Você está na página 1de 225

Comedores de crianças: a pedocracia exposta

Como o acesso ao poder é concedido através do estupro, tortura e massacre ritualístico dos inocentes.

de Giovanni Augustino "Johnny" Cirucci

AGRADECIMENTOS

Dou crédito ao Senhor Jesus Cristo com a capacidade de ver o que os outros não podiam, ou por causa de sua
covardia, se recusaram a fazê-lo. Ele me deu um melhor amigo para uma esposa que é minha "ajuda de reunião" em
todos os sentidos. Ela permitiu que eu escrevesse este livro, manipulando com maestria a escassez de nossas
finanças para priorizar quais contas tinham que ser pagas e qual sanguessuga poderia ir para o inferno. Embora
"Tecnologia da Informação" não esteja em seu currículo, deveria ser. De celulares a computadores e serviços, ela os
aprendeu, decifrou, consertou, lidou com seus operadores de help desk estrangeiros quase inúteis e me manteve em
funcionamento. Sempre que algo estava fora da nossa capacidade de abordar, ela estava lá para eu desabafar. No
que diz respeito a "contas", minha mãe ao meu lado e ambos os pais ao seu lado repetidamente nos abençoaram e
ajudaram a manter as luzes acesas. Várias vezes, simpatizantes prometeram doar regularmente, mas nunca o
fizeram. Mark (um motorista de caminhão cristão) nunca prometeu, ele apenas fez isso. Sua generosidade me
manteve na minha mesa, em vez de virar hambúrgueres. Steve é outro querido amigo que tornou este livro possível,
porque ele é obediente à Voz do Espírito Santo. Eu estendi a mão para quase todos de nota na comunidade de
"mídia alternativa" e fui evitado por todos e cada um. Felipe Robles veio até mim. Desde então, sua pesquisa, escrita
e ajuda tornaram-se fundamentais para meus esforços para expor a Grande Prostituta e tenho a honra de que ele
escreva o Encaminhamento para esta exposição. Steve é outro querido amigo que tornou este livro possível, porque
ele é obediente à Voz do Espírito Santo. Eu estendi a mão para quase todos de nota na comunidade de "mídia
alternativa" e fui evitado por todos e cada um. Felipe Robles veio até mim. Desde então, sua pesquisa, escrita e
ajuda tornaram-se fundamentais para meus esforços para expor a Grande Prostituta e tenho a honra de que ele
escreva o Encaminhamento para esta exposição. Steve é outro querido amigo que tornou este livro possível, porque
ele é obediente à Voz do Espírito Santo. Eu estendi a mão para quase todos de nota na comunidade de "mídia
alternativa" e fui evitado por todos e cada um. Felipe Robles veio até mim. Desde então, sua pesquisa, escrita e
ajuda tornaram-se fundamentais para meus esforços para expor a Grande Prostituta e tenho a honra de que ele
escreva o Encaminhamento para esta exposição.

Cronus retratado com a faca ritual especializada que ele usou para castrar seu pai. (Wikimedia Commons)

De acordo com Hesíodo, o Titã Cronos tão cobiçava o poder que castrou seu pai Urano, então se casou com sua
irmã Rhea e reinou com ela como rei e rainha. Quando foi profetizado que um de seus filhos o destronaria, ele
começou a devorá-los quando eles nasceram. Na mitologia romana, Cronos foi adotado e renomeado Saturno, um
título com raízes no hebraico satânico.

PREFÁCIO

"Como eles podem manter um segredo de conspiração?" "Claro que fomos para a lua!" É claro que Lee Harvey
Oswald disparou três tiros de um antiquado 6,5 milímetros Manlicher-Carcano a 200 jardas de distância em 8,3
segundos, soprando nas costas da cabeça do presidente Kennedy (atirando atrás dele). O que você está prestes a
ler nestas páginas irá colocar para sempre qualquer noção de normalidade, confiança em suas principais instituições
ou facilidade de sono que você já teve. Um sistema do mal controla seu governo, seus militares, suas forças de
segurança, seus juízes e até mesmo seu entretenimento que é tão vil que os detalhes dele podem muito bem deixá-
lo catatônico. É, literalmente, de "proporções bíblicas". OBSERVAÇÕES DO AUTOR: Múltiplas citações não são
redundantemente atribuídas, mas a bibliografia é meticulosa e exaustiva. Era minha intenção dar a você todas as
ferramentas necessárias para verificar meu trabalho e continuar de onde parei. Mantive hiperlinks, cores e alguns
destaques para versões digitais deste livro. Ao lidar com essas questões, freqüentemente vou confiar em minha
própria fé cristã para referências morais, bem como passagens da Bíblia para validar minhas posições. De modo
algum desejo que isso afaste os não-cristãos, pois essa informação é para qualquer um que vive como escravo sob o
atual sistema de opressão secreta. Isso é cerca de "99%" de você. Freqüentemente vou confiar em minha própria fé
cristã para referências morais, bem como passagens da Bíblia para validar minhas posições. De modo algum desejo
que isso afaste os não-cristãos, pois essa informação é para qualquer um que vive como escravo sob o atual sistema
de opressão secreta. Isso é cerca de "99%" de você. Freqüentemente vou confiar em minha própria fé cristã para
referências morais, bem como passagens da Bíblia para validar minhas posições. De modo algum desejo que isso
afaste os não-cristãos, pois essa informação é para qualquer um que vive como escravo sob o atual sistema de
opressão secreta. Isso é cerca de "99%" de você.

FRENTE

Crescendo como adventista do sétimo dia, fui rapidamente apresentado ao conceito de que a Igreja Católica Romana
era uma espécie de culto diabólico. Vovó gritava "Besta!" assim que o Papa apareceu na TV, geralmente para
resolver e / ou condenar qualquer ato aleatório de violência acontecendo no mundo. Claro, na época eu dei pouca ou
nenhuma importância para o que o velho vestido de branco tinha a dizer. Se ao menos eu soubesse ... O tempo
passou e meu coração ficou continuamente endurecido quando fiz meu caminho através do sistema sem Deus da
educação secular. Até as leituras diárias da Bíblia que eu tive com meus pais quando criança pareciam tolas e vagas
quando eu estava na faculdade. Parecia que os medos de Martinho Lutero em relação às Universidades se
transformando em portões para o inferno eram de fato verdadeiras. O mundo, ou mais precisamente a simulação do
diabo, Conseguira convencer-me de que tudo o que eu aprendera sobre Deus baseava-se em contos de fadas:
histórias morais que não deveriam ser tomadas literalmente. Por destino, ou pelo Plano de Deus (como prefiro
pensar), decidi me mudar para os Estados Unidos como muitos latinos fazem em busca de uma vida melhor. Cavar
pela Verdade não fazia parte do meu plano. No entanto, quando comecei a navegar em inúmeros sites da "teoria da
conspiração" e assistir a mais vídeos do YouTube sobre o assunto, minha visão do mundo mudou
radicalmente. Todos os nomes repentinos como "Rockefeller", "Rothschild" e "Bilderberg" apareceram no meu radar e
eu pensei que tinha tudo planejado: "São os judeus!". Bem, nem todos eles. Apenas os ruins ... Mas nesta fase, me
deparei com uma entrevista com um pesquisador chamado "Johnny Cirucci". Nunca ouvi falar dele antes em
qualquer lugar da "Comunidade da Verdade", mas decidi dar a ele uma chance de não saber na época que aquela
entrevista específica mudaria minha vida para sempre. Johnny estava expondo com fontes e citações o que poderia
ser facilmente rastreado: quem era realmente responsável pela interminável Guerra ao Terror, 11 de setembro, os
assassinatos de Kennedy e Lincoln e mais. Ele provou que, até hoje, todos os caminhos levam a Roma. Mais
precisamente, eles levam ao Vaticano e aos jesuítas. os assassinatos de Kennedy e Lincoln e mais. Ele provou que,
até hoje, todos os caminhos levam a Roma. Mais precisamente, eles levam ao Vaticano e aos jesuítas. os
assassinatos de Kennedy e Lincoln e mais. Ele provou que, até hoje, todos os caminhos levam a Roma. Mais
precisamente, eles levam ao Vaticano e aos jesuítas.

Como resultado, estendi a mão para Johnny e, para minha surpresa, ele voltou para mim. Qualquer pessoa que
tenha gasto tempo pesquisando esses tópicos sabe que não é a norma. Logo eu estava procurando por mim mesmo
os católicos ou jesuítas nas pilhas de madeira de muitas pessoas proeminentes do mundo. Da política ao
entretenimento, pude encontrar as conexões católicas sem esforço. É como se eles estivessem lá o tempo todo, mas
só naquele momento eu adquiri os óculos apropriados para ver além das inúmeras distrações. Praticamente, o que
começou como um hobby evoluiu para um trabalho voluntário. O ápice de nossa colaboração foi um programa que
Johnny e eu fizemos juntos, no qual reexaminamos o infame Franklin Cover-Up, que ocorreu em Omaha, Nebraska e
surgiu publicamente no final dos anos 80. A informação que reunimos neste caso, por si só, foi impressionante. Mais
surpreendente foi o fato de que nunca foi exposto como deveria. Você sabia que Lawrence E. King Jr., então alto
funcionário republicano e administrador da Franklin Federal Credit Union, conseguiu que garotos fossem abusados
pela Elite da Boys Town, uma organização católica sem fins lucrativos supostamente dedicada a cuidar de crianças?
? Como essa organização conseguiu se desassociar brilhantemente dessa história? Poderia ter sido o fato de que a
perspectiva principal no caso, John DeCamp, estudou em um monastério católico quando um menino pretendia ser
um padre? Ou o fato de que o DeCamp era o advogado de monsenhor Robert Hupp, o superintendente da Boy's
Town na época? Você acha que Hupp ' s ações na Boys Town contribuíram para que ele fosse indicado como
representante das Nações Unidas em nome das crianças? Por que o FBI tentou intimidar Alisha Owen, uma das
vítimas? Por que fez o que fosse necessário para encobrir as alegações de pedofilia? É possível que seus interesses
não estejam alinhados com os do povo americano? É minha opinião que o Boys Town Cover-Up (como deveria ser
chamado) redirecionou nossa atenção para expor a parte inferior do sistema mundial, ou seja, o estupro e a tortura
de crianças e jovens adultos. Não era apenas por prazer tortuoso, mas como uma exigência para qualquer um que
desejasse adquirir poder e influência. Por isso: a "Pedocracia". Desenvolvimentos recentes no caso trazidos à luz
pela mídia convencional e alternativa como "PizzaGate" levou as pessoas comuns a pesquisarem esse assunto
obscuro. Contudo, por mais bem intencionada que uma pessoa possa ser, seus esforços
levar a pequenos resultados sem conhecer a causa raiz do problema. Como a Caveira Vermelha declarou no filme
Capitão América: o Primeiro Vingador, "corte uma cabeça e mais duas tomarão seu lugar". Em um mundo onde é
conveniente encontrar informações em qualquer lugar, agentes de desinformação e oportunistas podem ser
encontrados em hordas. Quem é o culpado? São os democratas ou os republicanos? Ou talvez seja os
banqueiros? Como sobre os satanistas? A culpa é habilmente alterada para se adequar ao viés de cada
indivíduo. Diante dessas probabilidades, Johnny assumiu a tarefa de ir contra essa terrível Hydra babilônica que se
alimenta de nossos filhos desde o começo dos tempos. Como um verdadeiro protestante de sua idade, Johnny expõe
a Igreja Católica Romana e suas Forças Especiais, os jesuítas, como a estrutura fundamental através da qual o
Diabo construiu e executa sua simulação. Em contraste com o filme Spotlight, que foca apenas as dioceses de
Boston e trata o problema como um recente, você aprenderá que a pedofilia no sacerdócio é endêmica e
desenfreada em todo o mundo. Além disso, este comportamento não é apenas tolerado, mas encorajado e pode ser
rastreado até as origens do papado, uma vez que incorporou sua filosofia dos impérios babilônico e romano que
vieram antes dele. Johnny realmente vai fundo nos buracos de coelho para explorar as conexões católicas por trás
de Jimmy Savile, Charles Manson, "Doutor" Alfred Kinsey, Jeffrey Epstein, Johnny Gosch e o rapto de Maddie
McCann, assim como muitos outros. Eles são todos os tie-ins que foram meticulosamente encobertos ou
propositadamente ignorados pelos agentes da prostituta da Babilônia, a fim de apagar seus rastros. Este é um livro
que talvez nenhum de nós gostaria de escrever, mas é de suma importância que essa informação venha à tona à
medida que o estupro, a tortura e o assassinato de crianças estão em andamento. Embora seja nossa firme
convicção que estamos encarregados desse conhecimento e somos incumbidos de agir sobre isso pelo Senhor
Jesus Cristo, deve ser o dever de todo homem, cristão ou não-cristão, cuidar do bem-estar de mulheres e crianças.
. A Bíblia nos ordena a não ter nada a ver com os atos infrutíferos das trevas, mas antes expô-los (Efésios 5: 11-
12). Também nos garante que Cristo, após Seu Retorno, os quebrará em pedaços (Daniel 2: 34) e este Sistema será
derrubado e não será achado para sempre (Apocalipse 18:21). Também vale lembrar que se

você é um católico romano, Jesus, amorosamente, chamou você para sair dela, para que você não compartilhe de
seus pecados, e para que não receba suas pragas (Apocalipse 18: 4). É impossível contar todas as histórias de
inúmeras vítimas de abuso Luciferiano em um trabalho, mas neste momento é o melhor que podemos fazer com os
recursos que temos disponíveis. Com este trabalho, mostramos que cuidamos dos pequeninos e exortamos você a
fazer o mesmo, enquanto aguardamos pacientemente o momento certo dado pelo Senhor para dar o próximo passo
e nos posicionarmos fisicamente contra os malfeitores. Confie em nós, a hora está chegando! Agradeço a Deus pela
oportunidade de conhecer Johnny e o restante da equipe. Nós vamos continuar, pois não há volta quando você
conhece a Verdade. Se você ainda não o fez, é minha esperança que você experimente o mesmo e, se possível, leve
o Senhor com você nesta jornada.

E aconteceu quando Samuel era velho, que ele instalou seus filhos como juízes de Israel. ... Eles estavam julgando
em Beersheba. Seus filhos, porém, não andaram em seu caminho, pois foram atrás de ganhos ilegais, e aceitaram
subornos, pervertendo a justiça. E todos os anciãos de Israel se ajuntaram e chegaram a Samuel em
Ramá. Disseram-lhe: "Você é velho e seus filhos não andam nos seus caminhos. Agora, instale para nós um rei para
nos governar como todas as nações." Mas a coisa era mal aos olhos de Samuel, porque diziam: "Dá-nos um rei para
nos governar". E Samuel orou ao Senhor. O Senhor disse a Samuel: "Obedeça a voz do povo em relação a tudo o
que eles dizem para você. Pois não é você que eles rejeitaram, mas eu eles rejeitaram de reinar sobre eles. Assim
como todas as ações que eles têm feito para mim, desde o dia em que os tirei do Egito até o dia de hoje, deixando-
me a mim e servindo a outros deuses, assim também fazem a ti. Agora, obedeça a voz deles. Somente você
testificará contra eles e proclamará a eles o juízo concernente ao rei que reinará sobre eles. ”Então Samuel disse
todas as palavras do Senhor para o povo que

estavam pedindo dele um rei. E ele disse: “Este será o julgamento concernente ao rei que reinará sobre você:” “Seus
filhos ele tomará ...” - “E suas filhas serão tomadas ...” - I Samuel 8: 1, 2-11, 14 (Inglês moderno)

Capítulo 1

A Simulação do Diabo
~ 29 dC: A tentação de Cristo. Mais uma vez, o diabo o levou a um monte muito alto e mostrou-lhe todos os reinos do
mundo e sua grandeza, e disse-lhe: "Todas estas coisas eu vou dar-lhe se você vai cair e me adorar." Então Jesus
lhe disse: "Vá embora, Satanás! Porque está escrito: 'Adorarás o Senhor teu Deus, e só a Ele servirás'". Então o
diabo o deixou, e imediatamente os anjos vieram e ministraram a ele. ~ Mateus 4: 8-11 (Inglês Moderno)

Certamente, em nossa realidade de fiação-globo-terra-moderna, essas passagens da Bíblia parecem singulares,


talvez até ridículas. Mas e se alguma versão da narrativa do diabo (lembrando que ele é o próprio "pai da mentira",
[João 8:44]) fosse correta? Talvez ele tenha utilizado quaisquer vantagens que reteve como uma entidade
interdimensional, junto com aqueles que lhe são leais, e conduziu uma versão maligna do jogo "Sims" - lentamente
construindo impérios a partir do zero e dando aos seus tenentes mais confiáveis o controle sobre os
principados. (Daniel 10:13) Talvez Deus tenha permitido que isso acontecesse por várias razões: Ele impõe
restrições às Suas intervenções para garantir que o livre arbítrio seja concedido a Seus seres criados. A malignidade
dos impérios criados pelo diabo é usada por Deus para testar e refinar Seus Filhos; para aperfeiçoá-los como
companheiros para o Seu Filho. [Romanos 8:29] Ele tem pena dos seres angélicos que não recebem a oportunidade

pela redenção que as almas humanas têm. [Mateus 25:41; II Pedro 2: 4] Ele está dando aqueles que escolhem
participar "corda suficiente para se enforcar" como um Testemunho à Sua Justiça.

Captura de tela do videogame da Microsoft Age of Empires. (Wikimedia Commons / Uso Justo)

Se for verdade, isso coloca as palavras de Jesus em Pôncio Pilatos sob uma luz diferente: "Meu reino não é deste
mundo"? [João 18:36] O grego ("kosmou") traduzido como "mundo" tem um significado duplo interessante para incluir
"adorno" ou "armadilhas". Existe uma metáfora oculta que implica um sistema maligno em ação? a simulação do
empirebuilding do diabo? Como Cristo pode ser "Rei dos reis e Senhor dos senhores" (Apocalipse 19:16) e ainda não
governar "neste mundo"? Jesus estava dando a Pilatos uma falsa sensação de segurança ao dizer: "Aquilo que me
fortalece não é o sistema que elevou você ..."? Isto faz mais sentido à luz da afirmação de que toda a Criação foi feita
através de Cristo e para Ele. (Colossenses 1:16) Se for verdade, então o diabo ' s A simulação seria um parasita
tênue, controlando a criação de Deus. Como um anjo caído, ele tem a desvantagem de precisar

cooptar mãos humanas para fazer o trabalho para ele. Ele precisaria de um sistema que assegurasse a lealdade de
qualquer um que ele tivesse poder. Seria um sistema que garantisse que qualquer humano que ele usasse um dia
compartilhasse seu julgamento. Aqueles que escolhem lealdade a Deus seriam conhecidos participando de Sua
natureza; compaixão e amor altruísta. (I João 4: 7-21) O diabo forçaria seus seguidores a mostrar sua lealdade indo
tão longe quanto possível na direção oposta: luxúria de qualquer tipo, alimentando o interesse próprio, criando um
monstro cruel e desumano. Isso é exatamente o que a história mostra. A Bíblia afirma que a primeira rebelião do
homem contra Deus foi liderada por Nimrod na Babilônia. O historiador Alexander Hislop (1807 a 1865) escreveu em
sua exposição épica sobre a Igreja Católica - The Two Babylons [1] - que Nimrod (também conhecido como "Ninus")
foi executado pelo filho de Noé, Shem, o progenitor da raça hebraica, por apostasia. Seu corpo foi cortado em
pedaços e enviado para os quatro cantos da Terra como um aviso para qualquer um que pudesse segui-lo. Assim
começou a deificação e mitificação da rebelião contra Deus através de uma metodologia tão poderosa que parece
quase certamente ter vindo de uma fonte fora do nosso contínuo tempo / espaço. Verdade misturada com mentiras
Foi dito pelo poeta Hesíodo, o poeta grego Prometeu, que havia roubado fogo do Olimpo para dar ao
homem. Furioso com ele, Zeus ligou-o a uma rocha entre as montanhas do Cáucaso, onde uma águia puxa para fora
e devora seu fígado diariamente, enquanto o órgão do imortal Titã se regenera a cada noite. Prometeu é considerado
pela poderosa Elite uma metáfora para Lúcifer, "o portador da luz" e "fogo" é comparado ao conhecimento secreto e
poder que Lúcifer concede aos seus adoradores. Embora o adulto racional médio veja tais mitos como risíveis, a Elite
Luciferiana acredita que eles sejam a realidade que guia cada movimento deles. Sua reverência por eles é traída em
seu meio favorito e altamente controlado: os filmes.

No clímax da fantasia extravagante de ficção científica da Disney / Marvel de US $ 165.000.000, Doutor Estranho
(estrelado por Benedict Cumberbatch, Rachel McAdams, Mads Mikkelsen e Tilda Swinton), Strange enfrenta o mal
interdimensional e destruidor do mundo em Dormammu. O herói (destinado a tornar-se "Feiticeiro Supremo") leva à
dimensão de Dormammu contra probabilidades impossíveis e consegue prender Dormammu em um ciclo infinito,
mas para isso Strange precisa aceitar a criatura-dragão matando-o repetidas vezes. de novo até que Dormammu se
submete a uma "pechincha" em frustração exausta.

Dr. Stephen Strange, por Maxifajardo, Wikimedia Commons

Nessa fantasia, Prometeu vence. Para acrescentar mais detalhes, Benedict Cumberbatch também dublou e atuou no
Dormammu, o "CGI" (computer-graphics-interfaced). Também em 2016 foi uma homenagem ainda mais evidente ao
inacreditável: a história de Osíris, Ísis, Horus e Set recontada com um orçamento de US $ 140.000.000 em Deuses
do Egito, estrelado por Gerard Butler, dos anos 300. Uma pesquisa de título na Internet Movie Database para
"Hércules" revela nada menos que duzentas obras que vão de 1938 a 2017 (excluindo documentários sobre o
transporte militar com o mesmo nome). No meio da queda da graça de Adão veio a promessa de um Redentor - E o
Senhor Deus disse à serpente: Por que você fez isso, és amaldiçoado acima de todos os animais, e acima

cada animal do campo; no teu ventre irás, e o pó comerás todos os dias da tua vida. E porei inimizade entre ti e a
mulher, e entre a tua semente e a sua semente; ["Ele"; Hebreu] ferirá a tua cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. ~
Gênesis 3: 14-15 (King James Version, capitalização adicionada) Esta profecia de um Messias que chegaria através
de um nascimento virginal ("Semente da mulher", confirmado em Isaías 7:14) e seria cortada, mas não para Ele
mesmo (Daniel 9:26), apenas para retornar em poder e glória (Atos 1:11, Isaías 9: 6-7) foi cooptado e poderosamente
usado pelos adoradores de Lúcifer - "Luciferianos". Suas lendas tinham a esposa de Nimrod (executada e
desmembrada pelo filho de Noé, Shem, por sua rebelião contra YHWH), Semiramis, procurar suas partes do corpo
para re-montá-lo. Incapaz de localizar seus genitais, alguns afirmaram que ela própria os formava, outros que o deus
dos peixes Dagon os tirou da água para ela. Ela então aplicou magia sexual (designada pelo ocultista Aleister
Crowley como "magia") e se impregnou com o "filho da promessa" - seu marido reencarnou e renomeou Tammuz.

Praça de São Pedro, Daryl Mitchell, Wikimedia Commons

Companheiro-chefe do fotógrafo Johnny Bivera, USN, Wikimedia Commons

Essa "magia sexual" é conjurada na arquitetura do Vaticano; um obelisco (falo) em frente a uma cúpula (útero). A
versão egípcia da lenda de Nimrod tem um toque fascinante; o bom deus Osiris (Nimrod) é assassinado por seu
maléfico irmão Set (Shem) enquanto sua esposa Isis (Semiramis) consegue conceber seu filho Horus com ele,
postumamente. É essa parte do corpo morto-vivo de Osíris que brota os muitos obeliscos ao redor do mundo e os
mais significativos deles são erguidos em frente a estruturas abobadadas que representam o útero de Ísis. ~
Illuminati Unmasked [2] Este padrão foi habilmente duplicado pelo maçon católico romano Pierre Charles "Peter"
L'Enfant para Washington, Distrito de Columbia, e finalizado com o obelisco fálico grandemente exagerado do
arquiteto Robert Mills. A "deusa mãe" assumiu muitas formas ao longo dos séculos, sendo "Columbia" uma das
versões mais recentes. O que tem sido consistente, no entanto, tem sido a conexão com a devassidão, fixação na
reprodução e prova de dedicação, causando a

inocente a sofrer. Estes são todos fundamentais para a Simulação do Diabo. Na Grécia, a deusa-mãe Cibele foi
homenageada dessa maneira. O exemplo mais icônico de sacrifício de sangue para Cibele foi a matança de um touro
em seu altar, conhecido como Taurobolium. A consorte de Cibele era Attis, um jovem que era tão dedicado a ela que
cortou seus próprios genitais a seu serviço.

A castração voluntária ou involuntária de jovens tornou-se uma parte fundamental dos ritos pagãos. Tais meninos
foram apresentados aos reis como servos acanhados, garantidos para não interferirem nos haréns reais. Essas
práticas abomináveis remontam ao alvorecer da "civilização" [3]. Através dos séculos aprendeu-se que os "eunucos"
da corte podiam também ser empregados como menestréis conhecidos como "castrati" (singular, "castrato"). ... a
falta de testosterona significava que as epífises (juntas ósseas) da vítima não endureceram da maneira
normal. Assim, os membros do castrati costumavam ficar anormalmente longos, assim como os ossos das
costelas. Isso, combinado com treinamento intensivo, deu-lhes capacidade incomparável de poder e respiração
pulmonar. [1] Operando através de pequenas cordas vocais de tamanho infantil, suas vozes também eram
extraordinariamente flexíveis, e bem diferente da voz feminina adulta equivalente. Seu alcance vocal foi maior que o
do homem adulto não castrado. ~ Wikipedia [4] Com uma boa razão é a prática conhecida por um termo italiano. Não
foi até 1861 [5] que a prática foi finalmente proibida na Itália, mas continuou abertamente "tolerada" e secretamente
incentivada pelo Vaticano pelo menos até 1959. Milhares de meninos foram mutilados regularmente, ostensivamente
para lhes dar vozes cantando. inatingível de qualquer outra maneira, mas a maioria nunca cantou depois de terem
sido vitimados. Como o Guardião admitiu - Até 1861 [5] a prática foi finalmente banida na Itália, mas continuou a ser
abertamente "tolerada" e secretamente encorajada pelo Vaticano pelo menos até 1959. Milhares de meninos foram
mutilados regularmente, ostensivamente para lhes dar vozes cantando inalcançáveis caminho, mas a maioria nunca
cantou depois que eles foram vitimados. Como o Guardião admitiu - Até 1861 [5] a prática foi finalmente banida na
Itália, mas continuou a ser abertamente "tolerada" e secretamente encorajada pelo Vaticano pelo menos até 1959.
Milhares de meninos foram mutilados regularmente, ostensivamente para lhes dar vozes cantando inalcançáveis
caminho, mas a maioria nunca cantou depois que eles foram vitimados. Como o Guardião admitiu -

Busto de Attis, Jastrow, Wikimedia Commons

Lembremo-nos dos muitos milhares de meninos que caíram sob a faca (até 4.000 por ano, entre os oito e os 13
anos), mas cujos nomes são esquecidos há muito tempo. ... centenas [acabaram] nas ruas como mendigos ou
prostitutas. [6] "Prostituta" é extremamente enganosa. Evoca imagens de gigolós masculinos atendendo mulheres
desesperadas. A realidade (então e agora) é que a maioria das "prostitutas" masculinas são violadas servindo
homens homossexuais. Esse foi particularmente o caso de meninos feminizados pela castração. Ajustar-se
perfeitamente à agenda foi como a maioria dos meninos nunca sobreviveu ao "procedimento". Desculpados por
terem caído em "cirurgiões" incompetentes, eles foram oferecidos antes de Attis e Cibele, independentemente da
razão, seja da verdade ou da propaganda. E aqueles foram os que sobreviveram à operação. Dependendo do
executante - na melhor das hipóteses, um cirurgião habilidoso, na pior das hipóteses um barbeiro de rua ou um
aborteiro, ou os detentores de facas de Norcia, o capital de castração de porcos e meninos da Úmbria - havia uma
taxa de mortalidade muito alta. Algumas dessas mortes foram o resultado de hemorragia ou infecção pós-operatória
em uma idade pré-antibiótica. Outros vieram de overdose de ópio, usado como um sedativo em conjunto com um
banho quente e uma pressão judiciosa nas artérias carótidas. [7] Mesmo quando a raiva aumentou sobre a prática,
castrati como Alessandro Moreschi (1858-1922) continuaram a divertir as cortes papais na Capela Sistina. Sua voz
foi capturada por gravações de fonógrafo e novamente o Guardião deve admitir que a mutilação lhe fez pouco
bem. O estranho som de Moreschi A voz foi posteriormente capturada para a posteridade em rolos de fonógrafo no
início do século XX. Isso é fascinante, mas não é fácil de escutar; ... estas gravações dos seus 40 e poucos anos
mostram-no em forma vocal menos que adorável.

[8]

O fato de os castroti serem comuns em Roma no século 20 é rotulado como "ambivalente" na melhor das hipóteses e
"hipócrita" na pior das hipóteses, citando supostas "restrições" do Vaticano contra a prática. A realidade é que
nenhum Papa moderno reconheceu a prática, para não mencionar que a proibiu ou até se desculpou por ser o
bastião de sua proliferação. O principal jornal da Itália, o Corriere della Sera, disse que o papa deve seguir sua
admissão aos erros da igreja ... expressando tristeza pelos castrati. "Apesar da disposição de abordar praticamente
qualquer questão, o atual papa ainda não enfrentou um problema não resolvido de ... história. Por que ele não sugere
orações e remorso pela conivência passada da igreja com a prática de castrar os machos?" Ativistas de direitos
humanos e acadêmicos endossaram o chamado. A Anistia Internacional disse que o valor de reconhecer os erros do
passado em um pedido de desculpas não deve ser subestimado. "Muitos dos que sofrem de violações contínuas dos
direitos humanos - incluindo mutilações genitais de mulheres e estupros como tortura - desejam desesperadamente o
reconhecimento oficial dos terríveis erros cometidos contra eles. Um pedido de desculpas dos envolvidos pode ser a
coisa mais difícil de se conseguir, e os mais valorizados. ”[9] De fato, os únicos documentos papais referenciados são
aqueles que apóiam a barbárie! O Papa Sisto V ... sancionou sua presença no Vaticano por uma bula papal em 1589.
[10] Quando fontes como The Guardian exageram a desculpa musical para o rito antigo, sem nunca chamar isso de
ritual de adoração pagã, pode-se imaginar como a pesquisa poderia ser tão míope. Quando a mídia vai ainda mais
longe ao citar e culpar a Bíblia, a "maravilha" é resolvida (eles são agentes do Vaticano). A sua capacidade de cantar
para além dos limites humanos normais

goers, imperadores e papas, que encomendou um coro de castrati para executar na capela Sistina. Um edito de São
Paulo impediu que as mulheres cantassem na igreja. [11] Note que nenhum tal "edital" é citado. Há várias passagens
do Novo Testamento de Paulo, Pedro e até mesmo Jesus sobre os papéis de gênero, mas elas geralmente dizem
respeito ao relacionamento entre marido e mulher. As esposas são instruídas a se submeterem à autoridade de seus
maridos [I Pedro 3: 1], mas imediatamente após os maridos é dito que cuidem de suas esposas em honrar sua
submissão. As conseqüências de seu fracasso em fazê-lo afetariam sua própria comunhão com Deus! Da mesma
forma, vocês, maridos, vivam com suas esposas, dando honra à mulher como o vaso mais fraco, já que eles também
são herdeiros da graça da vida, para que suas orações não sejam impedidas. ~ I Pedro 3: 7, Modern English
Essencialmente, Deus vai virar as costas para um marido que não cuida de sua esposa com o amor sacrificial igual
ao que colocou Cristo na cruz. [Efésios 5:25] Com esse contexto, Paulo falou às mulheres como estudantes da
Palavra (não em adoração). Ele também deixou claro que tal "edito" estava de acordo com a lei judaica [I Coríntios
14:34], não como um mandamento específico de Deus. Uma mulher deve receber silenciosamente instrução com
toda a submissão. Mas eu não permito que uma mulher ensine ou exerça autoridade sobre um homem, mas fique
quieta. Pois foi Adão quem primeiro foi criado e depois Eva. I Timóteo 2: 11-13, Novo Padrão Americano Como se
compreende, a agenda da "Contra-Informação" católica romana, idealizada pelos jesuítas, é desacreditar a
Bíblia, fica claro a quem os editores do The Guardian (e outros jornais importantes) respondem. No entanto, uma
reportagem pouco divulgada surgiu da Holanda, o que prova, sem sombra de dúvida, que a mutilação de meninos
tem um efeito muito mais sinistro.

propósito para Roma. O Handelsblad em de Nieuwe Rotterdamse Courant, um jornal holandês (geralmente abreviado
"NRC"), quebrou a história brevemente em 2012 e foi posteriormente noticiado pelo Telegraph. Além disso, a mídia
ignorou - mais uma prova de quem realmente está no controle. Em 1956, o jovem Henk Heithuis relatou que ele havia
sido abusado sexualmente pelo clero em um internato católico romano. Em resposta ao seu relatório, ele foi forçado
a castrar. Quando ele tentou ir à polícia, ele foi devolvido às autoridades católicas. Dois clérigos foram condenados
por abuso, mas o Sr. Heithuis, uma vítima, foi, no entanto, transferido pela polícia para um hospital psiquiátrico
católico antes de ser internado no Hospital St. Joseph, em Veghel, no mesmo ano. [12] Quando o repórter do NRC
Joep Dohmen rastreou a história, ficou chocado ao saber do conluio entre líderes católicos holandeses e funcionários
do governo para punir Henk por ser uma vítima indisciplinada da pedofilia institucionalizada; um sacrifício involuntário
para Attis e Cybele. Lá, os documentos judiciais confirmam que ele foi castrado "a seu próprio pedido", apesar de não
ter apresentado seu consentimento por escrito. Fontes disseram ao Sr. Dohmen que a remoção cirúrgica de
testículos era considerada um tratamento para a homossexualidade e também como uma punição para aqueles que
acusavam o clero de abuso sexual. [13] Se esse "tratamento" fosse infligido a todos os pedófilos no poder,
particularmente os predadores papais, os resultados positivos seriam instantâneos. Henk Heithuis tornou-se público
em 1956. Em dois anos, ele morreu de um "acidente de carro". Ao examinar a profunda corrupção que misturava
autoridades católicas e governamentais, o jogo sujo é praticamente uma conclusão inevitável. Além do mais, o caso
de Henk foi apenas um de um repugnante e não declarado

número grande. Cornelius Rogge, 79, um escultor holandês famoso cuja família conheceu Heithuis na década de
1950, relatou a castração a uma investigação oficial sobre abusos dentro da Igreja Católica. Mas sua evidência foi
ignorada. "Certa vez, pedimos a Henk que largasse as calças quando as mulheres fossem embora. Ele fez isso. Ele
foi mutilado totalmente. Foi um grande choque", disse ele. Em dezembro passado, uma investigação oficial de Wim
Deetman, ex-ministro holandês, recebeu 1.800 denúncias de abusos sexuais por clérigos ou voluntários dentro das
dioceses católicas holandesas no período desde 1945. O inquérito Deetman recebeu um relatório do caso Heithuis
de Rogge, mas não foi seguido porque "havia poucas pistas para mais pesquisas". Na segunda-feira surgiram
evidências de que os inspetores do governo estavam cientes de que menores estavam sendo castrados enquanto
estavam em instituições psiquiátricas administradas por católicos. Atas de reuniões realizadas na década de 1950
mostram que os inspetores estavam presentes quando as castrações eram discutidas. Os documentos também
revelam que a equipe católica não achava que os pais precisavam se envolver. Há também alegações de que Vic
Marijnen, um ex-primeiro ministro holandês, que morreu em 1975, estava ligado ao caso. Em 1956, o Sr. Marijnen era
o presidente da casa das crianças Gelderland onde o Sr. Heithuis e outras crianças foram abusadas. Ele interveio
para que as sentenças de prisão fossem suspensas contra vários padres condenados por abusar de crianças.
[14] Phrygian "Freedom" Attis é frequentemente representado usando um "chapéu frígio" e mais tarde foi associado
ao culto dos mistérios romanos de Mitras. A adoração de Cibele misturava-se com a deusa da Terra, Gaia, embora a
importância da devassidão e da brutalidade fosse mais parecida com o que foi feito em honra a Dionísio, conhecido
pelos romanos como Baco. [itálico

suspenso, exceto no original, para facilitar a leitura] Os antigos seguidores de Dionísio acreditavam que ele era a
presença que é de outra forma definida como o desejo dentro do homem que anseia "deixar-se ir" e "se entregar"
para satisfazer desejos terrenos. O que um cristão poderia resistir como as luxuriosas necessidades do homem
carnal, os seguidores de Dionísio abraçaram como o poder encarnado que iria, na próxima vida, libertar as almas da
humanidade das restrições do presente mundo e dos costumes que procuravam definir respeitabilidade através da
obediência de uma pessoa à lei moral. Até aquele dia chegar, os adoradores de Dionísio tentaram unir-se ao deus
através de um ritual de libertação dos laços da negação sexual e da restrição primária, procurando alcançar um
estado mais elevado de êxtase. Acreditava-se que os rituais desinibidos do êxtase (em grego "fora do corpo")
levavam os seguidores de Dionísio a uma condição sobrenatural que lhes permitia escapar das limitações
temporárias do corpo e da mente e alcançar um estado de enthousiasmos, ou fora dela. o corpo e "dentro do
deus". Nesse sentido, Dionísio representava uma dicotomia dentro da religião grega, pois a principal máxima da
cultura grega era a da moderação, ou "nada muito extremo". Mas Dioniso encarna o extremo absoluto em que ele
procurou inflamar as paixões proibidas do desejo humano. Curiosamente, e a maioria dos estudantes de psicologia
vai entender, isso deu a Dionísio uma atração mais forte entre os gregos que de outra forma tentaram de muitas
maneiras suprimir e controlar os desejos selvagens e secretos do coração humano. Dionísio resistiu a todos os
esforços e, de acordo com o mito, visitou uma loucura terrível sobre aqueles que tentaram negar sua livre
expressão. Essa ideia dionística de doença mental resultante da supressão de desejos interiores secretos,
especialmente desejos sexuais aberrantes, foi mais tarde refletida nos ensinamentos ateístas de Sigmund Freud. O
freudismo poderia, portanto, ser chamado de neto do culto de Dionísio. Por outro lado, a pessoa que se entregou à
vontade de Dionísio foi recompensada com prazeres psicológicos e físicos ilimitados. Estes sistemas míticos de
punições mentais e recompensas físicas baseadas na resistência e / ou submissão a Dionísio, foram simbolicamente
e literalmente ilustrados nos rituais de culto das Bacantes, como visitou uma loucura terrível sobre aqueles que
tentaram negar sua liberdade de expressão. Essa ideia dionística de doença mental resultante da supressão de
desejos interiores secretos, especialmente desejos sexuais aberrantes, foi mais tarde refletida nos ensinamentos
ateístas de Sigmund Freud. O freudismo poderia, portanto, ser chamado de neto do culto de Dionísio. Por outro lado,
a pessoa que se entregou à vontade de Dionísio foi recompensada com prazeres psicológicos e físicos
ilimitados. Estes sistemas míticos de punições mentais e recompensas físicas baseadas na resistência e / ou
submissão a Dionísio, foram simbolicamente e literalmente ilustrados nos rituais de culto das Bacantes, como visitou
uma loucura terrível sobre aqueles que tentaram negar sua liberdade de expressão. Essa ideia dionística de doença
mental resultante da supressão de desejos interiores secretos, especialmente desejos sexuais aberrantes, foi mais
tarde refletida nos ensinamentos ateístas de Sigmund Freud. O freudismo poderia, portanto, ser chamado de neto do
culto de Dionísio. Por outro lado, a pessoa que se entregou à vontade de Dionísio foi recompensada com prazeres
psicológicos e físicos ilimitados. Estes sistemas míticos de punições mentais e recompensas físicas baseadas na
resistência e / ou submissão a Dionísio, foram simbolicamente e literalmente ilustrados nos rituais de culto das
Bacantes, como mais tarde foi refletido nos ensinamentos ateus de Sigmund Freud. O freudismo poderia, portanto,
ser chamado de neto do culto de Dionísio. Por outro lado, a pessoa que se entregou à vontade de Dionísio foi
recompensada com prazeres psicológicos e físicos ilimitados. Estes sistemas míticos de punições mentais e
recompensas físicas baseadas na resistência e / ou submissão a Dionísio, foram simbolicamente e literalmente
ilustrados nos rituais de culto das Bacantes, como mais tarde foi refletido nos ensinamentos ateus de Sigmund
Freud. O freudismo poderia, portanto, ser chamado de neto do culto de Dionísio. Por outro lado, a pessoa que se
entregou à vontade de Dionísio foi recompensada com prazeres psicológicos e físicos ilimitados. Estes sistemas
míticos de punições mentais e recompensas físicas baseadas na resistência e / ou submissão a Dionísio, foram
simbolicamente e literalmente ilustrados nos rituais de culto das Bacantes, como

as mulheres bacantes (mulheres gregas casadas e solteiras tinham o "direito" de participar dos mistérios de Dionísio)
migravam em grupos de encostas frenéticas, vestiam travestis em peles de fulvo e acompanhavam-se de gritos,
música, danças e comportamento licencioso. Quando, por exemplo, um filhote era muito jovem e não tinha instinto
para perceber o perigo e fugir dos foliões, era apanhado e amamentado pelas mães que participavam dos rituais das
encostas. Por outro lado, quando os animais mais velhos tentavam escapar das bacantes saqueadoras, eles eram
considerados "resistentes" à vontade de Dionísio e eram dilacerados e comidos vivos como parte do ritual febril. Os
participantes humanos foram às vezes submetidos à mesma crueldade orgiástica, como a regra do culto era "vale
tudo", incluindo lesbianismo, bestialidade, As versões posteriores do ritual (Bacchanalia) expandiram-se para incluir a
pedofilia e os foliões masculinos, e as perversões do comportamento sexual eram frequentemente piores entre os
homens do que entre os homens e as mulheres. Qualquer criatura que ousasse resistir a tal perversão de Dionísio
estava sujeita a sparagmos ("dilacerados") e omofagia ("consumidos crus"). Em BC 410, Eurípides escreveu sobre os
rituais sangrentos das Bacantes em sua famosa peça, The Bacchantes: Os Bacanais ... com mãos que não tinham
arma de aço, atacaram nosso gado enquanto eles pastavam. Então você teria visto Agave dominando algum bezerro
macio, enquanto outros alugavam as novilhas do membro. Antes dos teus olhos, teria havido arremessos. de
costelas e cascos, de um lado ou de outro, e tiras de carne, todo o sangue coxeava, gotejavam quando pendiam dos
galhos de pinheiro. que olhavam, mas agora com raiva ao longo de seus chifres, viram-se tropeçando, arrastados
para a terra por incontáveis mãos de donzelas. [1] Eurípides passou a descrever como Penteu, o rei de Tebas, foi
dilacerado e comido vivo por sua própria mãe, pois, de acordo com a peça, ela caiu sob o feitiço de Dionísio. ~ Horn
[15] Em Roma, o culto de Cibele foi dito para dar às sacerdotisas a capacidade de obter grande conhecimento ou ver
o futuro - um processo conhecido como o Oráculo Sibilino.
A perversão sexual também se traduziu em poder militar, especialmente na Grécia. Esparta praticou o
emparelhamento homossexual entre os guerreiros, mas o mais renomado e bem-sucedido foi a Banda Sagrada de
Tebas; uma unidade de elite com não mais que 150 soldados, cada um tendo um amante homossexual.

Mármore romano de Mithras, do século 2, que abate um touro sacrificial, sempre representado como sendo auxiliado
por uma serpente e um escorpião que ataca os genitais do touro. Esta peça foi transportada de Roma e levada ao
Museu Britânico devido à sua importância secreta. Carole Raddato, Wikimedia Commons

nd

Essas práticas não são tão removidas de nossos tempos modernos quanto se poderia pensar. A glorificação dos
filmes e das forças armadas dos espartanos como guerreiros supremos é um sinal. Um dos principais proponentes
da liberalização dos regulamentos que restringem a homossexualidade nos militares dos Estados Unidos tem sido o
general de quatro estrelas das Forças Especiais, Stanley McChrystal. [16] Uma figura poderosa, McChrystal serviu
como chefe do Comando de Operações Especiais Conjuntas, Comandante da Força Internacional de Assistência à
Segurança e Comandante, Forças dos EUA no Afeganistão, bem como Diretor do Estado-Maior Conjunto. As
impressões digitais traiçoeiras e sangrentas de McChrystal estavam por todo o corpo de

Patrulheiro do exército da NFL, Pat Tillman, assim como o jornalista da Rolling Stone, Michael Hastings.
[17] McChrystal também - ordenou as regras de engajamento que colocam soldados americanos, marinheiros,
aviadores e fuzileiros navais em perigo desnecessário.420 Empurrou a integração de homossexuais evidentes nas
fileiras militares para destruir a eficácia e a coesãoxxii.421 Baniu a Fox News "Conservadora" de todo Sede
(centenas de soldados efetuaram sua órbita em torno da arrogância de McChrystal) .422 Juntou-se aos jesuítas
treinados423 Barack Obama com os jesuítas treinados424, cxxiii Secretário de Defesa / Diretor da Agência Central
de Inteligência Leon Panetta ao afirmar425 que "ação séria426" precisa ser tomada sobre a confiscação de armas de
propriedade privada do povo americano. ~ História secreta [18] O 19 de abril (uma data do significado luciferian forte
[19]), 1989, torreta dois do encouraçado de USS Iowa explodiu matando 47 marinheiros. O companheiro de artilharia
de segunda classe Clayton Hartwig foi dito pela Marinha para ter manipulado a explosão como uma pira funerária
para si mesmo. O Iowa era o navio principal de sua classe; o mais poderoso navio de mar em qualquer lugar na
época e Mate Hartwig, o artilheiro, era o guerreiro da Marinha. Hartwig, que tinha 1,85m e pesava mais de 60 quilos,
"sempre gostou de retratar a imagem do mal", segundo outro colega de bordo. "Ele costumava falar sobre pessoas
com gás ... sobre colocar palitos cheios de gasolina nas pessoas para que elas morressem de maneira lenta." "Morte
e destruição foi a viagem de poder de Clay", disse um marinheiro que passou muito tempo com ele no Iowa. "Que' s
tudo o que ele fez; tudo o que ele disse. Isso sempre leva de volta à linha de fundo da morte e destruição. ~ The
Washington Post [20]

O Iowa em Los Angeles. Jonathan Williams, Wikimedia Commons

Hartwig também era homossexual. _____________

O gorro frígio usado por Attis e Mithras foi aproveitado pela elite luciferiana que manipulou as "revoluções" do século
XVIII na América e na França. Mantendo a dualidade templária de seu ícone, a águia romana de duas cabeças - As
duas cabeças são as duas faces do sigilo; uma para os iniciados e outra para os não iniciados. ~ História Secreta
[21]

Selo Templário

- o gorro frígio foi re-marcado como um símbolo de "liberdade". Se os não iniciados fizessem qualquer pergunta, eles
foram informados de que era o boné usado pelos escravos romanos emancipados. Havia pouco perigo de que as
massas ignorantes ligassem os pontos à devassidão satânica e à brutalidade, embora esse fosse o fruto da
Revolução Francesa, em particular.

Você pode até nomear sua obra de arte "As Fúrias da Guilhotina" e as massas ainda não entenderiam.

"Columbia", Paul Stahr Wikimedia Commons

Les Furies de Guilhotina, Barão e Massard

As "Fúrias" eram deusas viciosas da vingança, nascidas quando Cronos castrou seu próprio pai Urano e lançou sua
genitália no mar. Eles surgiram da espuma resultante para atormentar suas vítimas impiedosamente. Quem
preservou este sistema satânico (a Simulação do Diabo) nos tempos modernos? - Uma fonte surpreendente: a Igreja
Católica Romana. Embora tenha havido várias ordens de cavaleiros, padres e freiras que serviram "a Igreja" neste
esforço maligno, ninguém rivalizou com a "Sociedade de Jesus", de nome inverso, fundada por Inácio de Loyola em
1534. Eles foram apelidos com tristeza. "Jesuítas"; jesuita: "Você é como Jesus?" É uma acusação irônica, já que "a
Companhia" é especializada em qualquer método necessário para promover a hegemonia dos guardiões do diabo. s
Simulação da guerra ao assassinato, chantagem ao crime organizado, como o tráfico de entorpecentes ou seres
humanos. A guilhotina foi inventada por um padre jesuíta e professor, Dr. JosephIgnace Guillotin. [I]

Os jesuítas são igualmente responsáveis pela Revolução Americana [22] como são a Revolução Francesa - [itálico
suspenso, exceto no original]. A Ordem dos Jesuítas foi criada pelo católico Ignatius Loyola em 1500 para combater a
Reforma e elevar a autoridade da Revolução Francesa. Papado. Desde o início, o propósito dos jesuítas incluiu a
dominação política global, como o próprio Loyola disse uma vez: Finalmente, que todos com tal astúcia ganhem o
ascendente sobre os príncipes, nobres e magistrados de todos os lugares, para que estejam prontos em nossa vida.
Até mesmo para sacrificar suas relações mais próximas e amigos mais íntimos, quando dizemos que é para nosso
interesse e vantagem (ênfase adicionada). As guerras e revoluções do mundo ocorrem porque os jesuítas querem
estabelecer um governo mundial com o papado. sua cabeça. Há mais de um século, seus planos foram bem-
sucedidos, como nos diz o teólogo do século XIX, Luigi De Sanctis: Com que pretendem os jesuítas? Segundo eles,
eles só buscam a maior glória de Deus; mas se você examinar os fatos, descobrirá que eles visam apenas o domínio
universal. Eles se tornaram indispensáveis para o papa, que, sem eles, não poderia existir, porque o catolicismo é
identificado com eles. Tornaram-se indispensáveis aos governadores e mantêm revoluções em suas mãos; e assim,
sob um nome ou outro, são eles que governam o mundo (ênfase adicionada). Como as fontes abaixo atestam, os
jesuítas estiveram envolvidos - e até lideraram - muitas das piores guerras do mundo. , revoluções e massacres. Às
vezes, os jesuítas estão diretamente envolvidos, outras vezes, eles usam sua influência sobre os maçons e outras
sociedades secretas. ... A Revolução Francesa e a disseminação do Culto Anti-Cristão da Razão foram o resultado
da influência jesuíta, maçônica e Illuminati. O professor jesuíta Adam Weishaupt criou a Ordem dos Illuminati em
1776 na Baviera, Alemanha. Esses Illuminati faziam parte da coalizão

de rebeldes que se tornaram os jacobinos - o grupo responsável pela Revolução Francesa. Os jacobinos atualmente
aterrorizando a França, Barruel argumentou em seu prefácio, não poderia ter aparecido fora do ar ... Os principais
autores da conspiração, ele afirmou, eram Voltaire, Jean-le-Rond d'Alembert e o rei Frederico da Prússia. , que
planejaram secretamente destruir o cristianismo ... Esses "sofistas" haviam formado uma aliança com os maçons,
cujas origens conspirais antirreligiosas, Barruel, remontavam aos Cavaleiros Templários medievais. O grupo final e
mais completamente maligno nesta tripla conspiração, no entanto, foram os Illuminati da Baviera, sob o seu líder
satânico, Adam Weishaupt. O jacobinismo surgira da união desses três grupos.x O filósofo francês Voltaire, cujas
ideias foram instrumentais na Revolução Francesa, era maçom - assim como Napoleão ... ~ Descobertas Incríveis
[23] Muito mais que um franco-maçom, François-Marie "Voltaire" Arouet era um católico romano treinado por jesuítas
que supostamente "deixou a Igreja", mas seus esforços brilhantemente avançaram Simulação do diabo para os
jesuítas, tomando os crimes do catolicismo e injustamente aplicando-os ao cristianismo. A Igreja Católica tem muito
mais em comum com seu predecessor - o Império Romano - do que com o cristianismo, e foi até mesmo profetizado
na Bíblia cristã. O profeta Daniel teve uma visão das quatro bestas (impérios) que governariam de seu dia em diante,
relatadas no capítulo 7 do livro de Daniel. O primeiro era como um leão e tinha asas de águia. Eu observei até que
suas asas foram arrancadas e ele foi levantado da Terra e colocado nos pés como um homem, e o coração de um
homem foi dado a ele. ~ Daniel 7: 4 (Inglês Moderno) Babilônia conquistou com a ferocidade de um leão e a rapidez
de uma águia. Apesar do relato do relacionamento de Nabucodonosor com YHWH em Daniel, é uma nação que a
Bíblia usa como metáfora para todos os homens

rebeliões contra Deus. Outro animal apareceu, um segundo, como um urso, levantou-se de um lado e tinha três
costelas na boca entre os dentes. E eles disseram: "Levanta-te, devora muita carne". ~ Daniel 7: 5 (Inglês Moderno)
Os medos e persas se aliaram e rapidamente derrubaram o império de Lídia (546 aC) antes de conquistar a Babilônia
(539 aC) e até derrotaram o Egito (525 aC). No início, os medos lideraram a coalizão, mas logo os persas se
tornaram mais fortes. Depois disso eu olhei e havia outro, como um leopardo, que tinha nas costas quatro asas de
galinha. A besta também tinha quatro cabeças. E o domínio foi dado a ele. ~ Daniel 7: 6 (Inglês Moderno) A Grécia,
sob Alexandre, superou as nações ainda mais rápido do que Babilônia (talvez duas vezes mais rápido). Mas em 323
aC, Alexandre morreu repentinamente com apenas 32 anos de idade - números não perdidos para os luciferianos. Se
sua idade desempenhou um papel em sua morte não pode ser conhecido com certeza, mas Diodoro, Plutarco,
Arriano e Justino todos entretêm a noção de que Alexandre foi assassinado por envenenamento. Após a sua morte, a
Grécia foi dividida em quatro impérios governados por cada um dos seus mais poderosos generais: Lisímaco,
Cassandro, Ptolomeu e Seleuco. Mas foi o último animal que mais assustou Daniel. Depois disso, vi nas visões à
noite um quarto animal, terrível e terrível e extremamente forte. E tinha grandes dentes de ferro. Ele devorou e
quebrou em pedaços, e bateu o resto com os pés. E era diferente de todas as bestas que existiam antes e tinha dez
chifres. Eu considerei os chifres, quando surgiu entre eles outro pequeno chifre, diante do qual três dos primeiros
chifres foram arrancados pelas raízes. E ali, neste chifre, havia olhos como os olhos do homem e uma boca que
falava grandes coisas. ~ Daniel 7: 7-8 (Inglês Moderno) Roma era, de fato, um império terrível, mas existe uma
dicotomia nessa besta final?

Será que os dez chifres substituídos por um falam da supressão do Senado romano em favor do imperador ou isso
indica o ofício do papado? -- ou ambos? Os dentes de ferro são consistentes com o sonho que Nabucodonosor teve
dos mesmos quatro impérios pressagiados como quatro metais que compunham a estátua de um homem gigante -
as pernas e os pés da estátua eram feitos de ferro. (Daniel 2) Mas por que ambas as visões terminam com o Império
Romano? Essas profecias são incompletas e inúteis para os leitores modernos, ou Roma ainda está secretamente no
controle? Somente no último século é que devemos fazer essa pergunta, já que o controle de Roma era um perigo
claro e presente, não um segredo. O historiador protestante Henry Grattan Guinness sentiu que era óbvio e
especificamente referiu Daniel 7 em provar seu ponto. [itálico suspenso, exceto no original] É importante que
compreendamos claramente um grande fato histórico; isto é, o governo de Roma nunca deixou de existir, desde o
seu início, salvo uma vez, durante um período muito breve durante as invasões góticas. Ele mudou de caráter, como
vimos, mas continuou. Roma governou o mundo conhecido no primeiro advento de Cristo, e ainda governa centenas
de milhões de seres humanos, e continuará assim a fazer até o segundo advento de Cristo. Então essa profecia
ensina; pois não até que o Filho do homem tome o domínio da terra, e estabeleça um reino que nunca passará, é o
monstro representando o domínio romano destruído. A regra de Roma, repetimos, nunca cessou. Foi um poder
pagão secular por cinco ou seis séculos; tem sido um poder cristão eclesiástico e apóstata desde então, isto é, por
doze ou treze séculos. Há um breve período entre estas duas etapas principais, durante as quais

os imperadores cristãos professos governavam de Roma, seguidos de um intervalo em que, por algum tempo,
parecia que a grande cidade havia recebido um golpe fatal de seus captores góticos. ... A regra de Roma reviveu em
uma nova forma, e foi tão real sob os papas do século XIII como tinha sido sob os Césares da primeira. Era tão
opressivo, cruel e sangrento sob Inocêncio III quanto fora sob Nero e Domiciano. A realidade era a mesma, embora
as formas tivessem mudado. Os Césares não perseguiram as testemunhas de Jesus com mais severidade e
amargura do que os papas; Diocleciano não destruiu os santos ou se opôs ao evangelho mais do que a Inquisição
dos dias papais. Roma é uma e a mesma coisa, tanto local como moralmente. Um terrível animal selvagem a
representa, embora o símbolo, como a história que prefigura, tenha duas partes. Houve o estágio indiviso, e houve o
estágio de dez vezes. Um é o pagão de Roma, o outro papal de Roma; um é o antigo império, o outro o pontificado
moderno; um é o império dos Césares, o outro é o papado romano [24]. Até mesmo as "grandes ostentações" do
pequeno chifre correspondem a representações desse mesmo escritório descritas no livro do Apocalipse. De fato,
Apocalipse declara que essa besta final terá os traços dos 3 impérios anteriores (cujas crenças pagãs foram
mantidas pelo Vaticano). Eu fiquei na areia do mar. E vi um animal levantando do mar, tendo sete cabeças e dez
chifres, com dez coroas em seus chifres e nomes blasfemadores em suas cabeças. A fera que eu vi era como um
leopardo. Seus pés eram como os de um urso e sua boca como a boca de um leão. O dragão deu-lhe o seu poder e
o seu trono e grande autoridade. Eu vi uma de suas cabeças como se estivesse mortalmente ferida, mas seu mortal
A ferida foi curada e todo o mundo se maravilhou e seguiu a fera. Eles adoravam o dragão que dava autoridade à
besta. E eles adoraram a besta, dizendo: "Quem é como a besta? Quem pode guerrear com ele?" Ele foi dado uma
boca falando grandes coisas e blasfêmias. E ele recebeu autoridade para travar a guerra por quarenta e dois
meses. Ele abriu a boca para falar blasfêmias contra Deus, para blasfemar o Seu Nome e Seu Tabernáculo e
aqueles que habitam no Céu. Foi concedido a ele para guerrear com os santos e superá-los. E a autoridade foi dada
a ele sobre cada tribo, língua e nação. Todos os que habitam na terra o adorarão, todos cujos nomes não foram
escritos no Livro da Vida do Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo. ~ Apocalipse 13: 1-8 Um
"animal" Na Bíblia descreve um império, uma "mulher" descreve um sistema religioso. Roma é chocantemente
descrita com precisão como ambas. Um dos sete anjos que tinham as sete taças veio e falou comigo, dizendo-me:
“Vem, mostrar-te-ei o juízo da grande prostituta que está assentado sobre muitas águas, com as quais os reis da
Terra cometeram adultério, e os habitantes da Terra foram embriagados com o vinho da sua imoralidade sexual.
" Então ele me levou no Espírito ao deserto. Vi uma mulher sentada num animal escarlate cheio de nomes blasfemos,
com sete cabeças e dez chifres. A mulher estava vestida de púrpura e escarlate, adornada com ouro e pedras
preciosas e pérolas, tendo em sua mão uma taça de ouro cheia de abominações e imundície de sua imoralidade
sexual. Na testa, um nome foi escrito:

BABILÔNIA A GRANDE MÃE DAS PROSTITUTAS E DAS ABOMINAÇÕES DA TERRA. Eu vi a mulher, bêbada com
o sangue dos santos e com o sangue dos mártires de Jesus. ~ Apocalipse 17: 1-6 (MEV)

Monsenhor Rauber, Cardeal Danneels, Monsenhor Vangheluwe, Bispo de Bruges e seu sucessor Monsenhor Jozef
De Kesel. Vangheluwe foi forçado a renunciar devido ao encobrimento predatório de pedofilia. Carolus, Wikimedia
Commons.

A infidelidade sexual na Bíblia é frequentemente usada como uma metáfora para a blasfêmia, mas também pode
falar de perversão sexual literal. Se você disser as palavras "Jogo da Paixão" por si só, você não pensaria que eles
tinham uma conotação "religiosa", mas a sociedade contemporânea automaticamente os entende como
representações "páscoa" católicas romanas dos julgamentos, tortura e crucificação de Jesus Cristo. No entanto, são
todas as lembranças da perversão sexual pagã disfarçada de observância cristã. A deusa suméria Inanna, ou Ishtar,
foi pendurada nua em uma estaca e, posteriormente, ressuscitou e ascendeu do submundo. Um dos mais antigos
mitos da ressurreição é o Horus egípcio. Nascido em 25 de dezembro, Horus e seu olho danificado se tornaram
símbolos da vida e do renascimento. Mithras nasceu no que agora chamamos de dia de Natal, e seus seguidores
celebraram o equinócio da primavera. Mesmo tão tarde quanto no século IV

AD, o sol invictus, associado a Mitras, foi o último grande culto pagão que a igreja teve que superar. Dionísio era um
filho divino, ressuscitado por sua avó. ... Em uma reviravolta irônica, o culto de Cybele floresceu na colina do
Vaticano de hoje. Amante de Cibele Attis, nasceu de uma virgem, morreu e renasceu anualmente. Este festival da
primavera começou como um dia de sangue na sexta-feira negra, subindo para um crescendo depois de três dias,
em júbilo pela ressurreição. Houve conflitos violentos na Colina do Vaticano, nos primeiros dias do cristianismo, entre
os adoradores de Jesus e os pagãos que brigavam por causa de quem Deus era o verdadeiro e de quem era a
imitação. O que é interessante notar aqui é que no mundo antigo, onde quer que você tivesse mitos de deus
ressuscitados populares, o Cristianismo encontrou muitos convertidos. Assim, Eventualmente, o cristianismo chegou
a uma acomodação com o festival pagão da primavera. Apesar de não vermos a celebração da Páscoa no Novo
Testamento, os pais da igreja primitiva celebravam a Páscoa, e hoje muitas igrejas oferecem "serviços do nascer do
sol" na Páscoa uma celebração solar pagã óbvia. A data da Páscoa não é fixa, mas é governada pelas fases da lua
como pagão é isso? Todas as coisas divertidas da Páscoa são pagãs. Coelhinhos são uma sobra da festa pagã de
Eostre, uma grande deusa do norte cujo símbolo era um coelho ou uma lebre. Troca de ovos é um costume antigo,
celebrado por muitas culturas. Bolos transversais quentes são muito antigos também. No Antigo Testamento, vemos
os israelitas assando pães doces para um ídolo e líderes religiosos tentando acabar com isso. O clero da igreja
primitiva também tentou pôr um fim aos bolos sagrados sendo assados na Páscoa. No final, em face das
desafiadoras mulheres pagãs que assavam bolos, elas desistiram e abençoaram o bolo. ~ Heather McDougall, The
Guardian [25] A senhorita McDougall ou é um escritor criminalmente ignorante para um dos jornais os mais populares
de Inglaterra ou é tão esperta quanto François-Marie "Voltaire" Arouet (e na mesma folha de pagamento). Ela
cuidadosamente rotulou todos os delitos de Roma como "adoração de Jesus" e "cristão". Por exemplo, a data da
"Páscoa" foi feita para flutuar por causa do calendário gnóstico criado pelo jesuíta Christopher Clavius. The Guardian
[25] Miss McDougall é uma escritora criminalmente ignorante de um dos jornais mais populares da Inglaterra ou é tão
esperta quanto François-Marie "Voltaire" Arouet (e na mesma folha de pagamento). Ela cuidadosamente rotulou
todos os delitos de Roma como "adoração de Jesus" e "cristão". Por exemplo, a data da "Páscoa" foi feita para flutuar
por causa do calendário gnóstico criado pelo jesuíta Christopher Clavius. The Guardian [25] Miss McDougall é uma
escritora criminalmente ignorante de um dos jornais mais populares da Inglaterra ou é tão esperta quanto François-
Marie "Voltaire" Arouet (e na mesma folha de pagamento). Ela cuidadosamente rotulou todos os delitos de Roma
como "adoração de Jesus" e "cristão". Por exemplo, a data da "Páscoa" foi feita para flutuar por causa do calendário
gnóstico criado pelo jesuíta Christopher Clavius.

A Roma papal, católica e pagã adotou o calendário pagão do seu antecessor e mentor, a Roma Imperial de
César. Júlio César obteve seu calendário das religiões pagãs das religiões de adoração do leste e do oeste de seus
ancestrais. O catolicismo romano atacou cruelmente todos os que mantinham o calendário bíblico e massacraram
milhões de judeus e cristãos verdadeiros que seguiam os antigos costumes de Yahweh. Ela insistiu em controlar o
calendário e ordenou que todos adotassem seus cálculos corruptos. Os resultados foram previsíveis. No ano de
1582, o calendário juliano estava desligado por 11 dias e começou a ser embaraçoso para o "pescador, senhor deus,
o papa". O papa Gregório XIII, em seguida, chamou sua própria versão da Igreja da "Gestapo", os jesuítas para uma
correção. Eles então forneceram um jesuíta, Christopher Clavius, SJ546, quem se tornou o arquiteto do calendário
gregoriano! Este pagão era um matemático jesuíta alemão e "pseudo-astrônomo" e se tornou o principal motor do
moderno calendário gregoriano usado pelo cristianismo hoje. Com este calendário jesuítico, veio também a
astronomia jesuíta ou, como se sabe hoje, o "universo heliocêntrico". Com a introdução do novo calendário católico, o
Papa Gregório XIII demonstrou ao mundo que a mudança dos "tempos e estações" está centrada em Roma, e não
nas Escrituras e certamente não centrada no Santo de Israel. Este foi um interessante "truque" e provavelmente
estava relacionado ao combate à reforma protestante, que estava acontecendo na Europa na época. Os
manifestantes falharam em protestar ou contrariar esta mudança e a Igreja Cristã permanece ignorante até os dias
atuais! ~ Talbott [26] Em momento algum a Srta. McDougall traí que em toda parte as práticas pagãs foram adotadas
foi através da Igreja Católica Romana e ela até se esforça para mascarar o paganismo papal quando não há
alternativa clara alegando que os pagãos tinham um conflito com "Colina do Vaticano". Embora os ícones dessas
práticas sejam "divertidos" para as massas sem instrução, eles certamente não eram (ou não são) para as vítimas
dessas observâncias ainda em segredo hoje. É aqui que começamos a descobrir o real significado do termo "jogos
de paixão", porque é a paixão sexual que inflama a operação alquímica do Casamento Divino. As peças de paixão
estavam centradas em Não há alternativa clara alegando que os pagãos tinham um conflito com o "Monte do
Vaticano". Embora os ícones dessas práticas sejam "divertidos" para as massas sem instrução, eles certamente não
eram (ou não são) para as vítimas dessas observâncias ainda em segredo hoje. É aqui que começamos a descobrir
o real significado do termo "jogos de paixão", porque é a paixão sexual que inflama a operação alquímica do
Casamento Divino. As peças de paixão estavam centradas em Não há alternativa clara alegando que os pagãos
tinham um conflito com o "Monte do Vaticano". Embora os ícones dessas práticas sejam "divertidos" para as massas
sem instrução, eles certamente não eram (ou não são) para as vítimas dessas observâncias ainda em segredo
hoje. É aqui que começamos a descobrir o real significado do termo "jogos de paixão", porque é a paixão sexual que
inflama a operação alquímica do Casamento Divino. As peças de paixão estavam centradas em É aqui que
começamos a descobrir o real significado do termo "jogos de paixão", porque é a paixão sexual que inflama a
operação alquímica do Casamento Divino. As peças de paixão estavam centradas em É aqui que começamos a
descobrir o real significado do termo "jogos de paixão", porque é a paixão sexual que inflama a operação alquímica
do Casamento Divino. As peças de paixão estavam centradas em

a deusa Deméter que, nos mitos, é encontrada vagando pela Terra em pesar depois que sua filha, Perséfone, é
sequestrada no Inferno por Hades. A semente sexual era representada pelo trigo e, no ponto culminante dos rituais, o
hieródulo faria amor com o sumo sacerdote, ou hierofante. ... ~ Ishtar Babilu Dingir [27] Ao longo da história, quando
as iniciações na Simulação do Diabo não podiam ser mascaradas como "cristãs", elas eram mascaradas como
"agrícolas"; no entanto, eles não eram nada disso. Por causa do foco no trigo nas performances dramáticas, e o tema
da terra permanecendo estéril até que Perséfone ressurgiu na Primavera, alguns comentaristas acreditam que o
objetivo dos ritos de fertilidade era aplacar os deuses a fim de obter uma boa colheita. e maiores rendimentos de
gado. Mas os ritos de fertilidade existiam muito antes do período agrícola ... e assim é óbvio que havia um propósito
muito mais profundo por trás dessas sagradas peças de paixão do que meramente a abundância material no plano
terrestre. Os Mistérios Menores terminariam com um batismo nas águas, enquanto os Mistérios Maiores culminavam
com uma iniciação ao fogo. [Aqui, o autor cuidadosamente evita descrever a cruel brutalidade da "iniciação ao fogo"].
Nos Mistérios Menores, os ensinamentos eram dados na forma de histórias alegóricas nas quais os verdadeiros
significados estavam ocultos. Tudo isso foi para preparar os poucos que estavam indo em frente para os Mistérios
Maiores, onde os significados internos das histórias seriam revelados e a iniciação do fogo aconteceria. Em outras
palavras, Foi somente nos Mistérios Maiores que os iniciados mostraram que essas peças eram alegorias que tinham
um duplo propósito, tanto como histórias de ensino espiritual e astronômico / astrológico, precursoras da iniciação
espiritual. Mas os estudantes dos Mistérios Maiores também estavam sob pena de morte para nunca revelar nada do
que tinham sido ensinados ou vistos. ... O sexo e a morte estão muito próximos, pois ambos são iniciações em outro
portal. O que os homens não estão recebendo através da magia sexual sagrada, eles buscam na promiscuidade,
estupro, violência e guerra ... devido a um Mas os estudantes dos Mistérios Maiores também estavam sob pena de
morte para nunca revelar nada do que tinham sido ensinados ou vistos. ... O sexo e a morte estão muito próximos,
pois ambos são iniciações em outro portal. O que os homens não estão recebendo através da magia sexual sagrada,
eles buscam na promiscuidade, estupro, violência e guerra ... devido a um Mas os estudantes dos Mistérios Maiores
também estavam sob pena de morte para nunca revelar nada do que tinham sido ensinados ou vistos. ... O sexo e a
morte estão muito próximos, pois ambos são iniciações em outro portal. O que os homens não estão recebendo
através da magia sexual sagrada, eles buscam na promiscuidade, estupro, violência e guerra ... devido a um

anseio por esse portal ... e os Mestres da Guerra sabem disso. ... A Igreja Cristã agora só dá a iniciação da água às
massas, na forma do batismo, como se suas congregações fossem participantes dos Mistérios Menores; se a Igreja
alguma vez der uma iniciação ao fogo, a hierarquia dessa religião nunca chegará a ouvir sobre isso [28]. Mais uma
vez, temos um autor dissimulado que chama católico de "cristão" e implica a verdade, mas a mantém oculta; a
"dualidade" de uma explicação para as massas e outra para os iniciados é necessária porque as verdadeiras práticas
usadas para alcançar os "Mistérios" poderiam horrorizar qualquer um com uma consciência.

Na Rússia, a influência dos Templários se manifestou em uma influência jesuíta. A intrusa prussiana "Catarina, a
Grande" deu aos jesuítas um porto seguro durante sua breve supressão e sua mão pode ser vista nesta medalha
encomendada pelo czar Nicolau I em 1849 para a repressão da Hungria e da Transilvânia; particularmente a pirâmide
do Olho Que Tudo Vê em um raio de sol.

Roma "sagrada" assumiu perfeitamente seu antecessor imperial. As perversas perseguições do papado aos fiéis
cristãos são legionárias e lendárias, mas os papas falam como o "vigário de Cristo na Terra". Já em 1087, o Dictatus
papae (atribuído a Hildebrand de Sovana, vulgo Papa Gregório IX) declarara que ninguém pode julgar o Papa e que
"a Igreja Romana nunca errou". Assim, com os pronomes capitalizados, Inocêncio pronunciou a "Vontade de
Deus". ... Para os católicos, esta é simplesmente a autoridade do sucessor de Pedro, mas para

Protestantes, foi uma manobra cínica para assegurar a primazia do Bispo de Roma, e arquejar a blasfêmia. ~ História
Secreta [29] Escondido do não iniciado, o Vaticano manteve a Simulação do Diabo para os poderes pagãos que a
precederam. O primeiro "Orgy Island" [itálico suspenso] Este foi o palácio do prazer original. Nos suntuosos jardins,
homens e mulheres jovens, vestidos de ninfas núbeis e de coquetas indecentes, se prostituíam abertamente para os
convidados nos "recantos da luxúria" da floresta, sob as estrelas. Dentro da villa imperial no topo da falésia,
fortificada pela melhor comida e vinhos servidos por criadas nuas, a licença libertadora tomou conta. Trupe de lindos
jovens de ambos os sexos, reunidos de todos os cantos do mundo romano e treinados em práticas sexuais
incomuns, reclinados em vastos salões de mármore prontos para excitar o idoso imperador. s libido
embandeiramento. Conhecidos como spintriae, seu papel era realizar práticas sexuais eróticas em grupos antes do
chefe do império - um homem que era comumente conhecido por seus súditos como "o velho bode". Muitas das
suntuosas salas reais estavam decoradas com pornografia e manuais de sexo explícitos do Egito - no caso de
qualquer número deles não ter certeza do que se esperava deles. Em uma câmara privada, o Imperador entregou
seus desejos mais obscenos ao máximo. Ele tinha garotinhos treinados como peixinhos ou "tiddlers" para persegui-lo
quando ele nadava na piscina imperial, mordiscando entre suas pernas. Esta era a residência real em Capri, onde
Tibério, o Tirano, vivia uma vida de extraordinária devassidão. Por mais de uma década, no início do primeiro século
dC, esta pitoresca ilha italiana foi o lar principal do imperador romano. Aqui, ele praticava lascívia e sede de sangue
em igual medida, hospedando orgias intermináveis de verão e vendo seus inimigos sendo torturados antes de serem
jogados a 300 metros dos penhascos no mar abaixo. ...

A propriedade fica nas terras onde 12 moradias foram construídas por Tibério durante seu reinado de 14 a 37 dC. Em
risco de assassinato, ele escolheu o local principalmente porque a localização remota facilitou a defesa - mas
também para que ele pudesse se entregar suas predilecções sórdidas longe dos olhares indiscretos. ... O poder foi
forçado sobre ele ... os acontecimentos o transformariam de um recluso mal-humorado em um demônio despótico e
carnal. De fato, foi durante o reinado brutal de Tibério que Jesus foi crucificado, sob a autoridade do então
governador romano da Judéia, Pôncio Pilatos. ... Ele se tornou imperador em 14 dC com a idade de 56 anos. Antes
que o corpo do velho imperador ficasse frio, Tibério ordenara a execução do jovem neto de Augusto e filho do
primeiro casamento de Julia em desgraça com sua prima - presumivelmente em caso ele se tornou um rival. Um
matemático que desagradou a Tibério foi espancado até a morte e decapitado. ... A vingança de Tibério era
terrível. [Lucius Aelius] Sejanus [Prefeito da Guarda Pretoriana] foi morto depois de ser torturado e arrastado pelas
ruas de Roma. Em seguida, de acordo com o historiador Tácito, escrevendo cerca de 70 anos após o reinado de
Tibério, o imperador ordenou vingança contra os filhos de Sejano, um menino e uma menina. Tacitus citou escritores
contemporâneos que relataram que, como a pena capital de uma virgem era inédita, a filha foi violada pelo
carrasco. Então as duas crianças foram estranguladas e seus corpos jovens jogados nos Degraus
Gemonianos. Frenético com sede de sangue, o Imperador ordenou a execução de todos aqueles associados com
Sejano. Montes de vítimas jaziam nas ruas com parentes proibidos de dar aos corpos em decomposição um enterro
apropriado. Em 26 dC, Tibério recuou para a ilha de Capri, para nunca mais voltar a Roma - segundo Tácito, para
satisfazer seu desejo carnal. Lá, ele estabeleceu um novo escritório, mestre dos prazeres imperiais,

cujo trabalho era reunir os jovens mais bonitos da terra, para o Imperador corromper. ... Suas luxúrias atingiram
profundezas cada vez menores e ele atacou as crianças que viviam dentro e ao redor de sua corte. Tácito nos diz
"novos nomes para tipos de perversões foram inventados", tal era a depravação de Tibério. Tibério contratou
escravos para encontrar seus filhos para satisfazer seus desejos. Esses agentes estavam totalmente acima da lei e
sequestraram vítimas se pais ou parentes brigassem. Alguns até violaram as crianças antes de chegarem ao seu
mestre lascivo. Foi, diz Tácito, "como o saque de uma cidade capturada". ... Seus jardins, onde ele arranjou "um
número de recantos de vinhedos onde meninos e meninas solicitavam bowers e grutas externas", eram chamados
pelos moradores de "o jardim do velho bode", pregando o nome de Capri, que se traduz como "ilha de cabra". Sua
fantasia particular, que meninos eram ensinados a realizar, era nadar nas águas azuis e mornas das grutas de Capri
cercadas por jovens lascivos nadando como peixinhos ao lado de um velho tubarão, lambendo e mordiscando suas
partes íntimas. Ele também era um voyeur sexual e gostava de ver grupos de jovens copularem diante dele. Certa
vez, em um sacrifício religioso em Capri, levado a um frenesi pela beleza do assistente do padre, ele perdeu o
controle de si mesmo no templo e, dificilmente esperando a cerimônia terminar, correu para fora e debochou dele e
de seu irmão, o flautista também. Posteriormente, quando eles se queixaram do ataque, ele teve suas pernas
quebradas. As mulheres também eram de interesse para ele - não importava o quão relutassem em ser. Um
historiador, Suetônio, diz: "

desculpa'; de modo que finalmente ela deixou a corte e foi para casa, onde se esfaqueou, abertamente censurando o
velho feio por sua obscenidade. "Cada vez mais devastado pelos anos e seus excessos vis, Tibério certamente se
tornara o mais desinteressante dos homens. Seu outrora bonito o rosto estava desfigurado por uma forma de eczema
e coberto de manchas, cicatrizes e unguentos prescritos por seus médicos.Também brutalidade marcou seus anos
no exílio.Quando sua maca foi atingida por um arbusto, ele teve o centurião que havia sido enviado à frente para
limpar o caminho estendido e açoitado até a morte antes dele. Diante dos aposentos do Imperador havia um
precipício chamado Tiberius Fall, porque, com isso, ele dispensaria visitantes indesejados ou servos desobedientes.
Tibério observaria enquanto eles caíssem em direção à água faiscante, e seus corpos foram mutilados no fundo do
penhasco por soldados armados. Suetônio diz: "Entre as várias formas de tortura, ele inventara uma delas: enganava
os homens para que se enchessem de abundantes correntes de vinho, e então, de repente, amarrando suas partes
íntimas, os atormentaria ao mesmo tempo pela tortura do vinho. as cordas e a paralisação de suas águas ". Tibério
morreu aos 78 anos, durante o 23º ano de seu reinado. Dizem que ele acabou sendo sufocado sob uma pilha de
colchões, embora haja outros relatos de que ele foi envenenado por seu herdeiro, Calígula. ~ Brennan [30]
Infelizmente, Caio "Calígula" Júlio César Germânico seria um pouco melhor. Tibério o criou em Capri, onde se
apaixonou por sua irmã Drusila, eventualmente consumando a relação com o sexo incestuoso (embora ele também
se deitasse com suas outras duas irmãs). Uma doença fatal em outubro de 37 dC levaria sua educação perversa e a
transformaria em uma personalidade monstruosa. Calígula voltou da beira da morte menos humana do que quando
entrou. A perda de seu único e verdadeiro amor, Drusila, para uma aparente doença desconhecida, acabou com
qualquer esperança de consciência que o Império tivesse em seu déspota.

Impressionado com sua perversa destreza, ele se casou com a prostituta ilegítima Milonia Caesonia para produzir um
herdeiro. Calígula usava a devassidão como poder sobre os Cônsules, estuprando suas esposas, filhos e filhas, às
vezes enquanto assistiam. Tendo esgotado o tesouro, ele abriu um bordel em Roma e forçou as esposas dos
senadores a recuperar sua riqueza de partido. Essa perversão e brutalidade espantosas foram transferidas com
facilidade para o papado. Um espelho do estilo de vida de Calígula assegurou a Reforma Protestante! Da História
Secreta: [31] [itálico suspenso, a menos que seja original] Em 1488, o pai de Giovanni de Medici, Lorenzo il Magnifico
("Lorenzo, o Magnífico"), governante da província de Florentino, prevaleceu sobre seu parente, Giovanni Battista
Cybo (Papa Inocêncio). VIII) fazer de seu filho um cardeal, o que Cybo fez. Tendo comprado Giovanni a cardealcia
em tão tenra idade (13) ele foi proibido de usar a insígnia ou deliberar como Cardeal por mais 3 anos. Em 1513, de
Medici foi "eleito" papa. Claramente uma decisão política, depois que foi feita, o Colégio de Cardeais percebeu que
De Médici nunca havia sido ordenado sacerdote. Este pequeno descuido foi corrigido em uma data que provou que o
papado era muito mais "romano" do que "cristão" - os idos de março (15) daquele mesmo ano - a data comemorada
como o assassinato de Júlio César. Medici manteve e até aumentou seu estilo de vida luxuoso, que incluía as
perversões sexuais da classe alta. O papa Leão era conhecido como "amante dos meninos". Dizia-se que Leão X
convidava os convidados para banquetes luxuosos com até 65 cursos em que meninos pulavam nus de pudins. Não
era segredo que Leão era "um amante de meninos" que possuía também "um amor insaciável por prazer". Como o
Papa Paulo II, Leão adorava desfiles e sua paixão era viajar por Roma à frente de uma longa procissão com
panteras,

Bobos da corte e um elefante branco chamado Hanno, um presente do rei de Portugal. O acadêmico Joseph McCabe
disse que Leo era "um voluptuoso, grosseiro, frívolo e cínico, provavelmente viciado no vício homossexual no
Vaticano". Leo passou grande parte de sua infância em inúmeras abadias que, como muitos mosteiros desde o
tempo de Leão III (795-816), se tornaram assombrações homossexuais. Mesmo antes de se tornar papa, Leão X
teria sido um sodomita praticante. No dia de sua eleição, Leão sofria de úlceras crônicas (úlceras de pele venérea,
não do estômago) e teve que ser levado para o conclave em uma maca. Poucos comentaram que as úlceras tinham
sido causadas por suas "predileções de menino" ... D. Christie Sinton113 Medici estava longe de ser único como um
papa corrupto, imoral e depravado. O papa Sérgio III mandou assassinar seus antecessores, o papa Leão V e o
antipapa Cristóvão. Ele gerou um filho bastardo que mais tarde se tornaria o papa João XI. O papa João XII cortou o
nariz e a língua e dois dedos do cardeal-diácono, esfolou a pele do bispo Otger, cortou as mãos de Notary Azzo e
decapitou sessenta e três membros do clero e da nobreza de Roma. Ele manteve um bordel no Vaticano e deixou
sua amante Maricia executá-lo. Durante a folia do jogo bêbado, ele foi ouvido para brindar a Satanás. Enquanto fazia
sexo com uma mulher casada, ele foi pego pelo marido que (sendo bastante italiano) ignorou seu Santo Ofício e
esmagou a cabeça do Papa com um martelo, matando-o. Roderic Borgia, papa Alexandre VI (1492-1503) ... nesta
lista diabólica de nomes nefastos, nenhum envia tanto arrepio como "Borgia".

dificilmente um deles que não parece estar encapotado em uma aura de iniqüidade. O fundador da fortuna da família,
Alfons de Borja (1378-1458), que reinou como papa Callixtus III, foi denunciado até por seus aliados mais próximos
como o "escândalo de [sua] era" por seus modos monstruosamente corruptos. Seu sobrinho, Rodrigo (1431-1503),
que ele mesmo elevou ao cardinalato, e que seria eleito papa Alexandre VI em 1492, era considerado ainda pior. O
papa Julius III seqüestrou e seduziu um adolescente sem-teto a quem ele mantinha como amante e recompensado
com uma cardealidade.

Capítulo 2

A Besta Transformada

21 de março de 1475: Menino de dois anos de idade encontrado assassinado, vítima de um sacrifício ritual, em
Trento, Itália, no domingo de Páscoa.

O pequeno Simão, um garotinho de Trento, foi morto no dia 21 de março de 1475 dC, em Maundy, quinta-feira,
durante a Semana Santa. Os judeus desta cidade queriam celebrar sua Páscoa à sua maneira; então eles
seqüestraram secretamente o menino e o levaram para a casa do judeu Samuel. Durante a Semana Santa em
Maundy-Thursday, o dia antes da Sexta-feira Santa, "e" no dia anterior à "Piedosa Páscoa Pobre", cerca de três
horas depois do jantar, o menino, como as crianças, estava sentado em frente à casa dos pais. casa. Nem seu pai
nem sua mãe estavam em casa na época em que estavam na Igreja. Foi nessa época que o judeu Tobias se
aproximou da criança, que não tinha nem 30 meses de idade, e falando gentilmente e oferecendo ao menino um
pedaço de dinheiro, pegou-o e levou-o imediatamente para a casa do judeu Samuel. Quando a noite caiu, os irmãos
gêmeos Saligman e Samuel, com Tobias, Vitalis (Veitel), Moisés, Israel e Mayr, despiram o menino e o mataram
impiedosamente. Enquanto Moisés estrangulava-o com um lenço ao colocar-se sobre o joelho de Samuel, pedaços
de carne de seu pescoço foram cortados com uma faca e o sangue coletado em uma tigela. Ao mesmo tempo, eles
perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles então cortaram pedaços de carne do
braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os torturadores imitaram a crucificação,
segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~ St. Simon of Trent.com [32] Os
ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram quase tão cruéis como as cruzadas
literais contra com Tobias, Vitalis (Veitel), Moisés, Israel e Mayr, despiu o menino e o matou
impiedosamente. Enquanto Moisés estrangulava-o com um lenço ao colocar-se sobre o joelho de Samuel, pedaços
de carne de seu pescoço foram cortados com uma faca e o sangue coletado em uma tigela. Ao mesmo tempo, eles
perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles então cortaram pedaços de carne do
braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os torturadores imitaram a crucificação,
segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~ St. Simon of Trent.com [32] Os
ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram quase tão cruéis como as cruzadas
literais contra com Tobias, Vitalis (Veitel), Moisés, Israel e Mayr, despiu o menino e o matou
impiedosamente. Enquanto Moisés estrangulava-o com um lenço ao colocar-se sobre o joelho de Samuel, pedaços
de carne de seu pescoço foram cortados com uma faca e o sangue coletado em uma tigela. Ao mesmo tempo, eles
perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles então cortaram pedaços de carne do
braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os torturadores imitaram a crucificação,
segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~ St. Simon of Trent.com [32] Os
ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram quase tão cruéis como as cruzadas
literais contra Enquanto Moisés estrangulava-o com um lenço ao colocar-se sobre o joelho de Samuel, pedaços de
carne de seu pescoço foram cortados com uma faca e o sangue coletado em uma tigela. Ao mesmo tempo, eles
perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles então cortaram pedaços de carne do
braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os torturadores imitaram a crucificação,
segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~ St. Simon of Trent.com [32] Os
ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram quase tão cruéis como as cruzadas
literais contra Enquanto Moisés estrangulava-o com um lenço ao colocar-se sobre o joelho de Samuel, pedaços de
carne de seu pescoço foram cortados com uma faca e o sangue coletado em uma tigela. Ao mesmo tempo, eles
perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles então cortaram pedaços de carne do
braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os torturadores imitaram a crucificação,
segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~ St. Simon of Trent.com [32] Os
ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram quase tão cruéis como as cruzadas
literais contra Eles perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles então cortaram
pedaços de carne do braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os torturadores
imitaram a crucificação, segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~ St. Simon of
Trent.com [32] Os ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram quase tão cruéis
como as cruzadas literais contra Eles perfuraram a oferta nua com agulhas e murmuraram maldições hebraicas. Eles
então cortaram pedaços de carne do braço e das pernas do menino e coletaram o sangue em vasos. Finalmente os
torturadores imitaram a crucificação, segurando o corpo contraído de cabeça para baixo e os braços estendidos ... ~
St. Simon of Trent.com [32] Os ataques ao judaísmo pela Igreja Católica, especialmente na Idade Média, foram
quase tão cruéis como as cruzadas literais contra

Cristãos

Os valdenses e valdenses eram a ekklsia remanescente, mantendo a verdade de Cristo contra o


dragão? Certamente, Roma pensava que sim, e os cruzados perseguiram os inofensivos cristãos alpinos com
crueldade cruel, talvez até invisível na Palestina. Para combater os "hereges", Roma precisava de um escritório
especial projetado para usar todos os meios necessários para forçar as crianças rebeldes a voltarem para o
rebanho. Como dizia o crusador / inquisidor; aut mass mort mortem - seja na missa ou esteja morto. No poder
arrogante, Roma procurou trazer todos os cristãos sob seu domínio. "Você disse: 'Eu sou para sempre - a eterna
rainha!' ... descansando em sua segurança e dizendo para si mesmo: "Eu sou, e não há ninguém além de mim. Eu
nunca serei viúva nem sofrerei a perda de crianças". ~ Isaías 47:

Cruzados lutando contra muçulmanos sedentos de sangue, mas a imagem apagada da história é a de cavaleiros
matando cruelmente homens, mulheres e crianças cristãos da maneira mais hedionda que podiam. ~ História Secreta
[33] Um pouco mais conhecido (porque serve ao "choque de civilizações" da Luciferiana "Dialética Hegeliana [ii]) é a
perseguição dos judeus por Roma. Suspeito, o anti-semitismo já estava sendo agitado em Trento antes do incidente
hediondo. Pouco antes de Simon desaparecer, Bernardine de Feltre, um pregador franciscano itinerante, proferiu
uma série de sermões em Trento nos quais difamava a comunidade judaica local. ~ Wikipedia [34] Um relato mais
detalhado é encontrado na Enciclopédia Judaica. [itálico suspenso] O desaparecimento de Simon. As relações
harmoniosas entre os cristãos e os judeus em Trento tinham excitado a ira do frade franciscano insinuado Bernardino
de Feltre, que era filho de um inimigo notório dos judeus. Nos seus sermões quaresmais (1475), esforçou-se por
incitar o povo contra eles, mas provocou desagrado por parte dos cristãos. Então ele previu que na próxima Páscoa
judaica ocorreria um assassinato ritual. De acordo com essa previsão, a criança Simon, com vinte e oito meses de
idade, desapareceu em 23 de março de 1475. Bernardinus de Feltre, Johannes Schweizer (um vizinho dos judeus) e,
finalmente, as pessoas animadas declararam que a criança seria encontrado entre os judeus; mas uma cuidadosa
busca pelo bairro judeu, ordenada pelo bispo Hinderbach e executada pelo podestà de Trento, Johann Sala, mostrou-
se infrutífera. Na véspera da segunda-feira de Páscoa, 26 de março, alguns judeus notaram o corpo de uma criança
no rio, perto da casa de um deles chamado Samuel. Sem demora, três deles, Tobias (médico), Samuel e Angelus,
apressaram-se em notificar o bispo, mas não foram admitidos em sua presença. O podestà, no entanto, visitou a
casa de Samuel, tomou posse do corpo da criança e ordenou a prisão de

os presentes - Samuel, Angelus, Tobias, Israel, Bonaventura, Toaff e um segundo Bonaventura (o


cozinheiro). Depois de um exame médico do corpo, afirmou-se que a morte era o resultado de violência, não de
afogamento acidental. Um judeu batizado, Johann de Feltre, que havia sido prisioneiro por vários anos por roubo,
aproveitou a aparente oportunidade de encurtar o prazo de sua prisão declarando que os judeus usavam o sangue
dos cristãos para fins rituais na Páscoa. Com base nessa alegação, todos os membros da comunidade judaica,
incluindo mulheres e crianças, foram presos. O processo contra eles começou em 28 de março. O acusado se
declarou inocente e denunciou dois homens: Johannes Schweizer, que tinha acesso ao rio que corria pela casa de
Samuel e que por muito tempo fora inimigo dos judeus; e o alfaiate alemão Enzelin. Johannes Schweizer e sua
esposa foram presos, mas provaram ser um álibi no dia 23 de março, embora apenas durante o dia; eles foram
finalmente libertados da prisão de maneira "milagrosa". Tortura Sofrida pelos Judeus. Então começaram dias e noites
de tortura para os judeus, nos quais numerosos métodos de convincente "confissão" eram julgados. Por muito tempo
os sofredores permaneceram firmes e fiéis; mas depois de semanas de tortura enfraqueceram a vontade, eles
"confessaram" as palavras exatas ditadas por seus torturadores e assassinos clericais. Essas práticas abomináveis
levaram Duke Sigmund e outros a interceder e interromper o processo (21 de abril). Mas as perseguições foram
retomadas em 5 de junho e foram mantidas até o judeu Moisés, de oitenta anos, depois de torturas terríveis e
negações persistentes, da mesma forma "confessou". Perto do final de junho (2123), oito dos judeus mais ricos,
depois de receberem o batismo, foram mortos, alguns foram queimados na fogueira e o restante foi decapitado.
[35] É significativo que um prisioneiro judeu, já batizado na religião católica romana, tenha sido a "testemunha" que
condenou o acusado. Não foi nem o primeiro nem o último exemplo de traição judaica dentro das fileiras. Durante a
Páscoa na Judéia de 32 dC a liderança religiosa judaica que condenou o acusado. Não foi nem o primeiro nem o
último exemplo de traição judaica dentro das fileiras. Durante a Páscoa na Judéia de 32 dC a liderança religiosa
judaica que condenou o acusado. Não foi nem o primeiro nem o último exemplo de traição judaica dentro das
fileiras. Durante a Páscoa na Judéia de 32 dC a liderança religiosa judaica

traiu o povo e convenceu seus senhores-das-tarefas romanas a condenar à morte um rabino inocente e
extremamente popular de Nazaré, porque ele (ele) ameaçava seu controle abusivo. [Matthew 27:20] O bilionário
judeu húngaro George Soros é constantemente demonizado pela suposta mídia de "direita" como a Fox News. A Fox
News foi fundada pelo australiano "purveyor of pornography" [36] Rupert Murdoch, um Cavaleiro de Malta [37] que
recebeu pessoalmente a Ordem de São Gregório do Papa São João Paulo II [38], [iii]. No entanto, é pouco conhecido
que Soros era um colaborador nazista. Quando jovem, em Budapeste, George Soros era um mensageiro do
Conselho Judeu, a organização nazista e dirigida pelos nazistas que dirigia a comunidade judaica. O Conselho Judeu
foi finalmente controlado por Adolf Eichmann, o homem conhecido como o "arquiteto do Holocausto, foi realizado não
pelos alemães, nem por seus lacaios húngaros, mas - o que é surpreendente - pelos próprios judeus. Uma das
primeiras coisas que os alemães fizeram foi formar o chamado Conselho Judaico, constituído pelos líderes da
comunidade judaica. Os membros do conselho foram pessoalmente responsáveis pela implementação das várias
medidas alemãs relativas à população judaica. Como recompensa, eles, suas famílias e aqueles que trabalhavam
para eles estavam isentos, pelo menos no começo, dessas restrições ... O Conselho Judaico realizou Os membros
do conselho foram pessoalmente responsáveis pela implementação das várias medidas alemãs relativas à população
judaica. Como recompensa, eles, suas famílias e aqueles que trabalhavam para eles estavam isentos, pelo menos no
começo, dessas restrições ... O Conselho Judaico realizou Os membros do conselho foram pessoalmente
responsáveis pela implementação das várias medidas alemãs relativas à população judaica. Como recompensa,
eles, suas famílias e aqueles que trabalhavam para eles estavam isentos, pelo menos no começo, dessas restrições
... O Conselho Judaico realizou

os alemães desejam muito mais conscientemente que os próprios alemães. "Tivadar Soros descreveu o papel de seu
filho George." Como os judeus não podiam mais ir à escola e seus professores não podiam ensinar, eles foram
ordenados a se reportarem à sede do conselho. As crianças foram alistadas como mensageiros sob o comando de
seus professores. Meu filho mais novo, George, também se tornou mensageiro. No segundo dia, ele voltou para casa
às sete da noite. "O que você fez o dia todo?" "Principalmente nada. Mas esta tarde me deram alguns avisos para
entregar em vários endereços." "Você leu o que eles disseram?" "Eu até trouxe um para casa." Ele me deu um
pequeno pedaço de papel, com uma mensagem datilografada [uma convocação]. "Você sabe o que isso
significa?" Eu perguntei a ele: "Eu posso adivinhar", ele respondeu, com grande seriedade.
de (1926-29) e para a Alemanha (1917-30). Tanto assim, de fato, ele foi chamado de "o papa de Hitler" .449 Isso
também é subterfúgio, pois Adolf Hitler era apenas um peão do papado.450 Eles até tinham um jesuíta antissemita
vicioso chamado Bernhardt Staempfle para escrever Mein Kampf para Hitler. .451 ... Roma e suas Forças Especiais,
os jesuítas, estavam absolutamente determinados a levantar desnecessariamente antagonistas na Alemanha e na
Rússia para punir brutalmente o local de nascimento da Reforma e o mundo para recebê-la. No processo, seus
lacaios traiaram ambos os lados e fizeram bilhões no processo. ... Dentro da Alemanha, Roma tinha agentes duplos
como o "luterano" Martin Bormann. Bormann foi um dos homens mais poderosos do regime. Ele era chefe da
Chancelaria do Partido Nazista (Parteikanzlei) e Adolf Hitler ' s secretário particular que pessoalmente controlava o
fluxo de informações e acesso a Hitler.455 Ele também era um participante ativo da "Orquestra Vermelha" (Die Rote
Kapelle) - uma célula de traidores que dava inteligência alemã à União Soviética. Foi mais uma prova de que
Bormann trabalhou para Roma. Entre os Aliados e os Comunistas, os Aliados eram um recipiente muito mais
lucrativo de inteligência importante. Pode-se facilmente negociar o caminho para uma aposentadoria muito elegante,
puxando as cordas certas (como muitos nazistas fizeram). ... Não trabalhando diretamente com os Aliados forçando
Roma a intervir para prover a "aposentadoria" de Bormann e ele foi colocado nas linhas de ratos do Vaticano
disfarçados como um padre jesuíta e ele acabou em segurança na [Jorge "Papa Francisco" Bergoglio] Argentina456
onde ele morreu em paz e sem ser molestado. A esposa dele, Gerda foi cuidadosamente protegida do assédio por
qualquer agência de inteligência e nomeou um padre católico romano como executor de sua vontade. O filho mais
velho de Bormann, Adolf (em homenagem a seu padrinho, Adolf Hitler) tornou-se um jesuíta e recebeu deferência e
consideração especiais por causa da contribuição de seu pai para Roma.457 ~ História Secreta [40]

Como resultado do Holocausto, pais judeus desesperados entregaram seus filhos a instituições católicas - hospitais,
orfanatos, etc. - bem como famílias católicas de elite, para dar a eles uma chance de sobreviver à guerra. Eles nunca
foram vistos novamente. Uma carta do papa Pio XII a seu representante em Paris, em 20 de novembro de 1946,
mostra que ele ordenou que bebês judeus batizados durante o Holocausto não fossem devolvidos a seus pais. O ex-
rabino chefe Yisrael Meir Lau disse que o papa Pio XII, do Holocausto, recusou vários pedidos do rabino-chefe Isaac
Herzog para se encontrar com ele antes e durante a guerra para discutir como a Igreja poderia salvar vidas judias ou
localizar judeus. órfãos atendidos por famílias católicas. Por outro lado, o rabino Lau disse que o pontífice anterior, o
papa João Paulo II, Em 1993, ele lhe disse que se recusara a batizar uma criança judia cujos pais haviam morrido,
"porque os pais solicitaram especificamente que a criança fosse criada como judia". No entanto, o mesmo João Paulo
II não respondeu a um pedido do rabino-chefe ucraniano Yaakov Dov Bleich para abrir arquivos da igreja e revelar os
nomes das crianças judias que foram educadas como católicas durante a Segunda Guerra Mundial. ~ Arutz Sheva
[41] Em 2005, o Times publicou o que supostamente era a carta de Pacelli. Paris, 23 de outubro de 1946. No que diz
respeito às crianças judias que foram confiadas a instituições e famílias católicas durante a ocupação alemã e agora
são exigidas pelas instituições judaicas a serem entregues a elas, a Santa Congregação do Santo Ofício tomou uma
decisão que pode ser resumida. desta maneira: 1) Evite, tanto quanto possível, responder por escrito às autoridades
judaicas, mas sim fazê-lo oralmente. 2) Cada vez que uma resposta é necessária, é necessário dizer que a Igreja
deve conduzir investigações para estudar cada caso individualmente.

3) As crianças que foram batizadas não devem ser confiadas a instituições que não estejam em condições de
garantir sua educação cristã. 4) Para as crianças que não têm mais seus pais, dado o fato de que a Igreja tem
responsabilidade por elas, não é aceitável que elas sejam abandonadas pela Igreja ou confiadas a qualquer pessoa
que não tenha direitos sobre elas, pelo menos até que elas estão em posição de escolher a si mesmos. Isso,
evidentemente, é para crianças que não teriam sido batizadas. 5) Se os filhos foram entregues pelos pais, e se os
pais os reclamarem agora, desde que os filhos não tenham recebido o batismo, eles podem ser devolvidos. É de
notar que esta decisão da Santa Congregação do Santo Ofício foi aprovada pelo Santo Padre. [42] Mídia, em geral, e
o New York Times muito especificamente, é dirigido por judeus colocados no Vaticano para fazer a investida romana
e garantir a negação do Vaticano. A liberação da carta de Pacelli foi outro movimento de xadrez papal; desistir de um
peão para ganhar um bispo. Certamente editado, permitia o controle de danos. Como vimos, pouca consideração tem
sido dada pelo clero criminoso se as crianças são "batizadas" católicas e muito mais seu uso no sacrifício e para
trazer dinheiro. Deu a credibilidade do Times como um "papel real". Continuou a fomentar a divisão racial, trazendo o
tópico à luz. Essas suposições foram provadas verdadeiras pelo professor judeu da França católica romana,
Catherine Poujol, que "examinou" a questão ... para o Vaticano! Por quase uma década, Poujol se recusou a falar
com a imprensa sobre sua descoberta. Agora, ela explica as razões por trás de seu silêncio. ... "

assunto - e este foi um processo muito complexo e demorado ", disse ela ao The Times of Israel." A Igreja sentiu-se
encurralada e, a princípio, adotou uma postura interiorista. Mas logo percebeu que negar o acesso a esses
documentos do pós-guerra aumentaria ainda mais o escândalo. "Depois de examinar inúmeras fontes e viajar pela
Europa, Estados Unidos e Israel, Poujol chegou à conclusão de que mesmo que esse documento delineia claramente
a intenção da Igreja Mantendo as crianças judias batizadas sob sua custódia, elas não culpam toda a Igreja Católica.
"Muitos padres e bispos agiram de forma completamente independente e não cumpriram a diretriz", diz ela. Em 1944,
dois meninos judeus, Robert e Gerald Finaly, foram enviados pelos pais para uma creche católica em
Grenoble. Depois que os pais foram deportados e morreram em Auschwitz, seus tios e tias, que moravam em Israel,
tentaram recuperar os filhos. Em 1948, a enfermeira católica francesa Antoinette Brun batizou as crianças sem a
permissão da família e as adotou formalmente, omitindo-se de dizer ao juiz sobre a existência de outros parentes. O
caso alcançou os holofotes nacionais quando uma investigação policial descobriu que várias freiras da ordem de
Notre Dame de Sion e padres bascos haviam organizado e executado o seqüestro e contrabando de crianças na
Espanha em fevereiro de 1953. "A opinião pública francesa estava dividida em dois campos opostos, clérigos contra
anti-clericais, sionistas contra anti-sionistas e direito canônico contra a lei republicana ", acrescenta. ~ Tempos de
Israel [43] "Dois meninos judeus em 1944" ? Roma roubou e traiu dezenas de milhares de crianças, mas quando lhe
convier, ela mostrará a mão em duas delas para desistir do peão de um "pecado" momentâneo e ganhar o bispo de
alimentar o ódio racial contra os judeus. Saint Simon

Apesar da controvérsia em torno da questão de quem realmente assassinou Simão, dois anos de idade, em torturas
rituais homenageando deuses castrados como Attis, ele foi logo canonizado como o santo padroeiro das vítimas de
sequestro e tortura. Um número doentio tem caído sob seu patrocínio desde então. 540 anos depois, as crianças
voltariam a ser os holofotes em Trento quando o padre católico romano Don Gino Flaim disse a uma equipe local da
La7 News que "entende" a pedofilia, que ela precisa ser "aceita" como qualquer outro pecado. Infelizmente, há
crianças que buscam carinho porque não o recebem em casa e eu entendo que alguns padres podem desistir. ... Eu
poderia aceitar a pedofilia, mas não tenho tanta certeza sobre a homossexualidade. [44] La7 parecia estar seguindo
uma história (que também surgiu na época) de que o mosteiro de Venturini em Trento havia se tornado um "resort de
reabilitação" para o clero desviante de Roma. Aparentemente imunes ao processo por qualquer autoridade secular, lá
eles poderiam alcançar "um período de treinamento, reflexão pessoal e iluminação." [45] Mas, certamente, devem ser
os judeus.

Capítulo 3

Escravos

1609: O governador espanhol de Assunção, Filipe III, faz um acordo com o Provincial jesuíta do Paraguai para
estabelecer comunas povoadas por indígenas em pontos estratégicos ao longo do rio Paraná.

Impulsionados pelas filosofias de partilha de propriedades de Tomás de Aquino, os jesuítas criaram as primeiras
aldeias comunistas em toda a América do Sul. Conhecidas como Reduccións em espanhol ou Reduções em
português, estas "Reduções" serviram a vários propósitos: Manter uma presença estratégica para a Espanha ou
Portugal sem a aparente aparência de soldados armados. "Converta" nativos para se tornarem cidadãos católicos de
seus conquistadores imperiais. Enriqueça as elites de Espanha, Portugal e Roma com trabalho escravo que custa
pouco para manter ... a menos que você fosse um escravo. Contendo indesejáveis de reservas indígenas para
campos de concentração nazistas para gulags soviéticos para internamento japonês / americano de Franklin
Roosevelt, todos têm o ancestral comum das "reduções" jesuíta na América do Sul. ... Antes dos dias dos rifles
Avtomat Kalashnikov e das metralhadoras Schmeisser, grandes grupos de prisioneiros eram difíceis de lidar com
apenas alguns padres jesuítas. A empresa precisava usar cérebros sobre músculos. Mais tarde, eles seriam capazes
de se apropriar da "força" de nações inteiras. O apelo da redistribuição de riqueza é que os beneficiários podem viver
uma vida um pouco mais fácil, embora seja uma utopia que sempre desapontou. Na América do Sul, a "justiça social"
se tornaria o grito de tirar "os ricos" e dar aos "pobres". O que geralmente acontece, no entanto, é embora seja uma
utopia que sempre desapontou. Na América do Sul, a "justiça social" se tornaria o grito de tirar "os ricos" e dar aos
"pobres". O que geralmente acontece, no entanto, é embora seja uma utopia que sempre desapontou. Na América do
Sul, a "justiça social" se tornaria o grito de tirar "os ricos" e dar aos "pobres". O que geralmente acontece, no entanto,
é

que os super-ricos exploram os pobres para sangrar os poucos produtores reais da classe média. Se esta parece ser
a arma perfeita para ser usada na Contra-Reforma, não é por coincidência. A frase "justiça social" foi cunhada pelo
teólogo jesuíta e mentor do papa Leão XIII, padre Luigi Taparelli D'Azeglio. ... A utilidade do comunismo foi
imediatamente aproveitada pelo Vaticano. ... Os jesuítas tiveram suas experiências com as reducciones sul-
americanas e as alimentaram a um aristocrata judeu alemão que nunca havia ocupado um trabalho proletário na
classe trabalhadora em sua vida - Karl Heinrich Marx. ~ Illuminati Unmasked [46] 1618: Home Children Scandal -
crianças "vagabundas" reuniram-se na Inglaterra e enviaram para o Canadá, América, Austrália como trabalhadores
escravos contra sua vontade. O processo foi usado pela Igreja Católica, primeiro atrás de frentes "seculares" e
"protestantes", depois diretamente, para predação. Como os governos de várias nações estavam envolvidos no
tráfico de escravos (e ainda são), as "histórias oficiais" são caiadas de branco, na melhor das hipóteses. No entanto,
até mesmo o governo australiano deve admitir que a "migração de crianças" foi "quadriculada", para dizer o
mínimo. A migração infantil teve uma longa e variada história cercada de controvérsias e marcada pelo
escândalo. Na verdade, nunca foi uma única política adotada continuamente: em vez disso, era um emaranhado
complexo de esquemas privados concorrentes, iniciativas governamentais, personalidades carismáticas, prioridades
confusas e agendas confusas. Foi criticamente afetado pelas pressões econômicas, políticas e sociais de
determinados momentos. As primeiras 100 crianças "vagabundas"

América do Norte durante o início do século XVII. No continente selvagem, indomado e pouco povoado, havia uma
demanda insaciável por homens e mulheres para povoar e explorar os novos territórios. A demanda era tão grande, e
os perigos da jornada marítima e do pioneirismo inicial eram tão desesperados, que aqueles a quem era conveniente
a Inglaterra mandar para o exterior os criminosos condenados, as crianças pobres e abandonadas da paróquia eram
considerados adequados e muitos eram despachados. Foi em janeiro de 1615 que o Conselho Privado emitiu um
mandado de exílio a alguns criminosos condenados para as colônias da Nova Inglaterra e quatro anos depois que
essas provisões foram confirmadas e ampliadas por uma nova ordem do Conselho.4 A migração das crianças foi
iniciada em 1618 neste país. contexto, à medida que as autoridades estaduais buscavam outras fontes de trabalho
nas colônias. Mais tarde naquele ano, a Companhia da Virgínia solicitou uma segunda remessa de crianças
"vagabundas" (isto é, crianças de rua) e os Padres da Cidade cooperaram em obtê-los mandando os policiais
prenderem crianças vagabundas e colocá-las no Bridewell ou prisão até que os navios estivessem prontos para sua
partida. , muitas das crianças não queriam ir e, sob desafio, tornou-se claro que o primeiro grupo havia sido
despachado ilegalmente. A cidade fez uma representação urgente ao Conselho Privado e em 31 de janeiro de 1620 o
Conselho deu sua aprovação para despachar as crianças "recalcitrantes" ... [47] Na esquizofrenia da medicina
pública oficial, o governo australiano afirmou pela primeira vez que "o consentimento das crianças ou de seus pais
não era um problema", logo em seguida se segue com o modo como as crianças foram basicamente sequestradas. O
fato de que os protestantes foram usados como cobertura para a hedionda prática também vazou na reação admitida
dos verdadeiros puritanos americanos que baniram e tentaram policiar os crimes e proteger as crianças. O
consentimento das crianças ou de seus pais não foi um problema, embora esteja claro que muitos dos jovens eram
fugitivos e abandonaram as crianças, além do interesse ou controle dos pais ou responsáveis sobreviventes.7 Era
provável que se seguisse aquilo em que houvesse uma necessidade comercial, ou seja, a

Devido à escassez desesperada de mão-de-obra nas colônias, a empresa privada provavelmente seguiria a clara e
inequívoca liderança tomada pelas autoridades estatais. Lá abriu-se um mercado à vista pronto para qualquer
homem, mulher ou criança fisicamente capaz que pudesse ser persuadido, enganado, forçado ou "espirituoso" para
as novas colônias. Em uma palavra, "espiritualmente" era o seqüestro e, nos 150 anos seguintes, a migração infantil
operou em três níveis: algumas crianças foram enviadas às colônias norte-americanas ou ocidentais por várias
autoridades da Lei Pobre e órgãos do governo que trabalhavam na portaria de 1620. Conselho Privado; alguns foram
escoltados por filantropos religiosos; e a maioria foi seqüestrada ou "animada" de cidades próximas aos portos para
despacho e venda nas colônias. Lá as crianças O trabalho foi adquirido por fazendeiros e outros fazendeiros até que
a criança atingisse a maioridade, um procedimento dado um fino verniz de legalidade pela assinatura de contratos.8
O tráfico de crianças "espirituosas" para as Américas aumentou durante as guerras civis da década de 1640, e o
Parlamento dominado pelos puritanos em 9 de maio de 1645 aprovou uma ordenação fortemente contrária à
prática.9 Os navios deviam ser revistados pelos juízes da paz onde havia motivos para crer que eles possuíam
crianças seqüestradas. [48] A reação dos protestantes na América ao tráfico de escravos foi novamente atestada na
linha do tempo do governo australiano - 1783: Guerra da Independência Americana confirma a Declaração de
Independência das treze colônias costeiras na América do Norte; fim do transporte de condenados adultos para as
colônias americanas. [49] O inversamente nomeado "

Agora reivindicam uma descendência direta dos antigos templários, sua perseguição pela Igreja foi uma farsa desde
o início. Eles não têm, nem nunca tiveram algum segredo, perigoso para a Igreja. Pelo contrário; pois encontramos
JG Findel dizendo que os graus escoceses, ou o sistema templário, datam apenas de 17351740, e "seguindo sua
tendência católica, assumiu sua residência principal no colégio jesuíta de Clermont, em Paris, e por isso foi chamado
de sistema Clermont. " O conde Ramsay, um jesuíta, foi o primeiro a começar a idéia dos Templários unidos aos
Cavaleiros de Malta. Portanto, lemos de sua pena o seguinte: "Nossos antepassados (!!!), Os cruzados, reunidos na
Terra Santa de toda a cristandade, desejavam unir-se em uma fraternidade abrangendo todas as nações, que
quando unidos, coração e alma, para a melhoria mútua, ~ Troy Space, Londres [52] Como código jesuíta, o nome do
"Rito Escocês, Estados Unidos, Jurisdição do Sul" é muitas vezes simplesmente abreviado "SJ". Embora longe de
ser conclusiva, deve ser tomada com a suspeita de que crianças traficantes "protestantes" do século 19 (uma era
muito ativa para a Maçonaria jesuíta) como "Quaker" Annie Parlane MacPherson seriam oriundas da Escócia. No
entanto, ao usar dupes e organizações shell, não se obtém Annie Parlane MacPherson seria da Escócia. No entanto,
ao usar dupes e organizações shell, não se obtém Annie Parlane MacPherson seria da Escócia. No entanto, ao usar
dupes e organizações shell, não se obtém

capacidade de resposta necessária para a plena exploração. À medida que o século XIX chegava ao século 20, era
hora de "a Igreja" se envolver ativamente na fonte de "presas infantis". Mais uma vez, o governo australiano deixou o
gato fora do saco - [Tráfico de crianças] foi associado com a fundação dos Cavaleiros do Cruzeiro do Sul em Perth
em 1922 como um homólogo católico da Loja Franco-Maçônica. Um dos objetivos dos Cavaleiros era aumentar a
migração católica para a Austrália Ocidental e, mais especificamente, a imigração infantil. Em 1926, o executivo dos
Knights encontrou o apoio do irmão Paul Keaney, o recém-nomeado diretor do orfanato Clontarf, perto de Perth. O
irmão Keaney, com apoio financeiro dos Cavaleiros, planejou uma escola agrícola em Tardun, perto de Mullewa, a
oeste de Geraldton, para atender o treinamento agrícola de meninos australianos mais velhos em atendimento e
também para crianças migrantes britânicas. [53] Então e agora, orfanatos (especialmente os católicos) eram canetas
de primeira qualidade para pedófilos. Infelizmente, como o abuso de crianças é uma enorme e sistêmica porta de
entrada para o poder (daqui em diante referido como a "Pedocracia"), os documentos do governo devem ser
cuidadosamente analisados quanto à desinformação e ao subterfúgio. Mesmo assim, a verdade aparece. Embora o
relatório australiano "Crianças em Casa" - outro "relatório" sem sentido fornecido como subterfúgio em vez de
processos pedófilos - diminui dramaticamente o papel da Igreja Católica, não pode evitar os crimes cometidos pela
ordem dos "Irmãos Cristãos". (outra seita como inversamente chamada de "Companhia de Jesus"). Por esta hora,

benfeitor rico. [54] É digno de nota que o documento oficial do governo "bem pesquisado" não fornece nenhum
detalhe sobre o "rico benfeitor" que acreditava que o tráfico de crianças católicas era importante o suficiente para
bancar. Ainda mais é como cooperativa o governo "anglicano" / "protestante" do Reino Unido estava no
esforço. Parecia relativamente fácil integrar migrantes infantis da Grã-Bretanha nos quatro orfanatos de acordo com
suas idades e talentos. Os governos britânico, da Commonwealth e da Austrália Ocidental estavam dispostos a
ajudar na manutenção das crianças. Nessa situação, os bispos da Austrália Ocidental conseguiram que o irmão A
Conlon [nome completo, Patrick Aloysius Conlon] procurasse Londres para negociar ... migrantes infantis com as
Sociedades Britânicas de Resgate Católico em 1938. A tarefa de Conlon levou mais tempo do que ele previa, mas
em 1938 39 cerca de três grupos de meninos ... navegaram para a Austrália Ocidental para serem educados e
treinados nos Irmãos Cristãos quatro orfanatos, coletivamente chamados de "Esquema". Por que nomear um esforço
de "realocação humanitária" para o "bem-estar" dos meninos como "o Esquema"? Talvez fosse o tipo de "educação e
treinamento" que os "Irmãos Cristãos" tinham em mente. Finalmente, em 2016, outro "comitê" de nada fez um
"relatório" impotente sobre monstros que haviam estuprado crianças por gerações. Na Austrália, 853 pessoas fizeram
uma reclamação ou denúncia substancial de abuso sexual infantil contra um ou mais irmãos cristãos, com 75% das
vítimas com menos de 13 anos na época, uma comissão real ouviu. A comissão real em respostas institucionais ao
abuso sexual infantil voltou sua atenção para os Irmãos Cristãos quando a terceira rodada de suas audiências na
diocese de Ballarat começou na segunda-feira. Uma comunidade religiosa dentro da igreja católica, os irmãos
cristãos trabalharam principalmente em instalações educacionais para crianças.

Ao todo, 281 membros individuais dos Irmãos Cristãos na Austrália foram sujeitos a uma ou mais reclamações ou
queixas fundamentadas de abuso sexual infantil, a comissão ouviu ... ~ The Guardian [56] Certamente, quando você
tem um monstro que atende pré -teens (é preciso um tipo especial de demônio para estuprar crianças que nem
sequer atingiram a puberdade), você quer proteger sua identidade. Os dados da comissão mostraram que o maior
número de alegações de abuso sexual infantil era contra um irmão identificado apenas como o irmão CCK, que teve
46 reclamações feitas contra ele sobre incidentes em Victoria e na Tasmânia. A idade média de suas vítimas era de
11 anos e o abuso ocorreu entre 1963 e 1987, inclusive em Ballarat.

[57]

A Igreja Católica mantém a Simulação do Diabo? Os pedófilos dirigem os corredores do poder? Ambas as questões
foram apenas respondidas - os crimes relatados pela primeira vez há mais de meio século são tratados apenas por
uma comissão governamental sem sentido e, mesmo lá, a identidade de um único padre predador católico é mantida
em sigilo. A anarquia chocante na Austrália é, infelizmente, a mesma em toda parte. Mesmo quando os padres
predadores são identificados, eles nunca são levados à justiça. De fato, eles podem ficar na companhia de crianças e
estuprar até morrerem. Outro Irmão, Stephen Farrell, um Irmão Cristão na Escola St. Alpius Boys 'em Ballarat East,
tinha alegações de abuso sexual feitas contra ele por seis pessoas, com o abuso supostamente ocorrido entre 1971 e
1974. Em 1997, Farrell foi condenado por nove acusações de agressão indecente contra dois meninos de nove e dez
anos na escola, mas sua sentença de dois anos de prisão foi suspensa. Ele foi condenado por mais uma acusação
de agressão indecente contra um menino de 10 anos de idade, com sua sentença suspensa em apelação. A
comissão ouviu outro irmão, Gerald Leo Fitzgerald, foi forçado a se aposentar

ensinando na Escola de St. Alpius Boys ', com um relatório dizendo que ele tinha "atingido essa fase da vida quando,
para alguns homens, o controle dos impulsos emocionais se torna menor". Ele foi autorizado a continuar a viver
dentro da comunidade religiosa de St. Patrick, a comissão ouviu. Um relatório separado afirmou que ele entrou no
dormitório júnior para "brincar com os meninos". Ele morreu em 1987 e nunca foi acusado. [58] De fato, quando não
há medo da justiça (porque a lei e os judiciários também são de propriedade de Roma e dirigidos por pedófilos), os
padres podem ser ousados em suas abominações. Um deles, o irmão Edward Dowlan, "fez pouca tentativa de
esconder seu comportamento", disse Barlow, frequentemente colocando as mãos na cintura dos meninos enquanto
eles andavam por ali. Em uma audiência anterior da comissão sobre Ballarat realizada no ano passado, a comissão
ouviu de uma testemunha que ele foi estuprado por Dowlan. [59] Outras organizações que não os maçons foram
muito úteis para Roma no tráfico de crianças, como os Cavaleiros de Malta. Isso pode ser deduzido pelo papel que a
minúscula nação insular desempenhou no Escândalo das Crianças em Casa. Enquanto estava na Europa, o irmão
Conlon explorou as possibilidades de trazer crianças maltesas para a Austrália Ocidental, mas as negociações foram
interrompidas nesse estágio. Também houve arranjos provisórios para trazer um grupo de meninas para a Casa das
Irmãs de Nazaré em Geraldton, WA ... Durante a viagem de 194647 à Europa, tanto o arcebispo [Justin Daniel]
Simmonds quanto o irmão Conlon visitaram Malta para explorar as possibilidades de migração: o arcebispo para
explorar o cenário global de migração e Conlon para organizar a imigração juvenil. [60] Malta não é maior que 300
quilômetros quadrados, com uma população total (atual) de 400 mil. Em comparação, o estado aberto do Texas é
duas vezes maior e é 70 vezes mais densamente povoado. Mas quem somos nós para argumentar com tanta
sabedoria como viajar para Malta para

providenciar para que a ilha entregue seus filhos aos cuidados de Roma? A localização do Palácio do Grão-Mestre
na ilha na cidade de Valetta não foi coincidência. Foi nomeado após o seu fundador, Grão-Mestre dos Cavaleiros de
São João, Jean de Valette em 1566 - pouco tempo depois da Reforma Protestante. A "capital" para "A Soberana
Ordem Hospitaleira Militar de São João de Jerusalém de Rodes e de Malta", no entanto, permanece em Roma. [61] A
Ordem é ela mesma, uma entidade soberana [62] "livre" das leis insignificantes das nações em que opera sua
insurgência. Apesar da propaganda ridícula em contrário (como a "controvérsia do preservativo" de janeiro de 2017),
os KoM nunca foram outra coisa senão leais leaotsoldiers do papado desde sua fundação em 1048 dC Os Cavaleiros
de Malta continuam sendo um ator fundamental no movimento das crianças até hoje. Por outra "coincidência", neste
documento, a Ordem está organizando uma "conferência do Dia Internacional da Criança", com ênfase na
"assistência a crianças vítimas de conflitos". [63] Seis meses antes, o Grand Hospitaleiro Dominique de La
Rochefoucauld-Montbel, de nome grandioso, dirigiu-se a Ban Ki-moon e à Assembléia Geral das Nações Unidas em
Nova York sobre a questão das crianças e o "desafio migratório" causado por guerras incessantes. ] O que De La
Rochefoucauld-Montbel não abordou é quantas dessas guerras foram ativadas, iniciadas, inflamadas e aproveitadas
pelos Cavaleiros de Malta: quase todas elas. Ninguém ilustra isso melhor do que Erik Dean Prince, o fundador da
"Blackwater" - os mais notáveis aproveitadores de guerra de todos os tempos (para mais, veja o Capítulo 27). 1758:
O primeiro "asylum" de Madalena para mulheres é fundado em "Anglican" Whitechapel, Inglaterra. Preocupar os
inocentes a fim de contaminá-los, fazê-los sofrer como uma demonstração de disposição para entrar na Simulação
do Diabo, leva malícia e

insensibilidade. No entanto, a humanidade (como um todo) rejeita tal sistema, e é por isso que a Simulação do Diabo
está aberta apenas a um número muito pequeno de sociopatas monstruosos que são capazes de se livrar do melhor
do que significa ser humano; compaixão, empatia, proteção para com o vulnerável, auto-sacrifício e amor
altruísta. Para os cristãos, é a chocante realidade que Jesus Cristo foi muito mais vitorioso do que jamais imaginamos
- particularmente na cruz. Ele até conquistou o Império Romano. Roma era um império estilhaçado e disperso
quando os exércitos de Marco Maxêncio e Flávio Constantino se encontraram em 312 dC Ambos estavam
disputando o controle completo da nação mais poderosa já vista antes ou depois. Pouco antes da batalha crítica da
ponte de Milvian foi relatado que Flavius Constantinus - Constantine - teve uma intervenção milagrosa pelo Messias
cristão, Jesus. Segundo o historiador da Igreja Eusébio 2 - um contemporâneo adorador do futuro imperador -
Constantino foi ameaçado pela "magia negra" de seu inimigo, Maxêncio (e seu rival também tinha um exército duas
vezes maior que o seu). Desesperado por alguma forma de contê-lo, Constantine comparou as crenças de outros
grandes homens que conhecera. Um após o outro, o panteão dos deuses pagãos lhes falhara. Mas as crenças de um
homem se destacaram - seu próprio pai (Imperador Constantius Chlorus) que adotou o Deus cristão e recomendou a
segurança do Império para ele. Isso parece propaganda, mas Constantino Cloro foi mais benevolente com os cristãos
do que com Nero. Enquanto implorava ao Deus cristão, Constantino recebeu uma resposta em uma visão: "Neste
Sinal, conquiste!" O "sinal" era o lambarum; a interseção das letras gregas chi (X) e rho (P) como um acrônimo para
Cristo e os cristãos. ...

O historiador Lactâncio afirma que Constantino ordenou a seus homens que colocassem o "sinal" em seus escudos,
e assim fizeram. No final da batalha, Maxêncio afogou-se no Tibre e seu exército foi completamente derrotado.6
Constantino agora governava Roma ... [cujo] Edito de Milão em 313 DC que oficialmente acabou com a perseguição
cristã. ~ História Secreta [65] Embora muitos especialistas questionem a sinceridade da conversão de Constantino,
mesmo agora, ninguém pode argumentar que ele fez os rituais e ritos dos luciferianos ilegais e os levou ao
subsolo. Poucos anos após o Edito de Milão, ele aumentou em sua animosidade em relação aos pagãos e começou
a invadir seus santuários. Eles nunca mais tiveram o poder de retornar à devassidão aberta de Sodoma; até mesmo
Tibério precisou se retirar para uma ilha por seus ultrajes. Isso fez os luciferianos desesperados para continuar. Eles
começariam atacando e tomando de volta o instrumento que era sua queda: o Império Romano. Se Constantino
governou como um verdadeiro cristão (há poucas razões para acreditar que ele não o fez), ele ainda era um
imperador romano. Isso levou-o ao erro de reunir autoridade eclesiástica para o cristianismo em Roma. Quando ele
começou a arbitrar as diferenças doutrinárias entre as seitas cristãs, estabeleceu o cenário para a transformação de
Roma. Demoraria quase 10 imperadores daqui, mas Teodósio I terminou o trabalho com o Édito de Tessalônica em
380 dC Nele ele exigiu que todos os romanos se tornassem cristãos e assim os luciferianos tiveram sua resposta: o
sincretismo. Eles colocavam o manto do cristianismo enquanto conduziam todos os mesmos rituais antigos que
sempre haviam feito. Assim nasceu "

Anunciados como lares para mães solteiras e crianças que precisam de abrigo e compaixão, eram campos de
trabalho escravo comunistas jesuítas, tão cruéis e bárbaros quanto seus pares nazistas, stalinistas ou maoístas (e
cada um desses regimes tem as mesmas raízes em Roma). . Talvez o mais chocante de tudo, essas instituições
tinham a total e completa cooperação dos governos de suas nações anfitriãs; Austrália, Canadá, Inglaterra, Irlanda,
França, Espanha, Estados Unidos e toda a América do Sul. Às vezes eles trabalhavam abertamente e em
uníssono. Esse foi o caso na Irlanda. Como resultado, as atrocidades que foram enterradas em outros lugares vieram
à tona naquele país, onde o governo foi forçado a assumir a responsabilidade (embora fosse o parceiro menor). Em
2012, a Irlanda s O Jornal publicou apenas uma história dos milhares que foram mantidos fora dos olhos do público -
O tratamento das mulheres encarceradas nas Lavanderias de Madalena e o nível de envolvimento do Estado nessas
instituições administradas pela Igreja tem sido destacado novamente neste mês. Houve desapontamento entre os
sobreviventes e parentes das pessoas mantidas nas lavanderias quando foi anunciado que o relatório final do comitê
estadual sobre o assunto seria adiado até o final do ano. Para reiterar a urgência de revelar as descobertas
interdepartamentais, o grupo de defesa da Justiça para Madalena na semana passada distribuiu algumas
declarações redigidas de mulheres detalhando suas vidas nessas instituições. (O grupo alega que houve
envolvimento do Estado na operação das Lavanderias como locais para enviar mulheres consideradas "meninas
problemáticas", devido à pobreza ou gravidez fora do casamento, por exemplo.) A mãe de Samantha Long, Margaret
Bullen, foi colocada na rua Gloucester Street (agora Sean McDermott Street) e morreu 35 anos depois, nunca tendo
sido solta na sociedade e em sua própria casa. Margaret morreu de uma doença conhecida como Síndrome de
Goodpasture, uma doença dos rins e do fígado, uma das causas é a exposição a substâncias químicas industriais
como as usadas nas lavanderias.

Samantha fez uma longa declaração ao comitê interdepartamental, liderado pelo senador Martin McAleese, sobre a
vida de sua mãe. Margaret Bullen teve um começo trágico na vida: ela nasceu em uma instituição para doentes
mentais em Grangegorman, Dublin, para uma mãe que já tinha seis filhos, sendo Margaret a mais jovem. Margaret foi
mandada para Kimmage para morar com seus irmãos e pai, onde permaneceu até os três anos de idade. Nesse
ponto, o irmão de Margaret foi mandado para a escola industrial de Artane e Margaret e sua irmã mais próxima a ela
em idade avançada foram enviadas para a notória escola industrial de High Park e para a lavanderia em
Drumcondra. Isso, como diz Samantha de sua mãe, "era o fim dela e do mundo exterior". [66]

Etching by Alberto Maso Gilli. Wikimedia Commons


Margaret sofreu quando criança foi ignorada e não tratada pelas freiras das instalações, ironicamente chamadas de
Irmãs da Caridade do Refúgio. Eles

são agora as Irmãs de Nossa Senhora da Caridade; "Nossa Senhora" é "a Rainha dos Céus", Semiramis, Isis,
Columbia ou Cibele. Essa é a "caridade" que foi mostrada a Margaret - aquela de Cibele, não Miriã, a mãe de Yeshua
de Nazaré. Margaret foi considerada "mentalmente inadequada" para a educação, mas adequada para o trabalho
escravo. Quando jovem adolescente, sem instrução e mentalmente debilitada, ela foi atacada sob a supervisão das
freiras e os ataques sexuais a deixaram grávida ... duas vezes. A cada vez, as freiras roubavam seu bebê e
traficavam a criança em troca de dinheiro. O fato de que esse vasto sistema era controlado de ponta a ponta por
agentes do papado tornava-o adequado para fornecer pedófilos à presa. Tal foi o que aconteceu com Mary
Monaghan - arrancada da mãe ' s braços aos dois anos de idade pelas Irmãs do Sagrado Coração e enviadas ao
perverso pedófilo William O'Brien na Califórnia. Ela foi imediatamente atacada pelo monstro (imagine o que é
necessário para agredir sexualmente uma criança de dois anos). "Minha mãe era uma mulher decaída", [a
terminologia católica romana para uma adolescente grávida e solteira] diz Monaghan, que agora mora em
Massachusetts. "Eu realmente não me lembro muito [sobre o momento atual]." "Mas mesmo que você seja tão jovem,
você ainda tem sentimentos. Você se lembra de ter sido arrancado, mesmo que não se lembre das fisicalidades
dele." Para o mundo exterior, sua nova família parecia perfeita para uma criança solitária tirada de sua mãe e
transportada mais de 5.000 quilômetros de distância para a Califórnia. ~ Daily Mail [67] Ajustando o perfil que as
freiras procuraram, Mary ' s pai adotivo pedófilo era rico, respeitado e católico romano. O novo pai de Mary, William,
era um homem de negócios próspero e respeitado na comunidade local ...

"Quando cheguei lá, muitas vezes eu estava doente", diz ela de seus primeiros anos com a família. "Eu teria todos os
tipos de alergias e sairia porque eu era alérgico à comida." Mas o pior estava por vir. "Minhas lembranças [da
infância] são terríveis", diz Monaghan, com tristeza. "Fui fisicamente punido por não poder comer." "Se eu fiz o que
uma criança faz e molhe a cama, então eu fui literalmente colocada no banheiro. Então o abuso sexual começou e
apenas progrediu." [68] O'Brien não era um monstro comum. acidentalmente atingido por freiras católicas
incompetentes; ele estava ligado à Simulação do Diabo - bem versado e treinado em como administrar o controle
mental baseado em trauma em uma vítima inocente e vulnerável. "Eu tive que ser mantido na minha pequena rotina,
por assim dizer, então eu tentei fugir. Tudo era sistemático. Era um pensamento pedófilo muito sério. "Com os
O'Briens mantendo as aparências diante de amigos e vizinhos, a menina confusa encontrou-se sozinha e sem
ninguém a quem recorrer." Eu não conseguia perceber nenhuma maneira de fazer alguma coisa [ para alertar as
autoridades] e eu tive que me proteger. Porque se eu tivesse dito alguma coisa e viesse a público, provavelmente
não teria vivido outro dia. "" E isso não é um exagero. Ele enganou o mundo. "O abuso durou durante toda sua
infância, com Mary fugindo de sua família abusiva assim que ela já tinha idade suficiente. Nem mesmo Mary, ela
mesma, entendia que ela havia sido traficada com o propósito de abuso ritual. Fortalecido pela mídia, governo e
desinformação do Vaticano, ela ingenuamente acredita que o que aconteceu com ela foi "má gestão". Nada poderia
estar mais longe da verdade. "Eu ainda tenho flashbacks às vezes e eu ainda luto com substância

abuso ocasionalmente. E eu fui diagnosticado com transtorno de estresse pós-traumático. "Embora Monaghan
finalmente tenha encontrado sua mãe biológica, não foi até os 52 anos que ela foi a Londres para conhecê-la." Bem,
isso foi bastante um momento em que nos conhecemos ", ela sorri." Eu fui até ela e eu a abracei e ela congelou. Ela
literalmente congelou. Então, veio a mim que eu precisava pisar levemente. "Tragicamente, a vergonha de sua mãe
por ser uma mãe solteira a seguiu para Londres e Monaghan diz que ela estava muito relutante em admitir a verdade
para sua família irlandesa." claro que eu deveria ficar de boca fechada. Que eu era um segredo. Que eu era uma
prima perdida há muito tempo. Eu toquei mesmo que fosse difícil. Mas algumas pessoas adivinharam. "A dupla tinha
apenas 10 anos juntos, com Mary ' s mãe Theresa morrendo em 2010. "É uma pena que ela teve que ter tanta
vergonha de seu túmulo", acrescenta ela. "Simplesmente não está certo." [70] As duas filhas de Margaret Bullen -
Samantha e Etta - experimentaram sofrimento semelhante, mesmo depois de tudo o que já havia sido feito com a
mãe. Foram feridas que continuaram muito depois dos crimes iniciais terem sido cometidos. Margaret tinha apenas
42 anos na época, mas parecia muito mais velha. Ela estava carregando uma bolsa, mas estava completamente
vazia, porque ela não possuía nada nem tinha dinheiro. Samantha recorda: E ela era simplesmente adorável, e ela
estava fazendo perguntas extremamente inocentes como, ela, foi a primeira vez que ela tomou café e foi muito
excitante para ela tomar um café e ela não teve Não vi açúcar mascavo antes e obviamente no Gresham havia cubos
de açúcar marrom e branco na mesa e tudo era muito chique para ela. E ela estava muito feliz de estar lá e
absolutamente impressionada com tudo. Ela parecia, ela parecia uma aposentada. Eu não podia acreditar que ela
estava
quarenta e dois, continuei olhando, continuei olhando para o rosto dela para encontrar uma menina de quarenta e
dois anos e não pude, porque ela tinha a cara de trabalho duro, aquele rosto que você vê em tantas mulheres que
tiveram que trabalhar muito duro e nunca tive um descanso e nunca tive ninguém para cuidar deles ou dizer-lhes
para colocar os pés para cima, e que acabaram de trabalhar muito duro. Porque, como eu disse no rádio há alguns
anos, isso era escravidão e eu não uso esse termo de ânimo leve e não sou uma pessoa emotiva, mas a escravidão
é uma forma de trabalho para a qual você não recebe pagamento e pode Deixaram e estes eram os escravos
brancos da Irlanda e nunca foram emancipados. E ninguém se levantou para eles até agora, até vocês (Justice for
Magdalenes) fez. Todos de Samantha Os esforços de reparação de queixas foram dirigidos ao governo da Irlanda,
enquanto a Igreja Católica se mantém completamente fora dos holofotes. Poucas fontes de mídia podem ser
encontradas sobre o assunto, então voltamos novamente ao The Journal para outra história; a de Kathleen
Legg. Kathleen nasceu fora do casamento em circunstâncias problemáticas. Sua mãe a entregou para a avó, mas a
avó morreu quando ela tinha 14 anos. Não querendo pegá-la de volta e acreditando que receberia uma boa
educação das Irmãs da Caridade, Kathleen foi entregue no Centro de Treinamento St. Mary's Stanhope Street. Em
Dublin. Isso simplesmente não foi o caso. [72] Ao invés de obter uma educação, uma vez que ela entrou no convento
e foi despida e recebeu um uniforme, ela não veria outra sala de aula por quatro anos. Nos próximos quatro anos eu
esfregaria polir e limpar cada centímetro desse edifício, trabalhando longas horas na lavanderia. Eu tive meu nome
mudado e eu era conhecido como o número 27. Esta era uma instituição, que gerou enormes quantidades de
riqueza, e todo o tempo que eu estava lá eu tinha pouco a comida muito básica. Na verdade, foi sombrio e como
sobrevivemos eu nunca vou saber. Eu estava constantemente com fome e à beira da fome. As freiras me trataram e
de fato outros como escravos. Eles deram para As freiras me trataram e de fato outros como escravos. Eles deram
para As freiras me trataram e de fato outros como escravos. Eles deram para

o mundo uma falsa sensação do que estava sendo feito. Tanto que eles até enviaram relatórios escolares dizendo o
quão bem eu fiz em sala de aula e como eu era ótima em culinária, housewifery e outros assuntos. Eu nunca assisti a
uma aula. Eu nunca conheci a mãe superior. Eu nunca vi um relógio, livro ou jornais quando estava lá. Toda manhã
você acordaria ao som de um sino. Você operou como um robô e não ousou questionar uma freira. Nós nos
banhamos uma vez por semana e eu me lembro dos piolhos do nosso cabelo usados para flutuar em torno do topo
da água, então se você fosse um dos últimos a ser lavado, era horrível.

[74]

O trabalho escravo das jovens era muito lucrativo para a "Igreja", assim como os grandes interesses corporativos
com que Roma estava na cama. Não havia privacidade, nem cuidado, nem amor ou apoio ali. As freiras controlavam
cada movimento seu e odiavam se você adoecesse, pois isso significava que você estava segurando o trabalho que
precisava ser feito. Lavamos roupa para todos os grandes hotéis, hospitais, empresas e outros indivíduos. Foi um
trabalho pesado e difícil, que envolveu o trabalho pesado. Disseram-me anos depois que, devido ao trabalho pesado
que fiz lá, isso me impediu de ter meus próprios filhos. As freiras roubaram-me da minha vida e da vida que eu
poderia ter dado aos outros. [75] Houve uma "investigação" governamental, mas a experiência de Kathleen não será
abordada, uma vez que se considerou que a instalação em St. Mary's, Stanhope Street, em Dublin, não era um
"Magdalene Laundry" de acordo com a definição oficial. [vi] "Havia rolos grandes e grandes. Os lençóis ficariam
vermelhos. Seria o trabalho de um homem adulto. Eu estava acordado às seis da manhã e Toda vez que o sinal
tocou, você foi para onde lhe mandaram ir. " "Eu não sabia quantos anos eu tinha. Não havia espelhos e aniversários
nunca eram celebrados." Ela também descreveu como as freiras sistematicamente asseguraram que as meninas não
fizessem amigos.

"Nós não nos falamos. Estávamos muito assustados", disse ela. "Na sala nós cantamos hinos durante todo o dia."
[76] Como qualquer campo de concentração, a fuga era impossível. Outros falaram em tentar escapar, mas não
conseguem escalar os altos muros, muitas vezes cobertos com vidro. [77] Com nomes de ordem como "Caridade" e
"Misericórdia", as mulheres que trabalhavam para Roma conduziam a barbárie não vista desde a evidente ocupação
romana das ilhas. Mary Merritt, 83, que estava "sob os cuidados" das freiras por 14 anos antes de fugir, falou em
setembro de 2014 sobre sua provação. Ela nasceu em 1931 de uma mãe solteira em um asilo e foi para um orfanato,
administrado por uma ordem de freiras chamada Irmãs da Misericórdia, onde, segundo ela, as crianças foram
obrigadas a trabalhar e foram espancadas se recusaram. Maria, que agora mora em Tunbridge Wells, disse que, aos
11 anos, ela estava com tanta fome que tirou maçãs do pomar do convento e, como punição foi enviada para
trabalhar em uma lavanderia de Madalena em High Park, em Dublin, por outra ordem, as Irmãs de Nossa Senhora da
Caridade. "Eles me disseram que eu ficaria na lavanderia até aprender a parar de roubar. Quatorze anos eles me
mantiveram lá. Você ganha menos por homicídio hoje em dia." ~ Daily Mail [78] Quando Mary conseguiu fugir, ela foi
tratada com a mesma brutalidade (talvez pior) do que quando os ocupantes romanos usavam couraças e
espadas. Ela disse: "A roupa era pesada, o trabalho pesado e o calor era terrível e você não quebrou até as 12 horas
quando você quebrou para o seu jantar,

polícia e depois envergonhado pelas freiras. Mary disse: "Quando a polícia me levou de volta para a lavanderia, eles
não me disseram que eu tinha sido estuprada, mas rasparam minha cabeça, me fizeram pedir desculpas por fugir e
me colocar na cela de punição." Mas quando Maria engravidou como resultado do estupro e deu à luz uma filha, em
um ato impressionante de crueldade, as freiras tomaram o bebê contra o testamento de Maria e [a venderam] para
adoção. [79] Um conluio chocante com as autoridades governamentais que são juramentadas e pagas para proteger
os cidadãos de tais atrocidades tem sido a norma inacreditável em todos os países que Roma controla (o que parece
ser quase todos eles). De fato, os contribuintes, não o Vaticano, deram suas vítimas irlandesas. ... em fevereiro de
2013, os sobreviventes receberam um pedido de desculpas do governo irlandês e, desde então, receberam 50
milhões de libras em indenização. [80] A ultrajante ironia não foi notada pelo Daily Mail. Enquanto muito mais vítimas
esperam por justiça, compensação ou mesmo reconhecimento, o governo irlandês continua a entregar a roda ao
Vaticano para serviços essenciais. Neste escrito, foi anunciado que as mesmas "Irmãs da Caridade" receberão a
"propriedade exclusiva" da mais nova maternidade estatal da Irlanda financiada pelos contribuintes, a "Saint
Vincent's" [81]. Como qualquer um que tenha dúvidas sobre como as freiras se conduzem salta navio [82], os recém-
nascidos da Irlanda continuam a ser colocados nas mãos das irmãs caridosas. Para quem o sino toca na
Espanha, centenas de milhares de bebês foram roubados de seus pais e traficados pelo governo fascista de
Francisco Franco através da Igreja Católica. Cerca de 300 mil bebês espanhóis foram roubados de seus pais e
vendidos para adoção por um período de cinco décadas, revela uma nova investigação.

As crianças foram traficadas por uma rede secreta de médicos, enfermeiras, padres e freiras em uma prática
generalizada que começou durante a ditadura do General Franco e continuou até o início dos anos noventa. ... Várias
mães dizem que lhes disseram que seus filhos primogênitos morreram durante ou logo após o parto. ... Mas as
mulheres, muitas vezes jovens e solteiras, foram informadas de que não podiam ver o corpo da criança ou
comparecer ao enterro. Na realidade, os bebês foram vendidos ... Os documentos oficiais foram forjados, de modo
que os nomes dos pais adotivos estavam nas certidões de nascimento das crianças. ... A jornalista Katya Adler, que
investigou o escândalo, diz: "A situação é incrivelmente triste para milhares de pessoas". " Há homens e mulheres em
toda a Espanha cujas vidas foram viradas de cabeça para baixo ao descobrirem que as pessoas que eles achavam
que eram seus pais realmente as compravam por dinheiro. Há também muitas mães que mantiveram por anos que
seus bebês não morreram e foram rotulados como "histéricos", mas agora estão descobrindo que seu filho
provavelmente esteve vivo e foi criado por outra pessoa durante todo esse tempo. "Especialistas acreditam que os
casos podem levar em conta por até 15% do total de adoções ocorridas na Espanha entre 1960 e 1989. Começou
como um sistema para tirar crianças de famílias consideradas politicamente perigosas para o regime do general
Franco, que começou em 1939. O sistema continuou após a morte do ditador em 1975, quando a igreja católica
continuou a manter uma poderosa influência na vida pública, particularmente nos serviços sociais. ~ Daily Mail [83] O
que fez o esquema fácil realizar era que a igreja católica funcionou escolas, orfanatos e hospitais, e ainda faz
(mesmo em países "protestantes" como a América). Na Espanha fascista, no entanto, o poder da Igreja Católica era
tão gritante e abrangente quanto na Irlanda.

Em 1º de abril de 1939, o generalísimo Francisco Franco, líder das rebeldes forças nacionalistas, declarou
triunfalmente a Guerra Civil Espanhola. A Igreja Católica foi a instituição que mais se beneficiou da vitória de
Franco. Sua hierarquia abençoara a revolta nacionalista como uma cruzada e justificara a guerra para o mundo como
um "plebiscito armado". Agora, colheu a recompensa. Franco aboliu rapidamente todas as medidas republicanas **
que minaram os papéis espirituais e sociais da Igreja, e confiou-lhe mais poder e privilégios do que desfrutava desde
o século XVIII. Para a Igreja, os privilégios constituíam uma "reconquista" espiritual que complementava a
"reconquista" política de que Franco e seus nacionalistas desfrutavam. O que a "reconquista" política significava o
retorno ao centralismo castelhano e a eliminação de outras ideologias. A "reconquista" da Igreja significava o
monopólio católico sobre a vida de todos os espanhóis, um privilégio vital para que a sociedade fosse "re-
catalizada". Esta "re-catolização" não foi uma tarefa fácil, tendo em mente que, ao apoiar os nacionalistas durante a
guerra, a Igreja havia alienado uma grande porcentagem da população. ... a Igreja havia alienado uma grande
porcentagem da população. ... a Igreja havia alienado uma grande porcentagem da população. ...

Generalísimo Francisco Franco, Kutxa Foundation


Para o cardeal Gomá, primaz da Espanha, a única maneira era impor o "totalitarismo divino", isto é, a imposição de
valores católicos em toda a sociedade espanhola. Franco ficou muito feliz em ajudar. O status privilegiado da Igreja
foi concedido imediatamente após a Guerra Civil. Um pouco mais tarde - em junho de 1941 - seus direitos foram
esboçados em um Acordo entre o Vaticano e o governo de Franco e finalmente formalizados em uma Concordata
assinada em agosto de 1953. Entre as provisões estavam: 1. o reconhecimento do catolicismo como oficial religião
do país; 2. Instrução religiosa obrigatória em todos os níveis educacionais

conformidade com o dogma católico; 3. Apoio financeiro da igreja pelo estado (pagando o salário dos padres e
contribuindo para a (re) construção dos edifícios da igreja); 4. Representação garantida na imprensa e no rádio. ~
Espanha então e agora [84] O fato de que o governo da Espanha, em conluio com a Igreja Católica, foram as
instituições que sequestraram bebês significava que é impossível explicar todos eles. Apesar da lavagem de mídias,
é uma conclusão precipitada de que muitas das crianças não eram simplesmente "vendidas" para bons católicos que
as queriam, elas eram traficadas, torturadas e abatidas ritualmente. A prova é encontrada em como Roma manteve
esses crimes contra o povo espanhol muito depois da morte de Franco. O Generalísimo Francisco Franco foi
pessoalmente assistido pelo Padre Josemaría Escrivá, o fundador do Opus Dei.

Capítulo 4

A pedocracia coloca um jaleco

1948: "Doutor" Alfred C. Kinsey - um desviante sexual impenitente - publica Comportamento Sexual no Homem
Humano com a intenção de usar a pseudociência para legitimar a anarquia sexual e dar cobertura à Pedocracia. Ele
é mais bem sucedido do que ele poderia imaginar.

Se entendermos o papa como o chefe titular da Pedocracia com os jesuítas que dirigem o Pentágono (pentagrama) e
o "Departamento de Guerra", então Alfred C. Kinsey era seu ministro da "Ciência". Este arranjo foi realmente muito
proveitoso para Roma porque Kinsey foi despojado de todos os laços com o papado. Como resultado, ele é um alvo
favorito de agentes do Vaticano que procuram enfatizar sua libertinagem a fim de dar cobertura para a Simulação do
Diabo como o mecanismo abrangente de poder para todos. O suporte de palco repetidamente usado para essa
propaganda é que Kinsey tinha um

"educação metodista muito rigorosa" em Hoboken, Nova Jersey e a insuportável repressão o fizeram "rebelar-se". A
realidade, no entanto, é bem diferente. Kinsey era doentia e anormal, tanto mental quanto emocionalmente, desde
tenra idade. Sob sua foto em seu livro do ano do ensino médio, ele citou Hamlet: "O homem não me agrada; não,
nem mulher também". [86] Mas a verdade era que o homem gostava muito dele. Amigável biógrafo e bolsista de
Georgetown [87] O Dr. James H. Jones teve acesso total aos arquivos de Kinsey. Jones contradisse as linhas padrão
que Kinsey era "bissexual" ou "assexual". Ele afirmou com escárnio (traindo seu próprio preconceito e por que ele era
caloroso com alguém como Kinsey) que Kinsey foi forçado pela "moralidade da classe média" a manter sua
homossexualidade "no armário". [88] Apesar de ser frágil e doentio, Kinsey tornou-se um fervoroso escoteiro e
apreciava o "exterior". Exatamente por que sairia depois. No entanto, qualquer pessoa que deseje pesquisar Kinsey
tem apenas duas fontes: bajuladores aduladores em pseudo-ciência ou devotos católicos romanos. Críticos correm
de especialistas como treinados em jesuítas (tanto na escola quanto na faculdade) Patrick Joseph Buchanan para o
Notre Dame Professor E. (Eugene) Michael Jones que eventualmente deixou Notre Dame porque era uma faculdade
católica que não era católica o suficiente. De fato, ouvir um "especialista" cuidadosamente evitar a avalanche de
evidências contra a pedofilia sistêmica realizada pela Igreja Católica para, em vez disso, identificar Kinsey é uma
indicação clara de que tal "especialista" é um agente de Roma. Um excelente exemplo é o autor "ateu" Joseph
Atwill. Atwill é um operador jesuíta arquetípico que escreve livros como o Messias de César: A Conspiração Romana
para Inventar Jesus. Atwill também é, "estranhamente", um inimigo de

Kinsey. [89] Não é tão "estranho" que ele ataque Kinsey e a legitimidade de Jesus Cristo, dado que ele foi educado
pelos jesuítas na Academia Militar de St. Mary no Japão. [90] Em sua agência para Roma, Atwill foi convidado em
programas de "mídia alternativa" como o de "Vinny Eastwood" para misturar a verdade com mentiras: "Jesus Never
Existed, Rome Never Fell" [91]. Táticas como essas realmente mostram quem a "Companhia de Jesus" realmente
serve. Mas para as críticas mais contundentes de Kinsey, Roma escolheu um judeu: Judith Ann Reisman (née
Gelernter [vii]). Reisman tem uma extensa e impressionante biografia, incluindo um Ph.D. em Comunicações da Case
Western em 1980. Atualmente é Professora Pesquisadora e Diretora do Instituto de Proteção Infantil da Liberty
University School of Law. Liberty é anunciada como uma universidade "cristã evangélica". Como resultado de sua
posição como portadora de pedofilia (dando informações fenomenais sobre um criminoso específico e depois pisando
de imediato nos intervalos para ir além), ela foi instruída em todas as instituições controladas pelos romanos. Um
autor e palestrante, o Dr. Reisman foi consultor de três administrações dos Departamentos de Justiça dos
EUA; Educação; e Saúde e Serviços Humanos. O Dr. Reisman consultou membros do Estado-Maior Conjunto dos
EUA ... Um agradecimento especial à Fundação de Aviação Naval ... Estou em débito com a equipe de pesquisa da
Fundação Guggenheim, o Conselho Nacional de Pesquisa, o Rockefeller Archives, o American Law Institute e a
Fundação Eli Lilly pelo seu profissionalismo e ajuda em fornecer-me os materiais solicitados.

Esse relacionamento é particularmente perturbador, dados os horrores indescritíveis que a Igreja Católica em geral, e
a Inquisição em específico, visitou sobre o povo judeu. No mínimo, sua colaboração com pessoas como os anti-
semitas como E. Michael Jones [95] e Patrick J. Buchanan [96] são preocupantes. O ímpeto de sua seleção parece
aleatório e trágico - nasci Judith Ann Gelernter em 1935 em Newark, Nova Jersey. A minha era uma grande e
próspera família judaica americana de segunda geração ... Minha mãe, Ada, era uma das ações mais comuns da
Goldberg. [viii] Eu vivi em um momento maravilhoso. Minha mãe me dava boas-vindas todos os dias em casa e meu
pai apoiava tudo o que eu fazia. Eu me sentia segura com vizinhos, tios ou primos, como era costume naquela
época. Eu me casei, e a cerca de proteção da minha vida não foi violada até 1966, quando minha filha de 10 anos de
idade, Jennie, foi molestada por um amigo da família de 13 anos, adorado e confiável. Ela disse a ele para parar,
mas ele persistiu. Sabia que ela gostaria, disse ele, pelas revistas brilhantes de seu pai, a única pornografia
"aceitável" da época. O menino deixou o país algumas semanas depois, depois que veio à tona que minha filha era
apenas uma das várias crianças da vizinhança que ele havia estuprado, incluindo seu próprio irmãozinho.
[97] Certamente é útil quando você tem uma criança que estupra crianças para poder ter os recursos para "sair e sair
do país" antes que o calor seja ativado. Daqui a seleção de Reisman se torna um pouco mais aparente. Robert
James "Bob" Keeshan (1927 2004) foi amado por milhões de famílias, especialmente crianças. Ele se alistou na
Reserva dos Fuzileiros Navais dos Estados Unidos em 1945 e por isso não serviu na Segunda Guerra Mundial. Ele
começou sua instrução jesuíta em Fordham, mas transferiu-se para a "tradição judaico-cristã" mais geral em
Hillsdale.

Esta é uma prática comum para aqueles que serão usados pela "Igreja", mas são instruídos a apagar suas
impressões digitais. Outras "transferências" da tutela jesuíta incluem Donald Trump, sua filha Ivanka, Donald
Rumsfeld e muitos mais. Quando alguém acrescenta "desistências" do seminário jesuíta como o governador da
Califórnia Jerry Brown, o conspirador Kennedy Assassination e o piloto da CIA David Ferry, [ix] apresentador Doug
Hagmann, padrinho da Unificação Européia e do Grupo Bilderberg Józef Retinger, Clinton machadinha o homem e o
estuprador infantil John Podesta, entre outros, a tática se torna clara. Pode-se imaginar uma voz fria e calma dizendo:
"Decidimos que você será mais útil para nos servir fora dessa instituição". - E, como Bob Keeshan, todos eles
foram! Bob era mais conhecido por seu nome artístico: Capitão Kangaroo. O Keeshan treinado pelos jesuítas tinha
uma equipe de judeus no programa como o produtor Jim Hirschfeld, que escolheu a jovem judia para uma tarefa que
exigia treinamento mínimo e talento modesto (não que a Dra. Judith não fosse totalmente qualificada) - escrever e
executar canções infantis. Com esse empoderamento, Reisman teve o conforto financeiro para obter um mestrado e
um doutorado em comunicação. Se alguém pode superar a traição de Reisman em relação ao seu próprio povo e
como ela protege os pedófilos mais hediondos da história da humanidade ao fixar-se em apenas um fator-chave, seu
trabalho mostra-se exemplar. Como seu inimigo, Kinsey foi selecionado e habilitado desde muito cedo e suas
perversões sexuais são o que o apontou para a entomologia. Kinsey supostamente conseguiu uma bolsa de estudos,
19 e dinheiro de um "

Ele já estava ganhando habilidade em manipulação que armaria seu desvio. Durante seu último ano no Bowdoin, ele
acrescentou "quinze horas a mais de zoologia" e começou a coletar vespas. Seus cursos de psicologia,
especialmente aqueles que lidam com conceitos pavlovianos de controle através do reflexo condicionado, serviriam
bem a ele em anos posteriores.22 Em Feminino, Kinsey cita o uso de cachorros pelo fisiologista russo Ivan Petrovich
Pavlov como "sujeitos" 23 para detectar o "reflexo condicionado". , uma reação fisiológica aos estímulos ambientais
"que moldaram o desenvolvimento do behaviorismo.24
[99]

Não surpreendentemente, outros "cientistas" cuja missão era semear uma falsa realidade eram seus heróis. Outra
grande influência em Kinsey foi Charles Darwin, o naturalista inglês que é creditado com a formulação da teoria da
evolução em obras como The Origin of Species (1859) .25 Kinsey ficou tão impressionado ... que, ao se formar
magna cum laude de Bowdoin em 1916, ele o citou em seu discurso de formatura.26 [100] Ele continuou a se mostrar
do mesmo "estoque" sociopata de outros monstros escondidos sob jalecos de laboratório, e o fazia através de
instituições seguras, "não-católicas" [x]. . Após a formatura, Kinsey continuou seus estudos na Bussey Institution de
Harvard, que era um foco de darwinismo e da "Nova Biologia" que levou os cientistas a vislumbrar a melhoria da
espécie humana por meio da "eugenia". Jones identifica Kinsey como um dos eugenistas acadêmicos anteriores à
Segunda Guerra Mundial, que emitiu um apelo "aterrador" para a esterilização em massa de americanos "de nível
inferior" e um plano de reprodução para classes superiores.27 ... Sir Thomas Huxley (1825-1895) ), o principal
defensor do darwinismo na Inglaterra, foi creditado por Kinsey com a elaboração de uma "declaração de
independência" científica.28 ... Kinsey também jogaria na mesma elite da liga eugênica que os netos de Sir Thomas
Huxley, Aldous e Julian. Sir Julian Huxley, geneticista foi creditado por Kinsey com a elaboração de uma "declaração
de independência" científica.28 ... Kinsey também jogaria na mesma liga eugênica de elite que os netos de Sir
Thomas Huxley, Aldous e Julian. Sir Julian Huxley, geneticista foi creditado por Kinsey com a elaboração de uma
"declaração de independência" científica.28 ... Kinsey também jogaria na mesma liga eugênica de elite que os netos
de Sir Thomas Huxley, Aldous e Julian. Sir Julian Huxley, geneticista

e o primeiro diretor-geral da UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura)
conheceu o trabalho de Kinsey por intermédio do presidente da Universidade de Indiana, Herman Wells. Em 1932,
Aldous Huxley escreveu Brave New World, que se tornou leitura obrigatória em muitas escolas americanas. [101] É
instrutivo aprender que a atração de Kinsey por homens e meninos encontrou uma saída nos Escoteiros. Kinsey se
juntou aos Escoteiros quando era quase um adulto e era um "Conselheiro da Juventude" da ACM que atraía os
meninos para o seu círculo com pornografia. [itálico suspenso, exceto no original] Por mais "tímido" que estivesse em
torno das mulheres, Kinsey sentia-se muito à vontade com meninos jovens. Ele preferia a empresa em ambientes
externos e internos. Ele se juntou aos escoteiros por volta dos 17 anos, e mais tarde, quando um homem casado
continuou usando seu uniforme de escoteiro, levar meninos em caminhadas na natureza e coisas do tipo, e dormir ao
lado deles em barracas. O movimento Escoteiro, que foi fundado na Grã-Bretanha em 1907, ajudou a incutir traços
de caráter como honestidade, coragem, tenacidade, cooperação e devoção a Deus e ao país em dezenas de milhões
de garotos em todo o mundo. Milhões adicionais de homens dedicados serviram como líderes nos Escoteiros da
América (daqui em diante BSA), fundados em 1910, proporcionando aos jovens escoteiros modelos positivos e
experiências recompensadoras. Infelizmente, no entanto, o Escotismo tem sido freqüentemente explorado por
desvios com objetivos menos honrosos em mente. Alegando que a obsessão de Kinsey com os meninos era
totalmente platônica, Pomeroy e Christenson insistem que ele levou uma vida amplamente assexuada. Evidências
dos escritos de Kinsey, no entanto, levantou sérias questões sobre sua orientação sexual muito antes da publicação
de Alfred C. Kinsey, de Jones, confirmou seu desvio. Mesmo na faculdade, ele optou pela companhia de jovens e
meninos. Um colega conselheiro descreve Kinsey (então com 21 anos) no Newark YMCA: Sua tenda, com sua
"biblioteca" de natureza de uma dúzia de volumes, foi um ponto de encontro para dezenas de acampantes durante o
dia e até tarde da noite, mesmo depois de soar e nós fomos supostamente dobrados

em ... Os meninos amavam "Al" e não conseguia o suficiente dele. Ele tinha um olho feliz, um sorriso largo e uma
risada sincera. ... Sempre pronto para a última pegadinha do acampamento, ele estava tão preparado para ajudar
qualquer criança com problemas ... Ao contrário da maioria de nós, Kinsey também tinha experiência em vários
outros campos; era um líder ativo no trabalho escoteiro, muitas vezes usava seu uniforme de escoteiro. Uma história
de acampamento se refere a jogos de guerra em 1914 ... "sob ... o marechal-de-campo Alfred Kinsey." [Enquanto
Kinsey era estudante em Bowdoin] ele era de longe o maior especialista nesse grupo de rapazes ... [H] e foi muito
apreciado como companheiro por todos.30 Note que Pomeroy coloca a "biblioteca" da natureza entre aspas
. Pessoas na década de 1920 teriam entendido que isso significa que Kinsey coletou revistas de natureza
(nudista), com desenhos e fotografias de jovens e adultos nus. O biógrafo James H. Jones confirma que Kinsey
recebeu revistas de nudismo na casa da família - certamente um interesse em conflito com sua personalidade
"conservadora" pública.34 Anos depois, Kinsey escreveria uma carta curiosa a um velho amigo escoteiro, talvez um
dos rapazes. com quem ele compartilhou sua "biblioteca da natureza", ou a quem dedicou tanta atenção durante sua
adolescência, faculdade, pós-graduação e até anos de casado.35 Kinsey escreveu: "Tivemos bons momentos juntos,
e você deve entender isso Tropa de escoteiros Eu comecei a aprender algumas das coisas que tornaram possível
para mim fazer algumas das pesquisas em que estamos agora engajados. ”36 Claramente, Kinsey não estava se
referindo à coleta de vespas, mas à pesquisa e experimentação sexual que acabaria resultando na publicação de
Male. De acordo com Pomeroy, "Kinsey começou a deixar o Escotismo e o mundo sexualmente estéril de sua
juventude para trás quando se formou no colegial." 37 Não mencionado é a contínua associação de Kinsey com os
meninos através de suas atividades de liderança, como acima, durante seus anos de faculdade. no Bowdoin e no
Bethany Boys 'Club. De acordo com Christenson:

Uma atividade importante durante seus três anos de estudos de pós-graduação foi o Bethany Boys 'Club na Igreja
Episcopal Metodista local de Bethany. [Houve] caminhadas de sábado e acampamentos noturnos de fim de semana
com Kinsey.38 De fato, Kinsey gostou tanto da atmosfera do Escotismo que continuou a liderar um programa de
acampamento de verão depois de se casar. Ele e sua esposa, Clara, uma vez examinaram a propriedade com o
pensamento de "estabelecer um acampamento próprio para os meninos" .39 Naquela época, o Manual do Escoteiro
avisou os Mestres Escoteiros para dissuadir meninos curiosos de usar a masturbação para explorar sexo. Kinsey foi
capaz de remover esse aviso [103]. Apesar de Reisman pintar uma imagem dos escoteiros como uma instituição de
alto padrão direcionada e pervertida por desviantes, ela mais tarde reconhece que eles foram fundados por alguém
da persuasão de Kinsey. Kinsey O interesse no Escotismo parece ter sido semelhante ao do fundador do movimento,
Sir Robert Baden-Powell. Como Baden-Powell, Kinsey se casou relativamente tarde para o seu tempo (26 anos) e
parecia obcecado por homens nus. Essas e outras semelhanças com Baden-Powell, que é conhecido por ter
colecionado fotografias da "natureza" de garotos engajados em atividades como nadar pelado, são notáveis e
perturbadoras.

[104]

Com um pano de fundo como esse, Kinsey foi um shoo-in para começar a ensinar na Universidade de Indiana. Uma
vez lá, ele imediatamente começou a seduzir seus alunos do sexo masculino, explorando e abusando de sua
confiança, a fim de saciar seus desejos perversos. O interesse de Kinsey em acampar com garotos continuou depois
da faculdade. Sua cátedra na Universidade de Indiana, assim como sua pesquisa de campo em zoologia, colocou-o
em contato próximo com jovens estudantes do sexo masculino. Um deles era Ralph Voris, um amigo que Kinsey
apelidara de "Mr. Man". Desde 1926, os dois compartilharam a correspondência íntima. O historiador do sexo e
simpático biógrafo de Kinsey, Paul Robinson, descreve Voris como a companheira homossexual mais íntima, embora
possivelmente latente, de Kinsey. ...

Entrevistado para o programa de 1996 de Yorkshire, "Pedófilos de Kinsey", Jones descreveu como, [W] estudantes
do sexo masculino, Brayland and Coons, trabalharam sob a supervisão de Kinsey em 1934/35. Houve numerosos
episódios, nu e sem nu. [Há uma fotografia] explícita de Kinsey no lustre. Nessa viagem eles se envolveram em
sessões de masturbação, masturbação em grupo. Ambos os rapazes estavam tentando manter Kinsey à distância de
um braço. Perguntada sobre o que a esposa de Brayland pensava sobre isso, Jones lembrou: "Posso dizer que ela
não gostava de Alfred Kinsey. [Ela respondeu] que eles eram apenas garotos do Mississippi e que Alfred Kinsey os
machucou". E em sua recente biografia, observa Jones, Kinsey se banhava com seus alunos ... caminhando sobre o
acampamento nu ... [Confiou um estudante] "Você o veria ... indo ao banheiro, Kinsey a brutalizou e manipulou desde
o começo, treinando-a para ser sua escrava voluntária. Christenson descreve como Alfred Kinsey usou a lua de mel
do casal para "testar" a coragem e a resistência de sua esposa. Embora sua noiva fosse supostamente uma garota
ao ar livre, ela nunca havia escalado uma montanha. Kinsey, que trabalhou durante anos para superar sua juventude
doentia, adquiriu habilidades de alpinismo e comumente os utilizou para estabelecer sua superioridade em relação a
outros homens. Christenson escreve: tinha adquirido habilidades de escalada de montanha e comumente as utilizava
para estabelecer sua superioridade sobre outros homens. Christenson escreve: tinha adquirido habilidades de
escalada de montanha e comumente as utilizava para estabelecer sua superioridade sobre outros
homens. Christenson escreve:

Eles subiram o Monte Washington em uma nevasca. Como Clara nunca tinha visto uma montanha antes, essa era
uma verdadeira iniciação à escalada acidentada e ao camping para todos os climas. Na primeira ascensão rígida,
Alfred selecionou o rastro de um guarda de incêndio, que era o caminho mais curto possível e, nas palavras de Clara,
"direto para cima". Alfredo, em bom estado, liderou o caminho, com a nova noiva ficando um pouco para trás.52
Enquanto a viagem de lua-de-mel prosseguia, Kinsey seguia em frente e aguardava a chegada da noiva. Christenson
observa: "Era claramente um teste para sua coragem, e ela era igual a ele." 53 Christenson não pergunta por que o
dr. Kinsey não optou por uma tradicional lua-de-mel de uma bem-aventurada união. Em vez de vinho e rosas, ele
trouxe ameixas sem caroço e alimentos de trilha pré-embalados. Em vez de uma casa acolhedora com um fogo
quente, a futura autoridade sexual escolheu o vento, a chuva e as noites frias ao ar livre - condições virtualmente
garantidas para impedir a consumação de seu casamento: "Quando necessário, eles construíram um abrigo para
proteger do vento e da chuva. A rotina noturna era botas e cintos e colocar meias limpas, além de toda a roupa extra
disponível, antes de subir em seus cobertores. "54 [106] Eles se casaram em 1921 e até mesmo a Wikipedia observa
que foi uma cerimônia evitada pelo pai de Kinsey. [107] Seus filhos seriam todos explorados em graus variados, com
alguns superando-os (até mesmo descartando) melhor do que outros. Aparecendo no programa de 1996 da BBC
"Reputations", as duas filhas de Kinsey (já idosas) afirmaram que seu pai era um pai típico de classe média que era
atencioso em todas as coisas. Sobrevivendo filho Bruce recusou repetidamente entrevistas com alguém escrevendo
sobre seu pai. Para Kinsey, "religião" ainda fazia parte da vida, mas biógrafos e "críticos" como a judia Judith
Reisman não dão detalhes. Christenson observa que "Alfredo descreveu em detalhes Clara seu trabalho na igreja
com o Bethany Boys 'Club enquanto estava em Harvard", 50 que sugeriu a Clara que Kinsey era "demasiadamente
elegante" para ela.51 Pomeroy insiste, ao contrário, que aos 26 anos, Kinsey era um ateu comprometido.

Se assim for, ele aparentemente escondeu esse fato de Clara. ... Um incidente posterior, enquanto Kinsey estava
orientando seus discípulos de sexologia, ressaltou [Reisman erroneamente atribui o "ateísmo" de Kinsey]. Ele e
Pomeroy estavam falando sobre assuntos teológicos. Pomeroy, intrigado com a impressão de que "Kinsey ainda
nutria sentimentos religiosos", interveio: "Você realmente acredita em Deus?" Kinsey ficou irado e "surpreso" ... Alfred
e Clara se casaram em 3 de junho de 1921. Ela deu à luz seu primeiro filho, Donald, em meados de 1922. Um
diabético, ele morreu em uma idade jovem. Eles tiveram outros três filhos: filhas Anne (1924) e Joan (1925), e o filho
Bruce (1928). Pouco se sabe sobre as crianças Kinsey, além de que teve aulas de piano, eles foram proibidos de
receber confirmação apesar de frequentar a igreja e de eventualmente darem seus históricos de sexo a Pomeroy e
seu pai. Jones relata que Kinsey levou sua família em férias de nudismo para as Smoky Mountains, e que revistas de
nudismo foram lidas em casa. O próprio Kinsey costumava depilar-se nu na presença das crianças.56 Não nos é dito
com que idade essa prática terminou, ou se acabou. Todos os jovens Kinseys frequentavam a igreja. "Ambos os
pais", explica Pomeroy, "sentiram que era uma experiência cultural que deveriam ter". É concebível que o Dr. Kinsey
tenha participado principalmente para melhorar uma aura de respeitabilidade. Anos antes, relata Jones, ele se juntou
aos líderes do movimento eugênico, cujos devotos desdenhavam o sistema de crenças judaico-cristãs. Mas uma
imagem de igreja forneceria cobertura útil para sua vida secreta e pesquisa não ortodoxa. [109] Qual "igreja"
(minúscula) as crianças compareceram? - Aquele em que os adolescentes são "confirmados" (e, aparentemente, um
que o Dr. Reisman deseja excluir da experiência da família Kinsey): o catolicismo romano. A conexão seria ainda
mais clara depois na vida de Kinsey. Uma das linhas favoritas de Kinsey para impressionar os futuros depravados
sexuais em sua sala de aula foi impressioná-los com a forma como a coleção "Kinsey Institute" A conexão seria ainda
mais clara depois na vida de Kinsey. Uma das linhas favoritas de Kinsey para impressionar os futuros depravados
sexuais em sua sala de aula foi impressioná-los com a forma como a coleção "Kinsey Institute" A conexão seria ainda
mais clara depois na vida de Kinsey. Uma das linhas favoritas de Kinsey para impressionar os futuros depravados
sexuais em sua sala de aula foi impressioná-los com a forma como a coleção "Kinsey Institute"

de pornografia foi perdendo apenas para o do Vaticano. A judia judia "invalida" esse hábito de Kinsey ao citar o
desavergonhado antissemita E. Michael Jones. Parece que Jones ligou para o Vaticano e o representante com quem
ele falou negou a acusação. [110] Caso encerrado! Independentemente disso, é claro que tanto o Instituto Kinsey
quanto o Vaticano priorizam a pornografia em suas agendas. Como prova de quanto poder o Vaticano tem, o trabalho
de Kinsey está intimamente ligado ao padrinho do pornô: Hugh Hefner. O discípulo de Kinsey, Hugh Hefner, lançou o
"outro" livro revolucionário, a Playboy, em 1953, o mesmo ano em que o volume feminino de Kinsey foi
publicado. Hefner disse que Kinsey era o pesquisador e que ele era o "panfletário". Hefner divulgou a visão de Kinsey
sobre os homens como "playboys" e mulheres e crianças como suas "Playmates" sexuais. [111] A conexão é mais
clara com a revista da Playboy, Penthouse, fundada pelo magnata da mídia católica romana Robert C.
Guccione. Curiosamente, Guccione não é mencionado por Reisman. Em 1979, Guccione gastou quase US $ 20
milhões de sua fortuna pessoal para lembrar o imperador romano Calígula com um "épico" pornográfico com o
mesmo nome. Ele foi surpreendentemente capaz de recrutar grandes talentos. O filme de sexo explícito estrelado por
Malcolm McDowell como Calígula e incluiu Teresa Ann Savoy, Sir John Gielgud, Sir Peter O'Toole e Dame Helen
Mirren. Só se pode imaginar quanto sua participação garantiu seu sucesso contínuo. Neste escrito, Hollywood.com
publicou o artigo de brilho - 50 Cent: "eu"

Acha difícil não apenas olhar para ela sempre que ele está na companhia dela. O vencedor do Oscar de 69 anos e o
rapper, quase 30 anos mais novo, se encontraram no tapete vermelho no 57º Festival de TV de Monte Carlo na
terça-feira (17 de junho) em Mônaco, e ele está feliz em admitir que agora tem um grande nova paixão. 50 Cent
postou uma foto do estranho casal juntos no Instagram e adicionou a legenda: "70 é o novo 50 ... Sim, eu acho que a
amo, cara. Estou tentando não olhar para ela. [112] só que "50 Cent" tinha sido com Dame Helen 40 anos atrás, ele
poderia ter interpretado uma de suas consortes núbia na Corte de Calígula, embora Judith Reisman esteja de guarda
respeitosa antes dos cofres de pornografia do Vaticano, ela está absolutamente correta quando acerta e avalia o
dano (mas não sem, mais uma vez, atacar um "ministro metodista" e sua desleixada operação - Pomeroy nos diz que
Kinsey tinha um "grande esquema", 52 e que imagens sexualizadas eram vitais para seu sonho de levar a sociedade
americana de seu padrão moral tradicional baseado no casamento a uma predicada sobre "amor livre". " Imagens
destinadas a promover e legitimar comportamentos desviantes foram fundamentais para essa conversão moral e
cultural, o que a IASHS chama de "reestruturação" do cérebro. A ampla disponibilidade de variedades ilimitadas de
revistas pornográficas, vídeos e computação gráfica institucionalizou um ataque ao tecido de nosso país que, entre
outras coisas, está alienando um número crescente de homens das mulheres da vida real, de suas esposas e de
suas famílias. .53 Como a instituição do casamento foi corroída, a violência sexual contra mulheres e crianças
aumentou. [113] Quanto à pornografia do próprio Instituto, admiram o biógrafo de Kinsey, Jonathan Gathorne-Hardy,
admitido - o Instituto Kinsey já levou os notórios filmes sexuais de Kinsey para um local secreto. E eles juraram
destruir material meticulosamente acumulado (incluindo uma coleção de arte erótica de US $ 40 milhões quase
nunca vista) se a polícia chegar com mandados - como a Tate.

documentário sugere é desejável ... Eu tenho medo que muito material provavelmente já tenha sido destruído ... Eu
acho que é inevitável que as coisas sejam eliminadas. Eles estão sob cerco ... Tate ... marca Kinsey como um
homem gay do quinto colunista - a própria imagem do engano e mentiras. A conquista do estudante homossexual de
Kinsey, Ralph "Mr. Man" Voris, permaneceu "íntima" com ele, chegando ao ponto de coletar "dados" sobre o amor de
menino grego. Em relação à "admiração estética pelos corpos da juventude grega", Kinsey escreveu a Voris sobre
sua coleção de fotografias homossexuais "lindas" masculinas14 de uma maneira que lembrava os comentários do
fundador do escotismo Robert Baden Powell sobre jovens nus masculinos: 15 O que eu teria feito sem sua ajuda
anterior, eu não sei. ... Eu tenho álbuns inteiros de fotografias de seus amigos, ou de fontes comerciais - belas artes a
pútridas. Algum do material do modelo da arte é lindo. Eu quero que você veja isso.16 [115] Voris morreu assim
como sua "pesquisa" estava em andamento - supostamente de pneumonia - com apenas 38 anos de idade em 1940.
A cal do companheiro de Kinsey Wardell Baxter Pomeroy (regurgitou fielmente pelo Atlântico) é uma clínica em
rotação. Depois de comentar sobre o caráter não-excepcional da vida profissional e doméstica de Kinsey antes de
1938, Pomeroy continua, com um ar de mistério e significado: "No entanto, houve um evento que fez esses anos
longe de ser comum para ele. Foi sua amizade para um estudante". Ralph Voris ... Voris se tornou o amigo mais
íntimo que Kinsey já teve; o relacionamento deles provavelmente significou mais para ele do que para qualquer outro.
"

[116]

Com a "amizade" na verdade significando sedução por abuso de confiança para a sodomia, já vemos quão confiáveis
são as conclusões do "Instituto Kinsey". A esposa de Voris repetidamente implorou a Kinsey para visitar seu "amigo
mais jovem" - aquele que significava mais para ele do que qualquer outro -, mas ele estava muito ocupado com
"sexo".

Era algo que ele era completamente desqualificado para fazer, mas foi uma posição que lhe permitiu a cobertura para
começar uma vida inteira de crimes sexuais mascarados como "ciência". Talvez mais do que qualquer outro
facilitador foi o fato de que Kinsey novamente evitou o serviço na guerra. Enquanto a flor da juventude americana
estava sendo destruída na Segunda Guerra Mundial, Kinsey era um chacal entre suas esposas e filhos. Ele
rapidamente organizou para adiamentos para toda a sua equipe sexual [118]: um feito que trai o apoio de poderosos
"amigos". Durante esse tempo, Kinsey estava aprimorando suas habilidades como um predador e mestre
manipulador; levando os meninos (escoteiros, grupos de jovens da igreja e estudantes) para fora em "viagens de
acampamento" em que ele insistiu que todos se banham diariamente e abertamente. Kinsey era um livro-texto
desviante homossexual desajustado que secretamente desprezava as mulheres, incluindo sua própria esposa. Isso
ficou evidente quando ele atormentou e brutalizou jovens mulheres para discutir abertamente suas vidas sexuais
mais íntimas para sua "pesquisa". Ele então os repreendeu pelo que ele percebeu serem "mentiras", muitas vezes
fabricando o que ele achava que deveria ter encontrado, se dissessem o que ele queria ouvir.

Isso foi particularmente ultrajante para a década de 1940, mas a Universidade de Indiana manteve seu "cientista" na
época e ainda hoje. O biógrafo de Kinsey, James Jones, admite abertamente que as "entrevistas" de Kinsey para
histórias de sexo eram usadas principalmente para despertar o "cientista" e não para qualquer semelhança de
"pesquisa". [120] As perversões pessoais de Kinsey o consumiram com luxúria e ele ativamente buscou os atos mais
depravados possíveis até que, eventualmente, nada o despertou e, ironicamente, ele se tornou impotente. O que
qualquer um dos admiradores de Kinsey deixa de admitir é que "pesquisa" com um resultado predeterminado não é
"ciência", é propaganda. É preciso apenas a mais leve familiarização com Alfred Kinsey para entender que ele era
um pervertido sexual em uma missão para normalizar o desvio, mas isso nunca é admitido. A conclusão é
surpreendente: todo e qualquer parente de Kinsey em "ciência" aprova o que Kinsey fez e está satisfeito em manter
as mentiras, apesar de como ele destrói sua própria credibilidade e ofende a ciência real. Como resultado dessa
agenda de pseudociência, Kinsey precisava ter certeza da cooperação de agentes voluntários da desinformação. Ele
fez isso com chantagem. Ele recrutou apenas jovens e imediatamente exigiu que eles dessem todos os detalhes de
suas vidas sexuais anteriores, que ele meticulosamente registrou e arquivou. Se eles quisessem avançar, eles
dependiam inteiramente dele. Kinsey Os principais assistentes e co-autores do volume masculino - Wardell Pomeroy
e Clyde Martin - eram ambos jovens, inexperientes e sem doutorado ou trabalho acadêmico publicado. Sua falta de
posição profissional era incomum para um estudo de pesquisa tão controverso e de alto perfil. Para Kinsey, sua
lealdade seria reforçada pela falta de realização acadêmica. A equipe dependia inteiramente de Kinsey para o
avanço profissional. [122]

Pomeroy descreveu a intimidação e a manipulação de Kinsey de uma maneira muito distinta: Kinsey, a mãe superior,
nos mantinha dentro dos limites estritos de sua agenda, embora muitas vezes não nos ressentimos disso. [123] Mas
ele não parou por aí. Ele então exigiu que eles fossem filmados em atividades sexuais de todos os tipos, feitos em
uma sala especial à prova de som fornecida pela Indiana University. A fixação de Kinsey na participação direta e na
observação de atos sexuais levou eventualmente à construção de um laboratório à prova de som no Wiley Hall da
Universidade de Indiana, onde Kinsey, sua equipe, suas esposas e convidados podiam participar de todo tipo de
comportamento sexual. Alguns foram documentados em filme. Kinsey acreditava que as experiências sexuais com
seres humanos não deveriam diferir de maneira mensurável das de "outros animais". Envolvido na aura protetora de
" Vincent Nowlis foi o único heterossexual a se juntar a Kinsey e isso não durou muito. Ele foi a exceção: preferindo
renunciar ao invés de participar da "experiência homossexual". [128] O "público" pode ter ficado "espantado", já que o
"eminente

Steward mais tarde se tornaria um bem conhecido psicólogo homossexual, cujos interesses especiais incluíam
garotos "vigaristas" e tatuagens.24 Aqui, novamente, a judia judia Judith parece ter perdido o currículo completo de
Samuel Morris Steward. Steward era um desviante que escreveu erotismo homossexual sob os nomes de Phil
Andros, Phil Sparrow [xiii] e outros. É incrível que um pervertido sexual e um "tatuador" como Steward tenham uma
vida tão longa (1909, 1993), talvez houvesse outros fatores

envolvido. Mais importante, Samuel Morris Steward era um católico romano, muito procurado por instituições
católicas de ensino superior.

Ensinou pela primeira vez no Colégio Dom John Carroll em Montana, mas depois recebeu uma promoção para a
Universidade Loyola dos Jesuítas na "Cidade dos Ventos", em Chicago (um reduto jesuíta onde futuros protegidos
jesuítas como Barack Obama aprenderiam como "organizar a comunidade"). ). Buscando mais "intimidade" com seus
alunos, Steward se transferiu novamente (mas ainda para outro colégio católico em Chicago), para
DePaul. Claramente, Samuel Steward era o tipo de homem que o clero queria para orientar seus alunos. Foi aqui que
Steward e Kinsey foram reunidos. Steward era um "cientista" também. Abertamente consorciada com autores,
professores, estudantes, artistas e artistas, pick-ups e truques, Steward mantinha diários detalhados e listas de todas
as suas "conquistas" sexuais e escapadas em uma caixa marcada "Arquivo do Stud".

É notável que esses documentos tenham sobrevivido. ... Ele foi encorajado neste esforço por seu bom amigo e guia,
Alfred Kinsey, que viu em Steward uma inestimável entrada no demimonde homossexual (para o qual ele próprio foi
sorteado) e um exemplo único de um gourmand sexual, por falta de uma palavra melhor, para quem a quantidade era
mais importante que a qualidade. ~ Huffington Post [132] Steward foi trazido para Kinsey para ser orientado em
perversão. Foi um jogo feito em Hell and Steward que marcou a conexão com uma interessante caracterização de
Kinsey que apenas os luciferianos entenderiam - Na primavera de 1950, a convite de Kinsey, ele foi filmado fazendo
sexo BDSM com Mike Miksche, de Nova York. artista erótico também conhecido como Steve Masters. ... Kinsey era o
mentor mais importante de Steward; ele mais tarde descreveu Kinsey ... como um deus-como portador de iluminação
para a humanidade, dando-lhe assim o apelido de "Doutor Prometheus". [3] ~ Wikipedia [133] Este filme pornô
homossexual foi especialmente organizado, embora o que levou a ele recebeu pouco a nenhum escrutínio . Judith
Reisman dá mais detalhes - EXPERIMENTOS DE SEXO TORTURA Escrevendo na edição de 13 de novembro de
1980 do The Advocate, um mês homossexual, Steward recordou a vez em que foi levado a Indiana para ser filmado
em um filme sobre sadismo sexual produzido e dirigido por Kinsey . Pomeroy descreveu Steward como um "parceiro"
de um "casal homossexual", 25 mas Steward escreveu que ele nunca havia conhecido o "parceiro" (Mike Miksche)
até serem apresentados ao jardim de Kinsey. Pouco tempo depois, os dois se prepararam para as filmagens de um
ato de sadismo sexual como "cientistas" de Kinsey assistiu e tomou notas. Pomeroy afirma que o sadismo filmado
naquele dia era apenas parte da vida sexual "normal" do casal. Ele lembra que Kinsey, enquanto em Nova York
observando homens agredindo uns aos outros em rituais sádicos, "ficou particularmente intrigado com o
relacionamento de um casal homossexual em

A equipe de Kinsey reconhecidamente solicitou a vítima e o infrator, pagou pelo serviço e engajou-se em engano
para provocá-lo. [134] Alfred Kinsey e Samuel Steward eram verdadeiros aliados gémeos, tendo caminhado (ou sido
guiados através?) Do mesmo caminho do Metodismo para o Catolicismo Romano. Nascido em uma família
metodista, Steward se converteu ao catolicismo durante seus anos de universidade, mas há muito que abandonou a
Igreja Católica no momento em que ele aceitou seu cargo como professor em Loyola. ~ Wikipedia [135] Interessante
que Steward deveria "abandonar por muito tempo" o catolicismo, mas ser selecionado para ensinar para os jesuítas e
depois transferir novamente para outro colégio católico. Os protestantes em geral e os metodistas em específico
seriam alvos ainda mais quando o parceiro homossexual de Kinsey e subordinado "cientista" Wardell Pomeroy foi
enviado do "

de ser "Confirmado" (mas especificamente enviado para treinamento), ou como a conexão de Kinsey com a
pornografia "Professor" Samuel Steward foi organizada no campus da Universidade Católica DePaul, mas ela não
teve nenhum problema em chamar Ted Mcllvenna, um "ministro metodista" . Depois de deixar Bloomington, Wardell
Pomeroy se tornou o Decano Acadêmico do Instituto para o Estudo Avançado da Sexualidade Humana em São
Francisco, ao lado do Rev. Ted Mcllvenna, um ministro metodista. Como o Kinsey Institute, o IASHS filmou atos
sexuais entre os membros da equipe, incluindo cenas desses profissionais do sexo envolvidos em orgias
homossexuais e heterossexuais vistas em Meditations, um subproduto da IASHS. O IASHS vendeu sua pornografia
infantil à revista Hustler para publicação generalizada. [136] Se contrastássemos se o Vaticano realmente tem a
maior coleção de pornografia do mundo ou se Ted Mcllvenna deveria ser honestamente rotulado de "ministro
metodista" sem qualificação, há uma boa chance de os Metodistas conseguirem fazer o ponto mais sutil. Em sua
posição como um devoto sexual católico de confiança, "professor" e "autor", foram feitos arranjos especiais [137]
para que Steward conhecesse e promovesse duas infames lésbicas judias residentes na Paris católica; Gertrude
Stein e Alice Toklas. Com obediência surreal, como Ygor para o Dr. Frankenstein, a esposa de Kinsey, Clara, se
submeteu a toda e qualquer perversão sexual imposta a ela por "convidados" e "pesquisadores". Quando não é um
participante, ela levava leite e biscoitos para o estúdio pornô entre os sets e substituía os lençóis sujos de sêmen,
urina e excremento. [138] O biógrafo de Kinsey, James Jones, caracterizou isso como "adequado à esposa do sumo
sacerdote da libertação sexual". [139] "Sumo Sacerdote", de fato. No entanto, poucos foram tão escravizados como
Alfred Charles Kinsey. Enquanto Kinsey continuava a colecionar "histórias de sexo", ele se tornou um J. Edgar
Hoover - assimilando cuidadosamente a sujeira de qualquer um que pudesse, arrastando-os para a Simulação do
Diabo.

A conduta agressiva, intrusiva e possivelmente ilegal de Kinsey foi protegida pelo aparato de relações públicas da
Universidade de Indiana. Sabemos agora que algumas das mulheres e crianças em fotografias publicitárias podem
ter pago um alto preço para manter a imagem de Kinsey cuidadosamente aperfeiçoada. Em outubro de 1997, a
colunista sindicalizada Mona Charen, comentando a biografia de James Jones, observou que "de acordo com uma
esposa de outro empregado, havia 'pressão doentia' para concordar em fazer sexo no cinema" .78 Muitos
funcionários e acadêmicos encobriam Kinsey atividades altamente impróprias durante a sua vida, e continuam a fazê-
lo no Instituto Kinsey e na Universidade de Indiana hoje. Pomeroy acrescenta alguma perspectiva ao que foi
impingido ao público e deturpado como uma busca científica objetiva pela melhoria humana: acho que ele gostava de
segredos, que a posse deles lhe dava uma sensação de poder. E não havia dúvida de que as histórias lhe davam
poder potencial único. Somente no campus de Indiana, havia pelo menos vinte professores com histórias
homossexuais desconhecidos de qualquer outra pessoa, sem mencionar as inúmeras experiências extraconjugais
registradas. ... Com seu conhecimento íntimo da vida sexual de pessoas importantes, Kinsey poderia ter figurado
figurativamente os Estados Unidos social e politicamente. [P] talvez ele gostasse de sentir às vezes que estava
colocando algo no mundo.79 [ênfase adicionada] [140] Talvez uma descrição melhor seria "Confessor jesuíta". É um
Kinsey fez a si mesmo. Kinsey afirmou uma vez que ele e sua equipe haviam conquistado os direitos de "um padre
..." 63 para manter confidenciais as informações fornecidas por estupradores, assassinos, molestadores de
crianças, e assassinos pedófilos [141] Kinsey teve um prazer particular em aterrorizar as crianças sob o disfarce de
"ciência", como mostrar filmes explícitos de cópula animal - particularmente violentos ou gráficos como porcos-
espinhos.
Observe as expressões de Kinsey e sua esposa Clara (segunda da direita).

Tenha tudo isso em mente sempre que Alfred Kinsey for mencionado com respeitosa reverência como um "cientista"
estimado. Com um punho de ferro totalitário não diferente dos nazistas ou comunistas, Kinsey pressionou pelo
"direito" de cometer qualquer crime sexual hediondo contra homem, mulher, criança ou animal e disfarçá-lo de
"ciência". Infelizmente, até mesmo seus detratores permitem esse subterfúgio. Kinsey muitas vezes expressou um
direito elitista à "pesquisa científica" ilimitada e descontrolada sobre a sexualidade de todos, incluindo a das crianças
desde o nascimento. Dificilmente nos surpreenderia, então, que no capítulo sobre sexualidade infantil no volume
masculino ele escreva melancolicamente sobre as grandes coisas que a ciência poderia realizar com absoluta
liberdade para conduzir experimentos humanos: " deve ser sensível às emoções que motivam os seres
humanos. Kinsey não parece estar muito interessado em emoções. ... 85 [[142]] Isto é, na melhor das hipóteses, um
mal-entendido grosseiro do que é "ciência" e, na pior das hipóteses, um engano intencional. deve ser sensível às
emoções que motivam os seres humanos. Kinsey não parece estar muito interessado em emoções. ... 85 [[142]] Isto
é, na melhor das hipóteses, um mal-entendido grosseiro do que é "ciência" e, na pior das hipóteses, um engano
intencional.

Palavras absurdas como "scientomania" ou "scientism" tornam a pseudociência "pura", mas equivocada quando, na
realidade, não é nenhuma das duas. A base da ciência é o Método Científico: Faça uma observação. Desenvolva
uma hipótese. Conduza experiências em um ambiente estéril (isolando variáveis conhecidas) para replicar a
observação, provando assim a hipótese. Apresente a pares de igual ou maior confiabilidade neste método que
podem provar ou refutar usando as mesmas etapas (revisão por pares). Muitos ficariam chocados ao saber o quanto
a pseudo-ciência é ensinada como ciência real em todas as escolas, sem o requisito de obedecer às suas próprias
disciplinas, nem a aceitação de interrogatórios ou discórdias de qualquer tipo. Junto com a "ciência do sexo" de
Kinsey estão as fraudes da evolução, paleontologia e astronomia. Suas suposições não são nem observáveis,
testáveis nem repetitivas, mas são ordenadas a serem ensinadas sem exceção ou crítica. Quando os leigos fazem
observações que contradizem os "especialistas", eles são ridicularizados ou alvo de jargões internos que não são
entendidos. Por exemplo, uma observação imparcial nos diz que o sol e a lua são aproximadamente do mesmo
tamanho e relativamente próximos de nós, mas os "especialistas" dizem que é meramente uma ilusão de ótica: o sol
é 400 vezes maior que a lua e "coincidentemente" 400 vezes mais nos. "Especialistas" como a Administração
Nacional de Aeronáutica e Espaço nos dizem que - A Terra está girando a 1.000 mph (quebrando a barreira sonora
de 767 mph). A Terra gira em torno do sol a 67.000 mph. O sistema solar se move através da Via Láctea a 500.000
mph.

A Via Láctea se move através do universo a 670.000.000 mph. No entanto, a Estrela do Norte permanece
absolutamente fixa. Mais uma vez, nos disseram que isso é uma "ilusão de ótica". A Estrela do Norte está tão longe,
parece apenas fixa. Os guardiões da Simulação do Diabo possuem nossa própria realidade e nossas instituições
mais confiáveis são nossos inimigos mais cruéis. Doutora em Comunicação Judith Reisman admite que muito
dinheiro, como as mãos da Fundação Rockefeller, armou táticas para agências governamentais como a CIA sobre
como manipular a opinião pública com o objetivo de levar cidadãos inocentes a aprovar aquilo que acabaria
causando grande dano a eles e seus filhos. [143] Como um jogador chave neste engano - a destruição completa das
morays e normas sexuais cristãs tradicionais - "Dr." "Pesquisa" de Alfred Kinsey baseava-se nas experiências de
desviantes, prisioneiros, homossexuais em bares e banhos e molestadores de crianças. [144] Para o seu banco de
dados, Kinsey classificou mais de 1.400 criminosos e criminosos sexuais como "normais", 4 com base no argumento
de que esses canalhas são essencialmente os mesmos que os homens normais. O associado de Kinsey, Paul
Gebhard, explicou que até mesmo a amostra da prisão foi fortemente ponderada em relação à desordem sexual, uma
vez que a equipe de Kinsey buscou especificamente os piores criminosos sexuais ... [145] Mais tarde, Gebhard
admitiu à Yorkshire Television (pelo documentário da BBC de 1998, História Secreta: Os Pedófilos de Kinsey) que,
quando iam para as prisões, diziam a cada administração: "Dá-nos a lista de todos que estão sob acusação de
pedofilia". Eu vou atrás deles ". Ainda mais surpreendentemente, Gebhard divulgou a existência do Diabo '

em detalhes explícitos e encorajando-os a ser o mais selvagem e perverso possível, a equipe de Kinsey ainda não
obtinha o suficiente dos "resultados" que eles estavam procurando, por isso muitas vezes "embelezavam" as
contas. O número de homossexualidade de 10% de Kinsey, por exemplo, espelha o que é chamado de "fator fudge"
estatístico. Ele também pode ser aplicado a seus dados sobre adultério, sodomia, etc. Se um sujeito teimosamente
se recusa a admitir cometer atos recitados pelo entrevistador, este simplesmente especula sobre o que realmente
aconteceu. Entre os cientistas, essa manipulação é eufemisticamente chamada de "massagear os dados". [147] No
entanto, hoje, 70 anos após a publicação de Comportamento Sexual no Homem Humano, acreditar que uma pessoa
em cada 10 é homossexual é tão aceita quanto a fiação do Terra ou a idade dos dinossauros. Como eles recebem,
usam e até facilitam a si mesmos, "dados" derivados de atos criminosos, a equipe de Kinsey (na época e agora) vive
em uma realidade alternativa que lhes permite validar qualquer comportamento aberrante como "normal". ... é
evidente que as definições peculiares de Kinsey de termos como "colégio", "casado", "estupro", "contatos" e
"parceiro" foram criadas precisamente para reforçar as visões bizarras da equipe sobre estupro, crime, casamento, e
molestamento de crianças. [148] Seus facilitadores na aplicação da lei, justiça e governo vêem que não precisam
abandonar essa realidade alternativa. Os Pedófilos da Pseudociência Antes de mais nada, Alfred Kinsey, seus
subordinados e todos que empregavam eram pedófilos. Nisso, eles eram (e são) verdadeiros membros da Simulação
do Diabo. Em 1965, o "Kinsey Institute" publicou Sex Offenders: An Analysis of Types. Era um subterfúgio de mil
páginas cujo maior engano era pintar o abuso dos inocentes nas notas. Foi imediatamente trazido como texto
definitivo para policiais, juízes, advogados,

médicos e professores que foram ensinados que, se uma criança se afasta de um abuso sem rosto inchado e com
hemorragia interna, é muito menos um crime. A realidade é exatamente o oposto. O dano latente causado ao estupro
de crianças pode não se manifestar por décadas. Pode variar desde oscilações de humor como depressão ou raiva
inexplicável até esquizofrenia. Pode incluir a incapacidade de interagir normalmente com outras pessoas, desde
colegas de trabalho básicos até amigos, familiares, cônjuges ou filhos. Quase sempre, o abuso infantil leva a vítima a
vícios prejudiciais e, muitas vezes, acaba em suicídio. Um dos "pesquisadores confiáveis do Instituto" para Sex
Offenders foi Glenn Ramsey, um professor da escola de Peoria - ele próprio um agressor sexual "entrevistou" 350
garotos "sexualmente aberrantes". Ele foi posteriormente demitido por "impropriedades". Mesmo aqui, Ramsey
escapou de ser preso e processado. Judith Reisman observou - No entanto, Kinsey defendeu Ramsey com
veemência e obteve dinheiro da Fundação Rockefeller para pagar suas taxas legais. [149] Ela então citou Kinsey fora
de contexto como sendo mortalmente com medo de "católicos" porque eles assediaram seus "pesquisadores". A
família Rockefeller e a Fundação são outro alvo "seguro", aparentemente desprovido de conexões com a Igreja
Católica, mas as cordas estão ligadas quando se leva um tempinho para procurá-las. Por exemplo, um dos
presidentes da Fundação Rockefeller foi o padre Theodore Martin Hesburgh (1917, 2015) - um dos sacerdotes
católicos romanos mais poderosos da América. Hesburgh também foi presidente da Notre Dame por 35 anos (apenas
algumas horas ao norte da Universidade de Indiana).

Comissão ea Comissão de Reforma da Imigração do Presidente da Blue Ribbon. Cada posição promoveu uma
agenda traiçoeira de mentiras e enganos. Padre Hesburgh era um convidado VIP da Marinha dos Estados Unidos e
se juntou a eles em uma suposta expedição secreta ao Pólo Sul - exceto que tal jornada permanece impossível tanto
naquela época quanto agora.

A "Reforma da Imigração" era e ainda é um código para a agenda da Igreja Católica inundar incessantemente os
Estados Unidos com estrangeiros ilegais católicos do sul, treinados por inúmeras instituições jesuítas para exigir o
socialismo e o comunismo de sua nação anfitriã. As fronteiras abertas significam que os alienígenas não passam por
um processo de assimilação e são usados para acentuar o "choque de civilizações", causando caos e raiva onde
quer que se acumulem. Mesmo o envolvimento da Igreja Católica nos "direitos civis" tem um estado final
venenoso. Na superfície, os "direitos civis" parecem um esforço louvável, mas a reconciliação harmoniosa não estava
na agenda de Hesburgh nem de nenhum dos milhares de padres e freiras católicos que ajudaram a atiçar as chamas
da agitação racial, especialmente na década de 1960. Foi tudo parte do "

Como resultado do poder de Theodore Hesburgh no governo americano, ele foi honrado de uma forma única na
autoridade de Roma sobre os militares dos Estados Unidos - o padre Ted recebeu uma "carona" na plataforma mais
secreta da Força Aérea em seu tempo, a SR- 71 Melro preto.

Debaixo da fachada de um acadêmico presidente de faculdade, Hesburgh era tão desviante quanto Kinsey, e é por
isso que ele se encaixava perfeitamente na Fundação Rockefeller, financiando o trabalho de Kinsey. Do aborto à
"educação sexual", Hesburgh indignou os católicos conservadores com sua política. [150] Ele até promoveu o
SIECUS, o "Conselho de Informação e Educação Sexual dos Estados Unidos" - uma organização radical que ensina
a completa depravação ao mais jovem das crianças cativas em escolas públicas e privadas.
Judith Reisman observa - Em 1964, o Conselho de Informação e Educação Sexual dos Estados Unidos (SIECUS) foi
lançado no Instituto Kinsey. Seu objetivo era ensinar a ideologia Kinseyan como educação sexual em nossas
escolas. O SIECUS (que agora se chama Conselho de Educação e Informação sobre Sexualidade dos Estados
Unidos) imprimiu o novo padrão de variantes Kinsey em quase todos os currículos de educação sexual. Sua líder
inicial, Dra. Mary Calderone (ex-diretora médica da Planned Parenthood), foi o elo direto entre a pesquisa baseada
em universidade de Kinsey, o evangelismo de base da Planned Parenthood e a SIECUS. SIECUS era um "Centro de
Recursos [operacional] Programas Especializados para Distribuir Informações sobre a sexualidade Humana [através
de] revistas científicas, estudos de pesquisa, materiais de treinamento para profissionais de saúde e exemplos de
currículos de sala de aula". 111 Como a SIECUS é regularmente financiada pelo Estado, perguntas devem ser feitas
sobre a Playboy Anual de janeiro de 1979 que anunciou que a "Playboy Foundation fornece a primeira de várias
doações importantes para o Conselho de Informação e Educação Sexual dos Estados Unidos para apoiar seus
programas educacionais em todo o país ". Como Christie Hefner acrescentou, a Playboy também forneceu o dinheiro
inicial para SIECUS: Através da Fundação Playboy, Hefner colocou seu dinheiro onde sua boca estava. Fez a
concessão inicial para estabelecer um Escritório de Serviços de Pesquisa do Conselho de Informação e Educação
Sexual dos EUA (SIECUS) no final dos anos 60. [151] No entanto, os padres católicos romanos como Hesburgh não
são mostrados pelos críticos de Kinsey em seu papel nos bastidores, os judeus são. Mais uma vez, ansioso para trair
seu próprio povo para servir os autores da Inquisição, Judith Reisman conecta os pontos de SIECUS à eugenia e à
fundadora da Planned Parenthood, Margaret Sanger, através da propaganda de Kinsey de perversão sexual em
judeus paternos como David Loth e Morris Ernst. Quando Kinsey publicou Comportamento Sexual no Homem
Humano, "historiadores"

como Loth e "juristas" como Morris aplicaram simultaneamente a seus campos. O quarto livro publicado em conjunto
com o Kinsey's Report foi American Sexual Behavior e o Kinsey Report. Esta contribuição muito importante para o
crescente debate jurídico sobre o "amor livre" foi co-autoria do advogado da ACLU, Morris L. Ernst, e do historiador
David Loth. A dedicação do livro foi para a equipe acomodada de Kinsey que "enriqueceu o mercado de pensamento"
.28 Ernst defendeu a legalização do adultério, a obscenidade e o aborto ao longo de sua carreira, bem como toda a
panóplia de Kinsey sobre mudanças na lei do sexo: Deixe-me mencionar alguns itens em que a lei deve dizer
obrigado [a Kinsey]. Nossas leis têm tentado abolir todas as saídas sexuais, exceto a relação conjugal, ... [inclusive] a
sodomia [e] a sedução ... Quarenta e quatro estados têm leis contra o adultério. ... No entanto, o relatório Kinsey
pode muito bem ... mostrar que um terço de todos os maridos cometem adultério ... Aqueles que estão preocupados
com a delinquência juvenil, o tratamento de homossexuais e as atitudes assustadoras de nossas instituições penais
terão um vislumbre do que o relatório Kinsey fará ao fluxo da lei.29 Ernst foi influente. Ele serviu como "representante
pessoal do Presidente Roosevelt durante a Segunda Guerra Mundial" .30 Além disso, ele era bem credenciado como
um radical legal para servir como membro fundador da American Civil Liberties Union (ACLU) .31 Ernst também era o
advogado de Kinsey, Margaret Sanger, o Instituto Kinsey, o Conselho de Informação e Educação Sexual dos Estados
Unidos (SIECUS) e a Planned Parenthood of America. Ernst tinha laços estreitos com os influentes e progressistas
juízes da Suprema Corte, Louis Brandeis, [William Joseph] Brennan, [Felix] Frankfurter e o juiz [Billings] Learned
Hand, 32 entre outros. Por meio dos esforços consideráveis de Ernst, o estudo de Kinsey teria destaque especial na
sala de audiências, já que suas descobertas foram encontradas ali. Em 1945, Ernst declarou: "Nós nos divertimos
educando júris e juízes" com suas novas informações sobre sexo "científicas" ... [152] A Suprema Corte dos Estados
Unidos é outro excelente estudo de caso no controle católico romano.

Desde o início, a Corte nunca teve a intenção de exercer o poder tirânico e autocrático que exerce. Esse poder foi
fabricado pelo presidente da Suprema Corte, John Marshall, por meio de sua decisão em Marbury vs. Madison
(1803). Thomas Jefferson acabara de ganhar a presidência de John Adams. Adams, antes de deixar o cargo,
nomeou William Marbury como Juiz da Paz no Distrito de Columbia. O presidente Jefferson ordenou ao seu
secretário de Estado, James Madison, que suspendesse a nomeação e Marbury fez o mesmo. Parte da decisão de
Marbury v. Madison veio a "quem tinha a autoridade final", dado que a Lei do Judiciário de 1789 parecia dar poderes
não encontrados no Artigo III da Constituição. Embora a decisão geral de Marshall não fosse expandir os poderes do
governo central, ele coroou a Suprema Corte como árbitro final na questão da constitucionalidade. Este poder sem
precedentes é hoje conhecido como "Revisão Judicial". Tem sido a raiz da tirania da traição ao longo da história
americana desde então, onde apenas cinco juízes da Suprema Corte podem subverter a vontade de toda a
população americana ... ~ Illuminati Unmasked [153] Se Justiças estão doentes, ausentes ou recusados de um
decisão, menos de cinco indivíduos inexplicáveis para os cidadãos americanos podem ditar "lei" para eles. Algumas
das mais hediondas agendas foram realizadas exatamente desta maneira, do "direito" de assassinar o nascituro à
salvaguarda da pornografia como "liberdade de expressão". Enquanto a América estava vigilante, Roma teve que
confiar nos falsos protestantes do Freemasonic, judeus comunistas comprometidos e um ocasional católico declarado
no tribunal. Enquanto essa vigilância diminuía, em 2016 o Vaticano estava confiante o suficiente para possuir
abertamente a Suprema Corte com uma sólida maioria de seis católicos romanos ladeados por três judeus de
esquerda simbólicos. Em 13 de fevereiro de 2016, um dos juízes da Igreja Católica Romana - Antonin Scalia - foi
morto em Cibolo Creek, Texas Ranch of

banqueiro de investimento rico John Poindexter. A história oficial foi que, após a "caça às codornas" no dia anterior, o
homem de 79 anos "morreu durante o sono". [154] Scalia foi imediatamente atendido por seu médico, contra-
almirante Brian P. Monahan. Monahan também é o médico assistente do Congresso dos Estados Unidos. Ele
também é um católico romano que foi treinado em não uma, mas duas instituições jesuítas; Fairfield e Georgetown.
[155] No entanto, as suspeitas surgiram imediatamente quando o Rancho Cibolo e Scalia foram implicados no abuso
sexual infantil ritual. [156] O site de mídia alternativa Veterans Today publicou este artigo sem explicá-lo - a pior
pessoa do mundo encontrada morta no Texas "rent boy ranch", playground para Mike Jagger e Charlie Sheen. [157]
Talvez isso permaneça inexplicável, porque Veterans Today e o editor sênior Gordon Duff são anti-semitas cruéis (e
é por isso que eles foram colocados em mídias alternativas em nome de Roma). Mais especificamente, o palestrante,
ativista, blogueiro e escritor David Shurter afirmou que, como vítima de abuso sexual infantil ritual, Scalia era um de
seus estupradores [158]. O uso de fazendas isoladas foi descrito como um modus operandi da Pedocracia 35 anos
antes pelo denunciante de vítimas Paul Bonacci. [159] Scalia foi nomeada como membro do culto católico romano
ultra-secreto e ultra-ortodoxo do Opus Dei. [160], [161] Vários membros do Opus Dei foram implicados no ritual de
abuso sexual infantil, tortura e assassinato. A justaposição da extrema piedade romana com tal mal extremo é
reveladora. Algo deu errado no rancho "rent-boy [xv]" ? A deboche fez no devoto adorador do diabo
debilitado? Talvez uma das vítimas aparentemente indefesas de repente se voltasse contra seu agressor em raiva
incontrolável e reprimida. Mais sobre o Opus Dei e o abuso ritual de crianças no Capítulo 30. À medida que tentamos
recuperar a consciência do controle secreto do Vaticano sobre o poder de

Helsinque para Hollywood, Dinamarca para DC, o Dragão de Roma está fazendo tentativas para cobrir suas pegadas
novamente. O presidente Donald Trump (treinado pelos jesuítas em Fordham e depois enviado para a "secular"
Universidade da Pensilvânia por sua pele de carneiro) selecionou o "Protestante" 10º Juiz do Tribunal de Circuito Neil
McGill Gorsuch como seu substituto. Gorsuch freqüenta a Igreja Episcopal de St. John em Boulder, Colorado - a
mesma paróquia da família de JonBenét Ramsey. St. John é pastoreado por uma mulher, "Reverendo" Susan
Springer. Ela é notavelmente esquerdista em seus ensinamentos - como é a grande maioria de todas as igrejas
episcopais. De fato, a Igreja Episcopal é tão próxima do catolicismo romano que é freqüentemente chamada de
brincadeira "Católica Lite". Entre os luciferianos, qualquer referência a "João" imediatamente chama a adoração
templária de João Batista como o "verdadeiro messias" em vez de Jesus Cristo, conhecido como "Johannismo". Um
jornalista judeu do Washington Post escreveu uma peça proeminente promovendo Gorsuch como "o primeiro
protestante da corte nos anos [162]" (ele foi, é claro, confirmado pelo Senado). O Washington Post é hoje o lar de
Martin "Marty" Baron, a força motriz por trás da exposição do Boston Globe sobre Spotlight Reportagem sobre o
abuso sexual católico naquela cidade. Foi sua primeira ação como Editor e ele saiu logo depois (quase como se
estivesse em uma missão para ressuscitar a credibilidade mumificada do Globo). Ele agora é um editor executivo no
Post. JonBenét Se alguma vez houve uma vítima óbvia da Simulação do Diabo, seria JonBenét Ramsey. O
comportamento obsessivo de seus pais, John Bennett e Patricia Ann "Patsy" Ramsey deixaram todos os sinais de
alerta. Glamorizar uma criança pequena no sex appeal adulto deve ser uma causa imediata para qualquer

JonBenét Ramsey, "pai" da Wikipedia, está sob investigação, mas John Bennet era um milionário que trabalhava
para a Lockheed Martin.

O fato de JonBenét ter sido garroteado e espancado até a morte no dia de Natal em 1996 deixou claro que os
autores tinham um motivo de emoção ligado diretamente à criança. Uma autópsia revelou que a vagina de JonBenét
havia sido danificada e limpa. [163] Ela foi até encontrada no porão da casa da família. Um grande júri de 1999 votou
para indiciar John e "Patsy" Ramsey como pais abusivos e acessórios para o brutal assassinato de sua menina de 6
anos de idade, mas o procurador do distrito, Alex Hunter, recusou. John Mark Karr, de 41 anos, foi preso em
Bangkok, na Tailândia, em 2006. Karr confessou o crime e as evidências rapidamente o afastaram. O que aconteceu
com JonBenét Ramsey continua "sem solução". Ou, talvez, uma descrição mais precisa seria "não
processada". Comportamento Criminoso Qual foi o "motivo" por trás da "pesquisa" de Alfred Kinsey? Não há outra
explicação para os "dados" em Comportamento Sexual na "Tabela 34" do Homem Humano do que o abuso sexual
infantil satânico.
Exemplos em Male incluem um "orgasmo" de um bebê de dois meses e 26 "orgasmos" de um menino de 4 anos em
24 horas. Mesmo que Kinsey e sua cabala criminosa alegassem (na época e agora) não terem participado
diretamente nem encorajado crimes contra crianças, o fato de que "orgasmos" eram "cronometrados com um
cronômetro" significa que os perpetradores estavam instruindo em abuso criminal de crianças, crianças pequenas. e
bebês. Eventualmente, eles divulgaram que também estavam envolvidos diretamente. Pomeroy afirmou: Kinsey
tentou me treinar para ajudar a entrevistar as crianças, mas descobri que não era bom nisso. Aliás, nenhum dos
outros membros da equipe teve mais sucesso nesse trabalho delicado, e Kinsey teve que fazer quase tudo
sozinho.56 ...

sexo mais perverso possível e legitima-lo como "ciência" para ser usado por outras elites desviantes. Kinsey foi o pior
deles e participou diretamente de atos criminosos. Kinsey disse ao Dr. Frank K. Shuttleworth, do Instituto de Bem-
Estar da Criança, da Universidade da Califórnia, em Berkeley, "que os estudantes da área tinham sido 'muito
prudentes' para fazer uma investigação real da contagem de espermatozóides em homens adolescentes". Pomeroy
afirmou que o próprio Kinsey coletou "algum material" no "primeiro ejaculado", mas "ele ainda não tinha nenhuma
contagem real" .59 O terceiro método de pesquisa empregado pela equipe de Kinsey implicava experimentos
genitais; observar, gravar e filmar não apenas adultos, mas crianças e bebês também. Essa técnica sustenta
principalmente o capítulo 5 do volume masculino e o capítulo 4 do volume feminino. Os dados sobre a resposta
sexual das crianças não puderam ser obtidos por meio de entrevistas, e os detalhes precisos sobre como os dados
foram obtidos podem nunca ser revelados completamente. Isso provavelmente exigirá uma pressão pública intensa
para forçar a divulgação completa. Como observado, no entanto, comentários sobre o processo surgiram
ocasionalmente dos membros da equipe do Kinsey Institute. Em Human Sexualities (1997), John Gagnon, um
associado do Kinsey Institute, reconhece a ilegalidade dos experimentos: Um observador menos neutro do que
Kinsey descreveria esses eventos como crimes sexuais, uma vez que envolviam contato sexual entre adultos e
crianças. Se esses observadores foram ou não "cientificamente treinados" [como Kinsey alegou] parece aconselhável
ter cautela ao interpretar suas descobertas.60 Gagnon não exigiu que os adultos que cometeram os "crimes sexuais"
fossem presos e processados, ou que o público fosse plenamente informado sobre o projeto medonho. ... Durante o
último meio século, enormes mudanças na lei, medicina, ciência e educação foram forjadas pelos dados de Kinsey.
[166] Novamente provando a existência da Simulação do Diabo, e que o ritual de abuso sexual infantil, tortura e
assassinato são fundamentais e sistêmicos, Kinsey e a educação foram forjadas pelos dados de Kinsey.
[166] Novamente provando a existência da Simulação do Diabo, e que o ritual de abuso sexual infantil, tortura e
assassinato são fundamentais e sistêmicos, Kinsey e a educação foram forjadas pelos dados de Kinsey.
[166] Novamente provando a existência da Simulação do Diabo, e que o ritual de abuso sexual infantil, tortura e
assassinato são fundamentais e sistêmicos, Kinsey

e seus subordinados criminosos cultivavam monstros por toda parte e depois os treinavam e encorajavam. Kinsey e
sua equipe também coletaram filmes de crianças envolvidas em atos sexuais, fato confirmado em 1981 pelo co-autor
de Kinsey, Paul Gebhard. Em uma carta para este autor, enquanto ele era diretor do Instituto Kinsey, Gebhard
declarou: Como a experimentação sexual com bebês e crianças humanos é ilegal, tivemos que depender de outras
fontes de dados. Alguns deles eram pais, em sua maioria formados em faculdades, que observavam seus filhos e
faziam anotações para nós. Alguns eram donos de escolas maternais ou professores. Outros eram homens
homossexuais interessados em crianças mais velhas, mas ainda pré-púberes. Um deles era um homem que tinha
numerosos contatos sexuais com bebês e crianças do sexo masculino e feminino e, sendo de natureza científica,
mantinha registros detalhados de cada encontro. Algumas dessas fontes acrescentaram às suas reportagens escritas
ou verbais fotografias e, em alguns casos, ao cinema ... As técnicas envolvidas [incluíram] contatos adulto-criança -
principalmente manual ou oral. [Enquanto "Esther", aparecendo no documentário britânico, afirmou:] Meu pai enviou
alguns questionários ... Acredito no Instituto Kinsey sobre o abuso sexual que ele estava fazendo em mim ... desde
1938, o que me faz cerca de quatro anos. anos de idade ... Eu sei que ele tinha uma ... câmera que ele usou ...
Houve uma vez em que eu lembro de uma câmera de filme estava rodando e ele disse, oh, não preste atenção nisso
... Você só poderia ser uma garotinha para entender que não poderia ser desfrutada. Isso foi a escravidão.36 [ênfase
no original]. Que a equipe de Kinsey permitiu, e possivelmente filmou e / ou participou, o abuso sexual de bebês e
crianças é confirmado por seus próprios escritos e relatórios. Os membros prontamente admitiram que,
metodologicamente, viam todos os seres humanos como meros animais e muitas vezes se vangloriavam de que não
reconheciam quaisquer restrições morais ou legais à sua pesquisa.

[167]

Quando Kinsey não conseguia encontrar crianças, ele se contentava com encontros homossexuais adultos em
qualquer lugar pobre que pudesse encontrar de mictórios de parada para descanso em "casas de chá". [168] Tudo foi
cuidadosamente apagado da propaganda que era sua imagem pública. Embora nem todos os homossexuais sejam
pedófilos, a homossexualidade (especialmente entre os homens) é uma porta de entrada para uma perversão sexual
mais extrema [xvi] e Kinsey encontrou seu estilo de vida e encontrou um terreno fértil para expandir suas conexões
pedófilas.

Movendo-se em círculos homossexuais, Kinsey provavelmente conheceu muitos desviantes sexuais educados
ansiosos para contar a ele sobre suas vidas sexuais. Pomeroy relatou que um de seus "observadores" tecnicamente
treinados era um homem que coletava dados detalhados sobre o orgasmo de até 800 crianças. Ele era "um graduado
da faculdade que tinha um cargo governamental responsável", 54 enquanto o atual diretor de Kinsey, John Bancroft,
descreveu eufemisticamente o mesmo homem como um "cientista idoso" .56 Kinsey, Pomeroy e Bancroft
reconhecem que Kinsey dirigiu pelo menos dois estupradores infantis em série - um advogado e o outro descrito
como um homem "universitário". [169] A sexualidade fora do padrão é o alvo fácil - e é por isso que é assunto de
excessiva emoção e hipérbole.

Ainda mais insidioso é o papel da pornografia. Mesmo as formas menos explícitas de pornografia - mídias que só
mostram nus - ainda geram a luxúria que logo se fixa em crianças. [170] Kinsey e seu "Instituto" não apenas teceram
suas "descobertas", mas cuidadosamente censuraram qualquer coisa negativa para encorajar os leitores a
acreditarem que não há efeitos prejudiciais das piores perversões sexuais. Com satisfação, Alfred Kinsey - o maligno
homossexual desviante do ódio contra as mulheres - criou essa armadilha para o belo sexo. Estupro, ciúme, doenças
venéreas, gravidez, nascimento fora do casamento e aborto são praticamente inexistentes nos dados de
Kinsey. Assim, Kinsey criou a possibilidade de uma sexualidade despreocupada e agressiva. Talvez o resultado mais
prejudicial a ser baseado nos dados fraudulentos de Kinsey tenha sido o mito de que as mulheres poderiam, e
deveriam, separar responsabilidade e compromisso de sexo e sexo da fertilidade e do parto. De maneira bastante
insensível, Kinsey afirmou ter considerado o abuso sexual de jovens garotas como inofensivo, alegando que as
mulheres adultas nunca foram traumatizadas por abuso sexual e incesto na infância. [171] Nos milhares de crimes de
abuso de crianças inspirados em Kinsey, Comportamento Sexual na Mulher Humana (publicado em 1953) observou
apenas um caso em que um homem adulto violando uma menina causou ferimentos graves e apenas "poucos casos"
de hemorragia interna que os leitores estão certos "não parece causar nenhum dano apreciável". [172] As crianças
foram redefinidas como "parceiros sexuais em potencial". [173] Kinsey estava ainda mais desesperado por
depravação em mulheres do que homens, apesar de sua prática de procurar prostitutas e presos para
"entrevistas". Muitos dos dados de Female foram fabricados em tecidos inteiros e termos como "legalmente casados"
foram eliminados. A inocência e a vulnerabilidade dos animais não foram negligenciadas. Eles também foram
vitimados e recomendados para exploração pelos "cientistas". A tentativa de Kinsey de normalizar a bestialidade
surgiu na educação sexual e na pornografia, incluindo a do co-autor de Kinsey, Wardell Pomeroy.

18 Isso dá uma perspectiva para as admissões desordenadas do colega de Kinsey, Dr. Clarence Tripp, durante sua
entrevista para o documentário "Kinsey Pedophiles", de agosto de 1998, em Yorkshire. Dr. Tripp, sexólogo e
psicólogo-autor de The Homosexual Matrix (1975), afirmou abertamente: "Se você sair e se masturbar com cachorros
- eu era muito bom nisso quando eu era menino - o cachorro vai te amar em pedaços porque o cachorro não tem
uma maneira eficiente de se masturbar. Ele ama o orgasmo tanto quanto qualquer outra pessoa, mas ele não pode
se auto-produzir. Agora você acabou de fazer isso uma vez ou duas. Os cães fazem várias coisas. Você tenta isso
em todos os cães da vizinhança ... Alguns cães sempre vão esperar ou tentar convencê-lo a fazer isso ... Outros cães
virão a qualquer humano e dirão, por favor, me tocam aqui de uma certa maneira. ] Autor do Instituto Kinsey,
psicólogo e "

Esse trecho da entrevista não foi transmitido, mas a documentação está no arquivo deste autor. Isso também fala do
caráter de "cientistas" empregados no "Instituto Kinsey". É instrutivo que, mesmo durante a feliz caçada da Segunda
Guerra Mundial (quando tanto pastores como cães pastores estavam envolvidos em outros lugares), a grande
maioria das crianças vítimas era de famílias não nucleares. Os sujeitos eram em grande parte de lares sem pai e não
convencionais, com alta incidência de experiência sexual precoce. [175] Essa demografia é verdadeira em toda a
simulação do diabo. A criança mais condenada em qualquer lugar é órfã aos cuidados da Igreja Católica. O segundo
mais é uma criança sendo promovida por pais que se auto-servem. Outro conceito completamente fabricado por
Kinsey é que cada gênero tem um "pico sexual" muito divergente do outro. Essa mentira (ou que "picos" são
divergentes ou até mesmo existem) ajudou a destruir o compromisso com o casamento quase tanto quanto a
pornografia. O abuso sexual e a exploração de uma criança exigem uma consciência marcada e uma vontade sem
alma, desesperadamente escravizada à luxúria. Essas enfermidades infectam um indivíduo em graus variados, mas
quando as propensões monstruosas aumentam acima do resto, ele é reconhecido e promovido na Simulação do
Diabo. Tal foi Rex King. King fora encontrado e cultivado pelo mentor de Kinsey, Robert Latou Dickinson. Dickinson
era um ginecologista inglês famoso por uma fixação em partes humanas privadas. Ele usou "exame médico" como
uma desculpa para tatear excessivamente e gravou volumes de desenhos detalhados de seu paciente. s anatomias -
geralmente sem a permissão ou a compreensão de suas atividades. [176] O fato de Dickinson ser um "ginecologista"
na Grã-Bretanha, ligado a King na América, que orientou Alfred Kinsey e entregou King a Kinsey, é mais uma prova
de que a Simulação do Diabo existe e que são crimes.

são sistêmicas, abrangendo idades, governos e continentes. Eles eram tão bons amigos que Kinsey conseguiu que
Dickinson fizesse uma palestra sobre sexo na Universidade de Indiana. [177] Dickinson não é o único desviante
sexual a se esconder no campo da ginecologia. É a única disciplina que deve ser fortemente ponderada em favor das
médicas, mas mesmo elas não estão imunes à tentação da traição criminosa da confiança do médico /
paciente. Como mais uma prova da natureza sistêmica do abuso infantil (um fato deixado sem solução por Judith
Reisman, a BBC ou qualquer outra fonte "mainstream"), o estuprador infantil serial Rex King era um representante do
governo dos Estados Unidos. King, como Kinsey, foi poupado da participação na Segunda Guerra Mundial. King usou
sua mobilidade e credenciais do governo para isolá-lo enquanto ele alvejava o lar sem pai depois de um lar sem pai
em um país em guerra. Sob o incentivo e a tutela de Dickinson e Kinsey, King violou centenas de crianças durante
décadas. Ele nunca foi acusado, preso ou até mesmo pego por alguém com o poder de fazê-lo. Harvard "sexólogo" e
membro da equipe de Kinsey (o que significa que ele havia sido sodomizado por Kinsey) Paul Henry Gebhard foi
entrevistado pela BBC e riu sobre as predações de King; "o sexo era o seu principal hobby na vida".

[178]

Gephard desculpou o psicopata sexual com "ele estava interessado em fazer sexo com homens, mulheres, crianças
e animais, e ele apenas estava curioso para ver o que aconteceria". Outro "pesquisador" de Kinsey (e parceiro
homossexual), Clarence Arthur Tripp, disse à BBC que a primeira experiência sexual de King foi a relação sexual
com sua avó. "Nos 38 membros de sua árvore genealógica ele fez sexo com quase todos eles", Tripp disse
alegremente à equipe do documentário. "Ele teve relações sexuais com centenas e centenas de homens e mulheres
de todas as idades imagináveis". Rex King era certamente o tipo de "cientistas" individuais bem ajustados que
treinariam e se fixariam em crianças sem pai no sudoeste da América.

Isso é exatamente o que aconteceu quando Tripp admitiu: "Minha memória é que excedeu as 600 [vítimas de
estupro, assalto e abuso] para meninos e meninas que ainda não chegaram à maturidade". Tripp foi enviado para
Kinsey da 20th Century Fox como um cinegrafista treinado. Ele se tornou o pornógrafo do Instituto. Mesmo que a
Simulação do Diabo tenha um estrangulamento contra policiais, juízes e funcionários do governo, ela não tem todos
eles e teme o poder combinado do povo. Como resultado, ao lidar com King, o Instituto Kinsey deu a ele os nomes de
código "Mr. X" ou "Mr. Green". Com arrogância em relação ao seu poder, Tripp se gabou para a BBC de que não
havia nada de errado em como eles haviam possibilitado King porque ele nunca havia sido preso. King era um bom
aluno de Dickinson e Kinsey e meticulosamente registrou todos os detalhes de seus crimes em revistas escritas à
mão. Kinsey não permitiria o mais remoto risco de que os periódicos caíssem nas mãos de um cidadão normal ou,
pior, de um oficial do governo que não estivesse na folha de pagamento de pedófilos. Em junho de 1944 (o auge da
guerra), Kinsey percorreu 1800 milhas de Indiana até o Arizona para levá-las à mão de seu monstro treinado. Eles
permanecem presos na Universidade de Indiana até hoje, sem a menor chance de serem confiscados por um
mandado da lei. Incentivado pela "ciência", King escreveu em seu diário, "experimentou com o bebê ...", ele
comentou sobre como o bebê reagiu a ser sexualmente torturado e violado. Kinsey continuou a estimular King a
novos níveis de atos hediondos, Escrevendo para ele em uma carta, "Eu parabenizo você pelo espírito de pesquisa
que o levou a coletar dados ao longo desses muitos anos." [179] O capítulo 5 de Male continha grandes partes do
diário de King; mas em vez de admiti-los como a "pesquisa encorajada" de um monstro em série, Kinsey os
apresentou como "prova científica de que as crianças eram sexuais desde o nascimento". Não havia nada de
"científico" nisso; Kinsey simplesmente regurgitou a versão distorcida do pedófilo de seus estupros de crianças,
crianças e até mesmo

bebês. As descrições de suas reações incluíam observações como "tensão extrema", "gemidos", "soluços",
"sacudidelas violentas de todo o corpo", "uma abundância de lágrimas, especialmente entre crianças mais novas" -
todos indicativos de tortura sádica do jovem. Até mesmo o simpático biógrafo James Jones admitiu: "o indivíduo em
questão, eu penso, prejudicou, de maneira séria, ah, um grande número de jovens." [180] Judith Reisman - através
de seu próprio acesso privilegiado ao inédito Yorkshire documentário - foi capaz de recontar outro clipe que não saiu
do recinto onde Jones concordou com "indignação cristã" à BBC: "Você acha certo que o Instituto Kinsey continue a
protegê-lo? O que é mais importante , confidencialidade ou essas crianças? " Jones respondeu: "Na minha cabeça
aquelas crianças", e continuou, eu não acho que o certo cristão está errado sobre isso. Eu acho que eles têm o
direito de serem indignados ... a ideologia política realmente não tem muito a ver com a reação das pessoas ao
abuso infantil. Contrariando a defesa do Instituto Kinsey de que as crianças não "reclamavam" do abuso, Jones
perguntou: Como eles sabiam que não se queixavam? A pessoa que estava processando essa informação é a
mesma pessoa que abusou deles. Parece-me que eles têm tanta credibilidade quanto um estuprador teria, dizendo
que a vítima desfrutou do estupro. De acordo com a orientação de Kinsey, King visou especificamente o mais novo
dos garotos desde bebês até crianças para "determinar" Kinsey. exatamente quando eles eram capazes de
"orgasmo". Isto foi regurgitado por Kinsey como dados "científicos" para "Tabela 31". A "Tabela 32" listou os detalhes
que Kinsey havia encorajado King a derrubar, como o tempo desses "orgasmos". O que as Tabelas 32 e 34 (os
chamados "orgasmos múltiplos" de crianças) mostraram

foi que King repetidamente atacou suas vítimas por um dia inteiro de tortura para Kinsey. No mínimo, 317 das
crianças mais jovens possíveis foram violadas, talvez até mais de 1.200. Vincent Nowlis comentou à BBC que as
crianças levadas ao "orgasmo" narradas "às frações [listadas em centésimos] de segundo" eram "uma página
absurda da ciência ... eu não sentia que ela tinha um lugar em uma ciência" científica ". livro". Lembre-se que Nowlis
era um membro da equipe disposto que só se esquivou de ser sodomizado por Kinsey. Em resposta, Clearance Tripp
disse à BBC: "... Nowlis foi prejudicado na infância com toda essa moralidade. E então ele teve essa esposa
moralista peculiar - eu estou subestimando - através de tudo isso soou para ele como puro pecado. "- o estupro de
bebês e crianças, isto é. Como Vincent Nowalis, sua esposa não era fã de participar de um encontro sexual "livre" no
trabalho, nem de ser violada pelo grande Alfred Kinsey - tudo necessário se Nowalis desejasse permanecer a bordo
do Instituto. Na época do documentário da BBC, o "sexólogo" Dr. John HJ Bancroft era diretor do "Instituto
Kinsey". Ser um homem de Cambridge com quatro nomes significa que, se ele faz uma declaração que é ridícula ou
sem sentido, é porque você não tem inteligência para entendê-lo. Bancroft disse à BBC que, de fato, considerou o
abuso infantil de Rex King uma "pesquisa" e que trair King para a polícia teria sido "imoralidade da mais alta
ordem". No mundo do Dr. John HJ Bancroft, branco é preto e preto é branco. Jonathan Gathorne-Hardy, biógrafo
amigável de Kinsey, disse à BBC que viu evidências de que "o Sr. Green" continuou a estuprar crianças por mais
uma década depois de conhecer Kinsey. Gathorne-Hardy saberia que, como biógrafo do Instituteapore, ele recebeu
acesso especial ao banco de dados de criminosos no fundo do campus da Universidade de Indiana. Judith Reisman
adicionou -

Jonathan Gathorne-Hardy, um recente biógrafo de Kinsey (Sexo a Medida de Todas as Coisas; Uma Vida de Alfred
C. Kinsey, Londres: Chatto & Winds, 1998), revela que o diretor do Kinsey Institute John Bancroft secretamente
permitiu que ele lesse e copie o pedófilo de Kinsey relatórios da equipe: [Kinsey] foi profundamente afetado por cinco
diretores de pedofilia que ... tinham ... relações amorosas com garotos adolescentes de doze ou treze anos. ... A
razão pela qual o Instituto Kinsey é tão cuidadoso ... é que ... eles têm ... evidências de comportamentos sexuais que
até agora são ilegais. ... Gathorne-Hardy examinou os registros de Rex King. Ele confirmou que King era de fato o
indivíduo que Wardell Pomeroy disse que estuprou pelo menos 800 bebês, crianças, parentes e estranhos: Oito ou
nove volumes datilografados [foram] digitados pela esposa de Kinsey ... antes de 1945, que era, você sabe , antes
que Kinsey admitisse [ele empregou King. King] continuou fazendo sexo com todo mundo até o fim ... muito depois
de Kinsey ter os diários. O material desse capítulo quase inteiramente veio dos periódicos de [King] que Kinsey
recebeu em 1944/45. Eu não quero colocar isso no filme. Eu li [os registros do rei], mas Bancroft não quer que eu
diga que os li. Bancroft diz que, se as pessoas souberem que eu as li, elas irão até ele e dirão: você deixou um
estudioso tê-las, e eu não farei isso. Então, o que eu tive a dizer em meu livro é que eu questionei de perto Bancroft e
Gebhard sobre o conteúdo dos diários, mas não os li. Na verdade, eu os li. Mas não posso dizer que os li. Jonathan
Gathorne-Hardy não tinha com o que se preocupar. Essa parte de sua entrevista também foi editada da final da BBC
"

Tripp: Quase sempre ... não há menção de suas pessoas observadoras. Mas ele fez. Ele queria ver tudo. Este é um
cientista prático ... ele teve que ver para realmente acreditar ... Ele cutucou, ele olhou para tudo. Ele muitas vezes
tinha que ter essas coisas fotografadas porque ele simplesmente não tinha tempo ... [Kinsey] estava no mercado para
tudo ... pessoas que estão em coisas especiais, adoram documentar isso. E parece que eles se anulam em um
calendário. [183] Isso também estava disponível apenas na cópia não editada dada à Dra. Judith Reisman. Mas Rex
King (representante do governo dos Estados Unidos) não foi o único estuprador infantil a ajudar Alfred Kinsey em sua
campanha pela anarquia sexual. O "Instituto" estava ligado a outro agressor de proporções monstruosas: Fritz von
Ballusek. Judith Reisman recontou - Graças ao documentário de Yorkshire, sabemos agora que "Mr. X" era Rex King,
e também sabemos o nome de pelo menos outro pedófilo-chave de Kinsey. Em um caso clássico de verdade sendo
mais estranha do que ficção, um dos experimentadores sexuais infantis de Kinsey era um Soldado da Tempestade
na Segunda Guerra Mundial. Pesquisadores da Yorkshire Television descobriram seu nome, fotografia, história e
registros do tribunal. Após a guerra, o Dr. Fritz von Balluseck tornou-se um advogado respeitado. Os investigadores
de Yorkshire haviam seguido as perguntas originais do autor sobre a associação de Kinsey com os nazistas e a
possibilidade de que algumas das crianças vítimas de abuso fossem obtidas da Segunda Guerra Mundial na
Alemanha e / ou na Rússia. Pelo menos um dos colaboradores sexuais de Kinsey era um nazista documentado, o
infame George Sylvester Viereck, um espião alemão condenado que trabalhara entre os corretores de energia de
Washington DC. David Brinkley em sua história do período, Washington Goes to War (Ballantine, 1988, p. 26)
escreveu que Viereck era "um dos ... mentores do gabinete de propaganda que a Alemanha estabeleceu aqui no
início da guerra". 184] Um fator extremamente importante que nem Yorkshire, nem a BBC nem Judith Reisman
notaram foi como a conexão com a espionagem mostra a mão do

Hierarquia luciferiana em Roma. A guerra entre estados-nação é completamente desnecessária e deve ser
cuidadosamente manipulada. A "inteligência" define o cenário (especialmente através de agentes duplos e triplos de
supostas agências de inteligência inimigas trabalhando juntas) e o tráfico ilegal de drogas, armas e seres humanos,
assegurando guerras e beneficiando-os. Exemplos incluem a cooperativa de inteligência nazista / soviética "Red
Orchestra" (Die Rote Kapelle) dirigida por agentes jesuítas como Martin Bormann. [185] Outra é a morte do general
George S. Patton; gravemente ferido por um assassino de OSS e o NKVD soviético foi enviado para seu hospital
para terminar o trabalho. [186] Patton estava em risco de descobrir como homens como Eisenhower, Bradley,
Churchill e o traidor católico-geral Walter Bedell "Beatle" Smith (a CIA) s primeiro Diretor) foram todos cúmplices no
desnecessário prolongamento da guerra. Veremos mais dessas conexões "perdidas" de Inteligência / Pedocracia no
Capítulo 13. Pesquisadores de Yorkshire voaram para Berlim (como fez este autor), entrevistando e vasculhando
arquivos antigos e reportagens da imprensa. Lá eles descobriram o Dr. Friedrich Karl Hugo Viktor von Balluseck, que
foi julgado em Berlim em 1957 por um assassinato sexual infantil. De acordo com Paul Gebhard, que assumiu o
cargo de diretor de prestígio do Instituto Kinsey da Universidade de Indiana, logo após a morte de Kinsey: [Kinsey]
escreveu-lhe perguntas na carta e eles mantiveram uma correspondência ... Polícia [procurando um assassino de
sexo] passou por suas posses ... encontrou sua correspondência com Kinsey. ... Eles têm a Interpol. ... O FBI
pressionou Kinsey para revelar o caraKinsey disse, absolutamente não. O pobre pedófilo teve sua reputação
destruída ... finalmente desistiu de nos corresponder. Como Kinsey, cientistas fascistas na Alemanha92 acreditavam
que tinham o direito de experimentar qualquer um. O Dr. von Balluseck93 foi um infrator incesto que estuprou e
sodomizou não apenas seus próprios descendentes, mas também crianças judias, polonesas e alemãs, de
aproximadamente 1927 a

1957. A imprensa alemã relatou a visita de Kinsey a Frankfort durante sua turnê mundial em 1956. Pouco mais está
disponível sobre a escala alemã, ou se Kinsey se reuniu com Balluseck, e não houve menção da visita de Kinsey a
Frankfort nos escritos aprovados sobre o europeu de Kinsey. viagens. [187] Juízes alemães, policiais e funcionários
do governo nacional eram tão corruptos quanto seus colegas americanos. As fraudes no Federal Bureau of
"Investigation" pediram educadamente à Kinsey e à Universidade de Indiana as evidências que mostravam que ele
havia colaborado e encorajado um estuprador infantil em série e um psicopata sádico. Tanto Kinsey quanto Indiana
U. resistiram corajosamente e recusaram os tímidos G-men. Não tente isso em casa, no entanto. Quando os agentes
federais estiverem prontos para ir atrás de você, eles o vigiarão sem o devido processo e enviarão um exército literal
de oficiais em armaduras camufladas, empunhando armas de assalto e montando veículos blindados para invadir sua
casa às 3 da manhã, matando seu cão antes você sabe mesmo o que bateu em você. Na Alemanha, depois de
décadas de estuprar e torturar crianças, o "doutor" von Ballusek se livrou da morte da menina, ele finalmente foi a
julgamento por abate. By the way, tudo isso abaixo também foi editado fora da exposição de Yorkshire tell-all. O
julgamento do Dr. von Balluseck pelo assassinato de Loiselotte Has, de 10 anos, que foi "encontrado ... nu e
estrangulado ... em um terreno baldio", foi amplamente coberto na Alemanha [xvii]. Foi "completamente sem
precedentes na história moral da era do pós-guerra" e von Balluseck foi descrito como "o mais importante pedófilo na
história criminal de Berlim". O colaborador de Kinsey, Balluseck, foi julgado pelo abuso de 50, ou "mais de 100" ou
"várias centenas" de crianças. Como observado, ele violou sexualmente crianças "nas últimas três décadas"
(Frankfurter Allgemeine Zeitung, 22 de maio de 1957). Notícias do papel de Kinsey no caso foram espalhadas pelas
manchetes dos maiores jornais da Alemanha.

O juiz Heinrich Berger "enfatizou repetidas vezes a importante função desempenhada pela imprensa em advertir o
público contra pedófilos como Balluseck, que aborda as crianças como entendendo amigos e ajudantes em sua
necessidade sexual" (Frankfurter Allgemeine Zeitung, 22 de maio de 1957). Apesar do papel chocante de Alfred
Kinsey no caso explosivo, a imprensa dos EUA manteve-se uniformemente silenciosa a respeito. Segundo o
departamento de pesquisa da Yorkshire Television, de 1942 a 1944, o Dr. von Balluseck era o Departamento de
Justiça do Distrito Kreishauptmina, o comandante da pequena cidade polonesa de Jedrzejow. Foi lá que ele alvejou
as crianças que ele agrediu sexualmente, alertando-as, segundo os relatos de notícias alemãs, que "é a câmara de
gás ou eu". A Enciclopédia Judaica94 relata que todos os judeus de Jedrejow acabaram nas câmaras de gás. Todos,
incluindo as crianças, estavam sob o controle do Dr. von Balluseck. É uma vergonha inexplicável porque Yorkshire e
a BBC devem se esforçar tanto para expor os "pedófilos de Kinsey" e depois deixar o melhor no chão da sala de
corte. Neste escrito, 60 anos depois de von Ballusek ter caminhado pelo assassinato de Loiselette Has, o Vaticano
ainda está mirando a Polônia para a perversão sexual. A Polônia forneceu a Roma servos devotos, como o assessor
de segurança nacional americano Zbigniew Brzezinski (o agente treinado pelos jesuítas que criou a Al Qaeda [189]) e
seu querido amigo Karol Józef Wojtyla. Apesar de seu papel em ajudar os nazistas a massacrar os judeus durante a
Segunda Guerra Mundial, [190] Karol Wojtyla recentemente canonizou o Papa São João Paulo II ... ou talvez por
causa disso. O Vaticano fez a "Jornada Mundial da Juventude" na Polônia, junho de 2017, o local para a inauguração
de seu programa "Youth Sex Education"; um que tem católicos conservadores bastante chateados. O programa foi
supervisionado pelo arcebispo Vincenzo Paglia. Não foi a primeira vez que Paglia foi o fomentador do
ultraje. Voltando à aristocracia medieval, o Paglia contratou um argentino homossexual chamado Ricardo Cinalli para
pintar um mural homo-erótico em sua catedral em 2007.

Ele mostra Jesus carregando redes para o céu, cheias de homossexuais nus e semi-nus, transexuais, prostitutas e
traficantes de drogas, misturados em interações eróticas. Cinalli disse ao jornal italiano La Repubblica em março de
2016 que o arcebispo supervisionou todos os detalhes do trabalho. "Não houve detalhes que foram feitos livremente,
ao acaso", disse ele. "Tudo foi analisado. Tudo foi discutido. Eles nunca permitiram que eu trabalhasse sozinho". Na
rede da direita, o que parecem ser crianças nuas e jovens podem ser vistas enredadas nos corpos de homens e
mulheres mais velhos ... Em um exemplo, um homem pode ser visto com a mão entre as pernas de outro macho
tateando seu órgão reprodutor. A imagem do Salvador é pintada com o rosto de um cabeleireiro local, e suas partes
íntimas podem ser vistas através de seu traje translúcido. Incluído em uma das redes está Paglia, o então bispo
diocesano. Vestindo seu boné de caveira, ele é retratado segurando outro homem semi-nu que o abraça
carinhosamente. Cinalli disse ao La Repubblica que as pessoas nuas nas redes deveriam ser "eróticas", embora ele
tenha dito que Paglia traçou o limite quando Cinalli propôs mostrar às pessoas copulando. ~ LifeSite [191] Paglia foi
escolhida a dedo pelo Papa Jesuíta Francisco (Jorge Bergoglio, também da Argentina) para ser Presidente da
Pontifícia Academia para a Vida e do Instituto do Papa São João Paulo II para Estudos sobre Casamento e
Família. Ele era "excepcionalmente qualificado". Quando ele veio a bordo, Paglia sumariamente demitiu todos os
membros [192] para que ele e seu papa jesuíta pudessem começar do zero, acrescentando tais parentes de família /
vida como pró-aborto, pró-eutanásia professor anglicano Nigel Biggar.

Introduziu um programa de educação sexual que espelha seus valores e o de seu superior - cortar o papel dos pais
como guardiões dos filhos e atrair as crianças para o caos sexual da Simulação do Diabo. O programa de educação
sexual, intitulado "O Ponto de Encontro: Curso de Educação Sexual Afetiva para Jovens", foi criticado por líderes
católicos da vida e da família por contornar os pais como os principais educadores de seus filhos e por seu conteúdo
imoral. O programa também foi criticado por não nomear e condenar comportamentos sexuais imorais, como
fornicação, prostituição, adultério, sexo contraceptivo, atividade homossexual e masturbação como ações
objetivamente pecaminosas que destroem a caridade no coração e afastam a pessoa de Deus. Além de usar
imagens sexualmente explícitas e sugestivas em pastas de trabalho de atividades, o programa recomendou vários
filmes sexualmente explícitos como trampolins para discussão. [194] Em 1957, a conexão entre von Ballusek e Alfred
Kinsey foi momentaneamente mencionada pela imprensa alemã repentinamente desperta (lembre-se, Kinsey foi
aceita como alvo pelo Vaticano). A imprensa alemã descreveu as primeiras tentativas de "encobrir" quem realmente
era Balluseck, incluindo os esforços para manter sua fotografia em segredo e a descrição do tribunal do influente
advogado como "vendedor de loja". E comentando os experimentos registrados em volumes encontrados na mesa de
von Balluseck, o juiz Berger exclamou: "Isso não é mais humano! Para que serve tudo isso? Contar a
Kinsey?" (Morgenpost, 16 de maio de 1957). Uma vez que a rede de Simulação do Diabo conectou Kinsey e von
Ballusek, o "cientista" fez tudo o que pôde para encorajar o sádico. Nem ele nem seus colaboradores da
Universidade de Indiana foram responsabilizados. Nem, aliás, era von Ballusek. "KINSEY ... PEDIU O PEDOPHILE
ESPECIFICAMENTE PARA O MATERIAL DE SUAS AÇÕES PERVERSAS"

A conexão com Kinsey, em relação à qual ele mostrou seus crimes, teve um efeito desastroso sobre [von Balluseck]
... [Em seus diários ele ficou preso nas cartas do pesquisador sexual, Kinsey em que ele " Foi incentivado a continuar
sua pesquisa. ... Ele também começou relacionamentos ... para expandir suas pesquisas. Um arrepio para pensar
nos comprimentos que ele foi. [TSP, 17 de maio de 1957, ênfase adicionada] De fato, a imprensa alemã informou que
o pós-Segunda Guerra Mundial von Balluseck atacou sexualmente sua própria filha e o filho de 11 anos de vigário e
forçou o menino a escrever os atos. para Kinsey. Kinsey perguntou ao pedófilo especificamente pelo material de suas
ações perversas. O juiz presidente, Dr. Berger, notou que era o dever de Kinsey conseguir que Balluseck fosse
trancado, em vez de se corresponder com ele. [Berliner Zeitung, 16 de maio de 1957] ... Nos diários, descritos como
volumes 1 e 4, ele descreveu com exatidão pedante como ele cometeu seus crimes. ... Balluseck teve contato
próximo com o chamado pesquisador sexual norte-americano, Kinsey, a quem ele repetidamente e explicitamente
relatou seus crimes perversos. Balluseck também descrevera aqueles em detalhes pedantes em seus
diários. [National-Zeitung, 15 de maio de 1957] Assim, Balluseck não estava apenas enviando a Kinsey seus antigos
dados de abuso infantil, registrados durante seus dias como comandante em Jedrzejow; ele também estava
procurando "continuar" e "expandir" sua sedução sexual de crianças para o uso de Kinsey. A assessoria de imprensa
da Universidade de Indiana envia regularmente artigos internacionais sobre a escola (especialmente aqueles que
contêm informações prejudiciais) à administração. Segundo Paul Gebhard, a Universidade e seu presidente, Herman
Wells estava ciente da colaboração de Kinsey com Balluseck. Kinsey se recusou a fornecer provas de que o FBI
sabia que ele tinha a respeito dos crimes de Balluseck. Depois de cumprir sua sentença por abuso sexual infantil (ele
não foi condenado

a acusação de assassinato), Balluseck continuou sua correspondência com Gebhard ... [196] Novamente, é incrível
como alguém pode "recusar" uma investigação federal sobre abuso infantil em série, mas não recomendamos que
você tente que o FBI venha "bater" às 3 da manhã. Embora Kinsey não se arrisque a supervisionar seu "pesquisador"
nazista durante a guerra. , ele pode muito bem ter tido algumas "mãos" depois como parte de sua "turnê mundial" de
1955. Judith Reisman admite que o foco central da turnê foi a Itália - Pomeroy dedica seis páginas às visitas de
Kinsey à França, Dinamarca, Noruega e Suécia, mas dez páginas só para sua viagem à Itália. [197] - mas não
menciona o fato de que a Itália é a nação anfitriã da religião mais poderosa da Terra. A Itália atraiu brevemente outro
sado-satanista sexual de igual infâmia; Edward Alexander "Aleister" Crowley. Crowley (1845-1947) chamou a si
mesmo de "a besta" e "o homem mais perverso do mundo". Um pagão / satanista, ele foi e continua sendo um dos
homens mais influentes do século XX. Imortalizado por propagandistas, ele foi cantado pelo vocalista do Black
Sabbath, Ozzy Osbourne, em seu segundo single "Mr. Crowley", lançado em 1980. Na música, a insinuação de
sacrifício infantil é inconfundível. Sr. Crowley, o que aconteceu na sua cabeça? Sr. Crowley, você falou com os
mortos Seu estilo de vida para mim parece tão trágico Com a emoção de tudo Você enganou todas as pessoas com
magia Você esperou no chamado de Satanás Sr. Encantador, você achou que era puro Sr. Alarmante,

Sim, eles espalharam o placimento ... Crowley assumiu o capítulo britânico de "Ordo Templi Orientis" - uma
sociedade secreta baseada em uma fusão dos Templários e os maçons. ... A OTO tem uma hierarquia de realização
por "graus", como fazem os maçons, mas na OTO existem apenas 12 graus. A ligação perversa a Roma é chocante
e inconfundível. Enquanto o sistema de iniciação da OTO é uma espécie de jogo de clube burocrático kafkiano, ele
tem uma associação religiosa sob sua obediência: A Igreja Católica Gnóstica - um dos grupos da OTO - pretende
"restaurar o cristianismo ao seu status real como fálico-solar". religião." ~ Koenig1471 O VI ° da OTO é o "Ilustre
Cavaleiro Templário da Ordem de Kadosch, Companheiro do Santo Graal" e um " que são percebidos como portais
interdimensionais ... ou o apartamento mais conveniente. Tudo isso foi catalogado na religião "Thelema" de Crowley
(que ele

puxado inteiramente de seu "olho de Horus" com a ajuda de seus amigos interdimensionais Aiwass, Choronzon e
Lam. ~ Illuminati Unmasked [198] Embora Judith Reisman não faça nenhuma destas conexões, observa que o
trabalho o mais sinistro de Crowley ocorreu no reclusão na ilha de Sicília em sua "abadia de Thelema". Lá ele
conseguiu que as mães fizessem sexo com seus filhos e depois as assassinaram como sacrifício de sangue.
[199] Outrage eventualmente expulsou Crowley de sua base italiana e ele morreu logo depois, em 1947. Uma
atividade sexual satânica e hedionda como essa era uma das principais prioridades para os "cientistas" de Kinsey,
mesmo sete anos depois. Kinsey foi pessoalmente escoltado em torno da "Abadia" pelo acólito e pornógrafo
homossexual de Crowley, Kenneth Wilbur Anglemyer. De acordo com Crowley "estudioso" e biógrafo [200] Marco
Pasi, Anglemyer deu a Kinsey algumas notas do diário de Crowley [201] sobre o sadismo sexual satânico - por
"ciência", é claro. Como Crowley, Anglemyer era um maçom inglês - um membro da "Ordem Hermética da Golden
Dawn" [202]. Como um "tecelão de sonhos" para a simulação do Diabo, Anglemyer era igualmente influente na
indústria do entretenimento. Para propaganda, ele renomeou a si mesmo como "Kenneth Anger", assim como o judeu
da corte papal e o palhaço príncipe do satanismo Howard Stanton Levey rebatizou-se de "Anton Szandor
LaVey". [202] Como um "tecelão de sonhos" para a simulação do diabo, Anglemyer foi tão influente na indústria do
entretenimento. Para propaganda, ele renomeou a si mesmo como "Kenneth Anger", assim como o judeu da corte
papal e o palhaço príncipe do satanismo Howard Stanton Levey rebatizou-se de "Anton Szandor LaVey". [202] Como
um "tecelão de sonhos" para a simulação do diabo, Anglemyer foi tão influente na indústria do entretenimento. Para
propaganda, ele renomeou a si mesmo como "Kenneth Anger", assim como o judeu da corte papal e o palhaço
príncipe do satanismo Howard Stanton Levey rebatizou-se de "Anton Szandor LaVey".

Kenneth Anglemyer, também conhecido como "Kenneth Anger", posa (à direita) com o doutor Alfred Kinsey (à
esquerda) dentro da "Abadia de Thelema", de Aleister Crowley, na Sicília.

Anglemyer, Levey e Crowley foram "inspiradores" para personalidades de alto nível de todos os tipos, de Martin
Scorsese a Mick Jagger. Ken era obcecado pela vida e magia de Crowley. Quando criança, Ken dançou com Shirley
Temple em competição depois que ela se tornou uma estrela infantil. ... Ken Anger fez o seu casting para o seu filme
"Lucifer Rising", dizendo amigos ocultos e conhecidos que eles poderiam viver suas fantasias deusas ou deus power-
trip, agindo por ele. A National Film Finance Corp., do governo britânico, liderou 15 mil libras para a produção de
Lucifer Rising. O famoso músico ocultista Jimmy Page fez a trilha sonora gratuitamente. ... ~ Springmeier [204] A
conexão entre Kenneth Anger e Shirley Temple irá chocá-lo em breve enquanto você lê o Capítulo 6. Networking the
Devil ' s Simulação Kinsey não só estava conectado à rede de pedofilia existente, mas fez tudo o que pôde para
expandi-la e adicionar novos membros-monstros. Esther White foi a receptora desses esforços.

Ela foi unida por abuso de seu pai e avô a partir de apenas 7 anos de idade. No auge do abuso, ela descobriu um
questionário de Kinsey com perguntas detalhadas sobre o que seu pai estava fazendo com ela e ela percebeu por
que ele cronometrou seu abuso com um relógio. Ela perguntou-lhe sobre o seu significado e ele explicou e disse que
ele tinha um "prazo" para atender; o que significa que Kinsey estava assegurando que tanto mal acontecesse o mais
rápido possível. White acredita que os horrores que ela experimentou foram parte da subsequente afirmação de
Kinsey em Comportamento Sexual na Humana, que as crianças podem gostar de ser estupradas. [205] Durante sua
entrevista com Yorkshire / BBC, Esther White (com mais de 70 anos) não pôde contar o que aconteceu com ela
quando criança, sem desabar em lágrimas. Narrador: "Em seus últimos anos, você está falando de carícias - você vai
colocar carícias e ataques de morte no mesmo grupo? Como Kinsey disse, por esse tipo de paranóia, você causa
mais dano à criança, pelo resto da vida, do que todos os pedófilos do mundo fariam. Não temos certeza de como
alguém é capaz de "orgasmos" de tempo em uma criança com "cócegas", mas é provavelmente algo que todos nós
devemos ser cautelosos agora. Yorkshire então cortou para Esther White -

[sufocado de emoção] Acho que pegar informações de pedófilos glorifica o abuso. Eles [Instituto Kinsey] me usaram
e usaram essas crianças - para uma mentira. Outro sócio homossexual de Kinsey e "cientista" Paul Gebhard se
gabou então a Yorkshire que os registros criminais encorajados e solicitados pelo "Instituto" estão registrados sob o
código e que a chave de código pode ser rapidamente destruída se houver qualquer ameaça de investigação
judicial. Se isso for feito para ser um desafio tático para homens bons que possam algum dia tentar conduzir o tão
esperado ataque à lei (invadir a Universidade de Indiana para proteger os códigos antes que eles sejam destruídos e
/ ou quebrar o código sem a chave, se necessário), Estamos certos de que isso não representa uma grande ameaça.

capítulo 5

Presa

1950: "Reverendo Padre" Lawrence C. Murphy começa um reinado de 25 anos de predação e terror em Milwaukee.

Ser um predador sexual exige que o perpetrador enterre ou destrua sua capacidade humana de empatia ou
compaixão. É um processo consciente que inclui muitas etapas predeterminadas e premeditadas. Não é, nem pode
ser, um simples "crime de paixão". Como guardiões da Simulação do Diabo, o clero católico romano é treinado,
cultivado e habilitado nesse estado monstruoso e inumano para mantê-lo e propagá-lo. O resultado desse
treinamento satânico significa que o clero católico está em posições únicas para gerar a confiança das crianças e de
suas famílias. Uma vez alcançados, eles abusam de todos eles sem misericórdia; como uma aranha-lobo, atraindo
sua presa para capturá-la e lentamente drenar a vida deles. Inconscientes da Simulação do Diabo, as vítimas
pensam erroneamente em seus porteiros romanos como homens ou mulheres "de Deus". Frequentemente, os
predadores cimentam a inversão satânica abusando deles durante um ato religioso como oração ou "confissão". Eles
muitas vezes roubam suas presas de seus corpos, suas vidas e até mesmo suas almas; vampiros em todos os
sentidos. Isso pode parecer um exagero extremo ou mesmo uma calúnia infundada, mas os infindáveis casos de
atrocidade dizem diferentes. [itálico suspenso] Steven Geier foi levado para a [Igreja Católica Romana] St. John's
(Escola para Surdos em Saint Francis, Wisconsin) aos oito anos de idade, depois que uma febre alta o deixou
surdo. Ele estava chorando enquanto seus pais partiam, e era o padre. Murphy, que ofereceu conforto então, apenas
para abusar dele mais tarde. O Sr. Geier também vampiros em todos os sentidos. Isso pode parecer um exagero
extremo ou mesmo uma calúnia infundada, mas os infindáveis casos de atrocidade dizem diferentes. [itálico
suspenso] Steven Geier foi levado para a [Igreja Católica Romana] St. John's (Escola para Surdos em Saint Francis,
Wisconsin) aos oito anos de idade, depois que uma febre alta o deixou surdo. Ele estava chorando enquanto seus
pais partiam, e era o padre. Murphy, que ofereceu conforto então, apenas para abusar dele mais tarde. O Sr. Geier
também vampiros em todos os sentidos. Isso pode parecer um exagero extremo ou mesmo uma calúnia infundada,
mas os infindáveis casos de atrocidade dizem diferentes. [itálico suspenso] Steven Geier foi levado para a [Igreja
Católica Romana] St. John's (Escola para Surdos em Saint Francis, Wisconsin) aos oito anos de idade, depois que
uma febre alta o deixou surdo. Ele estava chorando enquanto seus pais partiam, e era o padre. Murphy, que ofereceu
conforto então, apenas para abusar dele mais tarde. O Sr. Geier também só para abusar dele mais tarde. O Sr. Geier
também só para abusar dele mais tarde. O Sr. Geier também

testemunhou sobre uma dúzia de outros meninos sendo abusados. ... O padre Murphy era um pedófilo predatório,
cujos crimes eram ainda mais revoltantes pelo desamparo de suas vítimas. Os alunos da St. John's School, na
cidade de St. Francis, Wisconsin, eram surdos. Este era um internato, então não havia como fugir à noite do padre
desprezível que tinha poder sobre eles. ... ele era o único adulto com quem muitos podiam se comunicar. Eles não
receberam educação sexual, então não tinham como entender o que ele estava fazendo. Alguns podem ter pensado
que mereciam esse tratamento. ... Ele foi o mentor e guia espiritual de centenas de meninos vulneráveis e uma coisa
que aprenderam com ele é que existem alguns indivíduos repugnantes no mundo adulto que satisfazem seus
apetites desprezíveis sem pensar nos outros. ... "Murphy era tão poderoso e tão difícil" ele disse em uma entrevista
quatro décadas depois. "Você não podia sair. Era como uma prisão. Eu me senti tão confusa. Aqui eu tinha o Padre
Murphy me tocando. Eu ficaria tipo, 'Deus, o que é certo?'" "Foi uma coisa horrível", outra de suas ex-vítimas, Joe
Daniels disse. "Eu senti raiva e vergonha." O pequeno Arthur Budzinski se esconderia embaixo da cama, chorando,
quando chegasse a hora de voltar ao internato. Seus pais não sabiam o que estava errado ... Há uma fotografia
antiga de Arthur Budzinski tirada em 1962, quando ele tinha 13 anos, com 10 outros meninos surdos que
compunham o time de basquete da St. John's School. Padre Murphy está de pé ao lado deles em um longo vestido
clerical. Cinco dos 11 meninos foram agredidos sexualmente. Budzinski testemunhou um menino de sua idade, Pat
Cave, sendo abusado no dormitório. Eles se encontraram novamente, 42 anos depois. Até aquela reunião em 2004,
Pat Cave achava que ele era o único garoto a ter sofrido as atenções do padre. Na verdade, ele provavelmente não
era a única vítima em sua família. Ele tinha um irmão mais velho que também freqüentava St. John's, que era
frequentemente chamado à noite no escritório de Murphy por longos períodos. Os irmãos nunca discutiram o
porquê. Seu irmão morreu em um acidente de moto

aos 21 anos. Ninguém sabe exatamente quantos garotos sofreram nas mãos de Murphy nos 24 anos em que ele
dirigia a escola. Poderia ter sido até 200. A maioria não disse nada sobre isso por décadas, se é que o fez. James
Smith engarrafou durante tanto tempo que, quando começou a falar sobre isso, aos 62 anos, começou a tremer e a
chorar. Ele disse: "Eu estaria jogando beisebol, e os meninos viriam e diriam: 'Padre Murphy quer que você venha vê-
lo.' Eu me recusaria a ir, e logo fui arrastada para o escritório dele e molestada novamente. Nunca contei a ninguém.
Pensei que estava sozinha. " ... "[fui abusada] Durante a minha confissão com o Padre Murphy [várias vezes] ele
brincou com o meu pénis no quarto, na casa de banho, no escritório do Padre Murphy ... Durante o Verão, o
P. Murphy levou alguns meninos e eu para a sua cabana e no caminho eu era um passageiro e sentou-se perto do
padre. Murphy dirigindo enquanto tocava meu pênis na frente dos outros garotos ... Nos meus seis anos, sofri muito
com o padre. Murphy. "~ The Independent [206] Quando as vítimas e suas famílias finalmente forçaram as
abominações de Murphy a virem à luz, ele foi simplesmente removido de St. John's. Nenhuma investigação criminal.
Nenhum julgamento. Sem punição. O predador foi transferido para a presa novamente. As reações dos superiores de
Murphy eram tão criminosas quanto os abusos, mas ao invés de ser entregue às autoridades para encarceramento e
julgamento, Murphy foi enviado para a terapia e recebeu "restrições" que ele próprio era responsável por manter. a
Arquidiocese de Milwaukee, disse que o padre Murphy foi colocado sob certas restrições ao deixar Milwaukee, que
incluía não ter qualquer contato com crianças e que "ele ignorou as restrições". Wolf acrescentou: "Com o tempo,
eles tentaram lidar com ele, mas com o tempo
eles não foram bem-sucedidos. ”~ NY Times [207] Vindo da riqueza, a família de Murphy possuía uma bela casa de
campo em Northwoods, Wisconsin. Tendo sido tirada de St. John's, Murphy não tinha mais uma piscina de vítimas O
padre predador usou a casa como uma armadilha de mel para atrair sua nova rodada de garotinhos.Kathy Lyn
Walter, uma assistente social e especialista em distúrbios sexuais que foi contratada pela arquidiocese para
entrevistar o Padre Murphy em 1993 ... disse que lhes ofereceu o que parecia ser um alívio à beira-mar em suas
vidas nos dormitórios, com passeios de canoa, piqueniques e churrascos.

[208]

Infelizmente para essas novas vítimas, as sessões de terapia e "auto-propaganda" impostas a Murphy por seus
superiores tiveram tanto efeito quanto exigir que um tigre perdesse suas listras - que era exatamente o que os
porteiros da Simulação do Diabo pretendiam. De fato, em torno de Boulder Junction, em aulas religiosas de ensino
médio e preparação para o sacramento da confirmação, em sua casa de campo e excursões de pesca, o Padre
Murphy interagiu livremente com crianças até sua morte em 1998, nunca tendo sido punido pela igreja ou local.
autoridades criminais em Milwaukee, de acordo com documentos e entrevistas com pessoas na área. Donald
Marshall, que tem 45 anos e mora em West Allis, Wisconsin, disse em uma entrevista na semana passada que foi
molestado pelo padre Murphy em 1977 ou 1978, quando tinha 13 ou 14 anos. alguns anos depois de o padre Murphy
ter sido enviado para morar em Boulder Junction. O Sr. Marshall havia sido enviado para o centro de detenção
juvenil, a Escola para Meninos de Lincoln Hills, por arrombamentos que ele disse ter cometido. Ele disse que o padre
Murphy às vezes servia na escola como capelão, e encontrou o padre em uma mesa da sala de jantar certa
noite. Quando ele entrou em uma briga com alguns outros presos, disse Marshall, ele foi enviado para uma "cabana
de segurança" e colocou uma célula sozinha, atrás de uma sólida porta de aço com uma janela alta.

O Sr. Marshall disse que o padre Murphy o visitou lá, que eles se sentaram na cama conversando e que o padre
tentou colocar a mão na calça do menino. Marshall disse que resistiu, e assim que o padre Murphy deixou a cela, o
adolescente disse a um oficial de segurança, que ligou para o superintendente do centro. O superintendente o
entrevistou duas vezes para garantir que ele não mudasse sua história. [209] As predações insaciáveis de Murphy
deixaram um rastro de corpos, mentes e espíritos despedaçados. O Sr. [Donald] Marshall disse que anos depois,
após problemas com alcoolismo e raiva, e depois de cumprir oito anos na prisão por dirigir embriagado, ele contatou
a Arquidiocese de Milwaukee pedindo ajuda na forma de terapia, que ele disse ele nunca recebeu. Mais uma vez,
provando que ele fazia parte de uma empresa criminosa sistemática e premeditada, Murphy cooptou garotos mais
velhos para atrair, preparar e treinar os garotos mais novos. [211] São táticas conhecidas tanto pelas vítimas como
pelas "forças da lei". Mais uma prova de que uma rede de pedofilia dirige a Simulação do Diabo (e não a propaganda
de que meros indivíduos surgem por acaso para cometer atos hediondos) é encontrada na seleção das
vítimas. Quem sofre nas mãos dos poderosos é ditado por uma fórmula; As crianças sem responsáveis são a fonte
primária e as crianças com deficiências, como a incapacidade de ouvir ou falar, são as preferidas. Em junho de 1960,
o padre Neil Gallanagh foi preso depois que ele agrediu sexualmente um menino de nove anos durante uma viagem
de um dia à Ilha de Man. Uma vez que seus superiores britânicos perceberam que tinham um monstro que atacava
crianças, eles usaram seus agentes na aplicação da lei para garantir que ele ficasse fora da prisão, depois o levaram
para campos de caça mais férteis; como capelão em uma casa para crianças deficientes. Foi trazido à luz bem
depois que o estuprador se satisfez, quando estava aposentado e tinha mais de 75 anos. A Igreja Católica Romana
encobriu o passado criminoso de um

Padre pedófilo e deu-lhe um emprego em uma escola para crianças surdas, onde ele passou a agredir sexualmente
garotos vulneráveis, uma investigação do Observador pode revelar. A igreja está agora enfrentando uma
reivindicação maciça de compensação das vítimas do padre, o padre Neil Gallanagh, que acusam as autoridades de
"negligência intencional". Ativistas de abuso infantil estão pedindo uma investigação pública sobre o caso, que,
segundo eles, levou a um "reinado de terror sexual" para alguns garotos da escola. ... Os ataques ocorreram
enquanto Gallanagh era um capelão residente em St. John's durante os anos setenta. Muitos dos alunos desta
escola residencial eram surdos e mudos. As vítimas estão agora com mais de quarenta anos e os assaltos vieram à
tona apenas recentemente, depois que uma suposta vítima falou com seu médico e outro compareceu a uma reunião
e conversou com outros alunos. O Observer obteve evidências mostrando que Gallanagh recebeu o emprego da
igreja católica em St. John's, apesar de ter sido pego abusando de crianças como padre mais de uma década antes,
enquanto trabalhava na igreja de Craigbane, em Derry, Irlanda do Norte. Descobriu-se que, enquanto ele estava em
um dia de viagem à Ilha de Man em junho de 1960, ele agrediu sexualmente um menino de nove anos de idade. Um
relatório do Isle of Man Daily Times em 27 de junho de 1960 descreveu como Gallanagh se sentou com a "cabeça
arqueada presa às suas mãos" no banco dos réus no Douglas Court House depois que ele foi preso. ... Gallanagh
não foi preso, mas multado em £ 30 depois que prometeu procurar tratamento médico. Um breve relato de sua prisão
apareceu no Belfast Telegraph. Parece que em vez de lançar Gallanagh - que era parente do então bispo de Derry,
Neil Farren - fora da igreja, ele foi transferido para Leeds e autorizado a continuar pregando. O então bispo de Leeds,
William Wheeler, fez dele capelão residente na Escola St. John's para Surdos, em 1974. A condenação anterior de
Gallanagh não foi revelada ao tribunal no caso de 2005 e suas vítimas em St. John não tinham conhecimento de sua
história. até que o The Observer descobriu os primeiros comunicados da imprensa ele foi transferido para Leeds e
autorizado a continuar pregando. O então bispo de Leeds, William Wheeler, fez dele capelão residente na Escola St.
John's para Surdos, em 1974. A condenação anterior de Gallanagh não foi revelada ao tribunal no caso de 2005 e
suas vítimas em St. John não tinham conhecimento de sua história. até que o The Observer descobriu os primeiros
comunicados da imprensa ele foi transferido para Leeds e autorizado a continuar pregando. O então bispo de Leeds,
William Wheeler, fez dele capelão residente na Escola St. John's para Surdos, em 1974. A condenação anterior de
Gallanagh não foi revelada ao tribunal no caso de 2005 e suas vítimas em St. John não tinham conhecimento de sua
história. até que o The Observer descobriu os primeiros comunicados da imprensa

de arquivos de jornais. ~ The Observer [212] Mesmo depois que a "pregação" de Gallanagh diminuiu, à medida que
as vítimas puderam se apresentar, elas foram mitigadas e ele continuou a ser protegido. No ano passado, Gallanagh,
75, se declarou culpado de agredir indecentemente dois alunos da Escola Católica Romana para Surdos em
Wetherby, West Yorkshire. A escola estava sob o controle da diocese de Leeds, que empregava Gallanagh. Outras
11 acusações contra ele de agredir indecentemente outros cinco rapazes com menos de 16 anos, incluindo um
adolescente de 11 anos, foram arquivados. [213] A verdade óbvia finalmente se deu conta de um dos homens que foi
violentado por Gallanagh quando menino. Pelo menos para Roma, a capa de ser "cristão" teve o efeito negativo
desejado (com a ajuda de seus agentes na mídia). Uma de suas vítimas em St. John ' s expressou sua indignação
com as últimas divulgações. "Eu sou mais do que lívida e me sinto totalmente decepcionada por uma organização
cristã. Como a igreja permitiu que isso acontecesse? Como poderiam ter colocado um pedófilo em uma escola para
crianças surdas que não conseguiam falar? Esse homem arruinou tudo." a vida de muitas pessoas, inclusive a minha.
No mínimo, a igreja é culpada de negligência intencional; na pior das hipóteses, é algo inimaginável ", disse ele.
[214] "Inimaginável" de fato. Se ele soubesse a extensão total da rede, isso incluiria as autoridades governamentais
"seculares" que juraram protegê-lo de tais abominações. ... grupo de campanha de abuso ... Sobreviventes de Fênix
... ficou indignado com o fato de que, mesmo depois de seus últimos crimes, Gallanagh recebeu apenas uma
sentença suspensa de seis meses e uma multa de 1.500 libras. O juiz Norman Jones disse que a idade de
Gallanagh, saúde recente e bom caráter nos últimos 30 anos significavam que a prisão era inadequada. [215] Para
adicionar insulto aos feridos das vítimas, quando forçado a falar publicamente sobre as predações pedófilas do padre
Neil Gallanagh, o Vaticano se recusou a "laicizar" o estuprador infantil e manteve-o no papel de consagrado.

clero. O "escândalo" ocorreu em 2010 durante o papado do ex-cadete da Juventude Nazista [216] Joseph Ratzinger,
também conhecido como "Papa Bento XVI". Durante seu mandato como Prefeito da Congregação para a Doutrina da
Fé, foi revelado que seu cargo tinha uma "abordagem branda" [217] para lidar com clérigos pedófilos como Gallanagh
e Oakland, paróquia da Califórnia. padre padre Stephen Kiesle. O "reinado de terror" de Kiesle espelha o de
Gallanagh (e de centenas, talvez milhares de outros clérigos pedófilos). Mesmo em seus dias de seminário no início
dos anos 1970, havia perguntas sobre o padre Stephen Kiesle, da Califórnia: colegas disseram que ele tinha
problemas relacionados a adultos, carecia de espiritualidade e não parecia comprometido com nada além do
ministério de jovens. Esses colegas, Quem ajudou a fazer o caso ao Vaticano em 1981, tentando deixá-lo sair do
sacerdócio, disse que eles estavam preocupados antes de Kiesle ser ordenado, e mais ainda depois das revelações
que Kiesle havia molestado crianças em sua paróquia. "Ele não cresceu. Ele passou mais tempo com as crianças do
que com pessoas de sua idade. Você suspeita disso. Há algo errado lá", disse John Cummins, ex-bispo da Diocese
de Oakland, agora aposentado. Ainda assim, o futuro papa Bento XVI resistiu aos pedidos da diocese para atuar no
caso, de acordo com uma carta de 1985 em latim obtida pela Associated Press que tinha a assinatura do então
cardeal Joseph Ratzinger. ~ CBS News [218] A carta que nem a CBS nem a AP sentiam a necessidade de
compartilhar com seu público, cuidadosamente escrita em latim para minimizar o número daqueles que poderiam
estar a par disso, afirmou que, ao considerar a "laicização" de monstros como Gallanagh e Kiesle, o "bem da Igreja
universal" precisava ser considerado. [219] Só se pode supor que o "bem da Igreja universal" seja considerado pela
mais Reverenda Excelência [220] Joseph Cardinal Ratzinger,

Superior-Geral da Inquisição, era para garantir que os monstros violadores de crianças fossem mantidos em
circulação, tanto quanto estava em seu poder de realizar. Felizmente para "a Igreja" há muitos agentes da Simulação
do Diabo que não usam cassetes negros - juízes e policiais, por exemplo - que podem ajudar os inquisidores como
Joseph Ratzinger em sua agenda a manter estupradores de crianças em série entre suas presas ( seus filhos). Kiesle
foi condenado em 1978 a três anos de liberdade condicional depois de ter feito um pedido de não comparência às
acusações de conduta indecente relacionada a amarrar e molestar dois garotos em uma reitoria da igreja da Baía de
São Francisco. ~ Telegraph [221] Compreendendo que as crianças deficientes fazem as vítimas mais fáceis, a Igreja
Católica tem escolas especiais para atrair a presa para a posição. Essa afirmação pode parecer uma hipérbole
inflamatória, mas o fato de todo o cenário se repetir repetidamente torna isso chocantemente exato. O exemplo mais
recente ocorreu no Instituto Padre Antonio Provolo para Surdos, em Verona, Itália. ... uma escola notória para surdos,
onde se acredita que centenas de crianças foram agredidas sexualmente ao longo dos anos por duas dúzias de
padres e irmãos religiosos. ~ Catholic Herald [222] Quando um monstro subiu acima do resto - Padre Nicola Corradi -
ele foi transferido para o Instituto Provolo irmã em Lujan de Cuyo, Argentina (o país natal do Papa Francisco). Lá ele
continuou a estuprar crianças que eram incapazes de interagir com o mundo exterior: prisioneiros em um pesadelo
interminável. Eles nem sequer foram capazes de ouvir seus agressores entrarem na sala. Como animais vorazes, os
padres e freiras atacavam as crianças nos banheiros, nos confessionários, em seus dormitórios, até mesmo na
capela (talvez, propositalmente em ritual para a Simulação do Diabo). De fato, a "Virgem Maria" (Semiramis / Isis /
Cybele / Columbia) ficou de olho no abuso. A escola tem "uma pequena capela com uma imagem da Virgem e
algumas cadeiras onde as crianças se confessariam e receberiam a comunhão.

As crianças de outras regiões da Argentina que viviam nos dormitórios eram especialmente vulneráveis e muitas
vezes visadas pelos agressores. Os contos são angustiantes: uma das vítimas contou à AP que ela testemunhou
como uma garota foi estuprada por um padre enquanto a outra a forçou a fazer sexo oral com ele. ~ Fox News [227]
Provando novamente que as vítimas não tinham onde se esconder; um de seus principais torturadores era uma freira
do Japão - a irmã Kosaka Kumiko. Sua nacionalidade provavelmente tornou mais fácil para ela permitir o abuso e a
exploração de crianças argentinas. Mas, para realmente punir um povo, você precisa de um fantoche com poucas
conexões com ele. Herodes, que não pensaria em matar todos os garotos de Belém de 2 anos para recém-nascidos,
não era judeu, era edomita.96 Napoleão Bonaparte não era francês, era da Córsega.957 Adolf Hitler não era
Teutônico,

certidão de nascimento. ~ Illuminati Unmasked [228] Irmã Kumiko desliza facilmente para a lista acima. Kosaka
Kumiko, 42 anos, foi acusado de ajudar os padres com estupros anais e vaginais, carícias e sexo oral, que foram
cometidos nos banheiros, dormitórios, jardins e um porão na escola em Lujan de Cuyo, uma cidade a cerca de 620
milhas a noroeste. de Buenos Aires. O caso contra Kumiko começou depois que uma ex-aluna a acusou de fazê-la
usar uma fralda para encobrir uma hemorragia depois que ela foi supostamente estuprada pelo padre Horacio
Corbacho. ... A freira, que tem cidadania argentina, também foi acusada de abusar fisicamente dos estudantes - cujos
tormentos só podiam ser ouvidos por aqueles que os abusavam desde que as outras crianças eram surdas - no
Instituto Antonio Provolo para crianças com deficiências auditivas. no noroeste da província de Mendoza. ~ AP [229]
A Argentina é um terreno fértil para as atrocidades romanas. Antes de ser eleito papa, o padre jesuíta Jorge Mario
Bergoglio era um dos homens mais poderosos da Argentina: Superior Provincial jesuíta da Argentina (1973-1979)
Bispo Auxiliar de Buenos Aires (1992-1997) Bispo Titular de Auca (1992-1997) Arcebispo de Buenos Aires (1998-
2013) Cardeal-Sacerdote de San Roberto Bellarmino (2001-2013) Ordinário do Ordinariato para os Fiéis dos Ritos
Orientais na Argentina (1998-2013) Presidente da Conferência Episcopal Argentina (2005-2011) Jorge Bergoglio
pode alegar não ter conhecimento dos crimes hediondos do seu clero, mas as vítimas sabem diferente. As famílias
das vítimas afirmam que o Vaticano sabia sobre [abuso no O padre jesuíta Jorge Mario Bergoglio foi um dos homens
mais poderosos da Argentina: Superior Provincial Jesuíta da Argentina (19731979) Bispo Auxiliar de Buenos Aires
(1992-1997) Bispo Titular de Auca (1992-1997) Arcebispo de Buenos Aires (1998-2013) Cardeal-Sacerdote de San
Roberto Bellarmino (20012013) Ordinário do Ordinariato para os Fiéis dos Ritos Orientais na Argentina (1998-2013)
Presidente da Conferência Episcopal Argentina (2005-2011) Jorge Bergoglio pode alegar não ter conhecimento dos
crimes hediondos de seu clero, mas as vítimas sabem diferente. As famílias das vítimas afirmam que o Vaticano
sabia sobre [abuso no O padre jesuíta Jorge Mario Bergoglio foi um dos homens mais poderosos da Argentina:
Superior Provincial Jesuíta da Argentina (19731979) Bispo Auxiliar de Buenos Aires (1992-1997) Bispo Titular de
Auca (1992-1997) Arcebispo de Buenos Aires (1998-2013) Cardeal-Sacerdote de San Roberto Bellarmino
(20012013) Ordinário do Ordinariato para os Fiéis dos Ritos Orientais na Argentina (1998-2013) Presidente da
Conferência Episcopal Argentina (2005-2011) Jorge Bergoglio pode alegar não ter conhecimento dos crimes
hediondos de seu clero, mas as vítimas sabem diferente. As famílias das vítimas afirmam que o Vaticano sabia sobre
[abuso no Superior Provincial Jesuíta da Argentina (19731979) Bispo Auxiliar de Buenos Aires (1992-1997) Bispo
Titular de Auca (1992-1997) Arcebispo de Buenos Aires (1998-2013) Cardeal-Sacerdote de San Roberto Bellarmino
(20012013) Ordinário do Ordinariato para os Fiéis do Oriente Ritos na Argentina (1998-2013) Presidente da
Conferência Episcopal Argentina (2005-2011) Jorge Bergoglio pode alegar não ter conhecimento dos crimes
hediondos de seu clero, mas as vítimas sabem diferente. As famílias das vítimas afirmam que o Vaticano sabia sobre
[abuso no Superior Provincial Jesuíta da Argentina (19731979) Bispo Auxiliar de Buenos Aires (1992-1997) Bispo
Titular de Auca (1992-1997) Arcebispo de Buenos Aires (1998-2013) Cardeal-Sacerdote de San Roberto Bellarmino
(20012013) Ordinário do Ordinariato para os Fiéis do Oriente Ritos na Argentina (1998-2013) Presidente da
Conferência Episcopal Argentina (2005-2011) Jorge Bergoglio pode alegar não ter conhecimento dos crimes
hediondos de seu clero, mas as vítimas sabem diferente. As famílias das vítimas afirmam que o Vaticano sabia sobre
[abuso no
Instituto Provolo, em geral, e os ultrajes de Nicola Corradi, em específico] desde pelo menos 2009, quando ele foi
publicamente acusado de abusar de estudantes no Instituto Provolo em Verona, Itália, onde trabalhava. Alegam que
nada foi feito nem mais tarde em 2014, quando disseram ao Papa Francisco em uma carta que Corradi estava
morando em sua terra natal, a Argentina. ~ Fox News [230] Não havia razão para que Bergoglio reagisse; ele tinha
autoridade suprema sobre a "realocação" de Corradi. Membros da associação Provolo se reuniram com o papa no
ano passado e pediram uma comissão independente para investigar. O grupo Provolo forneceu à AP a carta do
Vaticano datada de 5 de fevereiro de 2016, na qual o Vaticano disse que encaminhou o pedido para a conferência
dos bispos italianos, dizendo que eles deveriam investigar. "A partir de agora, As alegrias da infância são privadas
das vítimas do abuso sexual do clero pelo egoísmo dos adultos. Apesar de sua popularidade global, a realidade é
que Francis é tudo conversa e nenhuma ação quando se lida com abuso sexual infantil clerical. Não
surpreendentemente, como o romancista VS Naipaul observou sobre os argentinos, "é o argentino

Quem poderia esquecer a agora familiar fúria de Francisco contra os fiéis católicos de Osorno Chile, que imploraram
ao papa que não elevasse um bispo que supostamente protegera um serial predador infantil? Francis ignorou e
suprimiu suas preocupações como "estúpidas". Quem poderia esquecer a nomeação pessoal do Papa para o Sínodo
sobre a Família do Cardeal Danneels, o renomado prelado belga que protegia os clérigos predadores? Não se
esqueça da vítima de abuso infantil Peter Saunders, que serviu na comissão papal de proteção à criança e foi
forçada a tirar uma licença por criticar as decisões do papa sobre abusadores sexuais clericais. [232] Acorde, Francis
fawners, sua misericórdia O meme soa oco e vazio, como esperança e mudança. ~ [Católica] Remanescente [233]
De volta a Milwaukee, depois de décadas de estuprar meninos, ao se aproximar da morte na velhice, os superiores
norte-americanos do padre Lawrence C. Murphy finalmente tentaram alguma forma de ação impotente e até mesmo
isso foi frustrado pelo Vaticano. Nos dois anos antes da morte do padre Murphy, os bispos de Milwaukee e do
Superior tentaram que ele fosse desterrado, mas foram dissuadidos por autoridades do Vaticano que receberam uma
carta do padre Murphy pedindo indulgência. O Vaticano disse que o padre Murphy havia mostrado "aparente boa
conduta" nos 24 anos desde que ele havia sido removido de St. John e Os bispos em Milwaukee e Superior tentaram
mandá-lo embora, mas foram dissuadidos por funcionários do Vaticano que receberam uma carta do padre Murphy
pedindo clemência. O Vaticano disse que o padre Murphy havia mostrado "aparente boa conduta" nos 24 anos desde
que ele havia sido removido de St. John e Os bispos em Milwaukee e Superior tentaram mandá-lo embora, mas
foram dissuadidos por funcionários do Vaticano que receberam uma carta do padre Murphy pedindo clemência. O
Vaticano disse que o padre Murphy havia mostrado "aparente boa conduta" nos 24 anos desde que ele havia sido
removido de St. John e

enviado para Boulder Junction. ~ The New York Times [234] Mais uma vez, é a colaboração da autoridade
governamental secular que choca as sensibilidades mais. Eles também são membros secretos da Simulação do
Diabo, sem o conhecimento dos cidadãos que são pagos e jurados proteger. As vítimas em Milwaukee e São
Francisco dizem que a polícia ignorou seus relatos dos contatos sexuais do padre. Eles também foram ao escritório
do promotor público em Milwaukee. E. Michael McCann, então procurador do distrito, disse na semana passada que
seu escritório não havia perseguido as acusações porque elas estavam além do estatuto de limitações do estado. As
vítimas e seus defensores lembram de forma diferente, dizendo que uma vítima era então uma estudante na escola e
estava sendo abusada - o que estaria bem dentro do estatuto. Sr.. McCann disse que seu escritório estava sob
escrutínio no caso Murphy de que seria impossível para eles não seguirem um caso ativo de abuso. Mas uma vez
que o padre Murphy se mudou para Boulder Junction, as autoridades locais disseram que não estavam cientes de
nenhuma queixa. "Nosso departamento nunca conduziu investigações criminais", disse o subchefe Joe Fath, do
Departamento de Polícia do Condado de Vilas. "Nunca houve alegações de qualquer coisa ocorrendo no condado de
Vilas em seu local de trabalho ou residência." O padre Murphy sempre viveu livremente. ~ The New York Times [235]
Aqueles que permitem a Simulação do Diabo - a repetida e até ritualizada contaminação e vitimização dos inocentes
e vulneráveis - avançam em poder e prestígio. As indignações no Instituto Provolo remetem a Murphy

Só agora - um ano após o caso italiano se tornar público - o Vaticano está dirigindo a diocese para entrevistar as
vítimas para ouvir seu testemunho sobre as acusações, informou a Associated Press na quinta-feira. Os dois casos
são os mais recentes em um crescente escândalo de abuso em ambos os lados do Atlântico ... O escritório
encarregado de disciplinar o clero foi liderado pelo cardeal Joseph Ratzinger, agora Papa Bento XVI, e um processo
da igreja no caso de Wisconsin foi interrompido após um apelo a Ratzinger. O Vaticano defendeu fortemente Bento
XVI na quinta-feira e denunciou o que disse ser uma campanha conjunta para difamar ele e seus assessores por um
problema que Roma insiste que não é exclusivo da Igreja Católica. As ações de Bento XVI foram marcadas por
"transparência,

O bispo de Verona, monsenhor Giuseppe Zenti, inicialmente acusou os ex-alunos de mentir. No entanto, depois que
um dos acusados leigos homens religiosos admitiram relações sexuais com os alunos, o bispo ordenou uma
investigação interna. Encontrou algum abuso ocorrido, embora uma fração do que foi alegado. Os defensores das
vítimas, no entanto, disseram que a investigação da diocese foi fatalmente falha porque ninguém entrevistou os ex-
alunos. No verão passado, a diocese encaminhou seus arquivos para o escritório do Vaticano que processa crimes
sexuais pelo clero, a Congregação para a Doutrina da Fé. Foi dirigido durante anos por Ratzinger, que emitiu uma
diretriz de 2001 que exige que os bispos denunciem suspeitas de casos de abusos clericais ao Vaticano, mas não
menciona chamar a polícia. ~ The Boston Globe [237] O que a AP negligencia em dizer aos seus leitores é que a
"Congregação para a Doutrina da Fé" é o nome gentil e gentil da Inquisição. [itálico suspenso, exceto no original] A
Congregação para a Doutrina da Fé (em latim: Congregatio pro Doctrina Fidei, CDF) é a mais antiga das nove
congregações da Cúria Romana. Foi fundado para defender a igreja da heresia; hoje, é o órgão responsável por
promulgar e defender a doutrina católica. [1] Anteriormente conhecida como a Suprema Sagrada Congregação da
Inquisição Romana e Universal, [a] é informalmente conhecida em muitos países católicos como o Santo Ofício, e
entre 1908 e 1965 foi oficialmente conhecida como a Suprema Sagrada Congregação do Santo Ofício. ~ Wikipedia
[238] Poucos sabem e entendem que a Inquisição nunca terminou, apenas mudou sua metodologia. Ratzinger tinha
subido nas fileiras, provando ser um porteiro confiável para a Simulação do Diabo. De fato, esta é a chave para a
promoção e a fundação do papado de Ratzinger. Bento XVI também esteve sob pressão devido a um caso que
remonta a seu tempo como arcebispo de Munique, em sua Alemanha natal, três décadas

atrás. A arquidiocese de Munique disse que Ratzinger estava envolvido em uma decisão de 1980 de permitir que um
padre acusado de abusar de meninos, o reverendo Peter Hullermann, fosse transferido para terapia. ~ The Boston
Globe [239] Estar no comando da Arquidiocese de Munique não foi uma pequena honra. Ele teve uma presença
jesuíta poderosa por várias centenas de anos e foi o local onde Adam Weishaupt ensinou Direito Canônico na
Universidade Jesuit Ingolstadt. Weishaupt iria definir o comunismo e encontrou o jacobinismo que alimentou a
sangrenta Revolução Francesa, bem como a sociedade secreta dos Illuminati. Mas as credenciais de pedofilia de
Ratzinger não terminam aí, ele vem de uma família de predadores sádicos. Os sacerdotes no Regensburg, na
Baviera, Um colégio interno para meninos gostava de fazer com que os alunos tirassem suas roupas e se curvarem
por um violento chicote ou sexo anal forçado. Às vezes os sacerdotes os faziam beber vinho tinto. Às vezes os
padres se masturbavam na frente das crianças. Outras vezes, faziam as crianças se masturbarem por elas, fazerem
sexo oral ou se acariciarem. A queixa não é sobre apenas um ou dois casos isolados. Pelo menos 231 e mais
provavelmente 700 meninos que freqüentaram a escola entre 1953 e 1992 foram submetidos ao que foi descrito
pelas vítimas como "abuso ritual", de acordo com Ulrich Weber, um advogado alemão comissionado pelo coro que
representa o grupo. supostas vítimas. "Eu tenho aqui 231 relatos de abuso físico" Weber disse a repórteres em uma
conferência de imprensa em Regensburg, na sexta-feira, quando apresentou um relatório baseado em uma
investigação de oito meses sobre o suposto abuso. "O abuso varia de agressão sexual e estupro a privação de
comida para os meninos que eram menos cooperativos." - O facto de as palavras "abuso ritual" terem sido
mencionadas pelas vítimas é extremamente importante. - A maior parte do abuso, que também incluía canings,
forçou gula e

penetração anal com objetos estranhos, aconteceu em meados da década de 1970 para garotos sendo preparados
para o mundialmente famoso coro de meninos Domspatzen da Catedral de São Pedro, em Regensberg, quando um
certo padre Georg Ratzinger era o líder do coro. Ratzinger, que fará 92 anos no mês que vem, é o irmão mais velho
de Josef Ratzinger, mais conhecido como Papa Bento XVI. Ele conduziu o coral de 1964 a 1994. Quando perguntado
se Ratzinger sabia o que estava acontecendo, Weber disse: "Depois da minha pesquisa, devo assumir isso". ~
Newsweek [240] Investigadores colocaram o número de reclamações em mais de dois mil. É a magnitude de um
crime de guerra, mas nenhuma autoridade católica ou secular chegou a abordá-lo. O prestigiado coro remonta ao
ano de 975 e cresceu para se tornar uma das mais famosas escolas de formação musical para meninos, produzindo
uma série de compositores e diretores de sucesso, incluindo Franz Wittenbrink, que se apresentou quando as
alegações de abuso surgiram pela primeira vez. Em 2010, ele disse aos investigadores que padres no internato de
Regensburg se engajaram no que ele descreveu como "um elaborado sistema de punições sádicas combinadas com
a luxúria sexual". Ele disse que ele e vários outros garotos eram muitas vezes "escolhidos" para serem convidados
pelo diretor na época para seu apartamento pessoal, onde eram tomados com vinho tinto e feitos para realizar atos
sexuais no diretor e uns nos outros. "Todo mundo sabia sobre isso na época", disse ele em 2010. Se o mais velho
Ratzinger disse a seu irmão mais novo sobre o abuso permanece duvidoso, especialmente tendo em conta que o
mais jovem Ratzinger serviu como chefe da Congregação para a Doutrina da Fé, a igreja ' s antigo escritório da
Inquisição que agora vê a interpretação e aplicação da doutrina da igreja, antes de ser chamado como pontífice. Se
ele tivesse sido informado, ele estaria em uma posição privilegiada para expô-lo. As recentes revelações da extensão
do abuso selarão o recorde de Bento XVI no maior escândalo de abalar a Igreja Católica como fraca, na melhor das
hipóteses. [241] Quando os segredos de décadas começaram a surgir em 2010, o grupo de defesa de uma vítima
anêmica conduziu um protesto pouco notado.

Até isso foi atacado pela polícia. ... um grupo de vítimas de abuso clerical encenou uma conferência de imprensa do
lado de fora da Praça de São Pedro em Roma para denunciar a forma como Bento lidou com o caso e deu aos
repórteres a igreja e os documentos do Vaticano sobre o caso. Posteriormente, a polícia italiana deteve quatro
vítimas americanas de abuso por duas horas e meia porque elas não tinham autorização para a coletiva de imprensa
e sugeriram que contratassem um advogado para o caso de um juiz decidir prestar queixa, disseram as
vítimas. "Passamos mais tempo na delegacia de polícia do que o padre Murphy em sua vida", disse Peter Isely,
diretor do SNAP, a Rede de Sobreviventes dos Abusados por Sacerdotes, com sede em Milwaukee, após sua
libertação. ~ Associated Press [242] Uma mudança ocorreu desde então. O súbito aumento de detenções
(2016/2017) pode ser o resultado de parceiros seculares no crime do Vaticano sentindo o calor de um foco maior em
suas abominações por cidadãos irados. Ou pode ser algo ainda mais sinistro; um jogo satânico de xadrez. Como o
advogado vítima de abuso de padre Mitch Garabedian (interpretado por Stanley Tucci) declarou ao repórter do
Boston Globe Mike Rezendes (interpretado por Mark Ruffalo) no filme Spotlight de 2015, "A Igreja pensa em séculos,
o Sr. Rezendes". Roma foi fundada no século 6 aC e se tornou um Império no século I aC Ela manteve seu poder e
riqueza e se transformou em uma autoridade religiosa abrangente no século VI dC Ela cooptou as organizações mais
poderosas no mundo, do setor bancário ao crime organizado, aos militares e agências de inteligência dos Estados-
nação. Ela é especializada nos mercados negros mais lucrativos; armas, narcóticos, pessoas. A riqueza conquistada
e escondida pelo Vaticano só pode ser adivinhada, mas certamente deve desconcertar a imaginação. Você pode
encontrar um par de libras na parte de trás da almofada do sofá se tiver sorte. Mais provavelmente é apenas cobre e
migalhas.

Mas tal é a vastidão da riqueza do Vaticano que pode encontrar centenas de milhões de euros simplesmente
"escondidos" de seu balanço central, de acordo com o cardeal responsável pelas finanças da Santa Sé. "É
importante ressaltar que o Vaticano não está falido", escreveu o cardeal George Pell, prefeito do Vaticano do
secretariado para a economia, no Catholic Herald. ~ International Business Times [243] Pell saberia. Ele era o melhor
clérigo católico na Austrália antes de suas atividades protegerem os padres pedófilos lhe renderem uma promoção
substancial em Roma. Depois de um "trabalho bem feito", a promoção proporcionou a Pell um estilo de vida luxuoso.
[244] Mais sobre George Pell no Capítulo 23. Por anos, a mídia controlada tem vazado vagarosamente histórias de
que computadores poderosos podem usar programas especializados para reunir padrões e prever efetivamente o
futuro. [245] [246] Essas histórias afirmam que a capacidade é rudimentar e brusca; apenas capaz de "prever"
eventos gerais muito grandes, como guerras. É garantido que é muito mais preciso e tendências como a consciência
cidadã da Simulação do Diabo foram quase certamente previstas. Isso permite que os criminosos, eles mesmos,
avisem para liberar informações e iniciem "investigações" para simular ações enquanto se antecipam à tendência e
as afastam das áreas mais vulneráveis - o que você está lendo nessas Páginas. Essa "direção" inclui assegurar que
os cidadãos don ' Entenda o escopo completo das atividades Luciferianas ou quem está no topo, organizando todas
elas. Agentes de espionagem em escritórios seculares são críticos para esses esforços e fornecem uma série de
subterfúgios para manter os inimigos da humanidade protegidos. A comunicação de crimes à aplicação da lei fica
aquém das prisões. As detenções terminam com falha em processar. As acusações terminam com falhas em
condenar. As convicções terminam com sentenças terrivelmente leves. Enquanto pensamentos de riqueza quase
ilimitada e supercomputadores que predizem As convicções terminam com sentenças terrivelmente leves. Enquanto
pensamentos de riqueza quase ilimitada e supercomputadores que predizem As convicções terminam com sentenças
terrivelmente leves. Enquanto pensamentos de riqueza quase ilimitada e supercomputadores que predizem

o futuro pode fazer o Vaticano administrado pelos jesuítas parecer um inimigo imbatível, cheio de malícia e poder, é
importante lembrar que todos esses recursos são gastos com um propósito: manter o gigante adormecido da
humanidade sem saber dos crimes de Roma. Mais do que qualquer outra coisa, ela é um inimigo que teme
desesperadamente uma população desperta. [Xix]

Capítulo 6
"Lolita" [247]

1955: o emigrado russo para os Estados Unidos, Vladimir Nabokov, traz a pedofilia para a cultura popular com a
publicação de seu romance Lolita.

Como resultado, "Lolita" tornou-se código pedófilo para qualquer garota imatura que fosse cobiçada ... de qualquer
idade. O personagem principal do romance tomou o nome de "Humbert Humbert", a fim de dar-lhe cobertura para
perseguir e estuprar garotas pré-adolescentes. "Humbert Humbert" até se casou com uma viúva para ter acesso a
sua filha de 12 anos. Nabokov foi fortemente em lepidoptery [248], o que levou a borboletas também sendo usado
como código para cobiçar meninas imaturas. Por outro lado, uma ferramenta poderosa empregada pela Simulação
do Diabo - "controle mental" baseado em traumas - também cooptou a borboleta como um símbolo de gatilho. A
agenda do "controle da mente" é torturar uma vítima até sua psique

estilhaça, mas não tem permissão para se autodestruir ou desligar. Dado o paradoxo, o Transtorno da Identidade
Dissociativa é imposto à vítima e, assim que uma nova identidade ou personalidade é gerada, ela pode ser treinada e
moldada para fazer o que quer que seu atormentador as programa. Os métodos de tortura vão muito além do
sofrimento físico, incluindo a violação sexual (quanto mais jovem a vítima, mais eficaz) ou se a vítima é vítima ou
testemunha de algo horrível. Primeiramente inventado pelos inquisidores e codificado no texto O Malleus Maleficarum
(O Martelo de Bruxo), em 1486, foi aperfeiçoado pelos agentes e agentes de Roma na Alemanha nazista como o
católico romano Josef Mengele [249] e depois transportado para o ocidente para ser reforçado pela inteligência
ocidental controlada pelos jesuítas; CIA, MI6, Mossad, etc.

Os agentes romanos da Agência Central de Inteligência agrupariam geralmente essas abominações sob o título "MK
ULTRA", mas os detalhes eram

encadernado em Project: MONARCH, também conhecido como "Monarch Programming". [250] Em janeiro de 2007,
o FBI divulgou um memorando "sensível à lei" [251], [252], [253] que mostrava o uso do simbolismo secreto como
código entre pedófilos. Quando os cidadãos se conscientizaram do que procurar, ficaram chocados ao ver os
símbolos em todos os lugares.

- Mesmo na identificação dos funcionários do governo encarregados de protegê-los dos pedófilos. [254]

Em seu livro, Nabokov mapeou meticulosamente o tamanho e o desenvolvimento das meninas para identificar a
"Lolita" perfeita. Em vez de ser investigado por suspeita de crimes com crianças, Lolita se tornou o primeiro livro
desde "E o Vento Levou" a vender 100 mil exemplares nas primeiras três semanas. [255] A mídia comemorou o "50º
aniversário" da "obra-prima" em 2005, observando que, naquela época, 50 milhões de cópias haviam sido vendidas.
[256]

Lolita foi elogiada por ter exposto os déficits de empatia e distúrbios cognitivos dos pedófilos. No entanto, também
atraiu milhões de cidadãos normais para a pedofilia. Tanto em Lolita quanto em uma novela de 1939, The Enchanter,
Nabokov mostrou os comportamentos de perseguição e "grooming" dos pedófilos e retratou sua predileção por
predar mães solteiras com filhos. Embora exista um único predador de "lobo solitário", eles são quase inexistentes
como uma ameaça à humanidade. É o sistema que mantém a Simulação do Diabo em funcionamento, que é a
ameaça esmagadora. Como resultado, as instituições mais perigosas estão escondidas à vista de todos: Agências de
Inteligência, policiais, juízes, políticos e "Igrejas". É por isso que as mesmas mães solteiras, vulneráveis a
demografias e / ou crianças sem guardiões, foram igualmente alvo das "instituições de caridade" católicas
romanas. Em Lolita e The Enchanter, os predadores de Nabokov experimentam o uso de drogas para sedar vítimas
ou seus guardiões; o mesmo foi feito pelas organizações que administram a pedofilia sistêmica. Lolita também
descreveu o papel fundamental da pornografia e da pornografia infantil para os pedófilos. Conseqüentemente, uma
adaptação cinematográfica de Hollywood foi garantida e em apenas 7 anos, Stanley Kubrick (Spartacus, Dr.
Strangelove, 2001, A Clockwork Orange, The Shining, Full Metal Jacket, Eyes Wide Shut) lançou um filme em 1962,
estrelado por James Mason. como Humbert Humbert, Peter Sellers como a pedofilia de Humbert, Clare Quilty e Sue
Lyon, de 14 anos, como Lolita. Mesmo aos 14 anos, Lyon estava muito desenvolvido para Nabokov (um "conselheiro
técnico") que queria uma atriz anão para retratar melhor o tamanho diminuto da Lolita pré-adolescente. No início do
filme, Sellers convida Mason para jogar um jogo de "Roman Ping Pong", assustadoramente pressagiando (ou talvez
lançando as bases para) a controvérsia que giraria em torno das eleições presidenciais dos EUA de 2016.

Surgiram acusações de que o presidente da campanha de Hillary Rodham Clinton, o chefe do Estado-Maior para o
presidente Bill Clinton, educado em jesuítas, o conselheiro do jesuíta Barack Obama e o ex-seminarista jesuíta John
Podesta estavam abusando de crianças por meio de um centro improvável; Cometa Ping Pong Pizza baseada em
Washington DC e propriedade de James Alefantis. Ele foi rotulado pela mídia como "a conspiração infundada" de
"PizzaGate" para sugerir que ele havia sido planejado por agentes da campanha do bilionário Donald Trump para
confundir as águas contra a "rival" Hillary Clinton. O nome estava destinado a remontar à invasão dos escritórios do
Partido Democrata no Watergate Hotel, em Washington DC, pela campanha de Nixon para descobrir as estratégias
do "rival" George McGovern em 1972. Watergate era o contrário de "PizzaGate"; um assunto trivial dado cobertura
bem fora de proporção a sua criminalidade. Muito mais interessantes, mas muito menos cobertos foram os homens
envolvidos, como o agente do FBI George Gordon Battle Liddy, um católico romano irlandês educado em jesuítas e
Everett Howard Hunt, um agente da CIA. Hunt estava envolvido em tudo, desde os irmãos Foster, patrocinados pela
United Fruit Company, que derrubaram o presidente guatemalteco Jacobo Árbenz e assassinaram em larga escala o
presidente John F. Kennedy [258]. Embora abertamente um episcopal, Hunt converteu-se ao catolicismo romano com
sua esposa Dorothy, pouco antes de sua morte em um acidente de avião que matou todos os 43 passageiros a bordo
da United Airlines 553, de Washington a Chicago. Acredita-se que Dorothy estava sendo usada como intermediária
para Hunt, enquanto ele chantageava ou agenciava sua saída da prisão. Ela foi encontrada para ter US $ 10.000 em
dinheiro recheado em sua bolsa. Os salários do pecado pagam bem, mas nunca são suficientes quando a conta é
paga. Não tendo ninguém para cuidar de seus filhos enquanto cumpria 33 meses de uma sentença de 35 anos de
prisão [xx], Hunt os entregou ao querido amigo e companheiro da CIA William F. Buckley - um devoto católico
romano e membro da Caveira de Yale. e Bones Society, 1950. [261] Mais sobre "#PizzaGate" no Capítulo 31.

Aparentemente, Lolita era um romance importante demais para permitir apenas uma adaptação cinematográfica e
uma joint venture franco-americana retratou a pedofilia para a cultura pop novamente em 1997. Desta vez, Jeremy
Irons era Humbert Humbert, Frank Langella era sua colega pedófila Clare Quilty e Dominique Swain era lolita. Talvez
tenha sido fortuito que Nabokov tenha morrido 20 anos antes, dada a sua insatisfação com a escolha de Sue Lyon,
de 14 anos, para o papel no filme de Kubrick; Swain era um idoso de 17 anos. Ainda assim, o filme não foi sem
controvérsia e o lançamento foi adiado na Austrália por dois anos. Irons continua a ser uma escolha popular para os
estúdios e deu uma notável interpretação do padre jesuíta Gabriel em 1986 no filme de Roland Joffé, The
Mission. Vladimir Nabokov era um pedófilo ou alguém tentando chamar a atenção para o diabo? s
Simulação? Embora tenha deixado fortes evidências para sugerir que ele próprio foi vítima de pedofilia e incesto,
quando questionado por um repórter da BBC sobre por que ele escreveu Lolita, Nabokov negou qualquer propósito
moral ou social. [262] No entanto, Nabokov declarou com escárnio que o autor de Alice no País das Maravilhas, o
diácono anglicano Charles Ludwig Dodgson (também conhecido como "Lewis Carroll") era um pedófilo obcecado em
fotografar crianças nuas; uma nova tecnologia rapidamente trouxe para a pornografia infantil soft. Embora o
"segredo" fosse bem conhecido nos círculos internos, foi finalmente considerado apto para consumo público 150
anos depois. A BBC vai transmitir um novo documentário polêmico explorando se Lewis Carroll era um "pedófilo
reprimido", no 150º aniversário de seu amado livro infantil Alice's Adventures in Wonderland.

trabalhos. O programa, no qual ele é referido por um colaborador como um "pedófilo altamente reprimido", irá
detalhar uma foto recém descoberta de uma garota nua de um arquivo esquecido, que mostrará um lado
"chocantemente diferente" da amizade do autor com crianças. O programa, intitulado O Segredo Mundial de Lewis
Carroll, está programado para ser transmitido pela BBC no próximo fim de semana, com contribuições de rostos
famosos, incluindo Philip Pullman e Will Self, bem como membros da família real de Alice. Ele vai debater se novas
evidências mostram Carroll, cujo nome verdadeiro era Charles Dodgson, se interessou em sexualizar crianças e
adolescentes, e se ele deveria ou poderia ser considerado um "Victorian Jimmy Savile". A história da verdadeira
inspiração dos filhos de Carroll O livro já é relativamente conhecido, com a Alice ficcional baseada na jovem Alice
Liddell, a filha do Deão da Igreja de Cristo e seu vizinho. Alice e suas irmãs, Lorina e Edith, aparecem nos romances
de Carroll, com uma série de fotografias tiradas pelo autor de Alice já publicadas. ~ The Telegraph [263] Este foi um
segredo aberto para Vladimir Nabokov na década de 1950, mas a mídia britânica ficou "chocada" com ele em 2015.
Acredita-se que a foto, que não é comprovadamente comprovada por Carroll, mostre Alice irmã mais velha
inteiramente nua, em uma pose de frente para todo o mundo descrita por Kearney como algo que "nenhum pai
jamais teria consentido". Encontrado em um museu francês com uma atribuição inscrita no quadro dizendo que foi
por Lewis Carroll e de Lorina Liddell, mostra um "

fotografia. O professor Hugh Haughton, um dos colaboradores do programa, disse que a foto tirada por Carroll era
uma "imagem chocante", com a relação do autor com as garotas Liddell conhecidas por terem uma "enorme
intensidade" que seria "muito estranho agora". Ele acrescentou: "Isso certamente tornará mais difícil para aqueles
que acreditam que o interesse de Carroll por garotinhas seja totalmente inocente; isso tornará isso mais
complicado". Will Self, o autor, disse sobre Carroll: "O próprio Dodgson, eu acho, era um pedófilo altamente
reprimido, sem dúvida. É um problema, não é, quando alguém escreve um ótimo livro, mas não é uma ótima pessoa.
"[264] Na verdade, é o contrário, Sr. Self: a Pedocracia encontrou um livro moderadamente divertido e deu a
ele" estava impregnado de sexo promíscuo e dependia muito do uso de semântica de auto-serviço. Por exemplo, ele
definiu uma "mulher casada" como alguém que viveu com um homem por "pelo menos um ano, o que poderia incluir
prostitutas trabalhando." 67 ...

Para Kinsey, "normal" não era uma palavra, assim como "criminoso" e "crime". Sua definição de "submundo" eliminou
crimes sexuais, a menos que eles tivessem um motivo monetário. Um molestador de crianças era simplesmente um
"parceiro", já que a palavra "estupro" é excluída de seu estudo. E em seus longos estudos sobre a sexualidade
humana, termos como "amor" e "parto" não aparecem nos índices. No capítulo 5 do volume masculino, Kinsey define
como "contatos" o que a maioria dos americanos provavelmente descreveria como agressão sexual, estupro e
sodomia. Ele mistura as experiências de "sujeitos mais velhos" com os de "meninos mais velhos" e "homens adultos",
como se as categorias fossem intercambiáveis. Ele também combina "meninos mais jovens" com "meninos pré-
adolescentes" que camufla o estupro de crianças menores de 13 anos. [265] Dada a posição de Reisman como
escolhida por Roma para defender os "valores da família", só se pode esperar que ela não saiba o que fez. No
entanto, isso é um pouco difícil de acreditar quando é o assunto em que o Doutor em Comunicação é um especialista
altamente valorizado. Se a vida secreta de Charles "Lewis Carroll" Dodgson foi perdida para a Dra. Judith Reisman,
não se perdeu seus colegas "pedófilos". Em 2001, um clube de internet "pedófilo" do Reino Unido foi finalmente
retirado após longos anos de operação. Todos tinham um apelido ... Mas foi a taxa de entrada sinistra que expôs o
fato de que não era um clube comum: cada novo membro precisava fornecer 10 mil imagens pornográficas de
crianças. Este foi o Clube das Maravilhas, um anel de pedofilia internacional on-line que durou quatro anos antes de
finalmente ser esmagado pela maior operação policial internacional já realizada. ~ The Observer [266] Na verdade,
consideramos "esmagado" um pouco de exagero quando ninguém é levado à justiça. Certamente, um pouco de
dinheiro dos impostos foi gasto -

A investigação internacional para quebrar o anel foi a maior na história do policiamento, levando 13 países e 180
homens. Liderados por oficiais britânicos, em 2 de setembro de 1998, as forças policiais chutaram simultaneamente
as portas de 107 casas e fizeram 104 prisões. [267] "10.000 imagens pornográficas de crianças" foi a taxa de
entrada. Imagine o esforço e o poder que se deve ter para conseguir entrar no "Wonderland Club". No Estado Policial
de terror "ISIS" de hoje você só precisa dizer a palavra "bomba" no seu celular para ter pelotões de "Polícia"
camuflada empunhando armas automáticas "esmagando" você, mas, estranhamente, ninguém de qualquer
consequência foi "esmagado" "nesta massiva picada internacional. Os suspeitos incluíam a coleção usual de
forasteiros: solitários desempregados em camas do Reino Unido, um pai e filho em um trailer nos EUA.
[268] "Esmagado!" Um prolífico agressor, Gary Salt, convidou outros membros a visitar sua casa em Stockport para
posar com crianças na frente da webcam, como se estivessem se encontrando com um herói da tela. O grande peso
da evidência física ilustra a enormidade da Catedral da Operação - 750.000 imagens individuais de crianças e 1.800
vídeos computadorizados mostram crianças sendo abusadas sexualmente [269]. "Catedral da Operação"? As
imagens eram tão chocantes que oficiais do Esquadrão Nacional de Crimes que tinham que vasculhar a montanha de
material tinham sessões de terapia obrigatória para ajudá-los a lidar com o que viam. "Essas são imagens realmente
horríveis", disse Alex Wood, vice-chefe de inspeção do NCS. "Essas crianças estão sendo submetidas ao abuso mais
sério e sério." O anel começou a se desintegrar após a prisão de Ronald Riva em Greenfield, Califórnia. Os policiais
descobriram que Riva havia estuprado o amigo de dez anos de sua filha na frente de uma câmera que transmitia a
imagem ao vivo pela internet. A criança, que havia sido convidada para uma festa do pijama pela filha de Riva, é uma
das duas únicas vítimas das 1.236 Wonderland que foram rastreadas. O outro, um menino português, desapareceu e

a polícia teme que ele tenha sido assassinado. Entre seis homens que haviam enviado mensagens de incentivo a
Riva estava Ian Baldock, um consultor de computadores de 31 anos de St. Leonards, East Sussex. O FBI informou a
polícia do Reino Unido, que logo percebeu a escala do empreendimento que haviam tropeçado. A Catedral da
Operação nasceu.

[270]

Alguém se pergunta como uma operação tão complexa e internacional de policiamento combinado só conseguiu
salvar duas das milhares de crianças vítimas de abuso usadas pelo Clube das Maravilhas ... e uma das duas foi
"presumida como morta"! Wonderland, o Orchid Club e outros anéis de pornografia não estão simplesmente trocando
imagens de crianças despidas brincando na praia. Eles têm imagens que são as mais horríveis - crianças de dois
anos de idade, até bebês de seis meses de idade, violentamente violadas. A maioria dos 107 homens eventualmente
condenados por participação no Wonderland Club foi condenada a multas. A sentença mais pesada foi de três anos
de prisão. Mais de 100 desses homens estão nas ruas hoje. O Wonderland usou códigos de criptografia sofisticados
originalmente desenvolvidos pela KGB. As imagens que eles trocavam como cartões de beisebol eram de crianças
amarradas, crianças sendo estupradas, crianças que fazem sexo com animais, adultos ou outras crianças. ~
Crianças Perdidas Portuguesas [271] Portugal figura proeminentemente como um refúgio seguro para os
"pedófilos". Veremos isso conclusivamente à medida que entramos na história de Madeleine McCann no capítulo 26.
Novamente, há o uso de tecnologias de inteligência implicando o envolvimento de agências governamentais e
evidências de que a escala é claramente sistêmica. "Operation Cathedral" era realmente um nome apropriado. O
governo britânico juntou-se às forças da lei para rapidamente aplicar penalidades severas para enviar uma
mensagem aos traficantes internacionais de escravos sexuais. Veremos isso conclusivamente à medida que
entramos na história de Madeleine McCann no capítulo 26. Novamente, há o uso de tecnologias de inteligência
implicando o envolvimento de agências governamentais e evidências de que a escala é claramente
sistêmica. "Operation Cathedral" era realmente um nome apropriado. O governo britânico juntou-se às forças da lei
para rapidamente aplicar penalidades severas para enviar uma mensagem aos traficantes internacionais de escravos
sexuais. Veremos isso conclusivamente à medida que entramos na história de Madeleine McCann no capítulo 26.
Novamente, há o uso de tecnologias de inteligência implicando o envolvimento de agências governamentais e
evidências de que a escala é claramente sistêmica. "Operation Cathedral" era realmente um nome apropriado. O
governo britânico juntou-se às forças da lei para rapidamente aplicar penalidades severas para enviar uma
mensagem aos traficantes internacionais de escravos sexuais.

... mas é tarde demais para os "forasteiros" e para os pedófilos de lixo do parque de trailers, apanhados pela
"Catedral da Operação". "No começo não havia conhecimento ou poder policial suficiente", disse Wood. "Tivemos
que trazer especialistas em computação que trabalharam com os EUA por 14 meses. Uma vez que rastreamos
computadores reais, tivemos que estabelecer quem estava usando aquele computador em um determinado momento
e com muitos deles em bibliotecas e universidades não era fácil. " Vigilância ininterrupta dos suspeitos teve que ser
introduzida para garantir que nenhum deles tivesse acesso a crianças enquanto a investigação estivesse em
andamento. Em um ponto, a operação quase desmoronou quando um homem britânico, Gavin Seagers, foi
descoberto trabalhando com Sea Cadets. A polícia sabia que, se o prendessem, correriam o risco de denunciar toda
a rede. Rastrear as vítimas do Wonderland Club é agora uma prioridade. Novas tecnologias estão sendo testadas
pela Interpol, com sede em Lyon, na França, para permitir que fotos enviadas por serviços sociais e famílias sejam
"comparadas" por computador contra as fotografias das vítimas. Já 900 crianças tiveram suas fotografias
"higienizadas" e armazenadas e as forças policiais em todo o mundo poderão acessá-las. O governo britânico
apresentou legislação no mês passado para aumentar as penas máximas para a posse de pornografia infantil de seis
meses a cinco anos. Aqueles pegos produzindo ou distribuindo as imagens receberão agora sentenças de 10 anos
em vez do máximo atual de três. Mas as novas frases não se aplicam ao Wonderland Club. ~ Observador [272] Uma
vez que uma criança é traumatizada pela Simulação do Diabo, eles ainda têm escolhas. Eles podem resistir ou
sucumbir. Se eles sucumbem, eles freqüentemente crescem até a idade adulta para se tornarem participantes do
abuso que sofreram. Uma vez que eles provem sua lealdade aos monstros que roubaram sua inocência, eles podem
ser recompensados generosamente. Tal foi a sensação de música pop Michael Jackson. Comportamentos bizarros
como vícios cirúrgicos e graves crises de identidade, tanto de raça quanto de gênero, são sinais claros de abuso
precoce.

A propriedade isolada de vários milhões de dólares de Jackson (perfeita para abusar de crianças sem interferência)
foi denominada "Rancho Neverland"; tirado da lendária fábula infantil de JM Barrie, Peter Pan. Muitas crianças
puderam ser colocadas sob os cuidados de Jackson. Eventualmente, os pais de uma criança apresentaram
acusações de abuso. A Wikipedia afirma definitivamente que foi uma "acusação falsa". No verão de 1993, Evan
Chandler falsamente acusou Michael Jackson de molestar sexualmente seu filho de 13 anos, Jordan. Foi uma "falsa
acusação" que ganhou Evan Chandler e seu filho um grande assentamento da estrela pop. É um resultado
interessante, dado que, aparentemente, nada veio da investigação criminal. No entanto, após esta vitória contra a
Pedocracia, Chandler ficou "deprimido". Em janeiro de 1994, Jackson conseguiu um acordo financeiro de US $ 32
milhões com os Chandlers para resolver o problema e, em setembro, uma investigação criminal foi encerrada. Em 5
de novembro de 2009, Chandler cometeu suicídio em seu apartamento em Jersey City, Nova Jersey. [274] Foi
apenas alguns meses depois que o próprio Jackson "morreu durante o sono" com apenas 51 anos de idade. Em 25
de junho de 2009, Jackson parou de respirar enquanto tentava dormir sob os cuidados de Conrad Murray, seu
médico pessoal. Murray supostamente deu a Jackson uma série de medicamentos em uma tentativa de ajudá-lo a
dormir em sua mansão alugada em Holmby Hills, Los Angeles. Tentativas de ressuscitar Jackson não tiveram
sucesso. [292] [293] ~ Wikipedia [275] Pelo menos ele estava sob os cuidados de um médico de confiança que
estava bombeando-o cheio de narcóticos para "ajudá-lo".

molestamento infantil que havia sido trazido contra Michael Jackson. Jackson foi absolvido em 2005 - mas agora,
sete anos após a morte do falecido popstar, um relatório policial recentemente descoberto detalha o que o
Departamento do Xerife do Condado de Santa Bárbara encontrou durante sua invasão: uma coleção perturbadora de
pornografia que incluía imagens de rostos de crianças sobrepostas em adultos. Os corpos, assim como os materiais
que a polícia disse, podem ser usados para des-sensibilizar crianças pequenas, a fim de prepará-los para futuros
abusos. O Radar Online obteve os documentos, que contêm descrições e fotos de vários livros e revistas
encontrados na isolada casa californiana de Jackson. Muitos dos materiais contêm adultos jovens nus e
adolescentes, e muitos foram descritos como consistentes com o tipo de material que pode ser usado para diminuir
as inibições das vítimas jovens. Alguns dos materiais centrados em S & M e Radar Online também descrevem
imagens de tortura animal e sangue. A investigação policial começou em 2003, quando o cantor enfrentou acusações
de abuso sexual infantil e intoxicação de um menor depois que Gavin Arvizo, então com 13 anos, se apresentou. De
todas as acusações combinadas, Jackson poderia ter cumprido 20 anos de prisão - mas ele foi absolvido em 2005 e
morreu quatro anos depois de uma parada cardíaca. ~ Vanity Fair [276] Nenhum nome é mais sinônimo de
"entretenimento infantil" do que "Disney". No entanto, Walter Elias Disney (1901, 1966) foi uma criança abusada com
a reputação de ser pedófila homossexual. [277] Ele também foi membro da Sociedade Molay de Boys. Nomeado
após o "final" Grão-Mestre dos Templários, Jacques de Molay. Outros membros proeminentes incluem treinados
pelos jesuítas "

foi autorizado a trazer o assunto à atenção do público com um boicote da Disney e publicado pelo jornal Opinion
Editorial pelo presidente e co-fundador Judith Brown - [279] Por que uma organização pró-vida está assumindo a
Walt Disney Co. mensagens sexuais? Um pouco de boicote: A Igreja Católica sempre assumiu uma postura firme
contra o horror do aborto. Em abril de 1995, a Walt Disney Co. atacou Deus, a Igreja Católica e o Cristianismo em
geral com o lançamento de um filme chamado "Sacerdote", através da subsidiária da empresa, Miramax. Por essa
razão, nós na Liga da Vida Americana nos sentimos compelidos a defender Deus e a igreja que luta pela vida. Assim,
o boicote da Disney começou com nossas exigências de que "Sacerdote" fosse retirado e que a Disney pedisse
desculpas a todos os cristãos. Muitos de nossos apoiadores começaram a ligar e nos informar sobre outras queixas
que tinham com a Disney. Esses torcedores incluíram: * A tia de uma criança de 4 anos que encontrou "SEX" em "O
Rei Leão". * Um homem que nos enviou por fax uma história descobrindo "bons adolescentes tiram suas roupas" em
"Aladdin". * E uma avó que escreveu para nos contar sobre o clérigo que é mostrado com uma óbvia ereção em "A
Pequena Sereia". O "clérigo com uma ereção" era tão ofensivo (embora não longe da vida real) que levou a uma
ação judicial. [280] No entanto, o processo foi descartado, provavelmente devido à astúcia da negação embutida na
animação. Em uma cena, há uma única "protuberância" que aparece abaixo da cintura, em seguida, desaparece,
mas depois uma cena mostra duas protuberâncias que são claramente joelhos. Este e outro exemplo foram
descartados pela mídia com ridículo. Você deve se lembrar de que existem dois boatos populares relacionados ao
pênis circulando sobre a Pequena Sereia. No lançamento original do vídeo caseiro, a arte da capa apresenta uma
torre gigante dourada no fundo que se parece muito com um gigante e dourado pinto ereto. (Há muito tem sido
rumores de que isso foi intencional porque, você sabe, descontente, tesão

Quando o Direito Religioso Atacou "A Pequena Sereia", The Daily Beast (Newsweek) [281] No entanto, se as
mensagens subliminares são apresentadas corretamente, parece haver muito menos a zombar: elas são sugestões
de "controle da mente". projetado para sexualizar os inocentes assistindo extasiados. Com isso entendido, os
esforços repetidos da Disney para coletar ilegalmente informações pessoais de crianças sem o consentimento de
seus pais ou mesmo o conhecimento são além de perturbadores. [282]

FAIR USE: capturas de tela de The Little Mermaid (1989) para ilustrar um ponto.
Os exemplos poderiam preencher um livro de si mesmo, mas talvez mais um seja necessário: Peter Pan. Peter Pan é
um personagem fictício criado por romancista escocês e

dramaturgo JM Barrie. Um garoto de espírito livre e travesso que pode voar e nunca crescer, Peter Pan passa sua
infindável infância aventurando-se na mítica ilha de Neverland como líder dos Garotos Perdidos, interagindo com
fadas, piratas, sereias, nativos americanos, e ocasionalmente crianças comuns do mundo fora de Neverland. ~
Wikipedia Nossa primeira bandeira vermelha é que "Pan" é o deus grego travesso do sexo, frequentemente descrito
como um sátiro com um falo ereto. Foi um deus felizmente adotado pelos romanos sem mudanças. O segundo são
as intermináveis representações em peças de teatro e filmes, e o terceiro é o número de jovens mulheres andróginas
que interpretam Peter Pan na maioria delas. Se você adicionar adaptações, a lista crescerá logaritmicamente. Por
exemplo, o filme Lost Boys de 1987 é sobre vampiros adolescentes que " o início de um longo ciclo de abuso sexual
que Feldman acredita ter levado os problemas de seu amigo com drogas e álcool mais tarde na vida. Haim lutaria
com drogas até a sua morte em 2010, aos 38 anos de idade, uma morte que Feldman culpa nos homens que
abusaram do ator.

Os comentários de Feldman vêm poucos dias depois que outro ex-astro infantil, Elijah Wood, também deu uma
entrevista falando sobre o problema da pedofilia em Hollywood. ~ Daily Mail [283] Em entrevista à ABC: Nightline,
[284] Feldman afirmava: "O problema número 1 em Hollywood foi, e é, e sempre será pedofilia ... esse é o maior
problema para as crianças nessa indústria. " ... "Tudo é feito sob o radar." ... Anfitrião: "Ninguém fala sobre
isso?" Feldman: "É o grande segredo". Anfitrião: "É tão difundido?" Feldman: "Oh sim. Eu estava cercado por eles
quando eu tinha 14 anos de idade." ... "Todos eles tinham seu próprio poder ou conexões com grande poder nesta
indústria." ... "Eles se safaram por tanto tempo que sentem que estão acima da lei, Seu gerente era Chris Snyder,
que também gerenciou River Phoenix. Phoenix morreu aos 23 anos de uma "overdose de drogas" no Halloween em
1993. Mais sobre isso no capítulo 25. O pior de tudo são as preocupações em torno do criador de Peter Pan, o barão
Sir James Matthew Barrie. O ímpeto de seus "Garotos Perdidos" foram os filhos de Arthur e Sylvia Llewelyn-Davies,
uma família de classe média com muitas contas a pagar. Barrie começou a pagá-los e, por sua vez, passou uma
quantidade excessiva de tempo com os meninos. O ídolo de Barrie foi o romancista George du Maurier, que escreveu
o romance Trilby. Nele, um músico chamado Svengali hipnotiza uma menina surda-sonora em grandeza
cantada. Maurier estava falando por experiência como ele usou a técnica para seduzir um "modelo nu" de 17 anos
dele. [itálico suspenso] Seu gerente era Chris Snyder, que também gerenciou River Phoenix. Phoenix morreu aos 23
anos de uma "overdose de drogas" no Halloween em 1993. Mais sobre isso no capítulo 25. O pior de tudo são as
preocupações em torno do criador de Peter Pan, o barão Sir James Matthew Barrie. O ímpeto de seus "Garotos
Perdidos" foram os filhos de Arthur e Sylvia Llewelyn-Davies, uma família de classe média com muitas contas a
pagar. Barrie começou a pagá-los e, por sua vez, passou uma quantidade excessiva de tempo com os meninos. O
ídolo de Barrie foi o romancista George du Maurier, que escreveu o romance Trilby. Nele, um músico chamado
Svengali hipnotiza uma menina surda-sonora em grandeza cantada. Maurier estava falando por experiência como ele
usou a técnica para seduzir um "modelo nu" de 17 anos dele. [itálico suspenso] Phoenix morreu aos 23 anos de uma
"overdose de drogas" no Halloween em 1993. Mais sobre isso no capítulo 25. O pior de tudo são as preocupações
em torno do criador de Peter Pan, o barão Sir James Matthew Barrie. O ímpeto de seus "Garotos Perdidos" foram os
filhos de Arthur e Sylvia Llewelyn-Davies, uma família de classe média com muitas contas a pagar. Barrie começou a
pagá-los e, por sua vez, passou uma quantidade excessiva de tempo com os meninos. O ídolo de Barrie foi o
romancista George du Maurier, que escreveu o romance Trilby. Nele, um músico chamado Svengali hipnotiza uma
menina surda-sonora em grandeza cantada. Maurier estava falando por experiência como ele usou a técnica para
seduzir um "modelo nu" de 17 anos dele. [itálico suspenso] Phoenix morreu aos 23 anos de uma "overdose de
drogas" no Halloween em 1993. Mais sobre isso no capítulo 25. O pior de tudo são as preocupações em torno do
criador de Peter Pan, o barão Sir James Matthew Barrie. O ímpeto de seus "Garotos Perdidos" foram os filhos de
Arthur e Sylvia Llewelyn-Davies, uma família de classe média com muitas contas a pagar. Barrie começou a pagá-los
e, por sua vez, passou uma quantidade excessiva de tempo com os meninos. O ídolo de Barrie foi o romancista
George du Maurier, que escreveu o romance Trilby. Nele, um músico chamado Svengali hipnotiza uma menina
surda-sonora em grandeza cantada. Maurier estava falando por experiência como ele usou a técnica para seduzir um
"modelo nu" de 17 anos dele. [itálico suspenso] s criador, Baronete Sir James Matthew Barrie. O ímpeto de seus
"Garotos Perdidos" foram os filhos de Arthur e Sylvia Llewelyn-Davies, uma família de classe média com muitas
contas a pagar. Barrie começou a pagá-los e, por sua vez, passou uma quantidade excessiva de tempo com os
meninos. O ídolo de Barrie foi o romancista George du Maurier, que escreveu o romance Trilby. Nele, um músico
chamado Svengali hipnotiza uma menina surda-sonora em grandeza cantada. Maurier estava falando por experiência
como ele usou a técnica para seduzir um "modelo nu" de 17 anos dele. [itálico suspenso] s criador, Baronete Sir
James Matthew Barrie. O ímpeto de seus "Garotos Perdidos" foram os filhos de Arthur e Sylvia Llewelyn-Davies, uma
família de classe média com muitas contas a pagar. Barrie começou a pagá-los e, por sua vez, passou uma
quantidade excessiva de tempo com os meninos. O ídolo de Barrie foi o romancista George du Maurier, que escreveu
o romance Trilby. Nele, um músico chamado Svengali hipnotiza uma menina surda-sonora em grandeza
cantada. Maurier estava falando por experiência como ele usou a técnica para seduzir um "modelo nu" de 17 anos
dele. [itálico suspenso] O ídolo de Barrie foi o romancista George du Maurier, que escreveu o romance Trilby. Nele,
um músico chamado Svengali hipnotiza uma menina surda-sonora em grandeza cantada. Maurier estava falando por
experiência como ele usou a técnica para seduzir um "modelo nu" de 17 anos dele. [itálico suspenso] O ídolo de
Barrie foi o romancista George du Maurier, que escreveu o romance Trilby. Nele, um músico chamado Svengali
hipnotiza uma menina surda-sonora em grandeza cantada. Maurier estava falando por experiência como ele usou a
técnica para seduzir um "modelo nu" de 17 anos dele. [itálico suspenso]

Para Barrie, Trilby representava o tipo de jogo mental e manipulação que apelava para sua natureza. Ele também
deve ter suspeitado que du Maurier tenha escrito por experiência própria. Ele queria se conectar com ele, para que a
mágica mesmérica também se esfregasse nele. Mas du Maurier morreu de câncer em 1896, apenas dois anos após
seu grande sucesso literário. Então Barrie se virou para a próxima melhor coisa. Entrou para a família du Maurier - e,
em particular, sua filha, Sylvia, casada com Arthur Llewelyn Davies e mãe desses meninos ... Sempre o perseguidor,
ele projetou uma reunião com Sylvia e Arthur em um jantar de sociedade. , onde ele pronunciou Sylvia "a criatura
mais bonita" que ele já tinha visto. Ele notou ela esquartejando doces, que ela disse que eram para os meninos
dela. Barrie estava dentro. Então, como um cuco no ninho, Com presentes generosos e presença constante, ele
habilmente afastou Arthur e abriu caminho para o afeto de Sylvia. ... O que começou com a sedução do clã du
Maurier terminou em rapto. Humilhado pela amizade de Sylvia com Barrie, Arthur Llewelyn Davies morreu aos 44
anos, de um horrivelmente desfigurante câncer de face - seguido pouco depois pela própria Sylvia, também com 44
anos de câncer. Barrie, apesar de não ter parentesco, simplesmente assumiu a tutela dos rapazes sob o pretexto de
que ele estava prestes a se casar com a mãe antes de morrer. O que é extraordinário é que ninguém mais na família
du Maurier fez qualquer reivindicação sobre os órfãos, não avós nem tias e tios. Talvez eles fossem
indiferentes; talvez eles achassem que Barrie era um pai perfeitamente adequado. Mas, para evitar objeções, Barrie
tinha a vontade de Sylvia de acenar para eles - o que ele tinha, com cálculo consumado, forjado a seu favor. ...
Michael tinha dez anos quando Sylvia morreu e o mais bonito de todos os irmãos. Dez era a idade que Barrie
considerou perfeição em um menino, e o

dois se tornaram muito próximos, pouco saudáveis, de acordo com muitos que testemunharam seu
relacionamento. Apesar de toda a sua imagem preferida de inocência, caminhando pela Serpentina com uma criança
extasiada pendurada em cada mão, os amigos dos garotos acharam Barrie assustadora. Havia algo "sinistro sobre
ele", um lembrou. Não era tanto o medo do abuso sexual que os preocupava, mas a dominação que ele exercia
sobre mentes e personalidades tão jovens e impressionáveis. Nem o poder dele parou aí. A influência maligna de
Barrie também se estendeu ao resto da família du Maurier. Ele fez uma amizade firme com Gerald, o irmão ator de
Sylvia e o tio dos meninos, insinuando-se em sua casa também. Daphne, de quatro anos, a segunda de Gerald ' s
três filhas - destinadas a ser uma escritora igual a Barrie - foram atraídas para seu mundo fictício ... Ela adorava o pai
com uma paixão que, retornada por ele, pode ter chegado muito perto para o conforto incesto. Ou talvez, quando ela
confessasse essas coisas, estava simplesmente inventando. Com os contadores de histórias, você nunca pode ter
certeza. Ainda com 16 anos, ela teve um caso com uma prima mulherenga de 22 anos, e depois, quando foi
mandada para uma escola de aperfeiçoamento na França, alegou estar dormindo com a diretora lésbica de trinta e
poucos anos. Mais tarde, haveria um casamento e filhos, mas também amantes, dois deles mulheres. Ela alegou,
não um pouco ressentida, sua orientação sexual havia sido confundida por sua parte na infância no "culto dos
meninos" de Barrie. Ele tinha entrado em sua mente, brincando com seu senso de auto, assim como ele tinha os
meninos de Llewelyn Davies e sua mãe. ~ Daily Mail [285] Houve contato sexual inadequado a qualquer
momento? Há evidências nesse sentido. Dos garotos de Llewelyn-Davies deixados aos cuidados de Barrie, Michael
era seu favorito. Barrie gostava de tirar fotografias dos meninos, às vezes em trajes caseiros e muitas vezes sem
roupas. ...

Em junho de 1908, Barrie escreveu este bilhete para Michael em seu oitavo aniversário: "Eu gostaria de poder estar
com você e suas velas. Você pode olhar em mim como uma de suas velas, a que queima muito - a gordurosa que é
inclinado no meio. Mas ainda assim, viva, sou a vela de Michael. Querido Michael, eu gosto muito de você, mas não
conte a ninguém. " ~ She Knows [286] Michael Llewelyn-Davies se tornaria um homossexual traumaticamente
confuso que morreu em um incidente de afogamento questionável. Os garotos de Llewelyn-Davies sofreram
imensamente por causa do domínio que Barrie tinha sobre eles. George foi para a guerra para escapar de sua
influência e foi morto nas trincheiras da França em 1915. Jack sofria de depressão. Michael se afogou apertando um
colega de graduação, outro "garoto perdido", parece, em uma piscina perto de Oxford em 1921, no que foi descrito na
época como um trágico acidente de banho, mas pode muito bem ter sido um pacto de suicídio. ... Peter também se
matou, sob as rodas de um trem. ~ Mail [287] "Pacto de suicídio" é um pouco exagerado quando parece que o amigo
de "Lost Boy" de Michael sobreviveu. Colocar pedófilos em pedestais para as suas vítimas adorarem e admirarem é
algo que a Pedocracia tem prazer perverso. Se eles podem colocar seu pervertido na frente de famílias e crianças
para adoração, os Luciferianos se divertem ainda mais. Baronet Sir Barrie foi imortalizado de novo e de novo com as
representações sem fim de "Neverland". Livros, filmes, peças de teatro, documentários, quadrinhos, programas de
TV e até mesmo videogames têm promovido os enredos do pedófilo. Não contente em apenas imortalizar suas
fantasias, a indústria do entretenimento conquistou Barrie, no filme de 2004 Finding Neverland. Foi uma reescrita da
realidade que teria deixado Joseph Goebbels orgulhoso. Foi dado um Oscar e o herói altruísta Baronet Barrie foi
interpretado por Johnny Depp.

Como sequência dos muitos filmes de Peter Pan, a Walt Disney Productions contratou Steven Spielberg para ajudar
a escrever e dirigir Hook em 1991. Robin Williams interpretou Peter Banning / Peter Pan. Em 2014, Williams foi
encontrado morto com aparente suicídio aos 63 anos. Williams teve "um aumento recente da paranóia" e estava
dormindo no quarto de um enteado por causa da insônia e ansiedade associadas ao mal de Parkinson, segundo o
relatório do legista. ... Williams foi encontrado em uma posição sentada no chão do quarto com um cinto preso em
volta do pescoço e a outra extremidade do cinto encravada entre a porta do armário e a moldura da porta. ... de
acordo com a esposa de Williams, é que ele pode ter aprendido sobre a técnica de suicídio de um filme no qual um
personagem que Williams interpretou morreu de asfixia auto-erótica. ~ CNN [288] O filme foi ironicamente intitulado
World ' s Greatest Dad (2009). Nela, Williams se depara com o corpo de seu filho adolescente que morreu durante a
tentativa de asfixia autoerótica; a prática de alcançar um máximo sexual final restringindo o fluxo de oxigênio
enquanto se masturba. Hook também estrelou Bob Hoskins, talvez mais conhecido como o detetive particular
alcoólatra Eddie Valiant no filme "animado" de animação ao vivo da Disney de 1988, Who Framed Roger Rabbit? No
filme, quando Hoskins sai de um banheiro público depois de se aliviar, passa por pichações na parede que só é
visível por um segundo: [289] Por um bom tempo, ligue para Allyson Wonderland. "Baby Burlesks" Alexander
Nabokov zombou de Hollywood como um foco secreto de pedofilia, chamando os supostamente satíricos "Baby
Burlesks" [sic] - curtas-metragens da criança Shirley Temple, de Jack Hays e Charles Lamont, em
1932/33. Insinuações sexuais extremas e perversas abundam nessas "sátiras", onde Temple frequentemente fazia
uma prostituta infantil. Em Glad Rags to Riches (1933), um pretendente de criança do sexo masculino morde um
enorme

pickle que esguicha Temple no rosto. Em War Babies (1932), um menino de fralda espera leite de uma garrafa acima
dele para esguichar. Quando derrama e cobre seu rosto, ele começa a chorar. Temple aparece com uma luva de
borracha para colocar em um barril de "Sweet Milk", enquanto um homem faz barulhos fora da câmera que são um
cruzamento entre um "moo" e um gemido. Em outras produções, Temple interpreta uma criança em um orfanato ou
uma fugitiva - principal presa para pedófilos. Em Pobre Menina Rica (1936), Temple acaricia e faz serenata para seu
pai na tela (ator Michael Whalen), cantando "Case comigo e deixe-me ser sua esposa ..." Em Captain January
(1936), Buddy Epson a empurra. cabeça em direção a sua virilha durante uma cena de dança. Em Curly Top (1935),
um benfeitor milionário canta sobre sua encantadora jovem ala que ele coloca em seu "País das Maravilhas"; o filme
foi banido na Dinamarca por sua óbvia insinuação pedófila. Serendipidade Satânica? Em 1918, Vladimir Lenin forçou
a Rússia a adotar o calendário gregoriano criado pelo jesuíta Christopher Clavius. Isso mudou o aniversário de
Nobakov de 10 de abril a 22 de abril, mas ele escolheu celebrar em 23 de abril porque era o aniversário de Shirley
Temple e de "William Shakespeare". Acredita-se que Shakespeare, por especialistas e luciferianos, tenha sido o
Maçon gnóstico Sir Francis Bacon [290]; o homem que editou a versão autorizada de 1611 da Bíblia para o rei Jaime
I da Inglaterra. [291] Em um enigmático post-script para Lolita, Nabokov afirmou que ele originalmente queria nomear
o assunto do desejo depois de Joan d'Arc, que foi queimado vivo pelo colégio católico romano de Sorbonne por usar
roupas e armaduras masculinas. [292] Essa foi uma tentativa de projetar suas próprias experiências vitimadas
quando menino? O tio aristocrata de Nobakov, Vasily Ivanovich Rukavishnikov, era membro do serviço estrangeiro
czarista e mantinha uma elegante propriedade em Roma. Ele também pode ter sido o pedófilo que abusou
sexualmente de Nobakov.

"Tio Ruka" compartilhava muitas semelhanças com "Humbert Humbert", para além da coincidência; particularmente
as diferenças de idade entre Humbert e Lolita vice Ruka e Nabokov. De acordo com a estudiosa de Nabokov, Joanne
Morgan, o controverso autor tinha extremo desgosto por Sigmund Freud e seu "Complexo de Édipo", que Nabokov
via como subterfúgio e validação pedófilos. Em mais um capricho da serendipidade satânica, "Freud" e "pedófilo"
seriam colocados em uma sentença décadas depois. Sir Clement Raphael Freud (1924 2009) foi o neto de Sigmund
Freud. ... mudou-se para o Reino Unido da Alemanha quando criança e depois trabalhou como renomado chef e
escritor de alimentos antes de se tornar conhecido por um público mais amplo como uma personalidade de televisão
e rádio. Ele foi eleito como membro liberal do Parlamento em 1973, mantendo seu assento até 1987, quando recebeu
o título de cavaleiro. Em 2016, sete anos após sua morte, três mulheres fizeram denúncias públicas de abuso sexual
e estupro por Freud, o que levou a investigações policiais. [4] ~ Wikipedia [293] A conveniência da "investigação
policial" que ocorre depois da morte do pedófilo poderoso, proeminente que também foi uma personalidade de meios
de comunicação e membro do Parlamento foi uma circunstância repetida tantas vezes como quase não tem
exceções. Sendo rico e poderoso, Freud manteve uma vivenda na pitoresca Praia da Luz, Portugal. Por coincidência,
foi nessa mesma vila que Madeleine McCann, de 4 anos, desapareceu em 2007, enquanto seus pais "classe
trabalhadora", Gerald e Kate, estavam de férias. A "coincidência" vai ainda mais longe, pois e-mails foram trocados
entre o pedófilo parlamentar e os McCann. Uma mulher que afirma ter sido vítima de Freud afirma ter contado à
polícia sobre suas ligações com a família, mas nada foi feito. ... "Ninguém mais pensaria que Freud fosse capaz de
abusar e estuprar, mas

ele fez isso comigo. "" Estou com raiva, a polícia desdenhava minhas informações. "" Meu filho escreveu para a
polícia com minha conta e preocupações sobre Freud em conexão com os McCann, mas ele nunca recebeu
nenhuma resposta. " tem uma neta de seis anos, uma jovem como Madeline. Se você tem algo que precisa ser
olhado, precisa contar a alguém. Foi o que eu fiz. "" É por isso que eu contatei a polícia, quando li a conta de Kate
McCann, queria que os detetives soubessem o que eu sabia sobre Clement Freud. "~ The Mirror [294] Parece que a"
investigação policial "que se seguiu "Não será abrangente. Mais sobre Madeleine no Capítulo 26. Síndrome de
Estocolmo Se Vladimir Nabokov quisesse expor a pedofilia como vítima dela, por que não ser mais evidente, mais
óbvio? Ser vítima de um pedófilo causa trauma extremo a uma criança. Eles estão confusos, satisfeitos por serem o
objeto do desejo aparente, mas horrorizados com a violação física e freqüentemente feridos por ela. Sem
compreensão, reabilitação ou fonte de consolo fora de si (geralmente encontrado em uma fé espiritual), suas
experiências envenenam a mente. Se o seu agressor é um membro do clero, eles são roubados mesmo
disto. Incapazes de lidar com o que aconteceu com eles, muitos tentam apagar os crimes com álcool ou
narcóticos. Quando isso acaba por falhar, eles tiram suas próprias vidas. Um pequeno número vai em outra
direção. Projetando-se no lugar de seu atormentador ("Síndrome de Estocolmo"), eles próprios se tornam
pedófilos. Esta terrível ocorrência é realmente cultivada pelos guardiões do

Simulação do diabo e encorajado a acontecer com a criança o mais rápido possível para que eles possam se tornar
agentes da Pedocracia e usados para atrair novas vítimas. Como um vírus terrível, a pedofilia metastatiza dentro de
cada vítima, transformando-os na próxima geração de vampiros que são então alistados nas fileiras da cabala
secreta da Elite Luciferiana.

Capítulo 7

Nenhum assunto de riso

1963: Primeiras alegações de pedofilia predatória feita contra DJ Inglês, televisão e personalidade de rádio Sir James
Wilson Vincent "Jimmy" Savile (1926 2011), OBE, KCSG. Nenhuma ação tomada.

O resumo sobre Savile da Wikipedia afirma: Savile foi convocado para trabalhar nas minas de carvão como um
menino Bevin durante a Segunda Guerra Mundial, supostamente sofrendo lesões na coluna vertebral, com idade de
14 anos. [9] Ele começou uma carreira tocando discos em, e depois gerenciando, salões de dança, e foi dito ter sido
o primeiro disc jockey a usar duas plataformas giratórias para manter a música em constante jogo. Sua carreira na
mídia começou como um disco Savile liderando o jóquei Lochaber na Radio Luxembourg em 1958 e Highland Games
em 2006. na Tyne Tees Television em 1960, e ele Wikimedia Commons desenvolveu uma reputação de
excentricidade e exuberância. Na BBC, ele apresentou a primeira edição de Top of the Pops em 1964 e transmitiu
pela Radio 1 de 1968. De 1975 até 1994, ele apresentou Jim Will Fix It, um programa de televisão popular em que ele
organizou os desejos dos telespectadores. principalmente crianças, virar realidade. Durante sua vida, ele foi
conhecido por levantar fundos e apoiar instituições de caridade e hospitais, em particular o Hospital Stoke Mandeville
em Aylesbury, a Leeds General Infirmary e o Broadmoor Hospital em Berkshire. Em 2009, ele foi descrito pelo The
Guardian como um "prodigioso

Ele fez a reclamação no dia seguinte ao assalto. O policial disse à vítima para "esquecer" e "seguir em frente". O
policial não registrou um relato do que a vítima havia dito - e, portanto, não houve investigação sobre o DJ. Houve um
segundo incidente similar - desta vez depois que o DJ começou a apresentar o Top of the Pops. Um homem disse à
Polícia Metropolitana que sua namorada havia sido agredida durante uma gravação do programa. Um oficial disse
que ele "poderia ser preso por fazer tais alegações". Nenhum relatório parece ter sido registrado. O HMIC diz que,
até onde sabe, os queixosos foram a outras três forças na Inglaterra e no País de Gales - Merseyside, a então Royal
Ulster Constabulary e West Yorkshire - mas não conseguiram que a polícia os levasse a sério. O Serviço de Polícia
da Irlanda do Norte, o sucessor do RUC, diz que verificou todos os registros e não encontrou nenhum relatório sobre
Savile. ~ BBC [296] Um ano mais tarde, um oficial com o Serviço de Polícia Metropolitana de Londres, com sede na
Scotland Yard, levou um relatório que Savile tinha cometido crimes na Escola Duncroft para meninas
emocionalmente perturbadas em Surrey.

Mais uma vez, nenhuma ação foi tomada. A verdadeira história do que aconteceu em Duncroft é inacreditável. Savile
foi dirigida para lá por poderes pedófilos e soltou as meninas internadas na instalação do governo para estuprar e
abusar à vontade. Os jovens adolescentes - enviados para as instalações porque precisavam de compaixão, ajuda e
refúgio - eram presas fáceis. Eles tinham apenas uma barreira entre eles e Savile, o pessoal da Duncroft que fazia
vista grossa. Savile abusou, violou e estuprou as meninas em seus quartos, na enfermaria de tratamento intensivo,
até no escritório do diretor. Ele realmente ficou a noite em várias ocasiões. Não se sabe se Savile tinha refeições
servidas em cada cena do crime, mas é certamente plausível. Talvez sua última demonstração de arrogância fosse
escrever no diário de visitas da Duncroft - e se apaixonar por tudo isso !!! ("Eu me pergunto se é legal amar 20
esposas") Se eles tiverem 12 anos e não quiserem, alguém não pensaria. Foi assinado como Savile assinado
tudo; com um rosto sorridente no "J" um $ para o "S" e £ para o "l". Mas para Savile, era muito mais que
dinheiro. Não só ele violou os pacientes adolescentes sob os cuidados do governo com impunidade, após sua morte
(quando foi seguro circular as queixas das vítimas) remanescentes continuaram a viver livres de qualquer
interferência da lei ou do sistema judiciário, incluindo a diretora Margaret Jones. Mas para Savile, era muito mais que
dinheiro. Não só ele violou os pacientes adolescentes sob os cuidados do governo com impunidade, após sua morte
(quando foi seguro circular as queixas das vítimas) remanescentes continuaram a viver livres de qualquer
interferência da lei ou do sistema judiciário, incluindo a diretora Margaret Jones. Mas para Savile, era muito mais que
dinheiro. Não só ele violou os pacientes adolescentes sob os cuidados do governo com impunidade, após sua morte
(quando foi seguro circular as queixas das vítimas) remanescentes continuaram a viver livres de qualquer
interferência da lei ou do sistema judiciário, incluindo a diretora Margaret Jones.

Uma mulher que foi abusada em Duncroft aos 14 anos, disse estar furiosa por não haver acusações. Ela disse: `É
vergonhoso. Os professores sabiam o que aquele monstro estava fazendo. Uma ex-aluna, uma das três garotas
fotografadas com a estrela em 1972, disse: `Jimmy tratava a Duncroft como uma loja de doces pedófilos. ' ~ Daily
Mail [297] Também após a morte de Savile, a British Broadcasting Corporation, financiada pelo contribuinte, realizou
uma investigação independente da mídia sobre as acusações de abuso sexual infantil. Custou 200.000 libras, mas a
BBC decidiu não fazer nada com as informações coletadas. Quando solicitado a pelo menos divulgar as descobertas,
o comitê liderado pelo ex-chefe da Sky News, Nick Pollard, recusou.

[298]

A revolta por causa dessas e de muitas outras atividades criminosas forçadas forçou a Polícia do Metrô a iniciar uma
força-tarefa especial (após a morte de Savile, é claro), a qual chamaram de Operação: YEWTREE. Mesmo nisso, os
policiais zombavam dos cidadãos. O teixo era altamente reverenciado pelos pagãos celtas e saxões como
representantes da magia sexual; "fertilidade", "regeneração" e "imortalidade". [299] Freqüentemente, as árvores
dentro dos bosques "sagrados" eram podadas, raspadas ou cortadas para aumentar a semelhança fálica.

Era, portanto, provavelmente o carvalho que era o mais venerado de todas as espécies de árvores, particularmente
quando estava sendo parasitado pelo visco sagrado (álbum de Viscum), como em tais casos ele seria visto como
uma das árvores escolhidas por suas divindades ( Altman, 2000). O carvalho seria assim encontrado
abundantemente em bosques sagrados freqüentados pelos druidas (usados para adorar divindades como Baal, que
era o deus do fogo), onde cerimônias religiosas na natureza (incluindo às vezes horríveis sacrifícios humanos),
reuniões comunitárias (por o propósito de aprender e socializar), e discussões legais seriam realizadas (Altman,
2000; Cusack, 2011; de Cleene e Lejeune, 1999; Hooke, 2010; Macculloch, 1911). De fato, este é um tema comum
entre todas as formas de paganismo, já que as árvores geralmente mostram sua sacralidade através da prática
ritualística. Outras espécies de árvores, tais como o teixo (Taxus baccata) também foram encontrados dentro dos
pomares e, em muitos casos, esses pomares de espécies, incluindo o carvalho e o teixo, também estariam
localizados próximos a um rio ou outra fonte de água (Cusack, 2011). A adoração, em particular, não seria realizada
em ambientes fechados, mas sim entre esses bosques sagrados (Monaghan, 2014), onde nenhuma parede do
templo teria sido construída em torno de locais sagrados que eram muitas vezes profundos dentro das florestas e
longe dos assentamentos (Hageneder, 2000). ). Curiosamente, a palavra druida pode até se traduzir em "homens de
carvalho", assim como a palavra de santuário dos druidas se origina da palavra latina nemus, que significa "bosque"
(Haberman, 2013). Por sua vez, isso explica o nome da deusa dos bosques sagrados dos celtas: Nemetona ("deusa
do bosque sagrado") (Forest, 2014). Em sânscrito, druida significa literalmente "conhecimento de árvore", onde "dru"
significa árvore e "wid" significa conhecimento (Hageneder, 2000). É claro que, dentro desses bosques celtas, outras
divindades eram adoradas, incluindo Taranis (Cusack, 2011), que muito como outros trovões europeus e deuses da
tempestade (incluindo Júpiter, Perkñon, Perun, Thor e Zeus, são discutidos mais tarde) foi representado por o
carvalho (Forest, 2014; Gardiner, 2007). ~ Arboricultura [300] A conexão entre o druidismo e a língua do Império
Romano não é coincidência. que muito como outros trovões europeus e deuses da tempestade (incluindo Júpiter,
Perkón, Perun, Thor e Zeus, alguns são discutidos mais tarde) foi representado pelo carvalho (Forest, 2014;
Gardiner, 2007). ~ Arboricultura [300] A conexão entre o druidismo e a língua do Império Romano não é
coincidência. que muito como outros trovões europeus e deuses da tempestade (incluindo Júpiter, Perkón, Perun,
Thor e Zeus, alguns são discutidos mais tarde) foi representado pelo carvalho (Forest, 2014; Gardiner, 2007). ~
Arboricultura [300] A conexão entre o druidismo e a língua do Império Romano não é coincidência.

Muitos ficarão chocados ao saber que os rituais de sangue e sexo arborizados condenados pela Bíblia ainda são
realizados até hoje. Há uma infinidade de exemplos, mas um de interesse pode ser encontrado em Juízes 6. Os
israelitas foram subjugados e tiranizados pelos midianitas em resposta à sua própria maldade. Eles clamaram a
YHWH pela entrega e um anjo foi enviado a Gideão, um jovem da tribo de Manassés. Para mostrar sua lealdade em
resposta ao chamado, Gideão sacrificou a YHWH de maneira levítica e o Anjo do Senhor mostrou o sacrifício
aprovado consumindo-o com fogo. Naquela noite, Gideão foi instruído pelo Senhor a usar um novilho forte e derrubar
o altar de Baal construído por seu próprio pai, bem como o poste de Asera próximo a ele (KJV; "bosque"). Asherah
era a deusa mãe da fertilidade cananéia; Semiramis / Isis / Columbia / "Mary". Ela era a consorte do deus sumério
Anu e do deus ugarítico El (embora não se confundisse com o hebraico / semita "El", YHWH). Quando os cananeus
perceberam o que Gideão tinha feito, eles procuraram reconstruir o altar de Baal e massacrar o jovem nele para
renovar seu compromisso. Em resposta, o pai de Gideão, Joás, se arrependeu de seu envolvimento passado e se
juntou a seu filho para desafiá-los. Quando os homens da cidade se levantaram cedo pela manhã, o altar de Baal foi
derrubado, o mastro de Asherah ao lado foi derrubado e o segundo touro foi oferecido no novo altar que havia sido
construído. Eles disseram uns aos outros: "Quem fez isso?" Quando eles perguntaram e perguntaram, eles
responderam: "Gideão, filho de Joás, fez isso". Então os homens da cidade disseram a Joás:

Baal? Você o salvaria? Quem quer que lute por ele será morto pela manhã. Se Baal é um deus, que ele lute por si
mesmo, pois alguém derrubou seu altar. "Portanto, naquele dia, chamou-o Jerub-Baal, dizendo:" Baal deve lutar
contra ele, porque ele derrubou o altar de Baal. " ~ Juízes 6: 28-32 (Inglês Moderno)

Gideão inspira os israelitas a derrubar os bosques e altares da Simulação do Diabo.

O evento foi um catalisador para a guerra. Aos midianitas se juntaram amalequitas e outras tribos cananéias, mas a
tribo de Manassés, de Gideão, seguiu as pegadas de Joás, arrependeu-se de sua adoração a Baal e reuniu-se a
ele. Eles se juntaram a guerreiros das tribos de Aser, Zebulom e Naftali e esmagaram esmagadoramente os
adoradores de Baal, jogando fora o jugo midianita de opressão. Nada disso, no entanto, estava nas mentes da
Polícia do Metrô; só que eles deixariam seus companheiros de Baal se assegurando que os servos de Asherah os
protegiam da Operação: YEWTREE. Os adoradores secretos de Baal da Polícia do Metrô anunciaram que haviam
encontrado 666 suspeitos que haviam abusado de crianças dentro de instituições. [301] Você está rindo ainda?

Até o momento, as prisões do YEWTREE incluem o imitador de Elvis Gary Glitter, Rolf Harris (um pintor) e Geoffrey
Wheeler, um empreiteiro da Open University que às vezes trabalhava para a BBC. A Scotland Yard sempre recebe o
seu homem ... desde que não seja uma consequência. Enquanto isso, os amigos e conexões pedófilos de Sir Savile
percorriam os mais altos níveis do governo britânico. Como resultado da "Regra de 30 anos [secreta]" expirando no
governo de Thatcher, alguns e-mails "íntimos" entre Sir Savile e a Primeira Ministra Margaret Hilda Roberts,
Baronesa Thatcher, vieram à luz - mas apenas alguns . O restante permanece selado, apesar da expiração da Regra
de 30 anos. Parece que Savile era o cara preferido da dama de ferro; ela passou 11 Eves consecutivos de Ano Novo
com o pedófilo serial. Eles frequentemente almoçavam juntos no Culture-icônico Checkers Pub. Thatcher
supervisionou pessoalmente a Cavalaria de Savile. Uma nota manuscrita enviada em fevereiro de 1980 de Sir Savile
ao primeiro-ministro Thatcher afirma efusivamente - Meus pacientes de menina fingiram estar loucamente ciumentos
e queriam saber o que você usava e o que comia. [302] Ele usou a mesma assinatura de quando assinou o registro
de Duncroft, antes de continuar a estuprar e aterrorizar pré-adolescentes emocionalmente problemáticos. Dado que o
mais próximo que Savile chegou à profissão médica foi usá-lo para ter acesso às crianças mais vulneráveis no
atendimento médico socializado da Grã-Bretanha, parece claro (junto com a recusa de liberar a maior parte da
correspondência de Savile / Thatcher) que pelo menos Thatcher estava ciente das profilidades monstruosas de
Savile. No entanto, o que sabemos do diabo ' s A simulação faz com que a Baronesa Thatcher seja um participante
completo. Ela não poderia ter se tornado um dos mais antigos primeiros-ministros da história britânica, do contrário.

A Escola Aprovada de Duncroft, em Surrey, não era a única instalação médica do governo em que Savile tinha
acesso livre e irrestrito. Ele também invadiu e estuprou os jovens pacientes do Hospital Stoke Mandeville em
Buckinghamshire. Dada a medida em que Savile foi capaz de entrar nessas instalações, cometer crimes hediondos
em crianças, depois sair sem pensar nem se importar com a interferência, é claro que ele teve a cooperação total do
Serviço Nacional de Saúde da Inglaterra. O que também é óbvio é que os pedófilos poderosos do governo britânico
estavam dirigindo o monstro especificamente para esses locais; tendo já esclarecido para suas atividades. Relatórios
de vítimas de Stoke Mandeville mostram que Savile não era apenas um estuprador infantil em série: ele era um
membro ativo da Simulação do Diabo. [itálicos suspensos, exceto no original] Jimmy Savile espancou e estuprou uma
menina de 12 anos durante um ritual satânico secreto em um hospital. A estrela pervertida usava um manto com
capuz e máscara quando ele abusou da vítima aterrorizada em um porão à luz de velas. Ele também cantou "Hail
Satan" em latim como outros adoradores do diabo pedófilo se juntaram e agrediram a menina no Hospital Stoke
Mandeville em Buckinghamshire. O ataque, que aconteceu em 1975, lança uma nova luz sinistra sobre o reinado de
terror de 54 anos do ex-DJ. Savile, que morreu aos 84 anos em outubro de 2011, é agora o pior criminoso sexual da
Grã-Bretanha depois que a polícia revelou que ele atacou pelo menos 450 vítimas de oito a 47 anos. A menina
manteve seu tormento escondido por quase 20 anos antes de finalmente se abrir para a terapeuta Valerie
Sinason. Dr.

"Ela se lembrou de ter sido levada para uma sala cheia de velas no nível mais baixo do hospital, em algum lugar que
não era usado regularmente pela equipe. Vários adultos estavam lá, incluindo Jimmy Savile que, como os outros,
usava uma túnica e mascarar." "Ela o reconheceu por causa de sua voz distinta e do fato de que seu cabelo loiro
estava saindo do lado da máscara. Ele não era o líder, mas ele era visto como importante por causa de sua
fama." "Ela foi molestada, estuprada e espancada e ouviu palavras que soavam como 'Ave Satanas', uma versão
latinizada de 'Hail Satan', cantada. Não havia menção de nenhuma outra criança estar lá e ela não consegue lembrar
quanto tempo durou o ataque. mas ela ficou extremamente assustada e abalada ". Savile foi voluntário porteiro e
fundraiser no hospital entre 1965 e 1988 e tinha seus próprios aposentos lá. Cinco anos após o ataque ao hospital,
ele abusou de uma segunda vítima durante outra cerimônia em massa realizada em uma casa em uma rica rua de
Londres. A mulher tinha 21 anos na época e foi feita para participar de uma orgia, que mais tarde assumiu um toque
mais sombrio. Dr. Sinason, diretor da Clínica de Estudos Dissociativos em Londres, disse: "Uma segunda vítima se
aproximou de mim em 1993. Ela disse que foi" emprestada "como uma mulher prostituída que supostamente
consentiu em uma festa em uma casa em Londres em 1980. " "A primeira parte da noite começou com uma orgia,
mas a meio caminho entre alguns dos participantes." "Juntamente com outras jovens mulheres, a vítima foi levada a
esperar em outro quarto antes de ser levada de volta para encontrar Savile em um papel de mestre de cerimônias
com um grupo vestindo robes e máscaras. Ela também ouviu latim cantando e instantaneamente reconheceu a
regalia satânica. Embora a menina fosse um jovem adulto, que estava acima da idade de consentimento, ela havia
sofrido uma história de abuso sexual e era extremamente vulnerável ".

Ambas as vítimas contataram o Dr. Sinason, que é presidente do Instituto de Psicoterapia e Deficiência, enquanto ela
estava envolvida em um estudo financiado pelo Departamento de Saúde sobre o abuso sexual cometido durante
rituais e cerimônias religiosas. Ela disse: "Ambas as testemunhas falaram com a polícia na época, mas eram
testemunhas vulneráveis e, ao encontrar qualquer surpresa ou choque, não ousaram dar todos os detalhes". A
polícia não tomou medidas. ... "Nenhuma das duas se conhecia, elas moravam em diferentes partes do país e me
contataram por um ano, mas suas experiências são muito parecidas." ... Dr. Sinason passou detalhes do abuso para
oficiais da investigação Saville, a Operação Yewtree. ~ Express [303] Isso significa que os "detalhes" foram
devidamente descartados pelos policiais do metrô de Londres. É tão simples assim? Jimmy Savile era apenas um
"satanista"? Até agora, é claro que a Igreja Católica Romana assumiu o Império Romano como os guardiões da
Simulação do Diabo. Havia mais pistas do que apenas Savile falando latim e se aproximando de uma "Missa"
enquanto ele violava garotas pré-adolescentes? A verdade parecia tão indescritível quanto uma investigação da
Scotland Yard, mas a primeira pista chegou à morte de Savile em 2011. Depois que seu caixão de ouro desfilou em
Leeds, "Sir Jimmy" recebeu um complemento total de Royal Marines para levá-lo ao funeral. realizada na catedral
católica romana de St. Anne, em Leeds. Dois anos depois, surgiu silenciosamente que o principal clérigo católico
romano, o cardeal Keith O'Brien, era um amigo querido. Foi uma associação que durou décadas e incluiu Savile ' s
mãe [304] Jimmy Savile foi selecionado por seu papel muito antes de ser famoso? A associação de Savile e Cardeal
O'Brien inclui pedófilo

predação pelos sacerdotes, também. O casal se conheceu pela primeira vez nos anos 70, quando O'Brien era padre
em Kilsyth, North Lanarkshire e trabalhou com um amigo da mãe de Savile. Outro padre em Kilsyth na época foi
suspenso depois de acusações de abuso contra duas jovens vítimas. ~ The Mirror [305] Nesse mesmo ano, O'Brien
foi forçado a renunciar quando nada menos do que 4 padres se apresentaram alegando que ele havia tocado ou
proposto para gratificação homossexual, muitas vezes durante as suas orações compartilhadas da noite [306]. Antes
que a extensão total dos ultrajes secretos de Savile fosse conhecida, o International Business Times vazou a verdade
de fontes católicas. Jimmy Savile era católico praticante, mas isso foi omitido da maioria de seus obituários. Jimmy
Savile era um católico devoto que frequentava a missa regularmente, surgiu. Na esteira do Savile ' No último ano, um
jornal católico chegou a questionar uma "conspiração de silêncio" em torno da religião do apresentador de TV na
época de sua morte. O Catholic Herald observou que poucos jornais mencionaram que ele era um católico praticante,
que assistia à missa regularmente, ao escrever seus obituários do DJ. O Arauto perguntou: "Por que não mencionar
que uma parte importante de sua vida estava assistindo à Missa diária? Há uma profunda dedicação na vida de um
homem que doa 90% de tudo o que ganha e incansavelmente faz todas as outras coisas que fez. "Você pensaria que
um obituário iria querer fazer uma pergunta simples: de onde veio tudo isso? É quase como se não suportassem
aceitar que a resposta era o catolicismo:

[309]

A manchete original do colunista William Oddie era - Obituários de Jimmy Savile mencionaram seu trabalho de
caridade, mas por que a conspiração do silêncio sobre sua fé? A resposta para a pergunta do Sr. Oddie é: porque a
mídia e o governo estão em dívida com Roma hoje como estavam na Idade Média e Roma controla as abominações
que abrem o acesso à Simulação do Diabo.

Capítulo 8

Spotlighting

20 de abril de 1967: O Padre John Joseph Geoghan é transferido da Paróquia do Santíssimo Sacramento em
Saugus, Massachusetts, para a paróquia de St. Paul em Hingham, Massachusetts, sem explicação para os
paroquianos de seus superiores. Dentro de um ano, ele é pego por um pai Hingham molestando seu filho. O homem
queixou-se às autoridades da Igreja. Geoghan foi enviado ao Instituto Seton, em Baltimore, para "aconselhamento" e
depois transferido para a paróquia de St. Mary em Melrose, Massachusetts, onde molestou todos os quatro meninos
pertencentes à mãe solteira Joanne Mueller.

Depois de 40 anos estuprando e abusando de crianças, as reclamações sobre Geoghan finalmente produziram ação:
o papa São João Paulo II exonerou o padre em 1998. Ele teve sua fuga, ele agora foi inocentado como bode
expiatório sacrificial. Três anos depois, em 2001, a equipe de "investigação profunda" do Boston Globe realizou uma
série de relatórios detalhando as décadas de ultraje de Geoghan. O Globe foi dominado por católicos treinados pelos
jesuítas, como Walter "Robbie" Robinson, da equipe do Spotlight. Foi a coragem que instigou os relatórios? - Desejo
de expulsar a arquidiocese de seus padres pedófilos? Em 2015, a Spotlight chamou a atenção de Hollywood para
provar que a mídia controlada pelos Cavaleiros de Malta era de fato confiável - especialmente quando entregue aos
judeus como administradores. Martin "Marty" Baron era um editor de circuito judaico, saltando de papel para papel,
fazendo milagres por sua reputação decadente. Em julho de 2001, Baron sucedeu a Matthew Storin, educado para a
Notre Dame, como editor executivo do Globe. Em sua primeira reunião de equipe, Baron recomendou que a equipe
do Spotlight dedicasse o padre John J. Geoghan.

Seria esse novato judeu jogando Super-Homem e forçando os católicos treinados pelos jesuítas do globo a fazerem
seus trabalhos? Ele certamente tinha o currículo para isso. Baron nasceu em Tampa, na Flórida, para emigrantes
judeus de Israel. Ele frequentou a Escola Preparatória de Berkeley e trabalhou no jornal dos alunos da escola. Ele se
matriculou na Lehigh University, onde foi editor do jornal The Brown and White. Ele ganhou um Bacharel em
Jornalismo e MBA com honras em quatro anos, graduando-se em 1976. [1] Ele recebeu permissão especial para
fazer cursos de graduação na graduação. [2] Baron é um falante fluente em espanhol. [3] No ano em que se formou
na faculdade, Baron começou a trabalhar para o The Miami Herald; mudou-se para o The Los Angeles Times em
1979 e para o The New York Times em 1996. [4] Ele retornou ao Herald como editor executivo em 2000 e liderou a
cobertura de várias histórias importantes, incluindo o retorno de Elián González a Cuba e a eleição de 2000. ~
Wikipedia [310] Infelizmente, a história verdadeira é tão corrupta e cínica quanto todas as outras que você leu até
agora. Elián González era uma criança imigrante cubana, arrancada de sua família sob a mira de uma arma pelo
governo Bill Clinton, treinado pelos jesuítas, e deportada. Como mostrou sua liderança na história, Marty Baron era o
vocalista judeu perfeito para Roma usar para ajudar seus fantoches na propaganda a promover a ideia de que eles
eram verdadeiros jornalistas. Boston e as dioceses vizinhas sofriam por ser tão abertamente controlada por
Roma. Predadores em série, como o padre Paul Shanley e o padre James Porter, estupraram e abusaram de
centenas de crianças e foram cuidadosamente habilitados por constantes transferências para novos pastos, uma vez
que a ira dos paroquianos foi criada em um antigo. Em 2003, o Procurador-Geral da Justiça Católica Romana
treinado por jesuítas, Thomas Francis Reilly, [xxi] foi forçado a admitir que milhares de crianças haviam sido
abusadas pelo clero católico em seu distrito nos últimos 60 anos. Pelo menos 789 crianças e provavelmente mais de
1.000 foram abusadas sexualmente por 250 padres e outros obreiros da Igreja na Arquidiocese Católica Romana de
Boston desde 1940, de acordo com um período de 16 meses. [xxi] foi forçado a admitir que milhares de crianças
haviam sido abusadas pelo clero católico em seu distrito nos últimos 60 anos. Pelo menos 789 crianças e
provavelmente mais de 1.000 foram abusadas sexualmente por 250 padres e outros obreiros da Igreja na
Arquidiocese Católica Romana de Boston desde 1940, de acordo com um período de 16 meses. [xxi] foi forçado a
admitir que milhares de crianças haviam sido abusadas pelo clero católico em seu distrito nos últimos 60 anos. Pelo
menos 789 crianças e provavelmente mais de 1.000 foram abusadas sexualmente por 250 padres e outros obreiros
da Igreja na Arquidiocese Católica Romana de Boston desde 1940, de acordo com um período de 16 meses.

investigação pelo procurador-geral de Massachusetts que foi tornada pública hoje. ~ The New York Times [311]
Pode-se supor que os números reais escalonam os sentidos, especialmente ao expandir os parâmetros dos locais e
datas. O padre James Porter começou a molestar crianças mesmo antes de sua ordenação - mais ou menos na
mesma época em que Alfred Kinsey estava em pleno andamento com sua agenda fora da Universidade de
Indiana. Como todos antes ou depois, Porter estuprou crianças impunemente e, quando terminou, foi libertado de
seus votos e autorizado a se estabelecer. Mesmo o resumo da Wikipédia "editada pelo usuário" é honesto e horrível
em sua prova da corrupção sistêmica que é a Simulação do Diabo - Porter começou a treinar para o sacerdócio e
molestar crianças ainda jovens; ele abusou de sua primeira vítima conhecida em 1953, o verão antes de entrar no
seminário. [2] Foi ordenado em 1959 e tornou-se sacerdote da diocese de Fall River, Massachusetts. Porter foi
designado para a escola de gramática paroquial de St. Mary em North Attleboro, Massachusetts, em abril de 1960, e
encarregado dos coroinhas. Porter ganhou reputação como molestador de crianças, mas nenhuma ação foi tomada
contra ele pela Igreja Católica até 1963, quando pelo menos quatro pais se queixaram a seus superiores sobre seu
comportamento inadequado. Em vez de entrar em contato com a polícia, no entanto, funcionários da Igreja
transferiram Porter para uma paróquia em Fall River, onde surgiram novas queixas sobre seu comportamento. [1] No
início dos anos 1960, mais de 60 crianças de North Attleboro foram sexualmente vitimadas por James Porter e quase
100 no sudeste de Massachusetts. [3] Em 1964, Porter foi preso por molestar um menino de 13 anos de idade e
enviado para uma instituição psiquiátrica por 13 meses [sentença escandalosamente leve]. Uma vez libertado, ele foi
rapidamente transferido para outra paróquia, a primeira de muitas dessas transferências ao longo dos anos. Ele foi
arrastado para mais duas paróquias antes que mais acusações se acumulassem e ele foi hospitalizado novamente
em 1967, desta vez em um hospital dirigido por colegas padres que praticavam psicoterapia holística em seus
pacientes, muitos dos quais eram membros do clero que sofriam de problemas psicológicos. O "problema" de
Porter Ele foi arrastado para mais duas paróquias antes que mais acusações se acumulassem e ele foi hospitalizado
novamente em 1967, desta vez em um hospital dirigido por colegas padres que praticavam psicoterapia holística em
seus pacientes, muitos dos quais eram membros do clero que sofriam de problemas psicológicos. O "problema" de
Porter Ele foi arrastado para mais duas paróquias antes que mais acusações se acumulassem e ele foi hospitalizado
novamente em 1967, desta vez em um hospital dirigido por colegas padres que praticavam psicoterapia holística em
seus pacientes, muitos dos quais eram membros do clero que sofriam de problemas psicológicos. O "problema" de
Porter

não foi único entre os pacientes do hospital; dois deles foram presos depois por abusar, entre eles, centenas de
crianças. - Punição por estuprar crianças: receba "terapia" de outros padres sobre porque não é aceitável aceitar a
inocência das crianças. - Porter foi libertado depois de alguns meses, mais uma vez declarado curado, e recebeu
atribuições de estágio em paróquias no Texas, Novo México e Minnesota, todas com acesso a
crianças. Reclamações surgiram às dúzias contra Porter, mas nenhuma delas resultou em ação disciplinar além de
ser movida de post para post. [1] Em 1973, Porter escreveu uma carta ao papa Paulo VI pedindo para ser libertada
do sacerdócio, na qual ele admitiu ter molestado crianças em cinco estados. O papa atendeu seu pedido e, em 1974,
Porter desistiu de sua coleira. [4] Ele casou, e eventualmente se estabeleceu em Minnesota. Ele e sua esposa
tiveram quatro filhos. Como um assassino da máfia, Porter destruiu incontáveis vidas do que simplesmente
"desistir". Ele foi autorizado a fazê-lo por Roma e seus servidores públicos obedientes através de uma multiplicidade
de Estados onde ele estuprou crianças. Paul Shanely era um "organizador comunitário" de estilo jesuíta; "hippie
pregador de rua" por dia, estuprador infantil à noite. No auge de seus 40 anos de terror (que incluíram o estupro e
abuso de crianças), o idoso Shanely foi finalmente preso em 2005. Depois de cumprir a sentença mínima, ele foi
libertado. Mesmo com 86 anos de idade, as vítimas ficaram furiosas porque ele deveria ser devolvido à sociedade.
[Xxii] O advogado Mitchell Garabedian, que representou alguns desses homens em ações judiciais contra a
Arquidiocese de Boston, disse que seus clientes estão chateados que Shanley está saindo da prisão. "Infelizmente,
não existe nenhum mecanismo que impeça Paul Shanley de abusar sexualmente de novo", disse Garabedian
[xxiii]. "Quando se trata de um abusador sexual abusando de uma criança inocente, o abusador pode ter 35 anos ou
95 anos e não há limite de idade". ~ The Press Herald [312] Shanley foi indicada pela liderança católica e pela mídia
como a

Associated Press e Fox News como tendo um "ministério especial para adolescentes": Por mais de 20 anos, o
reverendo Paul Shanley estabeleceu uma reputação como um "padre de rua", estabelecendo um ministério para
fugitivos, viciados em drogas, vagabundos e adolescentes. lutando com a sexualidade. Mas Shanley aparentemente
tinha outro lado. Não se pode ter certeza de qual é o "outro lado" de atacar "adolescentes que lutam contra a
sexualidade", mas não era algo que Shanley fizesse por conta própria: ele recebeu ordens para isso. Documentos
recém-divulgados mostram que ele tinha um longo histórico de alegações de conduta sexual. Ele defendeu
publicamente o sexo entre homens e meninos e foi até mesmo na conferência de sexualidade que viu a fundação da
North American Man Boy Love Association. Entre os documentos entregues pela arquidiocese católica romana de
Boston em relação a um processo recentemente aberto contra ele estava a edição de 12 de fevereiro de 1979 de
uma publicação chamada GaysWeek que inclui um artigo intitulado "Men & Boys". ... O artigo da GaysWeek
descreveu uma reunião de 150 pessoas em Boston sobre o tema do amor homem-menino. Ele disse que muitos
oradores representando várias religiões endossaram tais relacionamentos - incluindo Shanley, que estava lá como
representante do programa do então cardeal de Boston Humberto Medeiros para o alcance de minorias sexuais. ... A
North American Man Boy Love Association aparentemente foi formada no final da conferência por 32 homens e dois
adolescentes. Não houve indicação no artigo de que Shanley estivesse entre eles. [314] Ainda, devemos acreditar
que o padre Paul Shanley deixou de receber ordens para liderar o "Cardeal do programa de Boston Humberto
Medeiros para o alcance das minorias sexuais" para ajudar a fundar o NAMBLA por conta própria. O co-fundador da
NAMBLA de Shanley foi Thomas Reeves, um professor universitário que viveu e trabalhou em Boston. Como
Shanely, o padre jesuíta Richard McSorely e muitos outros clérigos católicos, Reeves era um "organizador
comunitário" de extrema-esquerda, especializado em questões como homossexualidade, AIDS,

ou o rascunho do Vietnã. Reeves, no entanto, era um ministro metodista ordenado. Ele nasceu em Nashville,
Tennessee e pastoreou uma igreja em Blue Springs, Alabama. No entanto, ele se sentiu atraído para o refúgio
católico de Boston para se estabelecer. Reeves não era um metodista rigoroso, na verdade, ele era um membro de
Taizé; um movimento ecumênico francês que encorajou os protestantes a se fundirem com sua "mãe" Igreja Católica.
[315] Qualquer semelhança entre a Croix de Taizé e a Cruz Maltese gnóstica usada pelos Cavaleiros Católicos para
denotar sua lealdade é mera coincidência.

Cruz de Taizé

Cruz Maltesa dos Templários

A mesma "coincidência" pode ser encontrada na "Cruz de Ferro" Teutônica; uma decoração militar fundada por
Friedrich Wilhelm III da Prússia em março de 1813 e orgulhosamente concedida a muitos nazistas durante a
Segunda Guerra Mundial por seus serviços para ... "Alemanha". Em 2012, Thomas Reeves morreu de insuficiência
cardíaca em outra cidade católica que ele gostava de passar tempo: Baltimore. Os simpatizantes foram convidados a
doar para o orfanato de São José em Porto Príncipe, no Haiti. NAMBLA orgulhosamente proclamá-lo -
De 1976 a 2001, Reeves lecionou no Roxbury Community College, historicamente negro de Boston, onde se tornou
professor titular de ciências sociais e diretor do programa Caribbean Focus da escola. Tom tinha um interesse
particular na situação do Haiti, escrevendo e falando frequentemente sobre o país e participando de várias
delegações e missões humanitárias, pelas quais foi homenageado pelo governo haitiano. A convite de Tom, o então
presidente haitiano, Jean-Bertrand Aristide, discursou na faculdade e recebeu um diploma honorário em abril de
1992. [316] Jean-Bertrand Aristide foi, ele mesmo, um padre jesuíta [317] que usurpou o poder em 1990. Oito meses
depois, ele foi derrubado por um golpe militar. Os haitianos estavam cheios de sedições jesuítas (o que a ordem faz
melhor). Apesar de ter controle total de " Duvalier aplicou teatro para controlar através do medo e muitas vezes
vestido como "Baron Samedi", o espírito haitiano da luxúria e dos mortos. Em uma tirania autocrática, rastrear vítimas
é impossível, mas o número total de mortos nas mãos de François Duvalier pode chegar a 60.000. Tonton Macoute é
uma tradição Voodoo / Creole traduzida como "Tio Mochila": um demônio vestido de smoking que sequestra crianças.

Quando François "Papa Doc" Duvalier morreu em 1971, ele deixou seu filho Jean-Claude "Baby Doc" Duvalier em
seu lugar. No entanto, "Baby Doc" não era tão focado como seu pai assassino. Ele se voltou para o que ele sabia ser
a fonte do poder - Roma - e desistiu da investidura de seu pai em favor da aprovação aberta do Vaticano ao seu
regime. Reconhecendo sua fraqueza, uma visita do Papa São João Paulo II foi organizada em 1983, mas Duvalier
ficou chocado quando o Vigário de Cristo fez um discurso em crioulo pronunciando "As coisas devem mudar aqui".
[320]

Aparentemente, até o barão Samedi é também um cavaleiro de Malta.

Um ano depois, os jesuítas retornaram do exílio com força total, graças a um novo tratado assinado entre "Baby Doc"
Duvalier e Roma (conhecido como "Concordata"). Baby Doc estava fora de manobra. O papa, decidido a posicionar a
Igreja para o futuro, ficou feliz em trair seu anfitrião. Dar a Papa Doc o controle da Igreja Haitiana serviu ao seu
propósito e agora era hora de reinar em seu filho fraco e fazer com que ele assinasse a nova concordata na janela de
oportunidade antes de ser expulso. Enquanto deliberadamente acelerava a partida de Baby Doc, o Vaticano
aproveitou a oportunidade para negociar duramente com seu governo em colapso. A emenda de concordata de 1984
rescinde até mesmo o direito nominal do Presidente de nomear bispos e arcebispos [Investidura]. [25] Além de uma
concordata favorável, o Vaticano A oposição tardia ao regime ofereceu novas oportunidades. Permitiu que a Igreja se
distanciasse do ditador que uma vez havia apoiado. (O Vaticano usou a mesma estratégia na década anterior
durante os dias de declínio da Espanha de Franco). Esse movimento deu à Igreja o crédito por ajudar a conduzir um
ditador impopular e ao mesmo tempo distrair os haitianos do histórico do Vaticano de apoiar regularmente o governo.
fortes e elites da nação. Em 1986, protestos contra Baby Doc levaram os EUA a providenciarem a Duvalier Este
movimento deu à Igreja o crédito por ter ajudado a expulsar um ditador impopular e ao mesmo tempo distrair os
haitianos do histórico do Vaticano de apoiar regularmente os homens fortes e as elites da nação. Em 1986, protestos
contra Baby Doc levaram os EUA a providenciarem a Duvalier Este movimento deu à Igreja o crédito por ter ajudado
a expulsar um ditador impopular e ao mesmo tempo distrair os haitianos do histórico do Vaticano de apoiar
regularmente os homens fortes e as elites da nação. Em 1986, protestos contra Baby Doc levaram os EUA a
providenciarem a Duvalier

e sua família para ser exilado para a França e uma nova constituição foi proclamada no ano seguinte. ~ Concordat
Watch [321] Ao trair os ditadores que Roma tinha apoiado uma vez ela agora poderia reivindicar o crédito pela
expulsão de Duvalier. Em 1986, o New York Times orgulhosamente alardeado - Um grupo de padres e freiras
haitianos está pressionando pela renúncia do Arcebispo de Porto Príncipe por causa do que eles dizem ser sua
colaboração com o governo Duvalier. Setores militantes da Igreja Católica Romana que desempenharam um papel-
chave na derrubada do presidente Jean-Claude Duvalier em 7 de fevereiro parecem estar por trás da campanha
contra o arcebispo François-Wolff Ligonde.

[322]

O arcebispo de Porto Príncipe (capital do Haiti) detém o mesmo poder que o arcebispo de Canterbury detém na
Inglaterra. Acreditar que qualquer Prelado em uma posição tão crítica renunciaria à lealdade a Roma por causa da
lealdade à nação anfitriã ou seria completamente ignorante da hierarquia católica ou propositadamente enganoso.
[Xxiv] Em 1994, o padre jesuíta Aristide andava nas costas dos soldados americanos enviados pelo presidente
treinado pelos jesuítas, Bill Clinton, em seu retorno triunfante ao poder. Os jesuítas certamente não faltam na
bochecha. A legislação que eles instalaram depois da falsa bandeira de 11 de setembro que levou os Estados Unidos
a um estado policial orwelliano foi rotulada por agentes católicos no Congresso como "o Ato Patriota". O "recado de
misericórdia" de Bill Clinton para reinstalar o padre Aristide no ponto das baionetas americanas foi chamado de
" Mais tarde, ele passaria um breve período como conselheiro de segurança nacional de Donald Trump antes de ser
convidado a renunciar a outro católico devoto (mais tarde renomeado como "evangélico" [324]), o vice-presidente de
Trump, Michael Pence. Flynn e seu filho, Flynn Jr. estavam no Mais tarde, ele passaria um breve período como
conselheiro de segurança nacional de Donald Trump antes de ser convidado a renunciar a outro católico devoto
(mais tarde renomeado como "evangélico" [324]), o vice-presidente de Trump, Michael Pence. Flynn e seu filho,
Flynn Jr. estavam no

coração de uma tempestade de mídia [326] sobre o chamado escândalo "PizzaGate". Envolveu o negociador de
poder democrata e ex-seminarista jesuíta John Podesta no tráfico de escravos sexuais infantis que se centravam no
Comet Ping Pong Pizza em Washington DC. Mais sobre "PizzaGate" no Capítulo 31. Talvez não seja surpresa que o
orfanato católico St. Joseph seja tão bem pensado. - de NAMBLA e o co-fundador do "ministro metodista" Thomas
Reeves, também é atormentado por relatos de que as crianças internadas lá são constantemente vitimadas e
forçadas ao tráfico de escravos sexuais. Mais sobre isso no capítulo 28. O alcance católico de Boston às "minorias
sexuais" Além da menção única à Associated Press, nada mais pode ser aprendido do "programa" do cardeal
Medeiros. O Boston Globe diria a Shanley que ele resgatou "legiões de fugitivos homossexuais" e "seus pais ...
consideravam Shanley um herói e sua obra uma ... bênção". [327] A mesma peça se gabou de que Shanely era
dirigindo de estado a estado "em uma turnê falante". Paul Shanley era o católico romano Tony Robbins ou seus
superiores asseguravam que ele tinha acesso a crianças mesmo fora de Massachusetts? Na verdade, o serial-boy-
violist Paul Shanley era um homem extraordinariamente poderoso, de orientar legisladores homossexuais a caminho
do Congresso para ajudar Alfred Kinsey a puxar os EUA para a anarquia sexual - o deputado Barney Frank, então
um legislador estadual ativo em questões de direitos dos gays , participou de reuniões legislativas com ele. Um dos
poucos sacerdotes do país que trabalhavam em tempo integral com homossexuais, Shanley encantou não apenas os
líderes da mídia e da cidade, mas também os trabalhadores clericais e jovens em toda a Nova Inglaterra. Eles
estudaram os ensaios gravados por Shanley sobre "Aconselhamento de Pais de Gays" e "Mudança de Normas de
Sexualidade" como se fossem escrituras. [328] A Igreja tinha grandes planos para Barnett "Barney" Frank. Como um
judeu homossexual, ele era outro excelente homem de frente. Ele iria continuar a desgraçar o Congresso para a
Commonwealth of Massachusetts por mais de 30 anos. Durante esse tempo, ele foi fundamental na perda de
restrições aos bancos predatórios através da revogação da Lei Glass-Steagall [329], bem como a catástrofe que foi
a Eles estudaram os ensaios gravados por Shanley sobre "Aconselhamento de Pais de Gays" e "Mudança de
Normas de Sexualidade" como se fossem escrituras. [328] A Igreja tinha grandes planos para Barnett "Barney"
Frank. Como um judeu homossexual, ele era outro excelente homem de frente. Ele iria continuar a desgraçar o
Congresso para a Commonwealth of Massachusetts por mais de 30 anos. Durante esse tempo, ele foi fundamental
na perda de restrições aos bancos predatórios através da revogação da Lei Glass-Steagall [329], bem como a
catástrofe que foi a Eles estudaram os ensaios gravados por Shanley sobre "Aconselhamento de Pais de Gays" e
"Mudança de Normas de Sexualidade" como se fossem escrituras. [328] A Igreja tinha grandes planos para Barnett
"Barney" Frank. Como um judeu homossexual, ele era outro excelente homem de frente. Ele iria continuar a
desgraçar o Congresso para a Commonwealth of Massachusetts por mais de 30 anos. Durante esse tempo, ele foi
fundamental na perda de restrições aos bancos predatórios através da revogação da Lei Glass-Steagall [329], bem
como a catástrofe que foi a Ele iria continuar a desgraçar o Congresso para a Commonwealth of Massachusetts por
mais de 30 anos. Durante esse tempo, ele foi fundamental na perda de restrições aos bancos predatórios através da
revogação da Lei Glass-Steagall [329], bem como a catástrofe que foi a Ele iria continuar a desgraçar o Congresso
para a Commonwealth of Massachusetts por mais de 30 anos. Durante esse tempo, ele foi fundamental na perda de
restrições aos bancos predatórios através da revogação da Lei Glass-Steagall [329], bem como a catástrofe que foi a

"Bolha imobiliária". ... suas impressões digitais estão por todo esse fiasco. Uma e outra vez, Frank insistiu que Fannie
Mae e Freddie Mac estavam em boa forma. Cinco anos atrás, por exemplo, quando o governo Bush propôs uma
regulamentação muito mais rígida das duas empresas, Frank insistiu que "essas duas entidades, Fannie Mae e
Freddie Mac, não estão enfrentando nenhum tipo de crise financeira". Quando a Casa Branca alertou sobre "risco
sistêmico para o nosso sistema financeiro", a menos que os gigantes da hipoteca fossem reprimidos, Frank reclamou
que a administração estava mais preocupada com a segurança financeira do que com a moradia. Agora que a bolha
estourou e o "risco sistêmico" é aparente para todos, Frank declara alegremente: "O setor privado nos colocou nessa
confusão". Bem, dê ao congressista pontos por fel. Wall Street e credores privados têm muito a responder, mas foi
Washington e a classe política que descarrilou este trem. ~ Boston Globe [330] Devemos acreditar que Humberto
Medeiros atribuiu a Paul Shanley essas posições críticas sem o conhecimento de suas depredações
sexuais? Shanley teve até a aprovação do sucessor de Medeiros, o cardeal Richard Cushing. O Boston Globe
admitiu que os crimes de Shanley eram bem conhecidos em seus círculos poderosos. Para alguns católicos devotos,
a noção de tal ministério parecia em desacordo com os ensinamentos da igreja. ... Que Shanley, agora 71 [em 2002],
foi acusado de molestar alguns dos garotos que pediram ajuda a ele agora é bem conhecido. Mais difícil de adivinhar
é o que os líderes da igreja sabiam ou suspeitavam de seu comportamento. E ainda mais desconcertante,
especialmente para algumas de suas supostas vítimas, é o fato de que tantos proeminentes bostonianos admiravam
e apoiavam o trabalho de Shanley e, no entanto, pareciam não ter consciência de suas atividades sexuais
flagrantes. O gosto de Shanley por rapazes não era segredo, pelo menos não em alguns bairros da cidade, e a
palavra entre os veteranos de rua era afastar-se dele. ... Tão assustadora foi a fama de Shanley que alguns dos que
seguiram sua carreira e suspeitaram dele não sabiam para onde ir com suas preocupações. Boston, afinal, estava
entre as mais católicas das cidades. Nem s celebridade que alguns daqueles que seguiram sua carreira e tiveram
suspeitas sobre ele não sabiam para onde ir com suas preocupações. Boston, afinal, estava entre as mais católicas
das cidades. Nem s celebridade que alguns daqueles que seguiram sua carreira e tiveram suspeitas sobre ele não
sabiam para onde ir com suas preocupações. Boston, afinal, estava entre as mais católicas das cidades. Nem

era a comunidade gay, lutando para emergir de um manto de sigilo e condenação, particularmente ansiosa por ter um
de seus maiores defensores ligados ao abuso sexual. - Mas é completamente coerente com o que leva à promoção
da homossexualidade. - Uma exceção foi Elaine Noble, a primeira representante estadual abertamente gay no país,
que conheceu bem Shanley nos anos 70. Ela disse que suspeitava de suas atividades e queixou-se a uma série de
líderes da cidade, incluindo a polícia e o gabinete do prefeito. Que nada veio de seus relatórios, ela atribui em parte à
popularidade de Shanley e conexões potentes. ... Noble diz que levou suas preocupações sobre Shanley para a
polícia de Boston; para Katharine Kane, então vice-prefeito; e para vários sacerdotes que agora estão mortos. Kane,
agora aposentado, disse que "nunca ouviu falar de Shanley até agora". E quando os líderes da comunidade gay
ouviram o que Noble havia feito, ela disse: "Eu tenho um inferno sagrado. As pessoas em minha própria comunidade
simplesmente não queriam acreditar. A verdade é que as pessoas tinham medo de Shanley. alguém poderia fechar
Paul Shanley. "[331] Shanley tinha acesso ilimitado às crianças até a idade adulta, dentro ou fora da" Igreja ", para
incluir seu dever como capelão da" pública "Universidade Estadual de Boston. Graças a desonestos como Alfred
Kinsey e outros luciferianos, tornou-se culturalmente aceito acreditar na ideia ridícula de que as crianças podem se
perceber homossexuais. Essas vítimas infelizes foram então encaminhadas para "defensores" predadores como o
padre Paul Shanley. No início dos anos 1970, Shanley havia se tornado tão ligado à questão dos jovens gays que
"ele era o cara certo se seu filho era homossexual, "disse Roderick MacLeish Jr., que representa quase metade das
26 supostas vítimas de Shanley que entraram com uma ação legal." Paul Shanley seria o encaminhamento das
linhas diretas, do jornal, da rua. "... Carmen Durso, O advogado que representa várias das supostas vítimas de
Shanley, diz que as escolhas de Shanley não foram por acaso, disse Shanley, "saiu e criou um grupo de crianças
que ele poderia buscar. Ele anunciou para eles. Ele foi atrás das crianças no ônibus, os fugitivos, as crianças diz que
as escolhas de Shanley não foram por acaso. Shanley, ele disse, "saiu e criou uma piscina de crianças que ele
poderia ir atrás. Ele anunciou para eles. Ele foi atrás das crianças no ponto de ônibus, os fugitivos, as crianças diz
que as escolhas de Shanley não foram por acaso. Shanley, ele disse, "saiu e criou uma piscina de crianças que ele
poderia ir atrás. Ele anunciou para eles. Ele foi atrás das crianças no ponto de ônibus, os fugitivos, as crianças

quem ninguém se importava e quem não tinha ninguém para conversar. Shanley foi muito instintivo sobre suas
vítimas, como encontrar o membro mais fraco do rebanho. ”[332] Os crimes de Shanley podem até ter sido piores
que as centenas de outros padres que abusaram da confiança das famílias neles porque ele especificamente apelou
para garotos que As alegadas vítimas de Shanley tinham muito em comum, de acordo com vários dos seus
advogados, eram solitárias, deprimidas, apavoradas com a sua sexualidade, algumas provinham de lares
monoparentais e tinham poucos amigos. [333] Enquanto ele os estuprou, ele viveu como um príncipe em um "salário
de padre". Levemente supervisionado pela igreja [em Boston que a Igreja Católica é universal o suficiente para ser
escrita em minúsculas], livre de tarefas paroquiais tediosas, Shanley era um ministério de um homem só. Ele andava
pelas ruas da cidade a qualquer hora ... às vezes arrastado por aqueles que sabiam que ele segurava a chave de
uma refeição e cama. Sua rotina variou com frequência, particularmente quando seu discurso público e sua agenda
de viagem aumentaram ... Ele visitou os pontos de encontro de jovens, Boston Common e estações de ônibus. Ele
realizou Missas por Dignidade, uma associação de católicos gays. E ... ele alugou um apartamento elegante da
Beacon Street em Back Bay que, segundo um de seus acusadores, era um ponto de encontro regular para garotos
adolescentes ", e bem no meio deles, Shanley se sentava no trono, meio que mantendo a quadra. O Globo admitiu
que, durante esse tempo, nem ele nem qualquer outro meio de comunicação parecia estar fazendo seu trabalho
muito bem. Ninguém foi mais tomado pelo padre ardente e espirituoso do que pela mídia. [335] Onde estava Marty
Baron quando você precisava dele? Enquanto vivia como um rei, Shanley não só se aproveitava de meninos
confusos ao estuprá-los, como também os oferecia a seus amigos poderosos. Mas se o público e a imprensa
estavam cegos para os modos de Shanley, os garotos que ele supostamente fez suas vítimas definitivamente não
eram. Eles são homens, agora, suas infâncias há muito tempo atrás deles. Mas seus encontros com

Shanley manchou suas vidas como tinta escarlate. Muitos sofreram de vícios prolongados e depressão
recorrente. Alguns foram incapazes de formar relacionamentos duradouros e tentaram tirar suas próprias vidas. Um
deles, agora um construtor de 47 anos e pai de três filhos que pediu que seu nome não seja usado, diz que conheceu
Shanley quando ele tinha 13 anos e fugiu de sua casa em South Shore para a "cena" de Boston. Ele se lembra de
Shanley dizendo que ele era um psicólogo especializado em questões de adolescentes. E quando o padre ofereceu
ao menino um lugar para ficar, ele diz que concordou, e Shanley o levou para seu quarto no terceiro andar da
Warwick House. Ele diz que Shanley mandou a empregada tirar suas roupas sujas e ofereceu-lhe um robe. Quando
chegou a hora de dormir, ele se lembrou: "[Shanley] disse:" Você pode dormir comigo. " Eu estava pensando que isso
não é uma boa ideia. [336] Por que um padre pedófilo poderoso nomeia sua cara casa de cidade depois do elfo da
fantasia da trilogia O Senhor dos Anéis? Era mais do que apenas uma propensão para orcs e magos. John Ronald
Reuel Tolkien ... foi um escritor Inglês nascido no Sul [336] Por que um padre pedófilo poderoso nomeia sua cara
casa de cidade depois do elfo da fantasia da trilogia O Senhor dos Anéis? Era mais do que apenas uma propensão
para orcs e magos. John Ronald Reuel Tolkien ... foi um escritor Inglês nascido no Sul

África em 1892. Embora sua família fosse composta principalmente de protestantes, a mãe de Tolkien, Mabel,
converteu-se ao catolicismo após uma viagem a Birmingham, Inglaterra, após a morte do pai de Tolkien. Essa
decisão fez com que a família protestante e batista de Mabel retirasse seu apoio financeiro. Tais lutas contribuíram
para sua morte quatro anos depois, mas não antes de ela ter matriculado John e seu irmão Hilary Arthur Reuel
Tolkien na escola de St. Philip's Grammar School, associada ao oratório de Birmingham. Lá, eles foram absolvidos do
padre Francis Xavier Morgan, um padre católico romano, que acabou assumindo a custódia de Ronald e
Hilary. Morgan foi nomeado após Francis Xavier, um dos fundadores dos jesuítas, juntamente com Ignatius Loyola e
Peter Faber. Os irmãos consideravam o Oratório como sua casa, servindo como Morgan ' s boys do altar todas as
manhãs. Esses eventos colocam Tolkien como um católico romano devoto. ~ JRR Tolkien e CS Lewis: jesuíta
Imagineering, JohnnyCirucci.com [337] Mas Shanley não apenas estuprou garotos em seus caros apartamentos e
moradias, ele mostrou suas poderosas conexões públicas levando-os também a uma cabana isolada que era parte
do Ponkapoag Outdoor Center, administrado pela YMCA. Por tudo isso, o padre Paul Shanley foi cuidadosamente
protegido e capacitado por seus superiores, abrangendo três cardeais sucessivos. Shanley foi autorizado a continuar
no sacerdócio por anos. Quando se mudou para a Califórnia para ingressar na Diocese de San Bernardino em 1990,
ele serviu por três anos sem restrições ao seu contato com crianças. ... alegada vítima de abuso Gregory ... Ford ...
disse que ele foi repetidamente estuprada por Shanley nos anos 80, Também alega que o cardeal de Boston,
Bernard Law, que sucedeu a Medeiros, permitiu que o padre permanecesse como pastor na Paróquia São João
Evangelista até 1989, apesar do conhecimento de seu comportamento. ...

O mais antigo documento relacionado ao suposto abuso sexual de Shanley data de 1967: um padre do Santuário de
LaSalette, em Attleboro, Massachusetts, escreveu uma carta de preocupação à arquidiocese, relatando alegações de
que Shanley levou garotos a uma cabana e os molestou. Quando Shanley se mudou para a Califórnia em 1990, após
uma licença médica de Boston, o reverendo Robert J. Banks escreveu aos funcionários de San Bernardino para
dizer: "Posso garantir que o padre Shanley não tem nenhum problema que possa preocupar sua diocese". Em 1995,
Shanley mudou-se para Nova York para se tornar assistente de direção da Leo House, que abrigava transientes,
clérigos, pessoas que visitavam doentes, estudantes e viajantes. Mais tarde, ele estava prestes a se tornar diretor da
organização, mas não recebeu o emprego. ~ Fox News / AP [338] Como o padre Paul Shanley marcou o estupro de
crianças em série em Boston (e em outros lugares), Padre John Joseph Geoghan marcou. Uma vez que Geoghan foi
liberado por Roma como um bode sacrificial, a equipe do Boston Globe Spotlight Team poderia escrever sobre
ele. Eles até receberam a ajuda de uma juíza do Tribunal Superior - Constance Sweeney (também católica romana) -
que ordenou registros selados anos antes para serem liberados para o Globo. Agora, o jornal de Boston poderia fazer
o trabalho que deveria e relatar (pelo menos em Geoghan) que ele era um monstro que se concentrava nos muito
jovens, especialmente se fossem pobres. Durante seu reinado de terror, Geoghan teve o total apoio de seus
superiores como Bernard Cardinal Law. [Xxv] Quase sempre, suas vítimas eram garotos da escola primária. Um
deles tinha apenas 4 anos de idade. Então veio a divulgação de julho passado que o cardeal Bernard F. Law sabia
sobre os problemas de Geoghan em 1984, o primeiro ano de Law em Boston, mas aprovou sua transferência para
St. Paróquia de Julia em Weston. Wilson D. Rogers Jr., advogado do cardeal, defendeu a medida no verão passado,
dizendo que a arquidiocese tinha garantias médicas de que cada Geoghan

a transferência foi "apropriada e segura". Mas um dos bispos de Law achava que a designação de Geoghan a St.
Júlia em 1984 era tão arriscada que ele escreveu ao cardeal uma carta em protesto. E por boas razões, a Equipe
Spotlight descobriu: A arquidiocese já tinha evidências substanciais dos hábitos sexuais predatórios de
Geoghan. Isso incluiu sua afirmação em 1980 de que seu repetido abuso de sete garotos em uma família extensa
não era um problema "sério", de acordo com um registro arquidiocesano. A designação de Santa Júlia se mostrou
desastrosa. [Xxvii] Geoghan foi encarregado de três grupos de jovens, incluindo coroinhas. Em 1989, ele foi forçado a
sair de licença médica após mais denúncias de abuso sexual e passou meses em duas instituições que tratam de
padres sexualmente abusivos. Mesmo assim, a arquidiocese devolveu-o a St. Julia's, onde Geoghan continuou a
abusar de crianças por mais três anos. [339] Foi um padrão que durou décadas - Antes de Geoghan chegar a
Weston em 1984, ele já havia sido tratado várias vezes e hospitalizado pelo menos uma vez por molestar meninos. E
ele havia sido removido de pelo menos duas paróquias por abuso sexual. Em 1980, por exemplo, ele foi expulso de
St. Andrew em Jamaica Plain após casualmente admitir que havia molestado os sete garotos. Em 1981, depois de
um ano de licença médica, Geoghan foi despachado para St. Brendan em Dorchester, com poucas chances de ser
colocado sob escrutínio ... Em setembro de 1984, reclamações de que Geoghan havia abusado de crianças na
paróquia de Dorchester levou Law a removê-lo. . Dois meses depois, o cardeal deu a Geoghan um novo começo no
St. Julia's.

Como um chacal perseguindo um rebanho, esperando que os doentes ou os jovens se tornassem vulneráveis,
Geoghan se fixou em presas fáceis. Apenas do caso da Jamaica Plain, os principais funcionários da arquidiocese
estavam cientes da atração de Geoghan por garotos jovens e de como ele escolhia suas vítimas: O afável Geoghan
costumava ser amigo de mães católicas que lutavam para criar famílias numerosas, muitas vezes sozinhas. Suas
ofertas para ajudar, muitas vezes levando as crianças para tomar sorvete ou rezando com elas na hora de dormir,
foram aceitas sem suspeita. É assim que Patrick McSorley, de 12 anos de idade, que viveu em um projeto
habitacional do Hyde Park, supostamente se tornou uma vítima Geoghan em 1986 - dois anos após a designação de
Geoghan para Weston. De acordo com McSorley, Geoghan, que conhecia a família de St. Andrew, soube do suicídio
de seu pai e passou a oferecer condolências à mãe, quem é esquizofrênico. O padre ofereceu-se para comprar
sorvete de Patrick. "Eu me senti um pouco engraçado sobre isso", lembrou McSorley em uma entrevista. "Eu tinha 12
anos e ele era um homem velho." Indo para casa depois de tomar sorvete, diz McSorley, Geoghan consolou-o. Mas
então ele deu um tapinha na parte superior da perna e deslizou a mão em direção a sua virilha. ... Por anos,
McSorley lutou contra o alcoolismo e a depressão. E agora, como o autor de um dos processos contra Geoghan,
McSorley é amargo. "Descobrir mais tarde que a Igreja Católica sabia que ele era um molestador de crianças - todos
os dias me incomoda mais e mais", diz McSorley. Era o preço que os moradores de Boston pagavam por ter sua
cidade tão abertamente e completamente possuída por Roma e uma que eles pagavam com seus filhos. Nenhuma
diocese americana enfrentou um escândalo de dimensões semelhantes desde 1992.

Desde 1997, a arquidiocese resolveu cerca de 50 ações judiciais contra a Geoghan, por mais de US $ 10 milhões -
mas sem documentos confidenciais tornados públicos. [342] Infelizmente, nada mudou desde que esta história foi
publicada em 2002. As instituições seculares permanecem firmemente no controle de Roma. ... A lei de
Massachusetts garantiu o sigilo - e ainda o faz. Durante todos os anos em que Geoghan estava molestando crianças,
os clérigos estavam isentos de leis exigindo que a maioria dos outros cuidadores denunciasse incidentes de abuso
sexual à polícia para possível processo. Foi somente após as revelações do último verão que a arquidiocese
abandonou sua oposição de longa data à legislação que acrescentou o clero à lista de "repórteres mandatários". Mas
a legislação morreu em comitê [343]. Como tantos outros padres pedófilos predadores, Geoghan veio para a Igreja
Católica pronto para estuprar meninos ... quase como se ele fosse recrutado para isso. Não há nenhuma disputa que
Geoghan abusou de crianças enquanto ele estava no Santíssimo Sacramento em Saugus após sua ordenação em
1962. A arquidiocese recentemente estabeleceu queixas sobre as acusações que ele fez, e os registros da igreja
obtidos pela Globe notam que Geoghan em 1995 admitiu molestar quatro garotos da mesma família naquela
época. Em uma sessão de abril de 1995, com o psiquiatra Dr. Edward, Messner, Geoghan disse que, mesmo como
um padre recém-ordenado, ele "experimentaria excitação quando houvesse proximidade física" com crianças. Outro
padre tentou contar aos superiores e às autoridades seculares sobre Geoghan, mas foi intimidado em silêncio,
apesar de contradizer seu próprio juramento juramentado. Ele também, permaneceu livre de acusação. Um ex-padre,
Anthony Benzevich, disse que alertou os superiores da igreja que Geoghan frequentemente levava meninos para o
quarto de sua reitoria. Nos noticiários após acusações contra Geoghan terem aparecido publicamente, Benzevich
também foi citado dizendo que as autoridades da igreja ameaçaram

reatribuí-lo como missionário na América do Sul por contar a eles sobre Geoghan. Benzevich contou sua história a
Mitchell Garabedian, que representa quase todos os queixosos nos processos civis contra Geoghan e oficiais da
igreja, de acordo com uma declaração juramentada de Garabedian. Mas os registros judiciais revisados pelo Globe
mostram que, quando Benzevich apareceu no escritório de Garabedian para um depoimento pré-julgamento em
outubro de 2000, ele foi representado por Wilson Rogers 3d - filho do principal procurador de Law. Então, sob
juramento, Benzevich mudou sua história. Ele disse que não tinha certeza de que Geoghan tivesse meninos em seu
quarto. E ele disse que não conseguia se lembrar de notificar os superiores sobre o comportamento de Geoghan com
as crianças. Em uma entrevista recente ao Globe, Benzevich disse que de fato se lembra de Geoghan levando os
garotos para o seu quarto. Ele disse que Geoghan muitas vezes procurava lutar com garotos - e gostava de vesti-los
em traje de padre. Mas ele repetiu sua afirmação juramentada de que ele não se lembra de notificar seus
superiores. Antes de seu depoimento, Benzevich disse, Wilson Rogers 3d se aproximou dele, disse que a igreja
estava tentando protegê-lo de ser nomeado como réu e se ofereceu para representá-lo. Suas declarações anteriores
aos repórteres, disse Benzevich, foram mal interpretadas. [346] Os mais chocantes foram os pais católicos que
descobriram o monstro abusando de seus filhos e se queixaram mansamente aos superiores da "Igreja". Foi uma
história que repetiu uma e outra vez. As ações pendentes incluem acusações de que Geoghan novamente abusou de
jovens de várias famílias em sua próxima paróquia, St. Paul's em Hingham, entre 1967 e 1974. Uma de suas
supostas vítimas, Anthony Muzzi Jr., disse em uma entrevista na semana passada que, além de seu próprio abuso,
seu tio pegou Geoghan abusando de seu filho. O tio ordenou a Geoghan que deixasse sua casa e queixou-se aos
superiores do padre em St. Paul's. ... Durante sua missão em Hingham, Geoghan encontrou vítimas muito longe,
fazendo amizade com Joanne Mueller, uma mãe solteira de quatro meninos que viviam em

Melrose Lá também, de acordo com os depoimentos, o padre se tornou um visitante regular, um conselheiro
espiritual de Mueller e um ajudante de seus meninos, que tinham entre 5 e 12 anos. Uma noite, ela testemunhou, seu
segundo filho mais novo veio até ela, insistindo que ela mantenha Geoghan longe dele. "Eu não quero que ele faça
isso ao meu pequenino, tocando meu pouquinho ..." Mueller lembrou do garoto dizendo. Mueller, de acordo com seu
depoimento, convocou seus outros três filhos e descobriu que Geoghan, embora pretendesse levá-los para tomar um
sorvete, ajudá-los em seus banhos e ler histórias para dormir, estuprou-os oral e anal. Além disso, Mueller disse,
Geoghan estava insistindo que eles não contassem a ninguém. "Não podíamos contar porque o pai disse que era um
confessionário", disse ela, um dos filhos dela. Mueller testemunhou que ela imediatamente levou os meninos para ver
o Rev. Paul E. Miceli, um pároco em St. Mary's em Melrose que conhecia Geoghan e sua família. O comportamento
dos pais em confiar nas autoridades da Igreja Católica, e não na aplicação da lei, era e é conivência
criminosa; Auxiliando e incentivando o abuso sexual de seus próprios filhos. O Globe tentou suavizar esse
comportamento chamando-o de "facilitação involuntária", mas era, na melhor das hipóteses, instabilidade mental
equivalente a uma mentalidade de culto e, na pior das hipóteses, criminosa. Se Mueller, sem querer, facilitou o
acesso de Geoghan às crianças em sua casa em Melrose, o mesmo papel foi desempenhado por Maryetta Dussourd
na próxima parada do padre: St. Andrews, na seção Forest Hills da Jamaica Plain, onde ele trabalhou de 1974 a
1980 . Dussourd estava criando seus próprios quatro filhos - três meninos e uma menina - assim como os quatro
filhos de sua sobrinha. Em seu bairro difícil, ela disse em uma entrevista, ela esperava que houvesse um padre que
as crianças pudessem admirar. Então ela conheceu Geoghan, que supervisionou coroas e escoteiros na paróquia. -
Sete rapazes sob os cuidados de uma mulher; Geoghan deve ter pensado que ele acertou o jackpot do Diabo. Além
disso, vemos novamente as agências seculares dando predatória

Os padres têm acesso a crianças fora de seus domínios e, novamente, os escoteiros estão envolvidos. - Geoghan,
ela recordou amargamente, estava ansiosa para ajudar. Em pouco tempo, ele estava visitando seu apartamento
quase todas as noites - por quase dois anos. Ele rotineiramente levou os sete garotos para tomar sorvete e colocá-
los para dormir à noite. Mas todo esse tempo, Geoghan molestou regularmente os sete garotos em seus quartos,
disse Dussourd. Em alguns casos, ele fez sexo oral neles, de acordo com documentos judiciais. Outras vezes, ele
acariciava seus órgãos genitais ou os obrigava a acariciá-los - ocasionalmente enquanto ele orava. - Não pode haver
outra conclusão a não ser que o sacerdote católico romano (plenamente capacitado por seus superiores, plenamente
consciente de sua luxúria de violar crianças) estava orando a Satanás ao fazê-lo. - Um memorando Arquidiocesano
de 1994, rotulado "pessoal e confidencial" Geoghan disse que ficaria na casa de Dussourd "mesmo quando estava
em retiro porque sentia muita falta das crianças. Ele as tocava enquanto dormiam e as acordava brincando com seus
pênis." Dussourd descobriu o que estava acontecendo depois da morte. As crianças finalmente disseram à irmã dela,
Margaret Gallant. Horrorizado, Dussourd queixou-se ao reverendo John E. Thomas, pastor de São Tomás de Aquino,
uma paróquia próxima, segundo documentos judiciais e relatos de Dussourd e de um oficial da igreja que pediu que
ele não fosse identificado. [348] Guardiões que auxiliam a violação de crianças sob seus cuidados devem ser pelo
menos institucionalizados, se não receberem uma penalidade criminal. Não seria diferente de uma creche que
permitisse que um estuprador de crianças em série entrasse em suas instalações como um lobo arrombando uma
ovelha. Nós' Exporemos isso no Capítulo 19. O embaralhamento de Geoghan de paróquia para paróquia foi validado
por pessoal médico corrupto que o certificou de "seguro". ... documentos judiciais que incluem os registros
psiquiátricos de Geoghan contêm

avaliações francamente contraditórias de seu perigo para crianças de diferentes terapeutas. Ele recebeu pelo menos
quatro notas sanitárias limpas entre 1980 e 1990, período em que a Arquidiocese de Boston o designou três vezes
para as paróquias, apesar de seu histórico de abuso; mas provocou declarações de que ele era um pedófilo incurável
depois que ele se tornou um constrangimento público para a arquidiocese em meados da década de 1990. ~ Boston
Globe [349] Para garantir ainda mais que monstros como Geoghan pudessem violar com sucesso crianças em
famílias completamente alheias a sua natureza, o Cardeal Law e seus subordinados usaram mecanismos como
"licença médica" para permitir que o furor de seus crimes anteriores morresse antes de enviar ele para os próximos
pastos virgens. Geoghan passou o ano seguinte de licença médica, sob tratamento por sua compulsão, mas
morando com a família em West Roxbury. Em fevereiro de 1981, ele foi enviado para sua quinta paróquia, St.
Brendan's. Quase imediatamente, Geoghan estava trabalhando com os Primeiros Comunicantes, fazendo amizade
com crianças e seus pais, até mesmo levando alguns meninos para a casa de verão de sua família em Scituate, onde
- os pais dizem que descobriram mais tarde - ele abusou sexualmente dos jovens. ... Apesar de seu registro,
Geoghan foi designado para St. Julia's. E em seus dois primeiros anos, ele foi encarregado de coroas, educação
religiosa para jovens de escolas públicas e um grupo de jovens, de acordo com os diretórios anuais da igreja. ~
Boston Globe [350] Para os Bostonians, o resultado líquido de décadas de abuso por um padre predador pedófilo
após um padre predador pedófilo - tudo cuidadosamente habilitado pelos superiores e mantido intocado pelos
policiais corruptos, promotores e juízes - foi vítimas da família geracional de sobreposição de reinos de estupradores
em série. As acusações civis e criminais que Geoghan enfrenta nos condados de Middlesex e Suffolk sugerem que
ele abusou de pelo menos mais 30 garotos depois que Law o mandou para Weston em 1984 - tanto antes como
depois da licença médica de 1989 em 1989. Após o retorno de Geoghan em 1989 para St Júlia, outros 38 meses
antes de Law o tirar da paróquia. Três anos depois, Geoghan foi

Ainda buscando vítimas, supostamente incluindo um coroinha vestindo roupas para uma cerimônia de batismo, de
acordo com as acusações criminais. O deslocamento de Geoghan de uma paróquia para outra criou uma
coincidência devastadora para uma família. Um menino que ele supostamente molestou é o filho de um homem que
esteve entre os muitos abusados sexualmente por Porter durante a década de 1960 na Diocese de Fall River, de
acordo com Roderick MacLeish Jr., o advogado que representou o homem e outras 100 vítimas de Porter.
351] Depois de quarenta anos estuprando crianças, Geoghan foi escolhido como sacrifício para servir "o bem maior"
da Igreja e seus asseclas. O fato de ter sido demitido em 1998 antes de sua primeira aparição no tribunal criminal ou
de se concentrar em seus erros pelo Boston Globe (todos em 2002) é definitivo. Geoghan havia sido selecionado
para a operação psicológica que as instituições seculares de Boston estavam realmente fazendo seus
trabalhos. Curiosamente, o sacrifício de Geoghan não terminou aí. Como se "amarrando as pontas soltas", Geoghan
foi colocado em uma cela com Joseph L. Druce (nascido Darrin Ernest Smiledge). Druce havia sido mandado para a
prisão por assassinar um homem que tentou violá-lo sexualmente depois que o homem pegou Druce, pedindo
carona. [Xxviii] Dentro de um ano da condenação de Geoghan, Druce o estrangulou e o matou. A imprensa levantou
questões sobre o julgamento dos funcionários da prisão em colocar esses dois homens na mesma unidade para
custódia preventiva. Além disso, tinham sido avisados por um preso que Druce tinha algo planejado contra
Geoghan. [11] ~ Wikipedia [352] Geoghan de alguma forma trair seus mestres? Ele era um passivo que precisava ser
tratado? - Ou ele foi apenas outro sacrifício ritual? Vídeo de vigilância da prisão do assassinato foi "misteriosamente"
lançado e enviado para o YouTube. [Xxix] Um vídeo, que mostra oficiais de correção tentando abrir Geoghan

A porta da prisão, que Druce havia fechado quando ele atacou o ex-padre, foi liberada no YouTube em junho de
2007. [12] [13] Autoridades afirmam não saber como o vídeo, gravado pelos sistemas de vigilância das prisões, foi
tornado público. [353] Para adicionar insulto aos ferimentos das vítimas (e como prova de que nada mudou), a única
convicção de Geoghan de "acariciar as nádegas de um menino em uma piscina" foi apagada pelo Tribunal de
Apelação do Estado de Massachusetts. Oficiais seculares corruptos ainda se curvam a Roma. O Tribunal de
Apelações emitiu sua decisão após o advogado de Geoghan ter apresentado uma certidão de óbito este mês e pediu
ao tribunal que descarte sua condenação. Promotores no condado de Middlesex, onde Geoghan foi condenado, não
se opuseram à moção. Os três juízes que decidiram sobre o caso - James McHugh, David A. Mills e Mark V. Green -
disse pouco sobre Geoghan em sua opinião curta que foi inscrita em 17 de setembro. Eles notaram que estavam
seguindo a direção do Supremo Tribunal Judicial e que a desocupação da condenação é "prática costumeira dos
tribunais nesta Commonwealth sob tais circunstâncias". " - Você sabia que "desocupar" condenações criminais só
porque o criminoso morreu era "prática costumeira"? - Geoghan foi condenado em janeiro de 2002 por agressão
indecente e por agredir as nádegas de um garoto de 10 anos em uma piscina pública. Ele foi condenado a cumprir
seis anos de uma sentença de prisão de nove a 10 anos. Embora Geoghan tivesse sido acusado de molestar quase
150 crianças, o caso Middlesex foi o único caso que foi a julgamento. ... Por supostas vítimas de Geoghan, sua
convicção de 2002 foi um símbolo de que o sistema legal o estava finalmente responsabilizando por suas ações. ~
Boston Globe [354] Se a única condenação de Geoghan por "acariciar as nádegas de um menino em uma piscina"
(versos de décadas de estuprar cento e cinquenta crianças) era um "símbolo" de que policiais, promotores e juízes

derrubar essa única convicção foi a esmagadora realidade que eles não têm: Roma controla todos eles, e não
apenas em Boston. Mas Geoghan era simplesmente a arma. A autoridade maligna que repetidamente o apontou
para as famílias desavisadas de Massachusetts foi Bernard Cardinal Law. Um ano após a morte de Geoghan em
2003, Law fugiu da cidade. Ele recebeu uma "aposentadoria" elegante em Roma depois de um trabalho bem
feito. Após sua chegada a Roma, recebeu a honra de presidir como "Arcipreste da Basílica de Santa Maria Maior" e
convidou para servir em uma série de importantes conselhos, incluindo o Pontifício Conselho para a Família. Ele
certamente parecia qualificado. ... a lei tem sido uma presença frequente em todos os principais eventos cerimoniais
e diplomáticos do Vaticano, um estilo de vida que irritou muitas vítimas de abuso que há muito insistem que o
Vaticano reprima os bispos que transferem padres abusivos, em vez de denunciá-los à polícia. ~ Associated Press
[355] A lei foi tão bem pensada em Roma que ele foi nomeado para ajudar a selecionar outros líderes católicos que
seguiriam seus passos. Law continua sendo membro de meia dúzia de importantes congregações do Vaticano,
incluindo o escritório que ajuda o papa a escolher os bispos.

[356]

Um pouco mais de uma década após o sacrifício de Geoghan, a propaganda de que as instituições seculares estão
realmente fazendo seu trabalho recebeu um impulso adicional de Hollywood. Em 2015, um grande filme destacou o
trabalho heróico de Marty Baron e sua equipe intrépida de "pesquisa profunda", chamada Spotlight. O filme ostentava
grandes talentos no elenco; Mark Ruffalo como Michael Rezendes, Michael Keaton como Walter "Robby" Robinson,
Rachel McAdams como Sacha Pfeiffer, Liev Schreiber como Marty Baron, John Slattery como Ben Bradlee, Jr., Brian
d'Arcy James como Matt Carroll e Stanley Tucci como o advogado Mitchell Garabedian. Como a equipe do Spotlight,
o filme foi feito por católicos romanos treinados por jesuítas, como o escritor / diretor Tom McCarthy (católico) e
produtor.

Blye Pagon Faust (educado em jesuítas em Santa Clara). Um ano depois, a Spotlight ganhou o Oscar de Melhor
Filme em 2016. No filme, o público é alertado por Stanley Tucci, como advogado Mitchell Garabedian, que a Igreja
Católica "pensa em termos de séculos". Uma organização com essa mentalidade não está acima de planejar
cuidadosamente o sacrifício de um peão para validar bispos e cavaleiros. Depois de seu trabalho salvando a
reputação do Boston Globe como "cão de guarda do povo", Marty Baron recebeu o cargo de editor executivo no
Washington Post; um artigo que mais tarde concedeu ao pedófilo acusado John Podesta sua própria coluna
[357]. Enquanto Hollywood e a mídia parabenizavam o Globe por chamar a atenção de um padre pedófilo (morto há
12 anos), Marty Baron cantou no Post em fevereiro de 2016, I'm In "Spotlight", Mas não é realmente sobre mim. É
sobre o poder do jornalismo. Na coluna que Baron deu a si mesmo, ele disse que o retrato do filme do modo como o
"jornalismo" faz o seu trabalho era "incrivelmente preciso!" Não foi até a estréia no Festival Internacional de Cinema
de Toronto em 14 de setembro de 2015, no imenso Teatro Princesa de Gales, que vi "Spotlight" em uma tela grande,
junto com outros 2.000 outros. O filme teve um efeito poderoso. O Los Angeles Times observou que cinco dias
depois do festival de Toronto, "Spotlight" ficou "como o único filme a gerar aplausos durante o filme e depois, quando
os créditos rolam". O público também aplaudiu quando Tom chamou os atores para o palco. E então ele chamou os
jornalistas para o palco, um por um. E aconteceu algo assim É raro para jornalistas: recebemos uma prolongada
ovação de pé. [358] Missão cumprida. Agora todos voltam a dormir.

Capítulo 9

Heróis Skelter

9 de agosto de 1969: Os seguidores de Charles Manson, Charles Watson, Susan Atkins, Linda Kasabian e Patricia
Krenwinkel entram na casa de Terry Melcher e matam todos que encontram. Eles mataram a atriz Sharon Tate, que
estava morando na época, Jay Sebring, Abigail Folger, Wojciech Frykowski e Steven Parent. Eles foram pegos,
julgados, considerados culpados e receberam a sentença de morte, mas as sentenças foram automaticamente
comutadas para prisão perpétua quando a Califórnia aboliu a pena capital em 1972.

Um dos mais notáveis bicho-papão e líderes de culto de todos os tempos foi Charles Milles Maddox, mais conhecido
do público americano como "Charles Manson". Manson era apenas um psicótico rebelde ou ele era uma arma
inteligente de caos cuidadosamente elaborada pela Simulação do Diabo e seus guardiões romanos? Ele recebeu o
começo perfeito como o filho bastardo de uma adolescente de 16 anos, Kathleen Maddox, em 12 de novembro de
1934. Ele aparentemente não foi procurado como a entrada original para ele do Hospital Geral em Cincinnati, Ohio foi
"No Name Maddox" [359]
A insensibilidade não terminou aí. De acordo com a família de Manson, Kathleen trocou Charles por um jarro de
cerveja pouco depois de ele nascer. Quando ele ainda era bebê, Kathleen levou seu filho a um restaurante e o fez
descansar em seu colo quando ela iniciou uma conversa com a garçonete. A garçonete estava ansiosa para se tornar
mãe, e pensando que o bebê Manson era fofo, ela brincou que ela o compraria de Kathleen. "Um jarro de cerveja e
ele é seu", foi a resposta de Kathleen. A garçonete provavelmente pensou que ela estava brincando, mas ela trouxe
Kathleen um jarro extra de qualquer maneira. O que ela não esperava era que, assim que Kathleen terminasse sua
cerveja, ela escapasse do restaurante - e deixasse Charles para trás. Manson só voltou para casa porque seu tio
descobriu o que havia acontecido. Ele rastreou a garçonete alguns dias depois e levou o menino de volta para sua
mãe. Quando Charles Manson tinha cinco anos de idade, sua mãe foi mandada para a cadeia. Ela e uma amiga
conheceram um estranho chamado Frank Martin, que os levou para tomar uma bebida. Kathleen decidiu que Martin
tinha "muito dinheiro para um homem" e chamou seu irmão, Lutero, para ajudá-lo a roubá-lo. Ela falou com Martin
para levá-la, sua amiga e Luther a um hotel. Quando eles conseguiram sair da cidade, Lutero fez Martin parar e sair
do carro. Luther então segurou uma garrafa de ketchup cheia de sal nas costas de Martin e afirmou que ele tinha
uma arma. Martin viu através da mentira, mas Lutero acabou de bater na cabeça dele com garrafa e pegou seu
dinheiro de qualquer maneira. O grupo escapou com US $ 27 e foi preso pouco depois. Kathleen foi condenada a
cinco anos de prisão e Charles Manson foi enviado para morar com sua tia. ~ Chaostrophic.com [360] Maddox estava
em liberdade condicional e retornou para recuperar seu filho. Ela então procurou entrar nele em um lar adotivo, mas
nenhum estava disponível.

Foi aqui que o Estado interveio e assegurou que o menino vulnerável fosse colocado na Simulação do Diabo. Um
tribunal "secular" de Indiana colocou Manson na Escola Gibault para Meninos em Terre Haute: um orfanato católico
romano. Concebido em 1909 pelos Indiana Knights of Columbus, e nomeado para o pe. Pierre Gibault, a Gibault
School for Boys foi dedicado em 9 de outubro de 1921, em Terre Haute, IN. O primeiro diretor da escola foi o Rev.
Michael Gorman. Rapidamente excedendo sua capacidade original de 25 meninos, dois novos corredores foram
adicionados: Chartrand Hall foi concluído em 1922, e Aldering Hall em 1926. A equipe foi expandida em 1934, e a
administração da escola foi entregue aos Irmãos da Santa Cruz de Notre. Dame, IN. O primeiro diretor da era da
Santa Cruz foi Rupert Poudrier, e sob sua administração, a escola foi ampliada para permitir meninos de todos os
estados do meio-oeste. Charles Manson frequentou esta escola de uma só vez. William Heirens também freqüentou
a escola. ~ Wikipedia [361] Não um, mas dois criminosos notórios foram criados nesta instituição católica. William
George Heirens (1928 2012) foi um serial killer norte-americano condenado ... Heirens foi chamado de Batom
Assassino depois de uma mensagem notória rabiscada em batom na cena do crime. Na época de sua morte, Heirens
era supostamente o prisioneiro mais antigo de Chicago, tendo passado 65 anos na prisão. [2] ... - Isso é "justiça" no
Illinois controlado por católicos. - Aos 13 anos de idade, Heirens foi preso por carregar uma arma carregada. Uma
busca subseqüente do Heirens ' A casa descobriu uma série de armas roubadas escondidas em um galpão de
armazenamento não utilizado no telhado de um prédio próximo, junto com peles, roupas, câmeras, rádios e jóias que
ele havia roubado. Heirens admitiu 11 assaltos e foi enviado para a Escola Gibault para garotos rebeldes por vários
meses. [5] Não muito tempo depois de sua libertação, Heirens foi novamente preso por roubo. Desta vez, ele foi
condenado a três anos na Academia St. Bede,

operado por monges beneditinos. Durante seu tempo na escola, Heirens se destacou como um estudante
excepcional ... ~ Wikipedia [362] Os americanos não têm idéia de que o seu governo "secular" transforma órfãos para
instituições católicas romanas, onde eles são abusados e deformados em armas para ser usado contra eles. [xxx] Os
Cavaleiros de Colombo são muito mais poderosos do que suas relações públicas os apresentam. Os próprios
Cavaleiros, pode-se dizer com sinceridade, não estão na organização inteiramente por causa de sua própria saúde,
ou mesmo para a glória da Igreja, na medida em que há muitos homens ambiciosos entre seus líderes, e alguns que
têm pouco ou não serve para a Igreja. No entanto, eles trabalham em conluio com a Hierarquia e são de coração e
alma na política. Este fato é bem conhecido por máquinas políticas e políticos não-católicos, cujos candidatos devem
receber a aprovação de Roma e dos Cavaleiros antes de se atreverem a indicá-los, seja para a libra esterlina ou para
a presidência. Os Cavaleiros de Colombo me asseguraram que sua organização, com a Igreja de Roma, controla o
Governo Municipal, Estadual e Federal, e também influencia os interesses empresariais em todo o país. Eles também
me asseguraram, nos últimos anos, que é quase impossível para um homem garantir uma posição ou promoção em
qualquer empresa ou corporação, se um Cavaleiro de Colombo for um concorrente. ~ Crowley [363] Cavaleiros
notáveis incluem Alfred E. Smith. Em 1928, os dois homens que estavam na disputa presidencial foram o governador
democrata de Nova York, Alfred E. Smith, e o secretário republicano de Comércio, Herbert Hoover. A questão de
Smith ' s A religião católica surgiu em uma troca entre ele e o advogado Charles Marshall por meio de editoriais
impressos na revista Atlantic Monthly. Marshall avisou que, quando divididos entre os melhores interesses da
América e os melhores interesses da Igreja, os devotos católicos estavam sempre em
risco de escolher Roma sobre a Terra do Livre. Smith perdeu a eleição, mas logo foi imortalizado em um jantar anual
oferecido pela Igreja que exige que os dois finalistas americanos para a presidência apareçam diante de um dos mais
poderosos emissários papais do mundo - o Cardeal da Arquidiocese de Nova York. York - e faça ele rir. Os jantares
de hoje são presididos pelo aristocrático descendente do governador de NY, Alfred E. Smith IV. Os jantares
continuam mesmo nos anos de eleição, em que luminares de todas as esferas prestam homenagem a Roma, do
diretor do FBI, ao presidente do Estado-Maior Conjunto, à Secretaria de Estado. ~ Illuminati Unmasked [364] Outro
cavaleiro notável é John Ellis "Jeb" Bush (Senior), ex-governador da Flórida. Elites luciferianas como a família do
crime de Bush são escolhidas para decidir sobre nós, que é como os Bushs de Connecticut se tornam governadores
no Texas e na Flórida ou pai e filho Bushs se tornam presidentes. Os americanos empolgados com as "eleições" são
uma piada cruel. "Jeb" Bush pode parecer um converso incomum de sua família "Episcopal", mas ele é um ajuste
muito confortável para Roma, especialmente considerando que o avô materno George Herbert Walker (homônimo de
vários Bushs) também era católico romano. Ele foi educado pelos jesuítas no internato de Stonyhurst em "Anglican"
Lancashire, Inglaterra. Na verdade, "Jeb" é um grande criador de reis católico, tendo ido à missa em St. Patrick's, em
Nova York, cortesia de seu amigo Timothy Cardinal Dolan. Ele também fez parte da delegação americana a Roma na
instalação de Joseph Cardinal Ratzinger em sua ascendência para se tornar o Papa Bento XVI em 2005. Ele então
recebeu uma audiência pessoal. Suas políticas políticas parecem misturadas para um suposto católico
"conservador", mas não para um agente da insurgência romanista esquerdista. Como todo mundo na política
americana (católica ou não), "Jeb"

empurra as fronteiras de forma traiçoeira para continuar a inundação de alienígenas católicos do sul, mas quando se
trata de "vida", Bush parece inepto. Muitas de suas prioridades durante seus dois mandatos como governador da
Flórida se alinharam com os da Igreja Católica - incluindo seu esforço extraordinário e malsucedido para forçar um
hospital a manter Terri Schiavo em suporte de vida, bem como menos conhecido, e também sem sucesso, os
esforços para nomear um tutor para o feto de uma vítima de estupro com deficiência para o desenvolvimento e para
impedir que uma menina de 13 anos de idade faça um aborto. Não tenho certeza de como as tentativas frustradas de
impedir que seu próprio governo morra de fome e desidratar uma mulher deficiente mental também podem ser
"extraordinárias", mas quem somos nós para discutir com as palavras da velha dama cinzenta? O Times notou, no
entanto, nesse mesmo parágrafo que "Jeb" foi capaz de entregar algo muito mais importante para os Pro-Lifers; em
1999, ele assinou a disponibilidade de uma placa "Escolha a Vida" para os motoristas estrangeiros ilegais da Flórida.
[367] Jovem Charlie Não é de surpreender que o jovem Charlie Manson não se importasse com os cuidados dos
padres e cavaleiros brutais de Gibault. ... uma escola rigorosa onde a punição até mesmo para a mais ínfima infração
incluía espancamentos tanto por um remo de madeira quanto por uma correia de couro. ~ The Weekly View [368]
Após 10 meses ele escapou e retornou para sua mãe, mas ela o rejeitou. [369] Manson, em seguida, cometeu uma
série de roubos para o dinheiro para viver, mas acabou por ser capturado. Ele foi colocado no Centro Correcional
Juvenil de Plainfield, também conhecido como Indiana Boys School (IBS). Sob "proteção do governo" ele foi torturado
e molestado. Foi durante seu "treinamento" que ele chamou a atenção de um católico

padre na instalação "secular" de Indiana. Durante esse período, ele foi detido com frequência na Indiana Boys
'School, na vizinha Plainfield. Tem sido especulado que foi na Indiana School for Boys que Charles Manson de 5 pés
de altura foi espancado e estuprado repetidamente por mais de três anos. Durante uma dessas detenções, o jovem
Manson foi "descoberto" por um padre local, o Rev. George Powers. "Esse menino em particular parecia muito
solitário, apenas desejando atenção e afeição", lembrou o padre Powers, hoje instrutor do Seminário Teológico de
Nova York. "Ele parecia um inocente coroinha e estava tão envergonhado de sua mãe." Pai Powers arranjou para
que Manson fosse enviado para a famosa Boys Town de Padre Flanagan, perto de Omaha, Nebraska. O Indianapolis
News publicou uma reportagem de primeira página em 7 de março 1949: "Dream Comes True for Lad, ele está indo
para Boys Town". Caracterizou Manson, de 14 anos, como um "garoto sem saída", que estava recebendo uma
segunda chance ao ser enviado para o refúgio da "última chance" para garotos rebeldes. "Ele conquistou todo
mundo", disse o padre. "O Juiz da Corte Juvenil foi completamente levado com sua personalidade. Ele tinha
capacidade além de seus anos para se apresentar; ele era um garoto bonito para a sua idade." A Visão Semanal
[370] Poucos americanos entendem o poder dos padres católicos romanos que entram e saem de dentro das
instituições "seculares" dos Estados Unidos. Encontrando um garoto de boa aparência que havia sido estuprado e
brutalizado na Indiana Boys School, o padre Powers exerceu sua influência sobre o "governo secular" e o transferiu
para a Cidade dos Meninos por mais ... "

A internação de Manson em Boys Town foi denominada "mistério" [372] com "detalhes escassos". [373] Para ajudar,
o autor Lawson McDowell passou um longo tempo entrevistando Manson na prisão para apresentar os fatos ao
público ... generosamente misturado com invenções em seu livro de 2013 Antes de se tornar um monstro: Uma
história do tempo de Charles Manson no Boys Town de Flanagan. O livro de McDowell conta a história de como
Manson veio para ficar em Boys Town e o que aconteceu durante seu tempo lá, misturando eventos reais e
imaginários. O episódio está envolto em incerteza, e o próprio Manson deu respostas enigmáticas a algumas das
perguntas de McDowell. O que é certo é que a entrada do Manson em Boys Town foi feita para mudar sua vida. ~
Omaha World-Herald [374] Quando questionado, McDowell respondeu que era necessário ler a sua verdade
misturada com mentiras "dizer tudo" para obter ... a "verdade". Então, o que deu errado na Boys Town? McDowell
não diria. De fato, sua resposta foi: "Não há spoilers hoje". ~ Omaha Lifestyles [375]

"Secular, América": o padre jesuíta Edmund Walsh, homônimo da Escola de Relações Exteriores de Georgetown,
que conta com inúmeros ex-alunos de elite do mundo, acompanha o general Douglas MacArthur depois de ajudá-lo
na reconstrução do Japão pós-guerra (Tóquio, 1948). Os jesuítas tinham um grande interesse em ver o "herege
japonês" tratado. Considerando os agentes inimigos sacerdotes, insurgentes e assassinos (todos verdade),
Tokugawa Shoguns Hideyoshi e Ieyasu começaram a restringir e finalmente expulsá-los de 1587 a 1614. Três
séculos depois, os jesuítas exigiriam sua terrível vingança através de suas servas nos Estados Unidos culminando.
em um devastador par de ataques a Hiroshima e Nagasaki (o porto do qual eles foram finalmente expulsos no século
XVII); todos cuidadosamente coordenados no Japão pelo futuro superior geral dos jesuítas, Pedro Arupe. [376] Por
"coincidência", os dois bombardeiros Boeing B-29 "Superfortress" envolvidos no ataque ("Enola Gay" e "Bockscar")
foram tornados especiais na fábrica de Martin na base da Força Aérea de Offutt, em Omaha. [377] [xxxi] ] Wikimedia
Commons

O que é certo é que tanto a Boys Town quanto o Omaha World-Herald estariam implicados na escravidão sexual
infantil de proporções satânicas apenas uma década depois. Mais sobre isso no capítulo 21. O que quer que tenha
acontecido na Boys Town, foi o suficiente para levar Manson a escapar apenas alguns dias depois de sua
internação. Apesar do fato de que McDowell estava no time -

Então, como as pessoas da Boys Town responderam às perguntas de McDowell? "... Quando eles viram que eu não
estava fora para prejudicá-los ou a sua grande instituição, a maioria foi muito cooperativa", disse ele. "No balanço,
fiquei muito impressionado com o Boys Town." ~ Omaha Lifestyles [378] - ele ainda não estava autorizado a ver os
arquivos do Manson. Apenas alguns dias, mas o dossiê de Manson's Boys Town foi proibido para um autor
confiável? Contém registros meticulosos do desenvolvimento do Manson através de múltiplas instituições católicas e
governamentais? Se o objetivo era trazer Charles Manson para a Simulação do Diabo, submetendo-o ao vírus mental
do abuso sexual, funcionou sem falhas. No que seria seu último ato de violência antes da matança de Hollywood que
o tornaria infame, enquanto atrás das grades, Manson sodomizou um garoto enquanto segurava uma faca em sua
garganta. ~ The Weekly View [379] Seu "treinamento" completo, as coisas mudaram rapidamente. A tragédia que se
aproximava foi posta em jogo por membros dispostos do governo que permitiram que o perigoso condenado se
mudasse para o centro dos Estados Unidos. No dia da sua libertação, 21 de março de 1967, Manson recebeu
permissão para se mudar para São Francisco, onde, com a ajuda de um conhecido da prisão, mudou-se para um
apartamento em Berkeley. Na prisão, o ladrão de banco Alvin Karpis ensinara-o a tocar violão de aço. Agora, vivendo
principalmente por mendigagem, ele logo conheceu Mary Brunner, uma graduada de 23 anos da Universidade de
Wisconsin Madison. Brunner estava trabalhando como assistente de biblioteca na Universidade da Califórnia,
Berkeley, e Manson foi morar com ela. De acordo com uma conta de segunda mão, ele superou sua resistência a
trazer outras mulheres para morar com elas. Em pouco tempo, eles estavam compartilhando a residência de Brunner
com outras 18 mulheres. ~ Wikipedia [380] Seu promotor e biógrafo (uma combinação impar a menos que um tenha
sido guiado pela máquina para ser um gatekeeper), Vincent Bugliosi, pareceu em sua pesquisa para faltar
completamente conexões opressivos de Manson ao catolicismo. Em vez disso, Bugliosi alegou que Manson foi
influenciado por obscuros

fontes como Scientology e a Igreja do Processo. Manson se estabeleceu como um guru em HaightAshbury, em San
Francisco, que durante o "Summer of Love" de 1967 estava emergindo como a localidade hippie. Vincent Bugliosi
disse em seu livro Helter Skelter que Manson parecia ter emprestado filosoficamente da Igreja Process, cujos
membros acreditavam que Satanás se reconciliaria com Cristo, e eles se uniriam no fim do mundo para julgar a
humanidade. Expondo uma filosofia que incluía parte da Cientologia que ele havia estudado na prisão, [1]: 163164
ele logo teve o primeiro de seus grupos de seguidores, que têm sido chamados de Família Manson, a maioria deles
mulheres. [1]: 137146 ~ (editado pelo usuário) Wikipedia [381] Satanás sendo redimido é uma fantasia luciferiana
central e um mito antigo. O " "Charlie's Girls" Uma das "Charlie's Girls" (junto com Lynette Fromme e Mary Brunner)
foi Patricia Dianne Krenwinkel. [Xxxiii] Krenwinkel rapidamente se tornou a matrona da "Família Manson", cuidando
dos vários filhos ilegítimos nascidos no grupo e dando ao Manson seu apoio mais enfático. Krenwinkel tem raízes
católicas profundas.

Durante algum tempo, ela ensinou catecismo (instrução religiosa católica romana) e considerou-se uma freira. Ela
decidiu frequentar o colégio dos jesuítas, Spring Hill, em Mobile, Alabama. ~ Wikipedia [382] Foi Krenwinkel que,
junto com Ella Bailey, membro da "Família", conseguiu entrar na casa de Los Angeles do membro fundador e
baterista do Beach Boys, Dennis Wilson. Eles trouxeram Manson e o resto da "Família" em pouco tempo. Wilson
pagou pelo tempo do estúdio para gravar músicas escritas e interpretadas pelo Manson. Wilson apresentou Manson
a conhecidos de negócios de entretenimento. Estes incluíam Gregg Jakobson, Terry Melcher e Rudi Altobelli (o
último dos quais possuía uma casa que ele logo alugaria para a atriz Sharon Tate e seu marido, o diretor Roman
Polanski). [1]: 250 253 Jakobson, que ficou impressionado com " e o diretor "judeu / agnóstico" era ele mesmo
completamente treinado no romanismo. Depois de ser apresentado ao catolicismo principalmente por uma família
católica com quem ele viveu enquanto se escondia dos nazistas, Roman Polanski se tornou católico religioso quando
tinha cerca de 10 anos de idade. Ele firmemente

identificou-se como católico até os quinze anos de idade. ~ Adherents.com [384] Também é interessante notar que
Polanski não escolheu outro judeu para suas afeições: Sharon Tate também era católica romana. [385] Apesar de
seu estilo de vida "liberado" de Hollywood, foi seu catolicismo que a incentivou a pressionar Polanski a legitimar sua
nova família no casamento. Ironicamente, essa pressão levou ao assassinato dela. Tate estava na véspera de dar à
luz seu primeiro filho e ao mesmo tempo trabalhar no filme francês / italiano Twelve Plus One. Foi a noite antes de
sua viagem de volta a Roma. Aparentemente, perdeu para o promotor Bugliosi o fato de que tanto Sharon Tate
quanto seu filho eram indesejados por Roman Polanski. Assim como Sharon tomou uma decisão consciente de
continuar sua carreira, o inesperado aconteceu: ela ficou grávida. Ela não fez segredo do fato de que queria um
bebê, mas Roman, relutante em se comprometer com o casamento, não estava com vontade de pensar em começar
uma família. Ele havia dito anteriormente a Sharon. de acordo com uma fonte, que ele nunca teria um filho. ... Sharon
estava usando um DIU, instalado na França um ano antes. Seu médico ficou perplexo sobre como a gravidez
ocorreu.6 Embora soubesse da gravidez em meados de fevereiro, Sharon não contou a Roman. O casamento deles,
de apenas um ano de idade, já estava em apuros, uma mistura inquietante de felicidade e argumentos
forçados. Incerta sobre o seu próprio futuro, ela ainda se agarrava à crença de que a paternidade poderia mudar os
modos de namoriscar de Roman. No entanto, ela também estava ciente de sua oposição a um bebê. Ao longo dos
três anos de relacionamento. Sharon sempre concordou com Roman ' s desejos, e ele nunca se mostrou
particularmente sensível aos seus próprios desejos. Sharon também estava ciente de suas próprias fraquezas. No
passado, Roman facilmente conseguiu influenciá-la em questões profissionais e pessoais. Ela sempre quis um
casamento forte e comprometido, e é uma medida de seu poder sobre ela que Sharon tinha começado a repetir as
opiniões de Roman sobre um relacionamento aberto, mesmo que ela mesma se opusesse a tal relacionamento.

arranjo. Agora ela aparentemente temia que ele pudesse coagi-la a fazer um aborto, e amigos mais tarde insistiram
que ela deliberadamente mantinha as notícias de seu marido até que tal opção fosse tarde demais.7 ~ King [386]
Polanski pode até ter se convencido da necessidade de abortar. assassinar sua esposa indesejada e seu filho
milagroso, tendo dirigido o bebê de Rosemary no ano anterior; um filme sobre um culto satânico conduzindo rituais
sexuais para dar origem ao Anticristo. Em uma década, Polanski seria julgado por drogar, estuprar e sodomizar
Samantha Gailey, de 13 anos, na casa do ator Jack Nicholson. Polanski foi bem cuidado no tribunal. Como resultado
da barganha, Polanski se declarou culpado da acusação de "Intercurso Sexual Ilegal com um menor". [115] [116] e
foi condenada a passar por 90 dias de avaliação psiquiátrica na California Institution for Men em Chino. [117] Após a
libertação da prisão depois de 42 dias, Polanski concordou com a barganha, sua pena para ser hora de servir junto
com liberdade condicional. ~ Wikipedia [388] No entanto, algo bastante inesperado aconteceu - o juiz Laurence J.
Rittenband tinha determinado a ignorar a barganha e aplicar uma sentença que pode ter incluído até 50 anos de
prisão. Felizmente para Polanski, as fontes que o protegiam estavam plenamente conscientes dos movimentos do
juiz Rittenband e preveniram-no. Polanski decidiu não aparecer em sua sentença. Ele disse a seu amigo, o diretor
Dino De Laurentis [na verdade, escrito "De Laurentiis"], "Eu me decidi. Estou saindo daqui." [119] No dia anterior à
sentença em 1978, Polanski deixou o país. [122] Como cidadão francês, ele foi protegido da extradição e viveu
principalmente na França desde então. [123] ~ Wikipedia [389] De Laurentiis (que morreu em 2010 aos 91 anos) não
era apenas um católico romano, mas também um romano nascido e criado. Entre sua família sobrevivente está a
neta Giada De Laurentiis (rica Chef Master no Food Channel) e segunda esposa Martha (nascida Martha
Schumacher), 35 anos sua
júnior. Aos 70 e 72 ele gerou duas filhas por ela. De fato, De Laurentiis viveu e morreu como um papa. Passará muito
tempo antes que Hollywood veja outro funeral católico romano como o que Dino De Laurentiis recebeu na segunda-
feira. O lendário produtor italiano, cuja carreira abrangeu desde clássicos de Fellini a Serpico, King Kong [1976] e
Blue Velvet, foi enterrado após a cerimônia na Catedral de Nossa Senhora dos Anjos, no centro de Los Angeles. O
vencedor do Oscar morreu na quinta-feira aos 91 anos. Era uma longa lista de nomes de Hollywood que enchiam os
bancos, incluindo Bob Daly, Rob Friedman, Jeff Berg, Chris McGurk, Lou Pitt, Rick Nicita e Paula Wagner, Tom
Pollock, Alan. Ladd Jr., Sam Raimi, Maria Shriver e o governador Arnold Schwarzenegger. ~ Hollywood Reporter
[390] Charles Manson era o pai de um sacrifício de culto de Hollywood / Católica Romana? Até mesmo seu biógrafo
“fato misturado com ficção”, Lawson McDowell, implicou isso. Então, McDowell acredita que há uma pergunta sobre a
culpa do Manson? "Talvez, mas para mim, uma questão maior seja a imparcialidade do julgamento. Vivemos em uma
nação onde o estado de direito é tão importante que libertamos as pessoas se houver qualquer dúvida razoável de
culpa. No entanto, no caso do Manson, nós tivemos um suspeito que foi negado suas próprias testemunhas, negou o
direito de interrogatório, e enfrentou uma única testemunha ocular contra ele, uma menina que tinha sido parte da
verdadeira festa de assassinato ... América precisava de um demônio para explicar esses assassinatos impensáveis
Manson foi a resposta. " Quanto às conversas em si, McDowell disse que os dois tinham que trabalhar para serem
agradáveis. McDowell teve que reprimir seus próprios preconceitos contra Manson, enquanto Manson teve que
superar sua desconfiança por estranhos e o medo de pessoas tentando machucá-lo. "Há muitos assassinos na prisão
que se beneficiariam da notoriedade de

matando uma celebridade como Manson ", disse ele. Quanto a Manson, ele ainda mantém a sua inocência; tem
desde o início de acordo com McDowell." A maioria das pessoas pensa que ele foi condenado por assassinato, mas
isso não é correto ". Nunca foi a questão. Ele foi condenado por conspiração para cometer assassinato. "" Antes de
se tornar um monstro "foi lançado no início deste mês. McDowell disse que os leitores acharão divertido e otimista
com pouca coragem ao sugerir o que poderia ter acontecido terrivelmente errado em Boys Town. eu ", disse
McDowell," o livro foi um projeto de abertura que me deixou imaginando: o demônio da América tem dito a verdade o
tempo todo? "~ Omaha Lifestyles [391] O procurador distrital do Condado de Los Angeles, Vincent Bugliosi, foi
colocado no mapa por sua acusação de Manson. Ele montaria sua fama para se tornar um "autor de best-seller do
New York Times". Em 2007, Bugliosi procurou enterrar ainda mais outro patsy, Lee Harvey Oswald, com seu livro
Recuperando a História: O Assassinato do Presidente John F. Kennedy. De acordo com Bugliosi, Oswald fez isso. No
ano seguinte, Bugliosi indiciaria George W. Bush pelos terríveis crimes da "Guerra Global ao Terror", com seu livro A
acusação de George W. Bush por assassinato. Os agentes da CIA treinados por jesuítas são os verdadeiros
culpados dos crimes hediondos de 11 de setembro [392] e suas conseqüências. Por exemplo, o "Patriot Act", de
nome inverso (escrito e pronto em 2001), foi criado por Georgetown Law Professor e pelo católico romano Viet D.
Dinh [393]. Autor Atticus Lish citou o católico romano "feminista" Camile Paglia em seu louvor por acusação,
chamando Bugliosi "

O passado religioso de Bugliosi permaneceu um mistério até seu último livro. Seguindo os passos de outro "ateísta"
treinado pelos jesuítas, François-Marie "Voltaire" Arouet, Bugliosi escreveu "A questão da divindade da dúvida: Deus"
em 2011, apenas 4 anos antes de sua morte em 2015. Eu cresci católico, freqüentando a Assunção Hall, uma escola
católica com freiras da ordem beneditina como professores, até a oitava série. E é claro que foi incutido em alguém
que Deus era todo bom, todo poderoso e onisciente. O enigma que a maioria de nós já ouviu, que Deus pode
prevenir o mal, mas não o faz, o que significa que ele não é todo bom, ou ele deseja prevenir o mal, mas não pode, o
que significa que ele não é todo poderoso. Eu, como crente, me preocupei naqueles primeiros anos. Mas algo
semelhante me incomodava. O chefe da Igreja do Santíssimo Sacramento, que estava associado à escola que
frequentei, era uma eminência de cabelos grisalhos chamada monsenhor Limmer. O monsenhor parecia antigo para
nós, garotos, e com sua profunda voz barítona e expressão soturna, alguém não apenas para olhar, mas para o
medo. Embora ele vivesse na parte de trás da igreja, sentimos que ele realmente veio de algum outro lugar, algum
lugar onde os humanos comuns não iam. O bom monsenhor visitava nossa sala de aula por dez minutos,
aproximadamente uma ou duas vezes por semana, e escutávamos em silêncio a sua sabedoria sobre Deus e
Cristo. Um dia, quando eu estava na terceira ou quarta série, ele estava explicando que Deus era todo-bom, todo-
poderoso e onisciente, e eu perguntei por que (eu tinha um iene para a pergunta do porquê naquela época), se Deus
fosse todo bom, ele colocaria pessoas nesta terra que ele sabia que acabariam no inferno, queimando por toda a
eternidade. O monsenhor passou a me dizer que era uma boa pergunta, mas ele tinha a resposta. Deus nos dá livre
arbítrio, o monsenhor nos assegurou, e quando chegamos à bifurcação na estrada onde um caminho nos levará ao
céu e ao inferno, nós temos uma escolha, e Deus não é responsável por qual escolha nós faço. Sim, eu disse, mas
se Deus também é onisciente, ele sabe que caminho tomaremos antes de tomarmos. Então, eu disse, eu ainda não
entendia como Deus colocaria as pessoas nesta terra que ele já sabia que acabariam no inferno. O monsenhor tossiu
nervosamente, notou que era o fim da hora e disse que falaríamos sobre isso. mas ele teve a resposta. Deus nos dá
livre arbítrio, o monsenhor nos assegurou, e quando chegamos à bifurcação na estrada onde um caminho nos levará
ao céu e ao inferno, nós temos uma escolha, e Deus não é responsável por qual escolha nós faço. Sim, eu disse,
mas se Deus também é onisciente, ele sabe que caminho tomaremos antes de tomarmos. Então, eu disse, eu ainda
não entendia como Deus colocaria as pessoas nesta terra que ele já sabia que acabariam no inferno. O monsenhor
tossiu nervosamente, notou que era o fim da hora e disse que falaríamos sobre isso. mas ele teve a resposta. Deus
nos dá livre arbítrio, o monsenhor nos assegurou, e quando chegamos à bifurcação na estrada onde um caminho nos
levará ao céu e ao inferno, nós temos uma escolha, e Deus não é responsável por qual escolha nós faço. Sim, eu
disse, mas se Deus também é onisciente, ele sabe que caminho tomaremos antes de tomarmos. Então, eu disse, eu
ainda não entendia como Deus colocaria as pessoas nesta terra que ele já sabia que acabariam no inferno. O
monsenhor tossiu nervosamente, notou que era o fim da hora e disse que falaríamos sobre isso. mas se Deus
também é onisciente, ele sabe que caminho tomaremos antes de tomarmos. Então, eu disse, eu ainda não entendia
como Deus colocaria as pessoas nesta terra que ele já sabia que acabariam no inferno. O monsenhor tossiu
nervosamente, notou que era o fim da hora e disse que falaríamos sobre isso. mas se Deus também é onisciente, ele
sabe que caminho tomaremos antes de tomarmos. Então, eu disse, eu ainda não entendia como Deus colocaria as
pessoas nesta terra que ele já sabia que acabariam no inferno. O monsenhor tossiu nervosamente, notou que era o
fim da hora e disse que falaríamos sobre isso.

alguma outra hora, uma vez que nunca chegou. Ninguém no cristianismo, a meu conhecimento, pode responder a
essa pergunta. Eu até tenho problemas com todo o conceito de oração, no qual literalmente bilhões de pessoas ao
longo da história imploraram a Deus por misericórdia. Mas como Deus supostamente é bom e misericordioso, por
que teríamos que implorar para ele ser o que ele supostamente já é? A maioria daqueles que acreditam em Deus
também acreditam no diabo, que eles sentem que é responsável por todo o mal no mundo. Eu vou parecer risível
aqui, e não é nada que eu esteja recomendando, já que eu não acredito no diabo, mas logicamente falando, as
pessoas não deveriam estar rezando para o diabo? Não é preciso pedir a um bom ser para ser bom, basta pedir a
um ser ruim para ser bom. Não? Desde que o diabo é o cara mau, não é O que devemos implorar por
misericórdia? No entanto, a oração de Jesus, e pessoal informal, diz: "Senhor Jesus Cristo, tem misericórdia de mim"
[395]. Infelizmente, o Sr. Bugliosi recebeu sua resposta da Fonte antes que pudéssemos lhe dizer que sua pergunta
era não sequencial. . O fato de que Deus tem conhecimento prévio da condenação das almas não tem nada a ver
com a Sua bondade. Criar seres humanos com resultados garantidos anula o livre arbítrio. Seu segundo "enigma" é
ainda mais jesuítico do que o primeiro. Exatamente do que ele está falando? Reivindicações generalizadas de
"pessoas implorando por misericórdia" não nos dizem nada de substância. Cada indivíduo é respondido de acordo
com suas necessidades e seu relacionamento com YHWH através de Jesus Cristo. Nenhum relacionamento com
Jesus Cristo, sem resposta. Simples. Não temos certeza de como o sr. Bugliosi se saiu depois disso, mas temos
certeza de que ele estava "implorando" por si mesmo com tão pouca resposta. Helter Skelter Mesmo após a sua
prisão, Charles Manson continua a ser tratado por agentes jesuítas (que também convenientemente fazem um
dinheirinho fora dele) como o seu conselheiro da prisão Edward George. Em 1999, George escreveu Taming the
Beast: A vida atrás das grades, de Charles Manson. Se Manson é um patsy romano, foi ordenado por agentes
romanos que

ele nunca vê a luz do dia (ou verdade). [Taming the Beast is] A última entrada no cânone de um verdadeiro
louco. George, um oficial de correções aposentado que conheceu Manson em 1975 em San Quentin, diz na frente
que seu treinamento jesuíta o levou a acreditar que a besta poderia de fato ser domada. Seus anos de conhecer
Manson, que ele frequentemente descreve como demoníaca ou demoníaca, ... como tanto a narrativa de George
quanto as tábuas de audiência da audiência de condicional citadas aqui deixam claro, Manson está tão
monstruosamente doente como sempre. ~ Kirkus [396] O aparente racismo de Manson parece ser parte de uma
agenda muito mais profunda; uma que combina muito bem com a tática luciferiana / gnóstica / jesuíta / maçom de
"dividir e conquistar", exalando o ódio racial. Ele até deu um nome; "Helter Skelter", tirado da canção dos Beatles
lançada apenas um ano antes do " Além dos membros da banda em uniformes coloridos, há outros 57 notáveis
históricos em recortes de cera ou papelão, incluindo Aleister Crowley e Lewis Carroll. Apenas uma personalidade
aparece mais de uma vez; na verdade, três vezes. - Criança atriz Shirley Temple. [397] Além dos membros da banda
em uniformes coloridos, há outros 57 notáveis históricos em recortes de cera ou papelão, incluindo Aleister Crowley e
Lewis Carroll. Apenas uma personalidade aparece mais de uma vez; na verdade, três vezes. - Criança atriz Shirley
Temple. [397]

Capítulo 10
Maskell: O verdadeiro monstro assassino, não o Manson

3 de janeiro de 1970: O corpo da freira católica romana Catherine Ann Cesnik é encontrado em um lixão em
Lansdowne, Maryland. [Xxxv]

Não é coincidência que o Capitólio dos Estados Unidos (em homenagem a uma das sete colinas de Roma) seja
encontrado nas proximidades da principal colônia do Vaticano, em Maryland - junto com a maior sede de força
coercitiva dos Estados Unidos, do Pentágono à Nação. Agência de Segurança. Em 1534, Inácio Loyola iniciou a sua
ordem jesuíta 1161, mais tarde oficialmente sancionada pela "Santa Sé" em 1540. Em 1634, Sir Cecilius Calvert,
Lord Baltimore, encomendou a colônia católica de Maryland na América para Roma e conseguiu a partir de
Inglaterra. 1162 ... ~ Illuminati Unmasked [398] ___________ Se a manipulação era fácil na Inglaterra, era ainda mais
fácil fora de suas fronteiras, onde os jesuítas estavam seguros para operar desimpedidos pela lei inglesa. Uma das
primeiras colônias na América foi concedida a um católico romano recém-convertido chamado George Calvert, Lord
Baltimore, do rei "anglicano" Charles I. Calvert escolheria um nome para sua aquisição que teria uma resposta
imediata de seus companheiros católicos: Mary-land. A capital se tornaria "Baltimore". George Calvert passou e
deixou seu trabalho para Roma para seu filho, Cecilius, que não perdeu tempo montando dois navios cheios de
católicos e jesuítas; a arca e a pomba. Eles foram unidos em

América pela família Carroll, John, Daniel e Charles. Eles rapidamente começaram a trabalhar, insinuando seu
caminho em todas as principais instituições e eventos da América. Daniel Carroll foi um dos apenas 5 homens a
assinar os artigos da Confederação e da Constituição. Na época da Revolução, o "Capitólio" foi firmemente plantado
em Maryland. O termo "Capitol" é derivado do Templo de Júpiter no Capitólio - uma das sete colinas de Roma. "Aqui
está a mente que tem sabedoria: as sete cabeças são sete montanhas nas quais a mulher se senta." ~ Apocalipse
17: 9 ~ História Secreta [399]

Os jornais, a polícia, os promotores e os juízes pareciam estar por todo o assassinato por coincidência da esposa e
do filho indesejados de Roman Polanski por uma ameaça criada em instituições católicas romanas como Boys Town
- Charles Manson. Enquanto isso, um predador auto-governado governava sem impedimentos do outro lado do país,
na capital da Igreja Católica Romana de Maryland. O Padre Anthony Joseph Maskell foi o capelão do Arcebispo
Francis Keough High School em Baltimore. Ele também foi um estuprador infantil em série e cúmplice em pelo menos
um assassinato.

Ele atacava principalmente garotas adolescentes enquanto estava em Keough, mas ele era um animal indiscriminado
que também sodomizava garotos, como uma vítima que admitiu ter sido atacada por Maskell enquanto estava em um
acampamento de verão no seminário na década de 1950. [400] Ajustando o perfil de um predador, o padre A. Joseph
Maskell explorou sua posição de confiança e respeito para atingir os mais vulneráveis. Keough era uma escola
católica tradicional, onde os alunos eram obrigados a usar saias e camisas xadrez na altura do joelho até o
pescoço. Mas dificilmente estava imune à contracultura dos anos 60. Ex-alunos de Keough disseram que no
escritório de Maskell e na casa paroquial próxima, onde ele morava, o padre ofereceu às meninas um ambiente
descontraído e aberto, onde podiam conversar livremente sobre sexo e drogas, beber álcool, fumar cigarros em seu
sofá de veludo vermelho e pedir ajuda para lidar com seus pais católicos tradicionais. No auge da revolução sexual,
Maskell estava bem posicionado para explorar a atmosfera experimental e rebelde do final dos anos 60 e início dos
70. Em um momento confuso, ele ofereceu um coquetel inebriante de orientação espiritual, hipnose, bebida alcoólica,
pílulas e ele mesmo. Maskell era um jovem carismático de quase 20 anos quando começou a trabalhar como capelão
em 1967, dois anos depois da inauguração. Broadshouldered, com olhos azuis claros, o padre descendente de
irlandês também serviu como conselheiro psicológico da escola. Mais tarde, ele se formou em psicologia pela
prestigiada Universidade Johns Hopkins. Ex-alunos de Keough disseram que Maskell usou seu charme, treinamento
em psicologia e autoridade moral para desarmar as jovens, depois manipulá-los em relações sexuais. Ele visou
alunos com dificuldades ou mal comportados - [Gemma] Hoskins e [Abbie] Schaub, que endireitaram As, disseram
que nunca os incomodavam - perguntando às meninas se elas estavam tendo problemas em casa, ou se elas tinham
sido sexualmente ativas com seus namorados ou drogas usadas. Às vezes, o padre usava frases repetitivas - "Eu só
quero o que é melhor para você, o que é melhor para você", uma mulher se lembra dele dizendo - para persuadi-los a
falar. [Teresa] Lancaster, mãe de quatro filhos de fala mansa com cabelo loiro fino, ou se eles tivessem sido
sexualmente ativos com seus namorados ou usassem drogas. Às vezes, o padre usava frases repetitivas - "Eu só
quero o que é melhor para você, o que é melhor para você", uma mulher se lembra dele dizendo - para persuadi-los a
falar. [Teresa] Lancaster, mãe de quatro filhos de fala mansa com cabelo loiro fino, ou se eles tivessem sido
sexualmente ativos com seus namorados ou usassem drogas. Às vezes, o padre usava frases repetitivas - "Eu só
quero o que é melhor para você, o que é melhor para você", uma mulher se lembra dele dizendo - para persuadi-los a
falar. [Teresa] Lancaster, mãe de quatro filhos de fala mansa com cabelo loiro fino,

disse que quando ela era uma jovem em 1970, ela foi ao escritório de Maskell para conversar com ele sobre alguns
problemas em casa. Seus pais haviam encontrado um baseado de maconha em sua bolsa, ela disse, e eles não
aprovaram o garoto de cabelos longos que ela estava namorando. Era o meio do dia de aula, e Maskell a convidou
para entrar em seu escritório e fechou a porta atrás dela. Ele então tirou a roupa dela e a obrigou a sentar no colo
dele, nua. Ele disse que a tocava de uma maneira "piedosa". ... Às vezes ele tocava música irlandesa enquanto
estava com ela, "quase como se fosse um encontro doentio", disse Lancaster. ~ Huffington Post [401] Como um
membro leal da Simulação do Diabo, "Father" Maskell procedeu a roubar suas vítimas de sua inocência e suas almas
associando seu trauma com sua fé. 50 anos depois, o serviço de streaming de filmes na internet, dominado pelos
católicos romanos, "Netflix" estreou um documentário sobre o que aconteceu com o arcebispo Keogh. Motivo é difícil
de discernir. Muitas vezes a mídia controlada por católicos sacrifica um peão (especialmente um que está morto há
décadas) a fim de obter a percepção de que eles estão fazendo seu trabalho como jornalistas, repórteres, editores,
etc. O diretor Ryan White está pessoalmente envolvido; ele é católico romano e vem de uma grande família
católica. Na verdade, ele diz que sua tia era colega de classe da principal vítima de Maskell, Jane Doe (Jean
Wehner). Em uma entrevista com E! Ao vivo do Red Carpet, White fez um argumento convincente de que ele
simplesmente quer justiça [404] (boa sorte). Embora Maskell (se ele é criticamente referenciado pela mídia) é
geralmente pintado como um predador "lobo solitário", Ele era extremamente poderoso e ligado a governos
municipais, estaduais e nacionais, incluindo as organizações que carregam armas - policiais e militares. Ele foi
capelão da Polícia da Cidade de Baltimore, da Polícia do Condado de Baltimore, da Polícia Estadual de Maryland e
da Guarda Nacional Aérea. Seu irmão Thomas "Tommy" Maskell era um policial da cidade de Baltimore.

A vítima Jean Wehner lembrou que Maskell havia especificamente convidado seu irmão policial a abusar dela, o que
ele fez. [405] Maskell forneceu seus filhos escravos sexuais controlados para muitos deles. Houve até um caso em
que um policial recusou-se a estuprar a jovem, mas Maskell o persuadiu a fazê-lo e ele o fez. Uma série de estupros
ocorreu no festival pagão / demoníaco de Samhain ("Halloween"), mostrando claramente que os crimes foram
cometidos por Lúcifer, e não apenas a luxúria. Depois de apontar que "eu estava com medo do homem [padre
Maskell] porque ele tinha uma arma", Lancaster descreveu como o padre também servia como capelão do
Departamento de Polícia de Baltimore e como ele às vezes a aceitava " a polícia corre "com policiais e depois os
encoraja a agredi-la sexualmente em sua presença. "Em uma ocasião, Na noite de Halloween de 1970, fui agredida
sexualmente por dois policiais uniformizados, enquanto Maskell observava ", disse ela." Ele também me levou a um
ginecologista em Towson [Dr. Christian Richter]. Enquanto Maskell me estuprava, o ginecologista sentiu meus seios.
"~ Inside Baltimore [407] Havia uma mistura completa de instituições" seculares "com autoridade, poder e abuso
católicos. Enquanto presidia a St. Clement Parish antes de se tornar Capelão do Arcebispo Keogh, Maskell
supervisionou a tropa de escoteiros local - terreno fértil para suas inclinações.Maskell usou a igreja onde ele
pastoreou como um centro para trazer outros irmãos luciferianos para estuprar ritualmente as crianças.Muitas das
mulheres que falaram ao The Huffington Post sobre o abuso de Maskell descreveram o padre montando o que
equivalia a um bordel cheio. Wehner disse que durante seu último ano, Maskell começou a levá-la para a Igreja de
São Clemente, onde ele pregou, depois da escola, e que uma série de homens abusou dela em seu escritório lá. Ela
não sabe quem eram os homens, mas se referiam uns aos outros por nomes genéricos - irmão Ed,

Irmão Ted e irmão Bob. Ela disse que alguns dos homens deram dinheiro a Maskell em troca do abuso. "Ele estava
nos prostituindo", disse Wehner. Anthony Joseph Maskell era um sacerdote entre os sacerdotes; sua mãe o criou
desde a infância para o seu destino. Ela o fez praticar com bolachas simulando a Eucaristia católica. Enquanto outros
meninos jogavam bola, o jovem Anthony Joseph estava no pátio dizendo missa. [409] Maskell estava na posição
perfeita para fornecer seus irmãos no Departamento de Polícia de Baltimore com vítimas, assim como manter-se
protegido de qualquer um que ousasse desafiar o sistema e tentar detê-los. Maskell, em particular, era um alvo
difícil. Na época, ele serviu como capelão da polícia do condado de Baltimore, da polícia estadual de Maryland e da
guarda nacional de Maryland. Maskell manteve um scanner policial e carregou a arma no carro dele, Bebia cerveja
com os policiais em um bar de mergulho local e, muitas vezes, passeava com seus amigos policiais à noite para
responder a pequenos crimes ou pegar adolescentes pegando em seus carros. Bob Fisher, dono de uma oficina de
reparos automotivos no sudoeste de Baltimore, onde Maskell levou seu carro em seus dias de folga, lembra-se do
padre gabando-se de seus privilégios policiais para quem quisesse ouvir. "Ele dizia: 'Eu ouvia alguma coisa no
scanner, e pulávamos no carro e decolávamos, e pegávamos essas pessoas!'", Disse Fisher, 74. "Histórias realmente
malucas." ~ Huffington Post [410] Maskell recrutou a ajuda de um colega luciferiano que também era médico, para
garantir que nenhuma de suas vítimas engravidasse. As mulheres lembram que Maskell tinha um amigo
ginecologista, Dr. Richter, quem os examinaria para se certificar de que não estavam grávidas. Lancaster afirma que
Maskell levou-a para ver Richter para um teste de gravidez e depois a estuprou na mesa enquanto Richter realizava
um exame de mama. Fisher, o dono da oficina, disse que Maskell se gabava de levar garotas do ensino médio para o
ginecologista quando ele deixava o carro na loja à tarde. "Ele dizia: 'Eu e o médico, nós os pegamos de volta e
fazemos exames e checamos'", disse Fisher.

"Não há dúvida de que ele sempre esteve envolvido com os exames - que ele deixou claro." [411] O padre tinha uma
mente verdadeiramente doente e submetia suas vítimas a qualquer perversão que ele pudesse pensar. Ele até
mesmo estuprou alguns deles no altar da capela da escola, a fim de mostrar sua lealdade a Lúcifer. As viagens de
Maskell ao ginecologista refletiam uma fixação com a prática. Lancaster disse que gostava de fazer exames pélvicos
no altar da capela da escola e administrar duchas vaginais, enemas e supositórios anal no banheiro de seu
consultório e na casa paroquial. Múltiplas outras meninas também disseram que estavam recebendo os exames
ginecológicos simulados e enemas. Era uma maneira de estabelecer mais autoridade sobre as meninas - a criação
de um relacionamento médico-paciente - enquanto atuava sobre qualquer fetiche que inspirasse o abuso. [412] As
crianças viviam com medo, nunca sabendo quando voltariam a ser chamadas para o gabinete de Maskell. A jovem
Donna VonDenBosch disse a uma das freiras que Maskell a estava estuprando, mas a mulher descartou sua
acusação. [413] Só a irmã Cathy Cesnik, uma jovem freira popular que ensinava inglês e teatro, parecia ter alguma
compaixão pelas meninas. A única pessoa que tentou ajudar as meninas foi a irmã Cathy Cesnik. Wehner disse que
em 1969, no final de seu segundo ano, Cesnik roubou um momento a sós com ela em sua sala de aula. "Os padres
estão te machucando?" a freira perguntou gentilmente. Wehner assentiu com a cabeça, com muito medo de abrir a
boca. Cesnik disse a Wehner para ir para casa e aproveitar o verão. Ela disse que lidaria com a situação. Kathy
Hobeck, de 63 anos, disse que pediu a Cesnik para protegê-la do abuso de Maskell quando ela fosse a Keough em
1968. "

Cathy Cesnik e sua colega de quarto Sister Russell Phillips foram contratadas pela Madre Superiora Maurice Kelly
[xxxvi] para fazer parte de um programa clandestino especial onde foram enviadas em trajes civis para ensinar em
escolas públicas incógnitas. Mais uma vez, isso mostra todo o poder da Igreja Católica sobre os governos "seculares"
em todos os lugares, especialmente nos Estados Unidos. [Xxxvii] Como freira católica romana, Cesnik não foi rápido
em intervir no que um padre estava fazendo (serviço ao " Church "sempre foi prioridade máxima", mas ela tinha mais
consciência e integridade do que qualquer outra pessoa em Keogh. Ela começou a fazer perguntas sondando as
vítimas de Maskell, mas o poder e a cultura de controle em Keogh, e mesmo em toda a cidade de Baltimore e além,
mantinham todos os que sabiam se calar. Sua integridade acabaria por custar caro a Catherine Cesnik. Por volta das
19h30 do dia 7 de novembro de 1969, Cesnik disse à sua colega de quarto, Helen Russell Phillips, que ia passar pelo
banco e depois comprar um presente de noivado para sua prima. De acordo com relatos da mídia da época, ela
trocou um cheque de US $ 255 em um banco em Catonsville, Maryland, depois dirigiu até o Edmondson Village
Shopping Center, onde comprou pães na Muhly's Bakery. Quando ela não voltou para casa às 11 da noite, Phillips
ligou para dois amigos sacerdotes, que foram até seu apartamento e chamaram a polícia. Mais tarde naquela noite, o
novíssimo Ford Maverick verde de Cesnik foi encontrado destrancado e estacionado ilegalmente em um
bloco. Pagou um cheque de US $ 255 em um banco em Catonsville, Maryland, e depois dirigiu até o Edmondson
Village Shopping Center, onde comprou pães na Muhly's Bakery. Quando ela não voltou para casa às 11 da noite,
Phillips ligou para dois amigos sacerdotes, que foram até seu apartamento e chamaram a polícia. Mais tarde naquela
noite, o novíssimo Ford Maverick verde de Cesnik foi encontrado destrancado e estacionado ilegalmente em um
bloco. Pagou um cheque de US $ 255 em um banco em Catonsville, Maryland, e depois dirigiu até o Edmondson
Village Shopping Center, onde comprou pães na Muhly's Bakery. Quando ela não voltou para casa às 11 da noite,
Phillips ligou para dois amigos sacerdotes, que foram até seu apartamento e chamaram a polícia. Mais tarde naquela
noite, o novíssimo Ford Maverick verde de Cesnik foi encontrado destrancado e estacionado ilegalmente em um
bloco.

do apartamento dela, embora ela tivesse um estacionamento designado atrás do prédio. Não havia sinal da freira em
lugar algum [415]. Um oficial católico romano italiano honesto mas intimidado foi prontamente colocado no caso que
foi rapidamente entregue e permaneceu "sem solução" desde então. O homem designado para investigar o
desaparecimento de Cesnik foi Nick Giangrasso, um detetive de 28 anos que havia trabalhado no Departamento de
Polícia da cidade de Baltimore por cinco anos. Giangrasso liderou a investigação nos três meses em que Cesnik
estava desaparecida, depois teve de entregar o caso aos detetives do condado de Baltimore quando seu corpo foi
encontrado fora dos limites da cidade. Mas Giangrasso, agora com 72 anos, passou bastante tempo no caso para
sentir que algo suspeito estava acontecendo entre o departamento de polícia e a igreja. " Wehner tentou afastá-los
com as próprias mãos. "Ajude-me a tirar isso dela!" ela gritou, voltando-se para Maskell em pânico. Em vez disso, ela
diz, o padre se inclinou atrás dela e sussurrou em seu ouvido: "Você vê o que acontece quando você diz coisas ruins
sobre as pessoas?" ...
Dois meses depois, a polícia anunciou que um par de caçadores passando por um depósito fora de Baltimore havia
encontrado o corpo da freira desaparecida. Cesnik tinha marcas de estrangulamento no pescoço e um buraco
redondo do tamanho de um quarto na parte de trás do crânio. Uma autópsia confirmou que ela havia sido morta por
um golpe de um objeto contundente, provavelmente um tijolo ou um martelo de bola. Mas ... a polícia nunca resolveu
isso [417] Houve algumas entrevistas iniciais realizadas. Gerard Koob foi o primeiro. Na época, Koob era um padre
jesuíta e amante da irmã Cisnik. Hoje ele é um ministro Metodista casado que mora em Nova Jersey. Harry Bannon,
outro investigador de homicídios aposentado de Baltimore, disse ao jornal Baltimore City em 2004 que achava que
Koob sabia mais sobre o assassinato do que estava admitindo, mas que a igreja o forçou a recuar do padre. " Os
advogados da igreja intervieram e conversaram com os superiores do departamento de polícia. E nos disseram: `Ou
cobrar Koob com um crime ou deixá-lo ir. Pare de assediá-lo ", disse Bannon, que morreu em 2009." Depois disso,
tivemos que nos afastar dele. E isso foi uma pena, porque tenho certeza de que Koob sabia mais do que estava
dizendo. "[418] O poder chocante da Igreja Católica em controlar autoridades seculares críticas como políticos,
policiais e juízes é o segredo mais bem guardado até mesmo em A "era da informação" de hoje O clero católico pode
literalmente se safar do assassinato Em 27 de março de 1992, a irmã Abhaya acordou às 4 da manhã para começar
seus estudos no convento de São Pio X em Kottayam, Índia. , a freira católica Knanaya, de 19 anos, foi até a cozinha
pegar um copo de água. A próxima pessoa a ir à cozinha encontrou a porta da geladeira aberta. Havia uma garrafa
de água derramada, havia um chinelo embaixo da geladeira e a irmã Abhaya estava desaparecida. Após uma breve
pesquisa, seu corpo foi encontrado no poço do convento. No começo, sua morte foi considerada um suicídio, apesar
de haver vários cortes e escoriações em seu corpo. O caso permaneceu fechado até quase 16 anos depois. As
freiras do convento enviaram uma petição à agência policial da Índia, o Escritório Central de Investigação (CBI),
pedindo que apesar de haver uma série de cortes e abrasões em seu corpo. O caso permaneceu fechado até quase
16 anos depois. As freiras do convento enviaram uma petição à agência policial da Índia, o Escritório Central de
Investigação (CBI), pedindo que apesar de haver uma série de cortes e abrasões em seu corpo. O caso permaneceu
fechado até quase 16 anos depois. As freiras do convento enviaram uma petição à agência policial da Índia, o
Escritório Central de Investigação (CBI), pedindo que

reabrir o caso, o que eles fizeram em 2007. Durante a investigação, o CBI entrevistou três pessoas que viviam no
convento - o padre Jose Puthurukkayil, o padre Thomas M. Kottur e a irmã Sephy. O CBI deu a todos os três uma
análise do Narco, que é um teste de soro da verdade. Sob a influência do soro, os três confessaram o
assassinato. Aparentemente, a irmã Abhaya pegou os três em uma posição sexual comprometedora. Sephy entrou
em pânico e atingiu a irmã Abhaya três vezes com o lado rombudo de um machado. Os três então jogaram o corpo
no poço. Puthurukkayil, Kottur e Sephy foram presos, mas foram libertados sob fiança. Eles ainda precisam ir a
julgamento por causa de como as evidências foram manipuladas. ~ Viral Top 10s [419] Na verdade, a evidência foi
mal administrada. Durante o inquérito inicial, o Superintendente de Polícia (o oficial principal da lei) ajudou a
investigação destruindo provas. A supervisão subsequente parecia incapaz de rastrear ou rastrear qualquer
registro. O CBI na segunda-feira disse ao Supremo Tribunal do Kerala que a agência não conseguiu localizar os
registros adicionais e arquivos antigos do escritório do magistrado subdistrital de Kottayam em um caso relacionado à
destruição de provas no caso do assassinato da Irmã Abhaya. Ele disse que concluiu a investigação do caso e
apresentaria o relatório final perante o tribunal especial do CBI antes de 30 de junho. O Supremo Tribunal pediu ao
CBI que continuasse com a investigação sobre o caso de assassinato de Abhaya depois que o ativista social Jomon
Puthenpurackal o moveu. dizendo ex-superintendente da polícia KT Michael, que investigou o caso primeiro, foi
fundamental para destruir as peças de evidências materiais, incluindo roupas pessoais recuperadas do corpo de Ir.
Abhaya, uma garrafa de plástico, um par de chinelos de senhora e um véu branco. Eles foram produzidos antes da
corte da SDM, Kottayam, mas foram destruídos apressadamente com base em uma nota preparada pelo funcionário
da corte da SDM em 7 de julho de 2003, sem entregá-los à CBI, a petição.

tinha afirmado. O CBI disse que examinou 48 pessoas durante a investigação e examinou documentos, incluindo
registros de distribuição e artigos não reclamados do período de 1992-93, arquivos relacionados à morte não natural
da irmã Abhaya mantida no escritório da SDM e relatórios de inquérito. A destruição de evidências materiais foi de
grande importância, pois o caso não teve testemunhas oculares. Pode haver uma tendência para os leigos - católicos
e não católicos - olharem para as freiras como tendo mais compaixão ou empatia do que os sacerdotes com base em
seu gênero e predisposições humanas para ver as mulheres como mais amorosas do que os homens. [xxxviii] Mas a
freira é corajosa Infelizmente, as freiras provaram ser participantes iguais na simulação do diabo. Embora as "irmãs"
não violem agressivamente crianças nos mesmos números que os sacerdotes, eles dão ajuda ativa aos predadores
(e não à presa; crianças inocentes e vulneráveis). Não precisamos nem mesmo deixar a Índia "predominantemente
hindu" como exemplo. Em fevereiro de 2017, mandados de prisão foram ditos por seis freiras e um médico por
esconder o estupro de uma menina menor de idade por um padre. O ataque impregnou a vítima e a cabala
ilegalmente secretou a garota para um orfanato católico em Kannur, onde ela daria à luz. Ela foi então forçada a
deixar seu bebê no "cuidado" do orfanato. "Eles deliberadamente esconderam o incidente das autoridades", disse
Prajish Thottathil, um policial sênior, à AFP, acrescentando que alguns dos acusados provavelmente também sabiam
do suposto ataque. Três dos acusados trabalham em um hospital privado, enquanto o restante estava associado ao
orfanato onde o bebê foi deixado.

De acordo com as leis indianas, os médicos e hospitais devem informar todas as gravidezes e entregas de
adolescentes às autoridades. A vítima disse aos investigadores que o padre acusado a estuprou em uma escola de
catapultas no ano passado. ~ AFP [421] freiras lidam com seu voto de celibato [xxxix] da mesma forma que os
sacerdotes fazem. Muitos deles encontram uma saída para seus impulsos humanos normais que, na melhor das
hipóteses, não são saudáveis e, na pior das hipóteses, garantem um grande mal. A adesão religiosa na Índia é de
79,8% hindu, 14,2% muçulmano, 2,3% "cristão" e 1,7% sikh, mas era o local preferido para um padre de pedofilia
americano escapar para uma vez que seus crimes vieram à tona. O padre Joseph Jeyapaul estava estuprando
garotas adolescentes em sua paróquia de Greenbush, Minnesota. Ele os estuprou no escritório da paróquia, no
confessionário e onde quer que ele tenha escolhido. Depois de um ano de abuso, Megan Peterson (uma "funcionária
do altar" de 14 anos) encontrou coragem para falar com um conselheiro da escola que, em seguida, informou a
polícia. Jeyapaul foi de alguma forma alertado para o processo (por um policial católico ou companheiro pedófilo,
talvez) e fugiu para a Índia. Surpreendentemente, ele foi preso pela Interpol e extraditado de volta para os Estados
Unidos. Peterson e outra garota se apresentaram com acusações. Peterson's foram dispensados e o padre se
declarou culpado do outro. Ele recebeu uma sentença de prisão de um ano que foi imediatamente dispensada em
vez de "tempo de serviço" enquanto esperava pelo julgamento. Ele retornou à Índia, onde o Vaticano prontamente o
restituiu aos deveres sacerdotais totais. [423] Black Sabbath Em Ohio, o clero católico recebeu todo o direito de fazer
qualquer coisa que desejasse de estuprar crianças a conduzir rituais satânicos. Tais rituais incluíam abortos, torturar
animais e assassinar toda uma gama de vítimas desde bebês até adultos. Em 1980, no dia antes da Páscoa
(conhecido como "Sábado Negro" para Roman

Católicos [424]), Irmã Margaret Ann Pahl foi encontrada morta na capela onde trabalhava no Toledo Mercy Hospital,
em Toledo, Ohio. Ela havia sido estrangulada, coberta com um pano de altar e esfaqueada 31 vezes, incluindo nove
feridas na forma de uma cruz invertida. Havia uma mancha de sangue em sua testa, como se ela tivesse sido ungida
nos últimos ritos [pagãos / católicos romanos]. ~ NY Times [425] Aparentemente, o repórter e editor judaico do Times
não queria ser muito específico [xli], mas os detalhes de como o crime era desprezível estão disponíveis. Ela havia
sido confrontada por seu assassino enquanto se preparava para os serviços daquele dia. Pahl foi sufocado até a
porta da morte, espetado impiedosamente com um abridor de cartas, e então [a mulher idosa foi] sexualmente
violada. Ela foi encontrada com um pano de altar cobrindo seu torso. Foi um assassinato ritual com marcas de raiva
patológica. Entre as 31 facadas, nove perfurações no coração formaram o contorno de um crucifixo invertido, um
símbolo demoníaco. Ela tinha sido despida abaixo da cintura e profanada com uma cruz. O homicídio era
impensável. Quem faria tal coisa com uma freira idosa? ~ New York Daily News [426] O imediato e único suspeito era
seu colega de trabalho no hospital, padre Gerald Robinson. Mas ele conseguiu um "passe" da polícia. Um dos
primeiros policiais na cena do assassinato de Irmã Margaret Ann Pahl em Toledo, Ohio, em 1980, disse à CBS News
que acredita que o assassinato não foi investigado tão vigorosamente quanto deveria. O reverendo Gerald Robinson,
um padre católico romano que trabalhou no mesmo hospital que a freira de 71 anos, foi acusado neste fim de
semana de bizarro, Assassinato ritualístico. Ele está sendo mantido em títulos de US $ 200.000. Em uma entrevista
no The Early Show, Dave Davison, policial aposentado de Toledo, disse que o nome de Robinson foi o único já
mencionado como suspeito.

quando o crime foi investigado pela primeira vez em 1980. "Todos com quem conversei - e conversei com dezenas -
disseram ou o padre Robinson ou que não sabiam o nome dele, disseram que era um padre", disse Davison à co-
âncora. Harry Smith "Quero dizer, não havia outro nome mencionado." Davison, um patrulheiro na época ... por
acaso estava entre os primeiros no local porque estava tomando café da manhã na cafeteria do hospital quando o
corpo da freira foi encontrado na capela. ... A investigação que se seguiu "parecia não chegar a lugar nenhum", disse
o oficial aposentado. "Quero dizer, você fala com os caras, pergunta o que progresso. E basicamente eles iriam jogar
fora. Então não foi a lugar nenhum." ~ CBS News [427] Estava perfeitamente claro o que aconteceu e quem o fez,
mas nada foi feito por funcionários públicos juramentados. O detetive da polícia Steve Forrester e Tom Ross, um
investigador do gabinete do promotor do condado de Lucas, disseram ao jornal The Blade que a morte da freira fazia
parte de uma "cerimônia" na capela. Eles não elaborariam. Em dezembro, as autoridades reexaminaram provas
antigas e concluíram que a arma do crime, que eles não identificaram, estava "no controle do suspeito". [428] Na
verdade, o que nem a CBS nem a Polícia de Toledo admitiram é que o "não identificado". "Arma de assassinato foi o
abridor de cartas de Gerald Robinson, ainda em seu" controle ". Embora não tenha sido divulgado em 1980, os
detetives encontraram o abridor de cartas usado para esfaquear a freira no escritório de Robinson. ~ New York Daily
News [429] O caso permaneceu "frio" por 20 anos e Gerald Robinson continuou em suas atividades sem ser
incomodado.

Como o oficial Davison explicou - "Você tem que lembrar em nosso departamento que as pessoas nos níveis de
comando superiores que tinham controle sobre isso são bons católicos". [431] O que isso significa é que o
catolicismo romano é uma insurgência. Onde quer que os católicos romanos ocupem posições de autoridade, eles
correm o risco de corrupção e atividade criminosa porque estão em dívida com um poder maligno
estrangeiro. Consequentemente, eles são frequentemente colocados nessas posições-chave para tal utilidade. Como
Joe Mahr, um repórter investigativo da lâmina de Toledo, disse à marca Madeleine da NPR, o clero católico foi
autorizado a cometer crimes à vontade em Toledo, graças a um governo completamente corrupto e controlado em
todos os níveis. ... nós temos cerca de 10 padres que estamos olhando, e todos eles variam de padres que não foram
presos abertamente ou sabiam que havia denúncias para padres que recebiam tratamento especial de outras
maneiras, até recentemente onde havia serviços para crianças, que tem trabalhadores de casos infantis onde eles
não investigariam um padre por quase um ano quando eles achavam que ele poderia ter acesso a crianças. Então, é
o tipo de favoritismo. ... ... um dos melhores exemplos da política aberta foi o primeiro caso em 1958. Havia um padre
chamado Fred Garand (ph), e ele estava em uma igreja de South Toledo, e o capitão do escritório de detetive
encontrou ou suspeito, devo dizer, que o padre Garand estava molestando pelo menos uma criança na vizinhança ...
não havia nenhum boletim policial arquivado, nenhuma investigação. Até mesmo o chefe dos detetives não fez ou
não pôde fazer nada. Marca: E isso foi simplesmente porque o chefe de polícia era um católico proeminente na
comunidade? Sr. Mahr: É nisso que acreditamos. Isso é o que os policiais nos disseram, sim.

Brand: Mas como isso explica a continuação da política depois que ele não era mais chefe de polícia? Sr. Mahr: O
que os policiais nos disseram é que isso se tornou enraizado na cultura do departamento. Este é um departamento
que também tem muitos católicos, como muitas forças policiais no país. Esta é uma cidade católica. Havia alguns
oficiais que eram contratados como investigadores particulares para a diocese, então eles estavam tecnicamente fora
do relógio no departamento de polícia e eles olhavam para esses casos, e eles podem confirmar que um padre é um
pedófilo, mas eles não o denunciariam. para o departamento de polícia. Eles iriam denunciá-lo em silêncio à diocese
e a diocese trataria da maneira que quisesse. [432] Talvez entendendo isso, Uma vítima de abuso sexual durante
cerimônias satânicas presididas por padres como Gerald Robinson se apresentou - não à polícia ou promotores -
mas ao Conselho de Revisão da Diocese de Toledo. Uma mulher de Toledo se apresentou alegando que foi abusada
sexualmente quando criança por padres católicos durante rituais satânicos. A mulher testemunhou perante o
Conselho Diocesano em 11 de junho e escreveu uma declaração detalhada alegando anos de abuso por parte dos
padres durante sua infância. A mulher, agora com cerca de 40 anos, descreveu cerimônias satânicas nas quais os
sacerdotes a colocavam em um caixão cheio de baratas, forçando-a a ingerir o que ela acreditava ser um globo
ocular humano e a penetrando com uma cobra "para consagrar esses orifícios a Satanás". Ela também alegou que
os clérigos mataram uma criança e uma criança de 3 anos de idade, realizou um aborto sobre ela e cães mutilados
durante os rituais, de acordo com uma cópia de sua declaração. Aparentemente, a Junta deu à polícia e promotores
o "aval" para investigar - não o ritual de estupro, tortura e assassinato de crianças e animais por uma cabala de
padres católicos adoradores de satanás [xlii] - mas do assassinato de 20 anos de uma de suas irmãs, Irmã Margaret
Ann Pahl. Em 23 de abril de 2004, o caso retornou às primeiras páginas quando Robinson foi acusado do
assassinato, com base em evidências disponíveis 24 anos atrás. tortura e assassinato de crianças e animais por uma
cabala de padres católicos adoradores de satanás [xlii] - mas do assassinato de 20 anos de uma delas, irmã
Margaret Ann Pahl. Em 23 de abril de 2004, o caso retornou às primeiras páginas quando Robinson foi acusado do
assassinato, com base em evidências disponíveis 24 anos atrás. tortura e assassinato de crianças e animais por uma
cabala de padres católicos adoradores de satanás [xlii] - mas do assassinato de 20 anos de uma delas, irmã
Margaret Ann Pahl. Em 23 de abril de 2004, o caso retornou às primeiras páginas quando Robinson foi acusado do
assassinato, com base em evidências disponíveis 24 anos atrás.

mais cedo. ~ Daily News [434] 26 anos depois de ter massacrado a Irmã Pahl na Capela do Toledo Mercy Hospital, o
Padre Gerald Robinson foi condenado e enviado para a prisão, onde morreu no dia 4 de julho de 2014. Se ele tivesse
permanecido vivo, em poucos dias meses ele teria sido elegível para liberdade condicional. Falta de serenidade em
terra Em Mary-land, durante a investigação de 1970 sobre o assassinato da irmã Catherine Ann Cesnik, a polícia e a
mídia admitiram que uma série de assassinatos de meninas eram todos relacionados, mas eles também ficaram
"sem solução". ... 20 anos Joyce Helen Malecki, que desapareceu dias depois que a freira fez e cujo corpo foi
encontrado em Fort Meade; Pamela Lynn Conyers, de 16 anos, cujo corpo foi encontrado no Condado de Anne
Arundel em 1970; e Grace Elizabeth "Gay" Montanye, de 16 anos, cujo corpo foi encontrado em 1971 no sul de
Baltimore. ~ Baltimore Sun [435] Os corpos deles e o sangue deles / delas alimentaram na Simulação do
Diabo. Décadas passaram. Maskell e seus clientes permaneceram completamente protegidos pelo cartel luciferiano,
até que vítimas iradas e frustradas começaram a resolver o problema com suas próprias mãos. Não recebendo
justiça das autoridades, eles entraram com uma ação civil de US $ 40 milhões contra Maskell e a Arquidiocese de
Baltimore. Foi dispensado. [436] Vítimas como Jean Wehner se apresentaram para contar suas histórias e dar
detalhes que apenas aqueles que estiveram lá saberiam. Eles também foram dispensados. Inicialmente, os
investigadores estavam céticos em relação à alegação de que Cesnik tinha vermes no rosto, porque as larvas
geralmente não estão presentes nas temperaturas frias de novembro. Mas uma autópsia mostrou que havia de
fato Maskell e seus clientes permaneceram completamente protegidos pelo cartel luciferiano, até que vítimas iradas e
frustradas começaram a resolver o problema com suas próprias mãos. Não recebendo justiça das autoridades, eles
entraram com uma ação civil de US $ 40 milhões contra Maskell e a Arquidiocese de Baltimore. Foi dispensado.
[436] Vítimas como Jean Wehner se apresentaram para contar suas histórias e dar detalhes que apenas aqueles que
estiveram lá saberiam. Eles também foram dispensados. Inicialmente, os investigadores estavam céticos em relação
à alegação de que Cesnik tinha vermes no rosto, porque as larvas geralmente não estão presentes nas temperaturas
frias de novembro. Mas uma autópsia mostrou que havia de fato Maskell e seus clientes permaneceram
completamente protegidos pelo cartel luciferiano, até que vítimas iradas e frustradas começaram a resolver o
problema com suas próprias mãos. Não recebendo justiça das autoridades, eles entraram com uma ação civil de US
$ 40 milhões contra Maskell e a Arquidiocese de Baltimore. Foi dispensado. [436] Vítimas como Jean Wehner se
apresentaram para contar suas histórias e dar detalhes que apenas aqueles que estiveram lá saberiam. Eles também
foram dispensados. Inicialmente, os investigadores estavam céticos em relação à alegação de que Cesnik tinha
vermes no rosto, porque as larvas geralmente não estão presentes nas temperaturas frias de novembro. Mas uma
autópsia mostrou que havia de fato eles entraram com uma ação civil de US $ 40 milhões contra Maskell e a
Arquidiocese de Baltimore. Foi dispensado. [436] Vítimas como Jean Wehner se apresentaram para contar suas
histórias e dar detalhes que apenas aqueles que estiveram lá saberiam. Eles também foram
dispensados. Inicialmente, os investigadores estavam céticos em relação à alegação de que Cesnik tinha vermes no
rosto, porque as larvas geralmente não estão presentes nas temperaturas frias de novembro. Mas uma autópsia
mostrou que havia de fato eles entraram com uma ação civil de US $ 40 milhões contra Maskell e a Arquidiocese de
Baltimore. Foi dispensado. [436] Vítimas como Jean Wehner se apresentaram para contar suas histórias e dar
detalhes que apenas aqueles que estiveram lá saberiam. Eles também foram dispensados. Inicialmente, os
investigadores estavam céticos em relação à alegação de que Cesnik tinha vermes no rosto, porque as larvas
geralmente não estão presentes nas temperaturas frias de novembro. Mas uma autópsia mostrou que havia de
fato porque as larvas geralmente não estão presentes nas temperaturas frias de novembro. Mas uma autópsia
mostrou que havia de fato porque as larvas geralmente não estão presentes nas temperaturas frias de
novembro. Mas uma autópsia mostrou que havia de fato

vermes na garganta de Cesnik - um detalhe que não havia sido divulgado. ~ Huffington Post [437] Sentindo o calor -
não de oficiais que juraram protegê-los - mas de cidadãos com tochas e garfos, Maskell correu. ... [Maskell] se
internou em uma instalação de tratamento residencial, alegando que precisava de ajuda para lidar com o estresse e a
ansiedade que o caso lhe causara. Semanas depois, ele silenciosamente se registrou e fugiu para a Irlanda, onde
continuou a trabalhar como padre. [438] A única vez que a liderança católica romana pareceu intervir foi dizer ao
monstro para se policiar. Maskell estava morando em Wexford, na Irlanda. Funcionários da arquidiocese enviaram
cartas a Maskell dizendo que ele não deveria desempenhar nenhuma tarefa sacerdotal e pedindo que retornasse a
Baltimore, disse Caine. ~ Sun [439] Infelizmente para os cidadãos, eles não tinham o alcance daqueles que pagavam
e juravam por esse trabalho e os indivíduos proeminentes viviam vidas plenas sem acusação. A aplicação da lei
cancelou a investigação ... [e] Maskell ... morreu [em 2001] sem nunca ser acusado de um crime. [Pai E. Neil]
Magnus havia morrido anos antes, em 1988. Richter morreu em 2006. [440] 47 anos depois que o corpo da irmã
Catherine Anne Cisnek foi encontrado, agora era seguro para a polícia e a mídia abordar seletivamente o nível básico
dessas abominações. O documentário Keepers foi ao ar na Netflix; uma fonte não familiar aos programas em que a
Itália católica figura proeminentemente. A série Medici: Masters of Florence começou em outubro de 2016 e conta
com Dustin Hoffman como Giovanni di Bicci de 'Medici, o pai dos bancos modernos. [Xliii] De fato,

28 [2017] no Cemitério da Sagrada Família em Randallstown e retornaram ao túmulo no mesmo dia, disse a porta-
voz da polícia do condado, Elise Armacost. ... Arquidiocese de Baltimore paga assentamentos a uma dúzia de
pessoas que alegam abuso pelo falecido padre Uma das mulheres que apareceram na década de 1990 com
alegações de abuso do padre implicou-o na morte da freira. ... Os investigadores "nunca estabeleceram que [Cesnik]
foi morto por causa das informações que ela tinha sobre abusos na Igreja Católica", disse Armacost, embora ela
tenha admitido que é uma teoria, entre outras, que a polícia perseguiu. Ela disse que há poucas evidências físicas
remanescentes no caso das décadas, mas os detetives "sentiram muito fortemente que, no interesse de não deixar
pedra sobre pedra, era necessário exumar Maskell".
Embora a exumação do suspeito de quase 50 anos tenha ocorrido semanas antes do lançamento do documentário, a
porta-voz Armacost disse que a polícia de Baltimore não foi influenciada pelos holofotes da mídia. Os perfis das
vítimas eram todos iguais: cada menina ou menino havia sido previamente estuprada ou abusada, às vezes por
família. Outros vieram de um fundo quebrado ou disfuncional. Lillian Knipp (née Hughes), uma turma de Keogh de 71
anos, era uma aluna promissora, tendo aulas de ditado e estenografia. Maskell levou-a para cuidadosamente os
detalhes da perversão sexual de todos os tipos; incesto, bestialidade, sexo grupal e abuso ritual de sexo. Os
assuntos de seus "registros" incluíam figuras públicas. Maskell deu a ela privilégios como sair da aula e fazê-la se
sentir especial. Ela nunca pensou em relatar as atividades criminosas que relatou para ele. O comportamento de
Maskell era notavelmente parecido com Kinsey e fornecia ao padre pedófilo material extra para chantagem. Maskell
recebeu uma certificação em psicologia da Johns Hopkins (uma instalação "secular" com laços romanos muito
fortes), e ele armou seu conhecimento. Maskell também explorou narcóticos e hipnose na manipulação de suas
vítimas. Ele foi treinado para fazer isso? De onde? Jean Wehner afirma abertamente que foi vítima do Transtorno da
Personalidade Dissociativa [443] - o mesmo mecanismo baseado em traumas usado pela CIA e outras agências de
inteligência para "controlar a mente" das vítimas. Jean Marie Wehner (née Hargadon) era uma caloura em Keogh
lutando com um segredo obscuro - ela havia sido abusada por seu tio quando era mais nova. Jean precisava de
compaixão e consolo. Ela lutou repetidas vezes com ou não a confissão.

Quando finalmente conseguiu, foi com o diretor de serviços religiosos de Keogh, padre Neil Magnus. Depois de ouvi-
la aliviar-se com a forma como ela havia sido abusada, Magnus pediu para vê-la cara a cara, onde ele lhe disse: "Eu
não sei se Deus pode perdoar isso". Ele começou a chamá-la em seu escritório e agredi-la sexualmente, dizendo que
isso fazia parte do processo de "perdão". Magnus disse a ela que ela não era uma vítima, ela tinha trazido tudo sobre
ela. Depois de várias "sessões", o capelão de Keogh, padre Anthony Joseph Maskell, começou a aparecer. Wehner
estava com medo dele instantaneamente. Ela sabia que ele não teria escrúpulos em magoá-la. Eles começaram a
abusar dela juntos e "rezando" em latim por ela enquanto o faziam. Às vezes, no ponto de seu clímax, eles diriam a
ela " s escritório (estrategicamente localizado no canto da escola, onde havia pouco tráfego) em um daze. Ela vagou
pelos corredores sem nenhum propósito e correu para a irmã Cathy, que permitiu que ela se sentasse em uma sala
de aula e se recompusesse. [50 anos após os eventos, Jean Wehner ainda chorava no relato de s escritório
(estrategicamente localizado no canto da escola, onde havia pouco tráfego) em um daze. Ela vagou pelos corredores
sem nenhum propósito e correu para a irmã Cathy, que permitiu que ela se sentasse em uma sala de aula e se
recompusesse. [50 anos após os eventos, Jean Wehner ainda chorava no relato de

Netflix. [445] No entanto, ela iria do ensino médio para se tornar uma "ministra eucarística" em sua igreja católica
local. Talvez como resultado de seu transtorno de personalidade dissociativa, Wehner permaneceu católico devoto
até a idade adulta. Wehner então fez uma pausa e declarou: "Minha vida teria sido muito diferente se eu não tivesse
entrado naquele confessionário". O diretor de serviços religiosos e o capelão trabalharam juntos, examinando e
cuidando de vítimas inocentes que julgavam ser a presa mais fácil. Quando Maskell avistou uma garota que parecia
perturbada ou estava engajada em mau comportamento, ele começava a chamá-la para fora da sala de aula pelo
alto-falante para "terapia" em seu consultório. "Eu estaria em sala de aula, e poderia ser a qualquer momento. Ouviria
meu nome pelo alto-falante", informe ao meu escritório agora, "e eu teria que me reportar a Maskell". disse Donna
VonDenBosch, 58 anos. "Eu me lembro de estar na aula, apenas chorando, 'Não me faça ir, não me faça ir!' E a
professora me puxou para o corredor e disse: 'Todos sabemos que ele é um esquisito, mas você tem que ir'. ”Wehner
disse que foi ver [o padre Neil] Magnus, diretor de serviços religiosos da escola, para confessar quando ela tinha 14
anos, porque se sentia culpada por abuso sexual que experimentou quando criança. O padre virou-se para ela no
confessionário, interrogou-a sobre os detalhes do abuso e começou a se masturbar enquanto falava, disse
ela. Depois disso, Maskell e Magnus ligariam para seus escritórios para sessões de aconselhamento conjunto, que,
segundo eles, tinham o objetivo de ajudá-la a encontrar o perdão de Deus pelo que ela fez quando criança. Ela diz
que eles se masturbariam na frente dela tire fotos nuas dela e force-a a realizar atos sexuais como parte de seu
processo de "cura espiritual". Logo, Maskell começou a chamar Wehner para fora da sala de aula e entrar em seu
escritório sem Magnus, ela disse. Ele mostrava a ela pornografia, dizia a ela que estava tentando ajudar Deus a
perdoá-la pelo abuso que ela sofreu quando criança e a estuprou. "Ele continuou dizendo que não parecia que eu
estava aberto para

Em uma segunda reunião, Wehner ficou surpreso ao ser apresentado à conselheira da Arquidiocese, Kathy Hoskins,
que a aconselhou a contratar um advogado. Em reuniões subseqüentes, Hoskins foi acompanhado por um segundo
advogado da Arquidiocese. Wehner se preparou para contar algumas lembranças de seu abuso ao "conselho". Ela
contou à equipe da Netflix sobre qual memória ela se lembrava, mas depois fez uma pausa e soluçou
incontrolavelmente. [447] O "conselho" então exigiu que Wehner corroborasse suas acusações antes de passarem
por mecanismos da Igreja contra Maskell. Estas incluíam "auto-regulação", "terapia" ou restrições contra a interação
com crianças - novamente, auto-aplicadas - para entrar em vigor agora 20 anos após a primeira queixa. [448] Na
verdade, isso é exatamente o que aconteceu. Após as primeiras acusações de Jean Wehner (também conhecida
como "Jane Doe" ) foram apresentados - não à polícia - mas para a arquidiocese de Baltimore, Maskell foi enviado
para o "Institute of Living" em Hartford, Connecticut para "terapia". O "Institute of Living" foi administrado pelo
respeitado psicólogo judeu Leslie M. Lothstein, II, que adotou padres predadores como Maskell e insistiu que eles
poderiam ser tratados e "curados".

a maioria dos sacerdotes viciados sexualmente pode ser devolvida a um ministério ativo e bem-sucedido após o
tratamento. "184" Maneiras de tratar os padres que abusam "de James L. Franklin, o Boston Globe relatou em 19 de
julho de 1992 que" funcionários de três dos Quatro importantes centros que tratam de criminosos sexuais -
Southdown, perto de Toronto, St. Luke Institute, em Maryland, e Institute of Living, em Hartford - disseram em
entrevistas na semana passada que o tratamento melhorado produz grande sucesso com uma taxa de recidiva de
dois por cento. Eles e outros especialistas disseram que muitos infratores podem ser devolvidos ao ministério ativo,
desde que o clero e seus supervisores aceitem restrições ao longo da vida e sigam o tratamento. "Durante o governo
O'Connor, a arquidiocese teve de lidar com sua parcela de casos de padres predadores. . Um deles atingiu a primeira
página do New York Post em dezembro de 1989; dizia respeito ao fundador do Covenant House, o padre Bruce
Ritter. Padre Ritter, um padre franciscano, fundou a Covenant House na área da Times Square em 1972 como uma
instituição para ajudar fugitivos adolescentes. O que começou como uma operação de níquel e centavo tinha
crescido em 1988 para US $ 87 milhões, um financiado principalmente por doações privadas e gerido por um
conselho de administração composto de capitães de indústria e finanças de Nova York. Seu abrigo patrocinou
programas altamente elogiados que incluíam ajudar os jovens infectados com o vírus da Aids e viciados em drogas
e O que começou como uma operação de níquel e centavo tinha crescido em 1988 para US $ 87 milhões, um
financiado principalmente por doações privadas e gerido por um conselho de administração composto de capitães de
indústria e finanças de Nova York. Seu abrigo patrocinou programas altamente elogiados que incluíam ajudar os
jovens infectados com o vírus da Aids e viciados em drogas e O que começou como uma operação de níquel e
centavo tinha crescido em 1988 para US $ 87 milhões, um financiado principalmente por doações privadas e gerido
por um conselho de administração composto de capitães de indústria e finanças de Nova York. Seu abrigo patrocinou
programas altamente elogiados que incluíam ajudar os jovens infectados com o vírus da Aids e viciados em drogas e

fornecendo moradia e educação de longo prazo para adolescentes motivados. Em seu discurso do Estado da União
de 1984, o Presidente Reagan saudou os esforços da Casa do Convênio em ajudar os jovens problemáticos. - Tal
"crescimento" e cobertura nacional trai a Simulação do Diabo. - Em dezembro de 1989, Ritter foi acusado de dar
presentes a um ex-prostituto em troca de favores sexuais. Ritter negou as acusações, e o cardeal O'Connor, que
havia falado com ele, disse que tinha total confiança no padre. - Podemos supor que a "acusação" anêmica e inócua
foi a menos ofensiva em uma litania de indignações. Isto é corroborado por como John O'Connor descartou o que era
claramente um sintoma de perversão sexual em necessidade desesperada de ser tratado. Pouco tempo depois,
outros acusadores surgiram. O procurador distrital de Manhattan iniciou uma investigação, e o conselho de diretores
da Covenant House ordenou sua própria investigação, liderada pelo ex-comissário de polícia de Nova York Robert
McGuire. [Xlv] À medida que detalhes cada vez mais obscenos foram notícia de primeira página, incluindo histórias
no O New York Times, que anteriormente elogiara o trabalho de Ritter, o conselho procurou o cardeal O'Connor em
busca de ajuda em março de 1990. Chamando a situação na Covenant House de "uma bagunça", O'Connor nomeou
dois de seus padres para servir como administradores temporários. O lugar de Ritter, que havia se demitido no final
de fevereiro, e ele concordou que a arquidiocese pagaria seus salários durante este período intermediário. "Não é
mais uma questão de culpa ou inocência, mas de percepção pública", disse ele.185 - Mais uma vez, somos
informados de que as autoridades católicas farão o trabalho que esperamos dos nossos "seculares" policiais, juízes,
promotores e legisladores. - Em 3 de agosto de 1990, o conselho da Covenant House divulgou seu relatório, que
dava evidências detalhadas de que "o padre Ritter usou sua posição para facilitar as relações sexuais entre ele e os
jovens que estavam sob os cuidados da Covenant House". O relatório fundamentou as alegações

Não estou aqui para proteger este padre do constrangimento de sua prisão. "Lothstein continuou:" Isso aconteceu
repetidas vezes. Por volta de 94 ou 95, enfrentamos esse problema. Nós basicamente dissemos 'Não vamos aceitar
mais pacientes da Igreja Católica a menos que você nos envie o arquivo inteiro e todos os arquivos que você tem
sobre o paciente e nos diga a verdadeira razão pela qual eles estão vindo. Nós nunca recebemos uma única
referência novamente. "[450] Lothstein fez essa declaração preparada para a equipe do documentário 20 anos após
o fato. O psicólogo judeu preferido pelo Vaticano nunca entrou em contato com a lei. O crime, mesmo na "confiança"
de esforços médicos ou religiosos, ainda é exigido por lei, mas não em Connecticut. Irmã Marylite Friia, o novo
Princípio do Arcebispo Keogh "advertiu" Maskell para que ele fosse promovido à Divisão de Escolas da Arquidiocese
Católica, onde permaneceu de 1975 a 1980. A Escola Secundária de Arcebispo Keogh foi administrada pelas Irmãs
de Notre Dame. Em 1980, Maskell foi enviado para a Paróquia da Anunciação [de Maria].

Ele permaneceu lá por dois anos e depois foi transportado para a Paróquia de Santa Cruz de Baltimore, onde
permaneceu de 1982 a 1992. Por sua "terapia", Maskell passou 6 meses no "Instituto dos Vivos" e retornou depois de
ter sido "curado" e foi designada para a Paróquia de Santo Agostinho em Elkridge em 1993. A mesa-redonda da
arquidiocese de Baltimore com quem Jean Wehner conversou ficou bastante zangada quando apresentou os nomes
de outros clérigos e autoridades que haviam abusado dela. Eles a asseguraram que eles não poderiam ir a lugar
nenhum com essas alegações - eles queriam os nomes de outras vítimas. Só se pode imaginar o risco de as vítimas
estarem sujeitas quando seus nomes forem abandonados. Wehner recusou. Depois dessa reunião, o próprio
advogado de Wehner, Steve Tully, repreendeu-a por desistir dos nomes dos agressores. Furioso com a traição, o
marido de Wehner, Mike, liberou Tully de representá-los. Wehner então ligou para o padre Rick Woy e perguntou se
eles poderiam orar juntos sobre como proceder. Woy respondeu que não achava que era uma boa ideia e que
Wehner deveria substituir imediatamente seu advogado. Os Wehners contrataram então a advogada Beverly Wallace
para representá-los. A família Wehner solicitou ativamente ex-alunos do arcebispo Keogh para as vítimas e eles
notaram à Netflix que "a resposta foi esmagadora". Os devotos pais católicos romanos de Teresa Lancaster, Keogh
72, ajudaram a atacar a própria filha por estupro e abuso ritual. Depois de encontrar a parafernália de drogas em sua
bolsa, levaram-na ao padre Maskell para aconselhamento. Ao vê-la como uma adolescente "indisciplinada", Maskell
entrou. "Meu pai era um católico muito, muito rigoroso, "Lancaster contou. Ele estava convencido de que o padre
Maskell estava me salvando." Em vez disso, ele estava estuprando-a. O dr. Christian Richter era um ginecologista
corrupto. Ele permitiu que as crianças fossem aprisionadas ("arrumadas") com duchas e supositórios "prescritos" que
Maskell administraria.

Maskell usou outro compatriota na indústria médica para prescrever Thorzine para a esquizofrenia a Teresa
Lancaster; parte da aplicação de narcóticos em abuso. O ex-jornalista do Baltimore Sun, Bob Erlandson, disse à
Netflix que Richter admitiu ter permitido que Maskell estivesse presente durante os "exames". Ele citou Richter
dizendo: "Essa foi a sua única oportunidade de ver uma mulher nessa posição". Erlandson continuou:
"Aparentemente, havia muito desse tipo de coisa acontecendo", significando corrupção tanto das autoridades
seculares quanto católicas. [451] Maskell fez com que a polícia de Baltimore "libertasse" Teresa Lancaster e um
amigo dos cuidados parentais no Halloween de 1970. Eles foram levados para um bosque isolado e Lancaster foi
estuprada por dois dos melhores de Baltimore. Policiais, clero, empresários locais, políticos - todos faziam parte da
rede. O jornalista Bob Erlandson observou que, quando "Jane Doe" (Jean Wehner) implicou Maskell na morte de
Cathy Cesnik, nem a arquidiocese nem a polícia de Baltimore reagiram de forma positiva - mesmo 25 anos após o
evento. Erlandson então mostrou à equipe do documentário sua espada comemorando a Rebelião Jacobita. O
homem mais responsável por essa rebelião foi o professor jesuíta Johann Adam Weishaupt. Embora propagandistas
como o jesuíta Abbé (pai) Augustin Barruel (1741-1820) tentassem pintar os jacobinos como maçons que atacaram
"a Igreja", muitos historiadores já perguntaram a cui bono? - Quem se beneficiou? O apologista maçônico Rene
Fulop-Miller declara - Sempre que abusos grosseiros foram encontrados dentro das lojas, Os historiadores
maçônicos deram imediatamente vazão à suspeita de que os astutos jesuítas contrabandearam novamente seus
emissários para a associação e a corromperam dessa maneira astuta. Suspeitas desse tipo estão associadas aos
primeiros inícios das lojas na Inglaterra. A notável circunstância de que as primeiras listas de membros continham os
nomes de vários jacobitas é explicada pela

suposição de que os jesuítas haviam procurado usar mal a Maçonaria para a restauração dos católicos Stuarts.
[452] O apologista muçulmano Omar Zaid pergunta: “Os jesuítas não se beneficiaram quando seus jacobinos
assassinaram o rei Luís XVI e Maria Antonieta, quando o avô Bourbon de Louis, Luís XV, expulsou a Sociedade da
França em 1764 e Maria Teresa, mãe de Habsburgo, expulsou a família? Ordem da Áustria em 1774? Isso não era
vingança? [453] Embora os jacobinos tivessem falhado na Inglaterra, seu fracasso pareceu suspeito para homens
como Tupper Saussy, que notaram que sua destruição pode ser atribuída à completa falta de apoio romano para
derrubar a Coroa Protestante. O ano de 1745 distingue-se pela chamada Rebelião Jacobita, outro ardil maravilhoso
de Sun-tzuan em que a aparente derrota da Companhia de Jesus mascarou uma vitória oculta. A rebelião jacobita
pretendia restaurar o domínio católico romano sobre a Inglaterra, depondo George II e colocando no trono o neto de
James II, Charles Stuart, mais conhecido como Bonnie Prince Charlie. No entanto, quando Charlie marchou em
Londres com um grupo de devotos escoceses, nenhum político católico de qualquer proeminência abandonaria
George II. A rebelião foi forçada a abortar. Charlie escapou para a França e os e os escoceses foram
massacrados. Claramente, isso foi um desastre católico. Ou foi? Esse extenso apoio católico a um rei protestante
assegurou à Inglaterra que a monarquia seria para sempre protestante. Uma Inglaterra católica era agora um sonho
impossível. Os jesuítas poderiam desistir. Os ingleses agora podiam relaxar com eles no meio deles, assim como os
jesuítas podiam agora cuidar de seus negócios sem causar alarme oficial. A rebelião jacobita fez a Inglaterra
finalmente ... segura para o papado negro. Os jesuítas asseguraram uma nova capa, soprando a capa "cover de
blown cover" na linguagem da CIA. O General Sun-Tzuan ganha quaisquer que sejam as circunstâncias. [454] Roma
é capaz de trair seus próprios soldados e sacrificar batalhas para vencer guerras que se estendem por séculos? É
uma tática recomendada no manual "chinês" Art of War. Saussy também observa com suspeita que Art of War foi

"traduzido" pelo padre jesuíta Jean Joseph Marie Amiot e não existe tal figura histórica como "Sun Tzu". O "sol" é
muito mais importante para os jesuítas gnósticos do que para os chineses. É digno de nota que até mesmo nosso
jornalista de denúncias em Baltimore é um entusiasta jacobino. Como a polícia, os promotores e os juízes de
Baltimore se recusaram a proteger o público como haviam jurado, os cidadãos comuns foram forçados a substituí-los
por eles mesmos. A investigadora civil Gemma Hoskins disse à Netflix: "Ouvimos uma história que um dia em 1990
em Holy Cross houve um episódio bizarro. De repente, o padre Maskell disse ao zelador do cemitério William Storey
que pegasse um carregador frontal e cavasse um buraco de 10 x 20 pés. A parte de trás do cemitério foi
abandonada, mas Maskell trouxe uma picape cheia de caixas embrulhadas em plástico. Eles colocaram as caixas no
chão. Maskell disse a Storey para preenchê-lo e colocar grama sobre ele. Storey olhou para os documentos. Maskell
o demitiu alguns meses depois. Em agosto de 1994, quando Jane Doe se apresentou, o Sr. Storey foi a um detetive
de Baltimore. "Um oficial que desejava permanecer anônimo disse a Hoskins que o PD de Baltimore sabia do Storey
sobre o cache de documentos. Eles o recuperaram ansiosamente, mas não O oficial disse a Gemma Hoskins e aos
outros investigadores que eles precisavam tomar cuidado com sua segurança física. "Isso vai além e mais profundo
do que você pode imaginar", ele avisou. Ele também lhes garantiu que não o faria. também agir, para que ele ou sua
família não sejam prejudicados. [455] A advogada de Jean Wehner, Beverly Wallace, observou que, na época em
que as histórias começaram a se romper, (1983-2004) Procurador Chefe de Delitos Sexuais de Maryland (uma
mulher negra) Sharon AH May recusou-se a considerar quaisquer acusações. Tais acusações teriam forçado uma
investigação devido à evidência avassaladora que os advogados reuniram no lugar do trabalho policial. [456] Com a
certificação de ser "curado", Maskell permaneceu livre e em geral. Exposições como a investigação do Boston Globe
Spotlight sobre o abuso sexual do padre John Geoghan e do cardeal Bernard Law em Boston e The Keepers

documentário em Baltimore pinta as imagens que "a mídia funciona" e que os abusos foram confinados às
cidades. No entanto, é claro que estupro, tortura e assassinato de inocentes são sistêmicos. É a Simulação do Diabo
e é guardada, possuída e dirigida pela Igreja Católica Romana. O jornalista de Baltimore, Tom Nugent, conversou
com o anônimo oficial da Polícia, que admitiu ter entrevistado pessoalmente mais de 100 garotas sobre Maskell e
abuso sexual. "Tivemos um caso credível, o 'Red Ball'. Um 'caso do Red Ball' é qualquer caso que possa causar
atenção nacional ou da mídia." Como resultado, tudo o que eles fizeram foi, por necessidade, feito em conjunto com
a Procuradoria do Estado. [457] O oficial anônimo levou todas as suas provas diretamente para Sharon May. Gemma
Hoskins perguntou ao policial: "Estou curioso, que se você tivesse mais de 100 mulheres com alegações de que
Maskell abusou delas, por que você não o acusou neste momento em 1994? "O oficial respondeu:" Eu estou dizendo
a você, Sharon May correu interferências para a Igreja toda vez que nós O professor Lee J. Richmond (uma mulher)
disse à Netflix: "Eu conheci Joe Maskell na [Johns] Hopkins por volta de 1982. [xlvi] Na época eu estava encarregado
de aconselhamento. Eu era professor ali. Eles tinham um programa que treinava conselheiros da escola e da
comunidade. Eu gostaria de ver meu aluno [o padre pedófilo A. Joseph Maskell] como colega e como amigo.
"Richmond continuou:" Ele gostava de armas. Ele me disse que tinha uma coleção. "..." Eu pensei, essa era a coisa
dele. "..." Eu deveria visitá-lo em uma certa hora e ele disse que estava ocupado cavando em um cemitério. "..." Ele
disse que teve que enterrar alguns papéis psicológicos lá. Parecia estranho, mas não questionei. "O jornalista Bob
Erlandson trabalhara para o Baltimore Sun, mas, ao investigar Maskell, viu-se trabalhando sozinho. Erlandson disse à
Netflix:" Recebemos uma ligação de Storey dizendo que os policiais estavam desenterrando os registros. "

A anônima Policial de Baltimore se ofereceu como voluntária: "Eu mesmo vi fotos" de adolescentes nuas com seus
"perfis". "Comportamento pedófilo típico. Eles não podem separar-se com sua coleção [sic]. Mesmo sabendo que ele
não pode chegar lá, ele sabe que está lá ... Nós poderíamos tê-lo prendido ali mesmo. Mas o que eu Estou dizendo
que, toda vez que tivemos um caso envolvendo uma padre, Sharon May interveio pela Igreja. Ela era a chefe da
Divisão da Unidade de Delinqüentes Sexuais e ela interferia ”. Uma das maneiras pelas quais ela fez isso foi negar
ou atrasar mandados, sabendo que a maioria das acusações acionáveis desaparece ou esfria dentro de 48
horas. May permaneceu como funcionário do governo de Maryland, transferindo-se para o Escritório de Serviços
Comunitários e, finalmente, para uma lucrativa prática de direito privado. " Eu acabei de comprar um conversível
vermelho brilhante ", disse ela à Netflix." Eu dirigi até o cemitério com a capota abaixada. Eu estava bombeado, mas
para minha lembrança não havia nada que apontasse o dedo e dissesse: "Ah, Maskell molestou essas crianças."
[458] Talvez fosse o clarão do sol brilhando sobre seu "conversível vermelho brilhante" que mantinha o promotor
público. de ver o que o policial viu. [xlvii] Alegações de má conduta criminal cometidas por funcionários do governo de
Baltimore permanecem sem resposta. Pode ainda dizer Netflix, "Eu me lembro de um incidente em que tivemos uma
intimação para obter registros Maskell ... falamos com uma secretária que deixou-nos saber que Maskell tinha levado
todas as coisas e as coisas tinham sumido. "May, um oficial do estado, estava contente em deixar por isso." Ele
estava aparentemente hospitalizado "[no CT]"

Durante a mesa redonda legal, os advogados Michael Lehane representaram Maskell (um amigo pessoal), Thomas
"Tommy" Harris representou as Irmãs Escolares de Notre Dame e Kevin Murphy representou a Arquidiocese. As
vítimas agora incluíam Teresa Lancaster ("Jane Roe") junto com Jean Wehner ("Jane Doe"). A bateria de advogados
destruiu as duas mulheres com perguntas sondando e humilhantes. A advogada de Wehner, Beverly Wallace, disse à
Netflix: "Queríamos depor Maskell, mas ele desapareceu". Loyola Professor Lee Richmond sabia onde ele
estava. Ele estava escondido na ala de demência da Enfermagem Stella Maris, em Baltimore. [460] Richmond foi
convidada para visitar seu "amigo Joe" e consolá-lo em uma reitoria próxima. "Eu perguntei a ele, 'Joe, como você
poderia fazer essas coisas? Você acha que' É moral manter o seu silêncio? Ele me disse que era porque protegia a
Igreja. ”Em 1994, Maskell foi secretado na Irlanda. Aquino [xlviii] Walter Richard Sipe, um ex-monge beneditino, é
agora um especialista" secular "no abuso de padres. um alferes da Johns Hopkins - afirma que 6% dos padres
católicos ilegalmente "atuam" sobre os impulsos sexuais. Aquino Sipe ainda ostenta a barba completa de seus dias
como padre, embora agora prefira ser chamado de "Richard". A perícia para o Boston Globe e a Netflix, mas os
pedidos de ajuda para este livro ficaram sem resposta. Em um esforço para destruir as alegações de vítimas de
abuso sexual como Teresa Lancaster e Jean Wehner, o Vaticano trouxe outro homem da Johns Hopkins: Hopkins
Diretor de Psiquiatria, Dr. Paul McHugh, McHugh usou armas como "

ciência de regras estritas de causa e efeito. Se algo pode ser provado, é que o trauma do abuso sexual infligido a
uma criança ou adolescente pode levar décadas para chegar à superfície de uma psique. O Diretor de Psiquiatria
"Secular" de Hopkins, Paul McHugh, também faz parte do Conselho Nacional de Revisão dos Bispos Católicos e dá
seu conselho sobre uma série de questões da Igreja. Os esforços de McHugh para usar seu currículo para destruir
vítimas de abusos em nome da Igreja Católica o colocam em aliança com católicos romanos como Josef Mengele.
[461] McHugh zombou da memória reprimida como estando a par com "unicórnios". No entanto, é um fato médico
que muitas vezes resulta de seres humanos que tentam lidar com um trauma insuportável. [462] Negação
institucional e ceticismo sobre a memória reprimida, Transtorno de Estresse Pós-Traumático e Transtorno da
Identidade Dissociativa, são extremamente suspeitos, pois estes são os resultados da Simulação do Diabo. O capitão
da polícia de Baltimore, James L. Scanell, usou o raciocínio de McHugh quando caluniou as vítimas como "caçadores
de tesouros". "Prove para mim", disse ele à Netflix, "e não com memória recordada". Foi no relógio do capitão Scanell
que Catherine Cesnik foi assassinada. Talvez mais do que qualquer outro, ele é responsável pelo estupro brutal da
irmã Cathy (que culminou em ter sua cabeça esmagada) indo "sem solução". James Scanell parecia completamente
alheio à sua responsabilidade de investigar acusações criminais, ou talvez fosse apenas por causa de quem foi
acusado. Quando pressionado pelos investigadores civis da irmã Cathy (fazendo seu trabalho por ele), Scanell
admitiu que o padre Anthony Joseph Maskell não foi sequer questionado. Talvez não por coincidência, Scannell foi o
primeiro oficial despachado para investigar o corpo de Cathy Cesnik. Scannell descreveu o suspeito como "um amigo
e colega" [ênfase adicionada com incredulidade]. Scannell também admitiu deixar o padre se familiarizar com armas
de fogo

na faixa da Polícia, cortesia dos contribuintes. As vítimas que ele ameaçou com armas sabem que ele foi treinado
pela Polícia de Baltimore? Scannell disse à Netflix que ele e Maskell tinham um "amigo" no píer de Dundalk e todos
eles freqüentemente pescavam juntos. O capitão parecia inconsciente de qualquer conflito de interesse. "Ele era
como qualquer outro oficial da força para mim." O arcebispo de Baltimore, William Keeler, estava no cardeal quando
a história de Maskell / Cesnik se rompeu. Beverley Wallace, advogado de Wehner, disse acreditar que o escândalo
manteria Keeler longe do cardealismo. O Bispo Keeler voou de roxo para vermelho com a maior facilidade. Jane Doe
contra Joseph Maskell foi a julgamento assim como o Papa São João Paulo II visitou Baltimore. A juíza Hilary Caplan
recusou-se a abrir mão do estatuto de limitação de 3 anos e Jane Wehner perdeu. É um estatuto que continua a ser
questionado. Apenas 3 a 5% das vítimas de abuso falam abertamente sobre o que aconteceu com elas. Se o fizerem,
geralmente são muitos anos após os crimes terem ocorrido pela primeira vez. [463] O patologista forense da Irmã
Cathy foi Werner Spitz - um homem cuja carreira define a palavra "encobrimento". Spitz foi o legista selecionado para
o "Comitê de Assassinato de Casa" do governo dos EUA para os exames de John F. Kennedy e Martin Luther King
Jr. Spitz aconselhou a família de Mary Jo Kopechne, que supostamente se afogou depois de passar uma noite com
Edward "Teddy" Kennedy (ela foi realmente assassinada [l]). Spitz estava envolvido em um processo civil contra OJ
Simpson e ele era o "especialista" médico na investigação sobre a morte de JonBenét Ramsey. Ele também foi
chamado como "
quando o padre Maskell deu missa. Ele recebeu suas confissões. Quatro dias depois que a irmã Cathy desapareceu,
o corpo de Joyce Malecki foi encontrado em Fort Meade, em Baltimore. Ela havia sido esfaqueada e estrangulada (as
autoridades se recusaram a revelar se ela foi agredida sexualmente). Porque ela foi encontrada em "terras federais",
a investigação foi entregue ao FBI. Ali terminou. Joyce Malecki tinha 20 anos de idade. Em 2014, acreditando que os
assassinatos estavam relacionados, a investigadora cidadã Gemma Hoskins entrou com um pedido da FOIA junto ao
FBI. Ela descobriu que havia cerca de quatro mil documentos relacionados ao assassinato de Malecki. Três anos
depois, ela disse à Netflix que o governo federal ainda precisa honrar as estipulações da Lei de Liberdade de
Informação. ***** No auge do interesse público pelo assassinato da irmã Cathy Cesnik e pelas acusações de abuso
na Escola Secundária de Arcebispo Keogh, a Igreja Católica divulgou 50 nomes de padres acusados de agressão
sexual, incluindo a do padre Anthony Joseph Maskell. Apenas um desses padres foi condenado criminalmente ... ele
se declarou culpado.

Capítulo 11

"Uma brecha de confiança ..."

1978: Tony Walsh é ordenado sacerdote católico romano e inicia seu "ministério" na paróquia de Ballyfermot, Irlanda,
no oeste de Dublin - local já perseguido por pedófilos como o radialista Eamon Cooke e os padres William Carney e
Francis McCarthy. Antes mesmo de se formar no seminário, Walsh foi acusado de abusar sexualmente de um
menino de 8 anos.

As predações criminais em série dos pedófilos poderosos em Dublin eram tão notórias que a indignação dos
cidadãos forçou a formação de uma "comissão" do governo. Ela foi presidida por uma mulher, Yvonne Murphy - uma
juíza da Circuit Court de 1998 a 2010. Quase que mais direta que exemplos históricos como a Comissão Warren ou a
Comissão 9/11, a agenda da Comissão Murphy era essencialmente a mesma: reconhecer alguns fatos que foram
devidamente escondidos por compatriotas na mídia enquanto continuavam a rastrear a origem dos crimes no
topo. Como os exemplos anteriores, poucos se preocupariam em ler o Relatório da Comissão Murphy (publicado em
2009). Mesmo assim, as façanhas do Padre Tony Murphy, "o sacerdote cantor", foram tão extremas que, a princípio,
sua identidade foi protegida sob o pseudônimo "Padre Jovito". Contudo,

O material acabou sendo lançado, mas se poucos leram o Relatório Murphy original, menos ainda leram os capítulos
perdidos cinco anos depois. O aspecto mais chocante do capítulo 19 de Murphy é o quanto a liderança da Igreja, as
autoridades seculares e até mesmo os pais católicos das vítimas permitiram os atos hediondos de Walsh. Como
resultado, nós os examinaremos em detalhes, mas tenha certeza, a mesma cadeia de eventos ocorreu toda vez que
um predador veio à luz. 19.1 Em 1995, o Arcebispo [Desmond] Connell [Arcebispo de Dublin e Primaz da Irlanda]
escreveu que o Pe. Walsh "é um pedófilo confirmado. Ele foi ordenado em 1978, mas mesmo antes de sua
ordenação como subseqüentemente apareceu, ele estava envolvido em atividades paedofílicas com
menores". 19.2 Walsh é provavelmente o abusador sexual infantil mais notório que chamou a atenção da
Comissão. A Comissão tem conhecimento de mais de 40 pessoas nomeadas que se queixaram de abuso sexual
infantil por ele. Ele admitiu ter abusado de muitos outros ... Aparentemente recrutado em sua posição de padre
predador pedófilo, Walsh

foi imediatamente ligado. 19.3 Fr. Walsh nasceu em 1954. Ele foi ordenado em 1978. As primeiras alegações contra
ele anteriores à sua ordenação. Ele mesmo admitiu ter abusado antes de ser ordenado, mas a maioria das queixas
sobre suas atividades anteriores a 1978 só apareceram muitos anos depois. Sabe-se que durante seu tempo como
seminarista ele tinha uma chave para a casa de outro conhecido [sic] agressor, pe. Noel Reynolds (ver Capítulo 35),
e alega-se que alguns dos abusos ocorreram naquela casa. Enquanto ele estava no Clonliffe College, ele organizou
visitas de grupos de coroas a Clonliffe e alegou que ele abusou de algumas delas nas instalações do seminário. Uma
cabala de padres pedófilos atacava os filhos de Ballyfermot como um bando de hienas no meio de um bando de
cordeiros. Eles foram organizados e sistemáticos. Durante seus últimos anos no Colégio Clonliffe, pe. Bill Carney e
seu amigo pe. Francis McCarthy visitou as casas das crianças em torno de Dublin, oferecendo-se para ajudar os
meninos e meninas com seus trabalhos escolares e tirando-os em viagens de um dia, que mais tarde se tornaram
viagens noturnas e feriados. Eles começaram um círculo de coroas no Clonliffe College. Quando Carney e McCarthy
foram ordenados em 1974, Tony Walsh, que ainda era seminarista, encarregou-se dos coroinhas, liderando as
viagens ao Clonliffe College. Carney foi enviado para a Ballyfermot Vocational School e seu amigo McCarthy para
Dunlavin em Co Wicklow. Carney costumava visitar McCarthy nos fins de semana em Dunlavin, de acordo com o
Relatório Murphy. Mais tarde, as vítimas disseram à equipe de Murphy que foram abusadas por McCarthy e
Carney. ~ Independente de Domingo [465] O que mais ativou Walsh e continua a ajudar o sacerdócio pedófilo é o
conluio criminoso dos pais católicos romanos doutrinados. Surpreendentemente, sua lealdade à Fera Romana,
alimentando-se de seus próprios filhos, superava qualquer instinto ou compaixão que sentiam por seus
filhos. Primeira queixa, 1978

19,5 A primeira nomeação de Walsh foi para a paróquia de Ballyfermot em julho de 1978. Dois dias depois de sua
nomeação, foi recebida uma queixa na casa do arcebispo de que ele havia abusado sexualmente de um menino de
oito anos de idade. O abuso foi alegado ter ocorrido no mês anterior na casa dos peitos acima mencionados. Noel
Reynolds. Os pais do garoto em questão informaram um padre sobre o suposto abuso. Ele, por sua vez, falou com o
secretário do arcebispo Ryan. Uma nota sobre o arquivo ao arcebispo em julho de 1978 refere-se a um "incidente
homossexual envolvendo um jovem rapaz ... e um recém-ordenado sacerdote diocesano de Dublin". O arcebispo
pediu a um vigário geral, monsenhor Glennon, que investigasse o assunto. 19.6 Foi observado pelo padre a quem foi
feita a denúncia de que " Em sua nota desta reunião, Monsenhor Glennon descreveu o alegado abuso como
envolvendo: "osculae, amplexus and tactus immodesti". Isso se traduz em beijos, abraços e toques
desavergonhados. 19,8 Walsh categoricamente negou qualquer abuso e afirmou que o garoto em questão estava
apenas sentado em seu joelho. O vigário geral observou que "o padre [Walsh] me impressionou dizendo a
verdade". Nada mais

foi feito. Walsh voltou imediatamente ao trabalho e, novamente, o pai da vítima seguinte trouxe suas preocupações
de volta à própria máquina responsável pela predação, em vez de às autoridades seculares conduzirem uma
investigação criminal. Próxima queixa, 1979 19.9 A queixa seguinte foi feita pela mãe de um menino de 14 anos que
alegou ter sido abusado pelo padre. Walsh em Ballyfermot em 1978 e 1979. O menino e seus pais moravam no lado
norte de Dublin. O abuso terminou quando ele contou para sua mãe. Ela prontamente foi até seu padre da paróquia,
que lhe disse que ele contataria a Casa do Arcebispo sobre o assunto. Depois de algum tempo e nenhuma outra
palavra ter sido recebida, a mãe do menino contatou o pároco de Ballyfermot, o cônego Val Rogers, em busca de
alguma ação. A única ação tomada foi a de que o padre Michael Cleary, que também era baseado em Ballyfermot na
época, foi enviado para a casa do menino algum tempo [sic] no início de 1980, a fim de educá-lo sobre questões de
sexualidade masculina. A mãe disse à 253 Comissão que o Pe. Cleary pediu desculpas. Não há registros disponíveis
de qualquer comunicação entre a família do menino e a Arquidiocese por volta dessa época. Em 1985, Canon
Rogers disse ao monsenhor [Alexander] Stenson que os assuntos foram "abafados" no momento da queixa da
mãe. Certamente, quando um clérigo de confiança explora sua posição para atacar uma criança inocente, uma
"desculpa" geralmente serve à causa da justiça para todos os envolvidos. Infelizmente, as autoridades seculares
foram de pouca ajuda quando estiveram envolvidas. Jogando o jogo, o superior de Walsh (o monsenhor Alexander
Stenson) enviou o predador em série para "aconselhamento". Tratamento 19. 19 Monsenhor Stenson recomendou
que pe. Walsh aborda um psiquiatra com o objetivo de abordar "seu problema". Pe. Walsh compareceu ao psiquiatra
em duas ocasiões. Em junho de 1985, o

psiquiatra disse a monsenhor Stenson que o padre Walsh era receptivo ao tratamento e havia três alternativas de
tratamento: medicação, terapia de choque elétrico e o que era referido como o "método de reorientação para
canalizar a unidade apropriadamente". Pe. Walsh havia escolhido a terceira opção como o "menor dos males". O
psiquiatra estava "cautelosamente otimista" de que isso poderia ser bem-sucedido, devido ao fato de que o padre
[Walsh] não tinha as saídas sexuais normais disponíveis em virtude de seu sacerdócio ". Na verdade, o contrário é a
verdade absoluta. Como os alcoólatras, um pedófilo nunca pode ser totalmente "curado", mas ao contrário dos
alcoólatras, eles são um perigo para as crianças ao seu redor, e não para si mesmos. A maioria de nós não pode
pensar em um pecado maior do que ferir uma criança e quando a ofensa é um crime sexual, bem, muitas vezes
sentimos uma raiva ainda maior, se possível, contra o agressor. É aterrorizante aprender, então, que os programas
de tratamento não reabilitam criminosos sexuais antes de serem libertados da prisão. Assim diz o Dr. David K. Ho,
psiquiatra forense consultor, chefe de pesquisa clínica da NHS Foundation Trust da South Essex University, em seu
novo artigo de opinião publicado no British Medical Journal. "As pessoas devem saber que os tratamentos que os
agressores recebem nas prisões e os hospitais seguros não têm evidências de eficácia", afirma Ho. Estamos prontos
para ouvir seu aviso? Enquanto Ho, cujas credenciais sugerem que ele certamente conhece seu assunto, fala
convincentemente ... ~ Medical Daily [467] Ainda mais surpreendente é a admoestação do Dr. Ho de que a luxúria de
contaminar as crianças sexualmente está relacionada a outras "não tradicionais". desejos sexuais. Normalmente,
pensamos em crimes sexuais como incluindo estupro, abuso sexual infantil, agressão sexual, mutilação genital
feminina, incesto e, na opinião da maioria das pessoas, crimes menores de exibicionismo e prostituição. No entanto,
a ofensa sexual, diz Ho, "consiste em um grupo heterogêneo de atos, que podem não incluir, mas provavelmente
incluem pelo menos alguns elementos da parafilia", definidos como distúrbios mentais da preferência sexual, como

pedofilia, voyeurismo, fetichismo, exibicionismo, frotteurismo (atrito contra uma pessoa sem consentimento),
sadomasoquismo, sadismo sexual, masoquismo sexual e distúrbios não especificados. [468] Embora nenhuma
autoridade ouse questionar a correlação entre homossexualidade e pedofilia, a evidência está lá (e vamos examiná-la
em breve). O sistema permaneceu arrumado e autossuficiente graças aos pais católicos que trouxeram seus filhotes
de volta para as raposas. Outra queixa, outubro de 1985 19.20 Em outubro de 1985, um pai queixou-se ao
pe. [Donal] O'Doherty, o pároco de Ballyfermot, que pe. Walsh havia agredido indecentemente uma
jovem. Pe. O'Doherty relatou isso ao bispo O'Mahony que, por sua vez, contou a monsenhor Stenson. O psiquiatra foi
informado. Pe. Walsh negou essa alegação. 19.21 Não houve mais investigações. Não há evidências de que
qualquer novo tratamento tenha sido considerado. ... Em muitos municípios, agora é ilegal para qualquer profissional
médico lidar com um pedófilo conhecido e não relatar o caso à polícia ... não que tal relatório traria resultados. O
desavisado investigador de Murphy parecia estupefato pelo fato de Walsh poder ser promovido com os parabéns do
arcebispo de Dublin, Dermot J. Ryan. 19.21 ... Fr. Walsh foi removido de Ballyfermot e nomeado para Westland
Row. A carta do arcebispo que o nomeia afirma: "Aproveito esta oportunidade para lhe agradecer pelo seu trabalho
dedicado em Ballyfermot". Embora esta seja a fórmula padrão em tais compromissos, é, no entanto, surpreendente
que ela possa ser usada à luz do padre. A história de Walsh em Ballyfermot. Desde que ele deixou Ballyfermot em
1985, numerosos reclamantes se manifestaram alegando abuso por pe. Walsh enquanto ele estava lá. O investigador
de Murphy continua a parecer inconsciente que Walsh

A promoção foi um esforço determinado por seus superiores para mantê-lo ativo e entre um rebanho que não tinha a
menor ideia de que ele era um lobo no colarinho de um padre. 19.24 Nesta fase, a Arquidiocese estava ciente de
quatro queixas específicas e uma série de preocupações [lii] pe. Walsh admitiu o abuso de três filhos. É difícil
entender como a seriedade de sua situação não foi totalmente apreciada. Também é difícil concluir que o movimento
foi para qualquer outro fim que não evitar mais escândalos em Ballyfermot. Pe. Walsh foi retirado de uma paróquia
em que o pároco estava ciente de suas atividades257 e estava tentando restringi-lo a uma paróquia na qual, ao que
parece, o pároco não tinha consciência de suas inclinações. A colaboração continuada de pais católicos romanos
com o próprio Leviatã que predava seus filhos assegurava o reinado livre de Walsh - mesmo quando ele deixava um
rastro de crianças traumatizadas em seu rastro. 19.25 Enquanto isso, a mãe do queixoso de 1979 estava em contato
com o monsenhor Stenson por causa das dificuldades que o filho enfrentava. Ela estava sendo assistida por um
padre que era membro de uma ordem religiosa. Este padre estava claramente irritado com a forma como o assunto
estava sendo tratado e ele repreendeu o Arcebispo por respostas insatisfatórias às cartas da mãe e disse: "Eu acho
que [a mãe] pode ser perdoada se ela considerar esta carta como uma tentativa de varrer a matéria debaixo de um
tapete ". Ele prosseguiu dizendo: "Foi dado escândalo e grave dano a um menino por um padre da Arquidiocese.

O fato de esses pais terem finalmente conseguido localizar um ouvido sacerdotal compreensivo não os anula da
responsabilidade de serem cúmplices do abuso de seus próprios filhos. O fato de que nada veio das cartas do padre
"irado" valida ainda mais que esses pais são criminalmente insignificantes. Uma capa de entretenimento foi criada
para os padres pedófilos, como agentes inimigos em uma nação estrangeira (que é exatamente o que eles eram). Ao
longo dos anos, pe. Michael Cleary parecia estar atento para Walsh. Cleary era então um padre carismático e
famoso, que foi o ato de "aquecimento" da missa histórica do papa João Paulo II em sua visita à Irlanda em 1979.
Como Cleary, Walsh também era cantor. Ele estava em um grupo de sacerdotes cantando que excursionou um ato
chamado "Holy Show", no qual ele fez imitações de Elvis. Pe. Cleary tinha segredos próprios - longo relacionamento
com sua governanta, com quem ele teve dois filhos. Independente [469] Walsh deixou numerosas evidências de que
ele era um arqui-criminoso e desviante sexual que chegou até a sedar suas vítimas com narcóticos
intravenosos. 1987 19.28 Em janeiro de 1987, a governanta do administrador em Westland Row alegou que ela
encontrou itens de suas roupas em pe. O quarto de Walsh. Isso incluía roupas íntimas que, ela alegou, tinham sido A
empregada para o administrador em Westland Row alegou que ela encontrou itens de suas roupas em pe. O quarto
de Walsh. Isso incluía roupas íntimas que, ela alegou, tinham sido A empregada para o administrador em Westland
Row alegou que ela encontrou itens de suas roupas em pe. O quarto de Walsh. Isso incluía roupas íntimas que, ela
alegou, tinham sido
"usava". Ela teve que queimar a roupa. Ela também encontrou preservativos e seringas em seu quarto. Ela também
mencionou que vários meninos dormiram durante a noite em sua cama e um menino de Balllyfermot estava
visitando. O monsenhor Stenson notou que ele "não tinha dúvidas sobre sua veracidade". A mente se espanta com o
fluxo interminável de pais católicos dispostos a permitir que seus filhos sejam violados pelo clero de confiança. 19.32
O monsenhor Stenson encontrou os pais que haviam feito a queixa mais recente. Ele observou: "[O pai] disse que
não gostaria que [J] [liii] sofresse por causa de uma contravenção. Eles rezam por ele e esperam que ele possa obter
ajuda. Fiquei muito impressionado com esse casal. Eles foram extremamente gentis. e preocupado. Eu não indiquei
que havia uma história deste comportamento ". Uma década depois que os primeiros relatos de suas atividades
criminosas chamaram a atenção de seus superiores, eles finalmente agiram ... mandando-o para a terapia. Mas
agora, até mesmo seu terapeuta estava demonstrando profunda preocupação. 19.34 Em maio de 1988, dez anos
após a primeira denúncia à Arquidiocese, o arcebispo e os bispos auxiliares decidiram enviar o Pe. Walsh para
Stroud [um centro de saúde mental em Gloucestershire, Inglaterra] para tratamento. Foi removido de sua posição em
Westland Row em junho de 1988. Stroud, 1988 19.35 O monsenhor Stenson forneceu a Stroud uma breve história
dos incidentes que ele investigara junto com uma cópia do pe. A declaração de Walsh.260 Pouco depois do padre. A
chegada de Walsh a Stroud, seu terapeuta, relatou a monsenhor Stenson que o padre. Walsh parecia ser mais
realista sobre sua situação do que outros homens semelhantes.

Observe que o terapeuta fez o relatório - não para a aplicação da lei -, mas para os funcionários da Igreja. 19.36 Em
seu relatório final, em novembro de 1988, Stroud disse que ... sob nenhuma circunstância ele deveria [Walsh] ter
qualquer apostolado envolvendo crianças. Esta era uma instalação médica secular britânica que transformava uma
clara ameaça às crianças de volta à sua hierarquia religiosa. Essa hierarquia fez exatamente o que eles têm antes e
depois - colocar o monstro de volta em circulação. Não só o comportamento de Walsh o mostrou ser um predador em
série maligno, ele também era claramente um satanista que parecia causar dano físico, emocional e espiritual de sua
posição como um representante religioso confiável. Em uma ocasião, ele sodomizou um menino com um crucifixo
[470]. Depois de sua "terapia" em Stroud, ele retomou suas atividades. 19.43 Enquanto isso, pe. Walsh começou a
retomar seu antigo comportamento. Os pais queixaram-se a Monsenhor Stenson que, em uma festa ["festival"] em All
Hallows [College], em agosto de 1989, pe. Walsh trouxe o filho para o carro, sentou-o no colo e "beijou-o ..." Quase
tão impressionantes quanto os pais que permitiram ao pedófilo atacar seus filhos, são o número de profissionais
médicos seculares que nunca pensaram em se apresentar. alguém que não seja uma autoridade católica
romana. Isso apesar de suas descobertas de que Walsh era um indivíduo extremamente perigoso em uma posição
chave de confiança que lhe dava acesso a inúmeras famílias desavisadas. 19.48 Outros relatórios médicos foram
recebidos, em dezembro de 1989 e janeiro de 1990, do psiquiatra que o tratou em 1985 e do psicoterapeuta que ele
frequentava desde o início de 1989. O psiquiatra O relatório foi descrito pelo monsenhor Stenson como "tudo menos
encorajador". O psiquiatra considerou que o pe. Walsh não havia feito nenhum progresso real nos quatro anos de
1985 de 1989. Embora houvesse rumores de "laicização" (defrocking Walsh), nenhum movimento

foram feitas para restringi-lo de qualquer maneira. De fato, ele foi autorizado a retornar onde seus crimes começaram
a atacar novamente os filhos da mesma paróquia! Quando um pai preocupado percebeu o que tinha acontecido, ela
fez o que ela achava que deveria ... e reclamou com a Arquidiocese. 19.57 Em março de 1991, um líder de escoteiros
e um dos pais contataram a Arquidiocese para relatar que Pe. Walsh estava de volta a Dublin. Walsh fora visto com
um garoto em seu carro e ligava freqüentemente para a casa daquele menino. Ainda assim, a aparência da ação
tinha que ser mantida. 19.59 Em uma reunião de bispos, em março de 1991, decidiu-se instituir um processo penal
contra o pe. Walsh Os bispos também discutiram informar o Gardai, mas não o fizeram. A Garda Síochána
("Guardiões da Paz") ou Gardaí são a polícia nacional da Irlanda; o equivalente irlandês do FBI. Em ambos os casos,
as instituições são muito mais cúmplices em cometer crimes do que resolvê-los. Em relação ao padre Tony Walsh, os
Gardaí eram seus facilitadores “seculares” da lei. Em agosto de 1991, o primeiro pai corajoso em 20 anos do reinado
de terror de Walsh entrou em contato com a polícia. Infelizmente, ela recebeu a mesma resposta se tivesse chamado
a arquidiocese como o resto. 19.64 Em agosto de 1991, pe. Walsh teve uma reunião de revisão com monsenhor
Stenson [lvi], onde ele expressou sua insatisfação com Mellifont [uma abadia onde ele recebeu mais
"aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro terapêutico no Reino Unido afirmando que estava feliz com seu
terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai Em ambos os casos, as instituições são muito mais cúmplices em
cometer crimes do que resolvê-los. Em relação ao padre Tony Walsh, os Gardaí eram seus facilitadores “seculares”
da lei. Em agosto de 1991, o primeiro pai corajoso em 20 anos do reinado de terror de Walsh entrou em contato com
a polícia. Infelizmente, ela recebeu a mesma resposta se tivesse chamado a arquidiocese como o resto. 19.64 Em
agosto de 1991, pe. Walsh teve uma reunião de revisão com monsenhor Stenson [lvi], onde ele expressou sua
insatisfação com Mellifont [uma abadia onde ele recebeu mais "aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro
terapêutico no Reino Unido afirmando que estava feliz com seu terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai Em
ambos os casos, as instituições são muito mais cúmplices em cometer crimes do que resolvê-los. Em relação ao
padre Tony Walsh, os Gardaí eram seus facilitadores “seculares” da lei. Em agosto de 1991, o primeiro pai corajoso
em 20 anos do reinado de terror de Walsh entrou em contato com a polícia. Infelizmente, ela recebeu a mesma
resposta se tivesse chamado a arquidiocese como o resto. 19.64 Em agosto de 1991, pe. Walsh teve uma reunião de
revisão com monsenhor Stenson [lvi], onde ele expressou sua insatisfação com Mellifont [uma abadia onde ele
recebeu mais "aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro terapêutico no Reino Unido afirmando que estava feliz
com seu terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai capacitadores da lei. Em agosto de 1991, o primeiro pai
corajoso em 20 anos do reinado de terror de Walsh entrou em contato com a polícia. Infelizmente, ela recebeu a
mesma resposta se tivesse chamado a arquidiocese como o resto. 19.64 Em agosto de 1991, pe. Walsh teve uma
reunião de revisão com monsenhor Stenson [lvi], onde ele expressou sua insatisfação com Mellifont [uma abadia
onde ele recebeu mais "aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro terapêutico no Reino Unido afirmando que
estava feliz com seu terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai capacitadores da lei. Em agosto de 1991, o
primeiro pai corajoso em 20 anos do reinado de terror de Walsh entrou em contato com a polícia. Infelizmente, ela
recebeu a mesma resposta se tivesse chamado a arquidiocese como o resto. 19.64 Em agosto de 1991, pe. Walsh
teve uma reunião de revisão com monsenhor Stenson [lvi], onde ele expressou sua insatisfação com Mellifont [uma
abadia onde ele recebeu mais "aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro terapêutico no Reino Unido
afirmando que estava feliz com seu terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai Walsh teve uma reunião de
revisão com monsenhor Stenson [lvi], onde ele expressou sua insatisfação com Mellifont [uma abadia onde ele
recebeu mais "aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro terapêutico no Reino Unido afirmando que estava feliz
com seu terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai Walsh teve uma reunião de revisão com monsenhor
Stenson [lvi], onde ele expressou sua insatisfação com Mellifont [uma abadia onde ele recebeu mais
"aconselhamento"]. Ele se recusou a ir ao centro terapêutico no Reino Unido afirmando que estava feliz com seu
terapeuta atual. Preocupações relatadas a Gardai

19.65 Pouco depois dessa reunião, pe. Walsh se aproximou de um menino em Drumcondra e, tendo estabelecido
seu nome e endereço, pediu-lhe para entrar no carro. O menino foi imediatamente para casa e contou para sua
mãe. No dia seguinte, ele ligou para a casa do menino. A mãe ligou para o Gardai. 19.66 A investigação do garda
começou na ausência de qualquer alegação específica de abuso sexual infantil. [Lvii] O Gardai contatou Mellifont. Um
padre em Mellifont disse à Gardai que o padre Walsh estava em Mellifont porque havia numerosas alegações de
pedofilia contra ele e as encaminhou à Arquidiocese. Em seu relatório sobre o assunto em 2002, o garda
investigando o caso declarou que, como nenhum crime havia sido cometido, ele mesmo relatou a questão (ele não
diz a quem e não há registro de um relatório sobre os arquivos da garda) e então circulou pe. Número do carro de
Walsh e uma descrição do pe. Walsh como sendo susceptível de se envolver em pedofilia. Nenhuma tentativa foi
feita naquele estágio para investigar a afirmação que o padre. Walsh havia sido enviado para Mellifont por causa de
inúmeras denúncias de pedofilia. A resposta de Gardaí foi indiferente e incompetente. Em vez de conduzir uma
investigação independente, Gardaí perguntou às raposas se elas estavam no galinheiro. 19,67 A Arquidiocese tomou
o fato de que o Padre Walsh chamara a atenção do Gardai muito mais a sério do que o Gardai. Monsenhor Stenson
observou: "Aparentemente [um garda] da Estação Whitehall Garda estava procurando por um padre [Walsh] com um
endereço em Mellifont. [Walsh] havia abordado uma criança e a mãe havia se queixado à polícia. Eu liguei [a garda] e
expliquei quem eu era e o que eu tinha ouvido. Eu perguntei se ele poderia fornecer detalhes. Ele fez, mas se
perguntou se [Walsh] tinha um registro. Evitei isso, mas disse-lhe para prosseguir com quaisquer passos que ele
achasse que deveria tomar. "Como o monstro era mimado com aconselhamento, ele continuava a atacar crianças
desimpedidas por policiais ou clérigos. Em setembro de 1991, o Arcebispo ordenou que o Pe. Walsh morar no
hospital psiquiátrico São João de Deus até o momento em que ele seria

transferido para o centro terapêutico no Reino Unido Na noite antes de entrar em São João de Deus, ele tentou
persuadir um jovem de 11 anos, que ele havia batizado, em seu carro. O menino recusou. Ele então seguiu o garoto
para sua casa e tentou convencer sua irmã de que o menino deveria sair com ele. A família ligou para o Gardai. Em
uma entrevista com seu psicólogo no dia seguinte, pe. Walsh descreveu o menino como "incrivelmente bonito". De
fato, os Gardaí foram até bons o bastante para dizer aos superiores de Walsh que a costa estava limpa. Um oficial
traquina tentando fazer o seu trabalho foi tratado corretamente. 19.70 Poucos dias depois, o garda que investigava as
preocupações expressas em agosto de 1991 telefonou para monsenhor Stenson perguntando sobre o padre. O
paradeiro de Walsh. Parece que os gardai de outra estação estiveram em contato com ele sobre um menino que
havia sido abordado pelo padre. Walsh fora de um shopping center. Monsenhor Stenson disse ao garda que o
padre Walsh estava em São João de Deus e não tinha acesso ao carro. Em seguida, surgiu que este Garda estava
ciente de um incidente envolvendo o padre. Walsh e o queixoso mais recente que ocorreu um ano antes. Na época, o
garda relatou o incidente ao diretor do garoto, mas não fez mais nada. A nota de monsenhor Stenson sobre esses
contatos com a garda termina: "[o garda] me assegurou que não havia" nenhuma questão de acusação
"...". Envergonhado, o Relatório Murphy observou esse "lapso" no dever. 19.73 ... para todos os efeitos práticos,
qualquer investigação sobre o pe. Walsh As atividades cessaram nesse ponto, embora até agora, embora não
houvesse denúncias específicas de abuso sexual infantil conhecidas pelo Gardai, eles estavam cientes de três
incidentes de comportamento suspeito. É claro que o fato de o monsenhor Stenson não ter contado ao Gardai as
outras alegações conhecidas contra o padre. Walsh queria dizer que eles ainda não estavam cientes do problema
maior. [Lix] Walsh continuou a saltar de clínica para clínica em vez de prisão para prisão. Enquanto estava em uma
clínica não especificada no Reino Unido, ele admitiu ter confiscado mais de 100 meninos. [471] Os números
verdadeiros e finais nunca serão conhecidos. s falha em dizer ao Gardai as outras alegações conhecidas contra o
Padre. Walsh queria dizer que eles ainda não estavam cientes do problema maior. [Lix] Walsh continuou a saltar de
clínica para clínica em vez de prisão para prisão. Enquanto estava em uma clínica não especificada no Reino Unido,
ele admitiu ter confiscado mais de 100 meninos. [471] Os números verdadeiros e finais nunca serão conhecidos. s
falha em dizer ao Gardai as outras alegações conhecidas contra o Padre. Walsh queria dizer que eles ainda não
estavam cientes do problema maior. [Lix] Walsh continuou a saltar de clínica para clínica em vez de prisão para
prisão. Enquanto estava em uma clínica não especificada no Reino Unido, ele admitiu ter confiscado mais de 100
meninos. [471] Os números verdadeiros e finais nunca serão conhecidos.

Dito "clínica do Reino Unido" parece não ser especificado pelo Relatório Murphy para cobrir sua habilitação criminal
de Walsh! 1992 19,75 Walsh retornou à clínica do Reino Unido em janeiro de 1992 para iniciar seu curso
intensivo. Um conto notável surgiu então. Aparentemente, a clínica permitiu que o padre Walsh para percorrer as
ruas da grande cidade vizinha sem supervisão. Ele vestiu trajes clericais e se apresentou ao clero local e disse
missas em igrejas locais. Ele fez amizade com uma família com crianças pequenas dizendo-lhes que ele estava
treinando como conselheiro na clínica e que, se o vissem com outras pessoas na rua, não deveriam se aproximar
dele, pois você não poderia ser muito cuidadoso com os criminosos sexuais. Pe. Walsh visitou a casa deles e prestou
muita atenção ao filho de 11 anos, inclusive sentando-o em seu colo. Ele concordou em cuidar de seus filhos. Por
acaso, o pai das crianças270 ligou para a clínica onde a história verdadeira surgiu. Pe. Walsh foi imediatamente
removido da clínica e voltou para a Irlanda. Certamente Walsh deve ter ficado muito desapontado que o pai da
criança não fosse um católico mais zeloso. Apesar do monsenhor Stenson ter alertado o Gardaí sobre este último
incidente, a ação corretiva foi deixada para as raposas e foi tão anêmica quanto todas as "ações" anteriores. 19,76
Monsenhor Stenson relatou pe. O retorno de Walsh ao sargento da guarda e comentou: "Em vista do comportamento
do Padre [Walsh] no passado, você poderia dar a essa informação qualquer atenção que você ache
necessária". 19.77 Em março de 1992, os bispos decidiram novamente que ele deveria ser instruído a não dizer
missa, a não usar vestes clericais e a não exercer nenhuma função de sacerdócio. Ele deveria se envolver em uma
forma de terapia ocupacional e foi decidido informar um número de párocos da posição. Ele também foi dito que ele
não poderia usar seu carro. Ele foi dado trabalho na biblioteca arquidiocesana. Na verdade, todo o lote deveria estar
na prisão, aguardando a sentença; ambos os policiais

e clero. Como o seu reinado de terror começou a sobrecarregar "a Igreja", foram feitos lentos movimentos para
destruí-lo - mas nada mais. Seu próprio psicólogo ficou surpreso. 19,87 O psicólogo de Walsh não ficou
impressionado com a decisão de dispensá-lo do sacerdócio. Ele expressou sua insatisfação ao padre. Aidan McGrath
(que foi defensor ou procurador do Pe. Walsh durante o processo penal) em setembro de 1993: "Como você sabe,
sou a favor de julgamentos nos tribunais que impõem uma punição, mas que permitem uma mudança genuína para
escapar dessa punição. Boas ações podem ganhar remissão e perdão. [Walsh] não enfrenta tal perspectiva, e eu me
pergunto por que esse tipo de sentença foi excluído ". Talvez, se o psicólogo tivesse perseguido as autoridades,
pessoalmente, ele estaria mais do que simplesmente "surpreso". Depois de décadas de estuprar crianças, quando os
superiores irlandeses finalmente iniciaram ações ineficazes contra Walsh, Roma interveio para garantir que até isso
fosse contornado! 19.89 Em outubro de 1993, pe. Walsh apelou a Roma contra a decisão de demiti-lo. ... Em junho
de 1994, os juízes em Roma permitiram que [Walsh] permanecesse no estado clerical ... Com o passar dos anos,
Walsh continuou a abordar as crianças sem impedimentos. Nenhum local era sagrado. Talvez, mais precisamente,
nenhum local estivesse "fora dos limites", pois Walsh associou claramente o catolicismo romano à adoração de
Lúcifer, o que ele provou por seu comportamento incessante e hediondo. Durante os processos judiciais em 2010, foi
revelado que Walsh freqüentemente usava o confessionário para estuprar meninos. Até o magistrado presidente
Frank O'Donnell (católico) ficou perturbado. "

juiz disse. "Isso é uma quebra grosseira de confiança, e isso é o mínimo." ~ Irish Times [472] De fato, como um
luciferiano, Walsh encontrou prazer perverso em explorar o que suas vítimas considerariam "santo", como arrumar
meninos durante o funeral de um membro da família (o que ele fez repetidamente). Embora o Garda estivesse agora
envolvido, o Finest da Irlanda continuou a ficar de lado. 19.90 Enquanto isso, uma queixa de agressão sexual foi feita
ao Gardai. Em maio de 1994, um menino se queixou ao Gardai em Ballyfermot de que ele havia sido agredido
sexualmente pelo padre. Walsh no banheiro de um pub após o funeral do avô do menino. A família alegou que um
incidente semelhante aconteceu um ano antes, mas eles não o relataram na época. O Gardai contatou o monsenhor
Stenson. Pe. Walsh foi à delegacia e se recusou a responder a qualquer pergunta. O Gardai disse ao monsenhor
Stenson sua intenção de prender pe. Walsh Eles também disseram a ele que estavam no processo de "ligar vários
esqueletos" e que a imprensa estava "farejando uma história". Pe. Walsh negou a alegação. Observe que a boa
família católica poderia ter relatado um "incidente similar" anteriormente, mas não o fez. A mídia se envolveu. Os
agentes da Simulação do Diabo também garantiram que Walsh ainda estivesse protegido. Quando uma das vítimas
de Walsh se tornou suicida, sua mãe entrou em contato ... bem, você sabe quem. 19.91 No final de 1994, havia
notícias de jornais sobre esse último incidente; estes não nomearam nem pe. Walsh ou o menino. Em dezembro de
1994, uma mãe de meninos que havia sido abusada por pe. Walsh ligou para o monsenhor Stenson dizendo que o
filho dela era suicida e que o padre. Walsh tinha sido babá nas últimas semanas. Essa nova "atenção da mídia" -
apesar de ser tão anêmica quanto a resposta do Garda - ainda era atacada pelo clero.

19.93 Apesar das crescentes evidências e à luz da recente cobertura da mídia, o Monsenhor Sheehy aconselhou o
Arcebispo Connell: "Eu acho que é importante que cada um de nós deva, neste estágio, evitar qualquer reação
excessiva, não importa qual seja o direito civil. Pode-se dizer, pelo menos, que devemos prestar muita atenção à
postura de fazer dinheiro da mídia ". Talvez não seja surpreendente que Sheehy defenda tão agressivamente um
monstro como o padre Tony Walsh; Sheehy foi ordenado no mesmo seminário da Santa Cruz em Clonliffe.
[473] Finalmente, em fevereiro de 1995, Walsh foi acusado de um único ataque, condenado e sentenciado a um ano
de prisão. [Murphy 19,95] Surpreendentemente, ele continuou a andar livre e o "problema" de onde estacioná-lo
surgiu para "a Igreja". [Murphy 19. 98] Agora que ele era um pedófilo condenado, a arquidiocese decidiu que era um
bom momento para desistir de alguns dos extensos registros de suas atividades. [Murphy 19,96] Walsh foi acusado
de novas ofensas em julho de 1995, mas o processo foi suspenso para que a Garda pudesse "coligir todos os
casos". Ele continuou vagando livre, mesmo como um pedófilo condenado. O Garda não fez nenhum movimento que
não fosse coordenado pela Igreja. 19.100 Em julho de 1995, pe. Walsh foi acusado de outras ofensas sexuais no
Tribunal Distrital. O caso foi adiado para permitir que a Gardai continue investigações. Em novembro de 1995, o
Gardai disse ao monsenhor Stenson que todas as estações da garda tinham sido solicitadas a recolher todos os
casos que tinham sobre o padre. Walsh Walsh frustrou ainda mais a justiça ao explorar a ajuda legal gratuita, que lhe
deu mais oito anos de oportunidade para estuprar crianças. [474] Mais de um ano depois, o pedófilo condenado foi
finalmente demitido, embora ainda vagando livre e morando na Abadia do Monte Melleray. [Murphy 19.104]

Triste por ver que Walsh foi expulso, o Papa São João Paulo II e a Cúria concederam ao estuprador em série £
10.500 em "indenização por demissão". [19,105] À medida que as convicções rolaram, os tribunais jogaram um jogo
judicial de propaganda; em vez de exigir que Walsh cumprisse os termos de suas ofensas consecutivamente, eles
foram agrupados simultaneamente. Isso permitiu que o governo parecesse estar martelando o padre com múltiplas
convicções, mas, na realidade, ele só seria obrigado a servir o tempo por um único. [19,109] Uma razão "terapeutas"
de Walsh nunca entregou-o às autoridades é porque eles foram pagos por seus superiores para manter as coisas
calmas. Esse conflito de interesses continuou durante os julgamentos do padre pedófilo, para grande parte da ira de
suas vítimas. [19. 111] Durante o processo, veio à tona que as vítimas estavam descontentes por depender do clero
por justiça e restituição, embora não se possa deixar de perguntar por quê. 19.113 ... um queixoso disse à Comissão
que estava descontente com a forma como foi tratado e disse que "a Igreja falhou comigo e ainda hoje falha
comigo". Como o tempo de prisão simultânea de Walsh passou rapidamente, ele foi liberado. Era setembro de 2001.
[19,106] [lx] Após sua libertação, Walsh ignorou sua laicização e continuou como padre católico romano! A resposta
de Roma foi "ameaçá-lo" com "excomunhão" (que nunca ocorreu). [19-119] Como resultado das ações da aplicação
da lei da Irlanda, juízes, o Diretor do Ministério Público e do clero católico de Dublin a Roma, Tony Walsh continuou a
estuprar crianças como um padre exonerado, mesmo depois de seu (s) encargo (s) de prisão irritantemente curto e
concomitante. 19.122 Entre 2002 e 2006, mais de 20 indivíduos alegaram que foram abusados por Walsh.

Em 2010, Walsh foi novamente levado a tribunal e, mais uma vez, o "Sistema de Justiça" da Irlanda acarretou
injustiça. Deve-se notar que a leniência doentia que Walsh recebeu foi a "mais severa" de qualquer padre
pedófilo. Cinco das 13 acusações, por tráfico, atraíram sentenças de 10, 12, 14, 16 e 16 anos cada. As contas
restantes, por agressão indecente, trouxeram sentenças que variaram de quatro a nove anos. Como Walsh deve
cumprir suas sentenças ao mesmo tempo, 16 anos é o tempo máximo que ele passará na cadeia. É a sentença mais
severa já imposta a um abusador sexual infantil clerical no Estado. (Quatro anos foram suspensos, como o relatório
de um psicólogo disse que era improvável que Walsh ofendesse novamente.) Com bom comportamento, Walsh
poderia estar fora da prisão em 2019. Brendan Smyth, provavelmente o pedófilo clerical mais famoso da Irlanda, Foi
preso por 12 anos no Circuit Criminal Court, em julho de 1997. Ele morreu um mês em sua sentença. Outro notório
agressor, o padre de Donegal, pe. Eugene Greene, foi libertado em 2008 depois de cumprir nove anos de uma
sentença de 12 anos. ~ Irish Times [475] Que pouca "justiça" foi entregue pelos agentes da Simulação do Diabo foi o
resultado de cidadãos como uma de suas vítimas que perseguiram as autoridades por dezessete anos em busca de
que Walsh fosse refreado. [476] O mesmo cenário ocorreu em décadas de abuso, mas os detalhes de apenas alguns
incidentes mostram o que os sociopatas satânicos Tony Walsh, todos esses pedófilos e todos que os ajudam,
são. Ele repetidamente misturou a parafernália religiosa "sagrada" com seus crimes (parte do ritual luciferiano?) E
ficou completamente indiferente à dor que causou às vítimas de seus filhos. Em David ' Caso Walsh não se declarou
culpado e forçou um julgamento. O júri no mês passado o considerou culpado, por unanimidade e depois de apenas
94 minutos, nas 13 acusações. A velocidade da condenação foi atribuída ao próprio David, que, como o juiz
O'Donnell disse na segunda-feira, havia sido "um fiel absoluto" em suas provas para o tribunal. A declaração de
impacto da vítima de David, preparada pelo psiquiatra Prof Ivor Browne, inclui os detalhes de três incidentes
chocantes. Um ocorreu preparado pelo psiquiatra Prof Ivor Browne, inclui os detalhes de três incidentes
chocantes. Um ocorreu preparado pelo psiquiatra Prof Ivor Browne, inclui os detalhes de três incidentes
chocantes. Um ocorreu

em "um pequeno túnel" no Phoenix Park, "em direção ao Furry Glen", onde havia "um pequeno colchão
creme". David foi violentado lá por Walsh. O menino "sentiu muita dor e chorou muito". Depois Walsh limpou-o com
"uma faixa roxa (estola) que ele tinha com ele". Quando Walsh pegou sua jaqueta, "um pequeno recipiente para
guardar bolachas da Sagrada Comunhão caiu do bolso". Ele trouxe Davi de volta ao presbitério, "colocou os registros
de Elvis ... e deu-lhe um copo de Coca-Cola". Ele então mostrou a David "uma Bíblia com fotos do inferno e disse
que se ele contasse a alguém que ele iria queimar no inferno e nunca iria para o céu e então o deixaria ir para
casa". ~ Irish Times [477] Chocantemente, quando David tentou obter ajuda de sua família, ele foi agredido
novamente! Estes não foram incidentes isolados. Como o Prof [Ivor] Browne [do Centro de Crise de Estupro e do
Instituto de Medicina Psicossocial em Sandycove, Dublin] disse no relatório de impacto da vítima, eles foram
descritos em detalhes "porque eles eram particularmente hediondos". Mas, continuou ele, "deve-se ressaltar que
durante os cinco anos, entre as idades de sete e 12 anos, que esse abuso continuou, David foi estuprado por anal e
espancado pelo padre em média duas vezes por semana". Quando Davi contou ao seu tio o que Walsh estava
fazendo com ele, seu tio também o estuprou "em algumas ocasiões". [478] Foram estas circunstâncias
inacreditavelmente ruins ou evidência de uma rede de estupradores infantis? Embora o vínculo nesse caso seja
tênue, se considerarmos a possibilidade de que as agências interdimensionais ("demônios") estivessem contribuindo,
isso se tornará mais provável. Outras vítimas, como David, continuaram a se apresentar e forçaram funcionários do
governo a agir. Como resultado, Tony Walsh está de volta à prisão e não deve ser libertado até 2023. Mesmo isso
não pode ser considerado "justiça". Infelizmente para os cidadãos da Irlanda, a Igreja Católica cuidou da abolição da
pena de morte em 1964.

O comportamento criminoso das autoridades religiosas e "seculares" da Irlanda, ao permitir que os monstros caçam
os cidadãos que juraram proteger, é o motivo pelo qual o capítulo 19 do relatório de Murphy foi redigido. John
Charles McQuaid: Governante da Irlanda Católica Um homem não examinado pela Comissão Murphy era o
arcebispo John McQuaid; indiscutivelmente o homem mais poderoso da Irlanda durante o seu mandato. A HSE
[Health Service Executive, autoridade governamental para a medicina socializada patrocinada pelos católicos da
Irlanda] recusou-se a explicar por que uma alegação de que uma das figuras mais poderosas da Igreja Católica havia
abusado de um menor não foi passada para uma comissão que investiga Arquidiocese de Dublin. Na noite passada,
Gardai disse que eles ainda estavam investigando duas queixas feitas contra o ex-arcebispo de Dublin, John Charles
McQuaid. Ontem, surgiu que uma das queixas - feitas em 2003 - nunca foi denunciada à Comissão Murphy. O Dr.
McQuaid foi arcebispo entre 1940 e 1972 e foi criticado pela comissão por seu fracasso em proteger as crianças dos
padres abusivos. Ele morreu em 1973. Ontem, verificou-se que a queixa de 2003 não foi encaminhada ao inquérito
de Murphy até maio de 2009, assim como estava terminando. Detalhes dessa queixa - e uma segunda feita
diretamente à Arquidiocese de Dublin - constavam do relatório suplementar à Investigação da Arquidiocese de Dublin
pela Comissão Murphy. O HSE recusou-se a comentar por que a alegação nunca havia sido investigada. ~ The Irish
Independent [479] De fato, apesar do procedimento da Simulação do Diabo para apenas promover aqueles que
participam da corrupção de crianças, Os bispos e cardeais católicos romanos permanecem intocados pela mídia ou
pela aplicação da lei. Ainda assim, a probabilidade de que eles sejam criminosos é absolutamente garantida, apenas
como eles possibilitam os atos hediondos de seus subordinados.

Mas no caso de McQuaid, há ainda mais. Alegações de que o Dr. McQuaid abusou de crianças surgiu pela primeira
vez em 1999 em uma biografia do clérigo do jornalista independente irlandês John Cooney. O procedimento usual
para lidar com a predação de padres de esperar até que o perpetrador fosse um octogenário aposentado foi
preenchido pelo Doutor McQuaid. Os crimes do arcebispo não foram relatados até que o livro de Cooney, John
Charles McQuaid: Governante da Irlanda Católica, foi publicado - quase 40 anos após a morte de McQuaid. Mesmo
assim, apenas um punhado de reclamações foi autorizado a ser tratado. Duas queixas específicas e uma
"preocupação" não especificada separada contra um clérigo não identificado foram relatadas à Comissão Murphy,
uma investigação patrocinada pelos Estados sobre o tratamento do abuso sexual clerical de crianças na arquidiocese
de Dublin. A comissão publicou seu relatório principal em 2009, mas disse que "devido a erro humano" as últimas
alegações surgiram apenas em um relatório suplementar publicado em julho. Isso não nomeia o arcebispo McQuaid,
mas o [Irish Times divulgou] que as alegações de abuso contidas nele se referem ao arcebispo. Uma alegação é
sobre o abuso de um menino de 12 anos em 1961. ~ NY Times [481] Cooney notou que McQuaid reinava supremo
na Irlanda e que sua "oposição protestante" era pouco disso. Após a notícia de sua morte, os principais líderes
protestantes imediatamente assumiram a prática (pagã) católica de rezar pela alma do pedófilo morto. Eles também
abandonaram suas agendas para forçar o governo irlandês a dar ao Cristianismo Protestante igualdade de condições
nos assuntos públicos. A morte inesperada ... O arcebispo John Charles McQuaid evitou que um grupo de
eclesiásticos protestantes desse o passo histórico de sancionar medidas radicais para erradicar o fanatismo sectário
no Norte e promover uma sociedade pluralista inclusiva na República. ... Alguns minutos depois, Alan Buchanan,
Arcebispo da Igreja da Irlanda

de Dublin, correu de volta para a sala e anunciou em seu forte sotaque Monaghan: "O arcebispo McQuaid está morto.
O arcebispo McQuaid está morto". Instantaneamente, o primaz da Igreja da Irlanda de Armagh, George Otto Simms,
o presbiteriano, Jack Weir e o ex-presidente metodista, Eric Gallagher, fizeram uma oração silenciosa com Buchanan
pela alma de John Charles. Foi um ato espontâneo de homenagem espiritual dos líderes protestantes ao indiscutível
defensor da supremacia católica. Observando este evento notável como correspondente dos assuntos religiosos do
The Irish Times, fiquei intrigado com tal demonstração de reverência. Mesmo na morte, McQuaid lançou uma sombra
pesada. Por sugestão de Buchanan, os líderes da igreja protestante enviaram um telegrama de solidariedade ao
arcebispo Dermot Ryan, que 15 meses antes sucedera McQuaid. Mais importante, eles adiaram a decisão de
convidar observadores católicos para o Conselho Irlandês de Igrejas. Era como se o fantasma de John Charles riu
dessa prova de indecisão protestante. ~ Irish Times [482] Por um breve período de tempo, o aperto da morte de
Roma em mulheres e crianças da Irlanda foi desafiado por Noël Browne, um doutor em medicina e ministro no Dáil
Éireann (a câmara baixa da Legislatura da Irlanda). Porque Browne subiu contra o poder católico, menção de seu
nome e seus esforços de curta duração para remover a tirania do Vaticano em hospitais são sempre abordados com
adjetivos como "altamente controverso". Sua legislação foi batida como o "Esquema de Mãe e Filho" que "derrubou"
administrações inteiras! Porque ele era "altamente controverso", Browne foi frequentemente expulso de qualquer
partido político com quem tentou afiliar-se. Apesar de ser "altamente polêmico", ele foi imediatamente eleito para
Teachta Dála (equivalente a um congressista americano, geralmente abreviado como "TD") ao chegar em um novo
partido. Noël Christopher Browne (20 de dezembro de 1915, 21 de maio de 1997) foi um político e médico irlandês.
[1] Ele detém a distinção de ser um dos apenas sete TDs a ser nomeado Ministro no início de seu primeiro mandato
no Dáil. Seu controverso Esquema de Mãe e Filho na verdade trouxe Noël Christopher Browne (20 de dezembro de
1915, 21 de maio de 1997) foi um político e médico irlandês. [1] Ele detém a distinção de ser um dos apenas sete
TDs a ser nomeado Ministro no início de seu primeiro mandato no Dáil. Seu controverso Esquema de Mãe e Filho na
verdade trouxe Noël Christopher Browne (20 de dezembro de 1915, 21 de maio de 1997) foi um político e médico
irlandês. [1] Ele detém a distinção de ser um dos apenas sete TDs a ser nomeado Ministro no início de seu primeiro
mandato no Dáil. Seu controverso Esquema de Mãe e Filho na verdade trouxe

o Primeiro Governo Inter-Partidário de John A. Costello em 1951. Browne era um conhecido, mas às vezes altamente
controverso, representante público, e conseguiu ser um DT para cinco partidos políticos diferentes (dois dos quais ele
co-fundou). Eram Clann na Poblachta (renunciado), Fianna Fáil (expulso), Democratas Progressistas Nacionais (co-
fundador), Partido Trabalhista (demitido) e o Partido Trabalhista Socialista (cofundador). ~ Wikipedia [483]
___________ O esquema da mãe e da criança era um programa dos cuidados médicos em Ireland que seria
lembrado mais tarde como uma crise política principal que envolve primeiramente o governo irlandês e a igreja
católica romana no início dos anos 50. O esquema foi referido como o Serviço Mãe e Criança na legislação. Uma
brochura, "O que o novo serviço significa para todas as famílias", foi preparada. Explicou o novo serviço, mas não foi
divulgado ao público. O esquema foi engolido pela crise antes que isso acontecesse. ~ Wikipedia [484] Não
percebendo a verdadeira natureza da Igreja Católica - que é tudo menos "cristão" - os poucos que se levantam contra
ela acreditam erroneamente que o secularismo é a tática preferida ao lutar contra um dragão. No entanto, é uma
tática antecipada e uma das quais os inimigos de Roma são cuidadosamente manipulados. Uma vez imersa no
pântano de nenhuma autoridade moral acima do "governo", ela entra no vácuo e flexiona completamente os
músculos através de seus agentes, tanto abertos quanto ocultos. A influência do Vaticano na Irlanda, particularmente
quando exercida pelo arcebispo John Charles McQuaid, foi abrangente. Nenhum de seus sucessores, Dermot Ryan,
Kevin McNamara e Desmond Connell, exerceu o enorme poder espiritual, muito menos o poder temporal quase
ilimitado, que ele comandou. Não foi até a publicação em 1987 dos documentos de Valera relativos à elaboração da
Constituição de 1937 [da Irlanda] que a extensão

O poder de McQuaid começou a ser totalmente apreciado. Esses documentos mostraram como McQuaid, como
presidente do Blackrock College, colaborou estreitamente com Valera na elaboração da lei fundamental do
Estado. Ainda mais importante, a abertura do arquivo McQuaid uma década depois, em 1997, revelou um sistema de
espionagem caseiro que conquistou a admiração do chefe do FBI, o lendário J. Edgar Hoover. Um obcecado pelo
controle, McQuaid mobilizou os departamentos do governo, a corporação de Dublin e as profissões médicas, legais e
de ensino para defender [a Igreja Católica Romana de todos os inimigos [lxii]]. Na história de McQuaid, encontra-se o
incrível poder exercido pela Igreja Católica na Irlanda em meados do século XX. ~ Cooney [485] De acordo com seu
biógrafo, John Cooney, era o arcebispo McQuaid ' s má gestão das finanças da diocese de Dublin - que estavam à
beira da falência nos anos 70 - que fomentou seus dois ataques cardíacos. O biógrafo acrescentou este incidente
fascinante que ocorreu depois que o prelado católico romano mais alto da Irlanda estava em tratamento no hospital
de St. Columcille, no subúrbio de Loughlinstown, em Dublin: sabendo que seu fim estava se aproximando, ele se
levantou do travesseiro e perguntou uma enfermeira Roscommon se ele tinha alguma chance de alcançar o céu.
[486] Seguindo a prática católica (e muito pagã) de literalmente adorar os mortos, o corpo de McQuaid recebeu as
mais altas honras. McQuaid foi enterrado sob o altar-mor na Catedral de Dublin ... O biógrafo acrescentou este
incidente fascinante que ocorreu depois que o prelado católico romano mais alto da Irlanda estava em tratamento no
hospital de St. Columcille, no subúrbio de Loughlinstown, em Dublin: sabendo que seu fim estava se aproximando,
ele se levantou do travesseiro e perguntou uma enfermeira Roscommon se ele tinha alguma chance de alcançar o
céu. [486] Seguindo a prática católica (e muito pagã) de literalmente adorar os mortos, o corpo de McQuaid recebeu
as mais altas honras. McQuaid foi enterrado sob o altar-mor na Catedral de Dublin ... O biógrafo acrescentou este
incidente fascinante que ocorreu depois que o prelado católico romano mais alto da Irlanda estava em tratamento no
hospital de St. Columcille, no subúrbio de Loughlinstown, em Dublin: sabendo que seu fim estava se aproximando,
ele se levantou do travesseiro e perguntou uma enfermeira Roscommon se ele tinha alguma chance de alcançar o
céu. [486] Seguindo a prática católica (e muito pagã) de literalmente adorar os mortos, o corpo de McQuaid recebeu
as mais altas honras. McQuaid foi enterrado sob o altar-mor na Catedral de Dublin ... ele se levantou do travesseiro e
perguntou a uma enfermeira Roscommon se ele tinha alguma chance de chegar ao céu. [486] Seguindo a prática
católica (e muito pagã) de literalmente adorar os mortos, o corpo de McQuaid recebeu as mais altas honras. McQuaid
foi enterrado sob o altar-mor na Catedral de Dublin ... ele se levantou do travesseiro e perguntou a uma enfermeira
Roscommon se ele tinha alguma chance de chegar ao céu. [486] Seguindo a prática católica (e muito pagã) de
literalmente adorar os mortos, o corpo de McQuaid recebeu as mais altas honras. McQuaid foi enterrado sob o altar-
mor na Catedral de Dublin ...

[487]

É uma prática não cristã que remonta a milhares de anos. Deixar de lado um tempo e um lugar especiais para se
concentrar no relacionamento de alguém com Deus - "ir à igreja" - é um artifício puramente pagão. Todas as
catedrais e a maioria das igrejas são construídas em locais sagrados

(cadáveres) porque os pagãos acreditavam que tais locais facilitavam a comunicação interdimensional através de
rituais como a "massa". Desde os primeiros tempos, o túmulo era considerado um solo sagrado e, perto dele, o
templo pagão foi erguido. Quando olhamos para as igrejas do nosso país, cercadas por fileiras de montes cobertos
de grama, vemos um tipo de prática antiga muito pouco alterada, de fato, pois a Igreja Cristã era frequentemente
construída sobre os fundamentos reais do templo pagão ... ~ Puckle59 A Cidade do Vaticano é uma "cidade dos
mortos" sagrada construída sobre uma antiga sepultura etrusca. ~ História secreta [488] Dado o poder tirânico de
John McQuaid na Irlanda, é ainda mais perturbador saber que seus crimes foram além da mera cobertura de padres
predadores sexuais desviantes. O astrônomo Frederick O ' Connor construiu à mão um telescópio para que o
arcebispo pudesse ver as estrelas e se dedicar a um interesse acadêmico pela astronomia. Mas de acordo com o
novo livro de John Cooney, John Charles McQuaid Governante da Igreja Católica da Irlanda, o Arcebispo usou seu
olho no céu para buscas mais lascivas. O livro alega que ele usou a poderosa lente para espionar casais que
passavam na praia de Killiney. Eles alegam que o clérigo da igreja maquiavélico que efetivamente governou a igreja
não apenas em Dublin, mas na Irlanda, por 32 anos e teve impacto sobre os assuntos de Estado de uma forma mais
profunda, também foi um Peeping Tom em uma batina. Estas alegações de voyeurismo foram usadas para
substanciar alegações muito mais sinistras contidas no livro de Cooney e veiculadas na semana passada no Sunday
Times, que alegou que o Arcebispo era um homossexual que atacava crianças. Contudo, Outra alegação de que o
arcebispo também usou o telescópio para espionar alunas de um convento próximo foi fisicamente possível e,
quando visitamos a torre nesta semana, pudemos ver crianças brincando nos jardins da escola. ~ The Irish
Independent [489]

Uma fonte importante para Cooney no que diz respeito às acusações de que McQuaid era um desviante sexual e um
pedófilo veio de ninguém menos que o Dr. Noël Browne. Essa alegação central de pedofilia, comportamento
inadequado em relação a crianças e um interesse insalubre e desagradável por sexo é baseada em parte em um
manuscrito do falecido Noel Browne. [490] A fonte era uma autobiografia inédita que incluía uma entrevista com um
inspetor escolar que tinha conhecimento direto das inclinações de McQuaid. John Cooney recebeu uma cópia do
controvertido trabalho da viúva do Dr. Browne quando ele se aproximou dela após a morte do marido. O livro de John
Cooney irá afirmar que Browne estava convencido de que a história relatada pelo inspetor da escola apontava para o
arcebispo ser um esquizofrênico paranóico, bem como um agressor. [491] Estas são fontes impecáveis
(ridicularizadas pela mídia) que mostram que os bispos, os cardeais e os papas, que permitem aos padres pedófilos,
o fazem porque são eles próprios predadores infantis. Foi assim que eles foram "eleitos".

Capítulo 12

O Canibal de Milwaukee [lxiii]

1978: Jeffrey Lionel Dahmer (1960 1994) cometeu seu primeiro assassinato no verão de 1978, aos 18 anos, apenas
três semanas após sua graduação. Na época, ele morava sozinho na casa da família. Devido ao seu recente divórcio
da mãe de Dahmer, o pai de Dahmer morou temporariamente em um motel próximo e sua mãe se mudou para
Chippewa Falls, Wisconsin [38] com seu irmão mais novo. Em 18 de junho, [39] Dahmer pegou um caroneiro de 18
anos chamado Steven Mark Hicks. [41] Dahmer atraiu o jovem para sua casa com o pretexto de os dois jovens
beberem álcool juntos. Hicks, que estivera pedindo carona para um show de rock em Lockwood Corners, concordou
em acompanhar Dahmer em sua casa. De acordo com Dahmer, depois de várias horas bebendo e ouvindo música,
Hicks "queria ir embora e eu não queria". [42] Em resposta, Dahmer espancou-o com um haltere de 10
libras. Dahmer mais tarde afirmou que atingiu Hicks duas vezes por trás [43] com o haltere quando Hicks sentou em
uma cadeira. Quando Hicks caiu inconsciente, Dahmer estrangulou-o até a morte com a barra do haltere, em
seguida, tirou as roupas do corpo de Hicks antes de se masturbar enquanto ele estava acima do cadáver. [43] No dia
seguinte, [44] Dahmer dissecou o corpo de Hicks em seu espaço rasteiro; Mais tarde, ele enterrou os restos mortais
em uma cova rasa em seu quintal [45] antes, várias semanas depois, desenterrando os restos mortais. corpo antes
de se masturbar enquanto ele estava acima do corpo. [43] No dia seguinte, [44] Dahmer dissecou o corpo de Hicks
em seu espaço rasteiro; Mais tarde, ele enterrou os restos mortais em uma cova rasa em seu quintal [45] antes,
várias semanas depois, desenterrando os restos mortais. corpo antes de se masturbar enquanto ele estava acima do
corpo. [43] No dia seguinte, [44] Dahmer dissecou o corpo de Hicks em seu espaço rasteiro; Mais tarde, ele enterrou
os restos mortais em uma cova rasa em seu quintal [45] antes, várias semanas depois, desenterrando os restos
mortais.

e aparando a carne dos ossos. [46] Ele dissolveu a carne em ácido antes de lavar a solução no vaso sanitário; Ele
esmagou os ossos com uma marreta e os espalhou pela floresta atrás da casa da família.

[47]

Seis semanas após o assassinato de Hicks, o pai de Dahmer e sua noiva retornaram à sua casa, onde descobriram
que Jeffrey morava sozinho em casa. ~ Wikipedia [492]

Na mídia alternativa há uma popular série de entrevistas que circula pela internet com uma mulher que diz que seu
nome é Kay Griggs (ex-Pollard), ex-esposa do coronel George Griggs, que trabalhou nas Operações Especiais do
Pentágono. As entrevistas são uma fascinante mistura de verdade e subterfúgio. "Sra. Griggs" afirma ser uma cristã
protestante devota, bem estudada na "Reforma [lxiv]", mas ela afirma que ela gostava de seu então atual Papa, São
João Paulo II, e acreditava que o Opus Dei era "um italiano grupo de negócios ". Ela alegou que as principais forças
por trás dos males do mundo eram "a turba" e os judeus - que é exatamente o que o Vaticano gosta de ouvir. Muitas
de suas afirmações obscuras se revelaram verdadeiras, como sua prova de que o então comandante do Corpo de
Fuzileiros Navais, O general Alfred M. Gray Jr permaneceu solteiro a vida toda. Ela alegou que era indicativo de sua
homossexualidade e perversão sexual. "Sra. Griggs" diz que é por isso que Gray foi escolhido para o seu
trabalho. "Sra. Griggs" afirma que o desvio sexual é o principal requisito para a promoção nas forças armadas dos
Estados Unidos e que o escândalo de "Tailhook" de 1991 fazia parte dessa cultura. Durante a reunião anual da
"Associação Tailhook" (uma "ordem fraternal" de aviadores navais) em Las Vegas, um grande número de mulheres
foi agredido e "tateou" - muitas delas eram militares. Era supostamente uma "mancha" no registro do então chefe de
operações navais, o almirante Frank Benton Kelso II (1933, 2013). Kelso também estava lá. Ela alegou que era
indicativo de sua homossexualidade e perversão sexual. "Sra. Griggs" diz que é por isso que Gray foi escolhido para
o seu trabalho. "Sra. Griggs" afirma que o desvio sexual é o principal requisito para a promoção nas forças armadas
dos Estados Unidos e que o escândalo de "Tailhook" de 1991 fazia parte dessa cultura. Durante a reunião anual da
"Associação Tailhook" (uma "ordem fraternal" de aviadores navais) em Las Vegas, um grande número de mulheres
foi agredido e "tateou" - muitas delas eram militares. Era supostamente uma "mancha" no registro do então chefe de
operações navais, o almirante Frank Benton Kelso II (1933, 2013). Kelso também estava lá. Ela alegou que era
indicativo de sua homossexualidade e perversão sexual. "Sra. Griggs" diz que é por isso que Gray foi escolhido para
o seu trabalho. "Sra. Griggs" afirma que o desvio sexual é o principal requisito para a promoção nas forças armadas
dos Estados Unidos e que o escândalo de "Tailhook" de 1991 fazia parte dessa cultura. Durante a reunião anual da
"Associação Tailhook" (uma "ordem fraternal" de aviadores navais) em Las Vegas, um grande número de mulheres
foi agredido e "tateou" - muitas delas eram militares. Era supostamente uma "mancha" no registro do então chefe de
operações navais, o almirante Frank Benton Kelso II (1933, 2013). Kelso também estava lá. afirma que o desvio
sexual é o principal requisito para a promoção nas forças armadas dos Estados Unidos e que o escândalo "Tailhook"
de 1991 fazia parte dessa cultura. Durante a reunião anual da "Associação Tailhook" (uma "ordem fraternal" de
aviadores navais) em Las Vegas, um grande número de mulheres foi agredido e "tateou" - muitas delas eram
militares. Era supostamente uma "mancha" no registro do então chefe de operações navais, o almirante Frank
Benton Kelso II (1933, 2013). Kelso também estava lá. afirma que o desvio sexual é o principal requisito para a
promoção nas forças armadas dos Estados Unidos e que o escândalo "Tailhook" de 1991 fazia parte dessa
cultura. Durante a reunião anual da "Associação Tailhook" (uma "ordem fraternal" de aviadores navais) em Las
Vegas, um grande número de mulheres foi agredido e "tateou" - muitas delas eram militares. Era supostamente uma
"mancha" no registro do então chefe de operações navais, o almirante Frank Benton Kelso II (1933, 2013). Kelso
também estava lá. um grande número de mulheres foi agredido e "tateado" - muitas delas eram militares. Era
supostamente uma "mancha" no registro do então chefe de operações navais, o almirante Frank Benton Kelso II
(1933, 2013). Kelso também estava lá. um grande número de mulheres foi agredido e "tateado" - muitas delas eram
militares. Era supostamente uma "mancha" no registro do então chefe de operações navais, o almirante Frank
Benton Kelso II (1933, 2013). Kelso também estava lá.

A "resposta" ao escândalo foi uma chamada do Congresso para reduzir Kelso na sua aposentadoria - doze anos
depois do fato. Foi liderada pelo senador dos Estados Unidos da terra de Maria, Barbara Ann Mikulski. [493] Mikulski
é outro insurgente católico esquerdista que sofre doentio, fazendo o trabalho subversivo de Roma no Congresso por
quarenta anos (até o momento), e ainda contando. Mikulski foi educado pelas "Irmãs da Misericórdia", de nome
inverso (que figuram tão proeminentemente no abuso e tráfico de crianças) em Mount Saint Agnes, um colégio
católico romano para mulheres. "Sra. Griggs" afirmou que ela era uma boa amiga da esposa do almirante Frank
Kelso, "Landess". Esse foi, de fato, o nome da esposa de Kelso até a sua morte em 2012. Em 2013, Kelso se casou
com Georgia Robinson. Duas semanas depois, ele estava morto devido " complicações "de uma" queda ". [494]
Outra afirmação" Sra. "Griggs" fez foi que patsies do governo, ativos e operários são psicologicamente selecionados
por falhas e perversões sexuais para facilitar o seu uso, manipulação e controle. Ela deu como exemplos,
bombardeio Oklahoma City Timothy McVeigh, JFK assassinato patsy Lee Harvey Oswald (bissexual) e serial killer
Jeffrey Dahmer, embora "Mrs. Griggs "nunca explicou totalmente quem eram os" profilers ", ela estava novamente
correta em sua afirmação de que todos os três exemplos serviram nas forças armadas dos Estados Unidos. No caso
de Jeffrey Dahmer, podemos explicar conclusivamente aqui quem eram aqueles" profilers ". Dahmer nasceu e
cresceu em Wisconsin, um estado com uma presença jesuíta enganosamente forte.O Estado de Wisconsin é a sua
própria província jesuíta. Sua maior cidade, Milwaukee, fica a menos de 90 minutos da cidadela jesuíta de Chicago,
Illinois. Milwaukee é o lar da Universidade Jesuit Marquette. Apesar da mídia

propaganda sobre a "queda" na assistência católica e recrutamento, 2017 viu um marco para os jesuítas. Se você
tivesse perguntado ao nativo de Wisconsin, Brad Held, se ele seria celibatário durante a maior parte de sua vida, ele
teria rido. [Dada a forma como os padres obedecem ao seu voto de celibato, ele provavelmente ainda está rindo.]
Mas tudo isso mudou durante seu primeiro ano na Universidade Marquette, quando ele decidiu que uma carreira em
ciência política não era para ele. E em 3 de junho, ele foi ordenado ... na maior classe de jesuítas no Centro-Oeste
desde 1995. ~ Milwaukee Journal Sentinel [495] Wikipedia, normalmente quieta em migalhas romanas, observou isso
sobre o início da vida e família de Dahmer - Jeffrey Dahmer nasceu no Hospital Diaconisa Evangélica em Milwaukee,
Wisconsin [6] em 21 de maio de 1960, o primeiro de dois filhos nascidos de Joyce Annette (nascida Flint) e Lionel
Herbert Dahmer. A mãe de Dahmer trabalhava como instrutor de máquina de teletipo, [7] enquanto seu pai estudava
na Marquette University, trabalhando para obter um diploma em química. [496] A química que os jesuítas ensinaram
a Lionel Dahmer serviria muito bem a seu filho na eliminação de suas futuras vítimas. Em 1979, sob a pressão de seu
pai treinado pelos jesuítas, Dahmer alistou-se no Exército e recebeu treinamento médico que o tornaria ainda mais
poderoso. Como um homossexual homicida, o Exército era o lugar perfeito para o Dahmer ser desenvolvido. Preston
Davis, um colega soldado que trabalhou em uma unidade médica com Dahmer, acredita que ele foi drogado por
Dahmer dentro de um veículo blindado e estuprado. Depois que Davis deixou a Alemanha, ele foi substituído por Billy
Joe Capshaw, de 17 anos. que afirma que ele foi estuprado por Dahmer também [Capshaw foi a vítima perfeita para
ficar com Dahmer - tão jovem e vulnerável quanto possível]. Depois do primeiro ataque, Capshaw saltou da janela do
terceiro andar para escapar. De acordo com Capshaw, Dahmer o estuprou 8 a 10 vezes em um período de 17
meses. Nas palavras de Capshaw, Dahmer
O amarraria ao beliche com a corda da piscina, tirando toda a roupa e espancando-o antes de estuprá-lo. Logo
depois, Capshaw relatou o abuso ao seu comandante e foi levado ao dispensário para um teste de estupro para
determinar se ele estava dizendo a verdade. Os médicos não fizeram nada e Capshaw foi mandado de volta para o
quarto e passou mais 17 meses com Dahmer, sofrendo mais estupros e tortura. ~ TheCrimeMag.com [497] Dahmer
estava estacionado na Alemanha e ele pode não ter confinado suas atividades a seus colegas soldados. Mais tarde,
surgiram especulações sobre inúmeros jovens alemães relatados desaparecidos no momento em que Dahmer havia
sido colocado lá. ~ EUA History.com [498] Dahmer foi enviado de volta para os cidadãos americanos depois de servir
apenas dois anos de seu alistamento de 4 anos. No entanto, ele não recebeu alta por disfunção mental ou agressão
sexual, foi por " No verão de 1988, a avó de Dahmer pediu-lhe que se mudasse por causa de suas noites tardias, seu
comportamento estranho e os maus cheiros do porão. Ele então encontrou um apartamento no lado oeste de
Milwaukee, mais perto de seu trabalho na Fábrica de Chocolate Ambrosia.

Em 26 de setembro de 1988, um dia depois de se mudar para seu apartamento, ele foi preso por drogar e por ter
acariciado sexualmente um menino de 13 anos em Milwaukee. Ele foi condenado a cinco anos de liberdade
condicional e um ano em um campo de liberação de trabalho. Ele foi obrigado a registrar-se como agressor
sexual. Dahmer foi libertado do acampamento de liberação de trabalho dois meses antes, e ele logo se mudou para
um novo apartamento. Pouco tempo depois, ele começou uma série de assassinatos que terminaram com sua prisão
em 1991. ~ Murderpedia [499] Enquanto ainda com sua avó em West Allis, Dahmer cometeu outro assassinato. Em
novembro de 1987, Dahmer - na época morando com sua avó em West Allis - encontrou um homem de 25 anos de
Ontonagon, Michigan, chamado Steven Tuomi em um bar e o convenceu a voltar ao Ambassador Hotel, onde
Dahmer havia alugado. um quarto para a noite. De acordo com Dahmer, ele não tinha intenção de matar Tuomi, mas
simplesmente pretendia drogá-lo e estuprá-lo enquanto permanecia inconsciente. Na manhã seguinte, no entanto, ele
acordou e encontrou Tuomi deitado embaixo dele na cama, com o peito "esmagado" e "preto e azul" com
hematomas. O sangue também escorria do canto da boca, e os punhos e o antebraço de Dahmer estavam bastante
machucados. Dahmer afirmou que ele não tinha absolutamente nenhuma memória de ter matado Tuomi, [79] [82] e
depois informou os investigadores que ele simplesmente "não podia acreditar que isso tivesse acontecido". Para
dispor do corpo de Tuomi, ele comprou uma mala grande na qual ele transportou o corpo para a residência de sua
avó. Lá, uma semana depois, [83] ele cortou a cabeça, braços e pernas do torso, [82] em seguida, em filetes os
ossos do corpo antes de cortar a carne em pedaços pequenos o suficiente para manipular. Ele então colocou a carne
dentro de sacos de lixo de plástico. Ele embrulhou os ossos dentro de um lençol e bateu-os em farpas com uma
marreta. Todo o processo de desmembramento levou Dahmer aproximadamente duas horas para ser concluído, e
todos os restos mortais de Tuomi - excluindo a cabeça cortada [84] - foram descartados no lixo. [85] Por um total de
duas semanas após o assassinato de Tuomi, Dahmer reteve a cabeça da vítima enrolada em um cobertor. Depois de
duas semanas, Dahmer cozinhou a cabeça em uma mistura de Soilex (um detergente industrial à base de
álcali) Todo o processo de desmembramento levou Dahmer aproximadamente duas horas para ser concluído, e
todos os restos mortais de Tuomi - excluindo a cabeça cortada [84] - foram descartados no lixo. [85] Por um total de
duas semanas após o assassinato de Tuomi, Dahmer reteve a cabeça da vítima enrolada em um cobertor. Depois de
duas semanas, Dahmer cozinhou a cabeça em uma mistura de Soilex (um detergente industrial à base de
álcali) Todo o processo de desmembramento levou Dahmer aproximadamente duas horas para ser concluído, e
todos os restos mortais de Tuomi - excluindo a cabeça cortada [84] - foram descartados no lixo. [85] Por um total de
duas semanas após o assassinato de Tuomi, Dahmer reteve a cabeça da vítima enrolada em um cobertor. Depois de
duas semanas, Dahmer cozinhou a cabeça em uma mistura de Soilex (um detergente industrial à base de álcali)

e alvejante em um esforço para reter o crânio, que ele usou como estímulo para a masturbação. Por fim, o crânio
ficou muito frágil devido a esse processo de branqueamento e também foi pulverizado e descartado. [84] ~ Wikipedia
[500] "Vice" observou alegremente que as acomodações de Dahmer foram fornecidas por outro indivíduo rico
treinado pelos jesuítas. Eu bebi Old Fashioneds, onde Jeffrey Dahmer matou sua primeira vítima em Milwaukee No
outono de 1987, o serial killer Jeffrey Dahmer assassinou um homem em seu quarto no Ambassador Hotel, um marco
local onde você ainda pode obter um coquetel. ... Estranhamente, mesmo quando o embaixador tentou distanciar seu
nome daquele do notório canibal, pequenas conexões entre os dois ainda parecem emergir. Barry Leach, meu
servidor no hotel s lobby bar - Envoy Lounge - me conta sobre as duas tavernas que ele possuía antes de sua
passagem por aqui, começando em 1980: Barry's Water Street Pump e Just Arts Saloon. Ambos estavam localizados
em Walker's Point, uma área da cidade que Dahmer freqüentava. "Nós fomos o primeiro bar popular da vizinhança",
ele me conta sobre o Just Arts, aludindo à história de Walker's Point como o bairro gay da cidade. ... - Em uma cidade
e sub-distrito de propriedade dos jesuítas, Dahmer se destacou por causa da perversão sexual sancionada. "A maior
parte do que sabemos sobre os primeiros dias do hotel veio do boca-a-boca", diz Amy Schneider, gerente geral
assistente do embaixador. "Nós não saberíamos tanto quanto nós, se as pessoas não tivessem parado com histórias
e fotos." Aquelas lembranças do embaixador Os dias de glória, no entanto, apenas alimentaram o compromisso de
seus proprietários com o bairro que o rodeia. "Nosso dono é um graduado da Marquette", acrescenta Schneider,
referindo-se à universidade jesuíta de Milwaukee a poucas quadras a leste do hotel. "E

ele se apaixonou pelo bairro como estudante. Todo o seu sustento está encerrado em seu sucesso - em vários
prédios de apartamentos e outras propriedades da região. "Isso faz do Ambassador um pilar cada vez mais
importante na recuperação de Milwaukee do que um local assustador para fantasiados neste Halloween. Venha
tomar coquetéis, fique para o jantar, fique de olho no glamuroso morto-vivo no dia 31 de outubro e volte sabendo que
sua escolha está alimentando o renascimento do auge da cidade. [501] O que é preciso para dar uma feliz olhada no
assassinato, desmembramento e canibalismo? - O mesmo acontece com o Ambassador Hotel para obter publicidade
gratuita: uma conexão católica romana A apropriadamente chamada "Vice" (agora um conglomerado de mídia) foi co-
fundada pelo canadense Gavin Miles McInnes: um devoto católico romano e cavaleiro de Colombo. [502] Embora
McInnes e seus admiradores o considerem um "antigo ateu" e um novo convertido ao catolicismo, seu "público"
bacharel em artes de Concórdia também pode ser encontrado pelos jesuítas. A Concordia University (comumente
chamada de Concordia) é uma universidade pública abrangente localizada em Montreal, Quebec, Canadá.
[6] Fundada em 1974, após a fusão do Loyola College e da Sir George Williams University, a Concordia é uma das
três universidades do Quebec, onde o inglês é o principal idioma de instrução. A partir do ano acadêmico de 2014-
2015, havia 46.378 alunos matriculados em Concordia, tornando a universidade entre as maiores do Canadá por
matrícula. [7] [8] A universidade tem dois campi, situados a aproximadamente 7 quilômetros (4 milhas) de distância: o
Sir George Williams Campus é o campus principal no centro de Montreal, em uma área conhecida como Quartier
Concordia e Loyola Campus no distrito residencial de NotreDame-de-Grâce. [9] ~ Wikipedia [503] A fusão com
Concordia forneceu aos jesuítas mais um nome de escola pública para cobrir seus rastros.

Após o assassinato de Tuomi, Dahmer continuou a matar esporadicamente: mais dois assassinatos em 1988 e outro
no início de 1989, geralmente pegando suas vítimas em bares gays e fazendo sexo com eles antes de matá-los. Ele
manteve o crânio de uma de suas vítimas, Anthony Sears, até que ele foi pego. Em maio de 1990, ele saiu da casa
de sua avó pela última vez e entrou em um apartamento que mais tarde se tornou infame: apartamento janeiro 2009
capa da revista Vice. 213, 924 North 25th Street, Wikipedia Milwaukee. Dahmer aumentou o ritmo de seu
assassinato: mais quatro assassinatos antes do final de 1990, mais dois em fevereiro e abril de 1991, e outro em
maio de 1991. ~ Murderpedia [504] Dahmer continuou a ser habilitado pelas "autoridades" em que os americanos
confiam proteja-os. Particularmente perturbador foi o adolescente que quase se afastou do monstro, mas foi chutado
de volta para ele ... pela polícia. Nas primeiras horas da manhã de 27 de maio de 1991, Konerak Sinthasomphone, de
14 anos (o irmão mais novo do menino que Dahmer havia molestado em 1988), foi descoberto na rua, vagando nu,
fortemente sob a influência de drogas e sangrando de seu reto. Duas moças do bairro encontraram o menino
atordoado e ligaram para o 911. Dahmer perseguiu a vítima e tentou levá-lo embora, mas as mulheres o
detiveram. Dahmer disse a John Balcerzak e Joseph Gabrish, policiais enviados para o local, que Sinthasomphone
era seu namorado de 19 anos e que eles discutiam enquanto bebiam. Contra os protestos das duas mulheres que
ligaram para o 911, que o reconheceu do bairro e insistiu que ele era criança e não sabia falar inglês, os policiais o
entregaram a Dahmer. Mais tarde, eles relataram cheirar um cheiro estranho enquanto dentro

O apartamento de Dahmer, mas não investigou. O cheiro era o corpo de Tony Hughes, a vítima anterior de Dahmer,
se decompondo no quarto. Os policiais não fizeram qualquer tentativa de verificar a idade ou identidade de
Sinthasomphone, nem localizaram alguém que pudesse se comunicar com ele, e falharam em fazer uma checagem
de antecedentes que teria revelado Dahmer sendo um molestador de crianças condenado ainda sob
condicional. Mais tarde naquela noite, Dahmer matou e desmembrou Sinthasomphone, mantendo seu crânio como
lembrança. [505] Graças à ajuda recebida pelas autoridades, Dahmer poderia acelerar o passo enquanto tomava o
tempo para torturar suas vítimas. No verão de 1991, Dahmer estava assassinando aproximadamente uma pessoa
por semana. Ele matou Matt Turner em 30 de junho, Jeremiah Weinberger em 5 de julho, Oliver Lacy em 12 de julho
e, finalmente, Joseph Brandehoft em 19 de julho. Dahmer teve a idéia de que ele poderia transformar suas vítimas
em "zumbis" - parceiros sexuais completamente submissos, eternamente jovens e tentou fazê-lo fazendo furos em
seus crânios e injetando ácido clorídrico ou água fervente na área do lobo frontal de seus cérebros. uma seringa
grande, geralmente enquanto a vítima ainda estava viva. Outros moradores do complexo Oxford Apartments notaram
cheiros terríveis vindos do apartamento 213, bem como os golpes de objetos caindo e o zumbido ocasional de uma
motosserra. [506] Por fim, o reinado de terror de Jeffrey Dahmer chegou ao fim. Em 22 de julho de 1991, Dahmer
atraiu outro homem, Tracy Edwards, para sua casa. De acordo com a suposta vítima, Dahmer lutou com Edwards
para algemar, mas no final não conseguiu unir os pulsos. Empunhando uma grande faca de açougueiro, Dahmer
forçou Edwards a entrar no quarto, onde Edwards viu fotos de corpos mutilados na parede e notou o cheiro terrível
vindo de um grande barril azul; o barril foi preenchido com ácido potente que dissolveu corpos humanos para lodo
para eliminação através do banheiro do apartamento. Edwards deu um soco no rosto de Dahmer, chutou-o no
estômago, correu para a porta e escapou. Correndo pelas ruas com as algemas ainda penduradas em uma das
mãos, Edwards acenou para ajudar um carro da polícia dirigido por Robert Rauth e Rolf Mueller, do departamento de
polícia de Milwaukee. Edwards levou a polícia de volta Edwards deu um soco no rosto de Dahmer, chutou-o no
estômago, correu para a porta e escapou. Correndo pelas ruas com as algemas ainda penduradas em uma das
mãos, Edwards acenou para ajudar um carro da polícia dirigido por Robert Rauth e Rolf Mueller, do departamento de
polícia de Milwaukee. Edwards levou a polícia de volta Edwards deu um soco no rosto de Dahmer, chutou-o no
estômago, correu para a porta e escapou. Correndo pelas ruas com as algemas ainda penduradas em uma das
mãos, Edwards acenou para ajudar um carro da polícia dirigido por Robert Rauth e Rolf Mueller, do departamento de
polícia de Milwaukee. Edwards levou a polícia de volta

para o apartamento de Dahmer, onde Dahmer a princípio agiu amigavelmente com os oficiais. No entanto, Edwards
lembrou que a faca com que Dahmer o ameaçara estava no quarto. Quando um dos policiais checou o quarto, ele viu
as fotografias de corpos mutilados e pediu que seu parceiro prendesse Dahmer. Quando um oficial subjugou
Dahmer, o outro abriu a geladeira e encontrou uma cabeça humana. Outras buscas no apartamento revelaram mais
três cabeças decepadas, várias fotografias de vítimas e restos mortais assassinados, mãos e pênis decepados, e
fotografias de vítimas desmembradas e restos humanos em sua geladeira. ... Dahmer foi indiciado em 17 acusações
de homicídio, depois reduzido para 15. Dahmer não foi acusado na tentativa de assassinato de Edwards. Seu
julgamento começou em 30 de janeiro de 1992. Com provas esmagadoramente contra ele, Dahmer se declarou
inocente por motivo de insanidade. O julgamento durou duas semanas. [507] Quando Jeffrey Dahmer foi escoltado
para o tribunal, de cada lado dele estava a Companhia de Loyola. Processar Dahmer era um padre jesuíta. Sim, você
leu certo. Um dos serial killers mais notórios e hediondos da América "secular" foi processado por um padre
jesuíta. Frederick Tupper Saussy escreveu uma das melhores revelações sobre a subversão romana da
América; Governantes do Mal. Ele foi caçado e levado ao tribunal por acusações relacionadas a impostos. No
primeiro dia de orientação na Universidade do Sul, em Sewanee, Tennessee, sentei-me do outro lado da mesa do
meu orientador. Ele era um professor de botânica chamado Edmund Berkeley. O Dr. Berkeley estudou a guia na
minha pasta de arquivos como se fossem algumas espécies raras de folhas. De repente, seus olhos saltaram para o
meu rosto. Com dezoito anos de idade que eu era, engoli em seco e tentei sorrir. "Saussy", ele pensou
calmamente. "Bom nome huguenote." A palavra me impressionou. "Huguenote?"

"Saussy é um nome francês", ele lecionou. "Sewanee é uma universidade protestante. Seu pessoal deve ter sido
huguenote." Eu silenciosamente perdoei meu pai por nunca ter me dito que nosso nome era francês e que nossos
ancestrais poderiam ter sido chamados de "huguenotes". "O que exatamente são os huguenotes?" Eu
perguntei. "Protestantes franceses", declarou meu orientador. "Massacrados por soldados ordenados por Catherine
d'Medici em conluio com os jesuítas. Os sobreviventes foram exilados. Alguns estabelecidos na Inglaterra, outros na
Prússia. Alguns vieram para a América, como seu povo obviamente fez." ... Nunca tive ocasião de pensar em minha
conversa com Edmund Berkeley até uns trinta anos depois, em agosto de 1984, durante um breve mas revelador
encontro com um advogado assistente dos Estados Unidos, chamado John MacCoon. Estávamos a poucos passos
de distância no corredor de mármore do lado de fora de um tribunal federal em Chattanooga, esperando que a
sessão da manhã fosse marcada. Eu estava em pauta, programado para ser processado sob a acusação de falha
intencional de apresentar declarações de imposto de renda para os anos de 1977, 1978 e 1979. Eu não tinha dúvidas
de que as acusações seriam retiradas. O estatuto em que eu supostamente tinha entrado em conflito se aplicava a
pessoas "obrigadas" a apresentar devoluções. No entanto, eu possuía uma carta assinada pelo Diretor Distrital do
IRS afirmando que uma pesquisa diligente de arquivos do IRS não havia divulgado qualquer passivo fiscal em meu
nome por esses anos. Pessoas que não têm responsabilidade tributária não são obrigadas a apresentar
devoluções. Por que eu estava lá? A voz estrondosa de um amigo advogado quebrou minha concentração. "Tupper",
ele disse, guiando-me até John MacCoon, "você conheceu seu promotor?" Ele nos apresentou de maneira jovial e
depois correu para um bando de outros litigantes. MacCoon e eu apertamos as mãos. "John", eu perguntei, sentindo
a necessidade de fazer conversa fiada, "você é de Chattanooga?"

"Não", ele respondeu, "eu vim de Washington". Algo dentro me disse para pressionar. "Então você é originalmente de
Washington?" "Não, originalmente eu sou de New Orleans." "Eu tenho muitos primos em Nova Orleans", eu sorri. Ele
parecia ficar um pouco nervoso. "Bem, o nome Saussy não é desconhecido lá", disse ele. "Uma das minhas primas
favoritas mora em Nova Orleans", eu disse, e batizei com a minha prima. "Ele é seu primo? Ora, ele e eu fomos
ordenados juntos." "Ordenado?" Eu perguntei. "Meu primo é um padre jesuíta. Você é jesuíta?" "Sim", disse meu
promotor, agora visivelmente agitado. "Você sabe, eu poderia ter que me recusar ..." "Eu tenho uma idéia melhor,
abandone as acusações." "Oh não, eu não poderia fazer isso." O diálogo terminou subitamente com o rouco rouco de
um oficial de justiça anunciando que o tribunal estava agora em sessão. Então John MacCoon era um jesuíta! A
mídia, alimentada por seus escritórios, já havia me rotulado de "manifestante de impostos". O que estava
acontecendo? Os jesuítas perseguiram os protestantes de novo? [508] Uma "festa" jesuíta semelhante foi realizada
repetidamente durante o julgamento, prisão e libertação de Kent "Dr. Dino" Hovind. Um Contador Público Certificado,
educado pelos jesuítas da High School e College, chamado Peter J. Reilly, cobriu a história da Hovind com repetidas
colunas para a revista Forbes. O que estava acontecendo? Os jesuítas perseguiram os protestantes de novo? [508]
Uma "festa" jesuíta semelhante foi realizada repetidamente durante o julgamento, prisão e libertação de Kent "Dr.
Dino" Hovind. Um Contador Público Certificado, educado pelos jesuítas da High School e College, chamado Peter J.
Reilly, cobriu a história da Hovind com repetidas colunas para a revista Forbes. O que estava acontecendo? Os
jesuítas perseguiram os protestantes de novo? [508] Uma "festa" jesuíta semelhante foi realizada repetidamente
durante o julgamento, prisão e libertação de Kent "Dr. Dino" Hovind. Um Contador Público Certificado, educado pelos
jesuítas da High School e College, chamado Peter J. Reilly, cobriu a história da Hovind com repetidas colunas para a
revista Forbes.

[lxv]

Saussy não só foi alvejado e processado por um padre jesuíta, como também foi designado especificamente para
essa tarefa da "capital" da nação - Washington, DC.

Saussy não diz nada sobre como ele entrou em problemas fiscais com o governo dos Estados Unidos, mas ele pode
ter sido aprisionado por uma tática de "Inteligência" de liberar possíveis inimigos. As leis tributárias são
propositadamente tão complexas que exigem um especialista para eliminar as ervas daninhas. Cidadãos insatisfeitos
com seu governo são constantemente instados por agentes subversivos a se recusarem a pagar seus
impostos. Quando se expõem, a força total do governo "federal" cai sobre eles. Em casos especiais como o de
Tupper Saussy, um jesuíta lidera a acusação. É então que os cidadãos descobrem tarde demais que foram levados a
pensar que podem travar uma batalha invencível. Poucas acusações são mais poderosas em relação ao controle
encoberto dos Estados Unidos da América por Roma do que como os padres jesuítas julgam crimes contra o
governo. Defendendo o canibal homossexual homossexual estava o advogado de Milwaukee Gerald Boyle. Boyle
continuaria a fazer seu nome após o caso de alto nível com clientes como o jogador de futebol profissional Mark
Chmura, do Green Bay Packers. Boyle conseguiu que Chmura fosse absolvida das acusações de molestar um
adolescente em uma festa de formatura. Boyle adicionou policiais corruptos à sua lista de clientes ricos de elite e
assassinos em série canibais. Ele defendeu John Maloney, um detetive de Green Bay condenado por matar sua
esposa e atear fogo em seu corpo. ... Em anos mais recentes, Boyle representou um policial de Milwaukee demitido
no caso de Frank Jude, o ex-chefe do sindicato da polícia de Milwaukee acusado de falsificação, um psicoterapeuta
encarregado de ter um relacionamento sexual com um paciente e um advogado de Kenosha. acusado de lavagem de
dinheiro. ~ The Milwaukee Journal Sentinel [509] Reclamações freqüentes foram feitas contra Boyle e sua filha
Bridget Boyle (também advogada) por "maltratar" os fundos dos clientes ou por incompetência negligente. O OLR
[Departamento de Advogado de Wisconsin] solicitou uma suspensão de seis meses da licença legal de Boyle, mas o
árbitro que ouviu o caso,

Hannah Dugan, recomendou a suspensão de 60 dias, que Boyle recorreu. Em vez de aceitar a suspensão de 2
meses para suas atividades criminosas (que é provavelmente o tempo que Boyle tira férias), ele arrogantemente
entupiu o sistema de justiça de Wisconsin com recursos que foram obedientemente passados para a Suprema Corte
de Wisconsin. Como um advogado de Milwaukee avalia tal deferência? - Ele é católico romano treinado por
jesuítas. Na verdade, quando os atletas de Marquette forçaram duas garotas calouras a serem escravas sexuais na
noite de Halloween em 2010, os jesuítas procuraram seu ex-aluno, Gerry Boyle, para cobri-los na "reunião
administrativa" que abordava o "acidente" [511]. Nenhuma acusação foi arquivada. Infelizmente para Jeffrey Dahmer,
Gerry Boyle não estava no seu jogo para o julgamento. - Não que a vida dele estivesse em jogo. Quando os Estados
controlados pela esquerda radical aboliram a pena de morte nos anos 60, os jesuítas de Wisconsin estavam à frente
deles por mais de um século. Dahmer foi indiciado em 17 acusações de homicídio, depois reduzido para 15. Dahmer
não foi acusado na tentativa de assassinato de [Tracy] Edwards. Seu julgamento começou em 30 de janeiro de 1992.
Com provas esmagadoramente contra ele, Dahmer se declarou inocente por motivo de insanidade. O julgamento
durou duas semanas. O tribunal achou Dahmer são e culpado em 15 acusações de assassinato e sentenciou-o a 15
penas de prisão perpétua, totalizando 957 anos de prisão, que era a penalidade máxima disponível quando
Wisconsin aboliu a pena capital em 1853. Murderpedia [512] verdadeiramente ser rotulado "jesuítico", a Igreja
Católica ensina que a execução não é aceitável como uma forma de punição (apesar da evidência bíblica tanto no
Antigo como no Novo Testamento em contrário). Isso é ridiculamente rotulado de "Pró-vida"; o equacionamento de

assassinos em série canibais com bebês não nascidos. Até mesmo o promotor de padre jesuíta de Dahmer estava
de acordo. Sua "jurisprudência" foi usada para reforçar um "protesto" da polícia e dos promotores de Nebraska contra
a pena de morte do estado em 2016. A Legislatura de Nebraska proibiu a pena capital em 2015, enfurecendo os
nebraskanos. Eles reverteram a decisão por referendo no ano seguinte [513] fazendo com que as autoridades
jurassem protegê-los para "protestar" em nome dos criminosos em busca de vitimização. ... um grupo de profissionais
da polícia, ex-policiais e atuais, promotores, agentes penitenciários e juízes, ... divulgaram uma série de declarações
condenando a pena de morte de Nebraska. ... pe. Greg O'Meara, professor de direito da Creighton University que
processou Jeffrey Dahmer, explica: " A maioria das pessoas cometem assassinatos em um ataque de paixão, eles o
fazem rapidamente sem pensar sobre isso, e eles não acham que vão ser pegos. E como eles não acham que vão
ser pegos, não se preocuparão com a penalidade. ”~ Death Penalty News [514] Omaha, Nebraska foi o epicentro de
um escândalo de tráfico sexual infantil nos anos 80 e 90 em que muitos policiais, promotores e juízes estavam
participando infratores talvez assim que foi em sua mente em 2016. Mais sobre isso no capítulo 21. Fr. Greg
O'Meara, que foi nomeado reitor da comunidade jesuíta da Universidade de Creighton, é considerado uma autoridade
final em Wisconsin ou Nebraska quando se trata de lei americana.O Pe. O'Meara foi ordenado em 2002 e lecionou na
Marquette University Law School em Milwaukee desde aquela época. Ele foi concedido mandato e nomeado
professor associado de direito em 2010. Ele foi premiado com o Prêmio Faculdade James D. Ghiardi para o Ensino
de Excelência em três ocasiões diferentes. Sua pesquisa centra-se nos fundamentos filosóficos da interpretação
jurídica. Pe. A experiência jurídica de O'Meara também inclui servir como assistente de promotoria no condado de
Milwaukee e lecionar na Universidade de

Escola de Direito de Wisconsin. Enquanto servindo como reitor, ele também ensinará na Faculdade de Direito da
Universidade Creighton. ~ Jesuits.org [515] Enquanto na prisão, Dahmer supostamente aceitou Jesus Cristo como
seu Salvador Nascido Novamente e foi posteriormente batizado pelo pregador local Roy Ratcliff. Ele não teve tempo
para cumprir suas 15 sentenças perpétuas. Pouco depois de entregar seu coração ao Senhor, o companheiro
Christopher Scarver tirou sua vida. Dahmer morreu em 28 de novembro de 1994, na segunda-feira após o fim de
semana do Dia de Ação de Graças. Jeffrey Dahmer torturou, estuprou e matou 17 homens e meninos por contagem
"oficial", o que significa que o número final era muito maior. Do começo ao fim, ele foi cuidadosamente manipulado
pela "Companhia de Jesus" como uma arma inteligente parasitária de dor e caos voltada diretamente para o povo
americano. Neste escrito, um filme está programado para ser lançado mais ou menos na mesma época que este
livro, comemorando a história "triste, engraçada" do homem que perfurou os lobos frontais de suas vítimas (graças a
esse treinamento médico do Exército) a "zombify" deles para abuso sexual eterno. My Friend Dahmer ... Escrito e
dirigido por Marc Meyers, o filme é baseado na novela gráfica de não-ficção de Derf Backderf com o mesmo nome,
na qual o autor relembra sua amizade no colegial com "Jeff" Dahmer, que continuaria a matar 17 homens entre 1978
e 1991. "É a história antes da história que todos conhecemos", diz o diretor Meyers, que filmou parte do filme na casa
onde Dahmer cresceu. "O livro é esse olhar assombrado, triste, engraçado, verdadeiro nos anos de colegial de
Jeffrey Dahmer, crescendo nos subúrbios de Akron, Ohio, em meados dos anos 70 - e é exatamente isso que este
filme se tornou. Eu passei por uma exaustiva busca para encontrar um ator que eu acreditasse que poderia fazer o
papel de Jeff Dahmer como um garoto do ensino médio. Eu devo ter encontrado mais de 80 atores para os dois
principais papéis adolescentes. Eu só prendi Ross quando o conheci. Eu senti que ele tinha a versatilidade como ator
e o visual. Eu achei emocionante que ele estivesse terminando sua carreira como protagonista de um show da
Disney e fosse o protagonista de sua franquia Teen Beach Movie - mas ele parece o Jeff! E então, mais ainda,
quando você coloca alguns óculos nele. "~ MySpace [516] Eu passei por uma exaustiva busca para encontrar um
ator que eu acreditasse que poderia fazer o papel de Jeff Dahmer como um garoto do ensino médio. Eu devo ter
encontrado mais de 80 atores para os dois principais papéis adolescentes. Eu só prendi Ross quando o conheci. Eu
senti que ele tinha a versatilidade como ator e o visual. Eu achei emocionante que ele estivesse terminando sua
carreira como protagonista de um show da Disney e fosse o protagonista de sua franquia Teen Beach Movie - mas
ele parece o Jeff! E então, mais ainda, quando você coloca alguns óculos nele. "~ MySpace [516] Eu passei por uma
exaustiva busca para encontrar um ator que eu acreditasse que poderia fazer o papel de Jeff Dahmer como um
garoto do ensino médio. Eu devo ter encontrado mais de 80 atores para os dois principais papéis adolescentes. Eu
só prendi Ross quando o conheci. Eu senti que ele tinha a versatilidade como ator e o visual. Eu achei emocionante
que ele estivesse terminando sua carreira como protagonista de um show da Disney e fosse o protagonista de sua
franquia Teen Beach Movie - mas ele parece o Jeff! E então, mais ainda, quando você coloca alguns óculos nele. "~
MySpace [516] Eu achei emocionante que ele estivesse terminando sua carreira como protagonista de um show da
Disney e fosse o protagonista de sua franquia Teen Beach Movie - mas ele parece o Jeff! E então, mais ainda,
quando você coloca alguns óculos nele. "~ MySpace [516] Eu achei emocionante que ele estivesse terminando sua
carreira como protagonista de um show da Disney e fosse o protagonista de sua franquia Teen Beach Movie - mas
ele parece o Jeff! E então, mais ainda, quando você coloca alguns óculos nele. "~ MySpace [516]

É claro que apenas um adolescente da Disney poderia fazer justiça às lembranças engraçadas de "Derf Backderf" de
Jeffrey Dahmer.
Capítulo 13

Pedófilos Prove Guerra é inútil

Novembro de 1978: A Polícia Metropolitana de Londres invade a casa do pedófilo do diplomata e do agente da
inteligência Sir Peter Telford Hayman. O Daily Mail informou que a polícia encontrou "um enorme tesouro de pedofilia
revoltante e outras pornografias extremas". Na melhor forma de "pesquisa" de Kinsey, eles também descobriram
"Entre uma biblioteca de 45 diários substanciais em que Sir Peter registrou em detalhes suas experiências sexuais ...
incluindo sexo com menores". [517] Ele foi libertado da custódia da Polícia com um aviso".

A guerra entre estados-nação é tão desnecessária quanto devastadora para o cidadão comum. Capítulo 4 Guerra:
Para que serve bem? A guerra moderna entre estados-nação é uma empresa totalmente fabricada pela Elite
Luciferiana para três propósitos gerais: I. Fazer quantias obscenas de dinheiro. II. Para abater os plebeus e abater os
"comedores inúteis283". III Para punir os inimigos de Roma. Inimigos foram criados e crises foram planejadas para
motivar as populações a desistir de seus direitos e fazer sacrifícios drásticos para a Elite que normalmente não
fariam. Os bons americanos agradecem a um soldado sem pernas por desdobramentos intermináveis na "Guerra ao
Terror" para "proteger nossas liberdades" enquanto seguram suas mãos para serem humilhadas por um scanner de
corpo nu no aeroporto. - E é tudo por design.

Pedocracia da Simulação do Diabo tem que "Inteligência". Isto explica a existência protegida do diplomata
estrangeiro e do agente da Inteligência Sir Peter Telford Hayman, da KCMG, CVO, MBE (1914 1992). A vida de Sir
Peter Hayman era uma decorada com siglas dignas e associações exclusivas. Na época em que se aposentou do
"Diplomatic", o ex-oficial da Brigada de Fuzileiros de Stowe e Oxford tinha sido um mandarim do Ministério do Interior
e do Exterior, trabalhando em estreita colaboração com os serviços de inteligência no auge da Guerra Fria. ele era
uma figura sênior no MI6. Sua postagem final foi como Alto Comissário do Canadá. Como resultado desses
trabalhos, ele foi nomeado Cavaleiro Comandante da Ordem de São Miguel e São Jorge (KCMG), Comandante da
Royal Victorian Order (CVO) e um MBE. De folga ele também pertencia ao MCC [Marylebone Cricket Club -
proprietário do local de críquete Lord's Ground em St. John's Wood, Londres e o guardião das Leis do jogo] e o clube
de membros privados do Exército e da Marinha ( O pano). Como Sir Peter, ambos eram pilares do antigo
estabelecimento de gravata de Londres. No entanto, diferentemente da MCC, não havia gravata distintiva no terceiro
"clube" mais discreto de Sir Peter, ao qual ele parece ter dedicado a maior parte da energia e despesas físicas como
pensionista recém retornado de funções pós-coloniais em Ottawa. Seu número de membro era "330" e essa
organização de indivíduos com mentes semelhantes, se não douradas, era chamada de Intercâmbio de Informações
Pedófilas. ~ The Daily Mail [519] O "Intercâmbio de Informações sobre Pedofilia" é a versão inglesa da "North
American Man / Boy Love Association": promover abertamente a Pedocracia em público. Ambos são um testemunho
do poder da Simulação do Diabo, mas "TORTA" supostamente dissolvida após 10 anos, de 1974 a 1984.

O número de filiação ao PIE de Peter Hayman, "330", implica uma conexão maçônica que intuitivamente se encaixa
em sua posição. Hayman estava vivendo uma vida de mentiras, tanto como participante da rede de pedofilia da
Simulação do Diabo quanto como "espião". Para a elite luciferiana controlada pelos jesuítas, o verdadeiro propósito
da espionagem era assegurar que as supostas "nações inimigas" sempre permanecessem em antagonismo e de
igual ameaça umas às outras (pelo menos até a percepção pública). Neste sistema, os maçons são os defensores da
mentira-perpetuação. Ironicamente, porque "Sir Peter" estava vivendo uma vida de mentiras e identidades
assumidas, as autoridades não sabiam que era ele quando eles conduziram sua invasão ... caso contrário eles não
teriam. TORTA apoiou e encorajou relações sexuais ilegais entre adultos e crianças. Em outras palavras, abuso
infantil. Sir Peter viveu com sua esposa de 40 anos em uma linda casa em South Oxfordshire, onde, em uma
existência paralela, ele foi vice-presidente da Associação Conservadora. Ele atuou como assistente do guarda da
igreja e abriu a festa local. Todos ali achavam que ele era maravilhoso. Quem deveria saber o contrário? Isso porque
sua literatura oficial da TORTA e sua correspondência gráfica com colegas pedófilos eram por necessidade esquálida
enviada a um apartamento no número 95 da Linden Gardens, em Notting Hill Gate, Londres, a cerca de 80
quilômetros de distância. O ex-diplomata alugou-o para esse fim - além de relações extraconjugais sexuais - sob o
nome de Peter Henderson. O fato de o apartamento estar quase do outro lado da estrada da embaixada soviética era
simplesmente uma ironia. ... - Não, mostrou a posição importante de Peter Hayman em um jogo completamente
manipulado pela Elite Luciferiana. - Então Sir Peter cometeu um erro. Ele deixou um pacote de material pedófilo em
um envelope em um ônibus de Londres. Foi endereçado ao Sr. Henderson no Linden Gardens em Notting Hill. Um
passageiro estava curioso. O pacote chegou à posse da polícia.
Logo depois, em novembro de 1978, eles invadiram o apartamento de Linden Gardens. O que encontraram foi uma
enorme quantidade de pedofilia revoltante e outra pornografia extrema. Entre eles, havia uma biblioteca de 45 diários
substanciais em que Sir Peter registrara em detalhes suas experiências sexuais ... incluindo o sexo com menores de
idade. [520] Mais detalhes provaram que "Sir Peter" estava ligado tanto ao abuso de crianças quanto à perpetuação
da Guerra Fria. Houve também substancial correspondência com outros membros do PIE - 111 páginas em um
exemplo - em que eles compartilhavam seus desejos secretos e outros materiais pedófilos gráficos. Mais tarde, a
polícia descobriu que dois dos cerca de uma dezena de pedófilos no círculo epistolar de Sir Peter estavam
escrevendo um para o outro sobre ... tortura sexual extrema e assassinato de crianças. Até mesmo os policiais
endurecidos do Esquadrão de Publicações Obscenas ficaram "revoltados" com o saque dos Linden
Gardens. Quando foi entrevistado, Sir Peter - um homem que havia sido vice-comandante da zona britânica em
Berlim e mais tarde foi encarregado de arrancar uma faixa do embaixador soviético em Londres depois que Moscou
esmagou a primavera de Praga de 1968 - desmoronou e chorou.

Sir Peter Hayman, KCMG, CVO, MBE e Lady Hayman, (Rosemary Eardley-Blomefield)

Mais uma vez, "por coincidência" Peter Hayman trabalhou em Berlim, em estreita proximidade com os soviéticos
durante a Primavera de Praga. Cidadãos checos desesperados por liberdade foram massacrados por tanques
soviéticos e artilharia. Os sobreviventes foram estuprados, brutalizados e posteriormente escravizados, e a resposta
britânica foi que o pedófilo Peter Hayman "rasgasse uma tira" do embaixador soviético? A realidade é muito pior. Os
crimes de guerra cometidos pela União Soviética em 1968 foram cuidadosamente planejados pela CIA e pelo
MI6; tudo sendo coordenado pelos jesuítas em Inteligência e pela Elite Luciferiana em Roma para manter a Guerra
Fria quente. Um jogo chocante de traição foi jogado repetidamente em patriotas oprimidos em todo o mundo. De
novo e de novo, a Inteligência Ocidental implorou aos bons cidadãos que se revoltassem contra seus brutais
opressores comunistas; prometendo imediatamente intervir com ajuda e apoio. Cada vez que os patriotas eram
levados a agir, o tapete era puxado por debaixo deles. Eles não receberam nada do apoio prometido e, tarde demais,
perceberam que todas as suas ações foram expostas a seus captores. Cada vez, eles foram recebidos com uma
esmagadora resposta comunista enquanto o Ocidente fechava os olhos, tanto os governos quanto a mídia. Hungria:
1956 Baía dos Porcos, Cuba: 1961 Praga, Tchecoslováquia: 1968 Para ter absoluta certeza de que a armadura
soviética tinha o tempo necessário para abater o maior número possível de Patriotas húngaros, Eisenhower tinha seu
embaixador nas Nações Unidas, Adlai Ewing Stevenson II , atrasar qualquer possível intervenção da ONU.472 O
mesmo cenário se repetiu 12 anos depois na Checoslováquia. Depois de colocar Patriots checos em ação para a
"Primavera de Praga" de 1968, toda a inteligência ocidental não só ficou em silêncio, ficou às escuras. ... 27 divisões
de russos, poloneses, húngaros e búlgaros soviéticos - cerca de 300.000 homens, armados com 2.000 canhões
pesados -

marchou para o pequeno estado da Tchecoslováquia para acabar com a experiência do "socialismo com uma face
humana". Foi a maior operação militar desde a Segunda Guerra Mundial ... Durante meses, os olhos do mundo
estiveram em Praga, onde um grupo de oficiais em torno do chefe do Partido Comunista, Alexander Dubcek, desafiou
os soviéticos com novos direitos civis para a Tchecoslováquia, novos liberdades de imprensa e planos de
privatização. Leonid Brezhnev, secretário-geral do Partido Comunista da URSS, ordenou uma série de manobras
militares ameaçadoras na Tchecoslováquia e nos arredores, a partir de maio. Mas quando as manobras cresceram,
os governos americano, britânico e alemão pareciam olhar para o outro lado, a julgar pelos documentos do arquivo
da OTAN em Bruxelas, bem como pelos arquivos de inteligência vistos pela Spiegel. "Nenhuma avaliação
única" Conseguiu prever a invasão soviética de Praga, de acordo com o Comitê Militar da OTAN, a mais alta
autoridade militar da aliança. A mídia ocidental lançou a ridícula idéia de que - apesar dos líderes ocidentais
receberem diariamente (provavelmente de hora em hora) resumos na Tchecoslováquia - uma força de invasão
soviética da Segunda Guerra Mundial estava simplesmente "perdida" pelos esforços combinados das operações de
inteligência aliadas. Sete anos antes, em 1961, uma traição semelhante foi conduzida nos Patriotas de Cuba. Esses
exilados cubanos, no entanto, tiveram interação direta com a CIA em seu treinamento, organização, equipamento e
transporte. Eles receberam tudo, exceto o que mais precisavam; um vôo de 6 A26 Invaders como apoio aéreo.

Geoffrey Arthur Prime é outro excelente exemplo de como este jogo é jogado. Prime era o "pedófilo" no GCHQ (Sede
de Comunicações do Governo) que alimentou os segredos soviéticos durante 20 anos, durante os anos 60 e 70. Em
10 de novembro de 1982, Prime se declarou culpado de sete acusações de espionagem e três acusações de crimes
sexuais contra crianças. Suas ofensas sexuais incluíram agredir indecentemente três garotas entre 11 e 14 anos. [20]
[21] Ele foi condenado por Lord Lane, o Lord Chief Justice, a um total de 38 anos, 35 por crimes sob a seção 1 da Lei
Secrets Oficial de 1911 [22] e três por suas ofensas sexuais. [21] [...] A mídia britânica foi impedida de fazer
reportagens sobre o caso Prime até depois de seu julgamento, um julgamento que foi conduzido em sessão secreta.
[3] ... Prime foi libertado do HM Prison Rochester em março de 2001, depois de cumprir metade de sua sentença ... ~
Wikipedia [522] Prime também foi um membro de "PIE" Ele foi libertado em 2014 depois de cumprir metade de sua
sentença por causar bilhões em danos aos cidadãos do mundo através de seu trabalho para prolongar a Guerra Fria
, incluindo uma sentença escandalosamente leve de 3 anos por estuprar garotas de até 11 anos. A Prime foi
colocada de volta em circulação - em benefícios do governo, não menos. Agora libertado da prisão e vivendo de
benefícios perto de um centro infantil, Geoffrey Prime foi o traidor cujo trabalho para a KGB veio à tona em 1982,
quando a polícia investigou seus terríveis e prolongados ataques sexuais contra meninas de até 11 anos. Sua
contraparte no FBI era o agente especial Robert Philip Hanssen: devoto católico romano e membro do Opus
Dei. Hanssen ajudou a manter a ameaça soviética vibrante contra a doença debilitante do comunismo gerada por
jesuítas com segredos que ele lhes deu por mais de duas décadas. Embora Roma coloque cuidadosamente "judeus
da corte papal" em posições de alta visibilidade, mas baixa influência (como o controle de Hollywood), o poder real no
governo, nas forças armadas e na inteligência, vai para aqueles que lhe são leais. Da Guerra Fria à "Guerra Global
ao Terror", seus agentes católicos asseguram que seus

as mentiras levam à tragédia para os cidadãos de todos os lugares. Em 2014, o consórcio noticioso católico
"Tabernáculo Aberto" advertiu que a influência do Opus Dei havia tomado o Vaticano. Esse giro pode ajudar a manter
católicos conservadores (ou, a julgar pela "vasta conspiração direitista" da peça, os liberais) na fazenda, mas a
verdade é que eles são simplesmente soldados leais a Roma. "É amplamente sabido que os juízes da Suprema
Corte Antonin Scalia, Samuel Alito e Clarence Thomas pertencem ao Opus Dei e que o presidente do Supremo
Tribunal John Roberts também pode ser um membro", afirmou Matthew Fox, ex-padre, teólogo progressista e autor
de mais de 23 livros. "Eles estão na CIA, o FBI", disse Fox. "Daniel Ellsberg recentemente me disse que alguns dos
comandantes do ranking de nossos militares são também o Opus Dei" Fox afirmou em outra entrevista. O veterano
repórter investigativo Seymour Hersh fez uma observação semelhante. "Hersh declarou que o general Stanley
McChrystal, o vice-almirante William McRaven e outros membros do Comando de Operações Especiais Conjuntas (o
grupo responsável pelo assassinato de Osama Bin Laden) eram membros dos Cavaleiros de Malta e do Opus Dei.
eram membros da equipe insurgente do Vaticano que dirigia a Operação Psicológica do "assassinato" de Osama bin
Laden - Hersh acrescentou que os membros dessas sociedades desenvolveram um conjunto secreto de insígnias
que representam "toda a noção de que se trata de uma guerra cultural". entre religiões. ”O New York Times observou
em 2012 que a escola preparatória de um menino da Opus Dei“ se tornou a escola popular para um pequeno grupo
de moradores de Washington ”: Rick Santorum; lobista e ex-EUA Senador (R-FL), Mel Martinez; Seita. de defesa
Chuck Hagel; o infame espião do FBI e chefe do Opus Dei Robert Hanssen, ex-diretor do FBI Louis J. Freeh; Maggie
Gallagher, fundadora da NOM e Kate O'Beirne, editora da National Review. Fox disse que Santorum e Newt Gingrich
são membros, mas isso não garante o apoio do Opus Dei / Igreja Católica. Estes

organizações apoiarão qualquer candidato republicano que tenha a melhor chance de ganhar, independentemente de
sua afiliação religiosa. É por isso que o endosso de cinco ex-embaixadores americanos ao Vaticano de Mitt Romney
no início de janeiro de 2012, antes das primárias, sinalizou que "muito dinheiro" já havia escolhido o candidato
presidencial do Partido Republicano. - Fascinar que Roma deveria endossar um mórmon, a menos que se conheça
as raízes maçônicas do mormonismo e o controle jesuíta da Maçonaria. Menos ainda, para entender que a "eleição"
estava na mala de qualquer forma, dado o abuso infantil de Barack Obama, o passado da CIA e o treinamento do
jesuíta Greg Galluzzo em Chicago. [524] - Robert P. George, professor da Universidade de Princeton, intimamente
associado ao Opus Dei, mudou o panorama da política dos EUA. Neocon politico Deal Hudson afirmou que " Sir
Peter recebeu uma vida terrena de poder e reputação ... ênfase em "Terrestre". Para a ira e a descrença do
Esquadrão de Publicações Obscenas, ele foi liberado com cautela. Os motivos para essa decisão certamente
parecem extraordinários aos olhos contemporâneos. O Diretor do Ministério Público considerou que, como o material
pedófilo enviado pelo correio por Sir Peter e seus amigos não tinha sido "não solicitado" nem negociado com fins
lucrativos, não havia ocorrido nenhum delito digno de processo. O resultado? Salvar entre alguns oficiais na Scotland
Yard, Sir Peter's O Diretor do Ministério Público considerou que, como o material pedófilo enviado pelo correio por Sir
Peter e seus amigos não tinha sido "não solicitado" nem negociado com fins lucrativos, não havia ocorrido nenhum
delito digno de processo. O resultado? Salvar entre alguns oficiais na Scotland Yard, Sir Peter's O Diretor do
Ministério Público considerou que, como o material pedófilo enviado pelo correio por Sir Peter e seus amigos não
tinha sido "não solicitado" nem negociado com fins lucrativos, não havia ocorrido nenhum delito digno de processo. O
resultado? Salvar entre alguns oficiais na Scotland Yard, Sir Peter's
a reputação permaneceu intacta ... até sua morte em 1992 ... O caso Hayman voltou aos holofotes nesta semana,
com David Cameron ordenando uma investigação sobre um suposto encobrimento de um anel de pedofilia VIP que
incluía figuras importantes em Westminster e Whitehall. . [com apenas um punhado de investigadores em uma
conspiração maciça] - Os resultados da "investigação de Cameron" podem ser ilustrados pelo fato de que ninguém
sequer sabia que a família bancária Elitist [526] ordenou isso em primeiro lugar. - O assunto foi levantado pelo MP
Simon Danczuk, e centra-se num dossiê de alegações de sexo infantil envolvendo altos funcionários do
establishment, que foi entregue ao então Secretário do Interior, Leon Brittan, pelo deputado Tory Geoffrey Dickens
em novembro de 1983. [Então o Secretário do Interior] Lord [Leon] Brittan diz que ele passou os documentos para os
funcionários de Whitehall. Mas nenhuma ação foi tomada e o Ministério do Interior admitiu que o dossiê de Dickens
foi posteriormente destruído. ~ Daily Mail [527] Os críticos afirmam que a lei finalmente alcançou Sir Peter em 1984,
mas ele foi "condenado" por "indecência grosseira" em um banheiro público, não estuprando garotos de até 11 anos.
[528] A mídia britânica evita cuidadosamente o que a "convicção" equivalia, mas o estatuto nebuloso deixa a
sentença até a corte e Sir Peter Telford Hayman KCMG, CVO, MBE, escapou da punição por seus crimes. Os
membros da Simulação do Diabo nunca podem incluir alguém que sinceramente mantenha valores e ética de
direita. A esquerda, com seus dogmas do hedonismo e a subversão do indivíduo em favor da autoridade, é onde a
Pedocracia prospera. No entanto, os cidadãos (especialmente os "cidadãos do cinturão da Bíblia") exigem que eles
sejam representados. Quase sempre, a Pedocracia é capaz de inserir fraudes que falam um bom jogo e não
entregam nada de substância. De vez em quando, um "conservador [lxviii]" sincero é capaz de se acotovelar para
causar uma onda ou duas antes de ser desligado ou anulado.

Tal homem era Geoffrey Dickens. Geoffrey Kenneth Dickens foi um pugilista de sucesso (40 vitórias de 60 lutas)
transformado em ministro britânico do Parlamento para Huddersfield West a partir de 1979. Seu assento, no entanto,
foi abolido em 1983. Milagrosamente, Dickens foi eleito para representar Littleborough e Saddleworth. e foi capaz de
manter o distrito até sua morte em 1995, na relativamente jovem idade de 64 anos. Dickens foi satirizado pela mídia
britânica como um caipira "colorido" país, mas ter sido criado em um orfanato deu-lhe um coração para crianças
aparentemente não compartilhada por editores ou colegas deputados. O fundador da Pedophile Information
Exchange foi Thomas Victor O'Carroll. O'Carroll interessantemente detém dupla cidadania na Grã-Bretanha e na
Irlanda. Isso certamente veio a calhar para suas atividades, talvez especialmente para a Igreja Católica. O'Carroll
teve várias visitas ao tribunal, mas, não surpreendentemente, passou pouco tempo na cadeia. Durante um dos seus
julgamentos, as façanhas de Sir Peter Hayman foram divulgadas. A inação resultante do sistema da Justiça inglesa
teve pelo menos um membro do parlamento armado. .. enquanto Hayman foi aludido no tribunal, sua identidade
ainda estava protegida. Parecia que o "encobrimento" havia sido bem sucedido. Dickens ficou indignado e deu um
passo radical. Ele usou o privilégio parlamentar, que oferece proteção legal contra difamação, para nomear Hayman
em questões para o então Procurador Geral, Sir Michael Havers. Ele exigiu ainda que Hayman fosse processado e
perguntou: "Como um potencial risco de chantagem passou a ocupar cargos altamente sensíveis no MoD e na
OTAN?" ~ O Daily Mail [529] Talvez Sir Peter Telford Hayman, KCMG, CVO, MBE, era um mimado, protegido,
pedófilo porque não era apenas um "agente da inteligência" humilde no Serviço Secreto Britânico (como
caracterizado por jornais como o Telegraph [530]); ele era o chefe do MI6. [531]

A informação Dickens tinha ligado a escravidão sexual infantil à comunidade de Inteligência e, finalmente, à infame
Elm Guest House (que será discutida em profundidade, no Capítulo 15). Em 1984, ele fez campanha pela proibição
da organização de troca de informações sobre pedofilia (PIE) de Sir Peter. Ele também entregou um dossiê contendo
alegações de abuso de crianças sob cuidado da autoridade local ao então Secretário do Interior, Leon Brittan. Depois
de uma reunião de 30 minutos com Sir Leon, Dickens disse que ele foi "encorajado", mas depois expressou
preocupação de que o ministro não tenha proibido a TORTA. No mês passado, a Polícia Metropolitana começou a
Operação Fernbridge em alegações de que moradores de uma casa infantil em Richmond, oeste de Londres, foram
levados para a vizinha Elm Guest House em Barnes, onde foram maltratados. A pornografia envolvendo adultos
fazendo sexo com crianças foi supostamente baleada na propriedade e depois circulada comercialmente. Sir Peter
estava entre os visitantes da propriedade. Outros, de acordo com uma lista apreendida pela Scotland Yard no mês
passado, eram o falecido membro do parlamento liberal Cyril Smith, o ex-espião russo Sir Anthony Blunt, um político
do Sinn Fein, um deputado trabalhista e vários políticos conservadores. Depois que os vizinhos reclamaram da
chegada das crianças, a polícia invadiu a pousada em 1982, mas a operação foi misteriosamente interrompida. Uma
investigação de 2003 também falhou. Durante um debate sobre abuso infantil na Câmara dos Comuns em 29 de
novembro de 1985, Dickens advertiu que os pedófilos eram "maus e perigosos", acrescentando que a pornografia
infantil gerava "vastas somas". Ele continuou: "

"Primeiro, recebi telefonemas ameaçadores, seguidos de dois assaltos em minha casa em Londres. Então, mais
seriamente, meu nome apareceu na lista de alvos de vários assassinos." ~ O Independente [532] Lord Sir Leon
Brittan "perdeu" o dossiê que Dickens lhe deu. Fontes próximas à polícia que investigaram recentemente alegações
associadas dizem que ela parece ter "desaparecido". O Home Office confirmou que não foi "retido". ~ The Daily Mail
[533] Poucas acusações provam melhor a teoria de que toda a guerra é fabricada pelos Simuladores da Simulação
do Diabo do que o registro de serviço estrangeiro de Peter Hayman. Vinte anos a salvo após sua morte, o Daily Mail
admitiu apenas uma porção [534], mas foi o suficiente para ligar os pontos. Durante a Segunda Guerra Mundial,
Hayman alcançou o posto de Major em uma Brigada de Rifles sem nome, mas não nos é dito nenhum de seus
registros nem qualquer ação de combate subseqüente ou seu reconhecimento. O Correio pula de 1945 a 1950, onde
Hayman é subitamente promovido várias vezes a secretário adjunto do Ministério da Defesa. Ele então ajudou a
fundar a Organização do Tratado do Atlântico Norte - a coleção de nações aliadas com a tarefa de "proteger" o
Ocidente contra o comunismo. De 1955 a 1958, Hayman foi testado na Europa Oriental como o chefe da estação MI6
para o que era então Belgrado, hoje, "Iugoslávia". Tendo provado a si mesmo, ele foi "promovido" para um local que
o trouxe para o círculo interno como Chefe da Estação MI6 para Malta por um ano a partir de 1958. Sem entender o
papel dos Cavaleiros de Malta como insurgentes para Roma, e Roma como o Guardião da Simulação do Diabo (que
inclui a promulgação de guerra desnecessária), isso parece uma bofetada embaraçosa - um homem de status de
Hayman relegado a uma pequena ilha? A partir daí, Hayman foi enviado para semear as sementes da futura Guerra
Global ao Terror como Chefe da Estação MI6 em Bagdá (1959-1961).

Como já mostramos, aqueles que planejam essas ofensas contra a humanidade pensam em décadas e séculos. De
lá, Hayman foi transferido para o braço da espada de Roma e a localização central de seu planejamento de guerra:
Washington, Distrito de Columbia. De 1961 a 1964, ele foi diretor-geral da British Information Services em
Washington DC. Finalmente, ele foi enviado para a frente da Guerra Fria em Berlim. De 1964 a 1966, Hayman foi o
Sub-Comandante do Governo Militar em Berlim Ocidental, onde supervisionou a punição contínua da pátria de
Martinho Lutero. O Correio, em seguida, magicamente pula novamente para 1973, onde Hayman é admitido
"aposentado" ainda secretamente vice-diretor do MI6. Exatamente quando ele sobe para o topo da inteligência
britânica é deixado para os leitores do Mail adivinharem.

Capítulo 14

Federal Bureau of Obfuscation

1979: Edward Hope "Teddy" Smith e Alfred "Q" Evans, ambos com 14 anos, desaparecem dentro de quatro dias um
do outro. Ambos foram encontrados mortos em 28 de julho em uma área arborizada do outro lado do Lago Niskey,
em Atlanta, na Geórgia. Teddy Smith tinha sido baleado nas costas, executado com uma arma calibre 22 (a escolha
de bandidos de rua ou assassinos treinados). Q Evans foi listado pelo legista como tendo sido asfixiado por
"provável" estrangulamento. [537], [lxix]

Em um período de dois anos, de 1979 a 1981, quase 30 pessoas, a maioria crianças, foram assassinadas em
Atlanta, na Geórgia. Em 21 de junho de 1981, Wayne Bertram Williams, de 23 anos, foi preso e posteriormente
julgado e condenado pelos assassinatos de Nathaniel Cater, de 27 anos, e Jimmy Ray Payne, de 29 anos. Ele foi
dado a vida na prisão. Após a condenação, a Polícia de Atlanta divulgou uma declaração de que Williams foi
responsável por 23 dos 29 "Assassinatos Infantis em Atlanta", mas Williams nunca foi levado a julgamento por
nenhum deles. Até hoje, ele mantém sua inocência. Ao contrário de qualquer um dos predadores pedófilos anteriores
examinados nestas páginas, Williams ainda está cumprindo sua sentença na prisão estadual de Telfair, em
Helena. Em maio de 2004, cerca de seis meses depois de se tornar o chefe de polícia do Condado de DeKalb
[Geórgia] em novembro de 2004, [Louis] Graham reabriu as investigações sobre as mortes das cinco vítimas do
Condado de DeKalb: [10] Aaron Wyche, 10; Curtis Walker, 13; Yusuf Bell, 15; William Barrett, 17 anos; e Patrick
Baltazar, 11. Graham, um dos investigadores originais nestes casos, disse que nunca acreditou que Wayne Williams,
o homem condenado por dois dos assassinatos e culpado por outros 22, fosse culpado de qualquer um deles. ... O
criminoso profiler [agente do FBI] John E. Douglas disse que, embora ele acredita que Williams cometeu muitos dos
assassinatos, ele não pensa o homem condenado por dois dos assassinatos e culpado por outros 22, era culpado de
qualquer um deles. ... O criminoso profiler [agente do FBI] John E. Douglas disse que, embora ele acredita que
Williams cometeu muitos dos assassinatos, ele não pensa o homem condenado por dois dos assassinatos e culpado
por outros 22, era culpado de qualquer um deles. ... O criminoso profiler [agente do FBI] John E. Douglas disse que,
embora ele acredita que Williams cometeu muitos dos assassinatos, ele não pensa
que ele cometeu todos eles. Douglas acrescentou que acredita que as autoridades policiais têm alguma idéia de
quem são os outros assassinos, acrescentando enigmaticamente: "Não é um único delinqüente e a verdade não é
agradável". [11] Em 21 de junho de 2006, o DeKalb A Polícia do condado deixou de investigar os assassinatos de
crianças em Atlanta. Depois de renunciar, Graham foi substituído pelo chefe interino, Nick Marinelli, que disse: "Nós
dredged up o que tínhamos, e nada deu certo, então até que alguma coisa ou evidência adicional vem à nossa
maneira, ou há feedback forense a partir de provas existentes, nós continuaremos a perseguir os [outros] casos frios
que estão [com] ao nosso alcance. "[5] ~ Wikipedia [538] Embora as vítimas de Atlanta fossem negros pobres, o fato
de que houvesse tantas em um período tão curto de tempo ganhou escrutínio nacional. Como um resultado, o FBI
prestou "perfil" a John Edward Douglas para solidificar a acusação inexperiente do Departamento de Polícia de
Atlanta de que Wayne Williams era o serial killer em questão - ninguém precisa investigar mais sobre os crimes. O
agente do FBI John E. Douglas, que já havia conduzido uma entrevista amplamente divulgada à revista People sobre
o perfil do assassino quando jovem negro, admitiu que quando a notícia da prisão de Williams foi oficialmente
divulgada (seu status como suspeito havia sido anteriormente vazou para a mídia de qualquer maneira), ele afirmou
que se fosse Williams, então ele estava "parecendo muito bom para uma boa porcentagem dos assassinatos". Isso
foi amplamente divulgado nos meios de comunicação como o FBI efetivamente declarando Williams culpado ... [8] ~
Wikipedia [539] No entanto, Douglas admitiu ao Baltimore Sun que a investigação sobre a culpa de Wayne Williams
era, na melhor das hipóteses, de má qualidade. Evidências estavam sendo perdidas, locais de assassinato estavam
sendo adulterados, relatórios conflitantes de médicos legistas estavam sendo arquivados. [540] Mesmo assim, ele
era o homem mais responsável pela convicção de Williams. ... ele participou do processo judicial subseqüente e
ajudou Williams a mostrar raiva, o que foi fundamental para mostrar ao júri que Williams era o assassino. [5] ~
Wikipedia [541] que foi fundamental em mostrar ao júri que Williams era o assassino. [5] ~ Wikipedia [541] que foi
fundamental em mostrar ao júri que Williams era o assassino. [5] ~ Wikipedia [541]

Embora o FBI não tivesse jurisdição, a "aplicação da lei" federal teve um forte interesse em martelar Wayne Williams
como o caído dos assassinatos de Atlanta, prestando apropriadamente o nome "Lab Man" [542] Hal Deadman. A
apresentação da acusação de estatísticas de fibra, particularmente no testemunho do agente especial do FBI
Deadman e no resumo, tem sido criticada por ser baseada em suposições especulativas e frases enganosas de
probabilidades, de tal forma que em algumas jurisdições pode resultar em uma anulação do julgamento. [10] ~
Wikipedia [543] Não satisfeito que Williams estava em uma ligação suficiente, o governador da Geórgia, George
Dekle Busbee, Sr., juntou as mãos com o então vice-presidente George Herbert Walker Bush para avançar as
coisas. Com o governador ameaçando substituir o promotor se ele não As coisas andam mais rápido, e o FBI e até
mesmo o vice-presidente George Bush exercendo suas poderosas influências para levar as coisas adiante, a defesa
estava com problemas. A tentativa da defesa de investigar muitas das pistas e pontas soltas no caso da promotoria,
na esperança de encontrar o verdadeiro assassino, teve que ser abandonada diante da necessidade de defender
Williams contra uma avalanche de acusações não relacionadas. ~ Spin [544] De acordo com uma mulher, Bush pode
ter tido uma participação pessoal em encobrir a Simulação do Diabo. Cathleen Ann O'Brien é uma mulher de
Michigan que publicou um livro que fez a chocante acusação de que ela foi vendida para a escravidão sexual por seu
pai e torturada para se tornar um robô sexual para as pessoas mais poderosas da América nos anos 80 e 90. ...
O'Brien afirma que alguns de seus agressores eram George HW Bush, Ronald Reagan, Gerald Ford, Jimmy Carter,
Dick Cheney e Hillary Clinton. Ela diz que foi resgatada em 1988 por um homem chamado Mark Phillips, que afirma
ser um ex-agente da CIA. ... ~ Mark Dice1348 Phillips também admitiu ser introduzido nos Cavaleiros de Malta.
[545] O'Brien foi apenas "resgatado" de ser usado como um trapo sexual, ela ainda é

completamente "manipulado" pelos romanos que dirigem a Simulação do Diabo e ela nunca fala sem Phillips
controlá-la por perto. Um dos primeiros perpetradores que O'Brien identificou foi o congressista republicano de
Michigan Guy Vander Jagt. O'Brien implicou uma forte influência católica de Vander Jagt, mas ele é supostamente
um presbiteriano. Mas Vander Jagt se formou em Direito em Georgetown e parou, transferindo-se para a
Universidade de Michigan por seu diploma atual1349. Isso lhe daria credenciais completas de educação secular. ...
O'Brien então afirma que um padre abusou dela no confessionário1351 e, mais tarde, tanto Vander Jagt quanto
Gerald Ford também a estupraram.1352 De acordo com O'Brien, a conexão mais forte de Vander Jagt com o que
aconteceu com ela foi através do Igreja Católica local. A cooperativa era abertamente satânica. ~ Illuminati
Unmasked [546] O'Brien disse que ela foi autorizada a engravidar para trazer uma filha para o anel de escravos e
que Bush teve um prazer particular em abusar sexualmente da criança. [547] O ataque ferroviário de Wayne Williams
(que provavelmente era culpado de crimes talvez tão severos quanto o assassinato, mas claramente não o assassino
em série de Atlanta) pelos governos da Geórgia e dos Estados Unidos incitou os negros locais. Dado que alimentar
as chamas da divisão racial é uma tática fundamental da Elite Luciferiana, pode muito bem ter sido contada. Se os
negros de Atlanta não vissem Williams como inocente, eles certamente sentiam que um assassino cruel ainda estava
à solta - um que preferia crianças. Pior, estavam se acumulando evidências que apontavam para abuso sexual e
sacrifício de rituais satânicos. Em 3 de março de 1981, Joseph "Jo-Jo" de 15 anos Bell ligou para o restaurante Cap'n
Peg, onde trabalhou e disse ao gerente assistente Jerry Lee - "Eles estão prestes a me matar. Estou quase morto,
eles estão prestes a me matar. Jerry, eles estão prestes a me matar " ~ Spin [548] - então o telefone ficou morto.

Bell foi encontrado assassinado por estrangulamento no rio South 3 dias depois. A causa da morte de Lubie Geter,
de 14 anos, também foi listada como "estrangulamento", mas seus soldados foram cortados e seus pés cortados,
indicando tortura e sacrifício ritualizados. Nem o telefonema de Jo-Jo nem sua menção a "eles" foram referenciados
em investigações oficiais. A agência de vigilância do governo "Verdade sobre negócios e organização de crimes do
Congresso" (TABACCO) resumiu o clima. Em abril de 1981, porta-vozes do FBI declararam que vários dos crimes
foram "substancialmente resolvidos", ultrajando os negros com sugestões de que alguns dos mortos haviam sido
mortos por seus próprios pais. Enquanto essa tempestade estava em fúria, Roy Innis, líder do Congresso de
Igualdade Racial, Tornou pública a história de uma testemunha que descreveu os assassinatos como as ações de
um culto envolvido com drogas, pornografia e satanismo. Innis levou os pesquisadores a um aparente local de ritual,
completo com grandes cruzes invertidas, e sua testemunha passou por dois exames de polígrafo, mas naquela
época a polícia havia focado sua atenção em outro suspeito, estreitando seu escrutínio com a exclusão de todas as
outras possibilidades. [549] Não foi apenas o governo federal envolvido nos assassinatos de Atlanta, assim como
Hollywood. Em 1981, o ator Robert De Niro, ao receber o Oscar de Melhor Ator por seu papel no filme Raging Bull,
usava uma fita verde como sinal de solidariedade para com os filhos de Atlanta. Acredita-se que ele seja a primeira
celebridade a usar uma fita em um grande evento como um esforço de conscientização. ~ Wikipedia [550] De
Niro, talvez um dos atores mais conhecidos de todos os tempos, é um católico romano admitido. [551] Mais do que
isso, ele é conhecido por ser um cavaleiro de Malta. [552] Crendo a isso foi o relatório de 2005 do Independent de
Malta que o famoso diretor Guy Ritchie foi filmado para filmar o filme planejado Knights of Malta, estrelado por De
Niro, juntamente com Sir Anthony Hopkins, mas, aparentemente, o projeto nunca recebeu a "luz verde". 553]

No Capítulo 25, examinaremos evidências esmagadoras de que Hollywood é um membro fundamental da Simulação
do Diabo. Como o ex-marido de Madonna, Ritchie saberia. A controvérsia sobre os assassinatos de Atlanta recebeu
pouca cobertura da mídia. Uma exceção foi a Spin Magazine. A Spin foi fundada pelo rico magnata Robert Charles
Joseph Edward Sabatini "Bob" Guccione, também católico romano. Em um ponto de sua vida, Guccione pensou em
ingressar no sacerdócio. [554] Em vez disso, fundou a revista pornográfica Penthouse para elogiar a Playboy de
Hugh Hefner. Talvez, não surpreendentemente, Spin evitasse a suspeita de um culto satânico pornográfico estar por
trás dos assassinatos de Atlanta e culpar a KKK. Doze anos depois O agente especial Douglas seria novamente
enviado pelo FBI para intervir em um processo do Estado. A trezentos quilômetros a oeste de Atlanta, em West
Memphis, Arkansas, três jovens foram acusados de terem abusado sexualmente, torturado e assassinado ritualmente
três meninos. Mais uma vez, as evidências apontavam para o abuso ritual satânico, mas, felizmente, o governo
federal chegou ao local para promover o contrário.

Capítulo 15

Casa dos Horrores

Janeiro de 1982: A Alfândega Britânica apreende fitas de vídeo de jovens sendo abusadas sexualmente, torturadas e
assassinadas pelo empresário Russell Howard Tricker quando ele retorna de Amsterdã, capital do Reino dos Países
Baixos. Junho de 1982: O Metropolitano de Londres invade o Elm Guest House, em Rocks Lane, perto de Barnes
Common, no sudoeste de Londres, de acordo com alegações de abuso sexual infantil. Nenhum processo foi seguido.

O sucesso da Simulação do Diabo em se infiltrar em posições-chave no governo a fim de impedir a justiça não deve
ser confundido com a noção de que a Pedocracia é "todo-poderosa". Passos são constantemente dados para
minimizar o risco, como mover atividades criminosas onde elas são menos prováveis de serem tratadas. Em
Amsterdã, a perversão legal e o caos sexual são lendários. [556] Em 2007, a Sodoma da Europa orgulhosamente
revelou uma estátua de bronze homenageando a prostituição: a única do gênero. [557] Essa atmosfera é perfeita
para levar a anarquia sexual (dominada pelos homens) à sua conclusão final. Nós descobrimos um anel pedófilo
internacional cujas raízes brotam de Amsterdã, onde, no final dos anos 80, um grupo de pedófilos britânicos montou
uma colônia, explorando a liberdade da cidade. s comunidade gay como cobertura para fazer um negócio de suas
fantasias. ~ The Guardian [558] Como era típico dos minions na grande mídia: 20 anos após o incidente ter ocorrido,
o Guardian permitiu que o jornalista Nick Davies o abordasse. Um ano depois de Bristol detectives finalmente
começou a desvendar o anel de
pedófilos que abusavam de crianças por até 20 anos, encontraram um informante com uma história alarmante. O
homem, a quem chamaremos de Terry, tinha uma longa história de abusar sexualmente de meninos. Ele não veio de
Bristol, mas, por acaso, ele encontrou alguns pedófilos que os detetives estavam investigando - em Amsterdã, onde
ele disse ter se envolvido com um grupo de abusadores britânicos exilados que conseguiram comercializar suas
relações sexuais. obsessão. Os pedófilos exilados traficavam meninos de outros países; administrar bordéis gays
legítimos e vender meninos menores de idade "embaixo do balcão"; eles haviam se ramificado na produção de
pornografia infantil. E eles mataram alguns deles. Um menino simplesmente foi baleado na cabeça, Terry disse: ele
estava causando problemas e havia sido executado na frente de vários pedófilos. Outro, ele acreditava, havia sido
jogado em um dos canais. Mas aquele sobre quem ele mais falava era um menino que havia sido torturado e morto
da maneira mais dolorosa ao produzir um vídeo pornográfico. Terry disse que viu a maior parte do vídeo e vomitou
antes que ele pudesse chegar ao fim. [559] A mídia continua a denunciar os policiais pobres e sobrecarregados com
o máximo de seu trabalho. Repetidamente, os pedófilos que protegem a polícia são pintados como não tendo
nenhuma evidência a seguir - Os poucos detetives especializados na investigação de abuso infantil invariavelmente
dizem a mesma coisa sobre filmes de "rapé": eles ouvem falar deles muitas vezes, mas nunca os encontraram 1. Os
vídeos continuam sendo um dos grandes mistérios não resolvidos do crescente submundo da exploração sexual
internacional. [560] O único "mistério" é como essas fraudes dormem à noite. Eles quase tiveram sua presa, mas
depois foram bloqueados por seus homólogos holandeses! Por um curto período, os detetives de Bristol pensaram
que poderiam progredir no rastreamento da verdade; mas quando dois deles voaram para

Amsterdã, no outono de 1998, para transmitir suas informações aos oficiais holandeses, eles atingiram um muro ... A
polícia holandesa disse que não era suficiente: sem o nome completo de uma vítima, eles não começariam uma
investigação. Tendo lutado contra o pântano da inércia que envolve o policiamento britânico e o processo contra o
abuso infantil, os detetives de Bristol haviam agora atingido o mais profundo pântano de paralisia virtual que aflige
seu policiamento internacional. [561] Embora o subterfúgio de desculpas está cozinhando com excrementos, a
conclusão é bastante preciso - O resultado é que agora há um florescente comércio subterrâneo no rapazes que
estão sendo exportados a partir do caos econômico da Europa Oriental, bem como das ruas de Londres , para ser
colocado para trabalhar na indústria do sexo da Europa Ocidental. E nenhuma operação policial efetiva para lidar
com isso. Os pedófilos predadores atravessam as fronteiras de que gostam a fim de perseguir suas obsessões ...
[562] Os "pedófilos" britânicos, como Alan Williams, tendo sido tratados pelo sistema de justiça com uma luva de
veludo, mudaram-se para onde a caça era ainda mais protegida. Williams, a "Welsh Witch", ... já tinha uma história
cruel de abusar de garotos no sul do País de Gales. Williams chegou a Amsterdã em 1988, aos 21 anos, e logo se
estabeleceu como gerente de um bordel gay chamado Boys Club 21 em 21 Spuistraat, perto da estação central. Do
outro lado da rua, no número 44, outro pedófilo britânico, um londrino gorducho chamado Warwick Spinks, então com
25 anos, dirigia um clube semelhante chamado Gay Palace. Ambos os clubes tinham negócios legais, administravam
um bar e ofereciam os serviços de prostitutas adultas. Mas Williams e Spinks tinham muitos interesses mais
cruéis. Williams fugiu para a Holanda depois de ser condenado na Grã-Bretanha por agressões indecentes contra
garotos. Em Amsterdã, ele se gabava do dia no sul do País de Gales quando viu um menino de 10 anos de bicicleta,
o agarrou, estuprou e, quando chorou, o estrangulou. Dos Boys Clubs 21, ele organizou a importação de meninos de
Cardiff e Londres, infligindo violência intensa

em quem o desafiou. Spinks dirigia um negócio de pornografia por correspondência de Brighton, antes de se mudar
para Amsterdã, onde foi pioneiro no tráfico de garotos de até 10 anos - primeiro, das ruas de Londres e, após o
colapso da União Soviética, de a pobreza da Europa Oriental. Depois de levá-los a Amsterdã, ele mesmo usou essas
"galinhas", vendeu-as aos bordéis ou a agências de acompanhantes e as colocou na frente da câmera. Alguns
resistiram, alguns fugiram, mas a maioria foi obrigada a cumprir com a remoção de seus passaportes e doses de
drogas e violência. Em 1990, esses dois clubes em Spuistraat, juntamente com Boys for Men, De Boys, Blue Boy e
Why Not, tornaram-se os bares mais movimentados da selva internacional de pedofilia. [563] Foi lá que Russell
Tricker mostrou sua utilidade. Russell Tricker, agora 58 [em 2000], um ex-professor de escola privada que foi
condenado por crimes sexuais infantis no Reino Unido, usou seu trabalho como motorista de ônibus para transportar
garotos de Londres ... [564] Para que ninguém pense que estes eram crimes "aleatórios" de luxúria, eles não
eram. Eles faziam parte da Simulação do Diabo; o culto da adoração demoníaca de Átis. ... as alegações mais
surpreendentes vieram de um homem gay, "Frank", que tinha ido a Amsterdã em julho de 1990 e se viu envolvido
nesse submundo de pedofilia. Em 1993, ele falou com ... Scotland Yard. Frank disse à polícia que Warwick Spinks o
convidara para uma viagem às Canárias, onde ele sugerira que Frank o ajudasse a vender vídeos e mostrasse uma
amostra. Frank disse que assistiu com horror crescente enquanto o vídeo apresentava um assassinato - um garoto
que parecia não ter mais de 12 anos de idade foi espancado e atacado com agulhas, antes de ser castrado e cortado
com uma faca. [565] Não surpreendentemente, nada veio do relatório de Frank para a Scotland Yard. Na Europa
Oriental, empobrecida pela devastação do comunismo, os meninos
foram vendidos por ninharia. [Proprietário do clube homossexual Warwick] Spinks descreveu como ele pegou
meninos em Dresden, em Bratislava, na República Tcheca, e na Polônia, onde, segundo ele, eles custam apenas 10
centavos de dólar (US $ 1,62). O policial disfarçado perguntou a Spinks se ele conseguiria um vídeo sadomasoquista
com garotos de até 10 anos, e Spinks respondeu que conhecia pessoas em Amsterdã que sabiam: "Eu sei, bem, eu
sabia, algumas pessoas que estavam envolvidas em fazer rapé filmes e como eles fizeram isso, eles só venderam
em edições limitadas, fizeram 10 cópias ou algo assim, 10 clientes muito ricos na América, que pagaram US $ 5.000
cada ou algo assim ". ... Alguns anos atrás, sentei-me no clube do Blue Boy em Spuistraat [em Amsterdã], em meio
ao gelo seco e aos garotos em correias, e folheei o catálogo no bar, oferecendo " [566] Os meninos também estavam
sendo sequestrados na Grã-Bretanha. Foi relativamente fácil, uma vez que foram colocados em um orfanato católico
ou público. Duas supostas vítimas de um anel sofisticado de pedofilia no centro de uma investigação policial alegam
que foram levadas para Amsterdã onde foram abusadas sexualmente em bordéis nos anos 80. Uma vítima do sexo
masculino havia sido levada da casa de repouso Grafton Close em Richmond, sudoeste de Londres, afirma-se, e,
além de ser

traficada em Amsterdã, foi alugada para os clientes no Elm Guest House, um bed and breakfast nas
proximidades. Outro homem afirmou que ele foi levado para Amsterdã em uma viagem diferente. ~ The Independent
[567] Assim como em Amsterdã, na Alemanha e em outros lugares, o objetivo da Elm Guest House era fornecer
"serviços" a homens homossexuais que eles não pudessem obter devido a "preconceito". Ficava a poucos metros do
Barnes Common, que era, e ainda é, um conhecido local de encontro gay. ~ Mail [568] O gerente e fundador da casa
de hóspedes era Carole Kasir. Como relatado pelo The Independent, Kasir morreu sob “circunstâncias suspeitas.”
[569] Para alguns, as atitudes liberais de Kasir, nascida na Alemanha, a levaram, em meados da década de 1970, a
oferecer um ponto de encontro para gays constrangidos por sua orientação sexual. uma década depois de ter sido
legalizada. Para outros, foi o ponto de partida que levou-a a acumular somas substanciais de dinheiro deixando salas
onde foram filmados vídeos pornôs infantis e homens exploradores podiam abusar de garotos menores de idade
trazidos de casas de repouso locais. Kasir, que administrava a casa de hóspedes com seu marido Haroon Kasir,
morreu em 17 de junho de 1990, aos 47 anos, oito anos depois de uma equipe policial especializada invadir a casa
de hóspedes, que desde então foi transformada em flats. No inquérito sobre sua morte, a corte ouviu que Kasir, um
diabético, foi encontrado por uma amiga às 11 da manhã com "numerosas injeções e frascos de insulina" ao lado de
seu corpo, mas isso fez pouco para conter uma série de ... alegações. O inquérito foi mostrado notas de suicídio
supostamente escritas por Kasir para seu amante, mas três testemunhas dois trabalhadores de proteção à criança e
um detetive particular questionou a procedência das notas, Contando ao tribunal, Kasir temia por sua vida por causa
do que sabia. Ela estava recebendo telefonemas ameaçadores, estava sendo assediada pela polícia e disse que
estava sendo seguida por um carro sem identificação, disseram eles. Depois de adiar o caso várias vezes, o legista
determinou que ela havia "tirado a própria vida" e que ela morreu de hipoglicemia causada por uma overdose de
insulina. Amigos alegaram que havia perguntas que não eram

respondeu adequadamente, como por que Kasir foi injetado várias vezes na parte inferior [nádegas], quando ela
sempre tomou injeções no braço [como faz a grande maioria dos diabéticos]. Uma testemunha no inquérito disse que
ele foi mostrado fotos de ilustres figuras públicas em poses comprometedoras, uma alegação recentemente apoiada
por outra testemunha. Os amistosos com Kasir disseram que, nos meses que antecederam sua morte, ela falou
sobre levantar a tampa da casa de hóspedes, incluindo listar aqueles que a visitaram, em um livro. [570] Um defensor
das crianças sem nome entrevistado pelo Mail estava convencido de que as circunstâncias em torno da morte de
Kasir mostravam corrupção e encobrimento. Pouco depois de sua morte, um ativista de proteção infantil da
Associação Nacional de Jovens em Cuidados (NAYPIC) pediu uma investigação criminal sobre os eventos na Elm
Guest House. O ativista alegou que a Sra. Kasir lhe dissera que os meninos haviam sido trazidos de um lar infantil
para sexo. Ela disse a ele que tinha fotografias ou vídeos de muitas figuras do establishment em seu hotel, incluindo
um bispo. - Interessante que o Correio não lhe diz qual denominação o "bispo" representa. - Uma fotografia
supostamente mostrou um ex-ministro numa sauna com um menino nu. O mesmo ativista nos disse esta semana que
não poderia falar longamente porque a polícia queria entrevistá-lo. - Não é muito útil para o público, mas temos
certeza de que as prisões resultaram das informações recolhidas pelos melhores de Londres! - No entanto, ele
alegou que sabia de 11 garotos do lar de crianças de Grafton Close que haviam sido vítimas de abuso no Elm Guest
House. Ele acrescentou: "Carole Kasir tinha logbooks, nomes, horários, datas, até fotos de pessoas que entraram e
saíram da Elm Guest House. Sua casa foi invadida nos anos oitenta. "

"A polícia diz que foi feita por uma força local, mas sei que isso foi feito pela Special Branch. Essa evidência - de
quem visitou a Elm Guest House - não existe mais." "Vou deixar que as pessoas tirem suas próprias conclusões, mas
Carole Kasir foi mantida sem acusação durante três dias, e você não faz isso em um ataque a vice-versa. Houve
mais do que isso." Ele acrescentou: "Havia meninos encontrados em casa, mas eles só foram entrevistados como
testemunhas do bordel, nunca como vítimas de abuso." ... As mesmas alegações foram perseguidas por vários anos
por Mary Moss, ex-colega do ativista do NAYPIC (que agora está extinta).

[571]

Mais uma vez, não ficamos surpresos ao ler que um cão de guarda infantil está "extinto". Em outubro do ano
passado, o parlamentar trabalhista Tom Watson a