Você está na página 1de 2

Síntese – EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: uma prática educativa

mediadora e mediatizada (Oreste Preti)

As grande mudanças sucedidas a partir da década de 50 fizeram com que a


sociedade enxergasse a formação como fator de produtividade e competitividade, sendo
fundamental para como estratégia de desenvolvimento. Dessa forma, a capacitação do
pessoal passa a receber interesse e é posto como prioridade, caracterizando-se por sua
constante melhoria do material utilizado. O ritmo acelerado das mudanças tecnológicas
fazem com que a qualificação fique defasada mais rapidamente.
O autor explica que o nível de formação dos jovens tornou-se imprescindível,
considerando que o mercado passou a exigir mais, e havia uma insuficiência de
qualificações. Além disso, fez-se necessário qualificar a mão de obra já existente por meio
de uma formação continua. Portanto, o crescimento pela busca de formação dá-se
principalmente pela classe trabalhadora por acesso à educação. O sistema educativo
formal ainda se apresenta incapaz de atender as grandes demandas, daí surge o
questionamento de como atender essas demandas por formação e renovação de
conhecimento.
A Educação a Distância (EaD), veio a partir do Século XX como uma alternativa,
a fim de cumprir com exigências sociais e pedagógicas, tendo o apoio de novas
tecnologias da informação e comunicação, passando a ocupar um lugar de destaque para
satisfazer as necessidades de formação e qualificação de pessoas adultas.
No final do Século XVIII já existia experiências de educação a distância, porém
sua expansão só veio a tona no Século XX, principalmente no nível superior. Pesquisas e
estudos mostram que as experiências dessa modalidade de educação são eficazes, não
somente para aqueles que não podem usufruir de uma ensino presencial, mas também
para aqueles que em algum momento venham a precisar desse tipo de qualificação. Essa
modalidade, nada tradicional, abre opções nas formas de ensino-aprendizagem,
considerando a facilidade de planejar e organizar os programas de estudo. Dessa forma,
é comprovada a eficácia da EaD.
A Educação a Distância como prática educativa, deve comprometer-se com
processos de luta para uma sociedade justa, solidária e igualitária. E como prática
mediatizada deve utilizar de recursos de tecnologias que garantam condições para a
efetivação do ato educativo. Elementos constitutivos dessa modalidade de educação,
apresentadas no artigo são: Distância entre professor e aluno, estudo individualizado e
independente, processo de ensino-aprendizagem mediatizado, uso de tecnologias e
comunicação bidirecional.
De acordo com Preti, a EaD é uma opção de grande abrangência e que deve utilizar
de novas tecnologias para alcançar os objetivos das práticas educacionais. Para isso
coloca-se como um conjunto de métodos, técnicas e recursos, disponíveis para a
população estudantil. Para atender todas as necessidades desse tipo de modalidade torna-
se necessário uma organização de seus componentes, o autor divide da seguinte forma:
aluno, professores especialistas, tutores, material didático e o centro de educação a
distância. Para isso faz-se necessário estar presente a comunicação e uma estrutura
organizada. No artigo, o autor ainda apresenta detalhadamente como está estruturado e
organizado os cursos em EaD.
O processo de definições dos cursos devem levar em consideração vários aspectos
como: a clientela, a viabilidade econômica e significância social, perfil dos candidatos,
princípios e abordagens e edificação de elementos curriculares. O desenvolvimento do
curso também é uma parte importante, onde é importante seguir todos os passos e etapas
de planejamento. Há todo um processo característico nesse tipo de ensino. A equipe que
oferece os cursos conta com: Coordenação geral, Administrativa, Pedagógica,
Professores/Especialistas e Secretária.
Petri mostra que um dos problemas enfrentados nessa abordagem de ensino-
aprendizagem é o isolamento geográfico entre alunos e tutores. Para isso é preciso
recorrer a vários meios para facilitar o processo de ensino-aprendizagem como: material
didático, e diferentes tecnologias de comunicação. O material didático pode ser dividido
em Material Impresso e Material Audiovisual. Outro papel fundamental dentro da
educação a distância é o tutor, através dele que é feita toda relação entre o cursista e
sistema, e ainda entre todos os elementos do processo. A tutoria pode acontecer de forma
presencial (Individual ou coletiva) e a distância (Telefone, Correspondência e
Telemática). Além disso o tutor participa de três fases: Planejamento, desenvolvimento
do curso e na fase posterior do desenvolvimento do curso.
Um dos pontos de maior cuidado na educação a distância, segundo Petri, trata-se
do processo avaliativo. Essa avaliação pode se dar em diferentes níveis como: Avaliação
de aprendizagem, Avaliação do material didático, Avaliação da modalidade, Avaliação
da tutoria, Avaliação do curso.
O artigo utilizado como base desta síntese, buscou apresentar diferentes aspectos
da Educação a Distância, desde a sua concepção, conceitos e organização. Por fim, o autor
esclarece que a educação a distância é imprescindível no oferecimento de uma educação
acessível e flexível a população.