Você está na página 1de 58

2

Sumário

1. Mensagem da Administração..................................................................................................3
2. Descrição dos negócios, produtos e serviços.............................................................................4
2.1 Prospecção de negócios, comercialização de produtos e prestação de serviços...............5
2.1.1 Projeto e construção de submarinos.........................................................................6
2.1.2 Tecnologia nuclear................................................................................................10
2.1.3 Projetos entregues................................................................................................13
2.1.4 Projetos em execução...........................................................................................13
2.1.5 Projetos em prospecção......................................................................................13
2.1.6 Relações institucionais e marketing empresarial...................................................16
2.2 Gestão integrada: qualidade, meio ambiente, saúde e segurança dos trabalhadores..........19
2.3 Produto Estratégico de Defesa (PED) de Empresa Estratégica de Defesa (EED)......................20
3. Comentários sobre a conjuntura econômica geral.................................................................21
4. Recursos humanos................................................................................................................22
4.1Governança...............................................................................................................................22
4.1.1 Planejamento estratégico......................................................................................22
4.1.2 Gestão de pessoas na administração pública federal..............................................23
4.1.3 Participação nos seminários - Boas práticas de gestão de pessoas – SEST....................23
4.1.4 Eleição de representante dos empregados no CONSAD..........................................24
4.1.5 Regulamentos, normas e procedimentos...............................................................25
4.1.6 Conclusão do Acordo Coletivo de Trabalho (2015).................................................25
4.1.7 Plano de Previdência Complementar – AMAZUL PREV..............................................25
4.2 Provimento..................................................................................................................26
4.2.1 Processo seletivo simplificado...............................................................................26
4.2.2 Concurso público.................................................................................................26
4.3 Encarreiramento, sucessão e desligamento.....................................................................27
4.3.1 Programa de integração de novos empregados “Bem-vindo a Bordo”.......................27
4.3.2 Descrição das especialidades...............................................................................27
4.3.3 Gestão do conhecimento......................................................................................27
4.3.4 Avaliação de desempenho....................................................................................29
4.3.5 Progressões e promoções......................................................................................29
4.3.6 Reconhecimento por tempo de serviço....................................................................29
4.3.7 Jovem aprendiz...................................................................................................30
4.3.8 Capacitação........................................................................................................30
4.4 Qualidade de vida no trabalho.....................................................................................31

1
4.4.1 Apoio psicossocial aos empregados........................................................................31
4.4.2 Ações para qualidade de vida..................................................................................32
4.5 Quadro de pessoal..........................................................................................................32
4.6 SIAPE...................................................................................................................................33
5. Investimentos...........................................................................................................................34
5.1 Principais investimentos em aquisições e contratações.........................................................34
5.2 Principais investimentos na infraestrutura logística..............................................................34
5.3 Objetivos dos investimentos.............................................................................................35
6. Pesquisa e desenvolvimento....................................................................................................36
7. Novos produtos e serviços........................................................................................................36
8. Informações sobre responsabilidade social e cidadania.............................................................37
8.1 Comunicação social.......................................................................................................37
8.2 Ouvidoria.............................................................................................................................38
8.3 Atendimento à imprensa...................................................................................................39
8.4 Sustentabilidade e ação social.........................................................................................40
8.5 Compliance e consultoria jurídica....................................................................................42
8.6 Reconhecimento......................................................................................................................44
9. Reformulações administrativas................................................................................................44
10. Perspectivas e planos para o exercício em curso e os futuros......................................................48
10.1 Gestão de pessoas.......................................................................................................48
10.1.1 Avaliação de desempenho..................................................................................48
10.1.2 Definição das competências organizacionais........................................................49
10.1.3 Programa de desenvolvimento de lideranças........................................................49
10.1.4 Treinamento e desenvolvimento de competências.................................................49
10.1.5 Plano de Previdência Complementar – AMAZUL PREV...........................................49
10.1.6 Programa de Transferência de Conhecimento Antes da Aposentadoria (PTCAA).......50
10.1.7 Qualidade de vida no trabalho............................................................................50
10.2 Administração e Finanças...............................................................................................50
10.3 Ações estratégicas........................................................................................................51
10.3.1 Gestão de riscos e de crises..................................................................................52
10.3.2 Gestão do conhecimento (GC).............................................................................53
11. Fontes de obtenção de recursos.............................................................................................54
12. Novos Desafios.....................................................................................................................56

2
1. MENSAGEM DA ADMINISTRAÇÃO

O cenário de dificuldades econômicas do País em 2016 teve forte impacto no andamento dos programas
de que a AMAZUL – Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. participa e nas próprias atividades da empresa. Mesmo
assim, com base em nossa rígida governança, avançamos em nossos projetos, com foco na gestão integrada, na
prospecção comercial, na responsabilidade social, na afirmação de nossa ética corporativa e, principalmente, na
consolidação desta jovem empresa e no fortalecimento de sua reputação junto aos empregados e comunidade.
Com o contingenciamento de recursos humanos determinado pelo Governo Federal, a AMAZUL teve
congelado seu quadro de pessoal, o que interrompeu o plano plurianual de quatro anos do processo de contratações
de profissionais, aprovados em concursos públicos e necessários para a continuidade dos programas desenvolvidos
pela empresa no âmbito do Programa Nuclear da Marinha (PNM) e do Programa de Desenvolvimento de Submarinos
(PROSUB), nos quais a Marinha do Brasil tem despendido elevados recursos do seu orçamento.
Para resolver a questão, a AMAZUL requereu à Secretaria de Coordenação e Governança das Empresas
Estatais (SEST, antigo DEST) autorização para a contratação de mais profissionais concursados dentro da lotação prévia
aprovada, visando atender às demandas dos projetos inseridos em cada um dos programas.
Em decorrência das restrições orçamentárias, a AMAZUL adiou alguns planos, principalmente a reforma em sua sede,
no Butantã, em São Paulo, que já está sem estrutura adequada para acomodar dignamente as atuais estações de trabalho e também
para receber as futuras equipes de especialistas para o desenvolvimento dos projetos estratégicos. O projeto arquitetônico do imóvel foi
concluído, mas a empresa não obteve os recursos financeiros necessários para iniciar as obras de readequação do espaço.
Apesar de alterações nos cronogramas dos projetos, a empresa promoveu alguns avanços. Em dezembro de
2016, conforme estava previsto, concluiu o projeto conceitual para a construção da Unidade de Testes e Preparação de
Equipamentos Críticos e de Treinamentos (UTT) da Fábrica de Combustível Nuclear das Indústrias Nucleares do Brasil (INB).
Também foi concluído, no que lhe cabia, o projeto conceitual do Complexo Radiológico do Estaleiro e Base Naval.
Na busca de novos negócios e fontes de receita, a AMAZUL comercializou para a INB pastilhas de urânia-
gadolínia, produzidas pelo Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP) e destinadas à fabricação de varetas
para calibração do equipamento de testes denominado Rod-Scanner.
Outro projeto que avançou foi o de Gestão de Conhecimento (GC), com o início da implantação do
projeto-piloto na Usina de Produção do Hexafluoreto de Urânio (USEXA), voltado para produção do combustível
nuclear, no CTMSP. O próximo passo é a elaboração de um plano de ação para preparação de ambiente favorável ao
compartilhamento e alinhamento de pessoas e processos à estratégia de GC.
Em relação aos empregados, a AMAZUL finalizou a proposta de Previdência Complementar, que deverá ser
implantada no primeiro trimestre de 2017. Trata-se de uma grande conquista para preservar o nosso maior patrimônio,
as pessoas associadas ao seu conhecimento.
Em virtude das perspectivas de continuidade, ainda que menor, desta crise em 2017, a AMAZUL terá o desafio
de evitar que a restrição de gastos comprometa a inovação e o desenvolvimento de tecnologias consideradas estratégicas.

Ney Zanella dos Santos


Diretor-Presidente

3
2. DESCRIÇÃO DOS NEGÓCIOS, PRODUTOS E SERVIÇOS

A Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A. – AMAZUL é uma empresa pública, organizada

sob a forma de sociedade anônima, com personalidade jurídica de direito privado e patrimônio

próprio, com o capital pertencente integralmente à União, cuja constituição foi autorizada pela Lei nº

12.706, de 8 de agosto de 2012, decorrente de cisão parcial da Empresa Gerencial de Projetos Navais

– EMGEPRON. Foi criada pelo Decreto nº 7.898, de 1º de fevereiro de 2013, é vinculada ao Ministério

da Defesa (MD), por meio do Comando da Marinha, e foi ativada em 16 de agosto de 2013.
A AMAZUL tem por objeto:

I – promover, desenvolver, absorver, transferir e manter tecnologias necessárias às

atividades nucleares da Marinha do Brasil (MB) e do Programa Nuclear Brasileiro

(PNB);

II – promover, desenvolver, absorver, transferir e manter tecnologias necessárias

à elaboração de projetos, acompanhamento e fiscalização da construção de

submarinos para a MB; e

III – gerenciar ou cooperar para o desenvolvimento de projetos integrantes de programas

aprovados pelo Comandante da Marinha, especialmente os que se refiram à construção

e manutenção de submarinos, promovendo o desenvolvimento da indústria militar


naval brasileira e atividades correlatas.

Para a realização de seu objeto, além de outras medidas previstas em lei, a AMAZUL poderá:

I – implementar ações necessárias à promoção, ao desenvolvimento, à absorção, à

transferência e à manutenção de tecnologias relacionadas às atividades nucleares

da MB, ao Programa de Desenvolvimento de Submarinos (PROSUB) e ao PNB;

II – colaborar no planejamento e na fabricação de submarinos, por meio de prestação

de serviços de seus quadros técnicos especializados, em razão da absorção e

transferência de tecnologia;

III – fomentar a implantação de novas indústrias no setor nuclear e prestar-lhes

assistência técnica;
4
IV – estimular e apoiar técnica e financeiramente as atividades de pesquisa e

desenvolvimento do setor nuclear, inclusive pela prestação de serviços;

V – contratar estudos, planos, projetos, obras e serviços relativos à sua destinação

legal, visando ao desenvolvimento de projetos de submarinos;

VI – captar, em fontes internas ou externas, recursos a serem aplicados na execução de

programas aprovados pelo Comandante da Marinha;

VII – celebrar outros contratos, convênios e ajustes considerados necessários ao cumprimento

do seu objeto social;

VIII - prestar serviços afetos à sua área de atuação;

IX – promover a capacitação do pessoal necessário ao desenvolvimento de projetos de submarinos,

articulando-se, inclusive, com instituições de ensino e pesquisa do País e do exterior;

X – elaborar estudos e trabalhos de engenharia, realizar projetos de desenvolvimento

tecnológico, construir protótipos e outras tarefas afetas ao desenvolvimento de

projetos de submarinos; e

XI – executar outras atividades relacionadas com seu objeto social.

A AMAZUL poderá, ainda, participar minoritariamente de empresas privadas e

empreendimentos para a consecução de seu objeto social, bem como gerenciar atividades relacionadas

à sua finalidade, em suas próprias instalações ou de terceiros.

2.1 Prospecção de negócios e comercialização de produtos e prestação de serviços

Em 2016, a AMAZUL, por intermédio de sua Diretoria Técnico-Comercial, prospectou

oportunidades de negócios com a Eletronuclear, Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN) e

Indústrias Nucleares do Brasil (INB), conforme sua destinação expressa na Lei nº 12.706/12, bem como

de outros projetos que possam trazer, em sua execução, alguma sinergia para os negócios da empresa.

Além disso, a empresa intensificou sua busca por negócios com novos parceiros e

empresas que pudessem participar do PROSUB. Nesse escopo, cabe destacar o envolvimento da

Coordenadoria-Geral de Negócios em reuniões junto a associações e federações de indústrias,


5
reuniões de negócios com empresas nacionais e estrangeiras, participação em feiras, congressos,

seminários, simpósios, com a finalidade de fomentar e promover novos empreendimentos e

oportunidades para a AMAZUL.

Foram comercializadas, para a INB, pastilhas de urânia-gadolínia, destinadas à fabricação de

varetas para calibração do equipamento de testes denominado Rod-Scanner. A contratação da AMAZUL foi

feita com dispensa de licitação, com base no Art. 9º da Lei de criação da AMAZUL (Lei nº 12.706/12). O Centro

Tecnológico da Marinha em São Paulo (CTMSP), cujos produtos e serviços nucleares são comercializados

pela AMAZUL, desenvolveu tecnologia de fabricação de pastilhas com gadolínio para a INB, tendo tido

sucesso nesse projeto e estando plenamente qualificado para fornecer esse tipo de combustível.

Com a mesma empresa INB, foi firmado, no final de 2015, um contrato para execução

de projeto conceitual e projeto básico para a construção da Unidade de Testes e Preparação de

Equipamentos Críticos e de Treinamentos (UTT), da Fábrica de Combustível Nuclear da INB, e prestação

de serviços de consultoria de engenharia para suporte técnico à implantação e licenciamento da UTT.

Os trabalhos começaram em março de 2016, tendo sido concluído o projeto conceitual em dezembro

de 2016. Em janeiro de 2017, terá início o projeto básico, que será desenvolvido no decorrer do ano.

A AMAZUL também intensificou suas ações de forma a promover parcerias junto a setores

governamentais e empresas nacionais/estrangeiras, visando à obtenção de novas tecnologias

necessárias ao desenvolvimento do projeto de um motor-gerador de ímãs permanentes para a

construção do MEP (motor elétrico principal) no Brasil.

2.1.1 Projeto e construção de submarinos

Na área de construção de submarinos, no âmbito do PROSUB, foram feitas diversas

reuniões de trabalho com a Coordenadoria-Geral do Programa de Desenvolvimento de Submarino

com Propulsão Nuclear (COGESN) e com o CTMSP.

A COGESN, criada dentro da estrutura organizacional da MB, tem as atribuições de

gerenciar o projeto e a construção do estaleiro dedicado aos submarinos e de sua base; gerenciar

o projeto de construção do submarino com propulsão nuclear (SN-BR); e gerenciar o projeto de


6
detalhamento do submarino convencional (S-BR) a ser adquirido pela MB.

O principal projeto em andamento junto à COGESN é o do Complexo Radiológico do

Estaleiro e Base Naval (CR-EBN), pertencente à Marinha do Brasil, no âmbito do PROSUB. Neste

projeto, foi celebrado um acordo de parceria entre a AMAZUL e a Fundação para o Desenvolvimento

Tecnológico da Engenharia (FDTE) para desenvolver, em conjunto com as equipes técnicas desta

empresa e do CTMSP, a execução do projeto conceitual da parte eletromecânica e de engenharia

civil do CR-EBN, que está em fase de construção no município de Itaguaí (RJ).

Além do projeto conceitual, estamos elaborando o Relatório Preliminar de Análise de

Segurança – RPAS do CR-EBN, que objetiva dar prosseguimento ao processo de obtenção do

licenciamento para a construção junto à CNEN.

O projeto conceitual e a elaboração do RPAS terão continuidade no ano de 2017.

Na área de desenvolvimento de projetos relacionados ao SN-BR, os seguintes projetos

foram prospectados, em apoio à COGESN, contribuindo para a realização das atividades de

projeto, desenvolvimento, nacionalização, construção de submarinos e de contratos comerciais com

empresas parceiras:

 Desenvolvimento do projeto preliminar do Sistema de Gerenciamento Integrado da

Plataforma (Integrated Platform Management System – IPMS)

Esse projeto será responsável pela integração

e gerenciamento dos sistemas de detecção, navegação,

propulsão e de outros sistemas do SN-BR. Está sendo

desenvolvido por engenheiros do CTMSP, AMAZUL e,

também, da empresa MECTRON (ODT), que realizaram

cursos e adestramentos na França.

O contrato entre a AMAZUL e a MECTRON, para

o desenvolvimento do projeto preliminar, foi finalizado em

dezembro de 2016 e contemplou a participação de quatro


7
engenheiros qualificados na França. Esta empresa foi homologada pela DCNS. Tendo em vista que

a MECTRON está sendo vendida para empresas nacionais e estrangeiras, sua participação deixou

de existir com o término do atual contrato (projeto preliminar).

Dessa forma, a AMAZUL contratou, mediante processo seletivo, novos engenheiros

qualificados para participar desse desenvolvimento, juntamente com os atuais engenheiros do

CTMSP e AMAZUL.

 Desenvolvimento do projeto preliminar do Sistema de Combate (SC)

O Sistema de Combate é responsável

pelo controle do sistema de armas do submarino

e terá integração com o sistema de detecção e

navegação. Este projeto foi desenvolvido com a

participação da Fundação EZUTE, no Escritório

Técnico de Projetos, no CTMSP. O contrato, que

teve duração de 2 anos, encerrou-se em novembro

de 2016.

Em dezembro de 2016, outro contrato, com duração prevista de mais dois anos, foi

estabelecido para dar prosseguimento aos estudos e análises técnicas que antecedem o projeto de

detalhamento do SC. Contempla a participação de quatro engenheiros qualificados na França e

atenderá a uma fase intermediária entre as Fases B (Preliminar) e C (Detalhada).

 Desenvolvimento do projeto de detalhamento do SN-BR

Durante o ano de 2016, a AMAZUL buscou empresas brasileiras que tivessem conhecimento

e expertise na área de desenvolvimento de projetos de detalhamento, tendo encontrado a empresa

AKAER, de São José dos Campos. Assim, várias ações e reuniões foram realizadas no sentido de se

verificar essa expertise, juntamente com a COGESN.


8
O desenvolvimento do projeto de detalhamento do SN-BR tem o início previsto para o

final de 2018. Uma série de atividades, junto à AKAER, está sendo adotada para sua certificação

como empresa participante desse empreendimento.

Em dezembro de 2016, um protocolo de intenções, entre a AMAZUL e a empresa AKAER, foi

firmado com o propósito de estabelecer parcerias futuras, intercâmbio de conhecimentos técnico-científicos,

prestação de serviços técnicos especializados nas áreas de competência, em especial no desenvolvimento do

projeto de detalhamento do SN-BR, ou outra forma de cooperação tecnológica de interesse de ambos os

partícipes e que tenha relevância para as atividades relacionadas ao objeto social da AMAZUL.

 Programa de nacionalização do PROSUB

Desde 2015, a AMAZUL vem participando do programa de nacionalização do PROSUB, em

apoio e cooperação com a COGESN. Tal iniciativa visa identificar e estabelecer acordos com empresas

brasileiras qualificadas e capacitadas em tecnologia de ponta para a produção e fornecimento de produtos

e equipamentos necessários à construção de submarinos convencionais e com propulsão nuclear.

Em 2016, inúmeras empresas se reuniram com o setor de Negócios da AMAZUL, visando

à identificação das potencialidades e capacidades das empresas para a produção de equipamentos

que atendam à demanda do complexo processo de construção de submarinos convencionais e

nucleares.

9
2.1.2 Tecnologia nuclear

No CTMSP, é desenvolvido o Programa

Nuclear da Marinha (PNM), que visa à capacitação

no domínio dos processos tecnológicos, industriais

e operacionais de instalações nucleares aplicáveis à

propulsão naval.

O PNM vem sendo executado desde 1979, com o propósito de dominar o ciclo do combustível

nuclear e desenvolver e construir uma planta nuclear de geração de energia elétrica. É constituído principalmente

de dois projetos: o do Ciclo do Combustível Nuclear, cujo propósito é o domínio da tecnologia de produção

de combustível nuclear, e o projeto do Laboratório de Geração Nucleoelétrica (LABGENE), cujo propósito é

construir um protótipo do reator de energia nuclear que fará a propulsão do SN-BR.

Devido a esse amplo campo de pesquisa, o CTMSP tem dois sítios: CTMSP-Sede e CTMSP-

Aramar.

O CTMSP-Sede, localizado na cidade de São Paulo, é o local onde trabalham militares,

servidores e empregados civis que exercem atividades técnicas de engenharia, pesquisa e

desenvolvimento, gerenciamento de projetos e atividades administrativas.

O CTMSP-Aramar está localizado no município de Iperó – SP, a cerca de 120 km da

capital, onde estão implantados as principais oficinas, usinas, laboratórios de teste e fabricação de

protótipos desenvolvidos pelo CTMSP-Sede. Em Aramar, está sendo edificado o LABGENE, primeiro

reator nuclear de água pressurizada projetado e construído no Brasil.

Tanto no CTMSP-Sede quanto no CTMSP-

Aramar estão lotados empregados da AMAZUL

que, em conjunto com os militares, formam a força

de trabalho do PNM, que abriga o conhecimento

técnico para a fabricação do combustível nuclear e

a implantação do reator protótipo para propulsão

naval.
10
Outro empreendimento nuclear é o

projeto e a construção do Reator Multipropósito

Brasileiro (RMB), instalação voltada à pesquisa

e ensino, teste de materiais sob irradiação e à

produção de radioisótopos, base da fabricação

de radiofármacos para a medicina nuclear.

Conduzido pela CNEN, o RMB é um reator de

suma importância para o nosso parque tecnológico e para a industrialização de produtos que vão

beneficiar diretamente a saúde da população brasileira.

O projeto conceitual foi feito pela CNEN, o projeto básico do reator foi desenvolvido pela

INVAP (empresa argentina) e o projeto detalhado está a cargo da AMAZUL e envolverá cerca de

500.000 homens-hora.

O RMB é um empreendimento de arraste

tecnológico e de organização para o setor nuclear, que

visa dotar o País com uma infraestrutura de ciência,

tecnologia e inovação de importância fundamental para

viabilizar políticas públicas e objetivos estratégicos da área

nuclear, trazendo as seguintes contribuições ao Brasil:

 Nas áreas da saúde, indústria, agricultura e meio ambiente:

• Autossuficiência do País na produção do radioisótopo Mo-99, garantindo segurança no


fornecimento do gerador de tecnécio 99m à medicina nuclear, com o pleno atendimento da
demanda da população brasileira; e
• Nacionalização de todos os radioisótopos produzidos em reatores de pesquisa, que hoje
são importados pelo Brasil, para aplicação médica em diagnóstico e terapia, bem como
para aplicações na indústria, na agricultura e no meio ambiente.

11
 Nas áreas de pesquisa científica e inovação:

• O RMB amplia a capacidade nacional em CT&I com utilização de feixes de nêutrons;


• Ampliação da capacidade nacional em análise por ativação com nêutrons e aplicações
de técnicas nucleares; criação de um laboratório nacional para atender a comunidade
científica brasileira em áreas como nanotecnologia, biologia estrutural e desenvolvimento
de novos materiais, por meio da utilização de feixe de nêutrons, criando uma capacidade
nacional de suporte à pesquisa científica e tecnológica; e
• Disponibilização de uma instalação de pesquisa única na América Latina, podendo
servir de polo de integração em pesquisa científica e tecnológica e formação de recursos
humanos.

 Nas áreas de reatores e ciclo do combustível:

• O RMB é infraestrutura fundamental para o desenvolvimento endógeno de combustíveis


nucleares e materiais para uso em reatores nucleares;
• Cria capacidade para testar e qualificar combustíveis nucleares para propulsão nuclear
(é chave para viabilizar o LABGENE), combustíveis avançados desenvolvidos para os
reatores nucleares brasileiros e novos combustíveis para reatores de pesquisa; e
• Cria capacidade para teste sob irradiação e análise pós-irradiação de materiais e
processos especiais desenvolvidos para os elementos combustíveis, vasos de pressão e
estruturas internas aos reatores utilizados nas centrais nucleares brasileiras e em reatores
de propulsão nuclear, verificando aspectos de segurança e parâmetros para extensão de
vida útil da instalação.

Com a INB, a AMAZUL assinou dois contratos. O contrato nº 02/15/012 trata da prestação

de um serviço de precisão, para o qual o Laboratório de Materiais Nucleares (LABMAT) do CTMSP

foi empregado. Outro contrato, de número 02/15/028, tem por objeto a elaboração dos projetos

conceitual e básico da UTT de sua Fábrica de Combustível Nuclear e, também, a prestação de serviços

de consultoria de engenharia para suporte técnico à implantação e licenciamento dessa UTT.


12
A AMAZUL poderá atuar, ainda, no desenvolvimento de novas tecnologias, comercialização

de produtos, prestação de serviços técnicos, gerenciamento de projetos de engenharia, implantação

e gestão de empreendimentos e operação de instalações. Além da missão de desenvolver, absorver

e manter tecnologias sensíveis, a AMAZUL foi criada também com o propósito de contribuir para a

consolidação da Base Industrial de Defesa.

2.1.3 Projetos entregues

 Fabricação e fornecimento de pastilhas de urânia-gadolínia para a INB para uso em Rod-Scanner

2.1.4 Projetos em execução

 Participação no RMB da CNEN.

 Projeto conceitual e básico da Unidade de Testes e Treinamento para a INB.

 Participação no projeto conceitual do Complexo Radiológico do Estaleiro e Base Naval

(EBN) da Marinha em Itaguaí para a COGESN, em parceria com o CTMSP.

 Participação em todos os laboratórios do CTMSP.

 Participação no projeto interfases do Sistema de Combate do SN-BR, em parceria com a

COGESN e a Fundação EZUTE.

 Participação no projeto interfases do Sistema de Gerenciamento Integrado da Plataforma

do SN-BR, em parceria com a COGESN.

2.1.5 Projetos em prospecção

 Small Modular Reactors (SMR) – O interesse sobre a produção de energia nucleoelétrica

a partir de pequenos reatores continua no mundo inteiro. A necessidade de energia a ser

transformada em calor e força motriz é um dos grandes desafios para a exploração do

petróleo ou outros recursos minerais no fundo do mar. Outra aplicação em estudo é o


13
uso de vários SMR em série, para fornecimento de energia aos conglomerados urbanos.

Estas opções ganharam força após o acidente de Fukushima, uma vez que se reduz o

risco potencial de um acidente nuclear de grandes proporções. O uso da energia nuclear

para essas aplicações pode trazer uma revolução tecnológica na exploração dessa nova

fronteira. Neste sentido, a AMAZUL não descarta a possibilidade de, no futuro, em

conjunto com outras organizações, desenvolver um projeto de SMR nacional, utilizando

os conhecimentos obtidos no LABGENE.

 Projeto DES-SAL - O DES-SAL, que envolve parceria da CNEN e seus institutos com o CTMSP,

laboratórios das universidades UFRJ, UFPB, UFF, UFBA e UFPE, e redes de colaboração

de pesquisa já existentes, como os Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (INCT)

relacionados, propõe a utilização de um reator de pequeno porte da geração GIII+ (a

partir do modelo desenvolvido pelo LABGENE, da Marinha), combinado a diferentes

sistemas de dessalinização para obtenção de água para amplo consumo.

Como resultados diretos do projeto, estão previstos o abastecimento elétrico e hídrico da

região beneficiada, bem como o fortalecimento das atividades agrárias, viabilizado pela

construção de um parque agroindustrial abastecido pela eletricidade gerada.

Atualmente, cerca de 150 países utilizam processos de dessalinização de seus recursos hídricos.

Entre esses, Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Catar, Barein e Omã obtêm cerca

de 90% de sua água potável por processos de dessalinização. No Brasil, em Fernando de

Noronha, opera nossa única usina de dessalinização.

 Projeto de um motor gerador de ímãs permanentes - A AMAZUL intensificou suas ações

de forma a promover parcerias junto a setores governamentais e empresas nacionais/

estrangeiras, visando a obtenção de novas tecnologias necessárias ao desenvolvimento

do projeto de um Motor-Gerador de Ímãs Permanentes que possibilitará a construção do

MEP (Motor Elétrico Principal) no Brasil.

Esse processo de desenvolvimento de tecnologias de ponta, como a Eletrônica de Potência

e Motores de Ímãs Permanentes, que poucos países possuem, será fundamental para o

projeto em questão. Esse motor será empregado como Motor Elétrico Principal (MEP) para
14
o SN-BR, evitando-se que o mesmo seja importado de países detentores dessa complexa

tecnologia, de emprego dual.

Em 2016, o setor de Negócios da AMAZUL empreendeu esforços no sentido de buscar

parceiros com o objetivo de dar início ao desenvolvimento de Geradores e Motores de Ímãs

Permanentes e Sistema de Controle que emprega eletrônica de potência. Esse acordo de

parceria, que deverá se concretizar em 2017, permitirá o desenvolvimento de um Motor-

Gerador de Ímãs Permanentes de 1,1 MW e a construção de seu protótipo no Brasil.

O ganho que a Marinha do Brasil terá nessa parceria será:

• Transferência da tecnologia da eletrônica de potência aplicada ao MEP, análoga à

empregada nos motores dos submarinos com propulsão nuclear;

• Inovação em processos de Pesquisa & Tecnologia; e

• Capacitação do pessoal da AMAZUL e CTMSP nessa complexa tecnologia.

A construção desse motor e o domínio de sua eletrônica de potência é o primeiro passo para

que seja desenvolvido no Brasil um motor de 3.600 KW, utilizado pelo SN-BR. Caso se concretize, além

de uma grande conquista tecnológica, será a maior contribuição a ser feita dentro do Programa de

Nacionalização do PROSUB.

Trata-se de um Produto Estratégico de Defesa (PED), de alta tecnologia e emprego dual, que

poucos países possuem, e será uma grande contribuição para o fortalecimento da Base Industrial de Defesa.

Em 2017, a AMAZUL continuará atuando na promoção de novos empreendimentos e

busca por parceiros empresariais e investidores para a obtenção/transferência de novas tecnologias

para o Brasil. Nosso atual foco é a tecnologia empregada na fabricação do Motor-Gerador de Ímãs

Permanentes que envolve a Eletrônica de Potência.

 Projeto VIP (Veículo de Imersão Profunda tripulado) - Desde 2015, a AMAZUL vem

buscando acordos de parceria com empresas e organizações estrangeiras e nacionais

para o desenvolvimento do Projeto VIP e sua construção no Brasil, com transferência de

tecnologia para empresas nacionais. Tal parceria visa obter suporte financeiro e industrial

necessários à implementação deste projeto.

O esboço do projeto para o desenvolvimento e construção, no Brasil, desse submersível


15
já foi apresentado à FINEP e ao BNDES, em

2015/2016, tendo obtido apoio e possibilidade

de receber investimentos. A crise financeira

afastou possíveis parceiros e, para o biênio 2017-

2019, será elaborado um plano de negócios para

reapresentação a estas organizações e a outros

setores empresariais e governamentais, visando

à concretização de apoio e parceria, entre eles

a PETROBRAS e a CPRM. O apoio institucional

da própria MB, nesse empreendimento, é

fundamental.

Os países, ainda em fase de análise, mas que

apresentam condições de atender às demandas do projeto são a França (VIP Nautile –

construído pela DCNS) e o Japão (VIP Shinkai – construído pela Mitsubishi).

Além do seu emprego dual, o desenvolvimento desse submersível com capacidade de

mergulho até 6.000 metros de profundidade contribuirá para o PROSUB, uma vez que

poderão ser obtidos conhecimentos preciosos relativos à estanqueidade, vedação de

escotilhas, passagem de cabeamento, sistema de controle e estabilidade, comunicações,

entre outras tecnologias empregadas.

2.1.6 Relações institucionais e marketing empresarial

O ambiente de negócios da AMAZUL,

envolvendo atividades relacionadas ao PROSUB,

ao PNM e ao PNB, é orientado por estratégias de

marketing que buscam novos empreendimentos e

parcerias, visando atender às demandas dos atuais

projetos em desenvolvimento e aqueles que se


16
encontram em fase de negociação ou de planejamento. Para fomentar a produção industrial

nacional, relacionada ao objeto social da empresa e viabilizar a comercialização de produtos e

serviços próprios e de parceiros, a AMAZUL tem participado de vários eventos externos a fim de

estreitar o relacionamento com empresas estratégicas de defesa.

A AMAZUL vem buscando, ainda, novas tecnologias para atender às demandas do

PROSUB, de modo a contribuir com o processo de nacionalização e transferência de tecnologias de

alto nível para o Brasil. Nesse sentido, promove ações em busca de empresas brasileiras que tenham

interesse e capacidade para se associar e realizar parcerias com outras empresas estrangeiras,

visando à captação de tecnologias sensíveis e inexistentes no País.

As áreas ideais de atuação para negócios e novos empreendimentos são as feiras,

congressos, seminários, simpósios, reuniões junto às associações

e federações de indústrias brasileiras, FINEP, BNDES e encontros

de negócios no meio empresarial. Neste diapasão, a AMAZUL teve

participação ativa em inúmeros eventos externos, tais como:

 Feira LAAD Security, Seminário Naval Brasil-França, Congresso de Segurança na Indústria,

Congresso Learning & Performance Brasil, Feira MARINTEC South America Naval Shore,

Seminário Internacional de Energia Nuclear (SIEN), 4ª Mostra BID Brasil; e

 Reuniões rotineiras nas seguintes instituições:

• ABDAN (Associação Brasileira para o Desenvolvimento de Atividades Nucleares)

• ABIMDE (Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Defesa e Segurança)

17
• ADVB (Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil – SP)

• COMDEFESA (Departamento da Indústria de Defesa da FIESP)

• FIRJAN (Federação das Indústrias do Rio de Janeiro)

A participação nesses eventos é importante para os

negócios da AMAZUL e pode gerar novos projetos e parcerias

focados sempre no objeto social da empresa.

A AMAZUL também esteve presente em universidades e

entidades relacionadas ao setor de defesa para realizar palestras e

apresentar as atividades da empresa, sua importância estratégica

para o País, bem como as próprias atividades da Marinha do

Brasil. Essas atividades de relações institucionais têm sido bastante

benéficas, uma vez que o público-alvo tem-se mostrado satisfeito

com as informações recebidas, as quais contribuem para conhecer

melhor a empresa, a MB e os temas relacionados à defesa nacional.

Em 2016, fruto da grande divulgação de suas atividades

no meio civil, a AMAZUL foi bastante procurada por empresas brasileiras para apresentar seus

produtos, abrindo oportunidades de negócios dentro do PROSUB e da própria MB.

Em outra vertente, o escritório da AMAZUL no Rio de Janeiro (AMAZUL-RIO) representou o

diretor-presidente nas reuniões ordinárias e extraordinárias da ABDAN, no Conselho Empresarial de

Defesa e Segurança da FIRJAN e no Comitê Naval do mesmo Conselho. Além disso, a AMAZUL-RIO

representou a empresa e prestou apoio nos seguintes eventos:

 Reunião com representantes da empresa L3 sobre soluções para modernização dos

periscópios dos submarinos classe “TUPI”;

 Seminário Tecnologia, Estratégia e Aquisição em tempo de crise, na EGN;

 Seminário Naval Brasil-França, na FIRJAN;

 Seminário de Segurança Marítima do Atlântico Sul, na EGN;

 Em junho, recepcionou e coordenou palestras e visita às instalações da EBN-UFEM, em

Itaguaí, dos candidatos aprovados no processo seletivo (PSS-01-2016) de admissão de


18
novos empregados temporários;

 Apoiou a realização da Reunião do Conselho de Administração – CONSAD e a visita

deste colegiado às instalações da EBN-UFEM;

 Participação no Seminário “30 anos - Zona de Paz de Cooperação do Atlântico Sul”, coordenado

pela ESG, na PUC-Rio;

 Apoio na realização da reunião do Conselho Fiscal, com a consequente visita deste colegiado

às instalações da EBN-UFEM;

 Reuniões na FGV, sobre modelo de negócios para o RMB, juntamente com a DTC; e

 Reuniões na Diretoria de Portos e Costas (DPC), conduzidas pela Diretoria de Obras Civis

da Marinha (DOCM), para tratar das futuras instalações do Escritório AMAZUL-RIO em

prédio localizado próximo à Praça XV, na cidade do Rio de Janeiro.

2.2 Gestão integrada: qualidade, meio ambiente, saúde e segurança dos trabalhadores

Em 2016, a AMAZUL incrementou as atividades do Departamento de Qualidade e do

Sistema de Gestão Integrada (AMZ-13), subordinados à Diretoria Técnico-Comercial (AMZ-10). O

AMZ-13 tem como atribuições a promoção da qualidade e da cultura de segurança, a supervisão e

coordenação da implementação do SGI, entre outras. O SGI é a composição de diversos sistemas

de gestão com o objetivo de implementar políticas e atingir objetivos de forma mais eficaz. Por

intermédio do SGI, a AMAZUL procura melhorar seus processos internos e minimizar os riscos.

Esse sistema visa atender às diretrizes da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA),
19
garantir conformidade completa com os requisitos da CNEN e alinhar-se aos manuais, programas,

normas e procedimentos já existentes e em utilização nas demais Unidades Operacionais (UO). A

empresa busca identificar e controlar as atividades críticas para a qualidade, garantindo a excelência

no processo e reduzindo os impactos ao meio ambiente e à saúde e à segurança dos trabalhadores, e

em consonância com a segurança nuclear. A implantação da Gestão Integrada tornou-se necessária

devido à implantação da equipe orgânica de projetos nucleares. Com o SGI implantado, a AMAZUL

estará habilitada e capacitada a participar do licenciamento de instalações nucleares próprias e de

parceiros estratégicos.

2.3 Produto Estratégico de Defesa (PED) de Empresa Estratégica de Defesa (EED)

Como visão estratégica nacional e com o objetivo de se beneficiar no futuro do Regime

Especial Tributário para a Indústria de Defesa (RETID), estabelecido pelo Decreto nº 8.122, de 16

de outubro de 2013, a AMAZUL está credenciada pelo MD como EED por intermédio da Portaria

nº 1.636/MD, de 27 de junho de 2014, tendo como PED catalogado o Projeto de Concepção do

Submarino com Propulsão Nuclear Brasileiro.

20
3. COMENTÁRIOS SOBRE A CONJUNTURA ECONÔMICA GERAL

Como empresa pública dependente, nos termos da Lei Complementar 101, de 4 de maio

de 2000, que estabelece normas de finanças públicas voltadas para a responsabilidade na gestão

fiscal, a AMAZUL recebe, da União, “recursos financeiros para pagamento de despesas com pessoal

ou de custeio em geral ou de capital, excluídos, no último caso, aqueles provenientes de aumento de

participação acionária”. Essa situação impõe à empresa todas as exigências a que são submetidos

os demais órgãos públicos que recebem recursos do Orçamento Geral da União. No caso específico
da AMAZUL, as receitas de 2016 foram originadas da Lei Orçamentária Anual (LOA), sendo 99,98%

de recursos do Tesouro Nacional e 0,02% de contratos com a INB.

A empresa executou seu orçamento sob a influência de um forte contingenciamento, apresentado

pelo Decreto nº 8.670, de 12 de fevereiro de 2016, que restringiu o provisionamento dos recursos de

custeio e investimento a 55% do que estava previsto na LOA 2016, conforme o seguinte quadro:

Outro fator que dificultou a execução orçamentária de 2016 foi a liberação de recursos

financeiros aquém das necessidades da empresa, em face da situação fiscal enfrentada pelo Governo
Federal durante o exercício financeiro, o que gerou óbices à quitação dos compromissos assumidos

com os fornecedores, mantendo o estoque de Restos a Pagar em montante elevado.

A AMAZUL também recebeu recursos do Comando da Marinha, oriundos do PROSUB e

do PNM, descentralizados internamente no escopo do objeto social e do estatuto da empresa, para

executar objetos relacionados àqueles programas, conforme previsto em nossa lei de criação.

No intuito de minimizar as dificuldades orçamentárias, a empresa renegociou contratos

e adotou medidas administrativas de economia, para que não fossem afetadas as atividades de

manutenção de seu prédio-sede e do escritório no Rio de Janeiro.

Em relação aos recursos para pagamento de pessoal, o valor provisionado foi suficiente

para atender à folha de pagamento do exercício, mas, devido ao ingresso de novos empregados, e,
21
também, para o cumprimento do pagamento dos Acordos Coletivos de Trabalho de 2015 e 2016

(ACT 2015/2016), foi necessário um crédito adicional. Ressalta-se que o ACT 2015 encontrava-se

em dissídio coletivo. Devido à situação econômica do País, os salários foram reajustados em índices

abaixo da inflação no período.

A atuação da empresa como agente de fomento tecnológico e da Base Industrial de

Defesa, em sua área de influência, é cingida pelas restrições orçamentárias impostas aos demais

órgãos da administração federal. Embora seja classificada como sociedade anônima, a AMAZUL não

possui autonomia total, em função da conjuntura orçamentária e fiscal que baliza o provisionamento

dos créditos necessários à sua gestão administrativa. Nesse escopo, a empresa continua elaborando

propostas legais e normativas, a serem encaminhadas à área econômica do Governo Federal, por

intermédio do Comando da Marinha, que busquem atribuir maior flexibilidade na aplicação de

receitas próprias geradas por suas atividades finalísticas.

4. RECURSOS HUMANOS

A Amazônia Azul Tecnologias de Defesa S.A.- AMAZUL, desde a sua criação, vem

aperfeiçoando a sua política e práticas de gestão de pessoas, a fim de captar, reter e desenvolver

talentos para o alcance dos objetivos estratégicos da organização.

Os principais resultados do exercício de 2016 estão demonstrados a seguir.

4.1 Governança

4.1.1 Planejamento estratégico

No planejamento estratégico foram definidas as ações estratégicas e metas para 2017-

2019 e 2020-2040, todas com seus respectivos indicadores, além dos projetos propostos, tendo como

diretriz estratégica “Promover a gestão de pessoas e promover a qualidade de vida no trabalho”.

22
4.1.2 Gestão de pessoas na administração pública federal

A empresa colaborou com o TCU em diligências voltadas para o funcionamento da gestão

de pessoas em toda a administração federal. Para tal, prestou informações sobre vários temas:

 Recrutamento e seleção;

 Retenção;

 Perfil profissional e de atividades;

 Relações com os colaboradores;

 Reconhecimento;

 Avaliação de desempenho;

 Treinamento e desenvolvimento;

 Gestão da liderança e processo sucessório;

 Unidade de gestão de pessoas como parceira estratégica;

 Planejamento da força de trabalho;

 Planejamento da gestão de pessoas; e

 Accountability.

4.1.3 Participação nos seminários - Boas práticas de gestão de pessoas – SEST

Em 2016, a empresa participou do 2º Ciclo de Compartilhamento de Boas Práticas em Gestão

de Pessoas nas Empresas Estatais, promovido pela SEST (Secretaria de Coordenação e Governança das

Empresas Estatais).

Para o desenvolvimento desse programa, a SEST fundamentou-se na necessidade de aprimorar

a gestão de pessoas nas estatais, por meio de compartilhamento de práticas e conhecimentos dentro de

um ambiente de colaboração entre as empresas participantes para a melhoria contínua na gestão da

administração pública.

23
As empresas estatais

convocadas pela SEST foram divididas

por grupos de trabalho e agrupadas

em eixos temáticos: provimento, política

salarial, encarreiramento, sucessão e

desligamento, sendo que a AMAZUL foi

direcionada ao grupo Encarreiramento.

Neste, as empresas apresentaram

práticas estruturadas dos processos de gestão por competências, capacitação e desenvolvimento,

formas de reconhecimento e recompensa (não financeiras) e avaliação de desempenho.

Cada grupo, de acordo com seu eixo temático, reuniu-se periodicamente para apresentar

as práticas correspondentes. Ao final de cada encontro, os participantes votavam na prática que

melhor se adequasse aos critérios de relevância, estruturação, aplicabilidade e o efeito dentro da

organização.

Após essa etapa, as práticas eleitas eram apresentadas em seminário, em Brasília, para

todos os grupos, os quais elegiam, em votação, a melhor prática de cada eixo temático.

Cabe ressaltar que todas as diretrizes e cronograma do ciclo foram definidos pela SEST.

A AMAZUL participou de oito encontros e quatro seminários, o que favoreceu o estreitamento das

relações na área de Gestão de Pessoas com as demais empresas públicas controladas pela SEST.

4.1.4 Eleição de representante dos empregados no CONSAD

Foram elaborados o regulamento e edital do processo de eleição do representante dos

empregados no Conselho de Administração (CONSAD), que se encontra em andamento, além de

providenciar outras medidas administrativas necessárias, como a aprovação de normas específicas

e divulgação de todos os atos administrativos decorrentes do processo.

24
4.1.5 Regulamentos, normas e procedimentos

No ano de 2016, houve a continuidade do trabalho de formalização, implantação e/ou

revisão dos processos, normas e procedimentos na área de Gestão de Pessoas, relativos aos processos

de progressão e promoção, avaliação de desempenho, avaliação do período de experiência,

programa de incentivo à apresentação de propostas de inovação/melhoria e reconhecimento por

tempo de serviço.

4.1.6 Conclusão do Acordo Coletivo de Trabalho (2015)

A celebração do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT) de 2015 ocorreu após um longo

percurso via extrajudicial (negociação coletiva) e, posteriormente, na via judicial (dissídio coletivo),

durando cerca de um ano e oito meses.

Após recurso interposto pela AMAZUL, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) extinguiu

o processo sem julgamento do mérito. Com a decisão do TST, as partes interessadas retornaram à

negociação coletiva.

Em assembleia ocorrida em setembro de 2016, a maioria dos empregados optou por

aceitar a contraproposta da AMAZUL, que incluiu, entre outros itens, reajuste salarial de 4,15%, com

data-base em 1º de janeiro de 2015.

Em setembro de 2016, foi firmado o ACT de 2015 pela AMAZUL e pelo SINTPq, permitindo

que, em novembro de 2016, os empregados recebessem as diferenças salariais e de benefícios.

4.1.7 Plano de Previdência Complementar – AMAZUL PREV

A proposta de criação do plano de previdência dos empregados da AMAZUL recebeu

parecer favorável da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) do Ministério da Fazenda, conforme

Parecer nº 12/2016, de 18 de março de 2016, e do Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e

Gestão, nos termos do ofício nº 39160/2016-MP, de 17 de agosto de 2016.


25
Em 26 de outubro de 2016, foi assinado o Convênio de Adesão, firmado pela AMAZUL

com a BB Previdência Complementar, empresa do Banco do Brasil S.A, contratada para ser a gestora

do Plano de Previdência Complementar – AMAZUL PREV.

A BB Previdência, em 3 de novembro de 2016, entregou o plano final à Superintendência

de Previdência Complementar (PREVIC) e irá se manifestar quanto à autorização da implantação,

após análise do Regulamento e do Regimento do Plano, prevista para o primeiro semestre de 2017.

4.2 Provimento

Em 2016, ocorreram 79 contratações, com base no Processo Seletivo Simplificado e no

Concurso Público, conforme descrito a seguir:

4.2.1 Processo Seletivo Simplificado

Observado o limite do quantitativo de pessoal autorizado estabelecido pelo DEST-MP, em

2013, a AMAZUL realizou Processo Seletivo Simplificado (Edital PSS 01/2016), com abertura de 13

vagas para o quadro temporário, do qual resultaram 12 contratações, sendo quatro analistas e oito

especialistas. Outro Processo Seletivo Simplificado (Edital PSS-02/2016), com publicação em Diário

Oficial da União em dezembro de 2016, teve abertura de uma vaga para o cargo de analista e cinco

vagas para o cargo de especialista.

4.2.2 Concurso Público

Em continuidade às convocações de candidatos classificados nos concursos 01/2014,

02/2014 e 03/2014, foram contratados 62 profissionais, sendo seis auxiliares, 26 técnicos, nove

analistas e 21 especialistas, todos dentro dos limites estabelecidos pelo Ministério do Planejamento,

Desenvolvimento e Gestão.

26
4.3 Encarreiramento, sucessão e desligamento

4.3.1 Programa de Integração de novos empregados “Bem-vindo a Bordo”

O programa de integração

da AMAZUL é denominado “Bem-vindo

a Bordo”, tendo como principal objetivo

apresentar aos novos empregados


informações institucionais essenciais

para o início das atividades, facilitando

a socialização e a adaptação à cultura

organizacional.

O programa para os novos contratados incluiu apresentações e palestras sobre o

planejamento estratégico da AMAZUL, segurança orgânica, segurança das informações, código de

ética, comunicação, direitos, deveres, normas e benefícios, entre outros.

4.3.2 Descrição das especialidades

Foi concebido um projeto-piloto de descrição de especialidades e funções no Serviço

Especializado de Engenharia e de Medicina do Trabalho (SESMT), que deverá servir de base para

toda a empresa.

4.3.3 Gestão do Conhecimento

A promoção da GC é um dos objetivos de alto nível do planejamento estratégico da

AMAZUL e está sendo tratada com prioridade pela empresa, com acompanhamento pelos Conselhos

de Administração (CONSAD) e Fiscal (CONFIS).

27
O Projeto de Implantação do Programa de Gestão do Conhecimento (PIGC) na AMAZUL teve início

em 2015. O objetivo é normatizar e sistematizar uma metodologia de GC apropriada à AMAZUL e suas Unidades

Operacionais (UO), visando ao PROSUB e ao PNM, alinhada ao Empreendimento Modular (EM) da Marinha do

Brasil, relativo à gestão do preparo do pessoal e à GC afetas a esses programas. Desse modo, e dando continuidade

ao relatório de 2015, o projeto de GC está em fase de planejamento e aplicação da estratégia.

A metodologia a ser desenvolvida deverá ser

testada, ajustada e validada por meio de sua aplicação

em um projeto-piloto, já iniciado, no CTMSP, na sua

Usina de Produção do Hexafluoreto de Urânio (USEXA).

Em 2016 foram realizadas as seguintes

etapas do projeto:

 Sensibilização da força de trabalho da USEXA para atividades de diagnóstico de

maturidade em GC;

 Criação de modelo de sistema de questionários online;

 Elaboração da metodologia de GC AMAZUL: ações, atividades a serem implementadas

a partir da avaliação do nível de maturidade;

 Aplicação do questionário de avaliação para toda a força de trabalho da USEXA; e

 Realização de entrevistas com chefes de divisão e pessoas-chave na USEXA para

detalhamento do resultado do questionário.

A aplicação do questionário e a

realização das entrevistas chegou ao diagnóstico de

maturidade em GC. A partir deste momento, será

elaborado um plano de ação que vai trabalhar em

duas frentes: preparação de ambiente favorável

ao compartilhamento e alinhamento de pessoas e

processos à estratégia de GC.


28
4.3.4 Avaliação de desempenho

O processo de avaliação de desempenho

ocorreu no período de abril a maio de 2016,

abrangendo treinamentos para 296 avaliadores

e 927 avaliados, aplicação da avaliação aos

empregados elegíveis e acompanhamento de

toda a sistemática do processo nesse período.

Finalizado o processo, foram promovidas reuniões com 189 gestores e comissões

avaliadoras para a apresentação dos resultados e proposição de melhorias para o processo de

2017.

4.3.5 Progressões e promoções

O processo de progressões e promoções foi realizado em conformidade com a Resolução

n. 09, de 8 de outubro de 1996, do Conselho de Coordenação e Controle das Empresas Estatais

(CCE) e em consonância com o Plano de Cargos, Remuneração e Carreira (PCRC) da AMAZUL.

Em 2016, foram movimentados na carreira 692 empregados, por meio de 529 progressões

por merecimento, 87 progressões por antiguidade e 76 promoções.

4.3.6 Reconhecimento por tempo de serviço

Em 2016, foi instituída uma premiação com o propósito de homenagear os empregados

da AMAZUL oriundos da EMGEPRON que completaram o tempo de 10, 20 e 30 anos de bons

serviços prestados.

Dos 53 empregados homenageados, 14 completaram 10 anos (bronze), quatro

completaram 20 anos (prata) e 36 completaram 30 anos (ouro). Os distintivos correspondentes

foram entregues pela Diretoria da AMAZUL.


29
4.3.7 Jovem aprendiz

Em observância aos princípios contidos no Artigo 227 da Constituição Federal – CF/88,

ao Estatuto da Criança e do Adolescente (Lei nº 8.069/90), à Consolidação das Leis do Trabalho –

CLT (Decreto-Lei nº 5.452/43) e às Leis nº 10.097/00 e 11.180/05, regulamentadas pelo Decreto

nº 5.598/05, foi iniciado o processo licitatório para implantar o Programa Jovem Aprendiz em 2017.

4.3.8 Capacitação

A capacitação é um requisito

institucional da AMAZUL, preconizada em sua

lei de criação, no Estatuto Social e em normas

internas, além de estar alinhada ao PEA,

e busca conciliar os objetivos institucionais

com as expectativas de crescimento pessoal

e profissional dos empregados. No âmbito

do encarreiramento, promover ações de capacitação é um dos compromissos da AMAZUL, que

procura ampliar as competências essenciais e específicas do quadro de pessoal para o alcance

dos principais objetivos da empresa, como desenvolver novas tecnologias próprias, prestar serviços

técnicos complexos, inovar em processos e em produtos e gerenciar conhecimento sensível.

Em 2016, foram estabelecidas parcerias com importantes instituições, tais como o

Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Escola Superior de Guerra (ESG), Escola

Superior de Administração Fazendária (ESAF), Tribunal de Contas do Estado de São Paulo (TCE-SP),

Tribunal de Contas da União (TCU) e Centro de Instrução e Adestramento Almirante Newton Braga

(CIANB), que possibilitaram a participação de nossos empregados em cursos, palestras e seminários

de interesse da empresa.

Cabe destacar a realização do Ciclo de Palestras direcionado ao quadro de empregados

30
das áreas de Administração e Finanças no decorrer de 2016. Esse evento propiciou, por meio

da contribuição de instrutores internos, especialistas em suas respectivas áreas de atuação, o

compartilhamento de conhecimentos e uma melhor qualificação profissional dos participantes, bem

como o aumento da produtividade das áreas relacionadas.

4.4 Qualidade de vida no trabalho

4.4.1 Apoio psicossocial aos empregados

O atendimento psicossocial tem-se consolidado como uma prática de apoio aos gestores

e empregados e ajudado a promover relações sociais de qualidade no ambiente de trabalho,

propiciando o enfrentamento das adversidades, em nível pessoal e social, que afetem o desempenho

individual e organizacional.

Em 2016, o apoio psicossocial se deu por meio de:

 1.444 atendimentos psicossociais (atendimentos de Serviço Social e Psicologia);

 2 movimentações internas;

 7 visitas domiciliares;

 6 visitas hospitalares;

 34 ações de processo inicial de luto;

 23 entrevistas de desligamento e workshop sobre empregabilidade em empresas privadas

e preparação para concursos públicos;

 Humanização das relações sociais no trabalho: roda de conversa realizada nas UO

CTMSP e Centro Experimental Aramar (CEA); e

 Avaliação psicológica para exames admissionais e periódicos de áreas controladas

e sujeitas às normas reguladoras, em conformidade com a legislação em vigor: 155

avaliações psicológicas.

31
4.4.2 Ações para qualidade de vida

 Painel eletrônico com frases inspiradoras e notícias temáticas;

 Blog da Assessoria de Assistência Social na intranet da AMAZUL e coluna no “Boletim

Semanal” da UO CTMSP, com matérias atinentes à qualidade de vida;

 Campanha de Carnaval Seguro-Prevenção DST/AIDS;

 Incentivo aos empregados para atividades esportivas (maratonas e corridas de rua); e

 Palestras temáticas.

4.5 Quadro de pessoal

O quadro de pessoal, em 31/12/2016, era formado por 1.750 empregados, incluídos

35 empregados aposentados por invalidez. A distribuição dos empregados por escolaridade, faixa

etária, situação (trabalhando ou afastado) e sexo será apresentada nas respectivas tabelas, a seguir:

Nível de Escolaridade Empregados %


Ensino Fundamental Completo 18 1,03%
Ensino Fundamental Incompleto 78 4,46%
Ensino Médio Completo 722 41,26%
Ensino Médio Incompleto 13 0,74%
Educação Superior Completa 679 38,80%
Educação Superior Incompleta 26 1,49%
Pós Graduação 2 0,11%
Especialização ou MBA completo 65 3,71%
Especialização ou MBA Incompleto 1 0,06%
Mestrado Completo 103 5,89%
Doutorado Completo 43 2,46%
Total Geral 1750 100,00%
32
A relação entre empregados do sexo feminino e empregados do sexo masculino

permaneceu praticamente inalterada, se comparada com o ano de 2015. Observa-se que 50,97%

dos empregados AMAZUL possuem educação superior, sendo que, destes, 16,35% possuem mestrado

e doutorado.

Observa-se ainda quantidade expressiva de empregados situada na faixa etária acima

de 51 anos (40,34%).

Faixa Etária Empregados % Situação


18 a 30 anos 331 18,91% Trabalhando 1671
31 a 40 anos 379 21,66% Afastado 79
41 a 50 anos 334 19,09% Aposentadoria por Invalidez 35
51 a 60 anos 457 26,11% Doença 26
61 a 70 anos 216 12,34% Licença Sem Vencimentos 10
Acima de 71 anos 33 1,89% Maternidade 6
Total Geral 1750 100,00% Maternidade – Prorrogação 1
Total Geral 1750

Sexo Empregados %
Feminino 458 26,17%
Masculino 1292 73,83%
Total Geral 1750 100,00%

Deve-se, por fim, registrar que a AMAZUL vem atuando continuamente no processo de

migração de conhecimento para os empregados recém-contratados, a fim de que não haja perda

de informações técnico/científicas adquiridas ao longo dos muitos anos de existência do PNM, em

função das aposentadorias iminentes.

4.6 SIAPE

Em 2016, a interação com a Secretaria de Recursos Humanos do Ministério do Planejamento,

Desenvolvimento e Gestão permitiu que todos os empregados AMAZUL fossem incluídos no sistema, o que

possibilitou a realização de testes da folha de pagamento da AMAZUL na base de produção do SIAPE.

Em dezembro de 2016, com a validação do processo da folha de pagamento, a AMAZUL

tornou-se apta para a migração SIAPE, que ocorrerá no início de 2017.

33
5. INVESTIMENTOS

5.1 Principais investimentos em aquisições e contratações

Os investimentos para o atendimento das infraestruturas dos ambientes administrativo,

operacional e de Tecnologia da Informação e Comunicações (TIC) concentram-se na manutenção dos

ativos imobilizados, bens móveis e imóveis. Em 2016, foi efetuada a aquisição de mobiliário próprio

em substituição ao alugado, com estrita observância das normas e legislação sobre ergonomia e
sustentabilidade.

Foi concluída a implantação do módulo corporativo do ERP Benner o que propiciará

o fechamento do exercício contábil e financeiro no que tange aos requisitos e demonstrativos

empresariais, com recursos internos da AMAZUL, tendo sido dispensada a contratação de escritório

contábil externo.

Foi desenvolvida e está em fase de implantação, devidamente integrada ao ERP Benner, a

rotina de apoio à execução e gestão das atividades relacionadas a diárias e passagens na empresa.

Mais uma vez, foram desenvolvidas e implantadas adaptações no módulo de Recursos

Humanos (RH) do ERP Benner para apoio às atividades relacionadas ao processo de avaliação de

desempenho, promoção e progressão dos empregados da AMAZUL.

5.2 Principais investimentos na infraestrutura logística

Em relação à infraestrutura da empresa, cabe destacar as seguintes iniciativas:

 O controle patrimonial foi sistematizado por intermédio da ativação de módulo específico

do Sistema Corporativo ERP Benner;

 Foram ativados novos módulos do Sistema Corporativo ERP Benner, voltados para diversas

áreas da empresa;

34
 No intuito de reduzir custos no curto e médio prazos, foi efetuada a aquisição de mobiliário

para substituição de contrato de aluguel, incluindo mesas, cadeiras e estações de trabalho;

 A administração buscou atender a todas as demandas relativas à manutenção predial,

apresentadas nos relatórios da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA), bem

como os aspectos do relatório de risco apontados pela empresa de vigilância contratada.

Assim, foram aperfeiçoados o funcionamento seguro das instalações físicas do edifício

sede e o conforto por elas oferecido aos empregados. A ativação e ampliação de

dispositivos de vigilância eletrônica aumentaram a sensação e a efetividade da segurança

das instalações prediais.

5.3 Objetivos dos investimentos

A rápida mudança

no ambiente empresarial exige

das organizações que atuam

no campo tecnológico respostas

ágeis. Diante deste cenário,

é necessário que, ao lado da

capacidade criativa das pessoas

que fazem a AMAZUL, garanta-se um ambiente físico e tecnológico compatível com a necessária

evolução dos serviços a serem prestados na área de tecnologias de defesa. Esta é uma das formas

de se manter a capacidade produtiva, promover as melhorias necessárias às diversas necessidades

dos clientes e garantir a evolução das funcionalidades dos serviços demandados.

Vê-se, portanto, que, em 2016, foram realizados investimentos em nossas infraestruturas

técnicas e logísticas, as quais pretendem suportar, em velocidade e volume compatíveis com as

demandas de nosso objeto social, o crescimento organizacional da empresa.

35
6. PESQUISA E DESENVOLVIMENTO

As atividades de Pesquisa e Desenvolvimento

(P&D) da AMAZUL estão intrinsecamente ligadas ao

CTMSP. Em conjunto com os parceiros tecnológicos

principais, que são o CTMSP, os institutos de pesquisas

da CNEN (IPEN, CDTN e IEN) e entidades afins, como

a FDTE (USP), a AMAZUL está prospectando projetos


específicos na área de Pesquisa e Desenvolvimento afetos

ao seu objeto social.

7. NOVOS PRODUTOS E SERVIÇOS

Pelas suas características de instituição governamental, determinadas pela Lei nº

12.706/2012, a AMAZUL poderá atuar em cinco áreas distintas:

 Gestão de pessoas;

 Gestor do conhecimento;

 Comercialização de produtos e prestador de serviços;


 Gestão de programas, projetos e empreendimentos;

 Operação de empreendimentos.

Inicialmente, atua como órgão gestor de pessoas nas tarefas de seleção e recrutamento,

formação e treinamento, disponibilização ao cliente e gestão trabalhista, como já o vem fazendo junto

ao CTMSP e à COGESN.

Num segundo momento, a AMAZUL começou a atuar como órgão gestor do conhecimento,

para a promoção, desenvolvimento, absorção e manutenção de tecnologias ligadas às áreas de projeto

e construção de submarinos e tecnologia nuclear.

Um terceiro modo de atuação é como comercializador de produtos e prestador de serviços

36
técnicos. Neste sentido, serão identificados novos negócios, nos quais os produtos do CTMSP, do

sistema CT&I da MB e de outros parceiros serão oferecidos, via AMAZUL, a clientes institucionais, em

sua maioria, outros órgãos do governo. Serão oferecidos os serviços técnicos de parceiros a serem

mobilizados como nossos fornecedores, tais como os Institutos de Pesquisa da CNEN (IPEN, CDTN,

IEN) e os técnicos da POLI/USP (por meio da sua fundação de apoio, a FDTE).

A AMAZUL também poderá operar como gestor de programas, projetos e empreendimentos,

executando para seus clientes o ciclo completo tradicional de um projeto, tal como previsto no

Project Management Body of Knowledge (PMBoK). Com esta finalidade, foi implantado, em 2015, o

Escritório de Gerenciamento de Projetos da AMAZUL, com o objetivo de formular diretrizes, normas

e padrões de gerenciamento de projetos e prestar apoio aos gerentes de projeto da empresa.

Finalmente, pode atuar como operador de empreendimentos, o que abrange o ciclo

completo da operação e manutenção (O&M) à comercialização dos produtos e serviços decorrentes.

A AMAZUL continua prospectando negócios para atuar dos cinco modos citados.

8. INFORMAÇÕES SOBRE RESPONSABILIDADE SOCIAL E CIDADANIA

8.1 Comunicação Social

A página da Internet da AMAZUL encontra-se adequada às exigências e normas da Lei

nº 12.527/2011 (LAI - Lei de Acesso à Informação), garantindo ao cidadão o direito constitucional

de acesso à informação. A política do site observa o princípio de transparência ativa, no sentido de

divulgar amplamente informações sobre a AMAZUL e os programas de que participa, por iniciativa

própria, independentemente de requerimento por parte do cidadão.

Além das normas estabelecidas pelo Ministério da Transparência, Fiscalização e Controladoria-

Geral da União (antiga CGU), o site atende a recomendações do Ministério do Planejamento,

Desenvolvimento e Gestão e do Ministério da Fazenda. Além disso, privilegia os canais de atendimento

ao cidadão, especificamente e-SIC, e-OUV, Fale Conosco e Comissão de Ética.

A AMAZUL começou a reformular também sua Intranet Corporativa, principal canal de comunicação
37
com os empregados, processo que deverá estar concluído em março de 2017. O canal armazena informações

relevantes sobre a empresa, gestão, recursos humanos e documentos de interesse do pessoal.

Em relação à comunicação com os empregados, além da Intranet Corporativa, a empresa

edita boletins especiais, impressos e eletrônicos, e veicula mensagens em painéis eletrônicos colocados

próximo aos refeitórios de suas Unidades Operacionais e na sede.

8.2 Ouvidoria

A AMAZUL aprimorou seus procedimentos da Ouvidoria, que passou a ter um profissional

da Assessoria de Comunicação e Responsabilidade Social (ACS) para atendimento às demandas,

em dedicação parcial. A empresa criou também uma política e normas de procedimento para

atendimento às demandas do cidadão via e-SIC (Sistema Eletrônico do Serviço de Informação ao

Cidadão).

Em 2016, a empresa aderiu ao e-OUV, Sistema de Ouvidorias do Poder Executivo Federal,

canal integrado para o encaminhamento de manifestações do cidadão (denúncias, reclamações,

solicitações, sugestões e elogios) a órgãos e entidades. O sistema ainda está sendo consolidado pelo

Governo Federal.

Além de funcionar pelo canal e-OUV, o serviço de Ouvidoria da AMAZUL é disponibilizado

pelo cidadão por email, carta, pela Intranet Corporativa, pela Internet e por atendimento presencial.

Em 2016, o atendimento da Ouvidoria recebeu 306 demandas, sendo 41 via e-SIC e três via

e-OUV. Portanto, a grande maioria das manifestações (262) foi feita por meio do serviço de Ouvidoria/Fale

Conosco da AMAZUL (email e telefone), o que representou uma queda de 55% em relação às solicitações

via este canal em 2015 (592). Esse decréscimo se explica pelo fato de ter sido realizado concurso público em

2014/2015, o que elevou o número de pedido de informações e reclamações naquele período.

Em relação ao e-SIC, as 41 demandas em 2016 representaram um acréscimo de 241%

sobre 2015 (12 solicitações).

Ressalte-se que, em 2016, houve apenas um recurso de primeira instância no e-SIC,

o que atesta a eficiência no atendimento das demandas e satisfação do cidadão em relação às


38
respostas obtidas. Mesmo assim, o recurso não tratava de reclamação sobre eventual recusa de

prestação de informação, mas, ao contrário, de pedido complementar.

Do total de demandas, 84,8% originaram-se do público externo.

Ouvidoria – De acordo com o tipo de demanda

Pedido de informações 176 (67%)


Solicitações diversas 46 (17,5%)
Reclamações 32 (12,16%)
Comentários/sugestões 6
Elogio 1
Agradecimento 1

Do total de demandas da Ouvidoria, 78,7% se referiam a concursos públicos, processos

seletivos e pedidos de informação sobre oportunidade de emprego na AMAZUL.

Via e-SIC, a maior parte dos pedidos de informação se referia a concursos públicos e processos

seletivos.

8.3 Atendimento à imprensa

O atendimento à chamada Grande Imprensa tem-se dado de forma reativa, de acordo

com as demandas apresentadas pelos jornalistas. Alguns fatores dificultam a divulgação de forma

proativa, como a ausência de notícias sobre a empresa de interesse para os principais veículos de

comunicação, limitação da atuação da empresa no atual estágio e necessidade de cautela em um

momento sensível para o País. Em contrapartida, a ACS tem procurado divulgar ações da AMAZUL

em revistas especializadas e da Marinha do Brasil.


Em 2016, destaca-se o atendimento a dois grandes veículos nacionais (O Globo e O
Estado de S. Paulo), para explicar as circunstâncias que levaram a AMAZUL a propor a criação da
Próton, uma joint-venture em parceria com a ODT – Odebrecht Defesa e Tecnologia, empreendimento
que não foi ainda aprovado pela Marinha do Brasil. Ambos os veículos, além de outros (sites) que
reproduziram suas reportagens, publicaram com fidelidade a nota de esclarecimento enviada pela

AMAZUL.
39
Balanço das notícias sobre a AMAZUL publicadas em 2016:

Clipping - Reportagens, publieditoriais e notas publicadas


Veiculação 2016 2015
Veículos de informação geral 40 25
Publicações da Marinha 8 5
Publicações de entidades especializadas e parceiras 19 10
Total 67 40

Clipping - Principais assuntos


Assunto 2016 2015
Empresa/Defesa/PROSUB 51 18
Concurso/Processo Seletivo 15 17
Outros - 1
Campanha Salarial 1 2
Artigos - 2
Total 67 40

8.4 Sustentabilidade e ação social

A elaboração, aprovação e implantação do Plano de Logística Sustentável (PLS)


desencadeou iniciativas direcionadas para a responsabilidade social e cidadania da empresa,
buscando a sensibilização e o envolvimento dos empregados na concretização dos objetivos
estipulados no referido plano.
As práticas de sustentabilidade e racionalização do uso de materiais e serviços contribuíram
para a redução de gastos e a manutenção das atividades de apoio, em contraponto aos cortes e
contingenciamentos orçamentários ocorridos durante o exercício financeiro de 2016.
As ações de adequação planejadas diante do cenário orçamentário restritivo buscaram
atingir um amplo espectro de atividades, como as que se seguem:
 Redução do consumo de energia elétrica (na iluminação dos ambientes, no estabelecimento
de horário para funcionamento dos condicionadores de ar, com a instalação de sensores
de presença e substituição por lâmpadas LED em toda a sede);

 Diminuição do consumo de água (com a verificação de vazamentos na rede hidráulica e

sanitária e com a instalação de torneiras mecânicas com temporizadores);

 Renegociação para reduzir o valor dos contratos de limpeza e transporte no limite do percentual

permitido por lei;


40
 Aumento das restrições quanto à impressão de documentos (impressão frente e verso,

reúso de papel e utilização de fonte padrão econômica);

 Limitação das ligações telefônicas externas (priorizar o uso da rede telefônica da MB);

 Incremento da utilização das mensagens eletrônicas (estimular o uso do email corporativo);

 Priorização da capacitação com treinamentos internos dos recursos humanos (cortes em

cursos indenizáveis e gastos com passagens e diárias); e

 Readequação das aquisições e serviços previstos no Plano de Aplicação de Recursos - PAR

(eliminação de itens não prioritários).

Durante o período de 23/02 a 30/08/2016, foi executado o cronograma de palestras

de conscientização, sensibilização e capacitação, com resultados significativos que estimularam o

incremento do próprio plano e a mudança de comportamento de todos na empresa.

Além disso, a criação de mascote do PLS, por intermédio de um concurso cultural,

procurou incentivar a participação dos empregados lotados tanto na Sede Administrativa, quanto

nas Unidades Operacionais do CTMSP (Sede e Aramar), de modo a torná-lo um facilitador na

identificação das iniciativas e metas ligadas à sustentabilidade.

Durante o ano de 2016, a AMAZUL participou ativamente da campanha do Governo

Federal para prevenção e eliminação de focos do mosquito Aedes aegypti, com a colaboração dos

empregados da sede e das Unidades Operacionais e apoio da Secretaria Municipal de Vigilância

e Saúde e de militares do Exército Brasileiro. Todas as dependências, repartições e instalações

estiveram representadas por ao menos um

empregado, permitindo que fosse atingida

a plenitude da área edificada e externa

da AMAZUL. A ACS utilizou-se da intranet,

particularmente, para veicular campanhas

com o objetivo de sensibilizar, orientar e

informar os empregados sobre as ações,

41
metas e resultados alcançados pela administração no combate aos focos de proliferação do mosquito

Aedes aegypti, logrando obter elevado nível de conscientização e mobilização de seus empregados.

Foram realizadas campanhas de cunho social voltadas para as comunidades próximas

das instalações utilizadas por empregados da AMAZUL, em São Paulo e Sorocaba. Em julho, a

Campanha do Agasalho; em setembro, a Campanha das Fraldas Geriátricas; e, em dezembro, a

Campanha de Natal, com arrecadação de roupas e brinquedos.

8.5 Compliance e consultoria jurídica

Em 2016, um número considerável de leis e atos normativos estabeleceram novas

regras para as empresas estatais, entre eles a Lei nº 13.303/2016 (estatuto jurídico das empresas

estatais), seu decreto regulamentador, Decreto nº 8.945/2016, e as Resoluções nº 08 a 18, editadas

pela Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações

Societárias da União – CGPAR.

Buscando fortalecer a governança e as boas práticas administrativas, aplicar na prática os

valores assumidos no Plano Estratégico Amazul (PEA), além de atender à supracitada legislação, a AMAZUL

concentrou esforços em instituir normas internas que regrassem a matéria, alcançando resultados positivos.

Entre as normas aprovadas, destacam-se o Manual de Compliance, o Programa de

Integridade, a Política de Gestão de Riscos da AMAZUL, o Regulamento de Licitações e Contratos e o

42
Código de Ética e Conduta Empresarial. Relevante dispositivo inserido no Código de Ética e Conduta

Empresarial integrou todas essas normas, instituindo na AMAZUL um “Sistema de Governança”.

Foi criado, ainda, o Comitê de Governança, Riscos e Controles, que tem como principais

responsabilidades institucionalizar estruturas adequadas e boas práticas de governança, gestão de

riscos e controles internos; garantir a aderência às regulamentações, leis, códigos, normas e padrões,

com vistas à condução das políticas e à prestação de serviços de interesse público; promover a

adoção de práticas que institucionalizem a responsabilidade dos agentes públicos na prestação de

contas, na transparência e na efetividade das informações; supervisionar o mapeamento e avaliação

dos riscos-chave que podem comprometer a prestação de serviços de interesse público; e estabelecer

limites de exposição a riscos globais da empresa.

Além de conferir o suporte jurídico para a edição e aplicação dessas normas, em 2016,

a Consultoria Jurídica deu os primeiros passos para implementar um sistema informatizado de

consultas e acompanhamento de processos, compatível com a estrutura de TI já implementada na

empresa, o que permitirá um assessoramento mais eficiente.

A AMAZUL aprimorou, ainda, os procedimentos de responsabilização administrativa e

trabalhista. Orientada pelos princípios da legalidade e da razoabilidade, observando sempre as

garantias da ampla defesa e contraditório, a empresa apurou infrações administrativas em licitações

e contratos, bem como faltas disciplinares de seus colaboradores, e, quando pertinente, aplicou as

devidas sanções.

Adicionalmente, mas não menos importante, a Consultoria Jurídica da AMAZUL continua

dando ênfase à necessidade de observância de regras de compliance aplicáveis especialmente ao

setor público, tais como a Lei de Conflito de Interesses (Lei nº 12.813/2013); a Lei Anticorrupção

(Lei 12.846/2013); e a vedação ao nepotismo (Decreto nº 7.203/2010), mediante os mais elevados

padrões de assessoramento jurídico, procurado aplicar, com as devidas adaptações à sua realidade,

os parâmetros usualmente praticados pela Advocacia-Geral da União aos seus órgãos e entidades

assessorados, notadamente aqueles previstos no seu Manual de Boas Práticas Consultivas.

43
8.6 Reconhecimento

Em 2016, a AMAZUL ganhou a Medalha do Mérito

Marechal Cordeiro de Farias, concedida pela Escola Superior de

Guerra (ESG) para premiar integrantes da ESG, ex-combatentes

e personalidades nacionais e estrangeiras que se destacaram

pelos relevantes serviços e organizações militares e instituições

civis, nacionais ou estrangeiras que mereceram a homenagem


especial.

Recebeu, ainda, o Prêmio Otacílio Cunha, concedido

pela CNEN a personalidades e instituições por suas contribuições

ao crescimento e difusão do uso da energia nuclear em benefício

da sociedade.

9. REFORMULAÇÕES ADMINISTRATIVAS

Após dois anos


de execução do Planejamento
Estratégico da AMAZUL, em meio
a mudanças sensíveis no quadro
político-econômico do país,
mantivemosonossofoco,otimizando
todas as formas de recursos. Como
prevíamos, uma revisão deste PEA
se fez necessária em 2016, com o
intuito de aprimorar o desempenho
da empresa, aperfeiçoar seus
processos e melhor gerenciar sua
participação em projetos.
44
Uma percepção clara foi buscar, nesta revisão do PEA, a participação de empregados e um
alinhamento com o Planejamento Estratégico Operacional do CTMSP e com as Diretrizes Estratégicas da
COGESN. Com este propósito, trouxemos para compor a equipe desta revisão os planejadores daquelas
instituições e fizemos cortes no horizonte de tempo, constituindo um planejamento de curto prazo (2017
a 2019) coincidente com o PEO/CTMSP, mas mantendo a perspectiva de longo prazo (2040). Com isto,
estreitamos as relações com o PNM e com o PROSUB e mantivemos a perspectiva de atividades no PNB.
O PEA revisado foi aprovado pelo CONSAD (Conselho de Administração) em novembro de 2016.
Todas as etapas de construção do Planejamento Estratégico foram revisadas, iniciando-se
pela Intenção Estratégica:

Missão

Desenvolver e aplicar tecnologias e gerenciar projetos e processos necessários aos

Programas Nuclear Brasileiro, Nuclear da Marinha e de Desenvolvimento de Submarinos, para

contribuir com a independência tecnológica do País, em benefício da nossa sociedade.

Visão 2040

Ser detentora de tecnologia própria, com profissionais qualificados, nas áreas nuclear e

de projetos de submarinos, e referência pelo conhecimento agregado a seus produtos e serviços.

Valores

Além de simplificados, cada um dos valores recebeu qualificações, a fim de que se

tornassem mais claros e passíveis de serem reconhecidos pelos empregados da AMAZUL:

Inovação: criatividade, conhecimento, aprendizado contínuo.

Iniciativa: proatividade, velocidade de atuação, cooperação, dinamismo.

Integridade: compliance, sustentabilidade.


45
Compromisso: comprometimento com a missão da empresa, assiduidade, pontualidade,

lealdade, foco no trabalho.

Responsabilidade: ética, transparência, accountability, credibilidade, sigilo,

responsabilidade social e ambiental.

Segurança: saúde, bem-estar, proteção radiológica, proteção ambiental.

Lema da AMAZUL

Tecnologia nacional em benefício da sociedade.

Na Avaliação Diagnóstica, foi ratificado o levantamento feito, em 2014, sobre a realidade

da AMAZUL, tanto no ambiente interno quanto no externo, com suas conclusões indicando as

incertezas que nos permitiram, em trabalho conjunto com o Centro de Estudos Político-Estratégicos

(CEPE) da Escola de Guerra Naval (EGN), visualizar os cenários prospectivos para o horizonte

temporal de 2040. Dezenove incertezas críticas foram inicialmente submetidas aos 42 peritos

indicados pela EGN. Destas, restaram as oito incertezas consideradas principais para criar os

caminhos de perspectivas.

A partir desses estudos, foi escolhido o cenário denominado “Mar de Través”, com

perspectiva razoavelmente favorável, entre quatro opções consideradas mais prováveis. A análise

SWOT foi aplicada a esse cenário e então foram elaborados os objetivos estratégicos inspirados na

metodologia Balanced Scorecard (BSC). Veja quadro na página seguinte.

Ao examinar os fatores críticos de sucesso para a realização dos objetivos estratégicos, foram

obtidas as ações estratégicas. Para cada uma delas, estabeleceram-se metas e indicadores, a fim de

garantir boas práticas de governança através do acompanhamento dos resultados e de suas tendências.

A partir de então, estão sendo mapeados os macroprocessos que gerarão entregas para

a realização dos objetivos estratégicos através de projetos, projetos simples ou mesmo atividades

estratégicas. Os projetos serão gerenciados pelo Escritório de Gerenciamento de Projetos; os projetos

simples, pela ferramenta 5W2H; e as atividades estratégicas, por meio de indicadores gerenciais.
46
Conforme o planejamento estratégico, a AMAZUL continua participando, no âmbito do
PNM, dos projetos do CTMSP, com o duplo objetivo de produzir combustível nuclear e projetar,

construir, comissionar, operar e manter reatores de água pressurizada (PWR) que vão equipar o

submarino com propulsão nuclear.


Em parceria com o CTMSP e outras instituições, a AMAZUL prosseguiu projetando o

Complexo Radiológico do Estaleiro e Base Naval, em Itaguaí (RJ), onde será construído o submarino

nuclear (SN-BR), a cargo da COGESN. Além do sistema integrado de gerenciamento da plataforma

e o sistema de combate, desenvolverá o projeto de detalhamento do SN-BR.

No PNB, a AMAZUL permaneceu no projeto do RMB, voltado à pesquisa, ao teste de

materiais sob irradiação e à produção de radioisótopos, base para a fabricação de fármacos para a

47
medicina nuclear e com aplicação em várias áreas, como agricultura, indústria e meio ambiente. Este

projeto, quando concretizado, terá um impacto social favorável bastante grande junto à população

brasileira.

Para a INB, a AMAZUL iniciou o projeto conceitual e projeto básico da UTT, da Fábrica de

Combustível Nuclear, bem como a prestação de serviços de consultoria de engenharia para suporte

técnico à implantação e licenciamento da unidade.

Dentro da evolução administrativa da empresa, com foco na eficiência administrativa

e redução de custos, o ERP Benner incorporou, ao seu módulo corporativo, toda a execução

contábil e financeira, tendo sido dispensada a contratação de escritório contábil externo. Além

disso, passaram a ser automatizadas, por meio do ERP, a gestão das atividades relacionadas a

diárias e passagens e ao processo de avaliação de desempenho, promoção e progressão dos

empregados da AMAZUL.

10. PERSPECTIVAS E PLANOS PARA O EXERCÍCIO EM CURSO E OS FUTUROS

10.1 Gestão de Pessoas

No ano de 2017, a AMAZUL dará sequência aos projetos já iniciados na área de Gestão

de Pessoas, em consonância com os objetivos estratégicos traçados, bem como à promoção de

melhorias nas ferramentas de gestão e ao incentivo a um ambiente favorável ao desenvolvimento

contínuo dos empregados. Dentre essas ações, é possível destacar:

10.1.1 Avaliação de desempenho

Será feita a redefinição do período de aplicação da avaliação de desempenho 2017, com

foco no fortalecimento do conceito de meritocracia e desenvolvimento, buscando desvinculá-la dos

processos de progressão e promoção.

48
10.1.2 Definição das competências organizacionais

Com a finalidade de estabelecer as competências organizacionais serão realizadas as

seguintes ações:

 Elaboração de glossário de gestão de pessoas; e

 Descrição das especialidades - continuação do trabalho de descrição de especialidades

e funções no Serviço Especializado de Engenharia e de Medicina do Trabalho (SESMT)

e expansão do trabalho para as demais áreas da empresa, tendo como base os cargos

amplos definidos no PCRC.

10.1.3 Programa de desenvolvimento de lideranças

No ano de 2017, será implantado um programa de desenvolvimento de lideranças, que

se encontra em fase de elaboração. Este programa visa maximizar o desenvolvimento de pessoas e

o gerenciamento de processos, em alinhamento ao PEA.

10.1.4 Treinamento e desenvolvimento de competências

Todos os esforços na área de capacitação e treinamento serão empreendidos para

promover ações educacionais que desenvolvam os conhecimentos e as competências necessárias

para elevar o desempenho organizacional, por meio do desenvolvimento da sua força de trabalho.

10.1.5 Plano de Previdência Complementar – AMAZUL PREV

A implantação do Plano AMAZUL PREV está na dependência de autorização da

Superintendência de Previdência Complementar (PREVIC), prevista para o primeiro semestre de

2017, após a análise do Regulamento, Regimento e dos Cálculos Atuariais.


49
10.1.6 Programa de Transferência de Conhecimento Antes da Aposentadoria (PTCAA)

O PTCAA é a nova designação para o Processo de Apoio a Aposentadoria (PAA), diante

das novas condicionantes estabelecidas para a elegibilidade do empregado ao programa.

O PTCAA encontra-se em análise pela Secretaria de Coordenação e Governança

das Empresas Estatais – SEST. Neste programa, estão focados os aspectos de transferência do

conhecimento, a retenção dos talentos e a renovação do quadro de pessoal da empresa, juntamente

com um incentivo financeiro que estimule os empregados elegíveis a participarem.

A aprovação do programa está prevista para 2017, com implantação em 2018, tendo

uma duração de 24 (vinte e quatro) meses, prorrogáveis por mais uma vez, com igual período.

10.1.7 Qualidade de vida no trabalho

Em 2017, serão desenvolvidas ações psicossociais para o fortalecimento do endomarketing,

com foco na gestão estratégica de pessoas.

10.2 Administração e Finanças

A AMAZUL prevê, para 2017, a manutenção de um cenário adverso no campo

orçamentário, em função do ajuste fiscal iniciado em 2015 e reforçado em 2016, com grandes

reflexos no escopo do MD. Na área de Administração e Finanças, a empresa buscará alcançar, em

2017, as seguintes metas:

 Início do processo de revisão do Estatuto Social, em função das diretrizes da Lei nº

13.303/2016, do Decreto nº 8.954/2016 e de resoluções CGPAR de 2016;

 Continuidade da adaptação da estrutura administrativa, a partir das diretrizes estabelecidas

pelo Decreto nº 8.954/2016;

50
 Adoção de normas relativas ao monitoramento contínuo do Programa de Integridade e

das políticas de transações entre partes relacionadas e de divulgação de informações;

 Finalização do processo licitatório para orçamentação da obra que adequará as instalações

da sede;

 Elaboração do processo licitatório para a obra que adequará as instalações da sede. Após

a conclusão da obra, a sede estará estruturada para receber os empregados e dotada dos

recursos modernos necessários (mobiliários funcionais, acessibilidade, conforto, sistemas

de TIC, logística, etc.), para o pleno desenvolvimento das atividades da empresa;

 Proceder ao “diagnóstico” dos aspectos de governança de TIC na AMAZUL, com o

propósito da adequação da governança de TIC às práticas recomendadas pela ISACA

(Information Systems Audit and Control Association), com foco específico nas normas ITIL

(Information Technology Infrastructure Library), COBIT (Control Objectives for Information

and Related Technology), ISO (International Organization for Standardization) e ABNT

(Associação Brasileira de Normas Técnicas);

 Atualização da estrutura organizacional para o desempenho das diversas atribuições, por

meio da revisão do Regulamento Administrativo; e

 Ativação de novos módulos do sistema corporativo ERP Benner, automatizando e

dinamizando tarefas hoje executadas manualmente ou por meio de planilhas.

Espera-se, ainda, que a contratação da AMAZUL para a prestação de serviços,

especialmente pela INB e Eletronuclear, propicie o ingresso de recursos adicionais para aplicação

nas metas planejadas para o exercício, minimizando os efeitos das restrições orçamentárias.

10.3 Ações estratégicas

As ações estratégicas apontam para o futuro da AMAZUL e o novo PEA vai nessa direção.

No futuro, a AMAZUL, como está em nosso planejamento, poderá participar de outros

51
empreendimentos na área nuclear, como o Depósito Complementar de Armazenamento de

Combustível Usado da Central Nuclear Álvaro Alberto, o Repositório para Armazenamento de

Rejeitos de Baixo e Médio Níveis de Radiação (RBMN) e o Laboratório de Fusão Nuclear (LFN),

entre outros.

A AMAZUL poderá atuar, ainda, no desenvolvimento de novas tecnologias, comercialização

de produtos, prestação de serviços técnicos, gerenciamento de projetos de engenharia, implantação

e gestão de empreendimentos e operação de instalações.

Além de desenvolver, absorver e manter tecnologias sensíveis, a AMAZUL tem o propósito

de contribuir para a consolidação da Base Industrial de Defesa.

Por fim, destacam-se a parceria e o apoio que a AMAZUL tem recebido de várias

instituições, como a EMGEPRON, a Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli-USP), a

FDTE e a ABIMDE, entre outras que estão a nosso lado.

Se a nossa missão fosse apenas contribuir para a construção do submarino nuclear, já

teríamos um formidável desafio, pois, sem dúvida alguma, esse é o maior projeto estratégico que

o Brasil desenvolve, tanto pelos investimentos vultosos, quanto pela complexidade tecnológica que

envolve. Mas a ambição da empresa é bem maior. Ao fomentar a inovação, capacitar profissionais

e fazer a gestão do conhecimento, a AMAZUL está contribuindo para criar vantagens competitivas

para a economia e o desenvolvimento do Brasil, o bem-estar da sociedade e a consolidação de

nossa independência tecnológica.

Por tudo isto, esta revisão do Planejamento Estratégico da AMAZUL foi ferramenta

fundamental para nortear a atuação desta empresa e possibilitar que seja reconhecida como uma

estatal dinâmica, em constante busca por excelência, à mercê de nosso processo de melhoria

contínua.

10.3.1 Gestão de riscos e de crises

A fim de capacitar tecnicamente a equipe que implantará a gestão de riscos corporativos

52
na AMAZUL, três empregados foram certificados pelo Centro de Controle Interno da Marinha

(CCIMAR) no curso “Controles Internos e Gestão de Riscos”.

A AMAZUL estruturou o projeto “Implantação do Plano de Gestão de Riscos”, com etapas

que devem ser concluídas até setembro de 2017:

 Identificação dos riscos;

 Análise de riscos;

 Avaliação dos riscos; e

 Execução da gestão de riscos.

10.3.2 Gestão do Conhecimento (GC)

Em 2017, prosseguirá o

processo de definição da metodologia

AMAZUL de Gestão do Conhecimento

(GC); desenvolvimento de ferramenta para

registro das competências mapeadas e

plano de desenvolvimento de competências

e conhecimento (ERP Benner); levantamento

e priorização das áreas de conhecimento

crítico; seleção das práticas e ferramentas de GC para conhecimento crítico; modelagem da

governança de GC e plano de implementação para ações de GC voltadas à captura e retenção de

conhecimento crítico; e implementação interna na área definida como projeto-piloto.

Desta forma, pretende-se atingir os seguintes objetivos:

 Identificar, de forma adequada, os conhecimentos relevantes para o bom funcionamento

dos negócios da AMAZUL;

53
 Promover, de forma constante e sistemática, a disseminação dos conhecimentos tácito e

explícito relacionados ao ambiente de negócios;

 Facilitar e incentivar, em todos os níveis e áreas, a comunicação organizacional como

meio de compartilhamento do conhecimento;

 Desenvolver um ambiente e uma cultura organizacional que estimule a criação, a

transferência e o uso do conhecimento;

 Gerenciar o conhecimento como recurso mensurável; e

 Preservar o capital intelectual da organização contra perdas acidentais e violação

propositais, tanto externas quanto internas.

11. FONTES DE OBTENÇÃO DE RECURSOS

A AMAZUL rece-

beu, por meio da Lei Orça-

mentária Anual de 2016 (LOA

2016), Lei nº 13.255, de 14

de janeiro de 2016, recur-


sos lastreados em fontes do

Tesouro Nacional e receitas

oriundas de contratos com a

INB e descentralizações do

Comando da Marinha, pro-

venientes do PROSUB e do PNM. No entanto, o Decreto nº 8.670, de 12 de fevereiro de 2016, sobre

a programação orçamentária e financeira, conforme já abordado, reduziu substancialmente os re-

cursos de custeio e investimento disponibilizados ao MD e, consequentemente, a esta empresa, uma

vez que a AMAZUL é vinculada ao MD por meio do Comando da Marinha.

54
Assim, o quadro que se segue apresenta os valores que foram efetivamente executados:

CATEGORIA DE DESPESA AÇÃO ORÇAMENTÁRIA VALOR EMPENHADO (R$)


PESSOAL 20TP 264.755.873,93
2004 5.640.971,00
2010 1.586.534,58
2011 947.181,76
CUSTEIO OBRIGATÓRIO
2012 22.631.724,00
00M1 43.082,60
0022 20.985,70
PESSOAL/CUSTEIO OBRIGATÓRIO TOTAL 295.583.270,97
211D 3.504.558,94
CUSTEIO – (DESPESAS CORRENTES) 2000 2.974.077,92
20XN 770.397,58
123G 4.150,00
123H 1.773.464,70
123I 150.000,00
CUSTEIO – (INVESTIMENTOS) 1393 149.049,70
2000 360.000,00
14T7 739.142,32
211D 360.000,00
CUSTEIO TOTAL – (DESPESAS CORRENTES E INVESTIMENTO) 10.784.841,16
TOTAL GERAL 306.368.112,13

Fonte: Tesouro Gerencial

Descrição das Ações Orçamentárias:


20TP PAGAMENTO DE PESSOAL ATIVO DA UNIÃO
2004 ASSIST MÉDICA E ODONTOLÓGICA AOS SERVIDORES CIVIS, EMPREGADOS, MILITARES E DEPENDENTES
2010 ASSISTÊNCIA PRÉ-ESCOLAR AOS DEPENDENTES DOS SERVIDORES CIVIS, EMPREGADOS E MILITARES
2011 AUXÍLIO-TRANSPORTE AOS SERVIDORES CIVIS, EMPREGADOS E MILITARES
2012 AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO AOS SERVIDORES CIVIS, EMPREGADOS E MILITARES
00M1 BENEFÍCIOS ASSISTENCIAIS DECORRENTES DO AUXILIO-FUNERAL
0022 CUMPRIMENTO DE SENTENÇAS JUDICIAIS DEVIDAS POR EMPRESAS ESTATAIS
211D TECNOLOGIAS E PRODUTOS PARA O DESENVOLVIMENTO DE ATIVIDADES NUCLEARES
2000 ADMINISTRAÇÃO DA UNIDADE
20XN APRESTAMENTO DA MARINHA
123G IMPLANTAÇÃO DE ESTALEIRO E BASE NAVAL DE SUBMARINOS CONVENCIONAIS E NUCLEARES
123H CONSTRUÇÃO DE SUBMARINO DE PROPULSÃO NUCLEAR
123I CONSTRUÇÃO DE SUBMARINOS CONVENCIONAIS
1393 IMPLANTAÇÃO DA USINA DE ENRIQUECIMENTO DE URÂNIO
14T7 TECNOLOGIA NUCLEAR DA MARINHA

55
12. NOVOS DESAFIOS

Conforme pode-se observar neste relatório, a AMAZUL vem cumprindo seus objetivos, com

trabalho e obstinação, apesar das diversidades. Em 2017, ainda continua, embora de forma menos

acentuada, o cenário de dificuldades e incertezas, mas isso não impedirá que avancemos em nossos

projetos. A previsão de restrições orçamentárias impõe o desafio de buscar financiamento para as

obras de adequação da sede da empresa, em São Paulo, importante para melhorar as condições

de trabalho e vital para o recebimento de novas equipes responsáveis pelo desenvolvimento de

nossos projetos estratégicos. Esperamos, também, ampliar o quadro de recursos humanos, se não

de acordo com as demandas dos projetos, pelo menos na medida das possibilidades determinadas

pelo cenário econômico.

56
57