Você está na página 1de 31
A LIBERDADE RELIGIOSA NAS CONSTITUICOES BRASILEIRAS (Estudo filoséfico-juridico comparado) 4.2 PARTE (*) Pa, José Scamenit, SDB Diretor da, Faculdade de Direlto de Campo Grande (Mato Grosso) PONTIFICIA UNIVERSITAS LATERANENSIS FACULTAS PHILOSOPHIAR Tese de Lauren SEGUNDA PARTE SEGAO TERCEIRA A Liberdade Religiosa na Ditadura (1937-1945) CAP. I: ANALISE FILOSOFICO-JURIDICA DA CONSTITUICAO DE 1937 1) © laicismo de Estado 2) A liberdade de culto 3) A personalidade juridica das Associagées Religiosas 4) A secularizagdio dos cemitérios 5) © ensino religioso CAP. Il; CONSEQUENCIAS FILOSOFICAS 1) A involugao religiosa da Carta de 1937 2) A tarefa do Estado no direito da liberdade religiosa Ty Vise Reva de lntormagto Lapaitva 28 41,42 6 43, 162 REVISTA DE INFORMACAO LEGISLATIVA SEGAO QUARTA A LIBERDADE RELIGIOSA NA TERCEIRA REPUBLICA (1945-1964) CAP. |: ANALISE FILOSOFICO-JURIDICA DA CONSTITUIGAO DE 1946 1) A Independéncia religiosa do Estado 2) A liberdade de consciéncia, de crenga e de culto 3) A escusa de consciéncia 4) Assisténcia Religiosa 5} Disposigdes Constitucionais de 46 similares & Constituigéo de 1934 CAP, II: CONSEQUENCIAS PRATICAS 1) As religides afro-brasilairas 2) O Mandado de Seguranga n? 784, do Tribunal Federal de Recursos 3) Acdrdao do Supremo Tribunal Federal de 10 de dezembro de 1922 4) O mandado de seguranga a favor da Igreja Catélica Apostélica Brasileira CAP. Ill: CONSEQUENCIAS FILOSOFICAS 1) 0 desenvolvimento da liberdade religiosa na Carta de 1946 2) Incertezas na Constituigao SECAO TERCEIRA A Liberdade Religiosa na Ditadura (1937-1945) CAPITULO PRIMEIRO Anilise Filosdfico-Juridica da Constitulcao de 1937 A Constituigao de 1937 foi outorgada num golpe de Estado, a 10 de novembro, em plena campanha presidencial, pelo préprio chefe do Governo, Getilio Vargas, sob uma justificativa falsa como tantas outras emanadas do arbitrio. (1) 1) SARASATE, 0.6, pg. 27. OUTUBRO A DEZEMERO — 1974 163 Com efeito, no preambulo da Constituigao se léem as seguintes afir- magées: O povo esta com sua “paz politica e social profundamente per- turbada por conhecidos fatores de desordem; notéria propaganda dema- gégica procura desnaturar em Juta de classes, com a extremacdo de conflitos ideolégicos tendentes a resolver-se em termos de violéncia e colocando a Nagao sob a funesta iminéncia da guerra civil". Ainda mai “a infiltragao comunista se torna dia a dia mais extensa e profunda, exi- gindo remédios de carater radical e permanente” . Gonhecide vulgarmente e durante muito tempo como “a polaca”, por ter buscado a inspiragao na Constituigao da Polénia, 2 Carta de 1937 somente chegou a ser executada naquetas partes em que conduzia ao paroxismo o poder presidencial, com a substituigéo do Congresso nela mesmo instituido pela competéncia legiferante do Ditador. Este deixou de submeter o texto da Constituigéo ao piebiscito nacional, de realizar as eieicdes previstas, bem como de constituir o Parlamento que nunca se reuniu durante toda o “Estado Novo”. “Pode-se dizer — camenta Pacheco — que a Constituigao esteve per- manentemente suspensa por todo o seu periodo de vigéncia em tudo o que pudesse obstar 20 exercfcio totalitario e irrestrita do Poder indivi- duatizado @ ditatorial.” () “Nao se tendo realizado o plebiscito dentro do prazo estipulado pela propria Constituigaéo — escreve Francisco Campos — magna pars na elaboragao desta Carta —, a vigéncia desta, que antes do plebiscite seria de caréter provisério, tornou-se inexistente. A Constituigéo de 37 nao teve, portanto, vigéncia constitucional. E um documento de carater pura- mente Aistorico 8 nao juridico.” {%) De 1937 a 1845, 0 Brasil viveu praticamenta sem Constituigéo sob o dominio incontrastave! da ditadura. Reuniremos nesse capitulo os poucos dispositivos legais referentes & liberdade religiosa para depois verificar se houve progresso ou involugao no que diz respeilo aa direito da liberdade religiosa. 1) O laicismo de Estado "& vedado & Unido, aos Estados e aos Municipios estabelecer, subvencionar 0 exércicio dos cultos religiosos.” (+) A Corstituigao de 37 repete o mesmo dispositive de separacdo da Igreja e do Estado, suprimindo @ cléusula introduzida na Constituigao de 34 “sem prejuizo da colaboragéo reciproca”. E, pois, uma solene rea- firmagao do Jaicisma de 1891. Como escreve Pontes de Miranda, a B PAGHECO, 0.¢.. vol. |. pig. 287, 3) SARASATE, 0. pA. 1, 4 Ant 82, b.