Você está na página 1de 21

III Racionalidade

Argumentativa
e Filosofia

1. Argumentação
e Lógica Formal

01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º


1.1 Validade e verdade

Sumário
Distinção validade e verdade.
Argumentos dedutivos, forma
lógica e validade (dedutiva).
Argumentos sólidos.

(pp. 14 a 17 do manual)

01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º


A validade distingue-se da verdade
Verdade
Verdade Proposição

A verdade é uma propriedade exclusiva das proposições que compõem os


argumentos.

As proposições podem ser verdadeiras ou falsas, mas não podem ser válidas nem
inválidas.

A verdade de uma proposição é a caraterística de ela representar adequadamente


as coisas como elas realmente são. Caso isso não aconteça, essa proposição é
falsa.
«A relva é verde.»
Verdadeiro ou falso?
O que se espera de uma tese é que seja verdadeira. Ninguém está interessado em
teses falsas porque elas não nos permitem compreender como as coisas
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
Uso popular do termo “validade”

O uso da palavra «validade», que se faz em lógica e filosofia, é


diferente do uso popular, que se faz no dia-a-dia.

No dia-a-dia usa-se esse termo para dizer que algo tem valor, que é
interessante, que deve ser tido em consideração.

Em lógica e filosofia o termo «validade» tem um significado


diferente.
Qual? É o que vamos ver…

01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º


Validade
Validade Argumento

A validade é uma propriedade exclusiva dos argumentos como um todo, e não


das premissas nem da conclusão.

Os argumentos podem ser válidos ou inválidos, mas não podem ser


verdadeiros nem falsos.

A validade de um argumento não se avalia a partir do que é afirmado nas suas


proposições, ou a partir do conteúdo das mesmas, mas a partir da estrutura/forma
lógica do argumento, do modo como estão relacionadas as premissas e a conclusão.

01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º


Argumento Dedutivo, forma lógica e validade

Então, o que é a forma lógica de um argumento?


A forma lógica de um argumento é a sua estrutura relevante para a validade do
mesmo.

Assim, raciocinar correta ou incorretamente, validamente ou


invalidamente não tem que ver com as premissas ou a conclusão serem,
isoladamente, verdadeiras ou falsas, mas antes com a ligação entre
premissas e conclusão. A validade é uma propriedade da conexão entre
as premissas e a conclusão.

Todos os homens são mortais.


O Jerónimo é homem. Os dois
Logo, o Jerónimo é mortal. argumentos Todo o A é B
têm a seguinte CéA
Todos os homens são peixes. forma ou Logo, C é B
O Jerónimo é homem. estrutura
Logo, o Jerónimo é peixe.
Argumento Dedutivo, forma lógica e validade

Há dois tipos de argumentos:


 dedutivos
 não dedutivos.
Para já vamos abordar apenas a validade dos argumentos dedutivos.

O que são argumentos dedutivos?

Argumento dedutivo: argumento em que se pretende que a(s) premissa(s)


garanta(m)/estabeleça(m) a conclusão.

A sua validade depende exclusivamente da sua forma lógica, ou seja, para


determinar se um argumento é dedutivamente válido, podemos ignorar o
seu conteúdo e examinar apenas a sua forma.
Argumento Dedutivo, forma lógica e validade

Validade do argumento dedutivo forma lógica

A LÓGICA FORMAL estuda a argumentação cuja validade


depende exclusivamente da FORMA LÓGICA.
Avaliar argumentos - Validade
Se a validade de um argumento é independente do valor de verdade de cada uma das
proposições isoladamente que o constituem, então poderemos ter:

1- um ARGUMENTO INVÁLIDO com as suas proposições (premissas e conclusão)


verdadeiras.

Exemplo de argumento (dedutivamente) inválido:


Alguns portugueses são treinadores de futebol.
José Mourinho é português.
Logo, José Mourinho é treinador de futebol.

O argumento é inválido porque:


a conclusão não é uma consequência lógica e necessária das premissas
anteriores, ou seja, das premissa dadas, não se infere necessariamente aquela
conclusão;
a verdade das premissas não garante a verdade da conclusão;
é possível imaginar uma circunstância em que as premissas sejam verdadeiras e
a conclusão falsa.
Contextualização:Pelo facto de alguns portugueses serem treinadores de futebol e
José Mourinho ser português não se segue que tenha de ser treinador de futebol.
Avaliar argumentos - Validade
Se a validade de um argumento é independente do valor de verdade de cada uma
das proposições isoladamente que o constituem, então poderemos ter:
2- um ARGUMENTO VÁLIDO com as suas proposições (premissas e conclusão)
falsas.
Exemplo de argumento (dedutivamente) válido:
Todos os lisboetas são parisienses
Todos os portugueses são lisboetas
Logo, todos os portugueses são parisienses

O argumento é válido porque:


existe uma conexão lógica entre as premissas e a conclusão, as premissas
implicam a conclusão ou a conclusão segue-se logicamente das premissas;
se imaginarmos as premissas verdadeiras, verificamos que a conclusão
necessariamente seria verdadeira, e nunca falsa;
independentemente do conteúdo das premissas e da conclusão, esta deriva
necessariamente daquelas.
Contextualização:Se todos os lisboetas fossem parisienses e todos os portugueses
fossem lisboetas necessariamente os portugueses seriam parisienses.
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
Nunca te esqueças do seguinte:

A validade de um argumento depende da sua forma lógica, ou antes da


ligação entre as premissas e a conclusão e não do facto de cada uma destas,
isoladamente, serem verdadeiras ou falsas.

Se assim é, então a única coisa que não pode acontecer num argumento
válido é:

Ter todas as premissas verdadeiras e a conclusão ser falsa.

A ideia é simples: algo estará a correr mal no nosso raciocínio quando


obtemos conclusões falsas exclusivamente a partir de premissas verdadeiras.

01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º


Nunca te esqueças do seguinte:

Como definir um argumento (dedutivo) válido?

Um argumento é válido quando é impossível que as suas premissas

sejam verdadeiras e a sua conclusão falsa; se houver uma única

circunstância em que isso seja possível, então o argumento é inválido – é

esta a conexão lógica que tem que existir entre os valores de verdade das

premissas e da conclusão.

01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º


Validade e verdade
Avalia se os seguintes argumentos são válidos ou inválidos. Justifica.

Premissas verdadeiras e conclusão verdadeira

1
Todos os portugueses são europeus Verdadeira
Todos os lisboetas são portugueses Verdadeira
Conclusão
Logo, todos os lisboetas são europeus Verdadeira

2
Uma premissa falsa e conclusão falsa
Todos os lisboetas são portugueses Verdadeira
Todos os parisienses são lisboetas Falsa
Conclusão
Logo, todos os parisienses são portugueses Falsa

3 Premissas falsas e conclusão verdadeira


Todos os imperadores romanos foram presidentes dos E.U.A. Falsa
Lincoln foi um imperador romano. Falsa
Conclusão
Logo, Lincoln foi um presidente dos E.U.A. Verdadeira
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
Validade e verdade

1. Assinale o valor de verdade das seguintes afirmações:

a. Num argumento dedutivo válido a conclusão não pode ser falsa. F

b. Num argumento dedutivo válido com premissas verdadeiras a conclusão


não pode ser falsa. V

c. Num argumento dedutivo válido as premissas não podem ser falsas. F

2. Por que razão um argumento que tenha premissas e conclusão


verdadeiras não é necessariamente um argumento válido?

Porque é necessário que a verdade das premissas exclua a falsidade da


conclusão.
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
3. Completa o enunciado seguinte, escrevendo a premissa em falta, de modo
a construir um argumento válido.

Todos os portugueses têm olhos azuis.


______________________________.

Logo, Messi tem olhos azuis.

4. Completa o enunciado seguinte, escrevendo a conclusão em falta, de


modo a construir um argumento válido.
As estrelas têm luz própria.
O Sol é uma estrela.
Logo, ____________________.

5. Avalia se o seguinte argumento é válido ou inválido. Justifica.

Todos os cientistas se dedicam arduamente ao trabalho.


Einstein dedicou-se arduamente ao trabalho.
Logo, Einstein foi um cientista.
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
Conclusões

1 A VERDADE DISTINGUE-SE DA VALIDADE.

2 A VERDADE É UMA PROPRIEDADE DAS PROPOSIÇÕES.

3
A VALIDADE É UMA PROPRIEDADE DOS ARGUMENTOS.

4
OS ARGUMENTOS VÁLIDOS ADMITEM QUALQUER COMBINAÇÃO DE
VALORES DE VERDADE MENOS UMA QUE É: AS PREMISSAS SEREM
VERDADEIRAS E A CONCLUSÃO FALSA.

5
UM ARGUMENTO (DEDUTIVAMENTE) VÁLIDO PODE TER UMA
CONCLUSÃO FALSA SE PELO MENOS UMA DAS SUAS PREMISSAS FOR
FALSA

PARA AVALIAR SE UM ARGUMENTO É VÁLIDO OU NÃO, PERGUNTÁMOS

6
SE AS PREMISSAS PODEM SER VERDADEIRAS (NÃO SE ELAS SÃO
MESMO VERDADEIRAS) E A CONCLUSÃO FALSA. SE A RESPOSTA FOR
SIM O ARGUMENTO É INVÁLIDO, SE FOR NÃO O ARGUMENTO É VÁLIDO.
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
A importância da validade
“Ficámos a saber que um argumento válido pode ter premissas falsas. Mas
apresentar argumentos com premissas falsa, mesmo que válidos, é pouco ou
nada convincente. Sendo assim, então qual é o interesse da validade
dedutiva? (…)
Eis uma comparação útil [e que permite responder a essa pergunta]: o processo de fazer
um bolo, o modo como se misturam os ingredientes, é importante para a qualidade do
bolo. Mas só por si não chega, pois por melhor que se misturem os ingredientes, se estes
forem de má qualidade, o bolo será mau. Mas se os ingredientes forem bons e os
misturarmos mal, o bolo será também mau. Por isso, precisamos das duas coisas: bons
ingredientes e bons processos de confecção. Do mesmo modo, na argumentação tanto
precisamos de premissas verdadeiras como de validade”.
Desidério Murcho e outros, A Arte de Pensar, Didáctica Editora, Lisboa, 2004, pág. 19

Ideia a destacar do texto:


“(…) na argumentação tanto precisamos de premissas verdadeiras como de validade”.
Argumentar bem é muito mais do que dizer disparates ou tolices de forma correta. Tem de
haver uma preocupação com a verdade de facto das proposições que constituem os
argumentos. Ninguém estará disposto a deixar-se convencer por raciocínios corretos que
partam de premissas duvidosas. Precisamos também que elas sejam verdadeiras, para que
os nossos argumentos sejam sólidos.
01 ∎ validade e verdade ∎ Pensar Azul 11.º
Argumento sólido

Como já pudeste verificar, um argumento ainda que válido pode


ter conclusão verdadeira ou falsa.
A validade é condição necessária, mas não suficiente, para
garantir a verdade da conclusão (como podes verificar no seguinte
argumento):

Ex: Os seres humanos são imortais.


A Ana é um ser humano.
Logo, a Ana é imortal.

Como garantir que um argumento seja válido e a


conclusão verdadeira?
Argumento sólido

Só há garantia da verdade da conclusão se o argumento, além de


ser válido, tiver premissas de facto verdadeiras.

ARGUMENTO SÓLIDO

Argumento válido e com todas as premissas (de


facto) verdadeiras.

Exemplo:
Todos os minhotos são portugueses.
Todos os vimaranenses são minhotos.
Logo, todos os vimaranenses são portugueses.
CONCLUSÕES
ARGUMENTOS
VÁLIDOS INVÁLIDOS
É impossível que as premissas sejam É possível que a conclusão seja falsa,
verdadeiras e a conclusão falsa. mesmo que as premissas sejam
verdadeiras.
Ex.:Todos os professores são bons profissionais.
João é professor. Ex.: Todos os professores são bons
Logo, João é bom profissional. profissionais.
João é bom profissional.
Logo, João é professor.
Nem todos os argumentos válidos são sólidos

ARGUMENTOS SÓLIDOS Nenhum argumento inválido é


sólido.
Argumentos válidos e com premissas de
facto verdadeiras
Ex: Todos os minhotos são portugueses.
Todos os vimaranenses são minhotos.
Logo, todos os vimaranenses são portugueses.
Num argumento sólido a conclusão é
necessariamente verdadeira.