Você está na página 1de 3

Colégio

Pólis/Anglo - Ourinhos
Prof.a Claudia Fernandes Lazarini
Literatura – Barroco (parte III)
2018



Colégio Pólis/Anglo - Ourinhos
Prof.a Claudia Fernandes Lazarini
Literatura – Barroco (parte III)
2018


Sermões (Padre Vieira)
Sermão da Sexagésima: também conhecido como Sermão da Palavra de Deus; teorização sobre a arte de pregar, de natureza
metalinguística; ataque ao cultismo.
Sermão pelo bom sucesso das armas de Portugal contra as de Holanda: exortação aos baianos e portugueses para defenderem a
terra da ameaça de invasão holandesa; apóstrofes a Deus sobre os ricos que a fé católica corria diante da ameaça dos
protestantes católicos.
• 15 volumes , mais de 200 sermões (1630-1690), proferidos em Salvador, Lisboa, Cabo Verde, Roma entre outros lugares.
No séc. XVII o sermão (peça oratória que tinha uma média de 50 páginas) era um dos principais meios de comunicação, circulação de
informações e doutrinamento das populações cristãs na Europa e no novo Mundo. Era um dos meios de doutrinação e de reflexão sobre o
mundo, dos mais diversos assuntos: excessos dos senhores para com seus escravos no nordeste do Brasil; nascimento de um príncipe como
sinal de graça divina e do início de um novo Império universal; do demônio mudo que reside no espelho, até a omissão que gera a perda
das Conquistas. Supunham figuras, exemplos e mensagens adequadas ora no rei e sua corte portuguesa, ora a africanos escravizados nas
Américas, ora os príncipes e cardeais romanos.

Sermão da Quarta-feira de Cinzas:( 1672) “Já somos pó e não pode deixar de ser. Distinguimo-nos, os vivos dos mortos assim
como se distingue o pó do pó. Os vivos são pó levantado, os mortos são pó caído; os vivos são pó que anda, os mortos são pó
que jaz.”
Eis um breve resumo do “Sermão de quarta-feira de cinzas” escrito por Pe. Antônio Vieira no século XVII. O padre escreve
verdades que poucos são capazes de entender. Muitos se preocupam somente com a vida na terra, mas esquecem de que ela
não é eterna. Nesse curto tempo em que vivemos aqui, não devemos ter apego ao material e, para o autor, devemos cuidar da
nossa alma.
A frase “Sois pó e em pó vos haveis de converter”, já nos é falada desde que nascemos, mas nos preocupamos tanto com a vida
cotidiana e coisas materiais que nos esquecemos de verdades simples.
Colégio Pólis/Anglo - Ourinhos
Prof.a Claudia Fernandes Lazarini
Literatura – Barroco (parte III)
2018


Sermão de Santo Antônio aos Peixes: foi pregado em São Luís do Maranhão no ano de 1654, revelando assim em seus sermões
vícios e vaidades do homem, comparando-os aos peixes, censura os soberbos (roncadores), os pregadores (parasitas), os
ambiciosos (voadores), os hipócritas e traidores (polvos).
Sermão do Bom Ladrão: traz a distinção entre o ladrão comum, que furta para sobreviver, e o ladrão que, amparado pelo poder,
rouba as cidades e os reinos.

Você também pode gostar