Você está na página 1de 3

CENTRO UNIVERSITÁRIO TIRADENTES

CURSO DE PSICOLOGIA

ANDRÉA MARIA MOURA SANTOS


CARLA POLYANNE PESSOA DE ALMEIDA
FIAMA SANTOS
IANDRA
JACKSON
LOUYSE MOURA
SILVANEIDE

RESOLUÇÃO DO CASO CLÍNICO DE SURTO PSICÓTICO COMO PARTE DA


DISCIPLINA DE PSICOPATOLOGIA

MACEIÓ/AL
2018
CASO CLÍNICO RELATOS DO SURTO PSICÓTICO APRESENTADO ATRAVÉS DE
VÍDEO DO YOUTUBE EXPOSTO PELO AUTOR/PACIENTE.

A ) – FUNÇÕES PSÍQUICAS ALTERADAS

REPRESENTAÇÃO – Alteração na imagem visual/auditiva ( confundiu toque do interfone com o


do telefone e atendeu como se fosse ligação)

RACIOCÍNIO – Prolixidade – demasiadamente moroso ao explicar o relato

ATENÇÃO – Distração, hipoprosexia (perda básica da atenção)

CONSCIÊNCIA – Confusão mental

AFETIVIDADE – Hipertimia – excesso de euforia, pânico, Fobia

LINGUAGEM – Ecolalia – repetição do vocábulo

B ) - SINAIS E SINTOMAS APRESENTADOS

SINAIS EXPOSTOS:

• Perda de contato com a realidade


• Circunstancialidade
• Descarrilamento
• Ansiedade
• Prolixidade
• Agnosia visual e auditiva
• Comportamento Alterado
• Distração
• Pensamento confuso

SINTOMAS RELATADOS:

• Pânico
• Delírios de perseguição
• Alucinação auditiva e visual
C )- INTERVENÇÃO PSIQUIÁTRICA / PSICOLÓGICA

INTERVENÇÃO NO MOMENTO DO EPISÓDIO DO SURTO:

Ocorrerá de forma emergencial, por meio de medidas psiquiátricas a exemplo da intervenção


medicamentosa e se necessário, internação temporária.

INTERVENÇÃO PSICOLÓGICA PÓS INTERVENÇÃO PSIQUIÁTRICA:

Ocorrerá de forma elaborada, com o uso de técnicas e ferramentas devidamente utilizadas por um
psicólogo e adequadas a cada caso específico. A intervenção psicológica acontece primariamente
através de exame psicopatológico, por meio de anamnese e exame do paciente, que ficará a cargo
do profissional de psicologia realizar o exame com questionário padronizado ou entrevista livre, e
este deverá ser bem organizado, visto que é de fundamental importância para progresso do
tratamento. Ainda neste momento, é indispensável a neutralidade e empatia do psicólogo para com
seu paciente, pois será um momento de relatos de queixa, dor emocional, momentos delicados e
exposição da própria vida.
Através das etapas do exame, é possível coletar informações cruciais ao bom desempenho do
trabalho do psicólogo e fundamental para uma boa intervenção, como por exemplo, levantamentos
com histórico da doença atual, relatos de doença anterior, história pessoal, familiar, trabalho e
posteriormente o cumprimento das etapas seguintes e necessárias à análise e avaliação de sinais
observados no paciente e sintomas descritos por ele, bem como, os processos mentais e suas
alterações.