Você está na página 1de 2

RIBAS, Beatriz – Infografia Multimídia

TEIXEIRA, Tattiana – A presença do infográfico no jornalismo brasileiro


Palacios, Marcos

Tema 7 - Recursos para a visualização da informação. O infográfico.


São muitos os recursos visuais utilizadas no jornalismo, como fotos, tabelas e gráficos.
TEIXEIRA, Tattiana (2007)
O infográfico é um dos mais criativos recursos para a visualização de informações
utilizado no jornalismo, principalmente em revistas, jornais e reportagens online. Para
alguns pesquisadores, como Tattiana Teixeira, o infográfico evoluiu nas últimas
décadas a ponto de poder ser considerado um gênero jornalístico informativo. Outros
autores defendem que o infográfico é apenas mais um recurso visual utilizado pelo
jornalismo.
O infográfico é um recurso que alia imagem e texto para passar alguma informação e
pode estar presente em diversas formas de publicação, como os livros didáticos.
No caso do jornalismo brasileiro, o infográfico passou a ser utilizado sistematicamente
a partir da década de 1990. A Editora Abril foi uma das primeiras a utilizar o
infográfico, principalmente nas revistas Superinteressante e Saúde.
O infográfico deve conter os seguintes elementos: título, texto de entrada (uma
espécie de lide com informações gerais), indicação das fontes e assinatura. Boa parte
das redações que tradicionalmente utilizam esse recurso adotam esse formato.
Um bom infográfico costuma agregar recursos visuais diversos, como fotografias,
mapas, tabelas, ilustrações e diagramas.
No entanto, mais do que um simples mapa ou tabela, o infográfico pressupõe a inter-
relação entre texto e imagem que deve ser mais do que uma ilustração de valor
exclusivamente estético.
O infográfico deve ser capaz de passar uma informação de sentido completo
favorecendo a compreensão de algo e, neste sentido, nem imagem, nem texto deve se
sobressair a ponto de tornar um ou outro indispensável.
Tornou-se um recurso adotado pela maioria dos jornais e a base do Infojornalismo,
conceito adotado por José Manuel De Pablos desde 1992.
Para Clapers (1998), sendo o conteúdo de um infográfico a síntese coerente de uma
notícia, qualquer tema jornalístico pode ser infografado. O bom infográfico é aquele
que produz sentido independentemente da matéria, não é redundante quando
acompanha um texto, buscando sempre outra perspectiva, ajuda o leitor a entender o
conteúdo da notícia, permite fácil leitura e uma visão global do assunto.
Por conta de suas características, o infográfico é muito usado no jornalismo científico.
Texto de Beatriz Ribas
Para RIBAS, Beatriz (2004) A infografia tem a função de facilitar a comunicação,
ampliar o potencial de compreensão pelos leitores, permitir uma visão geral dos
acontecimentos e detalhar informações menos familiares ao público. Percebe-se que
os grandes acontecimentos, como guerras, catástrofes e descobertas da ciência, têm
merecido um tratamento infográfico maior nos meios de comunicação.
Julio Alonso (1998) considera o infográfico perfeito aquele que contém todos os
elementos de uma notícia, e por isso, passível de ser a própria notícia, sem a
necessidade de um texto paralelo.
A infografia da qual tratamos neste artigo, optando pela adjetivação ‘multimídia’,
possui outras denominações em diferentes trabalhos encontrados no campo, tais
quais: infografia interativa (Cairo, 2003; Chimeno, 2003), infografia digital (Valero
Sancho, 2003), infografia animada (Outing, 2004), ou uma mistura desses adjetivos,
todas referindo-se ao mesmo objeto.
Assinalamos que a infografia multimídia pode aproveitar-se das 6 características do
meio (Palacios, 2002, 2003), quais sejam: multimidialidade/convergência,
interatividade, hipertextualidade, customização do conteúdo/personalização,
memória, instantaneidade/atualização contínua