Você está na página 1de 80

Desenvolvimento

das aves
2016
Sumário
• Introdução
• Fecundação e fertilização
• Características do Ovo
• Determinismo da simetria bilateral
– Rotação do ovo no Oviducto
– Apresentação do ovo no Útero - Regra de Von Baer
– Orientação Dominante
– Momento de Simetrização
• Desenvolvimento embrionário de Aves (galinha)
– Segmentação: blastoderme e blastocela
– Gastrulação: linha primitiva
– Gastrulação: Mapa dos territórios presumíveis
– Estagio de16, 18 e 24 horas
• Anexos embrionários
Objectivos
No fim desta aula o estudante deve:
• Conhecer o processo de formação do ovo,
• Indicar como o ovo é constituído e suas funções,
• Descrever as particularidades do aparelho reprodutor das aves,
• Descrever o desenvolvimento embrionário das aves - factores e
mecanismos de controle dos processos,
• Descrever as funções dos anexos embrionários,
• Explicar algumas questões relacionadas as características dos
ovos.
Evolução dos tetrápodes amniotas
terrestres
• Os anfíbios foram os primeiros vertebrados a habitar o meio
terrestre.
• Evoluíram há cerca de 300 milhões de anos e, em termos
evolutivos, situam-se entre os peixes e os répteis.
• A conquista do meio terrestre não foi definitiva porque os
anfíbios, que habitam ambientes terrestres, dependem do meio
aquático para sua reprodução.
• Os ovos não apresentam casca protectora nem anexos
embrionários (estruturas relacionadas à adaptação ao meio
terrestre), por isso precisam ser mantidos constantemente
húmidos.
• As formas jovens desenvolvem-se na água e dela dependem para
a respiração branquial (feita por meio das guelras ou brânquias).
Evolução dos Tetrápodes Amniotas
Terrestres
Modificação na estrutura do ovo

Ovos maiores
+
Ovos melhor equipados
O armazenamento de uma maior quantidade de vitelo
permitiu a supressão do estágio larval dos anfíbios.
+
Colocados em situações protegidas
Evolução dos Tetrápodes Amniotas
Terrestres
Modificação na estrutura do ovo

Ovo amniótico = casca coriácea, flexível (lagartos,


quelónios) – casca permeável à água.

Ovo cleidóico = casca calcária, rígida (aves, alguns


lagartos e quelónios) – ovo impermeável
Características das Aves
• As aves são animais :
– dióicos (machos e fémeas)
– ovíparas, (embrião se Gallus gallus domesticus

desenvolve dentro de um ovo


em ambiente externo sem
ligação com o corpo da mãe)
– com fecundação interna e
– desenvolvimento directo
– ovo é terrestre de casca
rígida que os protege do
ressecamento (ovo cleidóico).
Ovo e casca do ovo
Desenvolvimento das Aves
1. O estudo do
desenvolvimento da
aves são fixados em
função:
1. da cronologia do
desenvolvimento e,
2. critérios de
aparecimento dos
caracteres
morfológicas

2. Ovo da galinha
1. Gallus gallus domesticus
Morfologia do
Aparelho Reprodutor
das Aves
Sistema reprodutor
da ave (Macho)
• Testículo é intracavitário
=> não existe
termorregulação.
• O macho não possui plexo
pampiniforme.
• Maturidade Sexual => 5 a
9 meses.

A atividade sexual é sincronizada pela luz


– fotoperiodismo- (estação do ano para a
garantia de sobrevivência da prole).
Receptores localizados no hipotalamao
Macho

Volume do
sémen é
baixo devido
à inexistência
de glândulas
bulbo-
uretrais,
próstata ou
glândulas
vesiculares.
Sistema reprodutor da ave (Fémea)
A
• O sistema reprodutor feminino é
formado pelo ovário (A) e oviducto
(B)- desenvolvido só do lado
esquerdo,
B
• A regressão do oviducto direito é
determinado pela hormona anti-
Mullerian (AMH) secretada pelo
ovário,

• Maior numero de receptores de


estrogénio do lado esquerdo suprime
o efeito do AMH e permite o seu
desenvolvimento,
Fémea
• As oogónias multiplicam-se
durante a vida embrionária
• Ao nascer, o ovário contém vários
milhares de pequenos
óocitos(gemas) ligados pelo
estroma.
• Cada oocito está contido no seu
próprio saco ou folículo.
• A gema e formada por
incorporação de nutrientes, tais
como minerais, proteínas e •A gema se forma em 3 fases
distintas: 1.Fase Embrionária=>
lipídios ao citoplasma do oócito . Até o 14º dia de incubação;
2.Fase de crescimento lento =>
• O fígado é que produz o vitelo Da fase embrionária até 8-10
através da vitelogenina. dias antes da ovulação; 3.Fase
de crescimento rápido => Da
Vitelogenina
Os nutrientes oriundos do metabolismo hepático são e
incorporados ao ovócito através das células da granulosa.

(Estrogenio)

(Vitelogenina)
A

Fémea
• O sistema reprodutor feminino 1
é formado pelo ovário (A) e
oviducto (B).
2 B
• Diferente dos mamíferos, deve-
se considerar como oviducto da
ave a parte do sistema genital
que se estende desde o ovário 3
até a cloaca.
4
• O oviducto de aves tem
cinco partes:
1. Infundíbulo, 2. Magno, 3. 5
Istmo, 4. Útero, 5. Vagina e
cloaca.
Ovario (esquerdo)

As oogónias multiplicam-se
durante a vida embrionária
Apos o nascimento os oocitos
primarios acumulam vitelo
•O fígado é que produz o
vitelo através da vitelogenina
•6 -14 dias antes da ovulação
o volume aumenta 200 vezes
Ovulação
Ovulação
• 6 -14 dias antes da ovulação o
volume aumenta 200 vezes
• Na ovulação é libertado um
oócito secundário estacionado
na metáfase.
• Ocorre por rompimento do
estigma (local menos
vascularizado) sem
sangramento nem formação
de corpo lúteo, como nos
mamíferos.
• Ocorre uma ovulação a cada 25
horas cronometrado pelo ciclo
da luz
FORMACAO DO OVO DE
GALINHA
Fecundacao nas Aves
Copula
• Ocorre por aposição das cloacas
• Durante a cópula o macho transfere
espermatozóides para a fêmea através da
justaposição das aberturas cloacais de
ambos.
• Na vagina há retenção dos
espermatozóides para futuras
fecundações (Os espermatozóides
permanecem viáveis na galinha por 10 a
14 dias e na perua por cerca de 50 dias.
• A fecundação ocorre geralmente na
região superior do oviduto.
Fertilização nas Aves
Ruptura folículo secundário
• A fertilização ocorre geralmente na
região superior do oviduto. Reação
acrossômica
• O ovócito secundário entra no
infundíbulo nos pirmeiros 15 minutos
após a ovulação.
• Anfimixia dos pronucleos
(polispermia 2 ou 3 mas só 1 penetra
os outros degeneram).
• A polispermia é característica nos
ovos com grande quantidade de
vitelo. Spz = espermatozoide
Fecundacao das Aves
Trânsito do ovo no oviducto
• Dura cerca de 22-24 horas após a
ovulação
• Em relação ao embrião
– Momento de determinação da
simetria bilateral
– O desenvolvimento embrionario
inicia e a segmentação está
praticamente terminada na hora
da postura/Ovoposição.
CARACTERÍSTICAS FUNÇÕES TEMPO Temp
ANATÓMICAS o
Tota
Ovári

Compri
mento
Folículos  Elaboração de gametas 150 dias
o

(cm) femininos
7
 Ovulação – o oócito (gema) possui
a membrana perivitelinica interna
9 Infundíbulo  Fecundação 20 min


Oviducto

Formação do Albúmen 3 h e 30”


33 

24 a 25 horas
Magno/ Adição de Mucina
Magnum  Adição de minerais
1h e 15”
10
Istmo  Formação das membranas da
casca (interna + externa)

10 Útero  Adição de fluido ao 21 horas


 Formação da casca e
 Deposição da cutícula
Secrecao de muco que facilita Poucos
10 Vagina postura do ovo minutos
Cloaca  Passagem do Ovo
 Oviposição (expulsão do ovo)
Determinação da simetria
bilateral
• Rotação do ovo no oviduto
• Momento de simetrizacao
• movimento lento de rotação é impresso
ao ovo pelas paredes do oviduto,
segundo seu eixo longo e sempre no
mesmo sentido.
• A rotação é certificada pelo enrolamento
das calazas - fibras de mucina que é
expurgado do albúmen – consequência
forma o albúmen fluído.
• Mais frequente é o enrolamento
conforme: calaza destra do lado maior e
sinistra extremidade menor--» orientação Enrolamento inverso
menos frequente
conforme -
Determinação da Simetria Bilateral – Regra
de von Baer
• A posição do ovo no útero permanece Lado maior -Esquerdo
fixa, a extremidade pequena para
frente, isto é, em direção da cloaca -
acontece em 90% dos casos na
galinha
Momento da simetrização:
• O desenvolvimento do embrião sobre
a gema não se dá numa posição
qualquer.
Eixos
Eixos
• O eixo céfalo-caudal ( )do A-P
embrião é perpendicular ( ) ao D-V

eixo que vai do lado pequeno ao lado Lado menor -Direito


maior do ovo. Lado esquerdo e direito já esta determinado a
Lado Esquerdo e Direito do
Embrião
Adicionando o resultado da
interação complexa genética no
domínios da expressão de genes
específicos do lado esquerdo e
direito determinam esse eixo (E-D).

Conclusão:
Nas aves, a segmentação já está
bem adiantada quando se
estabelece a simetria bilateral,
ficando a organogenese fixada
Definitivamente
Nos anfibios o crescente cinzento
determina os eixos corporais
DESENVOLVIMENTO DO
EMBRIÃO
Desenvolvimento Embrionario
O desenvolvimento do embrião no interior do ovo se dá em
duas etapas, a saber:
1. Desenvolvimento antes da postura: ovo ainda no oviduto
2. Desenvolvimento após a postura.

• Existe ainda uma terceira etapa que pode ocorrer, e que


se refere ao período após a postura e início da
incubação, neste período pode ocorrer eventos não
desejáveis ao processo de incubação em função de
variações de temperatura e umidade que interferem
diretamente no desenvolvimento do embrião.
Desenvolvimento do Embrião
• Crescimento do embrião:

• O Blastodisco fertilizado
(agora chamado de
blastoderme) cresce e se
torna o embrião.

• Inicia-se a segmentacao:
– Parcial discoidal --»
telolecitico
Desenvolvimento embrionario
• Cerca de cinco horas após a
fertilização o zigoto entra no
istmo e é aqui que o novo
embrião começa a
desenvolver por divisão
celular simples.
• No momento em que o ovo
deixa o istmo, o zigoto, agora
chamado da blastoderme ou
embrião, compreende oito
células e distingue-se Área
opaca e Área pelúcida
Clivagem /Segmentação
• Clivagem meroblastica- parcial, discoidal e bilateral.

Fonte: Garcia, S. M. L. de; Garcia, C. F. Embriologia. 2.ed. Porto Alegre: ARTMED, 2001. p.235.

• A clivagem ocorre na cicatrícula (região sem vitelo),


• Os sulcos não dividem o vitelo, por isso é parcial e discoidal
• As primeiras clivagens, que são meridionais.
• A seguir, as clivagens são equatoriais (separarão os blastômeros do
vitelo)
Segmentação
•Nas aves, a segmentação
dá-se durante o seu trânsito
no oviduto
•Somente os blastômeros
centrais apresentam limites
periféricos.
•O período crítico da
clivagem situa-se entre 6 e
8 horas antes da postura
(no caso da galinha).
•O espaço entre a
blastoderme (ou
blastodisco) e a massa de
vitelo é a blastocela (ou
cavidade subgerminativa).
Clivagem e formação do epiblasto
e hipoblasto no embrião
Sulco da
Clivagem

Blastoderme

Zona
Pelucida e
Opaca
Epiblasto--» embriao
Zona
posterior Hipoblasto--» tecidos
marginal extraembrionarios
Koller’s
sickle Zona posterior marginal
define a regiao dorsal
A D e posterior
Primitive
streak Ingressao
P V (celulas movem para dentro
individualmente)
OVIPOSIÇÃO
• Aproximadamente de 24 a 26 horas após a ovulação, o ovo já
está formado no oviduto e a postura ocorre por contrações
da parede do útero.

• A literatura tem demonstrado que essas contrações são


determinadas pelas Prostaglandinas das séries E e F (PGF2-
alfa, PGE 1 , PGE 2 ) além de hormônios hipotalâmicos tais
como a arginina-vasotocina.

• O que “dispara” a postura quando o ovo está pronto para ser


posto é ainda desconhecido.
• Um ovo recém-depositado é provido de todas as estruturas
OVIPOSIÇÃO
• As aves de modo geral tendem a realizar a postura de um ou
vários ovos, para depois incubá-los.

• CICLO DE POSTURA - Número de dias em que a ave realiza a


postura em relação àqueles que não faz.
• Pode ser regular ou irregular.
– Irregular = quando a galinha põe durante alguns dias seguidos,
descansa um intervalo de tempo e volta à postura.
• TAXA DE POSTURA - Número de ovos produzidos durante um
período de tempo determinado.
Incubação
• Algumas espécies de aves começam a incubação assim que
é posto o primeiro ovo, enquanto outras esperam
completar a postura.

• O comportamento da incubação é estimulado pela


prolactina, secretada pela hipófise, que também inibe a
ovulação.

• A temperatura dos ovos durante a incubação é usualmente


mantida no intervalo de 33 º C a 37 º C

• Os pais viram os ovos várias vezes por hora, os ovos são


rolados para frente e para trás
Incubação
O choco das aves domésticas é caracterizado por alterações hormonais e
comportamentais provavelmente determinado pela redução da
fotossensibilidade hipotalâmica.

1- Mudanças hormonais
- Aumento da Prolactina (relacionado com o hábito de deitar sobre os
ovos)
- Aumento da Tiroxina (relacionado com crescimento de novas penas)
- Redução da Progesterona e provavelmente do LH

2- Mudanças de comportamento
- Cessação da postura e maior permanência no ninho

3- Mudanças anátomo-fisiológicas
- Regressão do ovário e trato genital
- Diminuição do peso do fígado
- Anorexia
- Hiperemia
Gastrulação em aves

Ingressão da mesoderme e endoderme durante a gastrulação


do embrião da galinha

Gastrulacao começa
com a formação da
linha primitiva
A atraves do cabo de
Koller

Linha primitiva =
blastoporo anfibios

P
Clivagem e formação do epiblasto
e hipoblasto no embrião
Sulco da
Clivagem

Blastoderme No corpo materno

Zona
Pelucida e
Opaca
Epiblasto--» embriao
Zona
posterior Hipoblasto--» tecidos
marginal extraembrionarios
Koller’s
sickle Zona posterior marginal
define a regiao dorsal
A D e posterior
Primitive
streak Ingressao
P V (celulas movem para dentro
individualmente)
Neurulacao
Neurulação
Durante a regressão do Nó de Hansen formam-se:
a Notocorda e
a Prega Cefalica
Neurulação
• O no de Hensen move-se na direção posterior do embrião e
varias estruturas formam-se na região anterior dela
1) Prega cefálica (origem ectoderme e endoderme)
2) A notocorda e somitos (da mesoderme)
3) Tubo neural forma-se acima da notocorda (origem
ectoderme)
• As estruturas anteriores forma-se primeiro e so depois as
estruturas anteriores
• A prega cefalica separa-se para formar o coracao e intestino
Somitos e tubo neural

A cada 90 minutos surge 1


par de somites na “galinha”.

Prega
cabeca

40-somitos (3d
depois da
postura)
Nó de
Hensen
13-somitos 20-somitos
A ordem temporal da formacao dos somitos é especificada,
incialmente no desenvolvimento embrionario

Somite

Muscle,
vertebrae,
ribs,
dermis

1. A formacao dos somitos é um processo autonomo.


2. Nenhum sinal ou tempo especifica a posicao antero-
posterior.
3. Um padrao molecular foi definido na mesoderme presomitica
Somitos

• O ciclo de
expressão do gene
c hairy1:passa da
mesoderme pré-
somitica posterior
para anterior a
cada 90 min.

Um relógio interno na mesoderme pre-


somitica:
Ciclos periódicos de expressão do gene.
A

Desenvolvimento
do tubo neural e
mesoderme

P
Destino dos folhetos
embrionarios
Ás 72h dá-se divisão completa das diferentes partes do
cérebro:
Destino dos folhetos
embrionarios
• EPIBLASTO: pele, penas, bico, unhas,
sistema nervoso, retina dos olhos e
mucosa da boca e cloaca.
• HIPOBLASTO: tratos digestivos e
respiratórios e órgãos dos sistemas
circulatório e secretor.
• MESOBLASTO: ossos, músculos e
órgãos reprodutivos e excretores
Derivados da mesoderme
Anexos Embrionários
• São estruturas que derivam dos folhetos
germinativos, mas que não fazem parte do
corpo do embrião.
Anexos embrionários
Ao mesmo tempo da embriogénese dá-se o desenvolvimento dos anexos
embrionários que são eles:

• Saco vitelino
– É constituído por uma membrana endodermica e uma mesodermica
(esplancnopleura).
– Está ligado ao intestino médio pelo pedúnculo vitelino.
– Contém o vitelo amarelo, mas este não atravessa o pedúnculo vitelino.
• Âmnio
– É resultado da junção da ectoderme com a camada somatopleura extra-
embronária.
– Contém o líquido amniótico.
– Tem principalmente os papéis de protecção e reservatório de água.
• Alantoide
– Parte endodermica que se forma por invaginação da região ventral do intestino
posterior.
– Estabelece contacto com este pelo pedúnculo alantoide.
– Tem o papel de respiração pois é bastante vascularizado e permite trocas
gasosas através da conquilha, e de nutrição pois absorve as reservas de cálcio
da conquilha.
Estruturas do Ovo
Vitel
o Albu
Membran
a externa men
da casca

Camar
a de ar

Calaza
Membrana
interna da Disco
casca germinativ
Ca Membrana
o
sc vitelinica
Casca do ovo
• CASCA- é formada por diversas camadas
sobrepostas, de natureza calcária, o que a
torna resistente mas porosa.

• O seu exterior é coberto por uma fina


película - cutícula -, cuja função é impedir a
entrada de partículas e microrganismos.

• Interiormente é revestida por duas


membranas da casca (interna e externa),
que apenas podem ser diferenciadas na
zona da camara de ar (parte mais larga do
ovo).
Composição da Casca

- 94% de carbonato de Cálcio (CaCO 3 )


- 1,4% de Carbonato de Magnésio (MgCO 3 )
- 3% de glicoproteinas, mucoproteínas, colágeno e
mucopolissacarídeos.

Complicações que possam levar a


um problema no equilíbrio ácido-base
do sangue, podem gerar fraqueza na
casca do ovo, tendo em vista a
necessidade de íons bicarbonato na
formação do ovo.
A casca do ovo
Segundo Hoffmann & Volker (1969)
1. No útero, inicia-se a formação da casca calcária dentro de 5-6
horas.
2. Na formação da casca estão envolvidas hormonas - estrógenos
(favorecem o depósito de proteínas ) e tireoideanas.
3. A mucosa do útero secreta uma massa turva, viscosa e
impregnada de partículas “calizas”.
4. Esta massa se solidifica e consta de uma armação de substancia
orgânicas e inorgânicas.
5. O Ca ++ pode ser manejado pela fémea pela acção das
hormonas estrogênios e dos hormônios tireoideanos.
6. Quanto mais velha a ave, mais delgada será a casca do ovo.
A cor da casca do ovo
• É um atributo genético
• Cores dos ovos: branco, vários tons de marrom,
rosa, verde e azul.
• Linhagens Leghorn (postura comercial) os ovos tem
casca branca
• Rhode Island Red, New Hampshire e Plimouth Rock
produzem ovos de casca castanha.
• Os pigmentos da casca são descritos como
porfirinas da casca ou ovoporfirinas - são
compostos cíclicos formados por aneis pirrólicos.
• Ovos com pigmento castanho ou preto contém
protoporfirina
• Ovos azuis e verdes - biliverdina e um quelato de
zinco-biliverdina.
A cor da casca do ovo
• A origem dos pigmentos não é conhecida,
mas parecem ter origem nas células do
útero.

• Ovos corados por pigmentos


principalmente concentradas nas camadas
mais superficiais da casca sao derivados
dos eritrócitos (porfirinas).
Casca do Ovo - cuidados
Membranas da Casca
• A função destas membranas é controlar a evaporação do
conteúdo hídrico do interior do ovo;
• A casca representa 12% da composição proporcional do ovo
sendo o envoltório externo composto basicamente de várias
capas de cristais de carbonato de cálcio, dispostos na forma
de mamilos, dando a característica de porosidade aos ovos e
funcionando como pulmão para o desenvolvimento do
embrião, em ovos embrionados.
Albumen
• O albumen tem cerca de 30 proteínas diferentes entre elas:
– ovalbumina (54%) - contem todos os aminoácidos essenciais
– ovotransferrina (13%) - une-se a metais polivalentes
– ovomucóide (11%) - inibidora da protease
– lisozima (4%) tem ação enzimática além de globulina e a avidina -
liga-se a biotina
• Segundo alguns autores algumas proteínas do albumen apresentam
atividade bactericida.
• O ovo apresenta a gema em posição central e uma clara dividida em 4
capas distintas:
– Densa Interna => A primeira unida à gema (3%)
– Fluida interna => (21%)
– Densa Externa => (55%)
– Fluida Externa =>(21%)
Albumen
• As calazas correspondem a dois espessamentos da clara
retorcidos no sentido horário, compostas por albumina e
deve sua origem a separação da mucina da capa interna da
clara.

• As calazas ela tem a função manter a gema suspensa


protegendo das influências mecânicas.
Vitelo (gema)
• Os ovos são importantes fontes protéicas, sendo considerado
alimentos ricos em proteína e com baixo teor de gordura,
tendo na porção lipídica maiores concentrações de ácidos
graxos instaurados.
• Desempenham diversas propriedades funcionais, que
proporcionam aos alimentos, cor, viscosidade, emulsificação,
geleificação e formação de espuma.
• Um ovo tem em média 60 gramas e nelas encontra-se apenas
1,5 g de gordura saturada.
Vitelo (gema)
A gema se forma em 3 fases distintas:

•Fase Embrionária=> até o 14º dia de incubação a ave já está com


o ovário completamente formado e chega ao nascimento com
uma população de oócitos em torno de 4.000 a 12.000.

•Fase de crescimento lento => após o nascimento e até 8-10 dias


antes da ovulação. As substâncias são incorporadas de forma lenta
à gema.

•Fase de crescimento rápido => De 8-10 dias antes da ovulação


até a ovulação ocorrida. Ocorre aumento da gema na ordem de
0,5 a 2,8g/dia.
COR DA GEMA
• Variavel
• Devido a presença de pigmentos que se originam da
alimentação (xantofilas, luteína, zeaxantina e carotina).
• Origem de depósitos tais como gordura, patas, bico e
pavilhão auricular.
Composição química do ovo da
galinha:
Identificação de ovos em
condições para cozinhar
O ovo tem uma gema que fica
em cima da clara  indica que o
ovo é fresco e bom para
cozinhar.

O ovo tem a gema tem menos


altura  o ovo já é um
pouco velho mas ainda se pode
cozinhar.

O ovo é muito plano  indica


que o ovo é muito velho e não
está bom para ser consumido
Qualidade do Ovo
Ovoscopia
 Esta imagem tem uma caixa com uma
lâmpada dentro e um furo num lado.

 Quando um ovo é posto no furo, a luz da


lâmpada ilumina o ovo.

 Esta técnica também pode ser feita com


uma vela em vez da lâmpada.

 A partir do 6° ou 7° dia de crescimento, é


possível ver a sombra do embrião no
interior.

 Se o ovo não tiver um embrião pode ser


usado para consumo.
Qualidade do Ovo
• O ovo fresco apresenta pH da gema de 6,0 e da
clara de 6,6.
• Ovos velhos perdem H2O e consequentemente
reduz a produção de H+.
• pH sobe => perda da estrutural do ovo.
• Acúmulo de gases => diminui densidade
Ovos deformados
Casca do Ovo - cuidados
Alterações nos ovos frescos
(improprios para consumo directo)

• Formas anormais:
– anomalias nas glandulas uterinas secretoras de casca.
– carencias nutricionais (calcio, aa aminados), excesso de cobre.
– Patologias: bronquite infecciosa, sindrome da queda de postura,
leucose, colibacilose, micoplasma.
• Irregularidades na deposição de casca:
– deficiente funcionamento de gl. secretoras.
– podem ser produzidos ovos vazios ou só com clara por processos
irritativos das glandulas (CE, parasitas).
• Corpos estranhos:
– incluidos na clara, entram no oviducto por via ascendente da cloaca
(mov. antiperistalticos).
– pedras, insectos, parasitas, insectos.
Alterações nos ovos frescos
(improprios para consumo
directo)
• Hemorragias: gotas de sangue sobre gema ou clara.
– Benigna: ruptura de vasos na deiscencia.
– Salpingite: inflamações agudas com hemorragia em toda a
clara (ovos carnicos).
– Ocratoxina A: problemas de vascularização.
• Alteração da gema: duas gemas por ovulações com intervalo
<3h, ovos sem gema (raro).
• Alteração da consistencia da clara:
– Inflamação do oviducto pode dispor clara em estratos
solidificados (laminados).
– Clara aquosa por carencias (hipoproteica) e patologias
(bronquite infecciosa, sindrome de queda de postura),
Alterações nos ovos frescos
(improprios para consumo directo)
• Gema com coloração anormal:
– raça, pigmentos alimentares, variação sazonal.
– amarelo-esverdeado: ingestão de plantas verdes (galinhas
caseiras).
– avermelhado: ração de oleo de peixe e pimentão.
• Sabor e cheiros anormais: farinha de peixe, cal com essencia
a anis.