Você está na página 1de 11
AULA: QUALIDADES FISIOLÓGICAS DO SOM Ø INTRODUÇÃO: O som é a propagação de uma frente

AULA: QUALIDADES FISIOLÓGICAS DO SOM

Ø INTRODUÇÃO:

AULA: QUALIDADES FISIOLÓGICAS DO SOM Ø INTRODUÇÃO: O som é a propagação de uma frente de

O som é a propagação de uma frente de compressão mecânica ou onda mecânica; esta onda se propaga de forma circuncêntrica, apenas em meios materiais - que têm massa e elasticidade, como os sólidos, líquidos ou gasosos.

Os sons naturais são, na sua maior parte, combinações de sinais, mas um som puro monotónico, representado por uma senóide pura, possui uma altura (frequência) que se mede em hertz (Hz) e uma intensidade (potência por unidade de área) que se mede em W/m 2 . Os sons audíveis pelo ouvido humano têm uma frequência entre 20 Hz e 20.000 Hz. Acima e abaixo desta faixa estão ultra-som e infra-som, respectivamente.

Seres humanos e vários animais percebem sons com o sentido da audição, com seus dois ouvidos, o que permite saber a distância e posição da fonte sonora: a chamada audição estereofônica. Muitos sons de baixa frequência também podem ser sentidos por outras partes do corpo e pesquisas revelam que elefantes se comunicam através de infra-sons.

Os sons são usados de várias maneiras, muito especialmente para comunicação através da fala ou,
Os sons são usados de várias maneiras, muito especialmente para comunicação através da fala ou,

Os sons são usados de várias maneiras, muito

especialmente para comunicação através da fala ou,

por exemplo, música. A percepção do som também

pode ser usada para adquirir informações sobre o

ambiente em propriedades como características

espaciais (forma, topografia) e presença de outros

animais ou objetos. Por exemplo, morcegos, baleias e golfinhos usam a ecolocalização

para voar e nadar por entre obstáculos e caçar suas presas. Navios e submarinos usam

o sonar; seres humanos recebem e usam informações espaciais percebidas em sons.

Ø CARACTERÍSTICAS FISIOLÓGICAS do SOM:

A L T U R A

Diferencia sons AGUDOS (frequência alta) de sons GRAVES (frequências baixas)

I N T E N S I D A D E

Diferencia sons FORTES (mais potentes) de sons FRACOS (menos potentes)

A sensibilidade de cada ouvido varia com a frequência do som, ou seja, um ouvido

A sensibilidade de cada ouvido varia com a frequência do som, ou

seja, um ouvido é mais sensível para uma determinada frequência,

e menos sensível para outras.

T I M B R E

Diferencia sons originados em fontes distintas a partir de suas envoltórias (ver figuras a seguir)

outras. T I M B R E Diferencia sons originados em fontes distintas a partir de
outras. T I M B R E Diferencia sons originados em fontes distintas a partir de
AULA: NÍVEL DE INTENSIDADE SONORA Ø NÍVEL de INTENSIDADE SONORA : b = log (

AULA: NÍVEL DE INTENSIDADE SONORA

Ø NÍVEL de INTENSIDADE SONORA:

DE INTENSIDADE SONORA Ø NÍVEL de INTENSIDADE SONORA : b = log ( I / I

b = log ( I / I 0 )

Ø NÍVEL de INTENSIDADE SONORA : b = log ( I / I 0 ) Alguns

Alguns exemplos

SONORA : b = log ( I / I 0 ) Alguns exemplos O nível sonoro

O nível sonoro de 120 dB corresponde ao limiar da sensação dolorosa.

: b = log ( I / I 0 ) Alguns exemplos O nível sonoro de
AULA – TUBOS SONOROS Ø TUBOS SONOROS: Os tubos ressoam quando ventres coincidem com as

AULA – TUBOS SONOROS

Ø TUBOS SONOROS:

AULA – TUBOS SONOROS Ø TUBOS SONOROS: Os tubos ressoam quando ventres coincidem com as extremidades
AULA – TUBOS SONOROS Ø TUBOS SONOROS: Os tubos ressoam quando ventres coincidem com as extremidades

Os tubos ressoam quando ventres coincidem com as extremidades abertas do tubo, daí:

L = 2.(l /4) ou 4.( l /4) ou 6.( l /4)

Então:

Sendo N o número do harmônico: l N = 4L / (2N ) =2L / N

N o número do harmônico: l N = 4L / (2N ) =2L / N f

f = N.v/2L

o número do harmônico: l N = 4L / (2N ) =2L / N f =

Para N = 1, temos a frequência fundamental:

f = v / 2L

Os tubos ressoam quando ventres coincidem com a extremidade aberta do tubo e nós com
Os tubos ressoam quando ventres coincidem com a extremidade aberta do tubo e nós com
Os tubos ressoam quando ventres coincidem com a extremidade aberta do tubo e nós com

Os tubos ressoam quando ventres coincidem com a extremidade aberta do tubo e nós com a parte fechada, daí:

L = 1.(l /4) ou 3.( l /4) ou 5.( l /4)

Então:

Sendo N o número do harmônico: l N = 4L / (2N -1 )

Sendo N o número do harmônico: l N = 4L / (2N - 1 ) f

f = (2N 1) . v/4L

do harmônico: l N = 4L / (2N - 1 ) f = (2N – 1)

Para N = 1, temos a frequência fundamental:

f = v / 4L

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO Aula - Qualidades Fisiológicas do Som - Exemplo 01 ( PUC PR

EXERCÍCIOS DE APLICAÇÃO

Aula - Qualidades Fisiológicas do Som -

Exemplo 01 (PUC PR):

Sobre conceitos e aplicações da Acústica, assinale a alternativa incorreta:

a) Ondas sonoras são ondas mecânicas longitudinais.

b) As ondas sonoras propagam-se mais rapidamente nos sólidos e líquidos do que nos

gases.

c) Quando mais grave for o som emitido, maior será a frequência da onda sonora

respectiva.

d) Na extremidade aberta de um tubo sonoro que produz um harmônico, há um ventre

de onda sonora estacionária.

e) O timbre de uma onda sonora pode identificar a fonte sonora que o produziu.

Exemplo 02 (UFMG):

Ao tocar um violão, um músico produz ondas nas cordas desse instrumento. Em consequência, são produzidas ondas sonoras que se propagam no ar. Comparando-se

uma onda produzida em uma das cordas do violão com a onda sonora correspondente, é correto afirmar que as duas têm

a) a mesma amplitude.

b) a mesma frequência.

c) a mesma velocidade de propagação.

d) o mesmo comprimento de onda.

a) a mesma amplitude. b) a mesma frequência. c) a mesma velocidade de propagação. d) o
Exem plo 0 3 ( UFF RJ ): Ondas sonoras emitidas no ar por dois

Exemplo 03 (UFF RJ):

Ondas sonoras emitidas no ar por dois instrumentos musicais distintos, I e II, têm suas amplitudes representadas em função do gráfico a seguir.

amplitudes representadas em função do gráfico a seguir. A propriedade que permite distinguir o som dos
amplitudes representadas em função do gráfico a seguir. A propriedade que permite distinguir o som dos

A

propriedade que permite distinguir o som dos dois instrumentos é:

a)

o comprimento de onda

b) a amplitude

c)

o timbre

d) a velocidade de propagação

e)

a frequência

Exemplo 04 (FUVEST SP):

O som de um apito é analisado com o de um medidor que, em sua tela, visualiza o padrão apresentado na figura abaixo. O gráfico representa

a variação da pressão que a onda sonora exerce

sobre o medidor, em função do tempo, em µs ( = 10 -6 s). Analisando a tabela de

intervalos de freqüências audíveis, por diferentes seres vivos, conclui-se que esse apito pode ser ouvido apenas por:

intervalos de freqüências audíveis, por diferentes seres vivos, conclui-se que esse apito pode ser ouvido apenas
intervalos de freqüências audíveis, por diferentes seres vivos, conclui-se que esse apito pode ser ouvido apenas
intervalos de freqüências audíveis, por diferentes seres vivos, conclui-se que esse apito pode ser ouvido apenas
a) seres humanos e cachorros. b) seres humanos e sapos. c) sapos, gatos e morcegos.

a) seres humanos e cachorros.

b) seres humanos e sapos.

c) sapos, gatos e morcegos.

d) gatos e morcegos

e) morcegos

AULA - Nível de Intensidade Sonora -

Exemplo 01 (UFRGS RS):

A menor intensidade de som que um ser humano pode ouvir é da ordem de 10 -16 W/cm 2 . Já a maior intensidade suportável (limiar da dor) situa-se em torno de 10 -3 W/cm 2 .

Usa-se uma unidade especial para expressar essa grande variação de intensidades percebidas pelo ouvido humano: o bel (B). O significado dessa unidade é o seguinte: dois sons diferem de 1B quando a intensidade de um deles é 10 vezes maior (ou menor) que a do outro, diferem de 2B quando essa intensidade é 100 vezes maior (ou menor) que a do outro, de 3B quando ela é 1000 vezes maior (ou menor) que a do outro, e assim por diante. Na prática, usa-se o decibel (dB), que corresponde a 1/10 do bel. Quantas vezes maior é, então, a intensidade dos sons produzidos em concertos de rock (110 dB) quando comparada com a intensidade do som produzido por uma buzina de automóvel (90 dB)?

a) 1,22

b) 10

c) 20

d) 100

e) 200

comparada com a intensidade do som produzido por uma buzina de automóvel (90 dB)? a) 1,22
Exemplo 0 2 ( UnB DF ): A intensidade l de uma onde sonora, medida

Exemplo 02 (UnB DF):

A intensidade l de uma onde sonora, medida em W/m 2 , possui uma faixa de valores muito grande. Por essa razão é conveniente o uso de logaritmos em seu cálculo. O nível sonoro b , medido em decibéis (dB), é definido por b = 10.log10(l/l 0 ), onde l 0 é uma intensidade de referência padrão. O nível sonoro de uma sala de aula típica é b 1 = 50 dB, enquanto que o nível sonoro mais intenso que um ser humano pode suportar antes de sentir dor é b 2 = 120 dB. A razão entre as intensidades sonoras l 2 e l 1 é:

a) 10 elevado a 4

b) 10 elevado a 5

c) 10 elevado a 6

d) 10 elevado a 7

e) 10 elevado a

Exemplo 03 (UFPE 2ª fase):

Quando uma pessoa se encontra a 0,5 m de uma fonte sonora puntiforme, o nível de intensidade do som emitido é igual a 90 dB. A quantos metros da fonte ela deve permanecer de modo que o som tenha a intensidade reduzida ao nível mais suportável de 70 dB? O nível de intensidade sonora, medido em decibéis (dB), é calculado através da relação: N = 10 log (I/I 0 ), onde I 0 é uma unidade padrão de intensidade.

AULA - Tubo Sonoros

Exemplo 01 (PUC SP):

Têm-se dois tubos sonoros, A e B, cheios de ar. A é aberto e B, fechado, ambos com o comprimento de 85 cm. Quais as frequências fundamentais em Hz, em A e B, respectivamente, se a velocidade do som no ar é de 340 m/s?

a) 100 e 200

b) 100 e 400

c) 200 e 100

d) 300 e 400

e) 400 e 300

Exemplo 0 2 ( UNIRIO RJ ): Um tubo de comprimento L, aberto em ambas

Exemplo 02 (UNIRIO RJ):

Um tubo de comprimento L, aberto em ambas as extremidades, emite um som fundamental de frequência f 1 . O mesmo tubo, quando fechamos uma de suas

extremidades, passa a emitir um som fundamental de frequência f 2 . O valor da razão f 1 / f 2 corresponde a:

a) 2

b) 1

c) ½

d) ¼

e) 1/8

Exemplo 03 (UFRJ):

O canal que vai do tímpano à entrada do ouvido pode ser considerado como um tubo cilíndrico de 2,5cm de comprimento, fechado numa extremidade e aberto na outra. Considere a velocidade do som no ar igual a 340 m/s. Calcule a frequência fundamental de vibração da coluna de ar contida nesse canal.

de vibração da coluna de ar contida nesse canal. Exemplo 0 4 ( FUVEST SP ):

Exemplo 04 (FUVEST SP):

Um músico sopra a extremidade aberta de um tubo de 25 cm de comprimento, fechado na outra extremidade, emitindo um som na frequência f = 1700 Hz. A velocidade do som no ar, nas condições do experimento, é v = 340 m/s. Dos diagramas abaixo, aquele que melhor representa a amplitude de deslocamento da onda sonora estacionária, excitada no tubo pelo sopro do músico, é:

melhor representa a amplitude de deslocamento da onda sonora estacionária, excitada no tubo pelo sopro do