Você está na página 1de 4

DPC - 2014

Direito Penal
Geovane Moraes

CRIMES CONTRA A HONRA é o do oferecimento da resposta a


São três os crimes contra a honra: acusação

1. Calúnia Exceção da verdade


2. Difamação
3. Injúria §3º - Admite-se a prova da verdade,
salvo:
IMPORTANTE! I - se, constituindo o fato
Antes de explicar os crimes contra a honra, imputado crime de ação privada, o
importante trazer os tipos de honra. ofendido não foi condenado por
sentença irrecorrível;
II - se o fato é imputado a qualquer
das pessoas indicadas no nº I do art.
141;

CALÚNIA III - se do crime imputado, embora de ação


pública, o ofendido foi absolvido por sentença
Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe irrecorrível.
falsamente fato definido como crime:
Pena - detenção, de seis meses a dois anos, e Não confundir com:
multa
DENUNCIAÇÃO CALUNIOSA
 Imputar um fato determinado e
específico; Art. 339. Dar causa à instauração de
 A imputação deve ser falsa em investigação policial, de processo judicial,
relação a sua existência ou autoria; instauração de investigação administrativa,
 O fato deve ser definido em lei como inquérito civil ou ação de improbidade
crime; administrativa contra alguém, imputando-lhe
 O fato imputado deve ser verossímil; crime de que o sabe inocente: (Redação dada
 Deve existir obrigatoriamente dolo. pela Lei nº 10.028, de 2000)
Pena - reclusão, de dois a oito anos, e multa.
Atenção!
A imputação deve ser falsa em relação a
EXISTÊNCIA do fato ou AUTORIA delitiva.
MODALIDADES EQUIPARADAS

§1º - Na mesma pena incorre quem, sabendo


falsa a imputação, a propala ou divulga.
§2º - É punível a calúnia contra os mortos.

EXCEÇÃO DA VERDADE

 É a possibilidade dada ao acusado


pelo crime de calúnia de demonstrar
que suas afirmações eram
verdadeiras;
 O momento oportuno para a
manifestação da exceção de verdade

www.cers.com.br 1
DPC - 2014
Direito Penal
Geovane Moraes

Só será denunciação caluniosa se for excessos que cometer. (Vide ADIN


instaurado um procedimento formal. 1.127-8)
A calúnia, concorrendo com a denunciação A ADIN 1.127-8 tornou
caluniosa, é por esta absorvida. sem efeito o termo ‘desacato”

CALÚNIA ELEITORAL DIFAMAÇÃO

Art. 324. Caluniar alguém, na propaganda Art. 139 - Difamar alguém, imputando-lhe fato
eleitoral, ou visando fins de propaganda, ofensivo à sua reputação:
imputando-lhe falsamente fato definido como Pena - detenção, de três meses a um ano, e
crime: multa.
Exceção da verdade
Pena - detenção de seis meses a dois anos, e
pagamento de 10 a 40 dias-multa. Parágrafo único - A exceção da verdade
somente se admite se o ofendido é funcionário
público e a ofensa é relativa ao exercício de
suas funções.

 Imputação de fatos determinados;


 Estes fatos podem ser falsos ou
verdadeiros;
 Imputação a pessoa determinada;
 Fatos que possam diminuir, macular
ou ultrajar a vítima perante a
coletividade onde ela está inserida;
 Deve existir dolo carreado a conduta;
 Em regra a exceção de verdade é
irrelevante salvo em ofensas
TEMAS CABULOSOS relativas ao exercício de atividade
funcional;
- Pessoa notoriamente desonrada
pode ser vítima de calúnia? DIFAMAÇÃO ELEITORAL
- A calúnia emanada em momento de
alteração ou embate é crime? Art. 325. Difamar alguém, na propaganda
- É necessária a presença do ofendido eleitoral, ou visando a fins de propaganda,
para se caracterizar o crime de imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
calúnia? Pena - detenção de três meses a um ano, e
pagamento de 5 a 30 dias-multa.
- A imunidade dos advogados no Parágrafo único. A exceção da verdade
exercício da sua atividade somente se admite se ofendido é funcionário
profissional abrange o crime de público e a ofensa é relativa ao exercício de
calúnia? suas funções.
LEI 8.906/94 (Estatuto da OAB)
Art. 7º. São direitos do advogado: TEMAS CABULOSOS
[...]
- Pessoa Jurídica pode figurar como
§2º O advogado tem imunidade sujeito passivo material?
profissional, não constituindo injúria, - É necessária a presença do ofendido
difamação ou desacato puníveis para caracterização do delito?
qualquer manifestação de sua parte, no - O difamador sem credibilidade social
exercício de sua atividade, em juízo ou pode incorrer neste crime?
fora dele, sem prejuízo das sanções - O fato têm que ser verossímil?
disciplinares perante a OAB, pelos

www.cers.com.br 2
DPC - 2014
Direito Penal
Geovane Moraes

INJÚRIA

Art. 140 - Injuriar alguém, ofendendo-lhe a


dignidade ou o decoro:
Pena - detenção, de um a seis meses, ou
multa.

 Objetiva atingir a honra subjetiva;


 O objetivo é demonstrar, à própria
vítima, desprezo, ultraje, menoscabo,
por ela;
 necessita do animus injuriandi, pois
o animus jocandi desnatura o crime.
MUITO IMPORTANTE!
§1º - O juiz pode deixar de aplicar a
pena:
I - quando o ofendido, de forma
reprovável, provocou diretamente a
injúria;
II - no caso de retorsão imediata, que
consista em outra injúria.

FORMAS QUALIFICADAS

§2º - Se a injúria consiste em


violência ou vias de fato, que, por
sua natureza ou pelo meio
empregado, se considerem
DISPOSIÇÕES COMUNS AOS CRIMES
aviltantes:
CONTRA A HONRA
Pena - detenção, de três meses a um
Art. 141 - As penas cominadas neste Capítulo
ano, e multa, além da pena
aumentam-se de um terço, se qualquer dos
correspondente à violência.
crimes é cometido:
 Denominado de injúria real;
I - contra o Presidente da República, ou
 O animus inicial deve ser injuriandi e
contra chefe de governo estrangeiro;
não laedendi.
II - contra funcionário público, em razão
de suas funções;
INJÚRIA PRECONCEITUOSA
III - na presença de várias pessoas, ou
por meio que facilite a divulgação da calúnia,
§3o Se a injúria consiste na utilização
da difamação ou da injúria.
de elementos referentes a raça, cor,
IV – contra pessoa maior de 60 (sessenta)
etnia, religião, origem ou a condição de
anos ou portadora de deficiência, exceto no
pessoa idosa ou portadora de
caso de injúria. (Incluído pela Lei nº 10.741, de
deficiência: (Redação dada pela Lei nº
2003)
10.741, de 2003)
Parágrafo único - Se o crime é cometido
Pena - reclusão de um a três anos e
mediante paga ou promessa de recompensa,
multa.
aplica-se a pena em dobro.

www.cers.com.br 3
DPC - 2014
Direito Penal
Geovane Moraes

EXCLUSÃO DO CRIME

Art. 142 - Não constituem injúria ou difamação


punível:

I - a ofensa irrogada em juízo, na discussão da


causa, pela parte ou por seu procurador;
II - a opinião desfavorável da crítica literária,
artística ou científica, salvo quando inequívoca
a intenção de injuriar ou difamar;
III - o conceito desfavorável emitido por
funcionário público, em apreciação ou
informação que preste no cumprimento de
dever do ofício.

Parágrafo único - Nos casos dos ns. I e III,


responde pela injúria ou pela difamação quem
lhe dá publicidade.

RETRATAÇÃO

Art. 143 - O querelado que, antes da sentença,


se retrata cabalmente da calúnia ou da
difamação, fica isento de pena.

TEMAS CABULOSOS

- A pessoa jurídica pode figurar como


sujeito passivo material do crime de
injúria?
- O crime admite tentativa?
- Sabemos que o animus jocandi
impede a caracterização da injúria,
como pode existir a injúria irônica?
- Existe injúria simbólica?
- A injúria presume obrigatoriamente a
presença da vítima no momento da
ofensa?
- Podemos caracterizar injúria
preconceituosa por questões
econômicas e sexuais?
- Todo os crimes contra a honra são
crimes de menor potencial ofensivo?

www.cers.com.br 4