Você está na página 1de 7

ANO LETIVO​

FICHA DE AVALIAÇÃO MODELO BIOLOGIA E GEOLOGIA ​2018/2019

DATA: JUNHO 2018 2017/2018


100 MINUTOS

ANO/TURMA
  PROFESSORA
   
CLASSIFICAÇÃO

11ºVB Paula Lemos

NOME DO ALUNO  Nº DO ALUNO  CONHECIMENTO DO ENCARREGADO DE EDUCAÇÃO 

GRUPO I

A ameba como modelo biológico

Nas primeiras experiências para investigar as funções das estruturas celulares usou-se a ameba como
material biológico. Trata-se de um organismo unicelular não fotossintético, muito comum nos lagos com
água parada.
Embora seja um organismo unicelular, possui um tamanho relativamente grande, o que facilita o seu
manuseamento ao microscópio ótico. É possível separar a ameba em dois fragmentos, tal como se
encontra representado na figura 1.

Admita que numa investigação foi


adicionado uracilo marcado
radioativamente a uma cultura de
amebas. Após um curto período de
incubação, as células são observadas
para detetar a presença de uracilo
radioativo nas suas moléculas. O
uracilo radioativo é depois removido do
meio por lavagem das células, em que as amebas são transferidas para um novo meio contendo todos os
nutrientes necessários (incluindo o uracilo não radioativo). As células foram depois observadas em dois
momentos próximos para detetar a presença do uracilo radioativo (figura 2). Nas observações efetuadas
nos minutos seguintes, foram detetadas reduzidas quantidades de moléculas marcadas com
radioatividade no núcleo e no citoplasma.
Na resposta a cada um dos itens de 1. a 4., selecione a única opção que permite obter uma afirmação
correta.

1. O principal motivo para o fragmento sem núcleo representado na figura 1 morrer ao fim de 7 dias
deverá ser…

(A) … perda de água por osmose.


(B) … redução da síntese proteica.
(C) … perda da fluidez da membrana plasmática.
(D) … as mitocôndrias ficarem concentradas no fragmento que contém o núcleo.

2. Relativamente à experiência a que se reporta a figura 2, é possível afirmar que…

(A) … os resultados indicam que o RNA é sintetizado no núcleo e é transportado para o citoplasma.
(B) … o principal objetivo foi provar que o RNA é composto por uracilo.
(C) … o principal objetivo foi provar que o RNA só é sintetizado na presença de uracilo marcado
radioativamente.
(D) … os resultados demonstram claramente que o RNA é sintetizado no núcleo, a partir do molde de
DNA, e depois é usado para a síntese de proteínas.

3. Procedeu-se à marcação radioativa de uracilo e não de outro nucleótido porque…

(A) … deste modo é possível determinar os locais de transferência do DNA.


(B) … o uracilo é o nucleótido que aparece em maior frequência na molécula de RNA.
(C) … o uracilo é o nucleótido que aparece em maior frequência no núcleo da célula.
(D) … qualquer RNA sintetizado pela ameba é facilmente detetado.

4. A lavagem para remover o uracilo marcado radioativamente, que tinha sido adicionado ao meio de
cultura, foi importante porque…

(A) … à medida que o RNA se degrada, apenas os percursores não marcados estão disponíveis para a
síntese de novo RNA.
(B) … permitiu remover a radioatividade espalhada pela célula e assim garantir que o sinal detetado
correspondia exclusivamente ao RNA sintetizado anteriormente durante a incubação com uracilo
radioativo.
(C) … a presença de marcadores radioativos inibe a migração do RNA do núcleo para o citoplasma.
(D) … permitiu remover apenas o uracilo radioativo presente no citoplasma, restringindo o sinal ao uracilo
radioativo presente no núcleo.

5. Explique em que medida os dados indicam que o RNA tem a função de intermediário com um tempo de
vida reduzido.

6. A água dos lagos pode ser usada em culturas para crescimento e reprodução das amebas. À
temperatura de 18 ºC, e com fornecimento de nutrientes em intervalos regulares, a maioria das amebas
reproduz-se a cada 50 minutos.

No item 6.1., selecione a única opção que permite obter uma afirmação verdadeira.

6.1. Se o meio de cultura for modificado para ___, é razoável admitir que as amebas demorem ____de 50
minutos para se dividir e assim reproduzirem-se.

(A) um aumento da temperatura de 18 ºC para 30 ºC (…) menos


(B) um aumento significativo da densidade das amebas (…) menos
(C) uma redução da temperatura de 18 ºC para 10 ºC (…) mais
(D) aumentar a intensidade da luz que que atinge a água (…) mais

6.2. Admita que os fatores que afetam a divisão das amebas foram investigados em separado e que a
modificação de um fator não afetou os restantes.

Explique qual a importância de modificar individualmente os fatores que afetam a divisão das amebas.

GRUPO II

Em 1961, Marshall Nirenberg e James Matthaei foram os autores do primeiro grande avanço
na decifração do código genético. Nas suas experiências utilizaram extratos celulares da bactéria
Escherichia coli e oligonucleótidos sintéticos, em vez de mRNA natural, como informação padrão para a
síntese proteica.
Com o extrato celular de ​E. coli, preparou-se um sistema de reação completo, com todos os componentes
necessários à síntese proteica, incluindo um RNA sintético formado apenas com nucleótidos de uracilo
(poli-U). Foram realizados vários ensaios, nos quais se testou individualmente cada um dos 20
aminoácidos. Para tal, o aminoácido testado encontrava-se marcado radioativamente.
Na Tabela 1, está registada a incorporação nas proteínas, em diferentes condições experimentais, do
aminoácido fenilalanina marcado radioativamente. Aos ensaios 2 e 4 não foram adicionados,
respetivamente, poli-U e ATP. No ensaio 3 foram extraídos os ribossomas. Os ensaios 5 e 6 e os ensaios
7 e 8 continham, respetivamente, os antibióticos puromicina e cloranfenicol e as enzimas hidrolíticas
RNAase e DNAase.
Noutras experiências, Nirenberg e Matthaei mostraram que a síntese de um péptido constituído por
resíduos do aminoácido lisina estava dependente da adição de poli-A, um RNA formado apenas com
nucleótidos de adenina, ao sistema de reação; o mesmo acontecia com a adição de poli-C, um RNA
formado apenas com nucleótidos de citosina, que era específico para a síntese de um péptido constituído
apenas pelo aminoácido prolina. Gobind Khorana, agraciado com o Prémio Nobel da Fisiologia ou
Medicina em 1968, tal como Marshall Nirenberg, realizou diversas experiências que contribuíram
definitivamente para a decifração do código genético. A partir de polímeros de ribonucleótidos, de
sequência conhecida, demonstrou que a repetição de dois nucleótidos alternados n vezes, por exemplo
(UC)n, contém informação necessária à síntese do péptido (ser-leu)n, em que UCU codificava a
incorporação do aminoácido serina e CUC codificava a incorporação do aminoácido leucina.
TABELA 1

Baseado em M. W. Nirenberg e J. H. Matthaei, «​The dependence of cell-free protein synthesis


in E. coli upon naturally occurring or synthetic polyribonucleotides​», Proceedings of the National Academy of Science, 47, 1961 e em
www.nobelprize.org/nobel_prizes/medicine/laureates/1968/khorana-lecture.html

1. A etapa da síntese proteica evidenciada nas experiências de Nirenberg e Matthaei é designada por…
(A) tradução.
(B) transcrição.
(C) replicação.
(D) processamento.

2. De acordo com os resultados registados na Tabela 1, a síntese de um péptido de fenilalanina é


independente da presença de …
(A) ribossomas.
(B) ATP.
(C) DNA.
(D) poli-U.

3. As experiências de Gobind Khorana demonstraram que a informação utilizada diretamente na síntese


de um péptido se encontra na sequência de conjuntos de …
(A) três bases do DNA.
(B) três bases do RNA.
(C) duas bases do DNA.
(D) duas bases do RNA.

4. Os tRNA que transportam os aminoácidos fenilalanina e lisina apresentam, respetivamente, os


anticodões…
(A) UUU e AAA.
(B) AAA e TTT.
(C) TTT e AAA.
(D) AAA e UUU.

5. O código genético é redundante, porque um …


(A) codão codifica pelo menos um aminoácido.
(B) aminoácido pode ser codificado por vários codões.
(C) aminoácido é codificado apenas por um codão.
(D) codão codifica sempre o mesmo aminoácido.

6. Mutantes de E ​ .coli​ sem porinas – proteínas intrínsecas da membrana plasmática – são resistentes ao
cloranfenicol, indiciando que a penetração desta substância na bactéria ocorre
(A) por intermédio de canais hidrófilos.
(B) com gasto de moléculas de ATP.
(C) contra o gradiente de concentração.
(D) através da bicamada fosfolipídica.

7. Os organismos do género ​Escherichia ​que vivem no intestino do Homem são …


(A) eucariontes e heterotróficos por absorção.
(B) procariontes e heterotróficos por ingestão.
(C) procariontes e heterotróficos por absorção.
(D) eucariontes e heterotróficos por ingestão.

GRUPO III

Em 2012, um grupo de cientistas conseguiu produzir um par de bases nucleotídicas sintéticas,


complementares entre si, diferentes das que se encontram na natureza. Em 2014, os mesmos cientistas
adicionaram estas bases a um meio de cultura. Este meio de cultura foi inoculado com uma estirpe da
bactéria ​E. coli​, que expressa um transportador membranar capaz de incorporar estas bases nas células
bacterianas. Uma vez dentro da célula, as bases teriam de ser reconhecidas e aceites pelas enzimas que
copiam o DNA e pelas enzimas envolvidas na transcrição dos genes. Os cientistas comprovaram que as
bactérias se multiplicaram, sintetizaram cópias de DNA artificial com seis tipos de bases e, em 99,4% dos
casos, transmitiram o novo par de bases à descendência. Para que as bactérias identifiquem este novo
código, os cientistas têm ainda de modificar os mecanismos de tradução, garantindo o reconhecimento
das bases artificiais introduzidas nos ácidos nucleicos e a incorporação de aminoácidos sintéticos
específicos nas proteínas, tornando, deste modo, possível a produção de proteínas inexistentes na
natureza.

Baseado em E. Abdoun, «
​ Code de la Vie​», Science & Vie, 1163, agosto de 2014
​ s novos nucleótidos manterão a configuração em dupla hélice do DNA se tiverem
1.​ O
(A) bases nitrogenadas que se unam por ligações de hidrogénio.
(B) moléculas de desoxirribose que se liguem entre si.
(C) grupos fosfato unidos por ligações de hidrogénio.
(D) bases nitrogenadas ligadas a grupos fosfato.

2. A importação das bases artificiais para a célula ocorreu através _______, por meio de um mecanismo
de transporte _______.
(A) da bicamada fosfolipídica … mediado
(B) da bicamada fosfolipídica … não mediado
(C) de proteínas … mediado
(D) de proteínas … não mediado

3. A incorporação de novas bases em E


​ . coli​ conduziu à …
(A) alteração dos mecanismos de tradução.
(B) formação de novos aminoácidos.
(C) alteração da expressão dos genes.
(D) formação de novas moléculas de DNA.

4. Suponha que, no DNA da estirpe de ​E. coli​ resultante do estudo descrito, 23% dos nucleótidos são
nucleótidos de timina e 25% são nucleótidos de citosina. A soma das percentagens das bases do novo
par será de …
(A) 52%.
(B) 26%.
(C) 4%.
(D) 2%.

5. O código genético ______ ambíguo, porque _______.


(A) é … um codão codifica sempre o mesmo aminoácido
(B) não é … um aminoácido é codificado apenas por um codão
(C) é … um aminoácido é codificado apenas por um codão
(D) não é … um codão codifica sempre o mesmo aminoácido

GRUPO IV

As auxinas são fito-hormonas responsáveis pelo crescimento das plantas, sintetizadas preferencialmente
nos ápices caulinares. Estas fito-hormonas estão envolvidas no aumento de plasticidade da parede
celular e na subsequente deposição de materiais, que leva à expansão das células vegetais. As auxinas
induzem o aumento da concentração de H+ na parede celular, que promove a separação das fibras de
celulose e a inclusão de novos polímeros; seguidamente, as células absorvem água, o que faz aumentar
o seu comprimento, levando a um alongamento dos tecidos.

Em 1926, Frits Went conseguiu demonstrar experimentalmente os efeitos de uma substância, a que deu o
nome de auxina, no crescimento de coleóptilos1 de Avena sativa, na ausência de luz.

A Figura ___ traduz esquematicamente parte do procedimento experimental seguido por Frits Went e os
resultados que obteve.
1.Formule a hipótese que Frits Went pretendeu confirmar com a atividade experimental descrita.

2. Para a validade da demonstração do efeito da auxina nesta experiência, foi fundamental

(A) o recurso a coleóptilos de Avena sativa.


(B) o uso de blocos de ágar impregnados com auxina.
(C) a sua realização na ausência de luz.
(D) a medição do alongamento das células do coleóptilo.

3. Considere as seguintes afirmações referentes à osmose numa célula vegetal.

I. A entrada de água na célula deve-se ao facto de o meio intracelular estar hipotónico.


II. A entrada de água provoca um aumento da pressão de turgescência.
III. A entrada de água ocorre contra o gradiente de concentração de solutos.

(A) II e III são verdadeiras; I é falsa.


(B) II é verdadeira; I e III são falsas.
(C) I e III são verdadeiras; II é falsa.
(D) I é verdadeira; II e III são falsas.

4. Os efeitos das auxinas …

(A) são independentes quer da concentração destas hormonas quer do local onde atuam.
(B) são independentes da concentração destas hormonas, mas dependem do local onde atuam.
(C) dependem da concentração destas hormonas e não dependem do local onde atuam.
(D) dependem quer da concentração destas hormonas quer do local onde atuam.

5. A presença de auxinas no citoplasma das células vegetais ativa a expressão do gene que codifica a
proteína membranar H​+​–ATPase, desencadeando, primeiro, a

(A) tradução de intrões do RNA mensageiro.


(B) transcrição dos nucleótidos do gene para a H​+​–ATPase.
(C) remoção dos exões do gene para a H​+​–ATPase.
(D) migração do RNA mensageiro para o citoplasma.

6. Faça corresponder, de acordo com o sistema de classificação de Whittaker modificado, cada um dos
tipos de seres vivos, expressos na coluna A, ao reino em que se pode incluir, que consta da coluna B.
7. Indique como procederia para demonstrar experimentalmente que a curvatura do coleóptilo não se
deveu à ação do ágar, tendo como referência a situação experimental apresentada.