Você está na página 1de 40

RESÍDUOS DE EQUIPAMENTOS

ELETROELETRÔNICOS
Aline Romanini da Silva 145157
Edgard Kondo 145886
Hiago Alves de Moura 157991
Pedro Henrique Pozelli 175772
Raphaela Carvalho Cruz 157111
Thaís Serra Dorten 157377
Ciências do Ambiente
Prof. Dr. Marco Aurélio
O QUE É
REEE?
Introduzindo os Resíduos de Equipamentos
Eletroeletrônicos
Avanço Tecnológico

▪ Projetado para o lixo


▪ Difícil de atualizar
▪ Fácil de quebrar
▪ Inviável o reparo
▪ Década de 60 “:Lei de Moore”
(Gordon Moore): número de
transistores dos chips terá um
aumento de 100%, pelo mesmo
custo, a cada período de 18 meses.

3
Composição dos REEE
Elementos tóxicos presentes nos REEE:
▪ Arsênico
▪ Alumínio
▪ Bário
▪ Berílio
▪ Cádmio
▪ Cromo
▪ Dioxinas
▪ Chumbo
▪ Ferro
▪ Níquel Muitos REEE são banhados
à produtos químicos tóxicos
como PVC, solventes e
Prata* Ouro* retardantes de chamas.
7.500 toneladas 320 toneladas

*Usados por fabricantes de eletrônicos anualmente.


DEFINIÇÃO DE REEE
NA LEGISLAÇÃO

Classificação e PNRS
Os Resíduos de Equipamentos
Eletroeletrônicos
Atualmente a definição de REEE mais aceita atualmente vem da
Comunidade Europeia, que diz:

“Equipamentos cujo adequado funcionamento depende de correntes


elétricas ou campos eletromagnéticos, bem como os equipamentos para
geração, transferência e medição dessas correntes e campos, pertencentes
às categorias definidas no anexo IA”.

(Diretiva 2002/96/CE do Parlamento Europeu Art. 3° a)


Classificações dos REEE
As diretivas européias classificam os REEE em 10 grupos. Porém, no Brasil,
estes equipamentos são divididos da seguinte forma:

▪ Linha branca: geladeira, fogão, ar condicionado...


▪ Linha marrom: TVs de tubo, plasma, LCD e LED, aparelhos de DVD e VHS...
▪ Linha azul: batedeiras, liquidificadores, ferros elétricos, furadeiras,
secadores de cabelo...
▪ Linha verde: computadores desktop e laptops, acessórios de informática,
tablets e telefones celulares.
Política Nacional de Resíduos Sólidos
A Lei nº 12.305/10 trata-se da Política Nacional de Resíduos Sólidos
(PNRS) e enfrenta os problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes
do manejo inadequado dos resíduos sólidos.

Dentre as medidas que a PNRS almeja alcançar, estão as seguintes


diretrizes:

▪ Erradicação dos lixões;


▪ Estabelecer novos instrumentos no gerenciamento de resíduos;
▪ Instituir planos de gestão integrada de resíduos sólidos;
▪ E também....
Política Nacional de Resíduos Sólidos

Ordem de prioridade de geração de


resíduo

Ou seja, tanto as políticas públicas


quanto as nossas atitudes diárias devem
seguir esta ordem de produção de
resíduos, focando, primeiramente, em
não produzir resíduo nenhum.
Política Nacional de Resíduos Sólidos
Art. 6º São princípios da Política Nacional de Resíduos Sólidos:
I – a prevenção e a precaução;
III – a visão sistêmica, na gestão dos resíduos sólidos, que considere as
variáveis ambiental, social, cultural, econômica, tecnológica e de saúde pública;
IV – o desenvolvimento sustentável;
V – a ecoeficiência, (...)
VI – a cooperação entre as diferentes esferas do poder público, o setor
empresarial e demais segmentos da sociedade;
VIII – o reconhecimento do resíduo sólido reutilizável e reciclável como
um bem econômico e de valor social, gerador de trabalho e renda e promotor
de cidadania;
Política Nacional de Resíduos Sólidos
Art. 47. São proibidas as seguintes formas de destinação ou disposição final de
resíduos sólidos ou rejeitos:
I – lançamento em praias, no mar ou em quaisquer corpos hídricos;
II – lançamento in natura a céu aberto (...);
III – queima a céu aberto (...);
Art. 48. São proibidas, nas áreas de disposição final de resíduos ou rejeitos, as
seguintes atividades:
II – catação (...);
IV – fixação de habitações temporárias ou permanentes;
Art. 49. É proibida a importação de resíduos sólidos perigosos e rejeitos, (...)
REEE EM
NÚMEROS

Estatísticas gerais
Estatísticas
Estatísticas: Global e América Latina

Fonte: UNESCO(2010) e GMSA(2014).


Estatísticas: Legislação (população mundial)

Fonte: UNESCO(2010) e GMSA(2014).


Produção de REEE (kg / pessoa)
15,6 3,7
Europa Ásia
12,2
América do Norte

1,7
África
6,6
LATAM 15,2
Oceania

Fonte: UNU 2014


Estatísticas: Global
Segundo relatório de 2015 da ONU, os EUA são o país que mais gera lixo eletrônico
no mundo, seguido por China, Japão, Alemanha e Índia. Apenas EUA e China geram
juntos 32%.

A Ásia gera a maior quantidade, seguida pela Europa, Américas, África e Oceania. A
Europa possui a maior taxa de coleta (35%), o dobro comparado com as Américas e a
Ásia. Segundo registros do UN Environment Programme (UNEP) de 2016, cerca de
90% do REEE global em 2015 era descartado ilegalmente.

Cerca 20% do lixo eletrônico é reciclado. O destino de 76% (34.1 milhões de


toneladas) é desconhecido, sendo provavelmente descartado, comercializado ou
reciclado em condições inferiores.
Estatísticas: América Latina (9% do mundo)
1,400,000 ton/ano
Descarte anual do Brasil

140,000 ton/ano
TI/Telecomunicações

3%
Reciclados
Fontes: Relatório ONU - 2015 e ABINEE
Estatísticas: Economia
No mundo todo, em média, os usuários de smartphones trocam seus aparelhos a
cada 20 meses para se manter alinhados com a nova tecnologia.

Um milhão de toneladas de fontes de energia são produzidos todo ano.

O valor total de todos os materiais presentes no lixo eletrônico foi estimado em 55


bilhões de euros em 2016.

Modelos de economia circular precisam ser adotados para encorajar o fechamento


do ciclo dos materiais por meio de melhor design dos componentes, reciclagem,
reutilização etc.
O QUE
FAZER COM
SEU REEE?

DESCARTE E RECICLAGEM
Descarte

● Apenas 4% do lixo eletrônico brasileiro é devidamente


descartado;
● Até 90% do lixo eletrônico do mundo, é comercializado
ilegalmente ou jogado no lixo por ano;
● Necessidade de se buscar mais matérias-primas para
suprir o mercado;
● Problemas sociais e ambientais;
● Logística Reversa Menos poluição
Desenvolvimento Sustentável;

22
Logística Reversa

23
Processo de descarte de REE

Separar Catalogar Testar

● Etapas: coleta, transporte, transbordo, separação e


destinação final do lixo eletrônico;
● Montagem de “novos” equipamentos, ou seja, Refurbished;
Gestão e Reciclagem dos REEE

● Economicamente lucrativo;
● Equipamentos mais complexos podem conter até 60 elementos da tabela
periódica, sendo muitas vezes totalmente recuperável;
● Valor intrínseco das matérias-primas contidas em um aparelho padrão
(aproximadamente 90g) é de 2 euros;
● Etapas: coleta, desmontagem, pré-processamento e processamento;
● Tratamento: manual ou automatizado;
● Economia linear Economia circular

25
REEE E CONSEQUÊNCIAS
RELACIONADAS À GESTÃO

Ambiental, social e econômica


Síntese das Consequências - Gestão de REEE
Dimensão Consequências ambientais, sociais e econômicas Autores

Ambiental Emissões de toxinas e contaminação do solo, ar e água Williams et al. (2208)


Impactos na saúde dos trabalhadores e nas comunidades Varin e Roinat (2008)
envolvidas nos processos de reciclagem informal

Social Geração de emprego - atividades de coleta e reciclagem dos REEE Labuschagne et al.
Geração de emprego - processos de manufatura de REEE (2005)
Redução da exclusão digital em comunidades de baixa renda Sarkis et al. (2010)
decorrente da reutilização de computadores Tong e Wang (2004)
Geração de emprego nos processos de reutilização e reciclagem, Kahhat e Williams
principalmente para trabalhadores à margem do mercado formal (2009)

Econômica Estímulo ao mercado de segunda mão, à criação de empresas de Varin e Roinat (2008)
reciclagem e reutilização de equipamentos eletroeletrônicos

Fonte: Os autores
Doenças
Metais Danos potenciais à saúde humana Danos potenciais ao Aplicações em
meio ambiente equipamentos
eletrônicos

Alumínio Obnubilação, coma, convulsões. Geração de gases Computadores e


Perturbação intermitentes da fala poluentes, como o gás smartphones.
(gagueira), disfunções neurológicas, carbônico (CO2) e os
espasmos mioclônicos, convulsões, perfluorcarbonetos
alterações de personalidade, (PFCs).
demência global.
Cancerígeno na bexiga e pulmão.

Antimônio Febre alta, irritação na mucosa Contaminação Semicondutores.


gástrica, vômitos violentos, cólica, atmosférica
diarreia, inchaço dos membros, hálito
pestilento e erupções cutâneas.
Inflamação no pulmão, bronquite e
enfisema crônico.
Cancerígeno para pulmões.
Doenças
Metais Danos potenciais à saúde humana Danos potenciais ao Aplicações em
meio ambiente equipamentos
eletrônicos

Arsênio Dor abdominal, vômito, diarreia, Comprometimento Semicondutores,


vermelhidão da pele, dor muscular, do crescimento das diodos, LEDs,
fraqueza, dormência e formigamento plantas; transistores e lasers.
das extremidades, câimbras e pápula Contaminação do
eritematosa. lençol freático.
Lesões dérmicas, neuropatia periférica,
bexiga e pulmão, e doença vascular
periférica. Cancerígeno para pele,
pulmão, bexiga e rins.

Berílio Calafrios, febre, tosse dolorosa e Usado em


acúmulo de fluidos nos pulmões, moderadores e
podendo levar à morte. refletores de nêutrons
Beriliose ou granulomatose pulmonar e conectores para
crônica, lesões pulmonares. computadores.
Cancerígeno no pulmão.
Doenças
Metais Danos potenciais à saúde Danos potenciais ao Aplicações em
humana meio ambiente equipamentos
eletrônicos

Retardadores Cancerígenos e neurotóxicos: Podem ser solúveis em Computadores e


de chama podem interferir na função água, voláteis, televisores.
bromados reprodutora. bioacumulativos e
persistentes. Em
incineradores geram
dioxinas e furanos.

Cádmio Possíveis efeitos irreversíveis Bioacumulativos, Resistores, detectores


nos rins e provocar câncer e persistente e de infravermelho e
desmineralização óssea; tóxico para o meio Semicondutores e
Manifestações digestivas ambiente. Nas versões mais
(náusea, vômito, diarréia); antigas de raios
Problemas pulmonares; catódicos.
Envenenamento (ingestão);
pneumonite (inalação).
Doenças
Metais Danos potenciais à saúde humana Danos potenciais ao Aplicações em
meio ambiente equipamentos
eletrônicos

Cromo Provocam reações alérgicas em contato Absorção celular Em ligas metálicas


com a pele, é cáustico e genotóxico muito fácil das para aço inoxidável.
toxinas por plantas e
animais.

Chumbo Danos no sistema nervoso, Acumulação no Soldas nos


Endócrino, cardiovascular ecossistema, circuitos impressos
E rins; dores abdominais (cólica, efeitos tóxicos na e outros
espasmo e rigidez); disfunção renal; flora e fauna componentes e tubos
Anemia, problemas pulmonares; neurite e microrganismos. de raios catódicos
periférica (paralisia); Nos monitores e
Encefalopatia (sonolência, manias, televisores.
delírio, convulsões e coma).
Doenças
Metais Danos potenciais à saúde humana. Danos potenciais ao Aplicações em
meio ambiente equipamentos
eletrônicos

Mercúrio Possíveis danos cerebrais e Pode tornar-se Termostatos, sensores


cumulativos (podem passar para o solúvel água; de posição, chaves, relés
feto); acumula-se e lâmpadas
Gengivite, salivação, diarréia organismos vivos. descartáveis,
(com sangramento); equipamentos
Dores abdominais (especialmente médicos, transmissão
Epigástrio, vômitos, gosto metálico); de dados,
Congestão, inapetência, indigestão; telecomunicações
Dermatite e elevação da pressão e telefones celulares,
arterial; estomatites (inflamação da baterias, interruptores
mucosa da boca), ulceração da faringe e de residências e placas
do esôfago, lesões renais e no tubo de circuito impresso.
digestivo; insônia, dores de
Cabeça, colapso, delírio, convulsões.
Doenças
Metais Danos potenciais à saúde humana Danos potenciais ao Aplicações em
meio ambiente equipamentos
eletrônicos

Bario Inchaço do cérebro, fraqueza Painel frontal do CRT


muscular, danos no coração,
fígado e no baço;

Cobre Pode gerar cirrose hepática Alta demanda por Presente em


energia elétrica para vários componentes
eletrólise e liberação de eletrônicos
dióxido de carbono.

Outros componentes perigosos: estanho, ferro, lítio, níquel, prata, selênio, vanádio e zinco.

Os produtos químicos tóxicos, em seu descarte indevido em pilhas de equipamentos, são liberados
lentamente no ambiente (solo, rio, ar) e nos habitantes da região.
Em países em que a mão de obra é barata é comum o despejo dos REEE, e trabalhadores sem
proteção tóxica retiram peças e componentes valiosos para vender posteriormente.
FUTURO

Perspectivas e metas
Previsões

2014
- América Latina produziu 9% do lixo eletrônico - 3,9 quilotoneladas

2016
- 44,7 milhões de toneladas geradas (equivalente a 4500 torres Eiffel ou então
formar uma linha de Nova Iorque à Bangkok ida e volta)

2021
- 52,2 milhões de toneladas geradas ( aumento de 17%)
37
Medidas preventivas

- Campanhas de sensibilização

- Garantir o acesso confiável a matérias-primas

- Coleta seletiva de telefones celulares

- Princípio da responsabilidade estendida do produtor (EPR)

38
Perguntas?
OBRIGADO!