Você está na página 1de 44

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

DT SHDSL C
202.6016.01-6
2005 - DIGITEL S.A. INDÚSTRIA ELETRÔNICA
Rua Dr. João Inácio, 1165
Bairro: Navegantes
CEP 90230-181 • Porto Alegre/RS • Brasil
Fone: (51) 3337.1999
Fax: (51) 3337.1923
http://www.digitel.com.br
E-mail: info@digitel.com.br

Este manual foi desenvolvido por:


SCIENTIFIC LINGU
LINGUAGEMAGEM L TD
LTD
TDAA.
Fone: (51) 3388.5000
http://www.scientific.com.br
E-mail: vendas@scientific.com.br

Projeto gráfico:
CONTEXTO MARKETING EDITORIAL L TD
LTD
TDAA.
Fone/Fax: (51) 3395.2515 / 3395.2404
E-mail: contexto@contextomkt.com.br
• Orientações
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




• É imprescindível a leitura atenta das informações gerais e das instruções de instalação constantes no manual antes de operar o


produto.



• Para limpar o produto, desligue-o da alimentação. Não use produtos de limpeza líquidos, em pasta, aerossol ou abrasivos. Use um


pano seco ou levemente umedecido e nunca deixe que líquidos ou materiais caiam sobre ou dentro do produto.



• Não exponha o produto à chuva nem às variações de temperatura ou umidade além das especificadas pelo manual.



• Sempre verifique se as conexões físicas estão perfeitamente encaixadas (conectores, plugues, cabos e acessórios) e tenha certeza



de que estão de acordo com os itens que descrevem características técnicas, conexões e instalação do produto no manual.


Somente efetue conexões físicas de produtos, periféricos ou acessórios quando o sistema estiver desligado.



• Alguns produtos da Digitel podem ser inseridos em gabinetes e bastidores sem a necessidade de desligar a fonte de alimentação.


Neste caso, siga a orientação descrita no item Instalação do produto.



• No caso de produtos que são ligados à rede elétrica, nunca sobrecarregue as tomadas. Caso necessite usar extensão, utilize fios e



tomadas compatíveis com a capacidade especificada.



• Não substitua peças do produto por outras não originais. Em caso de dúvida, procure sempre orientação no Centro de Assistência


Técnica Digitel mais próximo.



• Tome todas as medidas de proteção antiestática e contra descargas elétricas, inclusive a instalação de aterramento, uso de filtros de


energia ou estabilizadores de tensão e nobreaks.



• Os gabinetes devem ser instalados em uma superfície plana e firme. As frestas e aberturas não devem ser bloqueadas ou cobertas,


pois servem para ventilação e evitam o superaquecimento.



• No caso de produtos Digitel que permitam empilhamento, verifique a descrição desse procedimento no item do manual que descreve



a sua instalação.



• A Digitel se reserva o direito de alterar as especificações contidas neste documento sem notificação prévia.





Para informações sobre garantia e assistência técnica, consulte a seção no final deste manual.



3
• Índice
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

• Apresentação ............................................................................................................... 6
• Instalação e configuração ........................................................................................... 8
SUPERVISOR .............................................................................................................................................................................................. 9
Configuração de placa ....................................................................................................................................................................... 10
Configuração do modem .................................................................................................................................................................... 11
Status I ................................................................................................................................................................................................. 12
Status II ............................................................................................................................................................................................... 15
Testes ................................................................................................................................................................................................... 16
Seleção de interface ........................................................................................................................................................................... 19
Modo de programação ....................................................................................................................................................................... 20
Modo de operação .............................................................................................................................................................................. 20
Velocidades ......................................................................................................................................................................................... 20
Relógio de transmissão ....................................................................................................................................................................... 21
Timeslot inicial do frame G.704 .......................................................................................................................................................... 22
Timeslot 16 do frame G.704 ............................................................................................................................................................... 22
Timeslot 16 na linha ............................................................................................................................................................................ 22
Recepção de laço remoto .................................................................................................................................................................. 23
INSTALAÇÃO DO GABINETE .................................................................................................................................................................. 23

• Painéis/Conexões .......................................................................................................24
PAINEL FRONTAL DO MODEM DT SHDSL C ....................................................................................................................................... 24
Conector Console ............................................................................................................................................................................... 25
Alimentação ......................................................................................................................................................................................... 26

4
Índice
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Conectores DTE .................................................................................................................................................................................. 27


Conexão ao DTE ................................................................................................................................................................................. 27



Interface V.35 ...................................................................................................................................................................................... 28



Inferface G.703 ................................................................................................................................................................................... 31


Conector de linha ................................................................................................................................................................................ 31




• Operação .....................................................................................................................32



OPERAÇÃO NORMAL ............................................................................................................................................................................... 32



OPERAÇÃO EM TESTE ............................................................................................................................................................................ 33



Acionamento de testes pelo painel frontal ........................................................................................................................................ 34



• Especificações ............................................................................................................ 38




• Assistência técnica e garantia................................................................................... 42



• Índice remissivo .........................................................................................................43


















5
• Apresentação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Bem-vindo ao Manual de Instalação e Operação do DT SHDSL C (compacto).


Quando abrir a embalagem, você encontrará:
• DT SHDSL C/S ou DT SHDSL C/T;
• Fonte de alimentação;
• Manual de instalação e operação.
O DT SHDSL C é um modem banda-base síncrono que transmite dados nas velocidades de n x 64 kbps, sendo n = {1,
2, ..., 36}, com transmissão duplex em um par de fios trançados. O modelo DT SHDSL C/S possui interface padrão ISO 2110,
e o modelo DT SHDSL C/T possui interface padrão Telebrás.
O DT SHDSL C vem configurado de fábrica para operar como modem remoto (NTU), relógio regenerado, interface G.703,
primeiro timeslot igual a 1 e velocidade automática. A única configuração necessária para o DT SHDSL C operar como modem remoto,
na configuração de fábrica, é a seleção de interface, no caso de a interface utilizada ser V.35, e não G.703.
No caso do DT SHDSL C ser utilizado em uma configuração diferente da configuração de fábrica, ele pode ser configu-
rado através de um terminal de supervisão. Opcionalmente, os equipamentos podem ser configurados, controlados e monitorados
remotamente através do Sistema de Gerenciamento de Modens Digitel, compatível com SNMP.
Além disso, possui facilidades de testes, permitindo a realização de laços analógico local, digital local e digital remoto,
oferecendo rápido isolamento do problema em caso de falhas na comunicação.

6
Apresentação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Estação


Celular,
Transceptor





Sistema de


Gerência


Digitel





DT SHDSL C


Estação


Banco de Modens Celular,


DT2048 SHDSL Transceptor



Sub-Bastidor DT SHDSL C
DTSMP20-H





Roteador




DT SHDSL C DT SHDSL C


Video Conferência





Rede Local DT2048 SHDSL



Roteador




DT SHDSL C


Rede Local




Rede com modens DT SHDSL C



7
• Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Após a configuração da interface, todos os parâmetros são configurados via supervisor. A programação default consis-
te em NTU, relógio regenerado, velocidade automática e primeiro timeslot igual a 1.

Os parâmetros de programação são os seguintes:

1. Seleção de interface:
• G.703 / 75 ohms 6. Timeslot inicial do frame G.704:
• 1 a 31
• V.35

2. Modo de operação:
• LTU
7. Timeslot 16 do frame G.704
• Dados
• Sinalização
• NTU

3. Velocidades:
• n x 64
8. Timeslot 16 na linha
• Envia
• Não envia

4. Velocidade automática:
• Habilitada
9. Recepção de laço remoto:
• Habilita laço remoto
• Desabilita laço remoto
• Desabilitada

5. Relógio de transmissão:
• Interno
• Externo
• Regenerado

8
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




SUPERVISOR




Através de um terminal de supervisão padrão tipo VT100, é possível configurar, monitorar e realizar testes nos modens



DT SHDSL C.



O terminal de supervisão deve ser programado para a velocidade de 19200 bps, com 8 bits de dados, sem paridade, 1


bit de parada (stop) e sem controle de fluxo.



A tela principal do supervisor é composta de cinco opções: Configuração de Placa, Configuração de Modem, Status I,



Status II e Testes. A figura abaixo apresenta a tela Menu Principal.






DIGITEL S.A. Industria Eletronica


Supervisor SHDSL C - Ver.0.1 Rev.0.b.f Flash 5300.466



[1] Configuracao de Placa


[2] Configuracao de Modem


[3] Status I


[4] Status II


[5] Testes



Escolha sua opcao: [ ]





Menu Principal










9
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Configuração de placa

Na opção Configuração de Placa, a maioria dos parâmetros visualizados não pode ser modificada através do supervisor.
São eles: origem dos parâmetros de configuração, código de identificação do modem, interface, impedância e conector de
DTE. Esses parâmetros dão informações acerca das características do modelo do modem e sistema de gerenciamento.
O parâmetro velocidade automática pode ser alterado através do supervisor, e a interface pode ser alterada através da
dip-switch localizada no painel traseiro.
A figura a seguir apresenta um exemplo da tela Configuração de Placa.

SHDSL : Configuracao de Placa

Parametro Configuracao Atual

[A] Velocidade automática: Sim


Configuracao: EEPROM
Codigo de Identificacao: FFFF
Interface: G703/8376
Impedancia G703 (ohms): 75/Long Haul
Conector DTE: G703 e ISO

[R] Cancela Alteracoes


[S] Salva a Configuracao Atual

[X] Sair

Escolha sua opcao: [ ]

Configuração de Placa (item 1 do Menu Principal)

10
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Configuração do modem



Na opção Configuração do Modem, é possível visualizar e modificar os parâmetros de programação.



A opção Configuração do Modem possui os seguintes parâmetros: modo de operação, velocidade de comunicação,


relógio de transmissão, recepção de laço digital remoto, estrutura de quadro G.704, timeslot16, timeslot16 na linha e primeiro



timeslot. Neste menu, a opção Salva Configuração Atual permite salvar os dados temporária ou permanentemente. Salvar dados


temporariamente significa que as alterações não serão gravadas em EEPROM e, quando ocorrer falta de energia, a configuração


será perdida.





SHDSL : Configuracao do Modem



Parametro Configuracao Atual



[1] Modo de Operacao: NTU


[2] Velocidade de Comunicacao: 2048 kbps



[3] Relogio: Interno


[4] Recepcao de LDR: Habilitado


[5] Quadro Estrutura G.704: Nao Estruturado


[6] TS16: Desabilitado


[7] TS16 na linha: Desabilitado


[8] Primeiro Slot: 09



[R] Cancela Alteracoes


[S] Salva a Configuracao Atual


[X] Sair



Escolha sua opcao: [ ]




Configuração do Modem (item 2 do Menu Principal)






11
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Status I

A opção Status I, no Menu Principal, indica dez parâmetros de monitoração do modem. Esses parâmetros são utilizados
para informar o que ocorreu no enlace desde que o modem foi ligado ou desde a última vez em que os contadores foram
reinicializados. A lista a seguir apresenta os parâmetros:

Monitoração Indicação Descrição

Número de treinos N Informa o número de vezes que a linha treinou desde que o modem foi
da linha ligado ou desde que os contadores foram reinicializados.
Status da linha Conectada, Em treino Informa qual o status da linha SHDSL.
ou Desconectada
Sincronismo Linha sincronizada ou Informa se a linha SHDSL está em sincronismo ou fora de sincronismo.
Fora de Sincronismo
Velocidade real n x 64 (kbps) Indica a velocidade em que os dados estão trafegando na linha
n=3 a 36 G.SHDSL.
ERR SIM/NÃO Informa se a taxa de erros está acima do valor mínimo (10-6 ).
Atenuação N(dB) Informa qual é o valor atual da atenuação da linha SHDSL. O valor
é fornecido em dB.
NMR (Noise Margin N(dB) A margem de ruído no receptor é definida como aumento máximo
of the Receiver) tolerável na potência do ruído que ainda permite uma taxa de erro
menor que 1.10-7.

12
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Monitoração Indicação Descrição




Tempo de N(s) Informa há quanto tempo a linha está em sincronismo. O valor é fornecido


linha OK em segundos.



Erros de CRC N Informa a quantidade de erros de CRC que ocorreram desde o momento


em que o modem foi ligado ou desde a última vez em que os contadores



foram reinicializados.



LOSW SHDSL N Informa quantas vezes o modem perdeu a palavra de sincronismo


desde que entrou em sincronismo ou desde que os contadores foram


reinicializados.



























13
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

A figura a seguir apresenta um exemplo de tela Status I.

Escolha sua opcao: [a]

SHDSL : Status I Modem 1

Parametro Status Atual


Numero de Treinos da Linha: -----
Status da Linha: Conectada
Sincronismo: Linha Sincronizada
Velocidade real: 0256 kbps
Taxa de Erro de Bit > 10E-6 (ERR): Nao
Atenuacao (dB): -----
NMR (dB): -----
Tempo de Linha OK: 0000000386
Erros de CRC: -----
LOSW SHDSL: -----

[A] Atualiza Tela


[C] Limpa Contadores

[X] Sair

Escolha sua opcao: [ ]

Status I - Modem 1

Nota:
A opção Limpa contadores, no menu Status I, limpa os valores que estavam armazenados nos diversos
contadores referentes ao status do modem.

14
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Status II




A opção Status II, no Menu Principal, possui três indicativos que informam o estado atual do modem. A resposta para


cada opção descrita abaixo é “sim” ou “não”, diferentemente da opção Status I, descrita anteriormente.





Monitoração Indicação Descrição



AIS PCM SIM/NÃO Alarme local. Informa se o sinal de entrada, em G.703, modo estruturado,


contém apenas os dados em 1 (situação de erro).




LOS PCM SIM/NÃO Informa se não existe sinal de dados na entrada da interface G.703 do modem.



FRLOSS SIM/NÃO Informa se houve perda de alinhamento de quadro da interface G.704.




A figura a seguir apresenta um exemplo de tela Status II.





Escolha sua opcao: [4]


SHDSL : Status II Modem 1



Parametro Status Atual



AIS PCM: Nao


LOS PCM: Nao


Perda de Alinhamento de Quadro (FRLOSS): Nao



[A] Atualiza Tela



[X] Sair



Escolha sua opcao: [ ]



Status II - Modem 1


15
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Testes

Através desta opção do Menu Principal, é possível acionar os seguintes testes: LAL, LDL, LDR, BERT e BERT + LDR.
Na opção BERT (Bit Error Rate Test), o modem envia um padrão de dados durante um intervalo de tempo e verifica o
recebimento deste padrão, indicando se o padrão foi recebido corretamente.
Para BERT, são necessárias as seguintes programações:
• Tipo do padrão: pode ser 2 23-1, 215-1, 211-1, 29-1 e 2 6-1.
• Constante: caso no item anterior seja escolhida a opção Constante, deve-se definir o valor a ser utilizado.
• Intervalo do teste: 231, 2 28, 225 ou 221 , indicando o número de bits transmitidos em cada teste.
O resultado do teste é atualizado no final do intervalo.

Nota:
A opção de teste BERT deve ser acionada somente no modem central.

16
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




A tabela a seguir descreve todos os parâmetros utilizados na opção Testes do Menu Principal.





Parâmetro Indicação Descrição



Tipo de Teste LAL, LDL, LDR, BERT Indica os tipos de teste que podem ser acionados pelo


ou BERT + LDR supervisor.




Teste Acionado pelo SIM/NÃO Indica se algum teste foi acionado pelo supervisor.


Supervisor



Injetar Erro de CRC - Injeta um erro na linha.



23 15 11
Padrão 2 -1, 2 -1, 2 -1, Tipo do padrão utilizado para o teste.



2 9-1 e 26-1



Intervalo do Teste(bits) 2 31, 228, 225 ou 221 Indica o número de bits transmitidos em cada teste.



Número de Erros de CRC N Informa a quantidade de erros de CRC.



Status do Teste Andamento, Concluído Informa qual a situação do teste de BERT.



ou Não Disponível /


Não Ativado



BER N Indica a taxa de erros do teste que envolve o padrão de teste.



Auto_teste Concluído/ Não Concluído Quando concluído, significa que o modem está pronto para



operar.








17
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Escolha sua opcao: [5]

SHDSL : Configuracao de Testes Modem 1

Parametro Status/Configuracao Atual


[1] Tipo de Teste: LAL
Teste Acionado: Sim
[2] Teste Acionado pelo Supervisor: Nao
[3] Injetar Erro de CRC
[4] Padrao: 2E23-1
[5] Intervalo do Teste (bits): 2E31
Numero de Erros de CRC: -----
Status do Teste: -----
BER: -----
Auto-teste: Concluido

[A] Atualiza Tela


[C] Limpa Contadores

[X] Sair

Escolha sua opcao:[ ]

Configuração de Testes - Modem 1


Testes

18
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Seleção de interface




Para o modelo DT SHDSL C, a seleção de interface é feita através de uma dip, conforme a tabela a seguir.



Programação da interface




Interface SW1-1



G.703* OFF: para cima



V.35 ON: para baixo




* Configuração de fábrica



















Dip SW1







19
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Modo de programação

O modem DT SHDSL C pode ser programado através do terminal de supervisão ou remotamente pelo Sistema de
Gerenciamento de Modens Digitel.

Modo de operação

Para a operação do DT SHDSL C, um dos modens deverá ser configurado como NTU (unidade de terminação de rede),
e o outro, como LTU (unidade de terminação de linha). Normalmente, a opção LTU é utilizada no lado central da rede, com um
modem DT SHDSL e a opção NTU, no lado do usuário, com o DT SHDSL C.

Velocidades

O modem DT SHDSL C transporta dados nas velocidades de n x 64 kbps. Quando operando com interface V.35, n varia
de 1 a 36. Para a interface G.703, o modem seleciona n slots do frame G.704 para enviar, com n variando de 1 a 32.

Velocidade automática

Quando o modem remoto é configurado para operar com velocidade automática, quem determina a velocidade de
operação do enlace é o modem central.
O parâmetro velocidade automática não tem função no modem central (LTU).

20
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Relógio de transmissão




Selecione a fonte de relógio de sincronismo para a transmissão dos dados do DTE para o modem. As opções são


relógio interno, relógio externo e relógio regenerado.





Modelo DT SHDSL C - Seleção do relógio




Opções Aplicações



Interno Utilizado quando o modem fornece o relógio para o DTE.



Externo Utilizado quando o DTE gera o relógio para os dados.




Regenerado* Recupera o relógio recebido do DTE remoto para sincronizar os dados


transmitidos pelo DTE local (o sincronismo dos dados é gerado pela ponta


remota).




* Configuração de fábrica

















21
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Timeslot inicial do frame G.704

Para interface G.703 e estrutura de quadro G.704 habilitada, o modem seleciona os dados do frame G.704 de acordo
com a velocidade escolhida e o timeslot inicial.
Selecione o timeslot inicial que seu modem vai utilizar para transportar os dados. O DT SHDSL C vem configurado de
fábrica com timeslot inicial igual a 1.

Timeslot 16 do frame G.704

O modem DT SHDSL C pode ser utilizado em redes que usam o timeslot 16 para transportar dados ou sinalização. No
caso de o modem estar configurado para operar com quadro estruturado e na velocidade de 1984 kbps
(31 timeslots), o timeslot 16 deve estar programado para dados. O DT SHDSL C vem configurado de fábrica com timeslot 16
utilizado para transportar dados.

Timeslot 16 na linha

A programação do timeslot 16 na linha indica se o timeslot 16, contendo sinalização, deve ser transportado pela linha para
o modem remoto.
O timeslot 16 na linha deve ser programado quando este timeslot for utilizado para transportar sinalização; caso contrário,
esta configuração não terá efeito.

IMPORTANTE!
Sempre que o modem estiver programado para transportar sinalização através da linha, o timeslot inicial do
modem central deve ser o mesmo do modem remoto.

22
Instalação e configuração
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Recepção de laço remoto




Habilita (ou inibe) a recepção do comando de laço digital remoto pela linha, definindo se o modem local aceitará (ou não)


comando de laço originado no modem remoto.







INSTALAÇÃO DO GABINETE




Instale o gabinete em um ambiente ventilado e não obstrua as frestas de ventilação acima e abaixo do gabinete. O local



onde o gabinete será instalado deve permitir a operação via painel e facilitar o acesso para manutenção.



















AVISO!


Antes de iniciar a instalação do gabinete, faça uma inspeção visual cuidadosa no equipamento, verificando se há


danos no mesmo. Se você detectar qualquer problema, comunique a companhia transportadora e o represen-



tante Digitel mais próximo para que se providencie a substituição ou o reparo do equipamento.



23
• Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

PAINEL FRONTAL DO MODEM DT SHDSL C

O painel frontal do modem contém leds indicadores do status de alimentação do modem e dos circuitos de interface
digital e chaves de controle de teste.

TES: Ver item Operação em teste


ALARM: vermelho, indica condições de alarme

SYNC: verde piscando, treinando; verde, modem está recebendo dados da linha
G703/V35: verde, interface habilitada; piscando, relógio externo (o DTE não está fornecendo relógio/dados)
TD/RD: vermelho, dados em marca; verde, dados em espaço; amarelo, dados variados
POWER: amarelo, alimentação ok

24
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Conector Console




O conector Console (supervisão), localizado no painel frontal do modem DT SHDSL C, é


utilizado para conectar o modem a um terminal padrão tipo VT100, que permite a configuração e o



controle do modem. A tabela a seguir mostra a função dos pinos do conector Console (DB9).




Pinagem do conector Console (DB9)




Pino DB9 ITU-T Descrição



1 109 Portadora detectada/DCD*



2 104 Dados recebidos/RD




3 103 Dados transmitidos/TD



4 108 Terminal pronto/DTR



5 102 Terra de sinal/GND




6 107 Modem pronto/DSR*



8 106 Pronto para receber/CTS*




Os sinais marcados com asterisco (*) estão sempre no estado ON para habilitar a operação do terminal.





IMPORTANTE!


A velocidade do terminal de supervisão deve ser 19200 bps.




25
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Alimentação

A alimentação é ativada através de uma chave ON/OFF localizada no painel traseiro do gabinete. A fonte de alimentação
é externa e deve ser ligada à rede elétrica local para tensões de 93,5 a 253 Vrms, com a outra extremidade ligada ao gabinete.

Chave ON/OFF
da alimentação

26
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Conectores DTE




O DT SHDSL C possui conectores para as interfaces V.35 e G.703 (75 ohms), localizados no painel traseiro do modem.


Para a interface V.35, o conector DTE é um conector fêmea tipo D, de 25 pinos. Para a interface G.703, o modem possui dois



conectores BNC (TX e RX).

















Conectores BNC Conector DB25




Conecte o cabo do equipamento terminal de dados ao conector DTE através dos cabos descritos a seguir.





Conexão ao DTE




• Para a conexão de um DTE que possua interface V.35, utilize um cabo adaptador V35. Ligue o conector macho DB25



ao conector DTE.



• Para a utilização da interface G.703, ligue cabos coaxiais aos conectores BNC do modem.




27
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Interface V.35

Quando selecionada a interface V.35, os sinais de dados e relógios são do tipo diferencial balanceado e seguem a
recomendação V.35. Os sinais de controle são não balanceados e são compatíveis com a recomendação V.28.

Quando a interface do usuário segue a norma V.35, deve-se utilizar o cabo adaptador V35, conforme a tabela a seguir.

Modelo Cabo adaptador Descrição

DT SHDSL C/S Cabo V35 ISO 2110 (810.0231.00) Cabo adaptador para conector padrão ISO 2110, de
15 cm, terminado em conector fêmea de 34 pinos (M34)

DT SHDSL C/T Cabo V35 Telebrás (810.0172.00) Cabo adaptador para conector padrão Telebrás, de 15
cm, terminado em conector fêmea de 34 pinos (M34)

Nota:
O cabo adaptador é opcional (não acompanha o produto).

28
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




A tabela a seguir mostra a pinagem do cabo CB-V35 ISO 2110.



M34 (V.35) DB25 ITU-T DESCRIÇÃO



A 1 101 Terra de proteção



P- S 2-14 103 Dados transmitidos/TD



R-T 3-16 104 Dados recebidos/RD



C* 4 105 Solicitação para transmitir/RTS



D* 5 106 Pronto para transmitir/CTS



E* 6 107 Modem pronto/DSR


B 7 102 Terra de sinal/GND



F* 8 109 Portadora detectada/DCD



Y-AA/a 15-12 114 Relógio de transmissão interno/TC



V-X 17-9 115 Relógio de recepção/RC



L* 18 141 Laço analógico local/LAL



H* 20 108 Terminal pronto/DTR



N* 21 140 Laço digital remoto/LDR


U-W 24-11 113 Relógio de transmissão externo/REX



NN/n* 25 142 Indicador de teste/TI





Nota:



Os circuitos marcados com asterisco (*) são sinais de controle não balanceados, com níveis V.28. A pinagem


no conector DB25 segue a norma ISO 2110, amd 1991.



29
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

A tabela a seguir mostra a pinagem do cabo CB-V35 Telebrás.

M34 (V.35) DB25 ITU-T DESCRIÇÃO

A 1 101 Terra de proteção


P- S 2-15 103 Dados transmitidos/TD
R-T 4-17 104 Dados recebidos/RD
C* 5 105 Solicitação para transmitir/RTS
D* 7 106 Pronto para transmitir/CTS
E* 9 107 Modem pronto/DSR
B 13 102 Terra de sinal/GND
F* 10 109 Portadora detectada/DCD
Y-AA/a 3-16 114 Relógio de transmissão interno/TC
V-X 6-19 115 Relógio de recepção/RC
L* 8 141 Laço analógico local/LAL
N* 23 140 Laço digital remoto/LDR
U-W 11-24 113 Relógio de transmissão externo/REX
NN/n* 12 142 Indicador de teste/TI

Nota:
Os circuitos marcados com asterisco (*) são sinais de controle não balanceados, com níveis V.28. A pinagem
no conector DB25 segue a prática Telebrás.

30
Painéis/Conexões
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Interface G.703




A interface G.703 segue a recomendação G.703 do ITU-TSS para a velocidade de 2048 kbps. É do tipo não balanceada,


com impedância de 75 ohms.






G.703 Descrição




TX Conector BNC referente ao sinal de transmissão da interface G.703 (DTE para modem)



RX Conector BNC referente ao sinal de recepção da interface G.703 (modem para DTE)






Conector de linha




A conexão à linha de transmissão de dados é feita através dos pinos 4 e 5 de um conector RJ-45, que deve ser ligado ao



painel traseiro do modem.













Conector de linha


G.SHDSL



31
• Operação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Antes de operar o modem, o usuário deve estar familiarizado com todos os controles e indicadores e entender perfeita-
mente a função de cada um deles.

OPERAÇÃO NORMAL

Na operação normal do modem, o usuário deve conectar a linha através do conector RJ-45, descrito no item Conector
de linha, e verificar através dos leds do painel frontal se o(s) modem(ns) está(ão) funcionando perfeitamente.
O esquema a seguir representa a operação normal.

32
Operação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




OPERAÇÃO EM TESTE




Com a finalidade de facilitar a análise e o isolamento de possíveis falhas, o modem permite a realização de alguns laços



de teste. Esses testes podem ser acionados através das chaves no painel frontal do modem ou do terminal de supervisão.



O DT SHDSL C também dispõe de um gerador de padrão de dados no transmissor e de um identificador de erros na


recepção (BERT), que pode ser ativado pelo supervisor. O modem no qual o teste foi acionado envia a seqüência de teste e


confere se está recebendo a mesma seqüência. Os erros que ocorrem no enlace são registrados e repassados ao supervisor



quando solicitado.



O BERT, acionado em conjunto com o LDR (figura a seguir), testa o enlace.



























33
Operação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Acionamento de testes pelo painel frontal

Para acionar o teste, pressione o botão desejado e espere o led piscar por 3 segundos. Após soltar o botão, o led ficará
amarelo, sinalizando o status de teste. Quando o led estiver apagado, é sinal de que não há testes habilitados.
A tabela a seguir mostra como são acionados os laços de teste do modem através das chaves localizadas no painel
frontal, bem como as funções dessas chaves.

Função das chaves

Chave Função

LAL Ativa laço analógico local. Os dados provenientes do DTE


local passam pela interface, são codificados, passados ao
receptor e retornam ao DTE local sem passar para a linha,
isto é, colocam o modem local em laço analógico. O modem
local não fecha laço para o modem remoto.

LDL Ativa laço digital local, isto é, retorna ao DTE local os dados
enviados por ele ao modem, sem passar pelo transmissor e
receptor. Quando o modem estiver em LDL, há retorno dos
dados enviados pelo modem remoto.

LDR Envia um sinal ao modem remoto, colocando-o em laço digi-


tal, isto é, fazendo com que os dados recebidos sejam envi-
ados novamente ao modem que gerou o teste. O modem
remoto fecha também o laço digital para o DTE remoto. O
laço funciona somente após os modens sincronizarem.

34
Operação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Operação em laço digital local


















O operador local testa:



• DTE local;


• circuitos de interface do modem local.



O operador do modem remoto testa:



• modem local;



• linha;


• modem remoto;


• DTE remoto;



• circuitos de interface do modem remoto.










35
Operação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Operação em laço analógico local

O operador local testa:


• modem local;
• DTE local;
• circuitos de interface do modem local.

Nota:
O modem não fecha laço para a linha.

36
Operação
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Operação em laço digital remoto




















O operador do modem local testa:



• modem local;



• linha;



• modem remoto;



• DTE local;



• circuitos de interface do modem local.





O operador remoto testa:



• DTE remoto;



• circuitos de interface do modem remoto.



37
• Especificações
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

Modelos • DT SHDSL C/S


• DT SHDSL C/T

Velocidades n x 64 kbps, com n={1... 36}

Tipos de operação Ponto-a-ponto, síncrono, full-duplex

Tipo de linha Par de fios de 135 ohms balanceados

Testes Laços locais: analógico e digital


Laço remoto: digital

Potência de saída Nominal: 14 dBm

Impedância de saída 135 ohms

Codificação TC-PAM

Relógio • Interno
• Externo
• Regenerado

Condições ambientais Operação: 0 a 45 °C


Armazenagem: -5 a 65 °C
Transporte: -40 a 70 °C
Umidade relativa: até 95%

38
Especificações
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Dimensões Altura: 40 mm



Largura: 230 mm



Profundidade: 157 mm



Peso aproximado: 490 g



Consumo 6W



Gerenciamento Gerendiado remotamente através do Sistema de Gerenciamento de Modens Digitel



Proteção elétrica na linha Através de varistores em configuração para alta velocidade



Alimentação AC: Full-range 93,5 a 253 VRMS, 47 a 63 Hz. Operação de 0 a 45°C



Alcance Velocidade Alcance Velocidade Alcance



(com fio 0,4 mm, 64 kbps 6500 m 1216 kbps 4100 m



26 AWG) 128 kbps 6500 m 1280 kbps 4100 m



192 kbps 6500 m 1344 kbps 4050 m



256 kbps 6100 m 1408 kbps 4050 m



320 kbps 5750 m 1472 kbps 4050 m


384 kbps 5450 m 1536 kbps 4000 m



448 kbps 5250 m 1600 kbps 4000 m



512 kbps 5100 m 1664 kbps 4000 m



576 kbps 4950 m 1728 kbps 3950 m



640 kbps 4800 m 1792 kbps 3950 m



704 kbps 4650 m 1856 kbps 3950 m



39
Especificações
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

768 kbps 4550 m 1920 kbps 3900 m


832 kbps 4450 m 1984 kbps 3900 m
896 kbps 4350 m 2048 kbps 3900 m
960 kbps 4250 m 2112 kbps 3800 m
1024 kbps 4200 m 2176 kbps 3800 m
1088 kbps 4150 m 2240 kbps 3800 m
1152 kbps 4150 m 2304 kbps 3800 m

40
• Assistência técnica e garantia
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○




Durante o período de garantia do produto (especificado na nota fiscal), a Digitel assegura seu perfeito funcionamento, de acordo


com as características e especificações existentes no seu manual de instalação e operação. Caso seja constatado algum problema


no produto, entre em contato com o Centro de Assistência Técnica Digitel, em Porto Alegre, relatando o tipo de defeito.




Esta garantia inclui conserto e substituição dos componentes ou partes defeituosas sem ônus para o cliente, sendo executada no



Centro de Assistência Técnica Digitel. Não estão cobertos defeitos ocasionados por má utilização de equipamento conectado a


este produto ou utilização em desacordo com as instruções contidas no manual. Também não estão cobertos consertos efetuados


por estabelecimentos não credenciados pela Digitel.




A garantia dos produtos é de "balcão" (Porto Alegre), ou seja, não cobre atendimento em campo. O frete de remessa e devolução



para conserto é por conta do cliente.







Porto Alegre




DIGITEL S.A. INDÚSTRIA ELETRÔNICA


Rua Dr. João Inácio, 1165



Navegantes



CEP 90230-181 Porto Alegre, RS


Fone: 51 3337-1999



Fax: 51 3337-1923


CNPJ: 89.547.269/0001-04



Inscrição Estadual: 0960602577


http://www.digitel.com.br



E-mail: info@digitel.com.br



41
• Índice remissivo
○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○ ○

C N
Conector Console, 20, 25 NTU, 6, 8, 11, 20

E Q
Quadro estruturado G.704, 11, 22
EEPROM, 10, 11
R
G Relógio de transmissão, 8, 11, 21, 29
Gerenciamento, 6, 10, 20, 33, 39
S
I Seleção de interface, 6, 8, 19
Interface G.703, 6, 10, 15, 21, 22, 27, 31
Interface V.35, 21, 27, 28 T
Terminal de supervisão, 6, 9, 20, 25, 33
Timeslot, 6, 8, 11, 22
L
Laço analógico local, 29, 34, 36
V
Laço digital local, 34, 35 Velocidade de comunicação do modem, 11
Laço digital remoto, 11, 23, 29, 37 Velocidades, 6, 8, 21,
Laços de teste, 33, 34
LTU, 8, 20, 32, 39

42
2005 - DIGITEL S.A. INDÚSTRIA ELETRÔNICA
Rua Dr. João Inácio, 1165
Navegantes
CEP 90230-181 Porto Alegre, RS
Fone: 51 3337-1999
Fax: 51 3337-1923
http://www.digitel.com.br
E-mail: info@digitel.com.br