Você está na página 1de 3

Planejamento de Atividade Extraclasse

ITEB 2° Semestre 2017

1-Identificação
Aluno Débora Alanoca Alves
Número ITEB 3539
Curso Teologia Módulo Básico III
Turma Infant’s Garden Data da Entrega 17/09/2018
Professor Cássio Oliveira
Título Livro: Pequeno Manual de Aconselhamento Cristão de
Constantino Ferreira.
Objetivo Ampliar o conhecimento do aluno através da Leitura e análise
do Livro proposto.

2- Atividade
O Livro que foi alvo de análise trouxe para nós uma compreensão
mais prática para a função de conselheiro que o Pastor exerce no cotidiano, ao
tratar de inúmeras situações trazidas por suas ovelhas.
Neste módulo temos a matéria de “Teologia Pastoral” que dentre
vários assuntos abordados trouxe diversas funções do Ministro (Pastor) diante de
sua Congregação e uma delas é a de conselheiro, vez que lida com pessoas de
todas as idades e com diversos dilemas. Com isso, temos o grande desafio de
estarmos preparados para realizar estes conselhos, e este foi o objetivo deste
pequeno manual.
O livro inicia enaltecendo essa característica Pastoral de
aconselhamento, vejamos:
Há quatro funções no ministério do conselheiro. Ele sempre
enfrentará questões pessoais como: Solidão, ansiedade,
depressão, ira, culpa e doenças. E, terá de prestar ajuda
nestas áreas de forma a aliviar o sofrimento e trazer
felicidade: 1. Cura - ajudar a dar passos de fé 2. Apoio -
ajudar a vencer circunstâncias 3. Direção - ajudar nas
decisões a tomar 4. Reconciliação - ajudar no caminho da
paz.
Tal função é desempenhada desde o Antigo Testamento, quando o
povo trazia suas questões aos sacerdotes, juízes e reis, os verdadeiros líderes
espirituais da época.
Na sequência temos também a valorização da família, o autor
ressalta os princípios básicos, a família como célula básica da sociedade humana,
tendo o amor como sua coluna, vejamos a seguinte citação:
O mandamento para as famílias encontra-se em
Deuteronômio 6:1-9. Em resumo a regra essencial para uma
família estável e bem-sucedida é esta: 1. Adorar o único Deus
como o seu Senhor; 2. Amá-lo de todo o coração e de toda a
alma; 3. Falar dele aos filhos em casa e no caminho; 4.
Possuir sinal visível de pertencer a Deus.

A responsabilidade dos pais na criação dos seus filhos é algo


considerado primordial para a sustentação de um lar.
O pecado veio para destruir a família e isto tem impactado
negativamente os relacionamentos entre os seus membros, e por isso nascem os
conflitos, com isso nasce a necessidade do Pastor aconselhar e guiar aqueles que
pedem a sua ajuda a solucionar de forma intensa tais questões, com soluções
práticas que mudem o comportamento e porque não dizer o caráter.
A partir daí o autor preocupa-se em enumerar as ações que o
Pastor deve tomar ao ter de realizar o aconselhamento, primeiro temos a análise
da primeira entrevista, momento crucial para detectar todos os dilemas que a
família tem enfrentado, vejamos como proceder:
Eis alguns factores a tomar em consideração logo no início
da primeira entrevista: 1 Iniciar o aconselhamento
centralizado em Cristo e Sua Palavra. Ele é o maravilhoso
Conselheiro, 1. Determinar se o aconselhado é cristão
convicto. Havendo dúvida, expor-lhe o evangelho da
salvação e conduzi-lo ao perdão e a Cristo. 2. Estabelecer o
hábito regular da leitura da Bíblia e oração em família. 3.
Apresentar soluções breves para pequenos problemas fáceis
de resolver. Esta experiência trará esperança para resolver os
maiores. 4. Determinar tarefas caseiras para habituação aos
moldes bíblicos. 5. Estabelecer uma agenda futura para
encorajar a pessoa a retornar e continuar o processo.

Detectados os problemas damos sequência com um enfoque


principal nos casais e seus problemas cotidianos, uma vez que a base da igreja são
famílias, e o grande problema encontrado foi a falta de comunicação, vejamos a
seguinte citação:
"Deve ser lembrado que o conflito conjugal é quase sempre
um sinal de algo mais profundo, tal como egoísmo, falta de
amor, falta de perdão, ira, amargura, problemas de
comunicação, ansiedade, abuso sexual, bebedice,
sentimentos de inferioridade, pecado, e rejeição deliberada
da vontade de Deus para as Suas criaturas".

Comunicação é o envolvimento de duas ou mais pessoas em


conversação e comunhão. A comunicação contém
linguagem verbal e gestual. A maneira de estar, de sentar, de
olhar, e o aspecto do rosto, são fatores da linguagem
expressiva que é preciso tomar em consideração.

O conselheiro deve estar atento a tudo e mostrar em todo tempo a


sua imparcialidade diante da demanda apresentada, ensinando a luz da bíblia
como resolver e por fim aos problemas, através do perdão e da comunicação
eficaz.
Finalizando o Pastor deve estar preparado para receber pessoas
de todas as idades e com diversos problemas, que é trazido no tópico
“Aconselhando nos vários Ciclos da Vida”:
Os relacionamentos melhorarão quando os indivíduos de
todas as idades forem ensinados e encorajados a praticar as
regras Bíblicas da comunicação. E, o conselheiro cristão tem
a nobre tarefa de fazer conhecer, ou lembrar, estas normas
divinas, ajudando as pessoas a viver em paz e harmonia.

O conselheiro deve observar as mudanças e sempre instruir com


base na Bíblia e em costumes moralmente legais.