Você está na página 1de 53
DISCIPLINA: ELETRÔNICA BÁSICA E PROJETOS ELETRÔNICOS PROFESSOR: CLÓVIS ANTÔNIO PETRY MÓDULO 01 – TURMA 132

DISCIPLINA: ELETRÔNICA BÁSICA E PROJETOS ELETRÔNICOS PROFESSOR: CLÓVIS ANTÔNIO PETRY MÓDULO 01 – TURMA 132

FONTE LINEAR PROJETO E MONTAGEM

ALUNOS:

DANILO FELICIO JR. ALTIERES SCOTTI

FLORIANÓPOLIS, JULHO DE 2007.

SUMÁRIO

INTRODUÇÃO

03

1.

FONTE LINEAR

04

1.1 ESCOLHA DO PROJETO

04

1.2 PROJETO E SIMULAÇÃO DA FONTE

05

1.2.1 PROJETO

05

1.2.2 FUNCIONAMENTO DA FONTE

07

1.2.3 SIMULAÇÃO

08

2.

MONTAGEM DA FONTE

15

2.1 COMPONENTES E MATERIAIS UTILIZADOS

15

2.2 MONTAGEM EM MATRIZ DE CONTATOS

20

2.2.1

TESTES DA FONTE EM MATRIZ DE CONTATOS

22

2.3

MONTAGEM EM PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO (PCI)

26

2.3.1 PROJETO E CONFECÇÃO DA PCI

26

2.3.2 MONTAGEM DA FONTE NA PCI

30

2.3.3 ACONDICIONAMENTO DA FONTE EM GABINETE

32

2.3.4

TESTES FINAIS DA FONTE NA PCI

33

2.4

CONSIDERAÇÕES FINAIS

39

CONCLUSÃO

40

ANEXOS

41

2

INTRODUÇÃO

O objetivo deste documento é mostrar a montagem e o funcionamento de uma fonte

linear com tensão de entrada de 220 V e saídas reguláveis fixas de 5 e 12 V, analisando, através de testes em laboratório, o comportamento teórico e prático da corrente e das tensões de saída, e apresentar os resultados obtidos.

A fonte linear montada é composta por um transformador 220V/15+15V com TAP

central , um circuito retificador de onda completa com dois diodos e TAP central, filtro, regulador de tensão e outro filtro após a regulação, como mostra a Figura 01. Esta fonte apresenta na saída uma corrente de no máximo 1A e sua potência máxima é de 12W.

TRAFO RETIFICADOR FILTRO REGULADOR FILTRO CARGA
TRAFO
RETIFICADOR
FILTRO
REGULADOR
FILTRO
CARGA

Figura 01 – Diagrama esquemático da fonte linear

De uma forma resumida o trafo abaixa a tensão alternada da rede de 220V para 15V, o retificador coloca o semi-ciclo negativo da tensão para o semi-ciclo positivo e o filtro atenua a ondulação (ripple) da tensão retificada. Um transistor atua como regulador série da tensão retificada e filtrada e após a regulação, um outro filtro elimina qualquer ondulação indesejável.

3

1. FONTE LINEAR

1.1 ESCOLHA DO PROJETO

Inicialmente procuramos um projeto de uma fonte linear qualquer e o escolhido foi um projeto de uma edição especial da revista Saber Eletrônica sobre fontes de alimentação. O projeto escolhido pode ser visto na Figura 02.

O projeto escolhido pode ser visto na Figura 02 . Figura 02 – Projeto original da

Figura 02 – Projeto original da fonte linear

S1 – chave liga-desliga da fonte; F1 – Fusível de vidro de proteção; T1 – Transformador 220V / 15+15V 1A; D1 e D2 – diodos 1N4002; C1 – capacitor de 1000µF; C2 – capacitor de 10µF; C3 – capacitor de 100µF; R1 – resistor de 470hms 1/8W; R2 – resistor de 2,2khms 1/8W;

R3 - resistor de 10khms; LED1 – led indicador de funcionamento da fonte; Z1 – diodo zener 12,6V 1W; Q1 – transistor TIP31; P1 – potenciômetro linear 4,7khms; P2 – trimpot 47khms; M1 – Instrumento de bobina móvel de 200µA a

1mA;

J1 e J2 – Bornes vermelho e preto.

A fonte foi originalmente projetada para uma corrente máxima de 1A e tensão de saída variável de 0 a 12V com um instrumento indicador analógico para mostrar a tensão de saída. Após estudarmos o projeto escolhido, decidimos alterar o projeto da fonte para apenas duas tensões fixas de 5V ou 12V na saída, ajustadas por uma chave seletora. Desse modo eliminamos do projeto inicial o potenciômetro (P1), o trimpot (P2) e o instrumento indicador analógico (M1). O diodo zener (Z1) foi substituído por um de 13V porque não achamos no comércio um zener de 12,6V e foi adicionado outro diodo zener de 5,6V. Todos os resistores do circuito original foram redimensionados segundo a nova configuração. Os diodos 1N4002 não foram encontrados no comércio e foram substituídos por diodos 1N4004, mas isso não altera nenhuma característica do circuito, haja vista que a única diferença entre os dois é a maior tolerância do diodo 1N4004 à picos repetitivos de tensão (ver Anexo 01). Foram incluídos ainda, dois leds para indicar a tensão de saída da fonte – 5 ou 12V – conforme a posição da chave seletora. Verificada a viabilidade do projeto e a funcionalidade do mesmo junto ao profº Petry, iniciamos o projeto no simulador.

4

1.2 PROJETO E SIMULAÇÃO DA FONTE

Para alterarmos o projeto original e simularmos a fonte, utilizamos o software para projetos eletrônicos e simulação Proteus ISIS 6.9 SP5.

1.2.1 PROJETO

Transcrevemos o projeto com as alterações para o software, e podemos ver o projeto final da fonte linear na Figura 03:

5

TRAFO
TRAFO

LEGENDA

V1 – tensão alternada da rede – 220V; ON-OFF – chave liga-desliga da fonte; F1 – Fusível de vidro de proteção; TRAFO – Transformador 220V / 15+15V 1A; D1 e D2 – diodos 1N4004; C1 – capacitor de 1000µF; C2 – capacitor de 10µF; C3 – capacitor de 100µF; R1 – resistor de 1khm; R2 – resistor de 120hms; R3 - resistor de 180hms; R4 - resistor de 10khm; R5 – resistor de 1khm; R6 – resistor de 1khm; LED1 – led indicador de funcionamento da fonte; LED2Z1 – led indicador de tensão de saída 12V; LED2Z2 – led indicador de tensão de saída 5V; Z1 – diodo zener 1N4743 13V; Z2 – diodo zener 1N4734 5,6V; H1A/H1B – chave seletora de tensão que também aciona os leds indicadores de tensão da saída; Q1 – transistor TIP31.

Figura 03 – Projeto final da fonte linear

6

1.2.2 FUNCIONAMENTO DA FONTE

O transformador com TAP central abaixa a tensão alternada da rede (V1), fornecida pela concessionária de energia, de 220V para 15+15V também alternada e a chave ON- OFF liga ou desliga o transformador da rede. O fusível F1 protege toda a fonte contra alguma eventual sobre-corrente. A tensão alternada 15+15V é retificada pelos diodos D1 e D2 passando a parcela negativa da onda para o lado positivo. Em seguida a tensão é filtrada pelo capacitor C1 restando então uma tensão contínua de 15V ainda com uma pequena ondulação (ripple). O resistor R1 limita a corrente e abaixa a tensão evitando a queima do LED1, que indica o estado da fonte, ou seja, ligada ou desligada da rede de energia elétrica. O resistor R2 abaixa a tensão para o diodo zener Z1, que irá manter a tensão em 13V e ,do mesmo modo, o resistor R3 abaixa a tensão para o diodo Z2, que irá manter a tensão em 5,6V. A chave de contatos duplos H1A/B irá selecionar a tensão de saída em 5V ou 12V e, ao mesmo tempo, irá acender o LED2Z1 ou o LED2Z2, dependendo do diodo zener selecionado, indicando a tensão de saída da fonte. Os resistores R5 e R6 abaixam a tensão e limitam a corrente para os leds indicadores de tensão. O transistor Q1, cuja tensão da base será fornecida pelo Z1 ou Z2, irá regular a tensão de saída em 5V ou 12V, conforme o zener selecionado pela chave H1, eliminando as ondulações (ripple) que não foram eliminados pelo filtro (C1). O capacitor C2 garante que não haja queda de tensão na base do transistor Q1 durante uma fração de segundo quando a chave seletora H1 for acionada com a fonte ligada e o capacitor C3 funciona como um último filtro mantendo a tensão de saída de acordo com a tensão fornecida pelo transistor Q1. Finalmente, o resistor R4 descarrega o capacitor C3. Essa função se torna importante quando a fonte está com uma tensão de saída de 12V e trocamos, através da chave seletora H1, a tensão da fonte para 5V. Caso não houvesse esse resistor a tensão de saída da fonte iria diminuir lentamente até o patamar de 5V.

7

1.2.3 SIMULAÇÃO

Com o projeto finalizado, simulamos a fonte nas situações sem carga, com meia- carga e com carga completa com as tensões de saída 5V e 12V. Obtivemos assim, para cada tensão nominal de saída da fonte, valores simulados de tensão e corrente fornecidas pela fonte nas três situações anteriormente citadas. Abaixo temos as tabelas com os valores encontrados:

Tabela 01 – Tensão de saída: 5V

TENSÃO (V)

CORRENTE (A)

Nominal

5,00

1,00

Sem carga

5,44

-

Meia-carga

5,14

0,51

Carga completa

4,98

1,00

 

Tabela 02 – Tensão de saída: 12V

TENSÃO (V)

CORRENTE (A)

Nominal

12,00

1,00

Sem carga

12,70

-

Meia-carga

12,30

0,51

Carga completa

11,80

0,98

As quedas de tensão verificadas na simulação, conforme mostram a Tabela 01 e a

Tabela 02, ocorrem em função do aumento da carga e estão dentro do que se considera normal.

Concluídas as simulações e verificado o correto funcionamento da fonte e sua viabilidade, partimos então para a etapa de montagem da fonte.

A seguir

temos

as

figuras

obtidas

8

a

partir

da

simulação

no

software:

Figura 04 – Simulação da font e com saída 5V; fonte sem carga 9

Figura 04 – Simulação da fonte com saída 5V; fonte sem carga

9

Figura 05 - Simulação da fonte com saída 12V; fonte sem carga 10

Figura 05 - Simulação da fonte com saída 12V; fonte sem carga

10

Figura 06 - Simulação da fonte com saída 5V; fonte com meia-carga 11

Figura 06 - Simulação da fonte com saída 5V; fonte com meia-carga

11

Figura 07 - Simulação da fonte co m saída 12V; fonte com meia-carga 12

Figura 07 - Simulação da fonte com saída 12V; fonte com meia-carga

12

Figura 08 - Simulação da fonte com saída 5V; fonte com carga completa 13

Figura 08 - Simulação da fonte com saída 5V; fonte com carga completa

13

Figura 09 - Simulação da fonte com saída 12V; fonte com carga completa 14

Figura 09 - Simulação da fonte com saída 12V; fonte com carga completa

14

2. MONTAGEM DA FONTE

Após a conclusão do projeto e das simulações da fonte no software Proteus ISIS 6.9 SP5, partimos então para a aquisição dos componentes e materiais necessários à execução do projeto.

2.1 COMPONENTES E MATERIAIS UTILIZADOS

Na Tabela 03 temos a relação de componentes e materiais utilizados na montagem da fonte, juntamente com as respectivas quantidades e os preços encontrados no mercado:

Tabela 03 – Lista de componentes

 

QUANTITADE

(un.)

PREÇO

PREÇO

COMPONENTE

UNITÁRIO

(R$/un.)

TOTAL

(R$)

Cabo de força

01

2,70

2,70

Chave ON-OFF

01

1,00

1,00

Fusível de vidro

01

0,30

0,30

Porta-fusível

01

0,20

0,20

Barra sindal

01

0,90

0,90

Transformador 220V/15+15V 1A

01

14,90

14,90

Diodo 1N4004 1w

02

0,10

0,20

Diodo Zener 1N4743 13V 1w

01

0,35

0,35

Diodo Zener 1N4734 5,6V 1w

01

0,35

0,35

Resistor 1khm 1w

03

0,15

0,45

Resistor 120hms 1w

01

0,15

0,15

Resistor 180hms 1w

01

0,15

0,15

Resistor 10khms 1w

01

0,15

0,15

LED difuso 5mm

03

0,50

1,50

Capacitor eletrolítico de 10µF

01

0,30

0,30

Capacitor eletrolítico de 100µF

01

0,30

0,30

Capacitor eletrolítico de 1000µF

01

0,60

0,60

Transistor TIP31

01

1,20

1,20

Dissipador de calor

01

-

-

Chave HH

01

3,50

3,50

Bornes

02

0,60

1,20

Gabinete metálico

01

-

-

PREÇO TOTAL

30,40

Inicialmente projetamos um gabinete metálico para esta fonte (ver Anexo 06), mas pela dificuldade em achar alguma empresa que confeccionasse o gabinete e por não encontrarmos no mercado um gabinete de dimensões adequadas ao projeto, reutilizamos um gabinete de fonte para computador para acondicionar o projeto. O dissipador de calor colocado no transistor TIP31 também foi reutilizado de uma fonte para computador. Segue abaixo uma seqüência de fotos dos componentes e materiais que compõe a fonte linear:

15

Foto 01 - Cabo de força Foto 02 - Transformador – 220V/15+15V 1A F o

Foto 01 - Cabo de força

Foto 01 - Cabo de força Foto 02 - Transformador – 220V/15+15V 1A F o t

Foto 02 - Transformador – 220V/15+15V 1A

- Cabo de força Foto 02 - Transformador – 220V/15+15V 1A F o t o 0

Foto 03 - Chave ON-OFF

Foto 04 – Fusível e porta-fusível

16

Foto 05 - Diodo 1N4004 Foto 06 – Resistor de 10k Ω hms/1w Foto 07

Foto 05 - Diodo 1N4004

Foto 05 - Diodo 1N4004 Foto 06 – Resistor de 10k Ω hms/1w Foto 07 –

Foto 06 – Resistor de 10khms/1w

Foto 05 - Diodo 1N4004 Foto 06 – Resistor de 10k Ω hms/1w Foto 07 –

Foto 07 – Resistor de 1khms/1w

de 10k Ω hms/1w Foto 07 – Resistor de 1k Ω hms/1w Foto 08 – Dissipador

Foto 08 – Dissipador de calor

Resistor de 1k Ω hms/1w Foto 08 – Dissipador de calor Foto 09 - Resistor de

Foto 09 - Resistor de 120hms/1w

1k Ω hms/1w Foto 08 – Dissipador de calor Foto 09 - Resistor de 120 Ω

Foto 10 - Resistor de 180hms/1w

17

Foto 11 - Diodo Zener 1N4734 de 5,6V/1w Foto 12 - Diodo Zener 1N4743 de

Foto 11 - Diodo Zener 1N4734 de 5,6V/1w

Foto 11 - Diodo Zener 1N4734 de 5,6V/1w Foto 12 - Diodo Zener 1N4743 de 13V/1w

Foto 12 - Diodo Zener 1N4743 de 13V/1w

1N4734 de 5,6V/1w Foto 12 - Diodo Zener 1N4743 de 13V/1w Foto 13 - LEDs Foto

Foto 13 - LEDs

Foto 12 - Diodo Zener 1N4743 de 13V/1w Foto 13 - LEDs Foto 14 - Capacitor

Foto 14 - Capacitor eletrolítico de 10µF

Foto 13 - LEDs Foto 14 - Capacitor eletrolítico de 10µF Foto 15 - Capacitor eletrolítico

Foto 15 - Capacitor eletrolítico de 100µF

eletrolítico de 10µF Foto 15 - Capacitor eletrolítico de 100µF Foto 16 - Capacitor eletrolítico de

Foto 16 - Capacitor eletrolítico de 1000µF

18

Foto 17 - Transistor TIP31 Foto 18 - Bornes 19 Foto 19 - Chave HH

Foto 17 - Transistor TIP31

Foto 17 - Transistor TIP31 Foto 18 - Bornes 19 Foto 19 - Chave HH

Foto 18 - Bornes

Foto 17 - Transistor TIP31 Foto 18 - Bornes 19 Foto 19 - Chave HH

19

Foto 19 - Chave HH

2.2 MONTAGEM EM MATRIZ DE CONTATOS

Adquiridos os componentes e materiais, montamos a fonte em matriz de contatos para que pudéssemos testá-la em laboratório. Após montada a fonte, conforme o projeto na matriz de contatos, iniciamos os testes utilizando um osciloscópio digital.

20

Foto 20 - Fonte linear montad a em matriz de contatos 21

Foto 20 - Fonte linear montada em matriz de contatos

21

2.2.1 TESTES DA FONTE EM MATRIZ DE CONTATOS

A seguir temos as formas de onda encontradas nos testes em matriz de contatos

com o osciloscópio digital:

A Figura 10 mostra a forma das ondas, as tensões máximas e as tensões eficazes

nas duas saídas do secundário do transformador 220V/15+15V. Cada canal (Ch1 e Ch2) mostra os resultados de uma das saídas do transformador. A tensão neste ponto ainda é

alternada.

do transformador. A tensão neste ponto ainda é alternada. Figura 10 – Forma das ondas no

Figura 10 – Forma das ondas no secundário do trafo

22

Na Figura 11 temos a comparação entre as tensões máxima e eficaz no secundário do transformador (Ch1) e a tensão média retificada e filtrada (Ch2) e suas respectivas formas de onda.

e filtrada (Ch2) e suas respectivas formas de onda. Figura 11 A Figura 12 permite a

Figura 11

A Figura 12 permite a comparação entre a ondulação (ripple) da tensão retificada e filtrada antes da regulação do transistor TIP31 (Ch1), e a ondulação da tensão regulada pelo transistor.

antes da regulação do transistor TI P31 (Ch1), e a ondulação da tensão regulada pelo transistor.

Figura 12

23

A Figura 13 mostra a tensão média logo após a retificação e a filtragem (Ch1) e a

tensão média regulada pelo transistor TIP31, cuja referência (13V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4743.

ncia (13V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4743. Figura 13 A Figura 14 mostra a

Figura 13

A Figura 14 mostra a tensão média logo após a retificação e a filtragem (Ch1) e a

tensão média regulada pelo transistor TIP31, cuja referência (5,6V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4734.

regulada pelo transistor TIP31, cuja referência (5,6V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4734. Figura 14

Figura 14

24

A Figura 15 mostra a curva da tensão em função do tempo no instante em que a fonte é ligada e, em seguida, a curva da tensão em função do tempo no instante em que a fonte é desligada. O canal 1 (Ch1) corresponde à tensão de saída 12V e o canal 2 (Ch2) corresponde à tensão de saída 5V.

O canal 1 (Ch1) corresponde à tensão de saída 12V e o canal 2 (Ch2) corresponde

Figura 15

25

2.3 MONTAGEM EM PLACA DE CIRCUITO IMPRESSO (PCI)

Após a montagem da fonte em matriz de contatos e os testes subseqüentes, partimos para a etapa de projeto e confecção da placa de circuito impresso.

2.3.1 PROJETO E CONFECÇÃO DA PCI

O projeto da placa de circuito impresso foi realizado no software Eagle 4.16R2, que é um software específico para projeto de placas de circuito impresso. Utilizando o Eagle, primeiramente foi desenhado um esquema da fonte (Figura 16) para então, a partir deste esquema, gerar o layout da placa de circuito impresso (Figura 17).

26

Figura 16 - Esquema da fonte para confecção do layout da PCI 27

Figura 16 - Esquema da fonte para confecção do layout da PCI

27

Tendo o desenho esquemático da fonte, o software gera um projeto de layout com todos os componentes desenhados em tamanho real. Nesta etapa apenas organizamos os componentes sobre a placa buscando a melhor disposição dos mesmos e desenhamos as trilhas.

a melhor disposição dos mesmos e desenhamos as trilhas. Figura 17 - Layout da PCI Com

Figura 17 - Layout da PCI

Com o layout da PCI pronto, iniciamos a confecção da placa por um processo artesanal de transferência térmica. Este processo consiste em transferir a tinta da impressão a laser para o cobre da placa protegendo assim a parte do cobre que interessa. Para criar uma placa de circuito impresso usando este método deve-se seguir os passos abaixo:

1. Imprimir o projeto da placa de circuito impresso invertido (espelhado) numa impressora laser em papel comum. A impressão em impressoras com o sistema de jato de tinta não funcionará corretamente;

2. Recortar a placa de fenolite no tamanho desejado;

3. Colocar a folha com o projeto do circuito impresso sobre o cobre na placa de fenolite e fixar a folha de modo a não haver movimento;

4. Molhar o papel com um pouco de álcool e espalhar com o dedo de modo a molhar toda a parte que esta em contato com a placa;

5. Utilizar um ferro de passar roupa ligado pressionando-o e fazendo movimentos sobre o papel e a placa. Com o calor e a pressão do ferro sobre o papel, a tinta da impressão irá aderir ao cobre;

28

6.

Em seguida, a placa, juntamente com o papel sobre a mesma, deve ser colocada sob água fria (corrente ou num recipiente qualquer) de modo a causar um resfriamento rápido;

7. Com o papel totalmente molhado e a placa resfriada, retirar o papel esfregando o mesmo com os dedos sob a água fria. Este passo deve ser feito com cuidado para que a tinta não seja retirada junto com o papel;

8. Após retirado todo o papel, utilizar um caneta com tinta permanente para retroprojetor para preencher espaços vazios que possam haver nas trilhas criadas decorrentes da não transferência da impressão do papel para a placa ou por falhas causadas na retirada do papel. A tinta da caneta irá proteger as falhas da corrosão, que será o próximo passo;

9. Protegidas as trilhas, colocar a placa num recipiente com percloreto de ferro para que seja feita a corrosão química do cobre não protegido. Deve-se utilizar um furador de placas para fazer um pequeno furo, normalmente num dos cantos da placa, para que seja colocado um arame ou fio de modo a permitir a colocação e retirada da placa do ácido sem que haja contato do mesmo com as mãos, ou ainda, pode-se usar uma pinça;

10. Em aproximadamente 01 hora o processo de corrosão deverá estar concluído. Após a corrosão deve-se lavar a placa e utilizar uma esponja de aço para retirar totalmente a tinta que está sobre as trilhas de cobre. O ácido pode ser reutilizado várias vezes, no entanto, quanto mais contaminado o ácido ficar com o cobre, mais tempo levará o processo de corrosão de novas placas.

Concluída a corrosão da placa, utilizamos um furador de placas para fazer os furos de acordo com o projeto da placa de circuito. O resultado pode ser visto na Foto 21.

29

Foto 21 - Placa de circuito impresso 2.3.2 MONTAGEM DA FONTE NA PCI Com a

Foto 21 - Placa de circuito impresso

2.3.2 MONTAGEM DA FONTE NA PCI

Com a placa de circuito impresso pronta, soldamos todos os componentes na placa e também aplicamos uma camada de estanho sobre as trilhas (Foto 22). Além de dar maior capacidade de corrente, o estanho protege o cobre da oxidação, evitando assim falhas no funcionamento da fonte. Na Foto 23 podemos ver a fonte completa montada na PCI.

Na Foto 23 podemos ver a fonte completa montada na PCI. Foto 22 – Placa de

Foto 22 – Placa de circuito impresso com trilhas estanhadas

30

Foto 23 – Fonte lin ear montada na PCI 31

Foto 23 – Fonte linear montada na PCI

31

2.3.3 ACONDICIONAMENTO DA FONTE EM GABINETE

Finalizada a montagem da fonte na PCI, acondicionamos a mesma num gabinete metálico reutilizado de uma fonte para computador. A Foto 24 mostra a fonte finalizada:

reutilizado de uma fonte para computador. A Foto 24 mostra a fonte finalizada: Foto 24 –

Foto 24 – Fonte no gabinete

32

2.3.4 TESTES FINAIS

Com a fonte montada na PCI, iniciamos os testes definitivos de tensão e carga primeiramente utilizando um multímetro e posteriormente utilizando um osciloscópio digital para adquirirmos as formas de onda em diversos pontos da fonte. Os resultados obtidos através dos testes com multímetro estão na Tabela 04 e na Tabela 05:

LEGENDA DAS TABELAS 04 E 05:

V S1 Tensão alternada entre o negativo e um dos secundários do transformador; V S2 Tensão alternada entre o negativo e o outro secundário do transformador; V C1 Tensão contínua entre os terminais do capacitor C1; V O Tensão contínua na saída da fonte; I O Corrente na carga.

Tabela 04 – Tensões obtidas com multímetro; tensão de saída 12V

   

TENSÃO (V)

 

COMPONENTES

Sem Carga

Meia-carga

Carga

Regulação

completa

V

S1

14,00

12,20

11,20

25

%

V

S2

14,00

12,20

11,40

23

%

V

C1

17,95

14,25

12,30

46

%

V

O

13,43

12,40

10,40

29

%

I O (A)

-

0,48

0,80

 

Tabela 05 – Tensões obtidas com multímetro; tensão de saída 5V

   

TENSÃO (V)

 

COMPONENTES

Sem Carga

Meia-carga

Carga

Regulação

completa

V

S1

14,00

12,30

11,70

20

%

V

S2

14,00

12,30

11,50

22

%

V

C1

17,90

14,32

12,92

38

%

V

O

5,10

5,09

4,74

07

%

I O (A)

-

0,48

0,73

 

A regulação foi obtida através da fórmula

33

Vs

/

c

arg

a

Vc

/

c

arg

a

 

Vc

/

c

arg

a

.100%

Também foi monitorada a temperatura do trafo, dos diodos zener, Z1 ou Z2, conforme o caso, e do transistor Q1 da fonte com um termômetro infravermelho nas situações desligado, sem carga, meia-carga e com carga completa:

Tabela 06 – Temperatura do trafo, Z1 e Q1; tensão de saída 12V

   

TEMPERATURA (°C)

 

COMPONENTES

Desligado

Meia-Carga

Carga

Variação

completa

TRAFO

25

33

40

15

Z1

27

28

28

1

Q1

25

29

32

7

Com tensão de saída de 12V, o componente que teve a maior variação de temperatura foi o transformador.

Tabela 07 - Temperatura do trafo, Z2 e Q1; tensão de saída 5V

   

TEMPERATURA (°C)

 

COMPONENTES

Desligado

Meia-carga

Carga

Variação

completa

TRAFO

25

35

35

10

Z1

27

30

31

4

Q1

25

45

68

43

Com tensão de saída de 5V, o componente que teve a maior variação de temperatura foi o transistor Q1.

A temperatura maior sobre o transistor Q1 com a tensão de saída em 5V, ocorre

porque a diferença entre a tensão retificada e filtrada e a tensão de saída é maior. Esta diferença acaba dissipada na forma de calor sobre o transistor.

A variação da temperatura (T) foi obtida através da fórmula:

T = Tmaior – Tmenor

34

A seguir temos as formas de onda obtidas nos testes sem carga e com meia-carga

com a fonte montada na PCI:

A Figura 18 mostra a forma das ondas, as tensões máximas e as tensões eficazes

nas duas saídas do secundário do transformador 220V/15+15V. Cada canal (Ch1 e Ch2) mostra os resultados de uma das saídas do transformador. A tensão neste ponto ainda é alternada. Fonte sem carga.

resultados de uma das saídas do transformador. A tensão neste ponto ainda é alternada. Fonte sem

Figura 18

35

Na Figura 19 temos a comparação entre as tensões máxima e eficaz no secundário do transformador (Ch1) e a tensão média retificada e filtrada (Ch2) e suas respectivas formas de onda. Fonte sem carga.

(Ch2) e suas respectivas formas de onda. Fonte sem carga. Figura 19 A Figura 20 mostra

Figura 19

A Figura 20 mostra a tensão média logo após a retificação e a filtragem (Ch1) e a tensão média regulada pelo transistor TIP31, cuja referência (5,6V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4734. Fonte sem carga.

transistor TIP31, cuja referência (5,6V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4734. Fonte sem carga. Figura

Figura 20

36

A Figura 21 mostra a tensão média logo após a retificação e a filtragem (Ch1) e a tensão média regulada pelo transistor TIP31, cuja referência (13V) está sendo fornecida pelo diodo zener 1N4743. Fonte sem carga.

sendo fornecida pelo diodo zener 1N4743. Fonte sem carga. Figura 21 A Figura 22 mostra a

Figura 21

A Figura 22 mostra a tensão máxima e média logo após a retificação e a filtragem (Ch1), a tensão média na saída da fonte (Ch2) e a corrente da fonte (Ch3) na condição de saída em 12V com meia-carga.

média na saída da fonte (Ch2) e a corrente da fonte (Ch3) na condição de saída

Figura 22

37

Na Figura 23 temos a comparação entre a ondulação (ripple) logo após a retificação e filtragem (Ch1) e a ondulação na saída da fonte (Ch2) na condição de tensão de saída 12V sem carga.

(Ch2) na condição de tensão de saída 12V sem carga. Figura 23 Na Figura 24 temos

Figura 23

Na Figura 24 temos a comparação entre a ondulação (ripple) logo após a retificação e filtragem (Ch1) e a ondulação na saída da fonte (Ch2) na condição de tensão de saída 12V com meia-carga.

(Ch1) e a ondulação na sa ída da fonte (Ch2) na condição de tensão de saída

Figura 24

38

Na Figura 25 temos a comparação entre a ondulação (ripple) logo após a retificação e filtragem (Ch1) e a ondulação na saída da fonte (Ch2) na condição de tensão de saída 5V sem carga.

fonte (Ch2) na condição de tensão de saída 5V sem carga. Figura 25 Na Figura 26

Figura 25

Na Figura 26 temos a comparação entre a ondulação (ripple) logo após a retificação e filtragem (Ch1) e a ondulação na saída da fonte (Ch2) na condição de tensão de saída 5V com meia-carga.

(Ch1) e a ondulação na sa ída da fonte (Ch2) na condição de tensão de saída

Figura 26

39

2.4 CONSIDERAÇÕES FINAIS

Ao final de todos os testes e aquisições, verificamos que, quando colocamos uma carga que exigisse a corrente nominal máxima da fonte, a mesma não conseguiu manter a tensão de saída e a corrente. Na condição de tensão de saída 12V e carga completa (Tabela 04), a tensão real na saída da fonte chegou a 86,67% da tensão nominal e a corrente máxima foi de 80% da corrente nominal. Já na condição de tensão de saída 5V e carga completa (Tabela 05), a tensão real na saída da fonte foi de 94,8% da tensão nominal, portanto bem próximo da tensão que deveria apresentar, mas a corrente máxima foi de 73% da corrente nominal. Analisando as tabelas 04 e 05, observamos que o transformador, apesar das especificações indicarem uma tensão nominal no secundário de 15V e uma corrente nominal máxima de 1A, não conseguiu manter a tensão no secundário nem mesmo com a fonte em meia-carga. Comparando os resultados práticos com os resultados obtidos na simulação (Tabela 01 e Tabela 02), concluímos que o transformador foi a causa da não obtenção dos resultados simulados na prática.

40

CONCLUSÃO

Finalizada a fonte linear e após os diversos testes e aquisições feitos, a fonte funcionou satisfatoriamente. O fato de a fonte não ter mantido a tensão de saída em 12V ou 5V e 1A de corrente com carga completa, fato esse que deveu-se à qualidade do transformador, não compromete o seu funcionamento e uso. É bom lembrar que, em qualquer equipamento, é interessante evitar o seu uso no limite da sua capacidade máxima, sob pena da queima de algum componente, ou de todo o equipamento, ou, no mínimo, a diminuição da sua vida útil.

41

ANEXOS

1N4001-1N4007

1N4001 - 1N4007 Features • Low forward voltage drop. • High surge current capability. DO-41
1N4001 - 1N4007 Features • Low forward voltage drop. • High surge current capability. DO-41
1N4001 - 1N4007 Features • Low forward voltage drop. • High surge current capability. DO-41
1N4001 - 1N4007 Features • Low forward voltage drop. • High surge current capability. DO-41

1N4001 - 1N4007

Features

Low forward voltage drop.

High surge current capability.

forward voltage drop. • High surge current capability. DO-41 COLOR BAND DENOTES CATHODE General Purpose Rectifiers

DO-41

COLOR BAND DENOTES CATHODE

General Purpose Rectifiers

Absolute Maximum Ratings*

T A = 25°C unless otherwise noted

Symbol

Parameter

 

Value

Units

4001

4002

4003

4004

4005

4006

4007

V

RRM

Peak Repetitive Reverse Voltage

50

100

200

400

600

800

1000

V

I

F(AV)

Average Rectified Forward Current, .375 " lead length @ T A = 75°C

 

1.0

A

I

FSM

Non-repetitive Peak Forward Surge Current 8.3 ms Single Half-Sine-Wave

 

30

A

 

T

stg

Storage Temperature Range

 

-55 to +175

 

°C

 

T

J

Operating Junction Temperature

 

-55 to +175

 

°C

*These ratings are limiting values above which the serviceability of any semiconductor device may be impaired.

Thermal Characteristics

Symbol

Parameter

Value

Units

P

D

Power Dissipation

3.0

W

R

θJA

Thermal Resistance, Junction to Ambient

50

°C/W

Electrical Characteristics

T A = 25°C unless otherwise noted

Symbol

Parameter

 

Device

 

Units

4001

4002

4003

4004

4005

4006

4007

V

F

Forward Voltage @ 1.0 A

 

1.1

V

I

rr

Maximum Full Load Reverse Current, Full

 

30

µA

 

Cycle

T A = 75°C

 

I

R

Reverse Current @ rated V R T A = 25°C T A = 100°C

 

5.0

µA

 

500

µA

 

C

T

Total Capacitance V R = 4.0 V, f = 1.0 MHz

 

15

pF

2003 Fairchild Semiconductor Corporation

1N4001-1N4007, Rev. C1

1N4001-1N4007

General Purpose Rectifiers

(continued)

Typical Characteristics

Forward Current Derating Curve

1.6 1.4 1.2 1 0.8 SINGLE PHASE HALF WAVE 60HZ 0.6 RESISTIVE OR INDUCTIVE LOAD
1.6
1.4
1.2
1
0.8
SINGLE
PHASE
HALF WAVE
60HZ
0.6
RESISTIVE OR
INDUCTIVE LOAD
0.4
.375" 9.0 mm LEAD
LENGTHS
0.2
0
0
20
40
60
80
100
120
140
160
180
FORWARD CURRENT (A)

º

AMBIENT TEMPERATURE ( C)

Non-Repetitive Surge Current

30 24 18 12 6 0 1 2 4 6 8 10 20 40 60
30
24
18
12
6
0
1 2
4
6
8 10
20
40
60
100
FORWARD SURGE CURRENT (A) pk

NUMBER OF CYCLES AT 60Hz

Forward Characteristics

20 10 4 2 1 0.4 0.2 0.1 º T = 25 C J Pulse
20
10
4
2
1
0.4
0.2
0.1
º
T
= 25 C
J
Pulse Width = 300µµµµS
0.04
2%
Duty Cycle
0.02
0.01
0.6
0.8
1
1.2
1.4
FORWARD CURRENT (A)

FORWARD VOLTAGE (V)

Reverse Characteristics

1000 100 º T = 150 C J 10 T = 100 ºC J 1
1000
100
º
T
= 150 C
J
10
T
=
100
ºC
J
1
0.1
º
T
=
25
C
J
0.01
0
20
40
60
80
100
120
140
REVERSE CURRENT (
µµµµ
A)

RATED PEAK REVERSE VOLTAGE (%)

2003 Fairchild Semiconductor Corporation

1N4001-1N4007, Rev. C1

1N4752A)-(1N4728AZeners

Zeners 1N4728A - 1N4752A Absolute Maximum Ratings* T A = 25°C unless otherwise noted Symbol

Zeners 1N4728A - 1N4752A

Absolute Maximum Ratings*

T A = 25°C unless otherwise noted

Symbol

Parameter

Value

Units

P

D

Power Dissipation Derate above 50°C

 

1.0

W

 

6.67

mW/°C

T

STG

Storage Temperature Range

-65 to +200

°C

T

J

Operating Junction Temperature

+

200

°C

R

θJL

Thermal resistance Junction to Lead

53.5

°C/W

R

θJA

Thermal resistance Junction to Ambient

 

100

°C/W

 

Lead Temperature (1/16” from case for 10 seconds)

+

230

°C

 

Surge Power**

 

10

W

*These ratings are limiting values above which the serviceability of the diode may be impaired. **Non-recurrent square wave PW = 8.3 ms, TA = 55 degrees C.

NOTES:

1) These ratings are based on a maximum junction temperature of 200 degrees C. 2) These are steady state limits. The factory should be consulted on applications involving pulsed or low duty cycle operations.

Electrical Characteristics

T A = 25°C unless otherwise noted

Tolerance: A

= 5%

DO-41 COLOR BAND DENOTES CATHODE
DO-41
COLOR BAND DENOTES CATHODE

Device

V

Z

Z

Z

@

I

ZT

Z ZK

@

I

ZK

V

R

@

I

R

I

SURGE

I

ZM

(V)

(ΩΩΩΩ)

(mA)

(ΩΩΩΩ)

(mA)

(V)

(µµµµA)

(mA)

(mA)

1N4728A

3.3

10

 

76

400

1.0

1.0

 

100

 

1380

276

1N4729A

3.6

10

 

69

400

1.0

1.0

100

1260

252

1N4730A

3.9

9.0

64

400

1.0

1.0

50

1190

234

1N4731A

4.3

9.0

 

58

400

1.0

1.0

10

1070

217

1N4732A

4.7

8.0

 

53

500

1.0

1.0

 

10

 

970

193

1N4733A

5.1

7.0

 

49

550

1.0

1.0

10

890

178

1N4734A

5.6

5.0

45

600

1.0

2.0

10

810

162

1N4735A

6.2

2.0

41

700

1.0

3.0

10

730

146

1N4736A

6.8

3.5

 

37

700

1.0

4.0

 

10

 

660

133

1N4737A

7.5

4.0

34

700

0.5

5.0

10

605

121

1N4738A

8.2

4.5

31

700

0.5

6.0

10

550

110

1N4739A

9.1

5.0

 

28

700

0.5

7.0

10

500

100

1N4740A

10

7.0

 

25

700

0.25

7.6

 

10

 

454

 

91

1N4741A

11

8.0

23

700

0.25

8.4

5.0

414

83

1N4742A

12

9.0

21

700

0.25

9.1

5.0

380

76

1N4743A

13

10

 

19

700

0.25

9.9

5.0

344

69

1N4744A

15

14

17

700

0.25

11.4

5.0

304

61

1N4745A

16

16

 

15.5

700

0.25

12.2

 

5.0

 

285

 

57

1N4746A

18

20

 

14

750

0.25

13.7

5.0

250

50

1N4747A

20

22

 

12.5

750

0.25

15.2

5.0

225

45

1N4748A

22

23

11.5

750

0.25

16.7

5.0

205

41

1N4749A

24

25

 

10.5

750

0.25

18.2

 

5.0

 

190

 

38

1N4750A

27

35

9.5

750

0.25

20.6

5.0

170

34

1N4751A

30

40

8.5

1000

0.25

22.8

5.0

150

30

1N4752A

33

45

7.5

1000

0.25

25.1

5.0

135

27

V F Forward Voltage = 1.2 V Maximum @ I F = 200 mA for all 1N4700 series

2001 Fairchild Semiconductor Corporation

1N4700A Rev. C

TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C)

TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C) Medium Power Linear Switching Applications • Complementary to TIP32/32A/32B/32C NPN
TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C) Medium Power Linear Switching Applications • Complementary to TIP32/32A/32B/32C NPN
TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C) Medium Power Linear Switching Applications • Complementary to TIP32/32A/32B/32C NPN
TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C) Medium Power Linear Switching Applications • Complementary to TIP32/32A/32B/32C NPN

TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C)

Medium Power Linear Switching Applications

• Complementary to TIP32/32A/32B/32C

NPN Epitaxial Silicon Transistor

TO-220 1 1.Base 2.Collector 3.Emitter
TO-220
1
1.Base
2.Collector
3.Emitter

Absolute Maximum Ratings T C =25°C unless otherwise noted

Symbol

 

Parameter

Value

Units

V

CBO

Collector-Base Voltage

: TIP31

40

V

 

: TIP31A

60

V

: TIP31B

80

V

: TIP31C

100

V

V

CEO

Collector-Emitter Voltage : TIP31

40

V

   

: TIP31A

60

V

: TIP31B

80

V

:

TIP31C

100

V

V

EBO

Emitter-Base Voltage

5

V

I

C

Collector Current (DC)

3

A

I

CP

Collector Current (Pulse)

5

A

I

B

Base Current

1

A

P

C

Collector Dissipation (T C =25°C)

40

W

P

C

Collector Dissipation (T a =25°C)

 

2

W

T

J

Junction Temperature

150

°C

T

STG

Storage Temperature

- 65 ~ 150

°C

Electrical Characteristics T C =25°C unless otherwise noted

 

Symbol

Parameter

 

Test Condition

Min.

Max.

Units

V

CEO (sus)

*

Collector-Emitter Sustaining Voltage

       
   

: TIP31

I C = 30mA, I B = 0

 

40

V

: TIP31A

 

60

V

: TIP31B

80

V

: TIP31C

100

V

I

CEO

Collector Cut-off Current

       
 

:

TIP31/31A

V CE =

30V, I B =

0

0.3

mA

:

TIP31B/31C

V CE = 60V, I B = 0

0.3

mA

I

CES

Collector Cut-off Current

       
 

: TIP31

V CE = 40V, V EB = 0

200

µA

: TIP31A

V CE = 60V, V EB = 0

200

µA

: TIP31B

V CE = 80V, V EB = 0

200

µA

: TIP31C

V CE = 100V, V EB = 0

200

µA

I

EBO

Emitter Cut-off Current

 

V EB = 5V, I C = 0

   

1

mA

h

FE

* DC Current Gain

V CE = 4V, I C = 1A V CE = 4V, I C = 3A

 

25

   
 

10

50

V

CE (sat)

* Collector-Emitter Saturation Voltage

I C = 3A, I B = 375mA

 

1.2

V

V

BE (sat)

* Base-Emitter Saturation Voltage

V CE = 4V, I C = 3A

   

1.8

V

f

T

Current Gain Bandwidth Product

V CE = 10V, I C = 500mA

3.0

 

MHz

* Pulse Test: PW300µs, Duty Cycle2%

©2000 Fairchild Semiconductor International

Rev. A, February 2000

TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C)

Typical Characteristics

1000 V CE = 4V 100 10 1 1 10 100 1000 10000 h FE
1000
V CE = 4V
100
10
1
1
10
100
1000
10000
h FE , DC CURRENT GAIN

I C [mA], COLLECTOR CURRENT

Figure 1. DC current Gain

10 I C (MAX) (PULSE) 100µs I C (MAX) (DC) 1 1ms TIP31 V CEO
10
I C (MAX)
(PULSE)
100µs
I C (MAX)
(DC)
1
1ms
TIP31 V CEO MAX.
5ms
TIP31A V CEO
MAX.
TIP31B V CEO
MAX.
TIP31C V CEO
MAX.
0.1
10
100
I C [A], COLLECTOR CURRENT

V CE [V], COLLECTOR-EMITTER VOLTAGE

Figure 3. Safe Operating Area

10000 I C /I B = 10 1000 V BE (sat) 100 V CE (sat)
10000
I
C /I B =
10
1000
V BE (sat)
100
V
CE (sat)
10
1
10
100
1000
10000
V BE (sat), V CE (sat)[mV], SATURATION VOLTAGE

I C [mA], COLLECTOR CURRENT

Figure 2. Base-Emitter Saturation Voltage Collector-Emitter Saturation Voltage

50 45 40 35 30 25 20 15 10 5 0 0 25 50 75
50
45
40
35
30
25
20
15
10
5
0
0
25
50
75
100
125
150
175
200
P C [W], POWER DISSIPATION

T C [ o C], CASE TEMPERATURE

Figure 4. Power Derating

©2000 Fairchild Semiconductor International

Rev. A, February 2000

TIP31 Series(TIP31/31A/31B/31C)

Package Demensions

TO-220

9.90 ±0.20 4.50 ±0.20 (8.70) +0.10 ø3.60 ±0.10 1.30 –0.05 (45°) 1.27 ±0.10 1.52 ±0.10
9.90 ±0.20
4.50 ±0.20
(8.70)
+0.10
ø3.60 ±0.10
1.30
–0.05
(45°)
1.27 ±0.10
1.52
±0.10
0.80
±0.10
+0.10
0.50
–0.05
2.40 ±0.20
2.54TYP
2.54TYP
[2.54 ±0.20]
[2.54 ±0.20]
9.20 ±0.2013.08
±0.20
(1.70)
(1.46)
1.30 ±0.10
(1.00)
(3.70)(3.00)
2.80 ±0.1015.90
±0.20
10.08 ±0.30
18.95MAX.
10.00 ±0.20
10.00 ±0.20

Dimensions in Millimeters

©2000 Fairchild Semiconductor International

Rev. A, February 2000

3 3 m m m m Y Y e e l l l l o

33mmmm YYeellllooww GGrreeeenn LLEEDD

OSNG3131A

Features

Water-clear Type

3mm Standard Directivity

Superior Weather-resistance

Applications

Toys

Audio

Christmas Light

Outline Dimension

Toys ● Audio ● Christmas Light ■ Outline Dimension ■ Absolute Maximum Rating (Ta=25 ℃)  

Absolute Maximum Rating

(Ta=25℃)

 

Item

Symbol

Value

Unit

DC

Forward Current

I

F

30

mA

Pulse Forward Current*

I

FP

160

mA

Reverse Voltage

V

R

5

V

Power Dissipation

P

D

100

mW

Operating Temperature

Topr

-40 ~ +95

Storage Temperature

Tstg

-40 ~ +100

Lead Soldering Temperature

Tsol

260/5sec

-

*Pulse width Max.10ms

Duty ratio max 1/10

Directivity

Duty ratio max 1/10 ■ D i r e c t i v i t y

Electrical -Optical Characteristics

(Ta=25℃)

 

Item

Symbol

Condition

Min.

Typ.

Max.

Unit

DC

Forward Voltage

V

F

I

F =20mA

 

- 2.1

2.8

V

DC

Reverse Current

I

R

 

V

R =5V

- -

 

30

µA

Domi. Wavelength

λ

D

I F =20mA

 

- 570

-

nm

Luminous Intensity

Iv

I F =20mA

 

- 90

-

mcd

50% Power Angle

2θ1/2

I F =20mA

 

- 30

-

deg

LED & Application Technologies

VER A.0

3 3 m m m m H H i i g g h h R

33mmmm HHiigghh RReedd LLEEDD

OSHR3134A-HH

Features

High Bright LED

3mm Standard Directivity

Superior Weather-resistance

UV Resistant Epoxy

Color Diffused Type

Applications

Toys

Games

General Use

Christmas Light

Outline Dimension

● General Use ● Christmas Light ■ Outline Dimension ■ Absolute Maximum Rating (Ta=25 ℃ )

Absolute Maximum Rating

(Ta=25)

 

Item

Symbol

Value

Unit

DC

Forward Current

I

F

50

mA

Pulse Forward Current*

I

FP

150

mA

Reverse Voltage

V

R

5

V

Power Dissipation

P

D

200

mW

Operating Temperature

Topr

-30 ~ +85

Storage Temperature

Tstg

-30 ~ +100

Lead Soldering Temperature

Tsol

260/5sec

-

*Pulse width Max.10ms

Duty ratio max 1/10

Directivity

Duty ratio max 1/10 ■ D i r e c t i v i t y

Electrical -Optical Charac