Você está na página 1de 8

Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

Curso: Farmácia e Bioquímica – Turma ??? – Unidade ??? –Período ???


Profª Glaucia G. M. Argachoff
Disciplina: Controle de Qualidade Industrial
Integrantes do Grupo RA’s

PARACETAMOL
Paracetamolum (Acetaminofeno)

C8H9NO2; [151,16] paracetamol; 06827N-(4-Hidroxifenil)acetamida[103-90-2]

Teste Procedimento Especificação


DESCRIÇÃO Identificação visual comparativa ao padrão Pó cristalino branco, inodoro, com leve sabor amargo
(Referência da Farmacopeico
Farmacopeia Teste de solubilidade (diluir a amostra em Ligeiramente solúvel em água, solúvel em água
Brasileira 5ª Ed.) solvente especifico (de acordo com a tabela fervente e NaOH 1M, facilmente solúvel em etanol,
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

padrão de solubilidade) e determinar sua praticamente insolúvel em clorofórmio e éter etílico.


classificação Faixa de fusão entre 168 °C e 172 °C.
Determinação de faixa de fusão, aquecimento da
amostra com temperatura controlada até sua
fusão.
A. A) Espectro de absorção no infravermelho da Mesmas intensidades relativas daqueles observados
IDENTIFICAÇÃO amostra previamente dessecada, dispersa em no espectro de paracetamol SQR,.
brometo de potássio.
(Referência da B)Espectro de absorção no UV , na faixa de 200 Exibemáximos e mínimos somente nos mesmos
Farmacopeia nm a 400 nm, de solução da amostra a 0,0005% comprimentos de onda de solução similar de
Brasileira 5ª Ed.) (p/v)em mistura de ácido clorídrico 0,1 M e paracetamol SQR
metanol (1:100),
C)A 10 mL de uma solução a 1% (p/v) da Desenvolve-se coloração azul-violácea
amostra, adicionar 1 gota de cloreto férrico SR.
MEDIÇÃO DE pHmetro ou fita reagente em solução saturada pH na faixa de 5,3 e 6,5
pH (FB 5ª Ed.)
PUREZA
(Referência da Aminofenol livre, solução padrão com reação Coloração azul menos intensa que solução padrão
Farmacopeia colorimétrica (1)
Brasileira 5ª Ed.) Cloroacetanilida, método de Máximo de Cloroacetanilida
Cromatografia em camada delgada (2) 0,001%
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

Presença de Cloretos (3) Máximo 0,014% (140ppm

Presença de Sulfatos (4) Máximo 0,02% (200ppm)

Presença de Sulfetos (5): Aquecimento de papel Papel com acetato de chumbo sem nenhuma mancha
de filtro em chapa elétrica ou coloração

Presença de Metais pesados (6) Máximo 0,002% (20ppm)

Água (método volumétrico direto / de retorno) (7) Máximo 0,5%


Presença de Cinzas sulfatadas (8) Máximo 0,1%
DOSEAMENTO Espectrofotometria de absorção no Ultravioleta (9) 98,0% e, no máximo, 101,0% em relação a forma anidra,
(FB 5ª Ed.)

➢ REAÇÕES DOS PROCEDIMENTOSESPECIFICADOS

1) Aminofenol livre. Dissolver 0,5 g da amostra numamistura de metanol e água (1:1) e completar o volume para 10 mL com a

mesma mistura de solventes. Preparar 10 mL de solução padrão a partir de 0,5 g de paracetamol SQR, isento de 4-aminofenol, e

0,5 mL de solução de4-aminofenol a 0,005% (p/v), na mesma mistura de solventes. Adicionar, simultaneamente, à solução

amostra e à solução padrão, 0,2 mL de solução de carbonato de sódio anidro a 1% (p/v), recentemente preparada. Homogeneizar
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

e deixar em repouso durante 30 minutos. A coloração azul desenvolvida na solução amostra não é mais intensa que a solução

padrão.

2) Cloroacetanilida. Cromatografia em camada delgada. Preparar a fase estacionária dissolvendo 8 mg de acetato de sódio em 50

mL de água, adicionando, em seguida, 20 g de sílica-gel. Preparar placas com 0,5 mm de espessura. Utilizar como fase móvel

mistura de clorofórmio, benzeno e acetona. Aplicar, separadamente, à placa, 100 μL da Solução (1) e 20 μL da Solução (2),

descritas a seguir.

Solução (1): transferir 1 g da amostra para um tubo de centrífuga de 15 mL com tampa, adicionar 5mL de éter etílico, agitar

mecanicamente, por 30 minutos, e centrifugar a 1000 rpm, por 15 minutos ou até obter separação nítida.

Solução (2): solução de p-cloroacetanilida a 10 μg/mL em etanol. Desenvolver o cromatograma em sistema aberto até a fase

móvel atingir, pelo menos, 12 cm da origem. Remover a placa, deixar secar ao ar e manter, por 30 minutos, sob luz ultravioleta

(254 nm) a uma distância de 4 cm. Localizar as manchas sob luz ultravioleta de 365 nm. Qualquer mancha fluorescente azul

produzida pela Solução (1), com Rf entre 0,5 e 0,6, não é maior ou mais intensa que aquela produzida pela Solução (2). No

máximo 0,001%.

3) Cloretos . Agitar 1 g da amostra com 25 mL de água, filtrar e adicionar 1mL de ácido nítrico 2 M. No máximo 0,014% (140 ppm).

4) Sulfatos. Agitar 1 g da amostra com 25 mL de água, filtrar quantitativamente para tubo de Nessler. No máximo 0,02% (200 ppm).
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

5) Sulfetos. Pesar cerca de 2,5 g da amostra em béquer de 50 mL. Adicionar 5mL de etanol e 1 mL de ácido clorídrico M.

Umedecer, com água, um papel de filtro impregnado com acetato de chumbo e colocar sobre vidro de relógio. Cobrir o béquer

com o vidro de relógio de tal forma que uma das pontas do papel fi que na abertura do frasco. Aquecer em chapa elétrica até

ebulição. Nenhuma mancha ou coloração aparece no papel com acetato de chumbo.

6) Metais pesados. Dissolver 1 g da amostra em mistura de acetona e água (85:15) e diluir para 20 mL com a mesma mistura de

solventes. Transferir 12 mL da solução obtida para tubo de Nessler e proceder conforme descrito no Método III. No máximo

0,002% (20 ppm).

7) Determinação de teor de Água. Determinação de teor de água por volumetria direta ou de retorno (indireta). Na solução

volumétrica, original (Reagente de Karl Fischer, Transferir 35 a 40 mL de metanol, ou outro solvente apropriado, para o recipiente

de titulação e titular com o reagente padronizado até viragem visual com o intuito de eliminar toda a umidade que possa estar

presente (desconsiderar o volume consumido, pois ele não entra nos cálculos). Rapidamente, adicionar ao recipiente de titulação

quantidade, exatamente pesada da amostra, que contenha 10 a 250 mg de água, misturar e titular até viragem visual. Calcular o

teor de água da amostra, em mg, pela equação Teor de água (mg) = v × T em que v = volume, em mL, de reagente consumido; T

= título do reagente.No máximo 0,5%.

8) Cinzas sulfatadas . No máximo 0,1%.Pesar exatamente de 1 a 2 g do paracetamol pulverizado, transferir para cadinho
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

previamente calcinado, esfriado em dessecador e tarado,e adicionar cerca de 1 mL de ácido sulfúrico. Aquecer brandamente até

carbonização em temperatura não superior a 600 °C ± 50 °C. Esfriar e adicionar lentamente cerca de 1 mL de ácido sulfúrico para

umedecer o resíduo,carbonizar e incinerar com aquecimento gradativo até 600°C ± 50 °C. Esfriar, pesar novamente e incinerar por

mais30 minutos. Repita este procedimento até que a diferença entre duas pesagens sucessivas não seja maior que 0,5

mg. Um equipamento calibrado, por exemplo mufla, deve ser utilizado para o controle da temperatura. Calcular a porcentagem de

cinzas sulfatadas em relação à substância sob ensaio, utilizando o seguinte cálculo: Cinzas Sulfatadas (%) = P² -P ¹ / P³ X 100

em que:P1 = Peso do cadinho após a calcinação e esfriamento (tarado cadinho);

P2 = Peso do cadinho com amostra após a calcinação e esfriamento em dessecador;

P3 = Peso da amostra inicial 100 - Fator de porcentagem.

9) Espectrofotometria de absorção no Ultravioleta. Pesar, exatamente, cerca de 0,15 g de amostra, dissolver em 50 mL de

hidróxido de sódio 0,1 M, adicionar 100 mL de água, agitar mecanicamente por 15 minutos e adicionar água sufi ciente para 200

mL. Homogeneizar e filtrar. Diluir 10 mL do filtrado para 100 mL com água. Transferir 10 mL da solução resultante para balão

volumétrico de 100 mL, adicionar 10 mL de hidróxido de sódio 0,1 M e completar o volume com água. Preparar a solução padrão
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

na mesma concentração, utilizando hidróxido de sódio 0,01 M comosolvente. Medir as absorvâncias das soluções resultantes em

257 nm, utilizando NaOH 0,01 M para ajuste do zero.

10) Cromatografia em camada delgada – CCD

Solução A: acetato de amônio 25mm em água, ajusta-se com acido acético glacial até pH 5,5

Solução B: metanol

Fase Móvel:

Tempo Solução A Solução B

(min)
% %

0 88 12

8 88 12

55 45 55

60 45 55

61 88 12
Modelo para elaboração da Ficha Técnica CQ

65 88 12

Solução padrão de paracetamol: dissolver porções padrões de paracetamol CRM USP, USP-4aminofenol, paracetamol impureza F

USP, e USP paracetamol impureza J,em metanol. Sonicar, e dilui-se com água para se obter uma solução a 10mcg/ml de cada

em metanol e água

Solução da amostra: dissolve-se uma porção de acetaminofeno em metanol sonicado, e dilui-se com água para se obter uma

solução a 1,0 mg/ml em metanol e água.

REFERÊNCIAS BIBILOGRÁFICAS:

Brasil. Farmacopeia Brasileira 5ª ed, volume 1 e 2/ Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Brasília: Anvisa, 2010.546p., 1v/il.

Você também pode gostar