Você está na página 1de 8

A TAREFA DA FILOSOFIA

DA RELIGIÃO
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
• Primeiramente a filosofia da religião não deve
ser identificada simplesmente com religião
filosófica ou com filosofia religiosa. Trata-se de
indagação filosófica que usa métodos filosóficos
com objetivos filosóficos.
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
• Não é qualquer “filosofia” capaz de criticar
filosoficamente o mundo humano da fé e da religião. As
filosofias que pretendem simplesmente explicar a
religião ou reduzi-la a elementos não religioso como
libido ou situação socioeconômica alienada não servem.
A mesma maneira, não servem para estabelecer
corretamente o sentido da religião hoje as filosofias que
se põem diretamente a serviço da fé (São Boaventura,
Santo Tomás de Aquino), pois não se trata da simples
recuperação de certos dogmas, por ex., a transcendência
do Absoluto, pela filosofia. Cabe investigar se o
fenômeno religioso é originário e irredutível no homem,
e se leva, por sua natureza, a um termo supremo
chamado Deus.
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
Na questão, se a religião é fenômeno originário no
homem, encontramos um afrontamento de posições:
• uma série de filosofias que reduzem o fenômeno religioso a uma
perspectiva exclusivamente racional, seja moral (Kant), seja
especulativa (Hegel);
• outras que tendem a reduzir o religioso como reflexo de
situação deficiente: ignorância, impotência etc., negam sua
originalidade e a irredutibilidade. Assim Feuerbach vê a
religião como alienação, Marx como ópio do povo, Nietzsche
como debilidade gregária e Freud como sobrevivência nociva e
patológica da imagem paterna na idéia de Deus;
• entretanto a fenomenologia da religião (R. Otto, M. Eliade, E.
Stein) reconhece e começa a desenvolver as irredutíveis
estruturas do sagrado como contraposto ao profano.
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
- Trata-se de examinar a possibilidade e a necessidade de
uma filosofia da religião no mundo marcado pelo
iluminismo e a conseqüência secularização. Essa
tentativa terá a função de esclarecer racionalmente a
religião, que perdeu sua evidência de Deus como da
declaração do “deus está morto”.
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
Hoje a filosofia da religião deverá formular
questões que angustiam os indivíduos, as igrejas e
a sociedade:
• entre a tradição religiosa e as experiências da
intersubjetividade crítica moderna surgiu um abismo
profundo. O processo do iluminismo age de maneira
dialética sobre a tradição religiosa: destróri e conserva.
Destrói, por exemplo, certas concepções de Deus como o
deus que sanciona instituições e regimes políticos
indefensáveis por ser indigno de nossa fé. Mas o processo
do iluminismo também pode purificar o conceito de Deus e
conservar a autêntica tradição da fé. Assim a situação de
crise pode reverter em nova oportunidade
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
Hoje a filosofia da religião deverá formular
questões que angustiam os indivíduos, as igrejas e
a sociedade:
• a relação do cristianismo e das igrejas para com as
religiões não cristãs modificou-se profundamente.
Também no Ocidente, o cristianismo deixa de ser a
religião que integra a sociedade global. Os pagãos não
mais estão fora da sociedade e o cristianismo carece da
evidência racional de ser a única verdadeira religião.
Tornou-se uma religião ao lado de muitas outras. A
tentativa de interpretar todas as religiões não cristãs
simplesmente como cifras de uma fé filosófica ou declarar
os não cristãos de cristãos anônimos não satisfaz.
TAREFA DA FILOSOFIA DA RELIGIÃO
Hoje a filosofia da religião deverá formular
questões que angustiam os indivíduos, as igrejas e
a sociedade:
• o lugar e a função da religião e das igrejas no novo
mundo político-social modificaram-se radicalmente. O
iluminismo, que declara a liberdade de todos como
princípio da ética e da política e exige instituições que
favoreçam a garantam a liberdade e o direito de todos os
homens, questiona radicalmente a tradição antiga e
medieval. Neste mundo, a filosofia da religião tem papel
enquanto dura a exigência de conhecer criticamente a
verdade religiosa.