Você está na página 1de 2

O encontro do licenciado ou pedagogo com os alunos é uma parte muito

importante na pedagogia em si. É o momento em que se descobre e vai


experienciar a dinâmica da aula, nesta dinâmica o aluno é um crítico e não
apenas um receptor que apenas aceita as informações de forma passiva. O
texto coloca em destaque a questão da importância da didática. Afinal, a
didática tem de fato alguma importância? De certa forma, muitos conhecem o
papel sociopolítico da escola e sua importância na sociedade, mas onde fica a
tal da didática? A didática nada mais serve do que para proporcionar uma visão
crítica sobre o ensino para auxiliar na resolução de problemas do ensino em
geral e para dar reflexão crítica e subsídios para que o futuro professor possa
encarar devidamente a sala de aula. Ao conhecer o meio em que vai atuar
cabe ao professor por meio da didática achar meios de passar o conteúdo de
uma forma que maximize o entendimento de seus alunos, ou seja, adaptar
suas abordagens de ensino de acordo com o meio. Isso também leva para
outro lado, que é justamente o papel do professor em organizar e selecionar os
conteúdos que serão aplicados aos alunos. Tem que se dar devida atenção à
forma de escolha dos conteúdos, se estes, estrategicamente, levarão a um
melhor resultado ao aprendizado. Neste sentido a didática além de ser um
auxilio crítico ao ensino, também age de forma organizadora, conscientizando o
professor de sua responsabilidade om relação a escolha de conteúdos a serem
abordados em sala de aula. Um conflito evidente na pedagogia se dá a relação
de teoria e prática, é importante neste caso ter o equilíbrio com relação a esta
dualidade. É um fato que há um grande abismo entre ambos, a realidade se
mostra muito diferente do ideal, porém sem a teoria a prática pedagógica se vê
‘’cega’’ , a teoria é o que garante o bom direcionamento para a ação correta e
mais eficiente.

A questão de que a didática vem sendo pouco trabalhada em conjunto


com outras disciplinas pedagógicas também é uma questão a se preocupar,
essa separação da didática em relação às outras disciplinas acaba
prejudicando um pouco a prática em si. Deve-se haver uma junção,
cooperação, acabar com a falta de articulação das disciplinas dos cursos de
licenciatura e pedagogia, a fim de compactar a pedagogia como um todo, para
que o espaço entre a teoria e a pratica fique cada vez mais estreita. Os
problemas socioeducacionais também chamam bastante atenção, os
problemas educacionais no nosso país são bastante nítidos. O professor é
jogado em uma em um ambiente que não tem sequer as devidas condições
para ser descrito por ‘’sala de aula’’, nessas situações a teoria que deveria ser
um guia para a pedagogia passa a ser impraticável, dado que os cursos de
formação de licenciatura acabam, ainda, ignorando essas nuances da
realidade.

Vemos que há uma separação nos cursos de licenciatura em geral, entre


a disciplina específica e as disciplinas pedagógicas, não seria mais
interessante unir ambas? Ao invés de abordar, por exemplo, áreas do
conhecimento matemático, como geometria, lógica e área pedagógicas como,
filosofia da educação, antropologia, não seria melhor apenas se aprender
‘’como’’ passar matemática para outras pessoas? No lugar de aprender
simplesmente geometria euclidiana, por exemplo, aprenderíamos ‘’geometria
euclidiana e como ensina-la’’. Talvez assim, seria mais proveitoso ao aluno de
licenciatura em matemática, pois ele não enxergaria o como (didática) e o que
(matéria especifica), como algo distante e separado.