Você está na página 1de 15

A Experiência Laboral é o requisito mais importante dentro do seu CV.

É a
primeira coisa que vai ver o recrutador na hora de avaliar seu perfil. Segundo o
que você colocar ai, poderá gerar mais confiança e brindar certa segurança no
momento de ser selecionado.

A continuação desdo Jobomas te damos alguns


conselhos práticos para que seu curriculum vitae
destaque frente aos outros:

1.- Seja claro e concreto


Tente plasmar de forma clara e sintética sua experiência laboral da seguinte
maneira. Não seja demasiado breve na descrição dos postos de trabalho que
você teve mas também não te estenda muito. Seja direto.

2.- Ordem
Muitos se confundem com a ordem cronológica das suas experiências. O mais
importante é escrever seu curriculum vitae de forma cronológica inversa, quer
dizer, iniciando com o ultimo emprego.

3.- Quantidade
Se você tem mais de 10 anos de experiência e passou por muitos trabalhos, não é
necessário que detalhe cada um deles. Os que você teve faz 10 anos e os que
foram temporais se podem omitir, se é que você teve outros posteriores de
maior importância. Pelo contrario, se o problema é que tem pouca experiência
laboral, o que você pode fazer é agregar suas práticas profissionais, estágios,
trabalhos temporais ou certas tarefas que, ainda não tenha sido remunerado,
podem dar conta de algumas atitudes (por exemplo, tarefas de serviço sociais).

4.- Estrutura
Os seguintes elementos são os que qualquer recrutador buscará na sua
experiência laboral:
* Nome do posto
* Nome da empresa
* Tempo de trabalho
* Breve descrição das suas tarefas

*Realizações

5.- Dedicação
Completar um CV por primeira vez pode ser tedioso. Mas lembre-se que um
bom CV pode fazer a diferença entre ser contratado ou não. Então tenha
paciência e tome o tempo necessário para assim fazer uma grande diferença.
Esperamos que essa recomendações sejam de utilidade. Sucesso!

Encontra os melhores Conselhos para conseguir Emprego. Você vai aprender


como completar seu CV, como comportar em uma Entrevista de Trabalho e
uteis conselhos para sua vida laboral.

Currículos: os clichés que afastam os


recrutadores
A regra é transversal a qualquer função ou área de atividade a
que se candidate. Para se destacar entre a concorrência e
marcar pontos sobre outros candidatos, tem de evitar todos os
clichés no proces
 0 Comentários

 Compartilhar:


E se já procurou algum especialista em aconselhamento de carreira sabe que o


primeiro conselho que lhe dá, no que respeita a currículos e processos de
candidatura, é para evitar frases feitas. É verdade que quando um recrutador
pesquisa um profissional numa base de dados, o seu primeiro crivo para
agregar um leque de potenciais candidatos são as palavras-chave (keywords)
que constam no seu currículo. Mas atenção expressões comuns como
“trabalho em equipa” ou “boas competências de comunicação”, não contam
como keywords nem servem de filtro para lhe dar uma oportunidade de chegar
à entrevista. ?
O que o empregador procura quando analisa um currículo é um espelho do que
de mais relevante o candidato em análise fez nas empresas por onde passou.
Por isso, o foco é identificar exemplos concretos de talento, resultados práticos,
e não listagens exaustivas de funções profissionais. E a verdade é que
segundo a plataforma americana de aconselhamento profissional Career
Builder, uma grande parte dos candidatos falham oportunidades de emprego
exatamente no nível em que se apresentam ao mercado, exatamente por
ignorarem esta orientação. A plataforma associou-se ao especialista Sally
Stetson, fundador da empresa de executive serach Salveson Stetson Group,
para conduzir uma investigação que permitiu identificar as frases que os
candidatos mais utilizam nos currículos e que desesperam qualquer recrutador.

Chavões a evitar
Além das já citadas “trabalho em equipa” e “boas competências de
comunicação”, foram identificados vários chavões próprios de quem ignora que
o currículo é acima de tudo uma ferramenta de marketing capaz de, se bem
utilizada, diferenciar um candidato entre os vários que competem pelo mesmo
emprego. ?Se tem no seu currículo expressões como “possui competências de
liderança, comunicação, motivação e inspiração de equipas”, ou “excedeu
todos objetivos de produtividade do departamento”, “lidou diariamnete com
clientes” ou ainda “especialista, orientado para resultados e com boas
competências de negociação”, talvez queira revê-las.

A melhor forma de fazer passar estas mensagens, garante Stetson, é “clarificar


resultados concretos”. ?Uma boa alternativa para demonstrar as suas aptidões
como especialista e sua orientação para resultados seria, por exemplo, dizer
que “enquanto especialista e gestor da área de negócio X, consolidou sólidas
relações com clientes que permitiram aumentar as vendas em 33% e aumentar
a carteira de clientes de 10 para 50”. Se quiser evidenciar o seu “espírito
colaborativo e capacidade para integrar equipas diversas”, poderá referir que
“no âmbito desta função colaborou com elementos-chave dos departamentos
financeiro e de tecnologias de informação para desenvolver e implementar uma
nova plataforma de análise de vendas”.?Focar-se nos resultados e apresentá-
los de forma clara e sucinta aos recrutadores é, para o especialista, “tão vital
como manter o seu currículo atualizado”. Acrescenta Stetson a propósito desta
investigação que analisou milhares de currículos que o Cv é a melhor
ferramenta de autopromoção de um candidato e que a eficácia mede-se em
resultados.

Carta de apresentação
Juntamente com o CV, a carta de apresentação é um dos
primeiros elementos que a empresa à qual se candidata tem
sobre si.
 3 Comentários

 Compartilhar:

Sabe como estruturar uma carta de apresentação?


A carta de apresentação deverá ser breve e simples.
Esta carta deve, juntamente com o CV, convencer o empregador a chamá-lo
para uma entrevista.
1.-Dirija-se à pessoa certa
Comece por dirigir a carta à pessoa certa. Isto é prova de ter o cuidado de
mandar a carta a uma determinada pessoa. Não se esqueça de pôr em cima
da carta a rubrica assunto, onde esclarece o objectivo da sua carta e,
eventualmente, menciona a referência do anúncio.

2.-Escreva uma boa frase de abertura


A intenção é destacar-se no meio de muitas respostas. Isto não se consegue
com frases usadas como: "Na sequência do seu anúncio ...." ou "Por este via
venho candidatar-me ...." Evite linguagem estandardizada ou expressões
clássicas e use uma frase de abertura personalizada, original e cheia de
entusiasmo.

3.-Não use palavras demasiado modestas


"Talvez", "eventualmente" e "acho" são expressões a evitar.
Procure o caminho intermédio. Dizer que é a pessoa ideal e que o empregador
seria doido se não aproveitasse esta oportunidade, não só mostra um
entusiasmo pronunciado como também uma grande dose de arrogância.

4.-Explique porque se candidata


Explique o que o atrai na empresa, na função, no sector. Aproveite para
mostrar entusiasmo.

5.-Não se prolongue
A sua carta pode ter uma página no máximo.
Convém transmitir a mensagem em frases curtas e dinâmicas com muitos
verbos activos.

6.-Não mencione a sua inexperiência


Se não tiver a experiência ou a formação exigida, não o mencione. Escreva
antes sobre a sua capacidade de aprender depressa.
Seja sempre positivo sobre si mesmo.

7.-Não fale em ordenado


Não fale de dinheiro na carta. Mencione o ordenado apenas no caso de lhe ter
sido pedido no anúncio a que está a responder, senão acredite que vai criar
uma impressão negativa.
8.-Evite terminar com banalidades
Lembre-se que a última impressão é tão importante como a primeira.
Não escreva frases feitas mas, por exemplo, "Se achar que temos algo a
oferecer um ao outro, estarei sempre disponível para conversarmos numa
entrevista".

O que não fazer em uma entrevista de


emprego
 0 Comentários

 Compartilhar:

Uma das boas coisas sobre entrevistas de emprego é


que elas sempre lhe dão a certeza de que você já
superou o obstáculo maior que dependia apenas de
você: achar uma oportunidade de mostrar o quão
capaz você pode ser. É preciso pensar que, na pré-
seleção de currículos, por exemplo, a quantidade de
concorrentes era muito maior do que na fase de
entrevistas de processos seletivos.
Portanto, todo esforço para se sair bem durante as
entrevistas é válido. Desde que encontrou a vaga,
você pode ter pensado não ser tão capaz assim para
ocupá-la, mas se você já está no final do processo
seletivo, ou pelo menos chegando até ele, porque não
se preparar e dar o seu melhor para isso?
Abaixo, selecionamos alguns erros que não podem
ser cometidos em uma entrevista de emprego:

Mentir
Você pode não saber, mas alguns empresários podem
estar a procura de um novo funcionário para a
“salvação” de sua empresa. A oportunidade de
emprego pode ser perfeita para sua carreira,
exatamente do jeito que você imaginava, mas pode
prejudicar exorbitantemente a companhia. Portanto,
apenas dê o seu melhor e deixe que o que tiver que
ser será. Não minta, não finja ser o que não é. Tenha
certeza que o melhor está sempre por vir.

Não aparecer sem


pergunta alguma
O gerente de contratação com certeza terminará a
conversa de vocês com: “você tem alguma dúvida?”.
E é importante que você faça alguma pergunta! Se
realmente não há questionamentos, queira saber
mais sobre o papel que cumprirá caso seja
contratado, os desafios a serem enfrentados e
também as oportunidades.

Passar desapercebido
Um dos maiores obstáculos dos candidatos a vagas
de emprego é simplesmente enfrentar os gerentes de
contratação cara a cara. É uma grande sobrecarga à
mente, muitas questões e pressões existentes.
Lembre-se que, para conseguir o que quer, você
precisa se destacar e isso se torna muito mais fácil se
quem estiver lhe entrevistando sentir que já lhe
conhece, que já está a vontade.
Quando lhe perguntarem: “o que você espera deste
emprego?”, não responda tudo o que qualquer outra
pessoa pode dizer, seja mais específico, coloque sua
personalidade na entrevista!
As pessoas costumam se lembrar das histórias e dos
fatos que você conta nas entrevistas de emprego.
Então faça por onde merecer: compartilhe suas
experiências, seja simpático e, verdadeiramente,
queira aquela vaga.
Fonte: Forbes Brasil

Como responder a 5 perguntas imbecis


em entrevistas de emprego
 1 Comentário

 Compartilhar:


Ao fazer uma entrevista de emprego podemos nos deparar com diversas


situações, inclusive, perguntas ultrapassadas. Mas, nestas horas, a não ser
que você se levante e saia andando, a saída é responder, não importa o quão
ridícula ou juvenil a questão possa ser.
Pensando nisso, existem três tipos de respostas possíveis: a tradicional, sem
grandes inovações; aquela que demonstra um pouco mais de personalidade; e
a considerada ideal que pode trazer boas ofertas de emprego.
1.- Qual é a sua maior fraqueza?
Resposta tradicional: Acho que sou muito duro comigo mesmo. Sou
perfeccionista.
Resposta com mais personalidade: Eu trabalhei duro durante o ano passado
para manter um equilíbrio saudável na minha vida, o que era um problema para
mim antes. Estou aprendendo a deixar meu trabalho de lado em alguns
momentos e me concentrar em outra coisa, porque o esgotamento não é
saudável ou produtivo.
Resposta ideal: Essa é uma ótima pergunta! Eu costumava me estressar com
meus “pontos fracos” quando eu era mais jovem.
Passei muito tempo trabalhando na tentativa de corrigir os defeitos que eu
pensei que eu possuía, até que eu percebi que poderia gastar o meu tempo
tentando fazer coisas que eu não gosto e eu nunca seria realmente bom, ou eu
poderia investir meu tempo em me aprimorar nas coisas que eu faço melhor do
que a maioria das pessoas.
Em seguida diga quais são as coisas que você é bom e as coisas que você não
gosta tanto.
2.- Com todos os candidatos talentosos que vamos encontrar, por que te
contrataríamos?
Resposta tradicional: Eu realmente quero o trabalho, aprendo rápido e sou
trabalhador.
Resposta com mais personalidade: Depende do que você está procurando,
acredito que me encaixo nos seus requisitos por que sei fazer as coisas
necessárias para o cargo.
Resposta ideal: Sou eu a pessoa que você vê neste trabalho? Pode existir
alguém que se adeque as suas necessidades específicas, eu estou confiante
que esta pessoa sou eu.
3.- Onde você se vê em cinco anos?
Resposta tradicional: Trabalhando aqui, em uma posição de nível superior
talvez.
Resposta com mais personalidade: Eu imagino que continuarei neste ramo.
Cinco anos é muito tempo, mas pretendo inovar e fazer coisas diferentes
dentro deste campo.
Resposta considerada ideal: Não é possível planejar nada de maneira confiável
para um período de tempo tão longo. Às vezes as melhores oportunidades não
estão em nossos planos, mas acredito que eu estarei feliz trabalhando com
pessoas inteligentes.
4.- Quanto você quer esse trabalho?
Resposta tradicional: Eu quero muito o trabalho, ficaria acordado a noite toda
pensando sobre ele.
Resposta com mais personalidade: Diversos aspectos da empresa me
interessam. Claro, eu estou buscando emprego, por isso tenho outras
oportunidades de trabalho também.
Resposta considerada ideal: Eu estou aqui, isso já demonstra meu interesse.
Tenho algumas perguntas a fazer, este é um bom momento?
Fonte: Forbes Brasil

Como impressionar um entrevistador ao


mudar de carreira
 0 Comentários

 Compartilhar:

De acordo com uma nova pesquisa da organização sem fins lucrativos, AARP,
quatro em cada 10 trabalhadores experientes vão procurar um emprego este
ano, e desses, um quarto está considerando uma mudança de carreira
completa.
Se você é um daqueles ansiosos para mudar de carreira em 2016, o que você
pode fazer para melhorar suas chances de sucesso?
O truque é convencer o empregador que suas “antigas” habilidades e
experiências podem ser tão – ou até mais – valiosas em uma nova indústria ou
função. Segundo Kathryn Sollmann, fundadora da empresa de consultoria 9
Lives for Women, “você pode mudar de ramo quando começar a ligar os
pontos”.
Ou seja, pesquisar completamente seu campo desejado, aprender a sua
linguagem e identificar pontos em comum entre as suas experiências anteriores
e as necessidades do seu empregador alvo. Depois disso, você saberá quais
realizações e experiências deve destacar ao enviar seu currículo e durante a
entrevista. Dessa maneira, você terá uma maior possibilidade de convencer os
recrutadores que suas habilidades realmente se encaixam no perfil da vaga.
Sollmann passou por diferentes indústrias com sucesso durante sua carreira e
atribui isto ao fato de ter pesquisado exaustivamente as necessidades
específicas do cargo que desejava, ter reformulado cuidadosamente sua
experiência para provar aos empregadores que suas habilidades e
experiências eram relevantes para a empresa e fez com que elas precisassem
dela.
“Eu mostrei que a responsabilidade que eu tinha para fazer X,Y e Z poderia ser
usada para fazer A,B e C”, escreveu Sollmann em seu blog.
Pesquisa e networking são fundamentais antes de entrar em uma entrevista de
emprego para mudar de carreira; eles vão ajudar você a saber o que dizer para
convencer o entrevistador que sua experiência aparentemente inadequada
pode ser uma grande vantagem.
Ainda segundo Sollmann é importante fazer algumas perguntas a pessoas que
já trabalharam no setor que você pretende entrar, como: “Qual é o seu tipo de
especialização e de que maneira ela te ajudou?” ou “Você conhece alguém que
antes de entrar neste setor trabalhou em uma indústria diferente e pode me
passar o contato para que eu descubra como ele se adaptou?”.

Como identificar um chefe ruim em uma


entrevista de emprego
A principal razão que leva profissionais a deixarem uma
empresa é um gestor que as tira do sério — não entre para
esse grupo
 0 Comentários

 Compartilhar:

Um dos principais fatores que determina a felicidade no trabalho é o


relacionamento com os chefes. Todo mundo quer ter uma relação amigável e
de confiança com os superiores. É verdade que nem sempre quem procura
uma vaga está em posição de ser muito seletivo. Mas, se você puder escolher,
não há motivo para não levar isso em consideração ao buscar um novo
emprego. Existem sinais no processo seletivo que podem te ajudar a saber se
aquele é um mau gestor e se você está se metendo em uma furada.
"A principal razão que leva os profissionais a saírem de um emprego é a
incompatibilidade com a cultura [da empresa] ou um chefe que as tira do sério",
disse John Lees, autor do livro "How To Get a Job You Love" (Como conseguir
um emprego que você ama, sem edição no Brasil) à Harvard Business Review.
Não dá para saber exatamente como é aquele gestor sem de fato trabalhar
com ele, mas você deve reunir o máximo de informações possível.
Isso não significa prestar atenção apenas nas impressões negativas. "Deixar
de perceber um chefe fantástico é um erro caro a se pagar, talvez até mais
caro do que deixar de perceber que alguém é um chefe ruim", diz Claudio
Fernández-Aráoz, conselheiro sênior da empresa de pesquisa global Egon
Zehnder e autor de "It’s Not the How or the What but the Who" (Não é o como
ou o quê, mas o quem, sem edição no Brasil).
Primeiro passo? Saber o que você está procurando. Faça uma reflexão sobre
o que você espera e quer de um chefe. Segundo Fernández-Aráoz, é preciso
se fazer algumas perguntas. É uma pessoa honesta, oferecendo um emprego
com remuneração justa para o qual você poderia contribuir? Vale passar algum
tempo imaginando também o tipo de relacionamento que quer. Você está
procurando alguém que ficará de olho, mas deixará você tocar seu trabalho?
Ou prefere uma espécie de mentor, mais envolvido?
Um ponto importante: confie em seus instintos. Pensar em simplesmente
conseguir o emprego pode afetar seu julgamento. Pergunte a si mesmo se
aquele é o trabalho que você quer e o gestor com quem quer trabalhar. Qual foi
seu feeling sobre a pessoa? Acha que é alguém com quem você consegue se
imaginar tendo problemas? Ou com quem seria difícil conversar? Quando as
apostas são altas, é melhor confiar em si mesmo. De cara, se for o gestor que
fizer as entrevistas, não o RH, repare em como ele trata os candidatos — a
começar pela quantidade de informações e esclarecimentos que dá sobre a
vaga.
Faça as perguntas que você precisa fazer a respeito da função (mas sempre
com respeito e pensando em como dizer as palavras). "As pessoas dizem que
uma entrevista é um processo de duas vias", diz Lees. "Na prática, isso não
funciona muito bem." O entrevistador pode interpretar mal várias perguntas
sobre a gestão dele. "O que você não deve fazer são perguntas diretas, como
'conte-me sobre o seu estilo de liderança?'", diz Fernández-Aráoz. Segundo
ele, é improvável que obtenha uma resposta honesta e não passa uma boa
impressão.
É essencial que você faça sua lição de casa. Não vá para um novo trabalho de
olhos fechados. Você pode descobrir que a cultura empresarial é
completamente diferente do que pensava. Baixa retenção e altas taxas de
rotatividade são um indicador claro de problemas, diz Lees. Pesquise também
o gestor. "Perfis podem dizer muito sobre os interesses e relacionamentos de
uma pessoa",afirma Fernández-Aráoz. Se conseguir bater um papo com gente
que já trabalha ou trabahlou por lá, melhor ainda.
Mantenha esses cinco pontos em mente:
- Preste atenção em como o gestor trata os candidatos durante a entrevista
- Não ignore seus instintos, as primeiras impressões que você tem sobre ele
- Evite perguntas diretas sobre o estilo de liderança
- Pesquise sobre o gestor e a cultura da empresa
- Se possível, converse com funcionários ou ex-funcionários
Fonte: Época Negócios

O que deve saber sobre as entrevistas?


Esqueça o nervoso das entrevistas e consulte as nossas dicas:
como agir, como vestir-se, as perguntas inevitáveis, etc.
 1 Comentário

 Compartilhar:

Esqueça o nervoso das entrevistas e consulte as nossas dicas: como agir,


como vestir-se, as perguntas inevitáveis, etc. É nas entrevistas que tudo se
decide. O seu CV pode ser fantástico e o seu perfil o procurado pela empresa,
mas se a entrevista corre mal dificilmente ficará com o emprego. Saiba como
deve agir numa entrevista e como estar preparado para as perguntas mais
complicadas.
Pontualidade
Chegue sempre a horas para a entrevista. Se fizer esperar o seu potencial
empregador logo no primeiro contacto, ele pode concluir que não é muito
importante para si ou que é uma pessoa desleixada.
Uma boa desculpa para o atraso
Se chegar atrasado, deve ter uma desculpa muito boa para justificar o seu
atraso.
Um engarrafamento ou uma morada difícil de encontrar são desculpas
esfarrapadas. Quando se vai a uma entrevista de candidatura é suposto contar
com circunstâncias imprevistas e estar preparado, e com tempo, para elas.
Se mesmo assim chegar atrasado, peça desculpa mas não exagere. Há
candidatos que chegam 5 minutos atrasados e que ficam 15 minutos a pedir
desculpa.
Chegar cedo não é boa ideia
Chegar muito cedo também não é a melhor opção porque está a ser um peso
para a recepcionista e vai parecer demasiado ansioso. Se fez mal as contas, vá
dar mais uma volta ou tomar um café e nunca beba álcool. Um copo de vinho
ou de cerveja pode ter um efeito relaxante, mas também efeitos nefastos no
hálito a na imagem com que o entrevistador vai ficar de si.
Frio e calor
Se estiver muito frio e chegar cedo, aproveite para aquecer tranquilamente as
mãos. Assim não vai ter que cumprimentar o entrevistador com uma mão
gelada.
Também no meio de uma onda de calor convém chegar cedo. Pode usar o
tempo extra para ir à casa de banho lavar as mãos e refrescar-se. Assim evita
um primeiro contacto com uma mão suada e pegajosa.
O grande momento do dia
Faça da entrevista o momento principal do dia. Ou seja, disponibilize tempo e
não marque outros encontros perto da sua entrevista que o façam estar a olhar
constantemente para o relógio. Não ficaria bem e o seu nervosismo iria
transparecer.
Fonte: Expresso Emprego

Você também pode gostar