Você está na página 1de 2

British Journal of Nutrition ( 2015), 113, 1664-1665

q Os Autores 2015

Carta para o editor

Compreender o papel dos probióticos na doença celíaca

(Primeira publicado online 14 de abril de 2015)

Lemos com grande interesse o artigo de Olivares et al. ( 1) razão para a melhoria. Um perito nutricionista em CD assegurada pacientes
intitulada 'duplo-cego, randomizado, estudo de intervenção controlado por placebo, consumiram 12 g de glúten / d durante o período do estudo. O ensaio realizado por
para avaliar os efeitos da B. longum CECT 7347 em crianças com doença celíaca Olivares et al. ( 1) foi baseada na administração do probiótico em conjunto com uma
recém-diagnosticada. Os autores relatam que a administração de Bi fi longum GFD. No entanto, a avaliação sintomática não é clara, e é difícil saber quantos
dobacterium CECT 7347 a doença celíaca recém-diagnosticados (CD) as crianças desses indivíduos eram não-respondedores à GFD (com ou sem B. longum
que também foram tratados com uma dieta livre de glúten (GFD) produz alterações
mínimas na microbiota intestinal e influencia a produção de alguns dos marcadores
inflamatórios. Contudo, B. longum O CECT 7347 não melhorar qualquer parâmetro suplementação), levemente sintomática, apesar da GFD ou admitidos à
clínico ou sintomática, além do fornecido pelo GFD. Com base nestes resultados, transgressão alimentar durante o estudo. A co-administração do probiótico com o
conclui-se que a administração do probiótico pode ajudar a melhorar o estado de GFD, como realizado no estudo de Olivares et al. ( 1), pode prejudicar a capacidade de
British Journal of Nutrition

saúde dos pacientes CD recém-diagnosticados em conjunto com um GFD. Nós detectar uma melhora sintomática ou biológico relacionado com o probiótico.
respeitosamente discordo que os resultados deste estudo, embora promissores,
ainda não garante a recomendação de qualquer probiótico como terapia adjuvante
para o GFD em CD. Em conclusão, a evidência para a clínica e fi cácia de probióticos no tratamento
de pacientes com DC está em sua infância. Embora os dados emergentes são
promissores, que gostaria de levantar uma nota de advertência que a evidência é
fraca e recomendações clínicas, assim, sólidos não são garantidos neste momento.
Outros estudos clínicos básicos e bem conduzidos que investigam o uso de
Há um grande interesse público no uso de probióticos como uma alternativa probióticos especí fi cos e os seus mecanismos de acção em populações maiores
segura para o tratamento de doenças crônicas em distúrbios inflamatórios, incluindo são necessários. Por exemplo, os pacientes naive de tratamento e / ou sobre uma
CD. No entanto, os probióticos são bactérias vivas e recomendação assim clínico GFD deve ser bem caracterizada por sintomas residuais e contaminação de glúten
para o tratamento de doenças crônicas devem basear-se em forte evidência clínica. de potencial, bem como outras mudanças dietéticas associados com a iniciação de
Desde o estudo de Olivares et al. ( 1) não demonstrou qualquer benefício adicional fi uma GFD que, por si só poderia induzir ligeiras alterações na microbiota, inato
cial efeito sintomático ou clínico pela adição de B. longum CECT 7347 com o GFD, parâmetros e sintomas. Além disso, evidências mecanicista ligação com clínica e fi
acreditamos que a alegação de que este probiótico 'poderia ajudar a melhorar a cácia deve ser procurado. De fato, 2), nós achamos que a administração de B. infantis para
saúde dos pacientes CD' é um pouco exagerada. embora anterior pacientes celíacos diagnosticados recentemente consumir glúten diminuição da
mucosa expressão de uma- defensina-5 em comparação com o placebo e levou a
valores semelhantes aos dos doentes com uma GFD ( 3), sugerindo melhora dos
em vitro e trabalho de base pelo mesmo grupo sugeriu potenciais bene fi efeitos sintomas, apesar da exposição ao glúten, que foram correlacionados com mudanças
oficiais, a tradução clínica desses resultados, como mostrado neste estudo, não é na imunidade inata.
forte. Também é difícil para conferir claramente clínica significação e atribuem um
oficial bene fi ou papel causal às alterações mínimas observadas na microbiota
neste contraste study.In à falta de melhora sintomática com B. longum CECT 7347,
uma doubleblind anterior, estudo ensaio clínico aleatório, controlado por placebo,
realizado pelo nosso grupo indicado clínico beneficios efeitos ciais B. infantis Natren
início da vida (NLS) super pressão sobre pacientes CD recém-diagnosticados ( 2). As
diferenças na clínica Cacy fi entre os dois estudos podem estar relacionados com
diferenças no desenho do estudo, as estirpes probióticas e dosagem utilizados. Uma
diferença importante entre os dois estudos é que, ao contrário do estudo de Olivares et Agradecimentos
al. ( 1), B. infantis NLS super estirpe foi administrado a pacientes com DC em uma
Nenhum dos autores tem qualquer con fl itos de interesse a declarar.
dieta contendo glúten, portanto, eliminando a possibilidade de exclusão de glúten
como o principal
Edgardo Smecuol 1
Mari 'a Ine's Pinto-Sa'nchez 2
Julio C. Bai 3
Carta para o editor 1665

1 Seção do intestino delgado,


Referências
Departamento de Medicina, Hospital de Gastroenterologı uma
1. Olivares H, Castillejo L, Varea V, et al. ( 2014) Duplo-cego, estudo de intervenção
Dr Carlos Bonorino Udaondo, Buenos Aires, Argentina
randomizado, controlado com placebo para avaliar os efeitos de Bi fi longum
2 Instituto de Pesquisa Farncombe Família Saúde Digestiva, dobacterium CECT 7347 em crianças com doença celíaca recém-diagnosticada. Br
J Nutr 112, 30-40.
McMaster University, Hamilton, Canadá
2. Smecuol E, Hwang HJ, Sugai E, et al. ( 2013) exploratória, randomizado,
3 Seção do intestino delgado, Departamento de Medicina, duplo-cego, controlado com placebo, sobre os efeitos de Bi fi infantis
dobacterium vida Natren começar super-tensão na doença celíaca ativa. J Clin
Hospital de Gastroenterologı 'a Dr. Carlos Bonorino Udaondo,
Gastroenterol 47,
Gastroenterology Chair, Univeridad del Salvador, 139-147.
Buenos Aires, Argentina 3. Smecuol E, Hui Jr H, Vazquez H, et al. ( 2013) Bi fi do-
esmecuol@intramed.net email infantis bactéria NLS tensão super reduz a expressão de
uma- defensina-5, um marcador de imunidade inata, na mucosa de pacientes com doença
doi: 10,1017 / S0007114515000847 celíaca não tratada. Gastroenterol 144, Suppl. 1, S894.
British Journal of Nutrition