Você está na página 1de 13

Frase complexa

COORDENAÇÃO Processo sintático que consiste na junção de


duas ou mais unidades linguísticas com a
mesma categoria e/ou função sintática.

ORAÇÃO Oração contida numa frase complexa, que não


COORDENADA mantém uma relação de subordinação sintática com
a(s) oração(ões) com que se combina. Distingue-se
das subordinadas por não poder ser anteposta.

Ex.: Todos sabiam, mas ninguém falou.


* Mas ninguém falou, todos sabiam. [Frase agramatical]
Todos sabiam, ninguém falou.

Estas orações podem ser sindéticas (quando existe


um elemento de ligação – conjunção ou locução
conjuntiva) ou assindéticas (quando são separadas
por uma pausa, representada por uma vírgula.
Funções sintáticas

Orações coordenadas
Oração coordenada copulativa

Oração coordenada adversativa

Oração coordenada disjuntiva

Oração coordenada conclusiva

Oração coordenada explicativa

Outras Expressões, 10.º ano


Frase complexa

Coordenada Estabelece uma relação de adição com a(s)


copulativa oração(ões) com que se combina.
Ex.: Caminhou um pouco e depois sentou-se num banco
público à beira-mar.

Coordenada
Transmite uma ideia de contraste, de oposição,
adversativa
relativamente à ideia expressa na frase ou oração
com que se combina.
Ex.: Vestiu o casaco, mas não sentia verdadeiramente frio.

Coordenada Exprime um valor de alternativa face ao que é


disjuntiva expresso pela oração com que se combina.
Ex.: Ou saio cedo ou posso não chegar a horas…
Frase complexa

Coordenada Transmite uma ideia de conclusão decorrente da


conclusiva ideia expressa na frase ou oração com que se
combina.
Ex.: Ficou doente, logo não teve condições de participar
na prova de atletismo.

Coordenada
explicativa Apresenta uma justificação ou explicação relativa
à frase ou oração com que se combina.

Ex.: A Maria está com febre, pois apanhou muito frio.


Frase complexa

SUBORDINAÇÃO Processo sintático que consiste na junção de


duas ou mais unidades linguísticas numa
relação de dependência hierárquica entre
subordinante e oração subordinada.

ELEMENTO Palavra, constituinte ou frase de que depende uma


SUBORDINANTE oração subordinada.

Ex.: O locutor informou que a estação de rádio transmitiria a


entrevista.
[Elemento subordinante: verbo]

A hipótese de chover amanhã aborrece-me…


Elemento subordinante: nome]

Telefono-te, logo que chegue a casa.


[Elemento subordinante: oração
Frase complexa

ORAÇÃO Oração contida numa frase complexa que


SUBORDINADA desempenha uma função sintática na frase em que
se encontra, estando dependente de uma oração
ou elemento subordinante.

Nota: As orações subordinadas finitas ou não finitas


denominam-se desta forma conforme apresentam o verbo
numa forma finita ou não finita (infinitivo, gerúndio,
particípio passado), respetivamente.
Funções sintáticas

Orações subordinadas

completiva
Oração subordinada substantiva
relativa

relativa explicativa
Oração subordinada adjetiva
relativa restritiva

Outras Expressões, 10.º ano


Funções sintáticas

Orações subordinadas
causal
comparativa
concessiva
Oração subordinada adverbial condicional
consecutiva
final
temporal
Outras Expressões, 10.º ano
Frase complexa
Oração subordinada substantiva
Desempenha a função sintática de sujeito ou complemento de um verbo,
nome ou adjetivo.

Completiva É sujeito ou complemento de um verbo, nome ou adjetivo,


podendo ser introduzida pelas conjunções subordinativas
completivas que, se e para.
Ex.: O jornalista afirmou que desconhecia o caso.
Estou pronto para ir à festa. [não finita – infinitiva]
Todos declararam concordar com a proposta. [não finita – infinitiva]

Relativa Introduzida por pronomes relativos sem antecedente, como


quem, o que, onde, quanto.
Ex.: Quem canta seus males espanta.
Encontro resposta onde menos espero.
É difícil saber onde comprar produtos biológicos.
[não finita – infinitiva]
Frase complexa
Oração subordinada adjetiva
Desempenha a função sintática de modificador, sendo introduzida por uma
palavra relativa (pronome, advérbio, quantificador ou determinante).

Relativa Tem a função de restringir a informação dada sobre o


restritiva antecedente, ou seja, de identificar a parte do domínio
denotado pelo antecedente.
Ex.: Os textos que escreveu na prisão retratam as circunstâncias
políticas do período do Estado Novo.

Relativa
Contribui com informação adicional sobre o antecedente.
explicativa
Ex.: O sucesso, que é tão desejado, constrói-se quotidianamente.
Frase complexa
Oração subordinada adverbial
Desempenha a função sintática de modificador da frase ou do grupo verbal.

Causal Exprime a razão, o motivo (a causa) do evento descrito na


subordinante.
Ex.: A viagem correu bem porque foi bem preparada.
A viagem correu bem por ter sido bem preparada. [não finita – infinitiva]
Preparada a viagem, tudo correu bem. [não finita – participial]
Preparando bem a viagem, tudo corre bem. [não finita – gerundiva]

Comparativa Contém o segundo elemento de uma comparação que se


estabelece em relação a uma situação apresentada na
subordinante.
Ex.: A viagem correu como todos desejávamos.
Prefiro viajar do que passar férias em casa. [não finita – infinitiva]
Ela falava de modo estranho, como sonhando em voz alta. [não finita
– gerundiva]
Frase complexa

Concessiva Transmite uma ideia de contraste relativamente ao que é


apresentado na subordinante.
Ex.: Não conseguia sair, embora fosse essa a sua vontade.
Apesar de ser essa a sua vontade, não conseguia sair.
[não finita – infinitiva]
Apesar de determinada, não conseguia sair.
[não finita – participial]
Mesmo sendo essa a sua vontade, não conseguia sair.
[não finita – gerundiva]

Condicional Exprime a condição em que se verifica o facto expresso na


subordinante.
Ex.: Se falasses com o presidente, terias mais hipóteses de sucesso.
A pensar assim, deve ter alguns problemas. [não finita – infinitiva]
Dito isso, ninguém acreditará em ti. [não finita – participial]
Afirmando isso, ninguém acreditará em ti. [não finita – gerundiva]
Frase complexa
Consecutiva Exprime a consequência de um facto apresentado na subordinante.

Ex.: O livro era tão interessante que o li em apenas dois dias.


O livro era interessante a ponto de o ler em apenas dois dias. [não finita –
infinitiva]

Final Exprime a intenção (o fim, a finalidade) da realização da situação


descrita na subordinante.
Ex.: Falei com ele para que os meus argumentos ficassem claros.
Falei com ele para apresentar os meus argumentos. [não finita – infinitiva]

Temporal Estabelece a referência temporal em relação à qual a subordinante


é interpretada.
Ex.: Quando deixar de chover, vem até cá a casa.
Até estares mais calmo, não devias falar com a Maria. [não finita – infinitiva]
Uma vez lido o livro, poderei ouvir música. [não finita – participial]
Sossegando o teu espírito, vai falar com a Maria. [não finita – gerundiva]