Você está na página 1de 2

FICHA DE COMPREENSÃO DO ORAL

NOME: _____________________________________ N.º: ______ TURMA: _________ DATA: _________

Debate

Assista a uma parte do debate subordinado ao tema «Portugal, país de poetas», do programa Sociedade
Civil (Canal 2). Durante a audição, tire notas.
Ouça novamente o debate e responda ao questionário que se segue.

1. Para responder a cada um dos itens, de 1.1 a 1.10, selecione a opção correta. Escreva, na folha de
respostas, o número de cada item e a letra que identifica a opção escolhida.

1.1. No início do programa, a moderadora apresenta várias questões que serão discutidas com os
intervenientes. Uma expressão que resume as várias questões é
(A) «a aprendizagem do gosto pela poesia».
(B) «a importância da poesia na nossa vida».
(C) «o surgimento de novos poetas portugueses».
(D) «a história da poesia em Portugal».
1.2. «O poema ensina a cair» é
(A) um programa moderado por Raquel Marinho.
(B) uma rubrica do jornal Expresso.
(C) o título de um livro publicado por Raquel Marinho.
(D) o título de um trabalho da professora Isabel Cristina Rodrigues.
1.3. Segundo Raquel Marinho, a poesia
(A) faz sempre bem aos leitores.
(B) não deve chegar ao grande público, porque poucos a compreendem.
(C) pode deixar-nos desassossegados.
(D) não é indispensável na sua vida.
1.4. Isabel Cristina Rodrigues recorre à metáfora das «lentes» para defender a ideia de que a poesia
(A) nos ajuda a ver o mundo de outra perspetiva.
(B) nos permite viver melhor, ajudando-nos a alcançar a paz interior.
(C) pode ser compreendida por todos.
(D) conduz ao alheamento, porque nos transporta para um mundo especial.
1.5. Relativamente à participação na vida social, Isabel Cristina Rodrigues considera que os poetas
(A) são seres distraídos do mundo e da vida social.
(B) têm uma grande consciência da injustiça social.
(C) vivem completamente alheados.
(D) tendem a isolar-se, mas estão atentos ao mundo.
1.6. O verso «Creio […] na flor humilde que se encosta ao muro» é citado por um dos intervenientes,
com o objetivo de
(A) exemplificar o carácter metafórico de toda a poesia.
(B) demonstrar que a poesia exige um grande esforço interpretativo.
(C) demonstrar que a poesia é uma forma especial de ver o mundo.
(D) justificar o lugar que Natália Correia ocupa na poesia portuguesa.
1.7. O interveniente Augusto Canário cultiva
(A) a poesia erudita.
(B) a poesia popular.
(C) um género que tenta levar poesia erudita ao grande público.
(D) a poesia erudita e a poesia popular.

ENTRE NÓS E AS PALAVRAS • Português • 11.º ano • Material fotocopiável • © Santillana


1.8. Augusto Canário compara o seu trabalho ao de um bobo da corte, uma vez que
(A) o seu único intuito é divertir.
(B) os seus textos resultam, sobretudo, do desejo de intervir politicamente.
(C) os seus textos divertem, enquanto satirizam e denunciam.
(D) os seus textos têm grandes constrangimentos, relacionados com o público a que se dirigem.
1.9. Segundo Raquel Lima, gostar de poesia é, também, ter um «ar contemplativo», ou seja,
(A) estudar os autores clássicos.
(B) privilegiar a leitura dos grandes poetas.
(C) procurar a poesia fora dos textos literários.
(D) encontrar a poesia no cinema.
1.10. O projeto Poetry Slam consiste num movimento que
(A) junta académicos e novos autores de poesia.
(B) divulga a obra de autores consagrados.
(C) pretende dar a conhecer internacionalmente a poesia portuguesa.
(D) organiza eventos dinâmicos em que os novos poetas recitam os seus poemas.

ENTRE NÓS E AS PALAVRAS • Português • 11.º ano • Material fotocopiável • © Santillana