Você está na página 1de 20

REPÚBLICA DE ANGOLA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÂO

PROPOSTA

POLÍTICA DO LIVRO
ESCOLAR

JUNHO 2018
0
1
RELATÓRIO DE FUNDAMENTAÇÃO

O Sistema de Educação e Ensino, cuja génese está intrinsecamente ligada à proclamação da


independência e o consequente nascimento da jovem República Popular de Angola, hoje República
de Angola vem evoluindo dia após dia na sequência dos diferentes estágios de desenvolvimento
sócio-político-económico do país.
Com a aprovação da primeira Lei de Bases do Sistema de Educação - Lei n.º 13/01 de 31 de
Dezembro de 2001 foram definidos importantes objectivos tais como a expansão da rede escolar, a
melhoria da qualidade de ensino, o reforço da eficácia do Sistema de Educação e a melhoria da
qualidade de ensino assentem nos princípios da integridade, democraticidade, gratuitidade e
obrigatoriedade.
O mais recente diploma legal que estabelece os princípios e as bass gerais do sistema de
educação e ensino (Lei n.º 17/16, de 7 de Outubro de 2016 - Lei de Bases do Sistema de Educação
e Ensino) introduz importantes inovações, inspiradas por um conjunto de novas exigências,
resultantes do actual contexto sócio-económico, das quais se destaca a consagração do livro escolar
como um recurso didáctico-pedagógico, relevante e fonte de informação científica do processo
educativo e consagra dentre outros, dois princípios basilares: o princípio da legalidade (vide artigo
6.º ) e o princípio da Intervenção do Estado (cfr. artigo 13.º).
Considerando o espírito e a letra desses princípios e tendo em atenção a natureza e
atribuições do Ministério da Educação, plasmadas no respectivo Estatuto Orgânico (Decreto
Presidencial n.º 17/18 de 25 de janeiro)(artigos 1.º e 2.ºalíneas b), d) e h), bem como as
competências aferidas ao Titular do Departamento Ministerial que responde pelo Sector da
Educação (v.g. artigo 5.º alínea f));
Considerando igualmente que a política do Livro Escolar constitui uma das premissas para
o desenvolvimento integral e sustentado do sistema de educação e ensino, porquanto é perceptível
que a boa qualidade do ensino depende de vários factores.Dentre eles: (i) a formação qualitativa e
valorização do professor; (ii) a aplicação de metodologias de ensino coerentes, de acordo com os
padrões internacionais e em consonância com a realidade angolana e(iii) a elaboração de materiais

2
pedagógicos eficazes, com particular realce para o livro escolar; surge a necessidade de se
definirem regras e critérios objectivos de elaboração, avaliação e certificação, produção,
distribuição e vigência desse importante recurso educativo (livro escolar).

Por esta razão e no quadro da iniciativa legislativa acima realçada, o Departamento


Ministerial que responde pelo Sector da Educação propõe a aprovação do presente diploma
legislativo: Lei sobre a Política do Livro Escolar. Na Generalidade, a presente proposta de Lei
contém quatro capítulos e vinte e seis artigos, enquanto na especialidade, está estruturada em
quatro capítulos, nomeadamente:
 Capítulo I (Disposições Gerais) com três Artigos.
 Artigo 1º Objectivos
 Artigo 2º Âmbito de aplicação
 Artigo 3º Definições
 Capítulo II (Elaboração do Livro) com treze Artigos.
 Artigo 4º Pressupostos de elaboração do livro escolar
 Artigo5º Edição do Livro Escolar
 Artigo6º Período de edição
 Artigo7º Processo de avaliação e certificação
 Artigo8º Período de avaliação e certificação
 Artigo9º Escolha do livro pelas Regiões Escolares
 Artigo10º Período da escolha do livro escolar
 Artigo11º Produção do livro escolar
 Artigo 12º Período da produção do livro escolar
 Artigo 13º Distribuição
 Artigo 14º Período da distribuição
 Artigo15ºUtilização e preservação
 Artigo 16º Vigência
 Capítulo III (Responsabilidades dos Intervenientes) com sete Artigos
 Artigo 17ºResponsabilidades do Ministério da Educação
 Artigo18º Responsabilidades das editoras
 Artigo19º Responsabilidades das escolas pelo livro escolar gratuito
 Artigo20º Responsabilidades do professor
 Artigo21º Responsabilidades do aluno
 Artigo23ºResponsabilidades dos pais/encarregados de educação
 Artigo 24º Sanções

 Capítulo IV (Disposições finais) com Dois (2) Artigos.

 Artigo25º Dúvidas e omissões


 Artigo26º Entrada em vigor.

3
CAPÍTULO I
DISPOSIÇÕES GERAIS

Artigo 1º
(Objectivos)

São objectivos do Estado Angolano com a Política do Livro Escolar, os seguintes:


a) Regular a elaboração, edição, avaliação e certificação, escolha, produção, distribuição,
vigência, utilização e preservação do livro escolar;
b) Estimular a elaboração e produção do livro escolar em todos os subsistemas de
educação e ensino, com excepção do subsistema de ensino superior;
c) Garantir a disponibilidade do livro escolar em conformidade com a lei e com o
paradigma curricular em vigor, durante a realização do processo de ensino-
aprendizagem;
d) Promover o hábito de leitura, respeito pelo livro e sua reutilização;
e) Garantir a utilização do livro escolar como um instrumento do processo de realização
ampliação e aprofundamento da estrutura cognitiva do aluno, incluindo a dimensão
educativa, instrutiva e desenvolvimentista da pessoa humana;
f) Promover a autonomia do aluno no desenvolvimento da estrutura cognitiva;
g) Contribuir para a melhoria da qualidade da educação, através dos critérios objectivos de
selecção do melhor livro dentre os concorrentes.

Artigo 2º
(Definições)

1. A Política do Livro Escolar é o documento legal do Estado Angolano que regulao processo de
elaboração, edição, avaliação e certificação, escolha, produção, distribuição, vigência,utilização
e preservação como património cultural para a preparação integral dos sujeitos em construção
social.
2. A Política do Livro Escolar é assim apresentada como um conjunto de normasque regem a
elaboração, edição, avaliação e certificação, escolha, produção, distribuição, vigência,
utilizaçãoe preservação deste património cultural.
3. Entende-se por livro escolar o recurso didáctico-pedagógico, relevante e fonte de difusão de
conhecimento nos marcos de uma determinada disciplina, não exclusiva do processo de ensino-
aprendizagem, concebido na base dos programas curriculares e certificado para o efeito pelo
Ministério da Educação.
4. O livro escolar serve de apoio ao trabalho independente do aluno e visa contribuir para o
desenvolvimento das competências definidas no currículo escolar.
5. O livro escolar é constituido por conteúdos científicos socialmente relevantese definidos nos
programas curriculares em vigor, bem como propostas de actividades didácticas e de avaliação

4
para aprendizagem, podendo conter igualmente orientações do trabalho didáctico-pedagógico
para o professor.
Artigo 3º

(Âmbito de aplicação)

1. A presente política aplica-se aos livros escolares dos Subsistemas de Educação Pré-Escolar,
Ensino Geral, Formação de Professores, Técnico-Profissional e Educação de Adultos, por
Regiões Escolares.
2. Os livros escolares produzidos no âmbito desta política são de utilização obrigatória em todas
escolas públicas, particulares e comparticipadas de cada Região Escolar.

CAPÍTULO II

ELABORAÇÃO DO LIVRO ESCOLAR

Artigo 4º

(Pressupostosde elaboração do livro escolar)

5
1- No âmbito dos programas escolares produzidos no quadro de um novo currículo, os livros
escolares passam a ser elaborados pelas editoras previamente inscritas.
a) A elaboração do livro escolar é feita após a abertura do concurso público pelo
Ministério da Educação e na base de um caderno de encargos;
b) O caderno de encargosé elaborado com base na Política Curricular que compreende os
elementos do Quadro de Referência Curricular, incluindo os programas curriculares e as
normas que sustentam os critérios de avaliação;
c) O livro escolar deve ter um enfoque intradisciplinar, multidisciplinar, interdisciplinar e
transdisciplinar, visando aformação integral dos alunos conforme previsto no artigo 4º
da Lei17/16, de 07 de Outubro;
d) O livro escolar deve apresentar um conteúdo do processo de ensino-aprendizagem da
disciplina em conformidade com os objectivos, conteúdos programaticos, métodos de
ensino e avaliação curricular;
e) O livro escolar deve ter uma função, estrutura, forma e organização, linguagem própria
textos, exemplos, figuras, gravuras, exercícios,imagens, esquemas, tabelas, quadros,
quadros sinópticos, mapas conceptuais, diagramas, legendas entre outros que favoreçam
a aprendizagem mediante a interacção entre o aluno e o material;
f) O livro escolar deve promover a apropriação dossaberes de forma sistemática, activa,
criativa, crítica e protagónica;
g) O livro escolar deve potenciar a integração das funções instrutiva, educativa e
desenvolvementista para atingir a aprendizagem significativa;
h) O livro escolar deve evidenciar situações inerentes à realidade angolana utilizando
conteúdos contextualizados que incluam especificidades locais.
2- Para a elaboração do livro escolar as editoras devem adquirir o caderno de encargos com pelo
menos dois anos de antecedência à data de entrada em vigor do livro escolar.
3. O livro escolar deve ter os seguintes elementos constitutivos:
a) Pré-textuais exigíveis, nomeadamente, nome da disciplina, do autor, a classe, o revisor, o
ano da edição, editora e tiragem;
b) Textuais, a introdução, índice dos conteúdos em unidades temáticas divididos em
subunidades temáticas e as respostas aos exercícios propostos;
c) Pós-textuais, a bibliografia, anexos ou apêndices e hino nacional na contra capa.
4. O conteúdo do livro deve reflectir os seguintes elementos:
a) Linguagemcorrente, simples, acessível e clara;

6
b) Cientificidade, isto é, sem incorrecções de conceitos, de teorias, de princípios, de leis, de
processos, de factos, entre outros elementos;
c) Actualidade científica
d) Correcção e consistência metodológica;
e) Construção da cidadania, nomeadamente, respeito à vida, à diferênça, liberdade de
expressão.
f) Textos curtos e interactivos;
g) Exemplos concretos, contextualizados e significativos;
h) Figuras concretas, contextualizadas e significativas;
i) Gravuras concretas, contextualizadas e significativas;
j) Exercícios reprodutivos, aplicativos, produtivos e criativos;
k) Imagens;
l) Esquemas;
m) Tabelas;
n) Quadros;
o) Quadros sinópticos;
p) Mapas conceptuais;
q) Diagramas;
r) Legendas e outros.
5. O livro escolar deve apresentar as especificidades gráficas que constam no caderno de
encargos.
6. O livro escolar deve ser concebido partindo da necessidade de estímular, motivar e orientar o
aluno para a aprendizagem, tendo em conta os conhecimentos antecedentes do tema a estudar.
7. O livro escolar acertificar deveapresentar os seguintes pressupostos:
a) Uso correcto da Língua Portuguesa;
b) Uso do vocabulário pedagogicamente apropriado;
c) Construção de um discurso articulado e coerente, obedecendo aos princípios da lógica.
d) Transmissão da informação actualizada e com cientificidade, correspondendo ao saber
consolidado, em particular na área curricular ou na disciplina;
e) Observância do rigor, clareza e sequência lógica, pertinência e actualidade dos
conteúdos, imparcialidade, humildade;
f) Observância dos aspectos didáctico-pedagógicos, evidenciando a dinâmica entre os
objectivos, os conteúdos, métodos, meios e avaliação do processo de ensino-
aprendizagem.

7
Artigo 5º

(Edição do Livro Escolar)

1- O Livro Escolar é editado em conformidade com os padrões exigiveis para efeitos de avaliação
e certificação;
2- As normas para edição do livro escolar são as constantes do caderno de encargo a ser elaborado
e apresentado pelo Ministério da Educação, através do INIDE;
3- Para cada título editado do livro escolar, a editora deve apresentar 15 exemplares para a
avaliação e certificação, comtodos os elementos evocados no artigo 5º e no nº 2 deste artigo;
4- Os exemplares editados para efeitos de avaliação e certificaçãosão apresentados dezoito (18)
meses, antes da sua vigência, isto é, um (1) de Fevereiro de cada ano lectivo.

Artigo6º
(Período de edição)
1- O período de edição do livro escolar a submeter ao processo de avaliação e certificação é
de seis (6) meses após o lançamento do concurso público;
2- O concurso público para a produção do livro escolar é lançado vinte e quatro(24) meses,
antes da sua vigência;
3- O cumprimento do período da edição previsto no nº 1 deste artigo é exclusivamente para a
primeira imprensão;
Artigo7º
(Processo de avaliação e certificação)

1- Os livros escolares produzidos no âmbito do novo curriculo são objecto de avaliação e


certificação por uma comissão multidisciplinar coordenada pelo INIDE e nomeada por
despacho do Titular do DepartamentoMinísterial responsável pelo Sector da Educação.
2- O processo de avaliação e certificação do livro escolar é da responsabilidade do Ministério da
Educação exercida através do INIDE, podendo contar com o apoio de especialistas convidados.
3- O livro escolar a submeter para a avaliação e certificação, sem prejuízo à alínea a) do ponto 3
do artigo 5ºé entregue sem o nome do autor e a denominação da editora.
4- Olivro deve ser avaliado e certificado com base nas normas assumidas neste diploma e que
farão parte do caderno de encargos que se traduzem em critérios comuns no instrumento a
conceber para o efeito.

8
5- O resultado da avaliação e certificação do livro escolar é expresso em quatro (4) categorias,
conforme a classificação alcançada na valoração dos critérios, designadamente:
a) RD- Recomendado com Distinção, Cinco Estrelas;
b) Rec- Recomendado, Quatro Estrelas;
c) RR- Recomendado com Ressalva, Três Estrelas;
d) Ex – Excluído, Duas Estrelas.
6- O livro escolar classificado nas categorias RD, Rec e RR é certificado mediante um documento
emitido pelo INIDE.
7- A classificação do livro escolar não deve ser conhecida pelas Regiões Escolares, antes da sua
escolha.
8- Concluído o procedimento de avaliação e certificação do livro escolar é elaborado um relatório,
contendo os elementos de análise e um parecer. Este é enviado ao Gabinete do Titular do
Departamento Ministerial da Educação para efeitos de homologação.
9- Feita a homologação pelo Titular do Departamento Ministerial da Educaçãoanuncia-se
publicamenteos livros certificados por cada título, num acto público.

Artigo 8º
(Do período de avaliação e certificação)

1- O período de avaliação e certificação do livro escolar é de três (3)meses, após a recepção do


livro editado para o efeito.
2- O resultado de avaliação, certificação e homologação deve ser conhecidoquinze (15) dias após
a avaliação e certificação dos livros vencedores por cada título.

Artigo 9º
(Da escolha do livro pelas Regiões Escolares)

9
1- A escolha do livro escolar a usar por cada Região Escolaré da responsabilidade do Centro
Regional de Investigação e Desenvolvimento da Educação (CRIDE), a partir da lista dos três
livros escolares certificados, podendo contar com o apoio de especialistas convidados.
2- Na escolha do livro escolar são tidas em conta as caraterísticas contextuais de cada região, tais
como, elementos socio-culturais, etno-linguísticos, geográficos, ambientais, económicos,
psicológicos e históricos.
3- A editora vencedora deve disponibilizar, para cada título, até setenta (70) exemplares para
efeitos de escolha pelas Regiões Escolares. Sem a identificação do nome do autor e da editora.
4- Os exemplares referidos no número anteriorsão disponibilizados até cinco dias após a
certificação de cada título, ao Ministério da Educação.
5- O Ministério da Educação deve disponibilizar até dez (10) exemplares de cada título do livro
certificado às Regiões Escolares para os efeitos da escolha.
6- Os livros escolares disponibilizados ao Ministério da Educação para efeitos de escolhasão
distribuídos às Regiões Escolares, no prazo de cinco (5) dias, a contar da data da sua recepção.

Artigo 10º
(Período da escolha do livro escolar)

1- O período da escolha do livro escolar pelas Regiões Escolares é de quarenta e cinco (45) dias,
após a disponibilização dos dez (10) exemplares de cada título pelo Ministério da Educação.
2- O período de escolha previsto no número anterior é contado a partir da data da recepção dos
exemplares disponibilizados pelo Ministério da Educação.
3- Após a escolha, a Região Escolar tem até cinco (5) dias para comunicar por escrito ao
Ministério da Educação.
4- A comunicação sobre a escolha do livro escolar, por cada título, deve constar num relatório
contendo os elementos de análise, um parecer e a lista de presença dos participantes.

Artigo 11º
(Produção do livro escolar)

1- A produção do livro escolar é da responsabilidade da editora vencedoranos prazos previstos.


2- A editora vencedora produz as quantidades correspondentes com as necessidades apresentadas
pelo Ministério da Educação, após a escolha pelas as regiões escolares.
3- Durante o período de vigênciaestimada do livro escolar, o Ministério da Educação deve
apresentar, anualmente as quantidades necessárias para atender à demanda para cada ano
lectivo, isto é, a reimpressão com base nas previsões estatísticas da população escolar das
Regiões Escolares.

10
4- A produção do Livro Escolar nos anos subsequentes durante o período de vigência obedece as
previsões estatísticas e recuperação dos títulos distribuídos nos anos precedentes e do
crescimento dos efectivos escolares por classe.

5- A comunicação do Ministério da Educação deve conter as quantidades definidas em função da


previsão do número de alunos matriculadosem cada classe por Região Escolar, onde o livro foi
escolhido.
Artigo 12º
(Período da produção do livro escolar)

1. O período da produção do livro escolar, primeira impressão,é deseis (6) meses, após a
comunicação pelo Ministério da Educação à editora, mediantea escolha feita pelas Regiões
Escolares.
2. A reimpressão subsequente do livro escolar é feitanos termos dos números 3, 4 e 5 do artigo
12º da presente Lei.

Artigo 13º

(Distribuição)

1- A distribuição do livro escolar implica a sua disponibilização durante o tempo de vigência nas
seguintes modalidades:
a) Gratuita
b) Não gratuita.
2- O livro escolar é de distribuição gratuita apenas no Ensino Primário, conforme consta do
Artigo 11º da Lei 17/16, de 7 Outubro.
a) A distribuição do livro escolar gratuito nas escolas é feita exclusivamente pela editora
vencedora do concurso;
b) O livro escolar gratuito deve ser distribuido aos alunos no acto da matrícula ou da
confirmação pela direcção da escola;
c) A distribuição do livro escolar gratuito não abrange aos alunos repetentes.
d) No acto de entrega do livro escolar o pai/encarregado de educação assina um termo de
responsabilidade dos títulos recebidos a ser arquivado na escola, conforme o modelo em
anexo.
3- A distribuição do livro escolar gratuito é supervisionada pelas seguintes entidades:
a) Autoridades Locais;
b) Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística;
c) Direcção Nacional de Infra-estruturas e Meios de Ensino;
d) Gabinete de Inspecção Nacional da Educação;
e) Polícia Económica;
f) Gabinete/SecretariaProvincial da Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação;
g) Gabinete Municipalda Educação, Ciência, Tecnologia e Inovação.

11
4- A distribuição do Livro Escolar não gratuito é feita,a nível nacional, pela editora vencedora
através dos estabelecimentos comerciais ou outros espaços vocacionados a venda.
5- As editoras vencedoras para o livro escolar não gratuito devem garantir a sua disponibilidade
onde o mesmo é necessário.

Artigo14º
(Período da distribuição)

1. O período da distribuição do livro escolar GRATUITO às escolas, por Regiões Escolares é


anterior à data do início do ano lectivo, desde a primeira impressão generalizada e durante os
anos da vigência.
2. O período da distribuição do livro escolar NÃO GRATUITO aos locais da venda, por Regiões
Escolares é anterior à data do início do ano lectivo, desde a primeira impressão generalizada e
durante os anos da vigência
3. O período de distribuição do livro escolar decorre durante os três (3) meses, antes da data do
início do ano lectivo;
4. A direcção da escola, em colaboração com as autoridadeslocais devecriar condições logísticas
para a recepção, armazenamento e conservação dos livros escolares até às datas das matrículas
ou confirmações.
Artigo 15º
(Utilização e preservação)
1- O livro escolar de distribuição gratuita é disponibilizado aos alunos, através de empréstimos
para efeitos de reutilização.
2- O aluno beneficiário e seu pai/encarregado de educação devem conservar olivro escolar
durante o ano lectivo.
3- O professor e pai/encarregado de educação devemauxiliar ao seu educando na correcta
utilização e conservação do livro escolar.
4- No acto da devolução o livro escolar deve apresentar-se:
a) Com a capa e todas as folhas devidamente presas no livro sem páginas rasgadas, nem
rabiscos ou escrituras que impeçam a leitura de todos os elementos informativos nele
constantes;
b) Limpo, sem riscos e tinta que impeçam a leitura integral.

Artigo 16º
(Vigência)
1- O livro escolar tem vigência dependente do tempo de vida útil do currículo escolar.
2- O currículo escolar tem, doravante, cinco anos de vida útil a contar do primeiro ano da
generalização dos materiais curriculares revisados ou reformulados.

12
CAPÍTULO III

RESPONSABILIDADES DOS INTERVENIENTES

Artigo 17º

(Responsabilidades do Ministério da Educação)

São responsabilidades do Ministério da Educação, as seguintes:


a) Anunciar o concurso público e divulgar os cadernos de encargos nos prazos
estabelecidos;
b) Registar as editoras candidatas ao concurso de produção e distribuição do livro escolar,
em conformidade com o estabelecido no caderno de encargos;
c) Disponibilizar os programas curriculares, através do INIDE;
d) Assegurar a avaliação e certificação do livro escolar, mediante critérios objectivos
estabelecidos, em conformidade com as normas desta Lei;
e) Divulgar os critérios de avaliação e certificação do livro escolar;
f) Divulgar os resultados de avaliação e certificação;

13
g) Garantir a escolha do livro escolar pelas Regiões Escolares, através da disponibilização
dos exemplares requeridos por lei à cada Região;
h) Divulgar os resultados da escolha do livro escolar feita por cada Região Escolar;
i) Organizar actos de divulgação dos resultados de avaliação, certificação e escolha do
livro escolar.
j) Disponibilizar os dados estatísticos dos alunos projectados para cada ano lectivo por
Regiões Escolares às editoras vencedoras,para a produção e distribuição do livro
escolar, durante a sua vigência.
k) Garantir a lisura no processo que conduz a produção e distribuição do livro escolar;
l) Garantir o cumprimento dos prazos previstos para o processo de produção, distribuição
e vigência do livro escolar.
m) Promover acções de sensibilização da sociedade sobre os cuidados a ter com o livro
escolar, visando a sua conservação e reutilização como forma de poupar recursos
financeiros do Estado;
n) Proceder ao pagamento dos serviços pela produção e distribuição do livro escolar às
editoras;
o) Divulgar a lista dos livros escolares NÃO GRATUITOS até três meses antes da data do
início do ano lectivo, a primeira impressão do livro generalizado e durante os anos da
sua vigência.
Artigo 18º

(Responsabilidades das editoras)

São responsabilidades das editoras, as seguintes:


a) Candidatar-se ao concurso público, adquirindo os cadernos de encargos nos prazos
estabelecidos;
b) Cumprir com as normas estabelecidas no caderno de encargos;
c) Adquirir os programas e as orientações currilares, através do INIDE;
d) Elaborar e editar o livro escolar em conformidade com os programas e orientações
curriculares vigentes;
e) Disponibilizar os exemplares dolivro escolar editado para a avaliação e certificação, em
conformidade com as normas desta Lei;
f) Dominar os critérios da avaliação e certificação do livro escolar;
g) Aguardar pelos resultados de avaliação e certificação;
h) Não interferir, sob quaisquer formas, nos processos de avaliação, certificação e
escolhado livro escolar;

14
i) Participar dos actos da divulgação dos resultados, tanto daavaliação e certificação,
como da escolha do livro escolar;
j) Adquirir, em caso de ser vencedora, os dados estatísticos dos alunos projectados para
cada ano lectivo,nas Regiões Escolares pelas quais o livro escolar foi escolhido;
k) Garantir a distribuiçãodo livro escolar vencedor do concurso, durante a sua vigência;
l) Recrutar autores idóneos e profissionais em matéria de elaboração do livro escolar;
m) Remunerar os autores pelos seus direitos, com base num contrato mutuamente
vantajoso entre as partes;
n) Ter o cuidado de não estampar num livro produzido sem certificação, ainda que se
baseie nos normativos desse normativo, a designação de Livro Escolar.

Artigo 19º
(Responsabilidades das escolas pelo livro escolar gratuito)

São responsabilidades da escola pelo livro escolar gratuito, as seguintes:


a) Garantir a recepção e armazenamento do livro escolar num espaço seguro;
b) Organizar sessões de sensibilização aos pais/encarragados de educação e a comunidade
em geral, sobre o uso correcto e a conservação do livro escolar;
c) Garantir a distribuição do livro escolar no acto da matrícula ou confirmação;
d) Assegurar a entrega do livro escolar no início do ano lectivo, mediante o preenchimento
do termo de responsabilidade no acto da entrega;
e) Recolher o livro escolar no fim do ano lectivo, com base no termo de responsabilidade
assinado no acto da entrega;
f) Assegurar a organização e controlo do livro escolar recolhido para garantir a sua
redistribuição no ano lectivo seguinte;
g) Assegurar a utilização do livro escolar, durante os processos de ensino e de
aprendizagem, mediante a supervisão do acto educativo;
h) Realizar acções de sensibilização da comunidade sobre os cuidados a ter com o livro
escolar, visando a sua conservação.

Artigo 20º
(Responsabilidades do aluno)

1-São responsabilidades do aluno pelo livro escolar, as seguintes:


a) Utilizar o livro escolar como recurso didáctico-pedagógico,relevante e fonte de
aprendizagem durante o ano lectivo;
b) Conservar o livro escolar, cumprindo com as orientações previstas no artigo 15º.
c) Devolver o livro escolar gratuito em boas condições para garantir a sua reutilização por
outros alunos;

15
Artigo 21º
(Responsabilidades do professor)
São responsabilidades do professorpelo livro escolar, as seguintes:
a) Garantir a utilização do livro como recurso didáctico-pedagógico, relevante e fonte de
informação científica, tanto para a planificação como para a gestão de aulas;
b) Utilizar o livro escolar, aplicando estratégias metodológicas no quadro do paradigma
que considera o aluno como protagonista da sua aprendizagem sob sua orientação;
c) Garantir, no uso do livro escolar durante o processo de ensino-aprendizagem, as
diferentesinteractividades, nomeadamente intelectuais, físicas, afectivas e sociais.
d) Sensibilizar os alunos para o uso correcto e a conservação do livro escolar;
e) Utilizar o livro escolar como instrumento para aprimorar os métodos e as técnicas de
aprendizagem dos alunos;
f) Utilizar o livro escolar, programa e orientações didácticas da disciplina, bem como
outros recursos didácticos e curriculares, na preparação metodológicas das suas aulas;
g) Basear a sua preparação metodológica no livro escolar e contextualizar os conteúdos
tendo em conta a realidade local, cultural, histórica e social do aluno;
h) Adequar os conteúdos do livro escolar aos avanços da ciência e da tecnologia;
i) Orientar trabalhos independentes aos alunos cuja resolução implique a utilização do
livro escolar.
Artigo 22º
(Responsabilidades dos pais/encarregados de educação)
São responsabilidades do pai/encarregado de educação pelo livro escolar gratuito, as seguintes:
a) Assegurar a recepçãodo livro escolar para o seu educando no acto da matrícula ou
confirmação para o ano lectivo correspondente, mediante a assinatura do termo de
responsabilidade no acto da entrega;
b) Garantir o uso correcto e a conservação do livro escolar pelo seu educando, visando a
sua devolução em boas condições no fim do ano lectivo;
c) Participar das sessões de sensibilização sobre o uso correcto e conservação do livro
escolar na escola;
d) Assegurar a utilização do livro escolar pelo seu educando, durante a realização do
trabalho para casa orientado pelo professor;
e) Controlar periodicamente o estado da conservação do livro escolar do seu educando;
f) Devolver o livro escolar até cinco (5) dias após a divulgação dos resultados do ano
lectivo com base no termo de responsabilidade assinado no acto da recepção;

Artigo 23º

16
(Sanção)

O não cumprimento dos expostos na presente Lei será objecto de sanções reguladas
em diploma próprio.

CAPÍTULO IV
DISPOSIÇÕES FINAIS

Artigo 23º
(Dúvidas e omissões)

As dúvidas e as omissões resultantes da interpretção e aplicação do presente diploma são


resolvidas pela Assembleia Nacional.

Artigo 24º
(Entrada em vigor)
A presente lei entra em vigor noventa (90) dias após a sua aprovação

17
ANEXO

Modelo defichas de declaração de entrega e devolução do livro escolar

REPÚBLICA DE ANGOLA
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Termo de Responsabilidade de Recepçãodo Livro Escolar

Ano Lectivo _____ / ___________

Eu, ___________________________________________________________________________,
pai/encarregado de educação do aluno
_____________________________________________________________________, da Escola
________________________________________________________________, turma_________,
classe_____ nº de Pauta____, declaro ter recebidopor empréstimo, os livros escolares das
Disciplinas de: __________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________

Mais, declaro que tomei conhecimento das normas que regem este projecto, pelo que os livros por
mim recebidos são pertença da escola, pelo terei o dever de devolvê-los no final do ano lectivo ou
repor por substituição, em caso de extravio ou danificação.
__________________________________________, _______ /______________________

O encarregado de educação
________________________________________________________
(Assinatura legível)

O aluno ________________________________________________________________________
(Assinatura legível)
Obs. Caso o aluno não saiba escrever, assinará por ele o pai/Encarregado de Educação.

18
Responsável pela entrega

______________________________________________

REPÚBLICA DE ANGOLA
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

Termo de Responsabilidade da Devolução do Livro Escolar

Ano Lectivo _____ / ___________

Eu, ___________________________________________________________________________,
pai/encarregado de educação do aluno
_________________________________________________, da Escolas
________________________________________________________________, turma_________,
classe_____ nº de Pauta____, declaro ter recebidopor empréstimo, os livros escolares das
Disciplinas
de:_____________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
_______________________________________________________________________________
Mais, declaro que tomei conhecimento das normas que regem este projecto, pelo que os livros por
mim recebidos são pertença da escola, pelo terei o dever de devolvê-los no final do ano lectivo ou
repor por substituição, em caso de extravio ou danificação.
__________________________________________, _______ /______________________

O encarregado de educação
________________________________________________________
(Assinatura legível)

O aluno ________________________________________________________________________
(Assinatura legível)
Obs. Caso o aluno não saiba escrever, assinará por ele o pai ou Encarregado de Educação.

Responsável pela entrega

______________________________________________

19