Você está na página 1de 322

www.vdo.

com

Tacógrafo digital
DTCO 1381 – Versão 1.3
Descrição técnica

TD00.1381.00 133 104


Nota

Caro utilizador,

As informações, descrições, ilustrações e os dados contidos nesta


documentação técnica podem ser modificadas sem pré-aviso, pelo
que não implicam nenhuma forma de compromisso por parte da
Continental Automotive GmbH. A descrição baseia-se na última
versão do sistema operativo e dos programas à data de impressão.

Nenhum elemento desta documentação pode ser reproduzido, seja


por fotocópia ou por qualquer outro meio, sem a prévia autorização
escrita da Continental Automotive GmbH.

Objectivo Esta documentação foi concebida, exclusivamente, como auxiliar na


desta documentação realização de trabalhos de intervenção e não deve ser usado de outra
forma. Toda e qualquer transmissão deste documento a terceiros
exige a prévia autorização escrita da Continental Automotive GmbH.

Na maioria dos casos, os nomes mencionados nesta documentação


são marcas registadas e serão referidas, mais à frente nesta
documentação, sem qualquer referência ao proprietário.

Responsável pelo conteúdo Continental Automotive GmbH


P.O. Box 1640
D-78006 Villingen-Schwenningen
Germany

www.vdo.com

© By Continental Automotive GmbH.


Todos os direitos reservados.

Apoio ao cliente Continental Automotive GmbH


I CVAM TCO PR PLM
Heinrich-Hertz-Straße 45
D-78052 Villingen-Schwenningen
Germany

Telefone: +49 (0) 77 21 67 31 96


Fax: +49 (0) 77 21 67 27 29

II © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Sumário das alterações

Sumário das alterações

Data Capítulo Página Tópico, medida


08/2004 Primeira edição
11/2008 Nova edição
DTCO 1381 – Versão 1.3

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 III


IV © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008
Tabela de conteúdos

Tabela de conteúdos

Resumo das alterações………..…………….…………………. III


Convenções utilizadas neste manual..………………………... VII
Pictogramas e o seu significado………..……….…..………… VIII
Informações gerais…………………………………………..….. IX
Lista de abreviaturas……………………………………………. XIV

Capítulo 1 – O produto e o sistema


1. 1 O sistema…………………………………................... 19
1.2 Tacógrafo digital DTCO 1381………………………… 24
1.3 KITAS 2171…………………………………………...... 28
1.4 Cartões de tacógrafo………………………………….. 31

Capítulo 2 – Dados técnicos


2.1 DTCO 1381....………...……………………………….. 35
2.2 KITAS 2171.........……………………………………… 47
2.3 Diagrama de ligações DTCO 1381..............……..… 53

Capítulo 3 – Trabalhar com o DTCO 1381


3.1 Informações gerais....…………………...……….…..... 57
3.2 Tipos de ecrã.............................……………………… 59
3.3 Funções de menu........................................………… 66
3.4 Modo de calibração................................................... 72
3.5 Preparar a transferência de dados............................ 77

Capítulo 4 – Tratamento de dados


4.1 Tratamento de dados.…………………...……………. 81
4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória... 83
4.3 Cartões de tacógrafo................................…………... 93
4.4 Transferência de dados............................................. 108
4.5 Direitos de acesso aos dados memorizados............. 109

Capítulo 5 – Instalação
5.1 Informações gerais…....………………...…………….. 113
5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381........... 117
5.3 Critérios para a escolha do local de instalação.....… 122
5.4 Ferramentas e acessórios para a instalação............. 125
5.5 Instalação.................................................................. 127

Capítulo 6 – Instalação da variante ADR


6.1 DTCO 1381 (variante ADR)……….………………….. 145
6.2 Instalação.................................................................. 150
6.3 DTCO 1381 - Certificado de homologação
do modelo CE............................................................ 153
6.4 KITAS 2171 - Certificado de homologação
do modelo CE………………………………………….. 159

Capítulo 7 – Pré-programação
7.1 Informações gerais…………...................................... 163
7.2 Testar o equipamento................................................ 164
7.3 Realizar a pré-programação...................................... 165

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 V


Tabela de conteúdos

Capítulo 8 – Verificação da instalação e teste de


funcionamento
8.1 Informações gerais................................................... 171
8.2 Margem de erro permitida…..................................... 173

Capítulo 9 – Activação
9.1 Informações gerais................................................... 177
9.2 Verificar a bateria de salvaguarda…………………... 181
9.3 Activação.................................................................. 182

Capítulo 10 – Calibração inicial


10.1 Informações gerais................................................... 189
10.2 Instruções de calibração........................................... 192
10.3 Dispositivo de teste................................................... 196
10.4 Verificar a bateria de salvaguarda…………………... 197
10.5 Realizar a calibração inicial…................................... 198

Capítulo 11 – Inspecção periódica


11.1 Informações gerais................................................... 211
11.2 Instruções de calibração........................................... 213
11.3 Instruções para inspecções periódicas.................... 217
11.4 Dispositivo de teste................................................... 218
11.5 Verificar a bateria de salvaguarda............................ 219
11.6 Realizar inspecções periódicas................................ 220

Capítulo 12 - Manutenção e limpeza


12.1 Manutenção do sistema............................................ 233
12.2 Bateria de salvaguarda............................................. 234
12.3 Limpeza.................................................................... 239
12.4 Eliminação de resíduos............................................ 240

Capítulo 13 – Eventos e falhas


13.1 Indicações gerais sobre as mensagens................... 243
13.2 Visualizar a memória de eventos e falhas................ 246
13.3 Imprimir a memória de eventos e falhas................... 248
13.4 Mensagens e medidas para corrigir erros................ 250

Capítulo 14 – Apêndice
14.1 Estados do DTCO 1381…….................................... 283
14.2 Indicações das opções............................................. 289
14.3 Pictogramas e combinação de pictogramas…......... 290
14.4 Exemplos de relatórios – Relatórios obrigatórios….. 294
14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais…….. 302
14.6 Explicação dos exemplos de documentos
para impressão………………………………………... 307
14.7 Comportamento da memória durante eventos
e falhas…………………………………………………. 315
14.8 Visão geral das mensagens de acordo
com o Código de Memória (CM)............................... 318

VI © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Convenções utilizadas neste manual

Convenções utilizadas neste manual

Características de representação e de formatação

Com o objectivo de o ajudar a facilmente consultar esta


documentação, foram adoptadas as seguintes características de
representação e de formatação:

Organização deste manual


Exemplo: Significado:

Produto/Resumo do sistema = Capítulo principal

1.1 Resumo do sistema = Subcapítulo de primeiro nível

1.1.1 Breve descrição = Subcapítulo de segundo nível

Versões do produto = Secção dentro de um capítulo

Ênfases no texto
Exemplo: Significado:

1. Ligue a ignição = Instruções que devem ser seguidas pela ordem indicada
2. Insira o cartão de tacógrafo
3. Chamar menu principal
• Actividades = Listagem dentro de um parágrafo
- Tempo de condução = Listagem adicional dentro de uma listagem principal

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 VII


Pictogramas e o seu significado

Pictogramas e o seu significado

Cuidado!
À semelhança do que acontece no trânsito, quando vir este sinal,
deverá parar. Queira prestar muita atenção à informação e as
instruções que acompanham este sinal. Ao fazer isso, não o porá a
si, nem aos outros, em perigo.

Atenção!
O texto que acompanhar este sinal contém informação muito
importante e que deverá ser cumprida para prevenir situações que
possam resultar na perda de dados, ou em danos para o
equipamento.

Nota!
Trata-se de importante informação adicional sobre o produto.

Símbolo do Livro
Faz referência a outras documentações como, por exemplo,
“Consulte as instruções de funcionamento BA00.1381.01 10001”.

Coluna marginal Trata-se de uma curta expressão-chave que permite, por exemplo,
encontrar rapidamente determinada informação.

VIII © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Informações gerais

Informações gerais

Juntamente com os seus componentes de sistema, o tacógrafo


digital DTCO 1381 é um equipamento de controlo CE que cumpre
todos os requisitos definidos no Regulamento (CEE) n.º 3821/85,
Anexo I B, na versão, actualmente, em vigor.

Definições da terminologia

A instalação do DTCO 1381 divide-se pelos seguintes passos:

1. Instalação
Corresponde à instalação mecânica e eléctrica dos componentes
do DTCO 1381 na viatura.

2. Pré-programação
Corresponde à pré-programação de todos os parâmetros
necessários ao funcionamento e exigidos por lei.

3. Verificação da instalação e teste de funcionamento


Corresponde à verificação e ao teste para comprovar que todo o
sistema está dentro das margens de erro aceitáveis - definidas
pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B – no que toca à
distância e velocidade.

4. Activação
Corresponde à activação do DTCO 1381, como equipamento de
controlo CE (no momento em que o cartão do centro técnico é
inserido pela primeira vez).

5. Calibração inicial
Corresponde à calibração inicial do equipamento de controlo CE.
Parte da primeira calibração consiste na introdução da matrícula
da viatura.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 IX


Informações gerais

Requisitos humanos

Nas instruções que se seguem, o fabricante assume que todo o


pessoal envolvido possui larga experiência profissional, domina com
segurança todas as actividades técnicas e recebeu formação
adequada para a sua aplicação, para manusear os componentes do
DTCO 1381, de acordo com a sua competência.

Instalação As pessoas que têm a seu cargo a instalação dos componentes do


DTCO 1381 devem concluir um curso de formação relacionado com
a instalação dos componentes do DTCO 1381.

Activação e calibração As pessoas que têm a seu cargo a activação e a calibração dos
componentes do DTCO 1381 devem:
• Possuir um cartão do centro técnico válido;
• Concluir um curso de formação relacionado com a instalação, a
calibração e a activação dos componentes do DTCO 1381;
• (na Alemanha) preencher igualmente os passos previstos no
§57b StVZO (regulamento alemão sobre a circulação rodoviária).

Quando instalar o DTCO 1381, cumpra os requisitos legais em vigor


no seu país!

Requisitos técnicos

Para poder realizar as tarefas que foram atribuídas, deverá


assegurar os seguintes requisitos:
• Deve ter disponível o equipamento e as ferramentas solicitadas e
recomendadas pelo fabricante.
• O equipamento, os dispositivos de teste e acessórios devem
cumprir os requisitos legais do país onde são utilizados.

X © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Informações gerais

Informações sobre o uso de cartões de tacógrafo

Atenção!

A posse de um cartão do centro técnico autoriza o seu utilizador a


mexer no tacógrafo digital. Os cartões de tacógrafo são pessoais (os
cartões do centro técnico são institucionais), logo, intransmissíveis!

Um centro técnico autorizado deve guardar, com toda a segurança,


utilizar e administrar o cartão do centro técnico e o respectivo PIN.
Os cartões do centro técnico e respectivos PIN não devem ser
facultados a terceiros!

Um centro técnico autorizado deve garantir uma linha de


comunicação segura entre o DTCO 1381 e o cartão do centro
técnico!

A perda do cartão do centro técnico deve ser imediatamente


comunicada à entidade que emitiu o cartão!

Cumpra os regulamentos legais relacionados com os cartões do


centro técnico que estão em vigor no seu país!

Siga as instruções dadas pela entidade/instituição emissora e pelo


fabricante do cartão!

Siga as seguintes instruções sobre os cartões de tacógrafo:

• Manuseie os cartões de tacógrafo com cuidado para evitar a


perda de dados.

• Não dobre os cartões de tacógrafo e nem os use para outros fins


daqueles para que foram concebidos.

• Não use cartões de tacógrafo danificados.

• As áreas de contacto devem ser mantidas limpas e secas e evite


que entrem em contacto com graxa e óleos (use sempre a capa
protectora).

• Proteja o cartão da exposição solar directa (não o pouse em


cima do painel de instrumentos).

• Não o pouse na proximidade de fortes campos magnéticos

• Não use o cartão para além da data de validade. Peça,


atempadamente, um novo cartão de substituição, antes do fim do
prazo de validade.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 XI


Informações gerais

Informações sobre a instalação do DTCO 1381

Atenção! Risco de Danos Físicos


Fazer uma intervenção mecânica no motor de uma viatura pode ser
perigoso.

Quando estiver a trabalhar, cumpra as normas de segurança,


definidas pelas entidades competentes, e os regulamentos, para
prevenir acidentes.

A instalação dos componentes do DTCO 1381 não implica uma


intervenção nos equipamentos de segurança da viatura. Quando
instalado correctamente, o equipamento e as funcionalidades de
condução não serão alterados nem influenciados.

Durante a instalação dos componentes do DTCO 1381, siga as


seguintes instruções:
• Siga sempre as instruções do fabricante, sobretudo quando
estiver a mexer na bateria da viatura.

• Certifique-se de que a corrente eléctrica da viatura está


desligada.

• Certifique-se de que as normas legais para o local de instalação


são cumpridas, de que há espaço suficiente para manusear o
DTCO 1381 e de que o visor está posicionado para permitir uma
boa leitura.

• Quando instalar os componentes do DTCO 1381, evite danificar


os cabos existentes na viatura, ou soltar, inadvertidamente, as
ligações.

• Antes de remover os protectores, ou outras peças da viatura


semelhantes, informe-se dos procedimentos correctos para a
desmontagem de modo a evitar danificar as peças.

• Consulte os diagramas de ligação para conhecer a localização


das condutas de combustível, hidráulicas, de ar comprimido e
cabos eléctricos.

• Quando retirar cabos da ficha, nunca puxe pelo cabo, mas antes
pela ficha, ou através do sistema de fecho adequado.

• Durante a instalação, use apenas peças e acessórios originais


VDO. Não instale componentes defeituosos.

• Durante a instalação, certifique-se de que o DTCO 1381 não


influencia ou restringe, de forma indesejada, as funcionalidades
da viatura.

• Informe o motorista/a empresa sobre o correcto funcionamento


do DTCO 1381 e entregue-lhe as respectivas instruções de
manutenção.

XII © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Informações gerais

Uso adequado O DTCO 1381 é um equipamento de controlo CE que cumpre o


Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, no que toca ao registo,
salvaguarda, afixação, impressão e emissão de relatório de dados
relacionados com o motorista e com a viatura. Só pode ser utilizado
para o fim para que foi concebido.

Alimentação eléctrica O DTCO 1381 só pode ser ligado a voltagens para que foi
concebido, conforme consta do diagrama da cablagem eléctrico
(consulte a etiqueta).

Acessórios Por razões de segurança, os acessórios não podem ser alterados.


Nunca use outros acessórios que não os recomendados, ou
aprovados pelo fabricante, para evitar os riscos de acidente ou
perturbações no sistema.

Cabos Certifique-se de que os cabos não estão danificados, de que não há


outros objectos ou fontes de calor a perturbá-los e de que os fios
eléctricos não estão a causar interferências indesejadas.

Cuidado! Risco de incêndio por curto-circuito


Cabos danificados podem provocar curto-circuito, interferências
indesejadas ou outros tipos de interferências.

Substitua sempre, e imediatamente, os cabos danificados!

Recomendações de segurança

Ao manusear o DTCO 1381, que ainda não foi activado, o fabricante


autorizado do equipamento de controlo, o construtor automóvel, o
instalador e a oficina autorizada devem garantir a segurança do
DTCO 1381.

Recomendações de manutenção

Notas sobre o funcionamento Evite os impactos e os solavancos excessivos. Não use objectos
afiados ou pontiagudos (tais como canetas) para operar as teclas.

Mantenha a bandeja da impressora sempre em ordem para evitar


estragos e algum tipo de perturbação.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 XIII


Lista de abreviaturas

Lista de abreviaturas

A
ADR Acordo europeu sobre o transporte rodoviário
internacional
de matérias perigosas
ATC Computador de teste – Banco de rolos

BTC Computador de teste operacional

CAN Rede de área de controlo (Dados bus da viatura)


CTC Computador de teste compacto

DIN Padrão da indústria alemã


DTCO Tacógrafo digital

EMC Compatibilidade electromagnética

FM LED LED de monitorização de funcionamento

IEC Comissão Electromecânica Internacional


Imp/m Impulsos por metro
IP Protecção internacional (modo de protecção)
ISO Organização Internacional para a padronização

k Constante utilizada para ajustar a velocidade e a


velocidade “rotacional” entre a viatura e o tacógrafo
KITAS Sensor do tacógrafo da Kienzle
K-Line Interface de diagnóstico de sincronização de série
km Quilómetro
km/h Quilómetros por hora

LCD Ecrã de cristais líquidos


LED CF LED para o controlo de funcionamento

MTC Computador de teste móvel

XIV © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Lista de abreviaturas

n Rotações do motor da viatura; unidade (rot/min)


Nm Newton-metro (unidade do binário)

p/m Impulsos por metro


PIN Número de Identificação Pessoal
PWM Modulação da duração dos impulsos

RMS Raiz quadrada


rpm Rotações por minuto
RxD Dados recebidos (dados recebidos
dessincronizados)

SDS Sistema de diagnóstico de serviço


STC Computador de teste estacionário
StVZO Regulamento alemão sobre circulação
rodoviária
SW Tamanho da chave-inglesa

TCO Tacógrafo
TD Documentação técnica
TxD Dados transmitidos (dados transmitidos
dessincronizados)

U/km Rotações/km
UTC Tempo universal coordenado

v Velocidade (unidade km/h)


VIN Número do chassis
VRN Matrícula da viatura

w Número de impulsos em relação à distância


percorrida (imp/km)
W Terminal “W” do gerador eléctrico

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 XV


XVI © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008
Capítulo 1

O produto e o sistema

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos O produto e o sistema

Tabela de conteúdos

Capítulo 1 – O produto e o sistema

1.1 O sistema……………………...……………………… 19
1.1.1 Breve descrição……….……………………... 20
1.1.2 Características do DTCO 1381….…………. 22
1.2 Tacógrafo digital DTCO 1381…..………………….. 24
1.2.1 Descrição do equipamento DTCO 1381... 24
1.2.2 DTCO 1381 - Parte de trás…………………. 26
1.2.3 DTCO 1381 - Versões do produto…………. 27
1.3 KITAS 2171……………………………………………. 28
1.3.1 KITAS 2171 - Versões do produto………… 28
KITAS 2171 - Versão-padrão…………….… 28
KITAS 2171 - Versão integrada……..…….. 29
KITAS 2171 - Versão específica
para o cliente…………………….…………… 29
1.3.2 Características do KITAS 2171…………….. 30
1.3.3 Cabo do sensor KITAS…............................ 30
1.4 Cartões de tacógrafo………………………………... 31
1.4.1 Combinações válidas dos cartões
de tacógrafo………………………………….. 32

18 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.1 O sistema

1.1 O sistema

Painel de instrumentos

Relatórios

DTCO 1381

KITAS 2171

Cartões de Tacógrafos

Transferência de dados

Fig. 1: O sistema DTCO 1381

O equipamento de controlo CE DTCO 1381 é composto por dois


componentes distintos:
• O tacógrafo digital DTCO 1381
• O sensor de movimento KITAS 2171

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 19


1.1 O sistema O produto e o sistema

1.1.1 Breve descrição

DTCO 1381 O tacógrafo digital DTCO 1381 é um equipamento de controlo CE


que cumpre as normas legais definidas no Regulamento (CEE) n.º
3821/85, Anexo I B.

É utilizado para registar, salvaguardar, apresentar, imprimir e emitir


dados relacionados com o motorista e com a viatura. Estes dados
são memorizados no dispositivo de memória do DTCO 1381 e nos
cartões de tacógrafo introduzidos.

O visor-padrão fornece um resumo com a hora, a velocidade real e a


distância percorrida. Mostra, também, o conjunto de actividades e os
símbolos dos cartões de tacógrafo que estejam inseridos. Consulte o
Capítulo 3.2 “Tipos de Visor”, na página 59.

O diagnóstico interno é uma função que monitoriza o sistema e,


automaticamente, notifica eventuais eventos e falhas. Os eventos, as
falhas e as mensagens de erro são afixados por via óptica.

KITAS 2171 O KITAS 2171 é um dos elementos do equipamento de controlo CE.


Transmite sinais e dados encriptados em tempo-real. Os sinais
destinam-se a registar a distância percorrida e a velocidade.

O DTCO 1381 consegue detectar interferências externas e


influências ao monitorizar a comunicação de dados com o KITAS
2171 e ao compará-los com o sinal em tempo-real.

Relatórios A impressora integrada do DTCO 1381 permite imprimir dados


disponíveis na memória e nos cartões de tacógrafo. Os tipos de
relatórios, o seu formato, a sua disposição e dos dados que devem
conter estão definidos no Regulamento (CEE) n.º 3821/85 Anexo I B.

Papel de impressora O papel de impressora está homologado para ser utilizado


juntamente com o DTCO 1381, e apresenta o respectivo número de
homologação. O papel é um papel especial para impressão térmica.

O painel de instrumentos O painel de instrumentos está situado no campo visual do motorista.


A verificação operacional (que aparece em âmbar ou em cor-
de-laranja) chama a atenção para as mensagens afixadas pelo
DTCO 1381.

O painel de instrumentos não faz parte do equipamento de controlo


CE.

O painel de instrumentos varia de viatura para viatura, pelo que não


será abrangido por esta documentação.

20 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.1 O sistema

Cartões de tacógrafo Em cada um dos Estados-membros, há autoridades e entidades


responsáveis pela emissão dos cartões de tacógrafo, de acordo com
a legislação em vigor.

Os cartões distinguem-se por uma marca colorida, que corresponde


aos direitos de acesso e às áreas de actividade dos seguintes grupos
de utilizadores:

• Cartão do motorista (branco)

• Cartão da empresa (amarelo)

• Cartão de controlo (azul)

• Cartão do centro técnico (vermelho)

O DTCO 1381 consegue ler e processar a informação de todos os


cartões de tacógrafo.

Transferência de dados Através de um cartão da empresa, cartão de controlo e cartão do


centro técnico, é possível transferir, analisar e arquivar os dados do
motorista e da viatura. A transferência é processada com a aplicação
adequada, através de uma interface de transferência como, por
exemplo, um PC ou um computador portátil.

Transferência de dados para as entidades competentes:


• Esta aplicação é utilizada no decorrer de controlos técnicos e
operações STOP ou ainda para gerar relatórios externos.

Transferência de dados para a gestão de frota:


• Esta aplicação permite à empresa gerir os dados da viatura,
dados logísticos e dados do motorista.

Para informações adicionais sobre os programas, consulte os


respectivos manuais da aplicação.

Transferência remota Opcionalmente, o DTCO 1381 pode vir equipado com a função
“Remote Download” (transferência remota). Na sequência de uma
autenticação positiva de um cartão da empresa, pode transferir,
remotamente, os dados, através das interfaces previstas para esse
efeito.

Para informações adicionais sobre a função de transferência remota,


consulte um representante VDO.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 21


1.1 O sistema O produto e o sistema

1.1.2 Características do DTCO 1381

Principais características • Unidade de controlo com as dimensões DIN ISO 7736 de um


rádio

• Unidade à prova de violação, quando usada em conjunto com o


KITAS 2171

• Sinais de entrada e de saída monitorizados através de um


microcontrolador

• Registo e salvaguarda automáticos de todos os dados definidos


por lei, tais que:
- Actividades do motorista, estilo de condução
- Registo detalhado da velocidade, 168 horas
- Distância percorrida
- Eventos, falhas e quebras de segurança
- etc.

• LCD multifuncional e iluminado

• Velocímetro digital no visor

• Botões para:
- Expulsar (Eject) os cartões do motorista n.º 1 e motorista n.º 2
- Definir as actividades para os motorista n.º 1 e motorista n.º 2
- Controlar o menu

• Duas ranhuras para cartão com sistema de entrada automática de


cartão com chip e interface de cartão com chip para o motorista
n.º 1 e o n.º 2

• Interface de transferência e de calibração

• Impressora incorporada

• Memória interna para o registo de todas actividades

• Função de diagnóstico interno (autoteste)

• Saídas de impulso de velocidade (B6, B7)

• Saídas de impulso de distância 4 imp/m (B8)

• Duas interfaces (CAN SAE J1939 e CAN 2.0 B) adaptadas para


servir de bus de dados, para ligação à fonte de alimentação da
viatura ou à unidade de viatura

• CAN com opção de diagnóstico

• Interface de informação (protocolo VDO)

22 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.1 O sistema

Opcionais • Interface de diagnóstico K-Line

• Duas entradas de controlo suplementares (D1/D2) para o registo


de um variado leque de informações adicionais, tais como sinais
de emergência, sirenes, consumo de combustível, motorista
suplementar, etc.

• Entrada de rotações, registo da velocidade do motor

• Impulsos de saída da velocidade (B6)


- Intensidade de corrente máxima admissível aumentada
(Imáx = 1,5 mA), ou
- Sinal do sensor interligado
- Controlar o menu

• Impulsos de saída da velocidade (D6)

• CAN2 com segundo controlador CAN, independente de CAN1

• CAN2 Remote Download Wake-Up (D3)

• Military Blackout Lighting Mode

• Variante ADR

• Remote Download (transferência remota)

• Variações adaptáveis ao gosto de cada cliente, no que toca a:


- Painel frontal
- Iluminação do visor e do teclado
- Interfaces
- DTC (Diagnostic Trouble Codes)
- Logótipos da empresa, num documento impresso

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 23


1.2 Tacógrafo digital DTCO1381 O produto e o sistema

1.2 Tacógrafo digital DTCO 1381

1.2.1 Descrição do equipamento DTCO 1381

Fig. 2: Lado frontal do DTCO 1381

(1) Visor
A informação apresentada no visor depende do estado da
viatura. Consulte o Capítulo 3.2 “Tipos de Visor”, na página
59.

Os eventos, falhas ou alertas aparecem automaticamente.


Consulte o Capítulo 13 “Eventos e Falhas, na página 241.

Se pretender, pode visualizar os dados salvaguardados na


memória, ou no cartão de tacógrafo inserido.

Procedimentos dinâmicos, tais que a operação de leitura do


cartão do motorista, são assinalados visualmente.

Normalmente, a hora é afixada em UTC.


Se pretender, o visor-padrão poderá afixar a hora local. Quando isso
acontecer, surge o pictograma , correspondente ao elemento (a) da
figura 1-2.

(2) Teclas de funções do motorista n.º 1


Botão de actividade do motorista n.º 1
Botão para expulsar para a ranhura do cartão n.º 1

(3) Ranhura para cartão n.º 1 (com bloqueio mecânico)


O motorista que for conduzir a viatura insere o seu cartão de
motorista na ranhura n.º 1.

24 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.2 Tacógrafo digital DTCO 1381

(4) Interface de transferência e calibração


A interface de transferência e calibração está localizada por
debaixo desta tampa.
Interface de transferência: Quando é inserido um cartão de
oficina ou cartão da empresa, os dados podem ser acedidos
a partir da memória e do cartão de tacógrafo que foi inserido.
Interface de calibração: O DTCO 1381 é calibrado ou
testado através da interface de calibração.

(5) Teclas de funções do motorista n.º 2


Botão de actividade do motorista n.º 2
Botão para expulsar para a ranhura do cartão n.º 2

(6) Selagem do equipamento


Para impedir a abertura não-autorizada da caixa externa do
equipamento.

(7) Ranhura para cartão n.º 2 (com bloqueio mecânico)


O motorista que não for conduzir a viatura insere o seu
cartão do motorista na ranhura n.º 2 (operações com
tripulação).

(8) Botão de desbloqueio


Botão para desbloquear a gaveta da impressora para, por
exemplo, inserir um novo rolo de papel de impressora.

(9) Impressora
Impressora integrada para apresentar os dados em suporte
papel a partir da memória interna, ou do cartão de tacógrafo
que foi inserido.

Chapa do modelo
A chapa do modelo fica visível após a abertura da gaveta da
impressora e retirar o papel. Tem a seguinte apresentação:

(a) Fabricante
(b) Tipo de equipamento
(c) Número de série
(d) Ano ou data de fabrico
(e) Número de homologação/controlo
e1-84 (para equipamentos de controlo CE),
e1-034091 (EMC)
(f) Versão da aplicação
(g) Número da versão de firmware

(10) Botões de menu


Tecla para seleccionar a opção de menu pretendida
Tecla para assinalar a função ou confirmar acções
Tecla para sair do menu “passo a passo”

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 25


1.3 KITAS 2171 O produto e o sistema

1.2.2 DTCO 1381 – Parte de trás

Fig. 3: Parte de trás do DTCO 1381

(11) Diagrama das ligações


Etiqueta com a atribuição dos pinos e diagrama das ligações.

(12) Selagem do compartimento da bateria


Para impedir a abertura não-autorizada do compartimento da
bateria.

(13) Compartimento da bateria


Local onde fica alojada a bateria de salvaguarda instalada
pelo fabricante.

(14) Receptor para ligações em rosca e porcas de aperto


Destinada a fixar no compartimento de rádio.

(15) Pontos de aperto para o distanciador


Quando utilizar o distanciador para o compartimento de
instalação

(16) Fichas de ligação de A a D

26 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.2 Tacógrafo digital DTCO 1381

1.2.3 DTCO 1381 – Versões do produto

Tipo de Equipamento: DTCO 1381 (tacógrafo digital)


Voltagem: 0 12 V
1 24 V
2 24 V (ADR)
3 12 V (ADR)
Visor/Iluminação das teclas/tipo de dispositivo: 00 amarelo/(inexistente)/positivo
01 amarelo/amarelo/positivo
02 branco/(inexistente)/positivo
03 branco/branco/positivo
04 laranja/(inexistente)/positivo
05 laranja/laranja/positivo
06 verde/(inexistente)/positivo
07 verde/verde/positivo

Tampa: 0 Padrão (com o logótipo da empresa VDO)
1 Padrão (sem o logótipo da empresa)
2 Logótipo da empresa definido pelo utilizador

Caixa externa: 0 Padrão
1 Com distanciador
2 Padrão com porcas de aperto
3 Com distanciador e porcas de aperto
4 Com distanciador alargado e porcas de aperto
Não atribuídas: 00-99
Número sequencial: 001-999
Pacote: A Emb. de 6 reutilizável
B Emb. Individualmente

1381 a bc d e fg hij k

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 27


1.3 KITAS 2171 O produto e o sistema

1.3 KITAS 2171

O KITAS 2171 é parte integrante do equipamento de controlo CE,


que transmite sinais em tempo-real e dados encriptados. Os sinais
destinam-se a registar a distância e a velocidade.

O DTCO 1381 consegue detectar interferências e influências


externas através da monitorização da comunicação de dados, com o
KITAS 2171 e através da comparação entre os sinais transmitidos
por este e os sinais em tempo-real.

1.3.1 KITAS 2171 – Versões do produto

Encontram-se disponíveis as seguintes variações do produto para


ligação ao DTCO 1381:
• Versão-padrão
• Versão integrada
• Versão específica para o cliente

KITAS 2171 – Versão-padrão

1 2 3
Fig. 4: Versões-padrão do KITAS 2171 (exemplo)

Versão e respectivo tipo de rosca KITAS 2171


(1) Rosca interna M22 x 1,5 direita 2171.01
(2) Rosca externa M22 x 1,5 esquerda 2171.02
(3) Rosca interna M18 x 1,5 direita 2171.07
n.ilust. Rosca interna 7/8’’ 2171.03

Estas versões do KITAS são enroscadas à saída da caixa de


velocidades. Há vários tipos de roscas disponíveis para operações
de montagem.

28 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.3 KITAS 2171

KITAS 2171 – Versão integrada

4
Fig. 5: Versão integrada do KITAS 2171 (exemplo)

Versão e respectivo tipo de rosca KITAS 2171


(4) Versão integrada (estática) 2171.20
n.ilust. Versão integrada (dinâmica) 2171.50

Estas versões do KITAS são enroscadas à saída da caixa de


velocidades. Há vários comprimentos disponíveis para operações de
montagem.

KITAS 2171 – Versão específica para o cliente

5
Fig. 6: Versão específica para o cliente do KITAS 2171 (exemplo)

Versão e respectivo tipo de rosca KITAS 2171


(5) Versão específica para o cliente 2171.xx

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 29


1.3 KITAS 2171 O produto e o sistema

1.3.2. Características do KITAS 2171

Características de todas as versões do KITAS 2171:


• Transmissão do número de série do sensor de movimento e teste
no DTCO 1381
• Protecção dos dados através de processos de codificação
reforçados
• Comparação em tempo-real do sinal e do sinal codificado no
DTCO 1381.

Características adicionais da versão integrada e da versão específica


para o cliente:
• Procedimento de medição sem contacto

1.3.3 Cabo do sensor KITAS

O cabo do sensor KITAS faz a ligação entre o KITAS 2171 e o DTCO


1381. O cabo do sensor deve possuir determinadas características.
Consulte o Capítulo 2.2.6 “Cabo do Sensor KITAS”, na página 52.

Os cabos de sensor padrão da VDO estão disponíveis com os mais


variados comprimentos, como por exemplo de 2,8 m, de 8,5 m ou de
15 m.

Fig. 7: Cabo de sensor KITAS

30 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


O produto e o sistema 1.4 Cartões de tacógrafo

1.4 Cartões de tacógrafo

Em cada um dos Estados-membros, há autoridades e entidades


responsáveis pela emissão dos cartões de tacógrafo, de acordo com
a Lei. Os cartões distinguem-se por uma marca colorida,
corresponde aos direitos de acesso e às áreas de actividade dos
seguintes grupos de utilizadores:

Fig.8: Tipos de cartões de tacógrafo (exemplo)

Cartão do centro técnico Emitido para:


(vermelho) • Fabricantes de equipamentos de controlo CE
• Construtores automóvel e instaladores de automóvel
• Oficinas autorizadas

As pessoas autorizadas que têm a seu cargo a calibração, activação,


o teste, etc., vão receber um cartão do centro técnico. Para além de
realizar as funções do centro técnico, o seu utilizador também
consegue conduzir a viatura com este cartão.

Se a autenticação for autorizada, as seguintes funções serão


activadas:
• Calibração
• Teste
• Transferência de dados

O DTCO 1381 apenas pode ser activado com um cartão do centro


técnico.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 31


1.4 Cartões de tacógrafo O produto e o sistema

Cartão do motorista O motorista usa o cartão do motorista para se identificar perante o


(branco) DTCO 1381. O cartão é utilizado para a condução normal e permite
as salvaguardas, a apresentação ou a impressão das actividades
relacionada com essa identidade.

Cartão da empresa O cartão da empresa identifica a empresa e autoriza o acesso aos


(amarelo) dados da empresa. Este cartão destina-se aos proprietários e
titulares das viaturas. Com este cartão, é possível afixar, imprimir e
transferir os dados relacionados com a empresa a partir da memória
e do cartão do motorista que foi inserido.

Cartão de controlo O cartão de controlo identifica um agente de uma entidade


(azul) reguladora (como as autoridades policiais) e permite aceder aos
dados a partir da memória interna. Todos os dados salvaguardados e
os dados do cartão do motorista que foi inserido ficam acessíveis.
Estes dados podem ser afixados, impressos ou transferidos da
interface de transferência.

Bloqueio mecânico dos cartões Se o DTCO 1381 aceitar um cartão de tacógrafo, a recuperação do
de tacógrafo cartão fica mecanicamente bloqueada.

Apenas é possível recuperar o cartão de tacógrafo, se:


• A viatura estiver estacionada.
• A ignição estiver desligada (obrigatório apenas na variante ADR)
• O titular solicitar a recuperação do cartão
• Todos os dados definidos pelo regulamento legal tiverem sido
salvaguardados no cartão de tacógrafo.

1.4.1 Combinações válidas dos cartões de tacógrafo

Ranhura n.º 1
Cartão do centro
do

de

da
Ranhura n.º 2

Sem cartão

motorista

empresa
controlo

técnico
Cartão

Cartão

Cartão

Sem cartão 9 9 9 9 9
Cartão do motorista 9 9 9 - 9
Cartão de controlo 9 9 - - -
Cartão do centro técnico 9 - - - -
Cartão da empresa 9 9 - - -

9 = Combinação válida
- = Combinação inválida (situação/evento de “conflito de cartão”)

32 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 2

Dados técnicos

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Dados técnicos

Tabela de conteúdos

Capítulo 2 – Dados técnicos

2.1 DTCO 1381....………...……………………………….. 35


2.1.1 Dimensões e ângulos de instalação.....….... 35
2.1.2 Atribuição dos pinos...........………………… 36
2.1.3 Características das ligações........................ 37
Ficha A (fonte de alimentação, bus CAN).... 37
Ficha B (KITAS 2171, sinais de dados)....... 39
Ficha C (n-system. bus CAN)...................... 40
Ficha D (estiletes adicionais, funções
adicionais)…………………………… 41
Variantes CAN……………………………….. 42
2.1.4 Atribuição dos pinos da interface
de calibração/transferência.......................... 43
2.1.5 Dados técnicos............................................ 44
2.1.6 Data de fabrico………………………………. 45
2.1.7 Papel de impressora.................................... 46
Reverso do papel de impressora................. 46
2.2 KITAS 2171.................................………………….. 47
2.2.1 KITAS 2171.20 – Versão integrada……..… 47
2.2.2 KITAS 2171.50 – Versão integrada……….. 48
2.2.3 KITAS 2171.0x – Versão-padrão…………. 49
2.2.4 KITAS 2171 – Dados Técnicos.................... 50
2.2.5 Data de fabrico………………………………. 51
2.2.6 Cabo do sensor KITAS.............................. 52
2.3 Diagrama de ligações DTCO 1381..............……… 53

34 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.1 DTCO 1381

2.1 DTCO 1381

2.1.1 Dimensões e ângulos de instalação

178
Dimensões de instalação
67 186

25

58
OK

1 2

150

50
12-14

Fig. 9: Dimensões de instalação do DTCO 1381

Ângulos de instalação possíveis

+ 45°

- 45°

Fig. 10: Ângulos possíveis de instalação do DTCO 1381

Ângulo de instalação do visor

Fig. 11: Ângulo de visionamento do DTCO 1381

Respeite sempre as informações disponíveis no Capítulo 5.3


“Critérios para a Escolha do Local de Instalação”, na página 122.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 35


2.1 DTCO 1381 Dados técnicos

2.1.2 Atribuições dos pinos

Fig. 12: Atribuições dos pinos do DTCO 1381

Ligação
Ficha A A1 Term. 30 voltagem permanente
A2 Term. 58d Iluminação 1) (entrada de controlo)
A3 Term. 15 Ignição
A4 CAN1_H
A5 Term. 31a Negativo (bateria)
A6 Term. 31 Terra
A7 CAN1_GND
A8 CAN1_L
Ficha B B1 Alimentação sensor v (+)
B2 Alimentação sensor v (-)
B3 Sinal v (tempo-real)
B4 Sinal dados I/O
B5 ---
B6 Impulsos v (saída) 1)
B7 Impulsos v (saída)
B8 Saída sinal 4 imp./m
Ficha C C1 ---
C2 Alimentação sensor n (-)1)
C3 Term. W Entrada sinal sensor n 1)
C4 ---
C5 CAN_H 2)
C6 CAN_GND (CAN_Terra) 2)
C7 CAN_L 2)
C8 CAN_RES 1)
Ficha D D1 Estilete suplementar, entrada 1 1)
D2 Estilete suplementar, entrada 2 1)
D3 --- CAN2_Remote Download Wake-Up 1)
D4 Saída de alerta TCO
D5 --- ---
D6 Saída impulso v 1)
D7 Interface diagnóstico K-line 1)
D8 Interface informação
1)
Em opção
2)
Variantes CAN. Consulte a página 42.

36 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.1 DTCO 1381

2.1.3 Características das ligações


Ficha A (Fonte de alimentação, bus CAN)

Pino Função Parâmetro Versão 12 V 1) Versão 24 V Obs.


Min. Tip. Máx. Min. Tip. Máx.
A1 Term. 30 Potencial de referência A5
Voltagem Voltagem [V] 10,5 12 15 20 24 30
permanente 9 18 Mecanismo de cartão e
impressora desactivados
16 32 Curta duração (máx. 1 hora)
Corrente [A] 0,03 0,02 Stand-by (viatura
estacionada, 5 min. Depois
de ignição deslig.)
0,2 0,12 Iluminação visor 100%
0,7 0,8 0,35 0,45 Iluminação visor 100%,
mecanismo de cartão em
curso
3 1 Iluminação visor 100%,
impressora em curso
8 8 Corrente de arranque max.
Fusível [A] 4 5 6 4 5 6 Fusível de acção lenta
4 6 1 1 5 Variante ADR 1) 3)
A2 Term. 58d Potencial de referência A6
Iluminação 1) Voltagem [V] 0 15 0 30
(entrada de Regulação do 1,49 1,6 1,71 1,46 1,6 1,74
controlo) brilho dia/noite
Uoff[V]
Regulação do 2,16 2,3 2,44 2,12 2,3 2,48
brilho dia/noite
Uon[V]
Freq. PWM [Hz] 50 50 Alternativa:
sinal analógico (0 V – U
bateria), sinal digital (on/off)
Corrente [mA] 1,2 1,2
A3 Term. 15 Potencial de referência A6
Ignição Voltagem [V] 9 12 15 18 24 30
16 32 Curta duração (máx. 1 hora)
Detecção 6,4 6,8 7,2 13,9 14,4 14,9
corrente [mA]
Corrente [A] 0,014 0,25 0,014 0,25
Fusível [A] 0,5 5 0,5 5
A4 CAN_H 2)

A5 Term. 31 a Potencial de referência A1


Minus (bateria)

1)
Em opção
2)
De acordo com a norma ISO 16844-6 (5) e ISO 11898 (6)
3)
Fusível especial, de acordo com a norma EN 50020.
1

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 37


2.1 DTCO 1381 Dados técnicos

Pino Função Parâmetro Versão 12 V 1) Versão 24 V Obs.


Min. Tip. Máx. Min. Tip. Máx.
A6 Term. 31 Potencial de referência A3
Terra
A7 CAN_GND
Ligação galvanizada ao pino
A6
(ligação em opção)
A8 CAN_L 2) Potencial de referência A7

1)
Em opção
2)
De acordo com a norma ISO 168446 (5) e ISO 11898 (6)
3)
Variante ADR; Alimentação da impressora através do pino A3

38 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.1 DTCO 1381

Ficha B (KITAS 2171 sinais de dados)

1)
Pino Função Parâmetro Versão 12 V Versão 24 V Obs.
Min. Tip. Máx. Min. Tip. Máx.
B1 Alimentação
sensor v (+)2) Voltagem [V] 6,5 6,5 Para 1 = 15 mA
9 9 Para 1 = 0 mA
B2 Alimentação Ligado ao A5
Sensor v (-)
B3 Sinal v
(tempo-real) 2) U Low [V] 1 1 Para 1 = -250 µA
U High [V] 3,8 3,8 Para 1 = -150 µA
Frequência 1,5 1,5 Sinal rectangular
[kHz]
Duração 200 200
impulsos [µs]
B4 Sinal dados
I/O 2) Entrada U Low 1,2 1,2 Para 1 = -1 mA
[V]
Entrada U High 5,2 5,2 Para 1 = -0.5 mA
[V]
Saída U Low [V] 1 1 Para 1 = 1 mA
Saída U High [V] 5,4 5,4 Para 1 = -20 µA
Taxa Transf. [Bd] 1164 1200 1236 1164 1200 1236
B6 Saída de Potencial de referência A6
3) 4)
Impulsos v U Low [V] 1,5 1,5 Para 1 = 1mA/1,5 mA 1)
5)

U High [V] 5,5 5,5 Para 1 = -1 mA


Frequência 1,5 1,5 Sinal rectangular
[kHz]
Duração 0,64 2 4 0,64 2 4
impulsos [ms]
B7 Saída de Potencial de referência A6
Impulsos 3) 6) U Low [V] 1,5 1,5 Para 1 = 1mA
U High [V] 5,5 5,5 Para 1 = -1 mA
Frequência 1,5 1,5 Sinal rectangular
[kHz]
Duração 0,64 2 4 0,64 2 4
impulsos [ms]
B8 Saída sinal Potencial de referência A6
4 imp./m 3) U Low [V] 1,5 1,5 Para 1 = 1 mA
U High [V] 5,5 5,5 Para 1 = -1 mA
Frequência 244,44 244,44 Para v = 220 km/h, sinal da
[Hz] distância percorrida, não
aplicável como sinal v
Duração 1,6 1,6
impulsos [ms]

1)
Em opção
2)
De acordo com a norma ISO 168446-3 (4)
3)
De acordo com a norma ISO 168446-2 (3)
4)
Opção intensidade de corrente máxima admissível aumentada (lmáx = 1,5 mA)
5)
Opção sinal de sensor interligado
6)
Controlo do sinal (configurável)

O sinal que acompanha os dados relacionados com a corrente, na


coluna “Obs.”, assinala o sentido da corrente.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 39


2.1 DTCO 1381 Dados técnicos

Ficha C (n-system, bus CAN)

1)
Pino Função Parâmetro Versão 12 V Versão 24 V Obs.
Min. Tip. Máx. Min. Tip. Máx.
C2 Alimentação Ligado ao A6
Sensor n (-)
C3 Term. W Potencial de referência C2
Entrada sinal U Low to High [V] 2,8 4 2,8 4 Valor da voltagem a partir do
qual o Schmitt trigger detecta
uma transição “low to high”
sensor n 1) U High to Low [V] 2,3 3,4 2,3 3,4 Valor da voltagem a partir do
qual o Schmitt trigger detecta
uma transição “high to low”
U Histerese [V] 0,4 0,6 0,4 0,6 Histerese entre as transições
“Low to High” e “High to Low”
Corrente [mA] -1,2 -1,2 Para U = -2 V
Corrente [mA] 2,7 Para U = 14 V
Corrente [mA] 6,3 Para U = 28 V
Frequência [kHz] 5 5
C5 CAN2_H 2) 3) Ligado ao A4

C6 CAN2_GND 3) Ligado ao A7

C7 CAN2_L 2) 3) Ligado ao A8

C8 CAN_RES 1) Através de R = 120 Ω ligado


ao A4, C5
(em opção, apenas ligado a
C5)

1)
Em opção
2)
Característica de acordo com a norma ISO 16844-6 (5) e ISO 11898 (6)
3)
Variantes CAN. Consulte a página 42.

O sinal que acompanha os dados relacionados com a corrente, na


coluna “Obs.”, assinala o sentido da corrente.

40 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.1 DTCO 1381

Ficha D (estiletes adicionais, funções adicionais)

Pino Função Parâmetro Versão 12 V 1) Versão 24 V Obs.


Min. Tip. Máx. Min. Tip. Máx.
D1 Estilete Duração de impulso
1)
adicional Mín. 100 ms
entrada 1 U Low [V] 1,2 1,2 Para 1 = 0 mA
U High [V] 9 15 9 30 Para 1 = 1,7 mA
D2 Estilete Duração de impulso
1)
adicional Mín. 100 ms
Entrada 2 U Low [V] 1,2 1,2 Para 1 = 0 mA
U High [V] 9 15 9 30 Para 1 = 1,7 mA
D3 CAN2_Remote Potencial de referência A6
Download Voltagem [V] 9 12 15 18 24 30
1)
Wake-Up 18 32 Curta duração (máx. 1 hora)
Voltagem de 6,4 6,8 7,2 13,9 14,4 14,9 Remote Download Wake-Up
identificação [V]
Corrente [A] 0,014 0,25 0,014 0,25
Fusível [A] 0,5 5 0,5 5
D4 Saída de alerta
TCO 2) U Low [V] 1,5 1,5 Para I = 5 mA
D6 Saída impulso Potencial de referência A6
v 1) 3) U Low [V] 1,5 1,5 Para I = 1mA
U High [V] 5,5 5,5 Para I = -1 mA
Frequência 1,5 1,5 Sinal onda quadrada
[kHz]
Duração 0,64 2 4 0,64 2 4
impulsos [ms]
D7 Interface Potencial de referência A6
diagnóstico K- De acordo com a norma ISO
1)
line 14230, parte 1 (7) e DiaCalis
D8 Interface de
informação U Low [V] 1,5 1,5 Para I = 1 mA
U High [V] 5,5 5,5 Para I = -1 mA

1)
Em opção
2)
Característica de acordo com a norma CR (CEE) 3821/85, anexo I B
3)
Característica de acordo com a norma ISO 16844-2 (3)

O sinal que acompanha os dados relacionados com a corrente, na


coluna “Obs.”, assinala o sentido da corrente.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 41


2.1 DTCO 1381 Dados técnicos

Variantes CAN

O DTCO 1381 está disponível nas seguintes variantes CAN:

Variantes com um único


excitador CAN

Fig. 13: Variantes com um único excitador CAN

• Sem resistência terminal, entre os pinos A8 e A4


• Resistência terminal (R = 120 Ω), entre os pinos A8 e A4
• CAN2 (pino C7 e C5)

Variantes com dois excitadores


CAN

Fig. 14: Variantes com dois excitadores CAN

• Resistência terminal (R = 120 Ω), entre os pinos A4 e A8


• Resistência terminal (R = 120 Ω), entre os pinos C5 e C7
• Resistência terminal (R = 120 Ω), entre os pinos A4 e A8, e
entre os pinos C5 e C7

No caso de variantes com dois excitadores CAN, a resistência


terminal no pino C8 apenas pode ser ligada ao CAN2, ficha C

42 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.1 DTCO 1381

2.1.4 Atribuição dos pinos da interface de calibração/transferência

Fig. 15: Atribuição dos pinos da interface de calibração e transferência do DTCO 1381

Interface de (1) Borne negativa da bateria


calibração (2) Comunicação de dados, K-line
(3) Sinal de entrada/saída calibrado
(4) Borne positiva da bateria (U B – 3V)

Interface de (5) Interface de dados recebidos (RxD)


transferência (6) Interface de dados enviados (TxD)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 43


2.1 DTCO 1381 Dados técnicos

2.1.5 Dados técnicos

Intervalo de medição 0… 220 km/h


LCD 2 linhas com 16 caracteres cada, iluminado, com regulação do brilho
Ângulo de instalação do visor ± 30º
Altura dos caracteres 6,3 mm
Voltagem de trabalho 24 V DC ou 12 V DC *
Consumo de corrente 12 V DC * 24 V DC
Max. em stand-by: 30 mA 20 mA
Típico em funcionamento 3A 1A
Fusível externo Típico (fusível de acção lenta) 5A 5A
Variante ADR, típico 3A 1A
Temperatura de funcionamento -25º C ... + 70º C
Temperatura de armazenamento -40º C ... + 85º C
Intervalo de impulsos v 4000 até 25000 impulsos/km
Frequência máxima v 1,5 kHz
Intervalo de impulsos n 2000 a 64000 impulsos/1000 rotações
Frequência máxima n 5 kHz
Entradas KITAS 2171, sensor n *, entradas adicionais (D1/D2) *
Saídas 2 x impulsos v, 1 x 4 impulsos/m, saída de alertas TCO (LED CF)
Interfaces Interface de calibração, interface de transferência, interface CAN,
interface de informação
Precisão (em situações de teste) Consulte o Capítulo 8.2 Margem de Erro Permitida", na página
173
EMV/EMC DIR 2006/28/EC
Vibrações ISO 16750-3 Sec. 4.1.3.2.4.2, ensaio VIII código VA
Oscilações sinusoidais de acordo com o IEC 60068-2-6 teste Fc:
2-11 Hz, ± 10 mm, 11-300 Hz, 5 g, 3 x 15 h
Oscilações aleatórias de acordo com o IEC 60068-2-64 teste Fh:
5-150 Hz, 0,02 g2/Hz, 3 x 16 h
Bateria de salvaguarda Pilha de lítio 3,6 V 1/2 AA (tipo SB-AA02P)
Caixa Chapa de aço galvanizada
Massa ~1300 g
Posição de montagem admissível ± 45º na horizontal
Opcionais Interface de diagnóstico K-line, entradas adicionais (D1/D2), entrada de
rotações, saída de impulsos de velocidade (B6) intensidade de corrente
máxima admissível aumentada (Imáx = 1,5 mA) o sinal de sensor
interligado, saída de impulso v (D6), CAN2 com um segundo
controlador CAN independente de CAN1, CAN2 Remote Download
Wake-Up (D3), Military Blackout Lighting Mode, variante ADR, Remote
Download

Variantes de modelo específicas a pedido do cliente (painel frontal,


iluminação do visor e do teclado, interfaces, DTC (Diagnostic Trouble
Codes), logótipo da empresa no documento impresso)
* Em opção

44 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.1 DTCO 1381

2.1.6 Data de fabrico

Fig. 16: Data de fabrico do DTCO 1381

A data de fabrico do DTCO 1381 consta na embalagem do


equipamento e na placa identificadora (1), no formato MYY.

M = mês de fabrico
A Janeiro G Julho
B Fevereiro H Agosto
C Março J Setembro
D Abril K Outubro
E Maio L Novembro
F Junho M Dezembro

YY = ano de fabrico
08 2008 10 2010
09 2009 … …

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 45


2.1 DTCO 1381 Dados técnicos

2.1.7 Papel de impressora

Tipo de papel Papel especial aprovado para o DTCO 1381


Dimensões Diâmetro: Aprox. 27,5 mm
Largura: Aprox. 56,5 mm
Comprimento: Aprox. 8 m
Espessura:
Condições ambientais - 25º a 70º C
Número de ordem 1381.90 03 03 00

Reverso do papel de impressora

As marcas de teste e de homologação são impressas no verso do


papel de impressora. Também foi reservado um espaço para anotar
actividades a caneta ou lápis.

Fig. 17: Reverso do papel de impressora

Use (encomende) apenas os rolos de papel em que aparece o


respectivo modelo de equipamento de gravação (DTCO 1381), com
a marca de homologação “e1-84” (2) e com a marca de
homologação da validade “e1-174” (1) ou “e1-189”.

46 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.2 KITAS 2171

2.2 KITAS 2171

2.2.1 KITAS 2171.20 – Versão integrada

Dimensões de montagem

KITAS 2171.20
L 19,8 19,8 25 25 35 63,2 63,2 90 136,8
LR 19,4 20,0 25,2 26,4 35,2 63,4 64,6 90,2 137
LS 18 18,6 23,8 25 33,8 62,0 63,2 88,8 135,6
S 1,8 1,2 1,2 - 1,2 1,2 - 1,2 1,2
H 65,4 64,8 64,8 63,6 64,8 63,6 64,8 64,8 64,8

Fig. 18: Dimensões da montagem do KITAS 2171.20 – Versão integrada

Atribuição dos pinos


(1) UE Alimentação do sensor +
(2) U0 Alimentação do sensor -
(3) Sensor em tempo-real, sensor v
(4) I/O Entrada e saída do sinal de dados

Fig. 19: Atribuição dos pinos do KITAS 2171.20 – Versão integrada

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 47


2.2 KITAS 2171 Dados técnicos

2.2.2 KITAS 2171.50 – Versão integrada

Dimensões de montagem

KITAS 2171.50
L 35 90 115
LR 35,2 90,2 115,2
LS 33,8 88,8 113,8
S 1,2 1,2 1,2
H 64,8 64,8 64,8

Fig. 20: Dimensões da montagem do KITAS 2171.50 – Versão integrada

Atribuição dos pinos

(1) UE Alimentação do sensor +


(2) U0 Alimentação do sensor -
(3) Sensor em tempo-real, sensor v
(4) I/O Entrada e saída do sinal de dados

Fig. 21: Atribuição dos pinos do KITAS 2171.50 – Versão integrada

48 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.2 KITAS 2171

2.2.3 KITAS 2171.0x – Versão-padrão

Dimensões de montagem

Fig. 22: Dimensões da montagem do KITAS 2171.0x – Versão-padrão

Atribuição dos pinos


(1) UE Alimentação de sensor +
(2) U0 Alimentação de sensor -
(3) Sensor em tempo-real, sensor v
(4) I/O Entrada e saída do sinal de dados

Fig. 23: Atribuição dos pinos do KITAS 2171.0x – Versão-padrão

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 49


2.2 KITAS 2171 Dados técnicos

2.2.4 KITAS 2171 – Dados técnicos

Versão Integrada Versão-padrão


2171.20 xx 2171.50 xx 2171.0x
Tensão de funcionamento UE 6,5 ... 9 V DC 6,5 ... 9 V DC
Consumo de corrente Máx. 15 mA Máx. 15 mA
Temperatura de funcionamento Intervalo A -30º... + 135º C -30º... + 125º C
Intervalo B -30º... + 145º C
Temperatura de armazenamento Intervalo A -40º... + 140º C -30º... + 140º C
Intervalo B -40º... + 150º C
Impulsos/rotações - 8
Rácio de impulsos - 30... 70% - 70... 30%
Ligações Sem massa
Forma do sinal (pino 3) Rectangular
Intervalo da frequência 1 Hz ... 2000 Hz 800 Hz 1 Hz ... 1000 Hz
Sinal de saída (pino 3) Sinal em tempo real:
U Lmax = 0,8 V (@ 1 = 250 µA)
U Hmin = UB - 1,5 V (@ 1 = 150 µA)
Protecção de tensão parasita ISO 7637-2, Nível 4 sobre DTCO,
ISO 7637-3, Nível 4 sobre as pinças de ligação
Resistência à irradiação ISO 11452-2 (100 V/m),
ISO 11452-5 (200 V/m)
Saídas (resistentes a curto-circuitos) 28 V, 1 min
Sinal de saída (pino 4) Bidireccional
Modo de protecção EN 60529-IP67 + IP69 K
Resistência à protecção por vibração 30 g 10 g
Resistência a choque 1000 g 50 g 11 ms
Material de roda de impulso DC04 (= St 4) -
Espessura de roda de impulso 2 mm -
Largura da engrenagem Mín. 7 mm -
Espaço de engrenagem Min 1,5 x larg. 1,5 ... 2 x larg. -
Engrenagem Engrenagem
Comprimento de engrenagem 16 mm -
Não usar na proximidade de campos > 2 mT - -
magnéticos
Ligação: do gerador de impulsos Ligação de impulsos de acordo
ao cabo de transmissor de impulsos com ISO 15170-B1-4.1-Ag/K3
Ligação: do gerador de impulsos Rosca M18 x 1,5 Rosca M 22 x 1,5
à caixa de velocidades ou 7/8’’ 18 UNS 2B
Torção de aperto (tamanho da chave) Máx. 50 Nm (SW 27)
Massa Aprox. 100-180 g, Aprox. 120-165 g, Aprox. 135-150 g
conforme “L” conforme “L”

50 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.2 KITAS 2171

2.2.5 Data de fabrico

Fig. 24: Data de fabrico do KITAS 2171

A data de fabrico do KITAS 2171 consta na embalagem


(1), no formato WWYY (formato “YYM”, até Setembro de
2008):

WWY (semana/ano)
WW = semana de fabrico
01 Semana corrente 01 03 Semana corrente 03
02 Semana corrente 02 … …

YY = ano de fabrico
08 2008 10 2010
09 2009 … …

YYM (ano/mês)
YY = ano de fabrico
49 2005 51 2007
50 2006 52 2008

M = mês de fabrico
A Janeiro G Julho
B Fevereiro H Agosto
C Março J Setembro
D Abril K Outubro
E Maio L Novembro
F Junho M Dezembro

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 51


2.2 KITAS 2171 Dados técnicos

2.2.6 Cabo do sensor KITAS

Fig. 25: Cabo do sensor KITAS

(1) Ficha Baioneta: DIN 72585-A4.1


• A direito
• Dobra a 90º
• Cavilha de selagem
Tipo de protecção:
(Ligação de tipo baioneta)
DIN 40050T9-IP69K
(2) Ficha de montagem: Carcaça AMP com temporizador
(amarela) junior power
(3) Linha de 4 condutores: FLRYW 4 x 0,75 mm2
• Comp. Máx. torção 66 mm
• Min 15 torções/m
Comprimento do cabo: 2,8 m/8,5 m/15 m
O comprimento pode ser feito à
medida do cliente
Intervalo de -40 ... + 105º C
temperatura:

Ou

(3) Cabo, condutor simples Entrelaçado aos pares


• Par 1: linha de dados e
massa de sensor
• Par 2: sinal tempo-real e
alimentação do sensor
• Comp. Máx. 40 mm, com pelo
menos 25 enrolamentos/m.

52 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Dados técnicos 2.2 KITAS 2171

2.3 Diagrama de ligações DTCO 1381

Painel de instrumentos

Fig. 26: Diagrama de ligações do DTCO 1381 com o KITAS 2171 e o painel de instrumentos

1) Em opção
2) Variantes CAN. Consulte a página 42.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 53


54 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008
Capítulo 3

Trabalhar com o DTCO 1381

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Trabalhar com o DTCO 1381

Tabela de conteúdos

Capítulo 3 – Trabalhar com o DTCO 1381

3.1Informações gerais..…...…………………………………. 57
3.1.1 Manuseamento de cartões de tacógrafo..... 57
3.1.2 Trabalhar com a variante ADR…………….. 58
3.1.3 Imprimir ou visualizar os dados……………. 58
3.1.4 Manuseamento de relatórios…......………... 58
3.2 Tipos de ecrã.............................…………………………. 59
3.2.1 Seleccionar o idioma do texto……………… 59
3.2.2 Ecrã em modo de espera…………………… 60
3.2.3 Ecrã depois de ligar a ignição.............…..... 60
3.2.4 Ecrã-padrão............…….......………...…….. 61
3.2.5 Menu de selecção........................................ 62
3.2.6 Mensagens…………………………………… 62
3.2.7 Ecrãs especiais............................................ 63
3.2.8 Indicações a título de informação................ 65
3.3Funções de menu........................................……………. 66
3.3.1 Seleccionar o idioma………………………… 66
3.3.2 Entrar no menu principal……....................... 67
3.3.3 Resumo da estrutura do menu.................... 68
3.3.4 Funções do menu “Service”………………… 69
Versão da aplicação………………………… 69
Actualização da aplicação………………….. 69
3.3.5 Sair do menu principal…............................. 71
3.4 Modo de calibração........................................................ 72
3.4.1 Inserir um cartão do centro técnico.............. 72
Navegar no menu após inserir um cartão
do centro técnico…………………………….. 73
3.4.2 Retirar um cartão do centro técnico............. 76
Navegar no menu após retirar um cartão
do centro técnico.......................................... 76
3.5Preparar a transferência de dados............................... 77

56 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.1 Informações gerais

3.1 Informações gerais

3.1.1 Manuseamento de cartões de tacógrafo

Atenção!
A posse de um cartão do centro técnico autoriza o seu utilizador a
usar o tacógrafo digital. Os cartões de tacógrafo são pessoais (os
cartões do centro técnico são institucionais), logo, intransmissíveis!

Um centro técnico autorizado pode guardar com toda a segurança,


utilizar e administrar o cartão do centro técnico e respectivo PIN. Os
cartões do centro técnico e respectivos PIN não devem ser
facultados a terceiros!

Um centro técnico autorizado deve garantir uma linha de


comunicação segura entre o DTCO 1381 e o cartão do centro
técnico!

A perda do cartão do centro técnico deve ser imediatamente


comunicada à entidade que emitiu o cartão!

Cumpra os regulamentos legais do seu país relacionados com os


cartões de tacógrafo!

Siga as instruções dadas pela entidade/instituição emissora e pelo


fabricante do cartão!

Cumpra as instruções seguintes relacionadas com os cartões de


tacógrafo:

• Manuseie os cartões de tacógrafo com cuidado para impedir a


perda de dados.

• Não dobre os cartões de tacógrafo e nem os use para outros fins


daqueles para que foram concebidos.

• Não use cartões de tacógrafo danificados.

• As áreas de contacto devem ser mantidas limpas e secas e evite


que entrem em contacto com graxa e óleos (use sempre a capa
protectora).

• Proteja o cartão da exposição solar directa (não o pouse em cima


do painel de instrumentos).

• Não o pouse na proximidade de fortes campos magnéticos

• Não use o cartão para além da data de validade. Peça


atempadamente um novo cartão de substituição, antes do fim da
validade.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 57


3.1 Informações gerais Trabalhar com o DTCO 1381

3.1.2 Trabalhar com a variante ADR

Com a variante ADR, só é possível inserir ou retirar um cartão de


tacógrafo, assim como imprimir ou visualizar os dados com a ignição
ligada.

3.1.3 Imprimir ou visualizar os dados

Antes de activar, não são apresentados os parâmetros de calibração


ao imprimir ou visualizar os dados técnicos (imprimir ou visualizar o
relatório dos “Dados Técnicos” da viatura).

Se não houver dados disponíveis para imprimir ou visualizar no


momento em que são pedidos – se p. ex. o DTCO 1381 não tiver
sido activado, nem a impressão nem a visualização serão iniciadas.

3.1.4 Manuseamento de relatórios

Guarde os relatórios num local onde esteja protegido de luz forte,


raios solares, humidade ou calor (que podem tornar os relatórios
ilegíveis).

Cumpra as normas legais do seu país relacionadas com os


relatórios, sobretudo a obrigatoriedade de os guardar na sua posse.

58 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.2 Tipos de ecrãs

3.2 Tipos de ecrã

O ecrã é uma combinação de pictogramas e de texto.

3.2.1 Seleccionar o idioma do texto

O idioma será definido pelo cartão do motorista que estiver inserido


na ranhura n.º 1, pelo cartão de tacógrafo mais recentemente
inserido ou pelo cartão de tacógrafo mais importante, como o cartão
da empresa.

Se o idioma não estiver definido ou não estiver disponível no cartão


de tacógrafo, o texto irá aparecer no idioma oficial do Estado-
membro que emitiu o cartão:

Estado-membro emissor Idioma


A Áustria Alemão
B Bélgica Inglês
BG Bulgária Búlgaro
CH Suíça Alemão
CY Chipre Grego
CZ República Checa Checo
D Alemanha Alemão
DK Dinamarca Dinamarquês
E Espanha Castelhano
EST Estónia Estónio
F França Francês
FIN Finlândia Finlandês
GR Grécia Grego
H Hungria Húngaro
I Itália Italiano
IRL Irlanda Inglês
IS Islândia Islandês
L Luxemburgo Francês
LT Lituânia Lituano
LV Letónia Letão
M Malta Inglês
N Noruega Norueguês
NL Países Baixos Neerlandês
P Portugal Português
PL Polónia Polaco
RO Roménia Romeno
S Suécia Sueco
SK Eslováquia Eslovaco
SLO Eslovénia Esloveno
UK Reino Unido Inglês

Em alternativa ao idioma, automaticamente, definido pelo cartão de


tacógrafo, pode, pessoalmente, escolher um idioma preferido.
Consulte o Capítulo 3.3.1 “Seleccionar o idioma”, na página 66.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 59


3.2 Tipos de ecrãs Trabalhar com o DTCO 1381

3.2.2 Ecrã em modo de espera

Menu visionado Significado/explicação

Nas seguintes situações e após um lapso de tempo de 5 minutos, o


DTCO 1381 entra em modo de espera:
• Com o motor desligado e...
• Se não houver nenhum evento ou falha activo.

As seguintes actividades também aparecem, juntamente com a hora


e o modo.
O DTCO 1381 desliga o ecrã decorridos três minutos adicionais
(configurável entre 1-10 minutos).
O sistema sai do modo quando:
• Se liga a ignição
• Se carrega numa tecla qualquer ou
• O DTCO 1381 apresenta um evento ou uma falha.
Para informação detalhada, consulte o Capítulo 14.1.1 “Modo de
Espera (Modo de Economia)”, na página 283.

3.2.3 Ecrã depois de ligar a ignição

Menu visionado Significado/explicação

Notas de funcionamento
Quando não for inserido nenhum cartão de tacógrafo na ranhura n.º
1, aparece o seguinte ecrã com indicações sobre o funcionamento,
durante cerca de 20 segundos, seguindo-se o ecrã-padrão.

60 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.2 Tipos de ecrãs

3.2.4 Ecrã-padrão

Menu visionado Significado/explicação

Assim que a viatura começar a andar, o ecrã-padrão aparece


automaticamente.

(1) Hora. Neste exemplo, aparece a hora local.


(2) Símbolo da hora afixada
Com símbolo = hora local definida
Sem o símbolo = Hora UTC
(3) Modo. Neste exemplo, aparece o “Modo Operacional”,
cujo símbolo é “ ”
(4) Velocidade
(5) Actividade, motorista n.º 1
(6) Símbolo do cartão, motorista n.º 1 (ranhura n.º 1)
O aparecimento do símbolo do cartão indica que o DTCO
1381 leu correctamente o cartão de tacógrafo.
(7) Odómetro total
(8) Símbolo do cartão, motorista n.º 2 (ranhura n.º 2)
O aparecimento do símbolo do cartão indica que o DTCO
1381 leu correctamente o cartão de tacógrafo.
(9) Actividade, motorista n.º 2

Nota
O DTCO 1381 pode vir equipado com a opção “Ajuste automático
das actividades depois de ligar/desligar”.

Ao ligar-se ou desligar-se, o DTCO 1381 activa, automaticamente,


uma actividade, anteriormente, definida, p.ex. . A actividade (5)
e/ou (9), que muda, automaticamente, em função do estado – ligado
ou desligado – fica a piscar, durante cinco segundos,
aproximadamente.

Um centro técnico autorizado pode programar – a pedido do cliente –


a actividade que o DTCO 1381 deve ajustar, automaticamente,
depois de dar a ignição ou de o desligar.

Dados que aparecem, quando se está a conduzir

Enquanto estiver a conduzir, pressione qualquer tecla para visualizar


os tempos dos dois motoristas.

O ecrã retoma a sua apresentação-padrão ao pressionar-se qualquer


tecla ou passados 10 segundos.

(1) Tempos do motorista n.º 1:


Tempo de condução desde a última pausa de 45
minutos, e pausa válida (tempo de paragem
acumulado dividido em pausas de, pelo menos, 15
minutos),
(2) Tempos do motorista n.º 2:
Tempo de actividade disponível e duração da
actividade.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 61


3.2 Tipos de ecrãs Trabalhar com o DTCO 1381

Menu visionado Significado/explicação

Dados que aparecem, quando a viatura está completamente


imobilizada

Quando a viatura não está em deslocação e o cartão do motorista n.º


1 está inserido, pode consultar os tempos do motorista n.º 1
pressionando :

(1) Tempo de condução deste a última pausa de 45 minutos


(2) Total das paragem válidas com uma duração de, pelo
menos, 15 minutos cada uma
(3) Tempo de condução das últimas duas semanas
(4) Duração da actividade definida

Ao pressionar-se novamente a tecla do menu , surgem os tempos


do condutor n.º 2.

Nota
Quando o cartão do motorista não estiver inserido, vão aparecer os
dados associados à respectiva ranhura.

3.2.5 Menu de selecção

Menu visionado Significado/explicação

As funções ou variáveis que podem ser seleccionadas aparecem de


forma intermitente na segunda linha do menu de visualizado.

As teclas ou “ permitem escolher, passo a passo, a função ou


variável desejada, que deve ser confirmada com a tecla .

3.2.6 Mensagens

Menu visionado Significado/explicação

A visualização de mensagens tem sempre prioridade máxima sobre


os ecrãs que estiver no visor, independentemente do estado da
viatura (esteja ela parada ou em marcha).

(1) Pictograma sobre o que esteve na origem da mensagem


(2) Texto
(3) Código de memória (posição na memória de erros)

Para informações adicionais, consulte o Capítulo 13 “Eventos e


Falhas”, a partir da página 241.

62 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.2 Tipos de ecrãs

3.2.7 Ecrãs especiais

Menu visionado Significado/explicação

Estado de fábrica
Se o DTCO 1381 ainda não estiver activado como equipamento de
controlo CE, aparece a indicação “Estado de fábrica, com o símbolo
(1). O DTCO 1381 só aceitará, unicamente, o cartão do centro
técnico.

Emparelhamento com o KITAS 2171


Ao inserir, pela primeira vez, o cartão do centro técnico, o DTCO
1381 e o KITAS 2171 ficam, automaticamente, emparelhados. Uma
barra de progressão mostra o estado da operação.

“Out of scope”
A viatura está a circular fora do âmbito do Regulamento, os símbolos
relacionados com as actividades e os cartões não são apresentados.
(Esta situação concreta pode ser ajustada através do menu).

Transfere por via marítima ou via ferroviária


A viatura encontra-se a bordo de um ferry ou de um comboio.
(Esta situação concreta pode ser ajustada através do menu).

Transmissão de dados
O símbolo (2) assinala um download, ou uma transferência de dados
em curso.

Subvoltagem
A tensão de alimentação do DTCO 1381 é actualmente insuficiente.
O DTCO 1381 continua a cumprir as suas funções como
equipamento de controlo CE. Apenas é possível aceder às funções
de impressão ou de visualização de dados, assim como inserir ou
retirar os cartões de tacógrafo.

Para informações detalhadas, consulte o Capítulo 14.1.2


“Subvoltagem (Modo Safe), na página 284.

Sobrevoltagem
A tensão de alimentação do DTCO 1381 é actualmente muito alta.
O DTCO 1381 continua a cumprir as suas funções como
equipamento de controlo CE. Apenas é possível aceder às funções
de impressão ou de visualização de dados, assim como inserir ou
retirar os cartões de tacógrafo.

Para informações detalhadas, consulte o Capítulo 14.1.3


“Sobrevoltagem”, na página 287.

Alimentação interrompida
O DTCO 1381 não consegue cumprir as suas funções como
equipamento de controlo CE! O equipamento não regista as
actividades do motorista.

Para informações detalhadas, consulte o Capítulo 14.1.4 “Tensão


interrompida (Modo Safe), na página 288.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 63


3.2 Tipos de ecrãs Trabalhar com o DTCO 1381

Menu visionado Significado/explicação

Modo Parado
O DTCO 1381 não consegue cumprir com as suas funções de
equipamento de controlo CE! O aparelho não armazena as
actividades do motorista.
Para informações adicionais, consulte o capítulo 14.1.4 “Modo
parado”, na página 286.

Reinício
Depois da activação, de um corte de alimentação ou de um autoteste
falhado, o DTCO 1381 reiniciar-se-á. Durante cinco segundos, ver-
se-á a versão do sistema operativo (xx.xx.xx), assim como a versão
do módulo de actualização da aplicação (SWUM xx.xx).

Visualização após uma situação de subvoltagem ou de


interrupção de alimentação
Assim que é retomada a alimentação, durante cerca de 5 segundos,
surge a versão do sistema operativo. De seguida, o DTCO 1381
apresenta a mensagem de “tensão interrompida”.

Para informações adicionais, consulte o Capítulo 14.1.4 “Tensão


Interrompida (Modo Safe), na página 283.

64 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.2 Tipos de ecrãs

3.2.8 Ecrãs a título de informação

Menu visionado Significado/explicação

A função do menu não pode ser activada, uma vez que não há
nenhum cartão na ranhura, não foi inserido um cartão do
motorista/do centro técnico, ou se for inserido um cartão da
empresa/de controlo.

A hora UTC já foi corrigida nos últimos 7 dias.


OU
Está a tentar corrigir a hora UTC entre um antes e um minuto depois
da meia-noite.

Resposta do DTCO 1381 indicando que o processo de impressão foi


iniciado.

Resposta do DTCO 1381 indicando que memorizou o registo


introduzido.

Não se pode visualizar os dados enquanto estiver em curso a


impressão.

O cartão de tacógrafo ainda não foi completamente lido. Não é


possível activar funções de menu.

O cartão de tacógrafo expulsa perderá validade dentro de – p.ex. –


28 dias!

Nota
O dia a partir do qual deverá aparecer este aviso pode ser
programado por um centro técnico autorizado, a pedido do cliente.

A próxima inspecção periódica deverá realizar-se dentro de – p.ex. –


28 dias.

Nota
O dia a partir do qual deverá aparecer este aviso pode ser
programado por um centro técnico autorizado, a pedido do cliente.

Estes ecrãs a título de informação desaparecem automaticamente ao


fim de três segundos. Não é preciso fazer nada.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 65


3.3 Funções de menu Trabalhar com o DTCO 1381

3.3 Funções de menu

Para informações adicionais sobre as “Funções de Menu”, queira


consultar as instruções de funcionamento do DTCO 1381.

3.3.1 Seleccionar o idioma

Em alternativa ao ajuste automático do idioma, pode fazê-lo através


de um cartão de tacógrafo, que permite ajustar, individualmente, um
idioma preferido.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 - A partir do ecrã-padrão, prima repetidamente a tecla até


aparecer “Select language?” (i.e. seleccionar o idioma) e
- Confirme com a tecla .

2 - Seleccione o idioma pretendido através das teclas ou e


- Confirme com a tecla .

3 O DTCO 1381 indica que o idioma seleccionado ao fim de três


segundos.

Memorizar o idioma escolhida


Se, no momento de definição do idioma, houver um cartão do centro
técnico inserido, o idioma não é memorizado, logo, da próxima vez
que um cartão de tacógrafo for retirado/inserido, o idioma é
determinado autonomamente, mais uma vez, pelo cartão de
tacógrafo.

Se, no momento da definição do idioma, só houver um cartão do


motorista ou de empresa na ranhura 1, o DTCO 1381 memoriza o
idioma preferido para o número de cartão.

66 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.3 Funções de menu

3.3.2 Entrar no menu principal

O visionamento das funções de menu só fica disponível com a viatura


parada.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 - A partir do ecrã-padrão, pressione repetidamente na tecla até


aparecer a pergunta “call main menu”, i.e. “entrar menu principal” e
- Confirme com a tecla .
Ou então
- Pressione a tecla .

2 A selecção das funções de menu realiza-se sempre através do


mesmo método:
- Seleccionando a função de menu pretendida como, por exemplo,
“printout driver 1”, i.e. “Impressão do motorista 1”, através das teclas
ou e
- Confirme a opção escolhida com a tecla .

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 67


3.3 Funções de menu Trabalhar com o DTCO 1381

3.3.3 Resumo da estrutura dos menus

Em castelhano: Versão portuguesa:

Relatório Motorista 1 1)
− actividade diária
− evento
− actividades 3)
Relatório Motorista 2 2)
− actividade diária
− evento
− actividade 3)
Relatório Viatura
− actividade diária
− evento
− velocidade
− dados técnicos
− v-diagrama 3)
− estado D1/D2 3)
− v-perfis 3)
− n-perfis 3)
Entrada Motorista 1 1)
− país início
− país fim
Entrada Motorista 2 2)
− país início
− país fim
Entrada Viatura
− início/fim
− ferry/comboio
− hora local
− correcção UTC
Visor Motorista 1 1)
− actividade diária
− evento
Visor Motorista 2 2)
− actividade diária
− evento
Visor Viatura
− actividade diária
− evento
− velocidade
− dados técnicos
− empresa
Menu Service 4)
− SW-Version
− Actualização SW

1)
Funções da ranhura 1
2)
Funções da ranhura 2
3)
Em opção
4)
Apenas disponível no estado de produção ou no modo de Calibração

68 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.3 Funções de menu

3.3.4 Funções do menu “Service”

Se o DTCO estiver no estado de produção ou no modo de


calibração, o menu suplementar “Service” fica disponível.

Versão da aplicação (‘Software-Version’)

A função “SW-Version” permite ver a versão do sistema operativo do


DTCO 1381

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 - Seleccione a função de menu “Service”, com a tecla ou e.


- Confirme com a tecla .

2 - Seleccione a função “SW-Version”, com a tecla ou e


- Confirme com a tecla .

3 Conseguirá visualizar a versão do sistema operativo (xx.xx.xx), assim


como a versão do módulo de actualização da aplicação (SWUM
xx.xx)
- Prima na tecla para sair do menu “Service”.

Actualização da aplicação

A função “Actualização da Aplicação” permite actualizar o sistema


operativo do DTCO 1381.

Só é possível realizar a actualização do sistema operativo do DTCO


1381, se preencher os requisitos.

Para mais informações, consulte um representante VDO.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 - Seleccione a função de menu “Service” com a tecla ou e


- Confirme com a tecla .

2 - Seleccione a função de menu “Actualização SW” com a tecla ou


e
- Confirme com a tecla .
O DTCO dá início à actualização da aplicação.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 69


3.3 Funções de menu Trabalhar com o DTCO 1381

Passos/Menu visionado Significado/explicação

3 Surge a pergunta “data download done?”, i.e. “transferência de dados


concluída?”. Isto significa que o DTCO 1381 pode ser actualizado.

Ou então

Surge a mensagem “upgrade module not present”, i.e. “módulo de


actualização ausente”. Isto significa que o DTCO 1381 não pode ser
actualizado.

Cancelar a actualização da aplicação


- Cancele a actualização da aplicação com a tecla .
- Surge a mensagem “upgrade aborted”, i.e. “actualização abortada”.

Ao fim de aproximadamente um minuto, ou depois de pressionar a


tecla , o DTCO 1381 regressa ao menu “Service”.

Para informação adicionais sobre a função “Actualização SW”,


consulte a descrição técnica em “Actualização da Aplicação do
DTCO 1381”.

70 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.3 Funções de menu

3.3.5 Sair das funções de menu

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 - Pressione repetidamente na tecla “ ” até aparecer a pergunta “sair


menu principal”.
- De seguida, indique a resposta “sim” com a tecla ou e
- Confirme com a tecla .
- Ou então, prima a tecla para ignorar a pergunta.

Surge o ecrã-padrão.

O DTCO 1381 sairá automaticamente das funções de menu, nas


seguintes situações:
• No início da viagem
• Ao inserir-se um cartão de tacógrafo
• Quando é solicitada a introdução de um cartão de tacógrafo.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 71


3.4 Modo de calibração Trabalhar com o DTCO 1381

3.4 Modo de calibração

As pessoas autorizadas a realizar tarefas de calibração, de


activação, de teste, etc. recebem um cartão do centro técnico. Para
além de realizar as funções específicas do centro técnico, o titular
também pode conduzir a viatura com este cartão.

Se a autenticação for positiva, as seguintes funções serão activadas:


• Calibração
• Teste
• Transferência de dados

Através do pictograma , o visor do DTCO 1381 indica que se


encontra no Modo de Calibração.

3.4.1 Inserir um cartão do centro técnico

A descrição relacionada com “inserir um cartão do centro técnico” que


se segue, é realizada com um DTCO 1381 já activado.

Para informações adicionais sobre a activação do DTCO 1381,


consulte o Capítulo 9.3 “Activação”, na página 182.

Fig. 27: Inserir o cartão do centro técnico

1. Ligar a ignição (apenas necessário na variante ADR).

2. Retire algum eventual cartão de tacógrafo que esteja no interior do


equipamento.

3. Insira o cartão do centro técnico na ranhura n.º 1, com o lado onde


está o chip virado para cima (o cartão ficará automática e
mecanicamente bloqueado assim que for introduzido).

• Os passos seguintes são indicados pelo menu.

72 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.4 Modo de calibração

Navegar no menu após inserir um cartão do centro técnico

Se o idioma não estiver definido ou não estiver disponível no cartão


de tacógrafo, o texto irá aparecer no idioma oficial do Estado-
membro que emitiu o cartão. Consulte o Capítulo 3.2.1 “Seleccionar
o idioma do texto”, na página 59.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Texto de boas-vindas. Durante cerca de 3 segundos, aparece a hora


local definida (14:00) e a hora UTC (12:00).

2 O DTCO 1381 começa a ler o cartão do centro técnico.


Aparece o símbolo indicando o modo activo (no exemplo é o Modo
Operacional). Um gráfico mostra a evolução do processo de leitura
do cartão.

3 Surge o nome do titular do cartão.

4 Escolha o número de caracteres que compõem o PIN (min. de 4 e


máx. de 8):
• Seleccione com a tecla ou o número de caracteres
Confirme com a tecla

5 Introdução do PIN:
“0”, o primeiro carácter a ser introduzido aparece a piscar
Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao primeiro
carácter
E confirme com a tecla
“0”, o segundo carácter a ser introduzido aparece a piscar
Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao segundo
carácter
E confirme com a tecla
Repita os mesmos passos para introduzir as restantes posições do
PIN.

Correcção de um carácter incorrecto ou do número de


caracteres incorrectos:
Voltar atrás ao carácter anterior com a tecla ou à posição
pretendida
Seleccionar com a tecla ou “ o valor do carácter ou número de
caracteres pretendidos
E confirme com a tecla

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 73


3.4 Modo de calibração Trabalhar com o DTCO 1381

Passos/Menu visionado Significado/explicação

6 Ao introduzir-se o PIN incorrecto:


Confirme a mensagem com a tecla e introduza novamente o novo
número de caracteres e respectivo PIN.

Cancelar a introdução do PIN:


Pressione a tecla de expulsão do leitor de cartões onde foi
inserido o cartão do centro técnico.
Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do cartão),
retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.

Atenção!
À 5ª tentativa de introdução incorrecta do PIN, o cartão do centro
técnico ficará bloqueado!

O processo será cancelado e o leitor de cartões expulsará o cartão


do centro técnico.

7 Visualização de “Ultima retirada”. Durante 3-5 segundos, o visor


mostra a data e hora UTC em que foi retirado o cartão do centro
técnico.

8 Introdução manual:
Para adicionar manualmente as actividades, seleccione “sim” com a
tecla ou .
Ou seleccione “não” através da tecla ou E confirme com a tecla

Para informações adicionais sobre a “Introdução Manual”, queira


consultar as instruções de funcionamento do DTCO 1381.

9 Introduzir o país onde começa ou continua o dia de trabalho:


Seleccione o país através da tecla ou Confirme a escolha com a
tecla .
Cancele a introdução do país:
Cancele a introdução do país com a tecla

Caso seja aplicável, introduza a região:


Seleccione a região com a tecla ou
Confirme a escolha com a tecla

Só nalguns países é possível introduzir a região. Se for o caso, o


sistema pedir-lhe-á automaticamente que introduza a região.

Os registos no início e fim do tempo de trabalho diário também


podem ser processados sem que esteja inserido um cartão do centro
técnico, assim como noutros momentos diferentes da introdução ou
retirada do cartão.

(continua)

74 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.4 Modo de calibração

(continuação da introdução do cartão do centro técnico)

Passos/Menu visionado Significado/explicação

10 Surge o ecrã-padrão. O DTCO 1381 ainda está em “Modo


Operacional” (2).

O símbolo do cartão só será apresentado se os dados do cartão do


motorista tiverem sido completamente lidos. Os símbolos que
aparecem antes significam:

O cartão do centro técnico foi inserido na ranhura


Se necessário, poderá iniciar um test-drive. Os dados relevantes
para o realizar já foram lidos.

Enquanto não aparecer no ecrã o símbolo do cartão, não poderá


realizar as seguintes funções:
- Activar as funções de menu.
- Pedir um cartão do centro técnico

11 Concluída a leitura, o DTCO 1381 entra em “Modo de Calibração”


(3).

Durante a leitura de um cartão do centro técnico, em início de


viagem, o DTCO 1381 “comporta-se” da seguinte forma:

Antes, ou durante, a entrada do PIN, o processo de leitura é


interrompido e o cartão do centro técnico é expulso. Surge a
mensagem “a conduzir sem cartão valido”.

Assim que estiver concluído o processo de introdução do PIN, a


leitura do cartão do centro técnico é concluída, os registos são
confirmados com serão armazenados.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 75


3.4 Modo de calibração Trabalhar com o DTCO 1381

3.4.2 Retirar um cartão do centro técnico

1. Pressione a tecla da respectiva ranhura para retirar o cartão


do centro técnico.
• Os passos seguintes são indicados pelo menu.

2. Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do


cartão), retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.

3. Utilize a tecla ou para definir a respectiva actividade, tais


que .

Navegar no menu após retirar um cartão do centro técnico

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Surge o número do cartão do centro técnico. Um gráfico mostra que o


DTCO 1381 está a transferir dados para o cartão do centro técnico.

2 Introduza o país relativo ao fim do dia de trabalho:


Seleccione o país através da tecla ” ou
E confirme a escolha com a tecla

Cancele a introdução do país:


Pressione a tecla para cancelar a introdução do país.

Caso seja aplicável, introduza a região:


Seleccione a região através da tecla ou
E confirme a escolha com a tecla .

3 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

4 Imprimir a actividade diária:


Para imprimir a actividade diária, escolha “sim” através da tecla ou
(ou, em alternativa, escolha “não”)
Confirme a escolha com a tecla

5 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

6 O cartão do centro técnico é libertado, o ecrã-padrão e o Modo


Operacional (1) entram em funcionamento.

76 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Trabalhar com o DTCO 1381 3.5 Preparar a transferência de dados

3.5 Preparar a transferência de dados

Cuidado! Perigo de explosão


Num ambiente, particularmente, explosivo, é expressamente proibido ligar
equipamentos externos à interface de transferência do DTCO 1381, nas
condições de funcionamento previstas – como é o caso de operações de
“Carga e Descarga de Produtos Perigosos”!

Mantenha sempre a tampa de protecção fechada, quando estiver a realizar


operações de “Carga e Descarga de Produtos Perigosos”!

Fig. 28: Ligação à interface de transferência

1. Para inserir o cartão do centro técnico, consulte o Capítulo 3.4.1 “Inserir


um Cartão do centro técnico”, na página 72.

2. Abra a tampa (1), virando-a para a direita.

3. Insira o cabo de dados (3), ou DownloadKey (4), na interface de


transferência (2).

4. Inicie a transferência de dados.

Para informações adicionais sobre o programa de leitura, consulte a


documentação que o acompanhou.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 77


3.5 Preparar a transferência de dados Trabalhar com o DTCO 1381

5. Retire o cabo de dados, ou a DownloadKey, quando concluir a


transferência de dados, e feche a tampa de protecção

6. Retire o cartão do centro técnico.

Para informações adicionais sobre o programa de leitura adequado, a


DownloadKey, consulte um representante VDO.

78 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 4

Tratamento de dados

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Tratamento de dados

Tabela de conteúdos

Capítulo 4 – Tratamento de dados

4.1 Tratamento de dados.…………………...………….. 81


4.2 Fluxograma de informação e comportamento
da memória…………………………………………… 83
4.2.1 Memória principal...........……….........……... 83
4.2.2 Memória buffer circular para o registo v...... 84
4.2.3 Conteúdo da memória de dados…...……… 85
4.2.4 Dados armazenados na memória de dados 86
4.3 Cartões de tacógrafo.............................………….. 93
4.3.1 Cartão do motorista..................................... 93
Dados fixos.................................................. 93
Dados variáveis........................................... 94
4.3.2 Cartão do centro 98
técnico.......................................... 98
Dados fixos.................................................. 99
Dados variáveis........................................... 104
4.3.3 Cartão de controlo....................................... 104
Dados fixos.................................................. 105
Dados variáveis........................................... 106
4.3.3 Cartão da empresa...................................... 106
Dados fixos.................................................. 107
Dados variáveis........................................... 108
4.4 Transferência de dados......................................... 109
4.5 Direitos de acesso aos dados memorizados.......

80 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.1 Tratamento de dados

4.1 Tratamento de dados

O DTCO 1381 regista as actividades de todos os motoristas, assim


como os dados relacionados com a viatura, na memória interna do
equipamento, durante um período de 365 dias, em cumprimento com
o estipulado com Regulamento (CEE) 3821/85, Anexo I B.

O DTCO 1381 regista os seguintes dados:


Dados de identificação do DTCO 1381 e do KITAS 2171
Dados de segurança (chave criptográfica)
Inserção e extracção de cartões de motorista, para 2190 motoristas
Actividades do motorista
Local do início e do fim do tempo de trabalho
Distância percorrida
Velocidade ao pormenor (das últimas 168 horas de condução)
Eventos e falhas
Calibrações
Actividades de controlo
Acções de bloqueio/desbloqueio realizadas por uma empresa
Actividades de transferência
Condições específicas
Dados da deslocação da viatura

Em geral, pode-se dizer que:


• Quando a capacidade da memória se esgotar, os dados mais
antigos vão ser continuamente substituídos pelos mais novos.
• Os elementos de dados mais recentes, com conteúdo
desconhecido, ou não aplicáveis, são preenchidos com bytes FF.

Para informações adicionais sobre formatos, elementos e estruturas


de dados, consulte o Regulamento (CE) 1360/2002, Anexo I
“Dicionário de Dados”.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 81


4.1 Tratamento de dados Tratamento de dados

Dados especificados pelo cliente Para além dos dados previstos no Regulamento (CEE) 3821/85,
Anexo I B, o DTCO 1381 pode registar os dados indicados pelo
cliente.

Para informações adicionais sobre os dados especificados pelo


cliente que o equipamento vai registar, consulte as especificações
válidas.

Saída dos dados memorizados Os dados memorizados podem ser afixados no visor do DTCO 1381,
impressos na impressora integrada ou transferidos (copiados) para
equipamentos externos, através de interfaces

82 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória

4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória

Cartões de tacógrafo
Memória principal Unidade de
armazenamento de dados
gisto e processamento dos para 365 dias
impulsos de distância
morização dos dados do ● Actividades do motorista
cartão ● Utilização da viatura
● Velocidade mínima das
últimas 24 horas
● …
Visor ● Memória de salvaguarda
circular para o registo V

Interface de transf.

Impressora

Fig. 29: Representação esquemática do fluxograma de dados e do comportamento da memória

4.2.1 Memória principal

A memória principal é utilizada para armazenar temporariamente


todos os dados que foram registados e processados.

A memória principal realiza as seguintes acções:

Processamento e transferência de todos os dados registados e


legalmente exigidos para serem arquivados na memória de dados.

Processamento e apresentação dos dados solicitados no visor, na


interface de transferência ou na impressora.

Salvaguarda dos dados lidos a partir de um cartão de tacógrafo,


durante o tempo que foi utilizado.

Transferência para o cartão de tacógrafo dos dados actualizados e


eliminação dos dados contidos na memória principal (quando retirar
um cartão de tacógrafo).

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 83


4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória Tratamento de dados

4.2.2 Memória buffer circular para o registo v

Há dois casos particulares em que a memória buffer (memória de


salvaguarda) circular para o registo v é utilizada para armazenar
dados detalhados sobre a velocidade:

Uma grande desaceleração (superior a – 3 m/s2; tais como travagens


bruscas e colisões contra um obstáculo)
- Os valores detectados da velocidade serão registados e
salvaguardados segundo a segundo, durante o espaço de tempo que
vai desde um minuto antes até um minuto depois da desaceleração.

• Imobilização da viatura
- As velocidades instantâneas medidas serão memorizadas, segundo
a segundo, durante o espaço de tempo que vai desde um minuto
antes até um minuto depois da imobilização completa da viatura.

84 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória

4.2.3 Conteúdo da memória de dados

O DTCO 1381 memoriza as actividades e todos os dados dos


motoristas e da própria viatura na memória de dados, durante 365
dias, de acordo com o definido pelo Regulamento (CEE) 3821/85,
Anexo I B.

Os dados ficarão armazenados na memória de dados do DTCO


1381, depois de este ter sido activado por um cartão do centro
técnico.

Se a capacidade da memória for atingida, os dados mais antigos


serão substituídos pelos mais recentes.

A memória de dados regista e salva os seguintes dados,


ao longo um período de 365 dias:
Actividades motorista n.º 1 Actividades motorista n.º 2 Velocidade 168 h
Lista motorista n.º 1 Lista motorista n.º 2 Falhas de sistema, eventos
País introduzido motorista n.º 1 País introduzido motorista n.º 2 Memorização dos dados não
sujeitos ao Regulamento
Condições especiais Bloqueios realizados através do Procedimentos de transferência
cartão da empresa
Registo das actividades de Identificação do DTCO 1381 Dados de instalação
controlo
Registo dos acertos da hora Calibrações do equipamento Diagrama v*, estado D1/D2*
Memória buffer circular para o Perfis de velocidade*,
registo v Perfis de rotações*

Fig. 30: Representação esquemática dos dados armazenados na memória de dados

* Em opção

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 85


4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória Tratamento de dados

4.2.4 Dados armazenados na memória de dados

O DTCO regista e memoriza os seguintes dados, exigidos por lei:

Dados de identificação do DTCO • O nome do fabricante


1381 • A morada do fabricante
• Modelo/Número de fabrico
• Ano de fabrico
• Número de série
• Número da homologação
• Versão da aplicação
• Data da instalação da aplicação

Dados de identificação • Número de série


do KITAS 2171 • Número de homologação
• Data da activação inicial

Dados de segurança • Chave criptográfica

Introdução e retirada dos cartões Os seguintes dados são registados e memorizados, sempre que é
de motorista/cartões do centro introduzido/retirado um cartão do motorista ou cartão do centro
técnico técnico:
• Primeiro e último nome do titular do cartão (tal como está
gravado no cartão)
• Número de cartão, Estado-membro emissor, validade
• Cartão na ranhura n.º 1 (motorista) ou na ranhura n.º 2 (segundo
motorista)
• Data e hora em que o cartão foi inserido
• Leitura do odómetro, ao inserir o cartão
• Data e hora em que o cartão foi retirado
• Leituras do odómetro, ao retirar o cartão
• Informações sobre a última viatura
- Número da matrícula
- Estado-membro em que se matriculou
- Data e hora em que o cartão foi retirado
• Indica se foram introduzidos registos manuais quando o cartão
foi inserido

86 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória

Actividades dos motoristas Os seguintes dados são registados e memorizados, sempre que
houver uma alteração da actividade do motorista n.º 1 ou do
motorista n.º 2, o regime de condução (motorista único/tripulação) ou
sempre que um cartão do centro técnico é retirado:
• Regime de condução
- Motorista único (só foi inserido um cartão do motorista)
- Tripulação (os dois cartões de motorista foram inseridos)
• Cartão na ranhura n.º 1 (motorista) ou cartão na ranhura n.º 2
(segundo motorista)
• Estado do cartão (inserido, não inserido) em relação à respectiva
ranhura
• Definições da actividade (grupos temporais: tempo de condução,
tempo disponível, pausa, período de trabalho)
• Data e hora em que foi realizada a alteração

Os registos manuais sobre actividades não são armazenados na


memória de dados.

Local do início e fim do período Os seguintes dados são registados e memorizados, sempre que é
de trabalho introduzido um local para o fim e o início do período de trabalho:
• Data e hora do registo automático ou do registo manual
• Tipo de registo
- Início
- Fim
• Número do cartão do motorista n.º 1 ou do motorista n.º 2
- Entidade emissora e respectivo país
• País e região introduzidos
• Leitura do odómetro no momento em que foi introduzido o registo

Assumindo que o motorista introduz dois registos por dia (no início e
no fim de cada dia), estes dados ficam registados durante 365 dias.

Odómetro Às 00:00 de cada dia da semana, os seguintes dados são registados


e memorizados:
• Leitura do odómetro
• Data

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 87


4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória Tratamento de dados

Velocidade detalhada Os seguintes dados são registados e memorizados, segundo a


segundo, durante as últimas 24 horas de tempo de condução:
• Velocidade instantânea em km/h
• Data e hora

Perfis de velocidade/RPM Depois de qualquer utilização da viatura (desde a inserção à retirada


do cartão), o DTCO 1381 adquire os perfis realizados. O DTCO
memoriza os intervalos de tempo, i.e., durante quanto tempo o
veículo se deslocou a uma determinada velocidade ou num intervalo
de regime.

Assumindo uma média de seis motoristas por dia, os dados serão


armazenados durante 365 dias.

Eventos O DTCO regista eventos com uma resolução de um segundo.

Relativamente a cada um dos eventos, são registados os seguintes


dados:

Evento Regras de memorização Dados memorizados


Conflito de cartão • Os últimos dez eventos • Início – data e hora
• Fim – data e hora
• Tipo, número e Estado-
membro emissor dos dois cartões
que geraram o conflito
Condução sem cartão válido • O evento mais longo em cada • Início – data e hora
um dos últimos dez dias em que • Fim – data e hora
houve eventos semelhantes • Tipo, número e Estado-
• Os cinco eventos mais longos membro emissor do cartão que foi
dos últimos 365 dias. inserido no início e/ou no fim do
evento
• Número de eventos
semelhantes que se registaram no
mesmo dia
Introdução de cartão durante a • O último evento dos últimos • Data e hora
condução dez dias em que houve eventos • Tipo, número e Estado-
semelhantes membro emissor do cartão
• Número de eventos
semelhantes que se registaram no
mesmo dia
Erro ao encerrar a última sessão • Os últimos dez eventos • Inserção do cartão – data e
de cartão hora
• Tipo, número e Estado-
membro emissor do cartão
• Dados do cartão que foram
lidos durante a última sessão:
- Número de matrícula
- Estado-membro em que
se matriculou a viatura

88 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória

Evento Regras de memorização Dados memorizados


Erros com dados de movimento e • O evento mais longo em cada • Início – data e hora
velocidade um dos últimos dez dias em que • Fim – data e hora
houve eventos semelhantes • Tipo, número e Estado-
• Os cinco eventos mais longos membro emissor do cartão que foi
dos últimos 365 dias inserido no início e/ou no fim do
evento
• Número de eventos
semelhantes que se registaram no
mesmo dia
Tentativa de violar a segurança • Os últimos dez registos de • Tipo de evento
cada um destes tipos de eventos • Início – data e hora
• Fim – data e hora
• Tipo, número e Estado-
membro emissor do cartão que foi
inserido no início e/ou no fim do
evento
Excesso de velocidade • O registo mais grave dos • Início – data e hora
últimos dez dias em que houve um • Fim – data e hora
evento (i.e. o evento com a mais • Mais alta velocidade registada
alta velocidade média) • Média aritmética da velocidade
• Os cinco eventos mais graves medida
dos últimos 365 dias • Tipo, número e Estado-
• O primeiro evento após a membro emissor do cartão do
última calibração motorista (quando aplicável)
• Número de eventos
semelhantes que se registaram no
mesmo dia
• Controlo do excesso de
velocidade – data e hora
• Primeiro registo de excesso de
velocidade desde o último controlo
– data e hora
• Número de registos por
excesso de velocidade desde o
último controlo
Interrupção da alimentação • O mais longo evento dos • Início – data e hora
eléctrica últimos dez dias em que houve • Fim – data e hora
eventos semelhantes • Tipo, número e Estado-
• Os cinco eventos mais longos membro emissor do cartão que foi
dos últimos 365 dias inserido no início e/ou no fim do
evento
• Número de eventos
semelhantes que se registaram no
mesmo dia

Nota
Este dado pode ser registado só
depois da corrente eléctrica ter
sido reposta, pelo que a precisão
pode ser de um minuto.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 89


4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória Tratamento de dados

Falhas (erros) O DTCO regista eventos com uma resolução de um segundo.


Relativamente a cada um dos eventos, são registados os seguintes
dados:

Falha Regras de memorização Dados memorizados


Falhas de cartão • As últimas dez falhas do • Início – data e hora
cartão do motorista • Fim – data e hora
• Tipo, número e Estado-
membro emissor do cartão
Falha do equipamento de controlo • Os últimos dez registos de • Tipo de falha
cada um destes tipos de eventos • Início – data e hora
• A primeira falha desde a última • Fim – data e hora
calibração • Tipo, número e Estado-
membro emissor do cartão que foi
inserido no início e/ou no fim do
evento

Dados de calibração O DTCO regista e memoriza os seguintes dados de calibração na


memória de dados:
• Parâmetros de calibração programados no momento da
activação
• Primeira calibração após a activação
• Calibração inicial da viatura (com base no número do chassis)
• Últimas cinco calibrações

Caso se realizem várias calibrações no mesmo dia, apenas a última


calibração é memorizada.

• Motivo da calibração:
- Activação
- Instalação inicial
- Instalação
- Inspecção periódica
• Nome e morada da oficina
• Número, Estado-membro emissor e validade do cartão do centro
técnico

90 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória

Parâmetros de calibração O DTCO 1381 memoriza os seguintes parâmetros de calibração


actualizados e/ou confirmados:

• Identificação da viatura
- Número do chassis
- Número da matrícula
- Estado-membro em que se matriculou a viatura
• Características da viatura
- Número de impulsos em relação à distância (coeficiente w)
- Constante do equipamento de gravação (valor de k)
- Circunferência real da roda (valor de l)
- Tamanho do pneu
- Velocidade máxima autorizada
- Odómetro – valor antigo
- Odómetro – valor novo
- Data e hora – valor antigo
- Data e hora – valor novo

Definições da hora No Modo de Calibração, os seguintes dados são registados e


memorizados durante o último acerto das horas e nos últimos cinco
acertos:
• Data e hora – valor antigo
• Data e hora – valor novo
• Número, Estado-membro emissor e validade do cartão do centro
técnico
• Nome e morada da oficina

Actividades de controlo Os seguintes dados relacionados com as últimas vinte actividades de


controlo são registadas e memorizadas:
• Data e hora do controlo
• Número e Estado-membro emissor do cartão de controlo
• Tipo de controlo
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir da
memória
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir do cartão

Sempre que há uma transferência de dados, a hora de início e de fim


da operação de cópia dos dados ficam registadas.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 91


4.2 Fluxograma de informação e comportamento da memória Tratamento de dados

Dados de bloqueio da empresa A seguinte informação, relacionada com as últimas 20 acções de


bloqueio de empresa, é registada e memorizada:
• Bloqueio – data e hora
• Desbloqueio – data e hora
• Número e Estado-membro emissor do cartão da empresa
• Nome e morada da empresa

Actividades de transferência A seguinte informação, relacionada com a última vez em que houve
transferência de dados da memória de dados, é registada e
memorizada:
• Data e hora
• Número e Estado-membro emissor do cartão da empresa ou
cartão do centro técnico
• Nome e morada da empresa ou da oficina

Condições especiais Nos registos classificados como Condições Especiais (operações


que ultrapassam as competências definidas pelo Regulamento (CEE)
n.º 3821/85, ou transferes por via marítima ou ferroviária), a seguinte
informação é registada e memorizada:
• Data e hora
• Tipo de Registo

Assumindo que o motorista introduz dois registos por dia (no início e
no fim de cada dia), estes dados ficam registados durante 365 dias.

92 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

4.3 Cartões de tacógrafo

4.3.1 Cartão do motorista

Todos os dados relacionados com o motorista (dados fixos e


variáveis) e definidos pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I
B, são memorizados no cartão do motorista.

O motorista utiliza o cartão para se identificar junto do DTCO 1381,


permitindo a gravação das actividades relacionadas com essa
identidade.

Dados fixos

Identificação do cartão • Informação detalhada acerca do cartão, designadamente o


número de série, o tipo, o fabricante, etc.
• Número do cartão
• Estado-membro emissor, nome da entidade emissora e data de
emissão
• Validade

Elementos de segurança • Chave de segurança pública europeia


• Certificado do Estado-membro emissor
• Certificado do cartão
• Chave de segurança privada do cartão

Dados do motorista • Primeiro e último nome


(identificação do titular) • Data de nascimento
• Idioma preferencial
• Número da carta de condução
• Estado-membro emissor, nome da entidade emissora e data de
emissão

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 93


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

Dados variáveis

Dados sobre as viaturas Os dados relacionados com as viaturas utilizadas são memorizados
utilizadas e classificados por dia e tempo de utilização:
• Número de matrícula, entidade responsável pelo registo das
viaturas nesse Estado-membro
• Data, hora e odómetro da primeira viatura a ser utilizada ou da
primeira vez em que o cartão foi inserido, respectivamente.

São memorizados de 84 registos, no mínimo.

Actividades do motorista nos Os seguintes dados são registados para cada dia de trabalho (dia da
últimos 28 dias semana em que foi utilizado um cartão ou em que foi introduzido um
registo manual):
• Data
• Contador da presença diária (acresce 1 por cada dia de trabalho)
• Distância percorrida por dia de trabalho
• Regime de condução às 00:00

Sempre que um motorista altera de actividade, sempre que o regime


de condução se altera, ou sempre que um cartão é inserido ou
retirado, os seguintes dados são memorizados:
• Regime de condução (motorista único ou tripulação)
• Inserção do cartão (ranhura n.º 1 ou ranhura n.º 2)
• Estado do cartão (inserido ou não-inserido)
• Actividade (grupo temporal)
• Hora em que se deu a mudança

Assumindo que são registadas 93 mudanças de actividade por dia,


devem ficar registados no cartão do motorista os dados durante, pelo
menos, 28 dias.

94 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Local do início e fim do período Os seguintes dados são registados e memorizados, sempre que é
de trabalho introduzido (manualmente pelo motorista) um local para o fim e o
início do período de trabalho:
• Data e hora
• Tipo de registo (início ou fim)
• Leitura do odómetro
• País e região

São memorizados, pelo menos, 42 registos (cada um com um valor


de início e de fim).

Condições especiais Uma vez que a tripulação da viatura deve manter um registo
completo dos tempos de condução, é preciso memorizar as
actividades que não estão directamente relacionadas com as
actividades atribuídas.

Dentre os exemplos de Condições Especiais, contam-se:


• Transfere por via marítima (ferry)
• Transfere por via ferroviária
• Operações para além do âmbito da vigência

Sempre que introduzida (manualmente pelo motorista) uma


Condição Especial, também são memorizados os seguintes dados:
• Tipo de registo
• Data e hora

São memorizados 56 registos, pelo menos.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 95


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

Eventos Os seguintes dados são memorizados no cartão do motorista:


• Corte de corrente
• Erro de comunicação com o KITAS 2171
• Tentativa de quebra de segurança
• Sobreposição temporal *
• Inserção de cartão durante a condução *
• Erro ao encerrar a última sessão de cartão*
* Este evento apenas é memorizado se resultou da inserção de um
cartão do motorista

Em relação aos eventos, são memorizados os seguintes dados:


• Código do evento
• Início – data e hora (se o evento se prolongar para além da
retirada do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi
retirado o cartão)
• Fim – data e hora (se o evento se prolongar para além da
retirada do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi
retirado o cartão)
• Número da matrícula da viatura em que se deu o evento
• Local de registo da viatura em que se deu o evento

São memorizados os últimos seis de todos os tipos de eventos,


perfazendo um total de 72 registos memorizados.

96 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Falhas (erros) As seguintes falhas são memorizadas no cartão do motorista:


• Falha interna do DTCO 1381
• Falha do cartão (se estiver relacionado com o cartão do
motorista)

Em relação às falhas, são registados os seguintes dados:


• Código da falha
• Início – data e hora (se a falha se prolongar para além da
retirada do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi
retirado o cartão)
• Fim – data e hora (se a falha se prolongar para além da retirada
do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi retirado o
cartão)
• Número da matrícula da viatura em que se deu a falha
• Local de registo da viatura em que se deu a falha

São memorizados as últimas doze de todos os tipos de falhas,


perfazendo um total de 48 falhas memorizadas.

Actividades de controlo Relativamente às actividades de controlo, são memorizados os


seguintes dados:
• Data e hora do controlo
• Número e Estado-membro emissor do cartão de controlo
• Tipo de controlo
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir da
memória
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir do cartão
• Número de matrícula da viatura que foi inspeccionada
• Local de registo da viatura que foi inspeccionada
• No caso de uma transferência de dados, a hora de início e de fim
da operação de cópia dos dados ficam registadas

A transferência dos dados do cartão pode ser memorizada no cartão


de tacógrafo apenas se a transferência se fizer através do DTCO
1381. Ou seja, o cartão tem de estar inserido numa das ranhuras do
DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 97


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

4.3.2 Cartão do centro técnico

Todos os dados relacionados com o motorista (dados fixos e


variáveis) e definidos pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I
B, são memorizados no cartão do centro técnico.

O fabricante do equipamento de gravação, o construtor da viatura, o


instalador ou a oficina autorizados utiliza o cartão para se identificar
perante o DTCO 1381, permitindo assim a gravação das actividades
relacionadas com essa identidade.

Assim que a autenticação for confirmada, o cartão do centro técnico


permite a calibração e teste do DTCO 1381, a transferência de
dados, os transferes e as viagens de teste.

Com o cartão do centro técnico, é possível realizar transferências e


test-drives.

Dados fixos

Elementos de segurança • Chave de segurança pública europeia


• Certificado do Estado-membro emissor
• Certificado do cartão
• Chave de segurança privada do cartão
• PIN (número de identificação pessoal)
• Chave criptográfica para a activação do sensor para ligação ao
KITAS 2171

Identificação do cartão • Informação detalhada acerca do cartão, designadamente o


número de série, o tipo, o fabricante, etc.
• Número do cartão
• Estado-membro emissor, nome da entidade emissora e data de
emissão
• Validade

Dados da oficina • Nome da oficina


(identificação do titular) • Morada da oficina
• Primeiro e último nome do titular
• Idioma preferencial

98 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Dados variáveis

Dados sobre as viaturas Os dados relacionados com as viaturas utilizadas são memorizados
utilizadas e classificados por dia e tempo de utilização:
• Número de matrícula, entidade responsável pelo registo das
viaturas nesse Estado-membro
• Data, hora e odómetro da primeira viatura a ser utilizada ou da
primeira vez em que o cartão foi inserido, respectivamente.
• Data, hora e odómetro da última viatura a ser utilizada ou
retirada do cartão, respectivamente.

São memorizados de 4 registos, no mínimo.

Actividades (actividades dos Os seguintes dados são registados para cada dia de trabalho (dia da
motoristas) semana em que foi utilizado um cartão ou em que foi introduzido um
registo manual):
• Data
• Contador da presença diária (acresce 1 por cada dia de trabalho)
• Distância percorrida por dia de trabalho
• Regime de condução às 00:00

Sempre que um motorista altera de actividade, sempre que o regime


de condução se altera, ou sempre que um cartão é inserido ou
retirado, os seguintes dados são memorizados:
• Regime de condução (motorista único ou tripulação)
• Inserção do cartão (ranhura n.º 1 ou ranhura n.º 2)
• Estado do cartão (inserido ou não-inserido)
• Actividade (grupo temporal)
• Hora em que se deu a mudança

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 99


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

Local do início e fim do período Os seguintes dados são registados e memorizados, sempre que é
de trabalho introduzido (manualmente pelo motorista) um local para o fim e o
início do período de trabalho:
• Data e hora
• Tipo de registo (início ou fim)
• Leitura do odómetro
• País e região

São memorizados, pelo menos, 3 registos (cada um com um valor de


início e de fim).

Condições especiais Uma vez que a tripulação da viatura deve manter um registo
completo dos tempos de condução, é preciso memorizar as
actividades que não estão directamente relacionadas com as
actividades atribuídas.

Dentre os exemplos de Condições Especiais, contam-se:


• Transfere por via marítima (ferry)
• Transfere por via ferroviária
• Operações para além do âmbito da vigência

Sempre que introduzida (manualmente pelo motorista) uma


Condição Especial, também são memorizados os seguintes dados:
• Tipo de registo
• Data e hora

São memorizados, pelo menos, 2 registos.

100 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Eventos São memorizados no cartão do motorista os seguintes dados:


• Corte de corrente
• Erro de comunicação com o KITAS 2171
• Tentativa de quebra de segurança
• Sobreposição temporal *
• Inserção de cartão durante a condução *
• Erro ao encerrar a última sessão de cartão*
* Este evento apenas é memorizado se resultou da inserção de um
cartão do centro técnico

Em relação aos eventos, são memorizados os seguintes dados:


• Código do evento
• Início – data e hora (se o evento se prolongar para além da
retirada do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi
retirado o cartão)
• Fim – data e hora (se o evento se prolongar para além da
retirada do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi
retirado o cartão)
• Número da matrícula da viatura em que se deu o evento
• Local de registo da viatura em que se deu o evento

São memorizados os últimos três de todos os tipos de eventos,


perfazendo um total de 18 registos memorizados.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 101


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

Falhas (erros) As seguintes falhas são memorizadas no cartão do motorista:


• Falha interna do DTCO 1381
• Falha do cartão (se estiver relacionado com o cartão do centro
técnico)

Em relação às falhas, são registados os seguintes dados:


• Código da falha
• Início – data e hora (se a falha se prolongar para além da
retirada do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi
retirado o cartão)
• Fim – data e hora (se a falha se prolongar para além da retirada
do cartão, serão memorizadas a data e hora em que foi retirado o
cartão)
• Número da matrícula da viatura em que se deu a falha
• Local de registo da viatura em que se deu a falha

São memorizados as últimas seis de todos os tipos de falhas,


perfazendo um total de 12 falhas memorizadas.

Actividades de controlo Relativamente às actividades de controlo, são memorizados os


seguintes dados:
• Data e hora do controlo
• Número e Estado-membro emissor do cartão de controlo
• Tipo de controlo
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir da
memória
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir do cartão
• Número de matrícula da viatura que foi inspeccionada
• Local de registo da viatura que foi inspeccionada
• No caso de uma transferência de dados, a hora de início e de fim
da operação de cópia dos dados ficam registadas

A transferência dos dados do cartão pode ser memorizada no cartão


de tacógrafo apenas se a transferência se fizer através do DTCO
1381. Ou seja, o cartão tem de estar inserido numa das ranhuras do
DTCO 1381.

102 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Dados de calibração e acerto da Os seguintes dados são memorizados, sempre que houver uma
hora calibração ou um acerto da hora:
• Identificação do DTCO 1381 (identificação do equipamento de
gravação)
- Número da peça
- Número de série
- Número de série do KITAS 2171
• Motivo da calibração:
- Calibração inicial
- Instalação
- Inspecção periódica
- Outro motivo (p. ex. acerto da hora)

São memorizadas, pelo menos, 88 calibrações.

O cartão do centro técnico também memoriza a contagem do número


total de calibrações e do número de calibrações realizadas desde a
última transferência de dados.

Parâmetros de calibração O DTCO 1381 memoriza os seguintes parâmetros de calibração


actualizados e/ou confirmados:
• Identificação da viatura
- Número do chassis
- Número da matrícula
- Entidade responsável pelo registo das viaturas nesse
Estado-membro
• Características da viatura
- Número de impulsos em relação à distância (coeficiente w)
- Constante do equipamento de gravação (valor de k)
- Circunferência real da roda
- Tamanho do pneu
- Velocidade máxima autorizada
- Odómetro – valor antigo
- Odómetro – valor novo
- Data e hora – valor antigo
- Data e hora – valor novo

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 103


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

4.3.3 Cartão de controlo

Todos os dados relacionados com a autoridade de controlo (dados


fixos e variáveis) e definidos pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85,
Anexo I B, são memorizados no cartão de controlo.

O agente de uma autoridade de controlo utiliza o cartão para se


identificar perante o DTCO 1381, permitindo assim a gravação das
actividades de controlo relacionadas com essa identidade.

Assim que a autenticação for confirmada, a interface de transferência


assim como o acesso aos vários ecrãs, aos relatórios ou à
transferência dos dados e da memória de dados, entre outras coisas,
ficam disponíveis.

Dados fixos

Identificação do cartão • Informação detalhada acerca do cartão, designadamente o


número de série, o tipo, o fabricante, etc.
• Número do cartão
• Estado-membro emissor, nome da entidade emissora e data de
emissão
• Validade

Informação de controlo • Nome da autoridade de controlo


(identificação do titular) • Morada da autoridade de controlo
• Primeiro e último nome do titular
• Idioma preferencial

104 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Dados variáveis

Actividades de controlo Relativamente às actividades de controlo, são memorizados os


seguintes dados:
• Data e hora do controlo
• Tipo de controlo
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir da
memória
- Visor, impressão ou transferência de dados a partir do cartão
- No caso de uma transferência de dados, a hora de início e
de fim da operação de cópia dos dados ficam registadas
• Número de matrícula da viatura que foi inspeccionada
• Local de registo da viatura que foi inspeccionada
• No caso do controlo do cartão do motorista
- Número do cartão
- Estado-membro emissor

São memorizadas, pelo menos, 230 registos.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 105


4.3 Cartões de tacógrafo Tratamento de dados

4.3.4 Cartão da empresa

Todos os dados relacionados com a empresa (dados fixos e


variáveis) e definidos pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I
B, são memorizados no cartão da empresa.

O representante da empresa utiliza o cartão para se identificar


perante o DTCO 1381, permitindo assim a gravação das actividades
da empresa relacionadas com essa identidade.

Nas funções de bloqueio ou de desbloqueio, o DTCO 3181 pode ficar


atribuído (bloqueado) à empresa ou pode ficar disponível
(desbloqueado) para a empresa

Assim que a autenticação for confirmada, a interface de transferência


assim como o acesso aos vários ecrãs, aos relatórios ou à
transferência dos dados e da memória de dados, entre outras coisas,
ficam disponíveis.

Dados fixos

Identificação do cartão • Informação detalhada acerca do cartão, designadamente o


número de série, o tipo, o fabricante, etc.
• Número do cartão
• Estado-membro emissor, nome da entidade emissora e data de
emissão
• Validade

Dados da empresa • Nome da empresa


(identificação do titular) • Morada da empresa

106 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.3 Cartões de tacógrafo

Dados variáveis

• Data e hora da actividade da empresa


• Tipo de actividade
- Activação do bloqueio
- Desactivação do bloqueio
- Transferência dos dados do cartão
- Transferência da memória de dados
• No caso de uma transferência de dados, a hora de início e de fim
da operação de cópia dos dados ficam registadas
• No caso da transferência de dados do cartão, o número e o
Estado-membro emissor do cartão do motorista
• Número da matrícula e a entidade responsável pelo registo da
viatura a partir da qual se procedeu à transferência de dados.

São memorizados, pelo menos, 230 registos.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 107


4.4 Transferência de dados Tratamento de dados

4.4 Transferência de dados

Os dados, relacionados com o motorista, a viatura e as calibrações,


da memória de dados do DTCO 1381 e de um cartão do motorista
que esteja inserido podem ser transferidos (copiados) a partir da
interface de transferência.

Os legisladores previram a necessidade de transferência de dados


nos seguintes casos:
• Controlos de estrada (operações STOP) e controlos operacionais
• Venda da viatura
• Desactivação da viatura
• Substituição de um DTCO 1381 defeituoso

A transferência só pode ser executada após uma correcta


autenticação da empresa, oficina ou de um cartão de controlo. Os
respectivos direitos de acesso estão definidos no Regulamento
(CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, conforme pode comprovar na página
seguinte (página 4-30 desta Secção do manual).

A transferência de dados não altera ou apaga os dados disponíveis


no DTCO 1381 ou cartão de tacógrafo.

Antes de transferir os dados, o DTCO 1381 vai atribuir uma


assinatura digita (identificação) aos dados a transferir. Com esta
assinatura, os dados podem ser atribuídos exclusivamente a esse
equipamento de gravação e permitem confirmar que os dados estão
completos e são autênticos.

108 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Tratamento de dados 4.4 Transferência de dados

4.5 Direitos de acesso aos dados memorizados

O direito de acesso aos dados memorizados (os dados ficam


disponíveis) está definido pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85,
Anexo I B, e varia consoante o cartão de tacógrafo em uso.

Os direitos de acesso não correspondem a um acesso directo aos


endereços de memória, mas corresponde antes à libertação dos
dados memorizados de modo a que estes possam ser impressos,
visualizados ou transferidos.

Direitos de acesso aos dados

centro
memorizados

Cartão do motorista

Cartão da empresa

Cartão de controlo

do
Sem cartão

técnico
Cartão
Imprimir Dados do motorista x V V V V
Dados da viatura T1 T2 T3 V V
Parâmetros V V V V V
Visualizar Dados do motorista x V V V V
Dados da viatura T1 T2 T3 V V
Parâmetros V V V V V
Transferir Dados do motorista x x V V V
Dados da viatura x x T3 V V
Parâmetros x x V V v

Dados do motorista = Dados disponíveis no cartão do


motorista
Dados da viatura = Dados disponíveis na memória de
dados
Parâmetros = Dados para acertar o equipamento

V = Acesso ilimitado
T1 = Actividades do motorista dos últimos oito dias, mas
sem os dados de identificação do motorista
T2 = Só estão disponíveis os dados de identificação do
motorista relacionados com o cartão que foi inserido
T3 = As actividades do motorista relacionados com a
empresa
x = Sem acesso aos dados

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 109


4.5 Direitos de acesso aos dados memorizados Tratamento de dados

110 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 5

Instalação

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Instalação

Tabela de conteúdos

Capítulo 5 – Instalação

5.1Informações gerais.....………………...………………….. 113


5.1.1 Definição de conceitos..........….........……... 113
5.1.2 Requisitos humanos……………..………….. 114
5.1.3 Requisitos técnicos..................................... 114
5.1.4 Outras instruções......................................... 115
5.1.5 Manuseamento de cartões de tacógrafo….. 116
5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381............. 117
5.2.1 Instruções principais para a instalação.…… 118
5.2.2 Instruções relativas a trabalhos na rede
eléctrica a bordo.......................................... 119
5.2.3 Instruções para a colocação e preparação
dos cabos de ligação................................... 119
5.2.4 Instruções para selar os componentes do
DTCO 1381.................................................. 120
Preparação dos utensílios de selagem........ 121
5.3Critérios para a escolha do local de instalação.......... 122
5.3.1 Requisitos legais.......................................... 122
5.3.2 Especificações do fabricante....................... 122
5.3.3 Recomendações do fabricante.................... 124
5.4Ferramentas e acessórios para a instalação............... 125
5.4.1 Ferramentas................................................. 125
5.4.2 Acessórios de instalação............................. 126
5.5Instalação........................................................................ 127
5.5.1 Diagrama esquemático................................ 127
5.5.2 Comprovar o estado do DTCO 1381
aquando da entrega..................................... 128
Verificar identidade e selagem……………... 128
Verificar bateria de salvaguarda…………… 129
5.5.3 Verificar o local da instalação e as ligações
do cabo........................................................ 130
5.5.4 Instalar o KITAS 2171.................................. 132
5.5.5 Selar o KITAS 2171 à caixa de velocidades 133
Com cobre de selagem................................ 133
Com selo hexagonal KITAS......................... 134
5.5.6 Preparar o compartimento de rádio............. 135
Montar a moldura de instalação no
compartimento de rádio............................... 135
Verificar o compartimento de rádio com
moldura de instalação………………………. 136
Preparar o DTCO 1381 para o montar no
compartimento de rádio…………………….. 136
5.5.7 Ligar o DTCO 1381 à corrente eléctrica da
viatura…………………………………………. 137
Ligar a ficha B………………….................... 138
Ligar as fichas C e D………………….......... 139
Ligar a ficha A…………………..................... 140
5.5.8 Montar o DTCO 138…………………………. 141
Desmontar o DTCO 1381…......................... 142

112 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.1 Informações gerais

5.1 Informações gerais

5.1.1 Definição de conceitos

A instalação do DTCO 1381 divide-se pelos seguintes passos:

1. Instalação
Instalação mecânica e eléctrica dos componentes do DTCO 1381 na
viatura.

2. Pré-programação
Pré-programação prévia de todos os parâmetros conhecidos ou
necessários para o funcionamento e que são exigidos por lei.

3. Verificação da instalação e teste de funcionamento


Teste e prova de que todo o sistema está dentro dos limites de erro,
em relação à distância percorrida e à velocidade, definidos pelo
Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.

4. Activação
Activação do DTCO 1381 como equipamento de controlo CE (com a
inserção do cartão do centro técnico pela primeira vez).

5. Calibração inicial
Calibração inicial do equipamento de controlo CE. Parte da primeira
calibração consiste na introdução do número da matrícula.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 113


5.1 Informações gerais Instalação

5.1.2 Requisitos humanos

Nas instruções que se seguem, o fabricante pressupõe que o


pessoal tenha conhecimentos adequados e comprovados para este
tipo de trabalho e que esteja habilitado a realizar os trabalhos
técnicos mais importantes e, ainda, que tenha tido formação para
manusear os componentes do DTCO 1381 de acordo com as suas
competências.

Instalação As pessoas responsáveis pela instalação dos componentes do


DTCO 1381 devem completar um curso de formação sobre a
instalação dos componentes do DTCO 1381.

Activação e calibração As pessoas responsáveis pela calibração e activação dos


componentes do DTCO 1381 devem:

• Possuir um cartão do centro técnico válido


• Completar um curso de formação sobre a instalação, calibração e
activação dos componentes do DTCO 1381.
• Na Alemanha, deverão igualmente reunir as condições exigidas
para a realização de tarefas, ao abrigo o § 57b.

Ao instalar o DTCO 1381, nos outros países, deve ter em conta a


legislação nacional prevista para esse efeito!

5.1.3 Requisitos técnicos

Deve preencher os seguintes requisitos para realizar as tarefas


pretendidas:
• Deve ter disponível o equipamento e as ferramentas exigidas ou
recomendadas pelo fabricante.
• O equipamento, os dispositivos de teste e acessórios devem
obedecer às normas legais válidas para o país onde forem
utilizados.

114 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.1 Informações gerais

5.1.4 Outras instruções

Uso normal O DTCO 1381 é um equipamento de controlo que cumpre o


Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, para o registo, a
memorização, o visionamento, a apresentação de dados
relacionados com motoristas e com viaturas. Só pode ser utilizado
para o uso com que foi concebido.

Alimentação eléctrica O DTCO 1381 só pode ser ligado às voltagens que constam no
diagrama da cablagem (etiqueta).

Acessórios Por razões de segurança, não se podem alterar os acessórios. Use


apenas acessórios recomendados ou aprovados pelo fabricante
para ajudar a evitar acidentes e falhas de funcionamento.

Cabos Ao preparar os cabos, certifique-se de que não estão danificados, de


que não são sujeitos a estragos causados por outros objectos ou
fontes de calor. Certifique-se de que os fios não perturbam nem
provocam interferências indesejadas.

Cuidado! Risco de incêndio por curto-circuito


Cabos danificados podem provocar curto-circuitos, interferências
indesejadas ou perturbações.

Substitua de imediato todos os cabos danificados!

Edição 04/2006 Descrição Técnica do DTCO 1381 115


5.1 Informações gerais Instalação

5.1.5 Manuseamento de cartões de tacógrafo

Atenção!
A posse de um cartão de tacógrafo autoriza o titular a usar um
tacógrafo digital. Os cartões de tacógrafo são pessoais (já os
cartões do centro técnico são da empresa) logo são
intransmissíveis!

A oficina autorizada deve guardar, utilizar e gerir o seu cartão do


centro técnico e o PIN com toda a segurança. O cartão do centro
técnico e o PIN não devem ser facultados a terceiros!

A oficina autorizada deve garantir a existência de uma linha de


comunicação segura entre o DTCO 1381 e o cartão do centro
técnico!

Se perder o cartão do centro técnico, informe imediatamente a


entidade emissora!

Cumpra os dispositivos legais do seu país referentes a cartões do


centro técnico!

Cumpra as instruções da entidade emissora e do fabricante do


cartão!

Cumpra a seguinte informação acerca dos cartões de tacógrafo:

• Os cartões de tacógrafo devem ser manuseados com cuidado


para evitar a perda de informação.
• Os cartões de tacógrafo não devem ser dobrados, torcidos ou
usados para outros fins.
• Não use cartões de tacógrafo danificados.
• As superfícies de leitura devem ser mantidas limpas, secas, livres
de gordura ou de óleo (mantenha sempre o cartão dentro da capa
de protecção).
• Proteja os cartões da exposição solar, calor e frio (nunca o deixe
em cima do painel de instrumentos).
• Não os deixe na proximidade de campos magnéticos.
• Não os use depois de expirar a data de validade e peça
atempadamente um cartão novo.

116 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381

5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381

Este capítulo descreve a correcta instalação dos componentes do


DTCO 1381 na viatura.

Atenção! Viaturas utilizadas para transporte de matérias


perigosas
Durante a instalação do DTCO 1381 (variante ADR) numa viatura
utilizada no transporte de matérias perigosas, é fundamental que
respeite as instruções, normas e passos adicionais ou distintos que
constam do Capítulo 6 “Instalação da Variante ADR”.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 117


5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381 Instalação

5.2.1 Instruções principais para a instalação

Atenção! Risco de danos físicos


A intervenção mecânica no motor de uma viatura pode ser muito
perigoso. Quando estiver a trabalhar, cumpra as normas de
segurança definidas pelas entidades competentes e os regulamentos
para a prevenção de acidentes.

A instalação dos componentes do DTCO 1381 não implica uma


intervenção nos equipamentos de segurança da viatura. Quando
instalado correctamente, o equipamento e as funcionalidades de
condução não serão alteradas nem influenciadas.

Durante a instalação dos componentes do DTCO 1381, siga as


seguintes instruções:
• Siga sempre as instruções do fabricante, sobretudo quando
estiver a mexer na bateria da viatura).
• Certifique-se de que as normas legais para o local de instalação
são cumpridas, de que há espaço suficiente para manusear o DTCO
1381 e de que o visor está posicionado para permitir uma boa
legibilidade.
• Quando instalar os componentes do DTCO 1381, evite danificar
os cabos existentes na viatura ou soltar inadvertidamente as
ligações.
• Antes de remover as capas e outras peças da viatura
semelhantes, informe-se dos procedimentos correctos para a
desmontagem de modo a evitar danificar as peças.
• Consulte os diagramas de ligação para conhecer a localização
das condutas de combustível, hidráulicas, de ar comprimido e cabos
eléctricos.
• Quando retirar cabos da ficha, nunca puxe pelo cabo, mas antes
pela tomada ou através do sistema de fecho adequado.
• Durante a montagem, use apenas peças e acessórios originais
VDO. Apenas instale componentes que não estejam danificados.
• Durante a instalação, certifique-se de que o DTCO 1381 não
influencia ou restringe, de forma indesejada, as funcionalidades da
viatura.
• Informe o motorista/a empresa do correcto funcionamento do
DTCO 1381 e entregue-lhe as instruções de funcionamento
adequadas.

118 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381

5.2.2 Instruções relativas a trabalhos na rede eléctrica a bordo

Cuidado! Risco de curto-circuito


Ao trabalhar com a bateria da viatura, siga à risca as instruções do
fabricante!
• Apesar de que ao desligar-se a bateria, está-se a prevenir o risco
de curto-circuitos, resultam outros efeitos secundários:
- O código de segurança do rádio será apagado
- Se a viatura estiver equipada de sistemas inteligentes, os seus
dados (como, por exemplo, a memória de erros da regulação do
motor) podem ser apagadas.
• Antes de desligar os bornes da bateria, faça o seguinte:
- Desligue todos os aparelhos eléctricos
- Separe o borne negativo do borne positivo.

5.2.3 Instruções para a colocação de preparação dos cabos de ligação

Cuidado! Risco de incêndio por curto-circuito


Cabos danificados podem provocar curto-circuitos, interferências
indesejadas ou outras perturbações.

Por favor, siga as seguintes recomendações:


• Respeite sempre a informação fornecida pelo fabricante da
viatura.
• Disponha os cabos de modo a que não fiquem sujeitos a forças
de tracção, de tensão ou forças transversais.
• Prenda convenientemente o cabo através de fita ou grampos
• Não faça o cabo circular através de peças móveis. Use buchas
de borracha para proteger o cabo na passagem por peças metálicas
ou plásticas.
• Substitua imediatamente os cabos danificados!

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 119


5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381 Instalação

5.2.4 Instruções para selar os componentes do DTCO 1381

Base Legal De acordo com o Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, as


seguintes peças devem ser seladas:
• Todas as ligações que, caso sejam separadas, podem resultar em
alterações não-documentadas ou perdas de dados indetectáveis.
• A placa de instalação, a não ser que seja instalada de forma a
impedir a retirada sem a perda de informação nela contida.

Respeite as medidas legais previstas no seu país e certifique-se se a


selagem a posteriori de equipamentos de controlo CE é exigida por
lei

Selagem do DTCO 1381 O organismo alemão que tutela o sector automóvel atribuiu o número
de homologação CEE “e1-84” como equipamento de controlo CE ao
DTCO 1381.

Por lei, para selar os componentes do DTCO 1381 são necessários


os seguintes tipos de selagem:
• Selagem de chumbo para impedir a abertura da caixa exterior
• Selagem de chumbo para impedir a abertura do compartimento
da bateria
• Selagem para impedir a desmontagem do gerador de impulsos
KITAS 2171 à caixa de velocidades
- Com cobre de selagem e selo de chumbo de dois furos.
- Com selo hexagonal KITAS
• Selagem da placa de instalação (através de lâmina de selagem)

Notas Ao selar os componentes do DTCO 1381, respeites as seguintes


notas:
• Ao selar, use apenas ferramentas originais da VDO e das peças
de selagem que estão disponíveis como acessórios.
• Os componentes podem ser selados com chumbo durante cada
um dos passos de trabalho.
• Pode não ser possível retirar ou desactivar peças protegidas pelo
selo sem as destruir ou provocar danos consideráveis.
• Quando estiver a selar, certifique-se especialmente de que:
- O alicate de selagem está devidamente ajustado e de que usa o
número de selo adequado,
- A fita de selagem seja suficiente curta para que não seja possível
desapertar as ligações,
- A fita de selagem não vai provocar curto-circuitos.

120 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.2 Instruções sobre a instalação do DTCO 1381

Preparação dos utensílios de selagem

Montar a ferramenta de selagem Para estampar correctamente a marca de selagem, prepare e ajuste
convenientemente o alicate de selagem.
1. Introduza o selo original da Kienzle (1) no alicate e encaixe-o
através do parafuso de aperto (2).
2. Feche o alicate e aperte o parafuso serrilhado (3) até ao fim.
3. Aperte o parafuso serrilhado (4) no selo até ao fim e engate
através do parafuso de aperto (5).

Estampar a marca de selagem 4. Proceda ao teste de estampagem. Introduza a marca de


selagem neutra (8) por cima do parafuso de aperto e aperte com o
alicate até ao fim.
• O relevo da marca de selagem deve estar perfeitamente legível.
5. Caso seja necessário, ajuste o parafuso de serrilhado (6) e o
parafuso de aperto (7) para fixar a posição correcta.

Inserir a marca de selagem 6. Introduza o selo (9) na respectiva base de selagem e utilize a
ferramenta de montagem (10) para apertar.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 121


5.3 Critérios para a escolha do local de instalação Instalação

5.3 Critérios para a escolha do local de instalação

5.3.1 Requisitos legais

O Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, define os critérios


para a escolha do local onde vai ser instalado o equipamento de
controlo CE. As seguintes passagens do texto legal descrevem os
principais critérios:

Requisito 248a O equipamento de controlo deve estar instalado na viatura de modo


a que o motorista consiga aceder as todas as funções de que
necessita sem sair do posto de condução.

Requisitos 143 e 144 As mensagens de alerta visuais devem ser claramente reconhecidas
pelo utilizador, estar dentro do campo de visão do motorista e ser
claramente legíveis tanto de dia quanto de noite.

Requisito 144 As mensagens de alerta visuais podem estar incorporadas no


equipamento ou remotamente instaladas (através, p. ex. de um
instrumento combinado).

Requisito 145 Se for instalada remotamente, a mensagem de alerta deve vir


acompanhada do símbolo e aparecer na cor âmbar ou laranja.

5.3.2 Especificações do fabricante

Medidas de montagem do DTCO


1381

Fig. 31: Medidas de montagem do DTCO 1381

122 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.3 Critérios para a escolha do local de instalação

Ângulo de montagem
do DTCO 1381
+ 45°

- 45°

Fig. 32: Ângulo de montagem do DTCO 1381

Espaço livre necessário para a instalação e funcionamento do DTCO 1381

Fig. 33: Espaço livre para a montagem e funcionamento do DTCO 1381

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 123


5.3 Critérios para a escolha do local de instalação Instalação

Orientação admissível do ângulo


do visor

Fig. 34: Orientação admissível do ângulo do visor

5.3.3 Recomendações do fabricante

Suporte do compartimento de
rádio

Fig. 35: Apoio traseiro do compartimento de rádio

(1) Suporte da traseira da caixa do DTCO 1381 através do


elemento previsto no compartimento de rádio.

124 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.4 Ferramentas e acessórios para a instalação

5.4 Ferramentas e acessórios para a instalação

5.4.1 Ferramentas

Fig. 36: Ferramentas

Ferramentas especiais (1) Alicate de selagem


(2) Ferramenta de montagem para selagem
(3) Extractor auxiliar para retirar o DTCO 1381 da moldura
de instalação (duas peças)
(4) Ferramenta especial para desengatar os terminais Junior-
Power-Timer

Ferramentas normais Para instalar os componentes do DTCO 1381, pode vir a precisar
das ferramentas que um mecânico de automóveis necessita
habitualmente:
• Jogo de chaves de parafusos
• Jogo de chaves de boca e de chaves sextavadas
• Jogo de chaves de canhão
• Ferramentas para os circuitos eléctricos de automóveis, tais como
alicates de corte, alicates de compressão
• Instrumentos de medição (multímetros)

Para desmontar o painel de instrumentos, pode ser necessário a


utilização de ferramentas específicas para a viatura em causa.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 125


5.4 Ferramentas e acessórios para a instalação Instalação

5.4.2 Acessórios de instalação

Acessórios

Acessórios em opção

Acessórios

Fig. 37: Acessórios de instalação

Acessórios Artigo Número de pedido Acessório


do DTCO 1381 1 1324.90 01 00 05 Moldura de instalação
2 1381.90 04 00 00 Extractor auxiliar
3 1381.90.05 04 00 Distanciador
1381.90.05 05 00 Parafuso de apoio (4 peças)
Extensão de distanciador
4 1381.90 05 02 00 Protector da ficha
Acessórios em opção 5 1381.90 03 03 00 Papel de impressora (3 rolos)
do DTCO 1381 6 1381.90 02 01 00 Tampa (ficha)
7 1381.90 02 03 00 Parafuso
8 1311.92 00 00 09 Selo (neutro)
9 HS53.1600.057 Bateria de salvaguarda
Acessórios 10 2170.80 01 08 50 Cabo transmissor (ca. 8,5 m)
do KITAS 2171 11 1999.92 00 00 12 Fita de selagem
12 1999.92 00 00 15 Selo de dois furos
13 2170.92 00 00 03 Selo hexagonal KITAS

126 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

5.5 Instalação

Definição Consiste na instalação mecânica e eléctrica dos componentes do


DTCO 1381 na viatura.

Requisitos Na descrição da instalação, assume-se que:


• O local onde o DTCO 1381 vai ser instalado cumpre todos os
requisitos legais.
• As especificações técnicas do DTCO 1381 e do KITAS 2171
(condições ambientais, alcance das tensões) são respeitadas.
• Os cabos de ligação necessários estão disponíveis na viatura e
cumprem todas as especificações técnicas.

5.5.1 Diagrama esquemático

5.5.2 Comprovar o estado do DTCO 1381, aquando da entrega

L
5.5.3 Verificar o local da instalação e as ligações do cabo

L
5.5.4 Instalar o KITAS 2171

L
5.5.5 Selar o KITAS 2171 à caixa de velocidades

L
5.5.6 Preparar o compartimento de rádio

L
5.5.7 Ligar o DTCO 1381 à corrente eléctrica da viatura

L
5.5.8 Montar o DTCO 1381

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 127


5.5 Instalação Instalação

5.5.2 Comprovar o estado do DTCO 1381 aquando da entrega

Verificar a identificação e a selagem

Antes de instalar o DTCO 1381, verifique os seguintes pontos:

1. Certifique-se de que a informação constante na chapa de modelo


do DTCO 1381 corresponde à que aparece no comprovativo de
entrega:
• Fabricante
• Tipo de equipamento (número do produto)

2. Certifique-se de que a informação constante na chapa de modelo


do DTCO 1381 corresponde aos dados guardados electronicamente
no DTCO 1381:
• Fabricante
• Tipo de equipamento (número do produto)
• Número de série

3. Certifique-se de que os seguintes selos do DTCO 1381 não foram


violados:
• Selagem do equipamento
• Selo no compartimento da bateria

Pode aceder aos dados armazenados no DTCO 1381 através das


seguintes interfaces:
• Interface de calibração
• Interface de diagnóstico K-line *
• Diagnóstico bus CAN *

* Consoante a versão

Através do menu de funções, pode imprimir (imprimir os “Dados


Técnicos” da viatura) ou visualizar (afixar “Dados Técnicos” da
viatura) os dados memorizados no DTCO 1381.

Atenção!
Se algum dos pontos supra mencionados não cumprir as
especificações, NÃO INSTALE O DTCO 1381!

128 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

Verificar a bateria de salvaguarda

Para garantir um bom funcionamento do DTCO 1381, a bateria de


salvaguarda deve ser substituída nas seguintes situações:
• Durante a instalação, activação ou calibração inicial, caso a data
de fabrico do DTCO 1381 seja superior a 12 meses.
• A cada inspecção periódica.

Data de fabrico do DTCO 1381 A data de fabrico do DTCO 1381 consta da embalagem e da chapa
de modelo, e aparece codificada como “MYY”:

M = mês de fabrico
A Janeiro G Julho
B Fevereiro H Agosto
C Março J Setembro
D Abril K Outubro
E Maio L Novembro
F Junho M Dezembro

YY = ano de fabrico
08 2008 10 2010
09 2009 … …

1. Verifique a data de fabrico do DTCO 1381.


2. Se a data de fabrico do DTCO 1381 for superior a 12 meses,
substitua a bateria de salvaguarda do DTCO 1381. Consulte o
Capítulo 12.2 “Bateria de Salvaguarda, na página 234.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 129


5.5 Instalação Instalação

5.5.3 Verificar o local de instalação e as ligações do cabo

Antes de instalar o DTCO 1381, verifique os seguintes pontos:

Critérios legais • O equipamento de controlo deve estar instalado na viatura de


modo a que o motorista consiga aceder as todas as funções de que
necessita sem sair do posto de condução.
• As mensagens de alerta visuais devem ser claramente
reconhecidas pelo utilizador, estar dentro do campo de visão do
motorista e ser claramente legíveis tanto de dia quanto de noite.
• As mensagens de alerta visuais podem estar incorporadas no
equipamento ou remotamente instaladas (através, p. ex. de um
instrumento combinado).
• Se for instalada remotamente, a mensagem de alerta deve vir
acompanhada do símbolo e aparecer na cor âmbar ou laranja.
• Os caracteres que aparecem no visor devem estar claramente
legíveis a partir do exterior do equipamento de controlo.

Especificações do fabricante • Ângulo de instalação do DTCO 1381: máx. ± 45º


• Ângulo do visor: máx. ± 30º
• Deve haver espaço suficiente para instalar e operar o DTCO
1381.

Alimentação eléctrica • O DTCO 1381 só pode ser ligado às voltagens que constam no
diagrama da cablagem (etiqueta).

Cabos • Ao preparar os cabos, certifique-se de que não estão danificados,


de que não são sujeitos a estragos causados por outros objectos
ou fontes de calor.
• Certifique-se de que os fios não perturbam nem provocam
interferências indesejadas, p.e., ao usar o Junior-Power-Timer.

Cuidado! Risco de incêndio por curto-circuito


Cabos danificados podem provocar curto-circuitos, interferências
indesejadas ou perturbações.

Substitua de imediato todos os cabos danificados!

130 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

Recomendações do fabricante

Fig. 38: Recomendações do fabricante

• Certifique-se de que os cabos de ligação (1) tenham comprimento


suficiente para um DTCO 1381, já instalado, possa ser
desmontado sem dificuldade, e que se possam fazer outras
ligações, se necessário.
• Apoio no compartimento de montagem (2).

1. Certifique-se de os locais de montagem do DTCO 1381, assim


como do KITAS 2171, cumprem os requisitos legais e os
requisitos definidos pelo fabricante.
2. Verifique o estado das ligações, assim como o bom cumprimento
dos requisitos.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 131


5.5 Instalação Instalação

5.5.4 Instalar o KITAS 2171

As seguintes versões do KITAS estão disponíveis para instalação:


• Versão-padrão KITAS 2171.0x
Esta versão é aparafusada à saída da caixa de velocidades.
• Versão integrada KITAS 2171.20/2171.xx
Esta versão é aparafusada à saída da caixa de velocidades, havendo
vários comprimentos para diferentes profundidades.

Atenção!
Utilize apenas a versão do KITAS 2171 que melhor se adapta às
características da caixa de velocidades.

Se utilizar a versão integrada do KITAS 2171, certifique-se de que


está a usar a profundidade de inserção adequada!

Fig. 39: Instalar o sensor de movimento do KITAS 2171

1. Encaixe o KITAS 2171 – versão integrada (2 a) – à saída da


caixa de velocidades (1).

Ou

Encaixe o KITAS 2171 – versão integrada (2 b) – na saída


da caixa de velocidades (1).

Atenção!
Respeite o esforço de torção máximo (50 Nm).

132 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

5.5.5 Selar o KITAS 2171 à caixa de velocidades

Com cobre de selagem

A descrição que se segue pormenoriza os procedimentos usando o


KITAS 2171 na versão integrada. Caso use o outro método de
instalação, siga o mesmo procedimento.

Fig. 40: Selagem do KITAS 2171 à caixa de velocidades


(com cobre de selagem)

1. Se necessário, retire o cabo do sensor KITAS (4) do KITAS


2171.
2. Introduzir o fio de selagem, através do orifício do parafuso (1)
ou semelhante, na saída da caixa de velocidades.
3. De seguida, passe o cobre de selagem pelos três orifícios (2)
do KITAS 2171.
4. Passe as duas pontas do selo de chumbo através dos dois
furos (3), una as duas pontas e enrole-as juntas.
5. De seguida, aperte o selo de chumbo com o alicate,
deixando, desta forma, a marca de selagem.
6. Ligue o cabo de sensor KITAS (4) ao KITAS 2171 através da
ligação de tipo baioneta.

Siga as instruções de selagem, no Capítulo 5.2.4 “Instruções para


Selar os Componentes do DTCO 1381”, na página 120.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 133


5.5 Instalação Instalação

Com selo hexagonal KITAS

A descrição que se segue pormenoriza os procedimentos usando o


KITAS 2171 na versão integrada. Caso use o outro método de
instalação, siga o mesmo procedimento.

Fig. 41: Selagem do KITAS 2171 à caixa de velocidades


(com selo hexagonal KITAS)

1. Se necessário, retire o cabo do sensor KITAS (3) do KITAS


2171.
2. Introduzir o selo KITAS (1) no KITAS 2171, até ficar
encaixado.
3. De seguida, aperte o selo KITAS (2) com o alicate, deixando,
desta forma, uma marca de selagem.
4. Ligue o cabo de sensor KITAS (3) ao KITAS 2171 através da
ligação de tipo baioneta.

O KITAS 2171, que esteja protegido pela pré-selagem, deve estar de


tal forma preso que não se possa soltar ou inutilizado sem destruir ou
danificar, de forma visível, os elementos

Siga as instruções de selagem, no Capítulo 5.2.4 “Instruções para


Selar os Componentes do DTCO 1381”, na página 120.

134 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

5.5.6 Preparar o compartimento de rádio

Montar a moldura de instalação no compartimento de rádio

Fig. 42: Montagem da moldura de instalação no compartimento de


rádio

1. Introduza a moldura de montagem (1).


2. Com a ajuda de uma chave de fendas, dobre as saliências
(2) para cima, encaixando-as no painel de instrumentos, permitindo
assim à moldura de instalação ficar bem presa no compartimento do
rádio (3).
3. Passe todos os cabos de ligação ao DTCO 1381 através da
moldura de instalação.

Sempre que utilizar uma moldura de instalação específica para


determinada viatura, siga sempre as recomendações do fabricante
da viatura.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 135


5.5 Instalação Instalação

Verificar o compartimento de rádio com moldura de instalação

Fig. 43: Verificar o compartimento de rádio com moldura de


instalação

Verificar o compartimento de rádio com moldura de instalação:


• Verifique que a moldura de instalação (1) que foi instalada está
devidamente presa no lugar.
• Verifique a existência do apoio adicional (2) situado na parte de
trás do compartimento de rádio.
• Verifique se a existência de espaço livre para as “garras” (3) do
DTCO 1381.
• Verifique que todos os cabos de ligação (4) passaram pela
moldura de instalação.

Preparar o DTCO 1381 para o montar no compartimento de rádio

Fig. 44: Preparar o DTCO 1381 para o montar no compartimento de


rádio

1. Verifique se é necessário utilizar o distanciador (1) como apoio na


parte de trás do compartimento.
2. Se necessário, aparafuse o distanciador à parte de trás da caixa
do DTCO 1381.

136 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

5.5.7 Ligar o DTCO 1381 à corrente eléctrica da viatura

Para ligar o DTCO 1381 à corrente eléctrica da viatura, siga os


seguintes procedimentos pela ordem indicada:

1. A ficha B (sensor de movimento KITAS 2171, saída de impulsos


v)
2. As fichas C (bus CAN, sistema n *) e D (interface de informação e
funções adicionais *)
3. A ficha A (fonte de alimentação, bus CAN)
4. Se necessário, monte e sele a tampa.

Para prevenir utilizações não-autorizadas, também pode montar e


selar a tampa da ficha, que está disponível em opção.

Contudo, a instalação e selagem da tampa da ficha não é obrigatória


por lei.

* Em opção

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 137


5.5 Instalação Instalação

Ligar a ficha B

1 Cabo de sensor KITAS

(amarelo)

B (amarelo)

Fig. 45: Ligar o DTCO 1381 ao KITAS 2171

Azul Bl 1. Insira a ficha amarela (1) do cabo de sensor KITAS na ficha “B” do DTCO 1381.
Castanho Br
Amarelo Ye
Cinzento Gr
Verde Gn
Azul claro Lbl
Vermelho Rd
Preto Blk
Branco Wt
Castanho- Brblk
preto
Vermelho- rdgr
cinzento

O cabo de sensor KITAS deve possuir determinadas características. Consulte o


Capítulo 2.2.6 “Cabo de Sensor KITAS”, na página 52.

138 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

Ligar as fichas C e D

A atribuição dos pernes e o diagrama de ligações pode variar de um modelo para outro
do DTCO 1381.

C (red, i.e. vermelho)

D (brown, i.e. castanho)

Fig. 46: Ligar as fichas C e D do DTCO 1381

1. Insira a ficha vermelha (1) na ficha “C” do equipamento e a ficha castanha (2) na ficha
“D” do DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 139


5.5 Instalação Instalação

Ligar a ficha A

Cuidado! Risco de curto-circuito


Ao realizar os seguintes passos, siga à risca as instruções do fabricante!

Azul Bl
Castanho Br
Amarelo Ye (p/a fonte de alimentação)
Cinzento Gr
Verde Gn
Azul claro Lbl
Vermelho Rd
Preto Blk
Branco Wt
Castanho- Brblk
preto A (white, i.e. branco)
Vermelho- rdgr
cinzento

Fig. 47: Ligar a ficha A do DTCO 1381

1. Desligue a bateria da corrente eléctrica da viatura


ou
corte a corrente retirando o fusível.

2. De seguida, insira a ficha branca (1) na ficha “A” do DTCO 1381.

3. Volte a ligar a bateria da viatura


ou
volte a introduzir o fusível.

140 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação 5.5 Instalação

5.5.8 Montar o DTCO 1381

Fig. 48: Montar o DTCO 1381 ao compartimento de rádio

1 Na parte de trás do DTCO 1381 (2), aperte o protector (5) contra


o distanciador (3) ou o perne de rosca (4).
2 De seguida, empurre a moldura de instalação (1) até que se
encaixe na moldura e a tampa do DTCO se encaixe à consola.

Normalmente, na parte de trás de trás do compartimento do rádio, há


um apoio suplementar, com um buraco (6). Quando o DTCO 1381 é
empurrado para dentro do compartimento de rádio, o protector (5) se
encaixe no buraco.

Atenção!
Quando inserir o DTCO 1381 na moldura de instalação, certifique-se
que os cabos não ficam presos ou danificados.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 141


5.5 Instalação Instalação

Desmontar o DTCO 1381

Fig. 49: Remover o DTCO 1381 do compartimento de rádio

1. Encaixe os extractores auxiliares (1) nas aberturas situadas dos


dois lados do DTCO 1381.
2. De seguida, pressione ligeiramente os dois extractores para fora e
puxe o DTCO 1381 para fora do compartimento do rádio.

142 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 6

Instalação da variante ADR

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Instalação da variante ADR

Tabela de conteúdos

Capítulo 6 – Instalação da variante ADR

6.1 DTCO 1381 – Variante ADR………………………… 145


6.1.1 Disposições legais...............…............….… 145
6.1.2 Requisitos do sistema de tacógrafo............. 146
6.1.3 Requisitos para a ligação de equipamentos
externos....................................................... 147
6.1.4 Identificação do sistema de tacógrafo......... 148
Tacógrafo digital DTCO 1381...................... 148
Transmissor de impulsos KITAS 2171......... 149
6.2 Instalação................................................................ 150
6.2.1 Instruções de instalação........……............... 150
6.2.2 Alimentação de corrente do DTCO 1381
(variante ADR)……………………………….. 151
6.2.3 Circuito de corrente de segurança
intrínseca KITAS 2171..…………………….. 152
6.3 DTCO 1381
Certificado de homologação do modelo CE........ 153
6.4 KITAS 2171
Certificado de homologação do modelo CE……….. 159

144 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.1 DTCO 1381 – Variante ADR

6.1 DTCO 1381 – Variante ADR

Este capítulo descreve – em complemento ao Capítulo 5


“Instalação”, desde a página 111, unicamente as instruções, os
requisitos e as tarefas adicionais, ou diferentes, com vista à correcta
instalação dos componentes do DTCO 1381 num veículo de
transporte de matérias perigosas.

6.1.1 Disposições legais

Os veículos utilizados no transporte de matérias perigosas estão


sujeitos às seguintes leis, directivas e normas especiais:

Legislação comunitária • ADR parte 9


• Normas EN 50014
• Normas EN 50020
• Normas EN 50021
• Directivas CE 94/9/CE; 98/97/CE
• Regulamento (CEE) n.º 3821/85

Legislação alemã • GGVS (via sujeita ao regulamento de matérias perigosas)


• Disposições VDE (em particular VDE 0170 e 0171)

ADR 2001/2003 De acordo com o disposto no ADR 2001/2003, considera-se que:


todos os componentes do sistema eléctrico, incluindo os cabos, que
devem ter corrente, quando o interruptor da bateria está aberto, têm
de:
• Ter as características adequadas para operar em zonas perigosas
e
• Cumprir as disposições principais da norma IEC 60079, partes 0
ou 14, assim como as disposições adicionais aplicáveis das partes 1,
2, 5, 6, 7, 11, 15 ou 18.

IEC padrão 60079, parte 14 Para aplicar a norma IEC 60079, parte 14, deverá aplicar-se o
seguinte:
Todos os componentes do sistema eléctrico, incluindo os cabos, que
devem ter corrente, quando o interruptor da bateria está aberto, têm
de cumprir as seguintes disposições:
• Zona 1, para a generalidade dos equipamentos eléctricos ou Zona
2, para equipamentos eléctricos situados na cabina.
• O grupo de explosão IIC, classe de temperatura T6.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 145


6.1 DTCO 1381 – Variante ADR Instalação da variante ADR

Os componentes e cabos do sistema eléctrico instalados num


espaço cuja temperatura, induzida por equipamentos não-eléctricos
situados nesse mesmo espaço, ultrapassar a classe de temperatura
T6, devem:
• Ter a classe de temperatura T4 ou superior.

Em, alternativa, pode aplicar-se as disposições gerais da norma EN


50014 e as disposições adicionais das normas EN 50015 a 50021 ou
a 50028.

Identificação ADR Os veículos utilizados no transporte de matérias perigosas devem


possuir uma licença especial e devem estar devidamente
identificados com a respectiva sinalética.

6.1.2 Requisitos do sistema de tacógrafo

O sistema de tacógrafo é constituído pelo equipamento de controlo


CE DTCO 1381 e o sensor de movimentos KITAS 2171.

O sistema de avisos não faz parte do sistema de tacógrafo e deve


estar desactivado, quando o interruptor da bateria estiver aberto
(caso ADR).

Os sistemas de tacógrafo instalados nos veículos utilizados no


transporte de matérias perigosas devem ter as seguintes
características:
• O equipamento de controlo CE deve possuir o equipamento
especial necessário e estar devidamente identificado com a
respectiva sinalética.
• O sistema de tacógrafo deve possuir um circuito de segurança
intrínseco entre o equipamento de controlo CE e o sensor.

Certificado de homologação de Um certificado de homologação de modelo CE em conformidade com


modelo CE do DTCO 1381 a norma EN 50021 relativa à protecção de tipo n foi emitido para o
DTCO 1381. Para a interface do sensor, foi emitido um certificado de
homologação de modelo CE em conformidade com a norma EN
50020, com a segurança intrínseca “ib” como material pertinente de
segurança intrínseca.

Certificado de homologação de Para o KITAS 2171, foi emitido um certificado de homologação de


modelo CE do KITAS 2171 modelo CE em conformidade com a norma EN 50020 com a
segurança intrínseca “ib” como material pertinente de segurança
intrínseca.

146 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.1 DTCO 1381 – Variante ADR

6.1.3 Requisitos para a ligação de equipamentos externos

A ligação de equipamentos externos a interfaces (de transferência,


remota ou de informação pino D8) do DTCO só é possível se esses
dispositivos cumprirem as seguintes disposições:
• Esses equipamentos devem estar inactivos durante o uso normal
(caso ADR).
• As linhas de dados devem ser instaladas no interior da cabine da
viatura.

Cuidado! Risco de explosão


Em ambientes, particularmente, perigosos é expressamente proibido
ligar equipamentos externos à interface de transferência do DTCO
1381, nas condições de funcionamento previstas – como é o caso
das operações de “Carga e Descarga de Matérias Perigosas”.

Requisitos para aplicação da Nas suas entradas, os equipamentos devem adicionalmente possuir
interface de informação (pino D8) as seguintes características para poderem ser ligados à interface de
informação (pino D8):

Entrada da
interface de Dispositivo externo
informação (ECU) Avaliação do sinal
(pino D8) pelo
microprocessador
min 1 kΏ

max. 10 nf

Fig. 50: Requisitos para aplicação da interface de informação (pino


D8)

Atenção!
As referidas disposições para a ligação de equipamentos externos às
interfaces do DTCO 1381 e a aplicação de interface de informação
(pino D8) integram o certificado de homologação e devem ser
cumpridos no momento de serem instalados na viatura.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 147


6.1 DTCO 1381 – Variante ADR Instalação da variante ADR

6.1.4 Identificação do sistema de tacógrafo

Tacógrafo digital DTCO 1381 1

Lado frontal do equipamento

12:50” ƒ 0km/h
€ 100436.8km € OK

1 2

Fig. 51: Lado frontal do DTCO 1381

(1) Marca no lado frontal do equipamento

Chapa de modelo DTCO 1381


(variante ADR)

Fig. 52: Chapa do modelo DTCO 1381 (variante ADR)

(1) Designação do modelo:


DTCO 1381.xxx

(2) Marca da homologação:


II 3(2) EEx nA [Ib] T6 0032
TÜV 03ATEX 2324X

148 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.1 DTCO 1381 – Variante ADR

Transmissor de impulsos KITAS 2171

KITAS 2171.20
KITAS 2171.50
KITAS 2171.0x

Fig. 53: Transmissor de impulsos KITAS 2171

(1) Homologação do tipo CEM:


e1-033434

(2) Homologação do desenho CEE:


e1-175

(3) Fabricante:
Continental Automotive GmbH – Villingen

(4) Marca de Homologação:


II2 EEx ib IIC T4 0032
TÜV 02 ATEX 1842 X

(5) Designação do modelo KITAS, data de fabrico:


2171.xx xxxx V1.xx WWYY/2171.xx xxxx WWYY

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 149


6.2 Instalação Instalação da variante ADR

6.2 Instalação

6.2.1 Instruções de instalação

Notas Ao instalar o DTCO 1381 (variante ADR) num veículo utilizado no


transporte de matérias perigosas, deverá respeitar as seguintes
instruções:
• O DTCO 1381 foi concebido para ser instalado no compartimento
de rádio. Para manter o grau de protecção garantido pela caixa da
variante ADR, só é permitido instalar o equipamento no
compartimento de rádio.
• Os circuitos eléctricos de alimentação permanente devem
satisfazer as normas EN relativas à protecção contra explosões e
disposições do ADR.
• Não ligue equipamentos ou cargas adicionais ao circuito eléctrico
de segurança intrínseca.
• Todos os fios eléctricos devem estar bem presos e fixos, livres de
qualquer tensão mecânica ou térmica.
• Os fios eléctricos instalados fora da cabina devem estar
protegidos de impactos, do desgaste, durante o normal
funcionamento da viatura, através de:
- Um revestimento ou tubo flexível ondulado em poliamida,
- Um revestimento ou tubo flexível ondulado em poliuretano,
- Uma malha metálica com capa interna e externa.
• As fichas de ligação devem estar presas para impedir que se
soltem sozinhas.
• Por razões de segurança, deve cumprir a observação ou
classificação das zonas.
• O comprimento máximo do cabo de sensor não deve exceder os
20 metros.
• Ao ligar equipamentos externos à interface de transferência,
remota ou de informação (pino D8), siga as recomendações
apresentadas no Capítulo 6.1.3 “Requisitos para a Ligação de
Equipamentos Externos”, na página 147.

Tenha em atenção!
As eventuais reparações do DTCO 1381 e do KITAS 2171 devem ser
exclusivamente realizadas por oficinas autorizadas!

Nunca abra ou modifique o DTCO 1381 ou o KITAS 2171.

150 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.2 Instalação

6.2.2 Alimentação de corrente do DTCO 1381 (variante ADR)

(p/a fonte de alimentação)

(branco)

disjuntor
bateria A (branco)
(positivo)

bateria
viatura

disjuntor
bateria 1
(negativo)

Fig. 54: Alimentação de corrente do DTCO 1381 (variante ADR)

1. Desligue a bateria da corrente eléctrica da viatura


ou
corte a corrente retirando o fusível.

2. De seguida, insira a ficha branca (1) na ficha “A” do DTCO


1381.

3. Volte a ligar a bateria da viatura


ou
volte a introduzir o fusível.

Relativamente às características (de amperagem) do fusível (1) e ao diâmetro


dos cabos, siga as disposições da norma EN 50020 e as especificações das
ligações do DTCO 1381. Consulte o capítulo 2.1.3 “Características das ligação”,
na página 37.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 151


6.2 Instalação Instalação da variante ADR

6.2.3 Circuito de segurança intrínseca do KITAS 2171

Cabo de sensor KITAS

B (yellow, i.e. amarelo)

Fig. 55: Circuito de segurança intrínseca do KITAS 2171

1. Insira a ficha amarela (1) do cabo de sensor KITAS


na ficha “B” do DTCO 1381.

Azul Bl
Castanho Br
Amarelo Ye
Cinzento Gr
Verde Gn
Azul claro Lbl
Vermelho Rd
Preto Blk
Branco Wt
Castanho-preto Brblk
Vermelho- rdgr
cinzento

152 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE

6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE

Fig. 56: DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de inspecção tipo CE, página 1

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 153


6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE Instalação da variante ADR

Fig. 57: DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de inspecção tipo CE, página 2

154 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE

Fig. 58: DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de inspecção tipo CE, página 3

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 155


6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE Instalação da variante ADR

Fig. 59: DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de inspecção tipo CE,
Primeiro suplemento

156 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE

Fig. 60: DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de inspecção tipo CE,
Primeiro suplemento

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 157


6.3 DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de homologação do modelo CE Instalação da variante ADR

Fig. 61: DTCO 1381 (variante ADR) Certificado de inspecção tipo CE,
Primeiro suplemento

158 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Instalação da variante ADR 6.4 KITAS 2171 Certificado de homologação do modelo CE

6.4 KITAS 2171 Certificado de homologação do modelo CE

Fig. 62: KITAS 2171 Certificado de inspecção tipo CE

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 159


160 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008
Capítulo 7

Pré-programação

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Pré-programação

Tabela de conteúdos

Capítulo 7 – Pré-programação

7.1Informações gerais........................................................ 163


7.1.1 Definições de conceitos…………………….. 163
7.1.2 Estado de entrega do DTCO 1381...…….... 163
7.2 Testar o equipamento.................................................... 164
7.3Realizar a pré-programação.......................................... 165
7.3.1 Parâmetros prescritos por lei.....….............. 165
7.3.2 Parâmetros específicos do equipamento..... 166
7.3.3 Outros parâmetros....................................... 166
7.3.4 Introdução dos parâmetros.......................... 167

162 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Pré-programação 7.1 Informações gerais

7.1 Informações gerais

7.1.1 Definições de conceitos

A instalação do DTCO 1381 divide-se pelos seguintes passos:

1. Instalação
Instalação mecânica e eléctrica dos componentes do DTCO 1381 na
viatura.

2. Pré-programação
Pré-programação prévia de todos os parâmetros conhecidos ou
necessários para o funcionamento e que são exigidos por lei.

3. Verificação da instalação e teste de funcionamento


Teste e prova de que todo o sistema está dentro dos limites de erro,
em relação à distância percorrida e à velocidade, definidos pelo
Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.

4. Activação
Activação do DTCO 1381 como equipamento de controlo CE.

5. Calibração inicial
Calibração inicial do equipamento de controlo CE. Parte da primeira
calibração consiste na introdução do número da matrícula.

7.1.2 Estado de entrega do DTCO 1381

Quando o DTCO 1381 é entregue, ainda está por activar. Na fábrica,


os seguintes parâmetros são definidos por defeito:

Número de identificação da ??????????????????????????


viatura
Número da matrícula ???????????????????

Num. de impulsos em relação à 8000


distância (valor w) [imp/km]
Constante do equipamento de 8000
controlo (valor k) 1) [imp/km]
Circunferência real do pneu 0000
l [mm]
Tamanho do pneu ???????????????????

Velocidade máx. autorizada 80 km


[km/h]
Hora UTC 2) hh:mm

Leitura do odómetro 0000000


[km]
Data da calibração 1) 00.00.00

1) O DTCO 1381 grava estes dados, automaticamente


2) Hora UTC; a hora UTC ajusta-se, automaticamente, pela
primeira vez, no momento de fabrico do DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 163


7.2 Testar o equipamento Pré-programação

7.2 Testar o equipamento

A pré-programação faz-se recorrendo a um dispositivo de teste


apropriado como, p.ex., o SDS MTC 1602.04, o ATC 1601.26, ou o
CTC 1602.21 da VDO.

Fig. 63: Dispositivo de teste SDS da VDO

(1) MTC/ATC, com acessórios

(2) CTC 1602.21

Para informações adicionais sobre os dispositivos de teste SDS,


consulte um representante VDO.

164 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Pré-programação 7.3 Realizar a pré-programação

7.3 Realizar a pré-programação

Definição Consiste na pré-programação de todos os parâmetros conhecidos ou


necessários para o funcionamento e legalmente exigidos.

Atenção!
Durante a pré-programação, certifique-se sem quaisquer dúvidas que
o DTCO 1381 está a funcionar na voltagem correcta!

7.3.1 Parâmetros obrigatórios por lei

Os seguintes parâmetros são obrigatórios por lei e devem ser pré-


programados:
• Número de identificação da viatura
• Número de registo da viatura
• País de registo
• Número de impulsos em relação à distância (valor w)
• Constante do equipamento de controlo (valor k) *
• Circunferência real do pneu
• Tamanho do pneu
• Ajusta de velocidade máxima autorizada (ajuste v do limitador de
velocidade)
• Hora UTC (à hora de fabrica)
• Leitura do odómetro
• Data da calibração *

* O DTCO 1381 define esta data automaticamente

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 165


7.3 Realizar a pré-programação Pré-programação

7.3.2 Parâmetros específicos do equipamento

Para utilizar o DTCO 1381 na viatura, é preciso programar


parâmetros adicionais, específicos do equipamento como, por
exemplo:
• Constante n
• Configuração
• Configuração CAN
• Chave do produto
• Árvore do motor I/U
• Dados de produção (tais que parâmetro do redutor de luz,
valores-limites para n)
• etc.

A definição dos parâmetros específicos do equipamento varia


consoante o cliente ou o tipo de equipamento.

7.3.3 Outros parâmetros

Há outros parâmetros que pode ser preciso pré-programar:


• A data de instalação
• A data da próxima calibração
• etc.

166 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Pré-programação 7.3 Realizar a pré-programação

7.3.4 Parâmetros específicos do equipamento

Para informações adicionais sobre a introdução dos parâmetros de


calibração, consulte as instruções do equipamento de teste.

Parâmetros obrigatórios por lei Os seguintes parâmetros são obrigatórios por lei e devem ser pré-
programados:
• Número de identificação da viatura
• Número de registo da viatura
• País de registo
• Número de impulsos em relação à distância (valor w)
• Constante do equipamento de controlo (valor k) *
• Circunferência real do pneu
• Tamanho do pneu
• Ajusta de velocidade máxima autorizada (ajuste v do limitador de
velocidade)
• Hora UTC (à hora de fabrica)
• Leitura do odómetro
• Data de calibração *

* O DTCO 1381 define automaticamente estes dados.

O DTCO 1381 define automaticamente a data e o motivo da


calibração.

Através das funções de menu, pode imprimir (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura) ou visualizar (afixar os “Dados Técnicos” da
viatura) a data de calibração e o motivo da calibração.

Parâmetros específicos Consoante a variação do DTCO 1381, há outros parâmetros que não
do equipamento são obrigatórios por lei, mas que devem ser programados:
• Constante n
• Árvore do motor I/U
• etc.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 167


7.3 Realizar a pré-programação Pré-programação

Outros parâmetros Se necessário, há outros parâmetros que podem ser programados:


• Data de instalação
• Data da próxima calibração
• etc.

Atenção!
Certifique-se de os parâmetros programados e memorizados estão
em conformidade com os parâmetros previamente medidos.

168 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 8

Verificação da instalação e teste de funcionamento

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Verificação da instalação e teste de funcionamento

Tabela de conteúdos

Capítulo 8 – Verificação da instalação e teste de


funcionamento

8.1 Informações gerais................................................. 171


8.1.1 Definições de conceitos…………………….. 171
8.1.2 Verificação de instalação e teste de
funcionamento…………………………………………. 172
8.2 Margem de erro permitida….................................. 173
8.2.1 Criar e selar a placa de instalação............... 174

170 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Verificação da instalação e teste de funcionamento 8.1 Informações gerais

8.1 Informações gerais

8.1.1 Definições de conceitos

A instalação do DTCO 1381 divide-se pelos seguintes passos:

1. Instalação
Instalação mecânica e eléctrica dos componentes do DTCO 1381 na
viatura.

2. Pré-programação
Pré-programação de todos os parâmetros conhecidos ou
necessários para o funcionamento e que são exigidos por lei.

3. Verificação da instalação e teste de funcionamento


Teste e prova de que todo o sistema está dentro dos limites de erro,
em relação à distância percorrida e à velocidade, definidos pelo
Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.

4. Activação
Activação do DTCO 1381 como equipamento de controlo CE.

5. Calibração inicial
Calibração inicial do equipamento de controlo CE. Parte da primeira
calibração consiste na introdução do número da matrícula.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 171


8.1 Informações gerais Verificação da instalação e teste de funcionamento

8.1.2 Verificação da instalação e teste de funcionamento

Depois de pré-programar todos os dados definidos pelos legisladores


e que são necessários para o funcionamento, deverá proceder à
verificação da instalação e ao teste de funcionamento.

Estas verificações são definidas pelo Regulamento (CEE) n.º


3821/85, Anexo B (requisito 255).

A inspecção deverá comprovar que todo o sistema, designadamente


o DTCO 1381, está em conformidade com os regulamentos e que
está dentro da margem de erro permitida no que toca à distância e à
velocidade (requisito 255).

Durante a verificação de instalação e o teste de funcionamento,


medem-se os erros indicados (requisito 259).

Informe-se das medidas legais aplicáveis no seu país e certifique-se


das regras a aplicar na verificação da instalação e no teste de
funcionamento e se é preciso fazer mais testes obrigatórios ao
equipamento de controlo CE.

Depois de cada instalação, numa viatura por exemplo, é preciso


realizar uma verificação da instalação e um teste de funcionamento.

Se a verificação de instalação e o teste de funcionamento forem


realizados num DTCO 1381 que já esteja activado, os dados
detectados e memorizados podem ser avaliados.

Num DTCO 1381 que ainda não esteja activado, o cumprimento da


margem de erro definida só pode ser feita visualmente.

172 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Verificação da instalação e teste de funcionamento 8.2 Margem de erro permitida

8.2 Margem de erro permitida

Distância Margem de erro permitida para a medição da distância (distância


mínima de 1000 metros):
• ± 1% antes da instalação
• ± 2% durante a instalação e durante os controlos periódicos
• ± 4% durante a operação

Precisão (resolução) da medição da distância:


• pelo menos 0,1 km

Velocidade Para garantir a margem de erro permitida da velocidade afixada de ±


6 km/h, deve ter em conta o seguinte:
• Margem de erro de ± 2 km/h para desvios de entradas (tais que
variação dos pneus)
• Margem de erro de ± 1 km/h durante as medições de instalação
ou durante controlos periódicos

Deduz-se, portanto que o equipamento de controlo mede a


velocidade para velocidades entre os 20 e os 180 km/h e para o
número de impulsos para distâncias percorridas entre os 4000 e
25000 impulsos/km) com uma margem de erro de:
• ± 1 km/h.

Devido à resolução do armazenamento de dados, há uma tolerância


adicional de ± 0,5 km/h à velocidade registada pelo equipamento de
controlo.

Precisão (resolução) da medição da velocidade:


• pelo menos 1 km/h

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 173


8.2 Margem de erro permitida Verificação da instalação e teste de funcionamento

Hora Margem de erro permitida para a medição da hora:


• ± 2 segundos por dia

Precisão da medição da hora:


• pelo menos 1 segundo

A medição do tempo tem uma precisão de, pelo menos, um segundo.

Todos os dados relativos à precisão realizam-se debaixo de


condições de teste como acontece, por exemplo com a temperatura
da sala.

Num DTCO 1381 que ainda não esteja activado, o cumprimento de


todas as margens de erro definidas só pode ser feito visualmente.

Se o teste de funcionamento for realizado num DTCO 1381 que já


esteja activado, os dados detectados e memorizados podem ser
avaliados.

8.2.1 Criar e selar a placa de instalação

Depois de realizar a verificação de instalação e o teste de


funcionamento, a placa de instalação deve ser instalada junto ao
equipamento de controlo, de forma estar bem visível.

1. A seguinte informação deve ser transferida para a placa de


instalação:
• Data de calibração
• Circunferência real da roda (valor l, máx. de 4 dígitos)
• Número de impulsos em relação à distância (valor w, máx. de 5
dígitos)
• Constante do equipamento de controlo (valor k, 5 dígitos)
• Número de identificação da viatura (máx. de 17 dígitos)
• Número do equipamento (máx. 10 dígitos)
• Tamanho do pneu (máx. 15 dígitos)
• Nome e morada ou logótipo da empresa *

2. A placa de instalação deve ser instalada junto ao


equipamento de controlo, de forma a estar bem visível.

3. Proteja a placa de instalação com uma lâmina de selagem.

A placa de instalação deve estar protegida com uma lâmina de


selagem, a não que esteja instalada de tal forma que a sua retirada
provocaria uma destruição dos dados nela contidos.

A placa de instalação deve ser substituída após cada intervenção no


sistema.

* O nome e a morada ou o logótipo da empresa, da oficina ou do


fabricante podem ser impressos na lâmina de selagem.

174 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 9

Activação

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Activação

Tabela de conteúdos

Capítulo 9 – Activação

9.1 Informações gerais................................................ 177


9.1.1 Definições de conceitos............................... 177
9.1.2 Requisitos humanos…………………….. 178
9.1.3 Requisitos legais.......................……………. 178
9.1.3 Instruções para ligar ao KITAS 2171........... 179
9.1.4 Instruções sobre o manuseamento dos
cartões de tacógrafo………………………… 180
9.2 Verificar a bateria de salvaguarda………………... 181
9.3 Activação................................................................. 182
9.3.1 Inserir o cartão de tacógrafo........................ 182
Navegar no menu após inserir o cartão
de tacógrafo................................................. 183
9.3.2 Retirar o cartão de tacógrafo....................... 185
Navegar no menu após retirar o cartão
de tacógrafo......................................... 185

176 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Activação 9.1 Informações gerais

9.1 Informações gerais

9.1.1 Definições de conceitos

A instalação do DTCO 1381 divide-se pelos seguintes passos:

1. Instalação
Instalação mecânica e eléctrica dos componentes do DTCO 1381 na
viatura.

2. Pré-programação
Pré-programação de todos os parâmetros conhecidos ou
necessários para o funcionamento e que são exigidos por lei.

3. Verificação da instalação e teste de funcionamento


Teste e prova de que todo o sistema está dentro dos limites de erro,
em relação à distância percorrida e à velocidade, definidos pelo
Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.

4. Activação
Activação do DTCO 1381 como equipamento de controlo CE.

5. Calibração inicial
Calibração inicial do equipamento de controlo CE. Parte da primeira
calibração consiste na introdução do número da matrícula.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 177


9.1 Informações gerais Activação

9.1.2 Requisitos humanos

Nas instruções que se seguem, o fabricante pressupõe que o


pessoal tenha conhecimentos adequados e comprovados para este
tipo de trabalho e que esteja habilitado a realizar os trabalhos
técnicos mais importantes e, ainda, que tenha tido formação para
manusear os componentes do DTCO 1381 de acordo com as suas
competências.

Instalação As pessoas responsáveis pela instalação dos componentes do


DTCO 1381 devem completar um curso de formação sobre a
instalação dos componentes do DTCO 1381.

Activação e calibração As pessoas responsáveis pela calibração e activação dos


componentes do DTCO 1381 devem:

• Possuir um cartão do centro técnico válido


• Completar um curso de formação sobre a instalação, calibração e
activação dos componentes do DTCO 1381.
• Na Alemanha, deverão igualmente reunir as condições exigidas
para a realização de tarefas, ao abrigo o § 57b.

Ao instalar o DTCO 1381, nos outros países, deve ter em conta a


legislação nacional prevista para esse efeito!

9.1.3 Requisitos legais

Regulamento (CEE) n.º 3821/85, • Ao serem entregues aos instaladores ou aos fabricantes da
Anexo I B viatura, as novas unidades ainda não estão activadas.
• Antes de ser activado, o DTCO 1381 não memoriza nenhum dos
dados definidos pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B. Só
estará no pleno das suas funções como equipamento de controlo CE
depois de ser activado.
• O equipamento deve ser activado antes de sair do local onde foi
instalado!
• Para realizar a activação, o cartão do centro técnico deve estar
inserido., o PIN introduzido e o cartão do centro técnico deve ser
devidamente autorizado pelo sistema.

Tenha em atenção as normas legais aplicáveis no seu país e


verifique quando e como deve activar o DTCO 1381.

178 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Activação 9.1 Informações gerais

9.1.4 Instruções para ligar o KITAS 2171

• O DTCO 1381 e o KITAS 2171 ficam automaticamente ligados


durante a activação, isto é, quando é introduzido um cartão do
centro técnico pela primeira vez.
• Durante o processo de ligação, o DTCO e o KITAS 2171
autenticam-se manualmente e criam uma chave de trabalho comum.
• A ligação “manual”, isto é, a ligação através de um dispositivo de
teste, só é possível através de um cartão do centro técnico num
DTCO 1381 previamente activado.
• Após a terceira tentativa de ligação, esta função fica bloqueada
por razões de segurança. O cartão do centro técnico deve ser
retirado e novamente introduzido, isto é, o cartão do centro técnico
deve ser novamente autenticado.
• No decorrer de cada inspecção periódica, o DTCO 1381 e o
KITAS 2171 devem ser manualmente ligados por razões de
segurança.

Atenção!

O KITAS 2171 pode sofrer danos irreparáveis, na sequência de uma


interrupção da fonte de alimentação eléctrica durante o
emparelhamento.

Durante a primeira operação de ligação, o KITAS 2171 é definido


para um único tipo de tacógrafo e só pode ser usado com esse tipo
de tacógrafo!

O KITAS 2171 pode ser ligado tanto a um MTCO 1324 quanto a um


DTCO 1381.

Após o primeiro emparelhamento, o KITAS 2171 estará atribuído a


um determinado tipo de TCO e, daí em diante, apenas poderá ser
usado com esse tipo específico.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 179


9.1 Informações gerais Activação

9.1.5 Instruções sobre o manuseamento dos cartões de tacógrafo

Atenção!
A posse de um cartão do centro técnico autoriza o seu utilizador a
mexer no tacógrafo digital. Os cartões de tacógrafo são pessoais (os
cartões do centro técnico são institucionais), logo, intransmissíveis!

Um centro técnico autorizado pode guardar com toda a segurança,


utilizar e administrar o cartão do centro técnico e respectivo PIN. Os
cartões do centro técnico e respectivos PIN não devem ser
facultados a terceiros!

Um centro técnico autorizado deve garantir uma linha de


comunicação segura entre o DTCO 1381 e o cartão do centro
técnico.

A perda do cartão do centro técnico deve ser imediatamente


comunicada à entidade que emitiu o cartão!

Cumpra os regulamentos legais do seu país relacionados com os


cartões de tacógrafo.

Siga as instruções dadas pelo fabricante do cartão!

Manuseie os cartões de tacógrafo com cuidado para impedir a perda


de dados.
• Não dobre os cartões de tacógrafo e nem os use para outros fins
daqueles para que foram concebidos.
• Não use cartões de tacógrafo danificados.
• As áreas de contacto devem ser mantidas limpas e secas e evite
que entrem em contacto com graxa e óleos (use sempre a capa
protectora).
• Proteja o cartão da exposição solar directa (não o pouse em cima
do painel de instrumentos).
• Não o pouse na proximidade de fortes campos magnéticos
• Não use o cartão para além da data de validade. Peça
atempadamente um novo cartão de substituição, antes do fim da
validade.

180 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Activação 9.2 Verificar a bateria de salvaguarda

9.2 Verificar a bateria de salvaguarda

Para garantir um bom funcionamento do DTCO 1381, a bateria de


salvaguarda deve ser substituída nas seguintes situações:
• Durante a instalação, activação ou calibração inicial, caso a data
de fabrico do DTCO 1381 seja superior a 12 meses.
• A cada inspecção periódica.

Data de fabrico do DTCO 1381 A data de fabrico do DTCO 1381 consta da embalagem e da chapa
de modelo, e aparece codificada como “MYY”:

M = mês de fabrico
A Janeiro G Julho
B Fevereiro H Agosto
C Março J Setembro
D Abril K Outubro
E Maio L Novembro
F Junho M Dezembro

YY = ano de fabrico
08 2008 10 2010
09 2009 … …

1. Verifique a data de fabrico do DTCO 1381.

2. Se a data de fabrico do DTCO 1381 for superior a 12 meses,


substitua a bateria de salvaguarda do DTCO 1381. Consulte o
Capítulo 12.2 “Bateria de Salvaguarda, na página 234.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 181


9.3 Activação Activação

9.3 Activação

Definição Consiste em activar o DTCO 1381 para que este se torne um


equipamento de controlo CE (através da introdução do cartão do
centro técnico pela primeira vez).

Atenção!
Durante a activação, certifique-se sem dúvidas de que está o DTCO
1381 está a trabalhar na voltagem correcta!

9.3.1 Inserir o cartão do centro técnico

A descrição relacionada com a introdução de um cartão do centro


técnico que se segue, tem por base um DTCO 1381 em Modo
Operacional, que se pode comprovar com o símbolo “ ” (1). Por
outras palavras, o DTCO 1381 ainda não foi activado como
equipamento de controlo CE.

Fig. 64: Inserir o cartão do centro técnico

1. Ligar a ignição (apenas na variante ADR).

2. Insira o cartão do centro técnico na ranhura n.º 1, com o lado


onde está o chip virado para cima (o cartão ficará automática e
mecanicamente bloqueado assim que for introduzido).

• Os passos seguintes são indicados pelo menu.

182 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Activação 9.3 Activação

Navegar no menu após inserir um cartão do centro técnico

Se o idioma não estiver definido ou não estiver disponível no cartão


de tacógrafo, o texto irá aparecer no idioma oficial do Estado-
membro que emitiu o cartão, consulte o Capítulo 3.2.1 “Seleccionar
o Idioma do Texto”, na página 3-5.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Texto de boas-vindas. Durante cerca de 3 segundos, aparece a


hora local definida (16:00) e a hora UTC (16:00).

2 O DTCO 1381 começa a ler o cartão do centro técnico. Aparece o


símbolo indicando o modo activo (no exemplo é o Modo
Operacional). Um gráfico mostra a evolução do processo de leitura
do cartão.

3 Surge o nome do titular do cartão.

4 Escolha o número de caracteres que compõem o PIN (min. de 4


e máx. de 6 caracteres):
• Seleccione com a tecla ou o número de caracteres
Confirme com a tecla

5 Introdução do PIN:
• “0”, o primeiro carácter a ser introduzido aparece a piscar
• Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao primeiro
carácter
• E confirme com a tecla
• “0.2”, o segundo carácter a ser introduzido aparece a piscar
• Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao
segundo carácter
• E confirme com a tecla
• As restantes posições do PIN introduzem repetindo os mesmos
passos.

Correcção de um valor de carácter incorrecto ou do número de


caracteres incorrectos:
• Voltar atrás ao carácter anterior com a tecla ou à posição
pretendida
• Seleccionar com a tecla ou o valor do carácter ou número
de caracteres pretendidos
E confirme com a tecla

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 183


9.3 Activação Activação

Passos/Menu visionado Significado/explicação

6 Ao introduzir-se o PIN incorrecto:


Confirme a mensagem com a tecla e introduza novamente o novo
número de caracteres e respectivo PIN.

Cancelar a introdução do PIN:


- Pressione a tecla de expulsão do leitor de cartões onde foi
inserido o cartão do centro técnico.
- Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do cartão),
retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.

Atenção!
À 5ª tentativa de introdução incorrecta do PIN, o cartão do centro
técnico ficará bloqueado e o processo será cancelado! O cartão do
centro técnico será expulso.

7 Continuação do processo de leitura do cartão do centro técnico.

Surge o ecrã-padrão do DTCO 1381, que continua em modo


operacional.

8 Após a leitura do cartão do centro técnico, o símbolo de cartão (1)


da ranhura n.º 1 começa a piscar. O DTCO 1381 ainda está em
“Modo Operacional” (2).

9 Ligação ao KITAS 2171:


O DTCO 1381 começa a ligar-se automaticamente ao KITAS 2171.

Activar o DTCO 1381:


Depois do processo de ligação do KITAS 2171 ao DTCO 1381 estar
concluído, este começa automaticamente o processo de activação
como equipamento de controlo CE.

10 Depois de concluída a activação, surge a mensagem “activação


done”, i.e. “activação concluída”.

11 O DTCO 1381 reinicia e lê novamente o cartão do centro técnico.

A mensagem começa a piscar enquanto o cartão do centro


técnico é lido (só aparece se a ignição estiver ligada).

Observação
Durante a activação, o DTCO 1381 repõe a zero a leitura do
odómetro, para o valor “0.0 km”.,

12 Depois de ler o cartão do centro técnico, surge o ecrã-padrão e o


DTCO 1381 entra novamente no Modo de Calibração .

184 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Activação 9.3 Activação

9.3.2 Retirar o cartão do centro técnico

1. Pressione a tecla da respectiva ranhura para retirar o cartão do


centro técnico.
passos seguintes são indicados pelo menu.
2. Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do
cartão), retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.
3. Utilize a tecla ou ” para definir a respectiva actividade, tais
que .

Ô DTCO 1381 define automaticamente a data e o objectivo da


calibração (1), sempre que o cartão do centro técnico é retirado.
Através das funções de menu, pode imprimir (relatório “Dados
Técnico!” da viatura ou apresentar (apresentar “Dados Técnicos” da
viatura) a data de calibragem e o objectivo da mesma.

Navegar no menu depois de retirar um cartão do centro técnico

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Surge o nome do titular do cartão; um gráfico mostra que o DTCO


1381 está a transferir dados para o cartão do centro técnico.

2 Introduza o país relativo ao fim do dia de trabalho:


• Seleccione o país através da tecla ou e
• confirme a escolha com a tecla

Cancele a introdução do país:


Pressione a tecla para cancelar a introdução do país.

Caso seja aplicável, introduza a região:


• Seleccione a região através da tecla ” ou e
• E confirme a escolha com a tecla

3 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

4 Imprimir a actividade diária:


• Para imprimir a actividade diária, escolha “yes” (“sim”) através da
tecla ou (ou, em alternativa, escolha “no”, i.e. “não”)
• Confirme a escolha com a tecla .

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 185


9.3 Activação Activação

Passos/Menu visionado Significado/explicação

5 Prossegue os dados da transferência para o cartão do centro


técnico.

6 O cartão do centro técnico é libertado, o ecrã-padrão e o Modo


Operacional (1) entram em funcionamento.

186 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 10

Calibração inicial

Edição 04/2006
Tabela de conteúdos Calibração inicial

Tabela de conteúdos

Capítulo 10 – Calibração inicial

10.1 Informações gerais................................................ 189


10.1.1 Definição de conceitos................................. 189
10.1.2 Requisitos humanos............................... 190
10.1.3. Requisitos técnicos...............................…… 190
10.1.4 Instruções sobre o manuseamento de
cartões de tacógrafo.................................... 191
10.2 Instruções de calibração........................................ 192
10.2.1 Requisitos legais sobre a data de
calibração…………………………………….. 192
10.2.2 Aceder às funções de calibração………….. 192
10.2.3 Indicações para a programação da hora
UTC…………………………………………… 193
10.2.4. Medição do parâmetros............................... 193
10.2.5 Instruções para verificar o KITAS 2171 e o
cabo de sensor KITAS................................. 194
10.2.6 Ligar com o KITAS 2171.............................. 195
10.3 Dispositivo de teste................................................ 196
10.4 Verificar a bateria de salvaguarda………………... 197
10.5 Realizar a calibração inicial…............................... 198
10.5.1 Inserir um cartão do centro técnico.............. 199
Navegar no menu após inserir o cartão
do centro técnico…………………………….. 200
10.5.2 Parâmetros obrigatórios por lei.................... 203
10.5.3 Parâmetros específicos do equipamento..... 203
10.5.4 Outros parâmetros....................................... 204
10.5.5 Introduzir parâmetros................................... 204
10.5.6. Retirar um cartão do centro técnico............. 206
Navegar no menu após retirar o cartão
do centro técnico.................................... 206
10.5.7 Criar e selar a placa de instalação............... 207

188 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.1 Informações gerais

10.1 Informações gerais

10.1.1 Definição de conceitos

A instalação do DTCO 1381 divide-se pelos seguintes passos:

1. Instalação
Instalação mecânica e eléctrica dos componentes do DTCO 1381 na
viatura.

2. Pré-programação
Pré-programação de todos os parâmetros conhecidos ou
necessários para o funcionamento e que são exigidos por lei.

3. Verificação da instalação e teste de funcionamento


Teste e prova de que todo o sistema está dentro dos limites de erro,
em relação à distância percorrida e à velocidade, definidos pelo
Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.

4. Activação
Activação do DTCO 1381 como equipamento de controlo CE.

5. Calibração inicial
Calibração inicial do equipamento de controlo CE. Parte da primeira
calibração consiste na introdução do número da matrícula.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 189


10.1 Informações gerais Calibração

10.1.2 Requisitos humanos

Nas instruções que se seguem, o fabricante pressupõe que o


pessoal tenha conhecimentos adequados e comprovados para este
tipo de trabalho e que esteja habilitado a realizar os trabalhos
técnicos mais importantes e, ainda, que tenha tido formação para
manusear os componentes do DTCO 1381 de acordo com as suas
competências.

Instalação As pessoas responsáveis pela instalação dos componentes do


DTCO 1381 devem completar um curso de formação sobre a
instalação dos componentes do DTCO 1381.

Activação e calibração As pessoas responsáveis pela calibração e activação dos


componentes do DTCO 1381 devem:

• Possuir um cartão do centro técnico válido


• Completar um curso de formação sobre a instalação, calibração e
activação dos componentes do DTCO 1381.
• Na Alemanha, deverão igualmente reunir as condições exigidas
para a realização de tarefas, ao abrigo o § 57b.

Ao instalar o DTCO 1381, nos outros países, deve ter em conta a


legislação nacional prevista para esse efeito!

10.1.3 Requisitos técnicos

Para realizar o trabalho para que foi destacado, certifique-se de que:


• O equipamento e as ferramentas assinaladas e recomendadas
pelo fabricante estão disponíveis.
• O equipamento e os dispositivos de teste estejam em
conformidade com as restrições legais válidas no país em que
estiver a usá-los.

190 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.1 Informações gerais

10.1.4 Instruções para o manuseamento de cartões de tacógrafo

Atenção!
A posse de um cartão de tacógrafo autoriza o titular a usar um
tacógrafo digital. Os cartões de tacógrafo são pessoais (já os
cartões do centro técnico são da empresa) logo são
intransmissíveis!

A oficina autorizada deve guardar, utilizar e gerir o seu cartão do


centro técnico e o PIN com toda a segurança. O cartão do centro
técnico e o PIN não devem ser facultados a terceiros!

A oficina autorizada deve garantir a existência de uma linha de


comunicação segura entre o DTCO 1381 e o cartão do centro
técnico.

Se perder o cartão do centro técnico, informe imediatamente a


entidade emissora!

Cumpra os dispositivos legais do seu país referentes a cartões do


centro técnico.

Cumpra as instruções da entidade/instituição emissora e do


fabricante do cartão!

Certifique-se de que cumpre as seguintes recomendações sobre o


manuseamento dos cartões de tacógrafo.

• Os cartões de tacógrafo devem ser manuseados com cuidado


para evitar a perda de informação.
• Os cartões de tacógrafo não devem ser dobrados, torcidos ou
usados para outros fins.
• Não use cartões de tacógrafo danificados.
• As superfícies de leitura devem ser mantidas limpas, secas,
livres de gordura ou de óleo (mantenha sempre o cartão dentro
da capa de protecção).
• Proteja os cartões da exposição solar, calor e frio (nunca o deixe
em cima do painel de instrumentos).
• Não os deixe na proximidade de campos magnéticos.
• Não os use depois de expirar a data de validade e peça
atempadamente um cartão novo.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 191


10.2 Instruções de calibração Calibração inicial

10.2 Instruções de calibração

O Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, define os critérios de


calibração dos equipamentos de controlo CE. Parte da calibração
inicial consiste em introduzir o número da matrícula da viatura.

Consulte os dispositivos legais do seu país para saber como deve


ser realizada a calibração e que tipo de verificações adicionais deve
realizar ao abrigo dos equipamentos de controlo CE, durante a
calibração.

10.2.1 Requisitos legais relacionados com a periodicidade de calibração

A calibração deve ser realizada:


• Após cada instalação
• Durante cada uma das inspecções periódicas.

A calibração inicial deve ser realizada:


• No espaço de 14 dias após a instalação (activação) ou
• Após se dar baixa do número de matrícula da viatura, das duas
situações, opta-se por aquela que ocorrer por último.

Ao instalar o DTCO 1381, nos outros países, deve ter em conta a


legislação nacional prevista para esse efeito!

10.2.2 Aceder às funções de calibração

Antes do DTCO 1381 ser activado como equipamento de controlo


CE, pode aceder às funções de calibração através da interface de
calibração, das funções de diagnóstico bus CAN ou da interface K-
Line. Neste caso, não precisa do cartão do centro técnico.

Depois do DTCO 1381 ser activado, só é possível aceder às


funções de calibração através de um cartão do centro técnico.

A oficina autorizada deve certificar-se de que a calibração só é


realizada através de uma interface previamente escolhida e de que
as funções de calibração das outras interfaces estão desactivadas.

192 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.2 Instruções de calibração

10.2.3 Indicações para a programação da hora UTC

Antes de activar o DTCO 1381 como equipamento de controlo CE,


poderá programa a hora UTC livremente.

Após a activação do DTCO 1381 e programar a hora UTC uma


primeira vez, esta função fica bloqueada, por questões de
segurança. É preciso retirar e voltar a inserir o cartão do centro
técnico, i.e., é necessário autenticar, novamente, o cartão do centro
técnico.

10.2.4 Instruções sobre a medição dos parâmetros de calibração

Consulte a documentação que acompanha o dispositivo de teste


para saber como preparar e realizar a medição dos parâmetros de
calibração.

Antes de proceder à medição dos parâmetros de calibração – em


particular do número de impulsos em relação à distância percorrida
(coeficiente “w”) – deve realizar as seguintes verificações:

1. Verificar se os cabos – em particular o cabo do sensor – não


estão danificados.

2. Verificar se o cabo do sensor KITAS está directamente ligado,


isto é sem derivações, ao DTCO 1381 e ao KITAS 2171.

Depois de proceder à medição dos parâmetros de calibração e de


os programar – em particular o número de impulsos em relação à
distância percorrida (coeficiente “w”) – deve realizar as seguintes
verificações:

3. Verificar se O DTCO 1381 assinalou ou memorizou algum erro


do sensor durante a calibração.

4. Verificar se os parâmetros programados e memorizados


coincidem com os valores previamente medidos.

Se não completar nenhum dos pontos acima, encontre a origem do


erro, corrija-o e repita as medições.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 193


10.2 Instruções de calibração Calibração inicial

10.2.5 Verificação do KITAS 2171 e do cabo de sensor KITAS

Para verificar se o KITAS 2171 e o cabo de sensor KITAS e para


confirmar se o cabo de sensor KITAS está directamente ligado, isto
é sem derivações, ao DTCO 1381 e ao KITAS 2171, complete os
seguintes passos:

1. Insira o cartão do centro técnico.

2. Imprima os dados técnicos do DTCO 1381 (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura).

3. Desligue o DTCO 1381 da corrente eléctrica.

4. Separe o cabo de sensor KITAS que está na viatura do DTCO


1381 e do KITAS 2171 e substitua por um cabo de teste.

5. Ligue o DTCO 1381 à corrente eléctrica.

6. Ligue manualmente o DTCO 1381 ao KITAS 2171 e aguarde pelo


processo de ligação.

7. Imprima os dados técnicos do DTCO 1381 (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura).

8. Compare os dados de identificação do KITAS 2171 (número de


série) dos dois relatórios.
• Os dados de identificação do KITAS 2171 (número de série)
devem ser idênticos nos dois relatórios.

Atenção!
Se os dados de identificação do sensor não coincidirem, verifique o
KITAS 2171 e o cabo de sensor KITAS e substitua aquele que
estiver defeituoso!

9. Desligue o DTCO 1381 da corrente eléctrica.

10.Separe o cabo de teste e volte a ligar o cabo de sensor KITAS


original ao DTCO 1381 e ao KITAS 2171.

11.Ligue o DTCO 1381 à corrente eléctrica.

12.Retire o cartão do centro técnico.

194 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.2 Instruções de calibração

10.2.6 Instruções para ligar com o KITAS 2171

• O DTCO 1381 e o KITAS 2171 são ligados automaticamente


durante a activação (na primeira vez que é inserido um cartão do
centro técnico).
• Durante o processo de ligação, o DTCO 1381 e o KITAS 2171
autenticam-se mutuamente e criam uma chave de trabalho
comum.
• A ligação “manual” (ligação através de um dispositivo de teste) só
é possível com um cartão do centro técnico num DTCO 1381 já
activado.
• Após a terceira tentativa falhada de ligação, esta função fica
bloqueada por razões de segurança. O cartão do centro técnico
tem de ser retirado e novamente inserido. Por outras palavras, o
cartão do centro técnico tem de ser novamente validado.
• Cada vez que se realiza uma inspecção periódica, o DTCO 1381
e o KITAS 2171 devem ser ligados manualmente por razões de
segurança.

Atenção!

O KITAS 2171 pode sofrer danos irreparáveis, na sequência de uma


interrupção da fonte de alimentação eléctrica durante o
emparelhamento.

Durante a primeira operação de ligação, o KITAS 2171 é definido


para um único tipo de tacógrafo e só pode ser usado com esse tipo
de tacógrafo!

O KITAS 2171 pode ser ligado tanto a um MTCO 1324 quanto a um


DTCO 1381.

Após o primeiro emparelhamento, o KITAS 2171 estará atribuído a


um determinado tipo de TCO e, daí em diante, apenas poderá ser
usado com esse tipo específico.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 195


10.3 Dispositivos de teste Calibração inicial

10.3 Dispositivo de teste

A pré-programação faz-se recorrendo a um dispositivo de teste


apropriado como, p.ex., o SDS MTC 1602.04, o ATC 1601.26, ou o
CTC 1602.21 da VDO.

Fig. 63: Dispositivo de teste SDS da VDO

(1) MTC/ATC, com acessórios

(2) CTC 1602.21

Para informações adicionais sobre os dispositivos de teste SDS,


consulte um representante VDO.

Autenticação (3) Cartão do centro técnico


O fabricante do equipamento de controlo, da viatura, instalador ou
oficina autorizados utiliza um cartão para se identificar junto do
DTCO 1381, o que permite memorizar as actividades relacionadas
com essa identidade.

Após uma autenticação positiva, o cartão do centro técnico permite a


autenticação, a ligação ao KITAS 2171, a calibração e o teste ao
DTCO 1381, a transferência de dados, o transfere, o teste e ensaios.

196 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.4 Verificar a bateria de salvaguarda

10.4 Verificar a bateria de salvaguarda

Para garantir um bom funcionamento do DTCO 1381, a bateria de


salvaguarda deve ser substituída nas seguintes situações:
• Durante a instalação, activação ou calibração inicial, caso a data
de fabrico do DTCO 1381 seja superior a 12 meses.
• A cada inspecção periódica.

Data de fabrico do DTCO 1381 A data de fabrico do DTCO 1381 consta da embalagem e da chapa
de modelo, e aparece codificada como “MYY”:

M = mês de fabrico
A Janeiro G Julho
B Fevereiro H Agosto
C Março J Setembro
D Abril K Outubro
E Maio L Novembro
F Junho M Dezembro

YY = ano de fabrico
08 2008 10 2010
09 2009 … …

1. Verifique a data de fabrico do DTCO 1381.


2. Se a data de fabrico do DTCO 1381 for superior a 12 meses,
substitua a bateria de salvaguarda do DTCO 1381. Consulte o
Capítulo 12.2 “Bateria de Salvaguarda, na página 12-4.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 197


10.5 Realizar a calibração inicial Calibração inicial

10.5 Realizar a calibração inicial

Definição Calibração inicial de um equipamento de controlo CE.

Atenção!
Durante a calibração inicial, certifique-se de que o DTCO 1381 está
a trabalhar na voltagem correcta.

Durante a calibração inicial, devem ser cumpridos, pelo menos, os


seguintes passos:

• Actualizar ou confirmar todos os parâmetros conhecidos ou


necessários para o funcionamento, e que são exigidos por lei
• Introduzir o número da matrícula da viatura
• Introduzir o Estado-membro emissor
• Ligar “manualmente” o DTCO 1381 ao KITAS 2171
• Verificar e comprovar o bom funcionamento do equipamento de
controlo CE
• Medir os erros indicados
• Verificar e comprovar que todo o sistema está dentro da margem
de erro permitida no que toca à distância e à velocidade, definida
pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.
• Verificar a marca de homologação do DTCO 1381
• Verificar a selagem
• Verificar o tamanho do pneu e a circunferência real da roda
• Verificar a placa de instalação que está presente; crie uma nova
placa de instalação e sele-a, se necessário

Consulte os dispositivos legais do seu país para saber como deve


ser realizada a calibração inicial e que tipo de verificações adicionais
deve realizar ao abrigo dos equipamentos de controlo CE, durante a
calibração inicial.

É possível aceder às funções de calibração através da interface de


calibração, do diagnóstico bus CAN ou do K-Line, através de um
cartão do centro técnico.

198 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.5 Realizar a calibração inicial

Atenção!
Se um centro técnico autorizado detectar na marcação do ensaio,
previsto no Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, Parágrafo
IV, que o interruptor na caixa não estava ligado ou que estava ligado
noutra posição que não o de “Calibração”, deve-se verificar a
conformidade do funcionamento do DTCO 1381 com o
Regulamento.

Os dados registados na última inspecção devem ser considerados


como pouco credíveis até ser verificada a conformidade com o
Regulamento.

10.5.1 Inserir um cartão do centro técnico

A descrição relacionada com a introdução de um cartão do centro


técnico que se segue é realizada com um DTCO 1381 já activado.

Para informações adicionais sobre a activação do DTCO 1381,


consulte o Capítulo 9.3 “Activação”, a partir da página 182.

Fig. 62: Inserir o cartão do centro técnico

1. Ligar a ignição (apenas na variante ADR).

2. Retire algum eventual cartão de tacógrafo que esteja no interior


do equipamento.

3. Insira o cartão do centro técnico na ranhura n.º 1, com o lado


onde está o chip virado para cima (o cartão ficará automática e
mecanicamente bloqueado assim que for introduzido).
• Os passos seguintes são indicados pelo menu.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 199


10.5 Realizar a calibração inicial Calibração inicial

Navegar no menu após inserir um cartão do centro técnico

Se o idioma não estiver definido ou não estiver disponível no cartão


de tacógrafo, o texto irá aparecer no idioma oficial do Estado-
membro que emitiu o cartão, consulte o capítulo 3.2.1 “Seleccionar o
idioma do texto”, na página 59.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Texto de boas-vindas. Durante cerca de 3 segundos, aparece a hora


local definida e a hora UTC.

2 O DTCO 1381 começa a ler o cartão do centro técnico.

Aparece o símbolo indicando o modo activo. Um gráfico mostra a


evolução do processo de leitura do cartão.

3 Surge o nome do titular do cartão.

4 Escolha o número de caracteres que compõem o PIN (min. de 4


e máx. de 8):
• Seleccione com a tecla ou o número de caracteres
• Confirme com a tecla .

5 Introdução do PIN:
• “0”, o primeiro carácter a ser introduzido aparece a piscar

• Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao primeiro


carácter e

• Confirme com a tecla

“0… 2”, o segundo carácter a ser introduzido aparece a piscar

• Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao segundo


carácter e

• Confirme com a tecla

• As restantes posições do PIN introduzem repetindo os mesmos


passos.

Correcção de um valor de carácter incorrecto ou do número de


caracteres incorrectos:
• Voltar atrás ao carácter com a tecla ou à posição pretendida

• Seleccionar com a tecla ou o valor do carácter ou número


de caracteres pretendidos e

• Confirme com a tecla .

200 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.5 Realizar a calibração inicial

Passos/Menu visionado Significado/explicação

6 Ao introduzir-se o PIN incorrecto:


Confirme a mensagem com a tecla e introduza novamente o novo
número de caracteres e respectivo PIN.

Cancelar a introdução do PIN:


Pressione a tecla de expulsão do leitor de cartões onde foi
inserido o cartão do centro técnico.
Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do cartão),
retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.

Atenção!
À 5ª tentativa de introdução incorrecta do PIN, o cartão do centro
técnico ficará bloqueado!
O processo será cancelado! O cartão do centro técnico será expulso.

7 Visualização de “last withdrawl”, i.e. “Última retirada”. Durante 3-5


segundos, o visor mostra a data e hora UTC em que foi retirado o
cartão do centro técnico.

8 Introdução manual:
Para adicionar manualmente as actividades, seleccione “sim” com a
tecla ou . ou seleccione “não”, e
Confirme com a tecla .

Para informação adicionais sobre a “Introdução Manual”, consulte as


instruções de funcionamento do DTCO 1381.

9 Introduzir o país onde começa ou continua o dia de trabalho:


Seleccione o país através da tecla ou
Confirme a escolha com a tecla .
Cancele a introdução do país:
Cancele a introdução do país com a tecla .

Caso seja aplicável, introduza a região:


Seleccione a região com a tecla ou
Confirme a escolha com a tecla .

Só nalguns países é possível introduzir a região. Se for o caso, o


sistema pedir-lhe-á automaticamente que introduza a região.

Os registos no início e fim do tempo de trabalho diário também


podem ser processados sem que esteja inserido um cartão do centro
técnico, assim como noutros momentos diferentes da introdução ou
retirada do cartão.

(continua)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 201


10.5 Realizar a calibração inicial Calibração inicial

(continuação da introdução do cartão do centro técnico)

Passos/Menu visionado Significado/explicação

10 Surge o ecrã-padrão. O DTCO 1381 ainda está em “Modo


Operacional” (2).

O símbolo do cartão apenas é afixado se os dados do cartão do


motorista forem totalmente lidos. Os símbolos (1) que aparecem
primeiro significam o seguinte:
: o cartão do centro técnico está inserido na ranhura.
: pode iniciar o test-drive, se for caso disso. Os dados relevantes
para um test-drive já foram acedidos.

Enquanto o símbolo do cartão não aparecer no ecrã, não pode


momentaneamente realizar as seguintes tarefas:
• Chamar as funções de menu.
• Aceder a um cartão de tacógrafo.

11 Concluída a leitura, o DTCO 1381 entra em “Modo de Calibração”


(3).

202 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.5 Realizar a calibração inicial

10.5.2 Parâmetros obrigatórios por lei

Os seguintes parâmetros são obrigatórios por lei e devem ser


actualizados ou confirmados:
• Número de identificação da viatura
• Número de registo da viatura
• País de registo
• Número de impulsos em relação à distância (valor w)
• Constante do equipamento de controlo (valor k)
• Circunferência real da roda
• Tamanho do pneu
• Ajusta de velocidade máxima autorizada (ajuste v do limitador de
velocidade)
• Hora UTC
• Leitura do odómetro
• Data de calibração

10.5.3 Parâmetros específicos do equipamento


Para utilizar o DTCO 1381, é preciso actualizar ou confirmar
parâmetros adicionais, específicos do equipamento como, por
exemplo:
• Constante n
• Configuração
• Configuração CAN
• Chave do produto
• Árvore do motor I/U
• Dados de produção (tais que parâmetro do redutor de luz,
valores-limites para n)
• etc.

A definição dos parâmetros específicos do equipamento varia


consoante o cliente ou o tipo de equipamento.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 203


10.5 Realizar a calibração inicial Calibração inicial

10.5.4 Outros parâmetros

Há outros parâmetros que devem ser actualizados ou confirmados:


• A data de instalação
• A data da próxima calibração
• etc.

10.5.5 Introduzir parâmetros

Para informações adicionais sobre a introdução dos parâmetros de


calibração, consulte as instruções do equipamento de teste.

Parâmetros obrigatórios por lei Os seguintes parâmetros são obrigatórios por lei e devem ser
actualizados ou confirmados:
• Número de identificação da viatura
• Número de registo da viatura
• País de registo
• Número de impulsos em relação à distância (valor w)
• Constante do equipamento de controlo (valor k) *
• Circunferência real da roda
• Tamanho do pneu
• Ajusta de velocidade máxima autorizada (ajuste v do limitador de
velocidade)
• Hora UTC
• Leitura do odómetro
• Data de calibração *

* O DTCO 1381 regista, automaticamente, estes dados.

O DTCO 1381 define automaticamente a data e o motivo da


calibração (2, 3), sempre que o cartão do centro técnico é retirado.

Através das funções de menu, pode imprimir (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura) ou visualizar (afixar os “Dados Técnicos” da
viatura) a data de calibração e o motivo da calibração.

204 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.5 Realizar a calibração inicial

Parâmetros específicos Consoante a variação do DTCO 1381, há outros parâmetros que não
do equipamento são obrigatórios por lei, mas que devem ser actualizados ou
confirmados:
• Constante n
• Árvore do motor I/U
• etc.

Outros parâmetros Se necessário, há outros parâmetros que podem ser programados:


• Data de instalação
• Data da próxima calibração
• etc.

Atenção!
Certifique-se de os parâmetros programados e memorizados estão
em conformidade com os parâmetros previamente medidos.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 205


10.5 Realizar a calibração inicial Calibração inicial

10.5.6 Retirar um cartão do centro técnico

1. Pressione a tecla da respectiva ranhura para retirar o


cartão do centro técnico.
Os passos seguintes são indicados pelo menu.
2. Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do
cartão), retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.
3. Utilize a tecla ou para definir a respectiva
actividade, tais que .

Navegar no menu após de retirar um cartão do centro técnico

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Surge o número do cartão do centro técnico. Um gráfico mostra que


o DTCO 1381 está a transferir dados para o cartão do centro técnico.

2 Introduza o país relativo ao fim do dia de trabalho:


Seleccione o país através da tecla ou
E confirme a escolha com a tecla .

Cancele a introdução do país:


Pressione a tecla para cancelar a introdução do país.

Caso seja aplicável, introduza a região:


Seleccione a região através da tecla ou
E confirme a escolha com a tecla .

3 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

4 Imprimir a actividade diária:


Para imprimir a actividade diária, escolha “sim” através da tecla ou
(ou, em alternativa, escolha “não”)
Confirme a escolha com a tecla .

5 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

6 O cartão do centro técnico é libertado, o ecrã-padrão e o Modo


Operacional (1) entram em funcionamento.

206 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Calibração inicial 10.5 Realizar a calibração inicial

10.5.7 Criar e selar a placa de instalação

Depois de realizar a calibração inicial, a placa de instalação deve ser


instalada junto ao equipamento de controlo, de forma a estar bem
visível.

1. A seguinte informação deve ser transferida para a placa de


instalação:

• Data de calibração
• Circunferência real da roda (valor l, máx. de 4 dígitos)
• Número de impulsos em relação à distância (valor w, máx. de 5
dígitos)
• Constante do equipamento de controlo (valor k, 5 dígitos)
• Número de identificação da viatura (máx. de 17 dígitos)
• Número do equipamento (máx. 10 dígitos)
• Tamanho do pneu (máx. 15 dígitos)
• Nome e morada ou logótipo da empresa *

2. A placa de instalação deve ser instalada junto ao


equipamento de controlo, de forma a estar bem visível.

3. Proteja a placa de instalação com uma lâmina de selagem.

A placa de instalação deve estar protegida com uma lâmina de


selagem, a não que esteja instalada de tal forma que a sua retirada
provocaria uma destruição dos dados nela contidos.

A placa de instalação deve ser substituída após cada intervenção no


sistema.

* O nome e a morada ou o logótipo da empresa, da oficina ou do


fabricante podem ser impressos na lâmina de selagem.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 207


208 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008
Capítulo 11

Inspecção periódica

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Inspecção periódica

Tabela de conteúdos

Capítulo 11 – Inspecção periódica

11.1 Informações gerais................................................. 211


11.1.1 Requisitos humanos............................... 211
11.1.2 Requisitos técnicos................................. 211
11.1.3 Manuseamento de cartões de tacógrafo..... 212
11.2 Instruções de calibração…………………………… 213
11.2.1 Requisitos legais sobre a periodicidade
da calibração...………………………………. 213
11.2.2 Aceder às funções de calibração………….. 213
11.2.3 Indicações para a programação da hora
UTC…………………………………………… 214
11.2.4 Medição dos parâmetros……………………. 214
11.2.5 Verificar o KITAS 2171 e o cabo de sensor
KITAS.......................................................... 215
11.2.6 Ligar com o KITAS 2171……………………. 216
11.3 Instruções para inspecções periódicas............... 217
11.3.1 Requisitos legais sobre a periodicidade
da inspecção periódica................................ 217
11.4 Dispositivo de teste................................................ 218
11.5 Verificar a bateria de salvaguarda………………... 219
11.6 Realizar inspecções periódicas............................ 220
11.6.1 Inserir um cartão do centro técnico.............. 221
Navegar no menu após inserir um cartão
do centro técnico.......................................... 222
11.6.2 Parâmetros obrigatórios por lei.................... 225
11.6.3 Parâmetros específicos do equipamento..... 225
11.6.4 Outros parâmetros....................................... 226
11.6.5 Introduzir parâmetros................................... 226
11.6.6 Retirar um cartão do centro técnico............. 228
Navegar no menu após retirar um cartão
do centro técnico.......................................... 228
11.6.7 Criar e selar a placa de instalação............... 229

210 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.1 Informações gerais

11.1 Informações gerais

11.1.1 Requisitos humanos

Nas instruções que se seguem, o fabricante pressupõe que o


pessoal tenha conhecimentos adequados e comprovados para este
tipo de trabalho e que esteja habilitado a realizar os trabalhos
técnicos mais importantes e, ainda, que tenha tido formação para
manusear os componentes do DTCO 1381 de acordo com as suas
competências.

Instalação As pessoas responsáveis pela instalação dos componentes do


DTCO 1381 devem completar um curso de formação sobre a
instalação dos componentes do DTCO 1381.

Activação e calibração As pessoas responsáveis pela calibração e activação dos


componentes do DTCO 1381 devem:

• Possuir um cartão do centro técnico válido


• Completar um curso de formação sobre a instalação, calibração e
activação dos componentes do DTCO 1381.
• Na Alemanha, deverão igualmente reunir as condições exigidas
para a realização de tarefas, ao abrigo o § 57b.

Ao instalar o DTCO 1381, nos outros países, deve ter em conta a


legislação nacional prevista para esse efeito!

11.1.2 Requisitos técnicos

Para realizar o trabalho para que foi destacado, certifique-se de que:

• O equipamento e as ferramentas assinaladas e recomendadas


pelo fabricante estão disponíveis.

• O equipamento e os dispositivos de teste estejam em


conformidade com as restrições legais válidas no país em que
estiver a usá-los.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 211


11.2 Instruções de calibração Inspecção periódica

11.1.3 Manuseamento de cartões de tacógrafo

Atenção!
A posse de um cartão de tacógrafo autoriza o titular a usar um
tacógrafo digital. Os cartões de tacógrafo são pessoais (já os
cartões do centro técnico são da empresa) logo são
intransmissíveis!

A oficina autorizada deve guardar, utilizar e gerir o seu cartão do


centro técnico e o PIN com toda a segurança. O cartão do centro
técnico e o PIN não devem ser facultados a terceiros!

A oficina autorizada deve garantir a existência de uma linha de


comunicação segura entre o DTCO 1381 e o cartão do centro
técnico.

Se perder o cartão do centro técnico, informe imediatamente a


entidade emissora!

Cumpra os dispositivos legais do seu país referentes a cartões do


centro técnico.

Cumpra as instruções da entidade/instituição emissora e do


fabricante do cartão.

Certifique-se de que segue as seguintes recomendações quando


utilizar os cartões de tacógrafo:

• Os cartões de tacógrafo devem ser manuseados com cuidado


para evitar a perda de informação.

• Os cartões de tacógrafo não devem ser dobrados, torcidos ou


usados para outros fins.

• Não use cartões de tacógrafo danificados.

• As superfícies de leitura devem ser mantidas limpas, secas,


livres de gordura ou de óleo (mantenha sempre o cartão dentro da
capa de protecção).

• Proteja os cartões da exposição solar, calor e frio (nunca o deixe


em cima do painel de instrumentos.

• Não os deixe na proximidade de campos magnéticos.

• Não os use depois de expirar a data de validade e peça


atempadamente um cartão novo.

212 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.2 Instruções de calibração

11.2 Instruções de calibração

O Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, define os critérios de


calibração dos equipamentos de controlo CE. Parte da Inspecção
periódica consiste em introduzir o número da matrícula da viatura.

Consulte os dispositivos legais do seu país para saber como deve


ser realizada a calibração e que tipo de verificações adicionais deve
realizar ao abrigo dos equipamentos de controlo CE, durante a
calibração.

11.2.1 Requisitos legais relacionados com a periodicidade de calibração

A calibração deve ser realizada:


• Após cada instalação
• Durante cada uma das inspecções periódicas.

11.2.2 Aceder às funções de calibração

Antes do DTCO 1381 ser activado como equipamento de controlo


CE, pode aceder às funções de calibração através da interface de
calibração, das funções de diagnóstico bus CAN ou da interface K-
Line. Neste caso, não precisa do cartão do centro técnico.

Depois do DTCO 1381 ser activado, só é possível aceder às


funções de calibração através de um cartão do centro técnico.

A oficina autorizada deve certificar-se de que a calibração só é


realizada através de uma interface previamente escolhida e de que
as funções de calibração das outras interfaces estão desactivadas.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 213


11.2 Instruções de calibração Inspecção periódica

11.2.3 Indicações para a programação da hora UTC

Antes de activar o DTCO 1381 como equipamento de controlo CE,


poderá programa a hora UTC livremente.

Após a activação do DTCO 1381 e programar a hora UTC uma


primeira vez, esta função fica bloqueada, por questões de
segurança. É preciso retirar e voltar a inserir o cartão do centro
técnico, i.e., é necessário autenticar, novamente, o cartão do centro
técnico.

11.2.4 Medição dos parâmetros

Consulte a documentação que acompanha o dispositivo de teste


para saber como preparar e realizar a medição dos parâmetros de
calibração.

Antes de proceder à medição dos parâmetros de calibração – em


particular do número de impulsos em relação à distância percorrida
(coeficiente “w”) – deve realizar as seguintes verificações:

1. Verificar se os cabos – em particular o cabo do sensor – não


estão danificados.

2. Verificar se o cabo do sensor KITAS está directamente ligado,


isto é sem derivações, ao DTCO 1381 e ao KITAS 2171.

Depois de proceder à medição dos parâmetros de calibração e de


os programar – em particular o número de impulsos em relação à
distância percorrida (coeficiente “w”) – deve realizar as seguintes
verificações:

3. Verificar se O DTCO 1381 assinalou ou memorizou algum erro


do sensor durante a calibração.

4. Verificar se os parâmetros programados e memorizados


coincidem com os valores previamente medidos.

Se não completar nenhum dos pontos acima, encontre a origem do


erro, corrija-o e repita as medições.

214 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.2 Instruções de calibração

11.2.5 Verificação do KITAS 2171 e do cabo de sensor KITAS

Para verificar se o KITAS 2171 e o cabo de sensor KITAS, e para


confirmar se o cabo de sensor KITAS está directamente ligado, isto
é sem derivações, ao DTCO 1381 e ao KITAS 2171, complete os
seguintes passos:

1. Insira o cartão do centro técnico.

2. Imprima os dados técnicos do DTCO 1381 (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura).

3. Desligue o DTCO 1381 da corrente eléctrica.

4. Separe o cabo de sensor KITAS que está na viatura do DTCO


1381 e do KITAS 2171 e substitua por um cabo de teste.

5. Ligue o DTCO 1381 à corrente eléctrica.

6. Ligue manualmente o DTCO 1381 ao KITAS 2171 e aguarde pelo


processo de ligação.

7. Imprima os dados técnicos do DTCO 1381 (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura).

8. Compare os dados de identificação do KITAS 2171 (número de


série) que aparecem nos dois relatórios.
• Os dados de identificação do KITAS 2171(número de
série) devem ser idênticos nos dois relatórios.

Atenção!
Se os dados de identificação do sensor não coincidirem, verifique o
KITAS 2171 e o cabo de sensor KITAS e substitua aquele que
estiver defeituoso!

9. Desligue o DTCO 1381 da corrente eléctrica.

10.Separe o cabo de teste e volte a ligar o cabo de sensor KITAS


original ao DTCO 1381 e ao KITAS 2171.

11.Ligue o DTCO 1381 à corrente eléctrica.

12.Retire o cartão do centro técnico.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 215


11.2 Instruções de calibração Inspecção periódica

11.2.6 Ligar com o KITAS 2171

• O DTCO 1381 e o KITAS 2171 são ligados automaticamente


durante a activação (na primeira vez que é inserido um cartão do
centro técnico).

• Durante o processo de ligação, o DTCO 1381 e o KITAS 2171


autenticam-se mutuamente e criam uma chave de trabalho comum.

• A ligação “manual” (ligação através de um dispositivo de teste) só


é possível com um cartão do centro técnico num DTCO 1381 já
activado.

• Após a terceira tentativa falhada de ligação, esta função fica


bloqueada por razões de segurança. O cartão do centro técnico tem
de ser retirado e novamente inserido. Por outras palavras, o cartão
do centro técnico tem de ser novamente validado.

• Cada vez que se realiza uma inspecção periódica, o DTCO 1381


e o KITAS 2171 devem ser ligados manualmente por razões de
segurança.

Atenção!

O KITAS 2171 pode sofrer danos irreparáveis, na sequência de uma


interrupção da fonte de alimentação eléctrica durante o
emparelhamento.

Durante a primeira operação de ligação, o KITAS 2171 é definido


para um único tipo de tacógrafo e só pode ser usado com esse tipo
de tacógrafo!

O KITAS 2171 pode ser ligado tanto a um MTCO 1324 quanto a um


DTCO 1381.

Após o primeiro emparelhamento, o KITAS 2171 estará atribuído a


um determinado tipo de TCO e, daí em diante, apenas poderá ser
usado com esse tipo específico.

216 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.3 Instruções para inspecções periódicas

11.3 Instruções para inspecções periódicas

O DTCO 1381, juntamente com os seus componentes de sistema, é


um equipamento de controlo que obedece ao Regulamento (CEE)
n.º 3821/85, anexo I B. Se o DTCO 1381 for instalado numa viatura
que obriga à presença de um equipamento de controlo, a viatura
será sujeita a inspecções periódicas:

• Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, Parágrafo IV


(verificações de instalação, inspecções de controlo e reparações)

Na Alemanha, as inspecções obrigatórias estão definidas:


• § 57 b do StVZO

O fabricante do equipamento ou a oficina autorizada devem realizar


tais inspecções. No caso das viaturas novas, essas inspecções
devem ser realizadas pelos construtores automóveis autorizados.

Consulte os dispositivos legais do seu país para saber como deve


ser realizada a inspecção periódica e se são necessários mais
testes ou equipamentos de controlo CE, durante a inspecção
periódica.

Atenção!
Depois de cada intervenção ao sistema, certifique-se de que as
inspecções exigidas foram realizadas e que os respectivos pontos
de selagem estão devidamente selados.

11.3.1 Requisitos legais sobre a periodicidade da inspecção periódica

A inspecção periódica deve ser realizada:


• Após cada reparação
• Sempre que houver um alteração do número de impulsos em
relação à distância percorrida (valor w)
• Sempre que houver uma alteração da circunferência real da roda
• Sempre que houver um desvio superior a 20 minutos da hora
UTC em relação à hora certa
• Sempre que houver uma alteração do número da matrícula
• Pelo menos até dois anos após a última inspecção periódica

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 217


11.4 Dispositivo de teste Inspecção periódica

11.4 Dispositivo de teste

A pré-programação faz-se recorrendo a um dispositivo de teste


apropriado como, p.ex., o SDS MTC 1602.04, o ATC 1601.26, ou o
CTC 1602.21 da VDO.

Fig. 63: Dispositivo de teste SDS da VDO

(1) MTC/ATC, com acessórios

(2) CTC 1602.21

Para informações adicionais sobre os dispositivos de teste SDS,


consulte um representante VDO.

Autenticação (3) Cartão do centro técnico


O fabricante do equipamento de controlo, da viatura, instalador ou
oficina autorizados utiliza um cartão para se identificar junto do
DTCO 1381, o que permite memorizar as actividades relacionadas
com essa identidade.

Após uma autenticação positiva, o cartão do centro técnico permite a


autenticação, a ligação ao KITAS 2171, a calibração e o teste ao
DTCO 1381, a transferência de dados, o transfere, o teste e ensaios.

218 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.5 Verificar a bateria de salvaguarda

11.5 Verificar a bateria de salvaguarda

Para garantir um bom funcionamento do DTCO 1381, a bateria de


salvaguarda deve ser substituída nas seguintes situações:

• Durante a instalação, activação ou calibração inicial, caso a data


de fabrico do DTCO 1381 seja superior a 12 meses.
• A cada inspecção periódica.

1. Substitua a bateria de salvaguarda do DTCO 1381. Consulte o


Capítulo 12.2 “Bateria de Salvaguarda, na página 234.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 219


11.6 Realizar inspecções periódicas Inspecção periódica

11.6 Realizar inspecções periódicas

Atenção!
Durante a inspecção periódica, certifique-se de que o DTCO 1381
está indiscutivelmente a trabalhar na voltagem correcta!

Definição Durante a inspecção periódica, devem ser cumpridos, pelo menos,


os seguintes passos:
• Verificar visualmente se a caixa do DTCO 1381 e do KITAS 2171
se há indícios de manipulação
• Verificar a marca de homologação do DTCO 1381
• Verificar a selagem
• Verificar o tamanho do pneu e a circunferência real da roda
• Ligar “manualmente” o DTCO 1381 ao KITAS 2171
• Medir os erros indicados
• Realizar a calibração
• Verificar e comprovar o bom funcionamento do equipamento de
controlo CE
• Verificar e comprovar que todo o sistema está dentro da margem
de erro permitida no que toca à distância e à velocidade, definida
pelo Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.
• Verificar a placa de instalação que está presente; crie uma nova
placa de instalação e sele-a, se necessário

Consulte os dispositivos legais do seu país para saber com que


periodicidade deve ser realizada a inspecção periódica e que tipo de
verificações adicionais deve realizar ao abrigo dos equipamentos de
controlo CE, durante a inspecção periódica.

É possível aceder às funções de calibração através da interface de


calibração, do diagnóstico bus CAN ou do K-Line, através de um
cartão do centro técnico.

220 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.6 Realizar inspecções periódicas

Atenção!
Se um centro técnico autorizado detectar na marcação do ensaio,
previsto no Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B, Parágrafo
IV, que o interruptor na caixa não estava ligado ou que estava ligado
noutra posição que não o de “Calibração”, deve-se verificar a
conformidade do funcionamento do DTCO 1381 com o
Regulamento.

Os dados registados na última inspecção devem ser considerados


como pouco credíveis até ser verificada a conformidade com o
Regulamento.

11.6.1 Inserir um cartão do centro técnico

A descrição relacionada com a introdução de um cartão do centro técnico


que se segue, é realizada com um DTCO 1381 já activado.

Para informações adicionais sobre a activação do DTCO 1381, consulte o


Capítulo 9.2 “Activação”, na página 182.

Fig. 68: Inserir o cartão do centro técnico

1. Ligar a ignição (apenas nas variantes ADR).

2. Retire um cartão de tacógrafo que eventualmente esteja no interior


do equipamento.

3. Insira o cartão do centro técnico na ranhura n.º 1, com o lado onde


está o chip virado para cima (o cartão ficará automática e mecanicamente
bloqueado assim que for introduzido).
• Os passos seguintes são indicados pelo menu.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 221


11.6 Realizar inspecções periódicas Inspecção periódica

Navegar no menu após inserir um cartão do centro técnico

Se o idioma não estiver definido ou não estiver disponível no cartão


de tacógrafo, o texto irá aparecer no idioma oficial do Estado-
membro que emitiu o cartão. Consulte o Capítulo 3.2.1 “Seleccionar
o Idioma do Texto”, na página 3-5.

Passos/Menu visionado Explicação/significado

1 Texto de boas-vindas. Durante cerca de 3 segundos, aparece a


hora local definida e a hora UTC.

2 O DTCO 1381 começa a ler o cartão do centro técnico. Aparece o


símbolo indicando o modo activo. Um gráfico mostra a evolução do
processo de leitura do cartão.

3 Surge o nome do titular do cartão.

4 Escolha o número de caracteres que compõem o PIN (min. de 4


e máx. de 8):
• Seleccione com a tecla ou o número de caracteres
• Confirme com a tecla .

5 Introdução do PIN:
• “0”, o primeiro carácter a ser introduzido aparece a piscar
• Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao
primeiro carácter e
• Confirme com a tecla

0…2”, o segundo carácter a ser introduzido aparece a piscar

• Seleccione, através da tecla ou o valor a atribuir ao


segundo carácter, e
• Confirme com a tecla “ ”
• As restantes posições do PIN introduzem repetindo os mesmos
passos.

Correcção de um carácter incorrecto ou do número de


caracteres incorrectos:
• Voltar atrás ao carácter anterior com a tecla ou à posição
pretendida
• Seleccionar com a tecla ou o valor do carácter ou número
de caracteres pretendidos e
• Confirme com a tecla .

222 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.6 Realizar inspecções periódicas

Passos/Menu visionado Significado/explicação

6 Ao introduzir-se o PIN incorrecto:


Confirme a mensagem com a tecla e introduza novamente o novo
número de caracteres e respectivo PIN.

Cancelar a introdução do PIN:


Pressione a tecla de expulsão do leitor de cartões onde foi
inserido o cartão do centro técnico.
Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do cartão),
retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.

Atenção!
À 5ª tentativa de introdução incorrecta do PIN, o cartão do centro
técnico ficará bloqueado e o processo será cancelado! O cartão do
centro técnico será expulso.

7 Visualização de “Ultima retirada”. Durante 3-5 segundos, o visor


mostra a data e hora UTC em que foi retirado o cartão do centro
técnico.

8 Introdução manual:
Para adicionar manualmente as actividades, seleccione “sim” com a
tecla ou .
Ou seleccione “não”
E confirme com a tecla “ .

Para informação adicionais sobre a “Introdução Manual”, consulte as


instruções de funcionamento do DTCO 1381.

9 Introduzir o país onde começa ou continua o dia de trabalho:


Seleccione o país através da tecla ou
Confirme a escolha com a tecla .
Cancele a introdução do país:
Cancele a introdução do país com a tecla .

Caso seja aplicável, introduza a região:


Seleccione a região com a tecla ou
Confirme a escolha com a tecla .

Só nalguns países é possível introduzir a região. Se for o caso, o


sistema pedir-lhe-á automaticamente que introduza a região.

Os registos no início e fim do tempo de trabalho diário também


podem ser processados sem que esteja inserido um cartão do centro
técnico, assim como noutros momentos diferentes da introdução ou
retirada do cartão.

(continua)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 223


11.6 Realizar inspecções periódicas Inspecção periódica

(continuação da introdução do cartão do centro técnico)

Passos/Menu visionado Significado/explicação

10 Surge o ecrã-padrão. O DTCO 1381 ainda está em “Modo


Operacional” (2).

O símbolo do cartão só será apresentado se os dados do motorista


tiverem sido completamente lidos. Os símbolos (1) que antecedem o
texto têm o seguinte significado:

o cartão do centro técnico está inserido na


Pode iniciar o test-drive, se necessário. Os dados relevantes
para o test-drive já foram acedidos.

Enquanto o símbolo de cartão não constar no ecrã, não consegue


realizar as seguintes tarefas:
• Chamar as funções de menu.
• Aceder a um cartão de tacógrafo.

11 Concluída a leitura, o DTCO 1381 entra em “Modo de Calibração”


(3).

224 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.6 Realizar inspecções periódicas

11.6.2 Parâmetros obrigatórios por lei

Os seguintes parâmetros são obrigatórios por lei e devem ser


actualizados ou confirmados:

• Número de identificação da viatura


• Número de registo da viatura
• País de registo
• Número de impulsos em relação à distância (valor w)
• Constante do equipamento de controlo (valor k) *
• Circunferência real da roda
• Tamanho do pneu
• Ajusta de velocidade máxima autorizada (ajuste v do limitador de
velocidade)
• Hora UTC
• Leitura do odómetro
• Data de calibração *

* O DTCO 1381 regista esses dados automaticamente.

11.6.3 Parâmetros específicos do equipamento

Para utilizar o DTCO 1381, é preciso actualizar ou confirmar


parâmetros adicionais, específicos do equipamento como, por
exemplo:

• Constante n
• Configuração
• Configuração CAN
• Chave do produto
• Árvore do motor I/U
• Dados de produção (tais que parâmetro do redutor de luz,
valores-limites para n)
• etc.

A definição dos parâmetros específicos do equipamento varia


consoante o cliente, ou o tipo de equipamento.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 225


11.6 Realizar inspecções periódicas Inspecção periódica

11.6.4 Outros parâmetros

Há outros parâmetros que devem ser actualizados ou confirmados:


• A data de instalação
• A data da próxima calibração
• etc.

11.6.5 Introduzir parâmetros

Para informações adicionais sobre a introdução dos parâmetros de


calibração, consulte as instruções do equipamento de teste.

Parâmetros obrigatórios por lei Os seguintes parâmetros são obrigatórios por lei e devem ser
actualizados ou confirmados:
• Número de identificação da viatura
• Número de registo da viatura
• País de registo
• Número de impulsos em relação à distância (valor w)
• Constante do equipamento de controlo (valor k) *
• Circunferência real da roda
• Tamanho do pneu
• Ajusta de velocidade máxima autorizada (ajuste v do limitador de
velocidade)
• Hora UTC
• Leitura do odómetro
• Data de calibração *

* O DTCO 1381 regista, automaticamente, estes dados.

O DTCO 1381 define automaticamente a data e o motivo da


calibração.

Através das funções de menu, pode imprimir (relatório dos “Dados


Técnicos” da viatura) ou visualizar (afixar os “Dados Técnicos” da
viatura) a data de calibração e o motivo da calibração.

226 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.6 Realizar inspecções periódicas

Parâmetros específicos Consoante a variação do DTCO 1381, há outros parâmetros que não
do equipamento são obrigatórios por lei, mas que devem ser actualizados ou
confirmados:
• Constante n
• Árvore do motor I/U
• etc.

Outros parâmetros Se necessário, há outros parâmetros que podem ser programados:


• Data de instalação
• Data da próxima calibração
• etc.

Atenção!
Certifique-se de os parâmetros programados e memorizados estão
em conformidade com os parâmetros previamente medidos.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 227


11.6 Realizar inspecções periódicas Inspecção periódica

11.6.6 Retirar um cartão do centro técnico

1. Pressione a tecla da respectiva ranhura para retirar o


cartão do centro técnico.
Os passos seguintes são indicados pelo menu.
2. Assim que o cartão for libertado (desbloqueio mecânico do
cartão), retire o cartão do centro técnico da respectiva ranhura.
3. Utilize a tecla ou para definir a respectiva
actividade, tais que .

Navegar no menu após de retirar um cartão do centro técnico

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 Surge o nome do titular do cartão. Um gráfico mostra que o DTCO


1381 está a transferir dados para o cartão do centro técnico.

2 Introduza o país relativo ao fim do dia de trabalho:


Seleccione o país através da tecla ou , e
Confirme a escolha com a tecla .

Cancele a introdução do país:


Pressione a tecla para cancelar a introdução do país.

Caso seja aplicável, introduza a região:


Seleccione a região através da tecla ou ,e
Confirme a escolha com a tecla .

3 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

4 Imprimir a actividade diária:


Para imprimir a actividade diária, escolha “sim” através da tecla ou
(ou, em alternativa, escolha “não”)
Confirme a escolha com a tecla .

5 Continuação do processo de transferência de dados para o cartão do


centro técnico.

6 O cartão do centro técnico é libertado, o ecrã-padrão e o Modo


Operacional (1) entram em funcionamento.

228 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Inspecção periódica 11.6 Realizar inspecções periódicas

11.6.7 Criar e selar a placa de instalação

Depois de realizar a Inspecção periódica, a placa de instalação deve


ser instalada junto ao equipamento de controlo, de forma a estar bem
visível.

1. A seguinte informação deve ser transferida para a placa de


instalação:

• Data de calibração
• Circunferência real da roda (valor l, máx. de 4 dígitos)
• Número de impulsos em relação à distância (valor w, máx. de 5
dígitos)
• Constante do equipamento de controlo (valor k, 5 dígitos)
• Número de identificação da viatura (máx. de 17 dígitos)
• Número do equipamento (máx. 10 dígitos)
• Tamanho do pneu (máx. 15 dígitos)
• Nome e morada ou logótipo da companhia *

2. A placa de instalação deve ser instalada junto ao


equipamento de controlo, de forma a estar bem visível.

3. Proteja a placa de instalação com uma lâmina de selagem.

A placa de instalação deve estar protegida com uma lâmina de


selagem, a não que esteja instalada de tal forma que a sua retirada
provocaria uma destruição dos dados nela contidos.

A placa de instalação deve ser substituída após cada intervenção no


sistema.

* O nome e a morada ou o logótipo da empresa, da oficina ou do


fabricante podem ser impressos na lâmina de selagem.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 229


230 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008
Capítulo 12

Manutenção e limpeza

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Manutenção e limpeza

Tabela de conteúdos

Capítulo 12 – Manutenção e limpeza

12.1 Manutenção do sistema......................................... 233


12.2 Bateria de salvaguarda.......................................... 234
12.2.1 Indicações sobre a substituição da bateria
de substituição……………………………..... 234
12.2.2 Indicações sobre a eliminação..................... 235
12.2.3 Retirar o DTCO 1381………………………... 236
12.2.4 Substituir a bateria de salvaguarda............. 237
12.2.5 Montar o DTCO 1381………………………. 238
12.3 Limpeza................................................................... 239
12.4 Eliminação de resíduos.......................................... 240

232 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Manutenção e limpeza 12.1 Manutenção de sistema

12.1 Manutenção do sistema

Os componentes de sistema do DTCO 1381 empregam uma


tecnologia moderna que dispensa manutenção. Por essa razão, não
é necessária uma manutenção preventiva.

As instruções de manutenção para as unidades indicadoras


específicas da viatura (instrumentos combinados) constam da
respectiva documentação.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 233


12.2 Bateria de salvaguarda Manutenção e limpeza

12.2 Bateria de salvaguarda

12.2.1 Instruções sobre a substituição da bateria de salvaguarda

Para garantir um bom funcionamento do DTCO 1381, a bateria de


salvaguarda deve ser substituída nas seguintes situações:

• Durante a instalação, activação ou calibração inicial, caso a data


de fabrico do DTCO 1381 seja superior a 12 meses.
• A cada inspecção periódica.

Substituição da bateria de salvaguarda em dispositivos


fechados
Para garantir o correcto funcionamento de unidades do DTCO 1381
em armazém, a bateria de salvaguarda deve ser substituída nos
dispositivos fechados, caso a data de fabrico ultrapasse os 24
meses.

Data de fabrico do DTCO 1381 A data de fabrico do DTCO 1381 consta da embalagem e da chapa
de modelo, e aparece codificada como “MYY”:

M = mês de fabrico
A Janeiro G Julho
B Fevereiro H Agosto
C Março J Setembro
D Abril K Outubro
E Maio L Novembro
F Junho M Dezembro

YY = ano de fabrico
08 2008 10 2010
09 2009 … …

234 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Manutenção e limpeza 12.2 Bateria de salvaguarda

Data de fabrico da bateria Utilize apenas baterias cuja data de fabrico não ultrapasse os seis
anos.

A data de fabrico está impressa na bateria. Tenha em atenção os


diferentes códigos de datas.

Fabricante/Tipo de bateria Código de data


VDO YY/MM
Vitzrocell Tekcell YY/MM
XENO Energy MM/YY

A bateria de salvaguarda só pode ser substituída em oficinas


autorizadas e por pessoal treinado.

12.2.2 Indicações sobre a eliminação

Atenção!
As baterias substituídas não devem ser, novamente, instaladas
no DTCO 1381!

Certifique-se de que as baterias substituídas não possam ser,


novamente, utilizadas, p.ex., retirando o borne.

Não deite fora as baterias juntamente com o lixo doméstico!

Queira entregar as baterias usadas aos centros de reciclagem para


receberem o tratamento adequado.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 235


12.2 Bateria de salvaguarda Manutenção e limpeza

12.2.3 Retirar o DTCO

Fig. 69: Retirar o DTCO 1381 do compartimento de rádio

1. Encaixe os extractores auxiliares (1) nas aberturas


situadas dos dois lados do DTCO 1381.

2. De seguida, pressione ligeiramente os dois


extractores para fora e puxe o DTCO 1381 para fora do
compartimento do rádio.

236 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Manutenção e limpeza 12.2 Bateria de salvaguarda

12.2.4 Substituir a bateria de salvaguarda

Instruções Importantes!
Quando substituir a bateria, utilize apenas baterias aprovadas pela
VDO (tipo SB-AA02P, referência HS53.16 00.057).

Se o DTCO 1381 não estiver ligado à corrente eléctrica da viatura


durante a substituição da bateria de salvaguarda, o equipamento
deixa de estar operacional a partir do momento em que a bateria
for retirada!

Quando substituir a bateria de salvaguarda, certifique-se a


corrente eléctrica que alimenta o DTCO 1381 não é
interrompida.

Fig. 70: Substituir a bateria de salvaguarda

1. Retire o DTCO 1381 do compartimento de rádio.

2. Retire o protector do compartimento da bateria (3), abra a


tampa (2) do compartimento da bateria (1).

3. Retire a bateria que já está instalada (4) do compartimento


da bateria e retire cuidadosamente a ficha (5) da ligação.

4. Encaixe cuidadosamente a ficha da nova bateria na


respectiva ligação e introduza a nova bateria no compartimento da
bateria.

5. Feche a tampa do compartimento de bateria.

Nota!
Certifique-se de que o cabo da bateria não ficou apertado/preso.

6. Encaixe o protector (4) e aperte-o com a ajuda de uma


ferramenta.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 237


12.2 Bateria de salvaguarda Manutenção e limpeza

12.2.5 Montar o DTCO 1381

Fig. 71: Montar o DTCO 1381 ao compartimento de rádio

1. Na parte de trás do DTCO 1381 (2), o perne de rosca


(5) e tape-o com o distanciador (3) ou com o protector (4).

2. De seguida, empurre o DTCO (2) para dentro da


moldura de instalação (1) até que se encaixe na moldura e a tampa do
DTCO se encoste à consola.

Normalmente, na parte de trás de trás do compartimento do rádio, há


um apoio suplementar, com um buraco (6). Quando o DTCO 1381 é
empurrado para dentro do compartimento de rádio, o protector (5) se
encaixe no buraco.

Atenção!
Quando inserir o DTCO 1381 na moldura de instalação, certifique-se
que os cabos não ficam presos ou danificados.

238 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Manutenção e limpeza 12.3 Limpeza

12.3 Limpeza

Limpeza do DTCO 1381 Limpe o equipamento, o visor, assim como as teclas de funções do
DTCO 1381, com um pano ligeiramente humedecido ou com um
pano de limpeza de microfibras.

Limpeza dos cartões de Limpe os contactos dos cartões de tacógrafo, com um pano
tacógrafo ligeiramente humedecido ou com um pano de limpeza de
microfibras.

Limpe os contactos do leitor de Limpe os contactos do leitor de cartões do DTCO, com o pano de
cartões limpeza adequado para esse efeito.

Tome nota!
Não use solventes tais que benzina, nafta ou agentes abrasivos,
uma vez que estas substâncias podem danificar o equipamento.

Utilize apenas cartões de limpeza recomendados, ou autorizados


pela VDO, e siga todas as recomendações do fabricante sobre o
correcto manuseamento!

Para informações adicionais, assim como para adquirir panos e


cartões de limpeza, consulte um representante VDO.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 239


12.4 Eliminação de resíduos Manutenção e limpeza

12.4 Eliminação de resíduos

O DTCO 1381, juntamente com os componentes de sistema, é um


equipamento de controlo CE que cumpre as normas definidas pelo
Regulamento (CEE) n.º 3821/85, Anexo I B.

Os equipamentos de controlo só podem ser eliminados de


acordo com as directivas sobre a eliminação de equipamentos
de controlo CE vigentes no seu Estado-membro.

240 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 13

Eventos e falhas

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Eventos e falhas

Tabela de conteúdos

Capítulo 13 – Eventos e falhas

13.1 Indicações gerais sobre as mensagens............... 243


13.1.1 Visualização das mensagens no visor......... 244
Pictogramas adicionais no Modo de
Calibração……………………………………………… 244
13.1.2 Saída para bus CAN.................................... 245
13.1.3 Saída para a interface de informação.......... 245
13.2 Visualizar a memória de eventos e falhas............ 246
13.2.1 Motorista n.º 1 ou motorista n.º 2
(cartão de tacógrafo inserido....................... 246
13.2.2 Viatura (memória de dados)........................ 247
13.3 Imprimir a memória de eventos e falhas.............. 248
13.3.1 Motorista n.º 1 ou motorista n.º 2
(cartão de tacógrafo inserido....................... 248
13.3.2 Viatura (memória de dados)........................ 249
13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas.......... 250
13.4.1 Visão geral das mensagens………………... 251
13.4.2 Mensagens operacionais........................…. 255
13.4.3 Mensagens sobre o tempo de trabalho...…. 262
13.4.4 Mensagens de falhas................................... 263
13.4.5 Mensagens de eventos................................ 269
13.4.6 Mensagens de quebra de segurança……… 275
13.4.7 Outros eventos e falhas............................... 278

242 © Continental Automotive GmbH Edição


11/2008
Eventos e falhas 13.1 Indicações gerais sobre as mensagens

13.1 Indicações gerais sobre as mensagens

O DTCO 1381 monitoriza o funcionamento do sistema, e anuncia e


regista automaticamente sempre que surge um evento definido por
lei, uma quebra de segurança ou um falha.

Sempre que é confrontado com um evento, falha ou quebra de


segurança, O DTCO 1381 processa da seguinte forma:

• Guarda-os na memória de dados do DTCO 1381 para a sua


posterior análise

• Guarda-os nos cartões de tacógrafo que estão inseridos para


posterior análise

• Disponibiliza-os no bus CAN (estado do tacógrafo) para outras


estações CAN

• Envia-os para a interface de informação (estado do tacógrafo)

• Afixa-os no visor do DTCO 1381, através da retroiluminação do


visor, que fica intermitente

As mensagens operacionais e as mensagens relacionadas com o


incumprimento dos tempos não são memorizadas na memória de
dados do DTCO 1381.

Os eventos e falhas memorizados podem ser transferidos (copiados)


das interfaces do DTCO 1381 (tais que a interface de transferência)
para equipamentos externos.

Nas mensagens relacionadas com os cartões, o número da ranhura


também vai aparecer, complementando o pictograma.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 243


13.1 Indicações gerais sobre as mensagens Eventos e falhas

13.1.1 Visualização das mensagens no visor

As mensagens afixadas no visor são constituídas pelos seguintes


elementos:
(1) Pictogramas ou combinação de pictogramas (definidos por
lei)
(2) Texto informativo
(3) Código da memória (CM = Posição na memória de erro)

Durante as mensagens de alerta, a retroiluminação do visor fica


intermitente durante 30 segundos ou até que seja pressionada uma
tecla.

Durante as mensagens de alerta, a retroiluminação do visor fica


intermitente durante 30 segundos ou até que se confirme o alerta.

Os respectivos pictogramas, combinações de pictogramas ou textos


informativos que aparecem numa mensagem são afixados
(independentemente da retroiluminação do visor) até que seja
confirmada através da tecla ”

Algumas mensagens são ciclicamente apresentadas ao utilizador até


que o erro ter sido removido ou deixar de estar activo.

No Modo de Calibração, algumas mensagens são mais


detalhadamente afixadas graças aos pictogramas adicionais.

Pictogramas adicionais no Modo de Calibração

Para permitir uma melhor distinção de mensagens com o mesmo


texto de falha mas com origens diferentes no equipamento, vão ser
afixados pictogramas adicionais (uma letra) (4) no Modo de
Calibração que não estão especificados no Regulamento (CEE) n.º
3821/85, Anexo I B.

Estes pictogramas adicionais não vão aparecer impressos ou


apresentados no visor.

244 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.1 Indicações gerais sobre as mensagens

13.1.2 Saída em bus CAN

O DTCO 1381 envia o estado do tacógrafo (estado de erro) como


componente da informação TC01 (byte de dados 4).

As mensagens de alerta são transmitidas como “evento de sistema”


(system event – SE).

O erro só permanece no bus CAN até que se tome conhecimento do


mesmo, premindo a tecla .

Algumas mensagens são ciclicamente apresentadas ao utilizador até


que o erro ter sido removido ou deixar de estar activo.

13.1.3 Saída para a interface de informação

O DTCO 1381 envia o estado do tacógrafo (estado de erro) como


componente da informação TC01 (byte de dados 12).

As mensagens de alerta são transmitidas como “evento de sistema”


(system event – SE).

O erro só permanece na interface de informação até que se tome


conhecimento do mesmo, premindo a tecla .

Algumas mensagens são ciclicamente apresentadas ao utilizador até


que o erro ter sido removido ou deixar de estar activo.

Enquanto estiver a ser ajustada o estado específico de “Fora de


Âmbito”, a saída de alertas para a interface de informação pode
encontrar-se suspensa.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 245


13.2 Visualizar as memórias de eventos e falhas Eventos e falhas

13.2 Visualizar a memória de eventos e falhas

A memória de eventos e falhas só pode ser visualizados com a


viatura parada, e – no caso da variante ADR – unicamente com a
ignição ligada. Consulte o Capítulo 3.1.3 “Imprimir ou Visualizar os
Dados”, na página 58.

13.2.1 Motorista n.º 1 ou motorista n.º 2 (cartão de tacógrafo inserido)

Objectivo Neste menu, é possível visualizar os eventos e falhas já


memorizados de um cartão de tacógrafo que esteja inserido na
ranhura.

O procedimento para o motorista n.º 2 (cartão de tacógrafo inserido


na ranhura n.º 2) é idêntico ao procedimento utilizado para o
motorista n.º 1 (cartão de tacógrafo inserido na ranhura n.º 1), pelo
que não será descriminado na explicação que se segue abaixo.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 A partir do ecrã-padrão…
• Carregue repetidamente na tecla “ ” até que apareça a pergunta
“call main menu”, i.e. “chamar menu principal”, e
• Confirme com a tecla .
ou
• Carregue na tecla .

2 • Seleccione a opção “afixar motorista 1” através da tecla ou


• E confirme com a tecla .

3 • Seleccione a opção “evento motorista 1” através da tecla ou


• E confirme com a tecla

4 Numa apresentação semelhante a um relatório, vão aparecer todos


os eventos e falhas memorizados no cartão de tacógrafo.

Nota
No visor, os 24 caracteres de uma linha de relatório aparecem
distribuídos por duas linhas!

Ao ler as informações, se voltar para a página anterior, só poderá


visualizar, aproximadamente, as últimas 20 linhas de relatório.

246 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.2 Visualizar a memória de eventos e falhas

13.2.2 Viatura (memória de dados)

Objectivo Neste menu, é possível visualizar os eventos e falhas já guardados


na memória de dados.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 A partir do ecrã-padrão…
• Carregue repetidamente na tecla até que apareça a pergunta
“call main menu”, i.e. “chamar menu principal”, e
• Confirme com a tecla .
ou
• Carregue na tecla .

2 • Seleccione a opção “afixar viatura” através da tecla ou ,e


• Confirme com a tecla .

3 • Seleccione a opção “evento viatura” através da tecla ou ,e


• Confirme com a tecla

4 Numa apresentação semelhante a um relatório, vão aparecer todos


os eventos e falhas memorizados.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 247


13.3 Imprimir a memória de eventos e falhas Eventos e falhas

13.3 Imprimir a memória de eventos e falhas

A memória de eventos e falhas só pode ser visualizados com a


viatura parada, e – no caso da variante ADR – unicamente com a
ignição ligada. Consulte o Capítulo 3.1.3 “Imprimir ou Visualizar os
Dados”, na página 3-4.

13.3.1 Motorista n.º 1 ou motorista n.º 2 (cartão de tacógrafo inserido)

Objectivo Neste menu, é possível imprimir os eventos e falhas já memorizados


de um cartão de tacógrafo que esteja inserido na ranhura.

O procedimento para o motorista n.º 2 (cartão de tacógrafo inserido


na ranhura n.º 2) é idêntico ao procedimento utilizado para o
motorista n.º 1 (cartão de tacógrafo inserido na ranhura n.º 1), pelo
que não será descriminado na explicação que se segue abaixo.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 A partir do ecrã-padrão…
• Carregue repetidamente na tecla até que apareça a pergunta
“call main menu”, i.e. “chamar menu principal”, e
• Confirme com a tecla .
ou
• Carregue na tecla .

2 • Seleccione a opção “relatório motorista 1” através da tecla ou

• E confirme com a tecla .

3 • Seleccione a opção “evento motorista 1” através da tecla ou


• E confirme com a tecla

4 O DTCO 1381 lança o relatório escolhido e afixa a seguinte


mensagem, durante cerca de três segundos.

Os pictogramas adicionais que aparecem no Modo de Calibração


não vão aparecer nas impressões.

248 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.3 Imprimir a memória de eventos e falhas

13.3.2 Viatura (memória de dados)

Objectivo Neste menu, é possível imprimir os eventos e falhas já guardados na


memória de dados.

Passos/Menu visionado Significado/explicação

1 A partir do ecrã-padrão…
• Carregue repetidamente na tecla até que apareça a pergunta
“call main menu”, i.e. “chamar menu principal”, e
• Confirme com a tecla .
ou
• Carregue na tecla .

2 • Seleccione a opção “relatório viatura” através da tecla ou


• E confirme com a tecla .

3 • Seleccione a opção “evento viatura” através da tecla ou


• E confirme com a tecla

4 O DTCO 1381 lança o relatório escolhido e afixa a seguinte


mensagem, durante cerca de três segundos.

Os pictogramas adicionais que aparecem no Modo de Calibração


não vão aparecer nas impressões (isto é, nos relatórios).

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 249


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Atenção!
Não tente abrir ou modificar o equipamento!

Um DTCO 1381 defeituoso ou um componente de sistema afectado


deve ser confirmado e, se for o caso, substituído na totalidade.

As seguintes tabelas reflectem as medidas recomendadas para


eliminar as falhas detectados. Se o problema persistir depois de ter
realizado as soluções apresentadas, contacte a nossa linha de apoio,
ou o seu representante local.

Continental Automotive GmbH


P.O. Box 1640
D-78006 Villingen-Schwenningen

Jürgen Daucher
Tel: (+49) (0) 7721 67 31 96
Fax: (+49) (0) 7721 67 27 29
E-mail: juergen.daucher@continental-corporation.com

250 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

13.4.1 Visão geral das mensagens

Visor do DTCO 1381 As mensagens que aparecem no visor são constituídas pelos
seguintes elementos:

(1) Pictograma ou combinação de pictogramas (Picto.)


(2) Pictograma adicional, no modo de Calibração (PA)
(3) Texto de erro
(4) Código de memória (CM)

Código de erro O código de erro pode ser lido através da interface de calibração y as
interfaces de diagnóstico (CAN ou K-line), com um dispositivo de
teste.

Os códigos de erro especificados pelo cliente – que são diferentes


dos códigos-padrão – podem ser lidos através das interfaces de
diagnóstico (CAN ou K-Line).

Neste anexo, encontrará todas as mensagens, ordenadas por código


de memória (CM), consulte o Capítulo 14.8 “Visão geral das
mensagens de acordo com o Código de Memórias (CM)”, na página
318.

Mensagens operacionais

1) PA = Pictograma adicional, no modo de Calibração


2) CM = Código de memória (posição na memória de erros)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 251


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Mensagens operacionais

(continuação)

Mensagens
sobre o tempo de trabalho

Mensagens de falhas

1) PA = Pictograma adicional, no modo de Calibração


2) CM = Código de memória (posição na memória de erros)

252 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Mensagens de eventos

Mensagens de quebra de
segurança

1) PA = Pictograma adicional, no modo de Calibração


2) CM = Código de memória (posição na memória de erros)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 253


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Outros eventos e falhas

1) PA = Pictograma adicional, no modo de Calibração


2) CM = Código de memória (posição na memória de erros)

Os alertas relativos a quebras de segurança obedecem a uma


codificação adicional, quando visualizadas/imprimidas. Para
informações adicionais, consulte o Capítulo 14.7 “Comportamento da
memória durante eventos e falhas”, na página 315.

254 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

13.4.2 Mensagens operacionais

O DTCO 1381 reconhece as falhas operacionais e apresenta a


respectiva mensagem no visor.

As mensagens operacionais não são armazenadas na memória de


dados do DTCO 1381.

O código de erro pode ser lido através das interfaces de diagnóstico


(CAN ou K-Line) com a ajuda de um dispositivo de teste, só que não
pode ser afixado no visor do DTCO 1381.

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


A erro interno 10 4000003000 Falha na saída de impulsos v (B7)

Causas possíveis
• O cabo de ligação entre o DTCO 1381 e a unidade de
controlo está defeituoso
• A unidade de controlo ligada à saída “B7” está
defeituosa.
• A saída “B7” do DTCO 1381 está defeituosa.

Medidas
- Verifique se a unidade de controlo está efectivamente a
monitorar a linha. Desactive-a, se necessário.
- Verifique o cabo de ligação entre o DTCO 1381 e a
unidade de controlo:
a) Curto-circuito à terra?
b) Curto-circuito + UB?
- Verifique a saída “B7” do DTCO 1381.
- Verifique a entrada da unidade de controlo

Se necessário, substitua os componentes defeituosos.

Nota
O controlo dessa falha depende da configuração do DTCO
1381:
- Pode activar ou desactivar o controlo dessa falha (B7
recognise).

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 255


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


-- retirada impossível 34 00000005B3 Não é possível retirar um cartão de
tacógrafo. O pedido foi recusado.

Causas possíveis
• A viatura está em andamento
• Há uma transferência de dados em curso
• A ignição está desligada
• O cartão de tacógrafo está a ser lido ou
gravado
• O cartão de tacógrafo está a ser
solicitado ao mesmo tempo, durante a leitura
do mesmo (depois de ter sido inserido ou
reiniciado).

Medidas
- Confirme se a ignição está desligada e
ligue-a, se necessário
- Verifique se o DTCO 1381 detecta a
“condução”. Se for o caso, pare a viatura e
repita o procedimento
- Confirme se está em curso uma
transferência de dados. Se for o caso, repita
o procedimento depois da transferência
estar concluída
- Repita o processo

Se a mensagem de erro persistir, apesar de


ter seguido estas medidas, substitua o
DTCO 1381.

256 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


-- relatório impossível 36 00000005B3 Não é actualmente possível apresentar um relatório.
Qualquer relatório em curso vai ser cancelado e todos
os pedidos de impressão vão ser rejeitados.

Causas Possíveis
• A viatura está em andamento
• A ignição está desligada
• A cabeça de impressão sobreaqueceu
• Sub voltagem ou sobre voltagem

Medidas
- Só é possível imprimir com a viatura parada, mas
com a ignição ligada. Se necessário, pare a viatura ou
ligue a ignição.
- Na sequência da impressão de um grande
relatório, a temperatura da cabeça de impressão está
demasiado elevada. Espere que arrefeça
- Verifique a corrente eléctrica do DTCO 1381.
Corrija os seguintes elementos, caso seja necessário:
a) a ficha de ligação e cabo (atribuição dos pernes,
mau contacto ou ficha solta)
b) a voltagem nos terminais 30 e 15 está dentro do
intervalo indicado?
c) o comportamento da voltagem nos terminais 30 e
15, durante o arranque, estão dentro do intervalo
indicado?
- Aguarde que outro processo activo esteja concluído
e que a interface interna da impressora esteja
novamente livre.

Se a mensagem de erro persistir, apesar de ter


seguido estas medidas, substitua o DTCO 1381.

- relatório adiado 37 00000005B3 A impressão vai ser adiada ou cancelada.

Causas Possíveis
• A cabeça de impressão sobreaqueceu

Medidas
- Na sequência da impressão de um grande
relatório, a temperatura da cabeça de impressão está
demasiado elevada. Espere que arrefeça

A impressão será automaticamente retomada assim


que esses parâmetros estiverem dentro do intervalo
indicado,

Se a mensagem de erro persistir, apesar de ter


seguido estas medidas, substitua o DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 257


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


- gaveta aberta 38 00000005B3 Durante uma das seguintes situações, foi
detectado que a gaveta da impressora ficou
aberta:
• Retirada de um cartão de tacógrafo
• Pedido de relatório
• No decorrer de uma impressão

A retirada de um cartão de tacógrafo fica adiada


até a gaveta da impressora ser fechada. Se
houve uma impressão em curso, ela será
interrompida e qualquer pedido de impressão
será rejeitado.

Causas possíveis
• A gaveta da impressora está aberta

Medidas
- Confirme se a gaveta da impressora está
aberta e feche-a, se necessário

Se a mensagem de erro persistir, apesar de ter


seguido estas medidas, substitua o DTCO 1381.

- sem papel 39 8000000660 Durante uma impressão ou durante um pedido de


impressão, o sistema detectou que não há papel
na impressora. A impressão que estiver em curso
será interrompida e qualquer pedido de
impressão será cancelado.

Causas Possíveis
• Não foi introduzido um rolo de papel
• Todo o papel foi utilizado

Medidas
- Confirme se a impressora tem papel e insira
um novo rolo, se necessário
Assim que for introduzido um novo rolo de papel,
o sistema dará automaticamente conta disso e a
impressão que foi interrompida será retomada.

Se a mensagem de erro persistir, apesar de ter


seguido estas medidas, substitua o DTCO 1381.

258 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


C falha interna 40 4000000400 Falha geral no sistema mecânico do cartão.
58 4000000500
Causas possíveis
• Bloqueio de cartão não está fechado
• Falha geral do sistema mecânico do cartão

Medidas
- Reintroduza o cartão de tacógrafo
- Pedir novo cartão de tacógrafo
- Corte a corrente eléctrica (reinicie o equipamento)

Se o problema não pode ser resolvido e a mensagem de


erro persistir, substitua o DTCO.

Nota
Qualquer cartão de tacógrafo inserido é rejeitado. Este
erro é anulado depois de se inserir correctamente um
cartão de tacógrafo.

- registo 49 00000005B3 Durante a leitura de um cartão de tacógrafo, foi detectado


inconsistente 67 uma inconsistência na data dos dados.

Medidas
- Verifique o cartão de tacógrafo
- Analise a estrutura dos dados

- cartão 50 00000005B3 O cartão que foi inserido não pode ser lido ou gravado.
defeituoso 68
Causas Possíveis
• O cartão foi incorrectamente introduzido
• Os contactos do cartão de tacógrafo estão sujos
• O cartão está defeituoso
• Os contactos do leitor de cartões estão sujos

Medidas
- Certifique-se de que o cartão de tacógrafo é válido
- Certifique-se de que o cartão de tacógrafo foi
correctamente introduzido e introduza-o, se necessário
- Verifique os contactos do cartão de tacógrafo, limpe-os
se for o caso; Consulte o Capítulo 12.3 “Limpeza”, na
página 239
- Verifique o cartão de tacógrafo
- Verifique se o sistema consegue ler correctamente
outro cartão de tacógrafo
- Limpe os contactos do leitor de cartões; Consulte o
Capítulo 12.3 “Limpeza, na página 239

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 259


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


_ tipo de cartão errado 51 00000005B3 O cartão inserido não é um cartão de tacógrafo.
69
Causas possíveis
• O cartão não é um cartão de tacógrafo válido
• Os contactos do cartão de tacógrafo estão
sujos
• O cartão de tacógrafo está defeituoso
• Os contactos do leitor de cartões estão sujos

Medidas
- Certifique-se de que o cartão de tacógrafo é
válido
- Certifique-se de que o cartão de tacógrafo foi
correctamente inserido e introduza-o, se
necessário
- Verifique os contactos do cartão de tacógrafo,
limpe-os se for o caso; Consulte o Capítulo 12.3
“Limpeza”, na página 239
- Verifique o cartão de tacógrafo
- Limpe os contactos do leitor de cartões;
Consulte o Capítulo 12.3 “Limpeza, na página
239

- cartão bloqueado 52 00000005B3 O cartão do centro técnico que foi inserido foi
70 bloqueado.

Causas possíveis
• O cartão do centro técnico foi bloqueado
depois de cinco tentativas falhadas de introdução
do PIN.
• O cartão do centro técnico está defeituoso

Medidas
- Verifique o cartão do centro técnico
- Insira um cartão do centro técnico válido (que
não esteja bloqueado)

- erro interno 53 00000005B3 Não é possível concluir o processo, o cartão de


71 tacógrafo não foi aceite e foi expulso.

Causas possíveis
• A hora do DTCO 1381 não estava correcta no
momento em que foi introduzido o cartão de
tacógrafo
• O DTCO 1381 detectou uma falha geral grave
no equipamento

Medidas
- Confirme a hora UTC do DTCO 1381 e
recorra a um dispositivo de teste, se necessário.

Se a mensagem de erro persistir, substitua o


DTCO 1381.

- entrada incorrecta - - Foi introduzido um código PIN (o cartão do centro


técnico) errado.

Medidas
- Repita ou cancele a introdução do PIN

260 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. PA Texto de erro CM Código erro Significado, causa, medidas


Introduza por favor - - Este pedido aparece sempre que não foi
introduzido um dado que foi solicitado

Medida
- Prossiga com a introdução do dado solicitado.

- Caduca dentro de 28 - - O cartão do tacógrafo, que foi libertada, perderá


dias a validade dentro de, p.ex., 28 dias.

Medidas
- Peça, atempadamente, um novo cartão de
tacógrafo, antes que a validade chegue ao fim.

Nota:
Ô controlo dessa falha periódica depende da
configuração do DTCO 1381.
• Pode activar, ou desactivar, o controlo dessa
falha.
• O tempo de pré-aviso (0-92 dias), para essa
mensagem é configurável
(WarnBeforeExpityDate).

- Calibração dentro de 28 - - A próxima inspecção periódica deverá realizar-se


dias dentro de, p.ex., 28 dias.

Medidas
- Realize a inspecção periódica prevista por lei
dentro de, p.ex., 28 dias, o mais tardar, num
centro técnico autorizado.
Para informações adicionais, consulte o
Capítulo 11, “Inspecção Periódica”, a partir da
página 209

Nota:
Ô controlo dessa falha periódica depende da
configuração do DTCO 1381.
• Pode activar, ou desactivar, o controlo dessa
falha.
• O tempo de pré-aviso (0-92 dias), para essa
mensagem é configurável
(WarnBeforeExpityDate).

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 261


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

13.4.3 Mensagens sobre o tempo de trabalho

O DTCO 1381 alerta o motorista para tempos de condução


excessivos.

Com base nos tempos de condução actuais, o DTCO 1381 calcula e


alerta o motorista, caso ele exceda os tempos de condução (antes de
uma pausa obrigatória).

A mensagem consiste em:


• Informação visual que aparece no visor do DTCO 1381
• Saída do estado do tacógrafo (handling information = HI) para o
bus CAN e para a interface de informação.
• Sinal de saída D4 (saída de alerta do tacógrafo)

Picto. Texto de erro CM Cód. Erro Significado, causa, medidas


pausa! 57 00000005B3 Após um tempo de condução ininterrupto de 4 horas e 15
75 minutos, o DTCO avisa da necessidade de fazer uma pausa.

Medidas
- Encontre um lugar para parar e faça a pausa obrigatória
(conforme indicado).

pausa! 56 00000005B3 Após um tempo de condução ininterrupto de 4 horas e 30


74 minutos, o DTCO avisa da necessidade de fazer uma pausa.

Medidas
- Encontre um lugar para parar e faça a pausa obrigatória
(conforme indicado).

262 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

13.4.4 Mensagens de falhas

O DTCO 1381 reconhece as falhas e apresenta a respectiva


mensagem.

A mensagem consiste em:


• Registo na memória de dados do DTCO 1381
• Registo nos cartões de tacógrafos que foram inseridos
• Informação visual que aparece no visor do DTCO 1381
• Iluminação do alerta visual na unidade do visor
• Saída do estado do tacógrafo (system performance = SP) para o
bus CAN e para a interface de informação.

Se o DTCO 1381 estiver no Modo de Calibração, algumas


mensagens serão acompanhadas de uma letra adicional no visor;
consulte a coluna “AP”.

O Código erro pode ser lido através das interfaces de diagnóstico


(CAN ou K-Line) com a ajuda de um dispositivo de teste, só que não
pode ser afixado no visor do DTCO 1381.

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
1)
erro interno A 01 4000000139 Surgiu uma falha grave e generalizada do
dispositivo, ou falha de comunicação com o 2)
02
05 dispositivo de teste, durante a calibração.

Medidas
Se a mensagem de falha persistir, apesar de ter
seguido estas medidas, substitua o DTCO 1381.

erro interno A 04 4000000C31 Falha grave e generalizada do dispositivo.

Medidas
Substitua o DTCO 1381.

Nota
Este aviso não será guardado na memória
principal, y nunca será “reposto a zero”

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 263


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
1)
erro da hora 06 8000000800 A hora do DTCO 1381 está incorrecta.
2)

Causas possíveis
• O relógio parou ou está incorrectamente
adiantado
• Um teste cíclico interno concluiu que a hora
não é plausível

Medidas
- Verifique a hora UTC do DTCO 1381. Se
necessário, use um dispositivo de teste para
corrigir o problema
- Verifique a função “Hora” do DTCO 1381

Se o problema não pode ser resolvido e a


mensagem de erro persistir, substitua o DTCO.

Nota
Os cartões de motorista ou da empresa não
serão aceites para impedir o risco de
inconsistência de dados.
1)
erro de 09 8000000D33 Erro na memória de calibração
2)
calibração
Causas possíveis
• Um teste cíclico interno aos parâmetros de
calibração mais importantes detectou um erro de
soma de controlo.

Visão-geral dos parâmetros de calibração:


• Número do livrete
• Número da matrícula
• Coeficiente (valor-w)
• Constante do equipamento de controlo (valor-
k)
• Circunferência real da roda
• Tamanho do pneu
• Velocidade máxima
• Hora UTC
• Leitura do odómetro
• Data de calibração

Medidas
Se o problema não pode ser resolvido e a
mensagem de erro persistir, substitua o DTCO.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

264 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
2)
erro de - 12 00000005B2 Surgiu uma falha de comunicação, durante a
transferência transferência de dados a partir de um cartão ou
da memória

Medidas
- Repita o processo de transferência
- Verifique o cabo de ligação à unidade de
transferência e a ficha (ligação fraca, mau
contacto, atribuição dos pernes)
- Verifique a interface de transferência do
DTCO 1381
- Verifique a unidade de transferência

Se necessário, substitua os componentes


defeituosos.
1)
erro interno E 13 4000000A70 Outro erro CAN, mensagem do controlador CAN,
tais que ausência de dispositivo ligado ao bus, 2)

ausência de confirmação, etc. 3)

Medidas
- Verifique a função/configuração do DTCO
1381, e corrija, se for o caso
- Verifique a fonte de alimentação (term. 30, 15
e 31) dos dispositivos ligados ao CAN
- Verifique a ligação terra pino A5/A6
- Controle o comportamento de sincronização
dos dispositivos ligados ao CAN no term. 15 “on”
ou “off”
- Verifique o meio bus. Se necessário, use uma
ferramenta de análise CAN.

Nota
O controlo desse erro depende da configuração
do DTCO 1381:
- Existe a possibilidade de activar, ou
desactivar, o controlo desse erro (CANEVCfg)
- É possível suprimir esse erro, durante algum
tempo, depois de ligar a ignição
(ErrorManagementInitialisationInhibit).

O DTCO pode não estar na origem do problema.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 265


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
1)
erro interno E 14 4000000B78 Erro do CAN, mensagem do controlador CAN
estado bus off 2)
3)
Causas possíveis
• Falha do meio bus
• Falha na capa física
• Erro de protocolo

Medidas
- Verifique o meio bus. Se necessário, use uma
ferramenta de análise CAN
- Verifique a fonte de alimentação (term. 30, 15
e 31) dos dispositivos ligados ao CAN
- Controle o comportamento de sincronização
dos dispositivos ligados ao CAN no term. 15 “on”
ou “off”
- Verifique a cablagem e a atribuição dos
pernes
- Verifique se falta alguma resistência terminal
- Verifique se os dispositivos CAN com
diferentes taxas de transferência baud ligados ao
bus
- Verifique a estrutura de bit

Nota
O acompanhamento deste erro depende da
configuração do DTCO 1381.
• O acompanhamento deste erro pode ser
activado ou desactivado (CANEVCfg).
• O erro pode ser suprimido durante um
determinado período de tempo depois da
ignição ligada
(ErrorManagementinitialsationinhibit).

O DTCO 1381 poderá não estar na origem do


problema.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

266 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
1)
erro interno D 15 8000001177 Falha ou interrupção da comunicação com um
dispositivo de alerta externo (control reset) 2)
3)
Medidas
- Verifique o cabo de ligação entre o DTCO
1381 e o dispositivo de alerta externo:
a) atribuição do perne
b) ligações
c) especificações
- Verifique se o dispositivo de alerta está a
funcionar
- Verifique se o DTCO 1381 está a funcionar
- Verifique os dados de calibração do DTCO
1381 (variante/configuração)

Se necessário, substitua os componentes


defeituosos.

Nota
O acompanhamento deste erro depende da
configuração do DTCO 1381.
• O acompanhamento deste erro pode ser
activado ou desactivado (CANEVCfg).
• O erro pode ser suprimido durante um
determinado período de tempo depois da
ignição ligada
(ErrorManagementinitialsationinhibit).

O DTCO 1381 poderá não estar na origem do


problema.
2)
erro do - 16 800002508 Erro interno do sensor. O sensor de movimento
sensor KITAS 2171 detectou um erro interno após um
autoteste.

Medidas
- Repita o processo de transferência

Se necessário, substitua o KITAS 2171.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 267


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA- CM Código erro Significado, origem, solução


erro
erro de 41 4000000400 Erro de comunicação com cartões de tacógrafo.
cartão 59 4000000500
O erro de comunicação surgiu durante a leitura
ou gravação dos dados do cartão.

Causas Possíveis
- Os contactos do cartão de tacógrafo estão
sujos
- Cartão de tacógrafo defeituosa
- Os contactos do leitor de cartões estão sujos

Medidas
- Verifique os contactos do cartão e limpe, se
for o caso; Consulte o Capítulo 12.3 “Limpeza, na
página 239
- Verifique o cartão de tacógrafo
- Limpe os contactos do leitor de cartões;
Consulte o Capítulo 12.3 “Limpeza, na página
239

Se necessário, substitua o componente


defeituoso.

Nota
O leitor de cartões expulsa o cartão de tacógrafo,
assim que este é inserido.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

268 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

13.4.5 Mensagens de eventos

O DTCO 1381 detecta os eventos e apresenta a respectiva


mensagem.

A mensagem consiste em:


• Registo na memória de dados do DTCO 1381
• Registo nos cartões de tacógrafos que foram inseridos
• Informação visual que aparece no visor do DTCO 1381
• Iluminação do alerta visual na unidade do visor
• Saída do estado do tacógrafo (system event = SE) para o bus
CAN e para a interface de informação.
• Sinal de saída D4 (saída de sinal do tacógrafo)

Se o DTCO 1381 estiver no Modo de Calibração, algumas


mensagens serão acompanhadas de uma letra adicional no visor;
consulte a coluna “AP”.

O Código erro pode ser lido através das interfaces de diagnóstico


(CAN ou K-Line) com a ajuda de um dispositivo de teste, só que não
pode ser afixado no visor do DTCO 1381.

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
2)
corte de B 19 8000002004 A alimentação eléctrica ao sensor de movimento
corrente foi interrompida.

Medidas
- Verifique o cabo do sensor KITAS 2171 e, se
possível, corrija os seguintes elementos:
a) atribuição dos pernes
b) ligação (contactos imperfeitos)
c) especificações
- Verifique se o comportamento da voltagem
nos terminais 30 e 15 está dentro do intervalo
especificado, durante o arranque.
- Verifique o KITAS 2171
- Verifique o DTCO 1381 (entrada B3)

Substitua os componentes defeituosos.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 269


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
1)
erro de C 20 8000002380 Erro durante a comunicação com o sensor
3)
sensor
Causas possíveis
• Ausência de sinal de dados (B4)
• O KITAS 2171 não está emparelhado com o
DTCO 1381

Medidas
- Verifique o cabo do sensor KITAS 2171 e, se
possível, corrija os seguintes elementos:
a) atribuição dos pernes
b) ligação (contactos imperfeitos)
c) especificações
- Verifique o KITAS 2171
- Verifique o DTCO 1381 (entrada B4)
- Execute o emparelhamento do KITAS 2171
com o DTCO 1381, através de um equipamento
de teste.

Substitua os componentes defeituosos.


1)
erro de A 21 8000002180 Erro durante a comunicação com o sensor
3)
sensor
Causas possíveis
• Ausência de sinal em tempo-real

Medidas
- Verifique o cabo do sensor KITAS 2171 e, se
possível, corrija os seguintes elementos:
a) atribuição dos pernes
b) ligação (contactos imperfeitos)
c) especificações
- Verifique o KITAS 2171
- Verifique o DTCO 1381 (entrada B3)

Substitua os componentes defeituosos.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

270 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
1)
erro de B 22 8000002280 Erro durante a comunicação com o sensor
3)
sensor
Causas possíveis
• Diferença nos impulsos do sensor de
movimento
• Erro de transmissão

Medidas
- Verifique o cabo do sensor KITAS 2171
e, se possível, corrija os seguintes
elementos:
a) atribuição dos pernes
b) ligação (contactos imperfeitos)
c) especificações
- Verifique o KITAS 2171
- Verifique o DTCO 1381

Substitua os componentes defeituosos.

condução - 28 8000001260 Está a conduzir sem cartão ou sem um


sem cartão cartão do motorista, ou sem cartão do
centro técnico válido, ou ainda com uma
combinação de cartões que não permita a
condução nos leitores do cartão 1 e cartão
2.

Medidas
- Verifique se está um cartão do motorista
ou cartão do centro técnico válido na
ranhura n.º 1. Se necessário, insira um.
- Verifique se foi retirado o cartão da
empresa ou cartão de controlo. Se
necessário, retire-o.

conflito de - 29 00000005B1 Combinação inválida entre as ranhuras n.º


cartões 1 e a n.º 2. Os dois cartões não podem ser
inseridos ao mesmo tempo.

Medidas
- Verifique a combinação dos cartões de
tacógrafo que foram inseridos
¬Consulte o Capítulo 1.4.1 “Combinações
válidas dos cartões de tacógrafo”, na
página 32.

excesso de - 30 00000005B1 A velocidade máxima programada foi


velocidade excedida durante mais de 60 segundos.

Medidas
- Reduza a velocidade

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 271


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
2)
corte de A 31 8000000004 A voltagem de funcionamento do DTCO está
corrente fora das especificações.

Causas possíveis
• Sobrevoltagem. Para mais informações,
consulte o Capítulo 14.1.5 “Sobrevoltagem”,
página 287.
• Corte de alimentação

Corte de corrente
Quando a corrente do DTCO 1381 desce para
valores inferiores do seguinte valor crítico do
intervalo especificado, o DTCO 1381 detecta um
corte de alimentação:
- Versão 12 V: tip. 7,7 V (min. 7,3 V; max. 7,8
V)
- Versão 24 V: tip. 8,6 V (min. 8,2 V; max. 9,0
V)
Quando a corrente do DTCO 1381 ultrapassa,
outra vez, o seguinte valor crítico do intervalo, o
DTCO 1381 emite a mensagem de “Corte de
corrente”).
- Versão 12 V: tip. 8,3 V (min. 7,8 V; max. 8,8
V)
- Versão 24 V: tip. 9,2 V (min. 8,7 V; max. 9,7
V)

Medidas
- Verifique a corrente eléctrica do DTCO 1381.
Corrija os seguintes elementos, caso seja
necessário:
a) a ficha de ligação e cabo (atribuição dos
pernes, mau contacto ou ficha solta)
b) a voltagem nos terminais 30 e 15 está dentro
do intervalo indicado?
c) o comportamento da voltagem nos terminais
30 e 15, durante o arranque, estão dentro do
intervalo indicado?
- Verifique se o DTCO 1381 está a funcionar.

Substitua os componentes defeituosos.

cartão não - 44 4000000200 Quando um cartão do motorista ou do centro


fechado 62 4000000300 técnico (na ranhura n.º 1) estava a ser lido,
detectou-se que não foi devidamente retirado da
última viatura ou que os dados não foram
devidamente guardados.

Medidas
- Verifique o cartão de tacógrafo
- Verifique o último equipamento de controlo
que foi usado

Nota
A origem do erro não está localizada no actual
DTCO 1381.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

272 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


erro
Sobrepos. - 45 4000000200 Há uma diferença negativa em relação à última
de tempos 63 4000000300 viatura (equipamento de controlo CE).

Causas possíveis
• A hora de retirada do cartão que foi
memorizada tem uma hora anterior à do sistema
actual (a hora em que o cartão foi inserido no
DTCO 1381).

Medidas
- Verifique a hora do DTCO 1381. Se necessário,
use um dispositivo de teste para a corrigir)
- Verifique a hora do último equipamento de
controlo CE. Se necessário, use um dispositivo de
te teste para a corrigir

inserido - 46 4000000200 Foi inserido um cartão do centro técnico depois de


durante 64 4000000300 ter começado a conduzir.
condução
Causas possíveis
• Os impulsos do sensor de movimento foram
detectados antes da boa leitura de um cartão de
tacógrafo

Medidas
- Apenas deve inserir os cartões de tacógrafo
com a viatura parada

Não é preciso fazer nada.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 273


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
~ cartão 48 4000000200 O cartão de tacógrafo que foi inserido expirou ou é
invalido 66 4000000300 inválido

Causas possíveis
• Foi inserido um cartão de tacógrafo invalido ou
que expirou (a), no leitor de cartões
• Durante a alteração da data (b), foi inserido um
cartão de tacógrafo inválido

Medidas
- Verifique o cartão de tacógrafo.

Nota
(a) É possível inserir um cartão de tacógrafo cujo
prazo de validade tenha expirado (cartão de
tacógrafo expirado, mas com o certificado ainda
válido), com o objectivo de imprimir, ou visualizar,
os dados armazenados; Uma vez confirmado o
aviso, o cartão de tacógrafo será lido em modo de
“leitura” apenas.
(b) Se houver uma alteração de data com a viatura
parada, os respectivos dados são armazenados no
cartão de tacógrafo, seguindo-se a expulsão do
cartão.
Se realizar a alteração da data, durante a
deslocação da viatura, os respectivos dados são
armazenados no cartão de tacógrafo, no final da
viagem, seguindo-se a expulsão do cartão.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

274 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

13.4.6 Mensagens de quebra de segurança


O DTCO 1381 reconhece os erros relacionados com quebra de
segurança e apresenta a respectiva mensagem.

A mensagem consiste em:


• Registo na memória de dados do DTCO 1381
• Registo nos cartões de tacógrafos que foram inseridos
• Informação visual que aparece no visor do DTCO 1381
• Iluminação do alerta visual na unidade do visor
• Saída do estado do tacógrafo (system event = SE) para o bus
CAN e para a interface de informação.

Se o DTCO 1381 estiver no Modo de Calibração:


• Algumas mensagens serão acompanhadas de uma letra adicional
no visor; consulte a coluna “AP”.
• Nenhuma mensagem acerca das quebras de segurança é
guardada na memória de dados.

O Código erro pode ser lido através das interfaces de diagnóstico


(CAN ou K-Line) com a ajuda de um dispositivo de teste, só que não
pode ser afixado no visor do DTCO 1381.

Os alertas relativos a quebras de segurança obedecem a uma


codificação adicional, quando visualizadas/imprimidas. Para
informações adicionais, consulte o Capítulo 14.7 “Comportamento da
memória durante eventos e falhas”, na página 315.

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
2)
quebra A 17 8000002452 Quebra de segurança dos dados, erro interno
segurança do sensor, o sensor de movimento acusou um
erro na integridade dos dados

Medidas
- Verifique o KITAS 2171

Se necessário, substitua o KITAS 2171.


2)
quebra B 18 8000002452 Erro interno do sensor, erro de autenticação, o
segurança sensor de movimento acusou um erro, durante a
autenticação.

Medidas
- Verifique o KITAS 2171
- Utilize o dispositivo de teste para ligar o
KITAS 2171 ao DTCO 1381.

Se necessário, substitua o KITAS 2171.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas se aplicam a CAN1.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 275


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
1)
quebra C 23 8000002452 Erro durante a autenticação do sensor de
movimento, durante o funcionamento, ou erro 2)
segurança
durante o emparelhamento. 3)

Causas
- Erro durante a autenticação do sensor de
movimento, durante o funcionamento
- Vários emparelhamentos com o KITAS
2171. Esta função manter-se-á bloqueada, ao
fim de três tentativas de emparelhamento, por
motivos de segurança. Deve-se remover e voltar
a inserir o cartão do centro técnico, ou seja, é
necessário autenticar, novamente, o cartão do
centro técnico.

Medidas
- Se for o caso, remova e insira, novamente, o
cartão do centro técnico; repita o
emparelhamento.
- Verifique o cabo de sensor do KITAS 2171
- Verifique o KITAS 2171
- Verifique o DTCO 1381 (entrada B4)
- Execute o emparelhamento do KITAS 2171
ao DTCO 1381, através de um dispositivo de
teste.

Substitua os componentes defeituosos.


1)
quebra D 24 8000002452 Erro durante a comparação dos números de
série do sensor de movimento. 2)
segurança
3)
Medidas
- Verifique a selagem do KITAS 2171 à caixa
de velocidades
- Verifique o KITAS 2171
- Verifique o DTCO 1381
- Utilize o dispositivo de teste para ligar o
KITAS 2171 ao DTCO 1381.

Substitua os componentes defeituosos.


1)
quebra E 25 00000005B1 Erro na memória de dados. Devido a um erro na
memória de dados do DTCO 1381, não está 2)
segurança
garantida a segurança dos dados.

Medidas
- Verifique o DTCO 1381

Se a mensagem persistir, substitua o DTCO


1381.

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

276 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
2)
quebra F 26 00000005B1 A caixa do DTCO 1381 foi aberta.
segurança
Medidas
- Verifique a selagem do da caixa do DTCO
1381
- Verifique o DTCO 1381
Se a mensagem persistir, substitua o DTCO
1381.
2)
quebra I 42 4000000200 Quebra de segurança durante a autenticação de
segurança 60 4000000300 um cartão de tacógrafo ou a autenticidade dos
dados não está garantida.

Causas possíveis
• Erro durante a confirmação da autenticidade
dos dados

Medidas
- Verifique o cartão de tacógrafo

O leitor de cartões expulsa o cartão de


tacógrafo
2)
quebra H 43 4000000200 Cartão ausente; O DTCO 1381 não consegue
segurança 61 4000000300 detectar um cartão (na ranhura n.º 1).

Causas possíveis
• Após um corte de corrente, uma verificação
de identidade concluiu que um cartão, que foi
previamente inserido, está em falta ou que foi
introduzido outro cartão
• Quando o cartão foi inserido, o bloqueio
mecânico de cartão ficou aberto

Medidas
- Verifique se o cartão de tacógrafo foi
correctamente introduzido
- Retire o cartão de tacógrafo e volte a inseri-
lo.
- Verifique se o bloqueio de cartão está a
funcionar
-
Se a mensagem de erro persistir, substitua o
DTCO 1381.
2)
Quebra I 47 4000000200 Quebra de segurança durante a autenticação de
segurança 65 4000000300 um cartão de tacógrafo.

Causas possíveis
• Erro durante a confirmação da identidade do
cartão de tacógrafo

Medidas
- Verifique o cartão de tacógrafo
Verifique o cartão do centro técnico, introduza o
PIN correcto

1)
Estes erros são afixados de hora a hora, até o problema ser solucionado.
2)
Estes erros não são memorizados no Modo de Calibração.
3)
Estes erros apenas serão supervisionados, depois de se activar o DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 277


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

13.4.7 Outros eventos e falhas

O DTCO 1381 também consegue acompanhar outras funções de


sistema, para além das funcionalidades legalmente exigidas.

Outros eventos e falhas que não são guardados na memória de data.

O código de erro pode ser acedido através das interfaces de


diagnóstico (CAN ou K-Line) com um dispositivo de teste, mas que
não será apresentado no visor do DTCO 1381.

A mensagem na ligação durante a actualização da aplicação do


DTCO 1381 (upgrade do software) aparece, geralmente, em inglês.

Pode consultar informações detalhadas sobre as mensagens durante


a actualização da aplicação do DTCO 1381 (upgrade do software) na
secção da Descrição Técnica intitulada “Actualização do programa
do DTCO 1381”.

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
1)
- - - 76 00000001C0 Alerta avançado sobre o evento “velocidade em
excesso”.

Causas possíveis
• Excesso de velocidade
• Configuração incorrecta

Medidas
- Reduza a velocidade
- Verifique a função/configuração do DTCO
1381, corrija se necessário

Nota
Para estas mensagens, o estado do tacógrafo é
enviado ao bus CAN e à interface de
informação.

As condições que despoletam esta falha


(excesso e duração) podem ser configuradas.
1)
- Módulo de - 77 40000005B3 O DTCO não está equipado com um módulo de
actualização actualização da aplicação (upgrade do software)
não
presente Medidas
- Sem medidas

Nota
O DTCO 1381 não pode ser actualizado.

1)
Para estes erros, o CM (código de memória) não são afixados no visor do DTCO 1381.

278 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Eventos e falhas 13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas

Picto. Texto de PA CM Código erro Significado, origem, solução


Erro
1)
- Actualização - 78 00000005B3 O ficheiro de actualização contém uma falha ou
falhou está danificado. A actualização da aplicação foi
Erro abortada
#00000003
Medidas
- Verifique o ficheiro de actualização
- Repita a actualização da aplicação, desta
vez com um ficheiro de actualização intacto

Nota
O DTCO 1381 não está na origem deste
problema.
1)
- Actualização - 78 00000005B3 A integridade do módulo de actualização da
falhou aplicação, ou uma chave de segurança, não foi
Erro garantida. A actualização da aplicação foi
#FFFFFFFE abortada.

Medidas
- Verifique o DTCO 1381
- Repita a actualização da aplicação

Se a mensagem de erro persistir apesar destas


medidas, substitua o DTCO 1381.
1)
- Actualização - 79 00000005B3 A voltagem do DTCO 1381 está fora do
falhou intervalo definido, durante a actualização da
Erro aplicação. A actualização foi abortada.
#00000001
Medidas
- Verifique o fornecimento eléctrico do DTCO
1381. Se necessário, corrija as seguintes
situações:
a) a ficha de ligação e o cabo (atribuição dos
pinos, ligação defeituosa, falha de contacto).
b) Voltagem nos terminais 15 e 30 está dentro
do intervalo definido?
- Certifique-se o DTCO 1381 tem uma fonte de
alimentação estável, durante a actualização,
e.g. através de um suporte externo).
- Repita a actualização da aplicação.

Nota
Ô DTCO 1381 poderá não estar na origem
deste problema.
1)
- Actualização - 79 00000005B3 A autenticação do dispositivo de gestão falhou;
falhou A actualização da aplicação foi abortada.
Erro
#00000002 Medidas
- Verifique o funcionamento do dispositivo de
gestão.
- Repita a actualização da aplicação.

Nota
O DTCO 1381 poderá não estar na origem
deste problema.

1)
Para estes erros, o CM (código de memória) não são afixados no visor do DTCO 1381.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 279


13.4 Mensagens e medidas para corrigir falhas Eventos e falhas

Picto. Texto de PA CM Código ISSO Significado, origem, solução


Erro
2)
- Actualização - 79 00000005B3 Erro de comunicação. A actualização da
falhou aplicação foi abortada.
Erro
#00000004 Causas possíveis
- A interface de transferência do DTCO 1381 é
defeituosa
- A ligação de dados foi interrompida, ou há um
cabo defeituoso
- A interface do dispositivo de gestão está
alterada ou bloqueada.

Medidas
- Verifique a interface de transferência do DTCO
1381
- Verifique a ligação de dados e o cabo de
dados.
- Verifique a interface e o funcionamento do
dispositivo de gestão.
- Repita a actualização da aplicação

Nota
O DTCO 1381 poderá não estar na origem
deste problema
2)
- Actualização - 79 00000005B3 Õ módulo de actualização da aplicação não foi
falhou detectado. A actualização da aplicação foi
Erro abortada.
#FFFFFFFF
Causas possíveis
- Falha interna do DTCO 1381

Medidas
- Verifique o DTCO 1381
- Repita a actualização da aplicação.

Se a mensagem de erro persistir apesar destas


medidas, substitua o DTCO 1381.

1)
Para estes erros, o CM (código de memória) não são afixados no visor do DTCO 1381.

280 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Capítulo 14

Apêndice

Edição 11/2008
Tabela de conteúdos Apêndice

Tabela de conteúdos

Capítulo 14 – Apêndice

14.1 Estados do DTCO 1381…………………………….. 283


14.1.1 Standby (Power Safe Mode)……………….. 283
14.1.2 Subvoltagem (Safe Prepare Mode)………... 284
14.1.3 Modo seguro (Safe Mode)………………….. 285
14.1.4 Modo parado (Halt Mode)…………………... 286
14.1.5 Sobrevoltagem……………………………….. 287
14.1.6 Funcionamento de emergência, após
autoteste……………………………………………….. 288
14.2 Indicações das opções…....................................... 289
14.2.1 Military Blackout Lighting Mode……………. 289
14.2.2 Remote Download………............................. 289
14.3 Pictogramas e combinação de pictogramas….... 290
14.2.1 Pictogramas básicos.....…………………...... 290
14.2.2 Combinação de pictogramas….................... 291
14.2.3 Símbolos dos países…………….................. 293
14.4 Exemplos de relatórios
Relatórios obrigatórios……………………………... 294
14.4.1 Relatório do dia, actividades do cartão de
motorista……………………………………… 294
14.4.2 Eventos/falhas memorizados no cartão de
motorista……………………………………… 296
14.4.3 Relatório do dia, actividades do motorista
do DTCO 1381……………………………….. 297
14.4.4 Eventos/falhas memorizados no
DTCO 1381…………………………………... 299
14.4.5 Excessos de velocidade………................... 300
14.4.6 Dados técnicos do DTCO 1381/viatura...... 301
14.5 Exemplos de relatórios
Relatórios opcionais……………………………....... 302
14.5.1 Actividade do motorista……………………... 302
14.5.2 Diagrama V…….......................................... 303
14.5.3 Diagrama estado D1/D2……………………. 304
14.5.4 Perfil de velocidade...................................... 305
14.5.5 Perfil das rotações…………………………… 306
14.6 Explicação dos exemplos de relatórios………..... 307
14.6.1 Especificação dos blocos de dados……….. 307
Explicação………………………………........ 307
14.7 Comportamento da memória durante eventos e
falhas…………………………….…………………….. 315
14.8 Visão geral das mensagens de acordo
com o Código de Memória (CM)………................. 318

282 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.1 Estados do DTCO 1381

14.1 Estados do DTCO 1381

14.1.1 Standby (Power Safe Mode)

Em situação de stand-by, o consumo eléctrico do DTCO 1381 é


desligado para minimizar a descarga da bateria.

Nas condições que se segue, o DTCO 1381 passa ao estado de


stand-by ao fim de 5 minutos:
• O DTCO 1381 está no “Modo Operacional”, i.e. não foi introduzida
nenhum cartão do centro técnico, de controlo ou da empresa.
Ou
O DTCO 1381 está no estado de produção, i.e. ainda não foi
activado.
• A viatura tem a ignição (terminal 15) desligada.
• Foi concluído um relatório
• Foi concluído um processo de transferência (download)
• Foi concluída a comunicação de dados através da interface de
informação
• Foi concluído o processo de registo de dados
• A alimentação eléctrica do DTCO 1381 está dentro do intervalo
definido
Excepção “Subvoltagem”, i.e. em modo “Subvoltagem, o DTCO
1381 também passa para o modo Standby, ao fim de cinco
minutos.
• A alimentação eléctrica do sensor de movimento está dentro do
intervalo definido.
• Não foi aplicado nenhum sensor de movimento por impulsos.
• Não há comunicação com interfaces externas de diagnóstico.
• O interruptor do invólucro do DTCO 1381 não foi accionado, i.e. a
caixa não foi aberta.

O DTCO 1381 desligará o visor ao fim de três minutos (configuráveis


entre 1 e 10 minutos).

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 283


14.1 Estados do DTCO 1381 Apêndice

O modo Standby é cancelado nas seguintes situações:


• A ignição (terminal 15) da viatura está ligada
• Foi pressionado uma das teclas
• O DTCO 1381 detectou um sensor de movimento por impulsos
• O interruptor do invólucro do DTCO 1381 foi activado, i.e. a caixa
foi aberta
• O DTCO 1381 detecta e expõe um evento ou uma falha.

14.1.2 Subvoltagem (Safe Prepare Mode)

Se a voltagem do DTCO 1381 cair abaixo do valor mínimo do


intervalo definido, o DTCO 1381 passa para o modo de
“subvoltagem”.
• Versão 12 V: tip. 10,0 V (min. 9,4 V; máx. 10,2 V)
• Versão 24 V: tip. 14,0 V (min. 13,4 V; máx. 14,6 V)

O consumo eléctrico é limitado para garantir que o sistema consiga


encerrar em segurança, caso haja uma falha de corrente a posteriori.

As funções que se seguem não se encontram disponíveis:


• A retroiluminação do visor é desligada
• Não é possível imprimir ou apresentar os dados
• Não é possível inserir ou remover cartões de tacógrafo

Assim que a voltagem do DTCO 1381 aumentar novamente acima


do valor limite do intervalo abaixo definido, o DTCO 1381 regressa
ao modo de funcionamento normal:

• Versão 12 V: tip. 10,6 V ± 1%


• Versão 24 V: tip. 16,0 V ± 1%

Se a voltagem do DTCO 1381 cair ainda mais, o DTCO 1381 passa


para o modo de “Interrupção de Alimentação”.

284 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.1 Estados do DTCO 1381

14.1.3 Modo Seguro (Safe Mode)

Quando a voltagem do DTCO 1381 desce abaixo do valor crítico


definido, o DTCO 1381 passa para o modo “seguro”.
• Versão 12 V: tip. 6,6 V (min. 6,3 V; máx. 6,9 V)
• Versão 24 V: tip. 7,5 V (min. 6,9 V; máx. 8,1 V)

No estado “Modo Seguro”, o DTCO não consegue cumprir com as


suas funções de equipamento de controlo CE!

As funções que se seguem não se encontram disponíveis:


• O equipamento não guarda as actividades do motorista
• O equipamento não apresenta a velocidade
• A retroiluminação do visor está desligada
• Todas as teclas estão desactivadas
• Todas as interfaces externas (exceptuando as saídas de impulso
v e a saída do sinal 4 imp/m) estão desactivadas
• Não é possível imprimir ou apresentar os dados
• Não é possível inserir ou remover cartões de tacógrafo

Se a voltagem do DTCO 1381 ultrapassar, outra vez, o seguinte


valor limite, o DTCO 1381 passa para o modo de “subvoltagem”.
• Versão 12 V: tip. 7,2 V (min. 6,6 V; máx. 7,8 V)
• Versão 24 V: tip. 8,1 V (min. 7,5 V; máx. 8,7 V)

Se a voltagem do DTCO 1381 subir acima do valor máximo do


intervalo definido, o DTCO 1381 emitirá um alerta de “corte de
corrente”.

• Versão 12 V: tip. 8,3 V (min. 7,8 V; máx. 8,8 V)


• Versão 24 V: tip. 9,2 V (min. 8,7 V; máx. 9,7 V)

Assim que a voltagem do DTCO 1381 ultrapassar o seguinte valor


limite – encontrando-se, novamente, dentro do intervalo - o DTCO
1381 retomará o seu estado normal.
• Versão 12 V: tip. 10,0 V (min. 9,7 V; máx. 10,5 V)
• Versão 24 V: tip. 15,2 V (min. 14,4 V; máx. 15,9 V)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 285


14.1 Estados do DTCO 1381 Apêndice

14.1.4 Modo parado (Halt Mode)

Se a voltagem do DTCO 1381 cair abaixo do valor mínimo do


intervalo abaixo definido – tip. 6,6 V (min. 6,0 V; máx. 7,2 V – o
DTCO 1381 passa para o modo “parado”.

Se a voltagem do DTCO 1381 continuar a descer, ele será desligado.

No modo de “parado”, o DTCO 1381 não consegue realizar as


tarefas de equipamento de controlo. CE!

Assim que a voltagem do DTCO 1381 ultrapassar o valor limite – tip.


7,2 V (min. 6,6 V; máx. 7,8 V – o DTCO 1381 reiniciar-se-á. Durante
cinco segundos vai aparecer a versão do sistema operativo
(xx.xx.xx), assim como a versão do módulo de actualização da
aplicação (SWUM xx.xx). De seguida, o DTCO 1381 indicará
“voltagem interrompida”.

286 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.1 Estados do DTCO 1381

14.1.5 Sobrevoltagem

Se a voltagem do DTCO 1381 subir acima do valor máximo do


intervalo definido, o DTCO 1381 passa para o modo de
“sobrevoltagem”.
• Versão 12 V: >. 16,4 V
Ou • Versão 24 V: > 33,0 V

Para prevenir estragos, a alimentação eléctrica à impressora e à


ranhura de cartões é cortada.

As funções que se seguem não se encontram disponíveis:


• Não é possível imprimir ou apresentar os dados
• Não é possível inserir ou remover cartões de tacógrafo

Assim que a voltagem do DTCO 1381 cair novamente abaixo do


valor limite do intervalo abaixo definido, o DTCO 1381 regressa ao
modo de funcionamento normal:

• Versão 12 V: < 15,9 V


• Versão 24 V: < 32,1 V

Depois, o DTCO 1381 apresenta a indicação de “Interrupção de


Alimentação”.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 287


14.1 Estados do DTCO 1381 Apêndice

14.1.6 Funcionamento de emergência, após um autoteste

O DTCO supervisiona o correcto funcionamento do sistema


operativo; caso haja uma falha, o DTCO 1381 reiniciar-se-á..
• Versão 12 V: tip. 6,6 V (min. 6,0 V; máx. 7,2 V)
• Versão 24 V: tip. 7,5 V (min. 6,9 V; máx. 8,1 V)

O consumo eléctrico é limitado para garantir que o sistema consiga


encerrar em segurança, caso haja uma falha de corrente a posteriori.

Durante cinco segundos, aproximadamente, visualizar-se-á a versão


do sistema operativo; se a falha for eliminada com êxito, o DTCO
1381 retomará o seu estado normal de funcionamento.

Se, na sequência de várias tentativas, não se conseguir eliminar a


falha, o DTCO passará para o estado de “Funcionamento de
emergência”, em que a iluminação do visor ficará, permanentemente,
a piscar.

No modo de “interrupção de alimentação”, o DTCO 1381 não


consegue realizar as tarefas de equipamento de controlo. CE!

As funções que se seguem não se encontram disponíveis:


• As actividades do motorista não serão guardadas
• A velocidade não é apresentada
• A retroiluminação do visor é desligada
• Todos os interruptores são desactivados
• Todas as interfaces externas (à excepção dos relatórios do v-
pulse) são desactivadas
• Não é possível imprimir ou apresentar os dados
• Não é possível inserir ou remover cartões de tacógrafo

288 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.2 Indicações das opções

14.2 Indicações das opções


14.2.1 Military Blackout Lighting Mode

Se o DTCO 1381 estiver equipado com a função opcional de “Military


Blackout Lighting Mode”, e sempre que ela estiver activa, no caso de
alertas, apenas piscarão pictogramas ou combinações de
pictogramas e textos informativos, em vez da retroiluminação do
visor
ƒ Activado: Pino 2 em terra
ƒ Desactivado: Pino 2 aberta ou a + UB

Ao desactivar a função, esta ficará activa até que seja desligada e se


ligue novamente.

14.2.2 Remote Download

Se o DTCO 1381 estiver equipado com a função de “Transferência


Remota”, e sempre se a autenticação acusar positivo, poderá
transferir-se, remotamente, do cartão da empresa, os dados, através
das interfaces previstas para esse fim.

Só é possível realizar uma transferência remota no modo .

A transferência remota apenas se pode realizar através de uma


interface, na qual se efectuo, previamente, a autenticação do cartão
da empresa.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 289


14.3Pictogramas e combinações de pictogramas Apêndice

14.3 Pictogramas e combinação de pictogramas

14.3.1 Pictogramas básicos

Modos de funcionamento
Empresa Calibração
Modo de Controlo Estado de produção
Modo de Condução

Pessoas
Empresa Oficina/Centro de inspecções
Controlador Fabricante
Motorista

Actividades
Tempo disponível Mais tempo de trabalho
Tempo de condução Interrupção válida
Pausa e tempo de descanso Desconhecido

Dispositivos/Funções
1 Ranhura n.º 1 Visor
2 Ranhura n.º 2 Transferência de dado (cópia)
Cartão de tacógrafo Sensor
Relógio Viatura/Unidade da viatura/DTCO 1381
Impressora/Relatório Tamanho do pneu
Registo Fonte de alimentação

Diversos
Evento Calibração
Falha Velocidade
Nota de funcionamento/Avisos sobre Hora
tempo de trabalho
Início do dia de trabalho Total/Resumo
Fim do dia de trabalho Registo manual das actividades do
motorista
Local

Situações especiais
OUT Não é necessário equipamento de Transfer por ferry/transfer por comboio
controlo

Qualificadores
24h Diário I Semanal
A partir ou até II Quinzenal

290 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.3 Pictogramas e combinações de pictogramas

14.3.2 Combinação de pictogramas

Diversos
Local do controlo Relatório do cartão do motorista
Hora de início Relatório da viatura/DTCO 1381
Hora de fim Registo viatura/DTCO 1381
Início do fim de competências: não é Afixar cartão do motorista
necessário o equipamento de controlo
Início de fim de competências Afixar viatura/DTCO 1381
Local do início do dia de trabalho Hora local
Local do fim do dia de trabalho Correcção UTC
A partir da viatura

Cartões
Cartão do motorista Cartão do centro técnico
Cartão da empresa Sem cartão
Cartão de controlo

Condução
Tripulação Tempo de condução para duas
semanas

Relatórios
Actividades diárias do motorista a partir Actividades diárias do motorista a partir
do cartão do motorista do DTCO 1381
Eventos e falhas do cartão do motorista Eventos e falhas do DTCO 1381
Excesso de velocidade Dados técnicos
Perfil de velocidade Perfil de rotações
Actividades do motorista Diagrama v
Estado D1/D2

Visor
Actividades diárias (do dia) do motorista Actividades diárias (do dia) do DTCO
a partir do cartão do motorista 1381
Eventos e falhas do cartão do motorista Eventos e falhas do DTCO 1381
Excesso de velocidade Dados técnicos

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 291


14.3Pictogramas e combinações de pictogramas Apêndice

Eventos
Inserido cartão de tacógrafo inválido Conflito de cartões
Inconsistência de tempo Condução sem cartão do motorista
válido
Inserido cartão do motorista durante Última tarefa com cartão não foi
condução completamente concluída
Excesso de velocidade Interrupção da corrente eléctrica
Falha de comunicação com sensor Quebra de segurança
Acerto da hora (através da oficina) Controlo de excesso de velocidade

Falhas
Falha do cartão Falha durante transferência
Falha interna do DTCO 1381 Falha de sensor

Avisos de tempo de trabalho


Pausa! 04h15 Pausa! 04h30

Notas de funcionamento
Registo incorrecto Cartão defeituoso
Impossível aceder ao menu Cartão errado
Introduza, por favor Não é possível expulsar o cartão
Não é possível imprimir relatório Processo adiado
Gaveta aberta Gravação inconsistente
Sem papel Falha interna
Relatório adiado Caduca dentro de… dias
Calibração dentro de… dias

Processo de registo manual


Início de dia de trabalho? Fim de dia de trabalho?
Registo de local no início de dia de Registo de local no fim de dia de
trabalho trabalho

292 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.3 Pictogramas e combinações de pictogramas

14.3.3 Símbolos dos países

Símbolos dos países


Não há informação disponível IS Islândia
A Áustria KZ Kazaquistão
AL Albânia L Luxemburgo
AND Andorra LT Lituânia
ARM Arménia LV Letónia
AZ Azerbeijão M Malta
B Bélgica MC Mónaco
BG Bulgária MD República da Moldávia
BIH Bósnia-Herzegovina MK Macedónia
BY Bielorússia N Noruega
CH Suíça NL Países Baixos
CY Chipre P Portugal
CZ República Checa PL Polónia
D Alemanha RO Roménia
DK Dinamarca RSM San Marino
E Espanha RUS Federação Russa
EST Estónia S Suécia
F França SK Eslováquia
FIN Finlândia SLO Eslovénia
FL Liechtenstein TM Turquemenistão
FR Faroes TR Turquia
UK Reino Unido, Alderney, Guemsey, UA Ucrânia
Jersey, Ilha de Man, Gibraltar
GE Geórgia V Cidade do Vaticano
GR Grécia YU Jugoslávia
H Hungria UNK Desconhecido
HR Croácia EC Comunidade Europeia
I Itália EUR Resto da Europa
IRL Irlanda WLD Resto do Mundo

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 293


14.4 Exemplos de relatórios – Relatórios obrigatórios Apêndice

14.4 Exemplos de relatórios – Relatórios obrigatórios

14.4.1 Relatório do dia, actividades do cartão do motorista

Fig. 72: Exemplo de relatório: relatório do dia, actividades do cartão do motorista – 1ª Parte

(Continua)

294 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.4 Exemplos de relatórios

(Continuação)

Fig. 73: Exemplo de relatório: relatório do dia, actividades do cartão do motorista – 2ª Parte

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 295


14.4 Exemplos de relatórios – Relatórios obrigatórios Apêndice

14.4.2 Eventos/falhas memorizados no cartão do motorista

Fig. 74: Exemplo de relatório: eventos/falhas memorizados no cartão do motorista

296 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.4 Exemplos de relatórios

14.4.3 Relatório do dia, actividades do motorista do DTCO 1381

Na página próxima

Fig. 75: Exemplo de relatório: relatório do dia, actividades do motorista do DTCO 1381 – 1ª parte

(Continua)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 297


14.4 Exemplos de relatórios – Relatórios obrigatórios Apêndice

(Continuação)

Fig. 76: Exemplo de relatório: relatório do dia, actividades do motorista do DTCO 1381 – 2ª parte

298 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.4 Exemplos de relatórios

14.4.4 Eventos/falhas memorizados no DTCO 1381

Fig. 77: Exemplo de relatório de eventos e falhas do DTCO 1381

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 299


14.4 Exemplos de relatórios – Relatórios obrigatórios Apêndice

14.4.5 Excessos de velocidade

Fig. 78: Exemplo de relatório: excessos de velocidade

300 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.4 Exemplos de relatórios

14.4.6 Dados técnicos do DTCO 1381/viatura

Fig. 79: Exemplo de relatório: dados técnicos do DTCO 1381

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 301


14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais Apêndice

14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais

14.5.1 Actividades do motorista

Fig. 80: Exemplo relatório: Actividades do motorista (em opção)

302 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais

14.5.2 Diagrama V

Fig. 81: Exemplo relatório: Diagrama V (em opção)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 303


14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais Apêndice

14.5.3 Actividades estado D1/D2

Fig. 82: Exemplo relatório: Estado D1/D2 (em opção)

304 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais

14.5.4 Perfil de velocidade

Fig. 83: Exemplo de relatórios: perfil de velocidade (em opção)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 305


14.5 Exemplos de relatórios – Relatórios opcionais Apêndice

14.5.5 Perfil de rotações

Fig. 84: Exemplo de relatório: perfil de rotações (em opção)

306 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.6 Explicação dos exemplos de relatórios

14.6 Explicação dos exemplos de relatórios

A pedido, o relatório pode conter o logótipo da empresa.

14.6.1 Especificação dos exemplos de relatórios

Noções principais • Todos os relatórios são constituídos por uma sequência de


blocos de dados distintos que se distinguem pela presença dos
identificadores de blocos (1).
• Um bloco de dado contém um ou vários conjuntos de dados que
se distinguem pela presença dos identificadores de conjuntos (2).
• Um identificador de dados não será imediatamente impresso
depois de um identificador de bloco!

Explicação

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


1 Data e hora do relatório, em hora UTC

2 Tipo de relatório

= Relatório do dia, actividades do cartão do motorista


 = Eventos e falhas memorizados no cartão do motorista
= Relatório do dia, actividades do motorista do DTCO 1381
 = Eventos e falhas memorizados no DTCO 1381
= Excessos de velocidade *
= Dados técnicos do DTCO 1381
 = Relatório do dia, perfil de velocidade
= Relatório do dia, perfil das rotações

Relatórios opcionais

= Actividades do motorista
= Diagrama V
= Diagrama do do estado D1/D2
= Relatório do dia do perfil de velocidade (em opção)
= Relatório do dia do perfil de rotações (em opção)

* Ao imprimir-se os dados sobre “Excessos de Velocidade”, aparece também impresso o


valor definido pelo limitador de velocidade.

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 307


14.6 Explicação dos exemplos de relatórios Apêndice

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


3 Informações sobre o titular do cartão (só quando foi inserido um cartão de
tacógrafo)

= Controlador
= Motorista
= Empresa
= Oficina/Centro de inspecções

• Último nome
• Primeiro nome
• Identificação do cartão

Nota
Se o tacógrafo não estiver atribuído a uma pessoa, o nome da entidade controladora, da
empresa ou da oficina aparecem impressos no lugar do nome da pessoa.
3a Informações sobre o motorista (titular do cartão apontado pelo relatório)

• Último nome
• Primeiro nome
• Identificação do cartão
• Cartão válido até…

4 Identificação da viatura

• Número de identificação da viatura


• Estado-membro emissor e número de registo da viatura

5 Identificação do DTCO 1381

• Fabricante do tacógrafo
• Número de modelo do tacógrafo DTCO 1381

6 Última calibração do DTCO 1381

• Nome da oficina
• Identificação da oficina
• Data da calibração

7 Último controlo

• Identificação do cartão de controlo


• Data, hora e tipo de controlo
= Transferência do cartão do motorista
= Transferência do DTCO 1381
= Imprimir
= Afixar

8 Lista das actividades do motorista pela ordem em que aparecem

• Dia da semana do relatório e contador de presença (número de dias durante os quais


foi usado o cartão)
8a ? = Período de tempo durante o qual não foi inserido o cartão

• Com início, fim e duração


• Por exemplo, a actividade que foi registada manualmente depois de ter sido inserido
um cartão do motorista, com pictograma de início, fim e duração

308 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.6 Explicação dos exemplos de relatórios

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


8b Introdução de um cartão do motorista (na ranhura n.º 1 ou n.º 2)

• Estado-membro emissor e número de registo da viatura


• Leitura do odómetro no momento em que foi introduzido o cartão

8c Actividades enquanto foi introduzido um cartão do motorista

• Com início, fim, duração e estado da condução


= Operação de tripulação
= Períodos de descanso de, pelo menos, uma hora

8d Situações especiais

• Com a hora do registo e pictograma, por exemplo, ferry ou comboio.

8e Retirada de um cartão do motorista

• Com leitura do odómetro e distância percorrida desde a última vez em que foi inserido

9 Início de todas as actividades de motorista no DTCO 1381

• Dia da semana do relatório (data do pedido)


• Leitura do odómetro às 00:00 e às 23:59

10 Cronologia de todas as actividades da ranhura n.º 1

10a Período de tempo durante o qual não foi inserido um cartão do motorista na ranhura
n.º 1

• Leitura do odómetro no início de cada período de tempo


• Actividade ou actividades definidas durante esse período de tempo
• Leitura do odómetro no fim de cada período de tempo e distância percorrida

10b Inserir um cartão do motorista

• Último nome do motorista


• Primeiro nome do motorista
• Identificação do cartão
• Cartão válido até…

10c • Estado-membro emissor e número de registo da viatura anterior


• Data e hora em que foi retirado o cartão da última viatura

10d • Leitura do odómetro no momento em que foi inserido o cartão


M = O registo foi introduzido manualmente

10e Lista de actividades

• Pictograma da actividade, hora de início e de fim, duração e estado de condução


= Operação de equipa
= Períodos de descanso superiores a uma hora

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 309


14.6 Explicação dos exemplos de relatórios Apêndice

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


10f Registo de situações especiais

• Hora de início, de fim e pictograma da situação


= Transfer por ferry ou de comboio
OUT = Equipamento de controlo não é necessário

10g Retirada do cartão do motorista

• Leitura do odómetro e distância percorrida

10h Cronologia de todas as actividades da ranhura n.º 2

11 Resumo do dia

11a Locais introduzidos

• = hora de início com país e eventualmente a região


• = hora de fim com país e eventualmente a região
• Leitura do odómetro da viatura

11b Resumo das vezes SEM cartão do motorista na ranhura n.º 1

• Locais introduzidos por ordem cronológica (sem registo de exemplo)


• Total das actividades da ranhura n.º 1

11c Resumo das vezes SEM cartão do motorista na ranhura n.º 2

• Locais introduzidos por ordem cronológica (sem registo de exemplo)


• Total das actividades da ranhura n.º 2

11d Resumo do dia “Valores Totais das Actividades” do cartão do motorista

• Tempo total de condução e distância percorrida


• Tempo total de trabalho e tempo disponível.
• Tempo total de descanso e tempo desconhecido
• Tempo total em actividades de equipa

11e • Resumo das actividades, ordenadas cronologicamente e por motorista (cumulativo


para cada motorista nas duas ranhuras)
• Último nome, primeiro nome, identificação do cartão do motorista
• = Hora de início com país introduzido
• = Hora de fim com país introduzido
• Actividades para este motorista com…
Tempo total de condução e distância percorrida
Tempo total de trabalho e tempo total disponível
Tempo total de descanso
Tempo total em actividades de equipa

Nota
Neste exemplo de relatório, o motorista Anton Max está inicialmente activo como motorista
n.º 2 e depois como n.º 1. O somatório das suas actividades resulta das duas situações
(das duas ranhuras).

310 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.6 Explicação dos exemplos de relatórios

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


11f Resumo dos totais do dia

• Lista de todos os tempos de descanso que não excedam as 8 horas, com data, hora de
início, de fim e de descanso.
• Lista de todos os tempos de condução entre o tempo de descanso superior a 8 horas,
com data, hora de início do primeiro tempo de condução e somatório de todos os tempos
de condução desse dia.

Nota
O tempo durante o qual o cartão do motorista não está inserido na ranhura não conta
como tempo de descanso.
12 Lista dos últimos cinco eventos ou falhas memorizados no cartão do motorista
12a Lista de todos os eventos memorizados no cartão do motorista, ordenados de
acordo com o tipo de evento e com a data.
12b Lista de todos os falhas memorizados no cartão do motorista, ordenados de acordo
com o tipo de falha e com a data.
12c Definição dos dados do evento ou do falha

Linha 1:
• Pictograma do evento ou falha
• Data e início

Linha 2:
• Eventos expostos a quebra de segurança são assinalados com um código
adicional. Consulte o Capítulo 14.4 “Comportamento da memória durante eventos e
falhas”, na página 14-24 desta Secção do manual.
• Duração do evento ou falha

Linha 3:
Estado-membro emissor e número de registo da viatura, onde apareceram esses
eventos ou falhas
13 Lista dos últimos cinco eventos ou falhas memorizados ou que ainda estejam
activos no DTCO 1381
13a Lista de todos os eventos memorizados ou em curso no DTCO 1381
13b Lista de todos os falhas memorizados ou em curso no DTCO 1381
13c Definição dos dados do evento ou do falha

Linha 1:
• Pictograma do evento ou falha
• Código com o objectivo do registo. Consulte o Capítulo 14.4 “Comportamento da
memória durante eventos e falhas”, na página 14-24 desta Secção do manual.
• Data e hora de início

Linha 2:
• Eventos expostos a quebra de segurança são assinalados com um código adicional.
Consulte o Capítulo 14.4 “Comportamento da memória durante eventos e falhas”, na
página 14-24 desta Secção do manual.
• Número de eventos semelhantes ocorridos nesse dia (só para o objectivo de registo 0,
1, 3 ou 4). Consulte o Capítulo 14.4 “Comportamento da memória durante eventos e
falhas”, na página 14-24 desta Secção do manual.
• Duração do evento ou falha

Linha 3:
• Identificação do(s) cartão(ões) de motorista (máximo de 4 registos) que foi(foram)
inserido(s) no início ou no fim do evento ou falha
• aparece sempre que não é introduzido um cartão do motorista

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 311


14.6 Explicação dos exemplos de relatórios Apêndice

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


14 Identificação do DTCO 1381

• Fabricante do tacógrafo
• Morada do fabricante do tacógrafo
• Número da peça
• Número da homologação
• Número de série
• Ano de fabrico
• Versão e data de instalação da aplicação do utilizador

15 Identificação do KITAS 2171

• Número de série
• Número de homologação
• Data da instalação inicial

16 Dados de calibração

16a Lista dos dados de calibração (por conjuntos de dado)

• Nome e morada da oficina


• Identificação da oficina
• Cartão do centro técnico válido até...

16b • Data e objectivo da calibração


1 = Activação
(registo dos dados de calibração conhecidos no momento da activação)
2 = Calibração inicial
(primeira calibração após a activação do DTCO 1381)
3 = Instalação na sequência de reparação – substituição da unidade
(primeira calibração dos dados da viatura)
4 = Inspecção periódica
(dados de calibração de uma inspecção periódica)
• Número de identificação da viatura
• Estado-membro emissor e número de registo
• Coeficiente w = número de impulsos em relação à distância percorrida
• k = Constante do DTCO 1381
• l = Circunferência real dos pneus
• = Tamanho do pneu
• = Definição do limitador de velocidade
• Leitura antiga e actual do odómetro

Nota
No exemplo, este dado só está disponível no próximo conjunto de dados
17 Acerto da hora

312 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.6 Explicação dos exemplos de relatórios

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


17a Lista de todos os dados disponíveis sobre o acerto da hora (em conjuntos de
dados)

• Data e hora, antigas


• Data e hora, alteradas
• Nome da oficina que acertou a hora
• Morada da oficina
• Identificação da oficina
• Cartão do centro técnico válido até....

17b Nota
Neste segundo conjunto de dados, é possível ver que a hora UTC foi corrigida por um
centro técnico autorizado.

18 O mais recente evento a ser registado e falha actual

• ! = Mais recente evento, data e hora


• x = Mais recente falha, data e hora

19 Informação do controlo de excesso de velocidade

• Data e hora do mais recente controlo


• Data e hora do último registo de excesso de velocidade desde o mais recente controlo
e número dos subsequentes excessos de velocidade

20 Primeiro registo de excesso de velocidade desde a mais recente calibração

20a Os cinco mais graves registos de excesso de velocidade dos últimos 365 dias

20b Os cinco mais recentes registos de excesso de velocidade dos últimos dez dias de
registos

20c Registos ocorridos durante os excessos de velocidade (ordenados por ordem


cronológica e da média mais alta à mais baixa)

• Data, hora e duração do excesso de velocidade


• Valor mais alto e velocidade média do excesso de velocidade
• Último nome do motorista
• Primeiro nome do motorista
• Identificação do cartão do motorista

Nota
Se não houver nenhum conjunto de dados no bloco de dados reservado para os excessos
de velocidade, aparece o seguinte símbolo .

21 Informação escrita à mão

• = local do controlo
• = assinatura do controlador
• = hora de início
• = hora de fim
• = assinatura do motorista

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 313


14.6 Explicação dos exemplos de relatórios Apêndice

Pos./Bloco Especificação do bloco de dados/Explicação


22 Informação sobre o titular do cartão do perfil registado

• Último nome do motorista


• Primeiro nome do motorista
• Identificação do cartão
• Início do registo de perfil com data e hora
• Fim do registo de perfil com data e hora

Se não houver dados sobre o titular do cartão, isso quer dizer que não foi inserido um
cartão do motorista

23 Registo do perfil de velocidade

• Lista das margens de velocidade definidas e tempo de condução durante cada margem
• Margem: 0 < = n < 1 = viatura parada

O perfil de velocidade é dividido em 16 zonas. Durante a instalação, as margens podem


ser definidas uma a uma.

24 Registo do perfil de rotações

• Lista dos intervalos de rotação do motor e tempo de condução em cada intervalo


• Intervalo: 0 < = n < 1 = motor desligado
• Intervalo: 3281 < = n < x = ilimitado

O perfil de rotações é dividido em 16 zonas. Durante a instalação, as margens podem ser


definidas uma a uma.

25 Dados específicos do cliente

• Número da versão do módulo de actualização da aplicação (SWUM)

26 Registo das actividades

• Legenda dos símbolos


• Apresentam-se, graficamente, as actividades dos últimos sete dias, a partir do dia
escolhido.

27 Registo da evolução da velocidade do dia escolhido

28 Registo de grupos de trabalho adicionais, como o uso da luz azul intermitente de


emergência, a sirene, etc.

• Legenda dos símbolos


• Apresentam-se, graficamente, os registos do estado D1/D2, dos últimos sete dias, a
partir do dia escolhido.

314 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.7 Comportamento da memória durante eventos e falhas

14.7 Comportamento da memória durante eventos e falhas

Para cada evento ou falha criado, o DTCO 1381 registará e guardará


os dados respectivos, de acordo com regras específicas.

(1) Dados sobre o objectivo do registo


(2) Número de eventos semelhantes registados no mesmo dia.

Os dados sobre o objectivo do registo (1) indicam por que motivo o


evento ou a falha foi gravado. Os eventos semelhantes que
aparecem várias vezes nesse dia aparecem na posição (2).

Código objectivo do registo de O quadro que se segue mostra os eventos ou falhas ordenados de
dados acordo com o tipo de falha (a causa) e a atribuição dos objectivos de
registo:

Picto. Causas Objectivos


de registo
Conflito de cartão 0
Condução sem cartão válido 1, 2, 7
Cartão inserido durante condução 3
Cartão não fechado 0
Excesso de velocidade 4, 5, 6
Corte de corrente 1, 2, 7
Falha do sensor 1, 2, 7
Eventos

Quebra de segurança 0-
Inconsistência de tempo 1) -
Cartão inválido 2) -
Falha de cartão 0

Falha interno 0, 6
Falha de hora 0, 6
Falha interno 0, 6
Falha de visor 0, 6
Falhas

Falhas durante transferência 0, 6


Falha do sensor 0, 6

1) Este evento apenas será guardada no cartão do motorista


2) O DTCO 1381 não guarda este evento

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 315


14.7 Comportamento da memória durante eventos e falhas Apêndice

Resumo dos objectivos de registo 0 = Os 10 eventos ou falhas mais recentes


1 = O mais longo evento dos últimos 10 dias em que se
registou um evento
2 = Um dos 5 mais longos eventos dos últimos 365 dias
3 = O mais recente evento dos últimos 10 dias em que
se registou um evento
4 = O mais grave evento dos últimos 10 dias em que se
registou um evento
5 = Os 5 mais graves eventos dos últimos 365 dias
6 = O primeiro evento ou falha registado desde a mais
recente calibração
7 = Um evento ainda activo ou falha em curso

Número de eventos semelhantes 0 = Para este evento, não é necessário gravar “o número
de eventos semelhantes”
1 = Foi registado um evento semelhante nesse dia
2 = Foram registados dois eventos semelhantes nesse
dia, mas apenas um foi guardado.
n = Fora registados “n” eventos semelhantes nesse dia,
mas apenas um foi guardado.

316 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.7 Comportamento da memória durante eventos e falhas

Codificação para uma descrição Os eventos sujeitos à quebra de segurança  são assinalados
mais detalhada com uma codificação adicional (3)

Tentativas de quebra de segurança no DTCO 1381


16 = Sem informação adicional disponível
17 = Falha de autenticação do sensor
18 = Falhas de autenticação do cartão do motorista
19 = Alterações não-autorizadas ao sensor
20 = Falha de integridade; a autenticidade dos dados no
cartão do motorista não está assegurada
21 = Falha de integridade; a autenticidade dos dados do
utilizador memorizados não está assegurada
22 = Falha interno na transmissão de dados
23 = Abertura não-autorizada da caixa
24 = Manipulação dos elementos físicos (hardware)

Tentativas de quebra de segurança no sensor de movimento


KITAS 2171
32 = Sem informação adicional disponível
33 = Autenticação falhou
34 = Falha de integridade; a autenticidade dos dados da
memória não está assegurada
35 = Falha interno de transmissão de dados
36 = Abertura não-autorizada da caixa
37 = Manipulação dos elementos físicos (hardware)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 317


14.8 Visão geral das mensagens de acordo com o Código de Memória (CM) Apêndice

14.8 Visão geral das mensagens de acordo com o Código de Memória

Para informações adicionais, consulte o Capítulo 13 “Eventos e


Falhas”, a partir da página 214, e o Capítulo 13.4 “Mensagens e
Medidas para Corrigir Erros”, a partir da página 250.

318 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.8 Visão geral das mensagens de acordo com o Código de Memória (CM)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 319


14.8 Visão geral das mensagens de acordo com o Código de Memória (CM) Apêndice

320 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008


Apêndice 14.8 Visão geral das mensagens de acordo com o Código de Memória (CM)

Edição 11/2008 Descrição Técnica do DTCO 1381 – Versão 1.3 321


322 © Continental Automotive GmbH Edição 11/2008