Você está na página 1de 2

7 Referencial teórico

A análise do impacto da política monetária sobre déficit público e, portanto, sobre a


dívida pública tem um imenso debate dentro da literatura econômica, neste capitulo
pretendo apresentar as principais teorias sobre o tema e por fim apresentar uma breve
explanação sobre as características da política monetária e fiscal no caso brasileiro.

7.1 Coordenação dos instrumentos de política econômica.

Neste capitulo pretende-se apresentar a teorias assim como os


conceitos referentes cordenação dos intrumentos de politica economica presentes no
seminal trabalho dos autores Sargent e Wallace(1981) "aritimetica monetarista
desagradavel" assim como a contribuição de outros autores para o tema.
O artigo do sargent e wallace tem como objeto de discursão a interdependencia dos
intrumentos monetario e fiscal e seu impacto sobre a politica monetaria desta forma o
artigo afirma que "The extent to which these constraints bind the monetary authority and
thus possibly limit its ability to control inflation permanently partly depends on the way
fiscal and monetary policies are coordinated. ."(Sargent;Wallace,1981,p.1,) a partir disso
eles formulam duas possiveis interações entre a politica fiscal e a politica monetaria
sendo estas a dominancia monetaria e a dominacia fiscal.
A dominancia monetaria e definida como uma situação em que a
autoridade monetaria determina a taxa de crecimento da base monetaria no periodo
corrente e nos peridos posteriores de forma independente a autoridade fiscal, neste caso a
autoridade fiscal tem sua politca restrita ja que tem que seu orçamento para que ele possa
ser finaciado atraves de titulos publicos e da receita de senhoriagem ja previamente
definida pela autoridade monetaria.
A dominacia fiscal por outro lado e definida como uma situação
em que autoridade fiscal define seus futuros deficits e superavits de forma independente
da autoridade monetraia neste caso a autoridade monetaria tem sua politica condicionada
a politica fiscal sendo que no caso de uma defict que nao possa ser financiado atraves de
titulos publicos autoridade é forçada a criar moeda e tolerar uma maior inflação
Em decorrência deste trabalho deu-se origem a vários estudos
tratando das implicações que as diferentes dinâmicas entre os instrumentos de política
econômica poderiam levar, alguns estudos como o de Lauren e la Piedra (1998)
argumentam amplamente a favor da coordenação entre as políticas fiscal e monetária.

O principal objetivo da política macroeconômica é alcançar um crescimento


económico sustentável em um contexto de estabilidade de preços e contas
externas viáveis. Para atingir esse objetivo será essencial atingir um grau
próximo de coordenação entre as autoridades monetárias e fiscais. Só através
da realização de uma coordenação política eficaz os responsáveis políticos
garantir que eles vão realizar os seus objetivos declarados da maneira mais
eficiente. Coordenação eficaz das políticas monetária e fiscal só será possível
se tivermos em conta a necessidade de sustentabilidade política e
credibilidade

Dessa maneira deixando claro a importância da coordenação entre os dois instrumentos


apesar disso outros autores como Nordhaus (1994) adverte que na maioria dos grandes
países as políticas monetária e fiscal são independentes e apesar de Nordhaus acredita
haver bons argumentos em favor da independência destes dois instrumentos reitera que a
utilização deve ser feita na medida do possível de forma sincronizada tal coisa diz ele não
e o que normalmente ocorre na maioria dos grandes países ele nomeia tal fenômeno de
“síndrome do jogo monetário-fiscal”