Você está na página 1de 4

1

Relatório da Prática da Disciplina de Eletromagnetismo


L. I. Albano, D. D. Fernandes, M.D. Costa
Centro Universitário de Sete Lagoas - UNIFEMM
Av. Marechal Castelo Branco, 2765 - Santo Antônio - CEP:35701-242 - Sete Lagoas-MG - Brasil
e-mail: larissa21mtz@hotmail.com; dienersondias@hotmail.com

Resumo. O experimento realizado no dia 10 de outubro de 2018, teve como objetivo calcular a
densidade de campo magnético terrestre que segundo Teixeira et al/ (2000) a densidade do campo
magnético da terra no Brasil tem valor aproximado de De forma que a realização
deste experimento busca-se constatar esse valor com os valores calculados a partir de campo
magnético gerados em torno das três montagens diferentes realizadas

Palavras chave: (Densidade de campo magnético, Intensidade de campo magnético,


Eletromagnetismo.)

seguida realizamos um pequeno giro no ajuste de


Introdução corrente até que a agulha da bússola atingisse um
angulo de 45° e logo em seguida anotamos o valor
Quando uma corrente elétrica atravessa um fio da corrente obtida. Ao passar corrente elétrica pelo
condutor, cria em torno dele um campo magnético. condutor a agulha sofreu uma deflexão como
Este efeito foi verificado pela primeira vez por mostra a FIG 1 e FIG 2 respectivamente.
Hans Christian Orsted em abril de 1820. Ele
observou que a agulha de uma bússola defletia de Figura 1: Chave aberta
sua posição de equilíbrio quando havia próximo a
ela um fio condutor pelo qual passava uma corrente
elétrica.
Afim de consolidar esse conhecimento obtido
em sala de aula, foi realizado um experimento no
qual teve como objetivo comprovar através de
cálculos a densidade de fluxo magnético terrestre.

Procedimento Experimental
Com a chave aberta a agulha magnética da
Para realização dos experimentos foi necessária bússola alinha-se com o campo magnético terrestre,
uma bússola que é exposta a um campo magnético apontando aproximadamente para o Norte
em três circuitos distintos, além de uma fonte Vcc
regulável, uma bobina de 600 espiras, um solenoide
de 12 espiras além de condutores para a ligação dos Figura 2: Chave fechada
circuitos.
Para os experimentos foi adotado os seguintes
procedimentos: conferimos o valor da tensão de
entrada da fonte e ligamos a mesma na tomada
correspondente, em seguida ajustamos os
potenciômetros da fonte para o valor mínimo para
ligação da mesma.
Para realização do primeiro experimento foi
conectado um dos terminais do condutor no polo
positivo da fonte e o outro na entrada de corrente do
amperímetro, depois fechamos o circuito
Com a chave fechada o fio sobre a bússola é
conectando o outro polo da fonte no outro terminal
percorrido por uma corrente elétrica que cria um
de medição de corrente do amperímetro.
campo magnético em sua volta, mudando a
Foram realizadas 4 medições de corrente para os
orientação da agulha magnética da bússola.
experimentos e depois foi feito uma média
Para determinar o sentido do campo
aritmética para obtenção de uma corrente no qual
magnético basta realizar a regra da mão direita, o
seria utilizada para o cálculo de intensidade e fluxo
polegar da mão direita indica o sentido
magnético.
convencional da corrente elétrica; e os outros
O próximo passo foi colocar um fio condutor
dedos, ao envolverem o condutor por onde passa a
próximo da agulha magnética de uma bússola. Em
2

corrente, dão o sentido das linhas de campo Em seguida realizamos os procedimentos


magnético como mostra a FIG 3. descritos anteriormente que foram de realizar 4
medições de corrente invertendo os seus terminais
de entrada, além de obter uma deflexão na agulha
Figura 3: Regra da mão direita da bússola em 45°.

Figura 5: Bobina 600 espiras

Para o segundo experimento inserimos a


solenoide no circuito, onde foi conectado um dos
terminais do condutor no polo positivo da fonte ao Análise e Resultados
solenoide e sua saída na entrada de corrente do
amperímetro, depois fechamos o circuito
Nesta seção serão apresentados os dados obtidos
conectando o outro polo da fonte no outro terminal nos três experimentos realizados após a execução
de medição de corrente do amperímetro. Em dos procedimentos e coletas de dados feitas
seguida colocamos a bússola em sua parte central anteriormente. Foram coletados 4 amostras de
como mostra a FIGURA 4 e em seguida realizamos corrente e sua média aritmética para cada
os procedimentos descritos anteriormente que
experimento, para que posteriormente fosse
foram de realizar 4 medições de corrente invertendo
calculado a densidade de campo magnético.
os seus terminais de entrada, além de obter uma
deflexão na agulha da bússola em 45°. No primeiro experimento os resultados das
correntes obtidas serão apresentados na TABELA 1
Figura 4: Solenoide a seguir.

Tabela 1
1° Experimento: Fio Retilíneo
Medição Medição Medição Medição Média
1 2 3 4 (A)
1A 1.03A 1.54A 1.56A 1.2825

Depois de obter essa média das correntes iremos


calcular a intensidade de campo e para isso
utilizamos a formula a descrita a baixo que
corresponde a lei de Ampere.

Para o terceiro e último experimento retiramos o


solenoide do circuito e adicionamos uma bobina de Este rô ( ) descrito na equação 1 é a distância
600 espiras em seu lugar. De forma que a ligação utilizada da fonte a bússola do fio retilíneo, neste
do circuito ficou da seguinte maneira: um dos caso a distância foi de aproximadamente 1cm
terminais do condutor do polo positivo da fonte foi passando para metro m.
ligada a entrada da bobina e sua saída ligada na
entrada de corrente do amperímetro, depois Adicionando os dados na formula chegamos ao
fechamos o circuito conectando o outro polo da seguinte resultado.
fonte no outro terminal de medição de corrente do
amperímetro. Em seguida colocamos a bússola em
sua parte lateral como mostra a FIGURA 5.
3

Depois de calcular a intensidade de campo Depois de calcular a intensidade de campo


magnético e para finalizar objetivo do primeiro magnético e para finalizar objetivo do segundo
experimento que é de calcular a densidade de fluxo experimento que é de calcular a densidade de fluxo
magnético (B) utilizaremos a formula a seguir. magnético (B) utilizaremos a mesma formula do
primeiro experimento que é descrita a seguir.

Sendo que .

Adicionando os dados na formula chegamos ao


seguinte resultado.

Agora os resultados obtidos são referentes ao


terceiro e último experimento referentes a bobina
de 300 espiras, repetindo os procedimentos
descritos anteriormente. A seguir a TABELA 3
apresenta os resultados de correntes obtidas.
Agora os resultados obtidos são referentes ao
segundo experimento referente a solenoide, Tabela 3
repetindo os procedimentos descritos 3° Experimento: Bobina de 600 espiras
anteriormente. A seguir a TABELA 2 apresenta os Medição Medição Medição Medição Média
resultados de correntes obtidas. 1 2 3 4 (mA)
7.6mA 7.7mA 8.8mA 9.0mA 16.55
Tabela 2
2° Experimento: Solenoide
Medição Medição Medição Medição Média Assim como nos demais experimentos
1 2 3 4 (A) calculamos a intensidade de campo, porem como
0.10A 0.10A 0.13A 0.11A 0.22 falado anteriormente que a lei de Ampere é na
forma integral utilizaremos uma formula diferente
do primeiro e segundo experimento pois neste
Depois calculamos a intensidade de campo, circuito adicionamos uma bobina de 600 espiras
porem como a lei de Ampere é na forma integral como já foi descrito nos procedimentos. Desta
utilizaremos uma formula diferente do primeiro maneira utilizamos a formula a descrita a baixo.
experimento pois neste circuito adicionamos um
solenoide como já foi descrito nos procedimentos.
Desta maneira utilizamos a formula a descrita a
baixo.
Nesta formula (4) citada acima ‘N.n’ é referente
ao numero de espiras, e L é igual a

Sendo que N é o número de espiras do solenoide


que no nosso caso foi de 12 espiras. E L o tamanho
do solenoide que foi de 12cm passando para metros
isso equivale a
Adicionando os dados na formula chegamos ao
seguinte resultado.

Depois de calcular a intensidade de campo


magnético damos nosso último passo que é de
calcular a densidade de fluxo magnético (B)
4

utilizaremos a mesma formula do primeiro e


segundo experimento que é descrita a seguir.

Conclusão
Este experimento realizado nos possibilitou uma
interação da matéria dada em sala de aula ao longo do
semestre com a prática realizada. Sendo possível observar
a interação entre os campos da terra com os três
experimentos realizados em laboratório. No primeiro
experimento onde foi utilizado o fio retilíneo o resultado
foi o mais próximo do esperado que segundo Teixeira et
al, (2000) era de 3 Já no segundo
experimento observa-se que o resultado obtido ainda esta
dentro do esperado, mesmo tendo a bússola posicionada
dentro do solenoide. Agora no terceiro experimento o
resultado obtido apresentou uma dispersão muito
significativa do resultado esperado, pois não inserimos a
bussola realmente dentro do campo gerado pela bobina e
sim em sua proximidade de modo que prejudicou no
resultado final apresentado.
Contudo através dos três experimentos realizados foi
possível aplicar diversos conhecimentos obtidos em sala
de aula como a regra da mão direita para observar o
sentido do campo magnético criado por cada circuito,
além de utilizar diversas formulas apresentadas em sala
como a lei de Ampere e entre outras.

Referências
[1] W.Teixeira et al, “Decifrando a Terra” 2.ed São
Paulo,Sp; Companhia Editora Nacional, 2009. 623p.
[2] M.N.O Sadiku, “Elementos de
Eletromagnetismo”, 3ed Bookman editora, Porto
Alegre, 2004, pp. 243-273.