Você está na página 1de 109

MÓDULO 06:

RETIFICADORES NÃO CONTROLADOS (DIODOS)

Pedro Machado de Almeida


Pedro Gomes Barbosa

Núcleo de Automação e Eletrônica de Potência


Universidade Federal de Juiz de Fora
Juiz de Fora, MG, 36036-900, Brazil

email: pedro.machado@ufjf.edu.br

2018

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 1 / 106


Diodo de potência

O Diodo é um dispositivo de dois terminais (A → Anodo e K → Catodo)


formado pela união de duas camadas semicondutoras (p-n);

Se VAK ≥ 0 o diodo é dito diretamente polarizado e flui corrente entre


os terminais de anodo e catodo.
Nessa condição observa-se uma diferença de potencial medida entre os
terminais do anodo e o catodo (< 1,5 V ).

Se VAK < 0 o diodo é dito reversamente polarizado e nenhuma cor-


rente flui entre os terminais de anodo e catodo.
Nessa condição observa-se uma pequena corrente de fuga (reversa) do
catodo para o anodo.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 2 / 106


Diodo de potência

Figura 1: (a)Sı́mbolo e (b) curva caracterı́stica do diodo.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 3 / 106


Alguns parâmetros dos diodos

Queda de tensão direta, VF : diferença de potencial medida entre


os terminais do diodo diretamente polarizado que conduz uma corrente
direta.

Tensão de breakdown, VB : máxima tensão reversa que aplicada entre


os terminais do diodo faz o dispositivo entrar em condução reversa.

Corrente reversa, IR : a máxima corrente conduzida do terminal do


catodo para o terminal do anodo.

Tempo de recuperação reverso, tRR : intervalo de tempo, em segun-


dos, que a corrente reversa que flui pelo diodo depois que uma tensão
reversa é aplicada entre os terminais de anodo e catodo do dispositivo.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 4 / 106


Alguns parâmetros dos diodos

Figura 2: Ilustração do tempo de recuperação reverso de um diodo, tRR .

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 5 / 106


Principais tipos de diodos

Diodo de sinal: usados em circuitos limitadores, grampeadores, etc.

Diodo zener: projetados para operarem na região de avalanche, sendo


usados como reguladores de tensão.

Diodo retificador: capazes de conduzir correntes da ordem de cen-


tenas de ampères, sendo usados em UPS (Uninterruptible Power Sup-
plies) e retificadores.

LED: diodos que emitem luz quando estão conduzindo uma corrente
direta.

Diodo Schottky: formados a partir da deposição de um filme fino de


metal sobre o material semicondutor.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 6 / 106


Circuito Snubber

Circuitos amortecedores (snubbers) são usados para proteger os diodos


de picos de tensão durante o processo de comutação.

RS

VS D
CS

Figura 3: Exemplo de um circuito amortecedor (snubber ) para diodos.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 7 / 106


Associação série de diodos

Vários diodos podem ser conectados em série formando uma válvula


que suporta uma tensão mais elevada.

Figura 4: Exemplo de associação série de diodos.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 8 / 106


Associação paralela de diodos

Indicada quando se deseja aumentar a corrente pelo circuito.

Figura 5: Exemplo de associação paralela de diodos.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 9 / 106


Vm
Retificador de meia onda com carga resistiva

vs

vd
+ − −Vm

i Vm
+ +
vs = Vm sin (ω t) R vo
− − vo
..
(a)
Figura 6: Retificador de meia onda com carga R. .
vd

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 10 / 106


Retificador de meia onda com carga resistiva
A P T E R 3 Half-Wave Rectifiers

Vm

vs
π 2π ωt
vd
+ − −Vm

i Vm
+
R vo
− vo
π 2π ωt
..
(a) .
vd
π 2π ωt

−Vm
(b)do retificador de meia onda com carga R.
Figura 7: Formas de onda de tensão e corrente
ve rectifier with resistive load; (b) Voltage waveforms.
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 11 / 106
A tensão média de saı́da do retificador é dado por:

1 T
Z Z π
1 Vm
Vo = vo dt = Vm sen(ωt) d ωt = (1)
T 0 2π 0 π

O valor eficaz da tensão de saı́da do retificador é dado por:


s s Z
1 T 2 π
Z
1 Vm
Vorms = vo dt = [Vm sen(ωt)]2 d ωt = (2)
T 0 2π 0 2

De (1) e (2) tem-se que a tensão eficaz devido aos harmônicos podem
ser calculados como se segue:

q
2 2
π2 − 4
Voh = Vorms − Vo = Vm (3)

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 12 / 106


De (1) e (3) tem-se que o fator de “ripple” do retificador de meia
onda é:
Voh
Kv = = 1,211 (4)
Vo

Comentário:
Retificador de meia onda consome corrente com valor médio não nulo
da fonte CA.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 13 / 106


Exemplo

Um retificador de meia onda alimenta uma carga resistiva de 5 Ω a


partir de uma fonte senoidal de 120 V rms, 60 Hz . Determine:
a) A corrente média na carga;
b) A potência média absorvida pela carga;
c) O fator de potência do circuito.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 14 / 106


Retificador de meia onda com carga RL

vL 0
vd π
+ −
+
i
+
R vR
− v
o
0
+ + π
vs = Vm sin(ωt) vd
− L vL

− -Vm

(a) de meia onda com carga RL.


Figura 8: Retificador

Figure 3-2 (a) Half-wave rectifier with an RL load; (b) Waveforms.


pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 15 / 106
Para o diodo diretamente polarizado pode-se escrever a seguinte EDO:
di
L + Ri = Vm sen ωt (5)
dt

A solução de (5) retorna:

Vm
i = ih + ip = Ae −Rt/L + sen (ωt − θ) (6)
Z
onde ih é a solução homogênea,ip éa solução particular,
ωL
q
Z = R 2 + (ωL)2 , θ = tan−1
R

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 16 / 106


A constante A é avaliada usando a condição inicial para a corrente.
A corrente no indutor é zero pois ela possuı́a esse valor antes do
diodo começar a conduzir, portanto:

Vm
sen(0 − θ) + Ae 0 = 0
i (0) =
Z
Vm
A= sen(θ) (7)
Z
Substituindo na equação geral pra corrente:
Vm h i
i (t) = sen(ωt − θ) + sen(θ)e −t/τ (8)
Z
Na maioria das vezes é conveniente escrever a função em termos do
ângulo ωt
Vm h i
i (ωt) = sen(ωt − θ) + sen(θ)e −ωt/ωτ (9)
Z
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 17 / 106
O diodo para de conduzir quando a corrente no indutor atinge o zero.
O primeiro valor positivo de ωt na equação (9) que resulta na
corrente zero é chamado de ângulo de extinção β
Substituindo ωt = β em (9)

Vm h i
i (β) = sen(β − θ) + sen(θ)e −β/ωτ = 0
Z
Que se reduz a

sen(β − θ) + sen(θ)e −β/ωτ = 0 (10)

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 18 / 106


O diodo para de conduzir quando a corrente no indutor atinge o zero.
O primeiro valor positivo de ωt na equação (9) que resulta na
corrente zero é chamado de ângulo de extinção β
Substituindo ωt = β em (9)

Vm h i
i (β) = sen(β − θ) + sen(θ)e −β/ωτ = 0
Z
Que se reduz a

sen(β − θ) + sen(θ)e −β/ωτ = 0 (10)

Não existe uma solução de forma fechada para β, é necessário algum


método numérico.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 18 / 106


A corrente no circuito retificador de meia onda com carga RL é
expressa como
Vm 

sen(ωt − θ) + sen(θ)e −ωt/ωτ


 para α ≤ ωt ≤ β
i (ωt) = Z

para β ≤ ωt ≤ 2π

0
(11)
onde q  
2 ωL
Z = R 2 + (ωL) , θ = tan−1 , e τ = L/R
R

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 19 / 106


E R 3 Half-Wave Rectifiers

Vm

vs, io 0 ωt
π β 2π

vo 0 ωt
π β 2π

Figura 9: Formas de onda de tensão e corrente do retificador de meia onda com carga RL.

ωt
vR 0
π β 2π
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 20 / 106
A tensão média de saı́da do retificador é dado por:
Z T Z β
1 1 Vm
Vo = vo dt = Vm sen(ωt)d ωt = [1 − cos β] (12)
T 0 2π 0 2π

O valor eficaz da tensão de saı́da do retificador é dado por:


s Z s Z
1 T 2 1 β
Vorms = vo dt = [Vm sen(ωt)]2 d ωt
T 0 2π 0
r
β cos(2β) (13)
= Vm −
4π 8π
r
Vm β sen(β) cos(β)
= −
2 π π
onde β é o ângulo e extinção ou corte do diodo.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 21 / 106


Exemplo

Para o retificador de meia onda da Figura 8 R = 100 Ω, L = 0,1 H ,


ω = 377 rad /s e Vm = 100 V . Determine:
a) uma expressão para a corrente neste circuito
b) a corrente média
c) a corrente rms
d) a potência absorbida pela carga
e) o fator de potência

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 22 / 106


/17/09 2:09 PM Page 76

Fornecendo potência para uma fonte CC através de uma


fonte CA

Variação do retificador de meia onda


H A P T E R 3 Half-Wave Rectifiers
Consiste de uma carga RL série e uma fonte CC
R L

i +
Vm sin(ωt) + Vdc
− −

(a) com fonte CC.


Figura 10: Retificador de meia onda

R L R
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 23 / 106
ifac ifdc +
+
m sin(ωt) Vdc

Fornecendo potência para uma fonte CC através de− uma
fonte CA
(b)
Assumindo uma corrente (c)
inicial nula, o diodo permanece aberto
enquanto a tensão da fonte CA é menor que a da fonte CC.

vs
Vdc

α π β 2π ωt

Figura 11: Formas de onda para um retificador de meia onda com fonte CC.
(d)
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 24 / 106
80679_ch03_065-110.qxd 12/17/09 2:09 PM Page 76

Fornecendo potência para uma fonte CC através de uma


fonte CA
76 C H A P T E R 3 Half-Wave Rectifiers

Sendo α o valor de ωt quado as tensões das fontes se igualam.


R L

Vm sen(α)
i = Vdc
+
V sin(ωt) + m V dc
− −
 
−1 Vdc
α = sen (14)
(a) Vm
Com o diodo começando aR conduzir L emR ωt = α, pode-se escrever a
seguinte equação + i i +
fac fdc
Vm sin(ωt) Vdc

di (t)−
Vm sen(ωt) = Ri(t) + L + Vdc (15)
(b) (c) dt
vs
Vdc

α π β 2π ωt

(d)
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 25 / 106
Fornecendo potência para uma fonte CC através de uma
fonte CA

A corrente é dada por:


Vm Vdc


 sen(ωt − θ) − + Ae −ωt/ωτ para α ≤ ωt ≤ β
i (ωt) = Z R


0 caso contrário
(16)
O ângulo de extinção β é definido como ângulo em que a corrente
retorna ao zero.
Utilizando a condição inicial i (α) = 0, tem-se
 
Vm Vdc
A= − sen(α − θ) + e α/ωτ (17)
Z R

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 26 / 106


Exemplo

Para o circuito da Figura 11, R = 2 Ω, L = 20 mH e Vdc = 100 V .


A tensão da fonte CA é 120 V , 60 Hz . Determine:
a) Uma expressão para a corrente no circuito
b) A potência absorvida pelo resistor
c) A potência absorvida pela fonte CC
d) A potência fornecida pela fonte CA
e) O fator de potência

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 27 / 106


A freewheeling diode, D2 in Fig. 3-7a, can be connected across an RL load as
shown. The behavior of this circuit is somewhat different from that of the half-
Retificador com diodo de roda livre
wave rectifier of Fig. 3-2. The key to the analysis of this circuit is to determine
when each diode conducts. First, it is observed that both diodes cannot be
forward-biased at the same time. Kirchhoff’s voltage law around the path con-
Um diodo
tainingde
theroda
sourcelivre D2two
and the pode sershows
diodes conectado em paralelo
that one diode com a
must be reverse-
carga,biased. Diode D1 will beum
proporcionando on when the source
caminho is positive, and
alternativo paradiode D2 will be on
circulação da
when the source is negative.
corrente.
iD1 D1

+ io
i D2 R
vs = Vm sin(ωt) +
D2 vo

L

(a)

+ io + io
R R
+
vs vo = vs vo = 0

L L
− −
(b) (c)
Figura 12: (a) Retificador em meia ponte com diodo de roda livre; (b) circuito equivalente
Figure 3-7 (a) Half-wave rectifier with freewheeling
para vs > 0; (c) circuito equivalente para vs < 0.
diode; (b) Equivalent circuit for vs / 0; (c) Equivalent
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 28 / 106
Retificador com diodo de roda livre

3.7 The Freewheeling Diode

vo

io

0 π 2π ωt
Figura 13: Tensão e corrente na saı́da para o retificador de meia onda com diodo de roda livre.

iD1

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 29 / 106


As the source decreases after !t " $/2, the capacitor discharges into
esistor. At somedepoint,
Retificador meiathe voltage
onda comoffiltro
the source becomes less than th
capacitivo
oltage, reverse-biasing the diode and isolating the load from the source.
ut voltage is a decaying exponential with time constant RC while the dio
The point when the diode turns off is determined by comparing the
hange of the source and the capacitor voltages. The diode turns off w
O retificador com filtro capacitivo utiliza um capacitor em paralelo com
a carga para reduzir a variação de tensão na saı́da.

iC iR +
iD
+ vo
vs = Vm sin(ωt) C R


(a) filtro capacitivo.
Figura 14: Retificador de meia onda com

Vm

vo ∆Vo
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 30 / 106
iD
+ vo
vs = Vm sin(ωt) C R

Retificador de meia onda com filtro capacitivo

(a)

Vm

vo ∆Vo

vs

pθ 2π 2π + α
2

α
vs

(b)
Figura 15: Formas de onda para o retificador de meia onda com filtro capacitivo.

Figure 3-11 (a) Half-wave rectifier with RC load; (b) Input


and output voltages.
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 31 / 106
Retificadores de onda completa

O objetivo de um retificador de onda completa é produzir uma tensão


ou corrente que seja puramente CC ou que tenha alguma componente
CC especificada;
Os retificadores de onda completa possuem algumas vantagens funda-
mentais em relação ao de meia onda:
1. A corrente média drenada da rede tem valor médio nulo, evitando, por-
tanto, problemas associados correntes médias diferente de zero em fontes
CA e transformadores (saturação assimétrica);
2. A saı́da do retificador de conda completa tem inerentemente um ondu-
lação menor que o retificador de meia onda.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 32 / 106


Retificador de onda completa com transformador com tap
central 4.2 Single-Phase Ful

N1 : N2 D1

+
vS1 io
vs + –
− + – vo +
vS2

D2
(a)
Figura 16: Retificador de onda completa com transformador com tap central.

vs
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 33 / 106
D2
(a)
vs
Vm

0
π 2π 3π 4π ωt
–Vm

vo
Vm

vD1
0

–2Vm

vD2

–2Vm

Figura 17: Formas de onda de tensão.


io

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 34 / 106


Retificador de onda completa com transformador com tap
central

1. A lei de Kirchhoff mostra que apenas um diodo pode conduzir de cada vez. A
corrente na carga pode ser positiva ou zero, mas nunca negativa.
2. A tensão na carga é +vs1 quando D1 conduz e −vs2 quando D2 conduz. As
tensões no secundário do transformador estão relacionados com a tensão de
entrada por vs1 = vs2 = vs (N1 /N2 ).
3. A lei da tensão de Kirchhoff em torno dos enrolamentos secundários do transfor-
mador, D1 e D2 mostra que a tensão máxima no diodo reversamente polarizado
é o dobro do valor de pico da tensão na carga.
4. A corrente em cada metade do secundário do transformador é refletida para o
primário, resultando em uma corrente média na fonte nula.
5. O transformador proporciona um isolamento elétrico entre a fonte e a carga.
6. A frequência fundamental da tensão de saı́da é 2ω, visto que dois perı́odos da
saı́da ocorrem para cada perı́odo da entrada.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 35 / 106


A tensão média de saı́da do retificador é dada por:

1 T 1 π
Z Z
2Vm
Vo = vo dt = Vm sen(ωt)d ωt = (18)
T 0 π 0 π

O valor eficaz da tensão de saı́da do retificador é dado por:


s s Z
1 T 2 1 π
Z
Vm
Vorms = vo dt = [Vm sen(ωt)]2 d ωt = √ (19)
T 0 π 0 2

De (18) e (19) tem-se que a tensão eficaz devido aos harmônicos


podem ser calculados como se segue:
r
q π2 − 8
Voh = Vo2rms − Vo2 = Vm (20)
2π 2

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 36 / 106


De (1) e (3) tem-se que o fator de “ripple” do retificador de meia
onda é:
Voh
Kv = = 0,4834 (21)
Vo

Comentários:
Necessidade do transformador de entrada com tap central.
Os diodos devem suportar uma tensão reversa de pico igual a 2Vm (dobro
da tensão de pico da fonte).
O retificador com transformador com tap central, além de prover um
isolamento elétrico, tem apenas queda de tensão em um diodo entre a
fonte e a carga, tornando-o desejável para aplicações com baixas tensões
e altos valores de corrente.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 37 / 106


Retificador de onda completa em ponte

is io
iD1
D1
D1 D3
io +
+
= vs vo
– vo + –
D3 D4 D2
iD4
a)
Figura 18: Topologia(b)
do retificador em ponte.

t
2
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 38 / 106
Retificador de onda completa em ponte

1. Os diodos D1 e D2 conduzem juntos, assim como D3 e D4 . A lei de tensão de


Kirchhoff em torno da malha contendo a fonte D1 e D3 mostra que eles não
podem conduzir ao mesmo tempo, da mesma forma que D2 e D4 também não.
A corrente na carga pode ser positiva ou zero, mas nunca pode ser negativa.
2. A tensão na carga é +vs quando D1 e D2 estão conduzindo. A tensão é −vs
quando D3 e D4 conduzem.
3. A tensão máxima num diodo polarizado reversamente é o valor de pico da
fonte. Isto pode ser mostrado pela lei da tensão de Kirchhoff em torno da
malha contendo a fonte D1 e D3 . Com D1 em condução, a tensão em D3 é
−vs .

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 39 / 106


Retificador de onda completa em ponte

4. A corrente entrando na ponte vinda da fonte é iD1 − iD4 , que é simétrica em


relação ao zero. Portanto, a corrente média na fonte é zero.
5. A corrente rms da fonte tem o mesmo valor rms da corrente na carga. A
corrente na fonte é a mesma que a da carga para metade do perı́odo da fonte e
é negativa da corrente na carga para a outra metade. A área das correntes na
carga e na fonte são as mesmas, logo as correntes rms são iguais.
6. A frequência fundamental da saı́da é 2ω, em que ω é a frequência da tensão
de entrada CA visto que dois perı́odos da saı́da ocorrem para cada perı́odo
da entrada. As séries de Fourier da saı́da consistem em um termo CC e das
harmônicas pares da frequência da fonte.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 40 / 106


iD4
(a)
(b)
vs
Vm

t
0
2

–Vm
vo
Vm

2 t
vD1, vD2
t
0
2

vD3, vD4
Vm

0
2 t
–Vm

io Figura 19: Formas de onda de tensão e corrente


0
2 t
iD , iD (NAEP)
pedro.machado@ufjf.edu.br Retificadores 2018 41 / 106
Comentários

Fator de ripple idêntico ao caso anterior (retificador com transformador


com tap central).
Necessita do dobro de diodos em sua estrutura.
Cada diodo deve suportar uma tensão reversa igual ao valor de pico da
tensão da fonte Vm

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 42 / 106


Retificador monofásico em ponte com carga RL

+
is io

D1 D4 R
vs(t) = +
Vm sin ωt
vo

D3 D2
L


(a)
Figura 20: Retificador monofásico com carga RL.

vo, io vo

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) io Retificadores 2018 43 / 106


D3 D2
L

Indutância (L) pequena –


(a)
vo, io vo

io

0 π 2π 3π 4π ωt
iD1, iD2

iD3, iD4

vs, is
vs

is

(b) de tensão e corrente.


Figura 21: Formas de onda
v , i , i (NAEP)
pedro.machado@ufjf.edu.br Retificadores 2018 44 / 106
s

Indutância (L) grande

(b)
vo, iD1, iD2

vo, iD3, iD4

vs, is

Figura 22: Formas de onda para(c)


indutância muito grande.

Figure 4-3 (a) Bridge rectifier with an RL load; (b) Voltages and
currents; (c) Diode and source currents when the inductance is
large and the current is nearly constant.
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 45 / 106
Comentários

O que se pode falar dos harmônicos da corrente pela fonte CA?


E a respeito do THD dessa corrente?

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 46 / 106


vs, is

(c)

X
Figure
is 4-3
= a(a)0+Bridge {arectifier
n coswith an RL
(nωt) + load; (b) (nωt)}
bn sen Voltages and (22)
currents; (c) Dioden=1
and source currents when the inductance is
large and the current is nearly constant.
onde,
 Z T Z T /2
 1 2

 a0 = is dt = is dt = 0
T 0 T 0






2 T 4 T /2
 Z Z
an = is · cos (nωt) dt = is · cos (nωt) dt = 0


 T 0 T 0

2 T 4 T /2
 Z Z

 4Io
b = i · sen (nωt) dt = is · sen (nωt) dt =

 n
 s
T 0 T 0 nπ

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 47 / 106


Substituindo os valores de an e bn na série trigonométrica de Fourier
da corrente is pode-se escrever:
∞  
X 4Io
is = sen (nωt)
n=1

O valor eficaz da componente fundamental é calculado fazendo n = 1


na expressão anterior √
2 2Io
Is1 =
π
Já o valor eficaz da corrente consumida pelo retificador é dado por:
s s Z
Z T π
1 2
Is = is2 dt = I 2 dt = Io
T 0 2π 0 o

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 48 / 106


A taxa de distorção harmônica da corrente CA é:
qP
∞ 2
n>1 Isn
THD = × 100%
Is1
p
Is2 − Is21 (23)
= × 100%
Is1

π2 − 8
= √ = 48,43%
2 2
E o fator de potência:

DPF = cos φ = 1 (24)

Is1
fp = DPF = 0,90 (25)
Is

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 49 / 106


79_ch04_111-170.qxd 12/15/09 3:48 PM Page 121

Retificador monofásico com carga RL e fonte CC

4.2 Single-Phase Full-Wave Rectifiers

R L

+ io

+
+
vo Vdc
− –

Figura 23: Retificador monofásico em (a)


ponte alimentando carga com fonte CC.

vo

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 50 / 106


+
vo Vdc
− –

Formas de onda –

(a)

vo

io

(b) t

vo

Vdc

io

(c) t

Figure
Figura 24: (b) 4-5 (a)de
regime Rectifier with RL-source
condução load; (c)
contı́nuo, (b) Continuous
regime de current: when
condução descontı́nuo.
the circuit is energized, the load current reaches the steady-state after a few
periods; (c) Discontinuous current: the load current returns to zero during
every period.
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 51 / 106
Retificador em ponte completa com filtro capacitivo
4.2 Single-Phase Full-Wave Rectifiers

+
iC iR
vs(t) = +
vm sin(ωt) C R vo


(a)
vo
Vm
∆Vo

0 π
–θ π π+α ωt
2 α

(b)
Figura 25: (a) retificador de onda completa com filtro capacitivo, (b) tensão na fonte e na saı́da.
Figure 4-6 (a) Full-wave rectifier with capacitance filter;
(b) Source and output voltage.
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 52 / 106
Distorção na tensão da rede
Correntes distorcidas drenadas por cargas não lineares como retificado-
res à diodos podem resultar em distorções nas tensões da concessioná-
ria.
A indutância Ls1 representa a impedância interna da fonte da concessi-
onária e Ls2 pode ser adicionado como parte do equipamento eletrônico
de potência.
A resistência Rs pode modelar as resistências dos diodos.

Ls1 Ls 2 Rs
+
vs v pac is
-

Outros
equipamentos
Figura 26: Retificador de onda completa conectado a uma fonte não ideal.
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 53 / 106
Distorção na tensão da rede

A tensão nos outros equipamentos no ponto de acoplamento comum


(PAC) é dada por:
dis
vpac = vs − Ls1 (26)
dt
Assumindo que a tensão vs é senoidal e expressando a corrente is em
termos da componente fundamental e as componentes harmônicas:
 
dis1 X dish
vpac = vs − Ls1 − Ls1 (27)
dt dt
h6=1

A tensão no pac pode ser reescrita da seguinte forma

vpac = vpac,1 + vpac,dis (28)

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 54 / 106


Exemplo
Simule o conversor em ponte completa com filtro capacitivo da Fi-
gura 26, com os seguintes parâmetros: Vs = 120 V , 60 Hz , Ls1 =
Ls2 = 0,5 mH , Rs = 1 mH , C = 1000 µF , R = 20 Ω. Obtenha a
forma de onda da tensão no PAC e o seu THDv .

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 55 / 106


(
Exemplo
Example 5-5 Using the parameters in Example 5-1 and splitting L,, for exa
such o
Simule L,, = Ls2em
thatconversor = 0.5
ponte obtain the voltage
mH, completa waveform
com filtro at the point
capacitivo of com
da Fi-
guracoupling
26, com in the
oscircuit of Fig.parâmetros:
seguintes 5-25. Vs = 120 V , 60 Hz , Ls1 =
Ls2 = 0,5 mH , Using
Solution Rs =PSpice,
1 mH the, Cvoltage
= 1000 andµF
the ,current
R = 20 Ω. Obtenha
waveforms a i
are shown
forma5-26.
deThe
ondatotalda
harmonic no PACTHD,
tensãodistortion in the
e o seu THD v . at the point of common cou
voltage
Solução:isTHD
computed to be approximately 5.7%.
v = 6,25%

FigureFigura
5-26 27:Voltage
Tensão e corrente no ponto de acoplamento comum
waveform at the point of common coupling in the
circuit of Fig.
pedro.machado@ufjf.edu.br 5-25.
(NAEP) Retificadores 2018 55 / 106
Efeito de retificadores monofásicos na corrente de neutro
Usualmente, grandes prédios comerciais são alimentados por sistemas
trifásicos.
Entretanto, internamente, a distribuição de tensão e carga é em sua
maioria monofásica entre uma das 3 fases e o neutro.
Normalmente, uma tentativa de igualar as cargas nas 3 fases é feita.
No caso de cargas lineares, se as cargas estão equilibradas entre as
fases, a corrente de neutro in é nula.

a ia

127V Retificadores
van monofásicos
220V in
vcn n

b ib
vbn
c
ic

Figura 28: Sistema trifásico a quatro fios.


pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 56 / 106
Efeito de retificadores monofásicos na corrente de neutro

Assumindo que os retificadores são idênticos, a corrente da fase ia pode


ser escrita em função da componente fundamental e dos harmônicos
ı́mpares cujos valores rms Is1 e Ish são iguais nas três fases:

X
ia = ia1 + iah (29)
h=2k +1

ou

√ X √
ia = 2Is1 sen(ω1 t − φ1 ) + 2Ish sen(ωh t − φh ) (30)
h=2k +1

em que k = 1,2,3, · · ·

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 57 / 106


Efeito de retificadores monofásicos na corrente de neutro

Assumindo tensões de entrada simétricas e cargas equilibradas, as cor-


rentes nas fases b e c estão defasadas de 120◦ e 240◦ , respectivamente,
na frequência fundamental. Portanto:

√ X √
ib = 2Is1 sen(ω1 t −φ1 −120◦ )+ 2Ish sen(ωh t −φh −120◦ h)
h=2k +1
(31)
e

√ X √
ic = 2Is1 sen(ω1 t −φ1 −240◦ )+ 2Ish sen(ωh t −φh −240◦ h)
h=2k +1
(32)

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 58 / 106


Efeito de retificadores monofásicos na corrente de neutro
As correntes de fase se somam no neutro, logo
in = ia + ib + ic (33)
Substituindo as equações (30), (31) e (32) em (33), pode-se notar que
todas as harmônicas não triplas e a componente fundamental se somam
com valor nulo.
As harmônicas triplas, por estarem em fase, resultam em uma corrente
de neutro com valor de pico 3 vezes maior que o valor de cada fase.
Portanto

X √
in = 3 2Ish sen(ωh t − φh ) (34)
h=3(2k −1)
Em termos do valor rms
 2

X
2
In = 3  Ish (35)
h=3(2k −1)

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 59 / 106


Efeito de retificadores monofásicos na corrente de neutro
Devido ao fato de que a terceira harmônica tem o valor bem maior que
as outras terceiras
in ≈ 3Is3 (36)
O que significa que o valor da corrente de neutro é três vezes o valor
rms das correntes de terceira harmônica que circula nas fases.
Como a terceira harmônicas nas correntes de linha pode ter uma por-
centagem significante da corrente fundamental, a corrente no neutro
pode ser grande.
Essa constatação tem mudado as normas de instalações elétricas, que
agora, estipulam que o condutor neutro deve ser capaz de conduzir no
mı́nimo a mesma quantidade de corrente que os outros condutores.
De fato, se as correntes de linha são altamente descontı́nuas, a corrente
de neutro pode tão grande quanto

In = 3Ilinha (37)
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 60 / 106
Exemplo
Assumindo que todas as cargas não lineares na Figura 28 são retifi-
cadores de ponte completa monofásicos, cujos dados se encontram a
seguir. Determine a forma de onda da corrente no neutro e seu valor
rms.
Parâmetros:Vs = 120 V em 60 Hz , Ls = 1 mH , Rs = 1 mΩ, C =
1000µF e RL = 20 Ω.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 61 / 106


much current as the line conductors. In fact, if the line currents are highly discontinu
the neutral current can be as large as (see Problem 5-21)

Exemplo 1, = filline (5

H Example 5-6 Assume that each nonlinear load in Fig. 5-28 can be represente
Assumindo thequesingle-phase
todas as loadcargas não5-lineares
of Example 1. Obtain the
naneutral-wire
Figura 28 current
sãowaveform
retifi- an
value for the same per-phase voltage and the ac-side impedance as in Example
cadores de rrns
ponte completa monofásicos, cujos dados se encontram a
seguir. DetermineSolution Using PSpice,
a forma the neutral-wire
de onda da corrente current
noisneutro seu5-29
plotted ine Fig. and its
valor
value is calculated to be approximately 25 A. It is almost fias large as the line cu
rms. of 14.52 A (rms).
Parâmetros:Vs = 120 V em 60 Hz , Ls = 1 mH , Rs = 1 mΩ, C =
1000µF e RL = 20 Ω.

Figura
Figure 5-2929: Neutral-wire
Tensão na fase a e corrente no neutro.
current in.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 61 / 106


Retificador dobrador de tensão
xd 12/15/09 3:48 PM Page 126
O circuito da Figura 30 funciona como um dobrador de tensão, tendo
uma saı́da de duas vezes o valor de pico da fonte.
C1 carrega até Vm através de D1 quando a tensão da fonte é positiva;
C2 carrega até Vm através de D2 quando a tensão da fonte é negativa.
C H AA E R 4 Full-Wave
P Ttensão de saı́daRectifiers
é a soma das tensões nos capacitores 2Vm .

D1
+
+
C1 ~ Vm

vs = +
Vm sin t vo ~ 2Vm

+
C2 ~ Vm
D2 –

(a)
Figura 30: Retificador dobrador de tensão.

+
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 62 / 106
Retificador dobrador de tensão
xd 12/15/09 3:48 PM Page 126

Este circuito é útil quando a tensão na saı́da de um retificador é maior


que o pico da tensão de entrada.
Circuitos dobradores evitam o uso de transformadores para elevar a
tensão, economizando no custo, volume e peso.
C H A P T E R 4 Full-Wave Rectifiers

D1
+
+
C1 ~ Vm

vs = +
Vm sin t vo ~ 2Vm

+
C2 ~ Vm
D2 –

(a)
Figura 31: Retificador dobrador de tensão.

+
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 63 / 106
C H A P T E R 4 Full-Wave Rectifiers

Retificador dobrador de tensão


D1
+
O retificador de onda completa com filtro + capacitivo na saı́da pode ser
C1 ~ Vm
combinado com o dobrador de tensão Figura
– 33.
vs = +
Quando a chaveVm sinestá
t aberta o circuito é similar ao
vo ~ retificador
2Vm de onda
completa, com saı́da aproximadamente+ Vm , para altos valores de ca-
C2 ~ Vm
pacitância. D2 –
Quando a chave está fechada o circuito age como – um dobrador de
(a)
tensão e a tensão de saı́da se torna 2Vm .
+

D1 D3 V = V C1
o m
vs(t) = +
Vm sin ( t) vo ~ Vm or 2Vm
Vo = 2Vm
D4 D2 C2

Figura 32: Retificador(b)de tensão dubla.

Figure
pedro.machado@ufjf.edu.br 4-7 (a)
(NAEP) Voltage doubler. (b) Dual-voltage rectifier.
Retificadores 2018 64 / 106
D1
+
Retificador dobrador de tensão +
C1 ~ Vm

vs = +
Este circuito dobrador
Vm sin t o ~ 2Vm
de tensão é útil quando o vequipamento é usado
em sistemas com diferentes padrões de+tensão.
C2 ~ Vm
D2
O circuito pode ser projetado para trabalhar
– com tensões de entrada

127 V e 220 V . (a)

D1 D3 V = V C1
o m
vs(t) = +
Vm sin ( t) vo ~ Vm or 2Vm
Vo = 2Vm
D4 D2 C2

Figura 33: Retificador(b)de tensão dubla.

Figure 4-7 (a) Voltage doubler. (b) Dual-voltage rectifier.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 65 / 106


Retificador de meia onda trifásico (star-rectifier )

ia

D1
ib io vP

D3
ic
va vo R
D5
vc vb

Figura 34: Topologia do retificador de meia onda trifásico.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 66 / 106


Formas de onda

va vb vc

VP =Vo

t
Va

Figura 35: Tensões trifásicas da fonte e tensão CC na carga

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 67 / 106


Para um retificador de q fases

O diodo conectado na fase mais positiva irá conduzir. Logo o valor


médio da tensão na carga pode ser calculado por:
Z T Z +T /2
1 1
Vo = vo dt = vo dt (38)
T 0 T −T /2

Ajustando o eixo das ordenadas para obter simetria pode-se escrever:


" Z +π/q #
1
Vo = 2 Vm cos(ωt)d ωt (39)
2π/q 0

Que resulta em:  


q  π
Vo = Vm sen (40)
π q

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 68 / 106


Os diodos irão conduzir?

ia

va

vc vb
ib

ic D2
R vo
io
D6

VN
D4

Figura 36: Topologia do retificador de meia onda trifásico.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 69 / 106


Formas de onda

va vb vc

va

VN =Vo
Figura 37: Tensões trifásicas da fonte e tensão CC na carga

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 70 / 106


Retificador trifásico em ponte completa

ia

D1
Io
VP

D2
va
D3
vc vb
ib R Vo

ic D2

D6

VN
D4

Figura 38: Topologia do retificador de onda completa trifásico.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 71 / 106


io
VP
ia
D1 D3 D5

va ib
vo
R VR
vc vb ic

D4 D6 D2

VN

Figura 39: Retificador de onda completa trifásico em ponte.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 72 / 106


Formas de onda

VP

Vo = VP - VN

VN
Vo

Va

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 73 / 106


Sequência de condução

No retificador trifásico em ponte irão conduzir os diodos que estiverem


conectados as fases mais positiva e mais negativa da fonte trifásica.
Desse modo a tensão CC será formada pela diferença entre duas
tensões CA da fonte de alimentação, ou seja:
D6 e D1 ⇒ Vo = Va − Vb = Vab
D1 e D2 ⇒ Vo = Va − Vc = Vac
D2 e D3 ⇒ Vo = Vb − Vc = Vbc
D3 e D4 ⇒ Vo = Vb − Va = Vba
D4 e D5 ⇒ Vo = Vc − Va = Vca
D5 e D6 ⇒ Vo = Vc − Vb = Vcb

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 74 / 106


Sequência de condução

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 75 / 106


Va Vb Vc
VP

Ed = VP-VN
Id
VP
ia t
D1 D3 D5

VN
Va ib
Ed
R VL Ed
Vc Vb ic

Va
D4 D6 D2
t
VN

D1 e D6
ON

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 76 / 106


Va Vb Vc
VP

Ed = VP-VN
Id
VP
ia t
D1 D3 D5

VN
Va ib
Ed
R VL Ed
Vc Vb ic

Va
D4 D6 D2
t
VN

D 1 e D2
ON

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 77 / 106


Va Vb Vc
VP

Ed = VP-VN
Id
VP
ia t
D1 D3 D5

VN
Va ib
Ed
R VL Ed
Vc Vb ic

Va
D4 D6 D2
t
VN

D 2 e D3
ON

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 78 / 106


Va Vb Vc
VP

Ed = VP-VN
Id
VP
ia t
D1 D3 D5

VN
Va ib
Ed
R VL Ed
Vc Vb ic

Va
D4 D6 D2
t
VN

D3 e D 4
ON

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 79 / 106


Va Vb Vc
VP

Ed = VP-VN
Id
VP
ia t
D1 D3 D5

VN
Va ib
Ed
R VL Ed
Vc Vb ic

Va
D4 D6 D2
t
VN

D4 e D 5
ON

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 80 / 106


Va Vb Vc
VP

Ed = VP-VN
Id
VP
ia t
D1 D3 D5

VN
Va ib
Ed
R VL Ed
Vc Vb ic

Va
D4 D6 D2
t
VN

D 5 e D6
ON

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 81 / 106


Valor da tensão CC média

Assumindo que o retificador trifásico é alimentado por de tensões


trifásicas tem-se que a tensão de saı́da do retificador no intervalo
π/6 < ωt < π/2 é igual a:

vo = va − vb = 3Vm sen (ωt + π/6) (41)

Desse modo tem-se que:


Z +T /2 Z π/2 √
1 1
Vo = vo dt = 3Vm sen (ωt + π/6)d ωt (42)
T −T /2 π/3 π/6

Que resulta em: √


3 3
Vo = Vm (43)
π

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 82 / 106


Efeito da indutância Ld sobre as formas de onda das
correntes

Id
Ld

D1 D3 D5
ia
Va Id
Vas ib
Ed
Vb R VR
Vcs Vbs
ic
Vc

D4 D6 D2

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 83 / 106


Sem Ld

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 84 / 106


com Ld

Ed

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 85 / 106


Figura 40: Formas de onda das correntes trifásicas.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 86 / 106


Retificador de doze pulsos não controlado

Vamos considerar as formas de onda de um retificador de seis pulsos


controlado cuja fonte CA está conectada em Y.

Io
Ld

D1 D3 D5
ia

va ib
Vo
R VR
vc vb
ic

D4 D6 D2

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 87 / 106


D1

VP

vc va vb

VN

D4
VoY

Io

t
30o 120o 60o 120o 30o
iaY

+Io

0
180o 360o
t
-Io

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 88 / 106


Vamos considerar as formas de onda de um retificador de seis pulsos
controlado cuja a fonte CA está adiantada de 30◦ .

Io
Ld

D1 D3 D5
ia

30o
va ib
Vo
vb R VR
ic

vc
D4 D6 D2

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 89 / 106


D1

VP

Vc Va Vb

VN

D4
VoD

Io

t
30o 120o 60o 120o 30o
i aD

+Io

0
180o 360o
t
-Io

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 90 / 106


Combinando os dois retificadores anteriores.

IoY
Ld
iS iY
VS
VoY R

30o
IoD
Ld
iD

VoD R

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 91 / 106


Combinando os dois retificadores anteriores.

VoY VoD

30o 120o 60o 120o 30o

+Id
iaY
0
t
180o 360o
-Id
ia D
ias

+Id

0
180o 360o
t
-Id

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 92 / 106


.qxd 1/8/2006 7:19 AM Page 49

Implementação da defasagem de 30◦

Utilização de transformadores com enrolamentos Y-Y e Y-∆.


3.3 Series-Type Multipulse Diode Rectifiers 49

i A = i a + i a~ N2 Llk ia id
vA a
A Ls iA N1
b
vB
c Cd 
B = 0° Vd
N3 Llk ia~
vC a~
C
~
b

c~ Six-pulse
= 30°
rectifier
(a) 12-pulse diode rectifier
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores id 2018 93 / 106
vC a~
C
Diagrama simplificado ~
b

O uso do transformador com enrolamentosc~ Y-Y Six-pulse


e Y-∆ permite que
= 30°
alguns harmônicos gerados por um dos retificadores sejam cancelados
rectifier
pelos harmônicos gerados pelo segundo retificador e vice-versa.
(a) 12-pulse diode rectifier
id
Llk ia
i A = ia + ia~
= 0°
Ls iA Cd 
Vd

Llk ia~

= 30°

(b) Simplified diagram


pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 94 / 106
A defasagem entre as tensão de linha medida no enrolamento
primário do transformador e a tensão medida no enrolamento
secundário é de 30◦ .
Para garantir que os dois retificadores terão a mesma tensão CC em
seus terminais de saı́da as relações de transformação devem ser
escolhidas como:
V1Y N1 V1Y N1 2
= =2 e, = =√ (44)
V2Y N2 V2∆ N3 3
A escolha dessas relações de transformação irá garantir também que a
corrente pela fonte CA será dividida de maneira equilibrada entre os
dois enrolamentos do transformador.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 95 / 106


Formas de onda
50 Chapter 3 Multipulse Diode Rectifiers

1.50
(pu) id
0.75
ia ia1 ( I a1 = 1 pu )
0

-0.75

-1.50
(a)
0.80
ia′ = ia / 2 THD = 24.1%
0.40
ia~′
0

-0.40

-0.80
(b)
1.50
i A = ia′ + ia~′ THD = 8.38%
0.75
i A1 ( I A1 = 1 pu )
0

-0.75

-1.50
0  2 3 4
(c)
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 96 / 106
3.3 Series-Type Multipulse Diode Rectifiers 51

/ I a 1
I an
n=1 THD = 24.1%
0.8
0.6 / I a 1 = I an
I an / I a 1
0.4
n=5 7
0.2 11 13 17 19
0
(a)
I a~ n / I a~ 1
n=1 THD = 24.1%
0.8
0.6 I a~ n / I a~ 1 = I a~n / I a~1
0.4
n=5 7
0.2
11 13 17 19
0
(b)
I A n / I A1
n=1
0.8 THD = 8.38%
0.6
0.4
0.2
11 13
0
0 250 500 750 1000 f (Hz)
(c)

Figure 3.3-3 Harmonic spectrum of the current waveforms in Fig. 3.3-2.

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 97 / 106


Mecanismo pelo qual os harmônicos são cancelados
30o 120o 60o 120o 30o
ia

+Io

0
180o 360o
t
-Io

Expandindo a forma de onda da corrente CA do retificador em sua


série trigonométrica de Fourier pode-se escrever:
1 T
Z
a0 = ia dt = 0 (45)
T 0
2 T
Z
an = ia cos (nωt) dt = 0 (46)
T 0
2 T
Z   
2  π 5π
bn = ia sen (nωt) dt = Id cos n − cos n (47)
T 0 nπ 6 6
pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 98 / 106
1/8/2006 8:06 AM Page 75

Mecanismo pelo qual os harmônicos são cancelados nos


retificadores de dose pulsos

4.3 12-Pulse SCR Rectifier 75

Figure 4.3-1 Block diagram of a 12-pulse SCR rectifier.

mary line-to-line voltage. The dc outputs


pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) of the two SCR rectifiers are connected
Retificadores 2018 99in
/ 106
.qxd 1/8/2006 8:06 AM Page 76
Formas de onda nos enrolamentos secundários dos
transformadores

76 Chapter 4 Multipulse SCR Rectifiers

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 100 / 106


A Série Trigonométrica de Fourier da corrente da fase “a” no
secundário do enrolamento Y-Y é dada por:
√ 
2 3 1 1 1
ia = Id sen (ωt) − sen (5ωt) + sen (7ωt) + sen (11ωt) −
π 5 7 11

1 1
− sen (13ωt) − sen (17ωt) + . . . (48)
13 17

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 101 / 106


A Série Trigonométrica de Fourier da corrente da fase “a” no
secundário do enrolamento Y-∆ é dada por:
√ 
2 3 1
iã = Id sen (ωt + 30◦ ) − sen(5 (ωt + 30◦ ))+
π 5

1 1
+ sen(7 (ωt + 30◦ )) + sen(11 (ωt + 30◦ ))−
7 11

1 ◦ 1 ◦
− sen(13 (ωt + 30 )) − sen(17 (ωt + 30 )) + . . . (49)
13 17

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 102 / 106


Quando a corrente do transformador Y-Y é refletida para o
enrolamento primário tem-se:
√ 
0 3 1 1 1
ia = Id sen (ωt) − sen (5ωt) + sen (7ωt) + sen (11ωt) −
π 5 7 11

1 1 1
− sen (13ωt) − sen (17ωt) + sen (19ωt) + . . . (50)
13 17 19

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 103 / 106


Quando a corrente do transformador Y-∆ é refletida para o
enrolamento primário tem-se:
√ 
0 3 1 1 1
iã = Id sen (ωt) + sen (5ωt) − sen (7ωt) + sen (11ωt) −
π 5 7 11

1 1 1
− sen (13ωt) + sen (17ωt) − sen (19ωt) + . . . (51)
13 17 19

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 104 / 106


Finalmente tem-se que a corrente pela fase “a” da fonte é dada por:
√ 
0 0 2 3 1
iA = ia + iã = Id sen (ωt) + sen 11 (ωt) −
π 11

1 1 1
− sen 13 (ωt) + sen 23 (ωt) − sen 25 (ωt) + . . . (52)
13 23 25

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 105 / 106


Formas de onda nos enrolamentos primários dos
transformadores

Figure 4.3-3 Current waveforms of the 12-pulse SCR rectifier (Ls = Llk = 0).

pedro.machado@ufjf.edu.br (NAEP) Retificadores 2018 106 / 106