Você está na página 1de 2

Juiz TJCE 2018

QUESTÃO 2

Maria decidiu alugar um imóvel de sua propriedade para Ana, que, no momento
da assinatura do contrato, tinha dezessete anos de idade.

Nessa situação hipotética, o contrato celebrado pelas partes é

A - nulo, uma vez que foi firmado por pessoa absolutamente incapaz, condição
que pode servir de argumento para Ana extinguir o contrato.

B - anulável, portanto passível de convalidação, ressalvado direito de terceiros.

C - válido, desde que tenha sido formalizado por escritura pública, visto que
tem por objeto um imóvel.

D - nulo, porque Ana deveria ter sido representada por um de seus genitores.

E - válido, ainda que Ana não possua capacidade de direito para celebrar o
contrato de aluguel.

Resposta:

Os negócios jurídicos celebrados com relativamente incapaz são anuláveis, no


presente caso Ana tinha 17 anos enquadrando-se nessa hipótese. No entanto,
esse contrato poderá ser convalidado após sua celebração, preservando sua
validade e eficácia.

Para resolver essa questão seria necessário o conhecimento dos seguintes


dispositivos do Código Civil:

Art. 4º São incapazes, relativamente a certos atos ou à maneira de os exercer:


os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos (...)

Art. 1.634. Compete a ambos os pais, qualquer que seja a sua situação
conjugal, o pleno exercício do poder familiar, que consiste em, quanto aos
filhos: (...) VII - representá-los judicial e extrajudicialmente até os 16
(dezesseis) anos, nos atos da vida civil, e assisti-los, após essa idade, nos atos
em que forem partes, suprindo-lhes o consentimento (...)

Art. 171. Além dos casos expressamente declarados na lei, é anulável o


negócio jurídico: I – por incapacidade relativa do agente (...)

Art. 172. O negócio anulável pode ser confirmado pelas partes, salvo direito de
terceiro.
Acesse o Código Civil no seguinte endereço: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406compilada.htm
Gabarito Letra B.