Você está na página 1de 6

Questões de literatura

1) (Fatec-1995) "Voltaram à baila os deuses esquecidos, as ninfas esquivas, as náiades, as oréadas e os pastores enamorados, as
pastoras insensíveis e os rebanhos numerosos das bucólicas de Teócrito e Virgílio."
(Ronald de Carvalho, PEQUENA HISTÓRIA DE LITERATURA BRASILEIRA)
O trecho acima refere-se ao seguinte movimento literário:
a) Romantismo.
b) Barroco.
c) Arcadismo.
d) Parnasianismo.
e) Naturalismo.

2) (ITA 2001) Leia o texto abaixo e as afirmações que se seguem:


Que falta nesta cidade? Verdade.
Que mais por sua desonra? Honra.
Falta mais que se lhe ponha? Vergonha.
O demo a viver se exponha,
Por mais que a fama a exalta,
Numa cidade onde falta
Verdade, honra, vergonha.
Matos, G. de. "Os melhores poemas de Gregório
de Matos Guerra". Rio de Janeiro: Record, 1990.

I - mantém uma estrutura formal e rítmica regular.


II - enfatiza as idéias opostas.
III - emprega a ordem direta.
IV - refere-se à cidade de São Paulo.
V - emprega a gradação.
Então, pode-se dizer que são verdadeiras
a) apenas I, II, IV.
b) apenas I, II, V.
c) apenas I, III, V
d) apenas I, IV, V.
e) todas.

3). (MACKENZIE 96) O soneto a seguir é representativo da estética:


"Não vira em minha vida a formosura,
Ouvia falar nela cada dia,
E ouvida me incitava, e me movia
A querer ver tão bela arquitetura:
Ontem a vi por minha desventura
Na cara, no bom ar, na galhardia
De uma mulher, que em anjo se mentia;
De um sol, que se trajava em criatura:
Matem-me, disse eu, vendo abrasar-me,
Se esta cousa não é, que encarecer-me
Sabia o mundo, e tanto exagerar-me!
Olhos meus, disse então por defender-me,
Se a beleza heis de ver para matar-me,
Antes olhos cegueis, do que eu perder-me."

a) barroca.
b) simbolista.
c) romântica.
d) parnasiana.
e) árcade.

Profª Luciene Fernandes Loures


4) (Unicamp-2002) Leia o seguinte soneto de Camões:

Oh! Como se me alonga, de ano em ano,


a peregrinação cansada minha.
Como se encurta, e como ao fim caminha
este meu breve e vão discurso humano.
Vai-se gastando a idade e cresce o dano;
perde-se-me um remédio, que inda tinha.
Se por experiência se adivinha,
qualquer grande esperança é grande engano.
Corro após este bem que não se alcança;
no meio do caminho me falece,
mil vezes caio, e perco a confiança.
Quando ele foge, eu tardo; e, na tardança,
se os olhos ergo a ver se inda parece,
da vista se me perde e da esperança.

a) Na primeira estrofe, há uma contraposição expressa pelos verbos alongar e encurtar. A qual deles está associado o cansaço da
vida e qual deles se associa à proximidade da morte?
b) Por que se pode afirmar que existe também uma contraposição no interior do primeiro verso da segunda estrofe?
c) A que termo se refere o pronome “ele” da última estrofe?

5). (FUVEST 95) Os sonetos de Bocage que transpõem poeticamente a experiência do autor na região colonial de Goa
apresentam alguns traços semelhantes aos dos poemas em que, anteriormente, Gregório de Matos enfocara a sociedade
colonial da Bahia. Sob esse aspecto, são traços comuns a ambos os poetas:
a) presunção de superioridade, crítica da vaidade,
preconceito de cor.
b) sensualismo, crítica da presunção, elogio da
mestiçagem.
c) presunção de superioridade, elogio da nobreza local,
sátira da mestiçagem.
d) sensualismo, crítica da nobreza antiga, preconceito de
cor.
e) estilo tropical, crítica da vaidade, elogio da mestiçagem.

6) (Fuvest-1999)
Quando da bela vista e doce riso,
tomando estão meus olhos mantimento,(1)
tão enlevado sinto o pensamento
que me faz ver na terra o Paraíso.

Tanto do bem humano estou diviso, (2)


que qualquer outro bem julgo por vento;
assi, que em caso tal, segundo sento,(3)
assaz de pouco faz quem perde o siso.

Em vos louvar, Senhora, não me fundo,( 4)


porque quem vossas cousas claro sente,
sentirá que não pode merecê-las

Que de tanta estranheza sois ao mundo,


que não é d'estranhar, Dama excelente,
que quem vos fez, fizesse Céu e estrelas.
(Camões, ed. A.J. da Costa Pimpão)

1 Tomando mantimento - tomando consciência


2 Estou diviso - estou separado, apartado.

Profª Luciene Fernandes Loures


3 Sento - sinto
4 Não me fundo - não me empenho.
a) Caracterize brevemente a concepção de mulher que este soneto apresentava.
b) Aponte duas características desse soneto que o filiam ao Classicismo, explicando-as sucintamente

7) (MACKENZIE 97) Assinale a alternativa INCORRETA.

a) Em seus sermões, de estilo conceptista, o Padre Antônio


Vieira segue os moldes da parenética medieval.
b) Caracteriza o Barroco a tentativa de unir os valores
medievais aos renascentistas.
c) O poema épico Prosopopéia foi escrito em versos
decassílabos e oitava-rima e é considerado o marco inicial
do Barroco no Brasil.
d) Apesar de conhecido como poeta satírico, Gregório de
Matos também escreveu poesia lírica e religiosa.
e) O cultismo caracteriza-se como uma seqüência de
raciocínios lógicos, usando uma retórica aprimorada, que
despreza a linguagem rebuscada..

8) (Mack-2004)
Ornemos nossas testas com as flores,
e façamos de feno um brando leito;
prendamo-nos, Marília, em laço estreito,
gozemos do prazer de sãos amores (...)
(...) aproveite-se o tempo, antes que faça
o estrago de roubar ao corpo as forças
e ao semblante a graça.
Tomás Antônio Gonzaga

Nos versos acima,


a) o eu-lírico, ao lamentar as transformações notadas em seu corpo e alma pela passagem do tempo, revela-se amoroso homem
de meia-idade.
b) que retomam tema e estrutura de uma “canção de amigo”, está expresso o estado de alma de quem sente a ausência do ser
amado.
c) nomeia-se diretamente a figura ironizada pelo eu-lírico, a mulher a quem se poderiam fazer convites amorosos mais ousados.
d) em que se notam diálogo e estrutura paralelística, o ponto de vista dominante é o do amante que vê seus sentimentos
antagônicos refletidos na natureza.
e) a natureza é o espaço onde o amado se sente à vontade para expressar diretamente à amada suas inclinações sensuais.

9) (UEL-1996) Assinale a letra correspondente à alternativa que preenche corretamente as lacunas do trecho apresentado.
Simplificando a linguagem lírica de Cláudio Manuel da Costa, mas evitando igualmente a diluição dos valores poéticos no
sentimentalismo, as .............. mais densas, dedicadas a ............., fizeram de .............. uma figura central do nosso Arcadismo.

a) crônicas - Marília - Dirceu.


b) crônicas - Gonzaga - Dirceu.
c) sátiras - Dirceu - Gonzaga.
d) liras - Gonzaga - Dirceu.
e) liras - Marília - Gonzaga.

10) (FUVEST 93)


I. "Porque não merecia o que lograva,
Deixei, como ignorante, o bem que tinha,
Vim sem considerar aonde vinha,
Deixei sem atender o que deixava."

Profª Luciene Fernandes Loures


II."Se a flauta mal cadente
Entoa agora o verso harmonioso,
Sabei, me comunica este saudoso
Influxo a dor veemente;
Não o gênio suave,
Que ouviste já no acento agudo e grave."

III."Da delirante embriaguez de bardo


Sonhos em que afoguei o ardor da vida,
Ardente orvalho de febris pranteios,
Que lucro à alma descrida?"

Cada estrofe, a seu modo, trabalha o tema de um bem, de um amor almejado e passado ou perdido. Avaliando atentamente os
recursos poéticos utilizados em cada uma delas podemos dizer que os movimentos literários a que pertencem I, II e III são
respectivamente:
a) barroco - arcadismo - romantismo.
b) barroco - romantismo - parnasianismo.
c) romantismo - parnasianismo - simbolismo.
d) romantismo - simbolismo - modernismo.
e) parnasianismo - simbolismo - modernismo.

11) (FEI 99)


"Em tristes sombras morre a formosura,
em contínuas tristezas a alegria"

Nos versos citados acima, Gregório de Matos empregou


uma figura de linguagem que consiste em aproximar
termos de significados opostos, como "tristezas" e
"alegria". O nome desta figura de linguagem é:
a) metáfora
b) aliteração
c) eufemismo
d) antítese
e) sinédoque

12) (UNIFESP-2005)
Senhor feudal
Se Pedro Segundo
Vier aqui
Com história
Eu boto ele na cadeia.
Oswald de Andrade

O título do poema de Oswald remete o leitor à Idade Média. Nele, assim como nas cantigas de amor, a idéia de poder retoma o
conceito de
a) fé religiosa.
b) relação de vassalagem.
c) idealização do amor.
d) saudade de um ente distante.
e) igualdade entre as pessoas

Profª Luciene Fernandes Loures


13) (Mack-2005) Assinale a alternativa correta sobre o texto I.
Texto I
Ondas do mar de Vigo,
se vistes meu amigo!
E ai Deus, se verrá cedo!
Ondas do mar levado,
se vistes meu amado!
E ai Deus, se verrá cedo!
Martim Codax
Obs.: verrá = virá
levado = agitado

a) A estrutura paralelística é, neste poema, particularmente expressiva, pois reflete, no plano formal, o movimento de vai-e-vem
das ondas.
b) Nesse texto, os versos livres e brancos são indispensáveis para assegurar o efeito musical da canção.
c) As repetições que marcam o desenvolvimento do texto opõem-se ao tom emotivo do poema.
d) No refrão, a voz das ondas do mar faz-se presente como contraponto irônico ao desejo do eu lírico.
e) É um típico vilancete de tradição popular, com versos em redondilha maior e estrofação irregular.

14. (UFSM 99) Leia a estrofe de Gregório de Matos:


"Ardor em firme coração nascido;
pranto por belos olhos derramado;
incêndio em mares de água disfarçado;
rio de neve em fogo convertido."
Assinale a alternativa em que os dois versos indicados
apresentam metáforas de lágrimas.
a) versos 1 e 2
b) versos 2 e 4
c) versos 2 e 3
d) versos 3 e 4
e) versos 1 e 3

15) (UFBA-2002) SONETO 45


Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o Mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.

Continuamente vemos novidades,


Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem (se algum houve...) as saüdades.

O tempo cobre o chão de verde manto,


Que já coberto foi de neve fria,
E em mi[m] converte em choro o doce canto,

E, afora este mudar-se cada dia,


Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já, como soía*.
CAMÕES, Luís de. Rimas (1ª parte). Obra completa. Rio de Janeiro: Aguilar, 1963. p. 284.
* “soía” (v. 14) - Imperfeito do indicativo do verbo soer, que significa costumar, ser de costume.

A leitura dos dois tercetos permite inferir:


(01) Há ritmos diferentes de mudança, a depender do momento da vida do indivíduo.
(02) A rejeição da instabilidade se torna maior, com o passar do tempo, em decorrência da sabedoria e da experiência
adquiridas.
(04) Há diferenças entre os processos de mudança na natureza e aqueles que ocorrem com o ser humano.

Profª Luciene Fernandes Loures


(08) O processo de mudança na vida dos indivíduos cessa com o decorrer do tempo, atingindo-se a estabilidade.
(16) A ilusão de que nada é permanente acompanha o ser humano em todos os momentos de sua existência.
(32) Cada vez que algo muda no universo mudam-se também as concepções mais arraigadas dos indivíduos.
(64) O processo de mudança exterior ao indivíduo é sempre constante, embora haja uma modificação na forma de percepção
dessa mudança.

Profª Luciene Fernandes Loures