Você está na página 1de 40

CARTILHA DOS

28,86%
UNAFISCO SINDICAL
CARTILHA DOS 28,86%

SUMÁRIO
Apresentação.................................................................. 07
1- Qual a origem do reajuste de 28,86%? ...................... 09
2- Quem tem direito a este reajuste?.............................. 11
3- Quem não figura no rol de beneficiários das ações
também tem direito ao reajuste? .................................... 12
4- Quem não está no rol de beneficiários será incluído no
requerimento pedindo a implantação do reajuste na remu-
neração atual?................................................................. 13
5- Quem não está no rol de beneficiários das ações será
incluído na execução dos atrasados? ............................. 13
6- Como faço para saber em qual ação estou?............... 14
7- O reajuste é de 28,86% integral ou haverá algum des-
conto ou compensação? ................................................. 15
8- Como sei se fui beneficiado pelo reenquadramento/
reposicionamento previsto na Lei 8.627/93? ................ 16
9- Para qual período será feito o cálculo dos atrasados? 16
10- O reajuste que será pedido para ser implantado no con-
tracheque incidirá sobre a remuneração atual ou sobre
a remuneração em vigor antes da MP 1.915 (atual MP
2.175)? ........................................................................... 16
11- Quais rubricas (ou verbas) sofrerão a incidência do
reajuste? ......................................................................... 16
12- O reajuste incidirá sobre verbas de FG e DAS? ...... 16
UNAFISCO SINDICAL

13- O reajuste incide sobre a RAV? ............................... 18


14- Como e quando saberei qual é o valor de atrasados a
que tenho direito?........................................................... 19
15- Os cálculos estão sendo acompanhados por perito? 19
16- Em que argumentos o Unafisco se baseou para estabe-
lecer, em conjunto com o perito e a empresa contratada, os
critérios para os cálculos................................................ 19
17- Quando estaremos recebendo os atrasados?............ 20
18- E quando o reajuste será implementado no contrache-
que? ................................................................................ 20
19- Para os aposentados e pensionistas será requerida a
implantação do reajuste sobre a remuneração atual com
GDAT individual e institucional? .................................. 20
20- A União ainda pode questionar ou recorrer da decisão
que concedeu o reajuste, suspender a execução dos atrasa-
dos ou suspender a implantação do reajuste no contrache-
que? ................................................................................ 20
21- Há o risco de ter de arcar com algum valor se perder-
mos a execução ou se a União sair vitoriosa na ação resci-
sória? Como fica o ônus da sucumbência? .................... 22
22- Haverá algum custo para o início da execução além dos
R$ 19,90 já pagos para a realização dos cálculos? ........ 23
23- Antes de tomar posse no cargo de AFRF, fui servidor
federal em outro cargo depois de janeiro/93. As ações do
Unafisco atingem também este período em que estava em
outro cargo? ................................................................... 24
CARTILHA DOS 28,86%

24- Como faço para executar os valores a que tenho direito


com referência a outro cargo no serviço público federal ?
........................................................................................ 24
25- Os advogados do Unafisco Sindical não podem repre-
sentar o AFRF interessado em executar tais valores?.... 25
26- Como fica a situação de quem assinou acordo com a
administração? .............................................................. 25
27- Como saber se celebrei acordo antes do trânsito em
julgado da ação na qual estou incluído? ........................ 27
28- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86% con-
forme proposta do governo e, posteriormente, protocoli-
zei pedido de retratação e devolvi integralmente os valores
recebidos. Como fica minha situação?........................... 27
29- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86% con-
forme proposta do governo e, posteriormente, protocolizei
pedido de retratação, mas não devolvi os valores recebi-
dos. Como fica minha situação? .................................... 28
30- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86% con-
forme proposta do governo e, posteriormente, protocolizei
pedido de retratação, mas nenhum valor foi devolvido e
fui chamado a fazer o depósito do valor integral do que já
recebi. Como devo proceder? ........................................ 28
31- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86%
conforme proposta do governo e ainda não protocoli-
zei nenhum pedido de retratação. Posso propor a exe-
cução? ................................................................ 28
UNAFISCO SINDICAL

ANEXOS
I - Modelo de retratação ao termo de transação judi-
cial ................................................................. 31
II - Modelo de carta reafirmando retratação após
intimidação para devolver valores recebidos ..... 33
III - Rubricas sobre as quais incidirá o reajuste de
28,86% ........................................................... 35
CARTILHA DOS 28,86%

APRESENTAÇÃO

O andamento dos trabalhos tendo em vista a execução


das ações judiciais impetradas pelo Unasco Sindical visando
à extensão do reajuste de 28,86%, concedido em janeiro 1993
aos servidores militares pela Lei 8.627/93, tem sido fonte de
muitas dúvidas e questionamentos por parte dos associados do
Sindicato.

Ciente dessa realidade, a Diretoria Executiva Nacional,


por intermédio do seu Departamento Jurídico, houve por bem
editar esta cartilha que busca esclarecer as dúvidas que têm
sido apresentadas ao sindicato.

As respostas estão fundamentadas nas petições e deci-


sões proferidas nos processos, já transitados em julgado, e
principalmente em pareceres jurídicos elaborados por duas
grandes autoridades do Direito pátrio, a pedido do Unasco
Sindical: as questões na área do Direito Administrativo (mate-
rial) foram respondidas com base em parecer da professora
titular de Direito Administrativo da USP, Maria Sylvia Zanella
Di Pietro; as questões envolvendo aspectos processuais tive-
ram como base as orientações contidas no parecer elaborado
pelo professor Cândido Rangel Dinamarco, especialista em
Processo de Execução, também titular da USP.

A execução dos 28,86%, na avaliação da DEN e do seu


Departamento Jurídico, é um desao gigantesco que deverá
contar, como já vem ocorrendo, além do corpo jurídico do
Sindicato, com o apoio de assessoria de cálculo, peritos judi-
ciais, especialistas em Direito, sem falar da estrutura material
8 - UNAFISCO SINDICAL

necessária à proposição e ao acompanhamento dos processos


de execução até sua conclusão. Esse desao cou ainda maior
com as ações rescisórias interpostas pela União visando a des-
constituir os acórdãos do TRF/5ª Região.

O Sindicato não tem poupado esforços e recursos para o


sucesso dessa empreitada. Para defender o interesse dos asso-
ciados nas ações rescisórias, o Unasco Sindical contratou
o escritório Dinamarco, Rossi e Lucon, cujo principal sócio
é o professor Cândido Rangel Dinamarco. Paralelamente, o
Departamento Jurídico está acompanhando de perto e orien-
tando a conclusão dos cálculos pela empresa contratada, que
ainda conta com a assessoria de um experiente perito judicial.
Em breve, cada associado receberá em sua casa a planilha de
cálculo dos atrasados a que tem direito.

O presente trabalho visa a dar transparência aos asso-


ciados sobre a situação dos processos, bem como informá-los
sobre os critérios que vêm sendo adotados pela Direção Nacio-
nal no que se refere a essa questão.

Esta cartilha não tem a pretensão de ver o assunto esgo-


tado, podendo ser revista e ampliada, até mesmo com nova
edição, caso se revele necessário.

DIRETORIA EXECUTIVA NACIONAL


UNAFISCO SINDICAL
CARTILHA DOS 28,86% - 9

1- Qual a origem do reajuste de 28,86%?


Para melhor compreensão da origem desse reajuste é
importante que façamos um resgate histórico do assunto,
para o que aproveitamos em grande parte um trabalho seme-
lhante feito pela Confederação dos Trabalhadores no Serviço
Público Federal (Condsef). As demais questões foram elabo-
radas integralmente pelo Departamento Jurídico do Unasco
Sindical.

SETEMBRO/92:
Com o advento da Lei 8.460/92 houve um remaneja-
mento estrutural na tabela de pessoal, pela qual os servidores
públicos federais, por força dos ditames emanados da citada
lei, foram submetidos a novo enquadramento com perda de
3 (três) referências.

OUTUBRO/92:
O próprio STF, por meio da Resolução nº 7, publicada
no DJ do dia 22/10/92, devolve aos servidores do Poder Judi-
ciário as referências perdidas, sem que fosse determinado
qualquer tipo de compensação com futuros reajustes.

JANEIRO/93:
Concedido reajuste geral para os servidores públicos
federais civis e militares de 100% mais CR$ 102.000,00.
Fora o reajuste geral, os servidores militares receberam
28,86% a mais que os servidores civis.

FEVEREIRO/93:
Edição da Lei 8.627/93, que assim se expressa: “Espe-
cica critérios para reposicionamento de servidores públicos
10 - UNAFISCO SINDICAL

federais civis”. Tal legislação devolve as referências ante-


riormente retiradas pela Lei 8.460/92. Registra-se que com a
Lei 8.460/92 não foi retirado nada dos servidores militares.

ABRIL/93:
Concessão, por parte do STF, do índice percentual de
28,86%, em sessão administrativa, na sua integridade, sem
qualquer referência à possibilidade de compensação a qual-
quer título, desconsiderando até mesmo a majoração advinda
do reposicionamento por força da Resolução nº 87, que
devolve as referências retiradas pela Lei 8.460/92. Neste
mesmo período o reajuste foi estendido administrativamente
para os servidores do Poder Legislativo e Tribunal de Contas
da União (TCU).

FEVEREIRO/97:
O STF, em sessão plenária, julga o MS 22.307-7/DF e,
por maioria, concede aos servidores públicos federais civis o
direito ao índice percentual de 28,86% em sua integridade,
inexistindo, até então, na presente demanda, qualquer pedido
de compensação, por parte da União, a qualquer título que
seja.

MAIO/97:
O Unasco Sindical protocoliza ação ordinária na 2ª
Vara da Justiça Federal de Alagoas, que recebeu o número
97.0003485-0, pleiteando o reajuste de 28,86% na remune-
ração dos Auditores-Fiscais desde janeiro/93.
CARTILHA DOS 28,86% - 11

OUTUBRO 97:
O Unasco Sindical protocoliza ação ordinária na 2ª
Vara da Justiça Federal de Alagoas, que recebeu o número
97.0006372-0, pleiteando o reajuste de 28,86% na remune-
ração dos Auditores-Fiscais desde janeiro/93.

JANEIRO/98:
O Unasco Sindical protocoliza ação ordinária na 1ª
Vara da Justiça Federal de Alagoas, que recebeu o número
98.000008-9, pleiteando o reajuste de 28,86% na remunera-
ção dos Auditores-Fiscais desde janeiro/93.

MARÇO/98:
Em sessão plenária, o STF julga embargo de declaração
oposto pela União nos autos do processo MS 22.307-7/DF,
cujo objeto é compensar o índice de 28,86%, já deferido
em sua integridade, com as majorações advindas dos inters-
tícios galgados pelos servidores públicos federais civis a
título de reposicionamento (promoção) determinado pela Lei
8.627/93, desconsiderando que tais interstícios são fruto de
correção funcional cuja distorção é oriunda da Lei 8.460/92.

2- Quem tem direito a este reajuste?


Inicialmente, todos os AFRFs liados ao Unasco Sin-
dical até dezembro/97 que constam do rol de beneciários
das ações têm direito ao reajuste.
12 - UNAFISCO SINDICAL

3- Quem não figura no rol de beneficiários das ações


também tem direito ao reajuste?
O AFRF que não gura no rol de beneciários, mas
que seja atualmente liado ao Unasco Sindical, também
tem direito ao reajuste, inclusive quem tomou posse no cargo
após dezembro/1997.
Esse posicionamento está de acordo com a moderna
doutrina processual sobre os chamados direitos transindivi-
duais, que tem como um dos seus defensores o professor
Cândido Rangel Dinamarco, professor titular da USP e autor
de vários livros sobre o tema, que, em parecer encomendado
pelo Unasco, assim se manifestou:
Vê-se portanto que por dois aspectos essenciais se
caracteriza a técnica processual empregada para
a tutela referente aos valores transindividuais: a)
a outorga de legitimidade ao Ministério Público,
aos sindicatos e outras entidades para agirem em
juízo e (b) a extensão dos efeitos da sentença e
da sua autoridade de coisa julgada a sujeitos que
não zeram parte do processo mas que a lei consi-
dera legitimamente representados pelas entidades
autorizadas a agir.
...
Não me passa despercebido que três foram os
processos de conhecimento instaurados por inicia-
tiva do Unasco e não um só. Em cada um deles, o
ora consulente listou os auditores-scais que repu-
tou substituídos, tomando o cuidado de voltar duas
vezes a juízo precisamente porque depois da pri-
meira iniciativa novos sindicalizados se acresce-
ram aos que existiam antes. Isso não seria sequer
necessário. É inerente a ratio das tutelas coletivas
CARTILHA DOS 28,86% - 13

como essa a abrangência geral, capaz de favo-


recer todos os integrantes da categoria, indepen-
dentemente do momento do ingresso. Por isso é
que, depois do trânsito em julgado, cada um deles
(novos e antigos) deverá produzir a prova de suas
condições pessoais de tempo de serviço, nível de
carreira e mesmo a sua condição de auditor sindi-
calizado - o que não acontece no campo da tutela
individual, onde a liquidação é rigorosamente
reservada à descoberta do quantum, estando para
trás tudo quanto se refere ao an debeatur. A regra
limitativa da coisa julgada às partes do processo
(CPC, art. 472) reside nas plagas da tutela indivi-
dual e aqui, na coletiva, é vista de outra maneira.

4- Quem não está no rol de beneficiários será incluído


no requerimento pedindo a implantação do reajuste
na remuneração atual?
Sim, pelos mesmos fundamentos expostos na resposta
anterior.

5- Quem não está no rol de beneficiários das ações


será incluído na execução dos atrasados?
Sim, desde que os interessados autorizem.
Isso porque, quanto a esses AFRFs, existem algu-
mas questões a considerar. O Unasco ainda não detém as
chas nanceiras deles, e há um risco bem maior de insu-
cesso da execução, embora a tese jurídica que os inclui
como beneciários do reajuste seja defendida por uma das
maiores autoridades atuais do Direito Processual Civil, o
professor Cândido Rangel Dinamarco. Desse modo, será
14 - UNAFISCO SINDICAL

feita uma consulta individual sobre o interesse na execu-


ção dos atrasados. Dos que demonstrarem interesse será
solicitado o fornecimento, pela administração, das chas
nanceiras para efetivação dos cálculos e posterior início
da execução.

6- Como faço para saber em qual ação estou?


Depende de quando você se liou ao Sindicato:
• Filiado até maio/1997 - ação 97.0003486-0
• Filiado de maio/1997 a outubro/1997
- ação 97.0006782-0
• Filiado de novembro a dezembro/1997
- ação 98-0000008-0
Para conrmar, vá até o site do Departamento Jurídico
do Unasco no endereço www.unasco.org.br/juridico/
default.cfm. Escolha a opção “Consulta processual”. Clique
na primeira letra de seu nome e role a tela até encontrá-lo. Na
linha posterior ao seu nome existe uma lista com os códigos
das ações nas quais você está incluído. Clique em “Clique
aqui para consultar a legenda dos processos” para saber a
quais ações se referem os códigos encontrados.

7- O reajuste é de 28,86% integral ou haverá algum


desconto ou compensação?
A execução dos atrasados e o pedido de implantação do
reajuste no contracheque serão feitos de acordo com o con-
teúdo dos acórdãos que transitaram em julgado.
Nos três acórdãos, a União foi condenada a implantar
o reajuste de 28,86% na remuneração dos AFRFs, incluindo
o pagamento dos atrasados desde janeiro/93, descontando-se
os reajustes porventura já concedidos pela Lei 8.627/93. Essa
CARTILHA DOS 28,86% - 15

lei, por sua vez, determinou que os servidores civis fossem


reenquadrados e reposicionados em até três padrões. Sendo
assim, os AFRFs têm direito a um reajuste de 28,86% no
vencimento básico e rubricas vencimentais, descontando-se
o benefício porventura obtido com o posicionamento na nova
classe/padrão. Não há como apontar genericamente qual
o percentual que isso representa, pois depende da classe/
padrão na qual o AFRF estava posicionado em janeiro/93 e
para qual foi reposicionado. Quem não foi beneciado pela
Lei 8.627/93 tem direito ao reajuste de 28,86% integral sobre
o vencimento básico e rubricas vencimentais.
Sobre a RAV, serão calculados os 28,86%, integral-
mente.

8- Como saber se fui beneficiado pelo


reenquadramento/reposicionamento previsto na Lei
8.627/93?
Isso depende, basicamente, da data de ingresso no
cargo:
posse no cargo antes de 01/09/1992 - provavelmente foi
beneciado pela Lei 8.627/93;
posse no cargo após 01/09/1992 - provavelmente não
foi beneciado pela Lei 8.627/93;
posse no cargo após 01/01/1995 - certamente não foi
beneciado pela Lei 8.627/93.
Para saber com certeza se foi ou não beneciado pela
Lei 8.627/93, o/a AFRF ou o(a) pensionista deve vericar
seus contracheques desde janeiro/93 para certicar-se de sua
evolução funcional quanto a classe/padrão e constatar se foi
ou não beneciado com as três referências.
16 - UNAFISCO SINDICAL

9- Para qual período será feito o cálculo dos atrasa-


dos?
Os atrasados serão calculados de janeiro/93 a
dezembro/2000.
Logo que seja implantado o reajuste nos contracheques,
o Unasco Sindical pleiteará o envio das chas nanceiras
de janeiro/2001 até a data da implantação para que seja exe-
cutada a complementação dos atrasados.

10- O reajuste que será pedido para ser implantado


no contracheque incidirá sobre a remuneração atual
ou sobre a remuneração em vigor antes da MP 1.915
(atual MP 2.175)?
O Unasco Sindical irá requerer ao juízo que determine
a implantação do reajuste na atual remuneração, efetuados os
descontos que o acórdão determina que sejam feitos.

11- Quais rubricas (ou verbas) sofrerão a incidência


do reajuste?
As rubricas que sofrerão o reajuste são as que constam
da relação que se encontra no nal desta cartilha.
12- O reajuste incidirá sobre verbas de FG e DAS?
Sim. No parecer encomendado à professora Maria
Sylvia Zanella Di Pietro houve um quesito especíco sobre
o assunto e a jurista, em síntese, assim se manifestou:
Conforme consta do referido acórdão proferido
pelo Tribunal Regional da 5ª Região na Apelação
Cível nº 129248-AL, o reajuste “deve incidir sobre
o vencimento básico e as demais vantagens ven-
cimentais”. Na justicativa, o Relator arma que
CARTILHA DOS 28,86% - 17

“a Lei nº 8.622, de 1922, não deixa margem de


dúvidas quanto ao alcance do mencionado rea-
juste, quando dispôs, expressamente, sobre …revi-
são geral da remuneração dos servidores públicos
civis e militares do Poder Executivo Federal”.
Vale dizer que o acórdão reconheceu o
direito dos Auditores-Fiscais pela forma como foi
pedido na petição inicial, ou seja, abrangendo a
remuneração, tal como denida na Lei nº 8.852/94
(art. 1º, III). Isto inclui a “soma dos vencimentos
com os adicionais de caráter individual e demais
vantagens, nesta compreendidas as relativas à
natureza ou ao local de trabalho e a prevista no
artigo 62 da Lei nº 8.112/90, ou outra paga sob o
mesmo fundamento”.
Há no dispositivo expressa menção ao
artigo 62 da Lei nº 8.112/90, que se refere à grati-
cação pelo exercício de função de direção, chea
e assessoramento e aos vencimentos dos cargos
em comissão (§ 5º).
Se o cargo em comissão ou a função de con-
ança têm também o seu valor denido em tabela
anexa à lei que dene os vencimentos dos servi-
dores e sendo o reajuste concedido com base no
artigo 37, X, da Constituição (ainda que por força
de decisão judicial), não há dúvida de que o índice
de 28,86% incide também sobre esses valores.
18 - UNAFISCO SINDICAL

13- O reajuste incide sobre a RAV?


Sim. No parecer encomendado à professora Maria
Sylvia Zanella Di Pietro houve um quesito especíco sobre
o assunto, e a jurista, em síntese, assim se manifestou:
A Lei nº 8.852/94, no artigo 1º, dene o venci-
mento, os vencimentos e a remuneração.
O vencimento equivale, para os servidores
civis, à retribuição pelo exercício de cargo público,
com valor xado em lei (inciso I).
Os vencimentos correspondem à “soma do
vencimento básico com as vantagens permanentes
relativas ao cargo, emprego, posto ou graduação”
(inciso II).
A remuneração corresponde à soma dos ven-
cimentos com os adicionais de caráter individual e
demais vantagens, nestas compreendidas as relati-
vas à natureza ou ao local de trabalho e a pre-
vista no artigo 62 da Lei nº 8.112/90 (graticação
pelo exercício de função de direção, chea ou
assessoramento), ou outra paga sob o mesmo fun-
damento (inciso III). Do conceito de remunera-
ção são excluídas algumas vantagens pecuniárias
expressamente elencadas no mesmo inciso III.
Assim sendo, tendo as decisões judiciais deter-
minado a incidência do reajuste sobre os vencimen-
tos, tem-se que entender, de acordo com o conceito
legal do vocábulo, que o reajuste de 28,86% tem que
incidir sobre as parcelas que o compõem, a saber,
o vencimento básico, tal como denido na tabela
vigente à época da concessão do reajuste, mais as
vantagens permanentes relativas ao cargo, como é o
caso da Retribuição Adicional Variável - RAV.
CARTILHA DOS 28,86% - 19

14- Como e quando saberei qual é o valor de atrasa-


dos a que tenho direito?
Os cálculos estão em fase nal e, nas próximas sema-
nas, o Unasco enviará para a casa de todos os associados a
planilha de cálculo dos atrasados para ciência do valor a que
cada AFRF tem direito.
O site do Sindicato também disponibilizará, em breve,
meio de consulta personalizado e seguro desse valor.

15- Os cálculos estão sendo acompanhados por


perito?
Sim. O Unasco Sindical contratou a empresa CCL -
Contabilidade e Consultoria S/C Ltda., conforme decisão da
Assembléia da categoria, para a realização dos cálculos. Esta
empresa, conforme estabelecido na proposta e no contrato,
contratou perito contábil com larga experiência em cálculos
na Justiça Federal para coordenar os trabalhos.

16- Em que argumentos o Unafisco se baseou para


estabelecer, em conjunto com o perito e a empresa
contratada, os critérios para os cálculos?
Além da análise do Departamento Jurídico, os critérios
para os cálculos basearam-se nas conclusões dos pareceres
que o Unasco Sindical contratou com a advogada Maria
Sylvia Zanella Di Pietro, professora titular da USP, e com
o advogado Cândido Rangel Dinamarco, professor titular da
USP, ambos reconhecidos como as maiores autoridades nas
áreas do Direito Administrativo e Direito Processual Civil,
respectivamente.
20 - UNAFISCO SINDICAL

17- Quando estaremos recebendo os atrasados?


Não é possível precisar uma data para o recebimento
dos atrasados, pois isso depende de procedimentos da Jus-
tiça e dos possíveis embargos e recursos que a União poderá
apresentar.

18- E quando o reajuste será implementado no con-


tracheque?
Não é possível precisar uma data para a implementa-
ção do reajuste no contracheque, pois isso depende de pro-
cedimentos da Justiça e dos possíveis recursos que a União
poderá apresentar.

19- Para os aposentados e pensionistas será reque-


rida a implantação do reajuste sobre a remuneração
atual com GDAT individual e institucional?
Sim. A implantação do reajuste para aposentados e pen-
sionistas será requerida considerando tanto a GDAT indivi-
dual quanto a institucional, vale dizer, com GDAT de 50%.

20- A União ainda pode questionar ou recorrer da


decisão que concedeu o reajuste, suspender a execu-
ção dos atrasados ou suspender a implantação do
reajuste no contracheque?
Sim. Embora as ações tenham transitado em jul-
gado e, portanto, não caiba mais nenhum recurso naque-
las ações, o Código de Processo Civil prevê a hipótese
de embargos à execução e de ação rescisória.
Os embargos à execução da sentença são ações
próprias para questionar, por exemplo, excesso de exe-
CARTILHA DOS 28,86% - 21

cução. Os cálculos estão sendo efetuados com base no


que dispõem os acórdãos favoráveis ao Unafisco, mas
a União, visando a diminuir o montante ou retardar o
pagamento dos valores devidos, geralmente apresenta
embargos à execução. Os valores questionados serão
objeto de sentença do juiz da execução, passível de
recurso para o Tribunal Regional. Da parte incontro-
versa (não embargada) pode ser solicitada a imediata
inscrição em precatório.
Os acórdãos transitados em julgado também podem,
em algumas hipóteses bastante restritas, ser objeto de
ação rescisória antes de se completar dois anos do trân-
sito em julgado.
Foi o que fez a União em relação aos processos
do Unafisco. A Advocacia-Geral da União ajuizou ação
rescisória, no Tribunal em Recife, contra cada um dos
processos do Unafisco, pretendendo desconstituir o
acórdão, principalmente no que se refere à incidência
do reajuste sobre a RAV. Como essa ação não sus-
pende a execução, a União pleiteou essa suspensão por
meio de medidas cautelares. As liminares nas três ações
foram negadas.
Os argumentos da União envolvem principalmente
questões de cunho processual. Por isso, o Unafisco Sin-
dical contratou o escritório Dinamarco, Rossi e Lucon
para patrocinar a defesa do Unafisco tanto nas ações
rescisórias quanto nas medidas cautelares. Os proces-
sos estão atualmente em fase de réplica da União.
22 - UNAFISCO SINDICAL

21- Há o risco de ter de arcar com algum valor se


perdermos a execução ou se a União sair vitoriosa
na ação rescisória? Como fica o ônus da sucumbên-
cia?
Sim. Embora o risco seja remoto, ele existe. Tanto
nosso Departamento Jurídico quanto o escritório contratado
para a defesa nas ações recisórias avaliam que a possibili-
dade de a União sair vencedora na ação rescisória é bem
pequena, mas existe. Nessas ações a União pleiteia a inver-
são da condenação em custas e honorários de sucumbência à
qual foi submetida no julgamento das ações interpostas pelo
Unasco Sindical. Na hipótese, repita-se, bastante imprová-
vel, de o juiz acolher a tese da União, além de perder o rea-
juste sobre a RAV, os AFRFs poderão ser condenados a arcar
com honorários de sucumbência, xados em 10% do valor
do benefício econômico pleiteado na ação que reconheceu o
direito ao reajuste.
No caso especíco das ações de execução, o percentual
dos honorários de sucumbência seria aplicado sobre o valor
que a União conseguir excluir da execução, via embargos ou
pela desconstituição da sentença por meio da ação rescisória.
Esse percentual pode variar de 10 a 20% do valor executado
a maior.
Exemplos:
• O Unasco inicia a execução dos atrasados, em favor
de um AFRF, no valor de R$ 100.000,00. A União obtém
êxito na ação rescisória. O AFRF arcará com honorários de
sucumbência de 10% sobre a inversão da condenação na
ação ordinária, na parte relativa à RAV (que xou o reajuste
devido), mais o percentual que vier a ser xado pelo excesso
de execução (em face da inclusão do reajuste sobre a RAV).
CARTILHA DOS 28,86% - 23

• O Unasco, ao mesmo tempo que se defende na ação


rescisória, vindo a obter êxito ao nal, inicia a execução
dos atrasados no valor de R$ 100.000,00. A União recorre
do valor integral e consegue excluir R$ 20.000,00. O AFRF
receberá R$ 80.000,00 e terá de arcar com honorários de
sucumbência de R$ 2.000,00 a R$ 4.000,00. Este valor seria
compensado com a condenação da União no mesmo percen-
tual, sobre a parte mantida (R$ 80.000,00).

22- Haverá algum custo para o início da execução


além dos R$ 19,90 já pagos para a realização dos
cálculos?
Sim. O AFRF terá de arcar com as custas processuais
iniciais, de recurso, se for o caso, de perícia, se for necessá-
rio, e outras que porventura surjam.
O ajuizamento da ação de execução deve ser precedido
do pagamentos de custas iniciais que correspondem a 50%
das custas processuais. Outros 50% serão devidos no caso de
recurso contra eventual sentença desfavorável ao Unasco
nos prováveis embargos à execução da União.
Segundo a Lei 9.289/96, as custas processuais na Jus-
tiça Federal são de 1% do valor da causa, limitado este valor
a R$ 1.915,38.
O Judiciário costuma estipular em no máximo cinco
interessados por ações intentadas em litisconsórcio. O Una-
sco Sindical buscará ampliar este número de forma a con-
templar pelo menos vinte associados em cada processo.
Nesse caso, cada associado terá de arcar com custas iniciais
de R$ 47,88, podendo ter de arcar com o mesmo valor no
caso de ser necessário o recurso de sentença desfavorável ao
Unasco nos eventuais embargos à execução da União. Se
24 - UNAFISCO SINDICAL

for limitado um número menor de autores por ação de exe-


cução, o custo individual aumentará proporcionalmente.
Além desse valor, se for necessário perícia judicial, o
AFRF terá de arcar com as custas do perito judicial e do
assistente técnico. Estes valores não podem ser precisados de
imediato, mas, consultando informalmente o perito que rea-
liza os cálculos para o Unasco, obteve-se a informação de
que esses valores dicilmente ultrapassam, em cada caso, R$
100,00 por auditor.
Qualquer outra despesa necessária para o bom anda-
mento dos processos será suportada também individual-
mente.

23- Antes de tomar posse no cargo de AFRF, fui ser-


vidor federal em outro cargo depois de janeiro/93.
As ações do Unafisco atingem também esse período
em que estava em outro cargo?
Não. Essa questão foi denida pelo jurista Cândido
Rangel Dinamarco, que entende que os acórdãos das ações
do Unasco Sindical abrangem somente o período a partir do
qual o associado é Auditor-Fiscal.

24- Como faço para executar os valores a que tenho


direito com referência a outro cargo no serviço
público federal?
Se o interessado tiver sido sindicalizado em outra enti-
dade naquele período em que exerceu outro cargo e esta
entidade tiver acórdão transitado em julgado que garanta
o reajuste, deve ser constituído advogado que irá requerer
a expedição de carta de sentença no respectivo processo
para posterior execução individual ou em grupos indivi-
CARTILHA DOS 28,86% - 25

dualizados. O sindicato daquela categoria a que o interes-


sado pertencia não pode agir como substituto processual
do interessado, uma vez que este não mais pertence àquela
categoria, carecendo a entidade em questão de legitimidade
processual para agir em nome do interessado.

25- Os advogados do Unafisco Sindical não podem


representar o AFRF interessado em executar tais
valores?
Quaisquer advogados, inclusive os do Unasco Sindi-
cal, podem ser constituídos para levar adiante a execução
proferida em outro processo coletivo. No momento, porém, a
prioridade do Sindicato é se estruturar para organizar e ajui-
zar a execução dos valores devidos aos associados referente
ao cargo de auditor-scal. Uma vez concluída essa etapa os
advogados do Sindicato poderão patrocinar as ações de exe-
cução das diferenças devidas a associados decorrentes do
exercício de outros cargos. Nesse caso, os interessados deve-
rão disponibilizar toda a documentação necessária para a
execução, tais como chas nanceiras e planilhas de cálculo,
se já efetuado, bem como assumir todas as despesas do pro-
cesso.
26- Como fica a situação de quem assinou acordo
com a administração?
No parecer que o Unasco Sindical contratou com o
professor Cândido Rangel Dinamarco este foi um dos prin-
cipais tópicos abordados.
O eminente jurista manifestou-se no sentido de não
serem válidos os acordos celebrados até a data do trânsito
em julgado da respectiva ação e que não tenham sido homo-
logados judicialmente na mesma ação. Os eventuais valores
26 - UNAFISCO SINDICAL

recebidos serão descontados do valor apurado a título de


atrasados, sendo o saldo objeto da ação de execução.
O professor Cândido Rangel Dinamarco, em síntese,
assim se manifestou sobre a assunto
...uma transação feita antes da prolação da sen-
tença ou julgamento do recurso interposto contra
ela cria uma situação nova, diferente daquela que
havia sido descrita na demanda inicial e estava
aguardando decisão - o credor, se o era, deixou
de sê-lo pelo título antes ostentado e passou a
sê-lo, talvez em dimensão menor, segundo esse
novo título que é a transação.
...
A transação é, desse modo, um fato modi-
cativo do direito do autor, a ser levado em conta
pelo juiz ao sentenciar ou pelo tribunal, ao julgar
o recurso. Acontece que, sempre de acordo com os
informes recebidos, a União não cuidou de levar
essas transações ao processo e conseqüentemente
elas não foram tomadas em conta pelos órgãos
judiciários: as condenações da Fazenda Pública a
pagar foram integrais, ou seja, elas não excluíram
os transatores nem ressalvaram alguma eventual
redução de seus créditos.
O resultado dessa omissão em providenciar
a homologação das transações é que, proferidos
com esse teor os julgamentos e sobrevindo a coisa
julgada, à União não é mais lícito invocar em seu
favor os efeitos daqueles fatos modicativos de
direito. Constitui regra profundamente arraigada
no sistema processual a da ecácia preclusiva da
coisa julgada material, ditada nos arts. 471 e 474
CARTILHA DOS 28,86% - 27

do Código de Processo Civil, que veta qualquer


questionamento da sentença imunizada pela auc-
toritas rei judicatæ, quer se trate de lançar contra
ela algum fundamento já utilizado antes ou mesmo
algum que haja sido omitido.
...
Não obstante o que cou dito acima sobre
a ecácia preclusiva que impede o conhecimento
desses fatos modicativos representados pelas
transações, eventuais parcelas ou valores pagos
pela Administração aos srs. auditores a esse título
devem ser deduzidos de seu crédito.

27- Como saber se celebrei acordo antes do trânsito


em julgado da ação na qual estou incluído?
Como o art. 7º da MP 2.169 (ex-MP 1.704), que autori-
zou a celebração de transação por parte da Advocacia-Geral
da União, estabeleceu como data-limite para celebração do
acordo 19 de maio de 1999, todas as três ações transitaram
em julgado após esta data. Portanto, nenhum acordo poderia
ter sido celebrado após o trânsito em julgado das ações.
Se algum acordo foi celebrado após 19 de maio de 1999,
não tem, desde a sua assinatura, nenhum valor jurídico.

28- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86% con-


forme proposta do governo e, posteriormente, proto-
colizei pedido de retratação e devolvi integralmente os
valores recebidos. Como fica minha situação?
Quem está nessa situação tem direito a executar o valor
integral apurado nos cálculos que estão sendo realizados
pelo Unasco.
28 - UNAFISCO SINDICAL

29- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86%


conforme proposta do governo e, posteriormente,
protocolizei pedido de retratação, mas não devolvi
os valores recebidos. Como fica minha situação?
Quem não devolveu integralmente os valores já recebi-
dos tem direito a executar o valor apurado pelo Unasco des-
contado o montante porventura já recebido.

30- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86%


conforme proposta do governo e, posteriormente, pro-
tocolizei pedido de retratação, mas nenhum valor foi
devolvido e fui chamado a fazer o depósito do valor
integral do que já recebi. Como devo proceder?
Nos anexos desta cartilha você encontrará um modelo
de resposta à administração para ser utilizado por quem se
encontra nessa situação (página 33). Esse modelo também
está disponível no site do Unasco (www.unasco.org.br/
juridico/default.cfm). Em todo caso, nenhum pagamento
deve ser feito a título de devolução à União. Quanto ao
direito à execução, como não devolveu nenhum valor, tem
direito a executar o valor apurado pelo Unasco descontado
do montante porventura recebido.

31- Celebrei acordo para recebimento dos 28,86%


conforme proposta do governo e ainda não protoco-
lizei nenhum pedido de retratação. Posso propor a
execução?
Sim, a execução pode ser proposta. Embora o pedido de
retratação seja desnecessário (vide resposta à pergunta nº 24),
CARTILHA DOS 28,86% - 29

antes de iniciar a execução, o AFRF deve protocolizar pedido


de retratação para demonstrar expressamente sua discordância
com o acordo e caracterizar estar agindo de boa-fé. O modelo
do pedido de retratação está na página 31.
De qualquer modo, o associado é quem deve decidir se
pede a retratação e promove a execução, levando em conta
os riscos inerentes a qualquer ação judicial e especialmente a
existência das ações rescisórias propostas pelo governo.
30 - UNAFISCO SINDICAL
CARTILHA DOS 28,86% - 31

Anexo I

Modelo de retratação ao termo de transação


judicial

Ao
Ilustríssimo Senhor
Dr. (nome do Gerente Regional de Administração do MF)
MD. Gerente Regional de Administração do Ministério da
Fazenda... - (UF)

Senhor Gerente,
Ref. Retratação a Termo de Transação Judicial.
____________________________________, brasileiro,
Auditor-Fiscal da Receita Federal, Matrícula SIAPE nº
__________________ e SIPE nº _____________ (não colocar
se for aposentado ou pensionista), lotado e em exercício na
_______________(não colocar se for aposentado ou pensio-
nista), vem à presença de Vossa Senhoria, com o devido
respeito, manifestar a sua RETRATAÇÃO ao TERMO DE
TRANSAÇÃO JUDICIAL, pelo requerente assinado no ano
de______, objeto da vantagem de 28,86% de reajuste salarial,
tendo em vista as alegações de fato e de direito a seguir aduzi-
das:

1.- Não foram apresentados ao proponente os esclarecimentos


úteis e necessários para se concretizar o acordo de que trata o
epigrafado termo. Além do mais, o interessado foi coagido a
assinar o acordo sem conhecer a amplitude do crédito a que tem
direito na via judicial.
32 - UNAFISCO SINDICAL

2.- Ademais, o referido termo não foi levado a homologação


no curso do processo judicial que discutia o direito ao reajuste,
já tendo atualmente transitado em julgado a sua respectiva sen-
tença. O resultado dessa omissão em providenciar a homologa-
ção, em face do trânsito em julgado da sentença, impossibilita
à União invocar em seu favor os efeitos da transação. Constitui
regra profundamente arraigada no sistema processual a da e-
cácia preclusiva da coisa julgada material, ditada nos arts. 471
e 474 do Código de Processo Civil, que veta qualquer questio-
namento da sentença imunizada pela auctoritas rei judicatæ,
quer se trate de lançar contra ela algum fundamento já utilizado
antes ou mesmo algum que haja sido omitido.

3.- Não obstante o acima exposto, eventuais parcelas ou valores


pagos pela Administração ao ora retratante serão deduzidos de
seu crédito que será oportunamente executado judicialmente.

Por conseqüência, manifesta o requerente seu interesse


no sentido de não mais receber as parcelas vincendas relativas
ao acordo administrativo.

Nestes termos, pede e espera deferimento.

_______________,____de_______________de 2001.

Nome completo e assinatura


CARTILHA DOS 28,86% - 33

Anexo II

Modelo de carta reafirmando retratação após


intimação para devolver valores recebidos

Ao
Ilustríssimo Senhor
Dr. (nome do Gerente Regional de Administração do MF)
MD. Gerente Regional de Administração do Ministério da
Fazenda... - (UF)

Senhor Gerente,
Ref. Retratação a Termo de Transação Judicial.

______________________________________, brasi-
leiro, Auditor-Fiscal da Receita Federal, Matrícula SIAPE nº
_______________ e SIPE nº __________________ (não colo-
car se for aposentado ou pensionista), lotado e em exercício na
________________(não colocar se for aposentado ou pensio-
nista), vem à presença de Vossa Senhoria, com o devido res-
peito, nos termos do artigo 104 e seguintes da Lei nº 8.112/90,
informar a esta douta autoridade administrativa que os valores
até agora adiantados em favor do ora requerente, no montante
de R$ _____________, a título de pagamento do reajuste de
28,86% da remuneração (janeiro de 1993), serão oportuna-
34 - UNAFISCO SINDICAL

mente compensados por ocasião da execução dos valores da


ação coletiva nº ____________, em trâmite na ___Vara Federal
da Secção Judiciária de Alagoas.
Sem embargo, reitera-se a manifestação de interesse do
término do acordo administrativo rmado por este servidor
para pagamento de citado reajuste.

Nestes termos, pede e espera deferimento.

_______________,____de_______________de 2001.

Nome completo e assinatura


CARTILHA DOS 28,86% - 35

Anexo III

Rubricas sobre as quais incidirá o reajuste de


28,86%

00001 ...... VENCIMENTO BASICO


00004 ...... VENCIMENTO DAS/NES
00005 ...... PROVENTO BASICO
00009 ...... VANT.PESSOAL NOM IDENTIFIC-CLT
00013 ...... ADIC.TEMPO SERVICO LEI 8112/90
00014 ...... GRAT.DE NIVEL SUPERIOR - ATIVO
00015 ...... REPRESENTACAO MENSAL
00017 ...... GRAT.ADIC.T.SERV.-APOS.(DAMF)
00018 ...... ADIC.TEMPO SERV.L.8112/90-APOS
00019 ...... GRAT.DE NIV.SUP.APOS/AGREGADO
00022 ...... GRATIFICACAO DE INTERIORIZACAO
00023 ...... GRATIFIC. ATIVIDADE PENOSA CLT
00024 ...... SUBSTITUICAO/INTERINO
00025 ...... OPCAO DAS - PESSOAL PERMANENTE
00027 ...... GRAT.DED.EXCLUSIVA-SUB JUDICE
00028 ...... ADICIONAL NOTURNO
00030 ...... COMPLEMENTO SALARIO MINIMO
00031 ...... COMPLEMENTO SAL.MINIMO - APOS.
00032 ...... VANTAGEM ARTIGO 180 L 1711/52
00034 ...... V.ART.184 INC II E III L.1711
00039 ...... VANT.ART.184 INC I LEI 1711/52
00040 ...... GAE ART. 184 INC I L.1711/52
00041 ...... A.T.S.ART 184 INC I L.1711/52
00053 ...... ADICIONAL DE INSALUBRIDADE
36 - UNAFISCO SINDICAL

00060 ...... GRATIFICACAO POR ENCARGO DAI


00062 ...... GRAT.P/PROD.SUPLEMENTAR(DIN)
00067 ...... ADICIONAL DE PERICULOSIDADE
00070 ...... GRAT.P/REPRESENTACAO GABINETE
00077 ...... ABONO PECUNIARIO DE FERIAS CLT
00078 ...... PARC INCORPORADA LEI 6732/79
00080 ...... ADIC.P/SERV.EXTRAORDINARIO-EST
00097 ...... G.D.A.T.A. OU FISC.TRIB.FED.
00100 ...... GRAT.DES.ATIV.TAFTF APOS/AGREG
00106 ...... GRAT.ATEND/HABILIT.PREVIDENC.
00117....... PARC INCORPORADA LEI 6732/79
00147 ...... V.A 184 INC I LEI 1711/52 AP
00158 ...... GRAT.PLANEJ.ORC.FINAN.CONTROLE
00167 ...... GRAT.ATIV.TEC.ADMIN.APOS/AGREG
00172 ...... GRAT DES.ATIV.APOIO AGRE.-APOS
00173 ...... OPCAO FUNCAO - APOSENTADO
00174 ...... REPRESENTACAO MENSAL - APOSENT
00175 ...... VANT.PES.ART 13 LEI 8216 APOS.
00176 ...... GRATIFICACAO NATALINA
00181 ...... GRATIFICACAO NATALINA - APOS
00182 ...... ADIANT.GRATIF.NATALINA - APOS.
00189 ...... REPR.MENSAL DEC LEI 2333/87 AP
00192 ...... GRAT.EST.FISC.ARREC.TRIB.FED/A
00197 ...... GRAT.EST.F.A.TRIB.FED.APOS-AGR
00198 ...... GRAT.DEC.LEI 2365/87 ATIVO
00199 ...... GRAT.DEC.LEI 2365/87-APOS-AGRE
00220 ...... ADICIONAL 1/3 DE FERIAS
00224 ...... ADIANT.PECUNIARIO/SIMPAS-ATIVO
00229 ...... GRAT.EXTRAORD.LEI 7756/89-APOS
00231 ...... GRAT.EXTRAORD.LEI 7757/89-APOS
CARTILHA DOS 28,86% - 37

00239 ...... GRAT.EXTRAORD.LEI 7761/89-APOS


00240 ...... RETRIB.ADIC.VARIAVEL-RAV/ATIVO
00241 ...... RETRIB.ADIC.VARIAVEL-RAV-APOS.
00242 ...... RETRIB.ADIC.VAR. - PENSIONISTA
00244 ...... GRAT.LEI 8460/92 ART.7 - APOS.
00249 ...... AD TEMPO SERVICO ART 192 I APO
00253 ...... DIFERENCA INDIVIDUAL L.7923/89
00254 ...... DIFERENCA INDIVIDUAL L.7923/89
00256 ...... FUNCAO GRATIFICADA - FG - IFES
00260 ...... GRATIFICACAO ESPECIAL L4341/64
00287 ...... DIFERENCA INDIVIDUAL - APOS.
00330 ...... V.P.TRANSITORIA ART.2 MP1573-7
00356 ...... DIF.PROV.ART.192 INC.II L.8112
00357 ...... ART193 8112/90 FUNCAO INTEGRAL
00358 ...... DIF.PROV.ART.192 INC.I L.8112
00359 ...... GAE/GCT A.192 INC I L.8112/90
00360 ...... ART193 8112/90 FG/REPRESENTACA
00401 ...... PROROG.DE JOR.DE TRABALHO-CLT
00405 ...... VENCIMENTO COMPLEMENTAR
00415 ...... DIFERENCA IND. ART 8 L.7923/89
00494 ...... VANT PES ART 13 L 8216/92 AT
00502 ...... GRAT.FUNCAO NATUREZA ESPECIAL
00512 ...... VANTAGEM PES.SENT.JUDIC./CLT23
00514 ...... VANTAGEM PES.SENT.JUDIC.-APOS.
00517 ...... DIFERENCA INDIVIDUAL L 7961/89
00518 ...... DIFERENCA INDIVIDUAL L 7961/89
00531 ...... VENCIMENTO SEN.JUDICIAL ATIVO
00532 ...... PROVENTOS SEN.JUDICIAL APOSENT
00547 ...... RAV - ACERTO ATIVIDADE - APOS.
00553 ...... COMPLEMENTACAO DE PROVENTOS
38 - UNAFISCO SINDICAL

00560 ...... FUNCAO GRATIFICADA-FG/APOSENT


00561 ...... FGR-FUNC GRATIFICADA L 8216/91
00585 ...... FGR-FUNC.GRAT. L.8216/91-APO
00591 ...... GRAT.ATIV.EXECUT/GAE LD.13/92
00592 ...... GRAT.ATIV.EXECUT/GAE/LD 13 APO
00592 ...... GRAT.ATIV.EXECUT/GAE/LD 13 APO
00593 ...... GRAT.DESEMP.FUNCAO-GADF LD.13
00593 ...... GRAT.DESEMP.FUNCAO-GADF LD.13
00596 ...... PENSAO CIVIL
00602 ...... VANTAGEM INDIV.ART 9 L.8460/92
00610 ...... VENCIMENTO DAS - EST 04
00611....... REPRESENTACAO MENSAL - EST04
00613 ...... GRAT.DES.FUNC-GADF/EST04/LD.13
00620 ...... OPCAO - GADF/ATIVO-LD.13/92
00621 ...... OPCAO GADF - L.D. 13/92 AP
00622 ...... GRAT.DES.FUNC GADF/LD 13/92 AP
00641 ...... VANTAGEM PES ART 13 L 8216/92
00650 ...... ADIC.ART.21 L.8691/93-MESTR-AT
00651 ...... ADIC.ART.21 L.8691/93-DOUT-AT.
00652 ...... ADIC.ART21 L.8691/93-MES-APOS.
00654 ...... A.D.INC. NR 790-4/600(DIF.PSS)
00658 ...... ADIC.ART.21 L.8691/93-APE-APOS
00669 ...... RAV - ATIVO/INSTITUIDOR PENSAO
00675 ...... ABONO 5% MP.433/94 - ATIVO
00676 ...... ABONO SALARIAL-CLT
00677 ...... ABONO DEC. LEI 2352-CLT
00678 ...... VANTAGEM PES.ART 5 L 8852/94 A
00679 ...... VANTAGEM PES. ART.5 L 8852/94
00701 ...... RESS/PENAL.DISCIPL.127/L.8112
00757 ...... RETRIBUICAO CARGO EM COMISSAO
CARTILHA DOS 28,86% - 39

00784 ...... ADIC. T. SERVICO - DEFENSORIA


00796 ...... ADIC. TEMPO SERV DEF. PUBL. AP
00903 ...... OPCAO DE FUNCAO - APOSENTADO
00905 ...... OPCAO GADF
00909 ...... VANTAGEM ARTIGO 180 L1711/52
00910 ...... ART193 8112/90 FG/REPRESENTACA
00912 ...... DECIMOS/QUINTOS INCORPORADOS
00973 ...... GRAT.DESEMP.ATIV.TRIBUTARIA AT
00974 ...... GRAT.DESEMP.ATIV.TRIBUTARIA AP
15441 ...... GDAT GRAT DESEMP ATIV TRIBUTAR
15470 ...... GDAT GRAT DESEMP ATIV TRIBUTAR
18749 ...... RAV
40 - UNAFISCO SINDICAL