Você está na página 1de 3

Universidade Estácio de Sá

Engenharia Mecânica

Atividade estruturada n°16 – Revisão

Disciplina: CCE0353 – Sistemas Hidráulicos e Pneumáticos


Turma: 3009
Alunos: Ronaldo Ribeiro das Chagas
Professor: Leonardo Santos Azevedo

Rio de Ja2018

Janeiro
PRINCIPAIS DIFERENÇAS ENTRE SISTEMAS HIDRÁULICOS E
PNEUMÁTICOS

Principais diferenças entre sistemas hidráulicos e pneumáticos

A maior parte das máquinas é movimentada por meio de dois tipos de energia,
a hidráulica e a pneumática. Sem dúvida, apesar de existirem outras formas de
gerar energia no mundo, essas duas são reconhecidas como sendo as mais
eficientes, motivo pelo qual elas costumam ser mais comumente empregada.
Apesar de sua popularidade, no entanto, um grande número de pessoas não
sabe distinguí-las, não compreendendo exatamente qual a função de cada um
desses sistemas e acabando, muitas vezes, escolhendo aquele que não é o
mais adequado para as suas necessidades.
SISTEMA HIDRÁULICO
O sistema hidráulico é consideravelmente mais novo que o pneumático. Trata-
se, basicamente, de um tipo de sistema que é capaz de gerar força e/ou
movimento mecânico por meio da pressurização de algum tipo de fluído, como
um óleo, por exemplo.
São sistemas relativamente fáceis de instalar, sendo capazes de gerar grandes
quantidades de força e realizar movimentos de forma precisa, motivo pelo qual
tem sido cada vez mais procurados por empresas dos mais diferentes tipos de
segmentos. Por utilizarem fluídos, no entanto, estão sujeitos a vazamentos,
tendo, por conta disso, custo de manutenção elevado.
Esse tipo de sistema costuma ser utilizado em situações que requerem grande
quantidade de força e/ou suporte de grandes cargas, como por exemplo na
articulação do braço de um trator, que deverá ser capaz de mover grandes
quantidades de matéria, ou nos elevadores utilizados em oficinas mecânicas,
que precisam ser capazes de erguer os carros para que os mecânicos possam
trabalhar nos mesmos.
SISTEMA PNEUMÁTICO
O sistema pneumático, por sua vez, opera de forma bastante semelhante ao
hidráulico, com a principal diferença entre ambos os sistemas sendo o fato de
que enquanto o sistema hidráulico utiliza um fluido líquido para gerar força,
como um óleo, por exemplo, o pneumático utiliza um fluido gasoso, como ar
comprimido e nitrogênio.
Tais sistemas são abstém-te semelhantes aos hidráulicos tanto em sua
composição como em seu funcionamento, com ambos necessitando do auxílio
de um compressor para que a propagação seja feita com a força necessária
para que ocorra o correto funcionamento do mecanismo. No caso do sistema
pneumático, no entanto, além do compressor, existe uma outra peça
imprescindível: o filtro de ar. De fato, o ar, em especial o comprimido, pode vir a
ter muitas impurezas, fazendo com que um filtro seja necessário para evitar
que tais impurezas prejudiquem o sistema e encurtem sua vida útil.
Vale ressaltar, ainda, que o sistema pneumático é capaz de gerar quantidades
menores de força e/ou movimento do que o hidráulico. Isso, no entanto, não
torna o sistema pneumático pior do que o hidráulico. Pelo contrário. Justamente
por gerar níveis menores de pressão, esse tipo de sistema costuma ser feito de
material mais leve e delicado, fazendo com que ele seja menor e mais prático,
sendo ideal para tarefas como automação, por exemplo – ele é muito utilizado
em linhas de montagem para posicionar e retirar objetos no momento correto,
por exemplo em um sistema de serragem de madeira, colocando novas tábuas
em uma esteira para que elas sejam cortadas.

Fora isso, por ser um sistema que funciona a base de ar, ele é muito mais
simples, com o descarte de seu fluído podendo ser feito diretamente na
atmosfera, quando necessário, algo que não ocorre com o hidráulico, que
precisa ter seu fluído descartado em um recipiente apropriado.