Você está na página 1de 10

UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FSS


CURSO DE MESTRADO e DOUTORADO
DISCIPLINA: TEORIA POLÍTICA CONTEMPORÂNEA
PERÍODO: 1º SEMESTRE DE 2018
PROFESSORA: Dra Silene de Moraes Freire

PLANO DE CURSO

Teoria Política Contemporânea – (3 créditos/45 horas), Mestrado / Doutorado

I Ementa: Abordagens centrais dos clássicos sobre a formação do Estado Moderno,


Estado, sociedade civil e controle democrático; cidadania e direitos; classes sociais e
organização política.

II Objetivo: A disciplina tem por objetivo discutir as principais questões da teoria política,
destacando o debate contemporâneo sobre Estado, sociedade civil, cidadania e sujeitos
políticos. A disciplina trata dos temas presentes na agenda que se coloca ao Estado e à
sociedade civil diante da mundialização e da crise do Estado-nação. Busca fornecer
subsídios importantes para a compreensão das Políticas Públicas, dos Movimentos Sociais e
Processos Políticos no século XXI.
Temos como pressuposto que as ideias sobrevivem ao seu tempo e que são recebidas
por nós como parte de nossa atualidade. Isso não significa que os clássicos se coloquem
fora da história. Pelo contrário, são, com frequência, os que pensaram de modo mais
profundo, os temas de sua própria época. E foi precisamente porque pensaram de modo
radical o seu tempo que sobreviveram a ele e chegaram até nós. “Os clássicos não são
atemporais. Eles são parte da nossa atualidade porque são parte de nossas raízes. São, por
assim dizer, a declaração da nossa historicidade”. Desse modo, nossa ida aos clássicos
constitui momento necessário da base na qual se enfocará as mais importantes
interpretações dos grandes problemas teóricos da política moderna..
A disciplina não deverá ser algo como uma história das ideias políticas, em sentido
estrito, embora esta seja sua maior âncora. Antes, ela deve buscar fornecer elementos para
pensar os temas e categorias teóricas capazes de subsidiar estudos e pesquisas na área de
concentração do PPGSS. Ou seja, a específica relação do trabalho e da política social com o
capitalismo, o desenvolvimento histórico dessa especificidade, a centralidade do trabalho
nesse modo de produção. Afastando-se, portanto, das modalidades de exame mais
formalistas que orientam, hoje, a maior parte dos estudos nas ciências sociais. Esta é a
orientação geral. Sendo assim, e em consequência, a estruturação do curso é a que se
propõe, com a respectiva bibliografia; esta ainda poderá ser alterada, com a inclusão e/ou
substituição de textos.
Cabe mencionar que a utilização da expressão Contemporânea refere-se a um período
determinado para o estudo da história, que tem início no ano de 1789, época da Revolução
Francesa, até os dias atuais.
Abril de 2017
Profa. Silene de Moraes Freire

III CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

I Raízes do Pensamento Político na Grécia Clássica. A Questão das Formas de Governo ( 1


aula 25/4)

BOBBIO, Norberto. A Teoria das Formas de Governo, Brasília, UnB, 1980, caps. I ,II,III e
IV.

CHEVALIER, Jean-Jacques, História do pensamento político, Rio de Janeiro, Guanabara,


1990, tomo1, pp. 21-134 (juntamente com o tomo 2, essa obra cobre também os itens 1.2,
1.3, 2.1 e 2.2)

II Maquiavel e o Estado Moderno. A Autonomia do Político.

MAQUIAVEL, Nicolau. O Príncipe ( várias edições brasileiras)


CHÂTELET, François ( et al). História das Idéias Políticas, Rio de Janeiro,
Jorge Zahar Editor, 1985.
CHEVALIER, Jean-Jaques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos
dias, RJ, Agir, 1980.
GRUPPI, Luciano. Tudo Começou com Maquiavel. As Concepções de Estado
em marx, Engels, Lênin e Gramsci. Porto Alegre , L&PM, 1985
LARIVALLE, Paul. A Itália no Tempo de Maquiavel., São Paulo, Companhia
das Letras, 1988.
WEFFORT, Francisco C. (org.) Os Clássicos da Política I . São Paulo,
Editora Ática (13º), 2003

III O Contratualismo: Hobbes, Locke e Rosseau ( a igualdade e o Direito )

HOBBES, Thomas.. Leviatã, SP, Abril Cultura, Col. Os Pensadores, p.37-137


LOCKE, John. Segundo Tratado sobre o governo, SP , Abril Cultural, Col. Os
Pensadores, pp 58-139
ROUSSEAU, Jean-Jacques. Discurso sobre a desigualdade e Do Contrato
Social, São Paulo, Abril, Col. Os Pensadores.
CHÂTELET, François ( et al). História das Idéias Políticas , Rio de janeiro,
Jorge Zahar Editor, 1985.
CHEVALIER, Jean-Jaques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos
dias, RJ, Agir, 1980.
COUTINHO, Carlos Nelson . Notas sobre Cidadania e Modernidade. In:
Praia Vermelha. Estudos de Política e Teoria Social. Vo1.nº1, RJ,
UFRJ/PPG da ESS.1997.
_______________. Crítica em Rosseau. Revista Lua Nova, 1996
GRUPPI, Luciano. Tudo Começou com Maquiavel. As Concepções de Estado
em Marx, Engels, Lênin e Gramsci. Porto Alegre , L&PM, 1985

MACPHERSON, C.B., A teoria política do individualismo possessivo. De Hobbes a


Locke, Rio deJaneiro, Paz e Terra, 1979, caps. II e V

WEFFORT, Francisco C. (org.) Os Clássicos da Política I . São Paulo,


Editora Ática (13º), 2003

IV A Moderação Política: Montesquieu e o Federalismo. O Conservadorismo


Moderno de Burke.
OBS: Burke deu origem ao Conservadorismo moderno, que não é um conservadorismo do medo, do
pessimismo, do pecado original, mas uma filosofia política que tem uma visão positiva da função do estado e
dos objetivos últimos da sociedade humana; afirmando que se baseava de uma maneira que fará escola nos
constitucionalistas românticos, e de acordo com o Espírito das Leis de Montesquieu, na descrição fiel dos
princípios tradicionais da vida política britânica.

ALBUQUERQUE, José Guilhon de. Montesquieu: Sociedade e Poder. IN;.


WEFFORT, Francisco C. (org.) Os Clássicos da Política I . São Paulo,
Editora Ática (13º), 2003 pp.111-185
LIMONGI, Fernando Papaterra. O Federalista. IN;. WEFFORT, Francisco C.
(org.) Os Clássicos da Política I . São Paulo, Editora Ática (13º), 2003
pp.243 a 286

FREIRE, Silene de Moraes ( et al ). Montesquieu: a centralidade da


moderação política. IN: FERREIRA, Lier, GUANABARA, Ricardo e
JORGE, Vladimyr Lombardi. Curso de Teoria Política. Grandes autores
do pensamento político moderno e contemporâneo. Rio de
Janeiro,Editora Elsevier,2009.
CHEVALIER, Jean-Jaques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos
dias, RJ, Agir, 1980.
GRUPPI, Luciano. Tudo Começou com Maquiavel. As Concepções de Estado
em Marx, Engels, Lênin e Gramsci. Porto Alegre , L&PM, 1985

MONTESQUIEU, P. Do Espírito das Leis, SP, Abril Cultural. Col.” Os


Pensadores”, Primeira parte, Livro I,II,III,IV,V,VIII

MOREIRA, Andreia. As Bases do Pensamento Conservador Moderno em


Edmund Burke. Revista Plural, 2008

V Hegel: a relação entre Estado e Sociedade Civil

BOBBIO, Noberto e BOVERO, Miguelangelo.. Estado e Sociedade na


filosofia política moderna, SP, Brasiliense, 1986. (Capítulo: “O modelo
hegelo-marxiano”)
COUTINHO, Carlos Nelson. Hegel e a Dimensão Objetiva da Vontade Geral.
In: De Rousseau a Gramsci: ensaios de teoria política. São Paulo,
Boitempo, 2011.
GRUPPI, Luciano. Tudo Começou com Maquiavel. As Concepções de Estado
em Marx, Engels, Lênin e Gramsci. Porto Alegre , L&PM, 1985
MARX, Karl. Crítica da Filosofia do Direito de Hegel. São Paulo: Boitempo,
2008
LEFEVRE, Jean Pierre e MACHEREY, Pierre. Hegel e a Sociedade. São
Paulo: Discurso editorial, 1999. (Cap. III – A Sociedade Civil e IV – O
Estado)
WEFFORT, Francisco (org).Os Clássicos da Política II ,São Paulo, Editora
Ática, 1991 (Capítulo IV)

VI A Teoria Política do Marxismo. Marx e Engels.

CARNOY, Martin – Estado e teoria política – Ed. Papirus – São Paulo , Ed.
Papirus,1986
COUTINHO, Carlos Nelson – A dualidade de poderes, São Paulo, Ed.
Brasiliense,1985.
CHÂTELET, François ( et al). História das Idéias Políticas , Rio de janeiro,
Jorge Zahar Editor, 1985.
CHEVALIER, Jean-Jaques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos
dias, RJ, Agir, 1980.
FERNANDES, Florestan (org.) Marx, Engels – História. Coleção Grandes
Cientistas Sociais (36) – Ed. Ática – São Paulo, 1987
FREIRE, Silene de Moraes. “As armadilhas da Recente Notoriedade da
Sociedade Civil no Brasil. In: FREIRE,L.M.de B. FREIRE,S.de M. e
CASTRO, A.T.B. Serviço Social Política Social e Trabalho. Desafios e
Perspectivas para o século XXI. São Paulo Cortez, 2006, (p.75-98)
GRAMSCI, Antonio – Maquiavel, a Política e o Estado Moderno –
Civilização Brasileira – Rio de Janeiro ( várias edições)
GRAMSCI, Antonio. Quaderni del Carcere. Edição crítica do Instituto
Gramsci, org. Valentino Gerratana, 1977, ed. Einaudi, Torino.
GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Volumes: 1, 3 e 4 Edição e
Tradução de Carlos Nelson Coutinho; co-edição, Luiz Sérgio Henriques e
Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.
GRUPPI, Luciano. Tudo Começou com Maquiavel. As Concepções de Estado
em Marx, Engels, Lênin e Gramsci. Porto Alegre , L&PM, 1985
LENIN, V. O Estado e a Revolução ( várias edições brasileiras)
MARX, Karl. “A Questão Judaica”. In: Manuscritos Econômicos e
Filosóficos. Lisboa: Edições 70, 1993.
MARX, Karl. O 18 Brumário de Luís Bonaparte. IN : Obras Escolhidas .v.I,
SP, Alfa ômega,1986,p201 Tb Disponível em:
http://ateus.net/ebooks/geral/marx_o_18_brumario_de_luis_bonaparte.pdf.
MÉSZAROS, István. A Montanha que devemos Conquistar.SP, Boitempo, 2015.
POULANTZAS, Nicos. O Estado , o poder , o socialismo, RJ, Grall,1981.
POULANTZAS, Nicos. (org.) A crise do Estado, RJ, Graal, 1977.
SEMERARO, Giovanni. Gramsci e a Sociedade Civil. Cultura e Educação
para a Democracia, Petrópolis, RJ, Vozes, 1999.

VII A Segunda Internacional. Lenin . Gramsci e os Neogramscianos.

ALTHUSSER, L. P. Aparelhos Ideológicos de Estado. 7. ed. Rio de Janeiro:


Graal, 1998.
CARNOY, Martin – Estado e teoria política – Ed. Papirus – São Paulo , Ed.
Papirus,1986
COUTINHO, Carlos Nelson – A dualidade de poderes, São Paulo, Ed.
Brasiliense,1985.
CHÂTELET, François ( et al). História das Idéias Políticas , Rio de janeiro,
Jorge Zahar Editor, 1985.
CHEVALIER, Jean-Jaques. As grandes obras políticas de Maquiavel a nossos
dias, RJ, Agir, 1980.
FERNANDES, Florestan (org.) Marx, Engels – História. Coleção Grandes
Cientistas Sociais (36) – Ed. Ática – São Paulo, 1987
FREIRE, Silene de Moraes. “As armadilhas da Recente Notoriedade da
Sociedade Civil no Brasil. In: FREIRE,L.M.de B. FREIRE,S.de M. e
CASTRO, A.T.B. Serviço Social Política Social e Trabalho. Desafios e
Perspectivas para o século XXI. São Paulo Cortez, 2006, (p.75-98)
GRAMSCI, Antonio – Maquiavel, a Política e o Estado Moderno –
Civilização Brasileira – Rio de Janeiro ( várias edições)
GRAMSCI, Antonio. Quaderni del Carcere. Edição crítica do Instituto
Gramsci, org. Valentino Gerratana, 1977, ed. Einaudi, Torino.
GRAMSCI, Antonio. Cadernos do cárcere. Volumes: 1, 3 e 4 Edição e
Tradução de Carlos Nelson Coutinho; co-edição, Luiz Sérgio Henriques e
Marco Aurélio Nogueira. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira.
GRUPPI, Luciano. Tudo Começou com Maquiavel. As Concepções de Estado
em Marx, Engels, Lênin e Gramsci. Porto Alegre , L&PM, 1985
LENIN, V. O Estado e a Revolução ( várias edições brasileiras)
MOTTA, Luiz Eduardo. A Favor de Althusser.Revolução e Ruptura, RJ, Ed.
Gramma, 2013
POULANTZAS, Nicos. O Estado , o poder , o socialismo, RJ, Grall,1981.
POULANTZAS, Nicos. (org.) A crise do Estado, RJ, Graal, 1977.
SEMERARO, Giovanni. Gramsci e a Sociedade Civil. Cultura e Educação
para a Democracia, Petrópolis, RJ, Vozes, 1999.

VIII Liberalismo e Neoliberalismo: de Stuart Mill aos Pluralistas.

CHEVALIER, Jean-Jaques. As grandes obras políticas nossos dias, RJ, Agir,


1980.Cap.3de Maquiavel a
BOBBIO, Noberto. Liberalismo Velho e Novo e O Contratualismo e o
Neocontratualismo. In: O Futuro da Democracia: uma defesa das regras
do jogo, Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1986.p.107-128 e 129-150
MILL, John Stuart. O utilitarismo. Trad. Alexandre Braga Massella. São
Paulo: Iluminuras, 2000.
LOSURDO, Domenico. Contra-História do Liberalismo. SP, Idéias e letras,
2006

IX Esquerda e Direita. O pensamento político da direita no século XX:


Autoritarismo, Corporativismo, fascismo
BOBBIO, Norberto. Direita e Esquerda. Razões e significados de uma
distinção política. SP, editora da UNESP.1995
KONDER, Leandro. Introdução ao Fascismo, RJ, Graal, 1977. Primeira parte
SADER, Emir. O Anjo Torto. Esquerda (e direita) no Brasil, SP, Brasiliense,
1995.
TOGLIATTI, Palmiro. Lições sobre o fascismo, SP, Ciências Humanas,
1978, cap. O Corporativismo,pp.99-113.
SADER, Emir e GENTILI, Pablo (orgs). Pós-Neoliberalismo II. Que Estado
para que democracia? Petrópolis, Rio de Janeiro, Vozes, 1999.

X Democracia, Luta de Classes e o Golpe no Brasil do Século XXI .

BESSONI, Tânia, MATTOS, Hebe Et all. Historiadores pela democracia. O


golpe de 2016 e aforça do passado, SP, Alameda, 2016.
CASARA, Rubens R.R. Estado Pós Democrático. Neo-obscurantismo e
Gestão dos Indesejáveis, Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2017.
DEMIER, Felipe Abranches. Depois do Golpe. A dialética da democracia
blindada no Brasil, RJ, Mauad, 2017
DURIGUETTO, Maria Lúcia. Sociedade civil e democracia – Um debate
necessário. São Paulo: Cortez, 2007.
FONTES, Virginia. Capitalismo, imperialismo, movimentos sociais e lutas de
classes. In Em Pauta., nº21, RJ, FSS/UERJ, 2008,pp 23-36
FREIRE, Silene de M. Classes Sociais: algumas reflexões a partir de o 18
Brumário de Luis Bonaparte. In: Revista (Syn)thesis, Rj, vol.IV, nº2,
HARVEY, David , MARICATO, Slavoj Žižek, Mike Davis et. al. Cidades
Rebeldes. Passe livre e as manifestações que tomaram as ruas do Brasil,
Boitempo, RJ,2013
HOUTART, François. Os movimentos sociais e a construção de um novo
sujeito histórico. CLACSO, Consejo Latinoamericano de Ciencias
Sociales, Campus Virtual, 2007
IASI, Mauri Luis. Ensaios sobre consciência e emancipação. São Paulo,
Expressão Popular, 2011.
MATTOS, Marcelo Badaró. Classes Sociais e Lutas de Classes: a atualidade
de um debate conceitual, RJ,Revista Em Pauta n. 20, 2007
MOURA, Jefferson Davidson Dias . Os novos movimentos de Classe :
reflexões sobre a organização política dos trabalhadores brasileiros. In
Em Pauta., nº21, RJ, FSS/UERJ, 2008,pp 51-64
SANTOS, Wanderley Guilherme. A Democracia Impedida: o Brasil no século
XXI. Editora Fundação Getúlio Vargas: Rio de Janeiro, 2017. 1
SOUZA, Jessé. A radiografia do Golpe. Rio de Janeiro, Leya , 2017.
SOUZA, Jessé. A Elite do Atraso. Da Escravidão à Lava Jato.Rio de Janeiro,
Leya , 2017.
WOOD, Ellen Meiksins. Democracia contra capitalismo: a renovação do
materialismo histórico. São Paulo: Boitempo, 2005.

. Bibliografia Complementar:
ANDERSON, Perry. As antinomias de Gramsci. SP, Ed.Joruês, 1986.
ANGELI, José Mário. “Americanismo e Fordismo”, teoria da hegemonia e
globalização: uma discussão gramsciana sobre a mundialização do
capital. In: COGGIOLA,O. História e Revolução, SP, Xamã,1998.
ARON, Raymond. As Etapas do Pensamento Sociológico. Martins Fontes ,
São Paulo, 1982.
BOBBIO, Noberto e BOVERO, Miguelangelo.. Estado e Sociedade na
filosofia política moderna, SP, Brasiliense, 1986. (Capítulo: “O modelo
hegelo-marxiano”)
_______________(Et Alli) Dicionário de Teoria Política , Brasília, UnB,2001.
________________. Estado, governo, sociedade: para uma teoria geral da
política. Rio de Janeiro, Paz e Terra, 1987.
BOITO Jr. Armando (et all) . A Obra de Marx. Atualidade, problemas e
interpretações, São Paulo, CEMARX,IFCH-UNICAMP,Xamã,2002
BORON, Atílio . Os “ novos leviatãs” e a pólis democrática: neoliberalismo,
decomposição estatal e decadência da democracia na América Latina.
In: SADER, Emir e GENTILI, Pablo (orgs). Pós-Neoliberalismo II.
Que Estado para que democracia? Petrópolis, Rio de Janeiro, Vozes,
1999.
BOTTOMORE, Tom. Dicionário do Pensamento Marxista. RJ, Jorge Zahar
Editora,1988
BUEY, Francisco Fernández. Marx (sem ismos).RJ, Editora da UFRJ,2004.
CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil. O Longo caminho. RJ,
Civilização Brasileira, 2001
CERRONI, Umberto. Teoria do Partido Político. São Paulo, Ciências
Humanas,1982
_________________ POLÍTICA. Métodos. Teorias. Processos. Sujeitos.
Instituição.Categorias.SP, Editora Brasiliense, 1986

COUTINHO, Carlos Nelson. As categorias de Gramsci e a Realidade


Brasileira. In; Presença.nº8, RJ , Caetés, 1987
______________________. Gramsci. Um estudo sobre seu pensamento
político, Rio de Janeiro, Campus, 1989.
_________________________. "A recepção de Gramsci no Brasil" In: Id.,
Cultura e sociedade no Brasil, Belo Horizonte, Oficina do Livro, 1990
________________________.Marxismo e política. A dualidade de poderes e
outros ensaios, São Paulo, Cortez, 1996.
________________ Intervenções. O Marxismo na batalha das Idéias, São
Paulo, Cortez, 2006.
________________ De Rousseau a Gramsci: ensaios de teoria política. São
Paulo, Boitempo, 2011

DAHL, Robert. Moderna análise política. Brasília, Editora da UnB, 1982.


DAHRENDORF, Ralf. O Conflito Social Moderno. Rio de Janeiro, Zahar,
1992.
FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir. (várias edições)
FREIRE, Silene. Por que Gramsci? In: Revista Em Pauta, nº 10, Rio de
Janeiro, Editora da UERJ, 1997,pp.217-231.
______________. Classes Sociais: Algumas Reflexões A Partir de O 18
Brumário de Luis Bonaparte.IN; (Syn)Thesis,RJ,CCS/UERJ vol. IV,nº2,
2000,p.19-30
_______________. As armadilhas da recente notoriedade da sociedade civil
no Brasil. In: FREIRE, LMB, FREIRE, SMF e CASTRO,AMC. Serviço
Social, Política Social e Trabalho. Desafios e Perspectivas para século
XXI, SP, Cortez , UERJ, 2006.
GERRATANA,Valentino. “A reforma gramsciana da política”. Presença. Rio
de Janeiro, n. 17, nov. 1991, p. 57-63.
GIANNOTI, José. “ Notas sobre a categoria ‘ modo de produção ‘ para uso e
abuso dos sociólogos. Estudos CEBRAP. SP, 17:161-168, .julho, agosto e
setembro de 1976.
GRUPPI, Luciano. O Conceito de Hegemonia em Gramsci, RJ, Editora
Graal, 1978.
KONDER, Leandro. Introdução ao Fascismo, RJ, Graal, 1977 ( Primeira
Parte)
LUKÁCS, George – Histórica e consciência de classe Rio de Janeiro, Ed.
Elfos , 1987.
MACPHERSON, G.B. A teoria política do individualismo possessivo de
Hobbes a Locke. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1979.
IASI, Mauro Luis. O Marxismo diante de um novo século. In: Revista Praia
Vermelha Estudos de Política e Teoria social, v 23 n. 2, Ed UFRJ, jul/dez
2013. pp 331-356.
MARSCHALL, T. H. Cidadania, classe social e status. Rio de janeiro, Zahar
Editores,1967.
MARX, Karl – O Capital – Ed. Fundo de Cultura Econômica – México. As
traduções em português já são acessíveis.
______________ e ENGELS, F. Obras Escolhidas. São Paulo, Alfa
Omega,1990
_______________. A Questão Judaica. Rio de Janeiro, Laemmert,1972.
MELLO, Alex. Fiuza de. Mundialização e Política em Gramsci. SP,
Cortez,2001.
PORTELLI, Hugues. Gramsci e o Bloco Histórico. RJ, Editora Paz e Terra,
1977.
RIDENTE, Marcelo. Classes Sociais e Representação. São Paulo, Cortez,
2001. ( Coleção Questões da nossa Época)
SECCO, Lincoln. Gramsci: hegemonia e pós-fordismo . In: COGGIOLA,O.
História e Revolução, SP, Xamã,1998.
SELL,Carlos Eduardo. Sociologia Clássica. Itajaí. Ed. Itajaí, Ed. Univali,
2002
STAROBINSKI, Jean. Rousseau: A transparência e o Obstáculo. São Paulo,
Companhia das Letras.

TOCQUEVILLE, Alexis de. A Democracia na América, 2ª ed., Belo


Horizonte, Ed. Itatiaia, SP, EDUSP, 1977

. ENCAMINHAMENTOS DIDÁTICOS:
Aulas expositivas, Discussão de textos, Seminários em Grupo, Organização de
Debates, Elaboração de Fichamentos, etc.

. FORMAS E/OU MECANISMOS DE AVALIAÇÃO:


Entrega de trabalho Final. A participação nas aulas, assim como em
seminários e outras atividades a combinar também serão consideradas no
processo de avaliação do aluno.