Você está na página 1de 1

Neste projeto foi selecionado o arranjo quadrado para a distribuição dos tuyères, conforme

Figura 3 (b). A disposição interfere somente no espaçamento entre os tuyères, não


influenciando nos parâmetros estudados.

O dimensionamento preciso do distribuidor escolhido é imprescindível para a obtenção do gás


desejado, bem como influencia diretamente nos periféricos existentes no sistema de
gaseificação. Para tanto, o estudo apresenta o projeto de um distribuidor de ar de um
gaseificador de leito fluidizado circulante, onde foram verificadas as características físicas do
mesmo.

A tecnologia escolhida para o estudo foi a de leito fluidizado circulante, tendo em vista que
pode ser aplicado para processar carvões com alto teor de cinzas e leva a relativamente altas
eficiências de conversão do combustível. Os gráficos apresentados no artigo foram realizados
utilizando o arquivo base do programa, que considera um carvão com densidades de carga,
aparente e real, iguais a 700, 1400 e 2100 kg/m3, respectivamente. Porém cabe salientar que o
dimensionamento final do distribuidor foi realizado com dados de densidade obtidos
experimentalmente do carvão da camada Bonito beneficiado, com densidades de
empilhamento, aparente de partícula e real de 1024, 1680, 1830 kg/m3, respectivamente. Este
carvão é encontrado no sul do estado de Santa Catarina.

O dimensionamento do distribuidor de ar foi realizado utilizando o software Comprehensive


Simulator for Fluidized and Moving Beds (CeSFaMB)[de Souza-Santos, 2011]. Foram então
realizadas combinações entre os seguintes parâmetros: diâmetro dos orifícios, diâmetro
interno e externo do tuyère, quantidade de tuyères e número de orifícios por tuyère, obtendo
resultados de perda de carga no distribuidor e velocidade através dos orifícios. Entretanto,
todos os parâmetros restantes, como vazão de ar e combustível, diâmetro e altura do reator,
temperatura de entrada de ar, característica do carvão, dentre outros, permaneceram
constantes em todas as simulações realizadas.

As condições de gaseificação foram obtidas através de inúmeras simulações variando o fluxo de


carvão [0,1 a 0,3 kg/s], de ar [0,1 a 0,3 kg/s] e de vapor [0 a 0,05 kg/s], a granulometria do
carvão [0,3 a 1 mm] e o diâmetro do reator [0,3 e 0,4 m]. Tendo como valor fixo a altura do
reator em 10m, verificou-se dentre todas as simulações qual obteve o maior valor para
eficiência a frio. Esse foi denominado arquivo base para as novas simulações onde foram
alteradas somente as dimensões do distribuidor, conforme ilustra a Figura 1.

A eficiência do gaseificador é usualmente definida pela razão entre a