Você está na página 1de 61

Organização e Arquitetura de Computadores

(Aula 2)

Prof. Rômulo Santos


romulodba@gmail.com

www.dominandoti.com.br www.dominandoti.com.br
Acesse nosso site em
www.dominandoti.com.br

Cursos Turmas em Brasília, na sua cidade, e cursos online


Livros Edições publicadas, lançamentos e promoções
Fórum Interação direta entre estudantes e com os professores
Simulados Questões inéditas, ranking de notas e correções em vídeo
Blog Dicas e macetes de estudo, indicações de bibliografia, etc.
Materiais Versões atualizadas de notas de aula e listas de exercícios

Curta o Dominando TI no
e receba nossas dicas sobre concursos!

www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Referências:

Organização Estruturada de Computadores. 5ª Edição. –


2007. Autor: Andrew S. Tanenbaum. Editora: Pearson
Education.

Arquitetura e Organização de Computadores. 8ª Edição.


2010. Autor: William Stallings. Editora: Pearson.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 3 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Conteúdo Programático:

1) Paralelismo em nível de instruções:


- Pipeline, Superpipeline e Arquitetura Superescalar.

2) Paralelismo em nível de processador:


- UMA, NUMA e Cluster.

3) Arquitetura RISC x CISC.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 4 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
Paralelismo

Para que os processadores consigam executar uma sequência de instruções mais


rapidamente, várias abordagens podem ser utilizadas. Algumas abordagens atuam na
implementação física do processador, tais como, utilizar transistores mais rápidos,
aumento de clock interno, adoção de níveis de cache, etc.
Outras abordagens realizam melhoramentos na arquitetura. Uma forma de melhorar a
arquitetura é adicionar paralelismo em nível de instrução. Nesse caso, são distribuídos
os estágios de uma instrução para os diferentes recursos internos a CPU.
Por fim, uma outra forma de melhorar o desempenho
é usar múltiplos processadores para executar cargas
de trabalho em paralelo.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 5 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: Pipeline

É uma técnica de implementação de instruções, onde é permitido a “sobreposição


temporal” das diversas fases de execução de uma instrução. Várias tarefas (estágios da
instrução) são executadas simultaneamente pelo processador, usando recursos
diferentes.
Semelhante ao uso de uma linha de montagem, onde a vantagem é obtida pelo fato de
que um produto passa por vários estágios da produção. Produtos em vários estágios
podem ser trabalhados simultaneamente (pipelining).
Explora o paralelismo entre as
instruções em um fluxo de instruções
sequênciais (uma instrução não espera
que a outra termine para começar).
É preciso reconhecer que uma instrução
possui vários estágios.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 6 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: Pipeline

Vamos utilizar no estudo um pipeline com 6 estágios:


- (BI) Busca de Instrução (Fetch Instruction): o processador lê uma instrução da memória;
- (DI) Decodificação de Instrução (Decode Instruction): a instrução é decodificada para
determinar qual ação é requerida;
- (CO) Cálculo de Operandos (Calculate Operands): calcular o endereço dos operandos;
- (BO) Busca de Operandos (Fetch Operands): obter cada operando da memória;
- (EI) Execução da Instrução (Execute Instruction): efetuar a operação indicada;
- (EO) Escrita de Operando (Write Operand): armazenar o resultado na memória.
Obs: (1) Considerar que qualquer instrução passa por todos os estágios do pipeline (o
que nem sempre é necessário).
(2) Considerar que todos os estágios podem ser executados em paralelo (não ocorre em
todas as situação. Ex: conflito no acesso à memória).
(3) Considerar que as fases de uma instrução são alinhadas no tempo (não reflete a
realidade, pois os estágios mais rápidos acabam esperando pelos mais lentos).
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 7 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: Pipeline

tempo
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14
instrução

1 BI DI CO BO EI EO
2 BI DI CO BO EI EO
3 BI DI CO BO EI EO
4 BI DI CO BO EI EO
5 BI DI CO BO EI EO
6 BI DI CO BO EI EO
7 BI DI CO BO EI EO
8 BI DI CO BO EI EO
9 BI DI CO BO EI EO

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 8 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: Pipeline

Obs: o pipeline não reduz o tempo gasto para completar cada instrução individualmente
(não melhora a latência de uma única tarefa, ou seja, o tempo de execução de uma única
instrução é o mesmo “com ou sem” pipeline), porém, melhora o throuphput do trabalho
como um todo.
Quanto maior a quantidade de estágios maior o speedup (ganho de desempenho que
pode ser obtido ao melhorar determinada característica do processamento). Porém,
aumenta o custo da implementação.
O tempo gasto no processamento de M instruções em um pipeline com K estágios e
ciclo de máquina igual a t é dado por:
T = [K + (M – 1)] * t

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 9 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: SuperPipeline

Superpipeline divide os estágios do pipeline em sub-estágios, com o objetivo de reduzir o


tempo de execução do programa.
Ou seja, é uma técnica que tira vantagens do fato de que muitos estágios do pipeline
desempenham tarefas que requerem menos da metade do tempo de um ciclo de clock.
É importante notar que o aumento do desempenho é oriundo de um menor tempo de
processamento de cada instrução, mas elas ainda continuam sendo executadas uma
após a outra.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 10 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: SuperPipeline

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 11 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: Arquitetura SuperEscalar

Explora o paralelismo de instrução e visa otimizar o pipelining (desempenho superior ao


de uma instrução por ciclo).
Apresentam múltiplos e independentes pipelines. Ou seja, expande as unidades em cada
ciclo de clock (execução das instruções em pipelines paralelos).
Abordagem padrão para implementação de microprocessadores de alto desempenho.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 12 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
1) Paralelismo em nível de instruções: Arquitetura SuperEscalar

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 13 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q01) FCC – TRT 19 (2011): Tecnologia da Informação

A técnica que divide a execução da instrução em muitas partes, cada uma manipulada por
uma parte dedicada do hardware, e todas elas podendo ser executadas em paralelo, é
conhecida como

a) prefetch buffer.
b) latência.
c) pipeline.
d) multiprocessing.
e) phased processing.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 14 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q02) CESPE – ANAC (2009): Tecnologia da Informação

Com relação aos componentes de um computador, julgue os itens seguintes.

Pipeline é o nome dado ao recurso do sistema operacional que possibilita reconectar a


placa de rede à Internet no caso de interrupção de acesso.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 15 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q03) CESPE – UNIPAMPA (2013): Analista de Tecnologia da Informação

A respeito da arquitetura e da organização de computadores, julgue os itens que se


seguem.

Pipelining é uma técnica de implementação de processadores que permite a


sobreposição temporal de diversas fases de execução de instruções.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 16 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q04) CESPE – MS (2013): Engenheiro Eletricista

Julgue os itens que se seguem a respeito de microcomputadores.

No processamento de um conjunto de dados, o uso de pipelining pelo processador visa


reduzir o tempo decorrido entre o início da leitura de uma instrução e o fim da execução
da mesma.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 17 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q05) VUNESP – CETESB (2009): Analista de TI


Diversos processadores modernos passaram a incorporar em suas arquiteturas o
conceito de pipeline, que consiste em
a) adicionar um co-processador numérico ao núcleo do processador, o que permite que
instruções, as quais realizam cálculos mais elaborados, sejam mais rápidas.
b) ampliar o conjunto de instruções da arquitetura, visando possibilitar a concepção de
programas mais eficientes e que ocupem pouco espaço em memória.
c) diminuir o tempo de execução de cada instrução por meio da adição de memórias
cache dedicadas às instruções e aos dados.
d) dividir a execução da instrução em várias partes, sendo cada uma delas manipuladas
por unidades dedicadas do hardware que trabalham em paralelo.
e) suprimir a etapa de cálculo de endereço do dado a ser buscado na memória em
decorrência da simplificação dos modos de endereçamento do processador.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 18 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q06) CESPE – Correios (2011): Analista de Sistemas

A técnica de pipeline, criada para acelerar a velocidade de operação dos dispositivos de


E/S, possibilita que um processador execute diversas instruções sobrepostas, de modo
que mais instruções possam ser executadas no mesmo período de tempo.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 19 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q07) CESPE – Banco da Amazônia (2012): Engenharia Eletrônica

Acerca dos microcomputadores, julgue os itens que se seguem.

A técnica de pipeline aumenta a capacidade de processamento de um microcomputador,


ao permitir a sobreposição temporal das diversas fases da execução de instruções.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 20 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
Q08) AOCP – BRDE (2012): Analista de Sistemas
Sobre Pipeline, analise as assertivas e assinale a alternativa que aponta as corretas.
I. A técnica de pipelining pode ser empregada em sistemas com um ou mais processadores, em
diversos níveis, e tem sido a técnica de paralelismo mais utilizada para maior desempenho dos
sistemas de computadores.
II. O conceito de processamento pipeline se assemelha muito a uma linha de montagem, onde
uma tarefa é dividida em um sequência de sub tarefas, executadas em diferentes estágios, dentro
da linha de produção.
III. O conceito de processamento pipeline só pode ser implementado dentro da arquitetura de
processadores RISC.
IV. Nos sistemas operacionais antigos, o pipeline era bastante complicado, já que os
programadores deveriam possuir conhecimento de hardware e programar em painéis através de
fios.
a) Apenas I e II.
b) Apenas I, II e III.
c) Apenas I, III e IV.
d) Apenas II, III e IV.
e) I, II, III e IV.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 21 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q09) VUNESP – CETESB (2009): Analista de TI

Nas arquiteturas dos processadores modernos encontra-se implementado, via de regra,


o conceito de pipeline no processo de execução de instruções. Assinale a alternativa que
apresenta três etapas funcionais que costumam fazer parte do pipeline e que são
implementadas por unidades específicas.
a) Busca de instrução, decodificação de instrução e busca do operando.
b) Codificação de instrução, tratamento de instrução e decodificação de instrução.
c) Divisão do clock, acesso direto à memória e verificação de paridade.
d) Operação lógica, operação aritmética e acesso direto à memória.
e) Overclocking, underclocking e "bufferização" de dados a serem processados.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 22 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q10) FCC – TJ/PA (2009): Analista de TI

A tecnologia de hardware denominada pipeline executa, na sequência, o encadeamento


dos processos em
a) 5 estágios: busca de instruções, decodificação, execução, acesso à memória e
gravação em registradores.
b) 5 estágios: acesso à memória, busca de instruções, decodificação, gravação em
registradores e execução.
c) 4 estágios: acesso à memória, busca de instruções, decodificação e execução.
d) 3 estágios: acesso à memória, busca de instruções e execução.
e) 3 estágios: busca de instruções, execução e acesso à memória.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 23 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q11) FCC – TJ/PE (2012): Analista Judiciário

É um item que NÃO integra um pipeline de cinco estágios:

a) Execução de instrução.
b) Decodificação de instrução.
c) Gravação.
d) Busca de operando.
e) Divisão do clock.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 24 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q12) VUNESP – EMPLASA (2014): Engenharia de Computação

Existem diversas etapas que podem ser consideradas durante a execução de uma
instrução de máquina em um processador: busca do código de operação, decodificação
da instrução, busca de operando, execução da instrução e armazenamento do resultado.
Em uma arquitetura que implementa o conceito de pipeline, essas etapas, na execução
das instruções de um programa.
a) podem ser executadas em paralelo pelo processador.
b) podem implicar um maior espaço para o armazenamento dos programas na memória
primária
c) são executadas de forma virtual, em memória primária.
d) são executadas exclusivamente pelo processador numérico.
e) são executadas somente pelo processador gráfico
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 25 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q13) CEFET – CEFET/MG (2014): Informática


Associe os termos relativos a CPU às suas respectivas funções.
1 - Clock 2 - Pipeline 3 - Interrupção 4 - Memória Cache 5 - Múltiplos Núcleos
( ) gera para a CPU a sua frequência de trabalho.
( ) solicita à CPU atenção para requisição de uma rotina ou periférico.
( ) permite que o microprocessador seja capaz de executar mais de uma tarefa por vez,
aumentando sua velocidade global.
( ) acelera o processamento, armazenando o conteúdo de dados utilizados com mais frequência
pelo microprocessador.
( ) possibilita a execução em partes das instruções no mesmo instante, proporcionando múltiplos
segmentos de instruções diferentes sendo processadas.

A sequência correta encontrada é


a) 1, 3, 5, 4, 2.
b) 1, 2, 4, 3, 5.
c) 2, 5, 3, 1, 4.
d) 2, 3, 4, 1, 5.
e) 3, 1, 5, 2, 4.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 26 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q14) CESPE – ANAC (2009): Técnico de Informática

A respeito das características dos processadores disponíveis no mercado, julgue


os itens que se seguem.

O princípio básico da tecnologia superescalar está relacionado à capacidade de aceitar


diversos tipos de dispositivos de conexão.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 27 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
2) Paralelismo em nível de processador:

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 28 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
2) Paralelismo em nível de processador: UMA
Acesso Uniforme à Memória (Uniform Memory Access – UMA): os múltiplos
processadores são ligados por meio de um barramento ou arranjo de comutação à
uma memória “global centralizada”. Ou seja, há um espaço de endereçamento único
para todos os processadores.
Troca de dados entre processadores se faz via variáveis compartilhadas na memória.
Logo, cada CPU possui “acesso uniforme” à memória (mesma distância entre as CPUs e
memória).
Tempo de acesso a memória é o
mesmo entre as CPUs (para qualquer
posição da memória).

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 29 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
2) Paralelismo em nível de processador: UMA
A rede de interconexão é implementada por: Barramento, Rede Crossbar ou Rede
MultiEstágio (Ômega).

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 30 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
2) Paralelismo em nível de processador: NUMA
Acesso Não-Uniforme à Memória (Non-Uniform Memory Access – NUMA): os múltiplos
processadores são ligados por meio de um barramento ou arranjo de comutação à
memórias “compartilhadas e distribuídas”.
Um conjunto de processadores é organizado
em uma estrutura conhecida por nó. Logo, o
acesso a uma posição de memória localizada
no mesmo nó (local) é mais rápido do que o
acesso a uma posição de memória remota.
Troca de dados entre processadores se faz
via variáveis compartilhadas nas memórias
distribuídas. Melhora o desempenho quando
as CPUs possuem níveis de cache.
CC-NUMA (cache e coerência) e NC-NUMA (sem cache).

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 31 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
2) Paralelismo em nível de processador: Cluster
Grupo de computadores completos/autônomos (usualmente chamados de nós),
interconectados por meio de uma rede de computadores que podem trabalhar juntos,
como um recurso de computação unificado, criando a ilusão de uma máquina única.
Cada nó possui sua memória privada e não há compartilhamento de memória entre os
nós. A comunicação entre CPUs se dá por meio de troca de mensagens.
Possui como vantagens a capacidade de atingir:
- escalabilidade;
- disponibilidade;
- melhor relação custo/desempenho.
São implementados como:
- Cluster de Alto Desempenho;
- Cluster de Balanceamento de Carga (Load Balancing – LB);
- Cluster de Alta Disponibilidade (High Availability – HA);
- Cluster de Recuperação em Caso de Falhas/Desastres (Failover/Disaster Recovery).
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 32 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q15) CESGRANRIO – BNDES (2010): Analista de Sistemas

A arquitetura de processadores UMA (Uniform Memory Access), que utiliza um


único barramento para comunicação entre os processadores e a memória RAM,
tem como principal limitador o(a)

a) endereçamento de, no máximo, 2GB de RAM.


b) aumento de tráfego no barramento, aumentando muito a dissipação de calor.
c) sobrecarga no barramento que limita o número de CPUs, em função de o barramento
de comunicação ser compartilhado.
d) impossibilidade de utilizar cache nessa arquitetura.
e) existência de um limite no tamanho dos blocos de cache de 16 bytes

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 33 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q16) CESGRANRIO – Petrobrás (2012): Analista de Sistemas

Um cluster tolerante à falha assegura que todos os recursos de um sistema estão


sempre disponíveis.

A função de trocar aplicações e recursos de armazenamento de dados de um sistema


que falhou para um sistema alternativo do cluster é denominada

a) autorestore
b) autorecover
c) failoff
d) failback
e) failover

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 34 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q17) CESPE – SERPRO (2013): Analista de Suporte

A utilização de clusters de servidores proporciona serviços com alta disponibilidade e


balanceamento de carga, porém, implica em perda significativa de desempenho do
sistema.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 35 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q18) FUNRIO – MPOG (2013): Analista de TI


Sobre Alta Disponibilidade e Balanceamento de Carga, analise as assertivas e assinale a
alternativa que aponta a(s) correta(s).
I. Alta Disponibilidade é a garantia de que o sistema estará sempre à disposição quando o
cliente o requisitar;
II. Os termos Tolerância a falhas e Alta Disponibilidade podem ser empregados como
sinônimos;
III. Balanceamento de Carga é um software usado para escalar uma tarefa entre dois
processadores;
IV. Em Sistemas com Missão Crítica, é desejável implantar Alta Disponibilidade com
Balanceamento de Carga.
a) Apenas III.
b) Apenas I, II e IV.
c) Apenas I, III e IV.
d) Apenas II e IV.
e) Apenas I e IV.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 36 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q19) CESPE – TJ/SE (2014): Analista Judiciário

Com relação à virtualização, consolidação de servidores e clusters de alta


disponibilidade, julgue os itens que se seguem.

Ao se implantar um cluster de alta disponibilidade, independentemente da solução


utilizada, estarão automaticamente garantidas as funcionalidades de balanceamento de
carga e de computação paralela.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 37 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q20) UFBA – CEPS (2011): Analista de TI

Assinale o tipo de cluster utilizado quando se deseja que as tarefas realizadas nos
clusters sejam distribuídas de maneira uniforme.

a) Cluster de integração
b) Cluster de alta rotatividade
c) Cluster fortemente acoplado
d) Cluster de alta disponibilidade
e) Cluster de balanceamento de carga

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 38 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores
3) Arquitetura RISC (Reduced Instruction Set Computer)
- Arquitetura onde o processador apresenta um conjunto reduzido instruções. As
instruções são simples e possuem formato regular (utiliza modo de endereçamento
simples).
- O objetivo é que as instruções sejam executadas em um único ciclo de clock.
- Utilizam quantidade excessiva de registradores (uso predominante de operações
registrador para registrador, minimizando o uso da memória). Quando necessita usar a
memória são utilizadas instruções LOAD e STORE.
- Uso intenso do pipeline.
- Como as instruções são simples são executadas diretamente pelo hardware (não utiliza
a microprogramação). Instruções de fácil decodificação.
- Complexidade foi transferida para o compilador.
-Prof.
São mais rápidos (instruções mais simples) e hardware
Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 39
mais simples. www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores
3) Arquitetura CISC (Complex Instruction Set Computer)
- Arquitetura onde o processador apresenta um conjunto grande de instruções. As
instruções são complexas e possuem formato irregular (utiliza diversos modo de
endereçamento).
- As instruções são executadas na maioria das vezes em vários ciclos de clock.
- Utilizam quantidade reduzida de registradores (uso predominante de operações
registrador para memória utilizando quaisquer instruções).
- Uso reduzido ou não utilização do pipeline.
- Como as instruções mais complexas precisam da microprogramação. Instruções de
decodificação complexa.
- Complexidade está no compilador e no microcódigo (maior complexidade).
- São mais lentos (instruções mais complexas) e hardware mais complexo.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 40 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores
Q21) FUNIVERSA – CEB (2010): Analista de Sistemas

RISC e CISC são dois tipos distintos de arquitetura de computadores desenvolvidos pela indústria
da computação. Apesar de terem aplicações distintas, os computadores com arquitetura RISC
apresentam desempenho superior aos de arquitetura CISC, quando utilizam tecnologia equivalente
de semicondutores e mesma frequência de clock. É correto afirmar, a respeito das arquiteturas
CISC e RISC, que
a) os computadores de arquitetura CISC são mais lentos por executarem instruções menos
complexas que os computadores de arquitetura RISC.
b) o hardware de um processador com arquitetura RISC é muito mais complexo e de fabricação
mais cara que o de um processador que utiliza arquitetura CISC.
c) as instruções executadas por um processador CISC são mais simples e pequenas, se
comparadas com o RISC, o que aumenta o seu desempenho.
d) a conversão de códigos de programas de uma arquitetura CISC para a arquitetura RISC leva a
uma redução de código, por conta de esta última utilizar instruções mais simples.
e) computadores CISC são capazes de executar várias centenas de instruções complexas
diferentes enquanto os RISC executam apenas algumas poucas instruções simples.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 41 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores
Q22) FCC – TCM/PA (2010): Técnico de Informática

Sobre as arquiteturas de computadores CISC e RISC, considere:


I. Os processadores CISC (ou "computadores com um conjunto reduzido de instruções") são
capazes de executar apenas algumas poucas instruções simples e, por isso, custam muito mais
baratos.
II. Os processadores RISC (ou "computadores com um conjunto complexo de instruções") são
capazes de executar várias centenas de instruções complexas diferentes, sendo extremamente
versáteis.
III. Os processadores atuais, que são na verdade uma mistura das duas arquiteturas, incorporam
um núcleo RISC, sendo chamados de híbridos.
Está correto o que consta em
a) III, apenas.
b) II, apenas.
c) I, II e III.
d) I e II, apenas.
e) I, apenas.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 42 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q23) CESPE – Correios (2011): Engenheiro Elétrico

Acerca de arquitetura e hardware de computadores, julgue os itens a seguir.

As instruções CISC são mais simples que as instruções RISC, por isso, os compiladores
para máquinas CISC são mais complexos, visto que precisam compensar a simplificação
presente nas instruções. Entretanto, se for usado pipeline, a complexidade do compilador
CISC é reduzida, pois a arquitetura pipeline evita a necessidade de reordenação
inteligente de instruções.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 43 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q24) CESPE – DETRAN (2010): Analista de Sistemas

Acerca de conceitos básicos de informática, julgue os itens a seguir, relativos a


processamentos de dados, arquitetura de computadores, hardware e software.

A principal distinção entre as arquiteturas RISC e CISC reside no fato de que, na


arquitetura RISC, as instruções são guardadas no próprio processador, o que facilita a
programação, visto que ela já dispõe de todas as instruções necessárias para a
execução dos programas, enquanto, na arquitetura CISC, apenas as instruções simples
devem ser combinadas pelo programador para a realização de tarefas mais complexas.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 44 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q25) FCC – TRT/MS (2011): Analista Judiciário


Considere:
I. O objetivo da máquina RISC é executar, em média, uma instrução por ciclo.
II. Compiladores para máquinas CISC fazem uso intenso de registradores, o que
incrementa o tráfego de memória.
III. As máquinas CISC possuem substancialmente mais registradores do que as
máquinas RISC.
É correto o que consta em
a) I, apenas.
b) II, apenas.
c) III, apenas.
d) II e III, apenas.
e) I, II e III.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 45 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q26) CESPE – SERPRO (2013): Analista de TI

No que concerne a RISC e CISC, julgue os itens a seguir.

A arquitetura RISC possui um conjunto de instruções menor que o CISC; em


consequência disso, o sistema que utiliza a arquitetura RISC produz resultados com
menor desempenho que um sistema que utilize CISC.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 46 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q27) CESPE – TJ/SE (2014): Analista Judiciário

Acerca das arquiteturas de hardware de servidores RISC, CISC e Mainframe, julgue


os itens a seguir.

A abordagem da arquitetura CISC (complex instruction set computer) procura minimizar o


número de ciclos para que uma instrução seja executada, e aumenta, em contrapartida,
o número de instruções por programa.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 47 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q28) FCC – TRE/AM (2010): Analista Judiciário

Numa máquina estruturada multinível, é o nível essencial para as máquinas CISC


(Complex Instruction Set Computer), mas que inexiste nas máquinas RISC (Reduced
Instruction Set Computer). Trata-se do nível

a) do sistema operacional.
b) de lógica digital.
c) de microprogramação.
d) convencional de máquina.
e) do montador.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 48 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q29) FCC – TJ/PA (2009): Analista Judiciário

Comparativamente com CISC, são características da arquitetura de computadores RISC


ocupar

a) menos espaço na memória e exigir programação mais fácil.


b) menos espaço na memória e exigir programação mais difícil.
c) mais espaço na memória e exigir programação mais difícil.
d) mais espaço na memória e exigir programação mais fácil.
e) menos espaço na memória e não influir no tipo de programação.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 49 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q30) CESPE – TRE/ES (2011): Analista de Sistemas

A respeito de arquitetura de computadores, julgue os itens a seguir.

RISC e CISC são tecnologias que apresentam soluções semelhantes para problemas de
aproveitamento da memória, um dos recursos de hardware mais escassos.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 50 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q31) FCC – TRT/RJ (2011): Analista Judiciário


Em relação às arquiteturas CISC e RISC, é INCORRETO afirmar:
a) Em RISC, a execução dos comandos é mais rápida e isso tem um preço, pois um
processador RISC exige um conjunto de circuitos mais complexos e um número maior de
transistores.
b) Muitas máquinas RISC não possuem instruções para multiplicação ou divisão e, por
isso, uma operação de multiplicação, por exemplo, é executada por meio de sucessivas
somatórias e deslocamentos.
c) CISC possui instruções complexas, o que contrasta com a simplicidade das instruções
RISC.
d) Na CISC, qualquer instrução pode referenciar a memória; na RISC, a referência é
restrita a Load e Store.
e) Processadores híbridos são essencialmente processadores CISC (para cuidar das
instruções mais complexas) com núcleo RISC (para cuidar das instruções mais simples).
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 51 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q32) CESPE – Correios (2011): Analista de Sistemas

A respeito de organização e arquitetura de computadores, julgue os itens


subsecutivos.

Um processador com arquitetura RISC (reduced instruction set computer) possui poucas
instruções de máquina, que são executadas diretamente pelo hardware, para que
ocorram em alta velocidade. Os processadores CISC (complex instruction set computers)
possuem instruções complexas que são executadas por microprogramas

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 52 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q33) FCC – TCE/GO (2009): Tecnologia da Informação


Em relação às arquiteturas de computadores RISC e CISC, considere:
I. Muitos registros de uso genérico.
II. Instruções de tamanho variável.
III. Modos de endereçamento complexos permitem que muitos endereços possam ser
calculados pelo hardware.
IV. Operações complexas conseguidas à custa de operações simples.
As características contidas em I, II, III e IV referem- se, correta e respectivamente, a
a) CISC, CISC, RISC e RISC.
b) CISC, RISC, CISC e RISC.
c) RISC, CISC, CISC e RISC.
d) RISC, RISC, CISC e CISC.
e) RISC, CISC, RISC e CISC.
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 53 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q34) CESPE – Correios (2011): Analista de Sistemas

Acerca de arquitetura e hardware de computadores, julgue os itens a seguir.

A técnica denominada pipeline é mais facilmente implementada nas arquiteturas CISC,


em razão de essas terem, em comparação com as arquiteturas RISC, instruções com
estrutura mais homogênea. Essa técnica não permite que instruções diferentes sejam
executadas simultaneamente.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 54 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q35) FUNCAB – DETRAN (2013): Analista de Sistemas

Das opções a seguir, assinale aquela que NÃO é uma característica do processador
CISC quando comparado ao processador RISC.

a) Utiliza instruções mais complexas.


b) Possui um conjunto de instruções maiores.
c) Permite a criação de programas menores.
d) É mais rápido.
e) Faz uso mais eficiente da memória.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 55 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q36) CIAAR – CIAAR (2013): Engenharia da Computação

RISC, ou seja, Reduced Instruction Set Computer (computador com um conjunto de


instruções reduzido) foi o termo cunhado em 1980 por um grupo, em Berkeley, liderado
por David Patterson e Carlo Séquin. São características da Arquitetura RISC, exceto:

a) arquitetura pipelining.
b) instruções com formato fixo.
c) instruções executadas pelo hardware.
d) arquitetura com poucos registradores.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 56 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q37) ESAF – CGU (2012): Infraestrutura de TI

O código executável de um processador CISC

a) é interpretado por microprogramas durante sua compilação, gerando microinstruções,


que são interpretadas pelo hardware.
b) é armazenado durante sua interpretação, gerando comandos na linguagem fonte, que
são executados pelo hardware.
c) é interpretado por microprogramas anteriormente à sua execução, gerando instruções
compiláveis, que são executadas pelo software de execução.
d) é interpretado por microprogramas durante sua execução, gerando microinstruções,
que são executadas pelo hardware.
e) gera microprogramas após sua execução, decorrentes de peculiaridades operacionais
do hardware
Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 57 www.dominandoti.com.br
Organização e Arquitetura de Computadores

Q38) ESAF – MI (2012): Analista de Sistemas

Em uma arquitetura CISC,

a) as instruções utilizam poucos ciclos de máquina.


b) há muitos registradores.
c) há uso integral da técnica de pipelining.
d) as instruções são executadas por microcódigo.
e) as instruções possuem formato fixo.

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 58 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q39) CESPE – MS (2013): Analista Administrativo

No que se refere à arquitetura de computadores, julgue os itens a seguir.

A arquitetura CISC permite utilizar dois operandos em uma única instrução.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 59 www.dominandoti.com.br


Organização e Arquitetura de Computadores

Q40) CESPE – ANTAQ (2014): Analista Administrativo

Acerca da arquitetura de servidores, julgue o item seguinte.

Atualmente, os fabricantes de computadores têm adotado exclusivamente a arquitetura


RISC para o desenvolvimento de chips para processadores, dado o melhor desempenho
dessa arquitetura em relação à arquitetura CISC.

Certo

Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 60 www.dominandoti.com.br


Gabarito

01 C 21 E
02 Errado 22 A
03 Certo 23 Errado
04 Errado 24 Errado
05 D 25 A
06 Errado 26 Errado
07 Certo 27 Errado
08 A 28 C
09 A 29 C
10 A 30 Errado
11 E 31 A
12 A 32 Certo
13 A 33 C
14 Errado 34 Errado
15 C 35 D
16 E 36 D
17 Errado 37 D
18 E 38 D
19 Errado 39 Certo
20 E 40 Errado

Prof. Rômulo Santos – romulodba@gmail.com 61 www.dominandoti.com.br