Você está na página 1de 2

Ficha de Informação de Produto Químico

IDENTIFICAÇÃO Help
Número ONU Nome do produto Rótulo de risco

1017 CLORO

Número de risco Classe / Subclasse


268 2.3

Sinônimos

Aparência
AMARELO ESVERDEADO; ODOR IRRITANTE; MAIS PESADO QUE A ÁGUA; PRODUZ NUVEM DE VAPOR VISÍVEL E VENENOSA

Fórmula molecular Família química


Cl2 HALOGÊNIO

Fabricantes
Para informações atualizadas recomenda-se a consulta às seguintes instituições ou referências:

ABIQUIM - Associação Brasileira da Indústria Química: Fone 0800-118270


ANDEF - Associação Nacional de Defesa Vegetal: Fone (11) 3081-5033
Revista Química e Derivados - Guia geral de produtos químicos, Editora QD: Fone (11) 3826-6899

Programa Agrofit - Ministério da Agricultura

MEDIDAS DE SEGURANÇA Help


Medidas preventivas imediatas
EVITAR CONTATO COM O LÍQUIDO E O VAPOR. MANTER AS PESSOAS AFASTADAS. PARAR O VAZAMENTO, SE POSSÍVEL. EVACUAR A ÁREA EM CASO DE GRANDE
VAZAMENTO. FICAR CONTRA O VENTO E USAR NEBLINA D'ÁGUA PARA BAIXAR O VAPOR.

Equipamentos de Proteção Individual (EPI)


USAR ROUPA DE ENCAPSULAMENTO DE VITON OU PVC E MÁSCARA DE RESPIRAÇÃO AUTÔNOMA.

RISCOS AO FOGO Help


Ações a serem tomadas quando o produto entra em combustão
NÃO É INFLAMÁVEL. PODE CAUSAR FOGO EM CONTATO COM COMBUSTÍVEIS. PARAR O FLUXO DE GÁS SE POSSÍVEL. RESFRIAR OS RECIPIENTES EXPOSTOS E PROTEGER
O HOMEM CONTRA OS EFEITOS, COM ÁGUA.

Comportamento do produto no fogo


A MAIORIA DOS COMBUSTÍVEIS PODERÁ QUEIMAR EM CLORO, EMBORA O GÁS NÃO SEJA INFLAMÁVEL.

Produtos perigosos da reação de combustão


SÃO PRODUZIDOS PRODUTOS TÓXICOS QUANDO O CLORO QUEIMA COM COMBUSTÍVEIS.

Agentes de extinção que não podem ser usados


NÃO PERTINENTE.

Limites de inflamabilidade no ar
Limite Superior: NÃO É INFLAMÁVEL
Limite Inferior: NÃO É INFLAMÁVEL

Ponto de fulgor
NÃO É INFLAMÁVEL

Temperatura de ignição
NÃO É INFLAMÁVEL

Taxa de queima
NÃO É INFLAMÁVEL

Taxa de evaporação (éter=1)


DADO NÃO DISPONÍVEL

NFPA (National Fire Protection Association)


Perigo de Saúde (Azul): 4
Inflamabilidade (Vermelho): 0
Reatividade (Amarelo): 0
Observação: OXY
NFPA: (OBS. 2)

PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS E AMBIENTAIS Help


Peso molecular Ponto de ebulição (°C) Ponto de fusão (°C)
70,91 -34,1 -100,7

Temperatura crítica (°C) Pressão crítica (atm) Densidade relativa do vapor


144 76,05 2,4

Densidade relativa do líquido (ou sólido) Pressão de vapor Calor latente de vaporização (cal/g)
1,424 A 15 °C (LÍQUIDO) 760 mmHg A - 33,8 °C 68,7

Calor de combustão (cal/g) Viscosidade (cP)


NÃO PERTINENTE 0,022

Solubilidade na água pH
0,65 g/100 mL DE ÁGUA A 25 °C NÃO PERT.

Reatividade química com água


FORMA UMA SOLUÇÃO CORROSIVA.

Reatividade química com materiais comuns


REAGE ENERGICAMENTE COM A MAIORIA DOS METAIS A ALTAS TEMPERATURAS. COM O COBRE PODE QUEIMAR ESPONTANEAMENTE.

Polimerização
NÃO OCORRE.
Reatividade química com outros materiais
INCOMPATÍVEL COM SUBSTÂNCIAS COMBUSTÍVEIS E METAIS FINAMENTE DIVIDIDOS.

Degradabilidade
PRODUTO INORGÂNICO.

Potencial de concentração na cadeia alimentar


NENHUM.

Demanda bioquímica de oxigênio (DBO)


NENHUMA.

Neutralização e disposição final


PARA PEQUENAS QUANTIDADES: USAR UM GRANDE VOLUME DE SOLUÇÃO CONCENTRADA DE AGENTE (BISSULFETOS OU SAIS DE FERRO II COM 3M DE ÁCIDO
SULFÚRICO). NEUTRALIZAR COM CARBONATO DE SÓDIO OU DILUIR COM ÁCIDO CLORÍDRICO. DRENAR PARA O ESGOTO COM MUITA ÁGUA. RECOMENDA-SE O
ACOMPANHAMENTO POR UM ESPECIALISTA DO ÓRGÃO AMBIENTAL.

INFORMAÇÕES ECOTOXICOLÓGICAS Help


Toxicidade - limites e padrões
L.P.O.: 3,5 ppm
P.P.: NÃO PERTINENTE
IDLH: 10 ppm
LT: Brasil - Valor Médio 48h: 0,8 ppm
LT: Brasil - Valor Teto: 2,3 ppm
LT: EUA - TWA: 0,5 ppm
LT: EUA - STEL: 1 ppm

Toxicidade ao homem e animais superiores (vertebrados)


M.D.T.: TCLo = 15 ppm
M.C.T.: LCLo (30 min,): 873 ppm

Toxicidade: Espécie: RATO


Via Respiração (CL50): 293 ppm (1h)

Toxicidade: Espécie: CAMUNDONGO


Via Respiração (CL50): 137 ppm (1h)

Toxicidade: Espécie: OUTROS


Via Respiração (CL50): GATO : LCLo ( 1 h ) = 138 ppm

Toxicidade aos organismos aquáticos: PEIXES : Espécie


SALMO GAIRDNERI: CL50 (96 h) = 0,23 mg/L - ÁGUA CONTINENTAL; PIMEPHALES PROMELAS:(72 h) MORTE A 0,15 mg/L- ÁGUA CONTINENTAL; ONCORHYNCHUS
KISUTCH: (72 h) TOXICIDADE LETAL: <0,1 mg/L ÁGUA MARINHA(OBS. 1)

Toxicidade aos organismos aquáticos: CRUSTÁCEOS : Espécie


GAMMARUS PSEUDOLIMNAEUS:CL50(96 h) = 0,22 mg/L - ÁGUA CONTINENTAL; ACARTIA TONSA E EURYTEMONA AFFINIS (COPEPODES): DIFICULDADE DE
SOBREVIVÊNCIA

Toxicidade aos organismos aquáticos: ALGAS : Espécie

Toxicidade a outros organismos: BACTÉRIAS

Toxicidade a outros organismos: MUTAGENICIDADE


SER HUMANO: "cyt" (LINFÓCITO) = 20 ppm

Toxicidade a outros organismos: OUTROS


OSTRAS: SENSÍVEIS A 0,01 A 0,05 mg/L-REDUÇÃO DO BOMBEAMENTO A 1,0 mg/L (NÃO HÁ MAIS)

Informações sobre intoxicação humana

Tipo de contato Síndrome tóxica Tratamento


VAPOR QUEIMARÁ OS OLHOS. VENENOSO, SE INALADO. MOVER PARA AR FRESCO. MANTER AS PÁLPEBRAS
ABERTAS E ENXAGUAR COM MUITA ÁGUA. SE A
RESPIRAÇÃO FOR DIFICULTADA OU PARAR DAR
OXIGÊNIO OU FAZER RESPIRAÇÃO ARTIFICIAL, EXCETO
BOCA A BOCA.

Tipo de contato Síndrome tóxica Tratamento


LÍQUIDO QUEIMARÁ A PELE. QUEIMARÁ OS OLHOS. CAUSARÁ LAVAR AS ÁREAS AFETADAS COM MUITA ÁGUA.
ENREGELAMENTO. MANTER AS PÁLPEBRAS ABERTAS E ENXAGUAR COM
MUITA ÁGUA. NÃO ESFREGAR AS ÁREAS AFETADAS.

DADOS GERAIS Help


Temperatura e armazenamento
AMBIENTE.

Ventilação para transporte


VÁLVULA DE ALIVIO (300 psi).

Estabilidade durante o transporte


ESTÁVEL.

Usos
SOLVENTES; PESTICIDAS; HERBICIDAS; REFRIGERANTES; PLÁSTICOS; PROPELENTES; TRATAMENTO DE ÁGUA; BRANQUEAMENTO DE PAPEL; OUTROS.

Grau de pureza
DADO NÃO DISPONÍVEL.

Radioatividade
NÃO TEM.

Método de coleta
DADO NÃO DISPONÍVEL.

Código NAS (National Academy of Sciences)

FOGO SAÚDE POLUIÇÃO DAS ÁGUAS REATIVIDADE


Fogo: 0 Vapor Irritante: 4 Toxicidade humana: 2 Outros Produtos Químicos: 4
Líquido/Sólido Irritante: 2 Toxicidade aquática: 3 Água: 1
Venenos: 4 Efeito estético: 2 Auto reação: 0

OBSERVAÇÕES Help
1) RECOMENDA-SE QUE O FATOR DE APLICAÇÃO 0.1 SEJA USADO A CL50 (96 h) PARA BIOENSAIOS COM ÁGUA MARINHA PARA QUE AS ESPÉCIES MAIS SENSÍVEIS SEJAM
PROTEGIDAS. ISTO SUGERE QUE O CLORO RESIDUAL LIVRE NA ÁGUA MARINHA SUPERIOR A 0.01 mg/ml POSSA SER PREJUDICIAL À VIDA MARINHA. O CLORO RESIDUAL
NAS ÁGUAS CONTINENTAIS NÃO DEVE EXCEDER 0.003 mg/L PARA NÃO PREJUDICAR A VIDA AQUÁTICA. RECOMENDA-SE QUE NÃO ULTRAPASSE A CONCENTRAÇÃO DE
0.05 mg/L POR UM PERÍODO DE 30 min, EM QUALQUER PERÍODO DE 24 h. 2) NPFA: OBSERVAÇÃO: OX TAXA DE TOXICIDADE AOS ORGANISMOS AQUÁTICOS: TLm (96 h)
= ABAIXO DE 1 ppm. POTENCIAL DE IONIZAÇÃO (PI) = 11,48 eV