Você está na página 1de 54
Educacao Inclusiva ee etaenr Arar tet Pre ur) Desenho Universal para a aprendizagem: Trilhos inclusivos Rumo ao sucesso educativo Maria Emilia Brederode oo ee ku eu) Oreo Pen eae me acompanhado ao longo deste percurso. Comemora-se este ano o aniversirio dos dez anos da Associacio e, para o elvito, iremos realizar no dia 13 de julho, nas instalagdes da Fundagio Calouste Gulbenkian, um Simpésio ‘Comemorativo para o qual, desde ji, vos convidamos. Estamos praticamente no término de mais um ano letivo. Um ano mar cado por grandes desafios para docentes, alunos e pais. Fértil em producao Pee ee eee et encom Aare pee ee ee Renn ko cree tornando-a um lugar mais acolhedor, humanista, equitativo ¢ inclusivo, com maiores indices de participacao e aprendizagem para todos os alunos. Cree tates Pee neere cre meNa uceran conCorees € projetos de formago que vao ao encontro dos interesses ¢ necessidades formativas dos seus associados e, deste modo, contribuir para a mudanga eee rece St eto e teen eee tentabilidade do paradigma inclusive enquanto fomentador de aprendi significativas para todos. em ainda, como objetivo central, contribuir para o desenvolvimen: ee eer aor eee eco sentidas pelos mesmos ¢ disseminando uma formagao de qualidade em Pee ete ene eR ae de contribuir para a melhoria das priticas educativas, numa perspetiva de Pe oer ee eer er ern ees tne eee eon entretanto existentes e que, pela sua pertinéncia e qualidade se tém imposto junto dos sécios; nomeadamente o ciclo de sibados "Falando com quem fa No préximo ano, este passard a apresentar um modelo e formato reno: vados, procurando ir ao encontro das politicas pablicas para a Educ Pee rea re ea eee eer err eee ne er ec ue ere co Sete eee Ra eee ce Ree € dirigido nao s6 a docentes, mas, inclusive, a outros pablicos. No mesmo mbito, em setembro de 2018, iniciar-se-4 um outro sobre “Perturbagdes do ‘Neurodesenvolvimento eee ec i noe oh Serer meer een caret cn GCeD) Pree tcr Srna econ ens en ee cera en de proporcionarmos uma maior proximidade aos s6cios. Para além do exposto, énossa inten¢do disponibilizar uma oferta form- Per ree eee ne cecetiece nue one ence cestudo, semindiios e simpdsios de variadas temticas, pertinentes e atuai Beet nr re een orton eo alunos, visando nao sé o desenvolvimento profissional dos docentes como também facilitar as condigées de emergéncia de boas praticas inclusivas. Peers Esteja atento ao nosso sitio http://efpinandee.weebly.con/. errr rm rs Per een P PRO-INCLUSAO rena ree aveogtorcusva evista cb Prosncust: Associate Mion fe Docent de Eaucneto Ese ‘tame bn ung 20 Sones Issn tee7-6798 Depanta Lega 312610 Dov Roiuee ‘nds Aes Da Lwrenea Evia Cesta Sve etn Nes Neto Sat cousewo eoromu ecientinco: ogee Para” Use sege Expt) Sow Nev Unw geUsboe Poze) ‘avd otine Un Now eListon Portgad ‘avd Radiges tne Page Ama Pera ances Ramos Lest Un Lueina Pore) Siok Saget = NGA Fars) Jee Merge eR Poraee) [at Poran Une de Aberdeen ino Uris) caine Rosngute~ ESE lan Page de Aras (Gone) ary Rose — Unde Abrdon (ino Uni) Wt naoon -Unv.ce Manone ere Un) big hg! Vrpe Un Se Slams (spe) Pulp Pareneud~ Unc se Gone Sues) Fonte oper = BE. UNESCO (ue Soames Hep - MEA ano Un) “Teenea de sos Pongal Prsincurto— Associate Naina Docares decascero Expos Soon re Posh, 99 Pong im: ©0051) 927198 S01 0098) 264 502105 Erm: proanéee Smale ‘Wasson ipspromcenneeacon hustacto cams two Taya ‘nogrrcataenoroom evens Barges sama, Coruna a0 eempes ‘eReserados lads os eos. robe» reproduc tt! ou aril sem permissSo opromietaro. swonessto ratPigra Ate Gece, Lan, ‘Sistas Asse “Hs (eoae 18 560048 Enah grtpapnaneatort Editorial “10 anos! E muito tempo?” bree les Grins comeeees ora Pesacaa asaraaeemeed do a cangio “Dez Anos é muito tempo". maieads eae aati Fin ton cine, rior meses Nas come tudo o que é humano, saber se é muito eee ar ers mnobeo tengo, Des anos ona caridads per una trie leta, mas um tempo infimo para um carvalho. Mas 0 que sio iba pat Pe chien ea ae de pac] enn ETN 2008 fundamos a Pré-Inclusio, pairava sobre esta iniciat a os paren ae ace e ‘Sais ima coeds de profacref ‘0 nono prejta nan: cell ates O isu de nts de Edens Inne nos tinha ensinado que, apostar na vidinha, é a melhor for- ma de a perder. E nés apostamos na Vida, isto é, num projeto Ei ites poo eas oa Sasa de. Claro que nao sabemos se fizemos tudo o que deviamos fazer nem se fizemos tudo como deveria ter sido feito. Mas Sor lia caesar Ga cmp tara SRST igo dainlate ums apota gaa ete conan ete facto pela simples consulta da atividade abrangente, intensa ceases aaa sis Wea oataal saa ame meee Baerga taper penn que acreditamos e que eremos sio de importancia central ‘impescndel par as oneal evocledader, Eat Scenes see ean een de (vista como justiga social) e a Inclus&o (encarada como Sumario © conjunto de mudangas que conduz & equidade). Nunca descolamos deste compromisso ¢ ele foi assumido nao “as vvezes', no “quando dé jeito”, mas sim de uma forma persis- tente, sdlida e constante. Estamos, agora como antes, con- vencidos que a Equidade e a Inclusao sao valores indispen- sdveis para ter uma educagéo de qualidade, uma educagao socialmente justa e uma educagao que contribua para uma sociedade mais fraterna, participada e justa, 10 anos de trabalho é ainda utopia: um projeto de fu- turo. Ser ut6pico nao é ser irrealista, ser ut6pico & antes de mais saber para onde se vai, saber onde e para que se jun- tam os nossos esforgos, os valores mais caros da nossa vida. Diz-se, por vezes que a Inclusio é uma utopia. Talver. seja, ‘mas € uma utopia que se move e que nos faz mover. E quem tiver duividas veja a diferenca que existe entre as condigées de hoje e as que tinhamos ha 20 ou mesmo 10 anos. A utopia move-se efaz-nos mover. E muito extensa a lista das pessoas que participaram connosco neste projeto, neste compromisso, nesta utopia Pessoas que nao receberam nada exceto aquilo que deram, pessoas que retiraram tempo, dinheiro, disponibilidade e energia das suas vidas para darem causa da Inclusio. Queria celebrar estes 10 anos (e vamos celebré-los no dia 13 de julho na Fundagao Calouste Gulbenkian) com todas estas pessoas para sentirmos este pulsar conjunto, este fré- mito de dar um sentido, uma polaridade ao que fazemos e a0 que acreditamos. Brindemos aos préximos 10 anos! Navegando tantas ve- zes contra o vento, mas chegando a Boa Esperanca. = David Rodrigues (06 Entrevista: Marla Emilia Brederode Presidente do Conselho Nacional de Eduesgio 07 artigo: David Rodrigues Inelustore elogio deuma cert forma deimperteledo 09 Artigo: Rute Pais ‘Trabalho por Projetos As interdependncias ‘elntersubjetsidedespromovem processos ‘de aprendizagem eresultam destes 32 Artigo: Mario Rai Simdes Lopes ‘Alunos com Necesidades Educativas Especial: O Perfil do Aluno do ‘Séeulo XX1,BiblotecasEscal Flexbilidade curricular 15 Artigo: fisabete Pinto (0s desatosdacrianga com PHDA, zo Is Ciclo EB -Eatrategas para (0s professores,em sala de aula 21 Artigo: Diregdo da Pré-Inclasdo- Asociagdo ‘Nacional de Docentes de Educagdo Expect Posigto da Pro Inclusio sobre a proposta, foragdo ao Decrote-Lein 3/2008, e7 dejanciro 24 artigo: Margarida Loureiro Sola Duarte ‘Um Olhar sobre os Pareceres do Conealho Aas Esclas «do Conselho Nacional de Edueagao sobre a proposta do Regime Legal para tncusio 28 Recensto:Fitima Cravelrnha Expressdesidiomiticas aos quadradinhos 129 Recensio: David Rodrigues Apesur-de tudo. Que podemos nés, professores faze? an tes Inclusvos..: ra Cristina Silvas Dossier Temético: Marla Manuela Ales Desenio Universal para a Aprendizagerm: ‘Trilhos inelsivosromo ao sucesso edcativa Organizagdo de Maria Manuela Aves, em calaboragde com Aicinda Almeida, Ana Merta Ferrera, Helena Nevese Marla Manuela Prata