Você está na página 1de 1

Barrigas Solidárias

Desenvolvimento:

 TRATAMENTO: O casal que desejar um filho biológico e precisar


recorrer ao útero de substituição, terá de se submeter ao tratamento de
fertilização in vitro para formação de embriões. Depois do processo, os
embriões serão transferidos para o útero de uma doadora temporária que
fará a gestação do bebê.

 A maternidade de substituição ou gestação de substituição é uma prática


regulada no Brasil, estando acessível a casais que por razões médicas se
encontram impossibilitados de ter filhos. A prática, mesmo sendo feita
dentro da lei, pode gerar alguns problemas. Um dos mais comuns é quando
a dona da barriga desiste de entregar a criança por causa do laço afetivo
criado durante a gestação. "Os especialistas envolvidos no processo
aconselham o casal e a responsável por gerar a criança a buscarem ajuda
médica, psicológica e jurídica. A gestante não tem direito sobre a criança,
assim como a herança ou a custódia. Ela terá direito a todo
acompanhamento médico antes e após o parto".
As disposições legais vigentes protegem os interesses das partes envolvidas
no processo e proíbem quaisquer formas de compensação monetária,
garantindo que esta prática não possa ser transformada em negócio. A
realidade nem sempre é tão ética assim
Apesar de ser um processo relativamente simples, a prática de barriga
solidária no Brasil muitas vezes acontece sem respeitar os limites impostos
pelas resoluções do CFM(Conselho Federal de Medicina) . Não é nem um
pouco difícil encontrar pela internet mulheres disponibilizando seus úteros
por valores que variam de R$ 5 mil e R$ 30 mil e, na outra ponta, casais
oferecendo dinheiro a mulheres com perfis sócio-econômicos que os
agradem.