cálculo da lucratividade e cálculo da rentabilidade.

4
Desenvolvimento

ANÁLISE HORIZONTAL E ANÁLISE VERTICAL

Através da analise horizontal permite-se avaliar a evolução dos vários itens de cada

demonstração financeira com intervalos sequenciais de tempo. Sua finalidade é elucidar

variações de cada conta do grupo, objetivando tendências. Analise horizontal é realizada com a

utilização de índices considerando um ano base, e o seu valor será associado a 100 e mostra a

evolução de cada conta das demonstrações financeiras e, pela comparação entre si, permitir tirar

conclusões sobre a evolução da empresa.

Uma das grandes finalidades da analise vertical é proporcionar uma verificação da

estrutura de composição dos itens das demonstrações e sua evolução no tempo, com objetivo

especial estudar as tendências. Através da análise vertical estabelece a base e a partir dela é

possível verificar quanto cada um dos demais itens representa em relação àquele escolhido

como base. A análise vertical mostra a importância de cada conta em relação à demonstração

financeira a que pertence e, através da comparação com padrões do ramo ou com percentuais

da própria empresa em anos anteriores, permitir informar se há itens fora das proporções

normais.

Abaixo, seguem as analises horizontal e vertical da Lojas Americanas S/A, de acordo com

o Balanço Patrimonial e Demonstração de Resultados dos Exercícios de 2016 e 2017.

Quadro 1 – Balanço Patrimonial (em mil reais)

31/12/2017 31/12/2016 AV 2017 AV 2016 AH 2017/2016


ATIVO TOTAL 17.400.408 12.769.527 100 100 36,3
ATIVO CIRCULANTE 10.022.613 6.596.830 57,6 51,7 51,9
disponível (caixa e bancos) 2.029.213 293.239 11,7 2,3 592,0
aplicações financeiras 3.015.768 1.992.235 17,3 15,6 51,4
contas a receber 1.562.301 1.446.172 9,0 11,3 8,0
estoque 2.400.868 2.146.536 13,8 16,8 11,8
tributos a recuperar 408.889 340.554 2,3 2,7 20,1
despesas antecipadas 23.660 24.429 0,1 0,2 -3,1
outros ativos circulantes 581.914 353.665 3,3 2,8 64,5

ATIVO NÃO CIRCULANTE 7.377.795 6.172.697 42,4 48,3 19,5


realizável a longo prazo 900.528 785.025 5,2 6,1 14,7

5
investimentos 3.188.906 2.665.136 18,3 20,9 19,7
imobilizado 2.810.785 2.347.609 16,2 18,4 19,7
intangível 387.576 374.927 2,2 2,9 3,4

PASSIVO e PATRIMÔNIO LÍQUIDO 17.400.408 12.769.527 100,0 100 36,3


PASSIVO CIRCULANTE 5.519.766 4.336.474 31,7 34,0 27,3
obrigações sociais e trabalhistas 80.349 47.382 0,5 0,4 69,6
fornecedores 2.699.348 2.436.543 15,5 19,1 10,8
obrigações fiscais 241.729 232.744 1,4 1,8 3,9
empréstimos e financiamento 2.169.848 1.233.657 12,5 9,7 75,9
dividendos e JCP a pagar 101.733 115.007 0,6 0,9 -11,5
outros passivos operacionais 226.759 271.141 1,3 2,1 -16,4

PASSIVO NÃO CIRCULANTE 7.258.958 6.442.597 41,7 50,5 12,7


empréstimos e financiamentos 7.001.300 6.306.674 40,2 49,4 11,0
passivo com partes relacionadas 195.976 76.639 1,1 0,6 155,7
provisões fiscais previdenciárias 61.682 59.284 0,4 0,5 4,0

PATRIMÔNIO LÍQUIDO 4.621.684 1.990.456 26,6 15,6 132,2


capital social realizado 3.926.518 1.441.673 22,6 11,3 172,4
reservas de capital 71.587 46.142 0,4 0,4 55,1
reservas de lucro 597.146 482.214 3,4 3,8 23,8
ajustes de avaliação patrimonial 26.433 20.427 0,2 0,2 29,4

Quadro 2 – Demonstrações de Resultados do Exercício (em mil reais)

AV AV AH
31/12/2017 31/12/2016 2017 2016 2017/2016
RECEITA LÍQUIDA DE BENS E SERVIÇOS 11.000.183 10.372.345 100 100 6,1
custo dos bens ou serviços vendidos -7.110.019 -6.676.398 64,6 64,4 6,5

LUCRO BRUTO 3.890.164 3.695.947 35,4 35,6 5,3


despesas operacionais -2.462.426 -2.281.406 22,4 22,0 7,9
despesas com vendas -1.599.579 -1.486.372 14,5 14,3 7,6
despesas gerais e administrativas -527.291 -425.286 4,8 4,1 24,0
resultado de equivalência patrimonial -283.484 -276.571 2,6 2,7 2,5
outras receitas e despesas operacionais -97.072 -93.177 0,9 0,9 4,2

RESULTADO ANTES DAS RECEITAS E DESPESAS


FINANCEIRAS 1.427.738 1.414.541 13,0 13,6 0,9
receitas financeiras 480.869 404.262 4,4 3,9 18,9
despesas financeiras -1.515.602 -1.523.650 13,8 14,7 -0,5

RESULTADO ANTES DOS TRIBUTOS SOBRE O


LUCRO 393.005 295.153 3,6 2,8 33,2
imposto de renda e contribuição social -155.377 -83.496 1,4 0,8 86,1

6
LUCRO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO 237.628 211.657 2,2 2,0 12,3

 as contas mais significativas do ativo são aplicações financeiras (17,3%) e estoque

(18,3%);

 as contas mais relevantes do passivo são empréstimos e financiamentos (40,2%) e os

fornecedores (15,5%); já do patrimônio líquido, é o capital social realizado (22,6%);

 o custo das mercadorias vendidas representa 64,6% do faturamento (receita líquida de

bens e serviços) da empresa;

 as despesas operacionais (comerciais, administrativas e financeiras) representam 22,4%

do faturamento da empresa;

 a margem bruta do produto, a margem operacional e a margem líquida da empresa

representam 35,4%, 3,6% e 2,2%, respectivamente.

INDICADORES ECONÔMICOS FINANCEIROS

A análise de balanços por índices econômicos e financeiros é a técnica mais utilizada,

pode ser obtida através da elaboração de índices, geralmente designados de quocientes,

coeficientes ou taxas, obtidos através de relações entre duas grandezas. A análise por índices

tem a função de mostrar de forma mais clara e ampla a situação econômica ou financeira de

uma empresa.

ÍNDICE DE ESTRUTURA DE CAPITAL

Endividamento Geral (EG)

(PC + PNC) ÷ Ativo total, onde PC = passivo circulante e PNC = passivo não circulante.

Em 2016: [(4.336.474 + 6.442.597) ÷ 12.769.527] X100 = 84%

Em 2017: [(5.519.766 + 7.258.958) ÷ 17.400.408] X 100 = 73%

7
De acordo com os índices apresentados, a Lojas Americanas devia a curto e longo prazos

o correspondente à 84% do seu ativo em 2016, reduzindo para 73% em 2017. Há, portanto, uma

predominância de capital de terceiros financiando seu ativo, embora haja uma tendência a

aumento do financiamento por capital próprio.

Composição do Endividamento

PC ÷ (PC + PNC)

Em 2016: [4.336.474 ÷ (4.336.474 + 6.442.597)] X 100 = 40%

Em 2017: [5.519.766 ÷ (5.519.766 + 7.258.958)] X 100 = 43%

A Lojas Americanas possuía uma concentração de seu endividamento de 40% em 2016

no passivo circulante, isto é, num prazo inferior à 12 meses. E em 2017 o seu endividamento de

curto prazo aumentou para 43%. Ainda que com tendência de aumento, a situação da empresa é

confortável dado que a maior concentração do seu endividamento encontra-se no longo prazo.

Imobilização do Patrimônio Líquido (IPL)

(ANC – RLP) ÷ PL, onde ANC = ativo não circulante; RLP = realizável a longo prazo; e PL =

patrimônio líquido.

Em 2016: [(6.172.697 – 785.025) ÷ 1.990.456] X 100 = 271%

Em 2017: [(7.377.795 – 990.528) ÷ 4.621.684] x 100 = 138%

Podemos dizer que a empresa, em 2016, utilizava 271% do seu patrimônio líquido para o

financiamento dos seus investimentos, imobilizado e intangíveis. Em 2017 esse índice caiu para

138%, porém, ainda muito elevado, indicando que a empresa necessita complementar seus

investimentos com recursos de terceiros.

Imobilização de Recursos Não Correntes (IRNC)

(ANC – RLP) ÷ (PL + PNC)

Em 2016: [(6.172.697 – 785.025) ÷ (1.990.456 + 6.442.597)] X 100 = 64%

8
Em 2017: [(7.377.795 – 990.528) ÷ (4.621.684 + 7.258.958)] X 100 = 54%

A Lojas Americanas apresentou IRNC de 64% e 54% em 2016 e 2017, respectivamente, o

que significa dizer que, como o capital próprio não foi suficiente para cobrir todo seu

endividamento com investimentos, imobilizado e intangíveis, foi necessário recorrer à capital de

terceiros de longo prazo nos dois períodos.

Passivo Oneroso Sobre Ativo (POSA)

(PCF + PNC) ÷ Ativo total, onde PCF = passivo circulante financeiro.

Em 2016: [(1.348.664 + 6.442.597) ÷ 12.769.527] X 100 = 61%

Em 2017: [(2.271.581 + 7.258.958) ÷ 17.400.408] X 100 = 55%

Os índices apresentados mostram uma elevada dependência de fontes onerosas de de

capital no financiamento dos investimentos totais da empresa, embora exista uma tendência de

redução entre um exercício e outro. Em função disso, a empresa deve possuir despesas

financeiras igualmente elevadas.

ÍNDICES DE LIQUIDEZ

Liquidez Imediata (LI)

Disponível ÷ PC

Em 2016: 293.239 ÷ 4.336.474 = 0,07

Em 2017: 2.029.213 ÷ 5.519.766 = 0,37

Os índices de LI mostram a capacidade da empresa em honrar seus compromissos de

curto prazo utilizando apenas suas disponibilidades. No caso em tela, a Lojas Americanas

possuía R$ 0,07 de recursos disponíveis para cada R$ 1,00 de dívidas de curto prazo, em 2016.

Em 2017 essa realçao foi ainda maior. Entretanto, a empresa deve atentar-se para não está

imobilizando esse capital em tesouraria, podendo ser investido e ter uma rentabilidade maior.

9
Liquidez Corrente (LC)

AC ÷ PC

Em 2016: 6.596.830 ÷ 4.336.474 = 1,52

Em 207: 10.022.613 ÷ 5.519.766 = 1,82

A LC mostra a capacidade de liquidez da empresa, utilizando seu capital de giro para

pagar suas dívidas circulantes. A Lojas Americanas, em 2016, tinha uma capacidade de solvência

de 1,52%, o que implica dizer que, para R$ 1,00 em dívidas circulantes (curto prazo) a empresa

tinha R$ 1,52 de capital de giro. Em 2017 essa relação foi até melhjor, R$ 1,82 para cada R$ 1,00

de dívida circulante.

Liquidez Seca (LS)

(AC – Estoque) ÷ PC

Em 2016: (6.596.830 – 2.146.536) ÷ 4.336.474 = 1,03

Em 2017: (10.022.613 – 2.400.868) ÷ 5.519.766 = 1,38

Ao passar pelo “teste do ácido”, a empresa apresentou um índice de Liquidez Seca de

1,03 em 2016 e 1,38 em 2017. Isso significa dizer que, mesmo desconsiderando seus estoques, a

empresa possuía R$ 1,03 e R$ 1,038 disponíveis paga quitar suas dívidas de curto prazo, em 2016

e 2017, respectivamente. O que demosntra um baixo grau de dependência dos seus estoques

para honrar seus compromissos de curto prazo.

Liquidez Geral (LG)

(AC + RLP) ÷ (PC + PNC), onde RLP = realizável a longo prazo.

Em 2016: (6.596.830 + 785.025) ÷ (4.336.474 + 6.442.597) = 0,68

Em 2017: (10.022.613 + 990.528) ÷ (5.519.766 + 7.258.958) = 0,86

10
A LG permite avaliar a capacidade da empresa em honrar todas as suas obrigações de

curto e longo prazos, contando para isso, com seus recursos de curto e longo prazo. Para cada

R$ 1,00 de compromissos totais, em 2016, a Lojas Americanas possuía R$ 0,68 e, em 2017, R$

0,86. Apesar do índice está abaixo da unidade, isso não chega a ser um fator preocupante dado

que a empresa possui folga para lidar com suas obrigações de curto prazo e, portanto, tem

capacidade de solvência.

ÍNDICES DE LUCRATIVIDADE E RENTABILIDADE

Margem Bruta (MB)

(Lucro bruto ÷ Receita operacional líquida) X 100

Em 2016: (3.695.947 ÷ 10.372.345) X 100 = 35,63

Em 2017: (3.890.164 ÷ 11.000.183) X 100 = 35,36

A MB revela a lucratividade da empresa a partir da comercialização dos seus produtos e

serviços. Em ambos os períodos, a Margem Bruta da empresa foi de 35%, ou seja, após a

dedução do custo das mercadorias, a Lojas Americanas possuía uma sobra de 35% do seu lucro

para honrar suas despesas operacionais.

Margem Operacional (MO)

(Lucro operacional ÷ Receita operacional líquida) X 100

Em 2016: (295.153 ÷ 10.372.345) X 100 = 2,85

Em 2017: (393.005 ÷ 11.000.183) X 100 = 3,57

Os índices apresentados mostram que a Lojas Americanas apresentou em 2016 e 2017,

Margens Operacionais de 2,85 e 3,57, respectivamente. Isso implica dizer que, o ganho

operacional da empresa em relação ao se faturamento líquido, considerando suas operações

normais para manutenção das atividades fins, foi de 2,85 e 3,57, portanto, muito baixas.

11
Margem Líquida (ML)

(Lucro líquido ÷ Receita operacional líquida) X 100

Em 2016: (211.657 ÷ 10.372.345) X 100 = 2,04

Em 2017: (237.628 ÷ 11.000.183) X 100 = 2,16

Na linha final, após as deduções do Imposto de Renda e contribuições sociais, o índice

lucratividade líquida apresentando pela empresa foi de 2,04 em 2016 e em 2017 teve um leve

aumento para 2,16.

Giro do Ativo (GA)

Vendas líquidas ÷ Ativo total

Em 2016: 10.372.345 ÷ 12.769.527 = 0,81

Em 2017: 11.000.183 ÷ 17.400.408 = 0,63

Esse indicador permite-nos medir quanto do faturamento líquido com a venda de bens e

serviços da empresa foram utilizados para cobrir o investimento total realizado pela empresa,

isto é, quantas vezes a empresa recuperou seu ativo investido por meio das vendas. Em nenhum

dos períodos as vendas foram suficientes para compensar o investimento total já que em 2016

R$ 1,00 investido gerou R$ 0,81 em vendas e em 2017 caiu para R$ 0,63.

Rentabilidade do Patrimônio Líquido (RPL)

(Lucro líquido ÷ Patrimônio líquido) X 100

Em 2016: (211.657 ÷ 1.990.456) X 100 = 10,63

Em 2017: (237.628 ÷ 4.621.684) X 100 = 5,14

Esse indicador reflete o retorno sobre o capital próprio investido na empresa e mede

quanto foi adicionado ao patrimônio líquido com os resultados do período. Do ponto de vista de

12
quem investe, esse é o indicador mais importante. Avaliando os dois períodos, podemos dizer

que houve uma queda na remuneração dos acionistas de 10,6% para 5,1% entre um ano e outro.

Rentabilidade dos Investimentos (RI)

(Lucro líquido ÷ Ativo total) X 100

Em 2016: (211.657 ÷ 12.769.527) X 100 = 1,66

Em 2017: (237.628 ÷ 17.400.408) X 100 = 1,37

Por fim, o RI possibilita mensurarmos o poder de ganho da empresa com relação aos

investimentos totais. Em 2016, o lucro líquido da Lojas Americanas repreentou 1,66 dos

investentos totais e, em 2017, essa relação deminuiu ainda mais para 1,37.

13
Conclusão

Após análise dos relatórios de demonstrações contábeis das Lojas Americanas referentes

aos anos de 2016 e 2017, e feita as análises vertical e horizontal e dos indicadores econômico

financeiros, podemos concluir que a empresa, embora apresente uma evolução nas suas

receitas entre um exercício e outro, deverá atentar-se para as situações abaixo:

 a empresa apresenta elevado grau de dependência de capital de terceiros, especialmente

de recursos onerosos e, portanto, tem um elevado nível significativo de endividamto com

despesas financeiras;

 a empresa apresenta uma despesa operacional muito elevada que compromete a sua

lucratividade líquida, e;

 o faturamento apresentado nos períodos, além de gerarem baixo retorno para

investidores e acionistas, não tem sido suficientes para justificarem todo o investimento

realizados.

14
Referências bibliográficas
Demonstrações Financeiras: Lojas Americanas. BM&FBovespa. Acesso em 20/09/2018. Disponível
na entrenet em: http://bvmf.bmfbovespa.com.br/cias-listadas/empresas-
listadas/ResumoEmpresaPrincipal.aspx?codigoCvm=8087&idioma=pt-br

LIMEIRA, André Luiz Fernandes et. al. Gestão Contábil Financeira (Recurso eletrônico). Rio de
Janeiro: Editora FGV, 2015.

Lojas Americanas: História. Wikipedia. Consulta em 20/09/2018. Disponível na internet em:


https://pt.wikipedia.org/wiki/Lojas_Americanas

15