Você está na página 1de 5

Voltar

São Partes neste Instrumento:

1. - ......................., com sede na Cidade de .......... - ........., e administração na Cidade


do ........... - ..., na AV. ..........., n.º .... - .... andar, inscrito no CNPJ sob o n.º .........,
Instituição Financeira em Regime de Administração Especial Temporária, decretada nos termos
do ATO PRESI N.º ..... de .../.../..., do Banco Central do Brasil, neste ato por seus
representantes legais, a seguir designado CREDOR.

2. - ....................., com sede na Cidade de ........... na AV. ....... - ...... - ......... - .....,
inscrita no CNPJ sob o n.º ......., neste ato por seus representantes legais, a seguir designado
PRIMEIRA DEVEDORA/GARANTIDORA.

3. - ....................., portador da Cédula de Identidade R.G. n.º ....... e inscrito no CPF sob o
n.º ......., com endereço na Rua .........., n.º..... - ......... - ......., a seguir designado SEGUNDO
DEVEDOR.

8. - Na qualidade de Fiel Depositário, ................, já qualificado.

Entre as partes supra nomeadas, fica celebrado o presente Instrumento, nos termos do que
adiante segue esclarecido e pactuado, passando as partes nomeadas nos itens ..... a ...... retro
a serem designadas apenas DEVEDORES.

CLÁUSULA PRIMEIRA

O CREDOR é titular de um crédito no montante de R$ ............ (................), já acrescido de


todos os encargos contratuais, juros moratórios e compensatórios, calculados até ...... de .......
de ......, decorrente da seguinte operação:

a. - Contrato de Mútuo para Repasse de Empréstimo Externo

Resolução ... - firmado em .../.../... n.º ....., para liquidação em .../.../... no valor principal de
US$ ...........( .......... dólares americanos);

CLÁUSULA SEGUNDA
Pelo presente Instrumento e na melhor forma de direito, OS DEVEDORES, cada qual por si,
reconhecem a certeza e liquidez do respectivo crédito referido e discriminado na letra "a" da
cláusula primeira, confessando-se DEVEDORES do CREDOR e assumindo solidariamente a total
responsabilidade pelo adimplemento de toda a dívida que ora reconhecem e confessam como
líquida e certa, na importância total de R$ ............. (..............).

CLÁUSULA TERCEIRA

Os DEVEDORES assumem solidariamente a total responsabilidade pelo adimplemento da dívida


confessada na cláusula segunda, acima, obrigando-se a pagar a dívida confessada, ou seja, R$
.............. (..............) para pagamento através de ........... parcelas, no valor unitário de
R$ ........... (..............) mensais, iguais e consecutivas, com vencimento Inicial previsto
para ..... de ........... de ...... e os demais em iguais dias dos meses e anos subseqüentes.

3.1. - os valores das parcelas retro mencionadas (cláusula terceira), ficarão sujeitos aos
encargos calculados da seguinte forma:

a. - TAXA REFERENCIAL - TR, divulgada em cada mês, para os dias correspondentes aos dos
vencimentos das obrigações (Data base), calculada desde .../.../... até as Datas de seus
respectivos vencimentos, acrescidas de 16 % (dezesseis por cento) ao ano.

Parágrafo único: Nos períodos inferiores ao prazo de incidência mencionado no "caput" desta
cláusula, será utilizado o critério "pro-rata" dias, de acordo com as normas regulamentares em
vigor, tanto quanto à TR -TAXA REFERENCIAL como aos pontos percentuais.

Parágrafo Segundo: Na hipótese de extinção da TR - TAXA REFERENCIAL, Ou se pela


superveniência de normas legais ou regulamentares, ela não puder ser utilizada para
atualização das operações ativas e/ou passivas das instituições Financeiras, ou ainda, caso se
alterem os critérios de sua aplicabilidade nas operações mencionadas, a nova taxa de
atualização ou referidas alterações nos critérios de aplicação da TR - Taxa Referencial serão,
desde logo, automaticamente aplicáveis a este instrumento.

CLÁUSULA QUARTA

No caso de impontualidade no pagamento das parcelas referidas neste instrumento, o débito


em atraso ficará sujeito, a contar da Data do inadimplemento, aos seguintes encargos:

a. - comissão de permanência calculada de acordo com as normas vigentes do Banco Central


do Brasil;
b. - juros de mora à taxa de 1 % (um por cento) ao mês, calculados sobre o débito atualizado,
e;

c. - multa de 10% (dez por cento)sobre as importâncias devidas.

CLÁUSULA QUINTA

O não pagamento de quaisquer parcelas, bem como o descumprimento de quaisquer das


obrigações constantes deste instrumento, facultará ao CREDOR considerá-lo antecipadamente
vencido, pelo saldo remanescente, cujo valor será exigível, independentemente de
interpelação ou notificação, judicial ou extrajudicial, sem prejuízo do que dispõe a cláusula
anterior.

5.1. Na hipótese de inadimplemento, pelos DEVEDORES, de qualquer obrigação não pecuniária


contraída pelas partes, será devida a multa de 10% (dez por cento) sobre o saldo devedor na
Data em que ocorrer o inadimplemento.

CLÁUSULA SEXTA

Os DEVEDORES pagarão os valores principais e acessórios, inclusive IOC (IMPOSTO SOBRE


OPERAÇÕES DE CRÉDITO), decorrentes deste instrumento.

CLÁUSULA SÉTIMA

Os pagamentos das parcelas referidas na cláusula terceira deverão ser efetuados através de
débito em conta corrente n.º ............. em nome da ................., junto à .................
do ................, situada na Rua .............., ........, ..............-....

CLÁUSULA OITAVA

Para assegurar o cumprimento das obrigações decorrentes deste Instrumento, principal e


acessórias, a TERCEIRA DEVEDORA E GARANTIDORA, com aquiescência dos demais
DEVEDORES, constituem a garantia de Penhor Mercantil dos bens, relacionados no
Instrumento de Constituição de Garantias que fazem parte integrante e inseparável deste
instrumento, os quais são de sua exclusiva propriedade, encontrando-se livres e
desembaraçados de qualquer ônus de qualquer espécie.
CLAUSULA NONA

O CREDOR poderá a qualquer tempo, independentemente de notificação aos DEVEDORES,


ceder o crédito decorrente deste Instrumento.

CLÁUSULA DÉCIMA

OS DEVEDORES autorizam o CREDOR a debitar quaisquer contas de que sejam titulares, até
quanto os fundos comportarem, toda a quantia devida i em razão deste Instrumento.

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA

Fica eleito, para dirimir as questões decorrentes deste Instrumento o foro do domicílio da sede
do CREDOR ou de quaisquer de suas filiais, podendo este, a seu critério, optar pelo domicílio
de quaisquer dos DEVEDORES.

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA

OS DEVEDORES, na qualidade de devedores solidários entre si, declaram aceitar todos os


termos e condições do presente instrumento.

E, por estarem justas e contratadas, firmam o presente instrumento em 08 (quatro) vias de


igual teor e forma, na presença de duas testemunhas.

.........., ..... de ...... de ......

DEVEDORES: ...............
..........................

FIEL DEPOSITÁRIO:..........

TESTEMUNHAS:

NOME: ...........

CPF: ............

NOME: ...........

CPF: ............