Você está na página 1de 3

Mensalidade do curso: R$ 1.

085,16
O curso de graduação em Direito da Faculdade Redentor teve início no ano de 2011, no
segundo semestre, e já obteve reconhecimento pelo Ministério da Educação – MEC desde
02.12.2014, com a publicação da Portaria n° 575/2014, que concedeu ao curso um conceito
BOM de qualidade, tendo o curso obtido ainda parecer favorável da Ordem dos Advogados
do Brasil - OAB pelo seu reconhecimento.

Apesar de se tratar de um curso ainda jovem, já conta com resultado capaz de expressar,
de maneira concreta, sua qualidade: os alunos do curso de Direito inscritos em seu período
mais avançado conseguiram cem por cento de aprovação no exame da Ordem dos
Advogados do Brasil quando ainda estavam cursando o nono período.

O curso de Direito, com duração de dez períodos, cinco anos, tem o objetivo de preparar
o aluno para três caminhos completamente distintos dentro da enormidade do universo
jurídico: concursos públicos para diversas áreas, tais como magistratura, Ministério Público,
Defensoria Pública, para o cargo de oficial de justiça, de analista judiciário e de técnico; para
a entrada no Mestrado e Doutorado, fortalecendo uma vocação de magistério do graduando,
e para a Advocacia (pública e privada).

Para alcançar essa meta, a Faculdade Redentor tem inserido no seu corpo docente
profissionais com formações distintas, tais como juízes, membros do Ministério Público,
defensores públicos, servidores públicos, mestres, doutores, advogados com especialização
em uma determinada área do Direito, além de contar com uma biblioteca com os melhores
acervos literários e periódicos especializados de cada disciplina que compõe o curso, a
formação de um Núcleo de Prática Jurídica - NPJ moderno e capaz de oferecer o contato
com uma prática jurídica sofisticada, incluindo negociação, conciliação, mediação e
arbitragem.

Desde o início do curso, o aluno de Direito da Faculdade Redentor recebe orientações


concretas (como, por exemplo, a feitura de bons cadernos) que o possibilitarão alcançar um
dos objetivos já pré-estabelecidos, fato que permitirá ao discente uma formação bem
definida e específica, com otimização de seu tempo e de sua produtividade acadêmica.

Com esse propósito, também, é que a Faculdade Redentor apresenta em seu curso um
projeto pedagógico moderno que coloca o Direito Constitucional como centro do
ordenamento jurídico, com especial destaque para os princípios constitucionais e direitos
fundamentais, determinando, assim, uma leitura constitucionalizada de todos os demais
ramos do Direito, hermenêutica esta compatível com as melhores escolas de Direito do País.
Em representando a Constituição da República o centro do ordenamento jurídico, a sua
parte mais importante, os direitos fundamentais podem ser considerados como inseridos na
parte mais nobre deste complexo normativo, determinando, esse paradigma, uma leitura do
Direito a partir de uma filtragem hermenêutica constitucional, com resolução de questões
sofisticadas e que não admitem mais uma resposta jurídica embasada em um curso de
Direito visto a partir de uma leitura apenas Positivista das normas jurídicas, com aplicação
quase que única do princípio da subsunção.

Neste sentido, é que o curso de Direito da Redentor inseriu em seu Projeto Pedagógico
algumas disciplinas diferenciadas das demais grades de um curso jurídico tais como as de
Teoria Geral do Direito Constitucional e de Direitos Fundamentais, além de propor uma
leitura constitucionalizada de todas as outras disciplinas consideradas como formadoras de
um curso jurídico de qualidade (Direito Civil Constitucional, Direito Penal Constitucional,
Direito do Trabalho Constitucional, Direito Tributário Constitucional, entre outras).

Nessas disciplinas, serão estudadas, com uma profundidade vista ordinariamente


somente em cursos de Pós Graduação, teorias a respeito do sistema dos direitos
fundamentais, envolvendo discussões a respeito da eficácia desses direitos e sua
complexidade, abrangendo os conflitos entre direitos desta natureza, o princípio
constitucional da proporcionalidade, o Neoconstitucionalismo, entre outros diversos temais
importantes e tratados nas principais escolas de Direito.

Outro destaque pedagógico do curso de Direito da Faculdade Redentor se consubstancia


na importância conferida ao Português, ao Português Jurídico e as Metodologias Ativas
(projetos integradores e atividades práticas supervisionadas), objetivando preparar o
operador jurídico para o desafio de conseguir materializar toda a sua bagagem intelectual
em instrumentos processuais necessários para a materialização do Direito no dia a dia
(peças processuais, pareceres), além de conferir uma bagagem diferenciada para o aluno
no âmbito da oratória e de debates técnico-jurídicos.
O curso de Direito da Faculdade Redentor contará ainda com a coordenação acadêmica
do professor Cláudio Chequer, profissional com intensa vida acadêmica e prática, já
que Procurador da República desde 1999, Professor de graduação em Direito desde o ano
de 2002, Doutor em Direito Público pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ,
autor dos livros jurídicos “O Ministério Público e a Promoção dos Direitos Fundamentais nas
Relações Privadas” e “A Liberdade de Expressão como Direito Fundamental Preferencial
Prima Facie”, ambos os livros editados pela Editora Lumen Juris, e diversos artigos jurídicos
publicados em periódicos, profissional capaz de contribuir, juntamente com os demais
integrantes do quadro docente do curso de Direito, para a realização de um curso jurídico
de qualidade a ser ministrado no interior do Estado do Rio de Janeiro.

Assim, a Faculdade Redentor passa a oferecer à sociedade não apenas mais um curso
jurídico a ser ministrado em Itaperuna, mas, sim, um curso jurídico que tem por objetivo se
firmar como referência de um ensino jurídico de qualidade em todo o Noroeste Fluminense.
Veja-se abaixo alguns links que levam a artigos escritos pelo coordenador acadêmico
do curso de Direito e que foram publicados em um dos jornais jurídicos mais importantes
do País, o Jornal Carta Forense, de São Paulo:
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/o-artigo-89-da-lei-de-licitacoes-e-a-sua-
correta-interpretacao/16504;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/direito-de-resposta-disciplinado-pela-lei-
131882015-posicao-contraria/16117;
http://www.cartaforense.com.br/autor/claudio-chequer/562;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/o-papel-do-ministerio-publico-no-estado-
contemporaneo/15633;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/a-informacao-midiatica-nao-abrange-a-
propagacao-de-boatos/15185;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/a-critica-jornalistica-ao-homem-publico-
crime-versus-liberdade--de-expressao/14854;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/direito-ao-esquecimento-na-internet-
posicao-contraria/13946;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/o-acolhimento-da-doutrina-da-actual-
malice-pelo-superior-tribunal-de-justica/13628;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/o-concurso-aparente-de-normas-o-efeito-
de-bloqueio-do-direito-alemao-e-sua-aplicacao-no-direito-brasileiro/12743;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/premissas-necessarias-para-interpretar-a-
lei-de-acesso-a-informacao-publica-lei-no-125272011/11961;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/manifestacoes-populares-no-brasil-e-o-
principio-da-proporcionalidade/11501;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/a-desapropriacao-para-fins-de-reforma-
agraria-e-o-principio-da-proporcionalidade/10807;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/o-principio-da-protecao-ao-nucleo-
essencial-do-direito-fundamental-no-direito-brasileiro-aplicacao-e-delimitacao/10163;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/publicidade-dos-salarios-de-servidores-
publicos-posicao-favoravel/9319;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/a-mera-curiosidade-do-publico-nao-faz-
um-assunto-transformar-se-em-tema-de-interesse-publico/8839;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/comentarios-criticos-a-respeito-da-lei-no-
125272012-direito-a-informacao/8633;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/colunas/a-necessidade-de-desenvolvermos-uma-
cultura-argumentativa-racional/8358;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/crime-de-difamacao-art-139-do-cp/8003;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/por-que-a-liberdade-de-expressao-e-um-
direito-fundamental/7736;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/colunas/a-teoria-norte-americana-da-reportagem-
neutra-e-sua-aplicacao--no-direito-brasileiro/7129;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/tres-formas-de-ponderacao-de-
principios/6313;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/liberdade-de-expressao-como-direito-
fundamental-preferencial-prima-facie/5776;
http://www.cartaforense.com.br/conteudo/artigos/o-bloqueio-do-whatsapp-e-o-principio-da-
proporcionalidade/16913;