Você está na página 1de 3

RESGATE DE DEPÓSITOS JUDICIAIS TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE SP

Este documento se aplica aos depósitos judiciais do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP),
cujas condições de pagamento em espécie foram modificadas pelo Provimento CSM Nº
1.930/2011.

Demais informações:
IN 147-1 – item 11 – Resgate
IN 147-2 – item 8 – Resgate

1. TIPOS DE DEPÓSITO

Estadual, Precatório Estadual, Tributário Estadual e Tributário Municipal do Estado de São


Paulo.

2. NOVAS CONDIÇÕES PARA RESGATES

Para efeito de enquadramento dos valores de resgate à norma, deverá ser considerado o
montante (capital + correção monetária + juros) do Mandado de Levantamento Judicial (MLJ):

2.1 Resgates acima de R$ 5.000,00

NÃO é mais permitido o pagamento em espécie. Os recursos podem ser disponibilizados ao


beneficiário apenas por meio de crédito em conta corrente ou poupança no Banco do Brasil ou
transferência para outro banco;

2.1.1 Titularidade da conta

Próprio interessado (beneficiário), seu advogado com poderes suficientes ou sociedades de


advogados a qual ele pertence.

A verificação da legitimidade do advogado deverá ser feita em conformidade com as normas


vigentes.

Se for solicitado crédito em conta de titularidade da sociedade de advogados à qual o


advogado do interessado pertence, a agência deverá fazer constar no verso da via do Banco a
seguinte declaração*:

Declaro para todos os fins de direito, que recebi o valor discriminado no anverso
deste documento e que, conforme Provimento nº 1930/2011 do Conselho Superior
da Magistratura do Estado de São Paulo, subitem 11.3., autorizo a transferência
para a conta bancária da sociedade de advogados abaixo indicada, a qual integro:

Nome do Advogado: ______________________________________________

OAB/SP Nº: ___________ CPF nº: ___________________________________

Sociedade de Advogados Favorecida: ________________________________

CNPJ nº: _______________________________

[Data]

_____________________________________
Assinatura do Advogado

8481 – Superintendência de Governo SP Versão: 17/05/2012 1


A declaração, que poderá ser redigida ou inserida por carimbo, deverá ser assinada pelo
advogado, com abono do funcionário responsável.

* Aprovada pela NOTA JURÍDICA AJURE (SP)/GAIII/CONSULTIVO/GRMT 2012/1555

2.1.2 Caso o interessado não possua conta bancária, deverá ser aberta conta poupança em
seu nome, sem qualquer ônus, na mesma agência em que for apresentado o mandado judicial.
A abertura da conta poupança deverá seguir as normas vigentes (BACEN) e os dados
bancários deverão ser informados ao Juízo do processo, por meio de anotação na via do
Mandado de Levantamento Judicial que retornará aos autos após o resgate e/ou comprovante
de pagamento que será anexado a essa via.

2.2 Resgates até R$ 4.999,99

Podem ser pagos mediante crédito em conta corrente ou poupança no Banco do Brasil,
transferência para outro banco ou pagamento em espécie.

3. PROVIMENTO CSM Nº 1.930/2011

3.1 Texto Integral

PROVIMENTO CSM Nº 1930/2011

O CONSELHO SUPERIOR DA MAGISTRATURA, no uso de suas atribuições legais e


regimentais, CONSIDERANDO a necessidade de atualização das Normas de Serviço
da Corregedoria Geral da Justiça;

CONSIDERANDO o decidido no processo n° 2010/111637 – DICOGE 2.1;

RESOLVE:

Art. 1º - Fica acrescido, ao item 11 do capítulo VIII do tomo I das Normas de Serviço da
Corregedoria Geral da Justiça, os subitens 11.2, 11.3 e 11.4; com a seguinte redação:

11.2. Caso o interessado opte por receber em moeda corrente, o correspondente valor
não poderá superar o máximo para transferências bancárias por meio de documento
eletrônico (DOC), atualmente de R$ 4.999,99 conforme Circular BACEN n° 3224/2004.

11.3. A liquidação, se o valor superar o máximo acima referido no subitem anterior, dar-
se-á somente por “transferência eletrônica disponível” (TED) para conta bancária do
próprio interessado ou de seu advogado com poderes suficientes ou, ainda, de
sociedade de advogados por ele integrada.

11.4. No caso previsto no subitem 11.3, se o interessado não for titular de conta
bancária, o banco pagador transferirá o montante devido para conta poupança a ser
aberta, sem qualquer ônus, em nome do interessado na mesma agência em que
apresentado o mandado judicial, conforme instruções e cautelas definidas pelo Banco
Central do Brasil. Essa conta poupança poderá ser movimentada sem nova autorização
judicial, devendo o banco comunicar a abertura da conta ao Juízo do processo.

Art. 2º - Este Provimento entra em vigor na data de sua publicação, revogadas as


disposições em contrário.

Publique-se. Registre-se. Cumpra-se.

São Paulo, 17 de novembro de 2011.

(aa) Des. JOSÉ ROBERTO BEDRAN, Presidente do Tribunal de Justiça, Des.


ANTONIO AUGUSTO CORRÊA VIANNA Vice-Presidente do Tribunal de Justiça em
exercício e Decano, Des. MAURÍCIO DA COSTA CARVALHO VIDIGAL Corregedor

8481 – Superintendência de Governo SP Versão: 17/05/2012 2


Geral da Justiça, Des. CIRO PINHEIRO E CAMPOS, Presidente da Seção Criminal,
Des. LUIS ANTONIO GANZERLA, Presidente da Seção de Direito Público, Des.
FERNANDO ANTONIO MAIA DA CUNHA Presidente da Seção de Direito Privado.

3.2 Publicação

Publicado em 07/12/2011 no Diário da Justiça Eletrônico (http://www.dje.tj.sp.gov.br), Caderno


Administrativo.

4. NORMAS DE SERVIÇO DA CORREGEDORIA GERAL DA JUSTIÇA

Disponíveis em www.tjsp.jus.br > Cidadão > Conheça o TJSP > Corregedoria > Normas
Judiciais.

8481 – Superintendência de Governo SP Versão: 17/05/2012 3