Você está na página 1de 5

filosofia

A arte de escrever
Segundo Schopenhauer
"SCHOPENHAUER, PSICÓLOGO DA VONTADE, É O PAI DE TODA PSICOLOGIA MODERNA; DELE SE VAI,
PELO RADICALISMO PSICOLÓGICO DE NIETZCHE, EM LINHA RETA ATÉ FREUD."
THOMAS MANN.

Os três estilos segundo Schopenhauer: trumento ou máquina, de modo a conquistar um inacre-


1. Um em sentenças curtas, ambíguas e paradoxais, ditável virtuosismo nessa atividade. Também é possível
que parecem significar muito mais do que dizem; comparar o especialista com um homem que mora em
2. Outro que recorre a uma torrente de palavras, com sua casa própria, mas nunca sai dela. Na casa, ele co-
a mais insuportável prolixidade; nhece tudo com exatidão, cada degrau, cada canto e
3. E, por fim, o estilo científico e profundo, no qual cada viga, como, por exemplo, o quasímodo de Victor
o leitor é martirizado pelo efeito narcótico de períodos Hugo conhece a catedral de Notre-Dame, mas fora des-
longos e enviesados. se lugar tudo lhe é estranho e desconhecido.
O sinal característico dos espíritos de primeiro ní-
...deve-se evitar toda prolixidade e todo entrela- vel é a espontaneidade de seus juízos.
çamento de observações que não valem o esforço da Como diz Sêneca: qualquer um prefere crer do
leitura. É preciso ser econômico com o tempo, a dedi- que julgar por si mesmo.
cação e a paciência do leitor, de modo a receber dele Pode-se dizer que há três tipos de autores:
o crédito de considerar o que foi escrito digno de uma 1. Os que escrevem sem pensar. Escrevem a partir
leitura atenta e capaz de recompensar o esforço empre- da memória, de reminiscências, ou diretamente a partir
gado nela. de livros alheios. Essa classe é a mais numerosa.
...quanto às traduções dos escritores da antiguida- 2. Os que pensam enquanto escrevem. Eles pensam
de, elas são um sucedâneo de suas obras assim como justamente para escrever. São bastante numerosos.
o café de chicória é um sucedâneo do verdadeiro café. 3. E há os que pensaram antes de se pôr a escrever.
Assim como as atividades de ler e aprender, quan- Escrevem apenas porque pensaram. São raros.
do em excesso, são prejudiciais ao pensamento próprio, Em geral vale a regra: O novo raramente é bom,
as de escrever e ensinar em demasia também desacos- porque o que é bom só é novo pouco tempo.
tumam os homens da clareza e profundidade do saber Citando Friedrich W. Riemer, filósofo alemão que foi
e da compreensão, uma vez que não lhes sobra tempo secretário de Goethe e preceptor de seu filho: “Um adver-
para obtê-los. sário que mostra sua cara abertamente é uma pessoa hon-
A peruca é o símbolo mais apropriado para o eru- rada, moderada, com a qual é possível se entender, chegar
dito puro. Trata-se de homens que adornam a cabeça a um acordo, a uma reconciliação; em compensação, um
com uma rica massa de cabelo alheio porque carecem adversário escondido é um patife covarde e infame, que
de cabelos próprios. não tem a coragem de assumir seus julgamentos. Portan-
Um erudito é análogo ao operário que, ao longo to, alguém que não defende sua opinião, mas se interessa
de sua vida, não faz nada além de mover determinada apenas pelo prazer secreto que sente em descarregar sua
alavanca, ou gancho, ou manivela, em determinado ins- ira sem ser reconhecido nem sofrer retaliações.
filosofia + resenha

Como diz Voltaire: o adjetivo é o inimigo do subs- o que é ruim, pois a vida é curta, o tempo e a energia
tantivo. são limitados. Então: “Leiam com afinco os antigos, os
Ou como diz Goethe: Viver segundo seus capri- verdadeiros e autênticos antigos. O que os modernos
chos é vulgar; o nobre se esforça pela ordem e pela lei. dizem sobre eles não significa muito”. A leitura dos clás-
A ignorância degrada os homens somente quando sicos antigos é o maior conforto do espírito.
se encontra associada à riqueza. Seria bom comprar livros se fosse possível com-
Quando lemos, somos dispensados em grande prar, junto com eles, o tempo para lê-los, mas é comum
parte do trabalho de pensar. Só pensando nos apropria- confundir a compra dos livros com a assimilação do seu
mos do que foi lido, assim como as refeições não nos conteúdo.
alimentam quando comemos, e sim quando digerimos. A repetição é a mãe do estudo.
Ligue-se na arte de não ler. Livros ruins são vene- Excertos de A Arte de Escre-
no intelectual, capaz de fazer definhar o espírito. Não leia ver, Schopenhauer, Editora LPM.

Transmimento de pensação
Acostumado a escrever no IÁTRICO sempre de escritora infantil Gisela, Miguel refere sua veia operática
mim mesmo, neurologia e filosofia light, rock, viagens e à avó materna, que também lhe tocava Chopin no piano
mulheres, confesso que inicialmente fiquei pasmo com até desenvolver o que deve ter sido doença de Alzheimer,
esta tarefa. Comentar a obra de um quase colega, mais embora ele, ou os médicos dela, tenham interpretado
bem-sucedido... Achei que teria que encarnar uma des- como demência vascular. Então o excesso de energia não
sas mulheres que vai estudar aos 40+ anos. A coisa deve ser de bipolar tipo I, e sim de um filho único de mãe
piorou quando comecei o livro. Em inglês o título é qua- e avó! Realmente, exceto pela dedicatória do livro, o pai
se idêntico ao nome de um programa clássico da CNN, é apagado da história e das biografias de Miguel de uma
Beyond Borders, cuja missão de ir além das pessoas, das maneira que surpreende (já era domingo, dia dos pais).
situações, das fachadas, nos lugares mais remotos, lem- Enfim, como dizem as mulheres de 40+ anos, passei
bra muito a ideia central do livro. da introdução um pouco delirante, e comecei a ser se-
Não há como comentar só o livro. Miguel começa duzido. Miguel também acha que tudo vem do cérebro.
com sua formação na Universidade de São Paulo, um dos Suas “assembleias” de neurônios, que ele compara com
maiores males do Brasil, pelo menos para nós, parana- orquestras sinfônicas, fazem e podem tudo. Ele descreve
enses. Nem filho que passa por lá nos respeita depois. sua surpresa ao descobrir a insuspeitada potencialidade
Em seguida mescla neurociência na USP da era militar de processamento das assembleias, e o número quase
com o suspeitíssimo marido de Cosima Wagner, oscilan- infinitamente maior de combinações de processamento
do entre a benigna Parsifal e a cerebral Tannhauser. Fica do que imaginamos, se conceituamos que a unidade neu-
nas entrelinhas a relação entre o eu de Nicolelis do título rológica é uma assembleia, e não um neurônio isolado,
em português e o delírio do Überman de Nietzche. No ou mesmo um sistema simples como os arcos reflexos.
sábado em que comecei esta tarefa, comprei uma IstoÉ e Logo virei fã do Miguel. Neurologistas têm um maxi-
uma Alfa com reportagens sobre como Miguel parece ser problema com os não especialistas que atendem nossa
um homem um pouco – dizem assim – cheio de energia. área de trabalho; todo mundo entende do cérebro, inclu-
Nascido em 1961, filho do juiz de Direito Angelo e da sive os próprios portadores de seus distúrbios. Aliás, es-
resenha

tes últimos, têm certeza que entendem tudo; são gradua- Lilly, graduado na UCLA e Dartmouth, médico psicanalista
dos em bulas, revistas, internet e nos filmes do House. As proficiente na linguagem dos golfinhos, trabalhando em
pessoas escolhem com cuidado quem faz suas unhas, ca- Bethesda no laboratório de Integração Cortical nos anos
belos e dentes, mas o cérebro não merece um especialis- 50 e 60, ajudado pelo LSD, colega de viagens de Tim Le-
ta. Agora vem o Miguel e demonstra que pode transmitir ary e Allen Ginsberg, inventa os “multielectrode arrays”.
pensamento entre uma macaca no nordeste americano e Esta complexa grade de múltiplos eletrodos extracelulares
um robô em Kyoto! Parece que estamos no mesmo time, intracorticais grava os disparos de cada neurônio simul-
o neurocientista e o neurologista. taneamente em animais acordados, andando livremente
A seguir (no livro) vem uma bem contada história da pelo laboratório. E aí cai Miguel de paraquedas. Durante
neurociência, desde os primórdios no século XIX, e len- seu doutorado, 20+ anos depois de Lilly, acabou intuindo
tamente através do XX. Sem mencionar Willis, Charcot, uma ideia semelhante àquela do psicanalista lisérgico que
Jackson, Freud, Jung ou Alzheimer, Miguel vai direto falava com golfinhos. Seu supervisor, Cesar Timo-Iaria, o
aos laboratórios de neurofisiologia animal, à eletroence- mesmo que tocava Wagner de madrugada em auditórios
falografia e eletrocorticografia, sempre percebendo tudo vazios da USP, ajudou-o a ir ao encontro do grupo america-
como a música do cérebro. As “emanações cerebrais” de no, e Miguel embarcou em sua viagem anglo-saxã.
João Manuel Cardoso Martins No próximo capítulo, com histogramas de gravações
"NEUROLOGISTAS TÊM UM MAXI-
são o resultado do funciona- de multieletrododos intracorticais e desenhos experi-
PROBLEMA COM OS NÃO ESPE-
mento de orquestras, as “as- mentais, explica como juntou suas próprias ideias às de
CIALISTAS QUE ATENDEM NOSSA
sembleias”, grupos maiores, Lilly, mais as do seu supervisor de pós-doutorado, Cha-
ÁREA DE TRABALHO; TODO
mais difusos e distribuídos pin, trabalhando durante três anos com verba do NIH em
MUNDO ENTENDE DO CÉREBRO,
que os sistemas neuronais de neurofisiologia de vibrissas de rato. Isto mesmo, pelos
INCLUSIVE OS PRÓPRIOS PORTA-
Sherrington. São estas a uni- de focinho de rato. Acontece que os ratos têm nos pelos
DORES DE SEUS DISTÚRBIOS. "
dade de funcionamento cere- do focinho os mecanorreceptores que as mulheres (hu-
bral, cognitivo, de inteligência, e não grupos localizados manas, claro!) têm na ponta dos dedos. Assim como as
de neurônios, menos ainda neurônios isolados. mulheres exploram com a ponta dos dedos, ratinhos o
Uma analogia que traduz o pensamento de Miguel é que fazem com as vibrissas. Centenas de eletrodos no siste-
se neurônios forem instrumentos musicais e o eletroencefa- ma sensorial, gravados simultaneamente durante estimu-
lograma a música, pense que os violinos produzem o ritmo lação predeterminada destas vibrissas, levaram Miguel
alfa, as vozes o beta, os violoncelos o teta, os sopros o delta, e Chapin a entender que haviam descoberto provas ir-
e assim por diante. “Assembleias”, seja no sentido político refutáveis de que os localizacionistas estavam errados, e
ou no sentido de linhas de montagem como de automóveis os distribucionistas certos. Gravando o barulho elétrico
(assembly-lines), explica melhor seu conceito de como fun- da sinfonia dos neurônios eles tiveram a ideia de que a
ciona o sistema nervoso central. Cada vez mais assemelha transmissão para outro cérebro ou para um robô seria a
ao de Sherrington, e critica asperamente os localizacionistas demonstração irrefutável de sua existência.
anatômicos, como Broca, e fisiológicos, como Adrian. As Amplamente distribuídos pelo córtex, inclusive em re-
contribuições de Don Santiago Ramón y Cajal e de Lorente giões inesperadas, segundo as regiões ortodoxas, estas
de Nó são bem colocadas. Fica uma impressão de que cató- assembleias disparam de maneira que Miguel e seus cola-
licos vão bem com Miguel Angelo Laporta Nicolelis, apesar boradores rapidamente descobriram e descreveram. Como
de se professar ateu e membro do PT. esses neurônios disparam de uma maneira que é distribuída
O salto conceitual ocorre quando John Cunningham no espaço e no tempo, então alguns disparam antes, outros
resenha

no meio e outros depois do que seria esperado pelo tem- se passou, é necessário um pouco de conhecimento de cál-
po de viagem do estímulo, assim como uns disparam no culo integral, primeira e segunda derivações. Afinal, o grupo
córtex especializado e outros em localizações inesperadas. final de Miguel era todo de pós-doutores. Neste tipo de pro-
Aparecem neurônios ocipitais disparando para estímulos tá- fissional, o pensamento em integrais e derivações é intuitivo.
teis quando ratos usam os pelos de seu focinho para achar Já saindo das asas de Chapin e ganhando seu próprio
caminho no escuro, o que deveria ser uma tarefa visual. laboratório na Duke (uma Ferrari, ele compara), Miguel
Porém, embora até então sua pesquisa tenha sido em parece tocar adiante suas ideias sem nenhum esforço.
sistemas sensoriais, Miguel, agora acompanhado de Cha- Quem já passou perto deste ambiente sabe um pedaço
pin em seu novo laboratório de Duke, faz um salto para das dificuldades que ele deve ter encontrado nos 10 anos
sistemas neuronais motores; menciona rapidamente que demorou nos experimentos sensoriais. As rasteiras,
quem havia descrito os programas pré-motores na déca- facadas pelas costas e puxadas de tapete talvez tenham
da anterior, e, já com apoio da cúpula científica americana, sido temperadas por seu diploma de médico da USP, já
aplica seus arranjos de múltiplos eletrodos extracelulares que MDs de boa procedência raramente se dedicam total-
intracorticais a macacos rhesus escolhidos por suas habi- mente à pesquisa animal. O mundo neurocientífico com
lidades e inteligência visuomotora, mais especificamente certeza pensou duas vezes antes de resolver como enca-
duas macacas especialistas em videogames. rar este médico obviamente superdotado e hiperfocado.
A escolha do experimento motor é rotineira em neu- É impossível que ele fosse um
"CLARAMENTE ESTE NÃO É UM
rofisiologia: nada melhor para provar algo que um mo- briguento, difícil como está
LIVRO DE LAZER, OU MESMO
vimento. A natureza multicêntrica, multinacional e mul- sendo pintado no Brasil. É o
DE LEITURA PARA OS NÃO INI-
tidisciplinar do experimento é típica de equipes de alto Brasil que está errado cienti-
CIADOS EM CIÊNCIA, OU PARA
rendimento. Um russo, um sueco, as duas macacas, o ficamente. O erro talvez seja
QUEM NÃO ESTIVER ALTAMENTE
brasileiro novo chefe, o americano ex-chefe, e rapida- tentar estabelecer aqui uma
MOTIVADO PARA ENTENDER."
mente a equipe consegue: detectam atividade neuronal realidade científica interna-
amplamente distribuída no córtex tempo suficiente antes cional. No caminho de um Nobel de Fisiologia e Medicina
do movimento para dar tempo de ser transmitida dos ele- uma boa ação com o Brasil não se qualifica nem como
trodos ao braço robótico antes de chegarem ao sistema Nobel da Paz. E sua associação com o Vaticano compro-
motor periférico da própria macaca. Finalmente, a maca- mete. Os suecos evitam católicos, tradicionalmente.
ca é induzida a jogar videogame e ganhar sua recompen- Parece que é na metade do livro que Miguel decola
sa de suco só pensando no movimento correto e vendo um pouco da superfície do planeta Terra. Começa a cha-
o braço robótico se mexer, jogando videogame por ela. mar os programas neuronais pré-motores de “pensamen-
Claramente este não é um livro de lazer, ou mesmo de to”. Conclui que o som dos neurônios disparando é a sin-
leitura para os não iniciados em ciência, ou para quem não fonia do pensamento com a qual ele e Timo-Iaria sempre
estiver altamente motivado para entender. A contribuição sonharam. Começa a achar que suas pesquisas mudarão
principal do sueco, por exemplo, foi oferecer uma solução rapidamente a realidade de inúmeros, centenas, milhares
de matemática estatística, chamada regressão multilinear de pessoas com incapacidades neurológicas graves. E as-
logística, para traduzir a sinfonia dos neurônios de maneira sim vêm séries de experimentos em primatas, utilizando
que o chip do robô entendesse. Foi uma sacada genial, que sistemas neurofisiológicos acoplados à informática sofis-
permitiu uma série importantíssima de saltos conceituais na ticada, com resultados em graficos bi e tridimensionais.
transmissão do programa pré-motor do córtex da macaca É um pouco assustador o que fazem com os animais, e
para o braço robótico. Porém, para realmente entender o que um pouco mais ainda Miguel achar que pessoas vão en-
resenha

tender a enovelada articulação de hipóteses segundo o de reação, que em primatas é 200 milésimos de segundo.
método científico de pesquisa, comprovadas de maneiras Miguel consegue perceber sinais relativamente bem de-
um pouco particulares. Miguel inclui física quântica em finidos de um movimento 1 segundo antes dele ocorrer.
seu raciocínio neurocientífico. Enumera princípios de sua Neste segundo, ele tem 200ms para transmitir este sinal.
maneira distribucionista de enxergar o cérebro, que não É claro que quanto antes ele detecta, menos bem formada
são simples ou claros como princípios deveriam ser. é a informação sobre o movimento. Quanto mais próxima
Porém, a crítica ao livro de Miguel Nicolelis é o que falta. do movimento, mais completo está o pacote.
Em primeiro lugar falta a visão clínica. Ele comete erros ao Será isto importante para a reabilitação e construção de
abordar demências, esclerose lateral amiotrófica e doença próteses? Com certeza os vários componentes do trabalho
de Parkinson, que podem custar milhões em pesquisa mal associado com estas pesquisas já são muito importantes
direcionada. Falta bioquímica de sistemas de receptores na construção de próteses e robôs. Os vários transdutores
para correlacionar as assembleias de neurônios com siste- que fazem as regressões múltiplas lineares e entendem o
mas GABA, dopamina, serotonina, canabinoides, endorfi- que as assembleias de neurônios pretendem fazer, assim
nas. Falta neuroimagem funcional; psiquiatria e neurologia como os mecanismos de transmissão, já estavam em uso,
comportamental, “theory of mind” e “default mode network” por isso mesmo permitiram seu experimento.
e “mirror neurons”. A impressão é que Miguel foi aos limi- Outros detalhes editoriais do livro em inglês sugerem
tes da neurofisiologia animal com os arranjos de múltiplos que esta seja uma publicação de divulgação, usando os
eletrodos, acoplados ao aparato de eletrônica e informáti- recursos disponíveis que precisam ser gastos. Também
ca, com um apoio multidisciplinar e multinacional raro. Daí indicam que Miguel fez o livro como ele queria, e não se-
saltou para um campo quase religioso, deixando de lado a guiu as regras da língua ou da editoração nos EUA. Como
Neurologia, a Psiquiatria e a Neuroimagem Funcional. neurologista brasileiro, espero que continue sendo bem-
Em resumo, Miguel Nicolelis conseguiu gravar descar- sucedido, e que sua família e amigos o ajudem a manter
gas neuronais que precedem movimentos, e que podem o foco em ações que se traduzam em benefício para os
ser transmitidas a outros cérebros ou a robôs e próteses, outros. Desejo sucesso em logo ultrapassar a fase dos
em menos tempo do que demora para o próprio cérebro conflitos e recuperação dos traumas, que anglo-saxões
efetuar o movimento. Pensem no filho do pediatra do inte- costumam chamar de dores de crescimento, e que seus
rior, Cesar Cielo, que ouve o sinal e começa a se mexer para projetos deslanchem em alguma direção.
uma prova de 50m livre. Chama-se reaction time, tempo Dr. Paulo Rogério Mudrovitsch de Bittencourt (PR).
Miguel Nicolelis. "Muito além do nosso eu. A nova ciência que une cérebro e máquinas e como ela pode mudar nossas vidas". Companhia das Letras, 2011.
Miguel Nicolelis. Beyond boundaries: The new neuroscience of connecting brains with machines – and how it will change our lives. Times Books, Henry Holt and Company, New York, 2011.

PALAVRAS DE MESTRES
“Cito outros somente para
me expressar melhor.”
Montaigne

“Quando o poder se torna gra-


cioso, então a beleza acontece.”
Nietzche