Você está na página 1de 3

12 de Dezembro, 2017 Daiane Nakamura- MEDB55 1

DIAGNÓSTICO E DATAÇÃO DA
GRAVIDEZ
PERÍODOS DO PARTO

 Abortamento: até 20 a 22 semanas


 Parto prematuro: 36 semanas e 6 dias
 Parto a termo: ficar atento após 41 semanas

PARIDADE

 G: Primigesta; secundigesta
 P: Nulípara; primípara
 A

NIDAÇÃO

 Promovida pelas células trofoblásticas. Únicas células a ter contato com organismo da mãe.
São responsáveis por um ajuste imunológico importante.
 Produz gonadotrofina coriônica (cuja fração beta, B-HCG, é mensurável). Passa a
sustentar o corpo lúteo para que não ocorra a menstruação até as 16 semanas
(momento em que a placenta assume).
 Essa mudança pode ser acompanhada por um pequeno sangramento, escuro, de um
dia só. É muitas vezes referida como menstruação atípica pela mulher.

NOMENCLATURAS

 AHO: Anticonceptivo anovulatório oral


 Sinusiorragia: sangramento na relação sexual
 Hiperêmese gravídica: vômitos incoercíveis. Necessita de internação para reestabelecer
eletrólitos.

SINAIS DE PRESUNÇÃO

 Amenorréia
 Náuseas
 Congestão mamária
 Polaciúria

SINAIS DE PROBABILIDADE

 Amenorréia com mudança do padrão menstrual (sangramento atípico)


 Aumento do volume uterino
 Alteração da consistência e forma uterina
 Não-grávidas: colo tem consistência de ponta de nariz
 Grávidas: colo tem consistência do lábio

SINAIS DE CERTEZA

 Ausculta fetal
 Rechaço do bebê ao toque bimanual
 Com o USG: a partir de 5 semanas

DATAÇÃO

 Importância: pra cada período de gravidez, existem patologias diferentes


 Considera-se a data da última menstruação (normal)
 Fase foliculínica pode variar, mas fase lútea costuma durar 14 dias exatamente.
 Regra de Nagele
 DUM + 7 dias (à data) + 9 meses (ao mês) = data provável do parto
 Ex: 10/03  17/12
 Ex: 10/11  17/08 (Dica: subtraia 3 do mês)

MUDANÇAS FISIOLÓGICAS NA GRAVIDEZ

 O esforço de adaptação à gravidez corresponde a um exercício de moderada intensidade.


 Posição do troféu: mudança do centro de gravidade
 Marcha anseriana
 Lombalgia: distensão dos ligamentos sacrais
 Diabetes gestacional: Progesterona tem efeito anti-insulínico. Seus níveis estão aumentados
em mais de 10 vezes durante a gravidez.
 Se o pâncreas estiver perfeito, consegue aumentar a produção de insulina e manter a
normoglicemia.
 Se estiver com alguma alteração, ela pode se manifestar na situação da gravidez, como
se fosse um “teste de esforço” do pâncreas.
 Estado hiperglicêmico pode aumentar o risco de abortamento e causar malformações
cardíacas.
 Dispneia: elevação da cúpula diafragmática + ansiedade
 Aumento da volemia: mais 1L de sangue circulante.
 Para compensar, há um lago sanguíneo ao redor da placenta
 Retenção de líquido provocada pela progesterona
 MMII: Útero é desviado para a direita e comprime veia cava
 Deitar para a esquerda pode melhorar o sofrimento fetal
 Anemia fisiológica (dilucional): volemia aumenta, mas eritrócitos não
 Leucocitose: 10 000, sem desvio

2
 Aumento dos fatores de coagulação: fatores pró-trombóticos mais ativos para promover a
hemostasia da ferida no pós-parto (juntamente com a miotamponagem: contração do útero
para pinçar os vasos)
 Náuseas e vômitos
 Preferência/ perversão alimentar
 Azia
 Constipação intestinal: beber água (2L) + exercício físico + fibras
 Litíase biliar: vesícula flácida
 Polaciúria: no início e final da gravidez
 Maior risco de infecção urinária: bexiga mais flácida também. Cuidado pois pode provocar parto
prematuro.
 Disúria: aumentar ingesta de água
 Mastalgia e aumento das mamas
 Sinal de Halter
 Aumento da vasculatura
 Hipertrofia dos tubérculos de Montgomery
 Hiperpigmentação da linha nigrans
 Galactorreia: a partir do 5-6º mês tem colostro
 Cloasma gravídico: em forma de borboleta na face
 Estrias gravídicas
 Aumento do útero: altura uterina tem valores estimados com o decorrer da gravidez
 Aumento do número e do tamanho das fibras
 Mucosa vaginal arroxeada, congesta de sangue
 Secreção genital
 Gravidezes não planeadas costumam ser mais sintomáticas