Você está na página 1de 8

MEDICINA E ESPIRITISMO

○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

HOMEOPATIA
INTEGRANDO CORPO E ESPÍRITO
Diante da enfermidade, o homem recorre as mais

variadas pílulas, esquecendo-se de que antes de

remediar o corpo, é preciso curar a alma


Alfredo de Castro
AME-Brasil
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○
MEDICINA E ESPIRITISMO
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

A HOMEOPATIA RESGATA A VISÃO DA RELAÇÃO HARMÔNICA DO HOMEM COM O UNIVERSO


medicina vem
apresentando,
no passar dos sé-
A suas reações, sua constituição,
seu temperamento, sua forma de
ser e estar, sua genética, suas
na e na forma de se curar as do-
enças. O processo galênico domi-
nava e continuava na sua trajetó-
culos, uma trans- noxas psíquicas, emocionais e fí- ria, baseado no principio dos con-
formação notá- sicas. Ao mesmo tempo, é preci- trários na terapêutica.
vel nos seus con- so proteger os órgãos sensíveis, Mais tarde, Paracelso (século
ceitos de saúde e que são seus órgãos de choque, XVI) deu continuidade às idéias
doença. portanto, os primeiros que rea- e aos postulados hipocráticos,
O homem sem- gem e adoecem. dando maior destaque à aplica-
pre procurou meios para prolon- Para tratar das doenças, Hipó- ção do princípio da semelhança
gar a vida. Lutando contra as ad- crates destacou dois princípios para resolver com mais eficácia os
versidades da natureza e a inva- fundamentais: o dos contrários e problemas das doenças.
são das epidemias, criou terapêu- o dos semelhantes.
ticas e descobriu remédios para Deixou, nos seus ensinamen- O pai da Homeopatia
curar e proporcionar condições tos, orientação sobre quando e No século XVIII (1755), nasce
de prevenir maiores males. em que condições deviam ser na Alemanha, em uma família
Grandes pensadores e filósofos empregados um ou outro método, modesta o menino Christian
deixaram marcas pela sua condu- dando-nos a entender que exis- Frederich Samuel Hahnemann,
ta e ensinamentos de como inter- tem doenças e doentes. Ensinou que desde jovem mostrava gran-
pretar as doenças, organizar a me- também como proceder para evi- de capacidade de aprendizado,
dicina e criar o verdadeiro médico. tar as doenças. com uma inteligência muito viva
Com Hipócrates (460 a.C.), para assimilar os conhecimentos
considerado pai da Medicina, ini- Farmácia Galênica da época. Interessado nos estudos,
ciava-se uma era mais correta e Galeno, (131 a 200 d. C.) desta- formou-se em Medicina em 1777,
positiva para a eficácia dos traba- cou-se na formação do pensamen- na Universidade de Leipzig, e dois
lhos médicos. to médico em sua época. Sua orien- anos depois defendeu tese de
Para tratar de homens, dizia tação na terapêutica foi estruturada doutor na Universidade de Erlan-
ele, é necessário conhecer o seu no princípio dos contrários . Esta- ge, em 10 de agosto de 1779 ( com
corpo e a sua alma. Não há doen- beleceu regras, consolidou suas 24 anos de idade). Na sua ânsia de
ças isoladas. idéias e deu início à formação da cuidar dos doentes e tratar as do-
O desequilíbrio e a desarmo- farmácia chamada galênica, cujos enças, e descontente com os mé-
nia da saúde afetam todo o orga- princípios vêm até hoje regendo, todos empregados na sua época
nismo. Para alguns, pouco, para como orientação principal, a tera- pela Medicina, tornou-se um pes-
outros, muito. pêutica em Medicina. quisador obstinado. Achava que
O homem deve ser visto na Houve um período longo de deveria haver um meio natural de
sua totalidade, compreendendo estagnação de idéias na Medici- curar as doenças. Dizia ele: “Deus,
o supremo criador de todas as coi-
sas, deve ter colocado ao alcance
do homem os recursos necessári-
os para manter a sua saúde e livrá-
lo do mal. E que o homem, pela
sua fraqueza e ignorância dos va-
lores divinos da natureza, não con-
segue identificá-los”.
Hahnemann foi um sábio ge-
nial e criativo. Conhecia e domi-
nava fluentemente 14 idiomas,
atuais e antigos. Sua capacidade
de trabalho era extraordinária.
Traduziu inúmeras obras,
Cada organismo principalmente sobre assuntos
agindo e reagindo médicos. Estudava sempre, pro-
curando meios para saciar sua
a seu modo, é
sede de saber, seguindo seu ob-
uma vida única jetivo de descobrir um método
em si mesma mais digno e eficiente para tratar

Revista Cristã de Espiritismo · 22


○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

No
No princípio
princípio da
da cura
cura pelo
pelo semelhante
semelhante –– (Similia
(Similia Similibus
Similibus
Curentur)
Curentur) –– uma
uma substância
substância capaz
capaz de
de produzir
produzir determinada
determinada
alteração
alteração (sintoma)
(sintoma) em
em um
um indivíduo
indivíduo são,
são, teria
teria aa capacidade
capacidade
de
de curar
curar esta
esta alteração,
alteração, em
em uma
uma condição
condição dede doença,
doença,
quando
quando dada
dada em
em doses
doses pequenas.
pequenas.

os doentes. Depois de muitos cansável. Discutia com amigos e Não nos surpreendemos com
anos de estudo e dedicação, de- colegas para tirar dúvidas e poder isso, pois, ainda hoje, após 200
duziu e confirmou, pelo seu concretizar suas idéias. anos, pelo desconhecimento de
criterioso trabalho experimental, Em 1790, considerada a data sua realidade médica, a Homeo-
que o princípio da semelhança da criação da Homeopatia, publi- patia ainda é recebida com reser-
era o método mais efetivo e posi- cou em revista médica o resulta- vas no meio médico oficial, apesar
tivo para o tratamento das doen- do de suas experiências: “Ensai- de ser reconhecida como especi-
ças e dos doentes. os de um novo princípio sobre as alidade médica pelo Conselho
Foi persistente. Insistia na virtudes curativas das substânci- Federal de Medicina e Ministério
busca de resultados práticos, não as medicinais da Educação, e ter a sua farmaco-
teóricos. Foi criticado, sofreu muita péia organizada, aceita e aprova-
A criação da Homeopatia foi oposição da sociedade médica da da pelos órgãos competentes.
obra de suas insistentes observa- época e foi muito perseguido pe- Os remédios homeopáticos
ções e experimentações. Foi in- los seus opositores. são extraídos dos três remos da

23 · Revista Cristã de Espiritismo


MEDICINA E ESPIRITISMO
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

ANTES DE SER HOMEOPATA, O MÉDICO TEM DE SER UM PERFEITO CLÍNICO GERAL, QUE SE UTILI
seus ensinamentos a nismo como catalizador que des-
importância da sua perta energia porque é mais di-
aceitação, dos estu- nâmica e menos letargia; mais
dos profundos da força e menos medicamento e,
energia vital e da por ser dinamizado, é mais
compreensão do ho- operante e menos estático.
mem como um todo
na sua constituição - Revitalizando o paciente
corpo e alma. Ao despertar energia, acelera
Sabemos que o ser as reações no organismo afetado,
humano é uma rede intensificando e elevando seu
de magnetismo sus- quantum de vitalidade adormeci-
tentando as massas da, ajustando o potencial psicofí-
de células sobrecar- sico desarmonizado. A força vital
regadas de energia. do enfermo se equilibra e a har-
Diz Hahnemann, no monia física volta ao normal.
parágrafo 9º do seu li- Entretanto, observou Hahne-
vro “Organon da mann, nas suas experiências, que
Arte de Curar”: esse mesmo medicamento, se to-
“No estado de saú- mado em doses ponderáveis, cria
de, a força vital (auto- uma enfermidade artificial, igual
crática) que anima àquela que se deseja curar.
dinamicamente o cor- Isso explica, em poucas pala-
po material (organis- vras, o princípio da semelhança
mo) governa com po- em sua aplicação terapêutica,
der ilimitado e con- que opera através de sua energia
serva todas as partes infinitesimal potencializada.
O bombardeio de remédios alopáticos do organismo em admirável e har- Aceitando-se que o remédio
pode ser uma verdadeira agressão
ao organismo físico
moniosa operação vital, tanto com homeopático possui valores simila-
respeito às sensações como às fun- res à doença que se deseja curar, o
natureza (animal, vegetal e mine- ções, de modo que o espírito dota- que se tem comprovado por seus
ral). Hahnemann estava com a do de razão que reside em nós efeitos na clínica, é necessário ten-
razão : Deus deu ao homem, bem possa empregar livremente esse tar demonstrar que ambos são da
ao alcance de suas mãos, a rique- instrumento vivo e sadio para al- mesma natureza, ou seja, de cará-
za da natureza, tão pródiga. cançar e atender aos mais altos ter dinâmico-vibratório semelhante.
A presença da Homeopatia se fins da nossa existência É aceita unanimemente, pela
faz necessária pelo seu método e Para Hahnemann, o medica- Medicina Homeopática, a inter-
conteúdo filosófico que inclui nos mento homeopático atua no orga- pretação de que toda atividade
informações do box: Dr. Marcos Dias de Moraes

A HOMEOPATIA NO TRATAMNETO DAS DOENÇAS


Na Homeopatia não existe remé- Homeopata não poderá tratá-la. Mas cada um está demonstrando no mes-
dio para alergias, asma, infeções, etc. quando um paciente começa a referir mo processo infeccioso, sintomas
O que existe é um tratamento para o que a dor de garganta piora quando particulares de cada um.
paciente alérgico, para o paciente as- engole líquidos, mais do que com só- Com a Homeopatia retorna a figu-
mático, ou seja procura identificar o lidos, e também com alimentos quen- ra do Médico de Família, aquele que no
desequilíbrio de cada ser que está tes, esta amigdalite começa a ser dife- passado cuidava de todos os membros
enfermo, e como cada um demons- rente da de outro que relata doer mais da família, pois como na Homeopatia
tra sua doença, através de sua manei- quando engole sólidos, e alimentos não existe sub-especialidades médicas,
ra particular e única no seu sofrer. No frios. Para a Alopatia, um único anti- sua abrangência vai desde a infância
caso de uma amigdalite, por exem- biótico bastaria. Para a Homeopatia até a velhice, podendo ser tratados tan-
plo, os sintomas de dor, mau-hálito, não, a seleção de medicamentos para to os casos agudos (pneumonias,
febre, são comuns neste quadro in- o exemplo acima, será de medicamen- infeções de garganta,...), quanto os crô-
feccioso. Só com estes sintomas, o tos diferentes para cada um deles, pois nicos (asma, hipertensão, ...).

Revista Cristã de Espiritismo · 24


○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

IZA DE SUA EXPERIÊNCIA EM DETECTAR SINTOMAS PELA AUSCULTA, PELO TATO, PELA VISÃO, E ETC..

biológica é um conjunto de fenô- prestar ao homem, pois, embora os anteriores, eram explicações
menos de origem vibratória. ela não provoque reações quími- necessárias em sua época ante
Assim, podemos considerar a cas violentas, sua função princi- uma característica da Homeopa-
saúde e a doença fenômenos bi- pal é despertar e potencializar as tia que a Medicina clássica não
ológicos de caráter dinâmico- energias adormecidas, para, en- aceitava: sua qualidade de Medi-
vibratório. tão, elevar o padrão dinâmico cina racional. Além disso, essa
Definimos a saúde como um dos órgãos combalidos, reedu- terapêutica admite que aqueles
estado em que todas as funções cando-os em vez de violentá-los. que a exercem tenham atitudes e
psíquicas e somáticas estão em posições filosófico-religiosas dife-
equilíbrio pela vibração harmôni- Sintomas: causa ou efeito? rentes. Assim, pode-se sustentar
ca dos seus componentes, produ- Sobre a energia vital, as clás- o vitalismo e o racionalismo, ser
zindo a Sensação de bem-estar. sicas referências dos antigos espiritualista ou agnóstico, ser
Definimos a doença aguda homeopatas ao fato de que os sin- terapêuta do similar e, portanto,
como um desequilíbrio dessas tomas não constituem a enfermi- ser homeopata.
funções por desarmonia vibrató- dade em si mesma e à aparição O remédio homeopático é
ria originada por agressões exter- de novos sintomas ao suprimir-se uma forma farmacêutica medica-
nas, químicas, físicas ou psíqui- A Homeopatia utiliza substâncias dos reinos vegetal, animal e mineral
cas. O organismo, assim afetado para a feitura dos seus medicamentos
por um desequilíbrio de sua for-
ça vital, buscará um novo estado
de equilíbrio biológico que pode
ser a saúde ou a seqílência de
uma enfermidade crônica.

Psicossomática
A Medicina, hoje, verifica
cada vez mais a influência e a
presença marcante da participa-
ção emocional no aparecimento
dos sintomas.
Ela tem agido como sempre
agiu a Homeopatia, que dá um
enorme crédito à somatização.
Somatizar significa imprimir no
organismo o que se sente psiqui-
camente. E isso acontece o tem-
po todo. Qualquer emoção ou
agressão psíquica tem o seu cor-
respondente somático.
Há um sincronismo entre as
reações emocionais e o organis-
mo que a própria razão não con-
segue interpretar. Sempre que a
mente estiver sofrendo, o corpo
sofrerá também. É impossível
desconectar a saúde física do so-
frimento mental. O contrário tam-
bém é verdadeiro. Quando o cor-
po sofre, a mente também se sen-
te abalada. Com essas considera-
ções, podemos entender a dinâ-
mica vibratória do medicamento
homeopático sobre a dinâmica
vibratória da doença.
Daí, pois, os grandes benefí-
cios que a Homeopatia pode

25 · Revista Cristã de Espiritismo


MEDICINA E ESPIRITISMO
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

QUANDO TRATAMOS PRECOCEMENTE, PODEMOS EVITAR A AGRESSÃO DOS MEDICAMENTO


mentosa definida, porém sem Individualizar para ser real que o modalizado, e, na prática,
propriedades farmacológicas no A individualização e a espe- o doente se sente bem mas não
sentido comumente aceito. cificidade são características se cura.
Por ser um medicamento, que convêm ser analisadas jun- O médico só recebe pacientes,
nada mais que um medicamento, tas, pois superpõem-se apenas isto é, seres humanos doentes.
o objeto da prescrição homeopá- parcialmente. Não há dúvidas de que o desejo do
tica não pode pretender um cres- Em linhas gerais, pode-se di- doente é que o médico o cure e
cimento pessoal total nem espiri- zer que quanto maior o grau de não que lhe mostre um caminho.
tual. Não pode modificar uma individualização do doente, Feitas essas considerações,
pessoa mais do que as possibili- maior será a especificidade do vamos buscar um remédio base-
dades materiais o permitem. remédio a prescrever. ado nas semelhanças da totalida-
O tratamento homeopático de, em que os sintomas gerais
individualiza o doente e a doen- passam a ser um fator preponde-
As três originalidades da ça. Trata-se de uma terapêutica rante. Porém, é necessário haver
Homeopatia sao: dirigida a um ser humano que em sua patogenesia a presença
padece de uma situação de de- da doença, que é o motivo indis-
4 Experimentação no homem
sequilíbrio. A individualização cutível da consulta.
com a saúde em harmonia.
deve levar em conta um ser hu-
4 Aplicação da lei dos semelhan- mano enfermo. Os dois elemen- Descobrir a causa
tes (princípios da analogia). tos são fundamentais. Se a indi- A principal preocupação do
4 O remédio homeopático (pe- vidualização só considerar a do- médico homeopata é descobrir a
quenas doses, infinitesimais). ença como generalização, o re- origem da doença. O médico ho-
sultado será uma Homeopatia meopata experimentado não se
O que observamos escassa, insuficiente, localizada. aflige para suprimir de imediato
nos doentes: Se a individualização só con- os sintomas enfermiços, e
siderar o ser humano, sem se re- atestáveis à sua capacidade obje-
4 Sensações modificadas. ferir à doença, a Homeopatia tiva, enquanto a verdadeira cau-
4 Perturbações funcionais. será um simples jogo de inter- sa permanece latente, gerando o
pretação em que, de forma qua- quadro doentio.
4 Alterações patológicas. se surrealista, a modalidade Ele sabe que ali interferem
chegará a ser mais importante fatores psíquicos, mentais e
informações do box: Dr. Marcos Dias de Moraes

ANALISANDO O HOMEM COMO UM SER INTEGRADO


Ao contrário da Alopatia, que sempre ocorre em primeiro lugar o
constata que alguém está doente com desequilíbrio do ser como um todo,
enxaqueca, porque apresenta os sin- a pessoa perdeu sua sintonia fina
tomas dela, a Homeopatia procura com a vida, a harmonia do funcio-
entender porque e como a pessoa de- namento dos órgãos de seu corpo, se
senvolveu um conjunto de sintomas, debilitou, a saúde ficou prejudicada,
no caso a enxaqueca. Para a Home- o mal estar se instalou, a dor che-
opatia, portanto a enxaqueca é ape- gou. A imagem mais aproximada
nas um conjunto de sintomas, que a que se pode traçar para dar uma
pessoa doente acusou; ela poderia idéia mais clara é a da hora em que,
estar doente e apresentar sintomas ao se movimentar o dial de um rá-
diferentes, como os de úlcera estoma- dio, perde-se a sintonia da emisso-
cal ou de pneumonia. Cada organis- ra desejada, entrando em outra fai-
mo agindo e reagindo a seu modo, xa de onda.
uma vida única em si mesma. Está na perda desta sintonia, en-
Os pacientes estão, em geral, tão, o início da enfermidade, mani-
acostumados a “identificar “ sua do- festada em cada um de uma manei-
ença com a aparente disfunção de um ra peculiar, da mesma forma que
órgão, como é a prática alopata. O não há um ser humano sequer inte-
homeopata sabe, antes de tudo, que gralmente igual a outro.

Revista Cristã de Espiritismo · 26


○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

OS ALOPÁTICOS, QUE ALIVIAM SINTOMAS, MAS POSSUEM POSSÍVEIS EFEITOS COLATERAIS


emotivos que provocam choques
emocionais, geram desequilíbrio
orgânico e então conduzem ao
estado enfêrmico cuja remoção só
é possível após o tratamento da
causa mórbida.
Como se fora um engenheiro
hábil, o médico homeopata, antes
de se preocupar com a brecha
assinalada em uma parede fendi-
da, cuida de perquirir a verdadei-
ra natureza do terreno, responsá-
vel pela causa do efeito.

Trabalhando em conjunto
O papel do médico homeopa-
ta não é violentar a perfeita linha
de montagem orgânica, mas
auxiliá-la com uma terapêutica
suave e energética. Essa é a fun-
ção do medicamento homeopáti-
co, que age como um poderoso
catalizador, despertando ener-
gia, acelerando reações no orga-
nismo, psicofísico o potencial de-
sarmonizado e operando através
de sua energia infinitesimal po-
tencializada.
O fato de os cientistas de hoje
não poderem atestar a objetivida-
de desse energismo assombroso
não é porque ele não existe, mas
porque a ciência humana ainda é
demasiadamente precária para energia atômica, pode-se com-
obter tal prova. provar, atualmente, o poder ex-
A incapacidade científica para traordinário do infinitesimal, as-
verificar a realidade do fenôme- sim como a realidade poderosa
no homeopático de modo algum do mundo da energia oculta aos
implica negar o poder eficiente sentidos físicos.
das suas diluições. Independente de qualquer
Evidentemente, os cientistas época, a Homeopatia sempre
da Idade Média deveriam teriam contou com os mais avançados re-
negado a possibilidade do con- cursos terapêuticos de êxito segu-
trole e o sucesso da energia nu- ro, pois só aplica os princípios e as
clear, mas, de modo algum, a sua regras estabelecidas por Hahne-
descrença impediu ou invalidou mann, os quais são definitivos,
o êxito da descoberta atômica no sólidos e imutáveis tanto quanto
século XX. as próprias leis que regem os
No caso da Homeopatia, a crí- fenômenos da vida humana. Cabe ao paciente a escolha de
tica é ainda menos compreensí- Malgrado a opinião de muitos tratar-se com a Homeopatia ou
vel, pois trata-se de medicina que médicos não homeopatas, que Alopatia, porém, a Revista Cristã
escapa à aferição dos cinco sen- ainda guardam prevenções con- de Espiritismo não aconselha a
tidos físicos. tra a Homeopatia, jamais poderá mudança total de método de uma
Mediante as recentes aplica- ela ser destronada da magnitude só vez. É aconselhavel também,
ções terapêuticas do som e da de ser a terapia mais sensata para consultar-se com um médico de
radioatividade e a conquista da o homem. cada método.

27 · Revista Cristã de Espiritismo